A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente
Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: TAÍS PEREIRA DA LUZ

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: TAÍS PEREIRA DA LUZ
DATA: 31/07/2024
HORA: 09:00
LOCAL: Para participar da videochamada, clique neste link: https://meet.google.com/uku-dmmr-ygi
TÍTULO: SISTEMA MULTICAMADAS COM BGTC REFORÇADA COM FIBRAS E CONCRETO ASFÁLTICO COM ALTA RESISTÊNCIA À FADIGA
PALAVRAS-CHAVES: Pavimento de alto desempenho; Pavimento Perpetuo; Base cimentada
PÁGINAS: 50
GRANDE ÁREA: Engenharias
ÁREA: Engenharia Civil
SUBÁREA: Geotécnica
ESPECIALIDADE: Pavimentos
RESUMO:

RESUMO PROVISÓRIO:

No Brasil, o modal rodoviário é responsável por grande parte do transporte de cargas e pelo deslocamento de pessoas. A qualidade dos pavimentos rodoviários é um fator que influencia indiretamente o valor do frete cobrado pelas empresas transportadoras, e por este motivo, possui grande relevância para a economia nacional. De acordo com o boletim da Pesquisa CNT de Rodovias (2021), o modal rodoviário brasileiro é responsável por 65% da movimentação de mercadorias e de 95% da de passageiros, mas apenas 47,8% da extensão da malha rodoviária pode ser enquadrada num estado ótimo ou bom. Vale ressaltar que, da extensão de vias defeituosas, 38,1% apresentava problemas estruturais, como trincamento, deformação plástica ou destruição total. Segundo Bernucci et al. (2008), compete ao projetista dimensionar pavimentos seguros, e que ofereçam conforto e segurança aos usuários. Contudo, é requerido ainda que o projeto de tal estrutura deva garantir o máximo desempenho funcional e estrutural do pavimento durante o período de projeto, apresentando a melhor relação benefício/custo possível. As estruturas de pavimentos rodoviários sofrem um processo de danificação e desgaste tanto pelas cargas do tráfego (principalmente de veículos pesados), quanto pela ação do intemperismo. Quanto maior for a capacidade do pavimento de resistir ao processo de danificação, maior será o seu desempenho estrutural. Portanto, o desempenho dos pavimentos rodoviários depende de diversos fatores: 1) Racionalidade do projeto e da qualidade dos materiais empregados na construção, isso porque os materiais utilizados em obras rodoviárias possuem comportamentos mecânicos variados, e a forma como esses materiais são empregados no pavimento viário (estrutura multicamadas) influenciam diretamente na vida útil da estrutura e na qualidade/serventia do pavimento rodoviário; 2) Das condições ambientais e intempéries às quais a estrutura do pavimento estará exposta; 3) Do volume de tráfego e da magnitude das cargas aplicadas ao pavimento; e 4) Da eficiência de subestruturas como o sistema de drenagem e estruturas geotécnicas complementares. Atualmente as estruturas de pavimentos brasileiros são geralmente dimensionadas para uma vida útil muito curta por conta de restrições econômicas de médio prazo, embora no longo prazo isso signifique um maior custo para as organizações que gerenciam malhas rodoviárias. Os pavimentos asfálticos são comumente projetados para uma vida de serviço de 10 anos, enquanto que os pavimentos de concreto (com alto consumo de cimento Portland) são a opção para uma vida de serviço mais prolongada (25 anos). Esses últimos, porém, têm um custo de construção muito superior a primeira. Adicionalmente, a tentativa de dimensionar um pavimento asfáltico para uma vida de serviço mais prolongada (25 anos) pode superar os custos de um pavimento de concreto, como é o caso de “pavimentos perpétuos”, compostos por três misturas asfálticas distintas. Portanto, o presente estudo pretende desenvolver uma tecnologia inovadora de pavimento asfáltico, com um sistema multicamadas capaz de superar a vida de serviço de um pavimento de concreto (mínimo 30 anos), apropriada aos pavimentos viários de alto volume de tráfego pesado. O primeiro benefício do mesmo é a redução do consumo de recursos naturais e da geração de passivos ambientais pela menor frequência de atividades de manutenção. Além disso, essa estrutura deverá apresentar uma relação benefício/custo melhor que pavimentos tradicionalmente construídos no Brasil. Essa tecnologia também é inovadora no âmbito internacional, sendo passível de registro de patente de invenção, ampliando a produtividade acadêmica do grupo de pesquisa e da universidade de origem.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1654177 - FERNANDO SILVA ALBUQUERQUE
Interno - 1060725 - GUILHERME BRAVO DE OLIVEIRA ALMEIDA
Externo ao Programa - 3384395 - JEOVANESA REGIS CARVALHO

Notícia cadastrada em: 10/05/2024 10:07
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2024 - UFRN - bigua2.bigua2 v3.5.16 -r19295-ad7fbbb3d7