A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente
Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: CARLOS ALEXANDRE NASCIMENTO ARAGAO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: CARLOS ALEXANDRE NASCIMENTO ARAGAO
DATA: 14/06/2024
HORA: 14:30
LOCAL: meet.google.com/wkk-gtnn-npp
TÍTULO: O Currículo do Ensino Médio de Língua Portuguesa da rede estadual de Sergipe à luz da decolonialidade: um espaço de transformação
PALAVRAS-CHAVES: Currículo; Língua Portuguesa; Decolonialidade
PÁGINAS: 65
GRANDE ÁREA: Lingüística, Letras e Artes
ÁREA: Lingüística
SUBÁREA: Lingüística Aplicada
RESUMO:

A presente tese tem como base a Linguística Aplicada e busca compreender como o novo Currículo do Ensino Médio de Língua Portuguesa da rede estadual de Sergipe aborda a questão da decolonialidade de modo que outras vozes sejam inseridas no espaço escolar. Para isso, há quatro objetivos específicos que colaborarão com a concretização do objetivo geral, são eles: 1 – analisar o novo Currículo; 2 – identificar os elementos com propostas decoloniais existentes nele; 3 – observar como o Currículo orienta os professores (as) de Língua Portuguesa a inserirem a perspectiva decolonial em suas aulas; 4 – construir uma Unidade Didática decolonial. Quanto ao referencial teórico, a pesquisa traz um histórico sobre a Linguística Aplicada, destacando o seu aspecto (in) disciplinar que outorga a inserção da decolonialidade nos estudos voltados à linguagem. Assim, fizemos um percurso sobre a chegada da Língua Portuguesa no Brasil, a integração do letramento literário no processo de ensino da Língua Portuguesa em sala de aula e o modo como esse letramento possibilita que a interculturalidade seja concretizada nas salas de aula e o Currículo possa ser de fato decolonial. Cada capítulo encerra com uma análise do Currículo sergipano em questão. Faremos uso da pesquisa autoetnográfica, qualitativa e interpretativista para atingirmos o objetivo e para conseguirmos construir a Unidade Didática no último capítulo, envolvendo escritoras negras do Brasil (Sergipe) e Cabo Verde, África.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1654781 - DORIS CRISTINA VICENTE DA SILVA MATOS
Interno - 2787595 - RICARDO NASCIMENTO ABREU
Externo à Instituição - EDLEISE MENDES OLIVEIRA SANTOS

Notícia cadastrada em: 10/05/2024 17:50
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2024 - UFRN - bigua3.bigua3 v3.5.16 -r19279-bcba364a3c