A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente
Notícias

Banca de DEFESA: BEATRIZ DE OLIVEIRA MATOS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: BEATRIZ DE OLIVEIRA MATOS
DATA: 20/02/2024
HORA: 09:30
LOCAL: Sala 302 da Didática VII
TÍTULO: OS NOMES DA TERRA SERIGY: DESCRIÇÃO E ANÁLISE DO GLOSSÁRIO ETIMOLÓGICO DOS NOMES DA LÍNGUA TUPI NA GEOGRAFIA DO ESTADO DE SERGIPE
PALAVRAS-CHAVES: Toponímia indígena. Língua Tupi. Dicionário Toponímico. Etimologia. Lexicografia.
PÁGINAS: 111
GRANDE ÁREA: Lingüística, Letras e Artes
ÁREA: Lingüística
SUBÁREA: Lingüística Histórica
RESUMO:

Esta pesquisa analisa aspectos morfossemânticos e extralinguísticos referentes aos 341 topônimos presentes no Glossário Etimológico dos Nomes da Língua Tupi na Geografia de Sergipe, elaborado por Armindo Guaraná (1916), considerando a Toponímia, disciplina que estuda os nomes de lugares, um importante elemento na compreensão e preservação da sócio-história e do patrimônio linguístico-cultural de uma comunidade. A descrição desse corpus, datado não raro de um período pré-colonial, remete à multietnicidade e ao multilinguismo do território de Sergipe, cujo grau de manutenção total e/ou parcial desse léxico toponímico na geografia atual do estado é considerável, em especial da nomenclatura de municípios, rios e de praia. Para um estudo extensivo dessa importante fonte lexicográfica, toma-se como fundamentação teórico-metodológica a Toponímia, a Lexicografia, a História do Português brasileiro e a Geografia e a História de Sergipe, de modo a catalogar e classificar esses nomes de lugares. A classificação do corpus toponímico confirma a interseção língua, cultura e ambiente nesses signos semanticamente opacos, cujas características físico-naturais configuram a hidrografia, o relevo, a flora e a fauna locais, tal qual atesta a literatura (Dick, 1990, 1992; Santos, 2012; 2019; dentre outros).


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 013.173.275-78 - CEZAR ALEXANDRE NERI SANTOS
Interno - 1490267 - SANDRO MARCIO DRUMOND ALVES MARENGO
Externo à Instituição - ANA PAULA TRIBESSE PATRÍCIO DARGEL

Notícia cadastrada em: 19/02/2024 10:29
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2024 - UFRN - bigua2.bigua2 v3.5.16 -r19295-ad7fbbb3d7