A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente
Noticias

Banca de DEFESA: ANA CAROLINE PINHO DOS SANTOS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ANA CAROLINE PINHO DOS SANTOS
DATA: 20/02/2014
HORA: 08:00
LOCAL: auditorio do Departamento de medicina Veterinária
TÍTULO: Desempenho, características de carcaça, componentes não carcaça e qualidade de carne de cordeiros alimentados com silagem de bagaço de laranja
PALAVRAS-CHAVES: cor, ovinos, pH, rendimentos, Santa Inês
PÁGINAS: 50
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Zootecnia
RESUMO:

O trabalho objetivou avaliar o efeito da substituição do milho pela silagem de bagaço de laranja (SBL) no desempenho, características de carcaça, componentes não carcaça, composição tecidual da perna e qualidade de carne de cordeiros da raça Santa Inês. Vinte cordeiros não castrados, com média de peso vivo (PV) inicial de 24,56 kg e aproximadamente cinco meses de idade, foram confinados até que atingissem 33 kg, alimentados com dietas contendo níveis crescentes de SBL em substituição ao milho (0, 33, 66 e 100% MS). A ingestão de matéria seca (IMS) em gramas foi influenciada (P<0,05) pela substituição do milho pela SBL, os níveis de 66% e 100% apresentaram médias semelhantes, 870,22 g/dia e 726,02 g/dia respectivamente. A IMS no nível 33% foi semelhante ao nível sem inclusão e aos demais níveis (915,96 g/dia). Os dias de confinamento não foram influenciados (P>0,05) pelos níveis de substituição do milho pela SBL (60 dias). Houve diferença significativa (P<0,05) para o PV final em relação aos níveis de substituição, o nível com 100% diferiu (30,12 kg) do nível sem a SBL, sendo semelhantes aos níveis de 33% e 66% de substituição. O PV ao abate sofreu influência (P<0,05) da substituição do milho pela SBL, o nível com 100% diferiu dos demais níveis, com média de 28,90 kg. A conversão alimentar não apresentou diferença significativa (P>0,05) para os níveis de substituição da SBL, com média de 7,94. O peso de carcaça quente e peso de carcaça fria foram influenciados (P<0,05) pela substituição do milho pela SBL, o nível com 100% apresentou menor peso, com 13,60 kg e 13,41kg, respectivamente, diferindo dos demais níveis. Os rendimentos de carcaça quente e carcaça fria não foram influenciados (P>0,05) pela substituição da dieta, com médias de 46,83% e 46,24% respectivamente. O rendimento verdadeiro não apresentou diferença significativa (P>0,05) em função dos níveis de substituição (56,23%). A perda por resfriamento não apresentou diferença significativa (P>0,05) com a substituição do milho pela SBL, com média de 1,25%. A área de lombo não foi influenciada (P>0,05) pela substituição do milho pela silagem de bagaço de laranja (15,57 cm²). A espessura de gordura subcutânea não apresentou diferença significativa (P>0,05) em relação aos níveis de substituição, com média de 1,67mm. Houve diferença significativa (P<0,05) para o peso da paleta, costela e lombo em relação aos níveis de substituição do milho pela SBL. O nível de 100% de substituição apresentou um menor peso de paleta (1,267 kg), costela (1,844 kg) e lombo (0,470 kg) diferindo do nível 66%. Os níveis de 0% e 33% apresentaram valores semelhantes aos demais níveis, tanto para paleta quanta para o lombo. Para a costela, o nível de 100% diferiu do nível 33%, os níveis de 0% e 66% foram semelhantes aos demais. Não houve influência (P>0,05) da substituição para os demais cortes e rendimentos, com médias de 0,692 kg de pescoço, 2,509 kg para perna, 9,14% de pescoço, 18,68% de paleta, 26,68% de costela, 7,52 % de lombo, 33,18% de perna, respectivamente. O peso da pele sofreu influência (P<0,05) da substituição do milho pela silagem de bagaço de laranja (SBL), o nível de 100% de substituição apresentou peso inferior (1,924 kg) em relação ao nível 0% (2,253 kg), os níveis 33% e 66% apresentaram pesos semelhantes ao nível de 0% e 100%, com médias de 2,053 kg e 2,14 kg respectivamente. Houve diferença significativa (P<0,05) para o peso da língua, o nível de 0% apresentou um peso inferior (51,6 g) em relação aos níveis 33% e 66% de substituição (76,8 g e 71,8 g), o nível de 100% apresentou peso semelhante aos demais níveis (71,6 g). O coração foi influenciado (P<0,05) pela substituição do milho pela SBL, o nível sem a SBL apresentou peso superior (151 g) em relação ao nível de 100% (118,4 g), os níveis 33% e 66% apresentaram pesos semelhantes aos demais níveis (141,8 g e 140 g). Houve diferença significativa (P<0,05) para fígado em relação aos níveis de substituição. O nível 0% apresentou peso superior (592 g) em relação aos níveis 33% e 100% (481,8 g e 458,8 g), o nível de 66% apresentou peso semelhante aos demais níveis (518,6 g). O diafragma sofreu influência (P<0,05) dos níveis de substituição, o nível de 66% apresentou peso superior (162, 4 g) ao nível de 100% (140,8 g), os níveis 0% e 33% apresentaram pesos semelhantes aos demais (155,60 g e 151,40 g). Não houve diferença significativa (P>0,05) para peso da cabeça, patas, sangue, rins, pulmão mais traqueia, baço, aparelho reprodutor e trato digestório, que apresentaram médias de 1,80 kg, 0,76 kg, 1,169 kg, 89,2 g, 505 g, 54 g, 322,6 g, 7,262 kg, respectivamente. Não houve diferença significativa (P>0,05) para a composição do músculo, osso, gordura, que apresentaram valores médios de 60,72%, 21,21%, 12,62%, respectivamente. Não houve diferença significativa (P>0,05) para a relação músculo:osso e músculo:gordura, com valores médios de 2,89% e 5,15%, respectivamente. Não houve diferença (P>0,05) para o pH inicial e o pH final e os valores médios foram 6,73 e 5,59, respectivamente. A cor da carne não foi influenciada (P>0,05) pela inclusão da silagem de bagaço de laranja, com médias para L* de 28,20; a* de 10,48; b* de 6,28. A perda de peso por cocção (PPC) não apresentou diferença (P>0,05) entre os níveis de substituição do milho pela SBL (1,87%). Não houve diferença significativa (P>0,05) para a força de cisalhamento, com média de 2,50 kgf. Não foram encontradas diferenças significativas (P>0,05) nos teores de umidade, proteína, cinzas e lipídeos entre as carnes nos diferentes níveis (72,12%, 22,9%, 1,24% e 3,21%, respectivamente). A silagem pode ser utilizada como uma fonte alternativa na alimentação de ovinos Santa Inês em até 66% de substituição do milho nas condições em que foi desenvolvido esse trabalho.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1541968 - ALFREDO ACOSTA BACKES
Presidente - 1567364 - ANGELA CRISTINA DIAS FERREIRA
Externo à Instituição - FRANCISCO DE ASSIS FONSECA DE MACEDO

Notícia cadastrada em: 05/02/2014 11:06
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2022 - UFRN - bemtevi1.bemtevi1 v3.5.16 -r17747-27307b9759