A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente
Noticias

Banca de DEFESA: THAILINE SANTANA SANTOS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: THAILINE SANTANA SANTOS
DATA: 28/02/2019
HORA: 08:30
LOCAL: Mini auditório do PROZOOTEC/UFS
TÍTULO: PRODUÇÃO DE CODORNAS EUROPEIAS (Coturnix coturnix) E A TÉCNICA DO ULTRASSOM PARA AVALIAR A COMPOSIÇÃO CORPORAL
PALAVRAS-CHAVES: Análise sensorial, coturnicultura; exigência; nutrição; qualidade de carcaça; ultrassonografia
PÁGINAS: 46
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Zootecnia
SUBÁREA: Produção Animal
RESUMO:

Um dos principais objetivos da indústria é ter um método preciso e objetivo para avaliar as características economicamente importantes dos animais ainda vivos e determinar o valor da carcaça. A ultrassonografia em tempo real já vem sendo utilizada em animais de grande e médio porte, porém em codornas as pesquisas ainda são poucas. Visto isso, objetivou-se avaliar o desempenho, o desenvolvimento corporal e a qualidade de carcaça de codornas europeias submetidas a dietas com diferentes níveis de energia metabolizável e a composição de carcaça por meio do aparelho de ultrassonografia. Foram utilizadas 270 codornas européias (Coturnix coturnix), de ambos os sexos, no período de 7 a 49 dias de idade. As aves foram alojadas em gaiolas e distribuídas em delineamento inteiramente casualizado dentro de três tratamentos, cinco repetições e 18 aves por unidade experimental. Os tratamentos experimentais consistiram em três níveis de energia metabolizável: 2.700; 2.900 e 3100 Kcal/kg. Foram avaliados o consumo de ração, ganho de peso e a conversão alimentar, bem como o desenvolvimento dos órgãos e a qualidade da carcaçapor meio do Teste Tukey a 5% de probabilidade. Também foram realizadas três ultrassonografias aos 21; 35 e 49 dias de idade, sendo realizadas duas leituras no músculo Pectoralis major: sendo uma leitura realizada na região ventral da ave e outra pela vista superior. O consumo de ração foi reduzido (P<0,01), enquanto que a conversão alimentar melhorada (P<0,01) com o aumento dos níveis energéticos em todas as fases avaliadas. O desenvolvimento do fígado foi menor (P<0,01), enquanto que a moela aumentou (P=0,03) com a elevação do nível energético. Já aos 35 dias o peso do pâncreas, do pró-ventrículo e da moela foram reduzidos (P<0,05), enquanto que o teor de gordura aumentou com o maior nível de energia. Aos 49 dias de idade o teor de gordura foi maior (P=0,05) nos níveis de 2900 e 3100 kcal/kg de energia metabolizável na ração. Foi observado efeito significativo (P<0,05) para rendimento de asa, porém para os demais cortes: peito, coxa+sobrecoxa e carcaça, não houve o mesmo efeito. Para análise sensorial, não houve interferência dos níveis de energia sobre os atributos sensoriais. Não foi possível analisar o teor de gordura pelo método da ultrassonografia. Entretanto, através da área, do comprimento e da profundidade no músculo das aves foi possível predizer a equação, a qual foi: Y=0,00242*EM+ 0,20536*Idade- 6,1893, r = 81,34%. Conclui-se que o aumento do nível energético da ração reduz o consumo de ração e melhora a conversão alimentar das codornas, contudo aumenta o nível de gordura na carcaça das mesmas, sem prejudicar o desenvolvimento das aves. A técnica de ultrassonografia in vivo utilizando a área do músculo Pectoralis major, considerando a idade e o nível energético da dieta possibilita predizer o tamanho do peito de forma eficaz.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - CLÁUDIA DA COSTA LOPES
Presidente - 1996023 - GREGORIO MURILO DE OLIVEIRA JUNIOR
Externo à Instituição - SIDNEY FERNANDES BANDEIRA
Externo ao Programa - 2371937 - VALDIR RIBEIRO JUNIOR

Notícia cadastrada em: 15/02/2019 16:12
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2022 - UFRN - ema1.ema1 v3.5.16 -r17743-f9ff511828