A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente
Notícias

Banca de DEFESA: THAYNNA ALMEIDA DOS SANTOS BOMFIM

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: THAYNNA ALMEIDA DOS SANTOS BOMFIM
DATA: 28/02/2024
HORA: 09:30
LOCAL: Para participar da videochamada, clique neste link: https://meet.google.com/nhn-ybsr-vvr
TÍTULO: CARACTERIZAÇÃO DA TEXTURA DE SUPERFÍCIE RELACIONADA À SEGURANÇA AO TRÁFEGO EM RODOVIAS FEDERAIS DE SERGIPE
PALAVRAS-CHAVES: pavimento, aderência pneu-pavimento, microtextura, macrotextura, afundamento de trilha de roda, segurança no pavimento
PÁGINAS: 113
GRANDE ÁREA: Engenharias
ÁREA: Engenharia Civil
SUBÁREA: Geotécnica
ESPECIALIDADE: Pavimentos
RESUMO:

A aderência pneu-pavimento é uma das principais características no que se refere a segurança ao tráfego de veículos. Alguns dos fatores que influenciam diretamente nessa aderência é a textura superficial do pavimento e o afundamento de trilha de roda. A textura superficial é formada pela microtextura e macrotextura que são características essenciais para o atrito pneu-pavimento, principalmente em condição de pista molhada e com velocidades superiores a 50 km/h. Com o objetivo de avaliar as condições das rodovias federais do estado de Sergipe, a presente pesquisa realizou ensaios em 75 pontos da BR-101 e BR-235, para avaliar a macrotextura, microtextura e ATR (Afundamento de trilha de roda), através do respectivos ensaios de Mancha de Areia, Pêndulo Britânico e Treliça Metálica. Como forma de correlacionar os resultados obtidos nos ensaios com diferentes equipamentos em um só índice foi utilizado o Índice Internacional de Atrito (International Friction Index – IFI). Através da classificação estabelecida pela ASTM foi possível não só classificar mas também avaliar as condições de cada ponto analisado relacionando com variáveis como o tráfego, geometria da via, idade e tipo de revestimento. Dessa forma, observou-se que 60% dos trechos da BR-101 e 19% da BR-235 necessitam de algum tipo de intervenção relacionada à recomposição da microtextura, mas a principal causa dos acidentes nessas rodovias foi o alto volume de tráfego em segmentos urbanos. Além disso, foi possível propor modelos de previsão de desempenho ajustados para HS e IFI capazes de estimar essas variáveis ao longo do tempo, projetando a deterioração temporal da textura do pavimento, e auxiliando os tomadores de decisão no planejamento de intervenções.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1654177 - FERNANDO SILVA ALBUQUERQUE
Interno - 1694462 - ROZANA RIVAS DE ARAUJO
Externo ao Programa - 3384395 - JEOVANESA REGIS CARVALHO
Externo à Instituição - LÉLIO ANTÔNIO TEIXEIRA BRITO

Notícia cadastrada em: 07/02/2024 10:58
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2024 - UFRN - bigua2.bigua2 v3.5.16 -r19110-7eaa891a10