A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente
Notícias

Banca de DEFESA: MARCIO CARVALHO DA SILVA

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MARCIO CARVALHO DA SILVA
DATA: 26/02/2024
HORA: 09:30
LOCAL: Did. VII, sala 302
TÍTULO: UMA LEITURA DO SIMBOLOGISMO DA CASA NA LITERATURA DE AUTORIA FEMINA: ONDINA FERREIRA E ALINA PAIM
PALAVRAS-CHAVES: : Literatura de autoria feminina; topoanálise; imaginário da casa; Ondina Ferreira; Alina Paim.
PÁGINAS: 121
GRANDE ÁREA: Lingüística, Letras e Artes
ÁREA: Letras
SUBÁREA: Literatura Comparada
RESUMO:

Esta tese trata da representação da categoria espaço nas obras Casa de pedra (1952) e A correnteza (1979), escritas pelas romancistas Ondina Ferreira (1909-2000) e Alina Paim (1919-2011), respectivamente. Concentrando-se na casa como entidade – simbólica e dinâmica – e símbolo – identidade e memória –, analisa-se a passagem da sua pragmática função arquitetônica para a conversão em um elemento vital na construção da trama e na caracterização das personagens Leda e Isabel, protagonistas das obras Casa de pedra e A correnteza, nesta ordem. A hipótese defendida é que, nos romances de Ondina Ferreira e Alina Paim, o espaço não é apenas um cenário para a ação narrativa, mas sim uma interseção significativa entre o ser e o espaço. Dessa maneira, ao longo desta pesquisa, buscamos compreender a natureza da relação simbiótica entre as protagonistas e suas casas. De um lado,por ser o espaço doméstico o lócus das experiências das personagens, evidencia-se as dinâmicas relações entre o lugar físico da casa e a intimidade das personagens. Deoutro,sendo a casao microcosmo que espelha e influencia a personalidade das protagonistas, mostra-se a correlaçãoda organização espacial dos cômodos e os objetos decorativos no interior das casase seu entrelaçamento com a disposição emocional, conflitos e experiências de Leda e Isabel. Esta argumentação é possível mediante a proposta analítica interdisciplinar, a qual vincula-se à topoanálise, com Gaston Bachelard (1988), Ozíris Borges Filho (2007) e Yu-Fu Tuan (2012). Entre os textos consultados para a elaboração desta pesquisa, destacam-se aqueles que tratam da crítica literária defendida por Luis Alberto Brandão (2013), Osman Lins (1976), Antônio Dimas (1985) e Denílson Lopes (2007). Sobre a literatura a crítica feminista contamos com Elódia Xavier (2012), Nelly Novaes Coelho (2002), Lucia OsanaZolin (2003), Ana Leal Cardoso (2010) e Carlos Magno Gomes (2014). E para melhor sustentar a abordagem interdisciplinar, consultamos os teóricos do imaginário a exemplo de Maria Zaira Turchi (2003), Erich Neumann (2021), Mircea Eliade (1992), Jean Chevalier e Alain Cheerbrant (2015), entre outros. A nossa leitura da casa também é reforçada pela antropologia de Gilberto Freyre (2003), Roberto DaMatta (1985) e Marc Augé (1994). Ao considerar os romances destas escritoras, a casa, enquanto entidade e símbolo, atua como horizonte na criação de significados e intersecção entre as personagens e o espaço. Para tanto, Leda e Isabel, o espaço doméstico e seus constituintes são a indicação da expansão desse elemento da narrativa e da inserção de uma abordagem analítica interdisciplinar, traços sobre os quais a literatura de autoria feminina e esta tese mantêm a atenção.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1694589 - ALESSANDRA CORRÊA DE SOUZA
Interno - 6426475 - MARIA LEONIA GARCIA COSTA CARVALHO
Externo ao Programa - 2708694 - MARIA APARECIDA SILVA RIBEIRO
Externo ao Programa - 1687732 - JEANE DE CASSIA NASCIMENTO SANTOS
Externo à Instituição - FLÁVIO PASSOS SANTANA
Externo à Instituição - ALINE SUELEN SANTOS

Notícia cadastrada em: 30/01/2024 15:38
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2024 - UFRN - bigua2.bigua2 v3.5.16 -r19295-ad7fbbb3d7