Dissertações/Teses

Clique aqui para acessar os arquivos diretamente da Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da UFS

2021
Descrição
  • CAROLINA SILVEIRA SANTOS
  • QUESTÕES SOCIOCIENTÍFICAS NO ENFOQUE CIÊNCIA-TECNOLOGIA-SOCIEDADE-AMBIENTE: SABERES DE DOCENTES DE CIÊNCIAS E BIOLOGIA DA CIDADE DE ESTÂNCIA/SE
  • Data: 21/04/2021
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O ensino em uma perspectiva Ciência-Tecnologia-Sociedade-Ambiente (CTSA) tem por finalidade promover discussões de maneira crítica acerca dos impactos dos avanços científicos e tecnológicos na sociedade e no ambiente. Uma maneira de introduzir debates nesse âmbito é com o uso de questões sociocientíficas (QSC), que tratam de temas controversos em CTSA e contribuem para um ensino de ciências e biologia mais crítico e reflexivo. O professor é um agente importante para a formação intelectual e social dos alunos, orientando e motivando-os na busca pelo conhecimento, sendo seu papel, fundamental na escola. Assim, esse estudo se propôs a: 1) mapear as produções do Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências e Matemática (PPGECIMA) e do Colóquio Internacional Educação e Contemporaneidade (EDUCON), ambos sediados em Sergipe, para verificar a inserção desta temática em publicações na Universidade Federal de Sergipe (UFS) e; 2) investigar os saberes e as práticas pedagógicas manifestadas pelos professores de ciências e biologia da rede básica de ensino da cidade de Estância, SE sobre o uso da abordagem CTSA e de QSC. Para o mapeamento, foi investigado, sob a forma de estado da arte, o repositório Institucional da UFS, e verificada uma intersecção entre PPGECIMA e EDUCON, destacando também a importância do fomento da temática CTSA e QSC na graduação, para a implementação de pequisas nesta área, no PPGECIMA, além da necessidade de incentivo para o acesso dos professores ao EDUCON, pois o mesmo se constitui num agente divulgador da temática. Para a investigação dos saberes, a coleta de dados ocorreu pela aplicação de dois questionários online. Os resultados obtidos no primeiro questionário, evidenciaram que os docentes conhecem a abordagem CTSA, ainda que não seja de maneira formal, estando mais relacionados a troca de experiências com colegas do que as suas formações acadêmicas; também reconhecem os benefícios de utilizar CTSA, que incluem a motivação e envolvimento dos alunos com o conteúdo, a contextualização e a aprendizagem significativa. Com relação a QSC, a maioria dos docentes tece relações entre ciência e sociedade e evidenciam os assuntos que envolvem a saúde, com ênfase na pandemia de Covid-19, como temas que favorecem atualmente o uso dessas questões. Os desafios mencionados pelos docentes em aplicar aulas nesse sentido incluem o pouco tempo disponível para planejamento e aplicação de aulas diferenciadas e a falta de recursos pedagógicos nas escolas nessa perspectiva. No segundo questionário, que objetivou a avaliação pelos professores de uma sequência didática elaborada utilizando CTSA e QSC, evidenciou pelos docentes que a sequência valorizou as interações CTSA, com objetivos condizentes com a realidade atual, pelo ensino remoto. Os desafios mencionados para a aplicação da mesma em sala de aula, incluem a falta de internet de alguns alunos, o que inviabiliza as discussões e debates, que comumente surgem com o uso de QSC, tanto com o professor quanto com os colegas de turma. Pesquisas que envolvem docentes e os seus saberes em CTSA e QSC tornam-se fortalecedoras nas reflexões acerca das práticas pedagógicas, proporcionando mudanças nas concepções de ensino.

  • MARILENE MENDONÇA DE OLIVEIRA
  • NO ESCURINHO DO CINEMA! ERER E PRODUÇÕES CINEMATOGRÁFICAS NO ENSINO DE MATEMÁTICA
  • Orientador : MARIA BATISTA LIMA
  • Data: 31/03/2021
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Esta dissertação trata sobre a Educação das Relações Étnico-raciais – ERER no ensino de Matemática a partir do uso da filmografia. Uma perspectiva de criar possibilidades para transformar aulas de Matemática em um momento privilegiado ao debate de temas como preconceito, discriminação, racismo e gênero. A pesquisa teve como problema a questão “Quais as possibilidades do uso de produções cinematográficas favorecer a implementação da ERER e a aprendizagem de conteúdos matemáticos em turmas de Ensino Médio?” e como objetivo geral analisar quais as possibilidades do uso de produções cinematográficas favorecer a implementação da ERER e a aprendizagem de conteúdos matemáticos em turmas de Ensino Médio, tomando-se como foco da análise o uso do filme “Estrelas Além do Tempo” para implementação da ERER ao abordar Função Quadrática para turmas do Ensino Médio. . Recorreu-se a um levantamento de diferentes produções cinematográficas sendo identificado, no filme “Estrelas Além do Tempo”, o conteúdo Funções Quadráticas e possibilidades para discutir e implementar a ERER nas aulas de Matemática. Para tanto, foram delineados dois objetivos específicos: elaborar cenários para investigação que contemplem o ensino de matemática associando-o à ERER e aplicar cenas que constituem o Cenário para Investigação a bolsistas de dois programas de fomento à formação inicial (Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência – PIBID e Programa Residência Pedagógica – RP), ambos vinculados ao curso Licenciatura Matemática da Universidade Federal de Sergipe (Campus São Cristóvão). Esses participantes foram escolhidos durante a coleta de dados, devido ao período de afastamento social ocasionado pela pandemia do Covid 19 e, por conseguinte, pela suspensão de aulas da educação básica em todo território nacional. Este é um estudo de abordagem qualitativa, abrangendo procedimentos metodológicos de natureza bibliográfica, documental e exploratória. O bibliográfico refere-se à busca de uma aproximação ao tema identificando estudos na Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações – BDTD e nos anais do Encontro Nacional de Educação Matemática – ENEM, referentes ao período 2004-2019. O procedimento exploratório refere-se ao levantamento de filmes com viabilidades para abordar as questões étnico-raciais e conteúdos matemáticos para o referido nível de ensino. O levantamento de âmbito documental remete sobre legislação vigente quanto às questões ERER e curriculares para o ensino de matemática no Ensino Médio. Após esses levantamentos, buscou-se elaborar cenários para investigação, entendendo na expressão cenários um ambiente favorável à aprendizagem de conteúdos matemáticos e de história e cultura africana e afro-brasileira. Embora, as cenas tenham sido elaboradas para aplicação em turmas do primeiro ano do Ensino Médio com chances de desenvolver um trabalho interdisciplinar com outras disciplinas, a aplicação dos cenários ocorreu em uma das oficinas realizadas pelas ações integradas entre bolsistas de ambos programas PIBID e RP. Os resultados apontam que a utilização do filme escolhido, no qual apresenta dilemas e conflitos humanos e, ainda como pano de fundo, o amor à Matemática, tem como possibilidades desenvolver a implementação da ERER no ensino de Matemática e favorecer, nas/nos adolescentes e jovens do Ensino Médio o desenvolvimento de um olhar para além dos números, ao redor deles e através deles.

  • FELIPE ARAGÃO FREIRE
  • PRÁTICAS EPISTÊMICAS E ARGUMENTAÇÃO EM UMA ATIVIDADE INVESTIGATIVA DE FÍSICA
  • Orientador : ADJANE DA COSTA TOURINHO E SILVA
  • Data: 31/03/2021
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A pesquisa apresentada nesta dissertação teve por objetivo analisar os argumentos elaborados por alunos, ao longo de uma sequência de ensino investigativa de Física, considerando suas possíveis relações com as demais práticas epistêmicas e com os movimentos epistêmicos desenvolvidos pelo professor. A pesquisa tomou como base estudos de Gregory J. Kelly e colaboradores, os quais representam um programa empírico de epistemologia, em que se enfoca o que conta como conhecimento, raciocínio, justificação e representação em contextos de educação em ciências. Em tais estudos, as práticas epistêmicas são entendidas como formas socialmente organizadas e interativamente realizadas, pelas quais membros de um grupo propõem, comunicam, avaliam e legitimam reivindicações de conhecimento. A argumentação é entendida como uma prática epistêmica cujo desenvolvimento, associado ao de outras práticas, favorece a alfabetização científica dos alunos. Para realização desta pesquisa, caracterizada como um estudo de caso, foi utilizada uma abordagem qualitativa; no entanto, não se desconsiderou, na análise, investidas quantitativas, com o intuito de garantir um olhar mais amplo para a situação investigada. A Sequência de Ensino Investigativa (SEI), composta por 3 aulas, foi aplicada a um grupo de alunos da 2ª série do Ensino Médio do Colégio de Aplicação da Universidade Federal de Sergipe. Ela foi estruturada com inspiração no Ciclo Investigativo proposto por Pedaste et al. e objetivou proporcionar oportunidades para que os alunos elaborassem explicações e argumentos com base em evidências sobre o processo de dilatação térmica dos sólidos. Os encontros, realizados dentro de uma plataforma virtual por meio de videoconferências, foram gravados em vídeo e, posteriormente, passaram por um processo de transcrição. Além desses dados, foi possível a coleta de dados decorrentes do material didático, dos questionários aplicados e dos comentários participativos realizados pelos alunos no chat da plataforma virtual. Para análise dos argumentos orais e escritos dos alunos, foi utilizado o Padrão do Argumento de Toulmin (TAP). Tendo em vista que a estrutura da SEI analisada preservou o espaço interativo e social, verificou-se a possibilidade de instauração de práticas epistêmicas em ambientes virtuais. Estas, por sua vez, ocorreram em maior frequência na instância social de comunicação do conhecimento. Os resultados obtidos ainda mostraram que a discussão fomentada pelo professor foi fundamental para o engajamento dos alunos e o desenvolvimento de argumentos mais estruturados e complexos ao longo da SEI.

  • CAROLINE DE OLIVEIRA ANDRADE
  • TEMAS CONTROVERSOS EM UNIDADES DE ENSINO POTENCIALMENTE SIGNIFICATIVA (UEPS): UM ESTUDO ACERCA DAS UNIDADES ELABORADAS POR BOLSISTAS DO PIBID/FÍSICA
  • Orientador : TIAGO NERY RIBEIRO
  • Data: 29/03/2021
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A presente pesquisa busca apresentar compreensões sobre a inserção do Tema Controverso (TC) no produto educacional da Unidade de Ensino Potencialmente Significativa (UEPS). Embora recente, a inserção do TC no campo educacional, tem ocupado lugar de interesse e destaque nas publicações de trabalhos científicos. Na constatação desse conceito, essa alternativa metodológica possibilita aos estudantes pôr em prática habilidades de discussão e atitudes para compreender os demais conteúdos sobre o Ensino de Física, além de proporcionar uma Aprendizagem Significativa Crítica (ASC). A motivação para esta pesquisa em relação a correta utilização e concepção do TC, surgiram dentro das discussões do grupo de bolsistas do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID) da Universidade Federal de Sergipe/Campus Prof. Alberto Carvalho, ao perceber a possibilidade dos TC estarem sendo abordados/inseridos no produto educacional da UEPS que foram produzidas por estes futuros professores. Percebendo que o TC assume relevante papel no trabalho do professor em sala de aula, a pesquisa objetivou identificar, a partir das UEPS elaboradas, discussões que envolvem um TC, identificando os sentidos que emergem das interações proporcionadas pelos textos dos bolsistas do PIBID e, analisar como estas discussões influenciam na aprendizagem de Física. Trata-se de uma pesquisa de natureza qualitativa na qual como instrumento de coleta de dados foram realizadas, análise documental e entrevista semiestruturadas. Para análise, foi utilizado como aporte teórico e metodológico a Análise Textual Discursiva (ATD). O processo analítico, de acordo com a ATD, se dará por meio da categorização para as entrevistas semiestruturadas realizada com os discentes. A partir da análise realizada, observou-se que existe a apropriação desta concepção pelos discentes entrevistados, assim como, na análise da UEPS foi revelado que grande parte do produto educacional de estudo e ensino faz menção às controvérsias de diversa natureza. Portanto, vislumbra-se que a partir desta investigação, ocorra uma apropriação dos TC, contribuindo assim, para se ter ainda mais melhorias no processo de formação no Ensino de Física. Considerando-se que a sua inserção é importante, uma vez que favorece a formação de cidadãos criativos, reflexivos, críticos e contextualizados acerca de suas próprias ações pessoais e profissionais.

  • LUCIENE DOS SANTOS
  • USO DOS OBJETOS OSTENSIVOS E NÃO OSTENSIVOS PARA O ENSINO DO PRINCÍPIO ADITIVO VOLTADO AO(À) ALUNO(A) COM DEFICIÊNCIA VISUAL DOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL
  • Orientador : VELEIDA ANAHI DA SILVA
  • Data: 29/03/2021
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O objetivo geral desta pesquisa foi o de analisar a utilização dos objetos ostensivos e não ostensivos no aprendizado das operações aditivas para o(a) aluno(a) com deficiência visual. Esses objetos constituem elementos essenciais da praxeologia, organização constituída pelos quatro elementos: tarefa, técnica, teoria e tecnologia, os quais fazem partem da Teoria Antropológica do Didático(TAD). Os objetos ostensivos são considerados elementos que se fazem revelar por meio de um dos órgãos dos sentidos. Eles ostentam os não ostensivos, que são as ideias e os conceitos. Para análise desses elementos escolhemos como campo empírico duas escolas das redes municipal e estadual, ambas com atendimento educacional especializado. A escola da rede estadual é uma instituição referência no atendimento do aluno com deficiência visual nessa rede e, por ter uma aluna com baixa visão em uma turma do ensino fundamental inicial. A escola da rede municipal de Aracaju, por atender um aluno com cegueira congênita no segundo ano do ensino fundamental. A inquietude pelo objeto teve início durante minha trajetória profissional, a qual me oportunizou a desenvolver um projeto intitulado “Ciranda Brailendo”, os participantes eram pessoas com conhecimento no sistema braile, incluindo pessoas com deficiência visual e normovisual. Os encontros eram realizados na Biblioteca Pública Epifânio Dórea por constar um acerco de livros em braile. Nesses encontros, os momentos de socialização eram sempre oportunizados e, entre uma conversa e outra, a insatisfação no aprendizado da Matemática era evidenciada. Motivo pelo qual levou-me a pesquisar sobre o aprendizado da Matemática e à pessoa com deficiência visual. Utilizamos o estudo de caso na abordagem qualitativa, tendo a coleta de dados com uso dos instrumentos de observação presencial semiestruturada, questionário do tipo semiaberto direcionados às professoras das salas regulares, da sala de recursos multifuncionais e do professor de apoio II. Os instrumentos que foram empregados deram continuidade de forma remota devido à pandemia do COVID-19. No entanto, não constituiu impeditivo para a coleta dos dados. Os resultados obtidos parcialmente confirmaram que os objetos ostensivos e, os não ostensivos utilizados no aprendizado do processo aditivo do(a) aluno(a) com deficiência visual foram considerados essenciais para a construção do saber. Dessa forma, confirma-se a necessidade de maiores investimentos na aquisição de novos recursos tecnológicos para o processo de ensino e aprendizagem direcionados ao público com deficiência visual.

  • MARIA ROSA MELO ALVES
  • FORMAÇÃO DE PROFESSORES PARA A DISCIPLINA PROJETO DE VIDA: BASES PARA A EDUCAÇÃO SOCIOEMOCIONAL
  • Orientador : YZILA LIZIANE FARIAS MAIA DE ARAUJO
  • Data: 29/03/2021
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A implementação de um novo modelo curricular para o ensino médio estadual provocou o movimento de repensar sobre a adequação do papel do professor aos novos tempos e aos novos estudantes. Assim, quando a disciplina projeto de vida passou a ser componente curricular obrigatório, alguns professores precisaram passar por formação em aprendizagem socioemocional para lecioná-la. Esse contexto possibilitou reflexões mais assertivas e despertou o interesse em compreender sobre como os professores que fizeram as formações em educação socioemocional vivenciaram esse experiência, os aspectos contributivos da formação para o desenvolvimento de suas próprias competências e o reflexo desses movimentos em sua prática. Diante disso, o objetivo desse estudo está em avaliar a formação dos professores quanto as HSE trabalhadas dentro da disciplina Projeto de Vida.

  • BRUNA CRISTINA NUNES PINTO
  • PERFIL SEMÂNTICO DA SALA DE AULA DE CIÊNCIAS
  • Orientador : EDSON JOSE WARTHA
  • Data: 19/03/2021
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O presente estudo buscou analisar os perfis semânticos presentes nas interações dialógicas em sala de aula de uma turma de 7° ano do Ensino Fundamental, em que ocorreu a aplicação de Rodas de Conversa orientadas pela metodologia FA²IA. Para a coleta dos dados, foram utilizados recursos de captação de áudio e vídeo. Com o intuito de promover a construção de ondas semânticas, a análise dos dados se deu por meio da utilização dos níveis semânticos Densidade Semântica e Gravidade Semântica, ambos derivados da Teoria do Código de Legitimação, com alguns elementos da Axiologia. Como resultado, foi identificado que as Rodas de Conversa, pelo modo como foram estruturadas e desenvolvidas, não permitiram a construção de ondas semânticas, tanto em relação à gravidade como em relação à densidade, mesmo apresentando fortes interações dialógicas entre os estudantes e entre os estudantes e a professora, porém foi possível observar que os valores estão inseridos nas relações em sala de aula.

  • SIGOUVENY CRUZ CARDOSO
  • Capacidades de Pensamento Crítico a partir de uma Abordagem Contextual para o ensino de Eletroquímica
  • Orientador : ERIVANILDO LOPES DA SILVA
  • Data: 26/02/2021
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Nesta pesquisa, as preocupações de investigação estão centradas no processo de ensino-aprendizagem para uma educação científica de qualidade. Por esse viés considera-se que, as práticas de ensino de Ciências não podem dissociar o conhecimento científico do contexto em que é produzido. Desse modo, o objetivo desta pesquisa é investigar capacidades de Pensamento Crítico que podem ser mobilizadas mediante a Abordagem Contextual de episódios históricos para o ensino de Eletroquímica. Por isso, enquanto viés assumido nesta pesquisa, a Abordagem Contextual (AC), de Matthews (1994, 1995), é uma tendência que considera o processo de desenvolvimento do conhecimento científico por meio da perspectiva histórica para discutir os conteúdos científicos apresentados em sala de aula. Nesse processo, considera-se a produção e validação de uma Sequência de Ensino-Aprendizagem (SEA) orientada intencionalmente para o desenvolvimento do Pensamento Crítico no ensino de Ciências. Por demandar uma investigação no processo de produção e validação da intervenção didática buscando desvelar seus significados, esta pesquisa se caracteriza por ser de cunho qualitativo, de acordo com Coutinho (2016), desenvolvendo sua estrutura por meio do Design Research de Plomp (2018), uma vez que torna possível a projeção em etapas cíclicas buscando responder a questão de pesquisa “Como uma Abordagem Contextual, para o ensino de Eletroquímica, pode mobilizar capacidades de Pensamento Crítico em estudantes da Educação Básica?”. Esta pesquisa apresenta um instrumento das correlações explícitas entre referenciais da História da Ciência (HC) e do Pensamento Crítico (PC) considerando o viés do conhecimento para a tomada de decisão, a partir do qual foi possível elaborar o protótipo I da SEA, com questionamentos baseados na tipologia FA2IA do PC, segundo Tenreiro-Vieira e Vieira (2005), e que foi validado nas dimensões de HC e PC por especialistas do ensino de Ciências. Com o refinamento do protótipo I, uma nova versão foi produzida, ou seja, o protótipo II, que foi validado com a Professora da Educação Básica da escola na qual a versão final será aplicada. A Análise de Conteúdo, de Bardin (2011), se constitui na técnica utilizada na interpretação dos dados das validações, a fim de obter informações sobre a qualidade das projeções. Os resultados obtidos na primeira validação conferem ao protótipo a inserção de outras capacidades de Pensamento Crítico, além das que foram projetadas, a exemplo de Fazer e responder a questões de clarificação e desafio, e o refinamento de estratégias como a atividade experimental para que se torne mais problematizadora enfatizando uma maior correlação com o episódio histórico. Na segunda validação, os resultados convergiram para considerar a eficácia das projeções refletindo uma possível aplicação na realidade escolar selecionada. Portanto, com esta pesquisa foi possível desenvolver e validar protótipos de uma intervenção educacional como um contraposto à concepção de ciência dissociada do contexto em que se desenvolve e dos conteúdos científicos abordados em sala de aula.

  • ELAINE FERNANDA DOS SANTOS
  • INFLUÊNCIAS DAS METODOLOGIAS ATIVAS NO CONCEITO DE BIODIVERSIDADE PARA FUTUROS PROFESSORES DE CIÊNCIAS E BIOLOGIA
  • Orientador : ALICE ALEXANDRE PAGAN
  • Data: 25/02/2021
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Buscamos discutir, nesta pesquisa, de que forma os saberes emancipadores presentes nas metodologias ativas (MAs) podem influenciar nas concepções de biodiversidade desenvolvidas por futuros professores de ciências da natureza. O presente estudo foi construído com a participação de discentes do curso de Licenciatura Interdisciplinar em Ciências da Natureza e suas Tecnologias (LICNT), da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB). Diante disso, o nosso objetivo foi analisar as concepções sobre biodiversidade para futuros professores de ciências da natureza, em uma graduação baseada nas metodologias ativas, no contexto de uma universidade federal, situada na região nordeste do Brasil. A coleta de dados foi dividida em duas fases: análise documental, realizada a partir das publicações oficiais que subsidiam o curso em questão, foram elas – o plano orientador e o projeto pedagógico. Como forma de obter material complementar a essa etapa, entrevistamos um docente vinculado ao colegiado da LICNT. Na segunda fase, realizamos dez entrevistas semiestruturadas com discentes de diferentes quadrimestres ativos no curso. Utilizamos a técnica de Snowball para ter acesso aos participantes e critérios de amostragem por saturação com o propósito de definir a quantidade de entrevistados. Os dados produzidos foram processados e analisados seguindo os pressupostos da análise de conteúdo de Bardin, por meio de categorização temática construída a priori e posteriori, com base nas falas dos participantes. No eixo sobre metodologias ativas, surgiram três categorias ou dimensões, são elas: 1) barreiras logísticas e pedagógicas para o uso das metodologias ativas; 2) metodologias ativas como elementos inovadores que favorecem a aprendizagem, o protagonismo e a motivação e 3) componente curricular de práticas pedagógicas como eixo articulador do currículo e das relações entre universidade, escola e comunidade. No eixo sobre biodiversidade, surgiram quatro categorias, sendo elas: 1) biodiversidade em uma visão ecológica; 2) biodiversidade sob uma perspectiva biocultural; 3) biodiversidade em uma visão biocêntrica e 4) biodiversidade e ensino e aprendizado de biologia. Em um terceiro momento, buscamos relacionar características das metodologias ativas com as concepções de biodiversidade desenvolvidas pelos discentes, por meio de uma inferência comparativa nas falas dos entrevistados dos quadrimestres iniciais e finais. No que se refere às análises das entrevistas, percebemos que a categoria do eixo um, metodologias ativas como elementos inovadores que favorecem a aprendizagem, o protagonismo e a motivação, foi a que teve maior frequência na fala dos participantes, o que permite identificar que os discentes reconhecem as características emancipadoras presente nas MAs, porém cabe ressaltar que também foram citadas barreiras pedagógicas e logísticas na sua aplicação. No eixo dois, percebemos que as falas estão mais associadas à categoria biodiversidade em uma visão ecológica, o que nos mostra a predominância de uma concepção que evidencia a supremacia dos saberes científicos sobre os tradicionais. Em nossas análises inferimos que essa tendência ecológica é especialmente defendida pelos docentes da área técnica que atuam no curso e na maneira como o tema é discutido nesse contexto, que apesar de ser realizada com metodologias ativas, que apresentam um caráter emancipador, passam por uma série de fatores que partem do entendimento individual.

  • LORENA DE QUEIROZ PIMENTEL
  • A Utilização dos Contos em Atividades Investigativas no processo de Ensino de Química: uma proposta para a promoção de capacidades do Pensamento Crítico
  • Orientador : ERIVANILDO LOPES DA SILVA
  • Data: 24/02/2021
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Nos últimos anos, tem-se buscado cada vez mais recursos didáticos que possibilitem abordagens que promovam estratégias de ensino visando a formação de estudantes autônomos e críticos frente as demandas da sociedade. Nesse sentido, esta pesquisa visa validar uma Sequência de Ensino Investigativo com base em um conto literário para a promoção de conhecimentos e desenvolvimento de capacidades de Pensamento Crítico. Adotamos como referencial teórico e metodológico a Design Research, que se trata de um estudo organizado pala elaboração e planejamento de materiais didáticos. Para a construção do material didático, seguimos as seguintes etapas: i) entrevista com um professor da educação básica e questionários para alunos da educação básica, de modo a coletar possíveis temas problematizadores; ii) produção do conto a partir dos temas coletados; iii) produção da Sequência de Ensino Investigativo pensando em Capacidades específicas do Pensamento Crítico; iv) Avaliação do conto com especialistas externos da área. v) Avaliação da SEI por especialistas em Pensamento Crítico e especialistas em Atividades Investigativas vi) Reformulação do material didático, vii) Avaliação do material didático pela professora colaborativa que concedeu a entrevista. viii) Avaliação do material didático por especialistas em literatura no Ensino de Ciências, Pensamento Crítico e Atividades Investigativas, ix) reformulação do material didático na tentativa de minimizar as inadequações apontadas nas avaliações. Os resultados coletados foram analisados por meio da Análise de Conteúdo. Na discussão dos resultados, as avaliações dos especialistas foram organizadas em categorias apriorísticas em relação ao conto e categorias a posteriori em relação a sequência de Ensino Investigativo (SEI). A partir das avaliações apresentadas no primeiro ciclo de prototipagem, chegamos à conclusão que a produção textual “O perigo nas plantações” é um conto e que a SEI, de maneira geral, tem potencialidades que possibilitarão aos alunos atingirem o grau de liberdade intelectual 3. Também chegamos à conclusão que o material tem potencialidades de mobilizar o descritor investigar da capacidade 7 objetivadas durante a elaboração da SEI, bem como outras capacidades, mais explicitamente o conjunto de capacidades FA2IA. Após reelaboração do material e submissão a novas validações com especialistas, foi possível chegar à conclusão de que a SEI apresenta uma sequência de atividades investigativas com potencialidade de grau 3 de liberdade intelectual para os alunos do ensino fundamental e até grau 4 se aplicado a alunos do Ensino Médio que já estejam acostumados com este tipo de abordagem. Além disso, reforçou a avaliação anterior com relação às capacidades Expressas, e também mostrou que com as reformulações, as etapas da SEI ficaram alinhadas e conto permeou por todas as etapas. Ao final, chegamos à conclusão de que o material didático produzido pode contribuir para a formação da criticidade dos estudantes e permite a liberdade intelectual do estudante. Mostrou também que a inserção da literatura nas aulas de ciências poderá facilitar a construção de sentidos para o que se aprende na escola contribuindo no processo de assimilação dos conceitos científicos de modo que este possua significância. E também ficou claro que a postura do professor ao mediar as atividades serão determinante para que esse o material possa atingir as expectativas.

  • ROSANE KARINE TAVARES IDALINO
  • A ARGUMENTAÇÃO EM QUESTÕES SOCIOCIENTÍFICAS NA FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES DE CIÊNCIAS: O CASO DO XENOTRANSPLANTE
  • Orientador : MARCIO ANDREI GUIMARAES
  • Data: 24/02/2021
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A partir da metade do século XX, muitos trabalhos no ensino de ciências têm buscado estratégias que possibilitem a formação de alunos e professores capazes de realizar uma tomada de decisão consciente e informada. As questões sociocientíficas (QSC), devido ao seu caráter controverso e por abranger problemáticas sociais, são apontadas como potencializadoras, tanto na geração de argumentos como também na produção de evidências de desenvolvimento ético e moral. Uma destas QSC que podem ser trabalhadas nas aulas de ciências é o xenotransplante, isto é, transplante de órgãos ou de tecidos de animais não humanos para seres humanos. O objetivo desta pesquisa é identificar as habilidades argumentativas e as possíveis relações éticas de licenciandos em ciências a respeito da QSC xenotransplante. Como metodologia, o presente trabalho apresenta natureza qualitativa. O público alvo, foram professores de ciências em formação inicial do Campus Universitário Professor Alberto Carvalho/UFS, localizado na cidade de Itabaiana. A coleta de dados foi realizada através de grupos focais, suas análises foram feitas através do padrão argumentativo, proposto por Toulmin (2006) e os possíveis aspectos éticos e morais segundo as principais vertentes éticas. A partir da análise dos resultados, verificou-se que os licenciandos em ciências conseguiram elaborar argumentos, no entanto, de acordo com o layout argumentativo de Toulmin, a maior parte desses argumentos apresentaram uma estrutura simples, com poucos elementos. No que diz respeito ao compromisso ético, a maioria dos argumentos se enquadraram dentro da ética hedonista. Já no que tange a questão sociocientífica do xenotransplante, ela se mostrou uma eficiente promotora de debate.

  • ELOAR BARRETO FEITOZA SÁ
  • Argumentação de Estudantes da EJA-Ensino Médio no Processo de Aprendizagem de Matemática
  • Orientador : JOAO PAULO ATTIE
  • Data: 22/02/2021
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Neste estudo, abordamos a argumentação em matemática. A habilidade de argumentar tende a ser associada ao desenvolvimento da criticidade, uma vez que ela pode favorecer o pensamento reflexivo, a produção do conhecimento e, por conseguinte, o processo de aprendizagem (LEITÃO, 2011). Considerando-a como a expressão do raciocínio, ela tem relevante relação com habilidades matemáticas a serem desenvolvidas em ambiente escolar. Na Educação Matemática, „raciocinar‟, „representar‟, „argumentar‟ e „comunicar‟ vinculam-se ás competências e habilidades consideradas fundamentais à aprendizagem e ao desenvolvimento do aluno, conforme evidenciado pela Base Nacional Curricular Comum (BNCC). Essas capacidades articulam-se mediante uma produção de justificativas, pelos estudantes, para resultados alcançados durante a resolução de determinados problemas (BRASIL, 2017). Neste contexto, o nosso objetivo com o presente estudo é examinar aspectos de argumentos emitidos por estudantes da modalidade de ensino Educação de Jovens e Adultos – Ensino Médio (EJAEM) em respostas que apresentam a questões matemáticas. Trata-se de uma pesquisa com abordagem qualitativa, cuja natureza corresponde a um estudo de caso. A sua realização ocorreu em quatro momentos. No primeiro, realizamos observações de algumas das aulas remotas do(a)s professore(a)s de Matemática de seis turmas do nível de ensino foco do estudo. Antes disso, entrevistamos os referidos professore(a)s em busca de informações sobre a sua trajetória docente, os seus planejamentos de aulas, o ensino da disciplina e o seu conhecimento sobre argumentação. Num segundo momento, levantamos dados para a caracterização do(a)s aluno(a)s participantes, bem como da relação destes com a matemática, a partir da aplicação de um questionário. O terceiro e o quarto momentos correspondem, respectivamente, à aplicação individual de uma lista com questões que envolvem a matemática de maneira a possibilitar a emissão de argumentos e uma discussão em grupo para alcance coletivo de soluções para outras questões com matemática. Examinamos as respostas que obtivemos com as listas individuais e procuramos classificar as justificativas, sempre que possível, a partir dos tipos de provas de Balacheff (1988). Para as respostas e justificativas elaboradas pelos estudantes coletivamente, adotamos o modelo de Toulmin (1958) procurando identificar os elementos constituintes dos argumentos construídos. Como resultado, notamos uma fragilidade na elaboração de argumentos pelo(a)s aluno(a)s nas questões que envolvem matemática utilizadas, especialmente quando esses argumentos são produzidos individualmente através da escrita. Assim, uma quantidade significativa das respostas apresentadas por escrito não tinham informações suficientes que nos permitissem uma classificação dos tipos de provas. No caso dos argumentos produzidos a partir de uma comunicação em duplas, constatamos a predominância de justificativas constituídas pela descrição do raciocínio adotado por um dos componentes de cada dupla.

  • KALYNE TERESA MACHADO
  • Uma investigação sobre os níveis dos conhecimentos geométricos de licenciandos em matemática por meio da Teoria de van Hiele
  • Orientador : DIVANIZIA DO NASCIMENTO SOUZA
  • Data: 27/01/2021
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A pouca ênfase dada ao ensino da geometria na Educação Básica até o fim do século XX e as perspectivas de sua retomada a partir do início do século XXI são objeto de estudos de diversos autores, que consideram que tal abandono tenha sido causado, principalmente, pelo despreparo dos professores frente aos conteúdos de geometria. Considerando tal problemática, esta pesquisa teve como objetivo investigar, com base na Teoria de van Hiele, os níveis do pensamento geométrico evidenciado nas soluções apresentadas pelos licenciandos em Matemática ao longo de atividades de ensino vivenciadas em uma sequência didática sobre o Teorema de Pitágoras. Os participantes foram 22 alunos da Universidade Federal do Sergipe, que estavam matriculados na disciplina de Estágio Supervisionado em Ensino de Matemática I no segundo semestre de 2019. Desenvolvemos este estudo envolvendo a formação inicial de professores de Matemática tendo como questões norteadoras: Qual o nível de pensamento geométrico alcançado pelos estudantes na segunda metade de um curso de Licenciatura em Matemática? Esses licenciandos conhecem outras abordagens geométricas do teorema de Pitágoras além da usualmente apresentada nos livros didáticos? Quais as possíveis implicações da vivência da sequência didática para a formação docentes desses licenciados? O modelo proposto na teoria de van Hiele classifica em cinco os níveis de pensamento geométrico dos estudantes, atribuindo propriedades a esses níveis e, a fim de orientar o trabalho pedagógico do professor, organiza fases de aprendizagem dentro de cada nível. Por isso, consideramos que tal modelo, estando presente na formação docente em Matemática, poderia contribuir na retomada do ensino de geometria na Educação Básica. Nossa investigação, que empregou abordagem qualitativa, caracteriza-se como uma pesquisa-ação, devido o contato direto da pesquisadora com os participantes, estando eles cientes das etapas da pesquisa. Os instrumentos utilizados na coleta de dados foram: questionário, diário de campo, entrevistas e o desenvolvimento de uma sequência didática. A partir da análise da vivência, os conhecimentos geométricos dos licenciandos foram classificados, em sua maioria, no terceiro nível da teoria de van Hiele. Apesar dos estudantes participantes estarem matriculados na segunda metade da Licenciatura, tendo cursado muitas das disciplinas que solicitam o domínio de várias propriedades, axiomas e postulados da geometria, o que demanda conhecimentos correspondentes ao quarto nível, eles demonstraram conhecer poucas representações geométricas do Teorema de Pitágoras, assim como revelaram conflitos entre aspectos geométricos e algébricos ao descreverem o enunciado desse teorema. Observamos também o desconhecimento dos licenciandos quanto ao modelo teórico de van Hiele. A intervenção contribuiu para o processo de construção dos saberes docentes desses licenciandos em três principais aspectos, os saberes disciplinares, curriculares e profissionais. Isso evidencia as contribuições de abordagens didáticas que articulem teoria e prática na formação inicial de professores que ensinam matemática.

  • ROSIANNE PEREIRA SILVA
  • PADRÕES DISCURSIVOS NA RODA DE CONVERSA: AVALIAÇÃO DE MOVIMENTOS E PRÁTICAS EPISTÊMICAS
  • Orientador : EDSON JOSE WARTHA
  • Data: 22/01/2021
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho buscou verificar a existência de movimentos e práticas epistêmicas em Rodas de Conversa e quais as relações entre essas operações epistêmicas nos processos de ensino e aprendizagem. Diante desse objetivo, procurou-se caracterizar e observar padrões acerca de possíveis relações entre as ações de uma professora e alunos de duas turmas do 7º ano do Ensino Fundamental em Rodas de Conversa (RC). As ações da professora foram caracterizadas por meio dos movimentos epistêmicos realizados durante o processo de ensino e as ações dos estudantes foram caracterizados pelas práticas epistêmicas. Para realizar a caracterização dos movimentos e práticas epistêmicas, recorreu-se às ferramentas analíticas especificas para interações discursivas. Como resultados há evidências de que as ações da professora utilizando a Roda de Conversa mostraram-se eficazes na realização de movimentos epistêmicos, visto que foram identificadas sete categorias das contempladas pela ferramenta analítica em um dos episódios de RC e, pelo menos cinco nos demais episódios analisados para ambas as turmas Em relação às práticas epistêmicas, verificou-se que as Rodas de Conversa se mostraram propícias às suas ocorrências, visto que diante das ações desenvolvidas pela professora, observou-se o engajamento dos estudantes na atividade proposta em uma espécie de cadeia de ações. Esse engajamento está relacionado aos movimentos epistêmicos da professora e às práticas epistêmicas desenvolvidas pelos próprios estudantes. Registramos nos episódios de Roda de conversa, práticas contempladas pelas 3 instâncias sociais previstas na ferramenta de Jimenez Aleixandre. Por fim, verificou-se as relações identificadas entre movimentos e práticas epistêmicas, o que permitiu concluir que as ações da professora geram práticas epistêmicas nos estudantes e que, também, estas operações também são geradas pelas ações dos próprios estudantes inseridos na Roda de Conversa, sendo a ocorrência de movimentos e práticas epistêmicas um instrumento que permite o compartilhamento de experiências e o desenvolvimento de reflexões sobre as práticas educativas dos sujeitos. Os processos de ensino e aprendizagem se embasam nas interações entre os pares, através de diálogos internos e na observação e reflexão possível à ambas as partes (professora e alunos).

2020
Descrição
  • ELKELANE DA SILVA PAIVA PIMENTA
  • ESTUDO SOBRE INTERATIVIDADE NO CURSO DE LICENCIATURA EM MATEMÁTICA DA UAB/UFS
  • Orientador : CARLOS ALBERTO DE VASCONCELOS
  • Data: 25/06/2020
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • As Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) têm oportunizado à educação novas perspectivas e possibilidades de ensino, como o crescimento exponencial da Educação a Distância (EaD), impulsionado através da internet. Por meio desta modalidade educacional, muitos docentes são formados para inserção ou permanência na docência, fato relevante para perceber sua importância e impactos na educação presente e futura. Nesse sentido, o presente estudo tem como objetivo investigar a interatividade no Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) no curso de Matemática oferecido à distância pela Universidade Aberta do Brasil (UAB) através da Universidade Federal de Sergipe (UFS). Para fundamentar a pesquisa foram referenciados diversos autores como Belloni (2015), Castells (1999), Lévy (1999), Machado Júnior (2008), Mattar (2009), Silva (2012), Primo (2011), Vasconcelos (2017) dentre outros.

    A pesquisa foi realizada no Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA), plataforma Moodle, do Centro de Educação Superior a Distância (CESAD) identificando questões de design, recursos disponíveis e potencialidades existentes neste ambiente. Também participaram os tutores que utilizavam o AVA no período da investigação. Os dados dessa pesquisa referente às entrevistas foram avaliados a luz da teoria da análise de conteúdo de Bardin (2011), assim como outros dados referentes ao próprio ambiente foram ponderados utilizando instrumento criado com base na pesquisa e alicerçado nas ideias dos autores já citados. Essa etapa da análise dos dados compara dois AVA utilizados no curso de Matemática e aponta para suas diferenças e semelhanças. Os resultados mostram pontos relevantes que podem ser usados como indicadores de mudanças e aperfeiçoamento, e também indica como ocorre a interatividade e qual seu potencial, dentro dos AVA utilizados, na formação de professores em Matemática. Logo, com os resultados dessa pesquisa busca-se propor uma reflexão sobre a importância da interatividade nos AVA e sua contribuição para a qualidade na educação.

  • ÉVILE SILVA DE LIMA
  • O MÉTODO INSTRUÇÃO POR COLEGAS COMO ESTRATÉGIA DIDÁTICA NAS UNIDADES DE ENSINO POTENCIALMENTE SIGNIFICATIVAS: UM BREVE ESTUDO DE CASO NO TEMA PROTETOR SOLAR
  • Orientador : TIAGO NERY RIBEIRO
  • Data: 25/03/2020
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A partir das nossas práticas pedagógicas, entendemos que o ensino de ciências em sala de aula não consegue despertar o interesse dos alunos diante dos conteúdos expostos de forma somente expositiva, pois a mera transmissão de informações não faz sentido e não prepara o estudante para vida, logo faz-se necessário um processo de ensino e aprendizagem que seja significativa. A Unidade de Ensino Potencialmente Significativa – UEPS surge como alternativa para relacionar os novos conceitos e proposições com a própria estrutura cognitiva idiossincrática do aprendiz, que tem por finalidade facilitar uma aprendizagem que seja significativa, a partir da utilização de diversificadas estratégias de ensino e a participação ativa do aluno. No presente trabalho tivemos por objetivo investigar o Peer Instruction (Instrução por Colegas - IpC) como estratégia de ensino em uma UEPS sobre o tema Protetor Solar para turmas do ensino médio. Investigamos, mais especificamente, a evolução da aprendizagem dos estudantes a partir das questões conceituais e suas concepções em relação ao Peer Instruction como estratégia de ensino e a eficácia das discussões entre aluno-aluno. O referencial teórico utilizado foi o da Teoria da Aprendizagem Significativa e a metodologia foi de natureza qualitativa, na qual foi realizado um estudo de caso exploratório em uma turma de 20 estudantes do ensino médio da educação básica. Os dados foram coletados a partir das respostas as questões conceituais aplicadas durante a UEPS e entrevistas semiestruturadas referentes a estratégia IpC. Os resultados indicam indícios de uma aprendizagem potencialmente significativa, demonstrando o IpC como uma estratégia didática satisfatória no processo de ensino e aprendizagem a partir da sua utilização em UEPS. Quanto as concepções dos estudantes, apontaram que se sentiram estimulados com a “nova estratégia” por favorecer o diálogo e privilegiar atividades colaborativas, possibilitando uma avaliação mais dinâmica acerca da aprendizagem do tema em sala de aula.

  • POLLYANA SANTOS COELHO
  • EDUCAÇÃO DAS RELAÇÕES ÉTNICO-RACIAIS E DECOLONIALIDADE NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE CIÊNCIAS: REFLEXÕES SOBRE IDENTIDADE ÉTNICO-RACIAL, DIREITOS HUMANOS E ENSINO
  • Orientador : WELLINGTON BARROS DA SILVA
  • Data: 12/03/2020
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Inserida num cenário de batalhas por justiça social e, pesquisas e discussões acerca da inter-relação entre direitos humanos, cidadania e educação, a promulgação da lei 10.639/03, que torna obrigatória a inserção dos conteúdos de História e Cultura Afro-brasileira e Africana no âmbito de todo Currículo Oficial da Rede de Ensino, constitui-se em fruto das lutas históricas de movimentos sociais, em especial do Movimento Negro brasileiro. Materializando-se em instrumento de reparação, enfrentamento e combate ao racismo, e para além, de (re) descoberta de uma realidade histórica de apagamento e silenciamento cultural e epistêmico do povo negro. Deste modo, com o objetivo de evidenciar as tendências de pesquisa sobre ERER na área de Educação/Ensino de Ciências, sua pertinência, perspectivas teóricas, relevância, implicações e potencial contributivo, bem como, responder as questões norteadoras da pesquisa foi realizada uma metassíntese integrativa-qualitativa, com mapeamento e síntese analítica dos trabalhos publicados nos Anais do Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências (ENPEC) e das Teses e Dissertações indexadas na Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações (BDTD) do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT). Propomos os caminhos possíveis, na perspectiva uma abordagem não colonial, para o desenvolvimento de propostas de produções negras que poderiam ser ensinadas e trabalhadas na escola, e de materiais teórico-metodológicos que se constituem um suporte para a efetivação do ERER em Ciências Naturais.

  • ANDRÉIA FREIRE DOS SANTOS
  • O FAVORECIMENTO DA VIVÊNCIA DA METACOGNIÇÃO A PARTIR DA RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS ARITMÉTICOS POR ALUNOS DOS ANOS FINAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL
  • Orientador : DIVANIZIA DO NASCIMENTO SOUZA
  • Data: 28/02/2020
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Visando uma educação voltada para a formação de indivíduos criativos, independentes e atuantes no seu cotidiano, propomos nesta pesquisa promover entre estudantes dos anos finais do Ensino Fundamental a autoanálise dos próprios processos de aprendizagem (metacognição), conduzindo-os a agirem com consciência e controle sobre suas ações cognitivas. Com isso, buscamos responder à seguinte questão central: Atividades com resolução de problemas matemáticos favorecem aos alunos dos anos finais do Ensino Fundamental vivenciar a metacognição? Na pesquisa, o envolvimento de estudantes de turmas do 6° ao 9° ano de uma Escola Municipal da cidade de Areia Branca/SE foi analisado no decorrer de atividades de resolução de problemas com operações aritméticas básicas e com o uso de estratégias metacognitivas. Apoiamo-nos teoricamente em Polya, Onuchic e Allevato e Dante, dentre outros, considerando a resolução de problemas como foco da disciplina de Matemática, conforme consta nos documentos curriculares oficiais analisados (BNCC, PCN e Currículo de Sergipe). Flavell, Portilho e Rosa propiciaram suporte teórico aos conceitos e elementos presentes na metacognição e a aproximação dessa com os processos de resolução de problemas aritméticos. Em Van de Walle, Leal Jr. e Onuchic encontramos a metacognição aplicada à resolução de problemas como ação consciente do estudante acerca dos processos de resolução desses. Este estudo foi de natureza qualitativa na modalidade de pesquisa-ação. Foram desenvolvidas três atividades com a participação dos estudantes, e em cada uma foi solicitado a eles a resolução de três problemas aritméticos, planejados seguindo dois dos três níveis de conhecimentos esperados propostos por Robert, sendo os três o técnico, o mobilizável e o disponível. Após cada atividade, os estudantes responderam a um Questionário Metacognitivo, adaptado de Portilho, com base no modelo de Mayor. A partir das respostas ao questionário e das falas dos alunos, buscou-se conhecer as estratégias metacognitivas empregadas por eles na resolução dos problemas propostos e orientá-los para a autoavaliação durante a resolução dos problemas. A aplicação de tarefas organizadas por meio dos níveis de conhecimento propostos por Robert nos auxiliou a identificar os conhecimentos prévios esperados dos estudantes, o que parece ter facilitado a utilização de estratégias conhecidas por eles e permitiu a verbalização delas. Com isso, conclui-se que as atividades com resolução de problemas matemáticos favorecem aos alunos a vivenciarem a metacognição.

  • SEBASTIANA ÉRICA CRUZ SANTANA
  • FORMAÇÃO DE PROFESSORES NO ENFOQUE CTSA: UMA EXPERIÊNCIA COM LICENCIANDOS EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS EM SERGIPE
  • Data: 28/02/2020
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A profissão docente é uma das carreiras construídas não somente durante o curso de graduação, mas também no decorrer da trajetória pessoal. O papel desse profissional na sociedade é de grande importância para os discentes compreender as transformações cientificas e tecnológicas que ocorrem constantemente. As iniciativas governamentais que visam o aprimoramento da formação docente no Brasil ainda são poucas, comparadas a outros países. A utilização do enfoque CTS(A) (Ciência-Tecnologia-Sociedade-Ambiente) no ensino de Ciências e Biologia pode contribuir para a formação de cidadãos críticos e aptos a tomarem decisões mais conscientes, considerando o contexto que estão inseridos. No entanto, diferentes fatores influenciam na sua implementação, sendo um desses a formação dos professores não contextualizada com as necessidades da sociedade. Dessa forma, é importante oportunizar, desde os cursos de licenciatura, discussões a respeito da abordagem CTS(A) para que os futuros docentes percebam a sua relevância e se sintam seguros para trabalhar os temas disciplinares nessa perspectiva. Portanto, o objetivo desse trabalho é analisar os efeitos e implicações da inserção do enfoque CTS(A) no aperfeiçoamento da formação docente de licenciandos em Ciências Biológicas. Para tanto, foi realizada uma pesquisa qualitativa do tipo pesquisa-ação, desenvolvida durante as aulas da disciplina “Instrumentação para o Ensino de Ciências e Biologia” (45 horas-aula), obrigatória no curso de Ciências Biológicas da Universidade Federal de Sergipe. Foi possível identificar que, até o início das aulas desta disciplina, no 5º período curricular, os licenciandos ainda não conheciam a perspectiva CTS(A). Desse modo, foram ministradas quatro aulas para apresentar e debater esse tema, de modo a estimular os discentes ao desenvolvimento de atividades didáticas nessa perspectiva, na disciplina, a serem desenvolvidas com alunos do Colégio Aplicação da UFS. Em sequência, os licenciandos, organizada=os em oito grupos, foram orientados a desenvolver uma atividade por grupo, abordando diferentes temas sob o enfoque CTS(A), com turmas de ensino fundamental e médio. Após análise da atividade desenvolvida, evidenciou-se níveis diferentes de CTS(A), utilizando a classificação de Pedretti e Nazir, são seis as categorias: Design, Histórica, Raciocínio lógico, Valor centrado, Sociocultural e Socio-Ecojusta, dessas, somente três estiveram presente nas atividades produzidas. Ao final da disciplina, os licenciandos avaliaram como positiva sua experiência, para muitos a primeira a frente de uma turma, tendo a maioria deles (80%) considerado a abordagem CTS(A) de extrema importância para o Ensino de Ciências e Biologia. No entanto, 50% da classe afirmou que a sua implementação é possível apenas “parcialmente”, tendo sido atribuídas diferentes justificativas para essa afirmação, como a superlotação das salas de aulas, a falta de conhecimentos dos professores e o ensino tradicional como uma barreira a ser ultrapassada. Conclui-se que inserir abordagens mais críticas na formação inicial dos professores de ciências e biologia é tão necessária quanto no ensino básico. Embora existam dificuldades em sua implementação, é urgente iniciar ações nesse sentido, se almejamos uma sociedade mais consciente em relação à natureza da ciência e à sua influência na construção e dinâmica social.

  • MÔNICA TELES SANTOS DE OLIVEIRA
  • O PROCESSO DE IDENTIFICAÇÃO PROFISSIONAL DE FUTUROS PROFESSORES E SUA RELAÇÃO COM O SABER: UM OLHAR SOBRE ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS NO ENSINO DE MATEMÁTICA (DMA/SC/UFS)
  • Orientador : DENIZE DA SILVA SOUZA
  • Data: 28/02/2020
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho investiga sobre o processo de identificação profissional de futuros professores de Matemática, a partir das contribuições que esses sujeitos identificam ao cursarem os Estágios Curriculares Supervisionados em Ensino de Matemática (ECS). Trata-se de uma pesquisa de campo, sob abordagem qualitativa com fins exploratório e explicativo, impulsionada pelo seguinte questionamento: Quais as contribuições que os Estágios Supervisionados no Ensino de Matemática do curso Licenciatura em Matemática da Universidade Federal de Sergipe (Campus São Cristóvão) apresentam para a construção da identidade profissional dos futuros professores de Matemática? Para respondê-la, inicialmente o estudo baseou-se em textos de autores como como Arroyo (2013), Charlot (2000, 2005), Dubar (2005), Nóvoa (1995, 2009), Tardif (2002) e Valente (2008). Os dados foram coletados, junto aos estudantes regularmente matriculados na disciplina de Estágio Supervisionado em Ensino de Matemática III no semestre 2018/2, do curso Licenciatura em Matemática da Universidade Federal de Sergipe (Campus São Cristóvão), os quais já haviam cursado os outros dois estágios obrigatórios no referido curso (ECS I e ECS II). Os principais instrumentos de coleta de dados foram produção textual e entrevistas semi-estruturadas, além das ementas curriculares das referidas disciplinas (ECS I; ECS II; ECS III). A partir dos pressupostos teóricos, compreendeu-se que os sujeitos participantes da pesquisa atribuem aos Estágios Supervisionados, o desenvolvimento de saberes relacionados à docência com ênfase aos saberes pedagógicos da profissão. A partir das relações epistêmica, social e identitária da teoria Relação com o Saber (teoria que norteou a metodologia de análise dos dados), os sujeitos constituíram saberes que contribuem para reflexão sobre a docência, sob uma perspectiva diferenciada daquela que tinham quando eram alunos do Ensino Básico. Dessa forma, os ESC contribuíram de maneira positiva para o processo de identificação profissional desses estagiários investigados em nossa pesquisa. Os resultados estão em conformidade com outras pesquisas sobre Estágio Supervisionado no Ensino de Matemática e com alguns teóricos (Charlot 2000; Fiorentini 2003, 2013; e Pimenta 1999, 2010, 2012), quando os estagiários atribuem os ECS do Campus São Cristóvão da Universidade Federal de Sergipe como lócus de seu desenvolvimento profissional, reflexão sobre a docência e momento de construção de uma identidade profissional. Para esses participantes, os momentos de reflexão e de discussões que ocorrem durante os Estágios Supervisionados em Ensino de Matemática, antes e após o período de regência, são relevantes para a construção do processo de sua identificação profissional.

  • GÉSSICA BRUNA BAHIA DE SOUZA
  • JOGOS: DO LIVRO DIDÁTICO DE MATEMÁTICA AO USO POR ALUNOS DO ENSINO FUNDAMENTAL DE ESCOLAS DA REDE ESTADUAL DE ARACAJU/SE
  • Orientador : IVANETE BATISTA DOS SANTOS
  • Data: 27/02/2020
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O presente estudo teve por objetivo caracterizar se e como o aluno associa o uso dos jogos propostos no livro didático a conteúdos matemáticos do ensino fundamental. Para tal estudo, foi consultado o PNLD/2017, a fim de identificar os livros didáticos aprovados, em seguida, foi feita uma pesquisa no site do SIMAD – Sistema de Controle de Material Didático, com o intuito de obter as coleções mais adotadas em Aracaju/SE, a saber: Matemática Bianchini de Bianchini (2015) e Vontade de Saber Matemática de Souza e Pataro (2015), para daí selecionar as unidades escolares dentro das quatro zonas geográficas, bem como os sujeitos parceiros da pesquisa, estudantes do 6° ao 9° ano do ensino fundamental das Escolas da Rede Estadual de Aracaju - SE. Para a pesquisa o livro didático foi a fonte e os jogos um recurso para caracterização do se e como o estudante realiza a associação entre o conteúdo matemático e o jogo aplicado. Trata-se de uma pesquisa com abordagem qualitativa baseada em pressupostos de Fiorentini e Lorenzato (2009), com aplicação de questionário. Como principais referenciais foram tomados autores, como: Freitas (2009) para o entendimento de livro didático e Grando (1995, 2000) para definição e reflexões acerca de jogos matemáticos. O tratamento das informações se deu a partir da construção de quadros, tabelas e gráficos, bem como por meio de análises de comentários dos trezentos e sessenta e quatro questionários respondidos pelos discentes. A partir dos dados analisados e quantificados, foi identificado que os sujeitos parceiros de pesquisa realizaram a associação entre o jogo e conteúdo matemático. Em busca do como os discentes realizam a associação e através dos registros deles foram criadas categorias baseadas em núcleos de respostas, a fim de obter subsídios suficientes para alcançar o objetivo proposto.

  • TIAGO DE JESUS SOUZA
  • As “Ticas de Matema” de Trabalhadores do Campo em um Município Sergipano: um Estudo sob a lente do Programa Etnomatemática
  • Orientador : MARIA BATISTA LIMA
  • Data: 27/02/2020
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Em geral, os repertórios da história sociocultural de indivíduos de determinados grupos sociais são ignorados, invisibilizados, deturpados ou inferiorizados. Entre esses repertórios encontram-se as “ticas de matema”, consideradas como os modos, maneiras, artes e técnicas (ticas) de explicar, de conhecer, de entender, de lidar (matema) com diversos contextos socioculturais (etno). Mas, em contrapartida, podem ser encontradas alternativas que possibilitam reverter esse quadro. Conceituada como um Programa de Pesquisa, a Etnomatemática se apresenta como uma dessas alternativas, ao se contextualiza na investigação sobre o modo como grupos culturais entendem, articulam e utilizam ideias matemáticas, ainda que não tenham um conceito formal de matemática. Sob esta ótica, este trabalho de pesquisa tem como problema a seguinte questão: Como são construídos culturalmente os etnosaberes geométricos de trabalhadores do campo do município Itaporanga D’Ajuda/SE/Brasil? Em consonância com este problema definiu-se como objetivo geral analisar, sob a lente do Programa Etnomatemática, como são construídos culturalmente os etnosaberes g eométricos de trabalhadores do campo do município Itaporanga D’Ajuda/SE/Brasil. Em busca de responder o problema proposto e do alcance do objetivo definido, a fundamentação teórica pauta-se primordialmente, nos estudos de Ubiratan D’Ambrosio (2009) e demais pesquisadores, como Knijnik (2012) e Gerdes (2012), além de outros (NUNES; CARRAHER E SCHLIEMANN, 2011; MATTOS, 2016 etc.). Para além desses estudos, a pesquisa tem ênfase nos conceitos geométricos associados a grandezas e medidas (perímetro, área e volume). Quanto aos encaminhamentos metodológicos, teve-se como escolha metodológica, a pesquisa exploratória (quanto aos objetivos da pesquisa) de natureza qualitativa, conforme Bogdan e Biklen (1994). Desse modo, constitui-se como uma pesquisa de campo, quanto à escolha do objeto de estudo, a partir dos pressupostos de Lakatos e Marconi (2003). Quanto aos procedimentos, optou-se pela observação participante (GIL, 2010; MARQUES, 2016); entrevistas semiestruturadas (MARCONI e LAKATOS, 2003), além do uso de narrativas autobiográficas, valendo-se do pensamento de Tuchapesk (2004). Para análise dos dados, foi utilizada a Análise do Discurso, pautando-se principalmente em Orlandi (2008). Quanto ao universo da investigação, foram escolhidos três trabalhadores do campo (um pedreiro, um cubador de terra e um cergueiro), moradores do município sergipano Itaporanga D’Ajuda, especificamente, do Povoado Moita Formosa. A conclusão da análise sobre o material de pesquisa permitiu a identificação de uma teia de “ticas de matema”, a título de exemplo, na cubagem de terra: o trabalhador conseguir efetuar com precisão as medições de um terreno com auxílio de uma vara. Outrossim, esses etnosaberes matemáticos convergem para os conhecimentos do campo da geometria, por exemplo, quando o pedreiro faz uso dos termos “está no esquadro" e “bateu o prumo”, implicitamente tem-se a ideia dos conceitos perpendicularismo e ângulos retos. Por outro lado, constatou-se que os etnosaberes matemáticos não são frutos de um conhecimento escolarizado, se constituindo em saberes adquiridos na prática, alguns passados de geração em geração, sendo que, por meio da observação e da interpretação das práticas laborais do campo, os trabalhadores adaptam os etnosaberes matemáticos à realidade a qual estão inseridos.

  • LUIZ HENRIQUE BARROS DA SILVA
  • Capacidades de Pensamento Crítico em atividades experimentais investigativas: uma perspectiva para a abordagem metodológica da Pesquisa de Desenvolvimento
  • Orientador : ERIVANILDO LOPES DA SILVA
  • Data: 21/02/2020
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Sabe-se que cada vez mais é necessário estimular o pensamento crítico e reflexivo dos estudantes, para contribuir com sua capacidade de tomar decisões conscientes e adquirir posicionamentos construídos com base em ideias sólidas não somente em contextos escolares, mas contextos de vida também. Tenreiro-Vieira e Vieira (2001) descrevem o Pensamento Crítico (PC) como a capacidade de estruturar suas escolhas de forma voluntária e fundamentada em argumentos. Alguns autores defendem que as atividades investigativas (AI) surgem como uma abordagem que possibilita o desenvolvimento da autonomia dos estudantes uma vez que solicitam dos mesmos a tomada de decisão frente à problemas. Este trabalho tem como objetivo identificar quais características uma AI precisa ter para que seja mobilizadora do PC. Como metodologia de desenvolvimento das atividades investigativas foi adotada a Design Research, também conhecida como pesquisa em design educacional. Com focos diferentes, as pesquisas em design educacional podem ser entendidas como o conjunto de abordagens de pesquisa que buscam gerar conhecimento sobre problemas da prática educacional aumentando o conhecimento sobre elas. Dessa forma, esta pesquisa adota um sistema de elaboração – validação – reelaboração, onde as validações sucessivas são entendidas como parte do processo de geração de conhecimento sobre o material que busca-se desenvolver para atender a um determinado objetivo. A partir da investigação da realidade escolar foram elaboradas três AI que foram validadas por um grupo de pesquisa em ensino de ciências, por professora da educação básica, por mestres em temas relacionados a esta pesquisa, por alunos de ensino médio em pequenos grupos e com aplicação em sala de aula. Para apresentar o problema de investigação foi escolhido um caso investigativo (CI), que traz uma situação problema para ser analisada que possui proximidade com a realidade dos estudantes. Cada validação deu origem a um novo protótipo das atividades. Os resultados das validações são analisados a partir da Análise de Conteúdo (BARDIN, 2011). Nas etapas de validação desenvolvidas até então, pode-se notar que apresentar o problema de investigação a partir de um CI pode ser uma boa opção para promover o PC. Um dos princípios de design que pôde ser notado é que os temas das AI devem partir da realidade concreta do aluno, sem distorcê-la para incitar a investigação. A validação com os estudantes indicou que a forma como o caso é escrito pode fazer com que os alunos sintam afinidade com a situação mostrada no caso, gerando engajamento com a investigação.

  • TÂNIA SILVA NASCIMENTO
  • A TECNOLOGIA ASSISTIVA NO ENSINO DE QUÍMICA PARA CEGOS: INTERFACES PARA CONSTRUÇÃO DAS REPRESENTAÇÕES MENTAIS
  • Orientador : SAMISIA MARIA FERNANDES MACHADO
  • Data: 21/02/2020
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A presente dissertação apresenta discussões centradas no Ensino de Química, Deficiência Visual e sobre as Tecnologias Assistivas e teve por objetivo geral analisar a utilização do adesivo tátil policromático no estudo sobre funções orgânicas por uma aluna com deficiência visual. A constante busca por materiais e metodologias capazes de alcançar de maneira inclusiva e satisfatória todos os alunos no estudo da química sem dúvida tem sido a mola propulsora para um melhor desenvolvimento das pessoas com deficiência visual em sala de aula. Trata-se de uma pesquisa qualitativa do tipo estudo de caso sob a perspectiva de Yin (2001), tendo como participantes uma aluna com deficiência visual, três normovisuais, um brailista e uma amblíope. As etapas da investigação inclui construção da Tecnologia Assistiva, validação instrumental e aplicação do material com alunos de uma escola pública estadual. O instrumento de coleta de dados constituiu-se de gravações transcritas, questionários, entrevistas por meio de questionário semi-estruturado, fotografias, atividade escolar e anotações. Para a análise de conteúdo nos baseamos em Bardin (2016). Como subsídios teóricos, a pesquisa embasou-se nos seguintes teóricos: Guijarro (2005), Januzzi (2006), Mazzota (2005) que discutem sobre a inclusão sob a perspectiva histórica e conceitual; Schwahn (2015), Raposo e Mol (2010), Pires et al (2007) que estudam o ensino de química e a deficiência visual; Pitano e Noal (2018) e Ormelezzi (2000) que explanam sobre a construção das representações mentais; Bresch (2017) que explicita a respeito das Tecnologias Assistivas. Os resultados corroboram para a necessidade de reflexões mais apuradas no que diz respeito à construção e utilização de materiais didáticos para que a funcionalidade não se reduza a mero instrumentalismo. A análise dos dados nos permitiu constatar que mesmo que a capacidade de abstração em cegos seja superior se comparada a dos normovisuais, aqueles precisam de estímulos e experiências concretas específicas mediadas por métodos e materiais adequados. O adesivo tátil policromático elaborado e aplicado, mostrou-se um aliado no ensino sobre funções orgânicas como também no estímulo para elaboração da imagem mental pela aluna cega.

  • THAYNÁ SOUZA DOS SANTOS
  • O PROCESSO DE REFLEXÃO ORIENTADA NA FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES E A PROMOÇÃO DE PRÁTICAS DIDÁTICO- PEDAGÓGICAS COM ORIENTAÇÃO CTS/PC
  • Orientador : ERIVANILDO LOPES DA SILVA
  • Data: 20/02/2020
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Com as transformações da sociedade, tornou-se necessário uma série de mudanças que envolvem determinantes da qualidade de vida de um indivíduo sejam elas ambientais, tecnológicas ou econômicas, sendo a formação de professores uma forte aliada na busca pela sobrevivência desta, já que os ambientes educionais são palco do desenvolvimento e atuação cidadã. Neste contexto este trabalho, traz reflexões sobre ações formativas visando a Literacia Científica. São descritos Processos e Princípios Formativos que plasmados originaram o Processo de Reflexão Orientada utilizado como arcabouço pra instituição da educação científica, tendo como ponto de partida a preocupação com um modelo de formação continuada que realmente intervenha na educação científica de maneira contextualizada, privilegiando um espaço para a discussão e estudo de temas sociais com aspectos políticos, econômicos e ambientais. Para tanto este estudo objetivou, investigar como um Processo de Reflexão Orientada pode, de fato, promover práticas didático-pedagógicas que visem a Literacia Científica. A ação formativa foi implementada em sete encontros mensais distribuídos em quatro dimensões metodológicas oriundas da relação entre o Processo de Reflexão Orientada e os Princípios Formativos: I. A reflexão em ensino de Ciências na formação inicial e continuada sobre a perspectiva Literacia Científica: o perceber; II. Perspectivas sobre as necessidades pedagógicas e didáticas no âmbito do ensino de Ciências para Literacia Científica: o fazer; III. As práticas docentes como ferramenta de formação básica e continuada: o agir; IV. Ponderações sobre práticas didático-pedagógicas promotoras da Literacia Científica: a autonomia, onde os dados foram coletados por meio de entrevistas, gravações em áudios e transcrição das falas dos participantes, possuindo assim característica qualitativa, tendo como público professores de Ciências da rede pública do estado de Sergipe, participantes do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência e Residência Pedagógica, denominando-se como um estudo de caso. Sendo analisados por meio da Análise de Conteúdo, por categorias definidas a posteriori: a. Concepções sobre o ensino de Ciências para promoção da Literacia Científica; b. Elementos formativos necessários para (re) formulação de práticas de ensino com orientação Ciência-Tecnologia-Sociedade para promoção do Pensamento Crítico; c. A ação crítica-reflexiva sobre práticas no processo de ensino de Ciências para LC; d. O perceber-fazer-agir para construção da autonomia didático-pedagógica. A análise dos dados evidenciou que o Processo de Reflexão Orientada mostra-se como uma estratégia formativa de grande relevância para organização de práticas que valorizem uma educação voltada para aspectos científicos, tecnológicos e sociais, apresentando-se também como uma ferramenta potencial para construção da autonomia didático-pedagógica, pois os professores q demonstraram apropriação das interrelações Ciência/Tecnologia/Sociedade de maneira complexificada nos debates teóricos revalidaram está na etapa de organização de atividades cuja intencionalidade é promover o Pensamento Crítico embasados em uma Ciência desenvolvida na e pela Sociedade.

  • VALERIA SANTOS SANTANA OLIVEIRA
  • Ecofeminismo e o ensino de Biologia: sexismo e especismo nas falas de estudantes veganas
  • Orientador : ALICE ALEXANDRE PAGAN
  • Data: 20/02/2020
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Partindo de considerações que mostram a Ciência historicamente mais compatível com habilidades constituintes do gênero masculino, aqui ressaltamos a importância de serem debatidas temáticas que aproximem o ensino da disciplina de Biologia ao feminino. Primeiramente, refletimos sobre aproximações entre o ensino de Biologia e alguns movimentos que fazem denúncias aos sistemas de opressão patriarcal, como é o caso do ecofeminista. Em segundo lugar, buscamos compreender se indicadores de uma consciência compatível com a construção ecofeminista podem ser colhidos das falas de mulheres veganas sobre como elas tem construído suas relações de afeto com os animais a ponto de deixarem de comê-los. Por fim, buscamos entender se desses relatos podemos construir reflexões sobre um ensino de Biologia mais compatível com a afetividade e o feminino. Dessa forma, essa pesquisa objetiva analisar indicadores de elementos ecofeministas nas falas de mulheres veganas sobre como elas têm construído uma relação de afeto com a natureza e animais não humanos, com atenção especial aos temas do sexismo e do especismo e como essa relação poderá contribuir para o ensino de Biologia. Para tanto, foram aplicadas oito entrevistas semiestruturadas com estudantes veganas da Universidade Federal de Sergipe, cujo quantitativo foi orientado por critérios de saturação do discurso. Os relatos foram gravados, transcritos e interpretados a partir da Análise do Conteúdo proposta por Bardin. O qual teve como resultados depoimentos que mostraram aproximações afetivas das histórias dessas estudantes com a natureza e os animais. De acordo com os relatos o ensino de Biologia que é passado em sala de aula ainda precisa de um avanço em relação a empatia com os animais não humanos e da natureza de modo geral. Também foi possível identificar uma intrínseca relação entre o sexismo e o especismo, por meio do preconceito de gênero que existe em meio a sociedade e pelo fato do ser humano se sentir superior em relação aos outros animais, que por sua vez são separados, em aqueles que podem ser consumidos e aqueles que podem ser tidos como parte da família. Contudo, é preciso desconstruir esses entraves que são reproduzidas ao longo do tempo e tentar aprender com o auxílio do ecofeminismo o que a natureza tem a ensinar a partir das vivências com os outros animais.

  • POLIANA PEREIRA DA SILVA
  • CULTURA DA CONVERGÊNCIA APLICADA AO ENSINO DA TABELA PERIÓDICA
  • Orientador : CARLOS ALBERTO DE VASCONCELOS
  • Data: 19/02/2020
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A presente investigação trata da elaboração, aplicação e análise de uma proposta pedagógica destinada aos professores de Ciências que desejam trabalhar com a Tabela Periódica de maneira lúdica e assertiva. Sob a perspectiva da Cultura da Convergência, Jenkins (2009), utilizamos o smatphone e as redes sociais como aliados ao longo de todo o processo. Acreditamos que a convergência midiática, a cultura participativa e a inteligência coletiva podem contribuir para a inserção das Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) na sala de aula e, de forma mais específica, no ensino da Tabela Periódica. Sendo assim, a partir da seguinte questão central “como a Cultura da Convergência pode facilitar o ensino da Tabela Periódica?”, surgiu a presente pesquisa, que tem como objetivo geral o compromisso de compreender como uma sequência didática (SD) ancorada na Cultura da Convergência pode contribuir no ensino da Tabela Periódica. A fim de desenvolver melhor o tema, além do autor supracitado, buscamos apoio nos três momentos pedagógicos de Delizoicov, Angotti e Pernambuco (2009) para a construção da SD; nas colocações de Marchand (1987) e Silva (2000) acerca da comunicação interativa; em algumas considerações de Lévy (1999) sobre interatividade; em Vasconcelos (2016; 2017), destacando a questão da interatividade no contexto educacional; nas reflexões de Braga (2013) sobre a tecnologia e as mudanças no processo de ensinar e aprender; na abordagem clássica de Castells (1999) sobre a revolução das TIC; em Schnetzler (2002), ressaltando o valor da formação continuada e a importância do professor/pesquisador de Química e, por fim, em César, Reis e Aliane (2015), com algumas reflexões sobre o ensino da Tabela Periódica. Com abordagem qualitativa, Minayo (2001), e do tipo investigação sobre a prática, Ponte (2002), a pesquisa foi aplicada com 27 alunos do 9º ano do ensino fundamental de uma escola da rede pública estadual de ensino localizada no município de Aracaju/SE. Os dados foram coletados através de um teste de sondagem (questionário com questões abertas e fechadas) e dos registros escritos dos alunos, das observações feitas pelo professor/investigador e dos comentários e depoimentos registrados nas redes sociais. As atividades desenvolvidas – palestra interativa, concurso de imagens e stop motion – foram elaboradas visando a confecção final de uma Tabela Periódica Gigante. Para a análise dos dados fizemos uso de uma adaptação da análise de conteúdo proposta por Bardin (2011), criando categorias de análise que nos ajudaram a responder satisfatoriamente a questão central desta pesquisa. Acreditamos que os frutos dessa investigação são de extrema relevância para contribuir com o ensino da Tabela Periódica considerando que visam atender a demanda atual da educação de formar cidadãos ativos na construção do conhecimento e alunos que exercem o protagonismo no processo ensino-aprendizagem.

  • EDSON JOSÉ SANTANA DOS SANTOS
  • MENSURANDO HABILIDADES DE PENSAMENTO CIENTÍFICO, CRÍTICO E CRIATIVO EM CIÊNCIAS
  • Orientador : EDSON JOSE WARTHA
  • Data: 19/02/2020
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A proposição da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) para o sistema de ensino brasileiro ratifica um ensino pautado em competências e habilidades, produz uma demanda de reformulação dos currículos locais e, consequentemente, uma necessidade de repensar os instrumentos avaliativos para que estes se alinhem às novas Diretrizes Curriculares inspiradas pela base. Assim, este estudo tem o objetivo de contruir e validar um instrumento para avaliar o desenvolvimento de habilidades de Pensamento Científico, Crítico e Criativo em domínio geral das Ciências. Para tanto, o processo de construção e validação do instrumento ancorou-se nos fundamentos da psicometria, os quais sugerem três etapas: teórica, empírica e analítica. Desse modo, o instrumento passou por dois tipos de validação, uma externa (com estudantes e juízes) e outra interna (análise de consistência interna e análise fatorial). O instrumento foi administrado a um toral de 453 alunos do 1º e 3º anos do Ensino Médio (136 no teste piloto e 307 na administração final). Os resultados de consistência interna, aferidos pelo Alfa de Cronbach, variaram de 0,59 na versão piloto para 0,63 na versão final. Já a análise fatorial apontou uma composição de fatores diferente do modelo teórico que implicou em um novo arranjo para os itens. De acordo com os critérios de confiabilidade e validade analisados, o instrumento proposto nesta pesquisa apresenta resultados considerados satisfatórios para pesquisas na área de Ciências Humanas.

  • FERNANDA DOS SANTOS
  • ARGUMENTAÇÃO EM UMA SEQUÊNCIA DE ENSINO INVESTIGATIVA ENVOLVENDO QUÍMICA FORENSE
  • Orientador : ADJANE DA COSTA TOURINHO E SILVA
  • Data: 19/02/2020
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O presente estudo teve por objetivo analisar o desenvolvimento de uma sequência de ensino investigativa (SEI), estruturada em torno de um tema da Química Forense, verificando o espaço gerado para a argumentação e outras práticas epistêmicas, no contexto de formação inicial de professores. O foco analítico esteve na caracterização dos argumentos e práticas epistêmicas desenvolvidos pelos sujeitos da pesquisa, nas diferentes fases da SEI. A Química Forense pode ser considerada no planejamento de sequências de ensino que levam os alunos a argumentar, por se tratar de um tema que abriga em si um caráter de investigação. Além disso, tem o potencial de favorecer o trabalho com conceitos científicos aliados a debates em tornos de aspectos sociais. Na elaboração da sequência didática, consideramos o fato de que as atividades investigativas vêm sendo objeto de estudo no Ensino de Ciências por propiciar meios para o surgimento de práticas epistêmicas, dentre elas a argumentação, além de auxiliar os estudantes na construção do conhecimento científico. Práticas epistêmicas podem ser definidas como atividades sociais envolvidas na produção, avaliação e comunicação do conhecimento (Kelly, 2005); portanto, examinar as práticas epistêmicas, na perspectiva da pesquisa, presume direcionar o olhar para o discurso dos alunos quando envolvidos em atividades investigativas. Os dados oriundos da aplicação da SEI, denominada “Contribuições da Química Forense na investigação de crimes com armas de fogo”, foram obtidos por meio de questionários e gravações em vídeo. O tratamento dos dados envolveu transcrições das informações obtidas por meio dos vídeos, fragmentando-as em episódios de interação, com o intuito de selecionarmos, para análise, aqueles que expressassem a evolução da qualidade dos argumentos dos alunos, bem como as práticas epistêmicas instauradas. Para análise da estrutura dos argumentos expressos durante as discussões e nos textos escritos, utilizamos, como ferramenta analítica, o Padrão de Argumento de Toulmin (TAP). Para análise das práticas epistêmicas, utilizamos um sistema de categorias proposto por Jiménez-Aleixandre (2008), adaptadas e sintetizadas por Silva (2015). Os resultados alcançados evidenciaram a presença de elementos essenciais do layout de argumento proposto por Toulmin (2006), tais como dados, conclusão e garantia de inferência, nos enunciados proferidos pelos alunos nas discussões, bem como em seus textos escritos. Quanto à análise das práticas epistêmicas, verificamos o predomínio de práticas inseridas na instância social de produção do conhecimento. Tais resultados direcionaram a nossa atenção para ajustes na estrutura da SEI, visando potencializar sua abertura para a argumentação e outras práticas epistêmicas.

  • JANAINE ALMEIDA SOUZA DOS SANTOS
  • O Ensino de Ciências em Sergipe Através da Ótica de Pesquisas em Educação no Estado
  • Orientador : VELEIDA ANAHI DA SILVA
  • Data: 18/02/2020
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Discutir currículo implica em discutir sobre educação, especialmente sobre escola; ao passo que discorrer sobre escola também nos leva a discorrer sobre currículo. É uma ligação muito próxima que se estabeleceu com a criação dessa antiga instituição presente nas sociedades em várias regiões ao redor do mundo. A escola como é conhecida hoje não é a mesma desde a que foi criada e isso se deve às constantes discussões nas quais ocupa lugar de destaque como foco principal. Da mesma maneira, o currículo não é único ou imutável, já que conteúdos, disciplinas e a própria formação de professores costumam fazer parte de pesquisas constantemente. Este trabalho, portanto, apresenta um levantamento de pesquisas realizadas em Sergipe a respeito do Ensino de Ciências, destacando as temáticas e problemáticas abordadas, trazendo um panorama do Ensino de Ciências no Estado a partir dos trabalhos encontrados nas bases de dados da CAPES e BDTD.

  • RAFAEL ALVES RAMOS
  • ENSINO POR INVESTIGAÇÃO E ARGUMENTAÇÃO COMO PROMOTORES DA ALFABETIZAÇÃO CIENTÍFICA: Análise do desenvolvimento de uma Sequência de Ensino Investigativa em uma turma de ciências do ensino fundamental
  • Data: 18/02/2020
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Atualmente, as pesquisas em educação em ciências apontam para a necessidade de prover os indivíduos de conhecimento científico e ao mesmo tempo torná-los capazes de tomar decisões que envolvam também questões não científicas. Diversos autores discutem que a Alfabetização Científica- AC representa um parâmetro para o ensino de ciências na perspectiva da aprendizagem de conceitos científicos, no entendimento da natureza da Ciência e da relação Ciência, Tecnologia, Sociedade e Ambiente - CTSA. Nesta pesquisa preocupamo-nos na promoção da AC no ensino, para isso propusemos a implementação de uma Sequência de Ensino Investigativa – SEI interdisciplinar com características do “fazer ciência” na educação básica. A SEI proposta apresenta atividades que estão baseadas nas modalidades didáticas de investigação a partir da problematização do que é ensinado e da Argumentação, com promoção do pensamento científico. O desenvolvimento da SEI envolveu os alunos em um contexto de investigação científica a partir da utilização de inúmeros recursos culturais. Dentre eles, destacamos: falar, escrever e ler que são recursos presentes na Linguagem Científica – LC. Utilizamos a triangulação de dados através da gravação em vídeo de episódios, da produção de textos escritos pelos estudantes nos cadernos de atividades e em relatório científico, objetivando analisar a presença de indicadores de AC e de Argumentação. Como resultados identificamos: mudanças de concepções alternativas para conceitos estruturados cientificamente durante a sequência de atividades; utilização de linguagem científica e estabelecimento de relação de significados sobre os fenômenos em questão; presença majoritária de indicadores de AC relacionados ao trabalho direto com dados ou com as bases das quais se compreendia o assunto ou situação; construção de ideias lógicas e objetivas; pouca prevalência ou ausência de determinados indicadores de AC relacionados ao entendimento das situações; baixa frequência de indicadores de Argumentação nas interações discursivas e pouco engajamento na atividade de caráter coletivo. Com isso, consideramos que a presença dos indicadores de AC e de Argumentação indica que a AC está em processo, carecendo tal processo permanecer em constante construção. Salientamos que uma forma de conduzir os estudantes na criação de argumentos escritos é utilizando um layout adaptado. Em relação ao Ensino por Investigação e a Argumentação, conclui-se que ambos se apresentam como abordagens e/ou modalidades didáticas que privilegiam situações didáticas com características do trabalho científico. Neste ponto, chama-se a atenção para a aproximação da cultura científica com a escolar, rompendo com uma cultura de práticas didáticas sem contextualização com a própria ciência.

  • TAYSE DANTAS DOS SANTOS
  • A relação dos estudantes do 4º ano com o aprender através das características do ensino por investigação na disciplina de ciências.
  • Orientador : VELEIDA ANAHI DA SILVA
  • Data: 18/02/2020
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O presente estudo é de cunho qualitativo, caracterizado como pesquisa-ação e apresenta resultados parciais de um trabalho realizado com crianças do 4º ano do ensino fundamental em uma escola pública municipal de Aracaju SE e tem como objetivo analisar a relação dos estudantes do 4º ano com o aprender através das características que constitui o Ensino por Investigação. Essa abordagem de ensino promove o questionamento, levantamento de hipóteses, resolução de problemas, análise de dados e comunicação dos resultados alcançados. Nesse sentido, foram elaborados os seguintes objetivos específicos: 1) observar como as crianças participam das aulas através da aplicação da Sequência de Ensino Investigativa - SEI; 2) identificar quais relações estabelecidas com o aprender no Ensino por Investigação; 3) explicar o desenvolvimento da aprendizagem através dos registros de resultados produzidos pelas crianças. Dentro dessa perspectiva, a questão de pesquisa que norteia este trabalho é: Qual relação dos estudantes do 4º ano com o aprender através das características de uma SEI em um estudo sobre os fungos? Nesse sentido, destacamos os estudos de Charlot (2000) sobre a relação com o saber em suas três dimensões: epistêmica, de identidade e social. No entanto, considero essas três dimensões amplas para serem aprofundadas de acordo com as discussões pretendidas nesta pesquisa. Por este motivo, elenquei as formas da relação epistêmica com o saber: objetivação-denominação, imbricação do eu e distanciação-regulação. Ressalto que a relação de identidade e social não serão desconsideradas, pois fazem parte do processo de aprendizagem. A coleta de dados aconteceu através da realização de entrevistas, gravação em vídeo de episódios e registros dos resultados produzidos pelas crianças. As análises desses conteúdos aconteceram de acordo com o olhar epistêmico da Relação com Saber de Bernard Charlot (2000; 2005; 2009 2013) em que será utilizada a triangulação de dados

  • BRUNA GOMES CORREIA
  • UNIDADE DE ENSINO POTENCIALMENTE SIGNIFICATIVA COMO ELEMENTO FACILITADOR DA APRENDIZAGEM DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS NO ENSINO MÉDIO
  • Data: 17/02/2020
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A busca por formas de fazer o ensino de Biologia mais eficiente, de maneira que este possa contribuir de forma substancial na vida do aprendiz não é algo novo, no entanto nem sempre é uma tarefa fácil para o professor. Neste sentido, este estudo parte dos seguintes questionamentos: Como se desenvolve a Aprendizagem Significativa (AS) através da utilização de uma Unidade de Ensino Potencialmente Significativa (UEPS) no estudo dos microrganismos no ensino médio? Quais as variáveis que poderiam interferir nesse processo? Para tentar alcançar essas respostas o estudo teve como objetivo geral: Investigar como se dá o desenvolvimento da AS através da utilização de uma UEPS, no estudo dos microrganismos em uma turma de ensino médio; e, como objetivos específicos: 1) identificar as evidências de AS durante o desenvolvimento da UEPS; 2) analisar as variáveis que podem interferir no processo de AS desenvolvido durante a UEPS; 3) verificar as dificuldades identificadas pelos alunos neste período; 4) verificar a evolução conceitual dos alunos sobre os microrganismos estudados na UEPS e 5) identificar a rentenção dos conteúdos aprendidos por parte dos alunos após 7 meses do término do estudo. O estudo fundamenta-se na Teoria da Aprendizagem Significativa (TAS) desenvolvida por David P. Ausubel, tendo como aportes teóricos trabalhos de autores como: Moreira, Moreira e Masini, Krasilchik, Motokane, Ludke e Andre, entre outros. Foi utilizada uma aborgem qualitativa do tipo estudo de caso e elementos da Análise Textual Discussiva na interpretação dos dados tendo sido analisados questionários (pré e pós- teste além de um teste final), com categorias definidas tanto a priore quanto emergentes para a construção dos significados contidos nas respostas dos alunos. O estudo pôde evidenciar que após a aplicação da UEPS houve uma considerável evolução dos conceitos estudados, na comparação entre os testes, principalmente na quantidade de conceitos citados pelos alunos. A maioria dos alunos expressou evidências de AS no material de aula analisado. O tempo utilizado nas aulas foi considerado a principal variável capaz de interferir no desenvolvimento da AS, algumas outras dificuldades foram evidenciadas na compreensão significativa do conteúdo como falta de conhecimentos prévios, predisposição para aprender e, obstáculo epstemológico. Concluíndo foi possível reconhecer evidências de AS, demonstrando a eficácia das UEPS para a aprendizagem, pois mesmo diante das adversidades presentes no cotiano escolar, as atividades elaboradas e aplicadas durante o desenvolvimento da UEPS, indicam que os aprendizes conseguiram dar maior significado ao conteúdo estudado, atribuíndo sentidos ao mesmo. Além dessa evolução conceitual, a AS possibilitou, para alguns alunos, uma significativa retenção do conteúdo estudado, mesmo após sete meses da aplicação da UPES. Desta forma verificamos que a AS pode ser alcançada em contextos diversificados, através da estruturação e implementação dos métodos e instrumentos de ensino baseados no que propõe as UEPS.

  • DOMINGOS SILVEIRA DOS SANTOS
  • A Pedagogia de Projetos como Potencializadora da Aprendizagem em Ciências da Natureza.
  • Orientador : JOAO PAULO ATTIE
  • Data: 17/02/2020
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A pedagogia de projetos é considerada uma estratégia pedagógica para colaborar no processo de aprendizagem em ciências na educação básica. Com base nisso, o presente estudo teve o objetivo de identificar indícios da contribuição da pedagogia de projetos, com a devida participação do discente, no processo de aprendizagem em ciências da natureza. Neste trabalho, a expressão “Pedagogia de Projetos” foi fundamentada a partir do conceito utilizado por Martins (2002), que propõe interligar o ambiente da sala de aula com o contexto em que o estudante vive, tornando o processo de aprendizagem global e que proporcione a integração dos diversos saberes. Além deste, também nos valemos de alguns conceitos descritos por Hernández (1998) e Nogueira (2001), entre outros autores. O trabalho teve como participantes de pesquisa um grupo de ex-alunos do Colégio Antônio Carlos Magalhães localizados no município de Itapicuru/Ba, que participaram de projetos realizados na escola no período de 2013 a 2017. A pesquisa se caracteriza como qualitativa, de acordo com Mynaio (2001) e Triviños (1987), e apresenta aspectos de uma pesquisa exploratória, conforme Gil (2002), por consideramos o método coerente com o tipo de estudo em pauta. Os dados foram coletados por intermédio de uma entrevista semi estruturada, em consonância com Triviños (1987). Para a análise dos dados, optamos pela Análise de Conteúdo, seguindo as orientações de Bardin (2011), e realizamos as etapas de pré-análise e pelas operações de codificação, decomposição/ enumeração, a partir das dimensões que emergiram da pesquisa. A partir das análises, podemos afirmar que os resultados apontam para aspectos positivos da utilização da Pedagogia de Projetos em relação à aprendizagem das ciências da natureza.

  • MIKAELY REIS SANTOS
  • PERCEPÇÃO AMBIENTAL DE ESTUDANTES DO ENSINO FUNDAMENTAL SOBRE A CAATINGA
  • Orientador : MARCIO ANDREI GUIMARAES
  • Data: 11/02/2020
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A Caatinga é um dos biomas brasileiros que sofre com a degradação ambiental ocasionada pela ação antrópica e pelo seu processo civilizatório moderno, colocando em risco a sua biodiversidade. Além disso, a ‘falta’ de conhecimento das pessoas sobre este bioma e a divulgação equivocada sobre sua imagem como um ambiente pobre e seco, tem colaborado para a sua desvalorização e deterioração, isso é preocupante. Partindo desse pressuposto, o presente estudo pretende analisar as percepções ambientais de estudantes do 7° ano do Ensino Fundamental sobre a Caatinga e sua biodiversidade em regiões do Litoral, Agreste e Sertão do Estado de Sergipe. Para isso, foi realizada a coleta de dados por meio da produção de desenhos e textos sobre esse bioma por parte dos discentes de seis escolas públicas municipais e estaduais das distintas regiões. Os dados coletados foram submetidos a análise de desenhos, com apoio dos códigos presentes no estudo de Günindi (2012) que já foram adaptados com base na fauna e na flora da Caatinga apresentadas no livro de Almeida-Cortez et al. (2007), enquanto a análise de textos descritivos foi baseada na Análise de Conteúdo de Bardin (2011). Os resultados obtidos foram no geral, dentre dos 55 desenhos e textos analisados, 51estudantes do Sertão, Agreste e Litoral (92,7%) atribuem a Caatinga tais características: o clima semiárido, os longos períodos de estiagem, pouca disponibilidade de água devido a irregularidade de chuva que resulta em um solo seco e quente, além da dificuldade de sobreviver neste ambiente. Embora, quatro estudantes (7,3%) (2 do Sertão, 1 do Litoral e 1 do agreste) caracterizam a Caatinga como úmida. Os estudantes, no geral, estão cientes da riqueza da biodiversidade que ela possui. Além disso, os estudantes do agreste e do sertão apontaram o marco histórico da “Rota do Cangaço” e tradição pega boi no mato, um aspecto cultural, este apontado pela aluna do sertão. Quanto ao estado de conservação do bioma, foi indicado por duas alunas do litoral alteração no mesmo, devido atividade humana. Contudo, os resultados apontam para uma percepção naturalista dos estudantes, ou seja, voltado para natureza, com pouquíssima relação com os contextos socioeconômico, cultural e histórico nos quais estão inseridos a presença humana. Deste modo, a conscientização de cada indivíduo se faz necessário e também de implementação de projetos sobre a Educação Ambiental voltada para o contexto escolar e as comunidades rurais e urbanas.

  • MARIA CRISTINA ROSA
  • SENTIDOS E SIGNIFICADOS DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA: ESTUDO SOBRE UM PROCESSO DE FORMAÇÃO CONTINUADA EM UM MUNICÍPIO SERGIPANO
  • Orientador : DENIZE DA SILVA SOUZA
  • Data: 07/02/2020
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Este resumo apresenta os resultados de uma pesquisa de mestrado que teve por objetivo, analisar os sentidos e significados que professores de matemática constroem em um processo de formação continuada por meio de oficinas de matemática. Para tanto, o lócus de nossa pesquisa se insere em um projeto de extensão resultado de uma parceria entre a Universidade Federal de Sergipe e algumas redes municipais de ensino público deste estado. Esse projeto vem sendo desenvolvido desde o ano de 2017, por meio de Oficinas de Matemática que acontecem sistematicamente distribuídas em cinco encontros mensais. As atividades desenvolvidas nas Oficinas são realizadas com sequências de ensino que, além de atender as orientações da Base Nacional Comum Curricular (BRASIL, 2017), também promovem uma articulação entre o campo da geometria e os demais campos da matemática. Ao acompanharmos esse projeto como colaboradores, algumas questões surgiram dando origem a nossa questão de pesquisa: Quais são os sentidos e significados construídos pelos professores participantes das Oficinas de Matemática durante sua participação nesse processo de formação? Para tanto, delimitamos nossa pesquisa apenas em um dos quatro municípios parceiros neste projeto, o município de Itabaianinha-SE. A metodologia utilizada caracteriza-se numa perspectiva exploratória descritiva, sendo caracterizada como pesquisa ação. Para coleta de dados, foram utilizados: questionários, diário de bordo, mapa conceituais, entrevistas e discussões de grupo. Como aporte teórico, este estudo fundamenta-se na Teoria da Relação com o Saber de Bernard Charlot (2000, 2001, 2013), a qual nos permite analisar essas relações de sentido e significados, em termos de processos que os professores participantes estabelecem por meio das relações consigo mesmo, com o outro e com o mundo. Neste contexto, os resultados foram identificados a partir de constelações que se constituíram em quatro processos: O Reaprender na Formação; O Aprender a Ensinar; A Mobilização para Ensinar e O Ensinar Geometria. Desse modo, os sentidos e significados construídos pelos professores participantes desse projeto de formação continuada, se estabelecem por meio das figuras do aprender a ensinar, as quais, por sua vez constituem a relação com o saber em três dimensões indissociáveis (epistêmica, identitária e social).

2019
Descrição
  • CLAUDIENE DOS SANTOS
  • JOGOS PROPOSTOS POR AUTORES DE LIVROS DIDÁTICOS: UMA CARACTERIZAÇÃO DE USO (S) POR PROFESSORES DE MATEMÁTICA DOS ANOS FINAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL (ARACAJU/SE)
  • Orientador : IVANETE BATISTA DOS SANTOS
  • Data: 16/12/2019
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Neste texto é apresentado o resultado de uma pesquisa que teve por objetivo caracterizar se/como os professores dos anos finais do ensino fundamental utilizam os jogos matemáticos que são propostos por autores de livros didáticos do PNLD/2017 adotados para escolas estaduais da rede pública de ensino em Aracaju/SE. Inicialmente, as três coleções do PNLD/2017 mais utilizadas em Aracaju/SE foram examinadas, a saber: Matemática Compreensão e Prática, Vontade de Saber Matemática e Matemática Bianchini. A partir dessa escolha, foram selecionadas, para cada coleção, uma instituição de ensino em cada zona geográfica do município para aplicação de questionários aos docentes de Matemática com a intencionalidade de atingir o objetivo proposto. Os instrumentos de coleta de dados foram compostos por um questionário contendo vinte e quatro perguntas, que vão desde a formação pessoal de cada participante da pesquisa até se/como se dava a aplicabilidade desse recurso em sala de aula e de uma entrevista com perguntas voltadas para identificar o uso que era feito dos jogos pelos docentes. Para um entendimento de jogo matemático foi utilizado Grando (1995, 2000). Por meio do exame dos questionários, foi possível caracterizar que oito dos doze entrevistados têm conhecimento da presença dos jogos matemáticos no livro didático, mas apenas cinco utilizam os jogos indicados pelos autores dos livros que adotam. Tal uso é feito, pelos docentes, para se trabalhar, principalmente, os conteúdos de frações, porcentagens, ângulos, potenciação, equações, funções e números naturais. Na entrevista, pode-se constatar também que os jogos são confeccionados pelos respondentes da pesquisa ou por seus alunos e que, em todos os casos, são adaptados pelos professores ao nível da turma. Parte dos participantes alegou também utilizar outros recursos didáticos, até mesmo jogos indicados por autores de outras coleções. Identificou-se, também, que os cinco participantes da pesquisa que utilizam os jogos propostos no livro o fazem para: avaliar o aluno, introduzir e desenvolver os conteúdos, promover socialização, auxiliar na resolução de problemas e fixar os conteúdos matemáticos.

  • SILMARA MARIA DE LIMA
  • INTERFACE CIÊNCIA E RELIGIOSIDADE ENTRE ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS
  • Orientador : MARCIO ANDREI GUIMARAES
  • Data: 20/11/2019
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Neste trabalho busquei identificar a associação entre religiosidade intrínseca e atitudes em relação à ciência de estudantes universitários. Além disso, também busquei verificar se havia diferenças no tipo de curso de graduação ou o ano em que o graduando estava matriculado em relação às variáveis religiosidade intrínseca; crenças e afetos em relação á ciência; e iniciativa pessoal em relação à ciência. Participaram da pesquisa 400 graduandos dos cursos de Ciências Biológicas; Física, Geografia; Matemática; Química/ e Pedagogia do Campus Universitário Professor Alberto Carvalho/UFS; A amostragem foi do tipo não-probaabilística de conveniência. Cada graduando respondeu a um questionário padronizado logo após ler e concordar com o termo de consentimento livre e esclarecido. Oss dados do questionário foram tabulados, tratados e analisados estatisticamente. Como resultado da pesquisa, Verificamos que o escore para religiosidade intrínseca é muito alto e não varia ao longo do curso, Assim, nos cursos em que houve associação entre religiosidade intrínseca e atitudes em relação á ciência, esta era negativa e fraca. Da mesma maneira observei a existência de diferenças significatrivas nos cursos de graduação em Ciências Biológicas e Geografia, com maior escore de atitudes favoráveis em relação à ciência, em relação aos cursos de cursos de Química e Pedagogia, com escore menores.

  • LÍGIA SANTANA FILHA
  • UMA CARACTERIZAÇÃO DE ATIVIDADES DE LIVROS DIDÁTICOS DO 6º ANO RELACIONADOS A NÚMEROS E OPERAÇÕES PARA ALUNOS COM TRANSTORNO DO ESPECTRO AUTISTA (TEA)
  • Orientador : IVANETE BATISTA DOS SANTOS
  • Data: 27/06/2019
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Neste texto é apresentado o resultado de uma pesquisa cujo objetivo foi caracterizar atividades e conteúdos matemáticos presentes no Livro Didático (LD) tendo em vista as especificidades de aprendizagem de alunos com Transtorno do Espectro Autista (TEA). Para compreender sobre as especificidades do TEA, foi adotado autores como Silva, Gaiato e Reveles (2001), Cunha(2011), APA (2014) e Grandin (2016). E para o desenvolvimento da pesquisa foram examinados os trabalhos de Fontelles (2012), Takinaga (2015), Cardoso (2016) e Viana (2017), identificados na Biblioteca Digital de Teses e Dissertações – BDTD. A partir do exame foi construída um quadro de atributos que podem contribuir com o processo de ensino aprendizagem de conceitos matemáticos, em particular os “Números e Operações”, para alunos com TEA. A partir dos critérios elencados no quadro foram examinados os livros didáticos elencados por Silva (2018) como sendo os mais utilizados pela rede estadual de ensino de Sergipe na cidade de Aracaju/SE, que constam no PNLD (2017), são eles: Vontade de saber Matemática, Matemática – Compreensão e prática, Matemática – Bianchini. Constatou-se, ainda, no LD, frações de conteúdos em linguagem direta, com poucos detalhes que podem atender a alunos autistas com mais eficiência. Foram identificadas, ainda que em ínfima expressividade, atividades que, pelo seu enunciado com objetividade, concisão e clareza seria passível de ser trabalhada com alunos com TEA, além de outras atividades que apresentam potencial para se trabalhar com esse público desde que sofram pequenos ajustes por parte do professor.

  • GLEICE PRADO LIMA
  • A construção de argumentos em aulas de Biologia: Controvérsias em torno das vacinas
  • Orientador : ADJANE DA COSTA TOURINHO E SILVA
  • Data: 31/05/2019
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • As aulas de Biologia têm pouco priorizado o desenvolvimento de práticas argumentativas relacionadas às demais práticas epistêmicas inseridas nas instâncias sociais de produção, comunicação e avaliação do conhecimento científico. O que se percebe são aulas em que o educador é exposto a uma série de desafios para tornar os avanços tecnológicos e científicos acessíveis para os alunos, sendo necessário, portanto, o planejamento e desenvolvimento de atividades que contribuam efetivamente para transformar as aulas de Biologia em ambientes investigativos. Sequências de Ensino Investigativas (SEI’s) contribuem para que os alunos entendam o fazer científico, por meio da criação de ambientes propícios para a construção de argumentos na perspectiva da ciência escolar. Considerando tal fato, buscamos, nesta pesquisa, analisar o processo de elaboração de argumentos por alunos em uma sequência didática desenvolvida em torno do tema vacinas, bem como caracterizar a estrutura de tais argumentos, tendo em vista os recorrentes movimentos pró e antivacinas. Com tal objetivo, foi elaborada e aplicada uma Sequência de Ensino Investigativa (SEI) para 18 alunos do 1º Ano do Ensino Médio do Colégio de Aplicação da Universidade Federal de Sergipe. A SEI foi elaborada de acordo com o modelo proposto por Pedaste et al. (2015) e possui como questão central: O uso de vacinas deve ser opcional? Os dados foram obtidos por meio de gravações em vídeos e aplicação de questionários. A análise dos dados, envolveu: a) segmentação das aulas em episódios, b) transcrições das falas dos alunos e docente, considerando os episódios mais representativos da evolução das ideias dos alunos; b) mapeamentos das respostas escritas dos alunos; c) identificação das práticas discursivas entre docente e alunos que favoreceram a argumentação; d) diferenciação das perguntas argumentativas e explicativas; e) categorização das perguntas explicativas e f) caracterização dos argumentos produzidos pelos alunos. Considerando as análises dos argumentos produzidos pelos alunos ao longo das atividades, verificamos como estes foram tornando-se sofisticados, apresentando aportes que fundamentavam cientificamente as deduções ou hipóteses para as questões investigativas propostas. Para análise dos argumentos orais e escritos dos alunos, utilizamos o Padrão do argumento de Toulmin (TAP). Verificamos que os alunos, em grande maioria, elaboraram argumentos compostos por conclusões (C) coerentes, ancoradas em dados (D) empíricos ou teóricos; alguns refutadores (R) para limitar suas conclusões e qualificadores (Q), que informavam sobre o nível de relação entre os dados e as conclusões. Os resultados apontam que é de suma importância o desenvolvimento de atividades que promovam a argumentação nas aulas de Biologia.

  • VANESSA MARIA SILVA MENEZES
  • PERFIL CONCEITUAL A RESPEITO DA CONCEPÇÃO ATOMÍSTICA PARA OS ESTADOS FÍSICOS DA MATÉRIA DE UM GRUPO DE ALUNOS DA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS - EJA
  • Orientador : SAMISIA MARIA FERNANDES MACHADO
  • Data: 29/04/2019
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O trabalho educacional a partir da vertente do perfil conceitual permite ao professor e ao aluno a possibilidade de conhecer e respeitar diferentes formas de ver o mundo. Segundo essa teoria, a forma como um indivíduo explica determinado fenômeno traz consigo características epistemológicas e ontológicas que justificam tal forma de pensar. No que diz respeito ao estudo do átomo na composição dos estados físicos da matéria, a abstração exigida para a sua compreensão e os modelos utilizados para representá-lo, são algumas das características que não são explicadas pelo senso comum, já que envolve um conceito científico. O atomismo foi escolhido por ser um conhecimento fundamental ao estudo da química, já que constitui a base para compreensão de basicamente todos os fenômenos a serem estudados por essa ciência. O presente trabalho se propôs a analisar os perfis conceituais a respeito do átomo num público específico, com características que o diferencia dos alunos do ensino regular: alunos da Educação de Jovens e Adultos – EJA. Esse grupo de pessoas com idade mais avançada, experiências de vida ricas, diversidade de situação social e inseridos no mundo do trabalho foi escolhido justamente por formar uma classe pouco favorecida por pesquisas na área da EJA e ter despertado o interesse da pesquisadora. Nosso objetivo foi analisar as zonas do perfil conceitual de átomo em que se encontram esses alunos, segundo Mortimer (2006), antes e após uma intervenção pedagógica. Segundo o referencial utilizado, o perfil conceitual para tal conceito abrange diferentes zonas, que são as formas de explicar o conceito, chamadas de realista, substancialista e atomista. Para tanto, foram realizadas atividades escritas e ao final do processo, alguns dos alunos foram entrevistados. Os resultados nos mostram uma transição nessas zonas que caminhou em direção à zona mais próxima da científica, considerando a existência de espaços vazios na matéria e a organização das partículas que a compõe. Isso foi expresso em linguagem escrita, mas, sobretudo, em linguagem não-verbal, através da utilização de desenhos, e revela que apesar do vocabulário científico restrito desses alunos, houve uma evolução de conceitos e que apresentaram-se de forma harmônica em meio as zonas em que eles foram classificados. As entrevistas apresentaram dados que confirmaram o desenvolvimento de uma nova visão por parte dos alunos que envolve termos científicos e modelos para representação da matéria em estados físicos diferentes, além de revelaram outros aspectos como a percepção da pluralidade de ideias em sala de aula por parte dos alunos e o uso de diferentes linguagens (científica e senso comum) a depender do ambiente.

  • JOSÉ WESLEY FERREIRA
  • O ENSINO DE CÁLCULO ESTEQUIOMÉTRICO NA FORMAÇÃO DOCENTE: UM ESTUDO SOBRE SINGULARIDADES E SUBJETIVIDADES DE LICENCIADOS EM QUÍMICA
  • Orientador : DENIZE DA SILVA SOUZA
  • Data: 25/03/2019
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Compreender o cálculo estequiométrico (estequiometria) tem sido mais um dos desafios que alunos do ensino médio enfrentam na disciplina de Química, devido a fatores como, ausência de investimento teórico e metodológico, da parte dos professores dessa disciplina. Com base nessa problemática, a ênfase desta pesquisa centrou-se na formação inicial em diferentes cursos de Química Licenciatura, sendo eles, da Universidade Federal de Sergipe (UFS) nos Campus São Cristóvão e Itabaiana, como da Faculdade Pio Décimo. Ao buscar analisar sobre qual o sentido dado por futuros licenciados em Química quanto ao ensino de cálculo estequiométrico em turmas do ensino médio, fundamentou-se na teoria Relação com o Saber de B. Charlot (2000, 2005 e 2013) e outros pesquisadores sobre essa abordagem, visando identificar como as figuras do aprender a ensinar o Cálculo Estequiométrico são estabelecidas pelos sujeitos da pesquisa. Os licenciandos escolhidos como público alvo da pesquisa foi especificamente aqueles que estavam cursando um dos estágios nos respectivos cursos de Licenciatura em Química. Para complementar os dados, buscou-se também fazer uma análise documental da proposta do curso, do qual os sujeitos fazem parte; referenciais curriculares (PCNEM; BNCC); e valendo-se da Taxonomia de Bloom (2010), foram analisados livros didáticos de Química do ensino médio aprovados pelo PNLD 2018, como também, aulas sobre Cálculo Estequiométrico em canais do youtube. Para os procedimentos metodológicos, iniciou-se a pesquisa com um levantamento bibliográfico sobre estudos que se aproximem ao tema; seguida da referida análise documental, aplicação de um questionário aos sujeitos. Quanto aos livros analisados e à estrutura curricular do referido curso de licenciatura, pode-se inferir que o ensino de Química e a formação inicial ainda apresentam uma perspectiva que se distancia ao que atualmente é estabelecido sobre ensino contextualizado.

  • ERESSIELY BATISTA OLIVEIRA CONCEIÇÃO
  • SINGULARIDADES E SUBJETIVIDADES DE UM GRUPO DO PIBID NA ÁREA DE MATEMÁTICA: CONTRIBUIÇÕES PARA O PROCESSO DE FORMAÇÃO DE IDENTIDADE PROFESSORAL
  • Orientador : DENIZE DA SILVA SOUZA
  • Data: 25/03/2019
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa realiza um estudo sobre um dos programas da atual política educacional quanto à formação inicial de professores, sobretudo nas potencialidades do Programa de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID), como espaço de construção da identidade docente. Além de buscar entender o sentido que os bolsistas de iniciação à docência (ID) atribuem na sua Relação com o Saber para a construção identidade professoral, nesse processo de formação. Para tanto, temos como público alvo da investigação, licenciandos em Matemática da Universidade Federal de Sergipe/Campus São Cristóvão (UFS/SC), sendo eles, ex-bolsistas do PIBID, dentre os quais, formou-se um grupo focal com 10 licenciandos que integravam um dos subgrupos do PIBID da área de Matemática/UFS/SC. Ao acompanharmos esse processo de formação docente de licenciandos em Matemática, alguns questionamentos emergiram, chegando à questão central de pesquisa: Qual o sentido e quais significados que bolsistas de iniciação à docência do PIBID da área de Matemática/UFS/SC atribuem ao seu processo de formação docente ao participarem deste programa?Para respondê-la, tivemos como base teórica, os pressupostos da Relação com o Saber de Bernard Charlot (1979, 2005, 2006, 2013), buscando associar suas ideias aos pressupostos de Fleck (2010) sobre estilos de pensamento. Outros autores também subsidiaram o estudo, constituindo-o em natureza qualitativa como pesquisa participante. Os procedimentos metodológicos foram de modo exploratório e descritivo, na perspectiva de identificar e analisar como ações dos bolsistas investigados contribuem a terem um sentido quanto ao seu processo formativo, com singularidades e subjetividades. Também, foi observado como se estabelecem as figuras do aprender desses sujeitos para o exercício da profissão docente. No decorrer da pesquisa, a coleta de dados se constituiu com aplicação de questionário, observação e participação em reuniões e Oficinas de Matemática (projeto de extensão), análise documental (registros, artigos e relatórios), diário de bordo, elaboração de mapa conceitual e entrevistas nos encontros de grupo focal. A análise dos dados foi sistematizada pela identificação de palavras relevantes que se constituíram em subcategorias e categorias, como forma de constelações que deram representatividade aos sentidos e significados atribuídos pelos sujeitos da pesquisa. Ou seja, para esses sujeitos, o sentido atribuído ao PIBID implica nas singularidades que são representadas pelas subcategorias trabalhadas no processo de análise, a exemplo do Saber matemático e área de atuação; Aprendizagem; Atividade; Exercício da Docência; Coletividade; Produção; Singularidade do grupo. As relações estreitadas como categorias sobre a Relação com o Saber que instituíram nesse espaço de formação, dão significados aos bolsistas ID em participarem do programa PIBID, foram elas: a própria relação social com o saber (matemático), por sua vez implicando nas dimensões epistêmica, identitária e social (relação com o outro e consigo mesmo), além da disposição mobilizacional com o saber, pelo desejo de aprenderem a ser professores de Matemática, fazer pesquisa científica, além de atuarem com ações de extensão. Nessas relações se estabelecem as subjetividades desses bolsistas ID, sob uma coletividade singular do próprio grupo, o que gera um Coletivo de Pensamento.

  • AYSLAN SOBRAL REZENDE
  • Os argumentos de licenciandos em Biologia sobre o uso do conceito de raça para seres humanos em uma Sequência de Ensino Investigativa
  • Orientador : ADJANE DA COSTA TOURINHO E SILVA
  • Data: 21/03/2019
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O conceito de raça tem sido historicamente usado de diferentes maneiras em distintas áreas do conhecimento, estendendo-se inclusive à espécie humana, de modo a caracterizar indivíduos ou grupos sociais. Considerando-se o atual paradigma da Biologia, o tradicional conceito classificatório de raça como delimitador de diferenças significativas entre seres humanos é inválido. Todavia, apesar de sua inconsistência do ponto de vista biológico, a ideia de raça continua sendo utilizada como termo demarcador de diferenças entre as pessoas, sobretudo por sua relação com a identidade de grupos específicos na sociedade. Tendo-se em vista a importância de problematizar as ideias relacionadas a tal conceito, suas apropriações e seus desdobramentos em diferentes campos do conhecimento e esferas sociais, buscamos nesta pesquisa caracterizar a estrutura e a qualidade dos argumentos elaborados por licenciandos do curso de Biologia da UFS sobre o tema “Raça Humana”. Com tal objetivo, foi aplicada uma Sequência de Ensino Investigativa (SEI) a alunos de uma disciplina pedagógica de tal curso. A SEI foi estruturada com inspiração no modelo proposto por Pedaste (2015) e possui como questão central: É pertinente o uso do conceito de raça para seres humanos?” Os dados foram coletados por meio de um questionário contendo a questão central da SEI. Para a análise, utilizamos o modelo proposto por Osborne, Erduran e Simon (2004), que corresponde a uma adaptação do modelo de Toulmin (1958). Os resultados apontam que a maioria dos lienciandos considera pertinente o uso do termo raça para seres humanos, porém coloca restrições para tal uso, tendo em vista que este se alia a ideias preconceituosas e discriminatórias. As justificativas, em sua maioria, têm aporte em concepções que representam apropriações superficiais do discurso científico, tanto das ciências sociais, quanto das biológicas. Demonstra-se pouco aprofundamento do discurso da Biologia, dos aportes da Genética para justificar os pontos de vista apresentados. Todavia, pode-se inferir que uma parte dos licenciandos considera frágil a referência biológica para o conceito de raça, sobretudo por enfatizarem a sua relevância na dimensão da construção social e contribuição para a identidade das pessoas. Do ponto de vista da estrutura dos argumentos foram encontrados 7 grupos, sendo que os argumentos mais complexos apresentaram os seguintes elementos: Dado (D), Conclusão (C), Condições para conclusão (CPC), Conhecimento de Base (CB) e Refutador (R). Os argumentos mais simples constituíram-se apenas de dados teóricos (D) e conclusão (C). Foram encontrados, ainda, textos que não se constituíam em argumentos, por não apresentarem justificativas para as conclusões propostas ou por não apresentarem uma conclusão definida.

  • ALANNE DE JESUS CRUZ
  • MECANISMOS ATENCIONAIS ESPERADOS NO PROCESSO APRENDIZAGEM DE ALUNOS SURDOS EM MATEMÁTICA: UMA INVESTIGAÇÃO EM LIVROS DIDÁTICOS DO PNLD 2017
  • Data: 20/03/2019
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O desafio de ensinar alunos surdos é abordado em diferentes áreas, não sendo diferente na matemática. A busca em adaptar e conhecer sinais específicos da área em Libras, metodologias e instrumentos para auxiliar no processo de ensino-aprendizagem de matemática se torna uma rotina para quem ensina a surdos. Frente a esse contexto, esta pesquisa buscou articular interesses da didática da matemática aos interesses da Neurociência Cognitiva, identificando mecanismos atencionais presentes no objeto matemático Relações Trigonométricas no Triangulo Retângulo possíveis de auxiliar a aprendizagem de alunos surdos, a partir dos objetos ostensivos e não ostensivos presente nas praxeologias de livros didáticos de matemática do 9º no ensino fundamental, aprovados pelo PNLD/2017. Para tanto, as principais bases teóricas desta investigação encontram-se estruturadas na institucionalização conceitual de três áreas do conhecimento: Ensino de matemática para alunos surdos (VIANA, 2014; NOGUEIRA, 2013), Teoria Antropológico do Didático (CHEVALLARD, 2018) Neurociência Cognitiva (GAZZANIGA, 2006; LENT, 2002; COSENZA e GUERRA, 2011). Para compreender esse cenário, desenvolveu-se uma análise histórica, epistemológica e do ensino habitual, buscando entendimentos do objeto em estudo e do público alvo da pesquisa. Por outro lado, a ênfase dada aos objetos ostensivos e não ostensivos como ferramentas de análise para identificar quais mecanismos atencionais possibilitam favoravelmente a aprendizagem matemática do aluno surdo, teve como ideia fundamental a associação dos pressupostos da Teoria Antropológica do Didático e a Neurociência Cognitiva, na tentativa de justificar que a manipulação dialética entre esses objetos pode auxiliar aos surdos obterem uma atenção necessária à aprendizagem sobre as relações trigonométricas no triângulo retângulo. Os resultados obtidos mostram que ainda se faz necessário haver mais pesquisas sobre a questão em tela. Constatou-se também que os livros didáticos analisados apresentam objetos ostensivos que favorecem identificar alguns canais de entrada aos mecanismos atencionais, porém o uso da língua portuguesa e da linguagem matemática pode dificultar a compreensão do aluno surdo.

  • LUCIANO PONTES DA SILVA
  • Um estudo da Atenção Seletiva na aprendizagem das Funções Trigonométricas: etiologias e tipologias de erros na perspectiva da Neurociência Cognitiva.
  • Data: 14/03/2019
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O presente trabalho tem como objetivo fulcral investigar a etiologia de erros em tipo de Tarefas de Funções trigonométricas, seguindo a hierarquia dos Níveis de Funcionamento do Conhecimento de Aline Robert, traçando correlações dessa etiologia com os Níveis de Atenção Seletiva (NAS) requeridos em cada um dos NFC, criando assim tipologias sobre esses erros. A pesquisa, do tipo exploratório e experimental, foi permeada pelos pressupostos teóricos da Engenharia Didática Clássica (EDC) de Michèle Artigue, resultando numa Sequência Didática (SD) fundamentada em construtos teóricos da Neurociência e Psicologia Cognitiva. Nesse quesito, foram evocadas algumas lentes de teóricos destes segmentos, estudando algumas das características da atenção, suas classificações e as áreas cerebrais envolvidas, dando ênfase aos processos Bottom up e Top down para a criação da Matriz de Lapsos (ML) que foi confeccionada a partir da tipologia dos erros encontrados na literatura. Discorre-se ainda sobre a Teoria Antropológica do Didático (TAD), preconizada por Yves Chevallard, para entender o funcionamento sobre as relações entre sujeito e objeto dentro de uma instituição, onde se situa a organização praxeológica e as noções de objeto ostensivo e não ostensivo, as quais são fundamentais para entender como os alunos utilizam técnicas para resolver as Tarefas, discutidas também por outras perspectivas, encontradas em outras pesquisas referentes à mesma temática. Participaram da pesquisa uma turma do segundo ano da Escola Estadual Professor José Quintela Cavalcanti, situada no município de Arapiraca, Alagoas. A SD foi dividida em três momentos, aplicando os protocolos diagnósticos (), analisando as respostas dos alunos e estudando possíveis persistências dos lapsos, já devidamente categorizados e em cada momento haverá um debate sobre esses. As Tarefas de Funções Trigonométricas foram elaboradas dentro da hierarquia proposta nos NFC. Os instrumentos de coleta de dados consistem em diário de campo e análise dos testes feitos durante a SD.

  • MÁRCIO PONCIANO DOS SANTOS
  • EXPECTATIVAS NEUROCOGNITIVAS DA ATENÇÃO EM UMA SEQUÊNCIA DE ENSINO PARA A HABILITAÇÃO DO RACIOCÍNIO AXIOMÁTICO DURANTE A APRENDIZAGEM DA DEMONSTRAÇÃO DA LEI DOS SENOS
  • Data: 13/03/2019
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Os estudos sobre trigonometria impulsionam discussões que fomentam pesquisas na área da Educação Matemática. Nessa perspectiva, ancorou-se na hipótese da existência de obstáculos no processo de construção da demonstração da lei dos senos. Assim, neste texto, são apresentados os resultados de uma investigação que teve por objetivo analisar as expectativas neurocognitivas atencionais disponíveis durante o processo de construção do raciocínio axiomático utilizado na demonstração da lei dos senos. A condução metodológica da pesquisa foi organizada por meio de protocolos de aprendizagem firmados nos pilares da engenharia didática clássica (análises preliminares, concepções e análise a priori, experimentação, análise a posteriori e validação), tendo Artigue (1988) como nome de destaque. Seguindo as fases dessa metodologia, foi desenvolvida uma análise histórica, epistemológica e do ensino habitual, para compreender o contexto e os obstáculos ao conhecimento sobre o objeto matemático em jogo. O arcabouço teórico firmou-se, nos conhecimentos sobre a história da matemática, especificamente, da lei dos senos, através da (re)visitação em Eves (2004), Euclides (2009) e Boyer (2012); na Teoria Antropológica do Didático de Chevallard (1993-1994, 2006a, 2006b, 2009a, 2009dab, 2011a, 2011b), em parceria com os conhecimentos da neurociência cognitiva, principalmente, nos estudos de Posner e Petersen (1990, 2012), Kandel et al. (1991), Lent (2002), Gazzaniga et al. (2006), Sternberg (2010), Cosenza e Guerra (2011) e Posner (2012), destacando o processo de captação, condução, codificação e consolidação da informação; dos níveis de demonstrações no ensino de matemática, respaldou-se em Balacheff (1984) e De Villiers (2001, 2002). A referida investigação, deu-se mediante a aplicação de uma sequência didática com alunos do curso de licenciatura em matemática no primeiro semestre de 2018, da referida universidade, intermediado pelo uso do ciclo trigonométrico móvel e protocolos de aprendizagens. Das investigações, aplicação e análise da sequência didática, concluiu-se que ao se trabalhar com a lei dos senos, faz-se necessário uma contextualização e uso de abordagens metodológicas e recursos didáticos que permitam despertar interesse pelo conteúdo estudado, propiciando aguçar o sistema atencional do aluno, consequentemente, maior atenção e foco com o que está sendo trabalhado.

  • YASMIN LIMA DE JESUS
  • DESAFIOS E POSSIBILIDADES AO ENSINO DE CIÊNCIAS EM UMA ESCOLA INDÍGENA BAKAIRI A PARTIR DA PESCA COM O TIMBÓ: PERSPECTIVAS INTERCULTURAL E DECOLONIAL
  • Orientador : EDINÉIA TAVARES LOPES
  • Data: 28/02/2019
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A presente investigação almeja – de modo a contribuir com o queapontam as demandas e lutas do movimento indígena brasileiro e asnormativas legais que orientam o ensino na modalidade EducaçãoEscolar Indígena a partir de uma escola que seja específica,diferenciada, bilíngue/multilíngue, comunitária e intercultural –compreender as possibilidades e os desafios encontrados naelaboração de uma proposta didática com a temática “Pesca com otimbó” para o ensino de Ciências em uma escola indígena bakairinuma perspectiva intercultural e decolonial. A pesca com timbó érealizada por alguns grupos indígenas com a utilização de um cipó(denominado popularmente como timbó) que, depois de “esmagado”na água, intoxica os peixes. A intoxicação é causada por umasubstância denominada rotenona, presente no “caldo” do timbó. Ospeixes, após serem intoxicados, começam a emergir, em outraspalavras, a “boiar”, e podem ser apanhados facilmente à mão, com oauxílio do arco e da flecha ou de uma lança. Nesse ínterim, a propostadidática visa abordar as diferentes perspectivas para a pesca com otimbó a partir dos pressupostos da perspectiva intercultural crítica(WALSH, 2007; 2012; 2013; CANDAU, 2010; 2013; FLEURI, 2003;2012; 2014) promovendo o entrelugar (BHABHA,1998), por meio doqual os conhecimentos científicos escolares (cultura científica) e osdo cotidiano bakairi (cultura bakairi) se encontram e dialogam,apresentando que há diferentes formas de ver e agir no mundo. Nosfundamentamos, também, nos pressupostos teóricos dadecolonialidade (QUIJANO, 2012; GROSFOGUEL, 2015), propondoconstruir uma proposta didática que busca promover a descolonizaçãodos currículos de ciências nessa escola e apontando outrasepistemologias (SANTOS, 2006; 2009). O estudo possui comoabordagem metodológica a pesquisa qualitativa do tipo descritiva(BOGDAN; BIKLEN, 2003; FLICK, 2007) e com perspectivaetnográfica (GEERTZ, 1989). Sendo realizada em uma escolaindígena do povo Bakairi da aldeia Aturua, no município deParanatinga, estado do Mato Grosso. Os sujeitos dessa pesquisa são:dois anciões dessa comunidade, lideranças espiritual e política (o pajée o cacique) o professor de ciências dessa escola e alguns ex-alunos.Para a constituição dos dados foi realizada análise documental,entrevistas, observações e elaboração, em colaboração com alguns ex-alunos Bakairi e o professor de ciências dessa escola, de umaproposta didática com a temática “Pesca com o timbó”. A análise dosdados será realizada a partir da Análise de Discurso, no sentido danoção de gêneros do discurso de Bakhtin (2003). Como resultados preliminares identificamos a partir da análise documental e dasobservações que o ensino de Ciências, de forma mais contundente,não considera as características e especificidades da comunidadeindígena investigada se distanciando das Diretrizes CurricularesNacionais da Educação Escolar Indígena. Nesse sentido, a partirdessa constatação defendemos um ensino que de fato leve emconsideração os aspectos específicos e culturais, valorizando seussaberes e formas próprias de construção e validação de conhecimento.Destarte, que possibilite a promoção do encontro entre essasdiferentes visões de mundo, buscando a formação do cidadãoindígena, sua autonomia e empoderamento. Uma educação que sejalibertadora ao invés de opressora e que promova a cidadania e aautonomia dessas classes populares como defendido por Paulo Freire.Além disso, contribuir para o registro e manutenção deconhecimentos ancestrais antes compartilhados de geração emgeração restritamente por meio da oralidade e de um ensino deciências que contribua para esses povos. Contudo, ressaltamos que,compreender e mobilizar o encontro entre essas diferentes visões demundo é um desafio, pois, compreende o rompimento com a lógicado pensamento colonial.

  • MANUEL MESSIAS SANTOS BATISTA
  • ENSINO DE TERMOLOGIA: UMA PROPOSTA DE SEQUÊNCIA DIDÁTICA BASEADA NA PEDAGOGIA HISTÓRICO-CRÍTICA DE DERMEVAL SAVIANI
  • Orientador : DIVANIZIA DO NASCIMENTO SOUZA
  • Data: 28/02/2019
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O presente trabalho aborda a Pedagogia Histórico-Crítica no contexto escolar como uma ferramenta para o ensino de Termologia. A importância dessa pedagogia se deve ao fato de que está embasada na consideração do homem como ser histórico, construído ao longo do tempo, cuja humanização está intrinsicamente ligada a elementos do passado e sua capacidade de mudar a realidade através do trabalho construindo assim o futuro. Assim, a educação torna-se um processo fundamental para essa humanização. O objetivo deste trabalho foi aplicar os cinco passos estruturadores da pedagogia Histórico-Crítica para promoção de um cidadão crítico através de uma sequência didática para a abordagem do conteúdo Termologia na disciplina Física no Ensino Médio. Esta se tratou de uma pesquisa de abordagem qualitativa, que teve como instrumento de coleta de dados questionário e gravações de áudio. Com base nos dados obtidos pudemos traçar um perfil de alunos do segundo ano do Ensino Médio que participaram do estudo, antes e depois da aplicação da sequência didática e assim fazer um comparativo entre os dois momentos. Constatamos a cada passo aplicado reações diversas por parte dos alunos, com demonstrações de autonomia, boa expectativa e satisfação em participar ativamente da construção do conhecimento e também limitações advindas da falta de hábito deles de falar em público.

  • JOSÉ AFFONSO TAVARES SILVA
  • A LUDOMATEMÁTICA NA EDUCAÇÃO DE ESTUDANTES SURDOS(AS) NA PERSPECTIVA INCLUSIVA
  • Orientador : MARIA BATISTA LIMA
  • Data: 28/02/2019
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A pesquisa em destaque apresenta discussões em torno de três eixos – Ludicidade, Educação Matemática Inclusiva e Educação de Surdos. O seu objetivo geral consiste em analisar possíveis implicações do uso de atividades lúdicas no ensino de Matemática para estudantes surdos(as) inclusos(as) em turmas dos anos iniciais do Ensino Fundamental de uma Escola Estadual de Aracaju-SE. A disciplina Matemática, considerada uma das mais importantes para o desenvolvimento cognitivo e social do sujeito, ainda requer mudanças significativas em seu ensino, principalmente com a inclusão de estudantes surdos(as) no contexto da sala de aula. Nessa conjuntura, partindo pelo viés da pesquisa de abordagem qualitativa, foi realizado um estudo de caso na escola estadual com maior quantitativo de surdos(as) inclusos(as) no estado de Sergipe. Os procedimentos realizados para coleta de dados foram: a) aplicação de questionário a três professoras que ensinam Matemática a estudantes surdos(as) dos anos iniciais do Ensino Fundamental, dessa escola; b) observação da prática docente de uma das turmas do 4º ano do Ensino Fundamental, participante desta investigação; c) entrevista com a docente da turma escolhida; d) proposta de atividades lúdicas para o ensino de Matemática a estudantes surdos(as). Os resultados indicam que o processo inclusivo ainda se encontra em passos vagarosos, necessitando de profissionais qualificados e materiais didático-pedagógicos adequados às singularidades discentes. No que concerne a LudoMatemática na educação de estudantes surdos(as) propicia aulas mais dinâmicas, convidativas e prazerosas; todavia, o planejamento e (re)conhecimento da língua desse sujeito, são fatores imprescindíveis a aprendizagem matemática.

  • DRIANE ANNE SILVA DE SANTANA
  • CAPACIDADES DE PENSAMENTO CRÍTICO: CONSTRUÇÃO E VALIDAÇÃO DE UM INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO
  • Orientador : EDSON JOSE WARTHA
  • Data: 27/02/2019
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O desenvolvimento de capacidades de pensamento crítico tem sido evidenciado em diferentes documentos oficiais no ensino de ciências da natureza. Esta pesquisa é de natureza exploratória-descritiva com uma abordagem multimétodos que teve como objetivo construir e validar um instrumento para avaliar capacidades de pensamento crítico em estudantes de química do Ensino Médio. A construção dos itens baseou-se no Cornell Critical Thinking Test - Level X (Teste pensamento crítico de Cornell-Nível X) e do referencial teórico de pensamento crítico de Ennis (1985). O instrumento ficou composto por 20 itens, agrupados em cinco domínios ou áreas de capacidade de pensamento crítico: indução, dedução, observação, credibilidade e assunções. O teste de pensamento crítico (TPC) passou por duas validações, uma externa (estudantes e juízes especialistas) e outra interna (análise fatorial e consistência interna). Nesse processo complexo de validação, o TPC foi administrado duas vezes (versão piloto e coletiva) utilizado para avaliar a desenvolvimento de capacidades de pensamento crítico em uma amostra total de 372 estudantes de química da primeira e terceira série do Ensino Médio de Aracaju-Sergipe. A consistência interna dos domínios estimada pelo alfa de Cronbach variou de 0,527 na versão piloto para 0,546 quando administrado coletivamente. A análise fatorial confirmou o modelo conceitual e os domínios propostos, porém mostrou a necessidade de alocar alguns itens entre os domínios. O teste indicou que na amostra de estudantes que participaram da pesquisa há manifestações de capacidades de pensamento crítico, principalmente nas áreas de credibilidade e observação. Os resultados das análises estatísticas mostraram que construir e validar o TCP, este é um processo complexo que necessita da compreensão de quem analisam além de que o instrumento mostra ser adequado, mas que deve ser reformulado e ser acrescentado mais itens.

  • ÉRICA LIMA SANTOS QUEIROZ
  • Significados e atribuições estabelecidos por licenciandos de Biologia sobre Educação CTSA a partir de uma questão sociocientífica sobre déficit de polinização
  • Orientador : ERIVANILDO LOPES DA SILVA
  • Data: 26/02/2019
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • No contexto da formação de professores, geralmente, há uma série de desafios a serem superados no que diz respeito à educação Ciência, Tecnologia, Sociedade e Ambiente (CTSA). Nesse sentido, a educação baseada em Questões Sociocientíficas (QSC) busca alinhar-se à educação CTSA com vistas a minimizar algumas dessas dificuldades, bem como minimizar as práticas de ensino transmissivas, que pouco contribuem para a formação de cidadãos críticos e participativos. No que tange aos objetivos da educação CTSA com base em QSC na educação em ciências, podemos organizar em dois são eles: (i) formação para o exercício da cidadania através do desenvolvimento do senso crítico e, (ii) tomada de decisão socioambientalmente responsável e ações sociopolíticas voltadas à maior justiça social e sustentabilidade ambiental. No entanto, entendemos que, para isso, é essencial reconhecer relações entre os domínios CTSA de QSC. O trabalho objetivou “investigar posicionamentos e conhecimentos mobilizados por estudantes de biologia na resolução de uma QSC sobre déficit de polinização, assim como as concepções desses estudantes sobre a educação CTSA e o uso de QSC na educação em ciências”. Para atingir tais propósitos, desenvolvemos uma pesquisa qualitativa na abordagem de estudo de caso. A coleta de dados ocorreu por meio de atividades desenvolvidas em grupos com 18 alunos que colaboram com a pesquisa (um trio e 3 grupos de 5 alunos) durante uma intervenção na disciplina de Estágio Supervisionado em Ensino de Ciências I. Os dados foram coletados por meio de registros documentais das atividade desenvolvidas, gravações em áudio das discussões dessas atividades realizadas, e entrevista com um integrante de cada grupo, o que corresponde a 22% dos participantes. A análise dos dados se deu através de adaptações da análise do conteúdo de Bardin e parâmetros propostos por Herreid para construção de casos. Os resultados foram discutidos à luz dos referenciais teóricos e os mesmos indicam a necessidade de se discutir com maior frequência sobre as relações CTSA na formação inicial docente de modo a favorecer futuras práticas envolvendo educação CTSA baseadas em QSC no contexto escolar, sobretudo no que tange a estudo de casos.

  • JOEDNA VIEIRA BARRETO
  • Jogo simulador de papéis como estratégia mobilizadora das capacidades do Pensamento Crítico
  • Orientador : ERIVANILDO LOPES DA SILVA
  • Data: 25/02/2019
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho apresenta para discussão resultados de um projeto de pesquisa que versou sobre a abordagem do Jogo simulador de papéis, o Live Action, sendo este pensado como estratégia de ensino na perspectiva do desenvolvimento de capacidades de Pensamento Crítico. No âmbito da pesquisa, o objetivo foi investigar as possíveis capacidades do Pensamento Crítico mobilizadas em estudantes que passaram pela abordagem do jogo simulador de papéis. O tema do Live Action, carboidratos, foi problematizado por meio do uso de uma Questão Sócio Científica (QSC) que emergiu da interação pesquisadora e professor de química da Escola Básica. Do ponto de vista metodológico, o material baseou-se nos três momentos pedagógicos, a problematização, organização do conhecimento e aplicação do conhecimento. O material sofreu um processo de validação que consistiu em estabelecer um grau de concordância sobre as capacidades intencionalmente expressas no Live Action. A validação foi estabelecida em quatro etapas até a implementação do material no contexto de sala de aula para averiguar se as capacidades expressas estavam condizentes com as atribuições de acordo com o grau de concordância entre os especialistas. A implementação ocorreu através das ações formativas que fazem parte do Programa de Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID), nas quais envolvem trabalhos com o objetivo de expressar as capacidades do Pensamento Crítico nos alunos. A abordagem do material didático aconteceu em três turmas de 2º ano do Ensino Médio de uma escola pública do estado de Sergipe. Nessa configuração, a pesquisa teve natureza qualitativa do tipo estudo de caso, sendo a coleta de dados por meio de registros em gravação audiovisual e questionários. O tratamento dos dados obtidos ocorreu a partir do método de análise de conteúdo segundo Bardin (2011). A construção das categorias foram elaboradas a posteriori, baseadas nas capacidades de Pensamento Crítico. Tais categorias são: 1) Analisar argumentos; 2) Avaliar a confiabilidade das fontes; 3) Juízo de valor; 4) Identificar assunções e 5) Decidir sobre uma ação. Como resultados da intervenção do material implementado na sala de aula observou-se que os alunos mobilizaram as capacidades do Pensamento Crítico expressas no material, como por exemplo, analisar argumentos, averiguar a confiabilidade de fontes distintas, fazer ou responder questões, assim como não houve um número significativo de outras capacidades, resultando na não mobilização. As capacidades mobilizadas na implementação do material foram capacidade 2. Analisar argumentos; capacidade 4. Avaliar a confiabilidade de um fonte; capacidade 8. Fazer e avaliar juízos de valores; capacidade 10. Identificar assunções; e capacidade 11. Decidir sobre uma ação. Desse modo, o Jogo simulador de papéis contribuiu para a mobilização das capacidades do Pensamento Crítico. Por fim, fazemos uma reflexão no qual concluímos que este material tem que ser implementado mais vezes, para podemos minimizar algumas incoerências e dar mais robusteza em seus resultados.

  • ROBERTO CARLOS DELMAS DA SILVA
  • REALIDADE AUMENTADA COMO INTERFACE PARA A APRENDIZAGEM DE POLIEDROS DO TIPO PRISMAS
  • Orientador : CARLOS ALBERTO DE VASCONCELOS
  • Data: 22/02/2019
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O presente estudo tem como objetivo compreender a utilização da Realidade Aumentada (RA) na aprendizagem de poliedros do tipo prismas. Foi desenvolvido com 32 discentes de uma Instituição Pública de Ensino, localizada em Aracaju-SE. Para alcançar o objetivo proposto, buscou-se: desenvolver uma sequência didática com discentes do 2º ano do Ensino Médio; aplicar um software de Realidade Aumentada a partir de dispositivos móveis; avaliar a aprendizagem em poliedros prismas com a Realidade Aumentada; e mensurar tecnicamente o aplicativo Geometry-AR. Metodologicamente temos uma abordagem qualitativa, com delineamento no estudo de caso, na qual os dados foram coletados através das técnicas de observação participante, questionários e desenvolvimento de uma sequência didática, além de um teste de usabilidade de software com os alunos. Para tanto, construiu-se um referencial teórico que teve como suporte os estudos de Papert (2008), de Belloni (2010), Biaconchini e Valente (2011), Borba (2012), Bairral (2009), Tori (2010), dentre outros que fundamentam o uso das TIC como suporte à aprendizagem, e em específico ao aprendizado da matemática. Os resultados desta pesquisa revelaram que: ainda são poucos os estudos que tratam da RA como recurso para o aprendizado de conteúdos de matemática; um grande percentual de alunos do 2º ano do Ensino Médio nunca tinham estudado conceitos elementares da geometria espacial; atividades experimentais despertam um maior interesse nos discentes para o estudo da geometria; uma parte considerável dos alunos considerou relevante a utilização do aplicativo de RA para aprendizagem dos prismas, bem como o uso das TIC em outras disciplinas do currículo escolar.

  • SUELAINE DOS SANTOS SOUZA
  • Contribuições da Inserção de Atividades Investigativas em atividades de sala de aula baseadas na Abordagem Contextual
  • Orientador : ERIVANILDO LOPES DA SILVA
  • Data: 21/02/2019
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A utilização de Atividades Investigativas (AI) no ensino de Ciências visa facilitar a compreensão do conhecimento científico. A perspectiva de ensino com base na investigação permite que o ensino seja voltado para o desenvolvimento de habilidades cognitivas nos alunos, para a realização de procedimentos como elaboração de hipóteses, análise de dados e o desenvolvimento da capacidade de argumentação. Além disso, a AI possibilita o aprimoramento do raciocínio e permite a cooperação entre os alunos, possibilitando a compreensão da natureza do trabalho científico. Dessa forma, o ensino de Ciências voltado à realização de AI permite que os discentes possam atuar ativamente no processo de construção da sua aprendizagem. Além do uso de AI, ressaltamos a importância da inserção da História da Ciência no ensino de Ciências, uma vez que o estudo de episódios históricos nos leva a compreender as inter-relações existentes entre ciência, tecnologia e sociedade, bem como, mostra que os conhecimentos científicos não estão isolados do contexto socioeconômico, histórico, cultural e político, mas sofrem influências de vários aspectos existentes na sociedade. Logo, este trabalho tem por objetivo investigar qual(ais) o(s) aspecto(s) da natureza da ciência que podem ser alcançados em atividade investigativa com inserção de Abordagem Contextual. Para atingir esse objetivo, foi desenvolvida e aplicada uma intervenção didática através da aplicação de uma oficina temática em duas turmas distintas de duas escolas da Grande Aracaju. Destacamos que a intervenção didática foi realizada no âmbito das atividades do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID) por meio de alunos de formação inicial do curso de Química Licenciatura e, a pesquisadora apenas participou das atividades como pesquisador-observador. Os sujeitos da pesquisa foram alunos da educação básica da rede pública de ensino e os dados foram coletados por meio de gravação audiovisual, questionários e anotações de campo feitas pela pesquisadora. Os dados analisados teve um tratamento qualitativo baseado na análise de conteúdo. E a partir da análise realizada inicialmente, percebemos que a construção e a aplicação da oficina temática por meio da inserção de atividades investigativas na abordagem contextual alcançaram o Grau II de interação entre professor e aluno. Ainda constatamos alguns aspectos da natureza da ciência e do método científico no desenvolvimento das AIs, como proposição de uma situação-problema, elaboração de hipótese, estratégias para resolução do problema, registro dos dados coletados e conclusão da problemática. Também ficou evidente o desenvolvimento de competências atitudinais, na qual o aluno é levado a pensar e refletir, raciocinar, fazer o uso da argumentação e proposição de ideias, além de interagir com o professor e com os colegas. Logo, as atividades investigativas contribuem para melhor compreensão da construção do conhecimento científico dos alunos e estas alcançam um maior nível de entendimento da natureza da Ciência no ensino de Ciências quando atreladas a História da Ciência.

  • RENATA SUELLEN BOMFIM SOUZA
  • Possíveis contribuições de Atividades Investigativas para o desenvolvimento de capacidades do Pensamento Crítico
  • Orientador : ERIVANILDO LOPES DA SILVA
  • Data: 20/02/2019
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Uma atividade investigativa (AI) é uma abordagem baseada na resolução de problemas, possibilitando que os alunos se envolvam na construção do conhecimento. Diversos autores defendem o uso das AI para o desenvolvimento da formação crítica de indivíduos, ou seja, desenvolver pensamento crítico. Contudo, como garantir que uma abordagem investigativa irá atender a estes objetivos? É necessário considerar fatores relacionados as AI que influenciam e potencializam sua abordagem e que remetam a construção de conhecimentos aliado ao aprimoramento de atitudes e valores, essenciais na formação crítica dos estudantes, direcionado pela mobilização de aspectos do pensamento crítico na educação científica. Logo, o objetivo principal desta pesquisa será o de investigar quais as capacidades do Pensamento Crítico as Atividades Investigativas podem recorrer para a construção de conhecimentos, atitudes e valores numa perspectiva investigativa, abordada em uma oficina temática, atividade característica do PIBID, que defende no ensino de Ciências a promoção de competências e habilidades. Tendo esse contexto, com base em fundamentos teóricos das AI e da Teoria do Pensamento Crítico (PC) no ensino, propomos nesta dissertação, uma investigação sobre potenciais capacidades do PC manifestadas em estudantes que passam por abordagens AI. Como forma de relacionar AI e PC nessas abordagens, na forma de um primeiro artigo, buscamos em documentos oficiais que regem o ensino de Química no Brasil sobre competências e habilidades tecer possíveis relações com capacidades do PC potencialmente manifestadas em estudantes. Sendo assim, a presente pesquisa inicialmente apresenta um possível alinhamento entre capacidades do PC com competências e habilidades em documentos oficiais, como os Parâmetros Curriculares, visto que, os documentos oficiais brasileiros pregam a promoção de competências no âmbito do ensino de Ciências como meio de formação do aluno crítico, dessa forma, podemos fazer uma aproximação das competências às capacidades do PC. No segundo momento, há uma investigação a ser discutida por um segundo artigo, que discutirá os dados coletados por meio de aplicações de AI, a fim de verificar se houve manifestação de capacidades do PC na prática de sala de aula. Na análise documental realizada inicialmente, percebe-se que as competências propostas pelos PCN+ propiciam principalmente a manifestação de capacidades elementares do PC, indicando que o ensino brasileiro está focado no desenvolvimento de capacidades básicas na formação crítica de indivíduos, seguindo o raciocínio do referencial adotado. A coleta de dados ocorreu em quatro turmas distintas e será respaldada pelo referencial teórico de Análise de Conteúdo (Bardin), para investigar as ideias dos alunos e verificar se houve a manifestação de capacidades do PC propostas pela AI, esperando identificar uma perspectiva de entrelaçamento entre as capacidades do PC e competências e habilidades ligadas as AI, pelo menos no que tange a prática em sala de aula, proporcionando ainda uma reflexão sobre as ações do PIBID.

  • FABIANE BRANDÃO NOGUEIRA
  • PERFIL TEÓRICO/METODOLÓGICO DO DESENVOLVIMENTO DE SEQUÊNCIAS DIDÁTICAS PARA O ENSINO DE QUÍMICA DESCRITAS EM PRODUÇÕES ACADÊMICAS DA REGIÃO NORDESTE
  • Orientador : DIVANIZIA DO NASCIMENTO SOUZA
  • Data: 12/02/2019
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Na educação básica, considerando as dificuldades enfrentadas pelos professores e estudantes da disciplina de Química, faz-se cada vez mais necessário que os professores apliquem na sala de aula atividades de ensino inovadoras, que levem os estudantes a evoluírem nos conceitos relativos aos conteúdos curriculares e em suas habilidades e atitudes. Para isso, é importante que os professores planejem as atividades a fim de instruir os estudantes da maneira adequada, para que esses possam alcançar os objetivos propostos no planejamento das disciplinas (Carvalho e Perez, 2001). Nessa perspectiva, o interesse pelo desenvolvimento e difusão de Sequências Didáticas (SD) no Ensino de Química têm crescido significativamente em todo o Brasil. Com o objetivo de pesquisar sobre o avanço desta tendência didática no Nordeste do Brasil e traçar um perfil metodológico dessas Sequências Didáticas, neste estudo foram analisadas 18 dissertações de mestrado e duas teses de doutorado que possuem esta temática como foco. Esses trabalhos foram defendidos em Programas de Pós-Graduação em Ensino de Ciências e Matemática no período entre 2000 e 2017. Com esta pesquisa, busca-se também contribuir para a elaboração de outras SD na área de Química, otimizar o tempo de elaboração delas e divulgar os temas já abordados naquelas publicadas. O levantamento desses documentos foi realizado via Banco de Dados de Teses e Dissertações (BDTD) e repositórios de documentos eletrônicos das universidades do Nordeste. Os descritores utilizados foram: Sequência Didática; Química; e Sequência de Ensino Aprendizagem. A metodologia da pesquisa está ancorada na pesquisa bibliográfica, de natureza exploratória. As Sequências Didáticas foram agrupadas a partir das respectivas fundamentações teóricas/metodológicas apresentadas nos documentos analisados. Considerando-se os dados obtidos, pôde-se constatar que há uma quantidade significativa de experimentos introduzidos como parte das atividades das SD; outro destaque da pesquisa é dado ao fato de que em poucas foi apresentada fundamentação teórica pautada nos autores mais consagrados na área de elaboração e validação de SD. Sendo assim, muitas não são validadas ou pelo menos não o são da maneira que os autores da área orientam e que neste trabalho foi considerado como método mais completo. Esta forma de elaboração e validação pode fragilizar tanto o processo de ensino e aprendizagem proposto nas intervenções, como na potencialidade de uma Sequência Didática.

  • FÁBIO HENRIQUE GONÇALVES CONCEIÇÃO
  • ESTRATÉGIAS DE LEITURA E SEUS EFEITOS NA APRENDIZAGEM SOBRE O TEOREMA TALES DE MILETO: UM ESTUDO COM ALUNOS DA REDE PÚBLICA ESTADUAL DE SERGIPE
  • Orientador : DENIZE DA SILVA SOUZA
  • Data: 07/02/2019
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Autores como Kleiman (2012) e Solé (1998) afirmam que as estratégias de leitura são procedimentos necessários para a compreensão de um texto. Texto esse que pode estar escrito na linguagem matemática. Ao levar em consideração esse fato e a relevância de apresentar pesquisas cujos resultados possibilitem melhorias para o processo de aprendizagem matemática dos sujeitos, desenvolvemos este estudo, nos propondo investigar acerca dos efeitos das estratégias de leitura na aprendizagem sobre o teorema de Tales de Mileto. Esse objetivo surgiu a partir da seguinte questão: Quais os efeitos quanto ao uso das estratégias de leitura na aprendizagem sobre o teorema de Tales de Mileto de alunos do 9º ano do ensino fundamental matriculados na rede pública estadual de ensino em Aracaju-SE? Para concretizarmos a finalidade deste estudo, desenvolvemos uma investigação que, em seus aspectos metodológicos, configurou-se como pesquisa qualitativa, epistemologicamente, fundamentada nos estudos de Piaget (1977, 1978), Solé (1998), Charlot (2000, 2005, 2013), dentre outros. Quanto aos procedimentos, foi adotada a pesquisa de campo, cuja natureza é exploratória e descritiva analítica. Como campo de investigação, foram escolhidas duas escolas da rede pública estadual de Sergipe, localizadas em Aracaju-SE, contando com a participação de 14 alunos matriculados em turmas do 9º ano do ensino fundamental nessas escolas, como sujeitos da pesquisa. Para tanto, adotamos como critério que os respectivos responsáveis desses alunos autorizassem a participação, de modo que cada um, ao participar, realizasse todas as atividades desenvolvidas durante os encontros. Para obter os dados, realizamos três etapas, sendo a primeira e última com aplicação de: uma adaptação ao balanço do saber, atividade diagnóstica e entrevista. A segunda etapa foi um processo de intervenção, pelo qual foi possível constatar que, de modo geral, as estratégias de leitura contribuem para desenvolver no aluno, habilidades necessárias para aprender a aprender. Os resultados também apontam que o trabalho docente com as estratégias de leitura em atividades sobre o teorema de Tales de Mileto, possibilita alunos demonstrarem um sentido de aprender, saber fazer e compreender o que está aprendendo. Além disso, observamos que as estratégias de leitura interferiram na tomada de consciência dos alunos para resolverem problemas acerca do referido teorema; bem como, houve mobilização, por parte dos investigados, para resolver as atividades com procedimentos eficazes. Isso pelo fato de ter ocorrido uma ruptura com a memorização de procedimentos tão marcante nos discursos iniciais desses alunos. Os resultados alçados neste estudo também indicam que as estratégias de leitura podem ser utilizadas como elemento favorável à aprendizagem matemática, em particular nesta pesquisa, quanto ao teorema de Tales de Mileto.

  • MANOEL MESSIAS SANTOS ALVES
  • VULNERABILIDADE ÀS IST/AIDS: desenvolvimento e validação de um instrumento de avaliação inspirado nas questões sociocientificas.
  • Orientador : ALICE ALEXANDRE PAGAN
  • Data: 05/02/2019
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • As novas perspectivas dos processos de ensino e aprendizagem têm apontado a necessidade de construir instrumentos de avaliação escolar que contemplem, além do desenvolvimento de habilidades e competências cognitivas, sobretudo as esferas afetivas e comportamentais. Nesse sentido, buscamos discutir sobre as Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST) numa abordagem socioecológica da saúde, tendo em vista sua relevância para a emancipação dos alunos atuantes no contexto sociopolítico e ecológico do qual fazem parte, bem como suas relações com a educação em Ciência, Tecnologia, Sociedade e Ambiente (CTSA). Diante disso, esta pesquisa tem comoobjetivo geral analisar um instrumento de avaliação escolar envolvendo aspectos conceituais, procedimentais e atitudinais sobre a relação qualidade de vida e vulnerabilidade às IST/AIDS em ciências, para alunos do ensino médio. Assim, reconhecendo a importância de considerar o desempenho dos alunos como um indicativo da qualidade da educação, o instrumento de avaliação foi desenvolvido a partir de uma tentativa de aproximação com algumas características das questões sociocientíficas (QSC), como a dimensão política, apresentação de controvérsias, tomada de decisões com base em valores éticos, políticos e/ou morais e abordagem de conteúdos nas dimensões conceituais, procedimentais e atitudinais. Com efeito, para que um instrumento de coleta de dados possibilite documentar informações de maneira objetiva e sistemática é imprescindível que o mesmo seja desenvolvido com qualidade, por esse motivo, o questionário foi submetido a processos de validação. Optamos neste estudo realizar a validação de conteúdo, na qual contamos com a colaboração de um painel de especialistas, formado por uma equipe multiprofissional de educadores, pesquisadores e profissionais da saúde para avaliar o o instrumento e garantir assim, maior qualidade, credibilidade e precisão da mensuração dos critérios mensurados. Além dessa etapa, foi realizada também uma avaliação semântica do questionário com uma amostra de oito alunos representantes dos sujeitos da pesquisa, e após as adequações necessárias realizamos um teste piloto com quatro turmas do 3º ano do ensino médio, de escolas estaduais de Aracaju, e os dados produzidos nessas etapas foram processados e analisados estatisticamente com a utilização do software Statistical Package for Social Science (SPSS). Assim, o desenvolvimento e validação do instrumento de avaliação escolar proposto neste estudo corresponde a um importante produto tecnológico para o desempenho escolar de atitudes, sem a intenção de testar exclusivamente os conteúdos conceituais dos alunos sobre os temas abordados, visto que foi possível estabelecer uma reflexão dos dados obtidos com outros elementos não cognitivos da aprendizagem, podendo ser utilizado em diferentes contextos, conforme aprimoramento ou adequação à outras realidades.

  • MARACY ALVES SILVA
  • Dimensões da sexualidade humana: uma análise de livros didáticos de Ciências
  • Orientador : YZILA LIZIANE FARIAS MAIA DE ARAUJO
  • Data: 01/02/2019
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Os primeiros livros didáticos produzidos no Brasil datam do século XIX e eram fornecidos para as escolas de elite brasileiras. Eram livros traduzidos, que substituíam materiais importados e de alto custo. Já no século XX, a década de 1930 é marcada por transformações inclusive na área da educação. Os primeiros livros didáticos produzidos no Brasil datam do século XIX e eram fornecidos para as escolas de elite brasileiras. Eram livros traduzidos, que substituíam materiais importados e de alto custo. Já no século XX, a década de 1930 é marcada por transformações inclusive na área da educação. Dessa forma, como afirma Choppin (2004), as pesquisas sobreo livro didático em suas diversas vertentes despertaram o interesse de vários pesquisadores onde as pesquisas tiveram um aumento entre os anos de 1990 e 2000. A pesquisa teve caráter qualitativo e documental e baseou-se em critérios de análise indicados pelo PNLD sobre o tema Sexualidade.

  • DAGMAR BRAGA DE OLIVEIRA
  • CONSTRUINDO E VALIDANDO UM INSTRUMENTO PARA AVALIAR ATITUDES NO ENSINO DE CIÊNCIAS
  • Orientador : EDSON JOSE WARTHA
  • Data: 28/01/2019
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Considerando que o ensino de ciências deva proporcionar aos estudantes conhecimentos conceituais, procedimentais e atitudinais de modo a desenvolverem capacidades necessárias para se orientarem em uma sociedade complexa, compreendendo o que se passa à sua volta e tomarem decisões de vida, é necessário mensurar também os conteúdos atitudinais na Educação Básica. Perante esses pressupostos, este estudo teve como objetivo construir e validar um teste de desempenho escolar em ciências na perspectiva de mensurar o desenvolvimento de atitudes com estudantes nas séries iniciais e finais do Ensino Fundamental. Foram construídos 10 itens para o teste de desempenho, usando como base diferentes atitudes perante questões sociocientíficas. O teste passou por duas validações, uma externa (estudantes e juízes especialistas) e outra interna (análise fatorial e consistência interna). O teste foi administrado para uma amostra de 490 estudantes dos estados de Sergipe e do Piauí. Os resultados das análises estatísticas indicam que os itens construídos para o teste não apresentam consistência interna e confiabilidade satisfatória para serem usados como instrumento de avaliação para mensurar atitudes da forma como se encontram.

  • ERICA COSTA ALVES
  • TECNOLOGIA SOCIAL NA ESCOLA: ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL E USO DO FOGÃO SOLAR
  • Orientador : YZILA LIZIANE FARIAS MAIA DE ARAUJO
  • Data: 24/01/2019
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O objetivo deste trabalho foi analisar a promoção da “Tecnologia Social” na escola através da construção e uso de um fogão solar, favorecendo a sensibilização para práticas sustentáveis e divulgando o reaproveitamento de alimentos. O uso do fogão solar na escola, além de possibilitar metodologias para desenvolver conteúdos didáticos, revela uma forma como a “Tecnologia Social” pode ser utilizada. Inicialmente foi investigado a situação alimentar dos alunos e caraterísticas da merenda escolar em um colégio público do estado de Sergipe. Posteriormente foram desenvolvidas oficinas que possibilitavam a reflexão sobre alimentação saudável, reaproveitamento de alimentos e práticas sustentáveis com o uso do fogão solar através de produção de farinha da casca de ovo e da casca de banana. O uso do fogão solar possibilita o desenvolvimento sustentável, sua utilização reflete o trabalho com “Tecnologia Social”, além de promover, uma aproximação da teoria com a prática, ampliando os conhecimentos do aluno.

2018
Descrição
  • JOSÉ ELYTON BATISTA DOS SANTOS
  • DO PÓ DE GIZ AOS BITS: CARTOGRAFANDO OS PROCESSOS DE ADESÃO E INSERÇÃO DO COMPUTADOR INTERATIVO NO ENSINO DE MATEMÁTICA
  • Orientador : CARLOS ALBERTO DE VASCONCELOS
  • Data: 13/12/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Os espaços escolares estão evidentemente marcados pela transição do mundo dos átomos aos bits. Enquanto este ciclo não se completa, atualmente vivencia-se em um universo bidimensional e as tecnologias seguem ressignificando gradativamente a prática pedagógica do professor. Tendo em vista as processualidades transformativas, este trabalho tem como objetivo geral investigar os processos de adesão e inserção do computador interativo com lousa digital no ensino de Matemática, em especial, da rede municipal de ensino de Coruripe-Alagoas. Trata-se de uma pesquisa qualitativa e delimitada no método cartográfico, pelo fato de estudar os fenômenos processuais e subjetivos que emergem nos diversos espaços sociais. A pesquisa realizou-se tendo como técnicas de coleta de dados as entrevistas semiestruturadas, o diário de campo, planos de aulas e observação participante. O aporte teórico-metodológico baseia-se principalmente em: Deleuze e Guattari (1995), Kastrup e Passos (2016), Brasil (2012, 2016, 2017c), Kalinke e Almouloud (2013), Bittar (2010), e Divieso (2017). Como cartógrafo/pesquisador os caminhos foram flexivelmente traçados e direcionaram-se aos protagonistas deste trabalho, ou seja, 3 técnicos e 6 professores de Matemática. Os resultados demonstram que o trabalho colaborativo entre professores, gestores e coordenadores são essenciais no êxito de ações, transformações e integração das tecnologias no âmbito escolar. Em relação ao ensino de Matemática, notou-se que o computador interativo está sendo inserido na sala de aula de forma limitada, não fazendo uso de todas as suas funcionalidades: computador, projetor e lousa digital interativa. Tal fato resulta somente no uso do computador e projetor. Os professores expressam que sua prática pedagógica está inserida em um mundo bidimensional, contudo a falta de formação direcionada especificamente ao professor ocasionou impasse como detectado. Também percebeu-se que os professores fazem uso de atividades dinâmicas, atrativas, com sons, imagens, vídeos, quizzes e games para estabelecerem entre si uma multiplicidade de modos de subjetivação.

  • BRUNO MENESES RODRIGUES
  • INTERFACES INTERATIVAS NOS PROCESSOS COMUNICACIONAIS DE ENSINO-APRENDIZAGEM EM QUÍMICA
  • Orientador : CARLOS ALBERTO DE VASCONCELOS
  • Data: 12/12/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Na cibercultura, as práticas educativas encontram na internet e na web 2.0 um espaço profícuo para produzir e compartilhar informações e conteúdos. A unidirecionalidade conferida às mídias de massa, sede lugar para a multidirecionalidade em rede, reconfigurando a lógica do sistema de comunicação. Na Educação a Distância (EaD), as múltiplas interfaces interativas disponíveis na rede, a exemplo de e-mail, fórum, chat, whatsapp e ambiente virtual de aprendizagem (AVA), propiciam a interação e interatividade dos sujeitos, condições fundamentais para um processo comunicacional dialógico com uso das Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC). Nesta perspectiva, este estudo tem como objetivo geral: investigar como o uso de interfaces interativas por professores, tutores e alunos do curso de Química EaD pode contribuir para o processo de ensino-aprendizagem. O referencial teórico é apoiado principalmente nos estudos de Primo (2005, 2011), no que tange as interações mútua e reativa, Silva (2010, 2012), sobre interatividade e seus binômios: participação-intervenção, bidirecionalidade-hibridação e potencialidade-permutabilidade, Mattar (2012) que discute os tipos de interações entre os sujeitos, Leite (2011, 2015) e Vasconcelos (2015, 2017) sobre uso pedagógico das interfaces interativas, entre outros. Trata-se de uma pesquisa com abordagem qualitativa e estudo de caso. Os dados foram coletados por meio de questionário e entrevista, além da consulta ao projeto pedagógico do curso e outros documentos. Os resultados evidenciam que: o projeto pedagógico dá pouca ênfase às interações que podem ser estabelecidas entre os sujeitos com uso das TIC, porém, os planejamentos das disciplinas sugerem o uso de diferentes interfaces; AVA e whatsapp se destacam como interfaces mais utilizadas no curso, sendo este último, característico de aprendizagem com mobilidade ubíqua; são poucas as interfaces incorporadas ao ambiente virtual e com utilização limitada; há indícios de que ocorre interação mútua entre os sujeitos e de relações fundamentadas nos binômios da interatividade; as relações estabelecidas entre professores, tutores e alunos vão ao encontro do que se espera para essa modalidade de educação, pois reconhecem a necessidade de contemplar a cibercultura no processo de ensino-aprendizagem.

  • MAYARA TAVARES DE ALMEIDA
  • Argumentação e raciocínio moral em discussões sociocientíficas na formação de professores de ciências: o exemplo da eutanásia
  • Orientador : MARCIO ANDREI GUIMARAES
  • Data: 26/10/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O objetivo dessa pesquisa foi identificar a extensão das habilidades argumentativas e estabelecer a possível presença de níveis de raciocínio moral nos argumentos produzidos por professores de ciências em formação, a respeito da questão sociocientífica (QSC) Eutanásia. Umas das maneiras de trabalhar argumentação e questões morais no ensino de ciências é por meio das questões sociocientíficas. As questões sociocientíficas são caracterizadas por temas controversos, geradores de discussões que envolvem valores, raciocínio moral e tomada de decisão. Para a realização dessa proposta de trabalho, utilizei o grupo focal como método de coleta de dados. O grupo focal se mostrou adequado para esta pesquisa, já que busquei analisar as falas que emergiam durante a discussão entre os participantes. Esses grupos foram realizados em um curso de extensão ofertado para licenciandos de química, física e biologia do Campus Professor Alberto Carvalho na Universidade Federal de Sergipe. Os registros dos dados foram feitos por meio de gravações de vídeo e áudio e em seguida, foram transcritos para sua análise. Para análise dos dados, em um primeiro momento utilizei a abordagem metodológica argumentativa de Toulmin, para construir os layouts argumentativos de cada participante da pesquisa. Em um segundo momento, cada um desses layouts foi analisado segundo a taxonomia de raciocínio moral de Kohlberg. Como resultados verifiquei que de maneira geral que os professores de ciências em formação são capazes de construir argumentos, e que os níveis de raciocínio moral nos mostram que poucas pessoas se baseiam em leis para formar seus raciocínios morais no processo de tomada de decisão a respeito da realização da eutanásia. Sobre a abordagem de questões sociocientíficas constatei que essas possuem um potencial considerável para o desenvolvimento em torno da tomada de decisão e o aumento da criticidade dos alunos a respeito de temas que permeiam o cenário social.

  • AGNES GARDÊNIA PASSOS BISPO
  • CONTEXTUALIZAÇÃO, ESCOLA QUILOMBOLA, RELAÇÕES ETNICO-RACIAIS: APROXIMAÇÕES E DISTANCIAMENTO NO LIVRO DIDÁTICO DE CIÊNCIAS
  • Orientador : EDINÉIA TAVARES LOPES
  • Data: 04/07/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O presente estudo tem como objetivo compreender as aproximações e os distanciamentos identificados entre a proposta de contextualização do Livro Didático de Ciências da Natureza, do 6º. Ano do Ensino Fundamental, utilizada em uma escola localizada em território quilombola sergipano, e o exposto nas Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Escolar Quilombola(DCNEEQ). Essas diretrizes apontam a necessidade de se trabalhar temas que respeitem as especificidades dos alunos. A abordagem metodológica defendida neste estudo tem embasamento na pesquisa qualitativa. A análise partiu dos pressupostos teóricos Freire, da abordagem CTS e as orientações das DCNEEQ e das DCNERER. Foram analisados o Manual do Professor, as imagens de pessoas negras presentes no volume e a proposta de contextualização, considerando seus limites e possiblidades, aproximando essa problematizando do contexto escolar quilombola. Foram elaboradas cinco categorias de análise, quais sejam: relevância dos temas, abrangências dos temas, surgimento dos temas, disciplinas e/ou conhecimentos envolvidas/os e relação tema e conteúdo. Em síntese, contatamos que as imagens das pessoas negras adultas identificadas e analisadas neste trabalho, mesmo apresentando uma representação significativa da diversidade étnico-racial brasileira, ilustram trabalho de menos prestígio social. Por outro lado, as imagens de crianças negras demonstraram de forma adequada a diversidade brasileira, pois, além da quantidade significativa de imagens de crianças de diversas etnias, elas estavam representadas de forma igualitária em várias situações do cotidiano. Como possibilidades também apontamos a história de uma bióloga negra, que pode ser provocativa da reflexão sobre a contribuição dos cientistas negros e, particularmente, das mulheres negras para o desenvolvimento científico. Sobre a contextualização concluímos que a relevância e abrangência dos temas abordados tem como preocupação aspectos científicos e tecnológicos relacionando com as questões sociais. Não há proposta de relação com outras disciplinas. A discussão com as questões sociais restringe ao âmbito da disciplina. A relação tema e conteúdo é praticamente toda baseada no conhecimento universal. Na seção Fórum de Debates, há sugestões para que os alunos façam pesquisa sobre o tema e debatam o assunto a partir do acesso ao conhecimento científico escolar. Destaca-se nessa seção a presença marcante dos conteúdos atitudinais. Contudo, nenhuma das propostas de debates promove a inclusão dos conhecimentos e das identidades étnico-raciais dos estudantes. Assim, a ideia da Ciência como verdade única e absoluta perpassa todo o livro, tal qual a ideia de que é produzida por homens brancos. De maneira, semelhante, pela ausência da problematização das relações étnico-raciais, pode-se continuar difundindo a ideia de que em nosso país brancos, negros e indígenas vivem em situação de harmonia. Destaca-se ainda que a necessidade de que, mesmo sendo um livro de uso em todo o território nacional, é necessário que seja promovida a inserção das diversas culturas – e seus saberes e fazeres - que formam o povo. Por fim, como proposta de contextualização, propomos que o cotidiano seja ponto de partida e de chegada e a necessidade que, na elaboração dos conhecimentos científicos escolares, sejam construídas mais possibilidades para a reflexão sobre as diversas formas de produção dos conhecimentos pela humanidade.

  • SILVANA COSTA SANTA ROSA
  • A formação de professores indígenas em Ciências da Natureza, na região Norte do Brasil: algumas reflexões
  • Orientador : EDINÉIA TAVARES LOPES
  • Data: 08/06/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Na região Norte do Brasil existem atualmente oito cursos de graduação para formação inicial de professores indígenas, em instituições públicas federais, esses cursos ofertam, entre outras, a habilitação em Ciências da Natureza. Essa pesquisa tem como objetivo estudar a proposta formativa dos Projetos Pedagógicos de Curso das Licenciaturas Interculturais para formação de professores indígenas em Ciências da Natureza, na região Norte do Brasil, buscando dialogar como o que dizem alguns representantes do movimento de Educação Escolar Indígena brasileiro. A pesquisa tem abordagem qualitativa e foram utilizadas como instrumentos de coleta de dados, a análise documental e as entrevistas. Para a análise documental foram analisados os Projetos Pedagógicos de Curso das Licenciaturas Interculturais. As entrevistas foram realizadas com representantes do movimento de Educação Escolar Indígena brasileiro, como intelectuais indígenas e não indígenas; professores indígenas com formação intercultural na área de Ciências da Natureza e professores indígenas gestores da Educação Escolar Indígena na região Norte e no Ministério da Educação. Os resultados do levantamento das publicações nacionais apontam que até o momento são tímidas as publicações nacionais acerca da formação de professores indígenas para o ensino de Ciências da Natureza. A formação específica em Ciências da Natureza ainda é um campo novo, que se encontra em pouca evidência, com carência de estudos a nível nacional. Com o estudo e análise dos Projetos Pedagógicos de Curso observamos que esses contemplam muitos aspectos das Diretrizes, dos Referenciais Nacionais para a Formação de Professores Indígenas e das proposições dos representantes do movimento de Educação Escolar Indígena brasileiro, portanto, são projetos que vão ao encontro das perspectivas dos documentos oficiais assim como dos anseios dos povos indígenas e suas comunidades para a formação de professores indígenas. O estudo favorece uma visão ampliada da formação de professores indígenas em Ciências da Natureza da região norte do Brasil, além de registrar a partir dos próprios indígenas como deve ser feita essa formação, buscando, dessa forma, contribuir para a compreensão desse processo formativo.

  • JENNYFER ALVES ROCHA
  • A COMPREENSÃO DA NATUREZA DA CIÊNCIA A PARTIR DO EPISÓDIO DA DESCOBERTA DA RADIOATIVIDADE: CONTRIBUIÇÕES DE UMA SEQUÊNCIA DE ENSINO-APRENDIZAGEM.
  • Orientador : ADJANE DA COSTA TOURINHO E SILVA
  • Data: 28/03/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa teve por objetivo analisar o desenvolvimento de uma Sequência de Ensino-Aprendizagem elaborada na perspectiva da História e Filosofia da Ciência, verificando as suas contribuições para a percepção dos alunos sobre a Natureza da Ciência e elaboração conceitual em torno do tema radioatividade. A pesquisa foi desenvolvida com 26 alunos do 2º ano do Ensino Médio do Colégio de Aplicação, localizado no município de São Cristóvão, em Sergipe. Ela apresenta uma abordagem qualitativa e partiu da hipótese de que uma Sequência de Ensino-Aprendizagem construída a partir de uma Abordagem Contextual pode contribuir para a compreensão dos alunos acerca da Natureza da Ciência. Os dados foram coletados através de questionários e gravações em vídeo. Os dados obtidos por meio dos questionários foram submetidos a uma Análise Textual Discursiva (MORAES; GALIAZZI, 2006). Os dados oriundos das gravações em vídeos foram mapeados originando episódios da sala de aula, de acordo com a metodologia apresentada em Mortimer et al. (2007) e em Silva (2008). As sequências discursivas que compõem os episódios e as respostas apresentadas aos questionários foram caracterizadas considerando-se categorias emergentes que revelam a compreensão dos alunos acerca de aspectos relativos à Natureza da Ciência e aos conceitos envolvidos no tema radioatividade. A análise das interações desenvolvidas ao longo da SEA, bem como dos dados oriundos dos questionários, foram fundamentais para evidenciar a variedade de sentidos atribuídos pelos alunos aos termos descoberta, método científico e ciência. O investimento da professora/pesquisadora em fomentar as discussões em sala de aula, bem como as ferramentas mediadoras por ela empregadas favoreceram o avanço das concepções dos alunos rumo à ruptura de estereótipos sobre a Natureza da Ciência. Assim, percebeu-se que, em paralelo ao avanço conceitual relativo ao tema radioatividade, a SEA contribuiu positivamente para desestabilizar as concepções empirista, linear, neutra e masculina de ciência, possibilitando a percepção desta como resultado de uma comunidade de prática histórico e socialmente situada.

  • TERESINHA MARIA DOS SANTOS
  • O ALUNO COM SÍNDROME DE DOWN NAS AULAS DE MATEMÁTICA: DESAFIOS E PERSPECTIVAS
  • Orientador : VERONICA DOS REIS MARIANO SOUZA
  • Data: 28/03/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Esta pequisa teve como método um estudo de caso com abordagem qualitativa, cujo objetivo foi analisar a aprendizagem do Sistema de Numerção Decimal e Resolução de Problemas elementares da Matemática do dia a dia por uma aluno com Síndrome de Down, matriculado no primeiro ano do ensino fundamental de um colégio da rede particular de ensino na cidade de Aracaju. O estudo foi dividido nas seguintes etapas: levantamento bibliográfico, aplicação de entrevistas com professores e tutor legal da criança, além de 36 horas de observações e 80 horas de intervenções . O suporte teórico sobre a síndrome de Down foi elaborado a partir dos estudos de Siegfried Pueschel e José Salomão Schwartzan; as entrevistas, observações e intervenções basearam-se nos conceeeito de Heraldo Marelim Vianna e Marli Eliza D.A. de André. As atividades desenvolvidas nas intervenções form pautadas nas experiências de Constance Kamii, Leo Yokoyama e na teeoria de desenvolvimento mental de Jean Piaget. Foram consideradas as limitações cognitivas causadas pela trissomia no cromossomo 21, as quais podem interferir no processo de aprendizagem dos conteúdos matemáticos das pessoas com essa deficiência intelectual, por isso as atividades trabalhadas nas intervenções tentaram entender o desenvolvimento cognitivo do aluno, principalmente no procedimento de contagem e na associação de quantidade dos objetos ao número correspondente. Nessa perspectiva, foram utilizados materiais manipuláveis, maquina de calcular, jogos e a estrutura arquitetônica (escadaria) do colégio, com vistas a mobilizar o aluno no aprendizado dos saberes elementares da Matemática. A utilização dos materiais e recursos serviram de facilitadores na aproximação do aluno com os conteúdos matemáticos, como: quantificar e no procedimento de contagem. As dificuldades cognitivas da criança observada foram e estão sendo paulatinamente administradas, com avanços significantes diante das especificidades que são peculiares às pessoas com essa deficiências, a exemplo: concentração, contnuidade e finalzação das atividades. A sistematização das atividades, os materiais concretos associados às funções sociais da Matemática, a mediação da professora contribuíram para aumentar o nível cognitivo e facilitaram a compreensão do sistema de numeração decimal da criança com Síndrome de Down em questão. Os estudos sobre o tema não se esgotaram, inquestionável a necessidade de prosseguir com a pesquisa, que poderá nortear as atividades das pessoas com SD no processo de desenvolvimento a aprendizagem dos saberes matemáticos.

  • JOSIANE CORDEIRO DE SOUSA SANTOS
  • FORMAÇÃO CONTINUADA DO PROFESSOR DE MATEMÁTICA: contribuições das Tecnologias da Informação e Comunicação para Prática Pedagógica
  • Orientador : CARLOS ALBERTO DE VASCONCELOS
  • Data: 27/03/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A presente pesquisa teve como objetivo investigar a prática pedagógica do professor de Matemática e o uso das Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC), a partir de pressupostos teóricos do ensino da matemática, bem como, conhecer as políticas públicas de formação continuada de professores para ao uso das TIC e identificar as TIC utilizadas no cotidiano das aulas de matemática. Para atingir os objetivos propostos optou-se por uma abordagem de pesquisa qualitativa, com delineamento metodológico de estudo de caso utilizando-se das técnicas de questionário e observação aplicadas aos professores que lecionam a disciplina de Matemática em uma escola pública municipal de Estância/SE. Para tanto, foi construído um quadro teórico, tendo como suporte os estudos de Borba (2014), Castells (2006), Fazenda(2011), Kenski (2006 e 2007), Lévy (2009), Nóvoa(1995), Triviños (2012), Rosa Neto (2001), Vasconcelos(2017) dentre outros autores que fundamentam a utilização das TIC no ensino de Matemática. A realização desse estudo possibilitou conhecer o contexto em que ocorreu a pesquisa, as ações dos sujeitos inseridos, e o espaço da investigação sobre as TIC como instrumento na prática pedagógica do professor de matemática. Ao analisar a inserção das TIC nas aulas de matemáticas por professores que participaram de cursos de formação continuada e seus resultados no processo de ensino-aprendizagem foi possível à princípio perceber que: as TIC são utilizadas na prática dos professores; por outro lado existe ainda docentes que permanecem alheios a inserir as TIC enquanto recurso pedagógico. Chegando a conclusão que, de maneira sutil foi identificado algumas alterações na prática pedagógica dos professores no que se refere a utilização das TIC em suas aulas.

  • HENRIQUE CARDOSO SILVA
  • EDUCAÇÃO CIENTÍFICA EM FOCO - CONCEPÇÕES DE PROFESSORES DA REDE ESTADUAL DA BAHIA QUE ATUAM NO PROGRAMA CIÊNCIA NA ESCOLA
  • Orientador : SAMISIA MARIA FERNANDES MACHADO
  • Data: 27/03/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O presente estudo objetiva compreender as concepções de professores que compõe o quadro de efetivos do Magistério Público do Estado da Bahia e desenvolvem atividades de iniciação científica júnior, junto às escolas estaduais baianas participantes do Programa Ciência na Escola no município de Catu- BA, acerca da educação científica e suas dimensões voltadas para o ensino de ciências. A pesquisa consiste em um estudo de caso, de caráter qualitativo, fazendo uso da metodologia de coleta de dados adaptada, baseada na proposta de Hewson e Hewson (1988) denominada CTSI – Conception of Teaching Science Interview, através de entrevista semiestruturada. A análise de dados se deu por meio da Técnica de Análise Textual Discursiva (MORAES, 2003; MORAES; GALIAZZI, 2005). Como resultados, observou-se que as compreensões foram construídas através de dez categorias emergentes: “A pesquisa como alicerce para a (re)construção do conhecimento”, “O questionamento reconstrutivo como fomento a atuação cidadã”, “A atividade de orientação enquanto atitude propulsora da atuação discente crítica”, “O professor enquanto agende de mobilização de jovens pesquisadores”, “O protagonismo como impulsor do posicionamento epistêmico dos estudantes”, “A tomada de decisões como atitude de criticidade e reflexão”, “A educação científica enquanto uma modalidade inovadora capaz de (re)significar a atuação docente e discente”, “A Educação Científica como estratégia de fomento à postura epistêmica do estudante”, “A educação científica e sua contribuição para a função social do ensino de ciência numa perspectiva cidadã” e “A educação científica como “óculos” para a superação do distanciamento entre o ensino de ciências e a cotidianidade”. Estas categorias indicam aderência aos principais teóricos que discutem a Educação Científica, não apresentando assim deformações significativas que comprometam a visão sobre esta modalidade de educação.

  • CRISTIANO MARINHO DA SILVA
  • A PLATAFORMA KHAN ACADEMY NO ENSINO SUPERIOR: CENÁRIOS DE APRENDIZAGEM E RESSIGNIFICAÇÕES DOS LICENCIANDOS EM MATEMÁTICA
  • Orientador : VELEIDA ANAHI DA SILVA
  • Data: 27/03/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O baixo desempenho de muitos estudantes na disciplina de Matemática em todos os níveis da educação não é novidade. Existem diversos fatores envoltos nas situações de fracasso escolar em Matemática. No entanto, esses fatores são muitas vezes desconsiderados e, além disso, a superação dessas situações acaba sendo negligenciada. Do interesse pela superação da situação de fracasso escolar de sua prima Nádia, Salman Khan criou “a maior sala de aula do mundo” e, com ela, prometeu reinventar a educação. O objetivo geral presente trabalho é investigar como os saberes matemáticos são evidenciados através da utilização da plataforma Khan Academy nos cenários de aprendizagem e ressignificações dos alunos do curso de Licenciatura em Matemática da UFAL – Campus Arapiraca. Como objetivos traçamos os seguintes: Pontuar as situações de fracasso escolar vivenciadas pelos graduandos em matemática em sua trajetória de formação; Identificar as possibilidades e viabilidade de utilizar a plataforma enquanto recurso didático-metodológico para a formação inicial dos alunos do curso de Matemática em disciplinas de nivelamento; Descrever as relações com o saber vivenciadas pelos sujeitos da pesquisa nas atividades práticas propostas; e Analisar as concepções dos licenciandos sobre o uso da plataforma Khan Academy nos cenários de aprendizagem e ressignificações dos saberes matemáticos. Para nos orientar a investigação, nos apoiamos em estudos ligados à Relação com o Saber de Charlot (2000), à Aprendizagem Significativa – Teoria de David Ausubel por Moreira e Masini (2001) e Aprendizagem tipo queijo suíço de Khan (2013). Trata-se de uma pesquisa participante, cuja abordagem é qualitativa. Os sujeitos são 34 alunos do curso de Licenciatura em Matemática, matriculados na disciplina Projetos Integradores 3. Vários instrumentos serão usados para coleta de dados: questionários, relatórios, relatos e artigos. Para a análise dos dados recorremos basicamente à Bardin (1997). Os dados coletados mostram que maioria dos estudantes da licenciatura em Matemática vivenciou alguma situação de fracasso escolar, e que a Khan Academy é uma ferramenta capaz de preencher as lacunas na aprendizagem de matemática, diminuindo as chances dos alunos vivenciarem situações de fracasso escolar.

  • ANTHONIBERG CARVALHO DE MATOS
  • PRAXEOLOGIAS ADOTADAS NO ENSINO DE MATEMÁTICA NA PERSPECTIVA DA EDUCAÇÃO INCLUSIVA EM ARACAJÚ
  • Orientador : DENIZE DA SILVA SOUZA
  • Data: 26/03/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa tem como propósito, analisar como os processos de formação docente influenciam a prática dos professores no ensino de Matemática para alunos surdos inclusos nos anos finais do ensino fundamental. A questão central da pesquisa é: Como as praxeologias adotadas por professores de Matemática para ensinar alunos surdos são influenciadas pelos processos de sua formação docente? Esta questão desdobra-se em outras questões norteadoras visando abranger a dimensão de ensino por meio das seguintes categorias conceituais: Educação de Surdo (SACKS, 2015; SOUZA, 2010; SOUZA, 2012 e SKILIAR, 2013), Educação de Surdo e Educação Matemática (SOUZA, 2013; ARAUJO, 2015 e MARINHO, 2016), as Políticas Públicas a partir das legislações vigentes e documentos oficiais; e Praxeologias (CHEVALLARD, 1996; SOUZA, 2015). Adotou-se como sujeitos principais da pesquisa, os professores de Matemática de uma escola da rede estadual em Aracaju-SE, por atender maior número de surdos inclusos, além de atuarem em diferentes modalidades do ensino fundamental (anos finais e educação de jovens e adultos). Em uma primeira etapa, foi aplicado questionário a todos os professores de Matemática que atuam em escolas com alunos surdos, no qual as questões abordam aspectos pessoais e do processo de formação, além de suas respectivas opiniões sobre a temática da pesquisa. Tendo em vista que a pesquisa está em andamento, em uma segunda etapa, será realizada identificada e analisada as praxeologias adotadas pelos sujeitos principais da pesquisa, a partir das observações e entrevistas semiestruturadas.

  • JANAYNA BISPO SANTANA
  • MEDIDAS: uma caracterização das finalidades para o ensino primário em revistas pedagógicas brasileiras (1890-1928)
  • Orientador : IVANETE BATISTA DOS SANTOS
  • Data: 26/03/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho é resultado de uma pesquisa que teve como objetivo caracterizar as finalidades das medidas no ensino primário em exemplares de revistas pedagógicas brasileiras no período de 1890 a 1928. A partir de um mapeamento de pesquisas – que tratavam de alguma forma sobre medidas para o ensino primário – foi identificado que os autores indicavam o método intuitivo a partir da obra as Primeiras Lições de Coisas, de autoria de Calkins (1886/1950). Por essa razão, a opção foi tomar os princípios, postos no manual de Calkins (1886/1950), como lente para o exame de exemplares de revistas pedagógicas. Para as finalidades, reais e de objetivo, foi tomado o entendimento de Chervel (1990) e para apropriação foi adotado Chartier (2003). Por meio do exame feito nas revistas pedagógicas brasileiras localizadas no repositório digital da UFSC, foi identificado que de novecentos e dezesseis (916) exemplares, duzentos e dezessete (217) apresentavam orientações sobre as medidas para o ensino primário. Mas, para atingir o objetivo proposto foram examinados vinte e dois (22) artigos que apresentavam referência explicita ao método intuitivo de Calkins (1886/1950) – seja a partir do nome do autor ou dos termos lições de coisas e noções de coisas – e treze (13) implícitos a partir do uso de ao menos três dos princípios postos na obra Primeiras Lições de Coisas de Calkins (1886/1950). Como resultados, pode-se ressaltar que foi possível caracterizar as finalidades das medidas de três modos: para desenvolver os princípios da comparação e os sentidos do tato e visão através das relações entre o tamanho e o peso de objetos. Dessa forma, as medidas eram parte do método intuitivo proposto para o ensino primário, de modo a formar o sujeito, não estando ligados somente a saberes matemáticos; para a conformação do sistema métrico, sendo o ensino proposto a partir de usos implícitos de princípios do método intuitivo de Calkins (1886/1950) que envolviam: observação de objetos colocados à frente do aluno ou pela imaginação; percepção das semelhanças e diferenças entre as coisas; formação de sentenças associado ao juízo, modelo de aula baseado em questionamento; associação de saberes matemáticos com objetos do cotidiano; como parte do processo do método intuitivo para o desenvolvimento da construção do sistema métrico. Sendo orientadas a partir da medição pela vista sem uma unidade de medida definida e em seguida a verificação com a medição métrica.

  • MARIA JOSÉ DE RESENDE
  • SABERES GEOMÉTRICOS PARA A FORMAÇÃO DE PROFESSORES PRIMÁRIOS EM SERGIPE: UMA INVESTIGAÇÃO SOBRE O PERÍODO DE 1890 A 1944.
  • Orientador : DENIZE DA SILVA SOUZA
  • Data: 26/03/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho apresenta o resultado de uma pesquisa que teve por objetivo examinar como eram prescritos os saberes geométricos para a formação de professores primários em Sergipe no período de 1890 a 1944. Para isso, as fontes utilizadas foram documentos oficiais como Decretos, Leis, Regulamentos, Programas de Ensino e revistas pedagógicas a fim de identificar e caracterizar os saberes geométricos na formação dos professores primários. Foram consultados como referência: Valente (2005, 2013) quanto ao entendimento sobre a produção em história da educação matemática; Leme da Silva (2015) acerca do entendimento de saberes geométricos; Chervel (1990) sobre as constituintes e finalidades de uma disciplina, dentre outros autores. Inicialmente, a pesquisa recorreu ao estudo documental, examinando fontes do período de 1890 a 1931, com o intuito de compreender e identificar quais e como se apresentavam os saberes geométricos na formação de normalistas no período anterior à década 1930. O exame das fontes desse período possibilitou tecer uma comparação entre os saberes geométricos que eram propostos para o Curso Normal e Curso Primário. De acordo com os Programas de Ensino, os saberes geométricos no Curso Primário constituíam a matéria/disciplina Desenho (Desenho Linear), sendo recomendado, em alguns momentos por meio do desenho livre, o traçado de figuras geométricas e, em Arithmetica, abordando “superfície, perímetro, avaliação das áreas, relação entre diâmetro e circunferência”; para o Curso Normal, os saberes geométricos tinham um tratamento mais específico com um nível de aprofundamento, por exemplo, em relação ao tratamento de teorias como: “theoria das perpendiculares”; “teoria das paralelas”; “teoria dos polygonos”. Com relação ao método de ensino proposto, à época em Sergipe, pode-se destacar dois momentos: o primeiro no período de 1890 – 1930, cujo método de ensino recomendado nos documentos oficiais eram o intuitivo; e o período de 1930 – 1940, com indícios da mudança de método, passando ao método ativo. Esse último, pode ser identificado nas orientações propostas aos professores, sob dois âmbitos: nas revistas pedagógicas localizadas no acervo da Biblioteca Epifânio Dórea (as quais, provavelmente circularam neste Estado) e na organização dos saberes geométricos, a partir dos Programas de Ensino.

  • DAIANE DE SANTANA SANTOS
  • UM EXAME DA PROPOSTA DE ANTÔNIO BANDEIRA TRAJANO EM MANUAIS DE ARITMÉTICA PARA O ENSINO PRIMÁRIO: em busca de indícios do método intuitivo de Calkins
  • Orientador : IVANETE BATISTA DOS SANTOS
  • Data: 23/03/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Neste trabalho é apresentado o resultado de uma pesquisa que teve por objetivo identificar indícios do método intuitivo de Calkins nos manuais de Aritmética para o ensino primário do autor Antônio Bandeira Trajano. Para tanto, realizamos, no primeiro momento, leituras do manual Primeiras Lições de Coisas de Calkins (1886/1950), e em seguida, tomamos os princípios e as lições acerca do método intuitivo defendidos no referido manual como embasamento para efetuarmos o exame da 126.ª edição da Aritmética Elementar Ilustrada e a 12.ª edição da Arithmetica Primaria, referentes ao ano de 1951 e s/d, respectivamente. Convém ressaltar que apesar de existir outros teóricos que tratam sobre o método intuitivo, a escolha por utilizar Calkins se deve ao fato de termos identificado que outros p esquisadores fazem referência a esse autor ao tomar as obras de Antônio Trajano como fonte. Além de Calkins, também foram adotados os entendimentos de Silva (2005) para definir o termo manual e Valente (2013) para tratar sobre as produções voltadas para uma perspectiva da história da educação matemática. A partir do exame realizado é possível inferir que Antônio Trajano buscou utilizar alguns dos princípios do método intuitivo defendido por Calkins (1886/1950), tais como percepção, observação, sentido da visão, classificação e comparação das coisas, na proposta das quatro operações do manual Arithmetica Primaria. Mas, a nosso ver, tal constatação não se aplica a obra Aritmética Elementar Ilustrada, uma vez que nesta, não foi possível identifica r princípios que remetesse a indícios de uso das ideias intuitivas.

  • JOSEFA LOURENÇA SOUZA DO NASCIMENTO
  • UMA CARACTERIZAÇÃO SOBRE APROPRIAÇÕES DO METODO INTUITIVO DE CALKINS EM ORIENTAÇÕES PARA O ENSINO DOS SABERES ARITMÉTICOS EM REVISTAS PEDAGÓGICAS BRASILEIRAS (1891-1931)
  • Orientador : IVANETE BATISTA DOS SANTOS
  • Data: 23/03/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Neste texto é apresentado o resultado de uma pesquisa que teve por objetivo caracterizar apropriações do método intuitivo de Calkins (1886/1950) para o ensino dos saberes aritméticos, em revistas pedagógicas produzidas em diferentes estados brasileiros no período de 1891 a 1931. Foram utilizados entendimentos de Valente (2015) para tratar sobre saberes elementares matemáticos, Ragazzini (2001) a respeito de fontes históricas, Chartier (2003) para apropriação e Calkins (1886/1950) para os princípios do método intuitivo. Como fontes foram utilizados exemplares de periódicos brasileiros disponíveis no repositório digital da UFSC. Para examinar tais fontes, foram tomado dois caminhos, primeiro foi examinado artigos que versavam sobre os saberes aritméticos e que traziam referências explicit a a Calkins E no segundo, artigos em que foi possível identificar que os autores utilizavam de maneira implícita princípios do método intuitivo do referido autor. Foi possível constatar que os autores se apropriaram de alguns princípios postos no Manual Lições de Coisa, apresentando propostas semelhantes para as orientações de como ensinar o saber operação. Além disso foi possível identificar o uso de alguns princípios fundamentais defendidos por Calkins (1886/1950), pois a maioria dos autores indicavam o ensino a partir da vista, com o uso de objetos ou outros recursos, para evocar princípios como: a observação e percepção, associação e comparação. Posteriormente, na busca de caracterizar como os saberes aritméticos foram abordadas em exemplares de revistas pedagógicas no período e stabelecido de forma implícita , foi possível identificar tratamento de alguns saberes aritméticos, a saber: número, operação, fração e medida. E foi possível caracterizar que a apropriação dos autores priorizavam o ensino a partir da vista, com o uso de objetos, na tentativa de estimular princípios, defendidos por Calkins (1886/1950) como observação, percepção, associação e comparação

  • JOSEFA DIELLE NUNES DA SILVA
  • MANUAL DE LIVROS DIDÁTICOS DE MATEMÁTICA: USO (S) POR PROFESSORES DOS ANOS FINAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL (ARACAJU/SE)
  • Orientador : IVANETE BATISTA DOS SANTOS
  • Data: 23/03/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Neste texto é apresentado o resultado de uma pesquisa que teve por objetivo identificar se e como professores atuantes em escolas da rede estadual de Aracaju/SE utilizam o manual presente em livros didáticos de Matemática para os anos finais do Ensino Fundamental. Inicialmente, foram examinados os manuais das cinco coleções mais adotadas em Aracaju/SE, elencadas no PNLD (2017), são elas: Vontade de saber Matemática, Matemática – Compreensão e prática, Matemática – Bianchini, Praticando Matemática e Matemática nos dias de hoje: na medida certa. Em seguida, para cada coleção, foram selecionadas escolas localizadas em diferentes regiões geográficas para aplicação de questionários aos professores de Matemática, esses instrumentos variam entre treze e vinte e uma perguntas, que vão desde a escolha do livro didático de Matemática ao uso e entendimento do professor a respeito do manual. Responderam ao questionário um total de vinte e três professores. Para um entendimento de livro didático, foi utilizado Freitas (2009) e o Brasil (2016) sobre o manual do professor. A partir de um exame dos questionários, é possível afirmar que, embora o manual do professor seja um dos requisitos para a obra ser aprovada, ao fazer a escolha do livro didático, os professores parceiros da pesquisa não levaram em consideração, apesar de a maioria concordar com o que está exposto no PNLD (2017), ao afirmar ser um documento que orienta o professor ao trabalhar os conteúdos matemáticos. Alguns alegam que não condiz com a realidade dos alunos ou que nem sempre tem tempo de ver todas as sugestões. Em relação ao uso do manual, somente dez citam utilizar, porém não definem para qual conteúdo. Já os que citam não utilizar, sugerem que os autores deveriam propor atividades experimentais e motivadoras, orientações mais ligadas à realidade da escola de hoje, revisões dos conteúdos, sintetizar mais as teorias, entre outros. No que diz respeito ao uso de recursos didáticos e orientações didáticas presentes nas coleções examinadas, foi possível identificar indícios de usos. Porém, na maioria dos casos não condizem com maneira que são propostas pelos autores, ao utilizarem, os professores fazem modificações, ou já utilizavam sem conhecer o manual. Ao serem questionados sobre quais sugestões dariam a autores de livros didáticos, somente 47,8% responderam, entretanto, constata-se que alguns deles não têm conhecimento do manual presente na coleção que utiliza, pois sugerem coisas que já existem.

  • JUCILENE SANTANA SANTOS
  • SEQUÊNCIA DE ENSINO-APRENDIZAGEM EM TORNO DAS HISTÓRIAS EM QUADRINHOS A LUZ DAS INTERAÇÕES DISCURSIVAS E DO ENGAJAMENTO DOS ALUNOS
  • Orientador : ADJANE DA COSTA TOURINHO E SILVA
  • Data: 22/03/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A presente pesquisa buscou analisar as interações discursivas e o nível de engajamento dos alunos verificados ao longo de uma sequência de ensino-aprendizagem (SEA) de Química, a qual foi planejada em torno de uma HQ interativa. A SEA foi aplicada a um grupo de alunos da primeira série do Ensino Médio do Colégio Aplicação (CODAP) da Universidade Federal de Sergipe (UFS). Os dados escritos, bem como as aulas registradas em vídeo, foram submetidos à análise por meio de categorias da ferramenta analítica proposta por Mortimer e Scott (2003) e de categorias propostas por Antônia Candela (1999). Focalizamos, na análise, a abordagem comunicativa e intensões do professor, os padrões estruturais das interações desenvolvidas entre professor e alunos e o engajamento dos alunos nas atividades, o que se expressou por meio dos percentuais de tempo em que discutiam os temas propostos nas aulas, em relação aos tempos de dispersão, e por meio da frequência e dos tipos de perguntas que propunham ao professor e aos colegas. De acordo com uma perspectiva sociocultural de educação tais elementos são fundamentais no processo de ensino-aprendizagem. A pesquisa justifica-se considerando-se a importância de investimentos na compreensão do potencial de recursos didáticos no ensino de ciências que favoreçam as interações que se desenvolvem no plano social da sala de aula. Os resultados apontam que a SEA em torno da uma HQ interativa favoreceu as interações discursivas e o engajamento dos alunos.

  • KLEYFTON SOARES DA SILVA
  • A NEUROCIÊNCIA COGNITIVA COMO BASE DA APRENDIZAGEM DE GEOMETRIA MOLECULAR: um estudo sobre os atributos do funcionamento cerebral relacionados à memória de longo prazo
  • Data: 22/03/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A compreensão da geometria molecular, no nível do Ensino Médio, tem sido dificultada devido à falta de investimento teórico e metodológico que leve a aplicação consciente dos recursos didáticos escolhidos. Esta pesquisa teve por objetivo investigar os efeitos de recursos pedagógicos, como modelos moleculares físicos alternativos e virtuais (Realidade Aumentada), na aprendizagem e desenvolvimento de habilidades visuoespaciais associadas às noções de Geometria Molecular. Conduziu-se a investigação do tipo experimental sob os pilares metodológicos da Engenharia Didática Clássica de Michéle Artique (1998), que resultou na concepção, realização, avaliação e validação de uma Sequência Didática fundamentada na Neurociência Cognitiva, mais especificamente, nos processos ed ucativos que sugerem melhor aquisição, consolidação e evocação da Memória de Longo Prazo (MLP). No âmbito das neurociências, buscou-se respaldo teórico em autores como Kandel (2014), Gazzaniga et al. (2006) e Izquierdo (2011) para estudar algumas características da memória e influências externas para a sua consolidação. No campo educacional, inspirou-se no trabalho de Cosenza e Guerra (2011) acerca dos fatores “emoção”, “atenção” e “memória” na aprendizagem escolar, bem como em princípios educativos baseados em evidências cienti ficas dos campos da psicologia cognitiva, educação e neurociência cognitiva apresentados pelo Science of Learning Research Centre (Austrália). Nove alunos do Ensino Médio que já haviam estudado Geometria Molecular participaram de um conjunto de três atividades ao longo de um mês e foram avaliados qualitativamente quanto aos traços de memória relativos à aprendizagem anterior e posterior a intervenção didática. Os instrumentos para a coleta dos dados consistiram de diário de campo e testes. Os resultados mostraram que os recursos multissensoriais proporcionaram melhor engajamento e contribuíram para a consolidação e evocação de memórias episódicas associadas à aprendizagem de conceitos químicos dentro de um contexto significativo. A manipulação de modelos moleculares físicos contribuiu para a avaliação dos erros dos alunos, enquanto os modelos virtuais contribuíram para a percepção e correção dos erros.

  • JOAQUINA BARBOZA MALHEIROS
  • DESAFIOS E POSSIBILIDADES DO ENSINO DE CIÊNCIAS EM UMA ESCOLA RIBEIRINHA: INVESTIGAÇÃO TEMÁTICA FREIREANA E A PERSPECTIVA INTERCULTURAL
  • Orientador : EDINÉIA TAVARES LOPES
  • Data: 22/03/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A presente dissertação é fruto de uma pesquisa qualitativa que teve o objetivo de analisar na perspectiva intercultural os limites e as possibilidades para a proposição do ensino de Ciências da Natureza no Ensino Médio, em uma escola ribeirinha paraense. Para isto, busca-se: a) Identificar alguns pressupostos que fundamentam ou possam fundamentar o ensino de Ciências da Natureza na perspectiva de educação Intercultural; b) analisar o ensino de Ciências da Natureza, no Ensino Médio, proposto na escola, estabelecendo relações com as orientações oficiais e as produções científicas que fundamentam a modalidade de ensino da Educação do Campo e o ensino de Ciências da Natureza; c) Identificar limites e possibilidades para o ensino de Ciências da Natureza, no Ensino Médio, nessa realidade escolar, na perspectiva de educação intercultural com base na proposição de ensino de Investigação temática. Os sujeitos dessa pesquisa foram os três moradores da comunidade ribeirinha, o professor de Ciências, a coordenadora da Escola e os 18 alunos do Ensino Médio. Os dados foram coletados por meio da análise documental e entrevistas. A investigação foi realizada em uma escola ribeirinha localizada da Ilha das Cinzas, no município do Gurupá pertencente ao arquipélago do Marajó, Estado do Pará. Como resultado das entrevistas com os moradores, coordenadora pedagógica e o professor de Ciências do Ensino Fundamental e com as observações, constatamos que, o Ensino de Ciências na Escola Ribeirinhas necessita de maiores investimentos, principalmente no que se refere a formação de professores, tempos e espaços escolares e materiais didáticos. Com as observações e análise documental no Ensino de Ciências da Natureza, identificamos que a proposta do projeto do Ensino Médio, não considera as características e especificidades da população da comunidade ribeirinha e se distância da proposta das Diretrizes Curriculares da Educação do Campo. Com base nisso, em busca de um ensino que leve em consideração os aspectos culturais da comunidade, valorizando seus saberes, incentivando essa relação entre sujeitos, promovendo o encontro, estreitando essas relações, elaboramos uma proposta para o Ensino de Ciências da Natureza, utilizando a investigação temática de Freire, a partir da releitura na perspectiva da educação intercultural, como possibilidade que mais se aproxima das demandas pela educação na realidade da escola ribeirinha, considerando seus limites e possibilidades.

    A presente dissertação é fruto de uma pesquisa qualitativa que teve o objetivo de analisar na perspectiva intercultural os limites e as possibilidades para a proposição do ensino de Ciências da Natureza no Ensino Médio, em uma escola ribeirinha paraense. Para isto, busca-se: a) Identificar alguns pressupostos que fundamentam ou possam fundamentar o ensino de Ciências da Natureza na perspectiva de educação Intercultural; b) analisar o ensino de Ciências da Natureza, no Ensino Médio, proposto na escola, estabelecendo relações com as orientações oficiais e as produções científicas que fundamentam a modalidade de ensino da Educação do Campo e o ensino de Ciências da Natureza; c) Identificar limites e possibilidades para o ensino de Ciências da Natureza, no Ensino Médio, nessa realidade escolar, na perspectiva de educação intercultural com base na proposição de ensino de Investigação temática. Os sujeitos dessa pesquisa foram os três moradores da comunidade ribeirinha, o professor de Ciências, a coordenadora da Escola e os 18 alunos do Ensino Médio. Os dados foram coletados por meio da análise documental e entrevistas. A investigação foi realizada em uma escola ribeirinha localizada da Ilha das Cinzas, no município do Gurupá pertencente ao arquipélago do Marajó, Estado do Pará. Como resultado das entrevistas com os moradores, coordenadora pedagógica e o professor de Ciências do Ensino Fundamental e com as observações, constatamos que, o Ensino de Ciências na Escola Ribeirinhas necessita de maiores investimentos, principalmente no que se refere a formação de professores, tempos e espaços escolares e materiais didáticos. Com as observações e análise documental no Ensino de Ciências da Natureza, identificamos que a proposta do projeto do Ensino Médio, não considera as características e especificidades da população da comunidade ribeirinha e se distância da proposta das Diretrizes Curriculares da Educação do Campo. Com base nisso, em busca de um ensino que leve em consideração os aspectos culturais da comunidade, valorizando seus saberes, incentivando essa relação entre sujeitos, promovendo o encontro, estreitando essas relações, elaboramos uma proposta para o Ensino de Ciências da Natureza, utilizando a investigação temática de Freire, a partir da releitura na perspectiva da educação intercultural, como possibilidade que mais se aproxima das demandas pela educação na realidade da escola ribeirinha, considerando seus limites e possibilidades.

  • ORTÊNCIA DA PAZ SANTIAGO
  • Perspectivas da abordagem Ciência, Tecnologia e Sociedade e suas relações com as capacidades de Pensamento Crítico
  • Orientador : ERIVANILDO LOPES DA SILVA
  • Data: 21/03/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa teve como objetivo investigar possíveis aproximações entre os objetivos defendidos pelas abordagens Ciência-Tecnologia-Sociedade no contexto brasileiro e Teoria do Pensamento Crítico. Essas aproximações foram assumidas como pressuposto, uma vez que as duas perspectivas teóricas expõem que os estudantes devem ter como elemento formativo uma visão crítica frente a questões do cotidiano. Como parte inicial desta investigação, foi construído um instrumento com intuito de estabelecer um corpo de aproximações entre os objetivos presentes nos dois campos teóricos. Em complemento, esta pesquisa objetivou investigar quais capacidades podem ser manifestadas nos indivíduos em situações didáticas embasadas numa Abordagem CTS de referenciais brasileiros. A coleta de dados foi realizada através de instrumentos audiovisuais e registros escritos durante aplicações de Sequências de Ensino Aprendizagem (SEA) que trataram de conceitos da química, a saber: termoquímica e eletroquímica. O material coletado sofreu a análise do tipo de Conteúdo embasa em Bardin. Tratando da etapa inicial da pesquisa, as aproximações dos dois campos teóricos, os resultados mostram que estas teorias se aproximam significativamente em seus objetivos, dentro de uma margem mínima de 87%, entre algumas capacidades no campo teórico, como: analisar argumentos, ou até mesmo decidir sobre uma ação. No que se refere aos resultados da aplicação das SEA em sala de aula, destaca-se que os alunos desenvolveram capacidades do Pensamento Crítico, tais como analisar argumentos e interagir com os outros, implicando, assim, que o material Ciência-Tecnologia-Sociedade tem forte potencial para com a desenvoltura dessas capacidades, confirmando as implicações teóricas.

  • TATIANE DA SILVA SANTOS
  • Alfabetização Científica e o uso de Questões Sociocientíficas no ensino de Ecologia: uma experiência no contexto de Lagarto – SE
  • Orientador : MYRNA FRIEDERICHS LANDIM DE SOUZA
  • Data: 20/03/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A Alfabetização Científica (AC) no currículo de Ciências apresenta uma proposta de educação voltada para formação cidadã dos estudantes, através do entendimento de assuntos científico-tecnológicos. Desse modo, ganha espaço a abordagem de Questões Sociocientíficas (QSC), que considera as dimensões presentes no enfoque CTSA (Ciência, Tecnologia, Sociedade e Ambiente), os aspectos culturais e éticos, o raciocínio e o desenvolvimento emocional dos estudantes. Nesse contexto, o ensino de Ecologia apresenta grande relevância devido a sua complexidade e interfaces com outras áreas do conhecimento, aliada à necessidade crescente de maior cuidado com o planeta, em virtude dos impactos ambientais causados pela ação antrópica. O presente trabalho tem como objetivo geral analisar as potencialidades e limitações da utilização de QSC no ensino de Ecologia, de modo a contribuir para a AC de estudantes do 6º ano do Ensino Fundamental da rede municipal de Lagarto, região centro-sul de Sergipe. A pesquisa está dividida em três etapas: 1) Investigação dos saberes de professores de Ciências da rede municipal de ensino de Lagarto, sobre a AC, o enfoque CTSA e as QSC e quanto à forma com que abordam o conteúdo de Ecologia em suas aulas; 2) Construção, de maneira colaborativa com um desses docentes, de uma Sequência didática (SD) sobre a temática “utilização de agrotóxicos em Lagarto”; 3) Aplicação e avaliação da SD. O instrumento de coleta de dados da primeira etapa da pesquisa foi um questionário, respondido por 13 dos 22 professores de Ciências, os quais demonstraram ter certo conhecimento acerca da AC, do enfoque CTSA e das QSC, porém na prática, a realidade local ainda parece ser pouco abordada nas aulas de Ecologia. Para a SD foram elaboradas cinco aulas, com a utilização de recursos e estratégias didáticas diversificadas, o que possibilitou o engrandecimento do processo de ensino e aprendizagem. Durante a aplicação da SD, observou-se o empenho da professora participante em estimular o pensamento crítico dos discentes, por meio da análise dos aspectos “positivos” e negativos que envolvem a utilização dos agrotóxicos. Assim, os estudantes puderam envolve-se nas discussões, expressando suas opiniões acerca do assunto e compartilhando suas vivências. Conclui-se, portanto, que os estudantes trazem consigo uma gama de conhecimentos, adquiridos principalmente na sua vivência diária, que precisam ser trabalhados na sala de aula, para que assim a aprendizagem de novos conteúdos possa ter sentido e efetivamente contribua para a formação cidadã dos discentes. Para que isso aconteça é necessário que o docente preocupe-se em utilizar os assuntos científicos como meios para entender uma problemática social, abordando questões reais e atuais.

  • MARIA RIVANUSIA SANTANA MOTA
  • O ENSINO DE CIÊNCIAS NOS ANOS INICIAIS: concepções docentes acerca da contextualização e de sua prática
  • Orientador : CARMEN REGINA PARISOTTO GUIMARAES
  • Data: 20/03/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A escola é espaço onde somam-se experiências cotidianas e afetividade com os conteúdos formais, que possibilitarão ao aluno, tanto o desenvolvimento da solidariedade como a análise crítica dos conteúdos escolares, fundamentais para a construção de sua cidadania. A partir da premissa de que o ensino contextualizado pode favorecer tais aspirações, a presente pesquisa visa analisar se no processo de ensino de ciências, os professores dos anos iniciais estão se utilizando da contextualização e de que forma ou sob qual enfoque, isto está sendo feito. Para tal, investigam-se os professores do Ensino Fundamental (1º ao 5º ano) que lecionam nas escolas municipais de Nossa Senhora da Glória/Se. Optou-se por uma abordagem qualitativa, do tipo exploratória, utilizando-se no primeiro momento de questionários, seguido de entrevistas semiestruturadas para a obtenção das informações. As respostas foram categorizadas baseadas em Bardin (2011). Resultados indicam que o processo de formação inicial dos docentes dos anos iniciais não foi plenamente satisfatório para a atuação profissional da maioria dos docentes, na área das ciências. A prática docente, de maneira geral, busca relacionar aspectos cotidianos com os conteúdos escolares trabalhados. Porém, a insegurança quanto a aspectos relacionados à contextualização é presente, principalmente como forma de promover uma formação mais crítica dos estudantes. Espera-se que os resultados instiguem a reflexão acerca da formação inicial e continuada dos professores pedagogos no tocante à contextualização e aos conteúdos necessários para a prática de ciências.

  • GICÉLIA MARIA DE OLIVEIRA SANTOS SANTANA
  • UM OLHAR SOBRE A POLÍTICA DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE FÍSICA NO BRASIL
  • Orientador : RENATO SANTOS ARAUJO
  • Data: 12/03/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa teve o objetivo de analisar o resultado das políticas públicas federais para a formação de professores de Física para a educação básica do Brasil. Dentre as políticas pertinentes, o Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID) recebeu atenção especial. Essa pesquisa se apoiou nas estatísticas sobre os professores de Física no Brasil e no conceito de saberes docentes de Tardif (2012). Os procedimentos metodológicos adotados dividiram-se em duas ações: a primeira se apresentou como uma pesquisa quantitativa do tipo estudo documental realizada a partir dos dados estatísticos sobre a titulação dos professores de Física da educação básica e sobre a sua formação no ensino superior, os quais foram coletados nas Sinopses Estatísticas do Ensino Superior publicadas pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira e na Plataforma CultivEduca e analisados por meio da Estatística Descritiva; e a segunda compreendeu um estudo qualitativo do tipo estudo de casos, representados pelas figuras do professor coordenador de área e do professor supervisor do PIBID, cujas opiniões foram coletadas por meio de entrevistas semiestruturadas e analisadas por meio da análise temática de Bardin (1977). A análise mostrou que de um modo geral, os professores de Física são, na verdade, professores de Matemática ou outros profissionais que estão lecionando sem qualquer suporte metodológico ou teórico. O número de vagas nos cursos de Licenciatura em Física cresceu muito e o de candidatos, ainda mais. Contudo, esse crescimento não foi acompanhado pelo aumento do número de ingressos, o que fez com que o crescimento das vagas ociosas representasse a estatística mais expressiva. Esses cursos também apresentaram um crescimento das taxas de evasão, tal que a média da taxa de evasão estimada pelo modelo da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), o mais preciso no estudo, foi de 60,2%. Os sujeitos de pesquisa apontaram que algumas ações do PIBID podem reduzir as vagas ociosas, a evasão e a retenção nesses cursos. Além disso, as atividades realizadas no PIBID podem mobilizar diversos saberes docentes, beneficiando os licenciandos e as instituições de ensino envolvidas. Os dados levantados mostram que o problema da carência de professores de Física com a formação específica continua. Assim, para que a 15ª Meta do Plano Nacional de Educação (2014-2024) seja alcançada, é necessário um maior investimento em políticas públicas que promovam um crescimento da atratividade para a profissão docente e a permanência dos licenciados nas salas de aula.

  • EDENILZA MENDONÇA DE SANTANA
  • Relação entre as capacidades de pensamento crítico e o desempenho dos estudantes de química no Brasil
  • Orientador : EDSON JOSE WARTHA
  • Data: 09/03/2018
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Nesta pesquisa buscou-se avaliar o desempenho dos estudantes ingressantes e concluintes dos cursos de Licenciatura e Bacharelado em Química do Brasil, no Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (ENADE), nos anos de 2011 e 2014, na perspectiva de identificar se os cursos de formação superior em Química propiciam nos estudantes o desenvolvimento de capacidades de pensamento crítico. O estudo é embasado em uma pesquisa documental, desenvolvida por meio do método misto, a partir da estratégia de triangulação concomitante, em que foram utilizadas as questões de conhecimento geral do ENADE e os microdados sobre estas questões que são disponibilizados pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Anísio Teixeira (INEP). Foi realizada a classificação das questões objetivas de formação geral do ENADE-2014 e 2011, de acordo com a Taxonomia do Pensamento Crítico. A partir dessa classificação, trabalhou-se com a variável de desempenho, correspondente as notas obtidas pelos estudantes nas questões, relacionando-a com três variáveis independentes: i) curso (bacharelado e licenciatura, considerando estudantes ingressantes e concluintes); ii) instituição (pública ou privada) e iii) escola (pública ou privada). Empregou-se o teste de qui-quadrado para a análise desses pares, a fim de identificar qual variável é mais relevante para o desempenho dos estudantes em questões que possivelmente demandam capacidades do pensamento crítico. Com as análises efetuadas, verificou-se que as questões demandam capacidades do pensamento crítico para a sua resolução e, que na variável curso, os estudantes concluintes de ambos cursos apresentam desempenho superior. Na variável instituição, quando os estudantes são pertencentes a IES privadas, os estudantes concluintes da licenciatura apresentam um desempenho superior, já quando os estudantes são de IES públicas, os ingressantes apresentam um maior destaque no desempenho. Na variável escola, os estudantes de escolas públicas demonstram melhor desempenho quando são concluintes. Os estudantes que vieram de escolas privadas, apresentam um desempenho superior quando são ingressantes. No que se refere aos dados observados para o ano de 2011, não foi identificada diferença estatística significativa em nenhumas das comparações feitas entre estudantes ingressantes e concluintes, independente da variável utilizada.

  • RUBIANA PASSOS CUSTÓDIO BANDEIRA
  • HUMANIZANDO A AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM EM CIÊNCIAS: SOB O OLHAR DAS HABILIDADES SOCIOEMOCIONAIS
  • Orientador : YZILA LIZIANE FARIAS MAIA DE ARAUJO
  • Data: 09/03/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A atual educação centrada no conhecimento e saberes científicos não consegue suprir a formação dos indivíduos em todos os âmbitos, sendo necessário para uma formação completa e eficaz, levar em consideração todos os aspectos que constroem o sujeito, dentre eles as necessidades sociais e emocionais. Esse estudo consiste em uma análise sobre a utilização das Habilidades Socioemocionais (HSE) como um elemento humanizador da avaliação na aprendizagem em Ciências. Tem como objetivo compreender a avaliação da aprendizagem e as HSE na perspectiva de alguns docentes da área de ciências da natureza, e refletir sobre as possibilidades e dificuldades da sua utilização associada ao processo de avaliação. Assim o trabalho buscará responder a seguinte questão: Quais as possibilidades e dificuldades de utilizar no processo avaliativo da aprendizagem um olhar voltado as HSE? A pesquisa tem um olhar na abordagem qualitativa, e como instrumentos adotados se baseou na combinação entre diferentes estratégias: aplicação de entrevistas, realização de oficina incorporando as HSE à avaliação; e por fim grupo focal. Em suma o trabalho tem duas etapas, a primeira consiste em analisar as concepções de 11 docentes da área de ciências da natureza acerca da avaliação da aprendizagem e as HSE. Já a segunda, propõem apresentar os conhecimentos sobre HSE na educação, incentivando a utilização de métodos baseado em um olhar mais subjetivo para o processo avaliativo, e por fim refletir junto com os docentes sobre as possibilidades e dificuldades da utilização dos métodos propostos. O trabalho mostra ainda de maneira inicial a importância de estimular a construção de um olhar mais subjetivo diante do aluno e da prática avaliativa. Para isso é necessário ouvir os professores, suas práticas avaliativas e as suas necessidades nesse processo. Diversos autores reiteram a importância de ouvir o professor nesse fazer avaliativo, pois há uma escassez de pesquisas que se dedicam a esse fato. Assim, percebemos que é possível construir um caminho para uma real mudança nas concepções e na ação pedagógica dos docentes, para isso é necessário estimular a formação, tanto inicial quanto continuada, coerente com essa proposta pedagógica. Dessa maneira, a importância desse trabalho é tornar a avaliação socioemocional menos subjetiva e mais transparente, de modo que os alunos sejam protagonistas na tarefa de construir sua formação e aprendizagem.

  • FERNANDO CARVALHO SANTOS
  • Atividades Investigativas e História da Ciência: tendências em potencial para promover o Pensamento Crítico
  • Orientador : ERIVANILDO LOPES DA SILVA
  • Data: 08/03/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A literatura no âmbito do Ensino de Ciências destaca que a História da Ciência, por meio da Abordagem Contextual (AC) e as Atividades Investigativas (AI) contribuem para tornar as aulas mais desafiadoras e reflexivas, auxiliando a desenvolver o Pensamento Crítico dos alunos. Essas temáticas foram estudadas no Projeto de Pesquisa que buscou investigar como oficinas construídas e validadas por licenciandos integrantes do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência, fundamentadas na Abordagem Contextual e Atividades Investigativas, podem contribuir para manifestar potencial capacidades de Pensamento Crítico em estudantes da Escola Básica. Encontra-se na literatura autores que defendem que essas tendências são potenciais para o desenvolvimento do Pensamento Crítico, o que configurou-se como como hipótese deste trabalho. Como estudo central, optou-se por tratar como objeto de investigação a aplicação de uma oficina tratando da história da eletricidade que foi aplicada em escolas da rede pública. A coleta dos dados foi realizada através de instrumentos audiovisuais e registros escritos recolhidos nas aplicações. Os dados foram analisados de acordo com a Análise de Conteúdo, utilizando do auxílio do software WEBqda, que é uma ferramenta para análise de vídeo e áudio. Os resultados foram analisados de duas formas, a primeira consiste na análise de um instrumento que busca aproximar os objetivos da AC e das AI com as Capacidades do Pensamento Crítico. Já a segunda, propõem investigar quais capacidades do Pensamento Crítico são potencialmente manifestadas em estudantes que sofreram ação da proposta didática do PIBID Os resultados com o instrumento de aproximação aponta que há um estreitamento entre os objetivos da Abordagem Contextual e das Atividades Investigativas com as Capacidades do Pensamento Crítico, essa afirmação foi levantada após levantamento na literatura e reforçada com as respostas dos sujeitos que responderam o instrumento de aproximação. Já no que tange a análise das intervenções didáticas, os dados apontam que há a manifestação de Capacidades do Pensamento na área de clarificação elementar, sendo perseptível o manifesto das Capacidades de “focar uma questão” e “analisar argumentos”. Desta forma, o trabalho vem a contribuir para Ensino de Ciências indagando os profissionais da área a pensarem metodologias com vista a promover o desenvolvimento do Pensamento Crítico.

  • DANIELA SANTOS DE JESUS
  • O questionamento nos livros didáticos de química
  • Orientador : EDSON JOSE WARTHA
  • Data: 05/03/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Este estudo tem o objetivo de verificar e analisar a qualidade dos questionamentos presentes nos livros didáticos de química aprovados no PNLD de 2015 e de 2018. Para verificar os questionamentos foram construídas categorias que buscavam identificar a localização das questões, o contexto de incidência e a aceitação da diversidade de resposta para cada questionamento. Para a análise de qualidade dos questionamentos, fundamentamo-nos em indicadores como informação, consolidação, exploração, elaboração, síntese e avaliação, os quais indicam a qualidade dos questionamentos, mostrando quando uma questão tende a ter caráter de confirmação ou de transformação. Os resultados mostram que os livros didáticos de química apresentam, predominantemente, questionamentos ao final das seções, com alta incidência de questionamentos sobre a ciência escolar e aceitação de uma relativa diversidade de respostas. Em relação à qualidade, foi verificado que, nos questionamentos dos livros didáticos de química, é baixa, ou seja, a maioria dos questionamentos são questões de informação e de exploração, com poucas de síntese e avaliação. E, na comparação entre as coleções do PNLD 2015 e 2018, os questionamentos não sofreram grandes modificações, apresentando, assim, perfis muito próximos.

  • TÁSSIA ALEXANDRE TEIXEIRA BERTOLDO
  • RODA DE CONVERSA COMO ESTRATÉGIA PROMOTORA DE CAPACIDADES DE PENSAMENTO CRÍTICO
  • Orientador : EDSON JOSE WARTHA
  • Data: 02/03/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho apresenta a produção, implementação e análise da Roda de Conversa como estratégia de ensino na perspectiva do desenvolvimento de capacidades de Pensamento Crítico, capaz de possibilitar a reflexão e o diálogo de forma compartilhada. Para tal, foram realizadas três Rodas de conversa com cinco turmas de 7º ano do Ensino Fundamental tendo como tema gerador o “A vida de Darwin”. Trata-se de uma pesquisa qualitativa do tipo pesquisa-ação. O registro foi feito em gravação audiovisual, transcrito e discutido a partir do método de análise de conteúdo. Algumas ideias se destacaram, sendo possível a construção de categorias baseadas nas capacidades de Pensamento Crítico e nos questionamentos realizados nas Rodas de Conversa a partir da tipologia FA²IA. As discussões realizadas apresentaram possibilidades e limites desde a elaboração até a implementação desta estratégia, principalmente no que diz respeito ao tempo de espera e a quantidade de questionamentos. Inserir a Roda de Conversa nos contextos escolares remete à reflexão sobre diferentes estratégias de ensino que possibilitem a participação e a construção do conhecimento de forma crítica e propositiva. Além disso, se planejada e implementada a partir de capacidades de Pensamento Crítico, conduz à reflexão num caráter democrático e dialógico no processo de ensino e aprendizagem, em que todos os sujeitos podem participar da construção coletiva de um determinado saber.

  • GLEYSON SOUZA DOS SANTOS
  • QUESTÕES SOCIOCIENTÍFICAS COMO ABORDAGEM CONTROVERSA NOS LIVROS DIDÁTICOS DE CIÊNCIAS
  • Orientador : EDSON JOSE WARTHA
  • Data: 02/03/2018
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Os livros didáticos são ferramentas indispensáveis na elaboração de um plano de ação que os professores utilizam para alcançar os objetivos propostos. Por ser um material de apoio mais utilizado é necessário que este recurso dê suporte ao professor na construção do conhecimento do aluno. Nesta perspectiva, as questões sociocientíficas (QSC) estão sendo estudadas como abordagem metodológicas para se inserir a Ciência, a Tecnologia e a Sociedade com o propósito de suscitar no aluno o pensamento mais complexo para que possa olhar o mundo ao seu redor de forma diferente possibilitando fazer intervenções e uma tomada de decisão consciente. Neste contexto, a pesquisa é do tipo documental com abordagem qualitativa e tendo como principal objetivo verificar os livros didáticos de Ciências aprovados pelo PNLD – 2017 na intenção de encontrar as questões sociocientíficas e verificar como estas estavam sendo abordadas. Dessa forma, foi necessário construir uma escala de complexidade que pudéssemos mensurar as QSC. Sendo assim, categorizamos os princípios indicadores de complexidade proposto por Silva (2016) em aspectos sociocientíficos e conhecimento pertinente (C1), conhecimento pertinente e contextualização (C2) e fundamentos intencionais identitários (C3). Estas categorias serviram de critérios de análise para as QSC. Os resultados indicam que os livros didáticos apresentam questões sociocientificas, mas com níveis de complexidades diferenciados. Destas, as classificadas como satisfatórias e totalmente satisfatórias são mais viáveis do ponto de vista didático para promover uma aprendizagem significativa.

  • JOANNA ANGÉLICA MELO DE ANDRADE
  • FAMÍLIA E HABILIDADES SOCIOEMOCIONAIS: UM ESTUDO SOBRE A PESSOA COM DEFICIÊNCIA EM UM CURSO DE LICENCIATURA EM BIOLOGIA
  • Orientador : ALICE ALEXANDRE PAGAN
  • Data: 22/02/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A Educação Inclusiva refere-se à responsabilidade do governo e das instituições de ensino de cada país com a formação e qualificação das crianças e jovens com deficiência, respeitando os diversos tipos de diferenças. Nesse processo de inclusão, dois fatores são importantes, além das ações governamentais: 1) as habilidades socioemocionais (HSE) dos estudantes, que lhe garantirão possibilidades de inovação inclusiva e 2) a família, que desempenha papel importante, pois é no lar onde ocorre as primeiras relações interpessoais e por consequência onde o aprendizado começa. As HSE quando conduzidas adequadamente, preparam o indivíduo para buscar o que deseja, resolver situações cotidianas, discernir comportamentos e decisões, estabelecer metas, entre outras posturas que colaboram para o seu crescimento pessoal, assim como da sua comunidade. Contudo, por vezes, no intuito de proteger e cuidar da pessoa com deficiência, a família acaba por criar impasses que dificultam o desenvolvimento de determinadas competências e habilidades importantes para a vida em sociedade. Diante do exposto delimitamos como objetivo geral identificar e descrever as HSE de uma licencianda com deficiência do curso de licenciatura em biologia da Universidade Federal de Sergipe (UFS), compreendendo possíveis influências da família dessa aluna na construção destas habilidades. Esta é uma pesquisa de natureza exploratória, com abordagem qualitativa realizada através do método estudo de caso único. Ela ocorre no Departamento de Biologia (DBI) da UFS e como sujeitos da pesquisa temos uma aluna com deficiência devidamente matricula, um familiar da aluna (mãe), uma professora no curso e a intérprete de Língua Brasileiras de Sinais (LIBRAS), conferindo um total de quatro sujeitos. Para a coleta de dados utilizamos a entrevista semiestruturada e para a análise dos mesmo, adotamos a Análise Textual Discursiva proposta em Moraes e Galiazzi (2014). Os resultados apontam que a família da licencianda consultada atua equilibrando suas influencias entre o incentivo e a superproteção, havendo também relatos de algumas cenas de preconceito, advindos de parentes de fora do núcleo familiar. Dentre seus familiares sua mãe, parece ser a maior motivadora, e isto pode ser um dos fatores que colabora para a autonomia da aluna ao longo de seu processo de inclusão. Quanto à inclusão na universidade as entrevistadas relatam algumas dificuldades, que se transformam em barreiras, como o preconceito e a resistência de alguns colegas e professores ao longo do curso, contudo estas barreiras foram e estão sendo transpostas pela aluna, e a isto podemos relacionar algumas HSE identificadas, como autonomia, autorregulação, perseverança, organização, autocontrole e responsabilidade, as quais foram e estão sendo desenvolvidas tanto devido a influência do contexto familiar, quanto da própria vida acadêmica. Consideramos, portanto, que a família exerce influência na construção de HSE da licencianda, e que estas HSE estão intimamente ligadas ao desenvolvimento da aluna ao longo do processo de inclusão, e posterior formação.

  • EVERTON SANTOS OLIVEIRA
  • Fenômenos Elétricos e Estrutura da Matéria: tecendo relações entre os estudos de Michael Faraday e as concepções dos estudantes
  • Orientador : ERIVANILDO LOPES DA SILVA
  • Data: 19/01/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • As reformas curriculares ocorridas nas últimas décadas têm promovido mudanças nos objetivos e abordagens do Ensino de Ciências; nesse contexto, surge a defesa da inserção da História da Ciência através da Abordagem Contextual proposta pelo professor Michael R. Matthews, ou seja, a apresentação do contexto sócio-histórico que permeia o conhecimento científico em conjunto com a abordagem dos conceitos. Como objetivo propõe-se investigar como os constructos teóricos de Michael Faraday podem contribuir no âmbito do Ensino de Ciências, através da Abordagem Contextual, para compreensões cientificamente mais estruturadas quanto à Natureza Elétrica da Matéria, tendo como referência o levantamento das concepções dos estudantes expressas na literatura. A hipótese levantada é que a relação entre fenômenos elétricos e estrutura da matéria já pode ser pensada à luz dos constructos de Michael Faraday, mostrando a necessidade de se entender como as “partículas” se comportavam na eletrólise realizada por esse cientista. A coleta dos dados foi realizada através da Pesquisa Bibliográfica, que consistiu na elaboração e esboço dos procedimentos metodológicos que guiaram a busca e o detalhamento das fontes; para o tratamento dos dados utilizou-se da Análise de Conteúdo, que consiste na exposição e interpretação do conteúdo de toda classe de documentos e textos a partir de descrições sistemáticas e inferências. As categorias estabelecidas a priori foram construídas em concordância com as concepções dos estudantes obtidas através da literatura e com a proposta da Abordagem Contextual, sendo elas: Mecanismos que teorizam a constituição da matéria; Composição da matéria e sua relação com a eletricidade; Controvérsias entre Ideias; e Influências externas na produção do conhecimento científico. No que se refere as concepções dos estudantes expressas na literatura, em aspectos gerais os resultados apontam que os estudantes propõem modelos atômicos sem considerarem seu contexto de aplicação, não reconhecem a perda/transferência de elétrons como um modelo possível, possuem dificuldades para explicar a natureza e mobilidade dos íons, assim como relacionar a mobilidade de íons à formação da corrente elétrica. Os resultados permitem inferir que as concepções apresentadas por estudantes nos níveis médio e universitário apresentam aproximações com as ideias postas em debate durante o período sócio-histórico de Michael Faraday. Os elementos oriundos deste estudo, os quais estão pautados na tríade Ensino-Historiografia-Abordagem Contextual, são passiveis de inserção na abordagem de sala de aula e podem potencializar a compreensão conceitual, assim como a dinâmica do empreendimento científico.

  • ALEILSON DA SILVA RODRIGUES
  • Teatro científico como elemento de mobilização para o aprendizado de química e física no ensino fundamental
  • Orientador : ANA MARIA FREITAS TEIXEIRA
  • Data: 11/01/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Esse estudo consiste em uma análise sobre a utilização do Teatro Científico como um elemento de mobilização para aprender os conceitos da Química e da Física que integram o currículo do 9º ano do Ensino Fundamental, nas aulas de Ciências Naturais. Uma das bases teóricas centrais que fundamentam esse trabalho é a teoria da Relação com Saber, de Bernard Charlot, para dar sustentação à discussão sobre mobilização. Para tratar da especificidade do Ensino de Ciências, busca-se respaldo nos Parâmetros Curriculares Nacionais, e em autores que discutem o Ensino de Ciências, Bizzo, Krasilchick, Nardi, Cachapuz, Carvalho, Marandino e Delizoicov. A metodologia adotada se baseou na combinação entre diferentes estratégias, quais sejam: aplicação de questionários, realização de oficina incorporando o Teatro Científico e Balanços do Saber. Os dados produzidos são analisados na perspectiva qualitativa e quantitativa a fim de melhor compreender os fenômenos investigados permitindo responder aos objetivos pretendidos pelo estudo. Os dados produzidos pelos estudantes e registrados nas observações permitiram entender o teatro científico como uma prática que associa o desenvolvimento de habilidades ao aprendizado em ciências, mas que, para mobilizar o estudante deve-se atentar a aspectos como os diversos posicionamentos dos estudantes sobre a atividade e sobre o conhecimento ao longo dela, ampliar o conceito de aula de ciências e de teatro, para além da recreação, integrar a outras metodologias de ensino de ciências e a outras áreas do conhecimento

2017
Descrição
  • ELIANE VASCONCELOS OLIVEIRA
  • PEDAGOGIA DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO (TIC): OUTROS TEMPOS, OUTROS ESPAÇOS, OUTROS SABERES NECESSÁRIOS À PRÁTICA DOCENTE
  • Orientador : CARLOS ALBERTO DE VASCONCELOS
  • Data: 18/12/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A sociedade atual denominada de “sociedade informacional” tem como característica marcante a comunicação em alta velocidade. Assim, com a expansão das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC), a maneira do ser humano se comportar diante do mundo e do outro foi alterada. Nessa sociedade, o ambiente escolar divide espaço com computadores, internet, tablet, celulares, etc. Diante dessa realidade, os educadores estão desafiados a repensar os seus saberes e suas metodologias de ensino, assim como rever suas práticas docentes, a fim de possibilitar ao aluno a construção do conhecimento de forma lúdica, interativa e crítica. Nesta perspectiva, buscou-se por meio dessa pesquisa, compreender como os professores de Ciências Naturais e Matemática, utilizam as tecnologias, no Ensino Médio, para a construção do conhecimento. Na tentativa de subsidiar este estudo, buscamos apoio em autores como Castells, (2006); Freire, (2011). Kenski, (2001, 2003 e 2013). Libâneo, (2004 e 2015); Richardson, (2012); Tardif, (2010) e outros que abordam a temática. Optou-se pela abordagem qualitativa, tipo estudo de caso, com emprego das técnicas de observação, questionário e entrevista guiada. Para o estudo e interpretação dos dados optou-se pela análise de conteúdo de Bardin (2011, p.50), tendo em vista que esse método de análise das comunicações “visa o conhecimento de variáveis [...] por meio de mecanismos de dedução com base em indicadores reconstruídos a partir de uma amostra de mensagens particulares”. Sendo assim, foi possível perceber que: há docentes que permanecem alheios a essa realidade social permeada pelas TIC; as tecnologias adentraram o meio escolar, professores e alunos estão engajando-se no uso das TIC para fins pedagógicos; mas foi visível, também, a permanência de “velhas práticas” que não condizem com a realidade. Diante desses dados, esboçamos uma Pedagogia das Tecnologias na perspectiva de contribuir para que mudanças significativas aconteçam.

  • JOANA KELLY SOUZA DOS SANTOS
  • APROPRIAÇÕES DO MÉTODO INTUITIVO DE CALKINS NAS ORIENTAÇÕES PARA O ENSINO DE SABERES GEOMÉTRICOS EM REVISTAS PEDAGÓGICAS BRASILEIRAS (1890-1930)
  • Orientador : IVANETE BATISTA DOS SANTOS
  • Data: 05/12/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Neste texto é apresentado o resultado de uma pesquisa com o objetivo de caracterizar apropriações do método intuitivo de Calkins nas orientações para o ensino de saberes geométricos para o ensino primário, presente em exemplares de revistas pedagógicas brasileiras do período de 1890 a 1930, localizadas no repositório da UFSC. Foram adotados os entendimentos de Chartier (2003) para apropriação, Calkins (1886/1950) para a compreensão de princípios do método intuitivo e Leme da Silva (2015) para saberes geométricos. A opção por examinar o método intuitivo a partir de Calkins (1886/1950) pode ser justificada por sua identificação, em pesquisas brasileiras, como uma referência para o método intuitivo. Por meio do exame das fontes, foram identificados que as orientações para os saberes geométricos perpassavam por dois caminhos: explícito e implícito. No primeiro caso, quando os autores utilizavam expressões como lições de coisas ou Calkins no texto e implícito quando foi possível identificar usos dos princípios do método como defendido por Calkins. Com base nesses caminhos é possível caracterizar apropriações a partir da forma como os saberes geométricos estavam relacionados ao ensino das linhas, pontos, ângulos, formas geométricas, figuras geométricas e sólidos geométricos, que tinha o objetivo de estimular os sentidos da criança, principalmente a partir da vista. Os autores adotavam princípios do método intuitivo de Calkins (1886/1950) partindo, principalmente, do diálogo, instigando os alunos a ver os desenhos ou objetos e formar sentenças sobre os mesmos. A comparação, associação e classificação também foram identificadas no tratamento da educação da vista. A partir dessa constatação, é possível afirmar que as apropriações dos autores estavam relacionadas ao uso dos princípios de duas formas diferentes: com ênfase no uso de objetos ou a partir da imaginação da criança. Dessa forma, os autores que tratavam do método intuitivo de Calkins (1886/1950) tanto explícito como implicitamente para o ensino de saberes geométricos se apropriaram do princípio de educar a vista, uma vez que nas recomendações para o ensino a observação ganhava destaque.

  • ALDECI DOS SANTOS
  • PERCEPÇÃO AMBIENTAL DE ALUNOS DO ENSINO FUNDAMENTAL SOBRE O ECOSSISTEMA MANGUEZAL
  • Orientador : CARLOS ALBERTO DE VASCONCELOS
  • Data: 14/07/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O presente trabalho objetivou contribuir para a preservação ambiental dos manguezais através da Percepção Ambiental dos alunos do 6º ano de uma escola pública no município de Barra dos Coqueiros/SE. Para seu desenvolvimento, optou-se pela abordagem metodológica qualitativa, com viés ao estudo de caso. Quanto ao delineamento metodológico da pesquisa, esta foi dividida em três momentos: 1) diagnóstico sobre as percepções prévias dos alunos através de questionários e mapas mentais; 2) Realização de uma intervenção didática sobre abordagens do manguezal do município; 3) comparativo dos mapas mentais antes e pós intervenção educativa, afim de verificar se houve mudanças na percepção dos alunos. Ressalta-se ainda que todas as etapas mencionadas, foram realizadas durante as aulas de Ciências. Para a análise e interpretação dos mapas mentais confeccionados pelos alunos na primeira fase do trabalho, utilizou-se a metodologia proposta por Kozel (2001). A utilização do questionário e mapas mentais anteriores a intervenção didática apresentou importantes contribuições, no sentido de avaliar as percepções dos alunos quanto ao ecossistema manguezal, onde constatou-se que os discentes já apresentavam um conhecimento prévio quanto ao ecossistema. Já a intervenção didática contribuiu significativamente no processo de ensino e na ampliação do conhecimento que os alunos já apresentavam, sempre com enfoque para as questões ambientais. Quanto aos mapas mentais posteriores à intervenção, os alunos além de desenharem, fizeram uma descrição do que haviam ilustrado, facilitando assim o entendimento dos desenhos. Nos mapas e descrições supracitados, identificamos que a maioria dos discentes ressaltou os principais problemas ambientais a exemplo do lixo, como também a importância do ecossistema, tanto para a população que utiliza o manguezal como fonte de subsistência, como também para fauna local e animais visitantes. Foi possível constatar também que o entorno pode afetar o indivíduo e vice-versa, por meio de uma diversidade de interpretações positivas e negativas, com algumas visões distorcidas e depreciativas quanto ao ambiente foco do trabalho. Assim, a educação ambiental faz-se necessária no intuito de realizar, junto aos alunos, um processo de sensibilização quanto aos aspectos atitudinais, contribuindo para a preservação do ambiente ao seu redor, além de favorecer e estimular as relações mais estreitas destes com seu meio.

  • MARIA JOSÉ GUIMARÃES VIEIRA
  • UM OLHAR SOBRE O CORPO EM ESCOLA INDÍGENA: DIÁLOGOS ENTRE O ENSINO DE CIÊNCIAS E AS CONCEPÇOES DOS ALUNOS DO 8º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL
  • Orientador : EDINÉIA TAVARES LOPES
  • Data: 25/05/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O corpo tem sido objeto de investigação de diversas áreas do conhecimento, que vêm considerando a diversidade de abordagens e matrizes científicas sobre as ações concretas humanas manifestas em sua corporeidade. Se o fundamento da existência está nas interações corpóreas entre os homens, busca-se compreender as origens das percepções sobre o corpo do indivíduo e do outro enquanto alteridade. Na Educação Básica, todavia, o corpo humano é apresentado como um conjunto de sistemas e órgãos que se relacionam de maneira anatomofisiológica, principalmente no Ensino de Ciências, disciplina que enfaticamente estuda o corpo humano, mas não trabalha a dimensão corporal como essência de um ser/estar no mundo. Em comunidades e escolas indígenas, os professores deparam-se com a dificuldade de articular os conhecimentos científicos com os tradicionais da comunidade, que compõem a cultura e fortalecem a identidade daquele povo. Diante desses condicionantes, justifica-se portanto esse estudo que objetiva analisar as concepções sobre corpo manifestadas pelos alunos do 8º ano do Ensino Fundamental da escola indígena Xokó estabelecendo relações com o Ensino de Ciências. Trata-se de um estudo de abordagem qualitativa, utilizando-se da pesquisa documental e do estudo de caso. Como procedimentos de coleta de dados recorreu-se à entrevista semiestruturada, ao questionário e à evocação livre através de desenho e da expressão textual. Para análise dos dados obtidos será utilizada a análise textual discursiva, na perspectiva de Moraes e Galiazzi (2011). Na busca por compreender o contexto, utilizou-se como aporte teórico Hall (2005); Le Breton (2007); Grando (2009); Fleuri (2012); Silva (2000), entre outros. Os resultados apontam que nos desenhos e discursos dos alunos o corpo é percebido em sua dimensão vivida, como extensão de si mesmos para o mundo, principalmente quanto à vivência de práticas corporais próprias da comunidade indígena ainda reveladoras da coletividade tribal (correr, nadar, brincar, dançar), porém com significados já distintos dos pressupostos originais e antepassados. Ainda que os alunos não possuam uma compreensão holística do corpo, percebendo-o em toda a sua complexidade concreta, histórico-cultural e social, as suas falas demonstram que reconhecem o corpo como o instrumento vivencial de socialização e experimentação do mundo. Em contrapartida, dada a influência do currículo escolar, notadamente no Ensino de Ciências, na formação dos alunos, o conteúdo ‘corpo’ é apresentado a partir de uma visão centrada apenas nos aspectos anatomofisiológico, colaborando para que os alunos indígenas, sujeitos desse estudo, construíssem uma concepção híbrida que mescla esse corpo vivido a uma concepção fragmentada e reducionista marcando, por conseguinte, os modos de ser/estar dos adolescentes Xokó.

  • KATIA MARIA LIMEIRA SANTOS
  • Tecnologias da Informação e comunicação no ensino de matemática: uma abordagem da prática docente.
  • Orientador : CARLOS ALBERTO DE VASCONCELOS
  • Data: 05/05/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A presente pesquisa busca investigar a prática docente do professor de Matemática ao utilizar as TIC (Tecnologias da Informação e Comunicação), a partir de pressupostos teóricos do ensino da matemática, bem como identificar as TIC utilizadas em sua prática docente e analisar as concepções dos professores sobre os resultados ao utilizar o Software Geogebra. Para atingir os objetivos propostos optou-se por uma abordagem de pesquisa qualitativa, com delineamento metodológico de estudo de caso utilizando-se das técnicas de observação e entrevista com dois professores que lecionam a disciplina Matemática em uma escola pública de Aracaju/SE. Para tanto, foi construído um quadro teórico, tendo como suporte os estudos de Borba (2014), Castells (2006), Kenski (2004, 2006, 2013 e 2016), Levy (1997), Moreira (2005), Nacarato (2013), Pais (2008), Pimenta (2006), Primo (2011) dentre outros autores que fundamentam a utilização das TIC no ensino de Matemática. A realização desse estudo possibilitou conhecer o contexto em que ocorreu a pesquisa, as ações dos sujeitos (P1 e P2) inseridos, e o espaço da investigação sobre as TIC como instrumento pedagógico através da utilização do Software GeoGebra. Como resultados alcançados, a priori, percebemos que os professores se utilizam das TIC como algo a mais para motivar os alunos, e em suas ações demonstraram uma prática docente que oportuniza a aprendizagem de todos os alunos, bem como integração com as TIC no ensino de matemática, mostrando que é possível uma didática que vislumbre a aprendizagem do aluno na contemporaneidade.

  • ROSEMARY SANTOS
  • SABERES MATEMÁTICOS IDENTIFICADOS EM PROVAS DO EXAME DE ADMISSÃO AO GINÁSIO DO COLÉGIO SÃO PAULO (1931-1969)
  • Orientador : IVANETE BATISTA DOS SANTOS
  • Data: 31/03/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Neste texto é apresentado o resultado de uma pesquisa que teve por objetivo identificar saberes matemáticos utilizados nos enunciados das questões das provas dos exames de admissão ao ginásio, no período compreendido entre 1931 a 1969. Tal exame tinha o propósito de selecionar estudantes que haviam concluído o ensino primário e pretendiam dar continuidade aos estudos, e ao serem aprovados, ingressavam na primeira série do ensino ginasial no Ginásio do Colégio São Paulo. As provas foram examinadas a partir do DVD-ROOM organizado por Valente (2001) tomando como base, o entendimento de Chervel (1990) para aparelho docimologico. O exame das provas que permite identificar que a maioria dos problemas foram elaborados utilizando uma combinação de mais de um conteúdo, como área de quadrilátero moeda brasileira e área, medidas de comprimento e fração. E o destaque vai para dois conteúdos fração e medidas, que aparecem separados ou em combinação. Do exame efetuado é possível afirmar que o cálculo elementar prescrito na Reforma Francisco Campos pode ser considerado como os conteúdos que permitem resolver situações com aplicação de conteúdos como fração, medidas de comprimento, peso e moeda brasileira com aplicações que poderiam acontecer dentro e fora do ambiente escolar.

  • SAMIRA CRISTINA DE SANTANA PENA
  • ESTUDO QUANTITATIVO DA CARÊNCIA E DA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE CIÊNCIAS NATURAIS PARA ENSINO FUNDAMENTAL
  • Orientador : RENATO SANTOS ARAUJO
  • Data: 31/03/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O objetivo dessa pesquisa é verificar como as políticas públicas de formação de professores no Brasil têm atuado para a formação de professores de ciências naturais, tendo em vista a falta de professores que caracteriza o cenário nacional e o prazo de dez anos, determinado pelo Plano Nacional de Educação (PNE). A motivação para realização dessa pesquisa surgiu ao longo de minha formação na graduação, na qual percebi a falta de conteúdos destinadas ao ensino de ciências naturais. Esta pesquisa está inserida em um projeto maior coordenado pelo Professor Renato Santos Araujo, o qual estuda as políticas públicas de formação de professores de física, química, biologia, ciências naturais e matemática com foco no Programa Institucional de Bolsa Iniciação à Docência (PIBID/CAPES). Nesta dissertação será realizada parte da primeira etapa do projeto maior destinada à formação de professores de ciências naturais. O trabalho será dividido em etapas: primeiramente apresenta-se o curso de Licenciatura em Ciências Naturais ao longo do século XX e observa-se que no momento atual não está claro na legislação quem deve lecionar essa disciplina nos anos finais do ensino fundamental. Isto justificou uma revisão bibliográfica sobre o ensino de ciências e a formação de professores de ciências. Nesse contexto, buscou-se discutir os saberes necessários para a formação dos professores de ciências, como por exemplo conhecer a matéria, adquirir conhecimentos teórico, fazer uso da pesquisa e da inovação, saber avaliar e outros. Dessa forma foi possível traçar um perfil para esse profissional e esclarecer que para se ensinar ciências é necessário ter saberes e práticas específicas. Em seguida foram apresentadas algumas políticas públicas destinadas à formação de docentes, como o PIBID, o PARFOR, o PRODOCÊNCIA e a UAB, numa espécie de panorama do foi feito pelos governantes neste século. Metodologicamente, foi realizada uma pesquisa documental, com abordagem quantitativa. As fontes de dados usadas foram as Sinopses Estatísticas do Ensino Superior e da Educação Básica, publicadas pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (INEP), e o Portal CultivEduca, criado pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Os dados coletados informam, sobre os cursos de licenciatura, a oferta de vagas, número de candidatos, ingressos, matrículas e concluintes, e sobre a educação básica, o número de turmas, professores que lecionam ciências naturais e suas titulações. As análises de dados produziram, dentre outros resultados, estimativas para as taxas de evasão e estimativas de concluintes. A análise de dados foi realizada por meio de estatística descritiva e foi possível destacar que houve uma diminuição da oferta de vagas para os cursos de Licenciatura em Ciências Naturais e que grande parte dos professores que lecionam essa disciplina nas escolas brasileiras não possuem a formação exigida pela LDB. É provável que essa Licenciatura possa acabar extinta e sendo substituído por outras licenciaturas, como Ciências Biológicas.

  • JOSÉ WILDSON DOS SANTOS
  • ENSINO PARA SAÚDE EM ESCOLAS DA REDE PÚBLICA ESTADUAL DE SERGIPE
  • Orientador : CARLOS ALBERTO DE VASCONCELOS
  • Data: 31/03/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Sempre se buscou tendenciosamente conceber a saúde pelo viés unilateral das ciências biológicas. Estar saudável era compreendido enquanto uma relação de ação-reação onde devíamos simplesmente praticar atividades físicas, cuidar da higiene pessoal e manter bons hábitos alimentares. Assim, acreditava-se que cabia exclusivamente às ações individuais para se manter saudável. A conceituação apresentada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em meados do século XIX defende que a saúde é um estado de perfeito bem estar físico, mental e social, o que nos trouxe a necessidade de repensarmos o próprio ser humano, procurando concebê-lo enquanto um todo composto por diferentes partes. Com estas premissas, acreditamos que se torna fundamental que a escola, o locus de investigação da presente pesquisa, procure desenvolver uma política educacional voltada para o ensino da saúde pautado na perspectiva da omnilateralidade, procurando compreender o ser como um todo e a partir daí procurar intervir na perspectiva da totalidade, evitando a fragmentação. Com esta compreensão e para o desenvolvimento da presente pesquisa realizamos um diagnóstico referente ao ensino para saúde, e após detectados e analisados os possíveis problemas, foram deliberadas coletivamente pelo corpo docente diferentes ações que procurassem promover uma melhora qualitativa no processo de ensino em nossa instituição educacional. Assim, contribuir na melhoria do ensino para a saúde nas escolas da rede pública estadual de Sergipe, tomando como modelo nossa amostra foi o objetivo principal da nossa intervenção. A abordagem adotada enquanto metodologia foi o estudo de caso e o método, a pesquisa-ação, a qual se caracteriza enquanto uma ação voluntária, racional e crítica capaz de transformar uma dada realidade a partir da intervenção coletiva e intencional dos pares de uma dada realidade. Acreditamos que a melhora qualitativa do ensino dos professores voltado para a compreensão da saúde como um todo, integrado e interligado, contribui significativamente para a construção da cidadania para a saúde dos seus discentes.

  • JOSÉ ERISVALDO LESSA VIEIRA
  • AS GEOMETRIAS DO CURSO SUPERIOR E OS CONTEÚDOS GEOMÉTRICOS DO ENSINO MÉDIO: UM ESTUDO DAS RELAÇÕES EXISTENTES NO ENTENDIMENTO DE EGRESSOS DA LICENCIATURA EM MATEMÁTICA DO IFAL
  • Data: 30/03/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Esta dissertação apresenta os resultados de uma pesquisa que teve como objetivo geral investigar as relações existentes, no entendimento de egressos da licenciatura em matemática do Instituto Federal de Alagoas – IFAL, entre as disciplinas de geometria abordadas na formação do professor e os conteúdos geométricos do ensino médio. Trata-se de um estudo de caso, com 6 egressos da licenciatura em matemática IFAL, campus/Maceió, que atuam na rede pública de ensino. A análise de dados, de natureza qualitativa, utilizou-se de diferentes técnicas para a coleta: análise documental, questionários e entrevista. O aporte teórico teve como foco a temática formação de professores, saberes docente e ensino de geometria. Para a Formação de professores – Tardif (2014) e Imbernón (2011), principalmente; Formação do professor de matemática pautou-se, em Moreira e David (2014), Nacarato e Paiva (2008), Cury (2001); e quanto ao Ensino de geometria, os estudos Lorenzato (1995), Pavanello (2002). A partir da análise documental e das falas dos sujeitos, foi possível identificar a abordagem dos conteúdos na formação dos egressos por meio de teoremas, axiomas e demonstrações, que segundo os egressos favorecem para uma ampla visualização dos conteúdos do ensino médio, antes mesmo de adentrarem na sala de aula. Por outro lado, essa abordagem é pouco utilizada em suas práticas pedagógicas, visto que, a abordagem nos livros didáticos inicia-se intuitivamente, além dos alunos da educação básica demonstrarem pouco domínio nas argumentações, dificultando o avanço gradual no conhecimento geométrico.

  • RAFAELA CRISTINA DA SILVA SANTOS
  • Ciência-Tecnologia-Sociedade: suas interrelações e seu ensino nas concepções de licenciandos em Química de um universidade da rede privada da cidade de Aracaju
  • Orientador : ADJANE DA COSTA TOURINHO E SILVA
  • Data: 30/03/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A presente pesquisa buscou analisar as concepções sobre C-T-S (Ciência-Tecnologia-Sociedade) e sobre o ensino nessa perspectiva, de formandos em Química de uma IES (Instituição de Ensino Superior) da rede privada da cidade de Aracaju, no estado de Sergipe, relacionando tais concepções a aspectos relevantes de suas formações iniciais. A magnitude desta pesquisa ancora-se no acelerado desenvolvimento dos conhecimentos científicos e tecnológicos, bem como em suas influências de maneira direta e indireta nas esferas humanas, sociais, culturais e econômicas. Assim, torna-se instigante analisar as concepções que tais formandos possuem sobre a natureza da Ciência, dos saberes científicos, bem como sobre as interrelações C-T-S, uma vez que estes serão os responsáveis pela alfabetização científica no ambiente escolar, de modo a buscar formar sujeitos críticos e reflexivos. A pesquisa foi desenvolvida por meio de uma abordagem qualitativa. Para tal, a fase de coleta e tratamento de dados dividiu-se em três momentos. No primeiro, houve a análise da matriz curricular do curso de Licenciatura em Química ofertado pela IES. Essa análise teve por objetivo verificar a existência ou não de disciplinas que contemplam as concepções CTS, bem como compreender a linha filosófica que esta matriz curricular busca seguir; ainda nesta etapa, foi realizada uma pesquisa do tipo estado da arte, que selecionou trabalhos existentes no meio acadêmico que se aproximam ou assemelham-se ao tema objeto da nossa pesquisa. No segundo momento, houve aplicação de um questionário investigativo, composto por duas partes: a primeira constituiu-se na versão portuguesa abreviada por Canavarro (1999) do questionário VOSTS (Views on Science-Technology-Society), contendo 14 questões. A segunda parte do questionário, compôs-se por 06 questões abertas sobre ensino de C-T-S e a formação inicial dos sujeitos relacionada a esse paradigma de ensino. No terceiro momento, houve a aplicação de um grupo focal com 06 dentre os 07 sujeitos da pesquisa. Para a análise dos dados coletados por meio do questionário VOSTS, optou-se por uma categorização das respostas tendo em vista as categorias que foram estabelecidas por Canavarro (1999) em sua versão adaptada do questionário VOSTS. Para a análise da segunda etapa do questionário e dos dados coletados por meio do grupo focal, foi utilizada a Análise Textual Discursiva, proposta por Moraes e Galiazzi (2011). Os resultados obtidos na pesquisa permitem evidenciar que as concepções CTS que os sujeitos possuem, em sua maioria, são consentâneas com as categorias já definidas na literatura como realistas e aceitáveis sobre Ciência e Tecnologia e suas influencias na Sociedade. Sendo assim, os integrantes da pesquisa possuem concepções CTS aceitáveis a sua formação. Com relação às concepções sobre ensino de CTS, os licenciandos informam que a sua formação inicial contribuiu para a compreensão deste paradigma, porém muitos consideram não ter sido o suficiente para a sua atuação profissional.

  • VANDO KLEBER SANTOS SOARES
  • DESENVOLVIMENTO DO CONHECIMENTO FÍSICO COM A APRENDIZAGEM BASEADA EM PROBLEMAS: Análises das interações discentes
  • Orientador : CELSO JOSE VIANA BARBOSA
  • Data: 30/03/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O ensino demasiado expositivo, agravado pela forte matematização que reduz a aprendizagem a um conjunto de fórmulas e cálculos, são uma constante no ensino-aprendizagem de Física. Nesse modelo o ensino se mostra pouco dialogado produzindo uma aprendizagem passiva e mecanicista. O método da Aprendizagem Baseada em Problemas (ABP), tradução do inglês Problem Based Learnig (PBL), se mostra como alternativa a formação em Física. Esse método tem se firmado cada vez mais em diferentes cursos no ensino superior, onde surgiu, e vem ganhando espaço nos outros níveis de ensino, visto a sua vocação em promover a aprendizagem ativa a partir da resolução de situações-problema. Dessa forma, saber como , identificando com a sua adoção nas aulas de Física em uma turma da terceira série do ensino médio se configuram na questão e objetivo principal deste trabalho. Nesse contexto, lançamos mãos do trabalho de Vygotsky como referencial teórico que subsidia nossa investigação, somado aos constructos de wertsch e a ferramenta analítica de Mortimer e Scott (2002). Adotando o caminho metodológico, que possui um caráter qualitativo de pesquisa, procedemos a uma análise A observação participante é a técnica escolhida na realização desse trabalho, assim como, a adoção de questionário e entrevista.

  • MAÍSA PEREIRA DE JESUS
  • CONTEXTUALIZAÇÃO DO ENSINO DE QUÍMICA POR MEIO DO ENFOQUE CTS ATRELADO A PEDAGOGIA DE PAULO FREIRE
  • Orientador : ADJANE DA COSTA TOURINHO E SILVA
  • Data: 29/03/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O ensino de Ciências na perspectiva Ciência-Tecnologia-Sociedade (CTS) propõe-se a formar um aluno com concepção crítica e ampliar o seu olhar sobre o papel da ciência e da tecnologia na sociedade, valorizando as interações entre tais esferas. Discutir ciência, tecnologia e sociedade em sala de aula, abrange valores e atitudes que precisam estar associados à compreensão conceitual dos temas da disciplina inerentes aos aspectos sociais e científicos, de modo a favorecer a capacidade de tomada de decisão dos indivíduos enquanto cidadãos. O ensino de CTS apresenta similitude com a pedagogia libertadora de Paulo Freire, ao defender uma educação politizada, que estimula a soberania popular. Paulo Freire destaca a utilização de um “tema gerador” como forma de contextualizar o ensino. Ao longo do processo de alfabetização de adultos, ele propôs o uso de temas geradores. O ensino de CTS tem como pilar a alfabetização científica, a qual está ligada ao intuito de formação do cidadão, entendido como um indivíduo capaz de participar ativamente de uma sociedade democrática, com habilidade de defender um ponto de vista, ou seja, com capacidade de argumentação. Nesse sentido, o desenvolvimento de práticas argumentativas em sala de aula auxilia o processo de alfabetização científica. Diante desses pressupostos, esta dissertação apresenta a análise do desenvolvimento de uma sequência didática (SD) composta por 8 aulas, sendo que nas duas últimas são propiciados momentos de discussões argumentativas entre os alunos. A SD foi elaborada na perspectiva de ensino de CTS e da Pedagogia de Paulo Freire, considerando o tema-gerador “alimentos”. A pesquisa buscou verificar como o desenvolvimento da SD, em uma turma de 3º ano do Ensino Médio, contribuiu para a capacidade argumentativa dos alunos, aliando as concepções cientificas a aspectos sociais e econômicos. Ela caracterizou-se como pesquisa-intervenção, que é uma tendência das pesquisas participantes, seguindo uma abordagem qualitativa. A obtenção dos dados se deu mediante filmagens com duas câmeras de vídeo, uma focalizando toda a turma, e outra, um grupo especifico de alunos. Os dados registrados em vídeo foram analisados considerando-se categorias analíticas focadas nas ações do professor e nas discussões entre os alunos. Para as ações do professor foram utilizadas categorias apresentadas por Mortimer e Scott (2003), sendo elas: abordagem comunicativa, padrões de interação e intenções do professor. As discussões entre os alunos foram analisadas considerando o Padrão de Argumentação de Toulmin (2006). Ao longo da SD, a professora buscou promover uma tomada de consciência dos alunos em relação aos alimentos industrializados, com corantes, conservantes e a sociedade de consumo, inter-relacionando o conteúdo químico com a realidade do aluno, sob uma perspectiva crítica sobre os valores capitalistas. Com o intuito de gerar discussões argumentativas entre os alunos, a professora inseriu questões norteadoras. Nesses momentos de discussão, ela trabalhou com as intenções de explorar os pontos de vista dos alunos e guiá-los no processo de internalização das ideias científicas. A abordagem comunicativa variou entre a interativa/dialógica e a interativa/de autoridade. Os resultados obtidos indicam como as ações da professora possibilitarram as interações entre os alunos e a elaboração conjunta de argumentos, os quais levavam em conta aspectos sociais e tecnológicos aliados aos conhecimentos científicos. Verificou-se ainda a elaboração de um olhar crítico dos alunos diante dos alimentos industrializados na sociedade de consumo atual.

  • SHIRLEYDE DIAS DO NASCIMENTO
  • UMA ANÁLISE DA INTEGRAÇÃO CURRICULAR NO IFS/CAMPUS ARACAJU: SUA CONSTITUIÇÃO E OS SEUS EFEITOS SOBRE O ENSINO DA MATEMÁTICA NO CURSO DE ELETROTÉCNICA
  • Data: 29/03/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A presente Dissertação, submetida ao Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências e Matemática da Universidade Federal de Sergipe (UFS), realizou um estudo acerca do Currículo Integrado, objetivando analisar como se constitui a integração curricular e saber como se efetiva o ensino da Matemática, tomando como recorte o Curso de Nível Técnico de Nível Médio Integrado em Eletrotécnica do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Sergipe – IFS/Campus Aracaju/SE. A organização do Currículo Integrado se dá a partir do Decreto nº 5.154/2004, consolidando-se outras formas de ensino profissional de nível médio e incluindo-se o compromisso com a possibilidade de o Ensino Técnico ser novamente ofertado de forma integrada com o Ensino Médio, por meio de uma organização curricular que possibilita ao aluno cursar a formação básica e a formação profissional ao mesmo tempo, objetivando integrar os conhecimentos socialmente produzidos, tendo em vista, tanto a formação geral, como a formação para o trabalho. Para que o objetivo central dessa pesquisa fosse alcançado, foram utilizados os seguintes instrumentos de coleta de dados: análise documental, de forma a poder conhecer como se organiza o Currículo Integrado, examinando se o Projeto Pedagógico do Curso Técnico de Nível Médio Integrado em Eletrotécnica orienta no sentido da integração entre as diversas áreas do conhecimento; e, ainda, se é possível identificar como os conteúdos matemáticos estão contemplados. Realizamos entrevista semiestruturada com os docentes para avaliar a concepção de Currículo Integrado e a prática de ensino no âmbito desse currículo e com os grupos focais formados por discentes para identificar a pertinência dos assuntos matemáticos voltados à formação técnica e qual o sentido atribuído a esse saber. Como principais resultados, destacamos que o Projeto Pedagógico do Curso apresenta orientação na perspectiva da integração entre as diversas áreas do conhecimento, como também, assinala que para a concretização da integração curricular devem ser priorizadas metodologias adequadas ao propósito da integração entre as disciplinas, embora não foi evidenciada a relação com o proposto pelo documento na concretização objetiva da prática pedagógica dos docentes. A partir dos depoimentos obtidos foram constatadas concepções acerca do Currículo Integrado que apontam de forma mais evidente uma referência à oferta de curso que integra o Ensino Técnico ao Ensino Médio, com disciplinas atuando em função de objetivos distintos, de um lado as disciplinas gerais preparam para o Exame Nacional do Ensino Médio – ENEM; do outro, as técnicas para formação profissional. Os dados demostram ausência de integração entre as disciplinas, tendo sido apontado pelos discentes que os conteúdos da Matemática se voltam mais para o escopo do Ensino Médio, não se relacionando com as disciplinas técnicas, sendo sublinhado que as ações não integradas entre os professores nas situações de ensino afetam a aprendizagem de Matemática. Concluiu-se, a partir do conjunto dos dados, que a integração curricular da forma como se constitui, a começar pela ausência de integração entre as disciplinas que compõem esse currículo, não assinala efeitos significativos na forma de ensinar Matemática.

  • ALDIRENE PINHEIRO SANTOS
  • O ENSINO DE QUÍMICA NA PERSPECTIVA DO MODELO CTS NAS ESCOLAS PÚBLICAS CENTROS DE EXCELÊNCIA DA CIDADE DE ARACAJU/SE
  • Orientador : SAMISIA MARIA FERNANDES MACHADO
  • Data: 28/03/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Tradicionalmente o ensino de Química é trabalhado de forma descontextualizada, exigindo dos alunos a memorização excessiva de fórmulas e conceitos que em nada lhes servirão para viverem em uma sociedade tecnocientífica. Neste sentido, o modelo CTS (Ciência, Tecnologia e Sociedade) surge como uma alternativa viável por promover uma educação científica que permite ao aluno o conhecimento químico de forma contextualizada e o desenvolvimento de valores que proporcionam a formação de cidadãos cientes de seus direitos e deveres sociais, auxiliando-os nas tomadas de decisões responsáveis sob a ótica da ciência, da tecnologia e da sociedade. O presente trabalho teve como objetivo verificar em que medida as inovações no Ensino de Química estão presentes no projeto político pedagógico das escolas Centros Experimentais do Estado de Sergipe (Colégio Estadual Marco Maciel, Colégio Estadual Vitória de Santa Maria e o Colégio Estadual Atheneu Sergipense) e quais as percepções que os professores de Química dessas escolas têm do modelo CTS. A escolha das escolas foi baseada no fato destas fazerem parte do programa de políticas públicas “Programa Ensino Médio Inovador (ProEMI)” e apresentarem uma proposta diferenciada de ensino, que visa além de resolver os problemas comuns do ensino médio (evasão, repetência, distorção idade/série), a formação e o aprimoramento dos jovens, incluindo a formação ética e cidadã, o desenvolvimento intelectual e do pensamento crítico bem como a compreensão dos fundamentos científico-tecnológicos, relacionando a teoria com a prática, privilegiando assim o caráter interdisciplinar da Educação.A metodologia utilizada foi uma abordagem qualitativa e explicativa. Os instrumentos de coleta de dados utilizados foram a entrevista semiestruturada e o questionário VOSTS (Viewson Science-Tecnology-Society). A análise dos resultados foi feita utilizando-se a análise de conteúdos de acordo com Bardin. Foram entrevistados cinco professores dos quais três afirmaram utilizar o modelo CTS como estratégias de ensino, um conhece o modelo mas não faz uso, enquanto que um outro o desconhece. Este trabalho de pesquisa foi realizado com os três professores que afirmaram conhecer e utilizar o modelo CTS em suas aulas.

  • ANA CACIA SANTOS
  • ABORDAGEM HISTÓRICA DA FÍSICA MODERNA E CONTEMPORÂNEA NO ENSINO MÉDIO
  • Orientador : DIVANIZIA DO NASCIMENTO SOUZA
  • Data: 28/03/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Neste estudo pretendeu-se investigar sobre a inserção da Física Moderna e Contemporânea no Ensino médio por meio da abordagem histórica da Física, com base em pesquisas e reflexões sobre essa temática. Buscou-se pesquisar se é possível ensinar sobre essa nova Física na primeira série do Ensino Médio. A pesquisa foi desenvolvida com alunos do Ensino Médio de dois colégios públicos estaduais do Estado de Sergipe, sendo um localizado na capital sergipana e o outro no sertão sergipano. A metodologia foi fundamentada na pesquisa-ação, considerando as ideias de Barbier (2007) e Franco (2005). Para análise dos dados nos debruçamos sobre a Teoria do Pensamento Crítico a partir dos estudos de Ennis (1985), Buiegon e Tarouco (2015) e Tenreiro-Vieira e Vieira (2006). Nas atividades desenvolvida, os alunos foram motivados e mobilizados a refletir, questionar e argumentar sobre a história de Albert Einstein. Os resultados mostraram que é viável usar a abordagem histórica em sala de aula de maneira a estimular os alunos a estudarem os conteúdos da física, como também é possível trabalhar com a temática Física Moderna no ensino médio a partir do seu contexto histórico.

  • VANESSA GRACIELA SOUZA CAMPOS
  • MATEMÁTICA E COTIDIANO: PROCESSOS METACOGNITIVOS CONSTRUÍDOS POR ESTUDANTES DA EJA PARA RESOLVER PROBLEMAS MATEMÁTICOS
  • Orientador : VELEIDA ANAHI DA SILVA
  • Data: 28/03/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Este estudo objetivou desvelar quais estratégias metacognitivas são construídas por estudantes da EJA, em fase de letramento, ao resolver problemas matemáticos e de que maneira o diálogo entre essas estratégias interfere no seu desempenho escolar. Para tanto, a pesquisa foi realizada por meio de uma intervenção pedagógica em uma turma, cuja instituição de ensino pertence ao Sistema S, compondo-se de onze participantes. A abordagem metodológica deste estudo consiste no tipo pesquisa-ação organizada nas seguintes etapas: observação, entrevistas, aplicação de questionários, aplicação de sequências didáticas e elaboração de diário de campo para coleta e análise dos dados obtidos. A incursão bibliográfica reporta-se em autores como Flavell, Miller e Miller (1999); Ludovico et al (2001); Portilho (2011); Locatelli (2014); Silva (2009); Souza (2009); Charlot (2000, 2005, 2013); Freire (2015); Dante (2010) que subsidiaram as interpretações dos fenômenos didáticos ocorridos em sala de aula, sob a ótica de quatro categorias: Matemática na EJA, Resolução de Problemas Matemáticos, Metacognição e Relação com o Saber. A análise dos dados permitiu dessumir incidências mútuas entre o conceito de Metacognição e a teoria da Relação com o Saber, uma vez que ambos conceitos abordam o olhar do sujeito sobre si próprio e sobre o saber. Ou seja, a compreensão dos processos metacognitivos favorece a aprendizagem dos alunos, ao se sentirem capazes de perceber o que sabem e como aprendem, tanto de forma individual como coletiva em sala de aula. Para tanto, percebeu-se que a resolução de problemas matemáticos apresenta-se como metodologia favorável a esse processo, instigando os sujeitos a pensarem sobre seu próprio raciocínio enquanto estão trabalhando as atividades propostas nas aulas. Notou-se também que as dimensões social e identitária dos sujeitos pesquisados, na sua relação com o saber, permeiam toda a conjuntura do olhar para si e para os demais colegas durante a resolução das tarefas propostas: pensar no porquê de suas dificuldades e/ou habilidades; admitir-se enquanto sujeito singular e social; fazer comparativos consigo e com os demais colegas; lidar com sua individualidade e, ao mesmo tempo, permitir a troca de conhecimentos.

  • MARIA CAMILA LIMA BRITO DE JESUS
  • A EDUCAÇÃO DAS RELAÇÕES ÉTNICO-RACIAIS: OLHARES NA FORMAÇÃO DOCENTE EM ENSINO DE CIÊNCIAS/QUÍMICA
  • Orientador : EDINÉIA TAVARES LOPES
  • Data: 28/03/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Esta é uma investigação de mestrado que trata sobre as aproximações e distanciamentos identificados entre a formação docente (inicial e continuada), vivenciada por cinco mestrandas, e o ensino da Educação das Relações Étnico-Raciais (ERER). O trabalho tem como objetivo investigar as relações estabelecidas entre as trajetórias de vida de licenciadas em Química, de uma turma do mestrado em Ensino de Ciências e Matemática 2015 e a inserção da Educação nas Relações Étnico-Raciais em suas práticas pedagógicas. Os objetivos específicos são: a) Analisar as visões das mestrandas acerca das orientações para a Educação das Relações Étnico-raciais; b) Analisar as conexões entre a Educação das Relações Étnico-raciais e a trajetória acadêmica e profissional das mestrandas; c) Investigar as visões das mestrandas acerca dos limites e possibilidades da inserção da Educação das Relações Étnico-raciais em suas práticas pedagógicas no ensino de Química. Este estudo tem como abordagem a pesquisa qualitativa. Os métodos de coleta de dados utilizados nesta pesquisa foram Questionário e Análise Documental. A análise dos dados foi realizada por meio do sistema on-line webQDA - um software de apoio à análise de dados qualitativos num ambiente colaborativo e distribuído. Os dados foram transferidos a este software e realizada a análise documental, a descrição dos sujeitos e uma análise qualitativa das respostas referente as percepções dos mestrandos a inserção da ERER nos cursos de licenciaturas e a relação entre o Ensino de Ciências e a ERER no ensino. A partir disso, foi realizada reflexões acerca da inserção da ERER nas instituições de ensino, em que construímos uma linha de pensamento iniciando com discussões da trajetória do movimento negro e o conceito étnico-racial. Em seguida, analisamos os documentos oficiais/legais que abordam a ERER e a inserção da temática nas Instituições de Ensino Superior. Nessa perspectiva, traçamos conexões entre a ERER e a trajetória acadêmica e profissional das mestrandas. Por fim, discutimos os limites e as possibilidades da inserção da ERER no Ensino de Ciências/Química.

  • KAMILLA VENTURA DA SILVA LOPES
  • O ENSINO DE ASTRONOMIA NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE FÍSICA
  • Orientador : DIVANIZIA DO NASCIMENTO SOUZA
  • Data: 27/03/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A educação em Astronomia ainda é pouco vivenciada aqui no Brasil. Os cursos de licenciatura em Física que, em princípio, deveriam também contemplar conteúdos ligados à Astronomia, pouco abordam sobre essa ciência em disciplinas obrigatórias. Em alguns cursos, temas claramente relacionados à Astronomia são parte do conteúdo de disciplinas optativas. Embora, observe-se um crescente interesse por investigações sobre o tema em estudos em pós-graduação. Considerando que conhecimentos sobre Astronomia também podem ser abordados nas licenciaturas em Física em atividades que não sejam disciplinas, buscamos desenvolver uma oficina didática sobre conteúdos de Astronomia tendo como participantes alunos bolsistas do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID) de Física na Universidade Federal de Tocantins, Campus Araguaína. As atividades buscaram motivar os estudantes para a discussão sobre conteúdos de Astronomia, considerando-se a interligação dessa ciência ao cotidiano. As atividades desenvolvidas com os alunos foram planejadas no formato de oficina, buscando promover o desenvolvimento de competências e habilidades descritas nos Parâmetros Curriculares Nacionais do Ensino Fundamental no que se refere à Astronomia. Ao final das atividades, concluímos que a oficina foi efetiva em despertar o interesse dos alunos para a discussão sobre conceitos da Astronomia e sobre a importância dos conhecimentos dessa ciência para a formação do professor de Física. Conclui que esse tipo de atividade contribui para minimizar as lacunas na formação inicial do professor de Física com relação a conhecimentos básicos sobre Astronomia.

  • UILDE DE SANTANA MENEZES
  • OS DESAFIOS DE PROFESSORES DE QUÍMICA NA PERSPECTIVA DA EDUCAÇÃO INCLUSIVA: UM OLHAR SOBRE AS NECESSIDADES EDUCACIONAIS
  • Orientador : ADJANE DA COSTA TOURINHO E SILVA
  • Data: 24/03/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A presença de alunos com deficiência nas salas de aula do ensino regular torna-se a cada dia uma realidade mais marcante, sendo tal condição inerente a uma sociedade que se pretende mais igualitária e democrática. A educação tem trilhado caminhos para a inclusão de alunos com algum tipo de deficiência nas escolas, de modo a não os segregar dos demais e prepará-los para sua atuação em sociedade, partindo de uma legislação que busca assegurar a Educação Inclusiva nas instituições escolares públicas e privadas. Parte-se do pressuposto de que o conhecimento científico tem papel importante na construção da autonomia das pessoas e que, desta forma, a qualquer momento o professor pode se deparar com aluno com deficiência em sala de aula. Diante dessa situação, as discussões apresentadas nessa dissertação originam-se de uma pesquisa que teve por objetivo analisar as concepções de um grupo de professores de química da Educação Básica acerca dos desafios enfrentados e das estratégias didáticas utilizadas para atender os alunos com deficiência. Através de um estudo de caso, buscou-se investigar o (des)preparo pedagógico dos professores de química para o trabalho com alunos com deficiência, principalmente no que se refere a sua formação e às políticas públicas de inclusão escolar, como base orientadora no trabalho dos docentes com estes discentes. Considera-se essencial entender como os professores se sentem em relação ao trabalho em sala de aula com tais alunos, tendo-se em vista que esta é, ainda, uma vertente pouco “pesquisada” do tema educação inclusiva. Os dados foram obtidos em duas etapas: a primeira envolveu a aplicação de questionários e, a segunda, a técnica de grupo focal, a qual foi desenvolvida com seis professores de química de escolas da rede estadual e particular da região centro-sul do estado de Sergipe. O trabalho com o grupo focal possibilitou ampliar a expressão dos sujeitos da pesquisa por meio de sua participação nas discussões e reflexões voltadas para as suas necessidades frente à diversidade da sala de aula. Os dados obtidos foram submetidos à Análise Textual Discursiva, apresentada por Moraes e Galiazzi (2011), a qual se desenvolve por meio de três principais etapas: unitarização, categorização e elaboração de metatexto. A análise desenvolvida evidencia o quanto os professores se sentem inseguros e desamparados diante do aluno com deficiência. Eles mostram indignação diante das políticas públicas, as quais buscam garantir o acesso de alunos com deficiência ao ensino regular, mas não garantem condições para que trabalhem adequadamente com tais alunos. Nessa perspectiva, declaram que a educação inclusiva é apenas aparente, pois faltam recursos materiais e humanos para tal trabalho. Entretanto, é perceptível que tal indignação não se materializa em ações que requeiram, tanto dentro quanto fora da escola, as condições organizacionais que proclamam. Seus depoimentos expressam uma paralisação diante da incoerência que percebem na implementação de uma educação inclusiva, levando em conta alunos com deficiência. Isso ressalta a necessidade de investimento na formação dos professores para que (re)elaborem seu olhar sobre a educação inclusiva, em paralelo à uma política que invista mais em condições materiais e apoio que favoreçam a melhoria de suas ações pedagógicas.

  • TEREZA CRISTINA DOS SANTOS PAIXÃO
  • As interações discursivas no ensino de geometria por meio de técnicas de dobradura e outras atividades lúdicas: um estudo de caso em uma turma do 3º ano do Ensino Fundamental
  • Orientador : ADJANE DA COSTA TOURINHO E SILVA
  • Data: 24/03/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa teve por objetivo analisar o desenvolvimento de uma sequência didática elaborada e voltada para o ensino de geometria, por meio de técnicas de dobraduras e outras atividades lúdicas, verificando as suas contribuições para a evolução conceitual e de habilidades motoras dos alunos. A pesquisa foi desenvolvida com alunos do 3º ano do Ensino Fundamental de uma escola estadual, localizada no município de Nossa Senhora do Socorro, em Sergipe. Trata-se de uma pesquisa qualitativa e de modalidade definida por João Paulo da Ponte como pesquisa sobre a própria prática (PPP). Nessa perspectiva, a pesquisadora atuava como professora da turma investigada. O foco analítico, tendo-se em vista uma perspectiva sociocultural de educação, voltou-se, principalmente, para as interações discursivas configuradas no cotidiano da sala de aula, as quais foram analisadas com base nas teorias de Vygostky e Bakhtin, bem como em algumas categorias analíticas propostas por Mortimer e Scott. Os dados foram obtidos e tratados com inspiração na etnografia interacional. Por meio de filmagens e anotações de campo, as ações da professora e dos alunos foram registradas. Cada aula da sequência didática, registrada em vídeo, foi mapeada em episódios, os quais foram submetidos à análise, sendo que os mais representativos foram transcritos, tendo sua análise aprofundadada. Os resultados obtidos indicam que as interações guiadas e fomentadas pela professora em sala de aula, bem como as ferramentas mediadoras por ela utilizadas favoreceram o desenvolvimento e a aprendizagem do conteúdo matemático explorado, contribuiram para a evolução das habilidades motoras dos alunos, possibilitaram o diálogo com Arte e a formação dos conceitos básicos de geometria.

  • GLÁUCIA DIAS SANTOS
  • A AÇÃO DOCENTE DO TUTOR A DISTÂNCIA NO CURSO DE LICENCIATURA EM MATEMÁTICA DO CESAD/UFS
  • Orientador : DIVANIZIA DO NASCIMENTO SOUZA
  • Data: 23/03/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Este estudo teve como objetivo analisar como se dá a ação docente dos tutores à distância do Curso de Licenciatura em Matemática do CESAD/UFS. Como objetivos específicos, a pesquisa buscou compreender como o tutor auxilia os alunos na aquisição do conhecimento específico, sem faze a exposição de aulas no processo de ensino, bem como a participação do tutor no processo de avaliação da aprendizagem dos estudantes e por fim, compreender a participação do tutor nas atividades, enquanto mediadores e facilitadores da aprendizagem. Para a coleta de dados foi adotado o uso de questionário com 12 questões abertas relacionadas à questão central da pesquisa. A análise e interpretação dos dados foram baseadas na proposta de Bardin (1977 e 2011), denominada Análise de Conteúdo. As questões foram organizadas como categorias, que são classificadas pela autora como rubricas ou classes. Essas reúnem um grupo de elementos sob um título genérico, que são agrupados em razão dos caracteres comuns dos elementos. A partir da análise dos dados, foi possível observar que embora os tutores desempenhem papeis tão importante na EaD e que suas funções são semelhantes ás funções de professores do ensino convencional, ainda existe na visão de alguns tutores pesquisados, a indefinição de suas funções enquanto docentes, pois para alguns a tutoria não é docência e sim uma orientação para auxiliar o aluno no entendimento dos conteúdos estudados, além disso foi possível observar também que a prática docente destes tutores não é exercida conforme estabelecido pelo programa e esperado por eles. Os tutores apontaram que o principal motivo por não exercerem a docência da forma que é estabelecida pelo CESAD/UFS é a falta de interesse dos alunos que não os procuram para que eles possam exercer plenamente suas funções no curso em questão, com isso suas ações enquanto docentes acabam sendo desvalorizadas.

  • CRISLAINE DE OLIVEIRA
  • PERCURSOS E PERCALÇOS DO ENSINO DE ZOOLOGIA NO MUNICÍPIO DE ARACAJU/SE
  • Orientador : CARMEN REGINA PARISOTTO GUIMARAES
  • Data: 16/03/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A presente pesquisa teve como propósito analisar as concepções de professores de Ciências da rede pública estadual de ensino do Estado de Sergipe sobre o ensino de Zoologia. Para tal, buscou-se compreender alguns pontos específicos acerca do cotidiano da sala de aula do professor como: as opiniões dos professores a respeito do conteúdo de Zoologia dos livros didáticos utilizados em sala de aula; os recursos que são mais utilizados pelos professores ao abordar os temas na Zoologia; ao ocorrência ou não de contextualização no ensino de zoologia e os mecanismos utilizados para atingi-lo; e, quais as dificuldades encontradas por eles no exercício da docência. A pesquisa foi estruturada em três etapas, a primeira consistiu no levantamento de artigos, dissertações e teses sobre ensino de Zoologia e sua contextualização; a segunda etapa teve o proposito de levantar dados relacionados ao início da docência desses professores e suas dificuldades no ensino de Zoologia a partir da aplicação de questionários, com questões fechadas e abertas; e a terceira parte envolveu a aplicação de entrevistas semiestruturadas com 10 professores da rede pública de ensino, com objetivo de aprofundar as questões sobre o ensino de Zoologia obtidas nos questionários. Os sujeitos da pesquisa da segunda etapa foram 32 professores de Ciências e Biologia de 27 escolas da rede pública. Os dados apontam que a maior parte dos professores são formados na área das Ciências Biológicas Licenciatura, e alguns poucos em Biomedicina e Pedagogia. A maioria dos professores (88%) faz uso do livro didático, mas uma pequena parcela (40%) considera que o livro apresenta o conteúdo de Zoologia de forma atrativa e contextualizada. A maioria dos docentes (90%) afirma que se utiliza do cotidiano do aluno, trazendo suas experiências de vida para o contexto escolar, e considera que com isto está contextualizando o ensino, entretanto seus depoimentos mostram que pretendem apenas facilitar o entendimento do aluno, sem levantar questionamentos e resolução de problemas que levem a formação de cidadãos críticos. A maioria dos professores afirma saber como tornar o ensino motivador, mas não encontra recursos na escola em condições de uso para isso. Aproximadamente metade dos professores (52%) afirma ter enfrentado dificuldades no início da docência e destes, a maioria (38%) ainda não as superou. A metodologia mais utilizada pela maioria dos professore é a aula expositiva, mas concordam que a melhor metodologia para o ensino de Zoologia são as aulas práticas (39%). As maiores dificuldades apontadas pelos docentes para o ensino de Zoologia, verificada tanto nos questionários quanto nas entrevistas, referem-se aquelas estruturais da instituição e a desmotivação dos alunos, sendo externas à figura do docente. Processos de formação continuada se fazem necessários para dar oportunidade aos docentes de mostrarem suas dificuldades e conhecer, construir e discutir formas alternativas de promover o processo de ensino com vistas a uma efetiva aprendizagem.

  • JAIME RODRIGUES DA SILVA
  • O ARTESANATO COMO TEMA GERADOR PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS ATRAVÉS DE UMA PERSPECTIVA FREIREANA
  • Orientador : MARLENE RIOS MELO
  • Data: 16/03/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A problemática que envolve o ensino/aprendizagem de ciências/química, em algumas unidades escolares de ciclo básico brasileiras e que insistem em permanecer com o modo de ensino tradicional e tecnicista, com repetição e memorização de conteúdos, entre outros métodos, acaba por transformar professores em meras figuras aprisionadas a um livro didático, que nem sempre atende as demandas sociais necessárias a melhoria da qualidade de vida da comunidade. Neste contexto, confeccionar sequencias didáticas com o uso da Contextualização, da perspectiva curricular CTS e da Interculturalidade, torna-se fundamental para motivar os aprendizes a conhecer sua cultura, além de envolver os aspectos sociais, políticos e tecnológicos visando construir ao longo do tempo uma atitude cidadã. O objetivo geral dessa pesquisa é estudar as possibilidades e as limitações da inserção do artesanato como tema gerador para facilitar o aprendizado em ciências, em uma escola urbano-rural de educação básica no município de Penedo, no estado de Alagoas. Por se tratar de uma região onde os moradores ao longo do tempo se apropriaram de conhecimentos de diferentes povos, a questão da afirmação de identidades e das relações de poder entre as diversas culturas, com o questionamento dos preconceitos e discriminações, tornou o estudo relevante para a escola e a comunidade em geral. Para promover a reflexão desta nova perspectiva de trabalho, usamos como estratégias a Aprendizagem Baseada em Problemas (ABP) e o Estudo de Caso com a preocupação de relacionar as atividades de forma interdisciplinar. A função do professor, na nova proposta, será de articular o conhecimento/informação através de um tema gerador, mas que também se fundamenta em Vygotsky com as implicações da Zona de Desenvolvimento Proximal (ZDP) e de uma interpretação feita pela Abordagem Temática Freireana, que é tão necessária em função do contexto social desenhado na região.

  • ISMAEL DE ALMEIDA
  • “ALFABETIZAÇÃO TECNOLÓGICA DOCENTE: REALIDADE NAS ESCOLAS PÚBLICAS DE SERGIPE”.
  • Orientador : CARMEN REGINA PARISOTTO GUIMARAES
  • Data: 16/03/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • As novas tecnologias da informação estão invadindo o espaço escolar, de forma rápida, exigindo uma nova postura do educador e trazendo novas possibilidades à educação. Com isso, a formação continuada se configura como uma importante forma de colocar o professor em contato com esta nova realidade. Essa pesquisa apresenta como objetivo perceber se o professor está fazendo o uso do seu direito à formação continuada no estado de Sergipe e como, e quanto, isto está contribuindo na melhoria da qualidade do ensino. Para tal, pretende-se dialogar com professores de Ciências e Biologia sobre aspectos o uso de tecnologias em sala de aula e os possíveis entraves que estão ocorrendo para a inserção das mesmas no ambiente escolar, permitindo assim esclarecer alguns questionamentos e avançar na solução dos problemas que envolvem esse universo. Em seu delineamento metodológico, a pesquisa foi dividida em três etapas: análise documental acerca dos cursos de formação continuada em Sergipe; estado da arte a respeito da temática e entrevista com docentes de Ciências e Biologia que atuam na rede estadual de ensino. Foi verificado que existem políticas públicas de formação continuada para docente em tecnologias, porém, muitos docentes ainda não estão procurando essa formação. No estado de Sergipe, a formação continuada se dá principalmente através do programa ProInfo Integrado, do governo federal, e por meio de cursos oferecidos pela própria Secretaria de Estado da Educação em menor quantidade. A grande maioria dos docentes entrevistados reconhece a importância da tecnologia em sala de aula, porém, afirma que ainda não está alfabetizada tecnologicamente. De maneira geral, é possível inferir que há vagas suficientes nos cursos de formação continuada em tecnologia, porém, há ainda alguns entraves para a participação dos professores, uma vez que os mesmos não são liberados das atividades docentes para frequentá-los e tampouco são incentivados a realizá-los, sendo necessário encontrar mecanismos que possam atrair esses docentes para a formação continuada, possibilitando assim uma maior utilização das tecnologias em sala de aula. Alguns possuem conhecimentos sobre esse tema, mas ainda não é o suficiente para transformar a sua prática por meio da inserção das tecnologias. As escolas possuem recursos tecnológicos como projetor multimídia, televisão, internet, entretanto, em pequeno número para a grande demanda. Fazer uso de tecnologias em sala de aula requer preparação dos docentes para explorá-los, caso contrário representará apenas a troca de recurso didáticos mais simples por outros mais complexos.

  • THISCIANE ISMERIM SILVA SANTOS
  • Ecossistemas Urbanos no Ensino de Ecologia: uma experiência em escolas do entorno da APA Morro do Urubu, Aracaju, SE
  • Orientador : MYRNA FRIEDERICHS LANDIM DE SOUZA
  • Data: 15/03/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O crescimento desordenado das áreas urbanas, estimulado pelo processo de industrialização, gerou problemas de ordem social, econômica, cultural e ambiental. É necessário analisar as cidades como ecossistemas, ecossistemas urbanos, ambientes heterotróficos e com grande relação de dependência com os ecossistemas naturais. Pode-se dizer que essa relação é desarmônica, na medida em que os recursos extraídos do ambiente natural para o urbano não são repostos e os resíduos produzidos por este não são recicláveis. Este fato acarreta na degradação do meio ambiente, o que prejudica não somente os remanescentes de ecossistemas naturais nelas ainda inseridos, mas também a qualidade de vida das suas populações. Nesse sentido, a escola pode contribuir para a formação de cidadãos críticos e comprometidos com o meio em que vivem. Por esta razão, o presente trabalho tem por objetivo desenvolver e analisar uma Sequência Didática (SD), elaborada colaborativamente com docentes de Biologia de escolas públicas presentes no entorno da APA Morro do Urubu, um remanescente de Mata Atlântica localizado na malha urbana da cidade de Aracaju, SE. As atividades da SD abordarão as relações entre ecossistemas naturais e urbanos, de modo a incluir o contexto local, no qual a presente pesquisa será realizada. Quanto ao seu delineamento metodológico, a pesquisa está dividida em quatro etapas: 1) Investigação dos conteúdos de Ecologia, estratégias didáticas e recursos de maior interesse para os docentes envolvidos na elaboração da SD; 2) Construção da SD; 3) Análise colaborativa para aperfeiçoamento e adequação da SD, por esses docentes; e 4) Aplicação e avaliação da eficácia da SD. Espera-se que a construção desse recurso didático possa contribuir para a melhoria do processo de ensino a respeito dos conteúdos de Ecologia e, por conseguinte, para um processo de aprendizagem e formação de alunos como sujeitos ecológicos.

  • LAÍS DE JESUS CARVALHO
  • História e Filosofia da Ciência: Evolução das pesquisas em ensino de ciências e análise da perspectiva docente sobre essa abordagem.
  • Orientador : CARMEN REGINA PARISOTTO GUIMARAES
  • Data: 09/03/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A História e Filosofia da Ciência (HFC) torna possível a compreensão do contexto de construção dos conhecimentos científicos, sua forma de produção e as influências da época em que foram concebidos. No ensino de ciência o uso da abordagem da HFC é uma forma de tornar a ciência mais humana, com suas falhas e rupturas. Nesse sentido, propomos compreender de que forma a HFC vem sendo apresentada nas pesquisas em ensino de ciências e na prática docente de professores/as de ciências e/ou biologia do município de Aracaju. A primeira parte da pesquisa consistiu em um estado da arte de caráter metodológico bibliográfico e descritivo. O levantamento foi realizado em duas plataformas online: periódicos CAPES e Google acadêmico, a partir do recorte temporal de 1998 a 2016. Os dados foram analisados de forma quantitativa e qualitativa. Na segunda parte da pesquisa foram realizadas entrevistas semi estruturadas com docentes de ciências e/ou biologia do município de Aracaju/SE acerca do uso de HFC em suas aulas, as quais foram analisadas qualitativamente, por meio da análise de conteúdo de Bardin. As analises evidenciaram que o número de pesquisas na área de HFC, no ensino de ciências no Brasil, cresceu muito entre os anos de 1998 e 2016 e que as instituições públicas, em especial as universidades federais do Sudeste e Nordeste do Brasil tem-se destacado como locais de produção destas pesquisas. A Física continua se mantendo como a área de ensino com o maior desenvolvimentos número de pesquisas e publicações e, os enfoques das publicações estão direcionados, principalmente, para a construção, validação, análise e/ou aplicação de recursos didáticos, como sequências didáticas, software, assim como desenvolvimento de mini curso no ensino básico e/ou na formação de professores/as. Na análise das 14 entrevistas com os/as docentes, foi possível notar que poucos/as deles/as tiveram contato com questões históricas e filosóficas da ciência. As entrevistas com os/as docentes evidenciaram que apesar de reconhecer a importância da perspectiva histórica e filosófica da ciência no ensino, esta é utilizada apenas em assuntos pontuais, caracterizando a abordagem inclusiva. Entre os principais assuntos utilizados com esta abordagem, destacam-se, evolução, origem da vida, célula e genética. Com relação às dificuldades encontradas para o uso da HFC em suas aulas, os/as docentes mencionam a falta de tempo, excesso de conteúdos, a falta de recursos ou fontes didáticas, a resistência dos/as estudantes para a introdução deste tema, a falta de preparo e a dificuldade em fazer a transposição didática. Dessa forma, ressaltamos a importância do uso dessa abordagem na formação docente para que possam ser minimizados os problemas da sua implementação no processo de ensino.

  • MARIA ELANE MENDONÇA SANTOS
  • Concepções sobre Ciência, Tecnologia e Sociedade e concepções de ensinar de futuros professores de ciências inseridos em um projeto baseado em Arranjos Produtivos Locais.
  • Orientador : ERIVANILDO LOPES DA SILVA
  • Data: 07/03/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Nesta pesquisa, foi realizado um estudo sobre as concepções de Ciência, tecnologia
    e sociedade (CTS) e as concepções de ensinar ciência de futuros professores da área
    de ensino de ciências, que participam de um projeto institucional que trata da temática
    Ciência e tecnologia na escola básica. A investigação se deu durante o período de
    vigência do projeto, à medida em que 19 estudantes vivenciavam momentos distintos
    das propostas formativas. A primeira intervenção teve o objetivo de coletar as
    concepções sobre CTS. Para tal, foi utilizado o questionário VOSTS, adaptação de
    Canavarro (2000). A segunda intervenção procurou investigar as concepções de
    ensinar ciência e tecnologia. Neste caso, foi pensada uma entrevista que tinha como
    eixo teórico as sete deformações de Cachapuz e colaboradores (2011). A terceira
    intervenção teve como meta investigar as relações CTS tecidas pelos alunos, sendo
    esta etapa ocorrida quase na metade do andamento do projeto institucional. O
    levantamento foi realizado a partir da proposição de diagramas mais adequados e
    menos adequados atribuídos a CTS. No quarto e último momentos, coletou-se as
    concepções sobre ensinar ciência e tecnologia novamente. Utilizou-se a entrevista do
    segundo momento readaptada, mas com a perspectiva de provocar as concepções
    dos alunos. Percebeu-se que ao longo do processo da investigação, os momentos
    vivenciados pelos alunos contribuíram, de certa forma, para a compreensão de
    determinados fatores vistos como essenciais na formação do professor de ciências,
    como a postura diante do papel da experimentação e da teoria, a aplicação da
    construção do conhecimento científico de forma contextual e as relações CTS no
    cotidiano. A medida em que se analisou os quatro momentos percebe-se a
    necessidade de discussões acerca da Natureza da Ciência nas universidades, uma
    vez que a visão distorcida sobre Ciência e Tecnologia repercute nas concepções CTS
    e na própria concepção de ensinar ciência por não conseguirem compreender qual o
    papel da ciência nesse processo. Dessa forma, enfoca-se a necessidade de
    discussões pautadas na perspectiva CTS nos cursos de ciências, para melhor
    compreender a importância e o papel do professor na tomada de decisões dos alunos,
    formando cidadãos aptos a compreender e modificar a sociedade e assim promover
    a Alfabetização Cientifico-Tecnológica.

  • ALINE NUNES SANTOS
  • RELAÇÕES DE ESTUDANTES SURDOS COM OS CONHECIMENTOS ESCOLARES: PERCURSOS E PERCALÇOS NO APRENDIZADO DA QUÍMICA
  • Orientador : EDINÉIA TAVARES LOPES
  • Data: 07/03/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A presente investigação é fruto de questionamentos e inquietações que surgiram no final do ano letivo de 2015, durante as minhas primeiras experiências profissionais como professora de Química do Ensino Médio em um colégio público do sertão baiano. Nesta instituição frequentavam duas alunas surdas e um aluno surdo, que após a reprovação no referido ano letivo, encontravam-se em situação de abandono escolar no ano de 2016. Assim, o trabalho tem como objetivo compreender a relação estabelecida com a escola e com os conhecimentos científicos escolares, especificamente os de química, por um casal de irmãos surdos, em situação de fracasso escolar. Como referencial teórico utilizamos os estudos sobre educação de surdo propostos pelos pesquisadores Sá, Skliar e Perlin. Para a compreensão da relação estabelecida por ele lançamos mão da noção de Relação de saber de Charlot. A trajetória metodológica fundamenta-se na pesquisa qualitativa, baseada em Bogdan e Biklen, tendo como sujeitos da pesquisa os irmãos surdos, seus pais, o professor de Química, a irmã e duas colegas desse casal. A coleta de dados foi realizada por meio de entrevista. Os dados coletados nos permitiram concluir que a relação mantida pelos estudantes com a escola se dá a partir da perspectiva da aprendizagem da leitura e da escrita como meio de comunicação com as pessoas ouvintes, portanto, para esses alunos ir à escola está vinculado aos aspectos de socialização. Por sua vez, a relação com os conhecimentos científicos escolares, sobretudo no ensino Médio em que a abstração e a linguagem se tornam mais complexos, e o não conhecimento da Libras por parte desses estudantes e de seu professores, levaram a uma situação de fracasso escolar. De tal maneira, a relação com o mundo da Química apresenta elementos da situação de fracasso escolar identificada, mesmo que o professor tenha procurado estratégias para minimizar tal fracasso.

  • NIRLY ARAUJO DOS REIS
  • Abordagem Contextual no âmbito do processo formativo do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência
  • Orientador : ERIVANILDO LOPES DA SILVA
  • Data: 23/02/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A literatura específica do ensino de ciências vem desenvolvendo diversas tendências e estratégias na busca de uma melhoria na qualidade do ensino. Dentre essas tendências, destaca-se a inserção da história da ciência (HC) por meio da Abordagem Contextual (AC), cujo princípio base trata-se da incorporação dos constructos teóricos e epistemológicos atrelados a aspectos de Sociologia e Filosofia das Ciências como uma perspectiva para se ensinar ciência. Considerando a importância desses constructos para o ensino da área, este trabalho adotou como temática o desenvolvimento da Abordagem Contextual no processo formativo de licenciandos inseridos no Programa Institucional de Iniciação à Docência (PIBID). Com base nisso, buscou-se investigar as contribuições da AC para a aprendizagem desses estudantes em formação inicial, bem como a evolução epistemológica sobre história da ciência nos materiais didáticos produzidos por eles no âmbito das atividades desenvolvidas no PIBID. Essa pesquisa foi realizada através de um acompanhamento em um grupo vinculado ao subprojeto PIBID/Química de uma IES do agreste sergipano, cujas discussões ocorriam atreladas a investigação de episódios históricos sobre determinados conceitos químicos. A metodologia desse estudo pautou-se nos mecanismos do Grupo Focal, o qual permitiu certa liberdade na coleta de dados e particularidades de informações acerca da configuração da AC nessa etapa formativa. Conforme avançava-se os encontros percebeu-se que os licenciandos buscavam explorar determinados episódios históricos para a construção de conceitos tendo como base a solução de situações-problemas propostas por seu formador durante o início das ações no PIBID. Todavia, apesar do trabalho evidenciar a apropriação dos estudantes das ideias mais elaboradas sobre a ciência e a Natureza da Ciência, evidenciando assim, a contribuição da HC nesse processo, no que se refere a abordagem utilizada pelos licenciandos em seus materiais, a proposta ainda distancia-se em alguns aspectos, das ideias teóricas defendidas pela Abordagem Contextual, e acabam recaindo em algumas distorções no trabalho em história da ciência. Logo, os resultados indicam que pode haver confusões nas concepções dos estudantes a respeito do processo de elaboração da ciência, o que acaba refletindo em seus materiais didáticos e que permite um distanciamento da proposta instrucional elaborada com aquela apresentada pelos referenciais teóricos.

  • FILIPE SILVA DE OLIVEIRA
  • A CIÊNCIA DO SÉCULO XIX NA VISÃO DO JORNALISTA JOÃO RIBEIRO EM ARTIGOS DE DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA (1895-1934)
  • Orientador : EDSON JOSE WARTHA
  • Data: 22/02/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa busca identificar a visão de ciência expressa nos artigos de divulgação científica do jornalista João Ribeiro na virada do século XIX para o século XX, bem como verificar e analisar o contexto em que João Ribeiro estava inserido no âmbito social, científico, político e filosófico. A abordagem metodológica utilizada na análise das informações presentes nos artigos de divulgação científica foi a Análise Textual Discursiva. Os resultados apontam para oito visões de ciência, sendo elas: visão de ciência permeada de contradições, visão de ciência refutável, visão de ciência idealista, visão de ciência cidadã, visão de ciência irônica, visão de ciência masculina, visão de ciência investigativa e visão de ciência crítica.

  • EÂNES DOS SANTOS CORREIA
  • CORPO HUMANO E ENSINO DE CIÊNCIAS: O QUE FAZ SENTIDO AOS ALUNOS DO OITAVO ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL
  • Orientador : VELEIDA ANAHI DA SILVA
  • Data: 20/02/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A presente pesquisa tem o objetivo de entender o que faz sentido para o aluno do 8º ano do ensino fundamental estudar sobre o corpo humano. Uma abordagem teórica e metodológica, pautada na Relação com o Saber de Bernard Charlot utilizada para a realização da pesquisa. Buscou-se com a categorização e análise dos dados obtidos, enfatizar os sentidos de estudar o corpo humano dos alunos de classe popular do oitavo ano do ensino fundamental de duas escolas públicas urbana da cidade de Cumbe/SE. Tendo como questão central “Qual o sentido de estudar o corpo humano nas aulas de ciências do oitavo ano?”, procura destacar o significado para o aluno e o que faz o mesmo mobilizar-se intelectualmente para aprender sobre o corpo humano. Trata-se de uma pesquisa de caráter qualitativa do tipo descritiva, tendo como técnicas de coleta de dados o Balanço do Saber Adaptado e Entrevistas de Grupo junto à Análise de Conteúdo de Bardin (2011). Os resultados obtidos são discutidos de forma abrangente, a partir de uma revisão bibliográfica e de referenciais teóricos que auxiliam na compreensão dos sentidos dos alunos acerca do corpo humano, presentes nas diversas respostas suscitadas nas entrevistas e balanços ao longo do processo de coleta de dados. Os alunos têm o desejo de aprender assuntos do corpo humano que conseguem relacionar ao seu cotidiano, com significado para a sua vida diária, que podem colocar em prática e também compartilhar com seus familiares e amigos, que fazem sentido para eles, para o outro e para o mundo, ou seja, estão ligados às dimensões de identidade, social e epistêmica da Relação com o Saber (CHARLOT, 2000; 2005; 2013).

  • FLÁVIO OIAMARÉ DA SILVA
  • (RE) MEMORANDO CONTEXTOS INDÍGENAS E O ENSINO DE CIÊNCIAS NATURAIS PARA ALDEIAS
  • Orientador : VELEIDA ANAHI DA SILVA
  • Data: 20/02/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O presente estudo busca (re) lembrar minhas origens multiculturais em que vivenciei e tive experiência de momentos valiosos dos relatos de minha genitora como uma forma de entender as estratégias históricas da “invasões” de outros povos em territórios indígenas para “educar” povos nas aldeias. As histórias de vida de povos indígenas revelam saberes que podem ser utilizados enquanto conteúdo a ser utilizado em espaços escolares. Assim, o foco desse estudo é articular informações da vivencia na aldeia em conexão com os conteúdos de ciências naturais, a serem utilizados em aldeias na possibilidade de apresentar uma proposta sugestiva de conteúdos e recursos didáticos que possam facilitar aprendizagens significativas. Para tanto, realizou-se pesquisa documental em site do Ministério da Educação, Leis, Decretos, Proposta Curricular Nacional, Diretrizes e normativas que tratam da questão indígena enquanto direito à educação escolar de qualidade para todos, independentemente da raiz cultural. Foram escolhidos esses documentos tendo em vista os aspectos legais e normativos que ancoram a educação escolar indígena no Brasil. Os referidos documentos evidenciam que esses procuraram reparar danos decorridos da falta de uma política pública de respeito aos territórios indígenas, bem como na oferta de educação escolar para os povos indígenas para um renascimento in locus, a parti da Constituição Federal de 1988. Evidencias que os conteúdos de ciências naturais pode ser trabalhados em conformidade com os aspectos da natureza presente no contexto da aldeia.

  • ALINE MENDONÇA SANTANA
  • Inovação inclusiva e singularidades: um estudo com licenciandos de Ciências Biológicas da UFS
  • Orientador : ALICE ALEXANDRE PAGAN
  • Data: 20/02/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Inovação inclusiva educacional é entendida aqui como um produto ou processo resultante de ações desenvolvidas por um discente, a partir da consciência de suas singularidades, visando ampliação de suas possiblidades de desenvolvimento em um contexto educacional. Compreendemos que através da discussão sobre singularidades, e empoderando para a inovação é possível que o licenciando seja protagonista da própria inclusão. Assim, nosso objetivo é identificar possíveis singularidades discentes compreendendo suas relações com propostas de inovação inclusiva para alunos do curso de Ciências Biológicas, licenciatura da Universidade Federal de Sergipe. Nossa metodologia se deu através de 6 entrevistas individuais que foram analisadas por análise temática de conteúdo de Bardin. Nossa analise se deu em 3 momentos. A primeira foi uma leitura flutuante das entrevistas, a segunda foi uma categorização à priori, que traz a descrição de algumas das singularidades dos alunos nos campos: 1) étnico/racial; 2) socioeconômicas, 3) Da pessoa com Deficiência e 4) Das múltiplas jornadas da mulher. E por fim trazemos as análises em 2 categorias, uma é a análise social das singularidades e a outra, análise das concepções de inovação dos alunos e suas inovações no dia a dia acadêmico e ou profissional. Como resultados obtivemos uma frequência da subcategoria socioeconômico elevada em relação às outras e por consequente as inovações também são relacionadas ao contexto financeiro dos alunos. A concepção de inovação dos alunos é geralmente ligada a materiais e metodologias didáticas e todos se consideraram inovadores. Como conclusões temos que a história de vida do indivíduo nos possibilita conhecer melhor suas singularidades e estas estão ligadas às inovações que eles propõem e vão influenciar no profissional que este irá se tornar.

  • MARCOS MENDONÇA LEMOS
  • LIMITES E POSSIBILIDADES DAS ABORDAGENS INVESTIGATIVAS NO ENSINO DE CIÊNCIAS
  • Orientador : EDSON JOSE WARTHA
  • Data: 17/02/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho de pesquisa busca por meio de uma análise documental identificar os limites e possibilidades na implementação de atividades investigativas nas salas de aula de ciências. O corpus de análise desta pesquisa são os textos produzidos pelos pesquisadores na área de Ensino de Ciências em revistas indexadas no Scielo e Google Sholar usando como indexadores palavras chave relacionadas as abordagens investigativas. As ferramentas de análise foram o RQDA (Rstudio) e o Iramuteq que são softwares que auxiliam nas análises qualitativas. Os resultados apontam para limitações relacionadas a aspectos relacionados a formação de professores e concepções de ensino e como possibilidades a aspectos relacionados a uma maior criatividade dos estudantes e autonomia do trabalho docente.

  • MÁRCIA CRISTINA ROCHA PARANHOS
  • Relações entre habilidades socioemocionais e inovação para alguns licenciandos em Ciências Biológicas
  • Orientador : ALICE ALEXANDRE PAGAN
  • Data: 17/02/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Compreendemos que o conceito de Habilidades Socioemocionais (HSE) levam em consideração como o indivíduo consegue refletir sobre suas emoções quando precisa tomar decisões intrapessoais e interpessoais. É, portanto, uma capacidade reflexiva de lidar com as emoções e potencializar características ímpares do seu eu nas relações com o outro. Tais habilidades são construídas por uma extensa e complexa rede de conhecimentos e comportamentos relacionados ao sucesso ou ao fracasso de um empreendimento, que visa inovar no campo educacional. Nesse sentido, propomos compreender as relações entre inovação e HSE segundo alguns graduandos de Ciências Biológicas da Universidade Federal de Sergipe. O trabalho está organizado em duas fases: na primeira, exploratória, foram identificados alguns casos episódicos, observados em um minicurso que tratava da questão das HSE, do qual participaram alguns alunos dessa licenciatura; em um segundo momento, foram realizadas quatro entrevistas semiestruturadas, gravadas, transcritas e analisadas a partir de cinco categorias apriori, equivalentes às cinco dimensões dos domínios de personalidade, a saber: 1) abertura a novas experiências, 2) Consciência, 3) Extroversão, 4) Cooperatividade e 5) Estabilidade Emocional. Quanto à relação das HSE com inovação, buscamos agrupar as falas dos entrevistados dentro dos domínios de personalidade do big five, entendendo quais habilidades são requisitadas por eles para que o aluno seja inovador dentro do processo de formação docente. Dentre os resultados encontrados, percebemos que durante o minicurso, os discentes expressaram suas HSE ainda que timidamente, uma vez que apresentaram dificuldades em falar de características próprias, internalizando suas emoções. No que se refere às análises das entrevistas, percebemos que a categoria Consciência, conteve maior frequência dos discursos apresentados em relação às outras categorias, remetendo, portanto, o desenvolvimento de habilidades como responsabilidade, disciplina e organização como propulsoras do desempenho acadêmico (in) satisfatório, dentro do que é requerido como habilidade técnica, pelo currículo, aos futuros licenciandos. Além disso, compreendemos que todas as categorias contemplaram discursos inovadores, todavia, Abertura a Novas Experiências, Consciência e Estabilidade Emocional abrangeram discursos mais centrados a prática de sala de aula, do que mesmo no processo de formação docente. Por outro lado, as categorias Extroversão e Cooperatividade, trazem discursos que remetem a mudanças de currículo bem como de gestão, considerando as habilidades de sociabilidade e trabalho em grupo como agentes primordiais no processo de inovação.

  • GRAZIANE GOMES DOS SANTOS
  • APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA NO ENSINO DE QUÍMICA: EXPERIMENTAÇÃO E PROBLEMATIZAÇÃO NA ABORDAGEM DO CONTEÚDO POLÍMEROS
  • Orientador : DIVANIZIA DO NASCIMENTO SOUZA
  • Data: 17/02/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Neste trabalho de pesquisa buscou-se identificar, por meio de uma sequência didática, como ocorre a aprendizagem dos alunos da terceira série do Ensino Médio sobre conceitos referentes ao conteúdo Polímeros. Utilizou-se como referencial teórico a Teoria da Aprendizagem significativa de David P. Ausubel, além de considerações sobre o multiculturalismo no ensino de ciências e o pluralismo metodológico em relação aos sete saberes que são necessários para a educação do futuro. A metodologia de investigação se enquadra numa abordagem do tipo qualitativa, utilizando elementos da análise textual discursiva, fundamentada em atividades experimentais em sala de aula. Os alunos participantes da pesquisa compuseram dois grupos: grupo 01, composto de alunos de uma escola da rede privada; e grupo 02, por alunos da rede pública de ensino. A coleta de dados possibilitou avaliar inicialmente os conhecimentos prévios dos alunos sobre o conteúdo em questão. Em seguida, foram desenvolvidas as atividades da sequência didática (SD) e realizada a análise textual discursiva dos alunos, por meio das respostas das questões e do teste final. Das análises, pôde-se verificar que a SD contribuiu para uma assimilação efetiva do conteúdo Polímeros e, por conseguinte, para o processo de aprendizagem dos alunos e formação de cidadãos mais críticos.

  • CARLOS BRUNO ALVES DE OLIVEIRA
  • ATIVIDADES INVESTIGATIVAS NO ENSINO DE QUÍMICA: UM ESTUDO SOBRE SEU IMPACTO NO PROCESSO DE CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO CIENTÍFICO
  • Orientador : ERIVANILDO LOPES DA SILVA
  • Data: 16/02/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A pesquisa em questão tem o objetivo de investigar os limites e as possibilidades das atividades investigativas, no ensino de Química, no que diz respeito à abordagem de conteúdos conceituais, procedimentais e atitudinais. Para isso, estão sendo analisados os resultados provenientes da aplicação de quatro atividades de natureza investigativa, desenvolvidas em duas turmas do segundo ano do ensino médio.
    Os resultados apontam o ensino por investigação como potencial promotor de procedimentos e atitudes inerentes ao meio científico, criando condições para que os discentes participem ativamente da construção do conhecimento. Nesse processo, é preciso estar atento a possíveis dificuldades relacionadas à adaptação discente, postura docente e à elaboração de situações-problema.

  • JAMISON LUIZ BARROS SANTOS
  • UMA SEQUÊNCIA DIDÁTICA PARA A APRENDIZAGEM DAS NOÇÕES DE TRIGONOMETRIA FUNDADA NA TEORIA DAS INTELIGÊNCIAS MÚLTIPLAS
  • Data: 16/02/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O presente estudo teve como objetivo principal analisar se as Inteligências Múltiplas identificadas por Howard Gardner, contribuem para mobilizar a aprendizagem das noções de Trigonometria. A análise focalizou 14 alunos do (9º ano) de uma escola no município de Gararu/SE. Os argumentos teóricos discorre dos achados de Gardner (1983, 1995, 1998, 2010), focando suas contribuições para a aprendizagem através do desenvolvimento da Teoria das Inteligências Múltiplas e Fonseca (2002, 2010, 2012, 2015) em seus argumentos que contribuem para a Educação Matemática, em foco, a aprendizagem da Trigonometria. Com o intento de responder a inquietação que norteia este estudo de - como mobilizar a aprendizagem das noções de Trigonometria (razões trigonométricas no triângulo retângulo – seno, cosseno e tangente) no 9º ano do Ensino Fundamental segundo a Teoria das Inteligências Múltiplas? – optou-se como metodologia de pesquisa a Engenharia Didática de Artigue (1988) fundamentada em um roteiro de atividades reflexivas, baseadas nas etapas de desenvolvimento desta metodologia. Ao final desta experiência, percebeuse que a aprendizagem dos alunos no tocante as razões trigonométricas no triângulo retângulo culminou de maneira significativa ao interrelacionar com a teoria das Inteligências Múltiplas, outrossim, os resultados detectados pressupõem a permanência de ampliar a busca pela compreensão e abordagem dos conteúdos direcionados a aprendizagem das noções de Trigonometria.

  • JEFFERSON DOS SANTOS FERREIRA
  • APROPRIAÇÕES DO MÉTODO INTUITIVO DE PESTALOZZI PARA O ENSINO DE SABERES ELEMENTARES MATEMÁTICOS EM PERIÓDICOS BRASILEIROS DO FINAL DO SÉCULO XIX E INÍCIO DO SÉCULO XX
  • Orientador : IVANETE BATISTA DOS SANTOS
  • Data: 15/02/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho é resultado de uma pesquisa que teve por objetivo analisar apropriações dos princípios do método intuitivo de Pestalozzi, para o ensino de saberes elementares matemáticos em periódicos brasileiros do final do século XIX e início do século XX. Como fundamentação teórica para os principais conceitos foram utilizados Chartier (2003) para falar sobre apropriação, Valente (2015) para os saberes elementares matemáticos, Ragazzini (2001) a respeito de fontes históricas e Pestalozzi (1889, 2003) visando um entendimento sobre o método intuitivo. Na leitura das obras de Pestalozzi foi identificado em relação ao método intuitivo que ele partia dos elementos do número, forma e palavra, visando o desenvolvimento das faculdades ou capacidades da criança que ele tinha a intuição como fundamento, e era pautado na percepção, observação, no uso dos sentidos, na gradualidade do ensino e buscava auxiliar no desenvolvimento da criança como pessoa humana. Como fontes forma utilizados periódicos brasileiros do final do século XIX e início do século XX encontrados no repositório digital da UFSC e que apresentavam alguma referência a Pestalozzi, ao método ou a pelo menos um de seus princípios. Como resultados, pode-se enfatizar uma circulação de Pestalozzi nesses periódicos, uma vez que ele foi referenciado em publicações de oito estados brasileiros: Alagoas, Amazonas, Bahia, Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte e São Paulo. Para identificar apropriação, entendida como uso ou interpretação, foram apresentadas em um primeiro momento aquelas que nos artigos tinham referências explicitas a Pestalozzi, e em um segundo, os artigos que traziam o método intuitivo ou um de seus princípios. Destaca-se também que nos periódicos Pestalozzi foi apontado como um precursor da pedagogia moderna, da escola ativa, da educação natural, da cultura dos sentidos etc., tudo isso remete ao método intuitivo. Além disso, ele também foi tido como exemplo de mestre e também para reforçar argumentos sobre ideias de Educação. Em relação aos saberes elementares matemáticos foram identificadas apropriações acerca dos conteúdos fração, contagem, soma e cálculo denominados de saberes elementares aritméticos, e sólidos geométricos e desenho chamados de saberes elementares geométricos. Ressalta-se ainda, que para aplicação do método intuitivo aos saberes matemáticos foram indicados objetos como: cartas de Parker, contadores mecânicos e sólidos geométricos.

  • ROBSON FÁGNER RAMOS DE ARAÚJO
  • ASPECTOS REPRESENTACIONAIS E TEXTUAIS NA ÁREA DE CIENCIAS DA NATUREZA: UM OLHAR SOBRE OS ITENS DO ENEM
  • Orientador : EDSON JOSE WARTHA
  • Data: 14/02/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa procura verificar se os aspectos representacionais e os aspectos textuais são determinantes no desempenho em questões do Exame Nacional do Ensino Médio na área Ciências Naturais que realizaram a prova nos anos de 2012, 2013 e 2014. Esta pesquisa é realizada por meio de análise estatística descritiva do desempenho em questões previamente selecionadas com o cruzamento dos dados destas questões com as variáveis do questionário socioeconômico. Os resultados indicam que tanto os aspectos representacionais como os aspectos textuais não se apresentam como fatores determinantes no desempenho escolar. Nas questões analisadas e no cruzamento com os dados sócioeconômicos o fator que mais se destaca estatisticamente como determinante do desempenho é o fator renda familiar.

  • FRANCKLINE JULIANA ALVES DE JESUS
  • USO(S) DO LIVRO DIDÁTICO POR PROFESSORES DE MATEMÁTICA DAS SÉRIES FINAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL DE ESCOLAS DA REDE ESTADUAL DE ARACAJU/SE
  • Orientador : IVANETE BATISTA DOS SANTOS
  • Data: 09/02/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa tem por objetivo identificar se e como professores de Matemática das séries finais do Ensino Fundamental de escolas da Rede Estadual de Aracaju/SE fazem uso do livro didático. Vale ressaltar que para alcançar tal intento, foi tomado como ponto de partida as coleções elencadas no Plano Nacional do Livro Didático - PNLD 2014, que foram adotadas para as já referidas. Como foram identificadas oito coleções, a opção foi trabalhar com as quatro escolhidas para um quantitativo maior de escolas. São elas: “Matemática: Teoria e Contexto”, “Vontade de Saber Matemática”, “Matemática – Bianchini” e “Projeto Teláris”. A partir dessa escolha foram selecionados os professores que utilizam um desses livros e atuam em diferentes zonas geográfica de Aracaju/SE. Vale destacar que a avaliação posta no Guia do livro didático PNLD 2014 sobre cada uma das referidas coleções de livros didáticos de Matemática, foi levada em consideração para compreender as opiniões dos sujeitos desta pesquisa. Como suporte teórico foi feita a apropriação do entendimento adotado por Moreira (2013) para definir livro didático; de Dante (2005) para definir a tipificação de problema matemático; de Fiorentini e Lorenzato (2006) sobre Educação Matemática. E ainda o resultado das pesquisas de Silva Junior (2005), Oliveira (2007) e Rosas (2008) para caracterizar uso(s) do livro didático adotado. Para alcançar o objetivo desta dissertação, foi elaborado um questionário a professores de Matemática usuários das coleções citadas anteriormente. As primeiras constatações, permitem afirmar que os professores de Matemática das séries finais do Ensino Fundamental parceiros desta pesquisa, fazem uso(s) variados do livro didático como por exemplo, para realizar leitura junto com os alunos, resolver exercícios e os problemas que propõe o uso de recursos tecnológicos e instrumentos de medidas. Com a ressalva que alguns professores além do uso do livro didáticos recorrem a recursos, como jogos, paradidáticos, revistas, aplicativos de celulares, material reciclável, softwares, laboratório de informática, mapas conceituais, vídeo aulas são utilizados.

  • CÉLIO DE MENDONÇA CLEMENTE
  • AS PRÁTICAS EDUCATIVAS DOS PROFESSORES DE MATEMÁTICA DO ENSINO MÉDIO COM ÊNFASE À NOVA CONCEPÇÃO DO ENEM: UM ESTUDO NA REDE PÚBLICA ESTADUAL DO CEARÁ
  • Orientador : DENIZE DA SILVA SOUZA
  • Data: 08/02/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A presente pesquisa está vinculada aos estudos do mestrado acadêmico em Ensino de Ciências Naturais e Matemática pela Universidade Federal de Sergipe – UFS que tem o propósito de saber como e quais repercussões a nova proposta da prova do Exame Nacional do Ensino Médio – ENEM refletem na e para a prática de ensino dos professores de Matemática no Ensino Médio no Estado do Ceará. A questão central da pesquisa é: Quais práticas de ensino do professor de matemática que são trabalhadas nas suas aulas no ensino médio e como estão articuladas à nova concepção do ENEM? Essa questão desdobra-se em outras questões norteadoras visando abranger a dimensão do ensino por meio do discurso pedagógico e da relação do professor com o saber. A dimensão do ensino será abordada como foco da presente pesquisa através das seguintes categorias: relação com o saber (CHARLOT, 2005, 2013; SILVA, 2008; SOUZA, 2009, 2015), as políticas públicas (MACEDO, 2013; LIBÂNEO, 2014), ensino médio (BRASIL, 1998, 1999, 2002, 2007, 2012, 2015; FELIPPE, 2000; KUENZER, 2007), ensino de matemática (FIORENTINI, 2003, 2006; MOREIRA E DAVID, 2010, PAIS, 2013) e o ENEM (BRASIL, 2009; RABELO, 2013, MOREIRA, 2014). Os sujeitos principais da pesquisa são dezesseis professores de Matemática das três escolas da rede estadual, pesquisadas (escolas A, B e C) e os sujeitos secundários são os sete coordenadores escolares. A pesquisa encontra-se em andamento, sendo estruturada em duas etapas. A primeira já realizada com aplicação de um questionário aos sujeitos participantes do estudo, com questões fechadas e abertas. A segunda etapa, ainda em andamento, refere-se aos grupos focais, cada um sendo realizado com os professores por escola. O questionário teve objetivo em levantar dados pessoais e profissionais. Com os grupos focais pretende-se aprofundar algumas questões relacionadas às práticas educativas sob a perspectiva da nova concepção de ENEM. Os resultados, ainda se apresentam de forma parcial para esta pesquisa, a partir da aplicação do questionário.

2016
Descrição
  • IRAMÍ BILA DA SILVA
  • LIBRAS COMO INTERFACE NO ENSINO DE FUNÇÕES MATEMÁTICAS PARA SURDOS: UMA ABORDAGEM A PARTIR DAS NARRATIVAS
  • Orientador : CARLOS ALBERTO DE VASCONCELOS
  • Data: 09/12/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Esta dissertação tem como objetivo descrever as narrativas em Libras da experiência pessoal dos alunos surdos nas aulas de matemática. Para investigá-las tomou-se como fundamentação teórica as propostas de Labov (1967), (1997) e Perroni (1992) que veem a narrativa como método de recapitular linguisticamente experiências passadas. Propomos a viabilidade didático-pedagógicas das narrativas por considerá-las verossimilhantes a realidade de ensino e repletas de significados e reinterpretações, conforme afirmam Bruner (1991), Kenski (1994) e Cunha (1997). Para viabilizar essa pesquisa, objetivamos primariamente investigar as narrativas em Libras durante o processo de aprendizagem de função afim para alunos surdos. Objetivos específicos também foram articulados, a saber: reconhecer as prováveis dificuldades de aprendizagem durante as aulas de função afim, identificar os possíveis aspectos das narrativas que auxiliam no entendimento desses conteúdos e verificar as potenciais propriedades matemáticas do conteúdo de função afim. Diante dos objetivos, metodologicamente optamos por estudo de caso, com as técnicas da observação e entrevista para a coleta de dados (GIL, 2008), (CHIZZOTTI, 1998). Para análise e interpretação, utilizamos a técnica da análise da enunciação que faz parte do conjunto de técnicas denominado Análise de Conteúdo de Bardin (2011). Através da análise, percebemos que, além das narrativas do conteúdo de função afim, os dados coletados abordaram outros conteúdos: as narrativas sobre descriminante delta, parábolas e função quadrática. Verificamos também que é uma condição indispensável para o aluno surdo, se apropriar da situação de ensino, de modo que possa utilizar seus próprios procedimentos a partir da representação que faz da situação, pois representações matemáticas significativas auxiliam na compreensão e no esclarecimento das propriedades e conceitos matemáticos.

  • ALAN MARCOS SILVA DE REZENDE
  • Apropriações de teorias de Edward Lee Thorndike para o ensino dos saberes elementares matemáticos em revistas pedagógicas brasileiras(1920-1960)
  • Orientador : IVANETE BATISTA DOS SANTOS
  • Data: 18/11/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Neste texto são apresentados resultados de uma pesquisa cujo objetivo foi identificar indícios de apropriações de teorias de Edward Lee Thorndike para o ensino dos saberes elementares aritméticos em revistas pedagógicas que circularam no Brasil entre 1920 e 1960. Para tanto, foram examinados pesquisas já desenvolvidas e como fonte principal revistas pedagógicas que circularam à época do marco cronológico já citado. Como referencial teórico foram utilizadas obras de Thorndike, como: The Principles of Teaching Based on Psychology (1905), The Thorndike Arithmetics (1917), The new methods in Arithmetic (1921) e The Psychology of Arithmetic (1922). Após exame das fontes é possível afirmar que nas pesquisas vinculadas ao GHEMAT os autores utilizaram, principalmente, Santos (2006) como autoridade e a obra traduzida A Nova Metodologia da Aritmética para tratar de princípios defendidos por Thornd ike. Nas revistas pedagógicas foi possível constatar que as teorias de Thorndike começaram a circular no Brasil também a partir de referências como The Thorndike Arithmetics e The Psychology of Arithmetics, e que os autores dos artigos efetuaram interpretações e usos de aspectos para o ensino de saberes elementares aritméticos, em relação, principalmente, à resolução de problemas e aos testes, e que esses princípios estavam associados às orientações para professores à época. Assim, é possível afirmar que houve apropriação das teorias de Edward Lee Thorndike nas fontes examinadas.

  • LUCIENE COSTA SANTANA
  • MODELOS DIDÁTICOS ENCONTRADOS NO FAZER PEDAGÓGICO DE PROFESSORES DE BIOLOGIA; REPRESENTAÇÕES DOCENTES
  • Orientador : VELEIDA ANAHI DA SILVA
  • Data: 22/06/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O estudo dos modelos didáticos pode representar um instrumento útil para refletir sobre o planejamento de ensino, pois permite estabelecer um vínculo entre os aspectos teóricos relativos ao processo de ensino e aprendizagem e a intervenção em sala de aula propriamente dita. O presente trabalho baseou-se nos modelos didáticos propostos por Garcia Pérez (2000) em seus estudos, são eles: o tradicional, o tecnológico, o espontaneísta e o de investigação na escola (alternativo). O objetivo principal da pesquisa foi o de descobrir quais modelos didáticos utilizados pelos professores de Biologia das escolas públicas e sua importância no desenvolvimento cognitivo dos alunos. Como problemática temos as seguintes questões: será que os professores têm um modelo pedagógico/didático de referência? Se sim, qual ou quais? Esses modelos didáticos que estão sendo utilizados na sala de aula permitem aos alunos se apropriarem do conhecimento? Como referencial teórico, procuramos abordar as principais características dos modelos didáticos propostos por García Pérez, visto que este pesquisador é referência mundial neste tema. Abordamos também sobre a aplicação dos modelos didáticos no ensino de Biologia; sobre a motivação para a aprendizagem; sobre a evolução no ensino da Biologia; formação docente; planejamento de ensino; avaliação de ensino; citando autores, como: Garcia Pérez; Myriam Krasilchik, Develay, Carvalho e Gil-Pérez, Libâneo, Bachelard, Charlot, Fusari, Luckesi, dentre outros. A metodologia utilizada trata-se de uma pesquisa qualitativa, que possui um caráter descritivo do tipo estudo de caso. Para isso foram utilizadas as seguintes técnicas e instrumentos de coletas: pesquisa exploratória; entrevista semiestruturada; observação e questionários. Para esse fim foram utilizados como sujeitos da pesquisa professores de Biologia de duas escolas da rede estadual de Aracaju. Observou-se quanto aos dados coletados que boa parte das professoras tinha conhecimento sobre modelos didáticos estando estes presentes no plano de ensino dessas professoras. Quanto às escolas observou-se falta de alguns recursos e falta de estrutura nessas escolas pesquisadas para o desenvolvimento das práticas educativas dessas professoras. Em relação ao fazer pedagógico dos professores, verificou certa semelhança dos modelos didáticos utilizados por eles, principalmente quando se tratava de professores da mesma escola pesquisada. Pode-se concluir que com isso, que todos os modelos têm sua importancia no fazer pedagógico dos professores e que nenhum deles de forma integral pode caracterizar a didática desses docentes.

  • AMANDA MARIA RABELO SOUZA
  • RELAÇÃO QUE OS DISCENTES DE UM CURSO DE LICENCIATURA EM MATEMÁTICA ESTABELECEM COM OS SABERES PEDAGÓGICOS OFERTADOS EM SUA FORMAÇÃO
  • Orientador : EDINÉIA TAVARES LOPES
  • Data: 13/06/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A presente dissertação é resultado de uma pesquisa qualitativa que teve o objetivo geral de investigar a relação que os discentes de um Curso de Licenciatura em Matemática estabelecem com os saberes pedagógicos ofertados em sua formação. Como pressupostos teóricos foram utilizados a noção de relação com o saber de Charlot e os saberes docentes de Pimenta e Tardif. Os sujeitos da pesquisa foram os discentes e coordenadores pedagógicos do curso supracitado. Os dados foram coletados pela Análise Documental, entrevistas e questionários. Como resultados da análise documental concluímos que as disciplinas de cunho de formação Básica discutem os saberes disciplinas e as disciplinas de Formação Complementar apresentam saberes pedagógicos, contudo, não atingem o estudo dos saberes pedagógicos voltada a formação do professor de Matemática. Depreendemos daí, uma possível lacuna na formação desses futuros docentes. Constatamos nas falas dos coordenadores que eles compreendem os saberes docentes-pedagógicos como aqueles que estão sendo trabalhados nas disciplinas de didática, avaliação e currículo práticas e outras, e por saberes docentes-conhecimento aqueles trabalhados nas disciplinas específicas. Para os discentes saberes pedagógicos são aqueles trabalhados em disciplinas como didática, psicologia da aprendizagem, avaliação e currículo e outras, e por saberes de conhecimento as disciplinas específicas do cálculo matemático. E a relação que é estabelecida entre esses saberes dar-se-á segundo suas interpretações dos saberes pedagógicos.

  • GRAYCE KELLY ALVES SANTOS LIMA
  • Resolução de Problemas Ricos em Contexto: análise de um grupo colaborativo
  • Orientador : CELSO JOSE VIANA BARBOSA
  • Data: 30/05/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A interação dentro da sala de aula é uma das principais variáveis no processo de ensino e aprendizagem, mas essas interações entre alunos e professores geralmente não ocorrem nas metodologias adotadas pela maioria dos docentes de física. Além disso, o ensino de física e a sua avaliação encontram-se ancorados a técnicas matemáticas sem qualquer ligação com o cotidiano do aluno. Dessa forma, o aluno apenas memoriza as “fórmulas”, sem buscar relações com conceitos já aprendidos pelos mesmos, provocando uma aprendizagem sem significado. Assim, acreditamos que a interação social atrelada com a atividade colaborativa possa dar significado ao processo de ensino e aprendizagem, uma vez que os alunos constroem seus conhecimentos interagindo coletivamente. De tal modo, o objetivo principal dessa pesquisa é saber quais as percepções dos alunos acerca dos Problemas Ricos em Contexto, que é um tipo de metodologia de ensino colaborativo no Ensino Superior, bem como seus comportamentos enquanto grupo colaborativo em uma disciplina de física básica na Universidade Federal de Sergipe. No total, participaram 15 estudantes, os dados foram recolhidos através de observação participante e entrevista semiestruturada em grupo, realizadas em um grupo de 3 alunos, além de um inquérito por questionário aplicado a todos os alunos da disciplina. Os resultados com relação aos papéis desempenhados por cada membro dos grupos revelam que em alguns momentos os alunos não conseguiram exercer seus papéis com eficácia, mas por outro lado observamos que eles colaboraram no desenvolvimento das atividades. Além disso, os alunos relataram que na Aprendizagem Colaborativa eles aprendem com os próprios colegas de classe e com relação aos Problemas Ricos em Contextos, verificamos que os alunos compreenderam os benefícios dessa atividade e não veem essa tarefa como uma forma de diminuir a quantidade de atividade de cada aluno.

  • RAFAEL PINA LIMA
  • TECNOLOGIA E SOCIEDADE: TESTE DE DESEMPENHO ESCOLAR EM CIÊNCIAS
  • Orientador : EDSON JOSE WARTHA
  • Data: 31/03/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Nas últimas três décadas, o Brasil avançou significativamente no campo da pesquisa envolvendo sistemas de avaliações, fato este evidenciado pelo aumento expressivo de sistemas estaduais de avaliação. Estudos recentes revelaram que poucas unidades federativas nunca instituíram seus próprios sistemas de avaliação, participando apenas dos sistemas nacionais como o Sistema de Avaliação da Educação Básica (SAEB) e do Exame Nacional do Ensino médio (ENEM). Nesta perspectiva, a presente dissertação teve como objetivo o desenvolvimento de um teste de desempenho escolar em Ciências para estudantes concludentes do Ensino Fundamental do estado de Sergipe com especificidade no eixo temático “Tecnologia e Sociedade”. Essa tecnologia de avaliação, diferentemente das avaliações tradicionais, visa avaliar em estudantes sergipanos da rede pública o nível de aproximação e distanciamento do discurso discente em relação ao conhecimento científico sobre temas do referido eixo temático. A elaboração das questões foi norteada por uma matriz de referência construída a partir da análise de três documentos oficiais, Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN) (BRASIL, 1998), Referencial Curricular da Rede Estadual de Ensino de Sergipe (SERGIPE, 2013) e Livro didático aprovado no Programa Nacional do Livro Didático 2014 (PNLD). Os resultados obtidos mostraram que os estudantes sergipanos egressos do Ensino Fundamental apresentam, em geral, conhecimento compatível com a faixa etária, apresentando respostas baseadas entre os níveis de Ensino Fundamental menor e Fundamental maior. Com base nos resultados, pode-se notar que foi possível construir um instrumento de avaliação inédito quanto à perspectiva de avaliar, não averiguando o conhecimento por meio de respostas certas ou erradas, mas com alternativas de respostas que permitissem os alunos expressarem suas ideias se aproximando ou distanciando do conhecimento de referência.

  • SANNY SOUZA SANTOS
  • Uma avaliação externa inspirada no pluralismo epistemológico: um estudo sobre o tema Ser Humano e Saúde no estado de Sergipe
  • Orientador : ALICE ALEXANDRE PAGAN
  • Data: 31/03/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O ensino de ciências é marcado pela pluralidade conceitual e considerar esse aspecto é fundamental para a aprendizagem. Entretanto uma área que é pouco associada a essas perspectivas teóricas é da avaliação. A maioria dos exames verifica o conhecimento dos alunos através de um parâmetro, de uma resposta considerada correta. Faltam testes que considerem a diversidade de saberes, sua existência e influência para a aprendizagem. Objetiva-se construir e validar questões para um instrumento de avaliação do desempenho escolar para o ensino fundamental em Sergipe sobre o eixo “Ser Humano” e “Saúde” inspirado na diversidade epistemológica do conhecimento. Dentre as teorias desenvolvidas com base nessa perspectiva teórica, as concepções alternativas balizam o presente trabalho. O recurso em desenvolvimento compreende a formação em ciências naturais no ensino fundamental, portanto aplicado em uma amostra de alunos do 9º (nono) ano da rede pública estadual de Sergipe. Uma matriz de referência foi construída para nortear o instrumento. A matriz de referência construída aborda os conteúdos de Anatomia, Fisiologia, Doenças, Qualidade de Vida e Medidas Profiláticas. Os objetivos dos seus descritores foram elaborados segundo os Parâmetros Curriculares Nacionais. O teste de desempenho elaborado a partir da matriz conta com dez questões, cada questão com quatro sentenças. O instrumento é inspirado na escala de Thurstone. As alternativas das perguntas oscilam entre o conhecimento escolar e o conhecimento comum, podem ocorrer questões nas quais todas as alternativas estão corretas, outras podem conter erros conceituais. As alternativas estão a diferentes distâncias do conhecimento científico. Os alunos responderam com a resposta que lhe parece mais correta, sendo possível assim, aferir qual conhecimento é manifestado na hora de resolver problemas. Se o conhecimento dos alunos está mais próximo do senso científico, ou se no seu di-a-dia o senso comum domina suas atividades. Para garantir sua fiabilidade o teste foi validado qualitativamente por juízes e aplicação comentada e quantitativamente por estatística descritiva no Software Package for Social Science (SPSS) 18.0.

  • EMERSON DOS SANTOS NASCIMENTO
  • A UTILIZAÇÃO DA INTERNET NAS AULAS DE BIOLOGIA: ESTUDO DE CASO EM UMA ESCOLA DA REDE ESTADUAL DE ALAGOAS
  • Orientador : CARLOS ALBERTO DE VASCONCELOS
  • Data: 31/03/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A entrada do século XXI encontrou um fenômeno social curioso em progresso e em muitos locais do mundo: “a revolução tecnológica”, que vem promovendo mudanças na área do conhecimento e que passa a ocupar um lugar central nos processos educativos. A fim de acompanhar a evolução tecnológica profissionais de diversas áreas, dentre os quais, os da educação, devem estar em constante formação, pois o tempo em que vivemos é marcado por transformações apressuradas, o que exige dos educadores uma formação continuada e sólida, capaz de ajudar os alunos na capacidade de pensar criticamente frente às transformações sociais, econômicas e tecnológicas. Com a introdução das tecnologias, em especial a internet, surgem diversas questões associadas ao seu uso em sala de aula. Diante do exposto, objetivamos nesta pesquisa compreender a utilização da internet e suas interfaces nas aulas de Biologia, em uma escola da rede estadual na cidade de Pão de Açúcar/Alagoas. Sendo assim, para seu desenvolvimento, optou-se pela abordagem metodológica qualitativa com viés no estudo de caso, na qual realizou-se entrevistas semiestruturadas com quatro professores, observações diretas em sala de aula, recorrendo ao Projeto Político Pedagógico (PPP) da escola, afim de entender melhor a unidade de ensino e os sujeitos pesquisados. Para tanto, foram estudados autores como Lévy, Kenski, Castells, Kaline e Moran onde embasaram teoricamente o trabalho, dando maior entendimento as questões elencadas. Assim, comprovou-se que as interfaces representam para os professores uma nova estratégia de ensino e que seu uso dinamiza as aulas, despertando nos alunos a criatividade, imaginação e possui às vezes uma linguagem de fácil entendimento. Notou-se também que as potencialidades das interfaces passaram a ser mais exploradas nas aulas, conferindo uma mudança no processo de ensino e aprendizagem e que a usabilidade da internet como instrumento pedagógico, permite que o professor vislumbre mudanças significativas na melhoria da qualidade de ensino. Por fim, pode-se afirmar que para a utilização de qualquer recurso é preciso que o professor saiba utilizá-lo, portanto é essencial que a ele seja oportunizado capacitação adequada contribuindo de maneira significativa na sua formação inicial e/ou continuada, refletindo na prática pedagógica.

  • ILDEMA GOMES ARAGÃO
  • RELAÇÕES COM O SABER E O UNIVERSO EXPLICATIVO DA PESSOA COM CEGUEIRA TOTAL SOBRE A APRENDIZAGEM DA GEOMETRIA
  • Orientador : VELEIDA ANAHI DA SILVA
  • Data: 31/03/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa teve como questões norteadoras: analisar como se desenvolve o universo explicativo da pessoa com cegueira total sobre a aprendizagem da geometria e qual a relação com o saber estabelecida por elas na construção desse conhecimento. A pesquisa se enquadra na área da Educação Especial e Educação Matemática na perspectiva inclusiva. A pesquisa teve como embasamento teórico a teoria da Relação com o saber de Bernard Charlot e, para adentrarmos nos conceitos do Universo explicativo da pessoa com cegueira, trabalhamos com as teses de doutorado da professora Veleida Anahí da Silva, da professora Denize da Silva Souza, além disso fazemos um pequeno recorte da trajetória da Educação Especial até os dias atuais e para isso nos apropriamos dos textos Mantoan (2003), Mansini (1994), Sassaki (1999), Souza e Silva (2005), Souza et ali (2005), Stainback e Stainback (1999), dentre outros; mas, também buscamos outros suportes em estudos inseridos nesse mesmo campo de pesquisa, principalmente, e também em alguns trabalhos voltados a aprendizagem da Geometria. Como instrumento de coleta de dados foram utilizados produção de texto baseado na técnica “balanço do saber” – desenvolvida pela equipe ESCOL (Paris VIII), organizada por Charlot (1999) – e três etapas de entrevista, sendo uma delas baseada na entrevista de explicitação técnica desenvolvida por Pierre Vermersh (1994). Este trabalho teve uma abordagem qualitativa, envolvendo a análise dos conteúdos das entrevistas para estabelecer possíveis situações de semelhança ou diferenças entre os sujeitos participantes da pesquisa. Os resultados nos mostraram que a pessoa com cegueira total que não possui comprometimento de outros órgãos que não seja a visão, tem a capacidade de construir um universo explicativo de qualquer objeto matemático, desde que tenha sido construído considerando suas particularidades e seus limites. As Relações com saber dessas pessoas basearam-se na necessidade de auto afirmação, capazes de tornarem-se sujeitos independentes e cidadãos do mundo.

  • JÉSSICA CRAVO SANTOS
  • MATERIAIS DE ENSINO: UMA HISTÓRIA SOBRE PRESCRIÇÕES E POSSÍVEIS USO(S) NO ENSINO DOS SABERES ELEMENTARES MATEMÁTICOS EM SERGIPE (1911-1931)
  • Orientador : IVANETE BATISTA DOS SANTOS
  • Data: 30/03/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Por meio de uma pesquisa buscou-se responder: Como os materiais de ensino foram prescritos e quais seus usos, possíveis, no curso primário dos saberes elementares matemáticos nos grupos escolares sergipanos, durante o período de 1911 a 1931? Para responder a essa indagação foram utilizadas para análise, documentos oficiais como: regulamentos, leis, decretos e programas, a fim de tecer considerações sobre os materiais, no que tange aos conteúdos e métodos. Posteriormente, para uma compreensão de finalidades de uso(s) dos materiais, foram analisadas propostas pedagógicas contidas nos próprios materiais e em obras didáticas que apresentavam indícios de propostas para seu(s) uso(s). Como referencial bibliográfico, foram adotados autores como: Valente (2007, 2013), Bloch (2001) e Le Goff (2003) para entendimentos sobre o tratamento às fontes e o ofício de historiador; Julia (2001) e Chervel (1990), para informações sobre a cultura material escolar e a história das disciplinas escolares; Azevedo (2009), Nascimento (2012) e Souza (2006), sobre os grupos escolares; e Calkins (1950) e Valdemarin (2004, 2006), para entendimento do método intuitivo ou lições de coisas. Com base na investigação realizada, constata-se que muitas das recomendações postas nas prescrições legais do Estado, sem uma explicação, estavam contidas nas Cartas de Parker, como referências a uso de materiais: tornos, palitos, entre outros, para resolver questionamentos explícitos nas próprias Cartas, por meio da observação (munindo-se o professor), ou da manipulação (contato com o próprio aluno) de materiais. A régua e os esquadros, instrumentos essenciais ao desenho linear, segundo a documentação sergipana, eram indicados ao estudo das linhas e ângulos, bem como os padrões do sistema de pesos e medidas para os saberes do sistema métrico decimal.

  • ANA BÁRBARA ASSUNÇÃO VAZQUEZ CORRÊA
  • EDUCAÇÃO INCLUSIVA NO ENSINO SUPERIOR: SABERES E PRÁTICAS DOS PROFESSORES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENSINO DE CIÊNCIAS E MATEMÁTICA
  • Orientador : VERONICA DOS REIS MARIANO SOUZA
  • Data: 30/03/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • RESUMO

    A presente pesquisa teve como objetivo compreender os saberes e práticas dos professores do Programa de Pós Graduação em Ensino de Ciências e Matemática da Universidade Federal de Sergipe, sobre a inclusão da pessoa com deficiência no Ensino Superior. Para tanto, abordou-se nesse estudo, as concepções dos professores no que diz respeito à inclusão através do olhar a respeito da acessibilidade e dos problemas da formação do professor na área de exatas. Buscou-se saber quais foram às dificuldades enfrentadas e se houve mudança na prática pedagógica pela necessidade de incluir alunos com deficiência durante as aulas e no planejamento. Para tanto, utilizou-se o Estudo de Caso com uma abordagem qualitativa e como instrumento para coleta de dados, foram utilizados, a entrevista e as análises documentais. Como aporte teórico foram referências às abordagens de Mazotta (1996); Stainback&Stainback (2008); Bueno (2002); Mantoan (1997); Fávero (2002); Fernandes (2014); Santana (2010), dentre outros. Constatou-se que os professores do Programa – PPGECIMA, apresentam dificuldades para trabalhar com alunos com deficiência, uma vez que, nota-se desde a falha na comunicação entre os setores à dificuldade no atendimento especializado para as pessoas com deficiência. Com isso, esse trabalho apresenta a partir das análises, a necessidade de alguns professores em ter acesso a cursos e palestras que orientem o trabalho específico de inclusão. Desse modo, conclui-se que os professores do PPGECIMA percebem a inclusão de modo positivo, no entanto apenas uma quantidade mínima dos entrevistados tinha idéia a respeito da inclusão do aluno com deficiência no ensino superior, de forma que se verificou que a presença do aluno com deficiência na sala de aula não alterou significativamente a prática docente. As principais dificuldades apontadas foram falta de informação prévia sobre o aluno, as mudanças no ritmo da aula, o despreparo do professor, da área exatas para lidar com as demandas do aluno com deficiência no ensino superior.. Por fim, percebe-se que para atingir a inclusão ainda é necessário percorrer um longo caminho.

  • GRACINEIDE BARROS SANTOS
  • A LUDICIDADE NO ENSINO DA MATEMÁTICA NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL
  • Orientador : MARIA BATISTA LIMA
  • Data: 30/03/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O objetivo deste estudo é analisar possíveis relações entre as atividades e/ou estratégias lúdicas e a aprendizagem Matemática nos anos iniciais do Ensino Fundamental (EF). A Matemática, apesar de estar presente constantemente na vida das pessoas, tem em seu ensino e em sua aprendizagem na escola um desafio, cujos resultados negativos tem inquietado tanto gestores/as em nível macro, como profissionais do cotidiano da escola. A relação afetiva negativa com a matemática escolar e as dificuldades em entendê-la tem contribuído para sua denominação como disciplina difícil que causa temor dos discentes, assim como desânimo em muitos professores e professoras. Foi buscando entender a relação das práticas de ensino de Matemática com a aprendizagem dessa disciplina nos anos iniciais do EF que recorremos das ideias de autores como: Vygotsky (1991), Benjamin(1984), Charlot(2005), D’Ambrósio(1996), Irene Albuquerque(1954), Fiorentini(2003), Santos(1997), dentre outros. A metodologia utilizada é de cunho qualitativo, um estudo de caso do tipo etnográfico, no qual entre os procedimentos e instrumentos utilizados estão: aplicação de questionários diagnóstico à professora, alunos/alunas e gestor; análise dos projetos (Pedagógico e Didáticos) da escola; observação de campo com descrição densa; realização de entrevistas semiestruturadas de explicitação. Os dados serão analisados a partir de aspectos da análise de conteúdo e da análise do discurso, procurando fazer do olhar e das escutas dos sujeitos, instrumentos de compreensão do objeto de estudo, a contribuição da ludicidade para a aprendizagem Matemática. Nesse sentido, a educação lúdica, além de contribuir e influenciar no desenvolvimento do aluno, possibilita a conquista de novos conhecimentos, promovendo a integração social, com o compromisso de transformação e modificação do ambiente educacional.

  • HELOISA HELENA SILVA
  • UMA INVESTIGAÇÃO SOBRE OS SABERES ELEMENTARES MATEMÁTICOS PRESENTES EM CONCURSOS PARA PROFESSORES PRIMÁRIOS EM SERGIPE (1874-1924)
  • Orientador : IVANETE BATISTA DOS SANTOS
  • Data: 30/03/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho apresenta o resultado de uma pesquisa em que investigamos saberes elementares matemáticos presentes em provas de concursos para o magistério da Instrução Pública Primária no Estado de Sergipe (1874-1953). O exame dos documentos oficiais acerca das exigências para inscrição nos concursos citados possibilitou-nos agrupar esse material em quatro períodos considerando as exigências que mais se aproximaram: 1874; 1890-1893; 1901; 1911-1953. Valente (2013); Chartier (1990, 1995, 2002, 2009) e Julia (2001) serviram como suporte teórico e metodológico para interpretação das fontes. Foram privilegiadas as provas de concursos, assim como também fontes oficiais a exemplo de Decretos, Leis e Regulamentos. No exame das provas foi possível identificarmos provas dissertativas e de resolução, em que aparecem saberes como: operações fundamentais de inteiros, quebrados e frações; Redução de frações a decimais; Conversão de medidas de capacidade em canadas e vice versa; Somar Quebrados; Maior divisor comum; mínimo múltiplo comum; Máximo divisor comum por decomposição; Somar; Somar inteiros; Diminuir decimais; Numeração Decimal, fração decimal; Conversão de fração decimal em ordinária e vice-versa; Teoria e propriedade das Proporções; divisão proporcional e juros simples; Divisibilidade dos números-números primos; Multiplicação de Frações Ordinárias com quatro casos principais; Números decimais, Frações e operações fundamentais com frações; Números e algarismos; Algarismos arábicos; Numeração ordinal; Medidas de superfície, de volume e de comprimento; conversão de medidas de capacidade e medidas de comprimento; juros;; hora e seus múltiplos e submúltiplos; Regra de três; expressões numéricas com frações; dízima periódica composta. Os saberes elementares matemáticos contidos nos pontos elaborados pela congregação, para comporem essas provas foram identificados, e depois de examinados foi possível estabelecer uma aproximação com os conteúdos do ensino primário e conteúdos dos manuais pedagógicos de autoria de Antonio Trajano.

  • WILMA FERNANDES ROCHA
  • SABERES ELEMENTARES ARITMÉTICOS NO ENSINO PRIMÁRIO EM SERGIPE (1890 a 1944)
  • Orientador : IVANETE BATISTA DOS SANTOS
  • Data: 30/03/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O presente trabalho apresenta os resultados de uma investigação que teve por objetivo analisar os saberes elementares aritméticos para o ensino primário em Sergipe nos documentos oficiais, no período de 1890 a 1944. Com vistas a atingir o objetivo proposto, foram localizados e examinados documentos como: Regulamentos da Instrução Pública primária, Programas de Ensino, Relatórios sobre Grupos Escolares, Mensagens de Presidentes do Estado e Manual de ensino. A contribuição teórica ocorreu a partir do uso de autores como Valente (2013), Bloch (2002) e Chartier (1990). O exame dos documentos foi norteada pela seguinte interrogação: de que forma os saberes elementares aritméticos se apresentavam e foram alterados ou não na transição de movimentos educacionais? De acordo com o exame, nos Regulamentos, é possível afirmar que a matéria/disciplina aritmética sofreu mudanças na nomenclatura, iniciou em 1890 com Aritmética e sistema métrico, no ano de 1915, denominava-se Aritmética até regra de três simples. E em 1944 passou a ser Matemática. Nos Programas, foram identificados e examinados saberes elementares aritméticos, que podem ser elencados da seguinte forma: números; operações aritméticas e problemas; frações e suas operações; divisibilidade; proporção; juros simples e medidas. Há referências a materiais como contadores mecânicos e as cartas de Parker e indicação para que fossem adotados os livros Aritmética Elementar de Antonio Trajano e de Ramon Roca. Como auxilio inicial ao professor foi recomendado, em Mensagens presidenciais e Relatórios sobre grupos escolares, o manual de Calkins (1886/1950) que foi examinado, afim de verificar os Princípios Fundamentais das Lições de Coisas e o que possivelmente poderia ter de aproximação com os saberes postos nos Programas de Ensino de Sergipe, visto que o método indicado era o intuitivo até a década de 1920, com indícios de mudança para o que preconizava os princípios da Escola Nova desde essa época e com maior ênfase após a década de 1930.

  • JOYCE DE SOUZA FERREIRA
  • TERRA E UNIVERSO: CONSTRUÇÃO E VALIDAÇÃO DE UM TESTE DE DESEMPENHO ESCOLAR EM CIÊNCIAS
  • Orientador : EDSON JOSE WARTHA
  • Data: 29/03/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Este estudo tem como objetivo a construção e validação de um teste de desempenho escolar para o ensino de ciências no estado de Sergipe a partir do eixo temático Terra e Universo. A abordagem metodológica desenvolvida para a construção desta pesquisa foi subdivida em 4 etapas: i) construção de uma matriz de referência; ii) identificação na literatura de concepções alternativas relacionadas ao eixo Terra e Universo; iii) elaboração de questões que levem em consideração as aproximações e distanciamentos do conhecimento de referência; iv) validação das questões. O teste final contém 40 questões, 10 de cada um dos eixos temáticos que foram desenvolvidos em estudos paralelos. Para a coleta de dados, foi aplicado o teste piloto para 611 alunos do 9º ano do Ensino Fundamental nos 10 Diretórios Regionais. Para a análise dos dados foi utilizado o programa SPSS (Statistical Package for Social Sciencest), dentre as análises estatísticas pertinentes foram realizadas as frequências simples, cálculo do Alpha de Cronbach e feitas correlações de rho de Spearman. Visto que os dados estatísticos estão dentro da margem esperada, os resultados evidenciam que os alunos estão no nível de conhecimento referente a série que estão estudando.

  • CAMILA CUNHA
  • O desempenho escolar em ciências e o pluralismo epistemológico: a elaboração de questões do eixo temático “Vida e Ambiente”
  • Orientador : ALICE ALEXANDRE PAGAN
  • Data: 28/03/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A qualidade da educação básica é medida através dos testes de desempenho escolar em larga escala e junto de outras informações constroem um panorama da situação educacional brasileira. A sala de aula é um espaço heterogêneo, nela encontramos alunos de várias origens sociais, vivências, opções religiosas distintas e com condições materiais e afetivas diversificadas. Esses e outros fatores influenciam no aprendizado, na formação escolar e na construção do conhecimento. Partindo de um olhar pluralista epistemológico, lançamos questionamentos acerca de como esses conhecimentos se manifestam em alunos do ensino fundamental. Objetivamos construir um teste de desempenho diferenciado, que possua um novo formato de questões para aferir o desempenho escolar em ciências. As discussões acerca dos testes de desempenho escolar aplicados no Brasil, em especial aqueles que se referem ao desempenho em ciências, os conhecimentos escolares sob o ponto de vista pluralista epistemológico e a metodologia na construção das questões para o teste de desempenho proposto, são aspectos pertinentes nesse trabalho. Apresentamos um conjunto de questões testadas e validadas para o eixo temático “Vida e Ambiente”, bem como, as análises de estatística descritiva dos resultados da aplicação de uma primeira versão do teste. Identificamos ao final deste trabalho alguns limites e inovações referentes às questões em “Vida e Ambiente” e sugestões para a melhoria destas questões.

  • CAMILLA SILEN DE ALMEIDA DANTAS
  • OS ECOSSISTEMAS LOCAIS NAS AULAS DE ECOLOGIA: ESTRATÉGIAS DIDÁTICAS EM ESCOLAS LOCALIZADAS NO ENTORNO DE UMA UNIDADE DE CONSERVAÇÃO EM ARACAJU, SE
  • Orientador : MYRNA FRIEDERICHS LANDIM DE SOUZA
  • Data: 23/03/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Considerar o ambiente vivencial dos alunos como ponto de partida no ensino sobre os ecossistemas é algo bastante vantajoso na prática docente, pois a partir daí é possível se conquistar um posicionamento adequado diante das diversas problemáticas ambientais que afligem não só os ambientes ao nosso redor, mas também o mundo. Considerando o ambiente escolar como veículo de formação do indivíduo para sua atuação socioambiental, reconhecem-se no Ensino de Ecologia, especificamente, potencialidades para a compreensão dos problemas ambientais (KATO et al., 2013). Esta pesquisa tem como finalidade contribuir para o conhecimento sobre a prática de docentes de Biologia sobre ecossistemas locais em aulas de Ecologia de três escolas da rede pública estadual de Aracaju, Sergipe, localizadas próximo a Área de Proteção Ambiental Morro do Urubu. Em relação à natureza e técnicas de coleta de dados, a pesquisa possui uma abordagem qualitativa, utilizando como instrumento de coleta de dados a entrevista. Analisaram-se os relatos de sete docentes sobre sua prática, a fim de caracterizar práticas metodológicas utilizadas no ensino dos ecossistemas locais e analisar as potencialidades e limitações na abordagem sobre estes ecossistemas. Para a categorização das metodologias ou estratégias didáticas utilizadas por esses professores, utilizou-se a classificação das Modalidades Didáticas proposta por Krasilchik (2004). Os resultados obtidos revelaram que a prática de grande parte dos docentes, limitou-se às Aulas Expositivas e Instrução Individualizada, uma possível justificativa seria a escassez de recursos pedagógicos, tanto em termos materiais, como humano, fato que restringe principalmente a execução das Demonstrações, Aulas Práticas, Simulações. O tempo limitado destes profissionais impede-os de realizar um trabalho mais articulado com os demais colegas de profissão, inviabilizando a realização de Excursões e Projetos. Observou-se, que apesar dos docentes perceberem o que há no entorno da escola e reconhecerem o potencial destes ambientes para a aprendizagem dos alunos, infelizmente, a APA Morro do Urubu parece não exercer influência na abordagem didática sobre os ecossistemas locais, pois, o Livro Didático foi apontado como principal norteador da prática destes professores. Tornando-se necessários investimentos, tanto em recursos como em Políticas Públicas mais eficientes para o ensino.

  • MAIARA FERNANDA SOUZA PINTO
  • A INSERÇÃO DOS TABLETS EM ESCOLAS ESTADUAIS DE ARACAJU: DESAFIOS E LIMITAÇÕES
  • Orientador : SAMISIA MARIA FERNANDES MACHADO
  • Data: 16/03/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • As tecnologias móveis, em especial os tablets, estão trazendo um novo conceito de ensino chamado de mobile learning que está relacionada a mobilidade espacial e temporal na escola. Em Sergipe, no ano de 2013, foi implantado o Projeto Tablets Educacionais tendo como objetivo proporcionar aos professores e alunos condições de acesso a novas tecnologias, e à internet para auxiliar a aprendizagem dos alunos. Esta pesquisa teve como objetivo investigar de que forma os professores de química aceitam a inserção dos tablets em sua prática pedagógica nas escolas da rede Estadual de Aracaju. Para isso foram realizadas entrevistas com dois funcionários da SEED/SE, visando compreender melhor o projeto e posteriormente com sete professores de química das escolas em que professores e alunos receberam o tablet. Os dados foram analisados a partir da “Análise Textual Discursiva – ATD”. Da análise destes dados e dos comentários “livre” após as entrevistas concluímos que os professores de química aceitam a inserção dos tablets, porém, neste projeto da SEED/SE, não houve incorporação dos mesmos em suas práticas pedagógicas. Na nossa compreensão emergente não é suficiente equipar a escola com recursos tecnológicos sem desenvolver no professor o estímulo, a capacitação de uma boa formação continuada e sua inserção no projeto desde a sua concepção, para que eles não se sintam obrigados simplesmente a usá-los.

  • DANILO MESSIAS NASCIMENTO E SANTOS
  • ANÁLISE DE LIVROS DIDÁTICOS CONFORME AS CONSIDERAÇÕES DO PNLD: ESTATÍSTICA E PROBABILIDADE
  • Orientador : KARLY BARBOSA ALVARENGA
  • Data: 15/03/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O Programa Nacional do Livro Didático (PNLD) visa escolher, por meio de um edital, coleções de livros didáticos que serão utilizadas em salas de aula do ensino básico público e elabora, ao término do trâmite, um Guia de Livros Didáticos para que os professores as escolham de acordo com as considerações e resenhas elaboradas. Então, pela importância da Estatística e Probabilidade, que são aplicadas no cotidiano nas mais diversas situações e, por no Guia estarem contidos os aspectos eliminatórios e classificatórios pedidos no edital, de forma mais analítica para cada coleção, investigamos, nessa pesquisa, se as coleções aprovadas no PNLD 2015 contêm as recomendações desse programa para esses assuntos. Para isso, em uma primeira etapa, selecionamos cinco coleções de Ensino Médio e as avaliamos, segundo a técnica de Análise de Conteúdo, compondo categorias, conforme as considerações do Guia. A fim de fechar um ciclo, que liga Livro Didático – PNLD – Professor, também pesquisamos, em uma segunda etapa, a opinião de alguns professores de Matemática que lecionam no Ensino Médio e estão fazendo mestrado na Universidade Federal de Sergipe sobre, essencialmente, a escolha do livro didático e a forma que estes abordam a Estatística. Para isso, valemos da aplicação de um questionário e usamos a técnica de análise estatística descritiva e também a Análise de Conteúdo. Assim, entre as categorias na primeira fase estão a Apresentação das Obras e Distribuição dos Conteúdos, em que evidenciamos nossas impressões sobre capa, título e verificarmos quantitativamente como estão distribuídos os conteúdos de Estatística e Probabilidade. Além disso, teve a Metodologia de Ensino e Aprendizagem, onde constatamos que todas as coleções têm uma abordagem metodológica que privilegia um aprendizado passivo, sem espaço para reflexões, a não ser por seções específicas. No aspecto relacionado ao uso de tecnologias, algumas obras trazem exemplos para serem usados nos assuntos da área de Análise de Dados, como softwares e tutoriais de uso da calculadora. Outra característica analisada foi a Contextualização, que o Guia define sob os aspectos das práticas sociais e da História da Matemática. No primeiro, notamos a inserção em todas as coleções, por meio de seções ou exercícios e no segundo percebemos que só uma coleção trata de personagens históricos de Estatística. Ademais, poucas discutem a evolução histórica dos conceitos e as motivações sociais, econômicas e científicas que levaram ao avanço da Matemática. A última categoria dessa etapa foram os Tópicos Específicos de Estatística e Probabilidade, que destacamos das considerações como o estímulo à coleta de dados ou se a obra utiliza uma outra definição de Probabilidade, além da clássica. Na segunda etapa da investigação, mais prática, a análise mostrou que os respondentes afirmam conhecer o PNLD, mas não se orientam pelo Guia para escolherem as coleções que utilizarão em sala de aula. A abordagem da Estatística no livro didático é considerada parcialmente satisfatória, com conteúdos resumidos e poucas estimulam projetos de coleta de dados. Portanto, refletimos se os recursos federais destinados a esse programa estão sendo subvalorizados e se as coleções estão mesmo se aperfeiçoando de acordo com as Diretrizes Curriculares Nacionais, que é a base de consulta para a elaboração do Guia de Livros Didáticos.

  • ALEXANDRE MOTA MENEZES
  • Sequência de Ensino Aprendizagem no processo de formação continuada: contribuições e reflexões de professores em exercício.
  • Orientador : ERIVANILDO LOPES DA SILVA
  • Data: 04/03/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Diante da busca pela melhoria do ensino de ciências, as discussões e reflexões na formação inicial e continuada de professores mostram-se fundamentais. Sendo assim, o presente trabalho busca apresentar elementos para discussão advinda de um projeto de pesquisa sobre as influências epistemológicas, pedagógicas e didáticas nas escolhas feitas por professores inseridos num processo de formação continuada, trabalhando com validação de uma Sequência de Ensino-aprendizagem (SEA). O material foi elaborado pelo pesquisador durante a graduação e validado. Na pós-graduação a SEA é então discutida, aplicada e reelaborada por professores do Ensino médio com o objetivo de compreender as escolhas feitas pelos professores durante esse processo. As discussões mostram que entre as dificuldades enfrentadas pelos professores a necessidade de trabalhar todo o conteúdo de forma sistemática, a relação professor-aluno e questões organizacionais e estruturais da escola são fatores determinantes nas escolhas feitas pelos professores em atividade. Essas dificuldades interferem na aplicação de materiais com Abordagem CTS e com Experimentação investigativa.

  • RENATA DAPHNE SANTOS IZAIAS
  • APRENDIZAGEM BASEADA EM PROBLEMAS NO ENSINO DE CIÊNCIAS: UM ESTUDO SOBRE SUA APLICABILIDADE NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS
  • Orientador : MARLENE RIOS MELO
  • Data: 02/03/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Nos últimos anos pouco se tem olhado para a Educação de Jovens e Adultos (EJA) e menos ainda para o ensino de ciências nessa modalidade. Baseando-se nessas questões, o objetivo da pesquisa a partir da aplicação da proposta didática fundamentada na (PBL) Problem Based Learnig ou Aprendizagem Baseada em Problemas foi avaliar a aplicabilidade da mesma para a aprendizagem de ciências naturais em uma turma de jovens e adultos de uma escola pública de São Cristóvão/Se. Visando atingir tal objetivo, foi realizada uma pesquisa de natureza qualitativa exploratória, utilizando-se como instrumentos de coleta: dois questionários aplicados aos alunos e produção textual dos sujeitos pesquisados. Os dados foram analisados a partir da Análise Textual Discursiva (ATD) proposta por Moraes (2003). Os resultados mostraram que as aulas apresentaram contribuições positivas em relação, a aprendizagem de ciências, a conscientização na tomada de decisão e a mudança de postura atitudinal que lhes possibilitarão a qualificação para o mercado de trabalho, razão de maior destaque para escolha dos estudantes em ingressar na EJA.

  • ANDERSON DE OLIVEIRA SANTOS
  • CONCEPÇÕES DE PROFESSORES ATUANTES E EM FORMAÇÃO SOBRE HISTÓRIA DA QUÍMICA E A NATUREZA DA CIÊNCIA
  • Orientador : MARLENE RIOS MELO
  • Data: 01/03/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Discussões sobre a importância da utilização da História da Ciência no processo de ensino e aprendizado de Ciências da Natureza (Química, Física e Biologia), tanto no ensino médio, quanto na formação inicial de professores, tem sido cada vez mais recorrente. Entre as contribuições para a utilização de forma adequada da História da Ciência na educação destacam-se: a colaboração no processo de ensino e aprendizagem de Ciências, seja na aprendizagem conceitual ou na compreensão da própria Natureza da Ciência, isto é, como o conhecimento científico é construído e como é o pensar é fazer da “Ciência”. Esta pesquisa tem o objetivo de apresentar e analisar algumas concepções de professores de Química atuantes e em formação sobre a utilização da História da Química no ensino, bem como suas concepções sobre a Natureza da Ciência. Como referencial de análise utilizou-se da Análise Textual Discursiva de Galiazzi e Moraes (2011). Como referenciais teóricos utilizamos: para História da Química Martins (1990) e Martins (2006); para a Natureza da Ciência Gil-Pérez e col (2001). Os resultados desta investigação apresentaram algumas visões adequadas e inadequadas sobre o uso da História da Química no processo de ensino e aprendizagem, bem como sobre a Natureza da Ciência. A próxima etapa desta pesquisa será a aplicação de uma intervenção didática, em um curso de formação de professores de Química, utilizando um exemplo de um episódio histórico, visando analisar, posteriormente, possíveis alterações nas concepções iniciais dos licenciandos.

  • LAIS MENEZES CARDOSO DOS SANTOS
  • UM ESTUDO SOBRE OS IMPACTOS DAS AÇÕES DO PIBID NOS CURSOS DE LICENCIATURA EM QUÍMICA DA UFS E IFS
  • Orientador : ELIANA MIDORI SUSSUCHI
  • Data: 26/02/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O presente trabalho procura investigar alguns apontamentos sobre a formação inicial de professores na perspectiva das políticas públicas. A delimitação escolhida neste trabalho para pensar políticas públicas que retomem a centralidade da pesquisa nos processos pedagógicos é o Programa Institucional de Bolsas de Incentivo à Docência (PIBID). A reflexão aqui proposta busca construir um estudo a fim de avaliar seus impactos frente ao processo de formação dos licenciandos do curso de Química, especificamente, os bolsistas da Universidade Federal de Sergipe (UFS)/Campus São Cristóvão e do Instituto Federal de Sergipe (IFS)/Campus Aracaju.

  • MARIA CRISTINA DE SOUZA SANTOS
  • Ensinar e Aprender Matemática no Ensino Médio: o caso do curso Profissionalizante em análise clínicas
  • Orientador : ANA MARIA FREITAS TEIXEIRA
  • Data: 28/01/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Resumo: Este trabalho, de natureza qualitativa, tem como objetivo identificar e analisar como os professores de matemática da 3ª série do ensino médio profissionalizante definem suas estratégias de ensino dos conteúdos de matemática. A relevância da pesquisa está na possibilidade de identificar e analisar os elementos que interferem nesse processo de decisão e escolha realizado pelos docentes em cursos de educação profissional técnica de nível médio cujo objetivo é preparara os alunos para inserção no mercado de trabalho. Assim, a base teórica da pesquisa está fundamentada em um conjunto de obras sobre os saberes docentes e suas implicações na prática pedagógica. Para a coleta de dados, foram utilizados os seguintes instrumentos: questionários aplicados junto a alunos e professores, de forma a poder traçar o perfil dos mesmos, além de identificar a visão que possuem sobre o ensino da matemática; entrevistas semiestruturadas com os docentes, numa abordagem centrada nos objetivos específicos da pesquisa; observação das aulas, para subsidiar a análise obtidas com a utilização dos instrumentos anteriores, e análise do plano de curso, buscando identificar no planejamento os métodos definidos pelos professores das turmas pesquisadas. Os sujeitos da pesquisa são os professores, cuja ação está no foco do estudo realizado, mas também os alunos, de maneira secundária, contribuindo para o entendimento do processo de ensinar e aprender matemática.

  • GLAUCIA BOMFIM BARBOSA BARRETO
  • O ensino de matemática através de jogos educativos africanos: um estudo de caso em uma turma de educação de jovens e adultos (EJA) de uma escola municipal de Aracaju
  • Orientador : ANA MARIA FREITAS TEIXEIRA
  • Data: 28/01/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Resumo: Esta pesquisa foi desenvolvida com alunos de uma turma do 1º ciclo da Educação de jovens e adultos (EJA) de uma escola municipal de Aracaju (SE), localizada no centro da cidade, em que foi aplicado um jogo africano da família Mancala como estratégia de ensino e aprendizagem matemática, bem como possibilidade ao cumprimento da Lei 10.639/2003, que torna obrigatório o ensino de História e Cultura Afro-Brasileira em todo Currículo Escolar, objetivando analisar de que maneira os jogos educativos da família Mancala, especificamente o “Ouri” interferem no processo de aprendizagem Matemática (nas operações básicas de adição, subtração e multiplicação) e se propiciam o conhecimento, a valorização da cultura Africana e o fortalecimento das relações étnico-raciais dos alunos. Várias pesquisas apontam que a Matemática é considerada muitas vezes uma disciplina difícil pelos alunos, ao mesmo tempo em que estes reconhecem a grande importância de se compreendê-la de forma a utilizá-la em seu cotidiano. Metodologicamente, esta pesquisa se insere em um estudo de caso, com intervenção pedagógica, realizando-se numa abordagem qualitativa. Considerando que foi utilizada a abordagem quantitativa para a análise do perfil dos alunos. Os sujeitos da pesquisa foram os jovens e adultos matriculados no 1º ciclo desta unidade de ensino, na modalidade de ensino da EJA. Recorremos também à coordenação geral e pedagógica da escola para a realização de um questionário em relação ao funcionamento e dados da Instituição de ensino. Vale ressaltar que os sujeitos principais da pesquisa são os alunos. Para a coleta de dados utilizamos entrevistas semiestruturadas e aplicação de exercícios em relação ao assunto matemático explorado com os alunos antes e depois da intervenção pedagógica; intervenção pedagógica; análise do diário de campo e observação livre.

2015
Descrição
  • CARLOS ALBERTO MORAIS PACHECO DA SILVA
  • UM ESTUDO SOBRE A UTILIZAÇÃO DE AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM PARA MINISTRAR AULAS DE FÍSICA
  • Orientador : DIVANIZIA DO NASCIMENTO SOUZA
  • Data: 11/09/2015
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Foi realizado um estudo sobre a utilização de ambientes virtuais de aprendizagem ao se ministrar aulas de Física nas escolas de ensino médio de Aracaju, Sergipe. Visando melhor compreender essa questão, foram utillizados dois eixos de investigação. O primeiro, chamado de eixo central, foi trabalhado junto a professores de Física de escolas da rede estadual de ensino. A finalidade neste eixo foi obter informações sobre a efetiva utilização ou não de ambientes e simulações virtuais nas aulas ministradas por esses professores e as possíveis causas que conduzissem à realidade encontrada, fossem causas de opção metodológica ou pessoal. O segundo eixo de investigação, chamado de eixo auxiliar, foi trabalhado junto a alunos de licenciatura em Física, cursando a disciplina Instrumentação para o Ensino de Física IV (IEF IV), na Universidade Federal de Sergipe (UFS). Procurou-se identificar o nível de aceitação por parte dos alunos em relação à utilização de simulações virtuais ao ministrarem aulas com conteúdos de Física abordados no ensino médio. Nesse segundo eixo, verificou-se através de atividades práticas utilizando simulações virtuais se os alunos alcançariam um grau de envolvimento com as simulações, de forma a se sentirem estimulados a utilizá-las em futura atividade profissional nas escolas. Os resultados dos dois eixos de investigação serviram de subsídio para se entender a existência ou não de alguma relação causal entre as duas realidades pesquisadas, que implicasse em uma prática de ensino transposta da graduação para as escolas de educação básica. Em relação aos professores das escolas, foram considerados aspectos como tempo de formado e de prática docente, existência de atualizações através de formação continuada ou ainda outros fatores de natureza pessoal que poderiam influenciar na utilização ou não de ferramentas virtuais de ensino nas atividades docentes cotidianas desses professores. Constatou-se através dos resultados obtidos que a maior parte dos professores de Física entrevistados não utiliza simulações virtuais porque, além da carência estrutural das escolas onde lecionam, eles dispõem de pouca carga horária semanal para incluir as simulações em suas atividades regulares de ensino de Física. Constatou-se também que essa não utilização de ferramentas de ensino virtuais não tem relação com a transposição de uma prática trazida por eles dos cursos de graduação.

  • MARIA JOSE DOS SANTOS SACRAMENTO
  • Aprendizagem Colaborativa: uma análise de atividades em grupo no ensino das Leis de Newton
  • Orientador : CELSO JOSE VIANA BARBOSA
  • Data: 28/08/2015
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O Ensino de Ciências, e da Física em particular, ao longo dos anos vem sofrendo de carência de significado em decorrência da fragmentação do conhecimento em disciplinas, onde volumes de informações dos currículos distanciam a experiência e o pensamento crítico das práticas escolares. Estes aspectos podem ser percebidos pela dificuldade do aluno em relacionar a teoria desenvolvida em sala com a realidade a sua volta, não reconhecendo o conhecimento científico em situações do seu cotidiano. Diante disto, o objetivo desta pesquisa é verificar se as atividades investigativas, vistas como metodologia de ensino, contribuem para que os alunos consigam aprender as Leis de Newton. Para o referencial teórico, buscamos o pensamento de Vygotsky, como o principal aporte teórico para reflexões a respeito do Ensino de Física, evidenciando algumas premissas importantes para compreendermos melhor a complexidade associada à aprendizagem conceitual em sala de aula. Buscamos também a compreensão da influência do método de aprendizagem cooperativa, no desenvolvimento de atitudes cooperativas entre os estudantes dentro de um grupo. Para coletas de dados utilizaremos de pré e pós-teste, além de vídeo ravações em todas as aulas.

  • ILVANIR DA HORA SANTOS
  • O ENSINO DAS QUATRO OPERAÇÕES MATEMÁTICAS PARA ALUNOS SURDOS NO ENSINO FUNDAMENTAL: ESTUDO DE CASO
  • Orientador : VERONICA DOS REIS MARIANO SOUZA
  • Data: 27/08/2015
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho tem como objetivo principal analisar o ensino das quatro operações matemáticas para alunos surdos nas séries iniciais. Instaurou-se uma discussão sobre o ensino de matemática para essa minoria lingüística com as contribuições de alguns estudiosos como NOGUEIRA (2013), MANTOAN (2004), FÁVERO E PIMENTA (2006), SOUZA (2008), entre outros, que enfatizam a temática abordada. A pesquisa foi realizada em uma Escola Estadual, no município de Aracaju, referência no estado de Sergipe em assistência a pessoas surdas e por apresentar maior incidência de matrículas de alunos com deficiência auditiva. Os principais resultados apontam para a necessidade de o professor utilizar uma metodologia que atenda às especificidades do aluno surdo. Observou-se também que a inclusão do aluno surdo, usuário da Língua Brasileira de Sinais, em escolas regulares favorece seu desenvolvimento no processo social, contribuindo para melhor convivência com outras pessoas e na aprendizagem da matemática. O ensino das quatro operações matemáticas para alunos surdos é uma temática ainda pouco investigada pelos profissionais da área. Assim, são necessárias mais pesquisas a respeito desse tema para enriquecer e aprofundar as práticas pedagógicas para a disciplina da Matemática.

  • EDJANE FARIAS MOREIRA
  • Competências do Licenciado em Biologia para o Ensino de Ciências no 9º Ano do Ensino Fundamental
  • Orientador : DIVANIZIA DO NASCIMENTO SOUZA
  • Data: 29/07/2015
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa tem como objeto de estudo a competência dos professores licenciados em Ciências Biológicas para lecionar a disciplina Ciências no nono ano do ensino fundamental, considerando que essa disciplina aborda as noções introdutórias de Física e Química. Diante da necessidade de compreender a competência dos professores de Biologia para lecionar tal disciplina e da substituição dos licenciados em Ciências Biológicas por professores licenciados em Química e Física em escolas particulares, propomos os seguintes objetivos específicos: delinear aspectos da competência dos professores licenciados em Ciências Biológicas para o ensino da disciplina Ciências no nono ano do ensino fundamental; analisar as estratégias utilizadas por tais professores no ensino da disciplina Ciências no nono ano do ensino fundamental; e, contextualizar a contratação de professores de Física e Química para lecionar a disciplina “Ciências” no ultimo ano do ensino fundamental. Para que tais objetivos fossem atingidos, adotou-se uma abordagem descritiva, delineando-se as características principais da amostra investigada, formada por 39 profissionais licenciados em Ciências Biológicas, que lecionam a disciplina Ciências no nono ano do ensino fundamental de escolas públicas e particulares sergipanos. Além disso, adotou-se abordagem qualitativa e quantitativa dos dados levantados através do questionário formado por 23 questões aplicado à amostra. Como resultado, observou-se que a maior parte dos 39 profissionais licenciados em Ciências Biológicas que lecionam no nono ano do ensino fundamental não se sente preparada para ensinar a disciplina Ciências, responsabilizando o curso Licenciatura de Ciências Biológicas por não complementar mais adequadamente matérias curriculares relacionadas ou práticas de ensino correspondentes. Contudo, entendemos que, em razão de experiência desses docentes com alunos do ensino fundamental, o profissional licenciado em Ciências Biológicas seria competente para lecionar tal disciplina, uma vez que o mesmo pode mobilizar recursos didáticos mais adequadamente para o ensino da disciplina Ciências no ensino fundamental, dado o que consta nos currículos dos cursos de Licenciatura em Ciências Biológicas.

  • ANTONIO HAMILTON DOS SANTOS
  • Temas Geradores no Ensino de Química: uma análise comparativa entre duas metodologias aplicadas ao ensino de química em duas escolas da rede Estadual de Sergipe.
  • Orientador : SAMISIA MARIA FERNANDES MACHADO
  • Data: 02/07/2015
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A ação direta do educando na construção de seu conhecimento é bastante discutida por Paulo Freire que se utiliza de Temas Geradores como estratégias metodológicas no processo de conscientização dos educandos sobre a realidade opressora vivida em sociedades desiguais. Isto constitui o ponto de partida para o processo de construção do conhecimento. Nesta estratégia, os conteúdos tradicionais são substituídos por conteúdos extraídos da prática de vida dos educandos, através da pesquisa de seu universo cultural. Esta pesquisa, de caráter qualitativo, teve como objetivo analisar como esta metodologia é concebida pelos educadores e educandos da disciplina de Química, em duas escolas da Rede Estadual de Ensino Básico de Sergipe. Os resultados mostraram que os alunos da turma que desenvolveu as aulas com temas geradores apresentaram um melhor desempenho quando comparados com aqueles de turmas cujas aulas ocorreram através de uma metodologia tradicional. Também foi possível observar, junto aos educadores, as dificuldades de se trabalhar com esta metodologia de ensino, principalmente pela resistência à mudança de metodologia e falta de tempo para estudar.

  • CÁTIA PEREIRA DA SILVA
  • INTERAÇÕES DISCURSIVAS EM AULAS DE QUÍMICA: relações com o engajamento dos alunos
  • Orientador : ADJANE DA COSTA TOURINHO E SILVA
  • Data: 30/05/2015
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa teve como objetivo principal analisar as estratégias enunciativas articuladas por uma professora em uma sala de aula de Química, identificando as suas relações com o engajamento dos alunos ao longo da sequência temática “polímeros”. A pesquisa constituiu-se em um estudo de caso, referente à análise da atuação da professora em uma turma do 3º ano do Ensino Médio, em uma escola particular da capital sergipana. Utilizamos como métodos de coleta de dados a gravação das aulas em vídeo, entrevistas e anotações de campo. Consideramos que as gravações tem uma importância significativa neste trabalho, pois a partir delas fizemos as transcrições das falas e selecionamos as categorias desejadas, obtendo o tempo referente ao emprego de cada uma delas na análise das aulas utilizando-se de um leitor de vídeo, o Windows Media Player.Com isso obtivemos a dimensão quantitativa da pesquisa. A dimensão qualitativa aconteceu através da análise dos mapas de episódio, das sequências discursivas e das transcrições dos episódios representativos das falas da professora e dos alunos. A análise dos dados foi feita mediante a ferramenta analítica proposta por Mortimer e Scott (2002) e ampliada por Mortimer et al (2007). Tal ferramenta nos permitiu revelar as dinâmicas interativas e os fluxos do discurso que caracterizou a sala de aula. Ela encontra-se ancorada basicamente nas teorias de Vygotsky e Bakhtin, pois esses pensadores nos guiam, no sentido de entender o valor do ambiente e das interações dialógicas entre os indivíduos. As intenções da professora variaram com o transcorrer da aula, aliadas aos tipos de abordagem comunicativa empregadas. Observamos que, apesar de a professora incentivar a interação em sala de aula com vários exemplos do cotidiano, as interações dialógicas eram muito reduzidas quando comparadas às de autoridade, o que não interferiu na qualidade da abordagem do conteúdo científico empregada, nem no grau de satisfação dos alunos. Consideramos que este trabalho contribui para uma ampliação do conhecimento sobre as dinâmicas discursivas de salas de aula de Química.

  • ELTON DANIEL OLIVEIRA DO NASCIMENTO
  • PRÁTICAS EPISTÊMICAS EM ATIVIDADES INVESTIGATIVAS DE CIÊNCIAS
  • Orientador : ADJANE DA COSTA TOURINHO E SILVA
  • Data: 26/05/2015
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Esta dissertação teve como principal objetivo analisar o desenvolvimento de práticas epistêmicas ao longo de uma atividade investigativa de Física estruturada em torno do tema “dilatação térmica dos sólidos”. Foram consideradas ainda as relações entre o desenvolvimento de tais práticas com as ações do professor na condução da atividade. A pesquisa alia-se à perspectiva que defende que os alunos devem adquirir uma concepção adequada acerca da natureza da ciência e dos saberes científicos e, para isso, consideramos que o desenvolvimento de práticas epistêmicas seja primordial para disseminação desse conhecimento. Práticas epistêmicas são definidas por Kelly e Duschl (2002) como formas específicas com que membros de uma comunidade científica, entendem, justificam, avaliam e validam asserções de conhecimento. Jimenez-Aleixandre e Bustamante (2007) consideram a noção de prática epistêmica apresentada em Kelly e Duschl (2002) e em Sandoval (2001) para afirmar que as práticas epistêmicas relacionam-se com práticas sociais em intrínseca relação com o saber, e elaboram um conjunto de categorias de práticas associadas às atividades sociais de produção, comunicação e avaliação do conhecimento discutidas em Kelly (2005). Esse conceito já vem sendo trabalhado em outras pesquisas, e nelas encontramos categorias que caracterizam o discurso de conteúdo científico dos alunos, porém nessa dissertação tentamos contemplar o maior número de categorias, a fim de contribuir com o avanço nessa discussão. Entendemos que para uma melhor visualização das práticas epistêmicas, as atividades investigativas tornam-se um segmento que auxilia na análise. Uma atividade investigativa, com um roteiro bem elaborado e com a colaboração do professor na condução, facilita o desenvolvimento das práticas epistêmicas pelos alunos. Neste sentido, planejamos uma atividade investigativa a qual foi desenvolvida em uma oficina de Física intitulada “Investigando a dilatação térmica dos sólidos”. A oficina fez parte de um evento de popularização da ciência do Colégio de Aplicação da Universidade Federal de Sergipe. Para analisarmos a condução do professor no desenvolvimento dessas atividades investigativas, utilizamos as categorias: abordagens comunicativas, intenções do professor (MORTIMER et. al, 2007) e movimentos epistêmicos (LIDAR; LUNDQUIVIST; ÖSTAMAN, 2006). Para a análise das práticas epistêmicas dos alunos, nos baseamos nas categorias propostas por Jimènez-Aleixandre e Bustamante (2007) e em trabalhos que dialogam com este. Buscamos ao fim fazer uma relação dessas ações com as práticas epistêmicas desenvolvidas pelos alunos. Considerando os resultados, foi perceptível que as ações do professor aliada à estrutura da atividade favoreceram o aparecimento de algumas práticas epistêmicas, primordialmente na instância de produção do conhecimento. Além disso, verificamos que a estrutura da atividade investigativa é importante para a evolução conceitual dos alunos e a consequente construção do conhecimento acerca da natureza científica.

  • ALINE DE OLIVEIRA SANTOS
  • ATIVIDADE EXPERIMENTAL DE CONDUTIVIDADE ELETROLÍTICA: UMA ABORDAGEM DA QUÍMICA COM BASE EM UMA PROPOSTA CTSA
  • Orientador : ELIANA MIDORI SUSSUCHI
  • Data: 15/05/2015
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Uma educação química à luz de CTSA vai além da importância do entendimento de ciências na fundamentação das inovações, tecnologias, descobertas, pois, possibilita um estudo da química interligado com as ações do homem na sociedade bem como as implicações dessas práticas ao meio ambiente. Nesse aspecto focalizamos a experimentação como uma ferramenta relevante para que os alunos aprendam Química relacionando teoria e prática na construção e entendimento de conceitos cientifico utilizando-se para tanto materiais de baixo custo e fácil acesso além de evidenciar o descarte de resíduos. Apresenta como objetivo analisar e entender a prática experimental em Química relacionando-a com a política CTSA tentando formar alunos em cidadãos ativos e participativos, uma vez que o entendimento dos conceitos químicos está vinculado ao exercício da cidadania e não isoladamente. Segundo Kunh (2007), o aluno po­derá compreender que o conhecimento científico se constrói de forma livre e inusitada modificando concepções distorcidas e incompletas desvinculadas do ambiente natural em que vivemos. Constituída de metodologia qualitativa- quantitativa, a pesquisa tem como respaldo teórico a política CTSA na qual o estudo de Química não deve limitar-se a conceitos químicos, como também aos aspectos de ordem social, politica, econômica e ambiental. A mesma ocorreu em duas escolas da rede pública de Aracaju em turmas do segundo ano do Ensino Médio, na qual a produção de dados se deu com leitura de texto, aula experimental e aplicação de avaliações de sondagem e final. Assim, centralizamos as atividades experimentais de Química como proposta de investigar o conteúdo cientifico a partir da observação dos alunos no decorrer das atividades propostas, interação e diálogo da pesquisadora com os discentes, visando à formação de cidadãos com ações e decisões conscientes na sociedade em que vivemos.

  • JOSENILSON FELIZARDO DOS SANTOS
  • Pintando o Sete: Matemática e Artes nos Anos Iniciais do Ensino Fundamental
  • Orientador : MARIA BATISTA LIMA
  • Data: 11/05/2015
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O ensino e a aprendizagem em Matemática ainda é, sem dúvida, uma questão complexa e problemática no contexto da Educação Brasileira. Disciplina com mais baixo desempenho e maior índice de reprovação, como apontam os resultados das avalições educacionais, tem sido cada vez mais fonte de debates e estudos acadêmicos e político-educacionais. Em relação a arte, o outro foco deste estudo, há certa desvalorização da desta como campo de constituição de conhecimento, sendo essa dualidade uma das possíveis barreiras à prática da interdisciplinaridade entre esses campos do conhecimento no ensino. Neste sentido, motivados pelas possibilidades do uso da arte como subsídio para o ensino e a aprendizagem da Matemática nos anos iniciais do Ensino Fundamental, definimos como objetivo deste estudo investigar saberes e práticas de docentes acerca da relação da Arte com a Matemática dos Anos Iniciais do Ensino Fundamental. A referida pesquisa foi desenvolvida em uma Escola Municipal de Aracaju (Sergipe–Brasil), que atende do 1º ao 5º do Ensino Fundamental. Os sujeitos centrais da pesquisa são duas professoras dos 2º e 4º anos do Ensino Fundamental. Para compreensão do objeto de estudo, recorremos a teóricos que desenvolvem pesquisas vinculadas, direta ou indiretamente, aos eixos da investigação em tela, tais como: Nacarato, Lorenzato, Brizuela, Ferreira, Barbosa, Pereira, Read Fazenda, Silva. Tardif, Japiassú, Fiorentini, Pimenta, dentre outros. A pesquisa, de abordagem qualitativa, caracterizada como um estudo do tipo etnográfico na perspectiva descrita por André (1995), teve o trabalho de campo realizado no período de junho a dezembro de 2014, com aplicação de questionários, realização de entrevistas e observação com descrição densa como procedimentos. A pesquisa provocou uma maior reflexão sobre a relevância da relação da Arte com a Matemática em sala de aula. Foi possível perceber o esforço das professoras em tornar a aula de Matemática motivadora, utilizando-se inclusive e especificamente ferramentas oferecidas pela arte. Constatamos que a imposição do cumprimento metodológico de alguns pacotes educacionais institucionais tem dificultado a aplicabilidade da metodologia interdisciplinar. Constatamos, também, que a maior dificuldade de se relacionar Artes com Matemática no ensino tem entre suas prováveis causas a falta de formação acadêmica específica, bem como da formação continuada de professoras e professores dos anos iniciais do Ensino Fundamental. Por conseguinte, percebemos uma luta constante dessas professoras em driblar a falta de tempo para buscar formas de planejar de forma motivadora a sua prática pedagógica, assim como se adaptar às mais diversas possibilidades disciplinares nessa prática.

  • HÉLIO MAGNO NASCIMENTO DOS SANTOS
  • O SISTEMA DE AVALIAÇÃO NACIONAL E A EDUCAÇÃO ESCOLAR INDÍGENA: contrastando duas realidades a partir do ensino de ciências.
  • Orientador : EDINÉIA TAVARES LOPES
  • Data: 29/04/2015
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa aborda os indicadores de qualidade educacionais com foco na modalidade educacional indígena. Desse modo, a problemática da pesquisa é a relação entre os índices de qualidade da educação nacional e da educação escolar ofertada aos indígenas, buscando neste contexto, produzir elementos para refletir sobre o ensino de Ciências Naturais. O objetivo geral da pesquisa é desvelar a relação entre os dados de qualidade da educação nacional e a educação indígena, como forma de contribuir para a reflexão da pertinência (ou não) da proposição de testes de desempenho escolar que contemplem, de maneira especial, as Ciências Naturais na Educação Escolar Indígena (EEI). A metodologia aplicada tem uma abordagem qualitativo-quantitativa – teórica bibliográfica com predominância do enfoque qualitativo. A coleta dos dados foi feita através da leitura e análise de produções acadêmicas e documentos oficiais que abordam especificamente os indicadores de qualidade da Educação nacional e a EEI e também por meio da aplicação de questionário aberto, realizado junto às secretarias estaduais de educação de todos os estados da federação. Inicialmente abordamos o sistema de avaliação brasileiro, discutindo as principais estatísticas educacionais no Brasil. Procuramos abordar, no segundo momento, a organização do sistema de ensino do país, suas modalidades e os indicadores de qualidade educacional com ênfase à EEI. Dentre os indicadores de qualidade educacional que contemplam a avaliação da EEI, foram discutidos os seguintes: a matrícula, a formação dos professores, os estabelecimentos de ensino, os recursos didáticos específicos para as escolas indígenas e o desempenho escolar nas avaliações externas. Posteriormente, abordamos a realidade de duas escolas indígenas, uma situada no estado de Mato Grosso, escolhida em razão de pesquisas que já foram realizadas nesta instituição durante o período de doutorado da orientadora deste trabalho; a outra escola, situada em Sergipe, sendo escolhida por ser a única desta modalidade no estado e devido à realização de atividades do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação a Docência (PIBID) na escola. Tais atividades são desenvolvidas pelas alunas da UFS, bolsistas do PIBID. A partir dos resultados, percebe-se que a EEI é instituída em todo o país, com exceção do Distrito Federal. Por fim, apresentamos dados acerca do ensino de ciências naturais nessa modalidade de ensino, através das duas escolas indígenas supracitadas. Nessa última etapa, procuramos desvelar, a partir de documentos oficiais e das publicações dos integrantes do “Grupo de estudo ensino de ciências, diversidade e ambiente”, alguns índices de qualidade educacional. Nas considerações finais, analisamos os itens citados, ressaltando a percepção de que, ao longo das duas últimas décadas, avanços significativos foram alcançados pelos povos indígenas; contudo, de acordo com os estudos realizados, percebe-se que ainda há muito que fazer para a promoção e garantia de uma EEI de qualidade.

  • VALDECÍ JOSEFA DE JESUS SANTOS
  • UMA INVESTIGAÇÃO ACERCA DOS SABERES MATEMÁTICOS NA FORMAÇÃO DE NORMALISTAS NO ESTADO DE SERGIPE: (1890 – 1930)
  • Orientador : IVANETE BATISTA DOS SANTOS
  • Data: 22/04/2015
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Este trabalho apresenta os resultados de uma pesquisa que analisou como foram estabelecidos os saberes matemáticos (Arithmetica, Álgebra, Geometria e Desenho) para o Curso Normal do Instituto de Educação Rui Barbosa (IERB) no Estado de Sergipe, a partir da legislação publicada nos anos 1890 aos anos 30 do século XX. Para responder a questão central foram delineados como objetivos específicos: fazer um levantamento bibliográfico para mapear pesquisas já realizadas sobre a temática em estudo, partindo das produções em Sergipe, no GHEMAT e no Brasil; identificar às continuidades e mudanças na organização dos saberes matemáticos (Aritmética, Álgebra, Geometria e Desenho) presentes ou marcadas nos documentos oficiais publicados entre o período de 1890 até os anos 30 do século XX; apresentar o tipo ou modelo de ensino voltado aos saberes matemáticos para a formação das normalistas. A pesquisa remete a um estudo qualitativo, de natureza histórica e documental, baseada nos estudos advindos da História Cultural. Chartier (1990, 2002), Chervel (1990), Le Goff (2003), dentre outros, foram os teóricos que serviram como orientação e alicerce de base conceitual aos encaminhamentos metodológicos e interpretação das fontes e fatos. Como fontes principais foram consideradas as determinações oficiais (regulamentos, leis e programas de ensino) prescritas para o Curso Normal após a Proclamação da República. Os acervos do Arquivo Público de Sergipe, Biblioteca Pública Epifânio Dórea, Diário Oficial de Sergipe e Arquivo do Instituto de Educação Rui Barbosa foram locais privilegiados para coleta de dados. No exame das fontes foram identificados registros da presença da matemática na formação das normalistas desde o princípio da organização do curso. As mathematicas estiveram voltadas ao ensino das matérias de Arithmetica, Álgebra, Geometria e Desenho, porém os saberes arithmeticos assumiram lugar de destaque, tanto como exigência para admissão no curso, como matéria preconizada em todos os documentos analisados.

  • NATÁLIA KELI SANTOS ARAUJO
  • ANÁLISE DAS DIFICULDADES NA RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS MATEMÁTICOS POR ALUNOS DO 5º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL
  • Orientador : VELEIDA ANAHI DA SILVA
  • Data: 31/03/2015
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A presente dissertação é um estudo realizado sobre as dificuldades apresentadas pelos alunos do 5º ano do Ensino Fundamental ao resolver problemas de Matemática. Tendo como referenciais teóricos Polya, Dante, Krulik, Onuchic e Allevato, Smole, dentre outros. A coleta de informações foi realizada em duas turmas do 5º ano, sendo uma da rede pública e outra da rede privada. Os instrumentos da pesquisa incluíram a aplicação de um teste diagnóstico, contendo quatro diferentes tipos de problemas de aritmética, e entrevista de explicitação registrada em áudio, baseada no método clínico de Piaget, com três alunos de cada turma. Como base foram identificadas no teste diagnóstico quatro categorias de análise: dificuldades para compreender o enunciado do problema, dificuldades em uma etapa do procedimento, dificuldades por desconhecimento do conteúdo e dificuldade conceitual das operações básicas. Através da análise dos dados foi possível identificar quais as dificuldades dos alunos para a resolução de problemas de matemática e também compreender como as crianças pensam e agem ao responder diferentes tipos de problemas.

  • TIAGO SANTOS DE JESUS
  • Desempenho Escolar em Ciências: implicações relacionadas aos fatores ambientais e biológicos dos Transtornos Funcionais Específicos da Aprendizagem
  • Orientador : ALICE ALEXANDRE PAGAN
  • Data: 31/03/2015
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • É notório o crescente interesse dos pesquisadores da área de educação em realizar estudos sobre os testes de desempenho aplicados no Brasil dentre eles podemos citar: 1) a nível estadual, por exemplo, o Sistema de Avaliação de Rendimento Escolar do Estado de São Paulo (SARESP); 2) a nível nacional os testes do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP) e 3) abrangendo uma amostra internacional, o Programa para Avaliação Internacional dos Estudantes (PISA). Essas avaliações externas mostram o índice de desempenho de estudantes nas diferentes unidades federativas com o intuído de avaliar a qualidade do ensino de Português, Matemática e Ciências. Algumas pesquisas indicam que fatores ambientais e biológicos interferem no desempenho escolar do aluno. O objetivo deste trabalho foi adequar um instrumento de desempenho em larga escala em ciências para estudantes brasileiros com possíveis indicadores de transtornos funcionais específicos como Dislexia, Discalculia e Transtornos de Atenção e Hiperatividade (TDH). As adequações foram feitas a partir da estrutura das questões elaboradas para os diferentes tipos de transtornos como, por exemplo, perguntas com enunciados curtos, mais diretas e um eixo temático que orienta as questões, além de imagens complementando os textos. Os dados foram coletados em quatro regiões do Brasil: Mato Grosso - MT, Rio Grande do Sul - RS, São Paulo – SP e Sergipe – SE em dois momentos: primeiramente, foi aplicado um teste de desempenho abrangendo questões de Ciências, totalizando 320 estudantes do 9º Ano do Ensino Fundamental e 1º Ano do Ensino Médio; em seguida, foram aplicados 117 questionários para mães/responsáveis dos estudantes que realizaram o teste de desempenho, sobre indicadores dos transtornos de aprendizagem desses alunos. Os dados foram analisados a partir da interpretação de frequências relativas, após processamento do banco de dados no software estatístico. Para as analises dos dados os resultados foram divididos da seguinte maneira: o teste de desempenho foi agrupado em três grupos de acertos; maior que 70% de acertos, entre 59% e 69% e abaixo de 59% de respostas corretas e o questionário sobre os indicadores dos transtornos foram divididos em três categorias dentre elas: Fatores Fisiológicos, Fatores Psicológicos e Fatores Hereditários. Em se tratando do desempenho dos estudantes sobre os conteúdos de ciências referentes ao 9º ano do ensino fundamental, das dez questões aplicadas obteve na frequência geral índice entre 0,3 á 0,7 de acertos, considerado baixo para o ano aplicado, sendo que nas questões aplicadas às áreas que obtiveram índice de acertos abaixo da média de desempenho foram relacionadas a áreas de química e física. Os dados sobre os indicadores dos transtornos nos revelam que fatores fisiológicos relacionados a algumas doenças como infecções, problemas de pressão arterial e diabetes durante a gestação da mãe tiveram prevalência significativa na amostra pesquisada. Entre os fatores psicológicos o indicador mais significante foi relacionado ao estresse da mãe e quanto aos fatores hereditários foi possível observar maiores frequências de marcações nas questões relacionadas aos cognitivos, dentre eles: a dificuldade em matemática, alfabetização, além de alguns indicadores de comportamento dos familiares dos estudantes. Quando correlacionados os fatores ambientais e biológicos com o desempenho de ciências dos estudantes os resultados não se mostraram significativos, revelando que as adequações do teste de desempenho propostas nessa pesquisa podem ser consideradas positivas para o processo inclusivo de estudantes que apresentam transtornos de aprendizagem.

  • SIMONE SILVA DA FONSECA
  • APROXIMAÇÕES E DISTANCIAMENTOS SOBRE OS SABERES ELEMENTARES GEOMÉTRICOS NO ENSINO PRIMÁRIO ENTRE SERGIPE E SÃO PAULO (1911-1930)
  • Orientador : IVANETE BATISTA DOS SANTOS
  • Data: 31/03/2015
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O presente trabalho apresenta os resultados referentes as aproximações e distanciamentos sobre os saberes elementares geométricos no ensino primário entre Sergipe e São Paulo (1911-1930). O objetivo foi identificar as aproximações e distanciamentos sobre os saberes elementares geométricos no ensino primário entre Sergipe e São Paulo (1911-1930). Para atingir o objetivo proposto, localizamos e examinamos fontes como Regulamentos da Instrução Primária, Decretos, Leis e Programas de ensino do período citado, também foi consultado como referência o Manual de Lições de Coisas de Calkins (1950).O exame das fontes encontradas nos permitiu constatar que o ensino primário sergipano passou a ser ministrado em grupos escolares e em escolas isoladas a partir de 1911. Identificamos que antes desse período houve mudanças significativas em relação às nomenclaturas das disciplinas do ensino primário, que fazem referências aos saberes elementares geométricos, como por exemplo, Geometria Prática e Desenho Linear (1890); Lições de Forma e Lições de Desenho Linear (1891) e Noções de Desenho Linear (1893). No Regulamento de 1911 apenas as disciplinas Desenho e Trabalhos manuais remetem-se aos saberes elementares geométricos; em 1912 as disciplinas Desenho linear e Trabalhos manuais; já em 1916 Desenho linear, noções de Geometria plana e Trabalhos manuais; em 1924 Desenho, Trabalhos manuais e Cartonagem, e por último em 1931, Desenho e Trabalhos manuais. Ao compararmos Sergipe e São Paulo, a fim de identificar as permanências e rupturas sobre os saberes elementares geométricos, constatamos que o método recomendado é o intuitivo, buscando sempre a forma mais prática possível, partindo das realidades concretas à dedução. Sobre as disciplinas comuns identificamos o Desenho e os Trabalhos Manuais. Com relação aos recursos, em Sergipe identificamos que não há uma indicação explícita dos recursos e descrição de seu uso. Já em São Paulo as construções com instrumentos transitam em diferentes matérias e utilizam de quatro instrumentos para as construções: régua, esquadro, transferidor e compasso.

  • HÉRICA DOS SANTOS MATOS
  • RELAÇÃO COM O SABER EM AULAS PARA DETENTOS: A MATEMÁTICA COMO INSTRUMENTO DE LIBERDADE
  • Orientador : VELEIDA ANAHI DA SILVA
  • Data: 30/03/2015
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa foi realizada com Jovens e Adultos Privados de Liberdade de um presídio localizado no município de São Cristóvão/SE, o Complexo Penitenciário Dr. Manoel Carvalho Neto – Copemcan, e desenvolvida por uma professora da rede estadual de ensino que há mais de um ano, vem trabalhando com essa realidade. O referencial teórico se fundamenta em autores como Charlot (2000; 2005); Foucault (2010); Silva (2009); Tardif (2007); Whyte (2001), entre eles outros. Metodologicamente, o estudo consiste na observação participante para desvelar o trabalho que vem sendo desenvolvido neste contexto atípico à sala de aula convencional com objetivo principal: compreender qual a relação que os detentos mantêm com a Matemática. Os instrumentos utilizados para a coleta de dados foram o diário de campo, questionários, entrevistas, balanço do saber e análise documental. Buscamos, então, refletir e entender a sistemática da prisão e o que vem sido desenvolvido com alunos da Educação Prisional no Estado de Sergipe matriculado na 1ª e 2ª etapa da Educação Básica, para conhecer as necessidades deste fato apontando caminhos para Educação Prisional em Sergipe possa ser conhecida e efetivada cumprindo ao dispositivo legal traçado nas Diretrizes Nacionais para a oferta de educação nas unidades prisionais aprovada no ano de 2010. A pesquisa demostrou que para vinte e dois detentos que estudam e participaram da pesquisa, a escola na prisão é importante mesmo que a relevância não esteja relacionada diretamente com a aprendizagem. Em relação com o saber matemático os detentos demostraram interessados na Matemática, pois entendem sua utilidade nas situações cotidianas. Verificamos que, para eles, as atividades intelectuais estão mais ligadas pela motivação profissional do que cultural e cognitiva.

  • KATIA FIGUEIRÔA DALTRO
  • A PROPOSTA DO CURRÍCULO ESCOLAR PARA O ENSINO DE BIOLOGIA NOS CENTROS EXPERIMENTAIS DE ARACAJU-SE
  • Orientador : VELEIDA ANAHI DA SILVA
  • Data: 30/03/2015
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa faz uma análise da proposta curricular do Ensino de Biologia nos Centros Experimentais de Aracaju-SE. A abordagem metodológica utilizada para concretizar essa pesquisa, caracterizou-se pelo enfoque qualitativo. No olhar qualitativo, o conhecimento é visto num movimento. Deste modo, para coletas de dados foram empregados: Entrevistas (semi estruturadas), documentos (Currículo Referencial, planejamentos anuais, projeto político pedagógico e organização curricular), Observações e questionários. Utilizamos para analise concepções teóricas de estudiosos em currículo, currículo inovador, educação integral e o ensino de Biologia. Evidenciou-se que existiu uma mudança concreta a qual pode ser observada atualmente e que a construção da matriz curricular para disciplina Biologia teve uma participação democrática nos Centros Experimentais de Aracaju. Por fim, podemos afirmar que a mudança que ocorreu na construção dos Centros Experimentais de Aracaju foi procedente de um currículo inovador, mesmo que inicialmente, caracterizou-se em currículo real e posteriormente desenvolvido por um currículo formal.

  • ÉVERTON DA PAZ SANTOS
  • Concepções dos licenciandos em Química da Universidade Federal de Sergipe (UFS) sobre a contextualização crítica numa perspectiva de ensino CTS
  • Orientador : MARLENE RIOS MELO
  • Data: 30/03/2015
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Este trabalho se propõe a investigar as concepções de um grupo de licenciandos em Química da Universidade Federal de Sergipe, sobre contextualização crítica numa perspectiva CTS para formação da cidadania, a partir de uma leitura de referenciais que se comprometem com esta abordagem. Além disso, avaliar o que ficou destas leituras realizadas, a partir da análise e leitura da produção textual dos licenciandos, diante das concepções manifestadas e dos discursos apoiados na Análise Textual Discursiva apontada por Moraes e Galiazzi(2011). Para tanto, foram selecionados três artigos que se complementavam, tendo como autor principal Santos (2007; 2008) e Santos et al (2010), após as leituras dos artigos, os licenciandos produziram um texto e responderam um questionário que discorria sobe a contextualização e o ensino CTS. Os resultados obtidos revelaram a criação de categorias a priori e categorias emergentes a partir da análise dos dados coletados, sendo possível enquadrar e categorizar os discursos destes, apontando para um avanço ainda um pouco tímido na formação dos licenciandos, uma vez que, a prática da leitura e escrita é pouco valorizada na graduação.

  • TACIANA DE LISBOA FARIA
  • Relação entre desempenho escolar em Ciências e possíveis indicadores de distúrbios de aprendizagem
  • Orientador : ALICE ALEXANDRE PAGAN
  • Data: 27/03/2015
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Pesquisas apontam que fatores ambientais e biológicos estão diretamente relacionados ao desempenho escolar da criança. Portanto, este trabalho teve por objetivo a adequação de um teste de desempenho em Ciências a alunos brasileiros com possíveis indicadores de distúrbios de aprendizagem. A pesquisa caracterizada como quali-quantitativa se desenvolveu em duas fases. A primeira delas foi a construção e aplicação de um teste de desempenho em larga escala a uma amostra de 334 alunos em estados de quatro regiões do país: Mato Grosso, Rio Grande do Sul, Sergipe e São Paulo. A aplicação foi realizada em escolas que dispunham de computadores com internet, uma vez que 229 discentes responderam ao teste na versão online e 105 na versão impressa. A segunda fase da pesquisa envolveu a adaptação e aplicação de um questionário que mede indicadores biológicos e ambientais relacionados à organização neural da criança aplicado a 128 mães/responsáveis por estudantes nos três primeiros estados citados. O questionário, adaptado da pesquisa de Rocha e Rocha (2009) foi composto por perguntas objetivas e do tipo Likert as quais foram estruturadas em quatro dimensões principais: gestação, parto, primeira infância e antecedentes familiares. Para a análise, esses dados foram divididos em 3 categorias, a saber: fatores fisiológicos, fatores psicológicos e fatores hereditários. Para a análise do teste, as questões foram divididas em quatro grupos: questões com até 40% de acerto, entre 40 e 50% de acerto, e 50 a 70% de acerto e mais de 70% de acerto. Os dados obtidos com a aplicação dos instrumentos foram tabulados e processados em software estatístico e mostram as frequências relativas dos indicadores e do desempenho dos alunos amostrados. Não houve significância ao cruzarmos os dados de desempenho com os indicadores, o que nos faz perceber que a adequação de uma metodologia de ensino faz com que não haja identificação de diferenças no desempenho discente, se levado em conta as singularidades dos alunos. Isso nos faz refletir que, para o caso dos testes de desempenho, alterações no processo pedagógico permitem adequações à singularidade dos alunos, rompendo com o paradigma médico que o diagnostica como incapaz.

  • ANA PAULA ARAGÃO FERREIRA
  • O QUE OS PROFESSORES DA REDE PÚBLICA ESTADUAL DO SEMIÁRIDO SERGIPANO DIZEM SOBRE O PNAIC_EIXO MATEMÁTICA
  • Orientador : VELEIDA ANAHI DA SILVA
  • Data: 16/03/2015
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa teve como objetivo investigar as influências do Programa Nacional de Alfabetização na Idade Certa (PNAIC) - eixo Matemática desenvolvido pelo MEC, na construção da prática pedagógica de um grupo de professoras dos anos iniciais do ensino fundamental no semiárido sergipano. O PNAIC - eixo Matemática é um programa de formação continuada de professores para melhoria da qualidade de ensino e aprendizagem dos conceitos matemáticos nos anos iniciais do ensino fundamental. Buscou-se identificar aspectos trabalhados durante a formação que possibilitaram avanços ou não na/da prática pedagógica das professoras cursistas, a partir de suas percepções e de significados construídos sobre o curso. Trata-se de um estudo de caso, com abordagens, quantitativas e qualitativas, que utiliza como instrumento de coleta de dados questionários e entrevistas semiestruturadas. Neste estudo, encontram-se questões acerca do debate atual sobre os profissionais que atuam nos anos iniciais do ensino fundamental e sua necessária formação para o ensino de matemática. Os dados mostram que esse Programa agregou várias relações à construção da prática pedagógica das professoras cursistas, especialmente no que concerne aos seus saberes e fazeres referentes ao ensino de matemática e ao trabalho com estudantes dos anos iniciais do ensino fundamental. No modo como os professores passaram a transmitir os conteúdos matemáticos, na ampliação dos saberes matemáticos, no desenvolvimento da sensibilidade para reconhecer que precisam mudar, na preocupação com o desempenho dos educandos, na busca de construir a prática por meio das trocas de ideias com os colegas de trabalho, na segurança no trabalho com a matemática, na garantia dos direitos do aluno a aprender por meio da apropriação dos conteúdos e de diferentes formas ou estratégias de ensino.

  • ERICARLA DE JESUS SOUZA
  • O USO DE JOGOS E SIMULAÇÃO COMPUTACIONAL COMO INSTRUMENTO DE APRENDIZAGEM: CAMPEONATO DE AVIÕES DE PAPEL E O ENSINO DE HIDRODINÂMICA
  • Orientador : LUIZ ADOLFO DE MELLO
  • Data: 11/03/2015
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Este trabalho apresenta a proposta de se utilizar conjuntamente jogos educacionais, atividades experimentais e software de ensino como técnica de ensino-aprendizagem de conteúdos de Física em geral. O conteúdo abordado é o de hidrodinâmica e sua aplicação na explicação dos conceitos físicos envolvidos no voo de aviões. Como toda a sequencia didática esta norteada com a utilização de experimentos de baixo custo, utilizou-se como tema motivador um campeonato de avião de papel. Usamos como referencial teórico a teoria da aprendizagem significativa de Ausubel, de modo que a avaliação dos conhecimentos prévios dos alunos era realizada usando questões do tipo teste. Para se ministrar o conteúdo usou-se material didático próprio, onde cada tópico do conteúdo era enriquecido com atividades experimentais. Reforçava-se o aprendizado do conteúdo através do uso de simulação computacional usando o software Modellus. A avaliação dos alunos era feita com jogos didáticos usando-se cruzadinhas, caça palavras e jogos dos sete erros. Realizou-se a avaliação do projeto através da aplicação de questões do tipo concepções alternativas, que era aplicada no inicio e no final da sequencia didática. Os resultados foram avaliados na forma estatístico qualitativo, comparando-se o desempenho dos estudantes antes e depois da aplicação da sequencia didática.

  • SUZANA GAMA DOS SANTOS MELO
  • A INTERPRETAÇÃO DE ENUNCIADOS EM PROBLEMAS DE ARITMÉTICA: UM ESTUDO DAS DIFICULDADES DOS ALUNOS DOS SEXTOS ANOS DO ENSINO FUNDAMENTAL EM UMA ESCOLA ESTADUAL DE ARACAJU
  • Orientador : VELEIDA ANAHI DA SILVA
  • Data: 06/03/2015
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A presente pesquisa enfatizou a metodologia da engenharia didática de Michele Artigue, procurando fazer um estudo das dificuldades apresentadas em relação à interpretação de problemas de aritmética na turma de sexto ano do ensino fundamental, em uma escola pública de Aracaju. Para isto, aplicamos uma sequência didática, seguida por seis atividades baseadas na formulação e resolução de problemas no livro do Dante (2010), e inspirada na teoria das situações didáticas de Brousseau. Para análise da sequência, utilizaram-se os esquemas de Polya (2007) para responder os questionamentos ao final dessa análise. Os resultados encontrados refletem que no universo da resolução de uma situação problema envolvendo aritmética, é necessário muito mais que o aluno compreenda o enunciado de questões: É preciso entender conceitos e possuir habilidades capazes de desenvolver os algoritmos apropriados para cada tipo de situação, como também possuir disposição e aspiração em resolver o problema proposto.
  • MARCOS ANTONIO CORREIA SILVA
  • LEI DA INÉRCIA: APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA DE ESTUDANTES EM ARACAJU E O (DES)USO DO CINTO DE SEGURANÇA TRASEIRO
  • Orientador : DIVANIZIA DO NASCIMENTO SOUZA
  • Data: 05/03/2015
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Não é exclusividade do Brasil, mas o Ensino de Física vem experimentando discretas mudanças metodológicas. Este trabalho buscou aproximar o ensino de Física dos temas transversais inerentes à disciplina. O objetivo foi analisar a evolução das concepções da aprendizagem relacionada à lei da inércia em alunos da segunda série do Ensino Médio numa escola pública estadual, a partir da abordagem sobre a (im) perícia do (des) uso do cinto de segurança traseiro de automóveis e consequências. Foi realizada uma pesquisa através de um delineamento exploratório, descritivo, bibliográfico e de campo com abordagem quali-quantitativa. A coleta de dados se deu através da aplicação de um questionário semiestruturado (pré e pós-teste), contendo dez questões, cujo intuito foi observar as concepções prévias desses alunos acerca da lei da inércia, trânsito e segurança. Inicialmente, foi realizada uma palestra ministrada por um professor de Física da Universidade Federal de Sergipe e outra com uma equipe do SAMU - Aracaju. Em seguira, os alunos foram estimulados a ler e analisar artigos científicos, para auxiliar na fundamentação da produção de uma mostra científica. Após a apresentação pública da mostra, foi aplicado um pós-teste, cuja análise permitiu a visualização das evoluções das respostas dos alunos ao questionário. Os resultados mostraram que as ações e discussões possibilitaram uma aprendizagem mais significativa sobre a Lei da Inércia, além de permitir uma maior conscientização sobre a importância do uso do cinto de segurança.

  • ANTONIO JAILSON DOS SANTOS FONSECA
  • O ENSINO DA ANÁLISE COMBINATÓRIA: UM ESTUDO DOS REGISTROS DE REPRESENTAÇÕES SEMIÓTICAS POR MEIO DE SEQUÊNCIA DIDÁTICA
  • Orientador : DIVANIZIA DO NASCIMENTO SOUZA
  • Data: 05/03/2015
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A presente pesquisa teve como objetivo geral investigar o potencial das transformações dos registros de representação semiótica em uma proposta de ensino de Análise Combinatória construída com base na resolução de problemas para alunos da 2º série do ensino médio. O referencial teórico desta investigação esteve relacionado com o processo de ensino e aprendizagem da disciplina matemática, utilizando os Registros de Representação Semiótica, Níveis de conhecimento esperados dos estudantes e Resolução de Problemas. Para o desenvolvimento desse estudo foram utilizados aspectos metodológicos da Engenharia Didática. A análise se desenvolveu numa perspectiva qualitativa. Participaram dessa pesquisa os alunos da segunda série do ensino médio do Colégio Estadual Vitória de Santa Maria em Aracaju/SE. Ficou comprovado na aplicação da sequência didática que o ensino baseado em experiências de aulas que estimule a mobilização dos registros semióticos e com atividades relacionadas ao cotidiano do discente contribuiu de forma efetiva para o ensino e a aprendizagem de Análise Combinatória.

  • KÉCIA KARINE SANTOS DE OLIVEIRA
  • AS PERCEPÇÕES DOS PROFESSORES DE MATEMÁTICA DA REDE PÚBLICA MUNICIPAL DE ARACAJU/SE FRENTE ÀS TECNOLOGIAS DIGITAIS NA ESCOLA: DA IMPLANTAÇÃO AO PROCESSO DE ENSINO
  • Orientador : DIVANIZIA DO NASCIMENTO SOUZA
  • Data: 26/02/2015
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A tendência digital é uma realidade, exemplo disso é o crescimento das tecnologias digitais e a inserção delas na escola básica. A presença de tais tecnologias em sala de aula contribui para a inclusão digital, pois amplia o acesso às informações através da internet, permitindo, por exemplo, problematização, observação de outros contextos, estímulo e construção de visão crítica e conhecimento. Neste contexto, o presente estudo teve como objetivo analisar a percepção de professores que lecionam Matemática sobre as tecnologias digitais, desde a sua implantação ao seu uso pedagógico nas escolas da rede pública de Aracaju, SE. A metodologia utilizada foi de cunho quanti-qualitativo, e como instrumento de coleta de dados foi adotado a aplicação de questionários a 41 professores do ensino fundamental. Foi observado que, apesar de alguns problemas relacionados com acesso à internet e ao reduzido número de equipamentos disponíveis, a maioria dos professores participantes da pesquisa procurou meios para utilizar as tecnologias digitais em sala de aula, e ao trabalharem dessa forma observaram resultados positivos na aprendizagem dos alunos.

  • THATIANA ALMEIDA LAVIGNE MENDES
  • INTELECÇÃO E INTERPRETAÇÃO: UMA ARTICULAÇÃO NECESSÁRIA PARA COMPREENSÃO DOS ENUNCIADOS MATEMÁTICOS
  • Orientador : MARIA JOSE NASCIMENTO SOARES
  • Data: 25/02/2015
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • No presente estudo buscou-se analisar os enunciados matemáticos propostos pelos Livros Didáticos do 5ºano, a fim de identificar e diagnosticar elementos e fatores possíveis que podem dificultar na intelecção e interpretação de leitura desses enunciados, os quais podem provocar uma representação mental inadequada, prejudicando assim, a capacidade reflexiva do aluno. Para tanto, realizou-se uma pesquisa de campo com 52 professores em formação, a fim de diagnosticar o constructo desses enunciados. Parte-se do princípio de que a construção textual dos enunciados, isto é, a estrutura da linguagem e dos vocábulos precisa estar posta e apresentada para o aluno/leitor de forma que este possa entendê-los claramente, bem como respondê-los com autonomia, na ausência do professor. Foram escolhidos livros didáticos de Matemática com base na abordagem metodológica da Análise Textual Discursiva, que trabalha com significados construídos a partir de um conjunto de textos de modo a alcançar uma descrição e interpretação de alguns sentidos que a leitura pode suscitar. Dessa forma, o estudo ressalta não só a importância de se contextualizar o conteúdo para auxiliar e facilitar a compreensão dos enunciados matemáticos que podem influenciar e interferir na aprendizagem do aluno, mas também a utilização de uma linguagem que nela esteja explícita os subsídios necessários para a intelecção e interpretação do aluno/leitor. Portanto, com base nos fatores analisados do corpus em questão, esta pesquisa propõe uma reflexão e convida os profissionais da educação, tanto educadores como autores dos livros didáticos a (re)pensarem sobre a forma de elaboração e construção desses enunciados de modo que observem os elementos justapostos ou a ausências de elementos, que sem os quais o aluno/leitor não poderá compreender o que lê devido ao déficit na estrutura desses enunciados

  • ILVANETE DOS SANTOS DE SOUZA
  • A FORMAÇÃO INICIAL EM SERVIÇO DO PROFESSOR/PROFESSORA DE MATEMÁTICA: ENCONTROS E DESENCONTROS
  • Orientador : MARIA BATISTA LIMA
  • Data: 23/02/2015
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A formação do professor/da professora se constitui em múltiplos espaços de interações, primordiais na constituição da identidade docente. Por outro lado, à formação de professores em serviço não pode ser vista como uma habilitação pontual e emergencial, mesmo nas áreas das ciências exatas como a Matemática em que o processo de ensino-aprendizagem requer o entendimento de conceitos cruciais, mas também de uma postura didático-pedagógica humana. Mediante esse contexto esse trabalho nasceu da seguinte inquietação: Quais são as percepções dos/das professores–alunos/professoras–alunas do curso de Licenciatura em Matemática do PARFOR/UNEB, polo Cristópolis-BA sobre avanços, limites e efeitos do programa em sua formação e atuação teórico- prática em relação a disciplina de Matemática na Educação Básica? E teve como objetivo avaliar a formação em serviço do PARFOR/UNEB, polo Cristópolis-BA a partir da percepção dos/das professores-alunos/professoras-alunas que atuam na disciplina de Matemática na Educação Básica. Os principais aportes teóricos utilizados foram: Arroyo, Gatti, Salandim, Tardif e Valente, além dos documentos oficiais como: Lei nº 10.172, de 09 janeiro de 2001; Lei nº 11.502, de 11 de julho de 2007 e Decreto Nº 6.755, de 29 de janeiro de 2009dentre outras referências. Trata-se de uma pesquisa qualitativa do tipo estudo de caso, uma vez que o polo de Cristópolis-BA possui apenas uma turma de Licenciandos em Matemática composta por 28 professores–alunos/professoras–alunas dos quais 24 participaram de pelo menos uma etapa da pesquisa. Para levantamento e organização das informações fez-se uso dos seguintes instrumentos: questionário exploratório para professores–alunos/professoras–alunas (18 participantes), análise de documentos (Projeto Político Pedagógico e Matriz curricular do curso), entrevista (articulador do polo) e uma seção para cada um dos grupos focais A (10 professores–alunos/professoras–alunas) e B (7professores–alunos/professoras–alunas). Para análise dos dados optou-se pela análise do conteúdo. Entre as considerações que os dados apresentam destacam-se a identidade do professor com sua área de formação, a necessidade de se repensar a formação em serviço quanto à organização do tempo condicionado a prática docente e as múltiplas jornadas assumidas por esses profissionais. A dificuldades dos formadores em atrelar a teoria a prática e um certo distanciamento quanto as várias experiências vivenciadas por esse grupo de professores–alunos/professoras–alunas que tem como principal objetivo de sua formação contribuir com sua prática de sala de aula.


  • MARIA SÃO PEDRO BARRETO MATOS
  • NARRATIVA PROFISSIONAL: A CURIOSIDADE NA PRODUÇÃO DO CONHECIMENTO EM SALA DE AULA
  • Orientador : MARIA JOSE NASCIMENTO SOARES
  • Data: 08/01/2015
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A narrativa profissional com base na articulação da prática pedagógica voltada para a curiosidade do docente, em relação à curiosidade discente ocorre uma interação dialógica em sala de aula. Pois, compreende-se que, por meio das histórias de vida/profissional, os conhecimentos gestados pelas ações educativas utilizando como estratégia pedagógica a curiosidade do discente coadunam com a construção e produção do conhecimento. Desse modo, a referida dissertação traz á tona as memórias dessa prática pedagógica durante atuação na produção de conhecimento e na autorreflexão do docente no seu processo de (auto)formação e suas implicações na prática pedagógica, considerando a relação indissociável entre os modos de ser e de fazer-se docente, pessoa /profissional, num resgate de si, no seu processo de construção identitária para a tomada de consciência e assim tornar-se autor de seu protagonismo pessoal/profissional. Na possibilidade de proporcionar um mergulho para compreender como o processo autorreflexivo contribui para a prática docente. Como objetivos específicos: recuperar a trajetória pedagógica por meio da narrativa profissional como processo autorreflexivo na tomada de consciência; analisar as implicações desse processo na produção do conhecimento com base na curiosidade dos discentes no espaço escolar; demonstrar como a curiosidade pode contribuir com a produção do conhecimento a partir dos questionamentos dos discentes. Ancorada na abordagem qualitativa em que a autobiografia oportuniza registros a tempos vividos e experienciados, por meio da ação pedagógica, da qual proporcionou uma análise subjetiva das curiosidades traduzida como estratégias para produzir conhecimento e provocadoras de mudança de atitude pedagógica por parte do docente. O processo de produção de dados se deu, por meio de três tempos o tempo de rememorar, narrar e autoanalisar, assim trazendo à tona as memórias docentes, bem como alguns registros fotográficos, possibilitando acesso no que concerne trocas de experiências entre docentes e discentes, sem perder o foco do objeto da pesquisa. Para a análise das narrativas, orientou-se pela análise interpretativa de modo a re(significar) e não restringir as significâncias das narrativas. Neste sentido, o reconhecimento do percurso construído pelo docente à medida que a autorreflexão deixa marcas positivas em sua vida e na prática pedagógica possibilitou uma ressignificação das ações enquanto protagonista do seu fazer docente e identitário, agregando e construindo conhecimento

2014
Descrição
  • JAMILLE DE ANDRADE AGUIAR ALVES
  • A CONTRIBUIÇÃO DA AFETIVIDADE NO ENSINO E APRENDIZAGEM DA MATEMÁTICA
  • Orientador : VELEIDA ANAHI DA SILVA
  • Data: 19/12/2014
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa foi realizada numa escola estadual do município de Nossa Senhora do Socorro (Sergipe – Brasil) no período de maio a dezembro de 2013, objetivando analisar o papel da afetividade nos processos de ensino e aprendizagem da Matemática a partir das percepções dos professores e estudantes dos 6° e 9° anos do Ensino Fundamental. Buscou-se compreender e descrever qual papel é atribuído a afetividade nos aspectos relacionados à aprendizagem da Matemática pelos sujeitos envolvidos no processo: estudante e professor. O referencial teórico adotado baseou-se em autores que considerassem que no homem, as dimensões afetiva e cognitiva são inseparáveis. Entre eles estão Wallon, Dantas, Leite, Tassoni, Almeida, Mahoney. Quanto à aprendizagem da Matemática foi usada a teoria de GomézChacón, Silva, Fiorentini e Nacarato. A metodologia adotada amparou-se na abordagem qualitativa, como entende Ludke e André. Como procedimento metodológico, utilizou-se dos seguintes instrumentos de coleta de dados, entrevista semi-estruturada e questionário para os professores e grupo focal com os estudantes. No caso dos professores, as respostas dadas a entrevista semi-estruturada e ao questionário foram analisadas e comparadas considerando-se os elementos da afetividade expressos nas falas. A partir dessa análise, apreenderam-se no discurso docente, suas concepções acerca da afetividade e seus efeitos no processo de ensino e aprendizagem. Os resultados do estudo apontam de que forma os fatos da sala de aula, de maneira especial as ações dos professores nas situações de ensino, afetam a aprendizagem dos estudantes e a sua relação com o objeto de estudo (Matemática). Os dados demonstram que os professores não reconhecem o papel da afetividade no processo de ensino e aprendizagem da Matemática. Os estudantes se aproximam mais do objeto de estudo (Matemática) quando o professor se mostra mais afetivo. A maioria dos estudantes do 6º ano tem uma boa relação com a disciplina de Matemática, porém os do 9º ano mostraram-se insatisfeitos com a disciplina. Para os estudantes do 9º ano o gosto pela Matemática vai diminuindo em de acordo com o professor da disciplina. Para eles o professor mais afetivo contribui para a melhor aprendizagem do objeto de estudo.

  • ARLINDO BATISTA DE SANTANA FILHO
  • SABERES E PRÁTICAS EM CIÊNCIAS NATURAIS: UM ESTUDO NO 5º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL EM CAPELA/SE
  • Orientador : MARIA BATISTA LIMA
  • Data: 19/12/2014
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O ensino de Ciências Naturais nos anos iniciais do Ensino Fundamental apresenta-se de forma incessante orientado por diversas tendências históricas que refletem até os dias atuais nas salas de aula.

    Sendo esta história um processo que depende bastante dos envolvidos para que a aprendizagem de fato aconteça de forma significativa e transformadora. Esta pesquisa parte do pressuposto de que os saberes do cotidiano dos alunos, alunas e das professoras devem ser utilizados nas aulas, desencadeando uma interação e sistematização para um conhecimento que dê a condição que os discentes necessitam para compreender o mundo e suas transformações, situando-os, de forma participativa, como parte integrante do mundo. Sendo assim, o objetivo deste estudo é analisar o que pensam alunos, alunas e professoras de duas turmas do 5º ano do Ensino Fundamental sobre saberes e práticas em Ciências Naturais presentes nas referidas turmas. Trata-se de um estudo de caso, com abordagens qualitativas e quantitativas, utilizando como principal procedimento metodológico de coleta de dados a aplicação de questionários com alunos, alunas e professoras, e entrevista semiestruturada com as professoras. Os dados evidenciam que os alunos possuem uma visão inicial simplista sobre os fenômenos do

    cotidiano, e com a sistematização realizada pelas professoras os mesmos passam a compreender os fenômenos da natureza e do próprio corpo e os procedimentos didático-pedagógicos podem ser importantes para que a aprendizagem aconteça de forma eficiente e eficaz

  • JOSAEL BRUNO DE SOUZA LIMA
  • PERCEPÇÃO AMBIENTAL DE DISCENTES E DOCENTES DA EDUCAÇÃO BÁSICA: UM ESTUDO EM ESCOLAS PÚBLICAS DE ARACAJU/SE
  • Orientador : MARIA BATISTA LIMA
  • Data: 29/08/2014
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A Constituição Brasileira de 1988, em seu artigo 225, Capítulo VI - Do Meio Ambiente, Inciso VI, destaca a necessidade de “promover a Educação Ambiental em todos os níveis de ensino e a conscientização pública para a preservação do meio ambiente”(BRASIL, 1988). Em consonância com estes preceitos constitucionais, outras leis federais, estaduais e municipais determinam a obrigatoriedade da Educação Ambiental. Assim, cada vez mais é explicitada a responsabilidade de todas as pessoas quanto à questão ambiental. A percepção ambiental como uma tomada de consciência do ambiente pelo ser humano, que como parte deste ambiente ao cuidar deste cuida de si mesmo, é um recurso importante para a promoção

    da Educação Ambiental, de forma crítica. Neste contexto, o estudo da percepção ambiental é de fundamental importância para uma melhor compreensão das inter-relações entre o ser humano e o ambiente, suas expectativas, anseios, satisfações e insatisfações, julgamentos e condutas, bem como para fortalecer adoção de estratégias educacionais que possam promover a efetiva Educação Ambiental como o movimento de tomada de consciência sócio-política, atitudinal/comportamental visando à sustentabilidade

    socioambiental, conforme aponta Faggionato. Nesse contexto, foi definido como problema central neste estudo a seguinte questão: Quais os tipos de percepção do meio ambiente apresentados por alunos, alunas, professoras e professores do Ensino Fundamental e Médio de duas escolas da Rede Estadual de Sergipe situadas no bairro Farolândia, em Aracaju, Sergipe. Em consonância seu objetivo geral busca analisar as percepções ambientais do meio ambiente apresentados por esses sujeitos, buscando perceber a partir disso, qual o papel da escola nesse contexto. Trata-se de um estudo de caso de abordagem qualitativa, embora com uso de dados quantitativos, que articula procedimentos exploratórios e descritivos. Os dados iniciais revelam que predomina uma percepção de que o meio ambiente do entorno das escolas apresenta problemas. Que a auto-percepção enquanto cidadã/cidadão protagonista do ser humano em relação ao meio ambiente atem-se a questão do lixo urbano (34,2%), com a natureza como espaço a ser conservado e preservado (33,6%), a governo, pessoas/sociedade (16,7%), finalizando de forma menos representativa com ações relacionadas à educação (2,8%). Isso nos aponta inicialmente a demanda significativa por uma mudança de paradigma na sociedade e na educação em relação às questões socioambientais.

  • LUCIANO PACHECO DE SOUZA
  • UM OLHAR SOBRE O ENSINO DE FÍSICA NA PERSPECTIVA DO ENEM
  • Orientador : DIVANIZIA DO NASCIMENTO SOUZA
  • Data: 29/08/2014
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Este estudo objetivou investigar se as práticas pedagógicas dos professores que ministram a disciplina Física na Diretoria Regional de Educação (DRE 02), da Secretaria de Estado da Educação de Sergipe, dialogam com os princípios teóricos e metodológicos que estruturam o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM). A sede da DRE 02 está localizada em Lagarto/SE. A relevância desse trabalho encontra-se no fato do ENEM ter se tornado a principal forma de ingresso de novos estudantes para a Universidade Federal de Sergipe e por se considerar que, como todos os outros processos de ingresso no nível superior, tende a influenciar a prática pedagógica do professor da Educação Básica, principalmente o do Ensino Médio. Os eixos teóricos se baseiam, principalmente, nas publicações oficias que norteiam a Educação Básica e no construtivismo de Piaget. Para subsidiar a análise dos dados foi realizada análise de conteúdo utilizando como referência Bardin (1977). Com metodologia de natureza quantitativa e qualitativa, esta pesquisa exploratória recorreu a questionário para a coleta dos dados. Os resultados desse estudo sinalizam que os professores investigados possuem um conhecimento superficial e fragmentado sobre os fundamentos teóricos e metodológicos do ENEM, o que implica em um frágil vínculo entre esses fundamentos e as práticas pedagógicas, dificultando a adesão dos professores às estratégias e métodos inovadores de ensino.

  • FLAVIO CORREIA SANTOS
  • AS DISCIPLINAS DE EXATAS E O PROCESSO DE ENSINO PARA ALUNOS COM DEFICIÊNCIA VISUAL NA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE.
  • Orientador : VERONICA DOS REIS MARIANO SOUZA
  • Data: 29/08/2014
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O objetivo deste trabalho consistiu em analisar as metodologias e recursos utilizados pelos professores das disciplinas de exatas para alunos com deficiência visual na Universidade Federal de Sergipe. Optamos por uma pesquisa qualitativa com abordagem de estudo de caso. Os resultados apontam que não basta uma política de ação afirmativa que viabiliza cotas para alunos com deficiência ainda é preciso muitas transformações tanto nas questões de acessibilidade arquitetônica, quanto nas questões pedagógicas na sala de aula, em relação ao currículo e também em relação ao professor em seu processo de formação continuada para um melhor desenvolvimento de suas práticas pedagógicas, nas disciplinas de exatas. Conclui-se que os professores pesquisados não consideram o aluno cego como seu aluno, mas como aluno da Universidade e esta deve ser responsável pela aprendizagem do deficiente visual.

  • JOELITON CHAGAS SILVA
  • Movimentos de contextualização e descontextualização entre as dimensões empírica e abstrata no ensino de propriedades coligativas e suas relações com as representações semióticas de Peirce
  • Orientador : ADJANE DA COSTA TOURINHO E SILVA
  • Data: 29/08/2014
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa teve como principal objetivo analisar os movimentos de contextualização e descontextualização, por entre as dimensões empírica e abstrata do conhecimento químico, no discurso de um professor em uma sala de aula do nível médio, verificando as relações de tais movimentos com o uso de representações semióticas e as características dessas representações. Tendo em vista que a relação dialética entre empiria e teoria, assim como o uso de representações são constitutivas do conhecimento químico, consideramos relevante verificar como tais aspectos são articulados na introdução e desenvolvimento dos conteúdos por um professor junto aos seus alunos. A fim de alcançarmos esse objetivo, lançamo-nos mão de uma pesquisa do tipo estudo de caso, referente à análise da atuação de um professor conceituado em uma turma do 2º ano do ensino médio, durante o desenvolvimento da sequência temática “Propriedades Coligativas das Soluções”, em uma escola do agreste sergipano. A opção pela referida escola se deu como forma de descentralizar as pesquisas em educação do estado voltadas para a discussão das relações de ensino e aprendizagem de Química, em que na maioria dos casos estão destinadas a investigar o contexto da capital.

    Como principal método de coleta de dados, utilizamos a gravação das aulas em vídeo. Estas foram categorizadas utilizando o software Videograph®, o qual possibilita, na medida em que a aula progride na tela do computador, que sejam selecionadas as categorias analíticas desejadas, as quais ficam registradas nas respectivas linhas de tempo disponíveis. Por meio deste software, obtivemos percentuais de tempo relativos ao emprego das categorias, constituindo assim a dimensão quantitativa da pesquisa. A dimensão qualitativa se deu por meio da análise dos mapas de episódio, sequências discursivas e segmentos epistêmicos e de transcrições de episódios representativos do movimento discursivo do professor.

    A ferramenta analítica usada para a análise dos dados se baseou nas categorias epistêmicas discutidas em Silva (2008) e Silva e Mortimer (2009), as quais se organizam em três conjuntos: modelagem, níveis de referencialidade e operações epistêmicas. Tais categorias deram visibilidade ao modo pelo qual o professor organizou de forma gradual a construção dos conhecimentos com os alunos. Nesse sentido, nos interessamos em caracterizar os movimentos de contextualização e descontextualização, focalizando a dinâmica entre as categorias epistêmicas, de modo a mostrar como aconteceu a passagem de uma à outra ao longo do desenvolvimento das ideias construídas em sala de aula. A visualização desse movimento foi facilitada através do mapa de segmentos epistêmicos. Além das categorias epistêmicas, adotamos concomitantemente em nosso trabalho as categorias triádicas estabelecidas por Peirce para caracterizar as representações semióticas usadas pelo professor na relação signo-objeto (ícone, índice e símbolo) dentro de cada segmento epistêmico.

    Os resultados apresentados evidenciam a habilidade do professor em articular o discurso que se volta para referentes específicos, envolvendo descrições e explicações, com aquele voltado para referentes abstratos e classes referentes, envolvendo generalizações. Desse modo, ao tempo em que apresenta generalizações, o professor busca dar sentido a estas por meio de descrições e explicações de fenômenos e eventos específicos. Consideramos que isto é um aspecto que favorece a aprendizagem e, possivelmente, ele é um dos responsáveis pela boa reputação que este professor goza diante de seus alunos. Por outro lado, o limitado uso de modelos icônicos certamente compromete uma percepção mais elaborada dos fenômenos discutidos.

  • SARAH SUELY NASCIMENTO FONSECA
  • TEATRO CIENTÍFICO: UMA METODOLOGIA PARA O ENSINO DE FÍSICA
  • Orientador : DIVANIZIA DO NASCIMENTO SOUZA
  • Data: 27/08/2014
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Nesta pesquisa, o teatro científico foi utilizado como proposta metodológica para o ensino de física na segunda série do Ensino Médio de uma escola da modalidade ensino integral. O objetivo foi observar se por meio do teatro científico (dramatização de temas científicos), visto como metodologia, os alunos conseguem aprender alguns conceitos físicos de termologia ensinados no segundo ano do Ensino Médio. Para o referencial teórico foram realizadas pesquisas sobre as companhias de teatro atuantes no Brasil que trabalham com a divulgação do teatro científico, estudos de trabalhos acadêmicos sobre essa metodologia, a relação entre essa arte e a ciência, o teatro como prática docente ligada ao currículo, seu caráter pedagógico e a aproximação entre física e teatro. Foi proposto, então, o teatro com abordagem sobre a história da Física. O estudo foi realizado por meio do desenvolvimento e observação de atividades. Os resultados mostraram que atividades envolvendo teatro científico propiciam práticas de ensino e aprendizagem dinâmicas e participativas nas aulas de física.

  • CRISLAINE BARRETO DE GOIS
  • A EXPERIMENTAÇÃO E O ENSINO DE CIÊNCIAS: DIFERENTES ABORDAGENS NAS AULAS DE QUÍMICA
  • Orientador : ADJANE DA COSTA TOURINHO E SILVA
  • Data: 26/08/2014
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa teve como principal objetivo caracterizar, por meio de uma análise da dinâmica discursiva da sala de aula, a forma como professores de Química do agreste sergipano desenvolvem aulas práticas envolvendo experimentos. Muito tem se falado sobre a importância atribuída à experimentação no ensino de ciências e o quanto ela contribui para o processo de ensino-aprendizagem de Química. Entretanto, poucos professores têm clareza sobre os diferentes tipos de abordagem à experimentação e como tais abordagens podem contribuir para a aprendizagem de conceitos e uma boa percepção acerca da Natureza da Ciência e dos saberes científicos. Nesse sentido, consideramos essencial entendermos como os professores fazem uso da experimentação em sala de aula, tendo em vista um ambiente ainda pouco investigado, como a região agreste do estado de Sergipe. Acreditamos, ainda, que a discussão sobre as diferentes formas de abordagem à experimentação, por meio de uma descrição da dinâmica discursiva da sala de aula, possa contribuir para que os professores repensem sua prática pedagógica de forma mais clara e com critérios mais objetivos.
    Inicialmente, entrevistamos cinco professores de Química que atuam em escolas que compõem a Diretoria Regional de Educação 3 (DRE3) da Rede Estadual de Ensino. As entrevistas foram transcritas e analisadas tendo em vista a verificação de indicativos da forma como os professores abordavam a experimentação em sua prática cotidiana, baseando-se em categorias presentes na literatura, sendo elas: demonstrativa, verificacionista e investigativa. Desse modo, consideramos que dois dos professores alternavam as abordagens investigativa e demonstrativa. Outros dois utilizavam a experimentação na forma demonstrativa e verificacionista. Por fim, um deles afirmou não fazer uso de atividades experimentais em suas aulas. Verificamos, também, que todos os professores entrevistados ressaltaram o caráter motivador das atividades experimentais para os alunos. Em seguida, selecionamos dois desses professores para a coleta de dados em sala de aula. Inspirados em uma perspectiva etnográfica de pesquisa, assistimos algumas aulas de ambos os professores e filmamos uma aula envolvendo atividades experimentais de cada um deles. Para análise destas aulas, construímos mapas de episódios, os quais favoreceram uma melhor visualização destas. As interações discursivas desenvolvidas nas aulas dos dois professores foram analisadas tomando como base algumas categorias da ferramenta analítica proposta por Mortimer e Scott (2002) e ampliada por Mortimer et al (2007). Tais categorias foram associadas às principais abordagens à experimentação presentes na literatura.
    Nessa perspectiva, observamos que a abordagem experimental utilizada por um dos professores se aproximava de uma abordagem verificacionista, enquanto que a do outro se aproximava de uma abordagem investigativa, entretanto com algumas particularidades importantes, como por exemplo, o alto grau de direcionamento do professor no desenvolvimento de toda a atividade. Dessa forma, tornou-se evidente a necessidade de elaboração de uma nova categoria que contemplasse aspectos de uma atividade investigativa, mas que levasse em conta a presença marcante do professor em sua condução. Assim, denominamos essa nova categoria como Investigativa Guiada, a qual é caracterizada pela investigação em torno de uma questão, cabendo ao professor avaliar, aprovando ou não, as decisões dos alunos, bem como se certificar das concepções que ancoram as suas ações durante todo o desenvolvimento da atividade.

  • TATIANA SANTOS ANDRADE
  • Identificando e Classificando o perfil de leitores dos graduandos em Química Licenciatura da Universidade Federal de Sergipe (UFS).
  • Orientador : MARLENE RIOS MELO
  • Data: 08/07/2014
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A leitura é considerada por muitos estudiosos um instrumento essencial para auxiliar o indivíduo na construção do conhecimento e na aquisição de significados, pois, segundo Kleiman & Moraes (2003), o aprimoramento na capacidade de ler resulta também no aprimoramento da capacidade de aprender, indo além da recepção de informações, por isso entendemos ser de grande importância trabalhar a leitura em aulas de química, a fim de promover uma apreensão do conhecimento mais próxima de uma alfabetização científica. Estudos revelam que os professores de Ciências não possuem conhecimento teórico para trabalhar a leitura com seus alunos a partir do modelo interativo-construtivo (Queiroz, 2004). Com isso, buscou-se nesta pesquisa identificar o perfil de leitores dos alunos da licenciatura em química, a fim de compreendermos as visões que eles possuíam a respeito da leitura no ensino de química como também promover momentos de leitura mediados pelo professor formador e auxiliados pelo pesquisador utilizando-se das estratégias de leitura de Solé (2008), para que pudéssemos classificar o perfil de leitores dos graduandos. A partir desses momentos de leitura, buscamos identificar a linguagem utilizada pelos graduandos e, também, se estes conseguiam compreender os textos lidos. Os pesquisados cursavam as disciplinas Pesquisa em Ensino de Química e Metodologia e Instrumentação para o Ensino de Química da UFS. Essa identificação tinha por finalidade compreender que tipos de leitura eram realizadas pelos licenciandos e de que forma eles concebiam a leitura no ensino de química. Utilizamos, como instrumento de coleta de dados, um questionário aberto com perguntas referentes à temática e um artigo científico retirado da revista Química Nova na Escola. A análise dos dados foi feita pela interpretação dos resumos e das falas elaboradas pelos pesquisados, utilizando como referencial de análise as ideias de Bakhtin (2011) e Solé (2008), que foram utilizados também como referencial teórico. Este processo de análise teve por finalidade questionar os sentidos estabelecidos em suas diferentes formas de produção que podem ser verbais ou não verbais, sendo suficiente que sua materialidade traga sentido para a sua interpretação. A partir da análise dos dados, compreendemos que a leitura é pouco valorizada no processo de formação dos licenciandos em Química da UFS, e que isso corrobora para uma postura de leitor passivo, ou seja, aquele que não interage com o texto e que apenas o lê de forma superficial (Solé, 2008).

  • ANA CARLA DE OLIVEIRA SANTOS
  • REFLEXÕES SOBRE AS CONTRIBUIÇÕES DO ESTUDO DOS MODELOS MENTAIS DE EQUILÍBRIO QUÍMICO NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE QUÍMICA
  • Orientador : MARLENE RIOS MELO
  • Data: 07/07/2014
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Esta investigação tem como objetivo identificar os possíveis modelos mentais apresentados pelos estudantes da licenciatura em Química da Universidade Federal de Sergipe (UFS), sobre o conteúdo de Equilíbrio Químico bem como, compreender os elementos e caminhos utilizados por esses licenciandos na construção de seus modelos mentais e como o reconhecimento desses auxiliam no processo tanto da formação conceitual dos licenciandos, quanto na pedagógica. A pesquisa foi desenvolvida com licenciandos de duas diferentes turmas do curso de Química licenciatura da instituição, Estágio Supervisionado para o Ensino de Química e Metodologia e Instrumentação para o Ensino de Química, nos semestres de 2012/2 e 2013/2 respectivamente, contabilizando 47 licenciandos de um total de 60 licenciandos matriculados. Nesta pesquisa averiguamos os possíveis modelos mentais formados pelos licenciandos na tentativa de explicar um dado fenômeno ou situação, buscou-se através de uma determinada situação de equilíbrio, entender como ocorre à compreensão dos conceitos científicos pelos licenciandos e através das explicações dadas ao fenômeno observado, da interpretação dos dados obtidos e dos modelos expressos pelos licenciandos, identificar os possíveis modelos mentais, e ainda compreender os caminhos utilizados para a construção desses possíveis modelos mentais. O referencial teórico adotado é a Teoria dos Modelos Metais interpretada por Moreira (1996), na qual um modelo mental é formado por contínuas imagens que são acomodadas e fundamenta explicações de um determinado fenômeno, durante o processo de aprendizagem e dos pressupostos adotado por Justi (2010) na compreensão dos diferentes tipos de modelos, incluindo os modelos mentais, que são de fundamental relevância para o desenvolvimento do processo de ensino e aprendizagem. Esses diferentes modelos são desenvolvidos tanto para entender de que forma a ciência é construída quanto para promover a aprendizagem de forma mais simplificada pelos alunos, dos conceitos científicos. A Teoria de Modelos Mentais, de forma geral se propõe a estudar o cognitivo dos indivíduos, ou seja, como o pensamento humano trabalha e desenvolve seus raciocínios, portanto, um modelo mental é uma das formas de representação da realidade produzida a partir das interpretações pessoais entre o cientista e do fenômeno estudado. A pesquisa foi realizada tendo como pressuposto a metodologia qualitativa, onde estão presentes a abordagem exploratória e o estudo de caso. Os dados desta pesquisa foram construídos a partir dos questionários, dos textos produzidos pelos licenciandos e das gravações em áudio e vídeo, feitas mediante autorização prévia concedida via termo de consentimento assinados pelos pesquisados. Os resultados obtidos nos revelam as dificuldades dos licenciandos em compreender a Teoria do Equilíbrio Químico e consequentemente no estabelecimento de modelos mentais próximos do científico para explicar um fenômeno químico, apresentando modelos mentais relativamente simples, bem próximos dos modelos mentais expressos por alunos do ensino médio (MACHADO e ARAGÃO, 1996), o que nos leva a hipótese das pesquisas em ensino não estarem sendo contempladas para a melhoria da formação desses professores, além de identificarmos problemas de ordem cognitiva envolvendo os licenciandos. Concluímos também que os modelos mentais podem servir de fundamentação para construir ou adaptar estratégias de ensino e aprendizagem com base nos modelos mentais prévios dos estudantes, possibilitando uma melhor compreensão conceitual.

  • MIRLEIDE ANDRADE SILVA
  • RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS ALGÉBRICOS: UMA INVESTIGAÇÃO SOBRE ESTRATÉGIAS UTILIZADAS POR ALUNOS DO 8º E 9º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL DA REDE MUNICIPAL EM ARACAJU/SE
  • Orientador : IVANETE BATISTA DOS SANTOS
  • Data: 27/05/2014
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Neste trabalho é apresentado o resultado de uma pesquisa que teve como temática principal as estratégias utilizadas pelos alunos do 8º e 9º anos na resolução de problemas algébricos. Dito de outra forma, o objetivo da pesquisa foi identificar e examinar estratégias utilizadas por alunos do 8º e 9º anos da Rede Municipal de Aracaju/SE para resolver problemas algébricos. Para alcançar este propósito foram selecionados alunos de escolas de diferentes regiões geográficas da Aracaju/SE para responderem inicialmente a uma seleção de problemas matemáticos retirados do livro didático A Conquista da Matemática de autoria de Geovanni Jr e Castrucci (2009). Depois de uma exame desse instrumento foram realizadas entrevistas semiestruturadas com alunos. O principal suporte teórico foi pinçado da obra de George Polya (1978) intitulada A Arte de Resolver Problemas para o entendimento sobre problema matemático, problema algébrico e indícios sobre o papel do professor e do aluno no momento da resolução. A partir dos dados coletados por meio da Resolução dos Problemas com cento e oitenta e dois alunos da Rede Municipal de Aracaju e das entrevistas com 20% desses alunos é possível afirmar que a maioria dos alunos utilizam estratégias aritméticas na resolução dos problemas algébricos, pois nos problemas rotineiros o aluno não necessitava elaborar um plano era só resolver. Já nos problemas de determinação e práticos que os alunos precisavam elaborar uma estratégia de solução, ou seja, eram impelidos a compreender os problemas para formular um plano a maioria mostrou equívocos de interpretação dos problemas e utilizaram estratégias aritméticas.

  • LEONEL RICARDO MACHADO MENESES
  • Representações mobilizadas nas turmas de 1º ano do Colégio de Aplicação da Universidade Federal de Sergipe no ensino de função afim e quadrática
  • Orientador : RITA DE CASSIA PISTOIA MARIANI
  • Data: 27/05/2014
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O objeto matemático função está contido em várias situações do cotidiano, sendo utilizado também por várias áreas do conhecimento. Assim, a aquisição de seu conceito é primordial para o desenvolvimento cognitivo do indivíduo dentro e fora do campo matemático. Desse modo, objetivamos analisar as representações matemáticas mobilizadas por alunos do 1º ano do ensino médio do Colégio de Aplicação da Universidade Federal de Sergipe (CODAP/UFS) durante o ensino de função afim e quadrática. Para tanto, o estudo embasa-se na teoria dos registros de representação semiótica de Duval (2003, 2009, 2011) bem como nos parâmetros e orientações curriculares nacionais (BRASIL, 1999, 2002, 2006) e toma como fonte o livro didático Matemática: Contexto & Aplicações (DANTE, 2010) adotado nas turmas participantes da pesquisa; fotocópias dos cadernos de quatro (04) alunos e cinquenta e um (51) protocolos de uma sequência de atividades composta por quatro (04) problemas desenvolvida com os sujeitos do estudo. Entre os resultados obtidos destacamos que tanto nas quatrocentas e noventa e nove (499) atividades categorizadas no livro didático, quanto nas cento e oito (108) atividades categorizadas nos cadernos dos alunos requereram majoritariamente a transformação semiótica de conversão, a saber: quatrocentas e quarenta e seis (446), 89,38%, e oitenta e três (83), 76,85%, respectivamente. Além disso, as atividades propostas pelo livro didático e as contidas nos cadernos dos alunos não priorizaram atividades que realizassem a ida e a volta de registros entre as conversões, prejudicando, segundo Duval (2003, 2009, 2011), o processo de aquisição do conceito de função. Além disso, em ambos instrumentos de pesquisa notamos que conversões envolvendo o registro gráfico praticamente não foram apresentadas, proporcionado perdas no processo de aquisição do conceito de função. Entre os principais resultados obtidos com essa sequência de atividades, destacamos que a grande maioria dos sujeitos da pesquisa recorreu a processos de algoritmização para executar a maioria das conversões que realizaram, além disso, muitos empregaram análise pontual e demostraram não saber identificar e usar as variáveis visuais pertinentes para realizar as conversões.

  • ALINE ALVES COSTA
  • ESTRATÉGIAS ADOTADAS PARA A RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS GEOMÉTRICOS: O CASO DOS ALUNOS DOS ANOS FINAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL DA REDE MUNICIPAL DE ARACAJU-SE
  • Orientador : IVANETE BATISTA DOS SANTOS
  • Data: 26/05/2014
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O presente trabalho apresenta os resultados de uma investigação que teve como objetivo analisar a(s) estratégia(s) adotada(s) pelos alunos aracajuanos dos anos finais do ensino fundamental para resolução de problemas geométricos. Para isso, recorremos à problemas retirados dos livros da “Coleção A Conquista da Matemática” para elaborar o instrumento que foi aplicado inicialmente aos alunos. Após um exame das respostas apresentadas, elaboramos um roteiro para realizar entrevistas semi estruturadas com os sujeitos que apresentaram estratégias diferenciadas. Os pressupostos teóricos foram tomados de Polya (1978) para o entendimento sobre problema matemático geométrico, sua tipologia e os possíveis procedimentos de resolução. De acordo com o exame de POLYA (1978) um problema geométrico caracteriza-se por requisitar o conhecimento de conteúdos da Geometria para resolvê-lo e os tipos de problemas matemáticos classificam-se ora pelo seu enunciado são eles rotineiro, prático, enigma e heurístico, ora pela sua solução são da forma determinação e demonstração. As estratégias para resolver problemas com conteúdos geométricos evidenciadas na obra “A Arte de Resolver Problemas” são uso de notação e de fórmulas como também idealização ou confecção de figuras. Os resultados parciais da pesquisa indicam um quantitativo de equívocos e confusões nos conceitos imbricados para as respostas aos problemas geométricos.

  • JONES CLÉCIO OLIVEIRA
  • Representações mobilizadas nas turmas de 3º ano do Ensino Médio de duas escolas da rede estadual de Itabaiana/SE no ensino de Geometria Analítica
  • Orientador : RITA DE CASSIA PISTOIA MARIANI
  • Data: 26/05/2014
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa investiga as representações matemáticas mobilizadas por alunos de 3º ano do ensino médio de duas escolas da rede estadual de Itabaiana/SE. Para tanto, o estudo embasa-se na teoria dos registros de representação semiótica de Duval (2003, 2009, 2010), bem como nos parâmetros e orientações curriculares nacionais publicadas em Brasil (1999, 2002, 2006) e toma como fonte os livros didáticos adotados pelos professores que ministraram aula durante o ano letivo de 2013, as fotocópias de vinte e um (21) cadernos de alunos e os protocolos de uma sequência de atividades desenvolvidas com duzentos e dezesseis (216) estudantes matriculados nas turmas participantes da pesquisa. Com base nos dados coletados e seguindo os pressupostos da pesquisa qualitativa Lüdke e André (1986) e dos princípios da análise de conteúdo Bardin (2010) conclui-se que tanto os livros didáticos quanto as atividades selecionadas pelos professores e consequentemente, realizadas pelos alunos privilegiam, em sua maioria, a transformação de conversão de registros, no entanto, enfatizam, majoritariamente, os registros algébrico, geométrico, numérico e da língua natural.

  • EDIVALDO DA SILVA COSTA
  • O ENSINO DE QUÍMICA E A LINGUA BRASILEIRA DE SINAIS – SISTEMA SIGNWRITING (LIBRAS-SW): MONITORAMENTO INTERVENTIVO NA PRODUÇÃO DE SINAIS CIENTÍFICOS.
  • Orientador : VERONICA DOS REIS MARIANO SOUZA
  • Data: 23/05/2014
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A inclusão consiste numa perspectiva de avançar a uma educação para todos, com todos e para cada um. Desse modo, esta dissertação apresenta os sinais científicos pesquisados e produzidos que expressam os termos químicos na Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS) escritos em sistema SignWriting. Além disso, mostra a quirografia dos sinais em sistema computacional SW-Edit, variações linguísticas de alguns sinais pesquisados e faz uma interface mediadora, quando possível, da linguagem científica com a composição quirêmica dos sinais que expressam terminologias químicas na LIBRAS. O objetivo desta pesquisa foi produzir sinais químicos em LIBRAS para dar suporte à construção de conceitos científicos por e para alunos surdos no processo de educação científica. Espera-se que este trabalho contribua para o ensino de Química em LIBRAS e áreas interdisciplinares ao conhecimento científico, além de uma fonte de pesquisa principalmente para professores de Química, intérpretes educacionais de LIBRAS e alunos com surdez. A metodologia adotada para o desenvolvimento desta pesquisa está relacionada aos elementos da pesquisa-ação e foi definida em duas etapas: mapeamento de sinais científicos nos dicionários impresso e virtual de LIBRAS entre outras fontes; grupo de estudo contendo informantes surdos e profissionais de LIBRAS pertencentes à sala de recursos multifuncional “Luan Fagundes Domingos” da Escola Estadual “Vicente Machado Meneses”, em Itabaiana/SE, para o monitoramento interventivo na produção de sinais científicos da Química em LIBRAS. Os resultados mostram a influência de outras línguas de sinais (ASL e LSF), aplicação do campo da semântica no ensino de Química por meio da pesquisa e produção de sinais científicos, o nível de abstração e o sistema de significação, além de variações linguísticas de alguns sinais referentes aos termos químicos e aplicação aos sistemas quirológicos. Apesar dos sinais catalogados referentes aos termos técnico-científicos em LIBRAS, conclui-se que o processo de produção de sinais de Química por e para alunos deficientes auditivos/surdos ainda constitui um campo científico de estudo e área de investigação a ser ainda melhor e mais explorado pelos os profissionais do ensino, sendo necessário uma análise mais profunda da composição estrutural interna do léxico especializado no que se refere ao campo da linguística, principalmente a semântica, o que deve auxiliar na construção do conhecimento científico desses alunos por meio da ampliação do vocabulário de termos científicos expressos na Língua Brasileira de Sinais.

  • LEONARDO FERREIRA DE ALMEIDA
  • A ABORDAGEM HISTÓRICA E FILOSÓFICA DA CIÊNCIA NO CURSO DE LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE – CAMPUS SÃO CRISTÓVÃO
  • Orientador : CARMEN REGINA PARISOTTO GUIMARAES
  • Data: 17/04/2014
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A História e Filosofia da Ciência, como área de pesquisa ou como abordagem didática, tem despertado a atenção de pesquisadores em ensino e de educadores bem como tem sido contemplada por documentos oficiais nacionais. Partindo de pressupostos curriculares e epistemológicos que influenciam os cursos de formação de professores, o presente estudo objetiva conhecer o tratamento dado à abordagem histórica e filosófica da ciência pelo projeto pedagógico do curso de Licenciatura em Ciências Biológicas da Universidade Federal de Sergipe – Campus São Cristóvão. Logo, infere-se como problema a ser elucidado de que forma a abordagem histórica e filosófica da ciência é reconhecida e contemplada pelo projeto pedagógico do referido curso. Baseando-se em motivações pessoais e acadêmicas, justifica-se a relevância da presente pesquisa por almejar conhecer o contexto curricular da abordagem histórica e filosófica da ciência no curso de Licenciatura em Ciências Biológicas da UFS, de forma a compreender o perfil de docente que se pretende formar. Num escopo de uma pesquisa exploratória e descritiva, na qual foram utilizados procedimentos metodológicos como pesquisa de Estado da Arte, análise de documentos e de entrevistas, a dissertação foi dividida em quatro capítulos. No primeiro capítulo, é realizada a análise de produções científicas brasileiras quanto à temática. No segundo, são examinados os documentos nacionais como a LDB e os PCN do Ensino Fundamental e do Ensino Médio. Já no terceiro capítulo, são analisadas as DCN para o curso de Ciências Biológicas Licenciatura, o Projeto Pedagógico do Curso de Ciências Biológicas Licenciatura da UFS, bem como a ementa da disciplina História e Filosofia das Ciências Biológicas. Por fim, no quarto capítulo, são examinadas as entrevistas aplicadas aos docentes universitários. Dos resultados obtidos, destaca-se que as pesquisas voltadas para o estudo da abordagem histórica e filosófica da ciência no Ensino de Ciências Naturais e Matemática revelam continuamente maior exploração de significantes potencialidades e possibilidades no campo da Educação, bem como maior atenção a todos os níveis de ensino, como também revelam ser um campo fecundo para as produções científicas nas áreas científicas em diversos locais do Brasil. Infere-se também que os documentos analisados – LDB, PCNEF e PCNEM – direcionam esforços para promoção da formação científica na Educação Básica e no Ensino Superior, por meio de suas propostas e orientações normativas e pedagógicas. Semelhante às preconizações legais dos documentos já citados, as propostas das DCN para os cursos de Ciências Biológicas e do Projeto Pedagógico do curso de graduação em Ciências Biológicas Licenciatura da UFS atuam como arcabouços para inserção e estruturação da abordagem histórica e filosófica da ciência na formação de professores em ciências e em biologia. Apesar de apresentar avanços quanto à inserção da história e filosofia da ciência no curso de Licenciatura em Ciências Biológicas da UFS, a respectiva formação acadêmica carece de intervenções mais precisas e férteis quanto à alfabetização científica calcada na contextualização epistemológica. Logo, espera-se, com a realização do presente estudo, oferecer subsídios normativos e curriculares bem como contribuições de pesquisadores e educadores a fim de legitimar a presença e a permanência da abordagem histórica e filosófica da ciência no curso de formação de professores em Ciências Biológicas da Universidade Federal de Sergipe.

  • GARDÊNIA VALÉRIA DE ANDRADE OLIVEIRA
  • RELAÇÕES ENTRE O DESEMPENHO ESCOLAR EM LEITURA E A APRENDIZAGEM DE CIÊNCIAS: UM ESTUDO PILOTO COM UMA AMOSTRA DE ALUNOS DO ENSINO FUNDAMENTAL BRASILEIRO
  • Orientador : ALICE ALEXANDRE PAGAN
  • Data: 09/04/2014
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • No Brasil sistemas que avaliem a qualidade do ensino de Ciências ainda são poucos, o Sistema de Avaliação de Rendimento Escolar do Estado de São Paulo (SARESP) atende a esse fim e em 2013 o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas educacionais Anísio Teixeira (INEP) também aplicou provas de Ciências através do Sistema de Avaliação da Educação Básica (SAEB). Como referencial teórico para análise dos dados foi utilizado as concepções sobre a Alfabetização Científica. Sendo que o objetivo do presente estudo consiste na descrição e análise do desempenho de uma amostra de alunos em Ciências Naturais e Língua Portuguesa da região Sul, Sudeste, Nordeste e Centro Oeste com foco nas concepções de Alfabetização Científica a fim de compreender as possíveis relações entre o desempenho em Língua Portuguesa e Ciências. Entre os meses de outubro, novembro e dezembro de 2012 os alunos participaram de uma avaliação piloto coordenada pelos participantes do projeto denominado Desempenho Escolar Inclusivo na Perspectiva multidisciplinar. A avaliação constituída por provas de múltipla escolha em Ciências da Natureza e Língua Portuguesa, direcionada a alunos do 2º e 5º ano do ensino fundamental e foi aplicada a 208 alunos, sendo 97 em Santa Maria, 34 em Cuiabá e 77 em Santa Luzia do Itanhy. Em Língua Portuguesa verificou-se que os alunos obtiveram melhores resultados nas questões relacionadas à decodificação enquanto que o desempenho para a compreensão leitora no geral apresentou medias de desempenho abaixo do primeiro. Em Ciências quando associamos as habilidades de um alfabetizado cientificamente aos resultados obtidos pelos alunos nas questões desta matéria, verificamos que os alunos conseguem de um modo geral reconhecer termos científicos e desenvolver conceitos, mas, não conseguem a mesma eficiência quanto à atribuição de significados próprios aos conceitos científicos. Um dos fatores que pode ter contribuído para a carência na atribuição de significação foi as dificuldades que os alunos sentiram durante o processo de leitura.

  • MICAELA OLIVEIRA DE MENEZES
  • : RELAÇÕES ENTRE COMPORTAMENTO SOCIAL E DESEMPENHO ESCOLAR EM CIÊNCIAS: UM ESTUDO COM ALGUNS ALUNOS DE SERGIPE E RIO GRANDE DO SUL
  • Orientador : ALICE ALEXANDRE PAGAN
  • Data: 07/04/2014
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O objetivo deste trabalho foi investigar as relações de desempenho em Ciências com o perfil de comportamentos manifestados por alguns alunos da Educação Básica. Foi elaborado e aplicado um teste de desempenho composto por questões Ciências, bem como um questionário com afirmações pré-categorizadas a respeito do comportamento dos alunos, nos quais eles marcavam a frequência com que cada fato acontece em sua vida conduzindo-nos assim a uma ideia da tipologia de comportamento predominante. Os instrumentos de coleta do teste foram aplicados a alunos de quatro regiões do país, Mato Grosso, Rio Grande do Sul, São Paulo e Sergipe. A amostra foi composta de 314 alunos das distintas regiões que responderam ao teste que avaliou o desempenho em Ciências, e destes, 93 responderam ao questionário que investigou o comportamento de alunos cursando o quinto ano no Rio Grande do Sul e Sergipe, estes constituíram a amostra analisada nesta dissertação. A aplicação foi realizada em escolas que dispunham de computadores, uma vez que 187 alunos responderam ao questionário por meio de um software, e 127 no papel. Os dados foram tabulados e processados no software estatístico SPSS, para extração de um relatório das frequências simples e testes bivariados, o que facilitou a análise qualitativa dos dados numéricos. Em geral mais de 54 por cento dos alunos acertaram as questões propostas, o que foi considerado um resultado positivo para os grupos avaliados. Nas análises das questões, foram exploradas categorias relacionadas com algumas das habilidades sugeridas pelos Parâmetros Curriculares Nacionais, as quais os alunos deveriam apresentar no ano de estudo em curso. Não foi encontrada uma correlação entre comportamento e desempenho em Ciências, a partir das categorias de comportamento previamente planejadas na organização do instrumento de coletas. No entanto, foi feita uma nova testagem com algumas tipologias de comportamento construídas após a aplicação, a partir de variáveis latentes geradas com a soma dos itens likert, após testagem de Alpha de Cronbach, que mede correlação interna das variáveis. Os dados foram submetidos a um teste de Cluster que agrupou variáveis sugerindo tipologias como: antissocial, retraído e hiperativo. Com essas novas categorias encontrou-se relação, a partir de comparação de médias (Mann-Whitney) com as questões de Ciências cujas habilidades eram compreender, reconhecer e identificar. Investigar o desempenho de alunos bem como fatores que possam estar relacionados a ele, permite uma avaliação e diagnóstico do processo de ensino e aprendizagem e de como este sofre intervenção de outros fatores. Esse tipo de pesquisa pode contribuir para direcionar medidas a serem tomadas em relação aos problemas educacionais do país.

  • MARCELA SANTOS DE ALMEIDA
  • ANÁLISE DE UM PROCESSO DE ELABORAÇÃO DE UM TESTE DE DESEMPENHO EM CIÊNCIAS
  • Orientador : ALICE ALEXANDRE PAGAN
  • Data: 01/04/2014
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Propomos investigar o processo de elaboração de um banco de questões de Português, Matemática e Ciências a fim de constituir um teste de desempenho, que se insere no contexto de uma proposta de trabalho colaborativo desenvolvido por um grupo de estudo multidisciplinar. Nosso objetivo foi descrever e analisar os processos de elaboração do teste de desempenho em Ciências. As características da análise do processo foram fundamentadas em alguns conceitos do Design Instrucional. Esse trabalho apresenta uma abordagem qualitativa. Partimos de uma perspectiva teórico-descritiva por trabalhar com uma significativa variedade de situações ou fenômenos educacionais advindos da construção coletiva do teste de desempenho e das percepções dos integrantes dos grupos de trabalho. A coleta dos dados foi viabilizada por meio da técnica de observação participante que permitiu uma descrição e análise dos elementos envolvidos em episódios coletados durante os meses de janeiro de 2012 a março de 2013, a partir de relatos de conversas informais com alguns professores, alunos de iniciação científica e das transcrições de gravações de seis reuniões de elaboração. Quanto a análise dos dados, as observações de relatos dos episódios selecionados foram analisadas a partir de duas categorias construídas a priori, e extraídas do referencial teórico do Design Instrucional. Elaboramos 2 categorias com subcategorias, a ver: categoria 1 – Concepção e 2 – Execução. A primeira aborda as seguintes subcategorias: Análise, Design, Desenvolvimento; e a segunda, abrange: Implementação e Avaliação. Observamos que a intenção do grupo não foi a construção de um novo teste, mas a elaboração de novas formas de questões que contemplassem uma contextualização em temas norteadores e maior simplicidade em sua leitura para facilitar também o alcance de alunos com dificuldades de aprendizagem. Além disso, notamos que o grupo utilizou a matriz de referência de Português e Matemática para a elaboração do teste, mas a matriz de referência para as questões de Ciências era diferente, pois ela abrangeu as preocupações de professores com experiência em sala de aula, de alunos de graduação e também a de pesquisadores, mestrandos e doutores. Esse diálogo entre as distintas abordagens pode fazer da nossa matriz original. Assim, percebemos que o trabalho colaborativo do grupo de estudo multidisciplinar pode ter inovado na forma de elaboração de questões para teste de desempenho escolar, visto que as matrizes de referências dos outros teste nacionais como Prova Brasil e Provinha Brasil não apresentam uma participação intensa de professores de educação básica na construção das mesmas, e mais, não há uma matriz de Ciências clara e objetiva para todos os anos avaliados. Nesse sentido, o grupo apresentou algumas características do Design Instrucional ao desenvolver uma metodologia de maneira colaborativa que pode enriquecer a forma de pensar, agir e resolver problemas, criando possibilidades de sucesso na proposta de desenvolver um conjunto de questões didáticas para serem inseridas em um programa para avaliação de desempenho em Ciências, com intuito de atender também alunos com dificuldades de aprendizagem.

  • PRISCILA DANTAS FERNANDES
  • A INCLUSÃO DOS ALUNOS SURDOS E/OU DEFICIENTES AUDITIVOS NAS DISCIPLINAS DO CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE
  • Orientador : VERONICA DOS REIS MARIANO SOUZA
  • Data: 31/03/2014
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A inclusão consiste em inserir todos os alunos nas classes regulares de ensino, buscando respeitar e atender às suas necessidades sociais, culturais e educacionais. O objetivo geral deste trabalho foi analisar o processo de inclusão de alunos surdos e/ou deficientes auditivos nas disciplinas do Centro de Ciências Exatas e Tecnologia da Universidade Federal de Sergipe (UFS), campus de São Cristóvão. Pretendeu-se desenvolver uma análise da realidade vivenciada pelos alunos, de suas dinâmicas de estudos, de suas dificuldades e das possíveis barreiras pedagógicas e atitudinais existentes no campus. Esta pesquisa consiste em um estudo de caso com abordagem qualitativa e descritiva. Como instrumentos de coleta de dados, utilizaram-se entrevistas semiestruturadas, análise documental e observações diretas. Esperamos contribuir com ponderações que possibilitem a melhoria da vida acadêmica dos surdos e/ou deficientes auditivos na UFS e do processo de formação de professores no âmbito do Ensino Superior. Buscamos, também, levar a comunidade científica a refletir sobre o quanto a universidade ainda precisa progredir na inclusão. Os resultados mostram desinformação e desconhecimento sobre a surdez, falta de apoio dos docentes, problemas na metodologia do professor, falta de conhecimento da língua de sinais, a falta de sinais específicos da Matemática em Libras, barreiras atitudinais, postura inadequada do professor em sala de aula e falta de estrutura da universidade. Apesar da existência de falhas, a universidade apresenta progressos expressivos, como o Programa PAI/UFS, oferta de intérpretes, cursos na área da inclusão, estudos sobre este tema, eventos sobre ações inclusivas, entre outros.

  • WELLINGTON ALVES DE ARAÚJO
  • O GEOGEBRA: UMA EXPERIMENTAÇÃO NA ABORDAGEM DA FUNÇÃO AFIM.
  • Orientador : VELEIDA ANAHI DA SILVA
  • Data: 31/03/2014
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A presente pesquisa tem como objetivo geral investigar possibilidades de situações de aprendizado da Matemática de conceitos relativos às funções polinomiais do 1º grau (Função Afim) com alunos da 1ª série do Ensino Técnico de Nível Médio Integrado do IFS – Campus São Cristóvão fazendo uso de uma Sequência Didática mediada pelo uso de um software de geometria dinâmica, o GeoGebra. Para tanto, foi realizado um estudo, pautado nas ideias de Machado (2008), Pais (2011) e Oliveira (2013), embasados na Engenharia Didática discutida por Artigue (1996) com duas turmas da 1ª Série do curso Técnico de Nível Médio Integrado do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Sergipe – Campus São Cristóvão/SE, que formaram os grupos de estudo que denominamos de Grupo com o experimento (GCE) e Grupo sem o experimento (GSE). Ao término da experiência ficou constatado que o GCE apresentou melhores resultados do que o GSE. Os dados indicaram que utilizar um software de geometria dinâmica em um ambiente de geometria dinâmica proporciona uma grande interação entre os participantes constituindo um fator positivo ao aprendizado, uma vez que facilitam a construção de novos conceitos, proporcionam a comparação entre as diferentes formas de representação de uma função, possibilitando, assim, condições para o participante de reconhecer a representação gráfica de uma função polinomial do primeiro grau como uma reta, expressar a relação entre os coeficientes da equação da reta com sua representação gráfica e algébrica.

  • REGINEIDE MENESES MELO
  • MEIO AMBIENTE: UM ESTUDO DAS REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DE PROFESSORES DE BIOLOGIA DOS CENTROS DE EXCELÊNCIA DE SERGIPE
  • Orientador : VELEIDA ANAHI DA SILVA
  • Data: 27/03/2014
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O estudo das Representações Sociais de meio ambiente tem sido apontado como uma importante ferramenta para compreender como um sujeito ou um determinado grupo representa o meio ambiente e, no caso dos docentes, como essas Representações Sociais se relacionam com suas práticas pedagógicas referentes a esse tema. Nessa perspectiva a presente pesquisa de cunho qualitativo, analítico descritivo, tem por objetivo principal identificar as Representações Sociais de meio ambiente dos (as) professores (as) de Biologia dos Centros de Excelência de Sergipe, três deles localizados em Aracaju e um em Nossa Senhora da Glória. E ainda verificar se existe relação entre as Representações Sociais desses professores e o seu discurso sobre a sua prática pedagógica. O referencial teórico encontra aporte nas teorias de Serge Moscovici (1978) além de pensadores como Denise Jodelet (2005), Marcos Reigota (2007) e Mauro Guimarães (2007), dentre outros. Na metodologia, os instrumentos de coleta de dados foram o questionário e a entrevista semi-estruturada, as respostas dos sujeitos a respeito das Representações Sociais de meio ambiente foram categorizadas a partir das propostas antropocêntrica, naturalista e globalizante de Reigota (1995). Através das análises dos conteúdos obtidos nos questionários e nas entrevistas, ficou evidenciado que 62,5% dos professores estudados possuem uma representação globalizante de meio ambiente, enquanto 37,5% possuem representação naturalista e antropocêntrica. No que se refere às práticas docentes desenvolvidas, nota-se que estão concentradas na construção de projetos pedagógicos com temática ambiental. Os professores citaram ainda uma série de obstáculos que permeiam as práticas voltadas às questões ambientais, como a falta de material e a falta de interesse dos alunos. Constatou-se também que nem sempre as práticas pedagógicas se relacionam as representações que os professores possuem. Esses resultados revelam, que apesar de mais da metade dos professores apresentarem uma visão globalizante de meio ambiente, há ainda a necessidade de se construir desde a formação inicial uma concepção mais complexa, onde as interações que envolvem o meio ambiente estejam além da esfera ecológica, essa visão globalizante será repassada para os alunos em sala de aula, contribuindo para a formação de sujeitos que percebam-se como integrantes do meio ambiente, cujas ações podem interferir na qualidade desse meio.

  • PÂMALA JÉSSICA DE OLIVEIRA SANTO
  • ANÁLISE DO USO DE JOGOS DIDÁTICOS DE BIOLOGIA NO ENSINO MÉDIO: DESVELANDO SUA EFICÁCIA NA APRENDIZAGEM DOS ALUNOS
  • Orientador : VELEIDA ANAHI DA SILVA
  • Data: 25/03/2014
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O presente trabalho de pesquisa investigou a eficiência do jogo didático no processo de aprendizagem dos alunos de Biologia do ensino médio. O jogo didático foi escolhido para esta pesquisa por ser uma atividade sugerida ao ensino de Biologia pelos Parâmetros Curriculares Nacionais para o Ensino Médio (2002) e pelas Orientações Curriculares Nacionais para o Ensino Médio (2006). Portanto, o referencial teórico compõe-se de um breve histórico sobre o ensino de Ciências no Brasil, com ênfase no uso de recursos didáticos ao longo do século XX e, também, das propostas presentes nos documentos curriculares oficiais brasileiros sobre a utilização destes no processo de ensino e aprendizagem. Para tanto, foi utilizado como respaldo, principalmente, os estudos de Nardi (2005), Krasilchik (2000), Barra e Lorenz (1986), Santos e Mortimer (2006), e nos documentos curriculares oficiais brasileiros como as Diretrizes Curriculares Nacionais (1998) e os Parâmetros Curriculares Nacionais para o ensino Médio (2002). As discussões sobre o jogo didático, suas qualidades e vantagens foram baseadas, principalmente, nos estudos de Huizinga (2000), Kishimoto (1994), Kishimoto (2008), Zanon et al. (2008), Miranda (2001) e outros autores que fizeram pesquisas com esse recurso. A pesquisa de campo foi desenvolvida em uma escola pública de Aracaju. Foram ministradas aulas em duas turmas do 1º e 3º ano ensino médio utilizando-se dois procedimentos didáticos diferenciados. Em uma turma de cada nível (ou seja, uma do 1º e outra do 3º ano) foram ministradas 2horas/aulas por semana, em um período de quatro semanas, utilizando-se de um jogo didático- essas turmas foram denominadas de “grupos experimentais”. Nas outras duas turmas, foram ministradas aulas sem a utilização dos jogos didáticos – essas turmas foram denominadas de “grupos controle”. Os alunos foram avaliados por meio de testes e foi verificado a partir da análise dos resultados que a metodologia com jogos foi eficiente em proporcionar maior aprendizagem dos conteúdos. Os alunos que fizeram uso do jogo didático tiveram desempenho superior aos alunos que não tiveram acesso a esse recurso. Buscou-se também compreender a opinião dos alunos sobre aulas com jogos didáticos e os resultados mostraram que os alunos das turmas experimentais consideraram os jogos eficientes em promover interação, cooperação, socialização, motivação, mobilização, interesse, estímulo, dinâmica e a aprendizagem dos conteúdos estudados. Os alunos das turmas controle expressaram que sentem necessidade de aulas com jogos e já estabelecem relação positiva com o recurso, pois demonstram saber dos benefícios dessa metodologia. Portanto, os jogos didáticos são considerados recursos eficientes no tocante à aprendizagem e são bem aceitos pelos alunos.

  • GISLEINE SOUZA DA SILVA OLIVEIRA
  • O DISCURSO PEDAGÓGICO SEGUNDO A TEORIA DE BASIL BERNSTEIN: O CONTEXTO DE SALA DE AULA NO ENSINO DE QUÍMICA.
  • Orientador : JUVENAL CAROLINO DA SILVA FILHO
  • Data: 28/02/2014
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Este trabalho tem por objetivo descrever aspectos sociológicos do âmbito escolar utilizando-se da Teoria de Basil Bernstein, em específico o Modelo do Discurso Pedagógico centrado no contexto escola/sala de aula. Os sujeitos da pesquisa são direção, coordenação, alunos, pais ou responsável e professores de química do Ensino Médio da rede pública e particular de ensino da cidade de Itabaiana-SE. A pesquisa foi desenvolvida a partir da metodologia mista. Os resultados mostram que as relações entre os sujeitos professor-escola apresentam em determinados momentos deficiências, professor-pais são praticamente inexistentes, professor-aluno ocorre de maneira mais efetiva. Para uma prática pedagógica favorável ao desenvolvimento escolar deve-se buscar o estreitamento das relações entre todos os sujeitos envolvidos.

  • PAULA FERNANDA DE CARVALHO DANTAS
  • A EDUCAÇÃO NÃO FORMAL NO ESTADO DE SERGIPE: CONCEPÇÕES E AÇÕES DOS PROFISSIONAIS DOS CURSOS DE LICENCIATURAS EM QUÍMICA
  • Orientador : JUVENAL CAROLINO DA SILVA FILHO
  • Data: 28/02/2014
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O ato de ensinar não restringe-se apenas ao espaço da escolarização formal, este pode dar-se em diferentes contextos e com públicos diferenciados, modalidade educacional está que a parti da década de 70 ficou conhecida como educação não formal. Sendo que no Brasil a mesma começou a ser disseminada a partir da década 80, através de atividades com caráter mais lúdico e voltada para parcela da sociedade menos favorecida economicamente.

    O campo da educação não formal é extremamente vasto e heterogêneo, entretanto o mesmo possui características que lhes são próprias, dentre elas total flexibilidade em termos de conteúdos a ser trabalhados nas ações, dispensa de currículos pré-determinados, possui uso diferenciado da lógica espaço-temporal, assim faz-se necessário defini-lo pelo que realmente é não em comparação com outros campos educacionais.

    No presente trabalho de investigação entende-se a educação não formal como toda atividade organizada, sistemática, educativa, intencional (distintas do ensino institucionalizado) que podem ocorrer tanto dentro do sistema formal de ensino quanto fora, compartilhando experiências, em geral através de ações coletivas. Possui total flexibilidade de adequação de tempo, espaço, conteúdo, linguagem e público, possibilitando assim levar conhecimentos não só a comunidade acadêmica, mas também a pessoas que não estão inseridas no sistema formal de ensino.

    Já em relação às ações de educação não formal promovidas por instituições de ensino superior do estado de Sergipe e voltadas para o ensino de química, nota-se que estas têm muito a contribuir para o ensino formal, que em geral tem como público alvo a comunidade acadêmica. E que a fata de cursos preparatórios para atuar no presente, a pouca valorização de tais ações dentro das instituições pesquisadas, bem como a dificuldade em obter financiamentos são tidos como as maiores dificuldades para realização de ações no campo da educação não formal.

    Assim faz-se necessário uma política de valorização e disseminação das ações no campo não formal, para que este consolide-se como um campo educacional no qual são transmitidos saber e cultura, contribuindo assim para a formação do cidadão, independente da condição de estar ou não inserido na comunidade acadêmica estudantil.

  • ISABELA SANTOS CORREIA ROSA
  • ABORDAGEM CTSA NO ENSINO DE ECOLOGIA: UMA CONTRIBUIÇÃO PARA A FORMAÇÃO DE CIDADÃOS CRÍTICOS
  • Orientador : MYRNA FRIEDERICHS LANDIM DE SOUZA
  • Data: 27/02/2014
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Considerando os objetivos mais amplos da educação, principalmente dar condições para o exercício pleno da cidadania, esta dissertação tem como objetivo contribuir para a formação de cidadãos críticos, por meio da utilização do enfoque CTSA no Ensino de Ecologia. Para o desenvolvimento dessa pesquisa, considerou-se necessário conhecer as concepções dos professores dos municípios onde a pesquisa se desenvolveu (Lagarto, Salgado e Boquim) antes de discutir um ensino de Ecologia voltado para o enfoque CTSA, uma vez que, a avaliação dos professores sobre as inter-relações CTSA tem influência direta na sua metodologia de ensino (FIRME & AMARAL, 2008). Entre os resultados dessa pesquisa inicial, chamou a atenção o fato de que a maioria dos professores tem como principal dificuldade, em inserir temas CTSA no ensino de Ecologia, a falta de material de apoio. Nesse contexto, percebeu-se a necessidade de oferecer ao professor, uma opção para inserir o enfoque CTSA na unidade de Ecologia na terceira série do ensino médio, a fim de contribuir com a formação de cidadãos críticos. Foi então, elaborada pela pesquisadora, uma sequência didática sobre o tema, e esta foi avaliada tanto por professores da rede estadual de ensino, onde a pesquisa se desenvolveu, quanto por professores da rede superior de ensino, e após os devidos ajustes no material, este foi devolvido aos professores da educação básica para a utilização na sua prática pedagógica. Conclui-se que a maioria dos professores que participaram da pesquisa, apresenta concepções “plausíveis” em todos os temas discutidos sobre as inter-relações CTSA. Contudo, essas concepções não parecem refletir em uma prática pedagógica indiferente aos pressupostos do enfoque CTSA. Percebe-se que, não há diferença significativa entre os professores da zona urbana e rural dos municípios, no que se refere ao ensino de Ecologia e as dificuldades em inserir o enfoque CTSA no cotidiano escolar. Constata-se que a sequência didática elaborada representa uma boa estratégia de ensino e aborda de forma adequada, as relações entre Ciência, Tecnologia, Sociedade e Ambiente. Em seus discursos, os professores procuram abordar temas polêmicos nas aulas de Ecologia, tanto por considerar interessante e capaz de atrair a atenção dos alunos, quanto por ser um tema recorrente das provas de ENEM. Os professores destacaram a falta de interesse pelos alunos, de assuntos relacionados ao ambiente, e a necessidade de resgatar o senso crítico deles. Em suma, espera-se que a sequência didática elaborada, venha a ser utilizada pelos professores que participaram da pesquisa e possa contribuir para a formação de cidadãos críticos, com uma compreensão mais ampla dos temas que envolvem a Ciência, a Tecnologia, a Sociedade e o Ambiente. Caso isso ocorra, os resultados do presente estudo poderão ter algum efeito sobre a realidade da pesquisa científica e do ensino de Ciências.

  • TATIANE SANTOS SILVA
  • Ensino de ciências em uma perspectiva inclusiva: utilização de tecnologia assistiva com alunos com deficiência visual
  • Orientador : MYRNA FRIEDERICHS LANDIM DE SOUZA
  • Data: 25/02/2014
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A atual política de inclusão escolar da pessoa com deficiência visual nos leva uma reflexão de como está se processando o ensino de Ciências na escola inclusiva. Pois o ensino de Ciências e Biologia, sem dúvida, é caracterizado pela ampla utilização de referências visuais e ainda são escassas as tecnologias assistivas apropriadas para o ensino de Ciências que sejam voltados a educandos com deficiência visual. Por esse motivo, justifica-se um trabalho que analise a utilização de diferentes tecnologias assistivas táteis e sonoras que possam ser utilizadas por estes alunos, e o estudo de sua viabilidade de uso, para que tais análises possam contribuir com o aprimoramento dos conhecimentos já disponíveis acerca dos processos envolvidos no ensino e na aprendizagem de Ciências de alunos cegos e para a formação docente. Dessa forma, coube investigar: Quais as condições de aprendizagem que estão sendo oferecidas para alunos com deficiência visual na disciplina Ciências em uma escola considerada como referência na inclusão de alunos cegos e com baixa visão na cidade de Aracaju-SE? E, Qual o posicionamento de alunos cegos e seus professores de Ciências a respeito da utilização de recursos didáticos táteis e auditivos no ensino de Ciências na escola pesquisada? Tendo em vista tais questionamentos, este trabalho teve como objetivo principal analisar o processo de ensino e aprendizagem de Ciências com alunos com deficiência visual em uma escola da rede pública de ensino em Aracaju, SE, quanto a utilização de tecnologia assistiva. A pesquisa faz uso de uma abordagem qualitativa, se adequando aos moldes do estudo de caso. Para a coleta de dados, a pesquisa foi dividida em três etapas, as duas primeiras realizadas do ano letivo de 2012 e a terceira no ano letivo de 2013. Na primeira etapa foram feitas entrevistas semi-estruturadas com os alunos com deficiência visual e sua professora de ciências e observações sistemáticas não participantes das aulas. Na segunda, foi realizado de um grupo de validação de diferentes tecnologias assistivas elaboradas pela pesquisadora. Na terceira etapa, as tecnologias assistivas validadas foram utilizadas pela professora e alunos em aulas de Ciências, que na oportunidade realizou-se observações sistemáticas não participantes. Por fim, as opiniões dos participantes da pesquisa foi coletada por meio de entrevistas semi-estruturadas, após as aulas. Pode-se perceber com esta pesquisa, a partir das falas dos participantes, que as condições de aprendizagem da disciplina Ciências, dos alunos com deficiência visual incluídos nesta escola, estão caminhando sobre o fio da navalha. Pois, de um lado encontram-se as professoras entrevistadas, que não possuem qualquer formação inicial ou continuada a respeito da inclusão escolar da pessoa com deficiência. Do outro lado, os alunos com deficiência visual, que se limitam a “ouvir” as aulas de ciências, pois não são utilizadas tecnologias assistivas que proporcionem o acesso a elementos estritamente visuais no ensino de ciências. Segundo os alunos, o uso das tecnologias assistivas, que ocorreram na terceira etapa desta pesquisa, foram de extrema importância para sua aprendizagem, pois a partir dessas, eles puderam ter acesso aos conhecimentos de células e tecidos, já que, segundo eles, sem a utilização dos materiais ficava difícil de entender a aula.

  • ÉRICA DE OLIVEIRA JARSKE
  • PRÁTICAS DE LABORATÓRIO: UMA ANÁLISE DOS ENTENDIMENTO(S) E USO(S) APONTADOS POR PROFESSORES DE MATEMÁTICA EM ARACAJU-SE
  • Orientador : IVANETE BATISTA DOS SANTOS
  • Data: 24/02/2014
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Neste teexto são apresentados o resultado de uma pesquisa teve por objetivo analisar o(s) entendimento(s) e uso(s) que professores de Matemática fazem de práticas de laboratório em suas aulas. Para isso, foram investigadas práticas de vinte e um professores da rede estadual de Sergipe, em Aracaju, por meio de questionários e entrevistas. Para a discussão sobre as concepções de laboratório de ensino de Matemática (LEM) e práticas de laboratório, foram tomadas como principais referências os trabalhos de Tahan(1962), Aguiar(1999), Benini(2006), Lorenzato(2006) e Rodrigues(2011), que descrevem o LEM não apenas como um espaço físico específico, mas também como uma Abordagem assumida pelo professor. Foram consideradas nesta investigação ainda as pesquisas de Trindade(2012), Guimarães(2012) e Lima(2013), para estabelecer um entendimento sobre duas possibilidades para o uso de práticas de laboratório em aulas de Matemática, como Recurso ou Metodologia. No primeiro caso, o objetivo é de fixar conceitos já estudados, a manipulação do material pelo aluno ocorre após explanação inicial do conteúdo pelo professor, e, no segundo caso, como Metodologia, a atividade experimental é o ponto de partida para o estudo dos conteúdos, permitindo ao aluno a construção dos conceitos. Verificou-se que a minoria dos professores investigados costuma utilizar práticas de laboratório em aulas de Matemática e que, nas atividades registradas, privilegia-se o uso materiais manipuláveis e jogos. Sobre a forma de utilização das práticas de laboratório pelos sujeitos, verificou-se que há um equilíbrio entre o uso como Recurso e Metodologia. A partir de uma análise das descrições das práticas dos sujeitos desta pesquisa, é possível afirmar que as práticas de laboratório ainda estão ausentes das aulas de Matemática dos professores sergipanos, apesar dos próprios professores reconhecerem o valor da atividade experimental para o aprendizado do aluno.

  • VIVIANE ANDRADE DE OLIVEIRA DANTAS
  • A relação com o saber matemático de adolescentes em cumprimento de medida socioeducativa: sentidos e significados em um espaço privado de liberdade
  • Orientador : ANA MARIA FREITAS TEIXEIRA
  • Data: 21/02/2014
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A pesquisa foi desenvolvida com adolescentes que estão cumprindo medida socioeducativa de privação de liberdade no Centro de Atendimento ao Menor (CENAM), localizado no município de Aracaju (SE), objetivando compreender como se constitui a relação dos adolescentes privados de liberdade com o saber matemático. Observa-se em várias pesquisas que a disciplina de Matemática é considerada de difícil aprendizagem, logo, este saber é considerado importante, pois sua utilização é uma exigência constante necessária para uma leitura plausível na construção da sociedade e como cidadão. Essa pesquisa se caracterizou como um estudo pautado no quadro teórico da Relação com o Saber (RS) assim como em pesquisas sobre a relação com o saber matemático. Metodologicamente, esta pesquisa se inscreveu num contexto de estudo de caso e realizou-se numa abordagem qualitativa. Os sujeitos da pesquisa foram os adolescentes internos matriculados nas salas de aula dentro desta unidade da 1ª a 4ª etapa (entende-se 1ª série/2º ano a 4ª série/5º ano), na modalidade de ensino da EJA- Educação de Jovens e Adultos. Recorremos também a 4 (quatro) professoras polivalente (uma em cada etapa) e uma coordenadora pedagógica. Vale ressaltar, que os sujeitos principais desta pesquisa são os adolescentes. Para coleta de dados utilizamos entrevistas semiestruturada com adolescentes, questionário para os professores e coordenadora pedagógica, aplicação do balanço do saber, análise das fichas de acompanhamento pedagógico dos adolescentes e observação livre.

2013
Descrição
  • THIAGO BATINGA DE OLIVEIRA
  • ENSINO DE CIÊNCIAS NA PERSPECTIVA CTS-CONCEPÇÕES E PRÁTICAS ESCOLARES
  • Orientador : SAMISIA MARIA FERNANDES MACHADO
  • Data: 23/08/2013
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Os pressupostos CTS aplicados ao ensino reforçam a ideia de uma educação que vise à formação para a cidadania, partindo das inter-relações entre ciência – tecnologia – sociedade, num ambiente escolar de construção do conhecimento, de valores individuais e coletivos, com o intuito de fomentar a criticidade e tomada de decisões por parte dos alunos. O presente trabalho buscou reconhecer e acompanhar uma realidade escolar dentro de um contexto onde o processo de ensino aprendizagem tivesse em estreitamento com estes pressupostos na disciplina de Ciências no Ensino Fundamental. Para a coleta de dados buscamos uma unidade escolar que fosse bem conceituada tanto no aspecto pedagógico e estrutural dentro do leque das escolas municipais de Aracaju. Buscamos verificar as concepções de alunos quanto as suas visões de ciência, das aulas e como eles veem o professor. Quanto ao professor, além de acompanhar a aplicação de sua sequência didática em loco, coletamos concepções sobre sua visão de ensino-aprendizagem e sua avaliação deste processo. As atividades de acompanhamento foram efetivadas sem pretensão de julgamento de valor ou de análise de conteúdo. Em posse dos dados, buscamos refletir sobre os relatos de professores e alunos, bem como a presença efetiva da visão CTS na prática de sala de aula proposta pelo professor.

  • CARLA PATRICIA MONTEIRO RIBEIRO
  • ITINERÁRIOS DA PROFISSIONALIZAÇÃO DOCENTE: DESAFIOS MATEMÁTICOS NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS
  • Orientador : MARIA BATISTA LIMA
  • Data: 12/08/2013
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Ser professor/professora no cenário educacional brasileiro da atualidade demanda muito mais que uma formação inicial possa subsidiar, sendo a profissionalização docente um contexto mais amplo do que essa formação. Entendendo que ao docente lhe cabe o papel de mediador entre os saberes dos educandos e os saberes escolares, discutimos nessa pesquisa também a profissionalização docente como subsídio para esse diálogo entre saberes e a importância desta para a ação pedagógica. Nosso campo de estudo é a Educação de Jovens e Adultos - Ensino Fundamental (EJAEF) ofertada pelo município de Aracaju, sendo sujeitos da pesquisa docentes que ensinam matemática no 1ºe 2º ciclos da EJA-EF de quatro escolas da Rede de Ensino de Aracaju, que ofertaram a modalidade até 2012. Nesse contexto, este estudo apresenta como objetivo geral investigar a relação de professores e professoras da Educação de Jovens e Adultos do 1º e 2º ciclos da Rede Município de Ensino de Aracaju com a Matemática em seu processo de Profissionalização Docente. Para atender aos objetivos aqui propostos, a pesquisa tem uma abordagem qualitativa, de natureza descritiva e exploratória. Para a coleta de dados foram aplicados questionários exploratórios com os/as docentes, realização de grupos focais para debater questões pertinentes à pesquisa. Também foram analisados documentos legais e relatórios da Secretaria Municipal de Educação e Conselhos Municipal de Educação de Aracaju. Os dados nos apontam elementos importantes na conjuntura atual da EJA no município, bem como referentes aos aspectos da profissionalização docente, seja enquanto formação inicial ou continuada. Entretanto, algumas questões foram colocadas pelos/as docentes como obstáculos para o ensino da matemática a partir da relação desses/as profissionais com esta área do conhecimento em seu processo de profissionalização. Os resultados nos apontam além das dificuldades, aspectos relevantes e peculiares da ação pedagógica com a matemática na EJAEF.

  • REYNALDO JOSÉ MASCARENHAS MOTA
  • CORPO EM CENA: INDÍCIOS DA MOBILIZAÇÃO PARA À TRAJETÓRIA FORMATIVA
  • Orientador : VELEIDA ANAHI DA SILVA
  • Data: 12/08/2013
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Por meio da interlocução entre a educação, a corporeidade e o grupo colaborativo, busquei neste trabalho investigar a conduta dos professores da educação básica, durante às reuniões no Grupo Colaborativo em Modelagem Matemática (GCMM) da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS) e atividades pedagógicas com a aplicação de atividade modelada de conteúdo matemático, assim como alguns indícios para o ensino da Matemática. Trago, de início como agente mobilizador, minha trajetória pessoal para formação desejada, com sucessos e entraves no decorrer do processo. Após, apresento uma revisão da literatura sobre o grupo colaborativo, o corpo e a concepção de corporeidade. Em seguida, realizo uma discussão dos conceitos de relação com o saber e de mobilização e a especificidade do sujeito. Foram sujeitos da pesquisa oito professores(as) da Educação Básica, com idade média de 35 anos, do Grupo Colaborativo em Modelagem Matemática (GCMM) da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS), Bahia. Na metodologia utilizei-me da abordagem qualitativa com estudo de caso. Os dados foram coletados por meio de questionário, de entrevista semiestruturada, das atas das reuniões do GCMM (2007-2012), currículos lattes e são apresentados, divididos em condutas observadas durante às reuniões e às atividades pedagógicas levando em consideração os sentidos atribuídos pelos professores ao corpo. No primeiro momento, foi feito um questionário exploratório, depois a análise das atas das reuniões e currículos lattes, às entrevistas semiestruturadas, vídeo gravado das aplicações de modelagem e um questionário conclusivo observando-se os dados e informações já estabelecidas e algumas conclusões inclusive sobre os comportamentos corporais, a interação dos professores na aplicação e socialização das atividades modeladas. Em seguida, os resultados foram analisados a partir das reuniões, aplicação e contexto das atividades num olhar crítico do observador e pesquisador. Ficou evidenciado a dificuldade de se construir uma “quase experiência do corpo” na Educação Básica, apontando para a necessidade de mais pesquisas sobre a temática. Percebeu-se a existência de corpos masculinos e femininos disciplinados, mais que, por meio dessa mesma corporeidade, os professores demonstraram, a partir dos seus comportamentos, estarem mobilizados, e também “desmobilizados”, para o processo de ensino. Buscando responder àquilo que me motivou a investigar os indícios de mobilização para ensinar matemática, a corporeidade e a relação com o saber, considero que existem formas diferenciadas para se mobilizar para o aprender e que os professores da Educação Básica, mostram, na maior parte das vezes, através da sua corporeidade essa disposição, ou não, de ministrar uma aula.

  • JOSÉ ANTONIO DE OLIVEIRA JÚNIOR
  • OBJETOS VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM PARA O ENSINO DE GEOMETRIA NA ESCOLA: POSSIBILIDADES E LIMITES
  • Orientador : DIOGENES REYES ARDILA
  • Data: 12/08/2013
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A geometria é aquele conhecimento das matemáticas deixado para ser ensinado no final do ano letivo escolar e na maioria das vezes é não ensinada, ou ela é ensinada de forma resumida pelo professor. Isto ocorre por ele não ter tempo de cumprir todo o programa curricular proposto pela instituição de ensino que atua, e também porque os livros didáticos utilizados na escola deixam o conteúdo de geometria para ser apresentado nos seus capítulos finais. Esta pesquisa surgiu na tentativa de analisar uma aprendizagem mais significativa da matemática possibilitando ao aluno assimilar com eficácia os conceitos de geometria através da interação professor-computador-aluno, particularmente utilizando objetos virtuais de aprendizagem (OVAs) voltados para o cálculo de áreas de figuras planas. Na busca e seleção de OVAs que se adequassem ao ensino programado, detectamos fragilidades de estrutura, notação e unidades de medida, às quais o professor deverá prestar atenção. Através de pré-testes e pós- testes de conhecimento, com a realização de atividades vinculadas a OVAs entre a aplicação destes, coletamos dados sobre aprendizagem que foram analisados pela taxonomia revisada de Bloom.

  • JOÃO ROGÉRIO MENEZES DE SANTANA
  • SEXUALIDADE E GÊNERO: PERCEPÇÕES DE ESTUDANTES E PROFESSORAS DO 5º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL DE UMA ESCOLA PÚBLICA DE ITABAIANA
  • Orientador : MARIA BATISTA LIMA
  • Data: 12/08/2013
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • As discussões sobre sexualidade e gênero não são recentes, mas os estudos científicos que articulam a educação com essas temáticas ainda apresentam uma demanda significativa, apesar da relativa ampliação que tem ocorrido nessas investigações nas últimas décadas. Em Sergipe, tais práticas científicas fazem parte deste cenário com trabalhos como o de Barreto (2009), Oliveira (2006) e Santos (2010). No entanto, ainda são raros os trabalhos que tomam crianças como sujeitos desses estudos. Assim, o trabalho aqui apresentado teve como objetivo analisar percepções de 35 discentes e duas professoras (uma docente que ensina Língua Portuguesa e uma que leciona Educação Física e Ciências Naturais), do 5º ano do Ensino Fundamental (EF), sobre sexualidade e gênero e a relação dessas temáticas com a educação. Utilizamos como principal referencial para a temática sexualidade e gênero no espaço escolar Guacira Lopes Louro. Já para a reflexão sobre essas temáticas no contexto do comportamento humano destacamos Foucault (2011), Del Priore (2011), Castells (2010), entre outros. Trata-se de uma pesquisa de abordagem qualitativa, que articula o olhar etnográfico na perspectiva da etnografia da prática escolar, referendada por André (2010), com a abordagem sócio-histórica em uma aproximação com Bakhtin (2003). O trabalho tem como eixos temáticos: a) Sexualidade e Corpo; b) Visões Sobre Gênero; c) Sexualidade, Gênero e Prática Escolar. O estudo aponta, entre outras coisas, que as(os) profissionais da escola e as famílias das(os) estudantes não se sentem à vontade quando temas dessa natureza são abordados no ambiente escolar. Percebe-se que essa relação desconfortante pode estar associada aos resquícios de uma concepção e prática de ducação (escolar e não escolar) que ainda trata o sexo, predominantemente, como um tabu e a sexualidade como sinônimo de sexo. Percebeu-se que para as crianças a sexualidade está associada à satisfação ou prazer que cada pessoa expressa em diferentes formas. No entanto, algumas delas ainda constroem conceitos equivocados ou conservadores sobre a temática, outras ainda não formularam opiniões devido à idade ou às proibições postas pelos responsáveis e a falta de diálogo a esse respeito no espaço escolar. Visualiza-se a necessidade de transformação de concepções, procedimentos e atitudes sobre a sexualidade humana e as relações de gênero na escola como contributo para superação do determinismo de papeis sociais e dos preconceitos e discriminações nas políticas e práticas cotidianas da sociedade. Essa transformação ampliará as possibilidades de que as novas gerações usufruam de direitos fundamentais do Ser Humano, como o direito à liberdade, à dignidade e ao respeito em todas as formas e expressões.

  • EDVALDO JOSÉ DOS SANTOS
  • PRÁTICA DE ENSINO INTERDISCIPLINAR NO LABORATÓRIO DE FÍSICA NA UNIVERSIDADE
  • Orientador : DIOGENES REYES ARDILA
  • Data: 12/08/2013
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Esta dissertação relata e analisa um processo inédito de desenvolvimento de metodologia de
    ensino no laboratório de física, dentro de uma instituição de ensino superior da região
    nordeste brasileira. Ao longo do processo foram identificadas as reais dificuldades dos alunos
    em associar as atividades experimentais com as descrições dos fenômenos físicos estudados e
    a utilidade que estes têm no dia a dia. Para iniciar a construção da metodologia de ensino foi
    realizado um acompanhamento da forma de desenvolvimento das atividades experimentais
    em laboratórios de física por estudantes de um curso técnico em eletrotécnica e de outro curso
    de licenciatura em física. Também fez parte do processo a revisão da literatura sobre
    tendências promissoras de ensino, levando-nos a julgar que o uso de alguma forma alternativa
    de ensinar, tornaria a física ensinada mais acessível e menos intimidadora, portanto
    provocadora de maior prazer no instrutor e nos alunos, nos seus respectivos papeis de
    professor e aprendizes. Dessa forma, foi elaborada e aplicada uma metodologia de ensino de
    natureza interdisciplinar caracterizada pela busca da construção ampla e atualizada do
    conhecimento nos alunos. O conjunto de observações realizadas sobre a metodologia aplicada
    foi analisado dentro das teorias defendidas por pesquisadores como Fazenda, Lenoir, e
    Pietrocola, entre vários outros. A análise dos dados nos permitiu identificar a importância da
    intervenção do professor entre etapas inseridas na metodologia do ensino interdisciplinar,
    como a construção de relatórios desde o momento que um grupo de alunos recebe o material
    que será trabalhado, até o momento de sua apresentação. Descrevemos também, como parte
    da análise, possíveis adversidades, como o trabalho em grupo pouco produtivo e a pouca
    formação aprimorada do professor para se adequar ao método proposto, e a forma de superá-
    las dentro deste tipo de ensino.

  • RENATA BEATRIZ DE SOUZA PRADO
  • TECNOLOGIA ASSISTIVA PARA O ENSINO DA MATEMÁTICA AOS ALUNOS CEGOS: O CASO DO CENTRO DE APOIO PEDAGÓGICO PARA ATENDIMENTO ÀS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA VISUAL
  • Orientador : VERONICA DOS REIS MARIANO SOUZA
  • Data: 29/07/2013
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O presente estudo tem como objetivo investigar e discutir o uso das Tecnologias Assistivas como rO presente estudo teve como objetivo compreender os limites e as possibilidades das Tecnologias Assistivas no processo de ensino da Matemática para alunos com cegueira tendo como campo empírico o Centro de Apoio Pedagógico para Atendimento às Pessoas com Deficiência Visual (CAP) do Estado de Sergipe. Buscou-se identificar as Tecnologias Assistivas disponíveis para o Ensino da Matemática, conhecendo as atividades desenvolvidas pelos professores. Através do estudo foi possível identificar as principais dificuldades dos professores e alunos relacionados ao ensino da Matemática e desenvolver uma análise sobre o processo de escolarização dos alunos com cegueira no CAP. Utilizou-se o estudo de caso com abordagem qualitativa, e como instrumento de coleta de dados, questionários, as observações espontânea e sistemática, revisão bibliográfica, análises documentais e artefatos físicos. Como aporte teórico, utilizamos os estudos de Galvão Filho (2009), Bersch (2008), Fiorentini (2006), Lorenzato (2009), Vygotski (1989), Danyluk (2002), Sá; Campos; Silva (2007), Morais (2008), dentre outros. Os resultados demonstram até que ponto as Tecnologias Assistivas auxiliam no ensino da Matemática em alunos cegos do CAP, evidenciando que as [UTF-8?]TA’s adotadas na Estimulação Precoce e Alfabetização Braille colaboram no desenvolvimento e na formação dos conhecimentos matemáticos dos alunos. No entanto, as Tecnologias Assistivas adotadas no Soroban e Informática ficam a desejar, principalmente para os conteúdos a partir do 6º ano do Ensino Fundamental e até o Ensino Médio.

  • RAMON DE OLIVEIRA SANTANA
  • A dinâmica das interações na abordagem dos conhecimentos Químicos em uma sala de aula de Ciências do 9º Ano na cidade de Itabaiana
  • Orientador : ADJANE DA COSTA TOURINHO E SILVA
  • Data: 14/06/2013
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Na pesquisa traçamos o objetivo de caracterizar a dinâmica discursiva de uma sala de aula de 9º ano do ensino fundamental da cidade de Itabaiana e suas relações com aspectos característicos da formação inicial e continuada do professor que conduz tal dinâmica.

    Para essa caracterização, inicialmente foi elaborado o perfil dos professores que lecionam a disciplina Ciências no 9º ano do ensino fundamental de escolas públicas da região central da cidade de Itabaiana, localizada no agreste sergipano. Os dados foram obtidos por meio de um questionário que focalizou aspectos relevantes do ponto de vista da formação e atuação desses profissionais. A caracterização desse grupo de professores teve como propósito proporcionar uma visão panorâmica dos profissionais responsáveis pela introdução dos alunos da região aos conceitos fundamentais da Química, tendo-se em vista que, tradicionalmente nos currículos, a Química é introduzida por meio da disciplina Ciências, no 9º ano do ensino fundamental. Além disso, a percepção sobre tal grupo serviu como um primeiro passo para a seleção de um professor cuja sala de aula seria investigada. Desse modo, a caracterização iniciada com os questionários foi aprofundada por meio da análise da dinâmica discursiva de uma professora selecionada, a qual apresentava características que incentivavam a interação em sala de aula.

    As interações discursivas desenvolvidas pela professora com seus alunos foi analisada tendo-se em vista as categorias de uma ferramenta proposta por Mortimer e Scott (2002) e ampliada por Mortimer et al (2007). A análise ancorou-se nas teorias de Vygostsky e Bahktin, visto que esses pensadores nos dão suporte no sentido de compreender a importância do ambiente, do diálogo e das interações entre os indivíduos. Os dados foram coletados com a utilização de gravações em vídeo e anotações de campo. As aulas registradas em vídeos foram mapeadas em episódios.Também foram realizadas entrevistas com a professora selecionada e com a maioria dos professores que responderam ao questionário. Isso nos proporcionou uma melhor compreensão das ações apresentadas pela professora em sala de aula, bem como do grupo de professores do qual faz parte.

    Foram priorizados dois momentos distintos para a anaílise da dinâmica discursiva da sala de aula. Em um deles a professora trabalhou os conceitos de substância, mistura e separação de misturas utilizando experimentos e no segundo momento a professora trabalhou os conceitos de tabela periódica por meio de uma aula expositiva. Os resultados obtidos mostram que a professora é bastante interativa nos dois momentos, mas na aula experimental fica evidente que a interatividade ajuda na construção de alguns momentos dialógicos, os quais não apareceram na aula expositiva. Essa característica é melhor compreendida quando observamos a categoria locutor, visto que o tempo de fala dos alunos é maior na aula experimental, situação essa essencial nos momentos dialógicos. As intenções da professora variam com o tipo de aula e se articulam com os tipos de abordagem comunicativa.

    As diferenças verificadas nos tipos de abordagem comunicativa e intenções em ambas as aulas foram relacionadas à relação da professora com os diferentes conhecimentos abordados. Verificou-se que, embora a professora fomentasse a interação em sala de aula, as interações de natureza dialógica eram bastante reduzidas comparadas às de autoridade. Isso ficou evidente quando a professora trabalhava com conhecimentos mais abstratos da Química. As dificuldades em manter uma abordagem mais dialógica dos conteúdos foram percebidas em relação à características de sua formação inicial e continuada.


  • ADELINE BRITO SALES
  • ALFABETIZAÇÃO CIENTÍFICA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS (EJA) EM UMA ESCOLA PÚBLICA DE ARACAJU/SE: O ENSINO DA GENÉTICA
  • Orientador : MYRNA FRIEDERICHS LANDIM DE SOUZA
  • Data: 04/06/2013
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A alfabetização científica corresponde a um processo de construção de conhecimentos que facilitaria ao indivíduo fazer uma leitura do mundo onde vive, tornando-se um mediador eficaz entre a ciência, a tecnologia e a sociedade, decidindo e participando de forma ativa e responsável nos problemas do seu entorno com a consciência de ter capacidade de transformar a sociedade. Tal processo é de fundamental importância para a formação do cidadão, sendo ainda mais imprescindível no caso do público da Educação de Jovens e Adultos. Entre as temáticas atuais relevantes para a alfabetização científica desses indivíduos, estão àquelas ligadas à Genética. Considerando isso, esse trabalho teve por objetivo investigar como a EJA tem contribuído para a alfabetização científica dos jovens e adultos em relação à Genética em escolas de Aracaju-SE. Essa pesquisa foi composta por duas etapas: um estudo de caráter exploratório em escolas de EJAEM da zona sul de Aracaju buscando avaliar o conhecimento sobre Genética dos alunos, identificando diferenças entre grupos etários e entre escolas e pontos problemáticos que poderiam ser solucionados por meio das aulas de Biologia. Na segunda etapa, fez-se um estudo de caso em uma escola de Aracaju visando avaliar os conhecimentos dos alunos sobre Genética e as contribuições das aulas dessa temática no processo de alfabetização científica dos alunos. Para isso, aplicou-se um questionário para os alunos, fizeram-se observações simples das aulas e entrevistou-se a professora de Biologia da turma.

  • FERNANDA RAMOS SANTOS
  • Educação Ambiental: Concepções e práticas pedagógicas de professores da rede pública municipal de Simão Dias/ SE
  • Orientador : CARMEN REGINA PARISOTTO GUIMARAES
  • Data: 29/05/2013
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • No enfrentamento da atual crise ambiental, compreendida por muitos como uma crise civilizacional, que, mais que somente ecológica assume também um caráter social, surge a Educação Ambiental com o compromisso de promover mudanças de valores, comportamentos e atitudes para a construção de uma sociedade cada vez mais justa e ambientalmente sustentável. Assim, reconhecendo os diferentes contextos possíveis para a realização da Educação Ambiental, o presente estudo procurou pesquisar dentro do contexto escolar as concepções e práticas pedagógicas em Educação Ambiental de professores da rede pública municipal de Simão Dias. Para essa análise foram investigados: perfil do professor e a sua formação em educação ambiental, prática pedagógica, concepções sobre meio ambiente e Educação Ambiental, além da atuação das COM-VIDAs (Comissão de meio Ambiente e Qualidade de Vida na Escola). Sendo esta caracterizada como uma pesquisa de natureza quali-quantitativa, questionários e entrevistas semiestruturadas foram utilizados como recursos metodológicos. Em um universo de 89 professores, das diferentes áreas do conhecimento, que atuam nas séries finais do Ensino Fundamental (6º ao 9º Ano), 54 participaram voluntariamente da pesquisa respondendo aos questionários. Destes professores, seis também manifestaram interesse em participar das entrevistas semiestruturadas. Quanto às concepções de meio ambiente, alguns destes professores já reconhecem o meio ambiente em uma concepção mais ampla, considerando não apenas os aspectos biológicos, mas também, os aspectos econômicos, sociais, políticos e culturais. Contudo, apesar de professores apresentarem uma visão ampla de meio ambiente e reconhecerem diversos problemas ambientais da comunidade escolar, ainda são poucas as ações realizadas nas escolas, através da atuação das COM-VIDAs, na perspectiva de discutir e propor soluções para as questões ambientais da comunidade local. Desta forma, reconhecemos a necessidade de fortalecer o trabalho das COM-VIDAs, para garantir o caráter permanente, crítico e transformador da Educação Ambiental. Para isso, é importante que o município promova, através da Secretaria Municipal de Educação, a continuidade dos encontros municipais em Educação Ambiental, bem como, ofereça cursos de formação continuada para os professores, na perspectiva destes apresentarem subsídios teórico-metodológicos para a inserção da Educação Ambiental no contexto escolar.

  • ASSICLEIDE DA SILVA BRITO
  • IDENTIDADE E FORMAÇÃO DOCENTE: MEMÓRIAS E NARRATIVAS DE EGRESSOS/AS DA 1ª TURMA DE LICENCIATURA EM QUÍMICA DE UMA UNIVERSIDADE PÚBLICA DO AGRESTE SERGIPANO
  • Orientador : MARIA BATISTA LIMA
  • Data: 14/05/2013
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Os estudos sobre a construção da identidade e dos saberes docentes destacam que a formação de professores/as é um processo em permanente (trans)formação. É durante essa atuação e/ou continuidade da sua formação acadêmica que os/as professores/as vão adquirindo experiências, saberes e construindo a identidade profissional. A partir dessas reflexões que norteiam a formação de professores/as tem-se desenvolvidos alguns estudos em um curso de formação de professores/as de Química. Esses estudos se inserem numa investigação que tem como objetivo compreender a construção da identidade docente dos/as acadêmicos/as ingressos/as na primeira turma do Curso de Licenciatura em Química, da Universidade Federal de Sergipe. Nesta perspectiva, esta dissertação tem como objetivo geral analisar alguns elementos constituintes da (re)construção da identidade e formação docente de professores/as de Química a partir das narrativas de Histórias de Vida dos/as egressos/as da primeira turma do curso de Licenciatura em Química (CLQ/SE), em 2010. Na realização desta investigação buscou-se como objetivos específicos conhecer o perfil dos/as iniciantes na atuação profissional em Licenciatura em Química; identificar quais as expectativas dos/as iniciantes em relação à atuação profissional; explicitar qual a relação entre os/as professores/as de memória desses/as iniciantes e sua atividade atual, seja como professores/a, mestrando/a ou outra atividade; identificar as visões dos/as iniciantes na atuação profissional sobre ser professor/a e a docência em Química no contexto da formação de professores/as e no ensino e aprendizagem no Brasil; e investigar e compreender as relações estabelecidas por eles/as entre os elementos da sua formação inicial e sua atuação pedagógica, acadêmica e/ou profissional atual. Teve como referencial metodológico a pesquisa qualitativa, através do método História de Vida. São apresentadas as narrativas de sete professores/as em início da atuação profissional. As narrativas possibilitaram aprofundar nas experiências profissionais e as mudanças causadas na formação desses/as professores/as. Durante a formação acadêmica e experiência profissional vários elementos foram importantes para a definição da atuação profissional e continuidade da mesma. No desenrolar das histórias dos/as professores/as são levantadas várias discussões sobre as ações da atividade docente e do ensino de Química que leva-nos expressar a importância de aprofundar os estudos sobre as relações que esses/as professores/as estabelecem ao longo da sua trajetória profissional, como também continuar refletindo sobre as diferentes questões que envolvem a formação de professores/as e o ensino de Química.

  • ROSILAINE GOMES DE SANTANA COSTA
  • UM ESTUDO BIBLIOGRÁFICO SOBRE A UTILIZAÇÃO DE MAPAS CONCEITUAIS COMO FERRAMENTA DE AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM: ALGUMAS CONSIDERAÇÕES NO ENSINO DE FÍSICA
  • Orientador : CELSO JOSE VIANA BARBOSA
  • Data: 26/04/2013
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Este trabalho é uma pesquisa bibliográfica, tipo revisão sistemática sem metanálise, realizada em diversos periódicos nacionais e internacionais e nas atas da Conferência Internacional sobre Mapas Conceituais (MC) com o objetivo de analisar como vem sendo desenvolvidas as pesquisas que utilizam MC como ferramenta de avaliação da aprendizagem dos estudantes e que estabelecem critérios para avaliar os mesmos. O objetivo de utilizar mapas conceituais consiste em verificar a aprendizagem dos alunos com relação aos conteúdos trabalhados em sala de aula, obtendo informações sobre o que eles aprenderam de forma significativa, quais conceitos não foram aprendidos ou se foram aprendidos de forma incorreta e verificar se eles conseguiram fazer as relações dos novos conceitos com os conhecimentos já existentes na sua estrutura cognitiva. Foi possível observar, por meio da análise da metodologia dos artigos, que há um número significativo de trabalhos, um total de 105, que utilizam mapas conceituais como ferramenta de avaliação em diferentes áreas, dentre elas a Física, e com diversas metodologias. Percebi também que há uma preocupação dos autores em estabelecer critérios para verificar/avaliar se os mapas elaborados pelos alunos atingiram os objetivos desejados. Espero que essa pesquisa possa orientar professores/pesquisadores que pretendem trabalhar com essa ferramenta de avaliação da aprendizagem de grande importância para o ensino, porém ainda pouco utilizada nos meios educacionais.

  • WELINGTON FERREIRA SANTOS
  • COMO AS CRIANÇAS DESENVOLVEM OS PROCESSOS MULTIPLICATIVOS NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL, EM UMA ESCOLA DO MUNICÍPIO DE ARACAJU/SE.
  • Orientador : MARIA CRISTINA MARTINS
  • Data: 23/04/2013
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O presente estudo tem como problema de pesquisa o seguinte questionamento: de que forma os métodos utilizados na escola pesquisada, contribuem para a construção do pensamento multiplicativo na criança de forma autônoma? Para respondê-lo, buscamos analisar os métodos utilizados para o desenvolvimento do pensamento multiplicativo em uma escola pública de Aracaju (em turmas de 4° e 5° ano) e suas contribuições para o desenvolvimento da autonomia das crianças em seus estudos de Matemática, buscamos ainda, identificar quais as metodologias utilizadas com crianças em sala que desenvolvem o pensamento multiplicativo, como são utilizados os jogos e tratamento da informação para desenvolver este pensamento, que saberes são mobilizados pelo professor para a mediação desse processo e como as falas das crianças apontam indícios de como elas constroem o seu pensamento multiplicativo. A metodologia da pesquisa é de base qualitativa com estudo de caso etnográfico e teve como sujeitos as crianças e os professores do 4° e 5° ano, durante o ano letivo de 2012. Os dados foram coletados através de: 1) observação participante, 2) entrevista em sala de aula e em diferentes espaços da escola, com crianças e professores, 3) análise dos documentos referentes à escola, sua história, funcionamento e currículo e 4) registros no diário de campo, destacados a partir de uma coleta de dados que foi realizada de janeiro a outubro do corrente ano e permitiu um contato aprofundado com a realidade estudada. O aporte teórico estudado, teve como autores principais as pesquisas de Vygotsky (2005, 2008), Vergnaud (2009, 2010), Nunes et.al (2005), Magina et. al. (2008), Moysés (2001), D’Ambrosio e Sabba (2011), De la Taille et.al. (1992), Geertz (2011) e Müller (2010).

  • EDENILSE BATISTA LIMA
  • CONCEPÇÕES DE DOCENTES DE BIOLOGIA DA GRANDE ARACAJU SOBRE CORPO
  • Orientador : ALICE ALEXANDRE PAGAN
  • Data: 22/04/2013
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O ensino de temáticas relativas à saúde sexualidade tem sido um desafio para a educação, no que se refere à possibilidade de garantir uma aprendizagem efetiva e transformadora de atitudes e hábitos de vida. Uma medida preventiva de promoção à saúde é o conhecimento do próprio corpo e da própria sexualidade, além ser um fator fundamental para a construção do bem estar do indivíduo. Nesse sentido, esta dissertação tem como objetivo geral identificar e descrever as concepções de professores de Biologia de Aracaju sobre o próprio corpo e possíveis relações com a prática pedagógica sobre sexualidade. A coleta de dados foi feita com a utilização da técnica da entrevista individual semiestruturada. Os resultados apontam para categorias relacionadas a concepções mecanicistas por um lado, mas também olhares para aspectos psicológicos e sociais do corpo como construção biopsicosocioeconomicocultural.

  • MARIANA RESENDE DE OLIVEIRA
  • A EDUCAÇÃO VIRANDO O JOGO: ANÁLISE DO USO DE MATERIAIS DIDÁTICOS LÚDICOS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS
  • Orientador : CARMEN REGINA PARISOTTO GUIMARAES
  • Data: 22/04/2013
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Acreditando que, quando o ensino desperta o prazer, a aprendizagem se torna mais atrativa e mais significativa, impulsionando o próprio aprendiz na busca dos conhecimentos e no protagonismo de sua história educacional, o presente trabalho objetivou analisar a influência da construção e da utilização de materiais didáticos lúdicos no processo de formação de professores de Ciências Biológicas, almejando incentivar a reflexão sobre a atuação pedagógica e a construção de práticas diferenciadas. É durante a fase de formação inicial que é construído o alicerce para as futuras práticas profissionais, sendo de extrema importância que os graduandos experimentem situações bem diversificadas que enriqueçam seu acervo de ideias. A pesquisa foi desenvolvida em duas turmas, da disciplina de Invertebrados I, da Universidade Federal de Sergipe e foi baseada na metodologia dos Três Momentos Pedagógicos apresentada por Delizoicov, Angotti e Pernambuco (2011). Para a obtenção dos dados foram utilizados gravações e questionários, analisados na perspectiva da análise de conteúdo de Bardin (2008). Os resultados apontam que as concepções dos graduandos já favoreciam a abordagem lúdica e, que ao longo do trabalho, foi sendo construída uma base, teórica e prática, para o desenvolvimento desta metodologia. Nas atividades sugeridas, foram discutidos os benefícios e as problemáticas envolvidos no uso de jogos como instrumento didático, assim como a importância do papel do professor, observando-se que surgiam contradições e pensamentos que tendiam ao ensino tradicional. Entretanto, ao longo do processo, o envolvimento dos educandos com os jogos ampliou o repertório de práticas pedagógicas, permitindo que eles compreendessem que são capazes de construir os próprios recursos didáticos através da criatividade, imaginação e cooperação. Ao final do trabalho, entende-se que, apesar de ainda existir um longo caminho a ser percorrido, os primeiros passos estão sendo dados. Neste trabalho além do material criado pelos graduandos ter sido doado à Universidade Federal de Sergipe, servindo como um acervo ao ensino de Ciências Biológicas, notou-se uma transformação das ideias dos graduandos no decorrer da pesquisa, demonstrando que houve uma troca de vivências e reflexão sobre a prática pedagógica apoiada no referencial ludo-educativo, o que pode ser uma alavanca para a busca de novos conhecimentos e para a transformação do papel desempenhado pelo docente.

  • NAYARA JANE SOUZA MOREIRA
  • CONTINUIDADE E RUPTURA NOS LIVROS DIDÁTICOS “A CONQUISTA DA MATEMÁTICA”: UMA ANÁLISE A PARTIR DO COMO ENSINAR ANCORRADO EM PRINCÍPIOS DA EDUCAÇÃO MATEMÁTICA
  • Orientador : IVANETE BATISTA DOS SANTOS
  • Data: 15/04/2013
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Neste trabalho é apresentado o resultado de uma pesquisa que teve como objetivo analisar em que medida orientações de como ensinar Matemática ancoradas em pressupostos teóricos e metodológicos da Educação Matemática alteraram os livros didáticos da coleção “A Conquista da Matemática” no período de 1982 à 2009. Para realizar tal intento o primeiro passo foi identificar coleções de livros didáticos “A Conquista da Matemática”, foram localizadas seis edições diferentes. A escolha dessa coleção deve-se ao fato da constatação de Trindade (2012) que em dezenove (19) escolas da rede municipal de ensino da cidade de Aracaju- Se, dezesseis (16) utilizam os livros dessa coleção. Como suporte teórico foram adotados autores como Chervel (1990) para a compreensão da disciplina escolar e da vulgata, Choppin (2002, 2004) que traz contribuições para a utilização do livro didático como fonte de pesquisa para a produção da História da Educação, apresentando suas funções, D’Ambrósio (1998) apresentando propostas metodológicas que buscavam renovar a concepção da Matemática escolar, Munakata (1997) apresentando aspectos da materialidade do livro didático, Fiorentini & Lorenzato (2009) para a construção de um entendimento sobre Educação Matemática, Valente (2007, 2008) como referência para a produção de História da Educação Matemática e para o estudo de livros didáticos de Matemática como fonte de pesquisa. Os livros foram analisados levando em consideração a materialidade, a organização dos conteúdos, e as orientações de como ensinar Matemática que de alguma forma possibilite a identificação de continuidade(s) e ruptura(s) na organização dos livros. Com base no exame efetuado é possível afirmar, que as tendências metodológicas da Educação Matemática alteraram a coleção quanto a sua materialidade, a organização dos conteúdos, ainda que timidamente e ainda que tentasse permanecer a ideia de currículo linear. Não foi possível apontar a presença de orientações da resolução de problemas, da história da matemática, do uso das novas tecnologias, do jogo matemático, como metodologia, mas, sim como recursos didáticos.

  • IVANA SILVA SANTOS LIMA
  • UMA INVESTIGAÇÃO SOBRE O(S) USO(S) DE CALCULADORAS E COMPUTADORES POR PROFESSORES DE MATEMÁTICA DA REDE PÚBLICA ESTADUAL DE ARACAJU-SE
  • Orientador : IVANETE BATISTA DOS SANTOS
  • Data: 15/04/2013
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Neste trabalho é apresentado o resultado de uma pesquisa cujo objetivo foi investigar se e como os professores de Matemática da rede estadual de Aracaju utilizam o computador e a calculadora para abordar conteúdos matemáticos. Para isso, inicialmente foram selecionadas catorze escolas públicas da rede estadual localizadas nas cinco zonas geográficas de Aracaju e que possuem laboratórios de informática instalados pelo ProInfo- Programa Nacional de Tecnologia Educacional. De cada umas dessas escolas foram selecionados dois professores de Matemática, um do ensino fundamental e outro do ensino médio. Como sustentação teórica, foram adotados autores como Fedalto (2006), Carneiro (2008), Borba e Penteado (2010) e Canavarro (1993) para analisar os tipos de usos que os professores fazem da calculadora e do computador, D’Ambrósio (1989) para identificar possibilidades de “como” ensinar Matemática e Fiorentini e Lorenzato (2006) para o entendimento sobre Educação Matemática. Com base nas vinte e sete entrevistas semiestruturadas e na apropriação das leituras efetuadas é possível afirmar que a maioria dos professores utiliza o computador e a calculadora para abordar conteúdos matemáticos, sendo que esses instrumentos são utilizados predominantemente como recursos. Uma vez que o uso do computador ocorre de duas formas, somente pelo professor para expor algum conteúdo ou por ele e pelos alunos para quando depois de abordado conteúdo são usados softwares para comprovar a teoria. A principal justificativa para esse é para essa forma de uso é por entender que o computador é um instrumento de motivação. Já a calculadora é utilizada na maioria das vezes como instrumento para efetuar cálculos de forma a agilizar a resolução das contas, conferir resultados, realizar cálculos complexos com precisão e menos frequentemente como instrumento de investigação.

  • CLÉSIA MARIA DOS SANTOS LAPA
  • O ENSINO DE FRAÇÃO E SEUS DIFERENTES SIGNIFICADOS: um estudo a partir do livro didático A Conquista da Matemática e dos cadernos de alunos do 7º ano da rede municipal de Aracaju/SE
  • Orientador : RITA DE CASSIA PISTOIA MARIANI
  • Data: 12/04/2013
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa investiga o ensino de fração no 7º ano do ensino fundamental a partir dos encaminhamentos adotados por professores de Matemática das escolas da rede municipal de Aracaju/SE tomando como referencial teórico os cinco significados de fração: Medida, Número, Operador Multiplicativo, Parte-todo e Quociente defendidos por Nunes et al (2001; 2009), Campos, Magina e Nunes (2006) e Magina e Campos (2008) a partir dos pressupostos dos campos conceituais de Vergnaud (1996; 2009), Plaisance; Vergnaud (2003), Magina et al (2008). Para tanto, toma-se como elemento de aproximação a análise do livro didático A Conquista da Matemática (GIOVANNI JÚNIOR; CASTRUCCI, 2009) do 7º ano adotado por dezesseis (16) das dezenove (19) escolas da rede municipal de ensino que atendem aos anos finais do ensino fundamental, bem como de trinta (30) cadernos de Matemática que foram fotocopiados de alunos do 7º ano que estudaram em 2012. A apreciação de tais instrumentos ocorreu por meio dos princípios da análise de conteúdo (BARDIN, 2010). Com base nos dados coletados e seguindo os pressupostos da pesquisa qualitativa, de acordo com Lüdke e André (2007) e Alves-Mazzotti e Gewandsznajder (1998), conclui-se que o significado Operador Multiplicativo é o significado mais abordado pelo livro didático em análise e que todos os professores trabalham atividades em pelo menos um dos cinco significados de fração sendo que o significado Número é mais enfatizado por nove (09) dos 15 docentes envolvidos na pesquisa, seguido pelo significado Operador Multiplicativo que é o segundo mais trabalhado no 7º ano.

  • MICHELINE IDALGA DE BRITO SIMPLICIO
  • ATENDIMENTO EDUCACIONAL A ALUNOS COM TALENTO MATEMATICO E SUA INFLUENCIA NO DESEMPENHO ESCOLAR.
  • Orientador : VERONICA DOS REIS MARIANO SOUZA
  • Data: 10/04/2013
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa teve como objetivo principal analisar o Projeto Novo Talentos da Universidade Federal de Sergipe identificando sua influência no desempenho escolar dos participantes, utilizamos uma metodologia com abordagem qualitativa tendo como procedimento o estudo de caso porque envolve um grupo para análise intensiva de uma situação particular, diante disto buscamos contribuir com a atual discussão sobre o atendimento educacional para alunos com dotação e talento na área da matemática. Os instrumentos utilizados na coleta de dados foram entrevista semiestruturada, observação, questionário, escala de auto-avaliação do desempenho, análise documental e registro em diário de campo. Considerando assim que as oportunidades propiciadas aos alunos estejam pautadas no desenvolvimento integral e fundamentação no equilíbrio entre os interesses individuais e as regras sociais

  • EVANILSON TAVARES DE FRANÇA
  • ESCOLA E COTIDIANO: UM ESTUDO DAS PERCEPÇÕES MATEMÁTICAS DA COMUNIDADE QUILOMBOLA MUSSUCA EM SERGIPE
  • Orientador : MARIA BATISTA LIMA
  • Data: 09/04/2013
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Como nos ensina D’Ambrósio (2005), a disciplina tão valorizada e que, muitas vezes, é colocada no pódio máximo quando se estabelece escalonamento das disciplinas é, em verdade, uma Etnomatemática produzida na Europa mediterrânea com algumas contribuições do povo indiano e da civilização islâmica. A universalização desta Etnomatemática terminou eclipsando as construções matemáticas de outros grupos humanos, inclusive os quilombolas. Esta postura hegemônica nos impeliu a desenvolver esta pesquisa no quilombo Mussuca, localizado no município de Laranjeiras (Sergipe – Brasil), no período de maio a dezembro de 2012, objetivando analisar as percepções sobre os saberes matemáticos apresentadas por estudantes do 5º ano do Ensino Fundamental da comunidade quilombola (Mussuca) e a relação estabelecida por estes/as estudantes, professoras polivalentes, gestores/as da escola municipal, bem como dos membros da comunidade em questão com estes mesmos saberes e com a relação deles com as africanidades. A Mussuca é conhecida como “lugar do preto mais preto” ou como terra de “africanos legítimos”, como nos mostram Lima (2006) e Brendle (2011), o que, inclusive, foi para nós razão mobilizadora de nosso interesse por aquela comunidade. O caminho delineado para a construção amparou-se em abordagem qualitativa por tratarmos, como entende André (2011), o objeto de estudo de maneira globalizada, observando todos os elementos que interferem e que com ele dialogam. Como procedimentos metodológicos, lançamos mão do questionário (aplicados junto a gestores/as, professoras, professores e estudantes do 4º e do 5º ano do Ensino Fundamental), entrevistas semiestruturadas (direcionadas a gestores/as, professoras da Educação Infantil e dos anos iniciais do Ensino Fundamental e a moradores/as da comunidade), observação não-estruturada (concretizada em sala de aula, com a turma do 5º ano do Ensino Fundamental e nos espaços internos da escola) com diário de campo, grupo focal e diário de bordo (procedimento que nos permitiu, também, identificar as percepções de Matemática dos/as estudantes, a partir da narração de seus cotidianos). Atribuímos à pesquisa, certo olhar etnográfico (recorte etnográfico), vez que, durante seu desenvolvimento, consideramos: 1. As interações efetivadas entre pesquisador e objeto de pesquisa, 2. A preocupação precípua com os processos e não com o resultado, 3. A ênfase nas semânticas dos sujeitos, tanto em relação ao contexto quanto a si mesmos, 4. Por estarmos cônscios que durante o trabalho de campo o pesquisador partilharia das experiências e vivências dos sujeitos da pesquisa em seu próprio ambiente. A Etnomatemática converteu-se na sustentação teórica da pesquisa, encontrando em Ubiratan D’Ambrósio seu principal interlocutor, e as africanidades constituíram diálogos frequentes, tendo Lima (2001, 2003, 2006, 2007, 2008), Trindade (2006) e Lima e Trindade (2009) como seus principais aportes. A pesquisa evidenciou que a percepção de Matemática das crianças é bastante pulverizada, sendo que no ambiente externo à escola esta percepção é mais diversificada do que no interior do espaço escolar, mostrou também que professores/as e estudantes não construíram uma relação pessoal e afetiva positiva com a Matemática. Apontou ainda que a proposta pedagógica estabelece um diálogo bastante frágil com a contextura sociocultural do quilombo, que as legislações e/ou instrumentos que tratam da pluralidade cultural, do ensino de história e cultura africana e afro-brasileira e da educação para as relações etnicorraciais são desconhecidos pela maioria dos que fazem a escola e, por conseguinte, não aparecem ou aparecem timidamente na ação pedagógica da unidade de ensino e ainda que, possivelmente como corolário dos apontamentos anteriores, os saberes matemáticos processados pelos/as estudantes no cotidiano externo à escola não estabelece diálogo com a matemática escolar.

  • MOACIR CARDOSO DO NASCIMENTO NETO
  • PERCEPÇÕES DE LICENCIANDOS EM FÍSICA A RESPEITO DAS INTER-RELAÇÕES ENTRE CIÊNCIA-TECNOLOGIA-SOCIEDADE
  • Orientador : DIVANIZIA DO NASCIMENTO SOUZA
  • Data: 05/04/2013
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O presente trabalho buscou investigar as percepções de um grupo de licencandos em Física da Universidade Federal de Sergipe a respeito das inter-relações entre Ciência-Tecnologia- Sociedade. A relevância do nosso trabalho encontra-se no fato de que estudar as concepções de professores sobre as inter-relações CTS é um dos aspectos essenciais na tentativa de antever os rumos da alfabetização científica e tecnológica. Nesse sentido, nosso trabalho se desenvolveu em duas etapas. A primeira etapa está relacionada à montagem e aplicação de uma escala do tipo Likert, denominada neste trabalho de Questionário CTS, para avaliação do posicionamento do grupo frente às interações Ciência-Tecnologia-Sociedade. Na segunda etapa, a partir dos resultados obtidos na primeira, foram escolhidas seis afirmativas do questionário CTS para que fossem comentadas pelos licenciandos. As respostas da segunda etapa foram categorizadas, de acordo com as propostas de Miranda (2008), em realista, plausível, simplista e outras respostas. O cruzamento dos resultados obtidos nas duas etapas deste trabalho permitiu avaliar o pensar dos futuros professores em termos de aproximações e distanciamentos relativamente aos três parâmetros propostos por Auler e Delizoicov (2006).

  • ELAINE CRISTINE DO AMARANTE MATOS
  • Ensino de Ciências e as significações de Caatinga apresentadas por alunos de uma escola rural no alto sertão sergipano.
  • Orientador : MYRNA FRIEDERICHS LANDIM DE SOUZA
  • Data: 03/04/2013
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • No Ensino de Ciências devem ser discutidas as relações entre cultura e Ciência, permitindo o confronto entre o senso comum e o saber científico, sob a perspectiva de construção de novos significados sobre o ambiente natural, cooperando para uma melhor relação entre a sociedade e natureza e possibilitando também práticas pedagógicas mais integradas ao contexto local. Uma educação que discuta as particularidades locais é uma necessidade da educação do campo posto que as comunidades camponesas são compostas de grupos com história, identidade e temporalidade diversas que não consideradas pelo currículo formal e pelos livros didáticos. Portanto, investigar como o relacionamento com o ambiente local é construído a partir das práticas cotidianas e no ensino de Ciências nas comunidades do campo é importante, pois, desta forma, é possível compreender, desconstruir e reconstruir significações sobre o ambiente. Este estudo busca discutir as relações estabelecidas entre alunos e o ambiente em que vivem a partir de questões culturais e científicas. Para tanto, analisou-se os significados que os alunos e professores de Ciências de uma escola rural em Nossa Senhora da Glória, SE, situada no bioma Caatinga, atribuem ao ambiente local, e como este é abordado em sala de aula, especificamente no ensino de Ciências. Dentre os significados identificados com os dados coletados, de forma geral, os alunos reconhecem que a Caatinga é um ambiente natural biodiverso, com problemas em relação à conservação e que influencia a situação socioeconômica da região. Em relação aos significados de sentido cultural, os estudantes também reconhecem que moram em região de Caatinga, mas não se autoidentificam como caatingueiros, refletindo possivelmente preconceitos em relação ao estereótipo de moradores de áreas de Caatinga que são transmitidos há anos. A pesquisa evidenciou que o conhecimento científico contribui para as significações dos alunos através da influência do livro didático e do professor de Ciências. Quanto ao livro didático, percebeu-se que este apresenta informações superficiais e desatualizadas em relação às pesquisas atuais sobre o bioma, transmitindo mitos já desmentidos pela comunidade científica, o que evidencia a necessidade de atualização destes materiais, como também de investimento em atividades e materiais de divulgação científica e de extensão universitária nas escolas. Em relação ao professor de Ciências, os resultados assemelham-se com os apresentados pelos alunos, possivelmente pelo fato de todos eles residirem no mesmo local, compartilhando do mesmo meio cultural, como também pela influência que as representações dos professores exercem sobre a dos alunos. Na abordagem dos conteúdos nas aulas de Ciências, notou-se uma ênfase em conhecimentos aplicados nos momentos em que a docente contextualiza os conteúdos com o bioma Caatinga, ressaltando a importância do saber cotidiano para a formação dos significados que ela apresentou acerca do bioma Caatinga. Dessa forma, faz-se necessário promover atividades que enfatizem e discutam o conhecimento científico e a sua elaboração como ferramenta para desconstrução de mitos e preconceitos e reconstrução de significados sobre o bioma em questão, além de estimular a criticidade dos estudantes frente ao cotidiano. É importante também promover o diálogo de concepções científicas e cotidianas no intuito de valorizar igualmente as formas de saber e discutir as visões de mundo dos alunos, pois são atividades que também funcionam como um facilitador para ensinar o pensar científico, além de discutir como estes conhecimentos podem contribuir para ações de preservação do bioma.

  • GLADSTON DOS SANTOS
  • REFLEXÕES SOBRE A FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES DE QUÍMICA DO AGRESTE SERGIPANO: CONTRIBUIÇÃOES DAS ATIVIDADES EXPERIMENTAIS
  • Orientador : ELIANA MIDORI SUSSUCHI
  • Data: 26/03/2013
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Os limites na formação de professores estão presentes nas discussões e avaliações de alunos, devido à forma com que os assuntos são abordados nas aulas, tornando-as de difícil compreensão. Isso pode ser ocasionado devido à formação destes professores. Para que ocorra participação do indivíduo na sociedade, é preciso que o professor construa um vínculo ente o conteúdo escolar e o cotidiano do aluno. O estudo da Química deve-se principalmente ao fato de possibilitar ao homem o desenvolvimento de uma visão crítica de mundo tendo condições de perceber e interferir em situações que contribua para sua qualidade de vida. Uma das maneiras que a escola juntamente com o professor pode possibilitar a vivência de situações reais e a visualização de fenômenos é através de Atividades Experimentais, a qual permite que os alunos sintam-se estimulados a frequentarem, a participarem das aulas, realizando assim as atividades em conjunto com o professor, possibilitando desta forma uma participação ativa dos discentes. Sendo assim, este trabalho tem como foco central analisar se os formandos do curso de Licenciatura em Química da Universidade Federal de Sergipe, Campus Professor Alberto Carvalho sentem-se aptos a desenvolver e executar aulas experimentais, nas suas futuras práticas pedagógicas para a educação básica. Os dados obtidos dos questionários foram analisados e tabulados possibilitando a criação de um Grupo Focal que pudesse identificar dados mais concretos sobre as contribuições que a experimentação proporcionou aos graduandos, em seguida foi elaboradas dimensões e categorias. Um importante ponto abordado foi que as atividades experimentais realizadas na Universidade são descontextualizadas e pouco contribuiu na formação desses futuros professores. Desta forma, considera-se importante que haja, na graduação, um momento para discussões e aplicações de atividades experimentais, com cunho para a educação básica.

  • JACQUELINE LIMA DA SILVA
  • ENSINO A DISTÂNCIA E ENSINO PRESENCIAL: UMA ANALÍSE DAS PRINCIPAIS DIFERENÇAS SOCIOECONÔMICAS E DAS CONDIÇÕES DE OFERTA DE CURSO DOS GRADUANDOS EM QUÍMICA LICENCIATURA DA UFS
  • Orientador : JUVENAL CAROLINO DA SILVA FILHO
  • Data: 25/03/2013
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A presente pesquisa tem como objetivo principal levantar características essenciais para se traçar um perfil com aspectos socioeconômicos e formativos dos licenciandos em Química da Universidade Federal de Sergipe (UFS), bem como analisar o conjunto de características inerentes aos alunos do Ensino a Distância (EaD) e do Ensino Presencial (EP). O levantamento de dados foi realizado visando: i) conhecer, por meio de levantamento bibliográfico, as principais características utilizadas no delineamento de um perfil socioeconômico e formativo dos graduandos; ii) identificar e analisar as características levantadas nos dois grupos de alunos (EP e EaD) a fim de se delinear um possível perfil dos graduandos em Química Licenciatura. Para execução deste propósito, foram consultados alunos (dos cursos presencial e a distância), professores que lecionam nas duas modalidades de ensino e tutores (presenciais e a distância). Utilizou-se como instrumento para coleta dados o questionário - em módulos específicos para cada categoria de participantes da pesquisa – aplicado presencialmente e por meio de correio eletrônico. Nos módulos de questionário, procurou-se investigar sobre aspectos sócioeconômicos – idade, sexo, cor, renda mensal, estado civil, etc. – e aspectos referentes à formação acadêmica – dificuldades enfrentadas no decorrer do curso, acesso aos livros de referência e ao material didático, etc. Por meio da análise dos dados, podemos afirmar que quanto as características dos alunos do EP e do EaD no tocante aos aspectos sócioeconômicos, estas diferem em maior intensidade no que se refere a faixa etária de ingresso no curso, quanto ao exercício profissional e quanto a idade atual. Observou-se que os graduandos do EaD apresentam uma maior idade, em relação aos alunos do EP, tanto no momento de ingresso no curso quanto na faixa etária atual e que em sua totalidade exercem uma atividade profissional. Quanto às características formativas, no EaD pode-se perceber a dificuldade no acesso a livros, bem como a falta de participação dos alunos dessa modalidade em grupos de pesquisa, outro destaque reside na baixa disponibilidade de tempo para estudar.

  • LUZIA CRISTINA DE MELO SANTOS GALVÃO
  • SABERES EXPERENCIAIS DOS PROFESSORES DE CIÊNCIAS E BIOLOGIA DO MUNICÍPIO DE ARACAJU: INDICIOS DE CONCEPÇÕES SOBRE A APRENDIZAGEM DOS ALUNOS
  • Orientador : VELEIDA ANAHI DA SILVA
  • Data: 08/03/2013
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A PESQUISA AQUI APRESENTADA TEM COMO OBJETIVO INDENTIFICAR AS CONCEPÇÕES PEDAGÓGICAS DOS PROFESSORES DE CIÊNCIAS E DE BIOLOGÍA, DE DUAS ESCOLAS DA REDE ESTADUAL DE ENSINO NO MUNICIPIO DE ARACAJU SERGIPE,SOBRE A APRENDIZAGEM DO ALUNO. COMO PROBLEMÁTICA TEMOS AS SEGUINTES QUESTÕES:QUAS AS CONCEPÇÕES DOS PREOFESSORES, DE DUAS ESCOLAS DA REDE ESTADUAL DE ENSINO NO MUNCIPIO DE ARACAJU SERGIPE, EM REALAÇÃO ALGUNS PRESSUPOSTOS ( CONHECIMENTOS PRÉVIOS DOS ALUNOS; ATIVIDAES EXPERIMENTAIS; UTILIZAÇÃO DE JOGOS EDUCATIVOS; UTILIZAÇÃO DE RECURSOS AUDIOVISUAIS; PESQUISA DE CONTEÚDOS EM SLA DE AULA;ERROS DOS ALUNOS; PROCESSO AVALIATIVO EM SALA DE AULA) NA APRENDIZAGEM DOALUNO NOENSINO DE CIÊNCIAS E BIOLOGIA? SERÁ QUE OS PROFESSORES ACREDITAM QUE PARA OS ALUNOS APRENDEREM CIÊNCIAS E BIOLOGIA ÉPRECISO ADODTAR ESTES PRESSUPOSTOS NA SUA PRÁTICA PEDAGÓGICA? DESSA FORMA, OSSUJEITOS DA PESQUISA SÃO OS PREFESSORES DE CIÊNCIAS E BIOLOGIA DE DUAS ESCOLAS ESTADUAIS NO MUNICIPIO DE ARACAJU - SERGIPE, TOTALIZANDO OITO PROFESSORES.COMO REFERENCIAS TEÓRIVO, PROCURAMOS ABORDAR OS PRICNCIPAIS TEÓRICOS QUE DISCORRREM TANTO DO PROCESSO DE APRENDIZAGEM DO ALUNO,QUANDO DOS PRESSUPOSTOS ANTERIORMENTE APRENSTADOS, CITANDO AUTORES COMO: VIGOTSKII, LIBÂNEO PERRENOULD, LUCKESI, DENTRE OUTROS.EM RELAÇÃO À NATUREZA E TÉCNICAS DE COLETA DE DADOS, A PESQUISA POSSUI UMA ABORDAGEM QUALITATIVA COM ENFOQUE FENOMENOLÓGICO, UTILIZANDO COMO INSTRUMENTOS DE COLETA DE DADOS ENTREVISTAS, QUESTIONÁRIOS E OBESERVAÇÕES, TENDO COMO APORTES TEÓRICOS AUTORES COMO: GIL (1996), LAVILLE E DIONNE, LEITE (1999) E TRIVIÑOS (1999). OBSERVAMOS QUE OS PROFESSORES TEM CONSCIÊNCIA DA NECESSIDADE DE INOVAR A FORMA QUE DESENOVE SUA AULAS, PELA UTILIZAÇÃO DE TÉCNICAS E MÉTODOS DIFERENTES DOS TRADICIONAIS. CONTUDO, ENCONTRAM ALGUMAS DIFICULDADES, COMO: FALTA DE MATERIAIS,CURTO TEMPO DE AULA ATRBIBUÍDA ÀS DISCIPLINAS, PRINCIPALMENTE A DE BIOLOGIA, FALTA DE APOIO NOMOMENTO DO DESENVOLVIMENTO DE SUAS ATIVIDADES, DESMOVITAÇÃO SALARIAL.

  • LARA MARIA AQUINO GUTERRES
  • POLÍTICAS AMBIENTAIS NO TIMOR LESTE: PERSPECTIVAS PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS
  • Orientador : VELEIDA ANAHI DA SILVA
  • Data: 07/03/2013
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Desde inicio 2003 houve grande discussão entre governo, ONG nacionais e locais, sobre o grande impacto de degradação ambiental que ocorreu no Timor Leste. Tiveram as mesmas preocupações entre eles ao recuperar o ambiente depois de acontecer tantos anos destruição na história passada. Teve uma resolução na concordância que, “a unidade de gestão ambiental e de recursos naturais” com objetivo para encurtar a pobreza do ambiente. Com propor a convenção internacional de Kyoto sobre mudanças climáticas, responsável pela o efeito de estufa, protege a florestal com aumenta o número maior de produção da biodiversidade para assegurar que, a produção de alimento não seja ameaçada, e assim se admitir o desenvolvimento da economia e ambiente sustentável. Além disso, o governo de Timor Leste utilizando a convenção de Viena como uma ferramenta de controle para proteger o ambiente pela destruição da camada de ozônio e o protocolo de Montreal, sobre as substancias que, destroem a camada de ozônio. Com está ferramenta, portanto o governo de Timor Leste criar uma política da gestão do ambiente, para controlar todas as atividades e os espaços da comunidade a não degradar os recursos ambientais, porém conservar e preservar de maneira sustentável para o ambiente e á comunidade agora e para futuro. Comdescobrimento desta política e gestão ambiental, na DNMA e ONG, através da pesquisa, em fim esta pesquisa, responder a questão central: quais são as questões centrais que ocupe o lugar no debate dos textos oficiais do Timor Leste? Tendo objetivo principal de analisar e Identificar a questão que, ocupe o lugar central dos debates nos textos oficiais das políticas públicas ambientais em Timor Leste; Conhecer como as políticas ambientais na escola e na comunidade. Para responder esta, portanto optou-se uma abordagem de qualitativa através de questionamento e entrevista estruturados com os chefes departamentos na DNMA/SEMA, autoridade local e ONG “Haburas”. Alcançado os resultados com a participação máxima e fica evidenciada que, a política e gestão ambiental, aporem na comunidade levam a transformação do conhecimento de comunidade a se relaciona na natureza e desenvolvimento sustentável.

  • LARA MARIA AQUINO GUTERRES
  • POLÍTICAS AMBIENTAIS NO TIMOR LESTE: PERSPECTIVAS PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS
  • Orientador : VELEIDA ANAHI DA SILVA
  • Data: 07/03/2013
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Desde inicio 2003 houve grande discussão entre governo, ONG nacionais e locais, sobre o grande impacto de degradação ambiental que ocorreu no Timor Leste. Tiveram as mesmas preocupações entre eles ao recuperar o ambiente depois de acontecer tantos anos destruição na história passada. Teve uma resolução na concordância que, “a unidade de gestão ambiental e de recursos naturais” com objetivo para encurtar a pobreza do ambiente. Com propor a convenção internacional de Kyoto sobre mudanças climáticas, responsável pela o efeito de estufa, protege a florestal com aumenta o número maior de produção da biodiversidade para assegurar que, a produção de alimento não seja ameaçada, e assim se admitir o desenvolvimento da economia e ambiente sustentável. Além disso, o governo de Timor Leste utilizando a convenção de Viena como uma ferramenta de controle para proteger o ambiente pela destruição da camada de ozônio e o protocolo de Montreal, sobre as substancias que, destroem a camada de ozônio. Com está ferramenta, portanto o governo de Timor Leste criar uma política da gestão do ambiente, para controlar todas as atividades e os espaços da comunidade a não degradar os recursos ambientais, porém conservar e preservar de maneira sustentável para o ambiente e á comunidade agora e para futuro. Comdescobrimento desta política e gestão ambiental, na DNMA e ONG, através da pesquisa, em fim esta pesquisa, responder a questão central: quais são as questões centrais que ocupe o lugar no debate dos textos oficiais do Timor Leste? Tendo objetivo principal de analisar e Identificar a questão que, ocupe o lugar central dos debates nos textos oficiais das políticas públicas ambientais em Timor Leste; Conhecer como as políticas ambientais na escola e na comunidade. Para responder esta, portanto optou-se uma abordagem de qualitativa através de questionamento e entrevista estruturados com os chefes departamentos na DNMA/SEMA, autoridade local e ONG “Haburas”. Alcançado os resultados com a participação máxima e fica evidenciada que, a política e gestão ambiental, aporem na comunidade levam a transformação do conhecimento de comunidade a se relaciona na natureza e desenvolvimento sustentável.

2012
Descrição
  • MICHELY SANTOS ARAUJO
  • ANÁLISE DE INTERAÇÕES PROFESSOR-ALUNO COM ÊNFASE NA AFETIVIDADE EM AULAS DE FÍSICA NO CONTEXTO DA EDUCAÇÃO BÁSICA
  • Orientador : DIOGENES REYES ARDILA
  • Data: 20/06/2012
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A presente pesquisa tem como tema de estudo a analise da interação professor-aluno enfatizando as relações afetivas nas aulas de física de uma turma de 2º ano do ensino médio de um Colégio da rede federal de Sergipe. Buscando identificar os aspectos afetivos que geram oportunidades de aprendizagem. Para tanto, utilizou-se como procedimentos metodológicos a observação das atividades em sala de aula, registradas em um diário de campo e analisadas com base nas categorias postura e conteúdos verbais, questionário de interação com o professor (QTI do inglês Questionnaire on Teacher Interaction) aplicado aos alunos da turma e ao professor, e entrevista semi-estruturada com o professor e seis alunos selecionados de acordo com as medias que possuíam nessa disciplina - boas, intermediarias e ruins [UTF-8?]– cujos dados foram registrados em áudio e vídeo. Na seqüência, os dados foram selecionados e transcritos. A base teórica que embasou o estudo foi à teoria psicogenética de Henri Wallon, a abordagem histórico-cultural de Vygotsky que defendem a reciprocidade e interrelação entre afetividade e inteligência e as teorias contemporâneas de Daniel Goleman e Howard Gardner. A partir das situações analisadas tem-se verificado que os alunos compreendem as interações de proximidade que ocorrem em sala de aula como propiciadoras de aprendizagem.

  • DAIANA ORNELAS FREIRE
  • Atividades práticas no Ensino de Ciências no segundo ciclo da rede municipal de Aracaju/SE
  • Orientador : MYRNA FRIEDERICHS LANDIM DE SOUZA
  • Data: 18/05/2012
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa se insere na discussão sobre o uso do trabalho prático como instrumento no processo de ensino e aprendizagem no ensino de Ciências, pois a utilização deste tipo de metodologia oferece ao aluno a oportunidade de vivenciar o processo de investigação científica, de construção de conceitos e de formulação de hipóteses, contribuindo assim para que haja uma aprendizagem significativa. Assim, esta dissertação teve como problema instigador, analisar a percepção do uso de atividades práticas no ensino de Ciências no segundo ciclo do ensino fundamental em algumas escolas da rede municipal de Aracaju, SE. Para tanto, as atividades práticas foram categorizadas segundo os conceitos de Leite (2001) e Dourado (2001). Foram utilizados como instrumentos de coleta de dados o questionário e a entrevista. Desta forma, a primeira etapa da presente pesquisa consta da aplicação de questionários com 16 professores de Ciências do 6° ano da rede municipal de Aracaju. A análise dos questionários permitiu criar categorias para a seleção dos professores para a segunda etapa de coleta de dados: a entrevista. As entrevistas foram realizadas com cinco professores representantes de três categorias distintas, criadas para abranger diferentes perfis dos docentes. A análise das entrevistas deu indícios de que, apesar das atividades práticas serem percebidas como estratégia metodológica favorável para o processo de ensino e aprendizagem de Ciências, sua realização no cotidiano escolar enfrenta dificuldades constantes.

  • DARIELA SANTOS PASSOS
  • A Educação Algébrica no 8º ano do Ensino Fundamental das escolas públicas de Ribeirópolis/SE: entendimentos dos professores de Matemática
  • Orientador : RITA DE CASSIA PISTOIA MARIANI
  • Data: 15/05/2012
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Nesta pesquisa buscamos investigar os entendimentos dos professores de Matemática das escolas públicas de Ribeirópolis/SE em relação à educação algébrica no 8º ano do Ensino Fundamental. Para tanto adotamos como parâmetro os docentes que ministraram aulas de Matemática nas escolas públicas da rede municipal e estadual de ensino de Ribeirópolis/SE no ano de 2010. No intuito de identificar os encaminhamentos didáticos desses professores identificamos os livros didáticos adotados e fotocopiamos vinte e cinco (25) cadernos de alunos, sendo que a apreciação de tais instrumentos ocorreu por meio dos princípios da análise de conteúdo (BARDIN, 2010). Posteriormente, realizamos entrevistas semiestruturadas com todos os docentes, buscando distinguir alguns entendimentos em relação às dimensões da álgebra e aos registros de representação semiótica mobilizados. Nessa perspectiva, tomamos como sustentação teórica Duval (2003, 2009, 2011), Brasil (1998), Usiskin (1994). Com base nos dados coletados e seguindo os pressupostos da pesquisa qualitativa concluímos que os professores reconhecem que o LD estabelece relação entre conteúdos da Matemática escolar que pertencem ao campo da álgebra e da geometria, mas que nem todos assinalam que tal ação visa aproximar esses dois campos por meio de conversões que contribuem para a apreensão cognitiva do aluno, uma vez que relatam alterar a sequência do LD. Apesar da maioria dos professores apontar conteúdos vinculados exclusivamente à dimensão estrutural (DEt) como elementos imprescindíveis para serem apreendidos no 8º ano do Ensino Fundamental, quatro professores enfatizam quantitativamente mais atividades na dimensão equacional (DEq). A metade dos professores reconhece que a dimensão da aritmética generalizada (DAG) pode contribuir para o trabalho com a dimensão funcional (DFc), desde que sejam evidenciadas as variáveis dependentes e independentes. Ao considerar as transformações semióticas, os sujeitos da pesquisa identificam que atividades de tratamento são mais elementares que as de conversão e que podem ser empregadas tanto na DEq quanto na DEt. No entanto ao analisarmos as transformações propostas nos encaminhamentos didáticos de todos os docentes, independentemente da dimensão privilegiada, observamos que o percentual de atividades envolvendo conversão de registros é superada por tratamento. Os professores reconhecem que os alunos apresentam dificuldades em relação à execução de tratamentos nos registros algébricos e numéricos e frente a essas dificuldades revelam que selecionam atividades mais elementares. Mesmo considerando a importância em empregar o registro geométrico como elemento de apoio para justificar os tratamentos no registro algébrico os professores são categóricos ao afirmarem que os alunos apresentam um maior nível de compreensão quando são utilizadas apenas substituições numéricas. De acordo com os docentes as conversões mais relevantes são aquelas que tomam o registro a língua natural como elemento de partida, pois propiciam o desenvolvimento de capacidades de leitura, interpretação e visualização dos objetos matemáticos. No entanto, a maioria dos professores revela desconhecer que para realizar uma conversão que parte do registro da língua natural torna-se imprescindível mobilizar conceitos inerentes ao registro de chegada, seja ele algébrico, geométrico, gráfico ou figural.

  • JOSE UIBSON PEREIRA MORAES
  • As TIC como facilitadoras da Aprendizagem Significativa no Ensino de Física.
  • Orientador : CELSO JOSE VIANA BARBOSA
  • Data: 14/05/2012
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Partindo da realidade do ensino de física atualmente, e que este ensino em certas ocasiões é alvo de críticas, pensa-se então em como contribuir para a melhoria deste ensino. Com esta motivação busca-se com esta pesquisa compreender como o uso das Tecnologias da Informação e Comunicação pode contribuir na mediação da Aprendizagem Significativa no ensino de física. Para tanto foi usado como suporte teórico a própria Teoria da Aprendizagem Significativa de Ausubel, além da Teoria de Educação de Novak e do modelo de ensino aprendizagem de Gowin. A partir de então foi aplicada a metodologia da pesquisa-ação. A coleta de dados obteve-se a partir de mapas conceituais criados pelos alunos, assim como anotações e gravações em áudio. Para a análise quantitativa dos mapas foi utilizada a pontuação sugerida por Gowin e Alvarez (2005), onde foi gerado um escore de cada mapa. Já para a análise qualitativa utilizou-se os níveis de classificação da Taxonomia de Cañas et al. (2006). A partir destas análises foram observados indícios de aprendizagem significativa atrelada a contribuição das TIC.

  • RAQUEL ROSÁRIO MATOS
  • OS PCN DE MATEMÁTICA NO ENSINO FUNDAMENTAL: UM EXAME SOBRE O PROCESSO DE ELABORAÇÃO E A DIVULGAÇÃO EM SERGIPE
  • Orientador : VERONICA DOS REIS MARIANO SOUZA
  • Data: 14/05/2012
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Neste trabalho é apresentado o resultado de uma pesquisa que teve como objetivo investigar sobre os Parâmetros Curriculares Nacionais – PCN de Matemática, dos dois últimos ciclos do Ensino Fundamental, no período de 1996 a 2008, no que diz respeito ao processo de elaboração e aos cursos realizados, para divulgação dos PCN em Sergipe. Para alcançar tal intento, inicialmente foram efetuadas leituras sobre currículo, a exemplo de Sacristán (1998), Godsson (1995), Veiga Neto (2002) e Silva (2009), cuja finalidade foi procurar compreender em que medida os PCN podem ou não ser categorizados a partir das teorias de e sobre currículo. Foram realizadas entrevistas semiestruturadas, com destaque para a efetuada com Ruy Cesar Pietropaolo, um dos partícipes do processo de elaboração da versão inicial e final dos PCN de Matemática. Documentos escritos como pareceres sob a versão preliminar dos PCN e uma proposta curricular elaborada por sergipanos também foram analisados. E por fim foram tomados como fonte para exame, planejamentos didáticos, ficha de ministrantes, ficha de avaliação e certificados de cursos sobre os PCN pertencentes ao acervo do arquivo do Centro de Qualificação Pessoal “Prof.º Antonio Garcia Filho”. Para compreensão dos dados coletados foram tomados como referente D’Ambrosio (1989), Mendes (2009) sobre as tendências metodológicas e Valente (2007) para o tratamento das fontes. A partir das fontes coletadas e examinadas é possível incluir Sergipe no mapa dos estados que produziram pareceres sobre a versão preliminar dos PCN. E afirmar que, assim como aconteceu em outros estados, em Sergipe havia uma Proposta Curricular de Matemática datada de 1995. E que apesar de na proposta já ser possível identificar temáticas semelhantes às postas nos PCN, a exemplo: da resolução de problema matemático, dos jogos, ainda foi necessário que durante quase uma décadas fossem ministrados cursos envolvendo essas e outras temáticas que ganharam força de orientação prescritiva a partir da publicação dos parâmetros. Por fim, constatou-se que durante a etapa de divulgação de temáticas vinculadas aos PCN, no que diz respeito, por exemplo, à organização dos conteúdos e ao uso de recursos e metodologias, ocorreu um processo de adaptação a partir dos entendimentos que os formadores locais já possuíam em relação às referidas temáticas. Por conta disso, é que, no caso de Sergipe os jogos tenham sido tão destacados nos cursos.

  • ELISÂNGELA DE ANDRADE SANTOS
  • RELAÇÃO ENTRE MONITORES DE UM MUSEU DE CIÊNCIAS COM A TRANSPOSIÇÃO DO CONHECIMENTO CIENTÍFICO: UM ESTUDO DE CASO
  • Orientador : DIVANIZIA DO NASCIMENTO SOUZA
  • Data: 30/04/2012
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O presente trabalho busca analisar de que maneira se processam possíveis relações entre os monitores da Casa de Ciências e Tecnologia da Cidade de Aracaju (CCTECA) e a transposição dos conhecimentos científicos neste espaço de educação informal. Foi escolhido este espaço de educação informal por ser o único existente no Estado de Sergipe. Foram utilizados questionários semi estruturados para um melhor entendimento das ideias do público de estudo. A partir das informações obtidas nos questionários, analisou-se a relação dos monitores com a CCTECA, com os visitantes e com as experimentações. Nas investigações, foram selecionados alguns experimentos específicos para analisar e identificar a relação dos monitores com as transposições dos conhecimentos científicos. Foram realizadas observações e gravações das explicações apresentadas pelos monitores sobre os experimentos; posteriormente, as falas dos monitores foram transcritas para categorização e análises. As transcrições das gravações foram agrupadas a fim de se estudar de que maneira ocorria a transposição dos conteúdos científicos mencionados pelos monitores, como também as relações que tais monitores faziam dos experimentos com o cotidiano. Também foi realizada uma análise das transcrições de dois monitores nas interações com públicos diferentes, a fim de averiguar se havia variações nas transposições dos conhecimentos científicos e nos questionamentos devido os diferentes públicos. Na CCTECA ocorrem exibições de aparatos experimentais destinados à abordagem de temas científicos. Baseado nos resultados das análises das transcrições percebeu-se que os monitores utilizam da transposição dos conhecimentos científicos para públicos variados por meio de métodos reproducionista, sem problematizar o conhecimento científico. Se os monitores aplicassem a mediação eles, por ocuparem um papel central nos museus de ciências, seriam mediadores entre as concepções prévias dos visitantes e o conhecimento científico, facilitando a alfabetização científica.

  • LARISSA DIAS FEITOSA
  • OS LICENCIANDOS EM FÍSICA DA UFS E AS SUAS RELAÇÕES COM O ENSINAR Uma investigação a partir da Teoria da Relação com o Saber
  • Orientador : BERNARD JEAN JACQUES CHARLOT
  • Data: 24/04/2012
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa tem por objetivo investigar a relação dos licenciandos em física com o ensinar. As questões centrais que se buscou compreender foram: qual o sentido de ensinar física? O que motiva a aproximação dos licenciandos com o ensino de física? O referencial teórico adotado para análise foi a Teoria da Relação com o Saber, proposta pelo pesquisador frânces Bernard Charlot (2000, 2001, 2005 e 2009). Procurou-se, também, para fins de análise teórica, realizar o diálogo entre este autor e outros teóricos que abordaram o tema, ainda que esta abordagem não tenha sido direcionada para a educação. Dentre eles destacamos Lacan, Leontiev e Wallon. Além disso, levou-se em conta o que indica Chevallard, que é a importância do contexto institucional ao se pesquisar sobre a relação com o saber ou com saberes específicos, que nesse caso é o ensino de física. Para tanto, foi preciso explorar características da universidade moderna e do ensino universitário de física, através de autores como Borges, Charlot et al, Chauí, Nóvoa, além de alguns dados estatísticos conferidos à licenciatura em física no Brasil. Este trabalho é uma pesquisa quantitativa, na qual foi utilizada como ferramenta metodológica a aplicação de um questionário aberto, com um total de vinte questões. Depois de aplicados nos Campi Itabaiana e São Cristóvão da Universidade Federal de Sergipe, foram retidos para esta análise oitenta e três questionários. Através dos próprios argumentos evocados nas respostas, foi construída uma grade de categorização e, através dela, calcularam-se percentuais para os argumentos mais citados pelos estudantes. Os resultados principais apontam para: a universidade, como instituição, carregada de forte sentido, no tocante à obtenção de saberes para os licenciandos; a escolha pela física como carreira acadêmica originando-se com estabelecimento de relações positivas com a física escolar; o estabelecimento de uma relação positiva com o futuro exercício da docência antes do ingresso na universidade, embora sem evidências de como essa relação se estabelece; o mercado de trabalho como fator mediador entre os licenciandos e a sua escolha pela licenciatura em física; indícios de que a escolha pelo ensinar, em geral, não advém de uma “paixão pelo ensino”; relações com o ensinar permeadas pela relação com os futuros alunos; crença no ensino de física do ensino médio e na profissão docente, apesar dos problemas inerentes à profissão.

  • DEBORA GUIMARÃES CRUZ SANTOS
  • A MATEMÁTICA NA FORMAÇÃO DE PROFESSORAS DOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL: SABERES E PRÁTICAS.
  • Orientador : MARIA BATISTA LIMA
  • Data: 17/04/2012
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Este estudo busca contribuir para uma reflexão sobre os saberes necessários ao Professor que ensina matemática nos anos iniciais do Ensino Fundamental e está inserido na Linha de pesquisa “Currículo, didáticas e métodos de ensino das ciências naturais e matemática do Núcleo de Pós-graduação em Ensino de Ciências Naturais e Matemática - NPGECIMA da Universidade Federal de Sergipe – UFS.

    Com o objetivo de analisar a formação de professoras dos anos iniciais do ensino fundamental formadas na UFS entre 1993 e 2010 no que diz respeito aos componentes ligados à matemática e suas metodologias, relacionando esta formação com o desenvolvimento profissional das mesmas, a pesquisa qualitativa realizada foi um estudo de caso, que se utilizou de técnicas e fontes diversas: análise documental nos arquivos do colegiado do DED/UFS, entrevista a professoras formadoras de matemática do referido departamento e grupo focal com professoras graduadas em pedagogia na UFS no período estudado.

    As análises realizadas foram baseadas nas pesquisas de Nóvoa, Tardif, Perrenoud, Charlot, Curi, DCN de Pedagogia, DCN do EF, LDB e Resoluções do CONEPE/UFS e educadores matemáticos brasileiros, e apontam para o fato de que essa é uma temática para a qual os educadores matemáticos brasileiros vêm voltando a atenção nas últimas décadas, preocupando-se especialmente com os conteúdos de matemática a serem trabalhados nesse nível de ensino, sendo que as pesquisas voltadas para a formação de professores ainda são escassas e que os estudos de matemática e da sua presença no currículo de formação em pedagogia do DED/UFS, vêm apresentando ganhos tanto quantitativos, quanto qualitativos, apesar de se aproximar da realidade nacional identificado pelos estudos de Curi (2004), com maior ênfase no “saber ensinar matemática” que no “saber matemática para ensinar”.

  • DEOCLECIA DE ANDRADE TRINDADE
  • Entendimento (s) sobre o uso da resolução de problemas matemáticos (O caso de professores de Matemática do 6º ao 9º ano da rede municipal de Aracaju/SE)
  • Orientador : IVANETE BATISTA DOS SANTOS
  • Data: 17/04/2012
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Nesta pesquisa o objetivo é analisar se os professores de Matemática da rede municipal de Aracaju compreendem e utilizam a Resolução de Problemas como uma metodologia. Isso porque o uso da Resolução de Problemas em sala de aula pode apresentar significados diferenciados. O primeiro diz respeito quando o professor a utiliza em sala como um recurso para resolução de problemas matemáticos, a partir de “listas de exercícios” ou seleção dos problemas do livro didático. E o segundo é quando o professor considera aspectos metodológicos, e adota como uma orientação, em que o problema é considerado o ponto de partida para o ensino de Matemática. Para cumprir este intento, o uso de diversos tipos de problemas apresentados na coleção de livros didáticos A Conquista da Matemática (2009) de autoria de Geovanni Jr e Castrucci, selecionados pelos docentes no último PNLD em 2011 para o Ensino Fundamental das séries finais, é adotado como elemento de discussão, realizada por meio de uma entrevista semiestruturada com os sujeitos selecionados. Mas, antes de sistematizar e analisar essas informações também foi considerada como fonte de pesquisa dissertações e teses no âmbito da Educação Matemática com intuito de identificar aspectos na produção acadêmica sobre o que consta nas pesquisas que tem a temática Resolução de Problemas no ensino de Matemática, e também sobre os entendimentos apresentados sobre Resolução de Problemas nas investigações. Depois de questionadas e analisadas as fontes, é possível perceber indícios da Resolução de Problemas como Metodologia, mas ao que tudo indica a conduta do professor em sala de aula enfatiza o seu papel de titular do conhecimento e ao aluno, poucos são os momentos em que é permitido pensar por si nas atividades com os problemas. Sendo assim, como suporte teórico nesta pesquisa é adotado entre outros, Chapman (1999), Dante (2005), D’Amore (2007), Pereira (2004), Onuchic (1998, 1999, 2008), Polya (1978).

  • RONE PETERSON OLIVEIRA SANTOS
  • Título: UMA INVESTIGAÇÃO SOBRE AS TENDÊNCIAS METODOLÓGICAS DA EDUCAÇÃO MATEMÁTICA A PARTIR DAS FORMAÇÕES CONTINUADAS (SERGIPE,1988 a 2006)
  • Orientador : IVANETE BATISTA DOS SANTOS
  • Data: 16/04/2012
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Neste trabalho são estudadas as formações continuadas propostas aos professores que ensinam Matemática pela Secretaria de Estado da Educação de Sergipe entre os anos de 1988 a 2008. O objetivo desta investigação é analisar se e como as referidas propostas de formação continuada adotam pressupostos teóricos e metodológicos da Educação Matemática nos anos compreendidos no marco cronológico. Para a realização desta pesquisa foi necessário, inicialmente, a identificação de trabalhos referentes ao tema, sendo que foram encontrados cinco: Souza et al. (1993), Alves (1994a, 1994b, 2009) e Souza e Rocha (2008). Após buscar indícios nesses, foi realizado um mapeamento das formações continuadas que no arquivo do Centro de Qualificação de Pessoal. Neste foram coletados certificados e planejamentos de formações continuadas a partir dos quais foi possível observar conteúdos, terminologias, período de realização das formações e os ministrantes. Com base nesta pesquisa, e em documentos concedidos por formadores que foram entrevistados, destacam-se duas propostas que foram responsáveis pela maioria das formações continuadas no estado: O Núcleo Central de Matemática (1988-1996) e o Programa de Desenvolvimento da Escola (2001-2007).

  • MARCOS DENILSON GUIMARAES
  • HISTÓRIA DA MATEMÁTICA NO ENSINO FUNDAMENTAL; USOS EM SALA DE AULA PELO PROFESSOR DE MATEMÁTICA DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DE ARACAJU
  • Orientador : MARIA CRISTINA MARTINS
  • Data: 16/04/2012
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Nesta pesquisa o objetivo é identificar o se e o como professores de Matemática da rede municipal de ensino de Aracaju/SE fazem uso da história da matemática para abordar conteúdos matemáticos nos anos finais do Ensino Fundamental. Para realizar tal empreitada um primeiro passo foi identificar os sujeitos desta pesquisa. A identificação só foi possível no momento em que cruzei as fontes disponíveis no Arquivo do Departamento de Matemática, que permitiram contar sobre o processo de implantação da disciplina História da Matemática no curso de Licenciatura em Matemática da Universidade Federal de Sergipe (1990-2006), com uma relação nominal cedida por gestores da Secretaria Municipal de Educação/ SEMED que informava sobre os professores que atualmente lecionam nessa rede de ensino. A partir disso, adotei como critério de seleção, os alunos que cursaram a disciplina na UFS e que atualmente trabalham na rede municipal. Além disso, utilizei entrevistas semiestruturadas com alguns dos docentes que foram responsáveis pela regência de História da Matemática durante o marco cronológico da pesquisa, bem como com os docentes da rede municipal de ensino. Como sustentação teórica, é adotado autores como Chervel (1990), Feliciano (2008), Miguel (1997), Miguel e Miorim (2008), Souto (1997), Valente (2007), dentre outros. A partir de um exame, ainda inicial, das informações já coletadas é possível inferir que embora quase todos os professores utilizem a história da matemática no ensino, as formas de abordagem ainda são reduzidas a aspectos relacionados a curiosidades históricas e a conteúdos matemáticos como sistema de numeração e fração.

  • JOSE ROBSON SILVA SANTANA
  • TÍTULO: A MATEMÁTICA E O ENSINO NOTURNO: DESVENDANDO AS RELAÇÕES NA BUSCA PELO SENTIDO DE APRENDER
  • Orientador : VELEIDA ANAHI DA SILVA
  • Data: 21/03/2012
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A educação Matemática apresenta-se através de uma busca incessante de encontrar meios que possibilitem a aprendizagem do aluno. Partir do pressuposto que o sentido de aprender uma disciplina, em específico à Matemática, contribui para consolidar um campo de pesquisa que fomente novas formas de concebê-la, é o intuito deste trabalho. Sendo assim, a fim de analisar o sentido de aprender Matemática para os alunos do período noturno de uma escola de ensino fundamental, esta pesquisa deleita-se num estudo pautado na teoria da Relação com o Saber desenvolvida por Bernard Charlot. Para a sistematização desta pesquisa, foram utilizados como referencial teórico, além de Charlot (2000, 2005), estudos de Silva (2008, 2009), Bachelard (2007), Giordan (2007), Fonseca (2007), Carvalho (2001), Marques (2009), Abdalla (2004), Lorenzato (2010) e outros. Trata-se de um estudo de caso, com abordagens quantitativas e qualitativas, que utiliza como instrumento de coleta de dados questionários e entrevistas semi-estruturadas. Nesta pesquisa, encontram-se questões referentes às relações com o ensino noturno e a Matemática quando busca o aprender. Os dados mostram que os jovens adentram a escola noturna como consequência das atividades do diurno, contudo, apresentam relação satisfatória com o turno e com a escola. Os sujeitos observam a escola como uma instituição que proporciona a ascensão social, a aprendizagem, a socialização e o entretenimento. As relações com a Matemática são aceitáveis e prazerosas, consideram uma disciplina importante, porém, refere-se à Matemática elementar, colocando pouca relação com a parte abstrata. Além disso, os dados afirmam que se deve aprender Matemática, enquanto disciplina necessária para o futuro.

  • MÁRCIO BATISTA SANTOS
  • PROCESSOS DE COMUNICAÇÃO DA DISCIPLINA CÁLCULO I DO CURSO DE LICENCIATURA EM MATEMÁTICA NA MODALIDADE A DISTÂNCIA DO CESAD/UFS/UAB.
  • Orientador : SAMISIA MARIA FERNANDES MACHADO
  • Data: 19/03/2012
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Esta dissertação decorre da análise dos processos de comunicação estabelecidos na disciplina Cálculo Diferencial e Integral I do curso de licenciatura em matemática do Centro de Estudos Superior a Distância da Universidade Federal de Sergipe, instituição parceira do programa Universidade Aberta do Brasil. Trata-se uma abordagem qualitativa de pesquisa, estudo de caso, com a utilização de elementos de natureza etnográfica. Os sujeitos foram os alunos, tutores e professor coordenador de disciplina vinculado a disciplina Cálculo I no período letivo 2010/2 da referida instituição. A investigação centrou-se no seguinte problema: de que maneira foram estabelecidos os processos de comunicação entre o grupo aluno-tutor- professor coordenador de disciplina no contexto da disciplina Cálculo I e como isso interferiu no processo de ensino-aprendizagem deste grupo. Buscou-se construir um embate de idéias a partir dos estudos de Vygotsky (1991, 1996), Morin (2005, 2009, 2010) e Peters (2003, 2004) no que concerne comunicação e as inter-relações com o ensino-aprendizagem. Diante dos aspectos analisados o estudo apontou que os processos de comunicação entre os sujeitos ocorreram de forma pontual, sendo que no caso de aluno-tutor ocorreu por meio de mensagens individuais. Os orientações foram articuladas a partir de linguagem exclusivamente escrita, sendo possível constatar que parte das dificuldades no que concerne a aprendizagem de conteúdos estava relacionada às dificuldades apresentadas no deslocamento de um ensino-aprendizagem desenvolvido a partir de linguagem oralizada para um outro calcado em linguagem predominantemente escrita. Em decorrência desse fato, alguns alunos recorreram a professores particulares não vinculados ao programa Universidade Aberta do Brasil. Outro ponto que vale destacar é que a eficiência em relação aos processos de comunicação estabelecidos entre alunos-tutores-professor coordenador de disciplina perpassam as responsabilidades dos sujeitos envolvidos e adentra os limites das incumbências de uma série de profissionais que os assessoraram.

  • WEVÉRTON SANTOS DE JESUS
  • SER PROFESSOR: REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DE GRADUANDOS DE QUÍMICA, FÍSICA E CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DO CAMPUS PROF. ALBERTO CARVALHO.
  • Orientador : ALICE ALEXANDRE PAGAN
  • Data: 30/01/2012
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • .

2011
Descrição
  • RAFAEL MATIAS DE MOURA