A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente
Notícias

Banca de DEFESA: JONATHAN UENDLER OLIVEIRA CRUZ

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JONATHAN UENDLER OLIVEIRA CRUZ
DATA: 31/08/2022
HORA: 09:00
LOCAL: AUDITÓRIO DO NUPEG
TÍTULO: Propriedades de termoluminescência e luminescência opticamente estimulada do KMgF3 não dopado e dopado com terras raras.
PALAVRAS-CHAVES: Termoluminescência; Luminescência opticamente estimulada; Fluoreto do potássio e magnésio.
PÁGINAS: 53
GRANDE ÁREA: Ciências Exatas e da Terra
ÁREA: Física
SUBÁREA: Física da Matéria Condensada
RESUMO:

A utilização de técnicas como luminescência opticamente estimulada (OSL) e
termoluminescência (TL) na investigação de materiais com aplicações em detectores de
radiação e no estudo de defeitos em sólidos, estimulou estudos de materiais luminescentes com
ampla gama de propriedades. Na literatura, é relatado que materiais como Al2O3:C e
NaMgF3:Eu2+ tem aplicações como dosímetros. O fluoreto de magnésio e potássio (KMgF3)
é descrito como um material que apresenta picos de TL com baixo desbotamento e sensibilidade
à luz, com potencial aplicabilidade em dosimetria. Com base no que é relatado na literatura,
este trabalho tem como proposta estudar as propriedades luminescentes do KMgF3 mono
dopado com diferentes íons terras-raras (Eu, Ce e Tb), através das técnicas de TL, OSL e
Radioluminescência (RL). A influência do processo de recozimento na emissão de
sensibilidade de TL, OSL e RL foi realizada em diferentes temperaturas (600ºC, 700ºC, 800ºC
no ar) por 1h, 2h, 3h e 4h em forno, os resultados de TL mostraram que o processo de
recozimento a 800ºC por 1 hora melhoram a sensibilidade do TL em pelo menos 90%,
considerando a área total, enquanto as intensidades de RL foram notavelmente reduzidas à
medida que as amostras foram submetidas ao recozimento. Isso significa que o processo de
recozimento aumenta a densidade de defeitos que contribuem para a melhoria da sensibilidade
do TL, que compete com a eficiência cintiladora do material. Além disso, os resultados
mostraram que KMgF3, KMgF3:Eu e KMgF3:Ce apresentam picos de TL em uma faixa
adequada para aplicações em dosimetria. As medições de TL também mostram que o material
não possui armadilhas rasas. Através do método step-annealing, foi possível investigar quais
picos de TL contribuem para o sinal OSL. Os espectros de emissão TL mostram que o sinal TL
está relacionado aos dopantes Ln3+ e ao defeito intrínseco induzido pelo processo de
hibridização. As profundidades das armadilhas foram calculadas ajustando as curvas de brilho
usando um modelo de cinética de primeira ordem.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - ADRIANO BORGES ANDRADE
Externo à Instituição - JOÃO VINICIUS BATISTA VALENÇA
Interno - 426667 - MARIO ERNESTO GIROLDO VALERIO
Presidente - 2243395 - ZELIA SOARES MACEDO

Notícia cadastrada em: 19/08/2022 06:59
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2022 - UFRN - ema2.ema2 v3.5.16 -r18160-36a7f68df5