A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente
Notícias

Banca de DEFESA: IZABEL PESQUEIRA RIBEIRO DE ARAUJO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: IZABEL PESQUEIRA RIBEIRO DE ARAUJO
DATA: 22/11/2022
HORA: 14:00
LOCAL: videoconferência
TÍTULO: BUSCA DE INIBIDORES DE CISTEINO PROTEASES EM ESPÉCIES DE Passiflora UTILIZANDO ISOLAMENTO BIOGUIADO.
PALAVRAS-CHAVES: Passiflora, flavonoides, fenóis, protease, inibição enzimática.
PÁGINAS: 144
GRANDE ÁREA: Ciências Exatas e da Terra
ÁREA: Química
RESUMO:

As cisteíno proteases, catepsinas B, C e K, estão diretamente envolvidas com a depressão e ansiedade e por isso podem ser utilizadas como alvo biológicos na busca de fármacos ansiolíticos. Como espécies de Passiflora são utilizadas tradicionalmente para o tratamento da ansiedade, plantas desse gênero apresentam potencial para a busca de inibidores de cisteíno proteases, podendo atuar auxiliando no tratamento da ansiedade. Assim, o objetivo deste trabalho foi isolar inibidores de cisteíno proteases, utilizando a papaína como modelo, por meio do isolamento bioguiado de metabólitos secundários com as espécies Passiflora cincinnata, P. edulis e P. foetida. Os extratos das partes aéreas das espécies foram obtidos por maceração utilizando etanol (1:4, m/v; 72 h). O extrato com maior inibição enzimática foi fracionado por partição líquido-líquido (PLL), utilizando hexano, diclorometano e acetato de etila. A fração com maior inibição enzimática foi submetida a cromatografia liquida clássica (CLC) e posteriormente a subfração mais ativa foi analisada e submetida ao isolamento por cromatografia líquida de alta eficiência (HPLC). Extratos (125; 250 e 500 μg.mL-1), frações e subfrações (500 μg.mL-1), e substâncias isoladas (250 à 15,62 μg.mL-1) foram avaliados quanto ao efeito de inibição da papaína, em poços construídos em placa de petri contendo ágar/leite, por método desenvolvido no laboratório. Os compostos fenólicos e flavonoides totais dos extratos foram quantificados em espectrofotômetro utilizando reagente Folin-Ciocalteu e AlCl3, respectivamente. Dentre os extratos das três espécies, observou-se que a Passiflora foetida (PF) apresentou a maior inibição enzimática (40,1% ± 2,16), e que, o extrato dos galhos (PFG) dessa espécie teve o maior percentual de inibição (47,2% ± 2,55). O PFG apresentou teor de compostos fenólicos e flavonoides de 49,42 ± 0,92 mg EqAG/g, e 19,39 ± 1,98 mg EqQUE/g, respectivamente. Além da presença de flavonoides neste extrato, detectou-se a presença de antraquinonas, alcaloides, triterpenos e ácidos graxos. Como a fração diclorometano (PFGD), obtida do extrato PFG após PLL, apresentou a maior inibição enzimática (38,31% ± 0,09), ela foi submetida a CLC. A subfração PFGD-E (45,83% ± 0,79) apresentou um dos melhores resultados de inibição enzimática, e massa suficiente para seguir o processo de isolamento (HPLC), e assim foi selecionada. Após otimização da separação cromatográfica desta subfração obteve-se seis frações (PFGD-E1 a PFGD-E6). O processo de análise por RMN, mostrou que três estavam ainda em mistura (PFGD-E2 a PFGD-E4), e que a classe predominante dessa mistura, são as flavononas. As outras três frações (PFGD-E1, PFGD-E5, PFGD-E6) foram identificadas como sendo os flavonoides: 5,4'-dihidroxi-7-metoxi-flavonona (E1), 5-hidroxi-7,3’,4’-trimetoxi-flavonona (E5) e 5-hidroxi-7,4’-dimetoxi-flavona (E6). As substâncias E5 e E6 (250 μg.mL-1) apresentaram inibição enzimática de 13,66% ± 3,26 e 18,73% ± 4.27, respectivamente, uma baixa inibição quando comparado com a fração PFGD-E (45.83% ± 0.79). As substâncias E1, E5 e E6 foram submetidas a “docking molecular” com as catepsinas B, C e K, onde se observou uma maior afinidade frente a catepsina C. Em vista disso, conclui-se que a espécie em estudo possui potencial de inibição de cisteíno proteases, entretanto, estas substâncias, isoladamente, não são as maiores responsáveis pela atividade observada nos extratos e frações.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1975469 - JAMES ALMADA DA SILVA
Interno - 2354050 - VALERIA REGINA DE SOUZA MORAES
Externo à Instituição - GIZELLE ANGELA BARROSO VIEIRA

Notícia cadastrada em: 11/11/2022 08:32
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2023 - UFRN - dragao2.dragao2 v3.5.16 -r18277-8067e35817