A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente
Noticias

Banca de DEFESA: ACIR JOSÉ SANTOS SOBRAL

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ACIR JOSÉ SANTOS SOBRAL
DATA: 30/10/2020
HORA: 14:00
LOCAL: Plataforma Google meet
TÍTULO: PALMA FORRAGEIRA (Opuntia fícus-indica Mill) ASSOCIADA A DIFERENTES FONTES DE FIBRA NA ALIMENTAÇÃO DE VACAS LACTANTES DA RAÇA SINDI
PALAVRAS-CHAVES: bovino de leite, consumo, forragem, produção de leite, alimentos alternativos para ruminantes
PÁGINAS: 35
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Zootecnia
RESUMO:

A palma forrageira (Opuntia fícus-indica Mill) apresenta-se como recurso forrageiro importante para ruminantes no nordeste Brasileiro, devido a sua adaptação às condições edafoclimáticas da região, especialmente nos períodos de longas estiagens. O presente estudo teve objetivo de investigar os efeitos de dietas à base de palma forrageira associadas a diferentes silagens, no consumo, digestibilidade, produção de proteína microbiana, balanço de compostos nitrogenados e desempenho de vacas leiteiras criadas em regiões semi-áridas. As silagens produzidas foram: atriplex (Atriplex nummularia), sorgo (Sorghum bicolor), gliricídia (Gliricidia sepium) e maniçoba (Manihot glaziowii) que foram incluídas nas dietas à base de palma forrageira (razão 58:42 volumoso: concentrado). Foram realizados dois experimentos. Em ambos experimentos as vacas foram distribuídas em quadrado latino duplo 4x4 com duração de 12 dias cada período. No Experimento I – o consumo de água apresentou diferenças significativas (p<0,05) para tratamento que continha atriplex (19,42 L/d) em comparação com as outras dietas. O tratamento com silagem de sorgo apresentou menor coeficiente digestibilidade da matéria seca (48,71 %) em relação ao tratamento de silagem de atriplex (68,46 %). O menor teor de proteína do leite encontrado foi encontrado no tratamento de silagem de gliricídia (38,9 g/kg). Neste estudo, a introdução direta de fontes alternativas de fibras (atriplex, sorgo forrageiro, gliricídia e maniçoba) nas dietas à base de palma forrageira, como uma ração total, teve um papel importante para manter a ingestão diária de matéria seca sem alterar a produção e gordura do leite. Experimento II- A dieta com silagem de atriplex apresentou a maior excreção de urina com 8,43L/dia em relação ao tratamento com silagem de gliricídia com 13,92 mmol/dia. Houve diferença (p:<0,05) na relação alantoína:derivados de purina no tratamento com gliricídia. A eficiência de síntese microbiana foi maior para as dietas com atriplex e sorgo (115,01 e 87,09 g de PBmic/kg de NDT consumido, respectivamente). Observou-se uma menor ingestão de nitrogênio na silagem de gliricídia (182,95 g/dia) em relação à silagem de sorgo (212,84 g/dia). Os balanços de nitrogênio foram positivos e os mesmos não foram influenciados pelas dietas. As alternativas forrageiras testadas podem ser utilizadas em dietas para vacas da raça Sindi em lactação sem influenciar a síntese de proteína microbiana e o balanço de compostos nitrogenados.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 627.399.990-20 - EVANDRO NEVES MUNIZ
Interno - 1366651 - GLADSTON RAFAEL DE ARRUDA SANTOS
Externo à Instituição - JOSE HENRIQUE DE ALBUQUERQUE RANGEL

Notícia cadastrada em: 08/10/2020 15:04
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2022 - UFRN - ema2.ema2 v3.5.16 -r17743-f9ff511828