A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente
Notícias

Banca de DEFESA: JESIEL ALVES DA SILVA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JESIEL ALVES DA SILVA
DATA: 28/08/2023
HORA: 09:30
LOCAL: Didática VII
TÍTULO: Avaliação da atividade leishmanicida de derivados de óleos essenciais R (-) carvona e Farnesol em promastigotas e amastigotas de Leishmania amazonensis
PALAVRAS-CHAVES: Leishmaniose, Óleos Essenciais, Farnesol, R (-) carvona, L. amazonensis.
PÁGINAS: 56
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Multidisciplinar
RESUMO:

As leishmanioses, segundo a Organização Mundial da Saúde, são endêmicas em 98 países eestão entre as sete principais doenças tropicais, sendo consideradas um problema de saúde públicaresponsável por 20 a 40 mil mortes anualmente. Devido a diversidade de agentes, vetores e reservatórios,o controle dessa enfermidade é um desafio para os órgãos competentes. As alternativas terapêuticasdisponíveis apresentam limitações que dificultam a adesão do paciente ao tratamento como, a elevadatoxicidade e a necessidade de administração prolongada por via parenteral, além da possível seleção decepas resistentes. Assim, o objetivo deste trabalho foi investigar a atividade biológica dos terpenosFarnesol e R (-) Carvona no modelo experimental da leishmaniose. Através do teste colorimétrico comResazurina, realizou-se a avaliação da atividade leishmanicida da dos terpenos em culturas depromastigotas (106 parasitas/ml) de Leishmania amazonensis, bem como a citotoxidade em macrófagosperitoneais murinos (105 células/ml). Por fim, foi realizado o ensaio de infecção de macrófagosperitoneais com amastigotas de L. amazonensis (razão de infecção 3 parasitos/célula) por 24 h a 37oC e5% de CO2 em diferentes concentrações do óleo essencial Farnesol e R (-) carvona. O teste deviabilidade em culturas de promastigotas mostrou que nas concentrações 6,5 μg/mL e 3,125 μg/mL aviabilidade celular foi alta de aproximadamente 90% com ambos compostos. No entanto, emconcentrações mais elevadas de 25 μM e 50 μM, houve a morte de aproximadamente 50% dospromastigotas tratados, resultando em IC50 de 31,44 μg/mL para o Farnesol e 15,75 μg/mL para o R (-)Carvona. O tratamento de macrófagos parasitos com amastigotas de L. amazonensis mostrou potencialmodulatório, pois houve diminuição da porcentagem de células parasitadas em todas as concentraçõestestadas com efeito dose dependente resultando em IC50 de 18,27 μg/mL, Farnesol e R (-) Carvona10,29 μg/mL. Foi determinado em macrófagos o teste de citotoxidade, em que obteve valores em IS50 de>200 μg/mL para o Farnesol e 85,31 μg/mL para o R (-) Carvona. Nossos dados também sugerem que otratamento com Carvona em diferentes concentrações não alterou o número médio de amastigotas pormacrófago, demonstrando estabilidade no número de parasitos intracelulares em todos os grupos, o quesugere que a taxa de infecção diminuiu por conta da redução das células infectadas e não pela diminuição de parasitos intracelulares. Deste modo, estes resultados indicam o potencial terapêutico dos derivados de Óleo essencial Farnesol e R (-) Carvona no modelo experimental das leishmanioses.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 2505573 - LUCIANA CRISTINA LINS DE AQUINO SANTANA
Externo ao Programa - 1314285 - ROSILENE CALAZANS SOARES
Presidente - 1647105 - WAGNER WELBER ARRAIS DA SILVA

Notícia cadastrada em: 22/08/2023 16:14
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2024 - UFRN - bigua3.bigua3 v3.5.16 -r19279-bcba364a3c