A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente
Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: CRISLÂNE CARVALHO ROCHA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: CRISLÂNE CARVALHO ROCHA
DATA: 26/02/2024
HORA: 14:30
LOCAL: PPGL
TÍTULO: A DISCURSIVIDADE SOBRE A IDENTIDADE IDOSA NOS CORDÉIS DE ALDA CRUZ “CORDEL É ARTE DE MINHA VIDA FAZ PARTE”
PALAVRAS-CHAVES: PALAVRAS-CHAVE: Velhice. Alda Cruz. Discurso. Cordel.
PÁGINAS: 45
GRANDE ÁREA: Lingüística, Letras e Artes
ÁREA: Lingüística
SUBÁREA: Teoria e Análise Lingüística
RESUMO:

A presente pesquisa tem como objetivo analisar os discursos sobre a velhice, nos cordéis da sergipana, Alda Cruz, para averiguar não só sua visão sobre este tema, ou seja, qual a sua ótica a respeito da pessoa idosa, como também a posição-sujeito da autora sobre os estereótipos em torno da imagem do ser idoso, existente em seu meio social. Tal problemática se enquadra na área de Estudos do Discurso, especificamente na linha de pesquisa Linguagem, Identidade e Práticas Sociais. Para isso, discorreremos a respeito da origem da Literatura de Cordel, suas condições de produção no Brasil e em Sergipe, a participação da mulher neste tipo de literatura, além dos conceitos da Análise de Discurso pêcheuxtiana (AD) necessários à análise dos cordéis selecionados para este fim. Partimos do princípio de que a autora, em seus cordéis, desconstrói a visão do senso comum, existente na maior parte da sociedade, a respeito da velhice, ou seja do idoso. Para que se evidencie se é realizada tal desconstrução, seráo analisados alguns cordéis do livro de Alda Cruz, Cordel é arte: de minha vida faz parte (2019), uma vez que neles, a autora revela a visão do idoso (no caso, a própria autora) sobre sua realidade, desvelando o preconceito social existente em seu meio. Além de analisar os discursos de seu entorno social, retratados em seus cordéis, Alda também fala da importância social dos idosos para a sociedade e para a cultura. Para abordar as questões apresentadas, faremos uso de referenciais teóricos de Orlandi (1990-2015), Pedrosa (2018), Carvalho (2018), Florêncio (2007), Porto (2018), entre outros.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 6426475 - MARIA LEONIA GARCIA COSTA CARVALHO
Interno - 2865742 - MARCIA REGINA CURADO PEREIRA MARIANO
Externo ao Programa - 1200318 - ROMERO JUNIOR VENANCIO SILVA

Notícia cadastrada em: 26/02/2024 11:31
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2024 - UFRN - bigua2.bigua2 v3.5.16 -r19279-bcba364a3c