A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente
Notícias

Banca de DEFESA: RICARDO SANTANA SANTOS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: RICARDO SANTANA SANTOS
DATA: 22/02/2022
HORA: 15:00
LOCAL: Google Meet
TÍTULO: CATADORAS DE MANGABA E (RE)CRIAÇÃO DE IDENTIDADES: PERMANÊNCIAS E RUPTURAS DA TRADIÇÃO NO POVOADO RIBULEIRINHA – ESTÂNCIA/SE
PALAVRAS-CHAVES: Identidades territoriais – Resistências - Extrativismo vegetal – Associativismo - Catadoras de mangaba.
PÁGINAS: 101
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Geografia
RESUMO:

As transformações nas identidades engendradas pelo processo de
globalização tem sido alvo de investigação no campo das culturas populares
nas últimas décadas. Esta pesquisa se debruça sobre as identidades da mulher
na tradição das catadoras de mangaba do povoado Ribuleirinha, localizado no
município de Estância, no Estado de Sergipe. Tem como objetivo refletir sobre
as relações entre a profissionalização do trabalho das mulheres catadoras de
mangaba e seus processos de agenciamento e (re)configuração de
identidades. Desta forma procurei (i) identificar os contextos de criação da
associação das catadoras de mangaba; (ii) refletir sobre as estratégias de
resistência e a construção de redes de solidariedade entre essas mulheres, no
seu território, e fora dele e (iii) analisar a articulação entre o protagonismo
feminino e a dinâmica do processo de (re)definição da identidade de gênero.
Portanto esta pesquisa contribui com a compreensão de como o processo de
profissionalização destas mulheres, estimulado pela criação da associação

interagiu com a dinâmica de (re)construção e afirmação das suas identidades.
Partindo de uma concepção de Culturas Populares que se origina dos estudos
culturais britânicos, sobretudo com as contribuições dos intelectuais Stuart Hall,
Thompson e Williams. Analisando as tradições em uma perspectiva que
dialoga com Hobsawm E Ranger (2012), pensando as identidades apoiado nas
contribuições de Santos (1993), como também de Casttels (1999 e 2000), e,
recorrendo as categorias de raça, classe e gênero numa perspectiva co-
constitutiva e interseccional que opera junto a reprodução das hierarquias e
desigualdades sociais, a partir das contribuições de Davis (2016), Lugones
(2008) e Hirata (2014). Realizou-se um estudo de caso utilizando como
instrumentos de coleta de dados entrevistas semiestruturadas e observações
diretas. Também foi utilizado como procedimento de análise dos dados as
técnicas sistematizadas por Bardin (2009) que correspondem à análise de
conteúdo. Evidenciou-se que o associativismo e a profissionalização que ele
desencadeou marcam uma transformação na tradição da coleta de mangabas
no povoado Ribuleirinha o que repercutiu no processo de reafirmação
identitária das mulheres do grupo no sentido da resistência, conforme analisa
Castells (1999).


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1613293 - CHRISTIAN JEAN MARIE BOUDOU
Interno - 1821173 - DENIO SANTOS AZEVEDO
Externo ao Programa - 426495 - MARIA AUGUSTA MUNDIM VARGAS
Interno - 1922531 - ROBERTO DOS SANTOS LACERDA

Notícia cadastrada em: 17/02/2022 10:49
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2022 - UFRN - ema3.ema3 v3.5.16 -r18156-ca4d4a6fac