Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: MARIA DAS GRAÇAS PIRES DE ALMEIDA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MARIA DAS GRAÇAS PIRES DE ALMEIDA
DATA: 06/06/2018
HORA: 13:30
LOCAL: Auditório do DFA
TÍTULO: Desenvolvimento e caracterização de biomaterial têxtil contendo monoterpeno microencapsulado
PALAVRAS-CHAVES: Timol; Monoterpenos; Microencapsulação; Biomateriais; Têxteis
PÁGINAS: 41
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Farmácia
RESUMO:

Biomateriais são dispositivos que entram em contato com sistemas biológicos, os quais podem ser utilizados em aplicações tópicas, cirúrgicas, terapêuticas e vacinais, onde sua constituição pode ser formada de compostos de origem sintética ou natural, bem como de materiais naturais quimicamente modificados. Neste sentido, a impregnação de fármacos em biomaterias têxteis é uma realidade crescente. O timol, um monoterpeno, com características físico-químicas de instabilidade, baixa solubilidade em água e volatilidade, é propício para ser microencapsulado, técnica que protege o fármaco do meio externo e preserva suas características farmacológicas, que são, no que tange ao timol, antibacteriana, antifúngica e antisépica. Diante disso, o presente trabalho teve como objetivo desenvolver e caracterizar fibras têxteis contendo timol microencapsulado como possível tratamento alternativo da bromidrose, a qual é caracterizada pelo odor desagradável do corpo que é causado pela mistura de suor e bactérias sobre a pele. As micropartículas foram preparadas através da técnica de microencapsulação por coacervação complexa, caracterizadas em relação ao tamanho e distribuição das partículas. Para quantificar o timol nas amostras realizou-se o desenvolvimento e a validação de método analítico por Cromatografia Líquida de Alta Eficiência (CLAE). Estudos de eficiência de encapsulação, potencial zeta, microscopia e o efeito da lavagem do tecido após a impregnação do fármaco também foram realizados. Os resultados mostraram que as micropartículas apresentaram tamanho, distribuição, potencial zeta e morfologia, antes da lavagem dos tecidos, adequados, apesar de após a lavagem dos tecidos não serem detectadas micropartículas entre suas fibras, através do MEV, sendo preciso aprimorar essa etapa do teste para obter uma melhor impregnação. Em conclusão, esta é uma alternativa terapêutica promissora a ser estudada em futuros ensaios clínicos com vistas para a qualidade de vida do paciente portador de bromidrose.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2030649 - MAIRIM RUSSO SERAFINI
Interno - 2869627 - ADRIANA GIBARA GUIMARÃES
Externo à Instituição - IZABEL ALMEIDA ALVES
Notícia cadastrada em: 05/06/2018 08:03
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2020 - UFRN - fragata3.fragata3 v3.5.16 -r10803-399c5c35c