Notícias

Banca de DEFESA: JOYCE DALLINE SILVA ANDRADE

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JOYCE DALLINE SILVA ANDRADE
DATA: 29/07/2014
HORA: 09:00
LOCAL: A definir
TÍTULO: Prevalência da comorbidade psiquiátrica em dependentes de drogas de abuso atendidos nos Centros de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas do estado de Sergipe.
PALAVRAS-CHAVES: Substâncias psicoativas, transtornos psiquiátricos, diagnóstico duplo, saúde mental.
PÁGINAS: 88
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Farmácia
RESUMO:

O consumo de substâncias psicoativas é um grave problema de saúde pública em todo o mundo, inclusive nas diversas regiões do Brasil. O abuso dessas substâncias (ou drogas de abuso) muitas vezes relaciona-se aautodestruição dos seus usuários, com consequentes alterações mentais que podem levar a violência, indiferença, isolamento e desprezo. Por sua vez, o seu uso prolongadopode levar ao desenvolvimento do fenômeno de dependência e a existência de comorbidades psiquiátricas. Assim, o objetivo deste trabalho foi traçar o perfil epidemiológico dos dependentes de drogas de abuso atendidos pelo sistema único de saúde através dos Centros de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas (CAPS AD) localizados em Sergipe - importante estado da região nordeste do Brasil - e investigar a prevalência dos principais fatores de risco associados à ocorrência da comorbidade de transtornos psiquiátricos e dependência. Trata-se de um estudo regional, multicêntrico, de corte transversal, realizado com pacientes de quatro CAPS AD no período de janeiro de 2013 a outubro de 2013. No estudo foram incluídos todos os pacientes com 18 a 69 anos de idade, diagnóstico clínico de dependência a uma ou mais substâncias psicoativas e em tratamento nas instituições à pelo menos um mês. O perfil epidemiológico da população estudada e as variáveis: sintomas psiquiátricos e uso de substâncias psicoativas foram avaliadas através dede instrumentos padronizados. A amostra total foi composta por 103 pacientes distribuídos com alocação proporcional e foi caracterizada por um predomínio de pacientes do gênero masculino (91,27%), a média de idade dos pacientes foi de 37,9 ± 9,1 anos com faixa etária predominante entre 30 a 59 anos (80,55%). Cerca de 16,50% não eram alfabetizados e 75,73% cursaram até o ensino fundamental, 61,16% eram solteiros, 30,09% estavam desempregados e 33,0% não tinham um vínculo trabalhista formal. O 1º contato com as drogas foi na pré-adolescência (40,78%) e na adolescência (34,95%)

sendo o álcool (70,87%) e a nicotina (18,46%) as drogas de maior prevalência. Aproximadamente 27% eram dependentes de álcool, 11% de cocaína e/ou crack e 62% eram dependentes de múltiplas drogas. Episódio depressivo maior (69,90%), risco de suicídio (66,01%) e transtornos de ansiedade (63,10%) foram os transtornos mais diagnosticados na população estudada. Por sua vez, a condução veicular sob efeito de drogas (55,10%) e prisão ou detenção (63,10%) foram os comportamentos de risco mais frequente. Entretanto, correlação estatisticamente significativa foi observada somente entre risco de suicídio e comorbidades psiquiátricas (p<0,05). Sendo assim, a dependência as drogas de abuso atinge indivíduos de uma ampla faixa etária que com início precoce pode ocasionar efeitos negativos devido a dependência de substâncias psicoativas em pessoas com transtornos mentais graves como, por exemplo, evolução clínica e social prejudicada.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 2445308 - ADRIANO ANTUNES DE SOUZA ARAUJO
Presidente - 1686576 - FERNANDO JOSE MALAGUENO DE SANTANA
Externo ao Programa - 1541701 - LIUDMILA MIYAR OTERO
Notícia cadastrada em: 14/07/2014 14:10
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2020 - UFRN - bemtevi1.bemtevi1 v3.5.16 -r10803-399c5c35c