A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente
Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: MARIANA SANTOS DA TRINDADE

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MARIANA SANTOS DA TRINDADE
DATA: 10/09/2021
HORA: 14:00
LOCAL: Plataforma Google Meet
TÍTULO: O INDIZÍVEL DA CASA SERTANEJA OU UMA POÉTICA DOS ESPAÇOS: UM OLHAR TRANSGRESSOR SOBRE UM PATRIMÔNIO ESQUECIDO.
PALAVRAS-CHAVES: Casas Sertanejas; Memória Cultural; Pertencimento; Patrimônio Esquecido; Poética dos Espaços.
PÁGINAS: 74
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Antropologia
SUBÁREA: Antropologia Rural
RESUMO:

O sertão brasileiro é historicamente esquecido, e não apenas isso, é tambéminvisibilizado, segundo Albuquerque Jr (2011). Esse movimento presente nasatuações de políticas públicas, também é visto nas discussões a respeito daarquitetura, onde os espaços para as “casas de taipa” enquanto construçõessertanejas é mínimo e quase inexistente, desde a formação da universidade queprioriza os conhecimentos eurocêntricos até a própria visão estereotipada de atrasoe miséria cultural, social e política. Essas moradias que ainda preservam suaestrutura de taipa-de-mão ou adobe, cujos saberes, vivências, fazeres econhecimentos são passado entre gerações, e compõem a arquitetura popularbrasileira, que, de acordo com Weimer (2012, p. XXXVI) “de forma genérica, não fazparte do imaginário dos arquitetos”. Tais aspectos nos levam a refletir quantas vozessertanejas são silenciadas por essa imagem construída erroneamente ou até mesmotomadas para si mesmo como verdades. Isto posto, esse trabalho tem como objetivoanalisar a casa sertaneja em seu sentido de local de memória cultural e depertencimento do seu povo, através das vivências dos próprios sertanejos e nosestudos da fenomenologia da imaginação dos espaços, entendendo o espaço “comoum instrumento de análise para a alma humana” (BACHELARD, 2005, p. 20). Opresente estudo tem por ambiência de análise a cidade de Fátima-BA, sendoinvestigadas moradias localizadas na zona rural desse município, pertencente aosemiárido baiano, por meio de observações e narrativas de seus habitantes,entendidas como poéticas. A partir da visão da autora que também é sertaneja e asfalas dos atores sociais envolvidos, a poética dessas moradias, tanto em aspectosarquitetônicos, culturais como também no sentimento de pertença desse povo a estelocal se constituem na trama e tessitura desse patrimônio esquecido, silenciado,mas que insiste na resistência por se constituir, para além da materialidade, emlugares de memórias.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 4205099 - FERNANDO JOSÉ FERREIRA AGUIAR
Interno - 1623728 - NEILA DOURADO GONCALVES MACIEL
Externo ao Programa - 1698052 - MARIZETE LUCINI
Externo ao Programa - 2203912 - FERNANDO ANTONIO SANTOS DE SOUZA

Notícia cadastrada em: 31/08/2021 10:33
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2022 - UFRN - dragao3.dragao3 v3.5.16 -r18156-ca4d4a6fac