A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente
Notícias

Banca de DEFESA: LUANA GLESIANE OLIVEIRA DA COSTA SILVA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: LUANA GLESIANE OLIVEIRA DA COSTA SILVA
DATA: 30/11/2022
HORA: 16:00
LOCAL: Laboratório de Flavor e Análises Cromatográficas
TÍTULO: VARIAÇÕES SAZONAIS DA COMPOSIÇÃO DE COMPOSTOS VOLÁTEIS EM CULTIVARES DE UVAS PARA MESA E VINHO
PALAVRAS-CHAVES: uva, varietais, compostos voláteis, PCA
PÁGINAS: 85
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Ciência e Tecnologia de Alimentos
SUBÁREA: Ciência de Alimentos
ESPECIALIDADE: Química, Física, Fisico-Química e Bioquímica dos Alim. e das Mat-Primas Alimentares
RESUMO:

A uva é uma das frutas com grande diversidade de cultivares no Brasil. Destina-se tanto para o consumo in natura como para a produção de sucos, vinhos e outros produtos. No Brasil, há cultivos em várias regiões. Na região Nordeste, no eixo Petrolina (PE) – Juazeiro (BA), de clima semiárido tropical, predomina o cultivo e a produção de uvas para vinho e para mesa. A videira é uma planta com grande capacidade de adaptação a diversas condições edafoclimáticos. Seus frutos destacam-se como uma das maiores fontes de compostos fenólicos. A uva contém diferentes compostos voláteis. Os teores são variáveis conforme as condições ambientais de cultivo, técnicas de produção e características genéticas das cultivares. Estes compostos são transferidos para os produtos derivados da uva, em quantidades dependentes das técnicas de processamento adotadas, e também permanecem nos resíduos, devido a sua extração incompleta durante o processamento. Desta forma, é interessante determinar e quantificar o teor de compostos voláteis bem como a atividade antioxidante em diferentes cultivares destinadas ao consumo in natura e à elaboração de vinhos, que são as atividades de maior importância econômica associadas à viticultura em todo o mundo. Desta forma, o objetivo desse trabalho é caracterizar as variações intra-anuais nos teores de compostos voláteis e no potencial antioxidante de cultivares de uvas para mesa e vinho produzidas no Semiárido brasileiro. Os tratamentos corresponderam a cultivares de uvas e dois períodos de produção do ano. Forão utilizadas pelos menos dez cultivares de uvas para mesa (Arra 15, Sweet Globe, Sugar Crisp, BRS Vitória, Sweet Jubilee, Midnight Beauty, Thompson Seedless, Crimson Seedless, Sugraone e Arra 32) e seis cultivares para vinho (Syrah, Tempranillo, Chenin Blanc, Viognier, Petit Verdot). Os cachos de uvas foram coletados quando as bagas estivam maduras, atendendo aos critérios de teor de sólidos solúveis e acidez titulável adotados comercialmente. As colheitas forão realizadas em duas safras do mesmo ano, nos períodos de fevereiro-março e setembro-outubro de 2021. As uvas recém-colhidas forão analisadas para massa do cacho, massa da baga, firmeza da baga, teor de sólidos solúveis e acidez titulável. Para a caracterização do perfil fenólico, serão utilizados padrões comerciais como referência, através do método de cromatografia gasosa.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 681.817.794-87 - MARIA AUXILIADORA COÊLHO DE LIMA
Interno - 3146747 - MARIA TEREZINHA SANTOS LEITE NETA
Externo à Instituição - RAFAEL DONIZETE DUTRA SANDES

Notícia cadastrada em: 29/11/2022 20:06
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2023 - UFRN - dragao2.dragao2 v3.5.16 -r18277-8067e35817