Notícias

Banca de DEFESA: LAIS CRISTINA SANTANA SENA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: LAIS CRISTINA SANTANA SENA
DATA: 19/02/2016
HORA: 14:00
LOCAL: A definir
TÍTULO: Desenvolvimento de método analítico para determinação dos principais adulterantes da cocaína em urina humana
PALAVRAS-CHAVES: Cocaína; Adulterantes; Intoxicação; Urina; DLLME-SFO; Cromatografia Líquida de Alta Eficiência.
PÁGINAS: 112
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Farmácia
RESUMO:

A cocaína é uma droga estimulante que apresenta capacidade de causar dependência. Frequentemente são adicionados a esta droga adulterantes com o intuito de mimetizar sua ação ou minimizar seus efeitos adversos. Quando há nessa droga outros componentes farmacologicamente ativos, severos agravos à saúde podem ocorrer. Isso aliado ao fato de que o uso de cocaína no Brasil vem aumentando, poderá resultar no maior número de usuários que procurarão os serviços de saúde apresentando quadros de intoxicação. Assim, o objetivo deste trabalho é desenvolver um método de determinação dos principais adulterantes da cocaína (cafeína, levamisol, lidocaína, fenacetina, diltiazem e hidroxizina) em urina humana. A cromatografia líquida de alta eficiência acoplada ao detector de arranjo de fotodiodos foi utilizada como técnica de análise e a microextração líquido-líquido dispersiva com solidificação da gota orgânica flutuante, como técnica de preparo das amostras. O tipo de solvente extrator e de solvente dispersor foi otimizado através do método unifatorial clássico. O pH do tampão, o volume dos solventes extrator e dispersor e a adição de sal foram otimizados através do planejamento fatorial completo. A separação cromatográfica dos analitos em fase reversa foi obtida através de uma coluna C18 (250 x 4.6 mm; 5 μm; 80 Å) em modo gradiente e usando acetonitrila-ácido trifluoroacético 0,026% (v,v) a 1 mL.min-1 como fase móvel (25°C e detecção a 235 nm). O tempo de análise foi de 25 min. Foi possível obter bons resultados em resolução (>1,15), fatores de retenção (>0,68), número de pratos (>2094,90) e fatores de separação (>1,05) para todos os analitos. Para o preparo da amostra, a urina foi alcalinizada com tampão fosfato de sódio 0,5 M (pH 10) e adicionada de cloreto de sódio (20 %m/v). Acetonitrila (150 µL) e 1-dodecanol (30 µL) foram utilizados como solvente dispersor e extrator, respectivamente. O método apresentou intervalos de concentração linear de 312,5 – 3125 ng.mL−1 para cafeína e levamisol e de 187,5 – 1875 ng.mL−1 para lidocaína, fenacetina, diltiazem e hidroxizina, com limite de quantificação de 187,5 ng.mL-1 para lidocaína, fenacetina, diltiazem e hidroxizina e 312,5 ng.mL-1 para cafeína e levamisol. Os valores médios de recuperação variaram de 6,0 a 42,6%. O método mostrou boa precisão e exatidão intra e intercorrida com coeficiente de variação e erro relativo menores que 15%. As amostras apresentaram-se estáveis após ciclos de congelamento-descongelamento e após serem mantidas por 24h em temperatura ambiente. Ainda, o método foi aplicado satisfatoriamente em amostras de urina de usuários de cocaína. Espera-se que este método possa contribuir para a rapidez e precisão no diagnóstico das intoxicações e para o adequado planejamento das medidas terapêuticas.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 2445308 - ADRIANO ANTUNES DE SOUZA ARAUJO
Presidente - 1686576 - FERNANDO JOSE MALAGUENO DE SANTANA
Externo ao Programa - 1544624 - SANDRO NAVICKIENE
Notícia cadastrada em: 18/01/2016 08:44
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2020 - UFRN - bigua2.bigua2 v3.5.16 -r10803-399c5c35c