A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente
Notícias

Banca de DEFESA: FABIANA LISBÔA RAMOS MENEZES

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: FABIANA LISBÔA RAMOS MENEZES
DATA: 25/03/2024
HORA: 14:00
LOCAL: sala 302 - didática VII
TÍTULO: A TRAJETÓRIA DAS PAIXÕES EM RELATOS DE PROFESSORES SOBRE VIOLÊNCIA INTRAFAMILIAR SOFRIDA POR DISCENTES
PALAVRAS-CHAVES: Paixões docentes. Trajetória das paixões. Retórica. Violência intrafamiliar.
PÁGINAS: 164
GRANDE ÁREA: Lingüística, Letras e Artes
ÁREA: Lingüística
SUBÁREA: Teoria e Análise Lingüística
RESUMO:

A violência intrafamiliar é um fator que torna crianças e adolescentes ainda mais vulneráveis. É nesse sentido que este trabalho tem como base relatos docentes que expõem uma das muitas situações de violência que são percebidas na escola. Diante da importância da família e da escola no desenvolvimento e na proteção desses sujeitos em formação, este estudo pretende analisar como professoras e professores, na condição de auditório, são afetados emocionalmente por confidências de seus discentes sobre casos de violência intrafamiliar. O objetivo é analisar as paixões identificadas em relatos de docentes sobre casos de violência intrafamiliar sofrida por discentes, consoante as etapas da Trajetória das paixões: disponibilidade, identificação, despertar da paixão, mudança de julgamento e ação. Esse procedimento tem como referencial teórico os estudos desenvolvidos por Figueiredo (2018, 2019, 2020) a partir da obra Retórica, de Aristóteles (2015), dos estudos na Nova Retórica, de Perelman e Olbrecht-Tyteca (2014) e Meyer (2000, 2007), no que se refere à afetividade no âmbito da família e da educação, com Spinoza (2009) e as relações de poder que geram vulnerabilidade, sob a ótica de Butler (2017), Foucault (1995) e Feito (2007), outras produções que se apresentam. Os relatos, enquanto corpus de análise, foram solicitados através de questionários, em reunião de professores, que escreveram sobre suas experiências na interação com os discentes. O procedimento para obtenção do corpus deu-se através da aplicação de questionário semi-estruturado, com questões dicotômicas e a solicitação do relato de experiência. Os resultados sinalizaram que a paixão da confiança é a primeira a ser despertada, pois desta depende a interação entre discente e docente sobre o caso de violência que, na medida em que é revelada, desperta a indignação. Indignação e medo são as paixões mais recorrentes nos relatos. Essa conclusão possibilitou propor a noção de paixões impeditivas, que vem a ser as paixões que impedem a ação pretendida e levam a deliberações baseadas na piedade, no temor e na impotência. Observamos que foi possível identificar as paixões vivenciadas pelos docentes e compreendê-las no percurso persuasivo, no âmbito da Trajetória das paixões e em um contexto social que vai além da educação, que é a proteção da vida.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2865742 - MARCIA REGINA CURADO PEREIRA MARIANO
Interno - 2422200 - TAYSA MERCIA DOS SANTOS SOUZA DAMACENO
Interno - 2026538 - ISABEL CRISTINA MICHELAN DE AZEVEDO
Externo à Instituição - LUANA FERRAZ
Externo à Instituição - FLÁVIO PASSOS SANTANA

Notícia cadastrada em: 29/02/2024 14:21
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2024 - UFRN - bigua3.bigua3 v3.5.16 -r19279-bcba364a3c