Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: VIVIANE BARROS SILVA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: VIVIANE BARROS SILVA
DATA: 27/05/2013
HORA: 09:00
LOCAL: a ser determinado
TÍTULO:

SÍNTESE E QSAR DE DERIVADOS DO CARVACROL E TIMOL FRENTE ÀS LARVAS DE Aedes
aegypti (Diptera: Culicidae)
SÍNTESE E QSAR DE DERIVADOS DO CARVACROL E TIMOL FRENTE ÀS LARVAS DE Aedesaegypti (Diptera: Culicidae)


PALAVRAS-CHAVES:

Carvacrol, timol, síntese,QSAR, Aedes aegypti


PÁGINAS: 108
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Farmácia
RESUMO:

A dengue, dentre as doenças virais de transmissão vetorial, é a mais
importante do mundo, causando grande impacto em termos de morbi-mortabilidade,
cujo agente etiológico é um vírus do gênero flavivírus. Atualmente são conhecidos
quatro sorotipos, antigenicamente distintos: DENV-1, DENV-2, DENV-3 e DENV-4. O
controle das infecções pelo vírus da dengue vem tendo insucessos em quase todo o
mundo em função da não disponibilidade de vacinas, e nem de tratamento específico.
Uma das estratégias para controlar a dengue é a prevenção da reprodução do
mosquito com a utilização de inseticidas. Os principais larvicidas utilizados são os
organofosforados e os reguladores de crescimentode insetos (IGRs). Como
conseqüência do uso irracional desses produtos surgiram as populações resistentes de
Ae. aegypti, um dos principais obstáculos ao controle do vetor. Na busca por controle
químico alternativo contra Ae. aegypti, muitas pesquisas são desenvolvidas no intuito
de se descobrir novas substâncias inseticidas de origem vegetal. Nesse contexto, os
óleos essenciais e seus constituintes químicos têm recebido especial atenção como
potenciais agentes bioativos contra mosquitos vetores. Assim, o presente trabalho visa
sintetizar e avalair a atividade larvicida de um conjunto de compostos análogos ao timol
e carvacrol, visando identificar as características físico-químicas que contribuem para o
efeito larvicida na busca de alternativas para o controle desse mosquito. Dezesseis
A dengue, dentre as doenças virais de transmissão vetorial, é a mais
importante do mundo, causando grande impacto em termos de morbi-mortabilidade,
cujo agente etiológico é um vírus do gênero flavivírus. Atualmente são conhecidos
quatro sorotipos, antigenicamente distintos: DENV-1, DENV-2, DENV-3 e DENV-4. O
controle das infecções pelo vírus da dengue vem tendo insucessos em quase todo o
mundo em função da não disponibilidade de vacinas, e nem de tratamento específico.
Uma das estratégias para controlar a dengue é a prevenção da reprodução do
mosquito com a utilização de inseticidas. Os principais larvicidas utilizados são os
organofosforados e os reguladores de crescimentode insetos (IGRs). Como
conseqüência do uso irracional desses produtos surgiram as populações resistentes de
Ae. aegypti, um dos principais obstáculos ao controle do vetor. Na busca por controle
químico alternativo contra Ae. aegypti, muitas pesquisas são desenvolvidas no intuito
de se descobrir novas substâncias inseticidas de origem vegetal. Nesse contexto, os
óleos essenciais e seus constituintes químicos têm recebido especial atenção como
potenciais agentes bioativos contra mosquitos vetores. Assim, o presente trabalho visa
sintetizar e avalair a atividade larvicida de um conjunto de compostos análogos ao timol
e carvacrol, visando identificar as características físico-químicas que contribuem para o
efeito larvicida na busca de alternativas para o controle desse mosquito. Dezesseis derivados do carvacrol e nove derivados do timol foram sintetizados a partir do carvacrol e do timol de acordo com diversas metodologias. Os compostos obtidos foram purificados em coluna cromatográfica de sílica gel 60 e caracterizados por RMN de e 1H, EM e IV. Os bioensaios foram realizados utilizando-se 20 larvas por teste, em copos descartáveis contendo 20 mL de uma solução aquosa com concentrações variadas dos compostos teste em triplicata. Dentre os derivados do carvacrol, o cloreto de 5-isopropil-2-metil-fenila apresentou a melhor atividade larvicida e o heptanoato de 5- isopropil-2-metil-fenila cloroacetato de 2-isopropil-5-metil-fenila, demostrou o melhor efeito tóxico frente às larvas de Ae. aegypti, e o ácido 2-isopropil-5-metil-fenoxiacéticoapresentou a menor potência. As relações entre mudanças estruturais de derivados do carvacrol e timol e suas respectivas CL50 podem fornecer informações sobre a influência de propriedades físico-químicas na ação larvicida destes compostos, informações estas que podem contribuir para a compreensão das relações entre a estrutura química e a atividade biológica desta classe de compostos, visando à identificação quantitativa das propriedades físico-químicas que influenciam no efeito tóxico frente às larvas de Ae. aegypti desta classe de compostos. Construiu-se uma tabela contendo as variáveis independentes (descritores) e a variável dependente (log 1/CL50). Foi construídoum modelo com o Log P,esta apresentouR2= 83,2%, com um conjunto de 14 compostos. Constatou-se que o Log P contribui de forma negativa para a atividade larvicida nesse conjunto de compostos.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 1977925 - EMMANOEL VILACA COSTA
Interno - 2379377 - ROSILENE MORETTI MARCAL
Presidente - 1337195 - SOCRATES CABRAL DE HOLANDA CAVALCANTI
Notícia cadastrada em: 30/04/2013 10:03
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2020 - UFRN - bigua2.bigua2 v3.5.16 -r10803-399c5c35c