A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente
Notícias

Mobilidades e contatos linguísticos no Brasil

Políticas linguísticas, entendidas de modo amplo, que envolve não só planificação linguística, mas também a documentação e conservação linguística, planejamento, difusão e ensino, tanto vernaculares, como estrangeiras, de herança ou autóctones, têm sido objeto de estudos e pesquisas no PPGL e a publicação da obra Mobilidades e contatos linguísticos no Brasil apresenta resultados de pesquisas de discentes e de estágios pós-doutorais da linha de pesquisa Linguagem, usos e tecnologias.

Em projeto anterior, foram identificados campos latentes, sistematizados em Sociolinguística e política linguística: Olhares contemporâneos. Em continuidade, no escopo do projeto “Políticas linguísticas: variedade, diversidade, contato e os direitos linguísticos” (edital CAPES/FAPITEC/PROMOB 06/2016), visamos construir um panorama de pesquisas em políticas linguísticas no Brasil, considerando a sua realidade multilíngue e diversidade de variedades sociais e regionais.

Organizado por Raquel Meister Ko. Freitag, docente do programa e coordenadora do projeto, e Mônica Maria Guimarães Savedra, docente da Universidade Federal Fluminense e coordenadora do núcleo de mobilidade estabelecido pelo projeto, a obra apresenta tendências teórico-metodológicas que têm sido observadas na sociolinguística brasileira atualmente, assim como que fenômenos se colocam como questões para as políticas linguísticas brasileiras. O desenvolvimento do projeto tem contribuído com a problematização de temas em que as línguas se tornam o lócus de disputas e debates políticos, considerando diferentes olhares sobre a relação entre língua e política, envolvendo desde os discursos oficiais e estatais, até as práticas educacionais e os movimentos identitários.

Dentre os capítulos da coletânea, que envolvem pesquisadores de diferentes instituições do Brasil e do exterior, o capítulo Levantamento das comunidades rurais afro-brasileiras do recôncavo da Bahia: contribuições para futuros estudos sociolinguísticos em comunidades remanescentes de quilombos é parte do trabalho estágio de pós-doutorado de Silvana Silva de Farias Araújo, da Universidade Estadual de Feira de Santana, que em 2021, com financiamento do programa de bolsas especiais do CNPq (PDJ Edital 16/2020 CNPq), sob supervisão de Raquel Freitag. Já o capítulo Reflexões sobre o contato linguístico nos PALOP e a internacionalização da língua portuguesa na África é parte do trabalho estágio de pós-doutorado de Alexandre António Timbane, da Unversidade Federal da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira, também sob supervisão de Raquel Freitag. E o capítulo Sistematizando padrões dialetais morfossintáticos: mobilidade e contato foi escrito pelos discentes Manoel Siqueira, Marta Deysiane Alves Faria Sousa e Fernanda Gabrielle Costa Rodrigues, reunindo os resultados de suas pesquisas desenvolvidas na linha Linguagem, usos e tecnologias.

Trata-se de uma publicação de acesso aberto e gratuito, que pode ser acessada aqui. Com mais esta obra, a participação do PPGL se consolida na orientação de pesquisas em políticas linguísticas no Brasil, considerando a sua realidade multilíngue e diversidade de variedades sociais e regionais, com contribuições para a descrição do português brasileiro, a realização de estudos contrastivos entre as variedades, o subsídio a ações de ensino de língua portuguesa, tanto como língua materna como língua estrangeira.

Notícia cadastrada em: 30/04/2023 11:09
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2024 - UFRN - bigua1.bigua1 v3.5.16 -r19110-7eaa891a10