Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: GLAUCIENE DA SILVA SANTOS

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: GLAUCIENE DA SILVA SANTOS
DATA: 16/02/2018
HORA: 14:00
LOCAL: Auditório do Departamento de Farmácia
TÍTULO: INFLUÊNCIA DO ALGINATO DE SÓDIO NO COMPORTAMENTO DE FASE E NA ATIVIDADE LARVICIDA CONTRA AEDES AEGYPTI EM SISTEMAS TENSOATIVOS NANOESTRUTURADOS CONTENDO ÓLEO ESSENCIAL.
PALAVRAS-CHAVES: alginato de sódio, concentração micelar crítica, sistemas nanoestruturados, óleo essencial de Citrus sinensis, Aedes aegypti.
PÁGINAS: 62
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Farmácia
RESUMO:

Os sistemas nanoestruturados por tensoativos têm sido investigados, pois são formados por autoagregação em meio aquoso e por apresentar comportamento liotrópico e auto estruturação in situ, quando em meio aquoso. Estes sistemas possibilitam uma melhor dispersão de substâncias hidrofóbicas e melhoram a atividade biológica das substancias ativas. O comportamento de fase dos agregados sofrem influência com a adição de sais, causando redução da concentração micelar crítica do tensoativo, resultando em agregados mais estruturados. Neste sentido, o objetivo deste trabalho foi avaliar a influência do alginato de sódio no comportamento de fase e na atividade larvicida, frente às larvas do Aedes aegypti, em um sistema tensoativo nanoestruturado, já descrito como precursor de mesofase líquido cristalina, cuja fase oleosa é o óleo essencial de Citrus sinensis (OECS), responsável pela atividade larvicida.O presente sistema composto a partir da mistura de tensoativo/co-tensoativo (procetyl/acido oleico) (2:1),OECS como fase oleosa e a água como fase aquosa, sendo que na fase aquosa foi adicionado o alginato de sódio nas concentrações 2,4,8e10%.Inicialmente foi determinado a tensão superficial do procetyl e da mistura de P/AO (2:1) na ausência e na presença do alginato de sódio nas concentrações reduzidas de 0.2,0.4,0.8 e 1.0%, até atingir a CMC de cada amostra analisada.Os novos sistemas foram caracterizados pela anisotropia, através da técnica de microscopia ótica de luz polarizada (MLP), pelo comportamento reológico, e pela organização estrutural por espalhamento de raio-X a baixo ângulo (SAXS).A concentração letal média (CL50) frente a larvas do Aedes aegypti dos sistemas foi determinada.Os resultados da determinação tensão superficial das amostras foi possível observar que a presença do NaAlg provocou a redução da CMC do tensoativo sendo obtido melhor resultado na presença do alginato de sódio.Os sistemas apresentaram anisotropia, com a presença de pontos de birrefringência e estruturas do tipo cruz de malta, indicativo de estruturação dos agregados.A reologia apresentou comportamento não newtoniano viscoelástico e pseudoplástico na adição do NaAlg no sistema. Com os resultados das curvas de SAXS foi possível observar que a adição de NaAlg causou modificações estrutural e mudança no comportamento de fase dos sistemas, passando de uma região em transição de fase para um sistema mais ordenado como os cristais líquidos de fase lamelar,corroborando com os resultados de MLP e reologia.A alteração no comportamento de fase de cada sistema, em função da variação da concentração de NaAlg refletiu na atividade larvicida dos sistemas causando uma redução nos valores de CL50 do OECS. Foi possível obter os valores de CL50 de 5,73 (A0) sem alginato, 4,04 (A2),3,29 (A0), 3,39 (A8) e 4,36 ppm (A10).Desta forma a adição do NaAlg em diferentes concentrações favoreceu a mudança no comportamento de fase dos sistemas devido à interação com a mistura tensoativo/co-tensoativo causando redução da CMC do tensoativo.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 2445308 - ADRIANO ANTUNES DE SOUZA ARAUJO
Externo ao Programa - 2228579 - RENATA CRISTINA KIATKOSKI KAMINSKI
Presidente - 2337777 - ROGERIA DE SOUZA NUNES
Notícia cadastrada em: 25/01/2018 07:12
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2020 - UFRN - fragata3.fragata3 v3.5.16 -r10668-754907a47