Notícias

Banca de DEFESA: LUCIO HENRIQUE SOUSA PINHEIRO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: LUCIO HENRIQUE SOUSA PINHEIRO
DATA: 21/02/2019
HORA: 09:00
LOCAL: Auditório do Departamento de Filosofia
TÍTULO: Fenótipos Aberrantes em Leucemia Mieloide Aguda e sua Relação com Prognóstico e Sobrevida: Revisão Sistemática e Metanálise
PALAVRAS-CHAVES: Leucemia mieloide aguda. Fenótipos aberrantes. Prognóstico. Análise de sobrevida. Imunofenotipagem
PÁGINAS: 75
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Farmácia
RESUMO:

A citometria de fluxo multiparamétrica (CFM) é uma técnica utilizada para o diagnóstico de leucemia mieloide aguda (LMA) por meio da detecção de marcadores imunofenotípicos. Esta técnica possibilita a detecção de fenótipos aberrantes que estão associados com mau prognóstico e baixas taxas de sobrevida em LMA. Esta revisão sistemática teve como objetivo identificar publicações relevantes encontradas na literatura que avaliaram a influência dos fenótipos aberrantes no prognóstico e sobrevida de pacientes com LMA. Isso poderá ajudar a equipe médica a direcionar os pacientes para a melhor estratégia terapêutica. Baseado Preferred Reporting Items for Systematic Reviews and Meta-Analyses (PRISMA), foi realizada uma revisão sistemática nas bases de dados PubMed, Scopus, Science Direct, Web of Science e Cochrane Library no período de 1998 a 2016. A pesquisa resultou em dez artigos, nos quais a expressão aberrante de 17 marcadores foi detectada por meio da CFM, utilizando 1.333 amostras. Destes 17 marcadores, a expressão de 11 fenótipos aberrantes foi associada com prognóstico, dos quais oito mostraram impacto negativo no prognóstico de LMA: CD7, CD56, CD15, CD2, CD3, CD90low, CD123high , CD117high, e três foram associados com bom prognóstico: CD19, CD98high e CD117+ /CD15+ . A meta-análise mostrou que os pacientes com LMA que expressaram o fenótipo aberrante CD56, tiveram um risco relativo de morte aumentado de 76% em 28 meses (95% CI: 0.62 a 0.92). Os fenótipos aberrantes apresentam influência negativa no prognóstico, onde a maioria confere desfechos clínicos desfavoráveis em pacientes com LMA. Além disso, a estimativa meta-analítica mostrou que CD56 é um fator de prognóstico independente em pacientes com LMA, mesmo àqueles que apresentam um cariótipo favorável como a t(8;21). Além disso, a expressão aberrante do CD56 está associada a baixas taxas de sobrevida global. Portanto, a partir da avaliação do prognóstico, é possível realizar a estratificação de risco dos pacientes direcionando-os para uma melhor estratégia terapêutica.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1718309 - DULCE MARTA SCHIMIEGUEL MASCARENHAS LIMA
Externo à Instituição - EUGÊNIA TERRA GRANADO PINA
Externo à Instituição - CARLOS ARTHUR CARDOSO ALMEIDA
Notícia cadastrada em: 18/02/2019 15:40
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2019 - UFRN - bigua2.bigua2 v3.5.16 -r8114-320291d4f