A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente
Notícias

Banca de DEFESA: PATRICIA BRUNET CARVALHO DE ANDRADE

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: PATRICIA BRUNET CARVALHO DE ANDRADE
DATA: 16/07/2021
HORA: 14:30
LOCAL: Goolgle Met
TÍTULO: DIÁLOGOS POSSÍVEIS ENTRE A CENA TEATRAL DO GRUPO IMBUAÇA E A CULTURA POPULAR: UM ESTUDO A PARTIR DOS ESPETÁCULOS “TEATRO CHAMADO CORDEL” (1978), “A FARSA DOS OPOSTOS” (1992) E “O AUTO DA BARCA DO INFERNO” (1997)
PALAVRAS-CHAVES: Cultura Popular; Teatro de Rua; Teatro Sergipano; Grupo Teatral Imbuaça.
PÁGINAS: 174
GRANDE ÁREA: Lingüística, Letras e Artes
ÁREA: Artes
SUBÁREA: Teatro
RESUMO:

A presente dissertação aborda a presença da cultura popular na produção artística doGrupo Teatral Imbuaça, através de uma análise sobre suas intersecções estéticas com ênfasenos espetáculos: Teatro Chamado Cordel (1977), A Farsa dos Opostos (1992), e o Auto daBarca do Inferno (1997). A mobilização para esta escrita surgiu da necessidade de pesquisar ahistória do teatro sergipano, em especial o teatro de rua, devido ao meu lugar de fala enquantoatriz, professora de teatro e pesquisadora. A relevância da pesquisa se encontra na trajetóriateatral do grupo Imbuaça, considerando a difusão de um teatro popular e como o grupointerfere na sociedade, impulsionando um fazer artístico democrático, incentivando aformação de novos atores sergipanos no desenvolvimento de uma pesquisa de linguagem e,sobretudo, na formação de plateia. Como problemática, indagamos quais são as referênciasculturais e artísticas que influenciaram a trajetória do Grupo Teatral Imbuaça no processo deformação de um teatro popular, considerando sua intercepção entre os anos de 1977 e 1997 nocenário teatral brasileiro. Quanto ao objetivo geral, averiguamos os atravessamentos dacultura popular na carpintaria teatral dos espetáculos citados, e os objetivos específicos,buscamos compreender o Teatro de Rua e seus entrelaçamentos constituídos a partir da tríade:cultura popular, memória e história. Analisamos os referidos espetáculos a partir do seucontexto, do processo de montagem e da apropriação e ressignificação dos elementospopulares para a cena e, por fim, elencamos grupos que foram influenciados diretamente pelaestética do grupo ou surgiram por meio de oficinas teatrais realizadas pelo Imbuaça. Comoaporte teórico, a investigação elegeu, entre outros autores, Bakhtin (1999), Peter Burke(2010), Storey (2015) Cuche (2002), Nestor Canclini (2016), J. Guinsburg (2006); Para afundamentação metodológica o estudo se amparou principalmente em Delgado (2006) eHaguette (2007), atendendo ao método etnográfico e os procedimentos metodológicos atravésde entrevistas orais, análises de imagens e vídeos para a sustentação desta escrita.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 249.721.695-91 - LOURDISNETE SILVA BENEVIDES
Interno - 1623728 - NEILA DOURADO GONCALVES MACIEL
Externo à Instituição - SIMONE PAIXÃO RODRIGUES
Externo à Instituição - ELIENE BENÍCIO AMÂNCIO COSTA

Notícia cadastrada em: 22/06/2021 16:39
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2022 - UFRN - dragao3.dragao3 v3.5.16 -r18154-6e174eae4e