A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente
Noticias

Banca de DEFESA: MARISE STELA PAES DE AZEVEDO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MARISE STELA PAES DE AZEVEDO
DATA: 10/02/2014
HORA: 08:30
LOCAL: Sala 01 NEREN
TÍTULO: Desenvolvimento e avaliação nutricional da farinha de resíduo de camarão para frangos de corte.
PALAVRAS-CHAVES: Palavras-chave: Alimentos alternativo, redução de custos, digestibilidade.
PÁGINAS: 60
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Zootecnia
RESUMO:

Três experimentos foram realizados no NEAVI (Núcleo de Estudos em Avicultura) localizado no Biotério Central da universidade Federal de Sergipe, a fim de desenvolveru uma tecnologia prática e barata paraa produção da farinha de resíduo de camarão, bem como avaliar seus aminoácidos digestíveis e seus valores energéticos. O primeiro experimento objetivou a determinação dos tempos de secagem em diferentes proporções de resíduo de camarão. Forma alocadas em cada uma as quantidades de 20, 35 e 50 kg de resíduo de camarão, totalizando 40,70 e 100 kg, respectivamente. O tempo levado na secagem para ocorreu em 35, 45 e 55 horas, respectivamente. Também foi avaliada composição química da farinha de resíduo de camarão (FRC) e foram obtidos os seguintes resultados: 90,7% (MS), 39,3% (PB), 5,8 (Gord), 11,3% (Ca), 2,23% (P), 47% (Na) e a farinha de resíduo de camarão apresentou valores de 89,0% (MS), 32,6% (PB), 3,9% (Gord),9,87% (Ca), 2,22% (P) e 1,53% (Na). No segundo experimento foram determinadosos coeficientes de digestibilidade dos aminoácidos utilizando-se o método de coleta ileal com 180 pintos de corte, com 28 a 33 dias de idade, distribuídos em um delineamento experimental inteiramente casualizado, em 3 tratamentos, com 10 repetições e 6 aves por unidade experimental. As dietas experimentais foram compostas por dieta isenta de proteína com 5, 10 e 15% de inclusão de FRC. Os melhores coeficientes foram obtidos com o nível de 10% de inclusão para metionina (81,2%), cistina (58,6%), metionina+cistina (73,1%), lisina (82,4%) e treonina (53,3%). No segundo experimento foram avaliados os coefcientes e metabolizabilidade de MS, PB, N, Gord, Ca e P e os valores de EMA (energia metabolizável aparente) e EMAn (energia metabolizável aparente corrigida pelo balanço de nitrogênio) das dietas teste e do alimento. Foi utilizado o método de coleta total de excretas com 180 pintos de corte de marca comercial cobb, com idade de 16 a 26 dias de idade. Foi utilizado o delineamento experimental inteiramente casualizado em 5 tratamento com 6 aves por unidade experimental. A FRC foi incluída em uma dieta refer~encia nos níveis de 0, 5, 10, 15 e 20%. Os pintos foram alojados em baterias metálicas com bandejas para a coleta de excretas. houve influência significativa dos níveis de inclusão da FRC (P<0,05), em que o nível de 10% mostrou-se superior nos seguintes coeficientes de MS (73,27%), PB (76,37%). O coeficiente de metabolizabilidade da gordura foi maior nas inclusões de 15% (95,48%) e 20% (96,59%). a retenção de nitrog~enio foi superior nos maiores níveis de inclusão de FRC (10, 15 E 20%). Não foi observada diferença estatística nos coeficientes de metabolizabilidade de cálcio e fósforo. A EMA e EMAn da dieta e do alimento foram afetadas sigficativamente (P<0,05) pela inclusão de FRC, conforme aumentou-se a inclusão, essas variáveis sofreram decréscimo em seus valores.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1699576 - CLAUDSON OLIVEIRA BRITO
Externo à Instituição - GUILHERME RODRIGUES LELIS
Externo à Instituição - HUNALDO OLIVEIRA SILVA
Interno - 1697805 - JODNES SOBREIRA VIEIRA
Externo à Instituição - LUIZ FERNANDO TEIXEIRA ALBINO

Notícia cadastrada em: 06/02/2014 10:53
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2022 - UFRN - dragao2.dragao2 v3.5.16 -r17722-925b7210d0