A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente
Notícias

Banca de DEFESA: DJANE DA SILVA SENA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: DJANE DA SILVA SENA
DATA: 31/08/2022
HORA: 14:00
LOCAL: Google Meet
TÍTULO: FESTIVAL DE PARINTINS - OS BASTIDORES DA ÓPERA CABOCLA.
PALAVRAS-CHAVES: Parintins;Boi-bumbá;Cultura popular; Semiótica; Etnocenologia; .
PÁGINAS: 115
GRANDE ÁREA: Lingüística, Letras e Artes
ÁREA: Artes
RESUMO:

O Festival de Parintins é um festejo popular oriundo da região Norte onde os Bois Garantido e Caprichoso duelam num grande espetáculo a céu aberto no meio da floresta amazônica. Na arena denominada bumbódromo, personagens e elementos imaginários, oriundos das lendas amazônicas e rituais indígenas, atuam com fio condutor do espetáculo que hoje é a maior manifestação popular do Norte do Brasil e que acontece no último final de semana de junho. Tendo como ponto de partida minhas lembranças de infância, histórias que minha avó contava, este trabalho tem como objetivo principal explorar os bastidores do Festival usando como recorte temporal, o estudo das transformações no período de 1988 a 2019 pela perspectiva dos que constroem o Festival, mas não aparecem. Ao estudar as etapas do processo criativo (projeto, produção e execução), iremos analisar a contribuição desses sistemas para a manutenção do Festival enquanto manifestação da cultura popular. Ao dar voz para esses agentes culturais que assim como minha avó, foram e são, parte integrante e importante da manutenção deste espetáculo, queremos contribuir para as pesquisas no campo das Culturas Populares e do próprio Festival de Parintins que é visto por muitos como um mero produto da indústria cultural. Fazendo uso das histórias de minha avó como teoria e método, teremos um instrumental de análise na construção das narrativas que são encenadas no bumbódromo. Fazendo uso da semiótica da cultura como teoria e método, iremos descrever os sistemas e subsistemas da Semiosfera do Festival de Parintins e assim, identificar os personagens que irão compor esta pesquisa. Para entendermos a dinâmica e a evolução dessa manifestação popular, iremos recorrer as bases teóricas e conceituais dos fundamentos da Etnocenologia de Armindo Bião e Jean Marie Pradier. Para dialogar sobre o Festival de Parintins a partir dos estudos culturais, usaremos os conceitos de Burke, Hall, Babha, Thompson e Canclini. Como suporte metodológico, utilizamos a pesquisa qualitativa participante, além da análise semiótica para mapear a semiosfera do festival de Parintins com seus sistemas e subsistemas. Sobre os personagens principais e secundários desse processo, pretendemos garantir seu local de fala utilizando entrevistas abertas, adotando o método da observação participante, atendendo todas as normas de segurança em função da pandemia de Covid-19 e do Conselho de Ética em Pesquisa - CEP.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1623728 - NEILA DOURADO GONCALVES MACIEL
Interno - 249.721.695-91 - LOURDISNETE SILVA BENEVIDES
Interno - 4205099 - FERNANDO JOSÉ FERREIRA AGUIAR
Externo à Instituição - JOÃO GUSTAVO KIENEN

Notícia cadastrada em: 30/08/2022 14:11
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2022 - UFRN - fragata3.fragata3 v3.5.16 -r18154-6e174eae4e