A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente
Dissertações/Teses

Clique aqui para acessar os arquivos diretamente da Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da UFS

2024
Descrição
  • CINDY SOUZA ALVES
  • CONSTRUÇÃO DE UM ALGORITMO PARA O MANEJO DA PRÉ-ECLÂMPSIA NA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE
  • Orientador : GLEBSON MOURA SILVA
  • Data: 29/02/2024
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: A pré-eclâmpsia é uma das classificações da Síndrome Hipertensiva Específica da Gravidez caracterizada pelo aumento da pressão arterial, acompanhada de proteinúria a partir da 20ª semana gestacional, além de ser a primeira causa de morte materna no Brasil neste período. OBJETIVO: construir um algoritmo para avaliar o manejo da pré-eclâmpsia na Atenção Primária à Saúde. Trata-se de um estudo metodológico com abordagem mista que será realizada em duas etapas: levantamento do conhecimento existente sobre PE por meio de uma revisão escopo; construção de um algoritmo educativo de aprendizado baseado no levantamento realizado na etapa anterior. METODOLOGIA: O trabalho foi desenvolvido de acordo com as recomendações do Joanna Briggs Institute (JBI) para Scoping Review e do Checklist PRISMA-ScR. A seleção dos estudos contou com dois revisores trabalhando de forma independente através do software de gestão Rayyan-Intelligent Systematic Review. Foram utilizadas as seguintes bases de dados eletrônicas: Medline via PubMed, BVS, EMBASE, SCOPUS. Para literatura cinzenta buscou-se no Catálogo de Teses e Dissertações da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) como forma de padronizar a coleta nessas bases. Foram identificadas total de 696 artigos, mediante triagem e remoção de duplicatas, apenas 18 artigos foram selecionados para estudo. Com recorte temporal ilimitado. Para construção do algoritmo o conteúdo se firmou nas normativas do Manual de gestação de alto risco 2023 e na FEBRASGO. RESULTADOS: Dos estudos selecionados dez frisam a fragilidades dos profissionais da área da saúde sobre a definição da pré-eclâmpsia (PE), suas possíveis complicações e como referenciar essas gestantes na decorrência da suspeita da patologia. A construção de novos protocolos, tecnologias educacionais como fluxogramas e algoritmos e programas para detecção precoce da patologia são estratégias importantes para redução dos índices. CONCLUSÃO: O desenvolvimento do algoritmo visa estimular e despertar nos enfermeiros a importância do monitoramento eficaz e eficiente através das consultas de enfermagem, principalmente no que se refere à detecção precoce e o manejo da PE na APS.

  • LAYANE ESTEFANY SIQUEIRA DOS SANTOS
  • EFICÁCIA DA AURICULOTERAPIA NO TRATAMENTO DA ANSIEDADE: UMA REVISÃO SISTEMÁTICA
  • Orientador : LEONARDO YUNG DOS SANTOS MACIEL
  • Data: 28/02/2024
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Os transtornos de ansiedade têm se tornado cada vez mais comuns na vida das pessoas. Algumas práticas integrativas e complementares têm sido realizadas para superar esses estados emocionais alterados e, dentre essas práticas, a auriculoterapia tem se destacado, com resultados positivos no tratamento de diversos distúrbios psicossomáticos. Objetivo: Analisar a eficácia da auriculoterapia com sementes e agulhas quando comparada com placebo ou nenhum tratamento na redução dos sintomas de ansiedade em adultos. Métodos: Esta revisão seguiu a declaração PRISMA (Preferred Reporting Items for Systematic Reviews and Meta-Analyses) e o Cochrane Handbook for Systematic Reviews of Interventions. A estratégia de pesquisa foi efectuada nas seguintes bases de dados: Pubmed/Medline, Embase, CINAHL, Scopus, Web of Science, Lilacs, PEDro e Biblioteca Cochrane, utilizando termos como "Acupuncture, Ear"; "Auriculotherapy"; "Anxiety; "Anxiety Disorders; "Clinical Trial", para filtrar estudos publicados em todos os idiomas até novembro de 2022. O desfecho primário foi sintomas de ansiedade. Resultados: Dois autores, de forma independente, selecionaram e analisaram os estudos utilizando o software Rayyan, bem como a extração de dados, que foi feita por meio de um formulário pré-estruturado.As discordâncias durante o processo foram resolvidas por consenso e por um terceiro autor especializado em acupuntura. A ferramenta Physiotherapy Evidence Database (PEdro) foi utilizada para analisar o risco de viés. A qualidade geral da evidência será avaliada pelo Grades of Recommendation, Assessment, Development, and Evaluation (GRADE). O software Cochrane Review Manager (RevMan 5.3) será utilizado para a análise estatística. Um total de 1.382 estudos foram identificados nas bases de dados.Destes, 20 estudos foram incluídos na revisão, estudos que utilizaram a auriculoterapia com sementes e agulhas para reduzir a ansiedade em adultos. Destes, apenas 1 estudo não apresentou diferença significativa em nenhum estado (F = 0,243, p = 0,701) ou traço de ansiedade (x2 = 27,220, p = 0,335), em relação à redução da ansiedade.As evidências científicas indicam que existem poucos estudos que avaliam a eficácia do uso da auriculoterapia na redução da ansiedade em adultos, sem restringir o tipo de ansiedade e a classe social/profissional a ser estudada e sem limitar o tempo de publicação.Consequentemente, esta revisão sistemática e meta-análise procurou responder à questão de investigação:"A auriculoterapia com sementes e agulhas é mais eficaz do que a auriculoterapia com placebo/ham ou nenhuma intervenção no alívio dos sintomas de ansiedade em adultos?"

  • JUSSIANA PENHA DA SILVA ALMEIDA
  • PROPOSTA DE MODELO DE NEGÓCIO NA ÁREA DA SAÚDE UTILIZANDO LEAN STARTUP
  • Orientador : ELIANA OFELIA LLAPA RODRIGUEZ
  • Data: 28/02/2024
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Lean Startup é um método de gestão e desenvolvimento de negócios que busca transformar uma ideia em um produto. Utiliza ciclos curtos de avaliação, o chamado ciclo Construir-Medir-Aprender, para rejeitar ideias inexequíveis e aprender de forma rápida sobre as necessidades e problemas de potenciais clientes. Emprega diferentes ferramentas com a finalidade de desenvolver e entregar um Produto Mínimo Viável (MVP), a versão simplificada do produto que visa testar e validar as hipóteses do estudo de forma tangível. Objetivo: Propor um Produto Mínimo Viável para apresentar um modelo de negócios, utilizando a metodologia Lean Startup, com foco no controle e prevenção de doenças infecciosas e parasitárias para crianças de 4 a 6 anos. Método: Estudo metodológico delineado em três das quatro fases: fase 1 – identificação de hipóteses, fase 2 – testagem das hipóteses de problema; e, fase 3 – testagem das hipóteses de solução. Destaca-se que a fase 4 será realizada em pesquisa posterior por se tratar de um projeto guarda-chuva. O local do estudo foi definido e previamente ajustado em acordo com a população alvo participante. A coleta de dados foi realizada conforme as fases, na fase 1 foi realizada revisão bibliográfica com levantamento de dados para subsidiar a formulação de hipóteses problema, na fase 2 foram realizadas entrevistas semiestruturadas no período de julho a agosto de 2023, com 60 tutores de crianças de 4 a 6 anos, que aceitaram participar da pesquisa, na fase 3 uma revisão bibliográfica foi base para descrição de cenário para criação de um MVP de uma tecnologia educacional. Para análise de dados produzidos na fase 1 e 2 foi utilizada estatística descritiva e analítica, com uso do teste de Fisher, por meio do software Jamovi (versão 2.2) e considerado o nível de significância de 5%, para fase 3 foi empregada a análise descritiva. Os instrumentos utilizados na fase 1 foram Lean Canvas e o Business Model Canvas, na fase 2 um guia de entrevista da solução adaptado e, na fase 3 um formulário estruturado para descrição de dois cenários. Resultados: Na fase 1 foram apresentadas as hipóteses problema no Lean Canvas e o modelo de negócio proposto delineado na ferramenta Business Model Canvas, na fase 2, a entrevista, o 51.7 % dos participantes mencionaram que o(a) filho(a) adoeceu entre quatro a oito vezes por ano. Os participantes foram questionados quanto ao grau de importância para solução dos três problemas levantados, com opções de resposta: muito importante, importante ou pouco importante de serem solucionados. Os participantes indicaram que as três hipótese foram consideradas como muito Importantes, com porcentagem de 70% para a hipótese: “há adoecimento recorrente por doenças infecciosas na faixa etária 4 a 6 anos” e 80% para cada uma das hipóteses: “a baixa adesão a medidas de higiene gera doenças infecciosas e parasitárias” e “considera a higienização das mãos com um hábito essencial importante e pouco utilizado para manutenção da saúde na população brasileira . Na fase 3 foi apresentado a proposta de um MVP, o qual se refere a um jogo educativo mobile para crianças focando no incentivo de hábitos saudáveis, especificamente em dois contextos: higiene das mãos e etiqueta respiratória, ambos cenários para prevenção e controle de infecções em crianças. Conclusões: Apresentou-se uma proposta de um MPV com base em um modelo de negócio, focando no controle e prevenção de doenças infecciosas. Em tempo foram descritas as três fases, seguindo a metodologia Lean, para seu desenvolvimento.

  • RAVENNA DA SILVA CABRAL
  • Práticas integrativas e complementares no âmbito da enfermagem: a formação profissional na Região Nordeste do Brasil.
  • Orientador : ANDREIA FREIRE DE MENEZES
  • Data: 27/02/2024
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Objetivo: Analisar a formação profissional de enfermeiros(as) especialistas em práticas integrativas e complementares em saúde na Região Nordeste do Brasil. Método: Trata-se de um estudo de métodos mistos de abordagem quantitativa e qualitativa, realizado com enfermeiros do nordeste. A coleta de dados foi realizada em duas etapas, por meio de dois instrumentos, um questionário virtual e um roteiro de entrevista. A análise dos dados quantitativos foi realizada pelo software Statistical Package for the Social Sciences (SPSS) versão 20.0. E os dados qualitativos foram analisados pela análise de conteúdo de Bardin. Resultados: Participaram da pesquisa 151 enfermeiros da região nordeste, dentre estes, 68 (45,0%) apresentaram formação em PICS dos quais, 15 participaram de entrevistas e narrativas. Houve predominou o sexo feminino 55 (81,0%), solteiro(a) 27 (40,0%), pardo 34 (50,0%), católicos 32 (47,0%). Quanto a situação de trabalho, 42 (58,0%) era prestador de serviços por contrato, 46 (66,0%) possuíam vínculo público. O local de atuação que se destacou foi a Atenção Básica com 20 (25,0%). Os Estados que mais possuíam enfermeiros na área foram: Sergipe com 21 (31,0 %), seguido da Bahia com 18 (26%) e Rio Grande do Norte com 10 (15%). As PICS mais predominantes foram: auriculoterapia 42 (15,90%), seguido de reike 24 (9,09%) e ventosaterapia 22 (8,33%). Em relação a especialização, 60 (88,0%) possuíam pós graduação e especialização/residência foi a mais mencionada 37 (55,0%), seguido do mestrado acadêmico e profissional com 13 (19,0%). Apenas 13 (16,0 %) possuíam especialização em PICS. Conclusão: Os enfermeiros do nordeste especialistas em PICS possuem perfil predominante do sexo feminino, entre 35 a 45. Sergipe foi o estado com maior número de profissionais seguido da Bahia. A atenção básica destacou-se como lugar de oferta e a maior formação dos enfermeiros foi a auriculoterapia. A maioria dos profissionais possuíam pós-graduação e um pequeno quantitativo eram especialistas em PICS. Este estudo ressaltou a necessidade de uma maior formação dos enfermeiros na PICS, com o intuito de ampliar o quadro de profissionais nesta área e por conseguinte melhorar a qualidade da assistência prestada, com um cuidado integral e humanizado independente de sua área de atuação.

  • NAYARA DOS SANTOS
  • BABAÇU E NEFROPATIA INDUZIDA POR CONTRASTE NO MODELO EXPERIMENTAL DE FATOR DE RISCO ISQUEMIA REPERFUSÃO
  • Data: 26/02/2024
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A nefropatia induzida por contraste (NIC) tem se caracterizado por uma complicação iatrogênica. É a terceira causa de LRA intra-hospitalar, visto a ampla utilização dos meios de contraste para intervenções e diagnósticos. Objetivo: Avaliar o efeito do Attalea speciosa (Babaçu) na NIC em modelo de fator de risco pré-clínico de isquemia reperfusão. Métodos: Foram utilizados 43 ratos da raça Wistar, randomizados nos seguintes grupos experimentais: a) SHAM; b) SHAM + babaçu (BBC): dose- 60 mg/kg via oral; c) SHAM + contraste (CN): 6 ml/kg, via intraperitoneal; d) Isquemia (ISQ); e) ISQ + BBC; f) ISQ + CN; g) ISQ + CN + BBC. Os parâmetros fisiológicos como peso, ingestão de ração e água, razão peso do rim e peso do animal; função renal (clearance de creatinina, proteinúria e uréia) e perfil oxidativo (peróxidos, TBARS e NO urinários), foram avaliados e seus resultados expressos em média ± desvio padrão. A variância entre os grupos foi analisada por meio do teste One Way ANOVA, seguida do pós-teste de comparações múltiplas de Tukey do programa estatístico Graph-Pad Prism version-8 for Windows®. foram considerados significativos os valores de p < 0,05. Resultados: Houve redução no peso corporal dos animais submetidos a isquemia e um aumento na ingestão de água e maior volume urinário no grupo isquemia mais contraste iodado (p<0,05). A creatinina urinária apresentou diminuição nos grupos isquemia sendo inversamente proporcional a creatinina plasmática, a qual apresentou elevação significativa no grupo isquemia e contraste. Houve redução significativa no clearance de creatinina (p<0,05), demonstrando o impacto do contraste iodado associado a isquemia. A proteinúria não revelou alterações e a uréia foi significativa maior no grupo isquemia com contraste. O Babaçu reverteu esses parâmetros (p<0,05). O estresse oxidativo foi elevado em todos os parâmetros avaliados (Peróxidos, TBARS e NO urinários) no grupo isquemia que recebeu o contraste iodado. O pré-tratamento com o Babaçu diminuiu a oxidação (p<0,05). Conclusão: O presente estudo revelou a ação nefroprotetora do Babaçu frente a NIC associada ao fator de risco isquemia-reperfusão. Estudos experimentais pré-clínicos têm demonstrado a importância da inovação terapêutica por meio da fauna e flora do Brasil. Portanto, o resultado desta pesquisa poderá subsidiar novas práticas assistenciais orientadas para a segurança e melhoria da saúde da população.

  • THIAGO DE JESUS SANTOS
  • Dinâmica da transmissão de Chikungunya no Brasil e associação com indicadores de vulnerabilidade social.
  • Orientador : ALLAN DANTAS DOS SANTOS
  • Data: 23/02/2024
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Os arbovírus apresentam um grande desafio para a saúde pública em escala global. No Brasil, as epidemias de Chikungunya têm sido recorrentes desde a introdução do vírus no país em 2014. Fatores ambientais, sociais, econômicos e políticos influenciam na dinâmica de transmissão e surgimento de epidemia. O uso de tecnologias avançadas, como geoprocessamento e análise espacial, desempenha um papel crucial na identificação das áreas de risco para a incidência da doença e no planejamento de estratégias de vigilância e a implementação de ações de controle. Objetivo: Analisar a dinâmica espacial e temporal da incidência da Chikungunya e a associação com os indicadores de vulnerabilidade social no Brasil. Materiais e Método: Estudo ecológico, exploratório e analítico, que foi conduzido no Brasil. Foram utilizados os registros dos casos notificados e confirmados por critério clínico e clínico-epidemiológico de Chikungunya entre os anos de 2017 a 2023 obtidos no Sistema de Informação de Agravos de Notificação. Os dados referentes aos indicadores de vulnerabilidade social foram coletados na plataforma oficial do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento e do Atlas de Vulnerabilidade Social. A análise dos dados ocorreu em etapas: 1) caracterização do perfil epidemiológico da incidência de Chikungunya; 2) previsão de novos casos e uma série temporal interrompida usando modelo autorregressivo de médias móveis (ARIMA) considerando a pandemia de Covid-19; 3) tendências temporais usando o modelo de regressão de Prais-Winsten e determinação da variação percentual anual; 4) distribuição espacial usando a método bayesiano empírico local, índice global e local de Moran; e 5) associação entre os indicadores de vulnerabilidade social e a incidência da Chikungunya aplicando a regressão espacial global e a regressão geograficamente ponderada multiescala. Resultados: As análises mostraram o total de 487.775 casos de Chikungunya diagnosticados no Brasil entre 2017 a 2023 com incidência de 232,1/100 mil habitantes, com maior incidência na região nordeste (58,8/100 mil habitantes). A série temporal demonstrou o impacto da sazonalidade na incidência da doença com média de 2.000 casos mensal/ano. Com a pandemia de Covid-19 em 2020, a série temporal interrompida demonstrou redução da notificação. No primeiro modelo ARIMA, não foi possível a previsão de novos casos. No segundo modelo, foi observado que sem a influência da pandemia, haveria aumento dos casos. A tendência temporal demonstrou que em 2017, a incidência aumentou 1,90% e houve tendência decrescente no período de 2020 a 2021 com redução de -0,93% dos casos. A distribuição espacial demonstrou heterogeneidade e autocorrelação espacial positiva (I: 0,71 ; p <0,001). As áreas de maior risco se concentraram na região nordeste. O componente espacial demonstrou impacto na determinação dos fatores associados com a incidência de Chikungunya no Brasil, sendo o modelo spatial lag o melhor ajustado (R²: 0,65 ; p <0,001). Os indicadores associados foram: o índice de vulnerabilidade social (R: -1,28 ; p=0,003), IVS renda e trabalho (R: 1,93 ; p=<0,001), porcentagem de pessoas em domicílios com abastecimento de água e esgotamento sanitário inadequados (R: 0,80 ; p=0,002), porcentagem de pessoas de 15 a 24 anos que não estudam, não trabalham e possuem renda domiciliar per capita igual ou inferior a meio salário mínimo (R: 0,16 ; p=0,003), porcentagem de pessoas que vivem em domicílios com renda per capita inferior a meio salário mínimo e que gastam mais de uma hora até o trabalho (R: 0,94 ; p <0,001), porcentagem da população em domicílios com densidade > 2 (R: 0,58 ; p <0,001). A regressão local apontou para a região nordeste os maiores valores de associação (t: 0,45 ; p <0,001), sendo a porcentagem de pessoas em domicílios com abastecimento de água e esgotamento sanitário inadequados (R: 0,80 ; p=0,002) e porcentagem da população em domicílios com densidade > 2 (R: 0,58 ; p <0,001) os fatores mais impactantes. Conclusão: O estudo permitiu uma análise integrada da dinâmica de transmissão de Chikungunya no Brasil e os fatores associados. A integração de tecnologias e análises multifacetadas permitem o mapeamento de áreas de risco e evidências para a elaboração de estratégias de saúde pública.

  • JESSICA LANE CABRAL SOARES
  • INTERFERÊNCIA NA QUALIDADE DO SONO E HUMOR POR FATORES PSICOLÓGICOS EM PROFISSIONAIS DA ENFERMAGEM.
  • Orientador : JUSSIELY CUNHA OLIVEIRA
  • Data: 21/02/2024
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Os profissionais de enfermagem constituem o maior grupo de trabalhadores em atividade. Com jornadas extenuantes de trabalho, e pouco tempo de descanso semanal, esses profissionais podem sofrer com exaustão física e mental, afetando a atenção, a agilidade e por vezes gerando esquecimentos que podem comprometer significativamente a qualidade da assistência prestada aos pacientes. Objetivo: Avaliar a interferência da ansiedade, depressão e/ou Síndrome de Burnout, na qualidade do sono e humor nos profissionais de enfermagem que atuam no eixo crítico. Método: Estudo transversal, com abordagem descritiva e quantitativa, realizado através de pesquisa de campo, com enfermeiros e técnicos de enfermagem atuantes no eixo crítico da saúde, em dois hospitais situados no estado de Sergipe, Brasil, durante o período de abril a junho do ano de 2023. Foram utilizados questionários e escalas autoaplicáveis que investigaram dados sociodemográficos, ocupacionais, comportamentais, a Escala de Maslach Burnout Inventory, a Escala de Qualidade do Sono de Pittsburgh, a Escala Multidimensional do Sentido Humor, e a Hospital Anxiety and Depression Scale. Os dados foram analisados através de uma variedade de métodos estatísticos, incluindo teste de Mann-Whitney, Teste Qui-Quadrado de Pearson, Teste Exato de Fisher e medidas descritivas como mediana, intervalo interquartil, frequência absoluta e percentuais. Foi considerado o nível de significância de 5%. Resultados: A pesquisa contou com a participação de 243 voluntários, predominantemente técnicos de enfermagem (77, 8%), do sexo feminino (83,1%), com idade média de 40 anos e de cor parda (60,2%). A maioria convivia com companheiro(a) (42,6%), tinha especialização (29,6%) e mais de 10 anos de experiência (62,2%). Em termos ocupacionais, mais da metade eram concursados (52,7%), com múltiplos vínculos (57,5%), recebendo mais de 3 salários mínimos (29,6%). A maioria (54,5%) atuava em turnos noturnos com uma carga horária semanal mediana de 36 horas. Aproximadamente 70%reportaram uma qualidade de sono ruim, com uma associação significativa entre transtornos de ansiedade (p= 0,004), carga horária de trabalho rígida (p=0,002), pressão no trabalho (p<0,00), insatisfação com emprego e com salário (p=0,001 e p=0,009, respectivamente), e falta de atividades de lazer (p<0,01). A síndrome de Burnout foi um fator crítico, aumentando as chances de pior qualidade de sono em 2,14 vezes (p= 0,046). A ansiedade mostrou uma relação inversa com a qualidade do sono (p<0,001), enquanto a depressão não teve interferência significativa (p>0,05). Referente ao padrão de humor, o uso de hipoglicemiantes e polivitamínicos interferiram negativamente (p=0,021 e p=0,02, respectivamente), assim como o Burnout, que apresentou uma diminuição de 3 pontos na escala de MSH indicando pior humor (p=0,049). Conclusão: Os resultados destacam que a qualidade do sono e o humor dos profissionais de enfermagem do eixo crítico sofreram interferência em seu padrão por fatores como transtornos de ansiedade, carga horária rígida, pressão no trabalho, e uso de determinados medicamentos. A síndrome de Burnout também interferiu como um elemento crítico, prejudicando tanto o sono quanto o humor. Estes achados sublinham a urgência de políticas que melhorem as condições de trabalho e saúde mental desses profissionais, visando a promoção de um ambiente de trabalho saudável e eficiente.

  • SILVIA MAYLA SANTOS DE SANTANA
  • PREDITORES DE MORTALIDADE HOSPITALAR APÓS ACIDENTE VASCULAR CEREBRAL
  • Orientador : RITA DE CASSIA ALMEIDA VIEIRA
  • Data: 09/02/2024
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O Acidente Vascular Cerebral (AVC) é a patologia neurológica mais prevalente no Brasil e no mundo. É definido pelo acometimento focal na circulação sanguínea cerebral, provocando alterações sensoriais, motoras e cognitivas. O AVC isquêmico (AVCi) é o tipo mais prevalente, caracterizado pela interrupção do fluxo sanguíneo devido a uma obstrução do vaso, resultando na formação de áreas isquêmicas no cérebro e, consequentemente, em repercussões clínicas temporárias ou permanentes. Objetivo: Avaliar os fatores de risco para a mortalidade hospitalar em pacientes após o AVCi. Método: Trata-se de um estudo de coorte prospectivo, que incluiu pacientes com diagnóstico primário de AVCi e foram admitidos em até 24 horas do início dos seus sintomas, com a tomografia de crânio como parâmetro radiológico para o diagnóstico. Os dados foram coletados por uma equipe de coletadores treinados, realizando busca ativa dos pacientes desde a admissão até a alta hospitalar. As variáveis sociodemográficas, clínicas, histórico prévio, gravidade, complicações, internação e desfecho foram analisadas por uma variedade de métodosestatísticos, incluindo teste de Mann-Whitney, Teste Qui-Quadrado de Pearson, Teste Exato de Fisher. Além dos modelos de regressão de Poisson para avaliação das relações específicas e multivariadas entre variáveis. Resultados: A pesquisa incluiu 91 pacientes, sendo 53% do sexo feminino e 47% do sexo masculino, com média de idade de 65 (dp=13,9) anos. Quanto aos tipos de AVCi e suas complicações, destacou-se o AVCi sem outras alterações (84,6%), seguido pelos AVCs extensos ou malignos (9,9%) e, por último, os AVC com transformação hemorrágica (5,5%). Em relação à terapia de reperfusão, o estudo mostrou que 22% dos pacientes foram submetidos à trombólise endovenosa, sendo que 44,8% chegaram dentro das quatro horas e 30 minutos do ictus. Sobre complicações e desfechos durante a internação, 73,6% tiveram alta hospitalar e 25,3% foram a óbito na unidade hospitalar. Os pacientes com maiores chances de evoluir ao óbito hospitalar foram os que apresentaram AVCi maligno ou extenso (RC = 42, p < 0,001), pacientes com RNC (RC = 4,89, p = 0,008), ausência de fotorreação pupilar bilateral (RC = 5,90, p = 0,009), uso de anticoagulantes (RC = 6,84, p = 0,005), infecção respiratória (RC = 8,85, p = 0,017), elevação dos níveis de PCR (RC = 248, p < 0,001), a necessidade de UTI (RC = 25,39, p < 0,001), ventilação mecânica (RC = 138, p < 0,001), uso de bloqueadores neuromuscular (RC = 12,59, p = 0,033). Ademais, pacientes com ASPECTS entre 0 e 5 e NIHSS maior que 16 apresentam uma razão de chances significativamente maior de evoluir para óbito hospitalar. Conclusão:Pacientes mais graves, com maior acometimento cerebral e pelo menos uma complicação durante a internação hospitalar tiveram mais risco de evoluir ao óbito. A distância não teve influência significativa na mortalidade dos pacientes com AVCi e não chegar em janela ou não realizar a trombólise não foram fatores de risco para óbito.

  • ILZE MARIANE OLIVEIRA MATOS
  • Tendência e incidência de sífilis congênita, gestacional e indicadores do Previne Brasil no município de Aracaju, Sergipe, Brasil
  • Orientador : JOSE ANTONIO BARRETO ALVES FAKHOURI
  • Data: 05/02/2024
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A sífilis é uma infecção sexualmente transmissível (IST) causada pela bactéria Treponema pallidum e que, apesar de ser facilmente diagnosticada e possuir um tratamento de baixo custo, perdura como um importante problema de Saúde Pública, sendo responsável por elevadas taxas de mortalidade, sendo a sua erradicação uma preocupação global. A Atenção Primária em Saúde (APS) é considerada a principal e mais adequada forma de acesso da população ao sistema de saúde. O novo modelo de financiamento federal, o programa Previne Brasil (PB) incorpora novas formas de repasse. Um dos componentes é o Pagamento por Desempenho, levando em consideração a relevância clínica e epidemiológica das condições de saúde ainda prevalentes no Brasil e destacando metas a serem atendidas para melhoria do acesso populacional e qualidade na assistência prestada. Com ênfase nos indicadores: Proporção de gestantes com realização de exame para sífilis e HIV e Proporção de gestante com realização de pré-natal. Desta forma questiona-se: Houve alguma influência do novo modelo de financiamento da atenção básica nas taxas de transmissão vertical de sífilis no município de Aracaju? Objetivo: Analisar a tendência temporal e o mapeamento da incidência de sífilis congênita e gestacional e os indicadores de desempenho do Previne Brasil relacionados ao pré-natal em Aracaju-SE. Método: Trata-se de um estudo ecológico, exploratório, de série temporal e abordagem quantitativa, realizado município de Aracaju, com coleta de dados retrospectivos através dos relatórios de indicadores de desempenho sob guarda da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Aracaju SE, nos anos de 2020 2022 e dados secundários de acesso público, disponíveis no Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (DATASUS), referentes aos casos de sífilis congênita e gestacional. Resultado: Observado uma predominância dos casos de sífilis gestacional nas seguintes variáveis (faixa etária de 20-39 anos, diagnóstico no terceiro trimestre e parceria sexual sem realizar tratamento. Houve um aumento expressivo nos casos de sífilis congênita a partir de 2018. Conclusão: A tendência temporal dos casos de sífilis congênita e gestacional evidenciou um padrão crescente. Em relação ao Previne Brasil, especificamente ao componente de pagamento por desempenho, nota-se dificuldade em atingir o parâmetro estabelecido nacionalmente, obtendo sucesso apenas após revisão e diminuição da meta.

  • BEATRIZ CARVALHO FERREIRA
  • ANÁLISE DOS INDICADORES DE DESEMPENHO DA ATENÇÃO PRIMÁRIA EM SAÚDE NO MUNICÍPIO DE ARACAJU, SERGIPE
  • Orientador : JOSE ANTONIO BARRETO ALVES FAKHOURI
  • Data: 05/02/2024
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O Acesso aos serviços de saúde ofertados pela Rede de Saúde integra o Princípio da Universalidade do Sistema Único de Saúde e a Atenção Primária à Saúde é considerada a principal porta de entrada, que, por sua vez, possui papel fundamental na qualidade de vida da população. Assim, mediante reformas no repasse financeiro para os municípios, o Governo Federal instituiu estratégias que visavam a ampliação do acesso populacional à Atenção Básica, o Previne Brasil, que coordena o quantitativo de usuários atendidos e cadastrados nas Unidades Básicas de Saúde e, por meio deste, torna-se possível identificar o efetivo acesso aos serviços primários de saúde do município ou região. Objetivo: Analisar o acesso da população na Atenção Primária à Saúde do município de Aracaju, Estado de Sergipe, segundo os indicadores de desempenho do Previne Brasil. Método: Estudo epidemiológico descritivo, com coleta de dados compilados e retrospectivos, referentes aos relatórios de indicadores de desempenho do município de Aracaju, SE. A amostragem foi composta por relatórios dos anos de 2021 e 2022, com 21 relatórios para cada ano, num total de 42 relatórios com informações de todas as unidades básicas que prestam atendimento no município de Aracaju, totalizando 44 unidades. Os dados obtidos através dos relatórios dos indicadores de desempenho foram tabulados e analisados por estatísticas descritivas como média, desvio padrão, mínimo e máximo para variáveis quantitativas e frequências para as qualitativas. Resultado: Observou-se que o município de Aracaju apresentou, nos anos estudados, resultados muito abaixo da meta estabelecida pelo Ministério da Saúde. Os piores resultados apresentados, no ano de 2021, foram nos indicadores de citopatológico, imunização e de percentual de pessoa com hipertensão com pressão arterial aferida no semestre. No ano de 2022 os indicadores obtiveram melhores resultados quando comparados ao ano anterior, principalmente nos indicadores relacionados ao pré-natal, no entanto, o indicador de citopatológico continuou com resultados negativos. Considerações Finais: Os dados do presente estudo apontaram que o Previne Brasil pode ser utilizado como ferramenta para monitorar o acesso efetivo da população aos serviços da APS e utilizado para comparação com a capacidade da cobertura da Atenção Básica. Além disso, demonstraram que a capacidade de cobertura populacional das equipes de saúde que atuam na Atenção Básica no município de Aracaju não reflete o acesso efetivo da população aracajuana aos serviços da APS.

  • ISLA EVELLEN SANTOS SOUZA
  • “PROGRAMA DE TELEMENTORIA ECHO: UMA COMUNIDADE DE PRÁTICA PARA CAPACITAÇÃO DE PROFISSIONAIS QUE ASSISTEM PESSOAS COM DIABETES MELLITUS NO BRASIL”
  • Orientador : LIUDMILA MIYAR OTERO
  • Data: 29/01/2024
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O diabetes mellitus é um agravo com características pândemicas que acarreta na baixa oferta de especialistas, tornado-se uma preocupação crescente para profissionais e gestores que trabalham com saúde pública. Frente a essa situação, alternativas para a capacitação profissional são adotadas em todo mundo, a exemplo do Projeto ECHO, um modelo educacional que leva ao desenvolvimento de comunidades de práticas, cujo objetivo é otimizar a resolutividade em nível primário. Objetivo: Construir um programa de telementoria ECHO® para a capacitação de profissionais que assistem pessoas com diabetes mellitus no Brasil. Método: Na primeira etapa da pesquisa foi realizada uma revisão de escopo, segundo as recomendações do Joanna Briggs Institute e do Checklist PRISMA-ScR. As buscas foram realizadas nas bases de dados Cochrane Library, Embase, Biblioteca Virtual em Saúde, PubMed/MEDLINE, Scopus e Web of Science, através de estratégias compostas pelos descritores “Diabetes mellitus”, "Diabete Melito”, “Diabetes”, "Diabetes Melito", “model ECHO", "Project ECHO" e "Extension for Community Healthcare Outcomes”. A seleção dos estudos contou com dois revisores trabalhando de forma independente através do software de gestão Rayyan-Intelligent Systematic Review. Na segunda etapa da pesquisa, a construção do programa levou em consideração os 11 passos preconizados pelo Modelo ECHO® para o desenvolvimento de um novo programa, sendo eles: conhecer o Projeto ECHO; tornar-se um parceiro ECHO; capacitação para o lançamento; definir e capacitar os recursos humanos para o programa; realizar testes das plataformas ZOOM e iECHO; definir programa e perfil dos participantes; desenvolver o currículo de conteúdos; desenvolver a identidade visual e materiais de apoio; definir e convidar os especialistas; convidar os participantes; e convidar os apresentadores de casos. Resultados: No que concerne a revisão de escopo, dos 151 trabalhos identificados, dez foram selecionados. Todos foram publicados em inglês, entre os anos de 2012 e 2022. As evidências apontaram que com a introdução do Modelo ECHO® houve melhorias no conhecimento e na autoconfiança dos profissionais, além de diminuição da hemoglobina glicada, redução de hospitalizações e de gastos com internações das pessoas com diabetes. Por sua vez, no que tange o desenvolvimento do Programa ECHO UFS Diabetes Mellitus, fez-se necessário a construção de diversos materiais de apoio, cujo objetivo era auxiliar na fase de pré-lançamento, levando em consideração os passos preconizados pelo modelo, bem como na implementação e seguimento do programa. Foram desenvolvidos materiais de divulgação, fichas organizacionais, de apresentação de casos e de avaliação, bem como os materiais para um treinamento para capacitação de novos membros. Considerações finais: O Modelo ECHO® apresenta um impacto positivo no acompanhamento de pessoas com diabetes mellitus, principalmente em comunidades de maior vulnerabilidade, onde a presença de ações pautadas em evidências científicas é essencial para o rastreamento, diagnóstico precoce e monitoramento do agravo. O desenvolvimento do Programa ECHO UFS Diabetes Mellitus mostrou-se eficiente, uma vez que seguiu todas as etapas preconizadas para a fase de pré-lançamento de um programa ECHO.

  • AFONSO ABREU MENDES JUNIOR
  • ANÁLISE ESPACIAL E TEMPORAL DAS INTERNAÇÕES POR CAUSAS SENSÍVEIS À ATENÇÃO PRIMÁRIA RELACIONADAS À DIABETES MELLITUS EM UM ESTADO DO NORDESTE BRASILEIRO
  • Orientador : CAÍQUE JORDAN NUNES RIBEIRO
  • Data: 22/01/2024
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: os países em desenvolvimento têm experimentado uma transição epidemiológica e demográfica de forma acelerada, refletindo no crescimento de doenças crônicas, que integram a agenda de 2030 da Organização das Nações Unidas (ONU) para o desenvolvimento sustentável por meio da meta 3.4 dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). Apesar dos avanços e tratamentos eficazes para mitigar as complicações, a diabetes mellitus (DM) ainda é responsável por um aumento das hospitalizações e custos para o sistema de saúde, além de compor a lista brasileira de internações por condições sensíveis à atenção primária (ICSAPs). Objetivo: analisar os padrões temporais e espaciais das ICSAPs associadas à DM em Sergipe no período de 2008 a 2022. Método: estudo ecológico, de série temporal, com técnicas de análise espacial, que incluiu todos os registros relacionados às ICSAPs-DM provenientes do Sistema de Informações Hospitalares (SIH) do Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde, cujas unidades de análise são os 75 municípios do estado de Sergipe. O percentual de internações hospitalares relacionadas à DM foi utilizado como variável dependente. As ICSAPs-DM foram padronizadas e suavizadas pelo método bayesiano empírico local. As tendências temporais foram analisadas por regressão linear segmentada (joinpoint). Para análise espacial, foram utilizados os índices de Moran global (I) e local (LISA) univariados. A estatística de varredura espaço-temporal foi utilizada para identificação de aglomerados espaço-temporais de alto risco para ICSAPs-DM. O teste de correlação de Spearman e as análises bivariadas I e LISA foram executados para examinar a associação entre ICSAPs-DM, determinantes sociais da saúde (DSS) e indicadores de assistência. Resultados: Das 198.781 ICSAPs registradas entre 2008 e 2022, 14.390 decorreram da DM (7,24%), sendo o ano de 2017 o de maior número de internações por DM (n=2.430; 16,89%). Dentre as regiões de saúde de Sergipe, a região de Aracaju, que possui a maior população residente (n=749.740), apresentou a maior frequência de ICSAPs-DM (n=4.333; 30,11%). Por outro lado, a região de Nossa Senhora da Glória teve o menor número de ICSAPs-DM (n=529; 3,68%). As ICSAPs-DM foram predominantemente de pessoas do sexo feminino (n=7.734; 53,75%), cor parda (n=3.690; 87,30%) e com a faixa etária de 60 anos ou mais (n=8.289; 57,60%). A tendência da taxa de ICSAPs-DM apresentou um aumento significativo e uma variação percentual anual média crescente de 2,39% (IC95%: 0,44% a 4,35%). As taxas de ICSAPs-DM foram crescentes nas faixas etárias de 0 a 19 anos (AAPC=6,13%; p=0,002; IC95%=2,66-9,60), de 20 a 39 anos (AAPC=4,50%; p=0,009; IC95%= 1,69-7,31) e de 40 a 59 anos (AAPC=2,56%; p=0,013; IC95%= 0,72-4,40). Na faixa etária de 0 a 19 anos, as variações percentuais foram mais baixas (< 5%) e na faixa etária acima de 60 anos foram consideradas estáveis. A tendência de ICSAPs-DM foi crescente entre os homens (AAPC=3,15%; p=0,008; IC95%=1,08-5,22). Quanto às tendências temporais por Região de Saúde, apresentaram-se crescentes em Aracaju, Estância e Propriá, enquanto nas demais regiões apresentaram-se estáveis. A distribuição das ICSAPs-DM revelou dependência espacial (I=0,32; p=0,001). Houve associação espacial positiva entre a renda per capita (I=-0,23; p=0,004) e o exame do pé diabético realizado por enfermeiro na APS (I=-0,18; p=0,019). Conclusão: a DM é um problema de saúde pública persistente no Estado de Sergipe. A aglomeração espaço-temporal heterogênea das ICSAP-DM possui associação com a renda per capita e com o exame do pé diabético realizado por enfermeiros, o que aponta a necessidade de intervenções urgentes e efetivas para os municípios prioritários.

2023
Descrição
  • LUCIANA CARDOSO ANDRADE DIAS
  • EFEITOS DO TEMPO DE TELA E DE USO DE INTERNET NA QUALIDADE DO SONO DE ADOLESCENTES DO ENSINO MÉDIO INTEGRADO
  • Orientador : ANDREIA FREIRE DE MENEZES
  • Data: 13/12/2023
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A massificação do uso da internet atrelado ao excesso do tempo de telas conduz o adolescente a uma condição na qual são evidenciados efeitos deletérios, dentre os quais se destacam o risco de vício de internet o qual pode interferir de forma significativa na sua vida diária, possivelmente por esse público possuir maior de probabilidade de desenvolver dependência tecnológica. O sono é essencial para o desempenho das funções cognitivas e físicas e é diretamente influenciado por fatores endógenos, sociais e ambientais. Os adolescentes são suscetíveis a alteração no padrão de sono devido à maturação, horários de sono e demandas estabelecidas, especialmente, pelas instituições de ensino. Objetivo: Avaliar os efeitos do tempo de tela e de uso de internet na qualidade do sono de adolescentes. Materiais e Método: Estudo transversal, observacional, de abordagem quantitativa com adolescentes entre 14 e 17 anos do Ensino Médio Integrado do Instituto Federal de Sergipe, campus Aracaju. A coleta de dados foi via Google Forms através de questionário com características sociodemográficas, hábitos de sono, tempo de tela, Internet Addiction Test (IAT) e o Índice de Qualidade do Sono de Pittsburgh (PSQI). Foram utilizadas estatísticas descritivas e testes de hipótese tais qual teste Qui-Quadrado de Pearson, Exato de Fisher, Mann-Whitney, Kruskal-Wallis, além de regressão logística multinomial. O software utilizado foi o R Core Team 2023 (versão 4.3.1) com nível de significância de 5%. Resultados: A amostra foi composta por 210 adolescentes com maioria (137; 65,2%) do sexo feminino, mediana de idade, 16 anos, e de duração de sono, 6 horas. Predominância de qualidade do sono ruim (133; 63,3%) sendo (89; 66,9%) do sexo feminino. O tempo de dispositivo com tela foi ≥ 5 horas/dia e associado a qualidade do sono ruim e distúrbio de sono. A maioria dos participantes (155; 73,8%) possuíam dependência leve de internet e os adolescentes com dependência moderada a grave (55;26,2%) têm 5,97 (IC95: 1,36-26,23; p=0,018) mais chances de ter qualidade do sono ruim e 8,86 (IC95: 1,87-41,99; p=0,006) de distúrbio do sono. Conclusão: A qualidade do sono possui relação direta com tempo excessivo de exposição às telas e dependência de internet e intervenções educativas de higiene do sono e de tempo de tela consciente são necessárias.

  • AMANDA CAMILO SILVA LEMOS
  • “CARACTERIZAÇÃO EPIDEMIOLÓGICA DA SÍFILIS CONGÊNITA NO ESTADO DE SERGIPE”
  • Orientador : MARIA DO SOCORRO CLAUDINO BARREIRO
  • Data: 13/12/2023
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A sífilis é uma doença infecto contagiosa, causada pelo Treponema pallidum, denotificação compulsória. Quando não tratada, ou tratada inadequadamente, a sífilis materna resultaem sífilis congênita. Objetivo: Analisar o perfil epidemiológico dos casos notificados de sífiliscongênita em Sergipe. Materiais e Método: Estudo transversal e quantitativo, realizado com dadossecundários dispostos no DATASUS. A busca de dados foi realizada no Sistema de Informação deAgravos e Notificação, no Sistema de Informação de Nascidos Vivos e no Sistema de InformaçãoHospitalar e contemplou todos os dados registrados disponíveis, de 2006 a 2021. Os filtros debusca utilizados foram região de saúde, dados sociodemográficos, classificação clínica, desfechoclínico, realização de tratamento do parceiro sexual e dados sobre a internação hospitalar. Os dadosforam computados no Microsoft Excel® e analisados no programa estatístico Epi Info 6.0. Naanálise estatística foi realizada a associação entre pré-natal e variáveis sociodemográficas pelo testede qui quadrado e calculada a razão de prevalência. Resultados: Houveram 4.175 Casos de sífiliscongênita e 5.139 casos de sífilis gestacional notificados. Sergipe atingiu a maior taxa de sífiliscongênita no ano de 2020, com 17 casos a cada mil nascidos vivos, maior que a média nacional nomesmo ano, que foi de 7,8/mil. A maioria das gestantes que tiveram bebês com sífilis congênitanão tinham terminado o ensino fundamental, eram pardas e 80,3% dos parceiros sexuais nãorealizaram o tratamento. Houve relação significativa com p < 0,001 entre a realização de pré-natal ebaixa escolaridade, não tratamento do parceiro, aborto por sífilis e evolução do bebê a óbito. A taxade letalidade foi de 1,1 óbitos a cada 100 casos de sífilis congênita. As internações por sífiliscongênita foram 2.779, no período em estudo. O coeficiente de internação foi de 6,3 a cada milnascidos vivos. Os gastos individuais com a internação de sífilis congênita tiveram uma média deR$ 1.216,16 por criança. Conclusão: O agravo pela sífilis congênita persiste como um desafio naconjuntura do serviço público de saúde. Os fatores associados entre o pré-natal e a ocorrência desífilis congênita identificados, evidenciaram um cenário de lacunas no pré-natal ofertado àsgestantes, com repercussões negativas no período pós-gestacional, que resultaram nos elevadosíndices da doença.

  • MARCIRENE SANTOS DE MENDONÇA
  • Itinerário terapêutico dos pacientes acometidos por acidente vascular cerebral: Estudo de coorte
  • Orientador : FERNANDA GOMES DE MAGALHÃES SOARES PINHEIRO
  • Data: 30/10/2023
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O itinerário terapêutico dos pacientes acometidos por Acidente Vascular Cerebral, no contexto do SUS, expõe à desagradáveis vivências, trazendo impactos à saúde e mortes que poderiam ser evitadas e muitas vezes não são por carência de uma rede de cuidado organizada. O AVC é considerado uma disfunção neurológica aguda, classificado em hemorrágico ou isquêmico. Objetivo: comparar o itinerário terapêutico no acesso de pacientes acometidos por AVC em hospitais do interior e da capital no Estado de Sergipe. Materiais e métodos: Estudo de coorte prospectiva, realizado entre agosto de 2022 a janeiro de 2023, em todos os hospitais públicos que dispunham do serviço de neuroimagem no Estado. O instrumento de coleta buscou a caracterização sociodemográfica, linha do tempo, fatores que influenciam os pacientes para a busca do atendimento médico, história patológica pregressa, antecedentes, exame físico da admissão, diagnóstico, conduta e desfecho com 30 dias após o AVC. Aprovado pelo comitê de ética sob parecer 5.455.345 em 8 de junho de 2022. Os dados foram exportados para o software R Core Team 2022. Após serem codificados e tabulados, foram analisados por meio de estatística descritiva. A hipótese de independência foi testada por meio dos testes Qui-Quadrado de Pearson e Exato de Fisher. Estimadas razões de chance brutas e ajustadas por meio da regressão logística. Resultados: Participaram do estudo 159 pacientes atendidos no interior e 91 na capital, com mediana de idade na capital 66 anos (Dp:55,5-75), e no interior 72 anos (Dp:60-82), incidência do sexo feminino, 76,6% e 64,1%. Maior incidência do AVCI (P<0,002). Na variável tempo foi dicotomizado em dois tempos: tempo de decisão e tempo de detecção. Quanto ao tempo de decisão entre o início dos sinais e sintomas até a tomada de decisão de chamar o transporte, observou-se que os pacientes com AVCI atendidos no interior levam um tempo 3 vezes maior (p=0,002). Nos casos de AVCH o interior levam um tempo10 vezes maior (p=0,028). O tempo de detecção, entre a TC e a detecção do AVC o interior teve um tempo 5 vezes superior (p<0,001) nos casos de AVCI. Nos casos de AVCH o interior teve um tempo 1,4 vezes superior. Na avaliação do neurologista no interior nos casos de AVCI 76,6% vs 78,3% AVCH, enquanto na capital 100% foram avaliados em ambos os tipos de AVC (p<0,001). Quanto a conduta terapêutica 100% dos pacientes atendidos no interior tiveram tratamento clínico na capital 90% (p<0,001). Os desfechos analisados foram óbito hospitalar: na capital nos casos de AVCI obteve20% vs 42,9% de AVCH, no interior casos de AVCI 22,1% vs 28,6% de AVCH. Mortalidade em 30 dias pós AVC na capital casos de AVCI: 20% vs 47,6%, AVCH, enquanto no interior casos de AVCI 25,5% vs 28,6% AVCH. Quanto a funcionalidade a maioria dos pacientes apresenta incapacidades, ao aplicar a escala de Rankin os escores variaram entre 3 e 5. Conclusão: o itinerário terapêutico dos pacientes atendidos no interior tem um intervalo de tempo maior, desde o início dos sinais e sintomas até a conclusão diagnóstica.

  • MILKA REJANE OLIVEIRA RODRIGUES
  • ABSENTEÍSMO DE PROFISSIONAIS DA SAÚDE: REVISÃO INTEGRATIVA
  • Orientador : CRISTIANE FRANCA LISBOA GOIS
  • Data: 30/09/2023
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Absenteísmo é a falta ao trabalho, analisado quanto à frequência e ou tempo não trabalhado. Objetivo: Analisar a produção científica sobre as causas que influenciam o absenteismo entre os profissionais de saúde. Método: Trata-se de uma revisão integrativa da literatura utilizando as seguintes bases de dados: Medical Literature Analysis and Retrieval System Online (MEDLINE); Web of Science; Cumulative Index to Nursing and Allied Health Literature (CINAHL); Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde (LILACS); SCOPUS e o banco de dados Scientific Electronic Library Online (SciELO). Para nortear a busca foi elaborada a questão de pesquisa utilizando a estratégia PICo (População, Interesse e Contexto). Resultados: Foram incluídos 22 artigos na amostra final desta revisão. Os estudos identificaram várias causas para o absenteísmo entre profissionais de saúde, sobretudo transtornos mentais e comportamentais, doenças do sistema musculoesquelético e do tecido conjuntivo, questões salariais/financeiras e sobrecarga de trabalho. Conclusão: As causas de abensenteísmo entre os profissionais da saúde podem ser categorizadas em individuais e institucionais. Todavia, percebe-se que as causas podem estar interligadas, o que sinaliza que as estratégias para redução do absenteísmo devem estar sustentadas nos multiplos fatores causadores.

  • TAMARA BISPO DA SILVA
  • CONSTRUÇÃO DE CARTILHA PARA PREVENÇÃO DE DEPENDÊNCIA TECNOLÓGICA EM ADOLESCENTES ESCOLARES
  • Orientador : ANDREIA FREIRE DE MENEZES
  • Data: 25/09/2023
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A dependência tecnológica trata-se de um transtorno caracterizado pela inabilidade de controlar o uso de tecnologia de informação (TI) mesmo que esse uso já esteja causando impacto negativo nas principais áreas da vida do indivíduo. O adolescente é um público mais suscetível adesenvolver problemas comportamentais e outros distúrbios psicossociais. Objetivo: construir um material educativo voltado para prevenção da dependência tecnológica em adolescentes escolares. Método: A pesquisa ocorreu em 3 etapas: (1) estudo transversal para avaliar o grau de severidade da dependência de internet de adolescentes através do Instrumento Internet Addiction, (2) revisão de escopo a fim de sintetizar as principais orientações de prevenção e/ ou manejo de dependência tecnológica e (3) construção de material educativo para prevenção de dependência tecnológica em adolescentes escolares. Resultados: A pesquisa de campo foi realizada com 55 adolescentes matriculados no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do estado de Sergipe, sendo 28do sexo masculino, a idade média de 16,31 (±0,5) anos. O grau moderado correspondeu a 87,3 %, o que indica que a maioria dos participantes enfrentavam interferências recorrentes da internet no seu cotidiano. A revisão de escopo reuniu informações extraídas de 9 artigos publicados entre os anos de 2008 e 2021 que trazem medidas educativas para serem trabalhadas na escola e/ou família. Alerta sobre os prejuízos devido ao uso irracional da internet como: dificuldade na elaboração das atividades cotidianas e relações sociais, alteração no sono, sintomas depressivos e compulsivos, estilo de vida fragilizada entre outros. E, por fim foi construída a cartilha a qual foi dividida em elementos pré-textuais, textuais e pós-textuais. O conteúdo textual delimitou-se em tópicos: o que é dependência tecnológica, como uma pessoa se torna dependente por tecnologias, quais os sinais de alerta e medidas de prevenção da dependência tecnológica. Conclusão: O material educativo elaborado oferece subsídio para que adolescentes possa identificar sua relação com a tecnologia e desperta para seu uso consciente.

  • ESTHER DA SILVA TAVARES ASSIS
  • FATORES ASSOCIADOS A MORTALIDADE HOSPITALAR APÓS TCE MODERADO E GRAVE: ANTES E DURANTE A PANDEMIA DE COVID-19
  • Orientador : RITA DE CASSIA ALMEIDA VIEIRA
  • Data: 31/08/2023
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O Traumatismo Cranioencefálico (TCE) vem aumentando epidemiológicamente ao longo dos anos em todo o mundo e conhecer os fatores associados a mortalidade hospitalar é um caminho importante para alcançar desfechos positivos após a alta. Objetivo: Avaliar os fatores clínicos e sociodemográficos associados a mortalidade hospitalar após TCE moderado e grave antes e durante a pandemia de COVID-19. Método: Trata-se de um estudo de coorte retrospectivo, com dados coletados em prontuários. Participaram do estudo pacientes de TCE contuso moderado e grave, com idade ≥ 18 anos, que deram entrada 11 de março de 2019 a 11 de março de 2021, no Hospital de Urgência do Estado de Sergipe “Governador João Alves Filho” (HUSE), na cidade de Aracaju - Sergipe. Foram coletadas nos prontuários as características sociodemográficas e clínicas dos pacientes, a gravidade do trauma e do TCE, resultados de exames laboratoriais, desfecho de óbito ou alta. Resultados: A casuística foi composta por 94 pacientes, 98,9% do sexo masculino, idade mediana dos que faleceram 40,5 (31-50), 48,88% envolvidas em acidentes de motocicleta e 19,4% de quedas variadas, 30,8% sofreram acidentes no turno da noite e madrugada. De todas as escalas de gravidade o Revised Trauma Score (RTS) teve escore 8(8-9) dos óbitos p=0,008. Fatores associados ao desfecho de morte hospitalar mais relevantes foram: uso de drogas vasoativas 18 (54,5%) p=0,001; Hiperglicemia 20 (51,3%) p=0,001; Bloqueador neuromuscular 4(80%) p=0,035; Presença de parada cardiorrespiratória 5(100%) p=0,003; Choque séptico 3(100) p=0,030. Não houve diferença estatística significativa na mortalidade dos pacientes antes e durante a pandemia de COVID-19. Conclusão: O vírus SARS-CoV-2 não impactou estatisticamente na mortalidade hospitalar dos pacientes de TCE moderado e grave dentro do período da pandemia. Os fatores associados a mortalidade hospitalar dos pacientes são hiperglicemia, uso de drogas vasoativas e bloqueador neuromuscular, presença de parada cardiorrespiratória e choque séptico. A lesão mais significativa ao desfecho de morte foi a contusão cerebral.

  • NOEMIA SANTOS DE OLIVEIRA SILVA
  • ESTADO PSICOLÓGICO DOS PROFISSIONAIS DE ENFERMAGEM QUE ATUAM EM UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA
  • Orientador : JUSSIELY CUNHA OLIVEIRA
  • Data: 29/08/2023
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: Para os profissionais da saúde, cuidar de uma vida em sofrimento e morte pode ocasionar alterações psíquicas, sendo identificado como um ofício insalubre para toda equipe envolvida. Nesse sentido, o trabalho cotidiano de profissionais de enfermagem que trabalham em unidades de terapia intensiva (UTI), gera sentimentos que oscilam, especialmente pela gravidade dos pacientes atendidos. OBJETIVO: Identificar a ocorrência de sofrimento psicológico em profissionais de enfermagem que atuam na Unidade de Terapia Intensiva. MÉTODO: Estudo observacional de corte transversal com abordagem descritiva e quantitativa. A amostra foi composta por 164 profissionais de enfermagem de um hospital público de grande porte e do Hospital Universitário, ambos no estado de Sergipe. Os dados foram coletados entre Janeiro a Abril de 2023, por meio de questionário contendo itens para caracterização socioeconômica, condições de saúde e ocupacional, escala de HADS e Maslach Burnout Inventory, para avaliação de ansiedade/depressão e síndrome de burnout, respectivamente. As variáveis categóricas foram descritas por meio de frequência absoluta e relativa percentual. A hipótese de independência entre variáveis categóricas foi testada por meio do teste Qui-Quadrado de Pearson e Exato de Fisher, o nível de significância adotado foi de 5%. RESULTADOS: Dos 164 entrevistados a maioria era do gênero feminino, com faixa etária predominante média de idade 41,2 anos, união estável (40,9%) e técnicos de enfermagem (77,4%). Em relação aos aspectos ocupacionais, a maioria são concursados (52,1%), ganham até dois salários mínimos (31,5%), possui mais de um vínculo empregatício (56,2%), trabalha até 4,4 horas semanais, reportaram sofrer pressão no trabalho (40,7%) e lidar com morte e sofrimento (78,5%). Na avaliação de HADS-A, observa-se que 11,6% profissionais tem probabilidade para desenvolver transtorno de ansiedade. Em relação a escala HADS-D, a média é de 9, com um desvio-padrão de 2.As categorias são: improvável 30 (18,3%), possível 114 (69,5%) e provável 20 (12,2%). Quanto à escala de Maslach Burnout Inventory, a SB está presente em 47 (28,7%) dos profissionais. CONCLUSÃO: Tendo em vista a relevância e escassez de estudos que tratem desse recente, os dados evidenciaram a importância de cuidar da saúde mental de profissionais de enfermagem que atuam em UTI, bem como a intensificação de práticas preventivas e de tratamento de manifestações psíquicas como ansiedade, depressão e síndrome de Burnout, com foco à promoção de saúde mental em ambiente ocupacional.

  • JÉSSIKA BARROS DANTAS VASCONCELOS
  • Impacto da COVID-19 na incidência de desfechos desfavoráveis na gravidade de pacientes em unidades de terapia intensiva: estudo caso-controle
  • Orientador : EDUESLEY SANTANA SANTOS
  • Data: 25/08/2023
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A Unidade de Terapia Intensiva (UTI) é um local dedicado ao atendimento de pacientes críticos, onde o objetivo é ter estrutura capaz de fornecer o que for necessário para manutenção da vida. Com a pandemia da COVID-19 houve uma necessidade de leitos de forma exponencial, visto que uma parcela destes pacientes evolui com maior gravidade. A gestão da UTI está ligada a identificar a gravidade destes com uso de ferramentas especificas como os índices prognósticos. Objetivo: Avaliar a incidência de desfechos desfavoráveis na gravidade de pacientes em UTI antes do período pandêmico e após em pacientes sem covid e com covid, respectivamente. Método: Realizou-se um estudo do tipo caso controle ambiespectivo, realizado entre agosto de 2018 a 31 de maio de 2022. Foram incluídos pacientes internados em seis UTIs do Estado de Sergipe, com idade igual ou superior a 18 anos, com tempo de permanência mínima de 24 horas. Os desfechos analisados foram óbito, lesão renal aguda e diálise. Foi estimada a sobrevida e o tempo médio de sobrevida por meio do estimador de Kaplan-Meier e comparadas por meio do teste log-rank. A capacidade preditiva de escores em prever desfechos desfavoráveis foi avaliada por curva ROC (Receiver Operating Curve) e estimada por meio da área abaixo da curva (AUC – Area Under the Curve). O nível de significância adotado foi de 5%. O projeto de pesquisa foi aprovado pelos Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal de Sergipe, com parecer favorável sob número 2.830.187 e 5.144.304. Resultados: A amostra foi composta por 581 pacientes elegíveis para o estudo. Sendo 180 (32,1%) pacientes com diagnóstico de COVID-19 e 381 (67,9%) pacientes sem COVID-19.Os Valores de SAPS3 no primeiro dia (54,5 [41-65] vs26 [15-34,5]; p<0,001) e na alta (52,5 [45-62] vs 20 [10-32]; p<0,001);SOFA no primeiro dia (8 [4-10,5] vs 4 [1- 6]; p<0,001) e na alta (7 [3-10] vs 1 [0-4]; p< 0,001) e NAS na admissão (89,7 [70,1-99,8] vs 48,1 [42,5-52,2]; p<0,001) e na alta (97,2 [62-108,3] vs 49,7 [43,5-60]; p<0,001) foram piores em pacientes com COVID-19. A sobrevida média dos pacientes com COVID-19 foi de 106 dias enquanto os sem COVID-19 foram de 120 dias sendo estatisticamente diferentes (p<0,001). Conclusão: Ao analisar o perfil de gravidade, desfechos clínicos em pacientes admitidos unidades de terapia intensiva, os pacientes com diagnóstico de COVID-19 tiveram risco maior de óbito, injuria renal e dialise comparando com os pacientes sem COVID-19.

  • LUIZ FERNANDO SOUZA SANTOS
  • Competências do enfermeiro em ventilação mecânica invasiva: um estudo metodológico
  • Data: 22/08/2023
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O manejo de pacientes em uso de ventilação mecânica invasiva (VMI) se torna um desafio diário para os profissionais de saúde que atuam na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), sendo necessária a presença de uma equipe interdisciplinar qualificada. O enfermeiro nesse contexto, é responsável pela manutenção da via aérea, programação, interpretação e manejo dos parâmetros ventilatórios, junto à equipe médica e de fisioterapia, bem como coleta de sangue arterial para fins de gasometria, sendo esta última uma função privativa. O enfermeiro que gerencia a assistência ao paciente em VMI precisa ter habilidades, conhecimentos e competências bem desenvolvidas. Objetivo: Desenvolver um instrumento de avaliação das competências do enfermeiro no cuidado a pacientes em ventilação mecânica invasiva. Método: Estudo metodológico, tendo como referencial procedimentos psicométricos de construção e validação de instrumentos, a partir da abordagem teórica, que consistiu no desenvolvimento de uma revisão de escopo. A revisão de escopo foi desenvolvida com base nas diretrizes do JBI para scoping reviews e do PRISMA – Preferred Reporting Items for Systematic Reviews and Meta-Analyses, extensão para revisões de escopo, sendo registrada na plataforma Open Science Framwork (OSF) identificado pelo DOI 10.17605/OSF.IO/6CSFM. O instrumento foi desenvolvido tendo como referencial procedimentos psicométricos de construção e validação de instrumentos. Resultados: Foram selecionados 33 artigos para compor a revisão de escopo, cujos domínios predominantes foram conhecimento sobre ventilação mecânica, habilidade na execução das técnicas referentes à assistência de enfermagem, interação com equipe interdisciplinar e competência na execução do cuidado de enfermagem. Os resultados da revisão de escopo serviram de subsídio para a elaboração do instrumento de avaliação de competências do enfermeiro para o cuidado a pacientes em ventilação mecânica invasiva, tendo como categorias a avaliação de conhecimentos, habilidades e atitudes. Conclusão: A tríade conhecimento, habilidade e atitude engloba a atuação do enfermeiro na assistências a pacientes em VMI, isso ocorre devido à versátil assistência de enfermagem. Com a cosntrução do instrumento e sua validação, os enfermeiros que assistem pacientes em ventilação mecânica invasiva terão a oportunidade de desenvolverem os seus conhecimentos, habildades e atitudes em relação a assistência prestada.

  • JOÃO LUCAS TAVARES DE LIMA
  • ASPECTOS EPIDEMIOLÓGICOS DA INFECÇÃO PELO Toxoplasma gondii EM GESTANTES DO ESTADO DE SERGIPE: UMA ABORDAGEM DESCRITIVA E ESPACIAL
  • Orientador : ALLAN DANTAS DOS SANTOS
  • Data: 31/07/2023
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A toxoplasmose é considerada uma doença infecciosa sistêmica, causada pelo protozoário parasita Toxoplasma gondii (T. gondii) e caracteriza-se por ser uma zoonose distribuída mundialmente. Quando ocorre na gestação, constitui grave problema de saúde pública, devido ao risco de transmissão placentária, que pode ocasionar aborto e trazer sérias manifestações clínicas para o feto e recém-nascido. No Brasil, estima-se que 14 por 1.000 gestantes possuem a infecção pelo T. gondii, com 60 mil novos casos por ano. A taxa de transmissão vertical é de 6 a 10% no primeiro trimestre e de 70 a 90% no terceiro trimestre de gestação. Esse estudo contribuirá na elaboração de políticas públicas que fortaleçam as ações de planejamento, prevenção, promoção da saúde perinatal, o controle e vigilância da toxoplasmose no Brasil. Objetivo: Descrever os aspectos epidemiológicos e a distribuição espacial da ocorrência de infecção pelo T. gondii em gestantes no estado de Sergipe, Brasil. Materiais e métodos: Estudo misto contemplando um componente transversal descritivo e um componente ecológico por meio de técnicas de análise espacial dos casos notificados de toxoplasmose gestacional (TG) no estado de Sergipe, a partir de dados obtidos pelos sistemas de informação da Secretaria de Estado da Saúde. A análise descritiva foi apresentada por meio de frequências absolutas e percentuais. Estimou-se as taxas de detecção de TG para os municípios do estado. Para análise espacial utilizou-se o estimador de densidade de Kernel para estimar os aglomerados de casos por municípios, gerando mapas coropléticos das taxas de detecção. Resultados: Foram notificados 449 casos de TG no estado de Sergipe e taxa de detecção de 4,7 casos por 1.000 NV. Houve predomínio de mulheres da faixa etária de 20 a 29 anos (54,1%); na raça/cor negra (83,1%); ensino médio incompleto (59,7%); estado civil solteira (67,3%); ocupação de dona de casa (39,9%); residentes na zona urbana (66,8%). Concernente à caraterização do pré-natal, antecedentes obstétricos e manifestações clínicas, predominaram gestantes com diagnóstico no segundo trimestre (46,8%); realização de sete ou mais consultas (77,3%); multigestas (53,9%); nulíparas (50,3%); 0,2% viviam com HIV; 67,9% foram assintomáticas. Em relação às informações laboratoriais e tratamento, apenas 8,0% realizaram três ou mais sorologias durante o pré-natal; 29,8% realizaram avidez de IgG; 53,3% realizaram no mínimo uma USG; 80,4% não realizaram amniocentese para diagnóstico por PCR; e 78,4% realizaram tratamento. Atinente à caracterização da evolução da gestação, 96,7% dos partos foram finalizados com nascidos vivos (NV); 96,0% como gravidez única; 58,6% submetidas ao parto vaginal; e em 2,0% dos NV foram detectadas malformações congênitas. A análise espacial revelou concentração na detecção de casos na região do Leste Sergipano, principalmente nos municípios de Divina Pastora (23,3 por 1000 NV) e Santa Rosa de Lima (15,5 por 1000 NV). Conclusão: A baixa escolaridade e as condições socioeconômicas podem tornar as mulheres vulneráveis ao risco de infecção pelo T. gondii e dificultaros cuidados preventivos, podendo demonstrar relação direta com a = incidência e prevalência da TG. A análise espacial demonstrou a ocorrênciade casos em todas as regiões do estado, com aglomeração em determinados locais.

  • ANNY CAROLINE SANTOS ALMEIDA
  • EFEITO DA AURICULOTERAPIA NA ANSIEDADE DE PROFISSIONAIS DA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE: ENSAIO CLÍNICO RANDOMIZADO
  • Orientador : ANDREIA FREIRE DE MENEZES
  • Data: 20/06/2023
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: No ambiente de trabalho dos profissionais da saúde, a ansiedade está frequentemente relacionada à organização de processos estruturais. Atualmente a oferta das práticas integrativas e complementares em saúde (PICS) possuem a perspectiva de aumentar o conforto e promover um complemento ao tratamento farmacológico habitual. Nesse universo terapêutico, a auriculoterapia tem demonstrado resultados promissores no tratamento da ansiedade. Objetivo: Analisar a efeito da auriculoterapia na ansiedade em profissionais da atenção primária à saúde. Materiais e métodos: Trata-se de um ensaio clínico randomizado, controlado e duplo cego. Realizado no município de Lagarto – Sergipe, com a amostra de 60 profissionais da Atenção Primária a Saúde. O estudo foi composto a partir de dois grupos: um Grupo Intervenção (GI) e um Grupo Controle (GC). A intervenção com a auriculoterapia foi constituída de dez sessões, duas vezes por semana, por cinco semanas e o protocolo utilizado foi a versão beta do Auricular Protocol for Pain & Anxiety – APPA. Utilizando os seguintes instrumentos de avaliação: formulário de caracterização sociodemográfica dos profissionais da Atenção Primária à Saúde, formulário avaliativo do conhecimento dos profissionais da Atenção Primária à Saúde sobre a auriculoterapia e roteiro de acompanhamento das sessões da auriculoterapia bem como o IDATE traç-estado. Resultados: A amostra estudada refere-se a 60 indivíduos, em sua maioria do sexo feminino (68,3%), pardos 40%, 41,62% casados, 61,67% com renda superior a três salários mínimos.O grupo intervenção apresentou no momento inicial níveis altos de ansiedade-traço (sintomatologia grave) 73,3%, e após 10 semanas de intervenção, todos os participantes com alta ansiedade-traço passaram a ser categorizados com níveis medianos (sintomatologia ansiosa moderada). o grupo intervenção revelou que houve redução dos sintomas gerais de ansiedade traço-estado em todas as semanas em relação ao basal (p < 0,001). Além disso, foi constatada uma redução gradual dos escores até a décima semana, de modo que após cada semana foram observados menores escores em relação à semana anterior (p < 0,001). Conclusão: A auriculoterapia reduziu os níveis de ansiedade-traço e estado de profissionais da área da saúde. O protocolo APPA mostrou ser eficaz, reduzindo os níveis de ansiedade após o intervalo das 10 sessões aplicadas e com a realização do estímulo no pavilhão auricular no grupo intervenção.

  • JOSEFA RAYANE SANTOS SILVEIRA
  • IMPACTO DA PANDEMIA DA COVID-19 NA INCIDÊNCIA DA LEISHMANIOSE VISCERAL NO BRASIL
  • Orientador : CAÍQUE JORDAN NUNES RIBEIRO
  • Data: 10/04/2023
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: o Brasil é o país da América Latina que apresenta os maiores índices de notificação de leishmaniose visceral (LV), doença tropical negligenciada potencialmente letal quando não tratada oportunamente. A pandemia da covid-19 pode ter promovido uma redução da detecção de casos novos, devido à sobreposição geográfica das doenças e sobrecarga dos serviços de vigilância epidemiológica. Objetivo: avaliar o impacto da pandemia da covid-19 na detecção de novos casos da LV no Brasil em 2020. Método: estudo ecológico, de série temporal (2015-2020) com técnicas de análises espaciais, cujas unidades de análise foram os 5.570 municípios brasileiros e que utilizou dados secundários extraídos do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN) do Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (DATASUS) e do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A população do estudo consistiu todos os casos novos de LV notificados no Brasil entre 2015 e 2020. O P-score foi considerado a variável primária para realização de inferências sobre o excesso ou déficit de notificações de casos novos de LV. A análise descritiva envolveu a caracterização da socioepidemiológica dos casos e mapeamento da incidência da LV e o P-score em níveis municipal e estadual. O Índice de Moran global univariado foi empregado para verificar a existência de dependência espacial. A análise LISA univariada foi utilizada para identificação de aglomerados espaciais. A varredura espaço-temporal retrospectiva de Kulldorff foi implementada para detecção de aglomerados espaço-temporais mensais de altas e baixas taxas de incidência de LV entre os municípios brasileiros. Os mapas coropléticos foram elaborados para representar os dados espaciais. Resultados: embora tenham sido esperados 3.627 casos novos de LV no Brasil em 2020, foram notificados 1.932 casos (-46,73%), cuja maioria foi composta por homens (68,53%), faixa etária entre 20 e 59 anos (50,88%), de cor de pele não branca (83,23%), com escolaridade <12 anos (36,44%) e com desfecho de cura (65,17%). Todas as regiões brasileiras apresentaram variação percentual negativa de detecção de casos novos de LV, destacando-se as regiões Sudeste (-54,70%), Norte (-49,97%) e Nordeste (-44,22%). Foi observada a ocorrência de dependência espacial da LV no território brasileiro em ambos os períodos, antes (2015-2019) e durante (2020) o primeiro ano da pandemia de covid-19. Contudo, houve redução importante da quantidade de municípios que compunham o cluster espacial de alto risco. O cluster espaço-temporal de alto risco foi composto por 1.549 municípios entre regiões Nordeste, Norte e Centro-oeste e ocorreu entre julho e dezembro. E o cluster de baixo risco foi composto por 2.349 municípios e ocorreu nas regiões Centro-oeste, Sudeste e Sul, entre os meses de março e agosto, no qual foram notificados apenas 58 casos novos no Brasil em 2020. Conclusão: houve uma redução expressiva na incidência de casos de LV no Brasil durante o primeiro ano da pandemia. Os achados permitiram evidenciar áreas de maior redução e tais informações poderão servir de subsídio para avaliação das áreas de alto risco, alertando para o fortalecimento do sistema de vigilância sobre as áreas mais vulneráveis, para que as discussões e elaboração de estratégias de controle e prevenção sejam mais assertivas.

  • DANIELA DE ANDRADE SERRA AZUL
  • EFEITO DA MÚSICA NA REDUÇÃO DA ANSIEDADE NO PERIOPERATÓRIO DE COLECISTECTOMIA POR VIDEOLAPAROSCOPIA: ENSAIO CLÍNICO RANDOMIZADO
  • Orientador : ANDRÉIA CENTENARO VAEZ
  • Data: 28/02/2023
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A colelitíase é uma doença causada pela presença de um ou mais cálculos na vesícula biliar. O tratamento definitivo dessa patologia é cirúrgico. Apesar de habitual procedimentos cirúrgicos são potenciadores de estados de ansiedade e estresse. Diversas medidas não-farmacológicas podem ser empregadas para reduzir a ansiedade perioperatória. Dentre estas, destaca-se a musicoterapia uma prática benéfica a saúde da população no controle da ansiedade, dor, estresse e depressão, no pré-operatório e na recuperação pós-operatória Objetivo: Avaliar o efeito da musicoterapia na redução da ansiedade em pacientes que foram submetidos à colecistectomia por videolaparoscopia em um Hospital Universitário Federal. Método: Trata-se de um ensaio clínico randomizado, uni-cego e controlado com 106 pacientes. Os participantes foram alocados aleatoriamente em dois grupos: um grupo controle (GC), no qual os pacientes submetidos a admissão padrão da unidade e à aplicação das escalas de avaliação de ansiedade, e um grupo intervenção (GI), composto por pacientes que após admissão padrão da unidade e foram submetidos à sessão de música de sua própria escolha durante o período que permaneceu na sala de preparo até o momento de encaminhamento a sala operatória. As variáveis categóricas e numéricas foram descritas por frequência absoluta e relativa. A normalidade dos dados foi testada pelo teste de Shapiro-Wilk. As associações entre as variáveis categóricas foram testadas usando o teste do Qui-quadrado de Pearson. O cálculo do escore para classificação da ansiedade foi realizado baseado na classificação determinada pelo IDATE (baixa ansiedade: 20 a 40 pontos; média ansiedade: 40 a 60; alta ansiedade: 60 a 80 pontos). A análise de variância para medidas repetidas (ANOVA) foi aplicada para testar as diferenças antes e após a intervenção. O tamanho do efeito da música foi analisado por meio da correlação Rank-Biserial e Quadrado Eta (η2), usando as diferenças observadas na ANOVA. Resultados: A amostra foi composta por 106 pacientes, em sua maior parte do sexo feminino (82,24%) com idade entre 38 a 47 anos (30,18%), da raça pardos (57,55%), estado civil casados (32,95%), não fumantes (96,23%), vida social ativa (85,85%), não praticantes de atividade física (50,94%) e com índice de massa corpórea indicando sobrepeso (31,12%). O grupo intervenção apresentou menores valores (p<0,001) de PA sistólica e PA diastólica em comparação com o grupo controle. Foi identificada diferença estatisticamente significativa no escore de ansiedade entre os grupos (p<0,001) e grande tamanho do efeito na redução da ansiedade foi notado após o procedimento de colecistectomia por videolaparoscopia (η2 = 0,186). Conclusão: O uso da música como terapia não farmacológica auxilia na diminuição dos níveis de ansiedade de pacientes em pré operatório de colecistectomia por videolaparoscopia. Devendo ser prescrita e utilizada como terapia complementar para redução da ansiedade perioperatória

  • CLEYSE CAROLINE ALVES DE ALENCAR
  • SUBCONJUNTO TERMINOLÓGICO DA CLASSIFICAÇÃO INTERNACIONAL PARA A PRÁTICA DE ENFERMAGEM (CIPE®) PARA O CUIDADO À GESTANTE DURANTE O TRABALHO DE PARTO
  • Orientador : MARIA DO SOCORRO CLAUDINO BARREIRO
  • Data: 27/02/2023
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O uso do processo de enfermagem contribui para a continuidade do cuidado e o atendimento integral. Levando em consideração a reduzida quantidade de conceitos diagnósticos de enfermagem voltados especificamente para o cuidado durante o trabalho de parto, somada à inexistência de um subconjunto terminológico da Classificação Internacional para a Prática de Enfermagem (CIPE®) sobre o tema e a importância do processo de enfermagem e da sistematização da assistência, o presente projeto de pesquisa teve como objetivo desenvolver um subconjunto terminológico da CIPE® para o cuidado à gestante durante o trabalho de parto. A pesquisa foi realizada por meio de um estudo metodológico constituído em quatro etapas e contou com a participação de profissionais especialistas que atuam no cuidado à gestante durante o trabalho de parto, para avaliar e validar os termos encontrados. As etapas foram: 1) identificação de termos relevantes; 2) mapeamento cruzado dos termos identificados com termos da CIPE®; 3) seleção de enunciados Diagnósticos (DE), Resultados (RE) e Intervenções de Enfermagem (IE) pré-coordenados; 4) estruturação do subconjunto terminológico. Na primeira etapa, foram coletados termos relevantes acerca da temática através de revisão integrativa e análise com o software IRaMuTeQ, que passaram por processo de validação para certificar sua relevância para prática clínica; na segunda, foi realizado um mapeamento cruzado desses termos com os termos contidos na CIPE®; na terceira etapa, foram selecionados os enunciados coordenados de DE/RE e IE; e na última etapa, foi construído o subconjunto terminológico com os enunciados, subdivididos de acordo com a Teoria das Necessidades Humanas Básicas de Horta. A revisão integrativa resultou em 19 artigos para análise. Após a leitura exaustiva e na íntegra dos 19 artigos, e a análise do software IRaMuTeQ, foram encontrados 39 termos para compor o instrumento de validação. Realizou-se o teste de confiabilidade alfa de Cronbach para avaliar o nível de confiabilidade do instrumento de pesquisa, resultando em valor de alfa de 0,957, resultando em uma consistência interna considerada excelente. A validação foi realizada por 20 avaliadores expertises na área e, após a avaliação do instrumento, 24 termos foram validados. Após o cruzamento entre termos validados e conceitos pré-coordenados da CIPE®, 15 termos foram associados a enunciados diagnósticos, resultando em 21 enunciados Diagnósticos de Enfermagem e 167 Intervenções de Enfermagem associadas a estes DE, compondo assim o Subconjunto Terminológico, dividido de acordo com as Necessidades Humanas Básicas e seus domínios, da Teoria de Wanda Horta. A elaboração do Subconjunto Terminológico da CIPE® para o cuidado à gestante durante o trabalho de parto visa contribuir para o cuidado de enfermagem através da construção e disponibilização de uma ferramenta com linguagem padronizada e unificada a fim de sustentar a prática de enfermagem baseada em evidências e favorecer a implementação do processo de enfermagem, direcionando as ações dos profissionais da área.

  • JAQUELINE GUIMARÃES ELÓI DE BRITO
  • FATORES RELACIONADOS À OCORRÊNCIA DO NEAR MISS MATERNO
  • Orientador : MARIA DO SOCORRO CLAUDINO BARREIRO
  • Data: 27/02/2023
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: o Near Miss Materno é definido como uma mulher que sobreviveu a uma complicação grave, ocorrida durante a gravidez, o parto ou em até 42 dias após o término da gestação. Objetivo: avaliar os fatores relacionados à ocorrência do Near Miss Materno. Material e métodos: trata-se de uma pesquisa quantitativa e transversal com abordagem descritiva. A amostra foi composta de 89 puérperas internadas em uma maternidade de alto risco localizada em Sergipe, Brasil. Foram analisadas as variáveis sociodemográficas maternas, à assistência pré-natal, ao parto e ao puerpério imediato. Para análise estatística, as variáveis quantitativas foram analisadas por meio de média, desvio-padrão, valor mínimo e valor máximo. As variáveis qualitativas/categóricas foram analisadas a partir de técnicas uni e bivariada no IBM® SPSS - Statistical Package for the Social Sciences. Foram estimadas associações entre as variáveis qualitativas/categóricas por meio dos testes Qui-quadrado de Independência de Pearson e do Exato de Fisher, sendo calculada a Razão de Prevalência (RP) com seus respectivos Intervalos de Confiança de 95%. Resultados: A maioria das mulheres estava na faixa etária de 18 a 34 anos (74,15%; n= 66) durante a gravidez; (95,50%; n= 85) se autodeclararam com cor da pele não-branca, residentes da zona urbana (60,67%; n= 54), cursaram ensino fundamental (64,04%; n= 57) e possuíam renda familiar de > 1 salários-mínimos (SM) e ≤ 2 SM (57,30%; n= 51). 97,75% (n= 87) das puérperas avaliadas foram classificadas como NMM pelos critérios propostos por Waterstone et al., (2001). Nestas as síndromes hipertensivas (PE grave, Eclâmpsia e Síndrome HELLP) foram os casos mais frequentes. Apenas duas pacientes se enquadraram pelos critérios da OMS: realização de histerectomia puerperal por infecção ou hemorragia (2,24%; n= 2). Conclusão: Os distúrbios hipertensivos destacam-se entre as causas de NMM, o que evidencia a necessidade de melhorias no rastreio e tratamento dos elevados níveis pressóricos das gestantes nos serviços de pré-natal, bem como adequada assistência obstétrica para os casos mais graves.

  • PAULO HENRIQUE SANTANA FEITOSA SOUSA
  • Qualidade de Vida, Religiosidade e Espiritualidade em Profissionais de Saúde do Estado de Sergipe
  • Orientador : FERNANDA GOMES DE MAGALHÃES SOARES PINHEIRO
  • Data: 27/02/2023
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: os profissionais de saúde são expostos, constantemente, a riscos inerentes aoregime de trabalho, lidando diariamente, com o processo saúde-doença, o que podeinfluenciar na qualidade de vida que envolvem domínios da saúde física, estado psicossocial,crenças pessoais e relações sociais. Com o avanço da ciência, provou-se que a fé temcientificidade e está ligada à fisiologia humana e impacta nesses domínios, assim comoreligiosidade e/ou espiritualidade (R/E). Logo os aspectos de como os profissionais de saúdese sentem a respeito da qualidade de vida, saúde e outras áreas de vida associando-os àreligiosidade e/ou espiritualidade é importante para saúde do trabalhador, ocupacional e bem-estar. Objetivos: avaliar a percepção da qualidade de vida dos profissionais de saúde deSergipe e suas possíveis relações com a espiritualidade e religiosidade. Materiais e métodos:estudo survey transversal, realizado em hospitais públicos e privados do Estado de Sergipe,que incluiu profissionais de saúde de nível médio e nível superior. Os instrumentos de coletade dados foram o questionário sociodemográfico, o World Health Organization Quality OfLife (WHOQOL-SRPB-bref), a Escala de Atitudes Relacionadas a Espiritualidade (ARES) eo Índice de Religiosidade de Duke (DUREL). Todas as etapas da pesquisa foram realizadasem ambiente virtual. Os dados foram exportados para um software R Core Team (Versão4.1.0). Após serem codificados e tabulados, foram analisados por meio de estatísticadescritiva e as variáveis quantitativas, apresentadas por meio de medidas de tendência centrale medidas de dispersão (média, mediana e quartil); para as variáveis categóricas, frequênciasrelativas e absolutas. A hipótese de independência entre variáveis categóricas foi testada pormeio dos testes Qui-Quadrado de Pearson e Exato de Fisher. Resultados: Participaram doestudo 211 profissionais, com média de idade igual a 36,6 anos (DP:8,2), 74,9% são do sexofeminino, 59,7% se identificam como pardos, 94,3%, 60,7% possuem renda de 3 salários-mínimos. Constatou-se média nos domínios Físico de 71,5 (DP:14); psicológico, 66,8 pontos(DP:14,8); Relações Sociais, 69,3 pontos (DP:16,8); Meio Ambiente, 61,4 pontos (DP:14,2);Espiritualidade/Religião/Crenças pessoais, 74,6 pontos (DP:15); já no item de Qualidade deVida Global, 69,9 pontos (DP:20,4); no item de Percepção Geral da Saúde, 66,4 pontos(DP:21); e no total: 68,9 pontos (DP:11,6). Sobre a escala ARES, verificou-se média nodomínio Crenças e espiritualidade de 22,8 pontos (DP:3); no domínio Práticas espirituais, 8,9pontos (DP:1,8); no domínio Experiências Espirituais, 9,1 pontos (DP:1,5);Atitudes/consequências, 13,7 pontos (DP:2,1); e no total: 54,5 pontos (DP:7,4). No que dizrespeito à escala DUREL, notou-se média no domínio Religiosidade Organizacional de 3,4pontos (DP:1,4), no domínio Religiosidade Não Organizacional de 3,1 pontos (DP:1,6) e nodomínio Religiosidade Intrínseca de 5,3 pontos (DP:2,4). Conclusão: Os dados destainvestigação demonstraram Qualidade de Vida (QV) satisfatória para os profissionais desaúde. O sexo, a renda, nível de instrução e o tipo de serviço (público ou privado) influencioupositivamente na percepção de QV. A enfermagem foi a categoria profissional que maisapresentou insatisfação e impacto negativo devido à renda na QV. A Religiosidade e aEspiritualidade apresentadas pelos entrevistados foram satisfatórias (acima da média) edemonstraram sofrer influência pelo sexo, renda, setor de trabalho e ter filhos. Estes achadospermitiram refletir acerca da relação entre a QV, Religiosidade e a Espiritualidade (R/E), econcluir que estas, dão sentido à vida dos profissionais de saúde, bem como, incentivam aterem melhores relacionamentos. Sugere-se que diante dos resultados encontrados medidasinstitucionais sejam adotadas visando melhorar a qualidade de vida dos profissionais de saúdee que o ensino da religiosidade e espiritualidade seja inserida nos currículos acadêmicos, umavez comprovado seu impacto positivo na percepção de qualidade de vida.

  • JONATHA COSTA DOS SANTOS ALVES
  • A SINDEMIA DE COVID-19 AFETA DESPROPORCIONALMENTE AS ÁREAS MAIS VULNERÁVEIS DO BRASIL?
  • Orientador : ALLAN DANTAS DOS SANTOS
  • Data: 27/02/2023
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: devido à suscetibilidade universal, a pandemia de covid-19 rapidamente atingiu escala global. Os impactos da covid-19 afetaram desproporcionalmente os estratos populacionais mais vulneráveis. No Brasil, o crescimento exponencial dos casos e a alta vulnerabilidade social agem sinergicamente para o agravamento da situação epidemiológica, especialmente na região Nordeste. Objetivo: analisar o padrão espacial da incidência de covid-19 e sua associação com determinantes sociais de saúde (DSS) na região Nordeste do Brasil durante o primeiro ano de pandemia, sob a perspectiva sindêmica. Materiais e métodos: estudo ecológico de base populacional, utilizando técnicas de análise espacial para avaliar o padrão espacial da incidência de COVID-19 nos municípios do Nordeste do Brasil e sua associação com DSS sob a perspectiva sindêmica. Foram utilizados bancos de dados oficiais do sistema de saúde brasileiro para os casos de Covid-19. Os dados espaciais e sociodemográficos foram obtidos pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística e pelo Atlas do Desenvolvimento Humano do Brasil (ALTAS). As estatísticas realizadas compuseram análise dos dados utilizando os modelos de regressão global: Ordinary Least Squares (OLS) e Spatial Lag, e o Modelo de Regressão MultiescalaGeograficamente Ponderado (MGWR). Resultados: a análise espacial revelou uma distribuição ampla e heterogênea na região Nordeste. Foram encontrados um padrão espacial da incidência da COVID-19i elevado em 187 municípios do Nordeste brasileiro, destacando os estados da Bahia (53), Rio Grande do Norte (36), Paraíba (27), Ceará (26), Piauí (24), Sergipe (11), Maranhão (9) e Pernambuco (1). Os achados do estudo revelaram que o índice de Gini, percentual de pobreza, taxa de analfabetismo e percentual de pessoas em domicílios vulneráveis à pobreza e dependentes de idosos foram fatores preditores para altas taxas de incidência por COVID-19. Os resultados reforçaram a teoria sindêmica ao considerar os efeitos sinérgicos das interações entre os processos biológicos e as desigualdades sociais, econômicas e de poder que moldam a distribuição do processo saúde-doença em uma sociedade e devem ser consideradas alertas no atual cenário para melhorias na gestão e propostas estratégicas de medidas de saúde pública locais e globais. Conclusão: os estudos mostraram que os Sistemas de Informações Geográficas podem fornecer apoio à vigilância epidemiológica da covid-19 e auxílio na tomada de decisões. Houve tendência crescente da incidência por Covid-19 no Nordeste do Brasil e a distribuição espacial dos casos foi heterogênea com aglomerados de alto risco. Os indicadores índice de Gini, a taxa de analfabetismo, o percentual de pobreza e o percentual de pessoas em domicílios vulneráveis à pobreza e dependentes de idosos são determinantes sociais de maior incidência de covid-19 no Nordeste. As tendências crescentes foram observadas principalmente nos municípios com maior índice de vulnerabilidade social. Portanto, os resultados podem ser úteis para a geração de novas hipóteses de estudos sobre o processo sindêmico e para a formulação de políticas públicas intersetoriais para as áreas de maior vulnerabilidade social

  • CAMILA OLIVEIRA SERRA
  • Influência do isolamento social na qualidade de vida e sintomas climatéricos: um comparativo pré, durante e após restrição social.
  • Orientador : LEONARDO YUNG DOS SANTOS MACIEL
  • Data: 27/02/2023
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Devido a alteração na pirâmide etária enfrentada pelo Brasil, cada vez mais mulheres vivenciam o aparecimento da

    sintomatologia do climatério, o que interfere negativamente na produtividade, comportamento e na qualidade de vida destas. Objetivo:

    Comparar sintomas climatéricos, índices de qualidade de vida e atitudes de autocuidado em mulheres antes, durante e após o

    isolamento social causado pela pandemia do COVID-19. Método: Este estudo transversal foi realizado em janeiro de 2020 e dezembro

    de 2022, a amostra foi composta por 407 mulheres climatéricas, divididas em três grupos: Antes do Isolamento Social (n=62), Durante

    Isolamento Social (n=280) e Após Isolamento Social (n=65). A Menopause Rating Scale e o Women´s Health Questionnaire foram

    aplicados para medir a qualidade de vida relacionada à saúde e o grau de sintomas climatéricos relatados pelas mulheres.

    Resultados: Idade, raça e nível de escolarridade apresentram diferença estatistica insignificante entre os grupos (p<0,005). Nos scores

    da Menopause Rating Scale apenas o domínio dos sintomas somáticos apresentou diferenças relevantes (p=0,005), bem como o

    dominio função sexual do Women´s Health Questionnaire (p=0,004). Conclusão: O isolamento social causado pela pandemia da

    COVID-19 não prejudicou a maioria dos sintomas autorreferids pelas mulheres climatéricas.

  • BEATRIZ ALMEIDA SANTOS
  • Coinfecção TB-HIV no Brasil: uma análise epidemiológica, temporal e espacial.
  • Orientador : SHIRLEY VERÔNICA MELO ALMEIDA LIMA
  • Data: 27/02/2023
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A Tuberculose (TB) e a Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (AIDS) são doenças infectocontagiosas com maior mortalidade no mundo. O HIV deprime o sistema imunológico deixando-o susceptível ao adoecimento por TB. Considera-se que a associação entre as duas doenças constitui uma condição de saúde potencialmente fatal. Caracterizado como uma coepidemia, com impacto “agressivo” no curso das duas patologias, tornando-se um desafio para a saúde pública. O Brasil compõe o grupo dos 20 países com maior número estimado de casos de TB e de coinfecção TB-HIV. Objetivo: Analisar o padrão epidemiológico, espacial e temporal da co-infecção TB-HIV no Brasil entre os anos de 2001 a 2020. Material e Método: Trata-se de um estudo ecológico e de serie temporal, com técnicas de analise espacial e uso de dados secundários provenientes do SINAN. As variáveis categóricas foram sumarizadas em frequência simples e absoluta. Na análise espacial foi utilizado o método bayesiano para suavização de taxas e o índice de Moran para avaliar autocorrelação espacial. A análise de tendência foi realizada por meio do modelo de regressão Joinpoint. Para tendência, foram consideradas seis variáveis dependentes em cada segmento de análise: incidência de coinfecção TB-HIV no Brasil e por regiões brasileiras; por sexo; por faixa etária e zona de residência, evolução do caso e como variável independente os anos. Resultados: Foram confirmados 179.067 casos novos de coinfecção TB-HIV no período de 2001 a 2020, no Brasil. Ademais, houve predomínio de indivíduos do sexo masculino (71%), pardos (34,0%), entre 35-44 anos de idade (33,8%), com ensino fundamental incompleto (37,7%), residentes em zona urbana (70%) e na região Sudeste do país (46,2%) prevalencia da forma pulmonar (66%). Em relação às variáveis associadas ao tratamento, constatou-se importante subnotificação (46,2%) referente ao TDO e (33,3%) dos coinfectados não realizaram-o. Todavia, apenas (46%) dos coinfectados evoluiram a cura. Em relação à tendência das taxas brutas de incidência, observou-se uma tendência crescente nas regioes Norte, Nordeste e Centro-Oeste. Em relação à distribuição espacial dos casos de TB-HIV, nota-se elevada incidência (cinco ou mais casos por 100 mil habitantes) localizados nos estados do Amazonas, Roraima, Pará, Pernambuco, Mato Grosso, Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Adicionalmente, foram encontradas áreas que apresentam correlação local significativa, compreendendo 1004 municípios de todos os estados do país, com exceção do Amapá. Foi encontrada autocorrelação espacial positiva em 270 municípios considerados prioritários, localizados principalmente nos estados do Amazonas, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rio de Janeiro, São Paulo e Rio Grande do Sul, distribuídos principalmente nas regiões Sul e sudeste do Brasil. Conclusão: O presente estudo contribui para a identificação do perfil epidemiológico dos casos de coinfecção TB-HIV no Brasil, subsidiando a elaboração e implementação de políticas públicas direcionadas à prevenção agravo através de uma abordagem espacial de risco e temporal. As técnicas de análise espacial tornaram o estudo viável e configuraram-se como uma importante ferramenta metodológica para um melhor conhecimento da dinâmica da coinfecção no Brasil e definição das principais áreas de risco.

  • DÉBORA AMORIM DE VASCONCELOS
  • PREVENÇÃO E CONDUTAS FRENTE A EVENTOS ADVERSOS PÓS-VACINAÇÃO: REVISÃO SISTEMÁTICA DA LITERATURA E CONSTRUÇÃO DE FLUXOGRAMAS
  • Orientador : GLEBSON MOURA SILVA
  • Data: 27/02/2023
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Evento adverso pós-vacinação é qualquer eventualidade médica após a imunização, podendo ou não ter uma ligação causal com o uso de imunobiológicos. A enfermagem é responsável pela prática de vacinação, sendo fundamental na prevenção de erros de imunização e conduta diante destes eventos. O estudo objetivou averiguar as evidências científicas e construir fluxogramas sobre prevenção e conduta da enfermagem frente aos eventos adversos pós-vacinação na atenção primária à saúde. Realizou-se a pesquisa em duas etapas, sendo a primeira uma revisão sistemática com registro no PROSPERO pelo identificador CRD42022313144 e busca nas bases de dados MEDLINE, LILACS, Embase, CINAHL e Scopus. Houve a inclusão de estudos que envolvessem intervenções educativas com profissionais de saúde atuantes na vacinação para prevenção e conduta dos eventos adversos pós-vacinação e estudos observacionais sem restrições de idioma e ano. A avaliação de viés dos estudos foi mediante o JBI Critical Appraisal Checklist for Quasi-Experimental Studies e a análise qualitativa através do software IRaMuTeQ. A segunda etapa consistiu na construção de fluxogramas para prevenção e conduta dos eventos adversos pós-vacinação por meio de uma análise de dados extraídos da revisão sistemática e de manuais do Ministério da Saúde sobre o processo de imunização. Atenderam os critérios de inclusão da RS um total de seis artigos e os estudos apresentaram melhoras significativas pós-intervenção na conduta dos profissionais em relação a imunização. A avaliação do risco de viés dos estudos evidenciou que a maioria possuem moderado risco. A análise qualitativa através da classificação hierárquica descendente, emergiu quatro classes com as seguintes nomeações: Intervenção educativa para o manejo adequado dos eventos adversos pós-vacinação, intervenção educativa para o descarte de resíduos em sala de vacinas, intervenção educativa para a manutenção adequada da rede de frio e intervenção educativa em administração de vacinas. A análise de similitude mostrou cinco palavras de maior co-ocorrência: saúde, imunização, vacina, treinamento, técnico e a nuvem de palavras apresentou: estudo, saúde, imunização, vacina e treinamento. O total de seis fluxogramas foram construídos e nomeados da seguinte forma: Checagem e preparo diário da rede de frio para início da vacinação, triagem em vacinação, preparo, manuseio e administração de vacinas, condutas após a administração de vacinas, condutas frente aos eventos adversos pós-vacinação e/ou erros de imunização e checagem e preparo diário da rede de frio para encerramento da vacinação. A construção dos fluxogramas visa apoiar a educação permanente em saúde no processo de imunização com foco na prevenção e manejo de eventos adversos pós vacinação, pois é uma ferramenta educacional de fonte segura com linguagem sintética, acessível, atualizada e de fácil compreensão. Enfatiza-se a importância de sensibilizar e auxiliar a gestão de saúde e o enfermeiro no fornecimento de estratégias educativas no âmbito vacinal por meio de uma reflexão crítica do trabalho para a promoção de práticas seguras na vacinação.

  • DOUGLAS VINÍCIUS DOS SANTOS FEITOSA
  • VALIDAÇÃO DE INSTRUMENTO PARA NOTIFICAÇÃO DE POTENCIAIS DOADORES DE CÓRNEA
  • Orientador : ELIANA OFELIA LLAPA RODRIGUEZ
  • Data: 15/02/2023
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O Brasil possui o maior sistema público para a realização de transplante, entretanto, a uma crescente desigualdade no quantitativo de pacientes em lista em contrates com o número de transplantes realizados. A doença da córnea é a quinta causa de cegueira e em vários estados do Brasil, a falta de tecidos oculares e de Banco de Olhos capacitados para fornecer córneas em quantidade e qualidade adequadas para suprir a demanda de transplantes ainda é uma realidade. Dessa forma, a busca por instrumentos para a identificação de indicadores capazes de auxiliar no desenvolvimento de estratégias para melhorar o processo de doação e transplante de órgãos e aumentar o número de doadores efetivos é uma necessidade crucial. Objetivo: Validar quanto ao conteúdo um instrumento para notificação de potenciais doadores de córnea. Material e Métodos: Pesquisa de desenvolvimento metodológico para validação de instrumento. A amostra foi por conveniência e composta por juízes conforme os critérios de inclusão. Os juízes avaliaram cada item quanto à sua permanência no instrumento utilizando uma escala de Likert de três pontos. A validação de conteúdo foi realizada em duas rodadas através da técnica Delphi. Os dados foram armazenados no banco de dados do Google Forms e, em seguida, analisado estatisticamente pelo RStudio. Análise quantitativa se deu através do cálculo do índice de validade de conteúdo (IVC). A validade de conteúdo dos itens neste estudo foi considerada quando IVC ≥ 0,80, conforme referencial metodológico, além do teste binomial com nível de significância de 5%, para verificar, se a concordância foi igual ou superior a 80%, teste de Alfa de Cronbach e Kappa. O presente estudo respeitou as exigências formais contidas na resolução Nº 466/2012 do Conselho Nacional de Saúde e sendo aprovado pelo comitê de ética em pesquisa da Universidade Federal de Sergipe, conforme parecer nº 4.857.733 e Certificado de Apresentação para Apreciação Ética: nº 43947421.9.0000.5546. Resultados: Os resultados demonstram que os juízes foram constituídos por enfermeiros (68,8%), médicos (25%) e assistente social (6,2%). Entre os juízes, 68,8% eram do sexo feminino, a maioria residentes na região do Nordeste brasileiro (68,8%), com uma média de idade de 44,25 anos. Ao final das rodadas os 124 itens foram validados, nenhum atingiu o consenso de exclusão, o instrumento global obteve um índice de validade de conteúdo de 91,6% entre os juízes e o resultado do teste de Alfa de Cronbach evidenciou-se um escore total de excelência, com α igual a 0,954 para todo o instrumento. Conclusão: Dessa forma, com esse estudo, foi possível validar um instrumento quanto o seu conteúdo através do método Delphi composto por 124 itens, os quais servirá para notificação de potenciais doadores de córnea, possibilitando uma eficiente redução de perdas de doadores, contribuindo para que o número de doadores de tecido corneano cresça na região.

  • ITAMARA VANESSA SANTOS
  • Perfil das pacientes obstétricas em uma Unidade de Terapia Intensiva: análise de índices de gravidade
  • Data: 27/01/2023
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: As pacientes no ciclo gravídico puerperal internadas em uma unidade de terapia intensiva (UTI) apresentam risco de complicações, tais como hemorragia, sepse e lesão renal, os quais aumentam o tempo de internação e a morbimortalidade. Sendo assim, o reconhecimento precoce desses riscos promove o desenvolvimento de estratégias preventivas a favor de desfechos clínicos satisfatórios. Objetivos: avaliar o perfil epidemiológico e clínico de pacientes obstétricas na Unidade de Terapia Intensiva e associar o uso de instrumentos para a identificação e determinação da gravidade e lesão renal. Método: estudo longitudinal, do tipo coorte prospectivo realizado em uma UTI de uma maternidade filantrópica do estado de Sergipe. O período da coleta de dados foi de fevereiro a outubro de 2022. Foram utilizados os índices SOFA e SAPS 3 para avaliação da gravidade e a ferramenta KDIGO para avaliação da função renal. O estudo foi realizado respeitando os preceitos éticos estabelecidos na legislação vigente. Os dados foram inseridos em uma planilha de Excel e exportados para um software R Core Team 2022 (versão 4.2.1), por meio de estatística descritiva. A significância estatística considerada foram os valores de p≤0,05. Resultados: A média de idade das mulheres foi de 27,1 ±7,1, pardas, em união estável, de 1 a 7 anos de escolaridade, sem renda familiar, com tempo médio de internação de 3,6 ± 3,2 dias, idade gestacional:37,6 ± 2,7 semanas, multigestas, com predomínio do parto cesáreo, realização de 7,2 ± 2,9 consultas de pré-natal e com hipertensão arterial sistêmica (HAS). Foram transferidas para enfermaria 93,3% e 8,8% tiveram óbito fetal, 2,9% foram dialisadas e 6,1% evoluíram para o óbito. Os índices de gravidade representados pelo SOFA e SAPS 3 apresentaram uma pontuação média de 2,4 ±3,6; 37,5 ± 11,8 respectivamente e foram associados a menor idade gestacional. A predição de mortalidade média foi de 9,3%. A pré-eclâmpsia e a multiparidade foi associada a maior gravidade pelo SAPS 3 (p<0,05). Sonda nasoenteral, acesso venoso central, uso de drogas vasoativas, sedação e entubação orotraqueal tiveram significativamente os índices de gravidade elevados (p<0,05). Ao relacionar o SOFA e o SAPS 3 com a creatinina e a ferramenta KDIGO, a gravidade esteve presente na creatinina de 1 semana e no KDIGO I-III (p<0,05). Com relação a ferramenta KDIGO, sem lesão renal aguda esteve presente em 63,6 % da amostra, o KDIGO I em 27,3% e o KDIGO II-III em 9,1%. A razão de chances das pacientes obstétricas com HAS, o uso de sonda nasoenteral, ter alta creatinina na admissão e nas 48 horas foi 18 vezes, 14 vezes,46 vezes e 17 vezes maior para desenvolvimento do KDIGO I-III, respectivamente (p<0,05). Conclusão: Os dados desta investigação demonstram sensibilidade prognóstica semelhantes para ambos os índices de gravidade estudados, com predição de mortalidade inferior a 10% e elevadas pontuações no SOFA e SAPS 3 das pacientes procedentes da maternidade de alto risco, com menor idade gestacional, diagnósticos não relacionados a gravidez e multigestas. Com relação aos desfechos quanto maior a pontuação, maior potencial para evoluírem ao óbito e quanto menor a pontuação mais chances de sobrevida e transferência da UTI. O risco de lesão renal aguda foi associado a HAS, altos valores da creatinina sérica nas pacientes com necessidade de tratamento intensivo por uma semana ou mais e pontuações mais altas no SOFA.

2022
Descrição
  • ARTHUR CESAR DE MELO TAVARES
  • INCIDÊNCIA DE LESÃO RENAL AGUDA E FATORES CLÍNICOS ASSOCIADOS EM PACIENTES COM COVID-19 EM UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA: COORTE RETROSPECTIVA
  • Orientador : EDUESLEY SANTANA SANTOS
  • Data: 09/12/2022
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A lesão renal aguda (LRA) é uma síndrome caracterizada pela redução da taxa de filtração glomerular, de natureza gradual que ocorre em dias ou horas, com repercussões negativas a diversos órgãos. Pacientes infectados pela Severe acute respiratory syndrome coronavirus (SARS-COV-2), admitidos em unidades de terapia intensiva (UTI), são mais propensos a desenvolvê-la, tanto pela instabilidade clínica em que se encontram, quanto por estarem mais expostos aos fatores de riscos prévios. Objetivo: Avaliar a incidência, fatores de risco, gravidade e mortalidade de pacientes com COVID-19 que desenvolvem LRA. Método: Trata-se de um estudo do tipo coorte retrospectiva, realizado entre abril/2020 até janeiro/2022, com pacientes internados em UTI do estado de Sergipe (180 pacientes), com idade igual ou superior a 18 anos, tempo de permanência mínima de 24 horas e diagnóstico de Coronavirus Disease 2019 (COVID-19) detectável através do Reverse Transcription-Polymerase Chain Reaction (RT-PCR). Os dados foram coletados para caracterização sociodemográfica, clínica e história da doença atual, caracterização clínica admissional na UTI, caracterização farmacológica na admissão à UTI e em 24 horas após admissão, desfecho e acompanhamento por 15 dias do paciente na UTI. O projeto de pesquisa foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal de Sergipe, com parecer favorável sob número 5.144.304/2021. Resultados: Dentre os pacientes do estudo, os pertencentes ao grupo com LRA possuíam idade senil. Além disso, diagnóstico prévio de câncer esteve relacionado à LRA. Assim, houve um predomínio de 68,3% no estágio 3, seguido de 21,15% do estágio 1, baseados nos critérios KDIGO. Destes, 43,3% foram submetidos a terapia renal substitutiva (TRS), em que o tempo de sobrevivência na UTI foi de apenas 16 dias, ao passo que pacientes sem necessidade de TRS, sobreviveram em 20 dias. Em consonância aos desfechos desfavoráveis, durante o período de 15 dias de internação na UTI, os pacientes apresentaram os piores índices de gravidade, com piora progressiva entre os pacientes submetidos a sessões dialíticas. Em destaque, aos elevados índices de mortalidade em 70% nos pacientes que desenvolveram a LRA, ao passo que o risco relativo foi de 1,81 vezes mais chances de mortalidade na UTI, quando comparado aos pacientes sem a LRA. Assim, a capacidade preditiva do escore SOFA em avaliar a necessidade de diálise foi maior. Conclusão: O desenvolvimento da LRA em pacientes com COVID-19 internados em UTI é multifatorial. Observamos que as comorbidades pré-existentes e os elevados índices de gravidade no período admissional, são importantes indicadores de previsibilidade aos desfechos óbito, necessidade de TRS e chance de sobrevida reduzido, relacionado ao KDIGO 3. Preconiza-se a adoção imediata de medidas preventivas e estratificação do perfil de gravidade o mais precoce possível, sobretudo em consonância as práticas avançadas em enfermagem no manejo clínico dos pacientes criticamente enfermos com a LRA e COVID-19.

  • FERNANDA BARBOSA MAGALHÃES
  • Avaliação do impacto de um protocolo de prevenção de lesão por pressão nos desfechos clínicos de pacientes internados na unidade de terapia intensiva: ensaio clínico randomizado
  • Orientador : EDUESLEY SANTANA SANTOS
  • Data: 05/12/2022
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: considerada um dos principais eventos adversos (EAs) relacionados à assistência em serviços de saúde, a lesão por pressão (LP) pode ser resultante da longa permanência de internação dos pacientes em Unidades de Terapia Intensiva (UTI). O cuidado de enfermagem ao paciente com risco de LP ainda é pautado no conhecimento individual do enfermeiro. Para a ascensão desse cuidado é necessário programar uma assistência de enfermagem respaldada em um processo fundamentado nas evidencias científicas. Por sua vez, o protocolo de prevenção de LP, é um instrumento de cunho científico, validado para conduzir as ações do processo de enfermagem. Objetivo: avaliar o impacto da implantação de um protocolo para prevenção de lesões por pressão em pacientes de unidade de terapia intensiva. Método: trata-se de um estudo do tipo ensaio clínico randomizado e controlado open-label (ensaio aberto). Foram analisados 139 pacientes admitidos na UTI entre fevereiro 2021 e novembro de 2021, avaliados pela escala revista de Cubbin & Jackson (C&J), seguindo da análise dos critérios de inclusão: idade igual ou maior a 18 anos, tempo de admissão nas unidades de cuidados críticos < 24h, não possuir LP no momento da primeira avaliação. Aos pacientes randomizados para o grupo intervenção (GI), foram dirigidas ações que compõem o protocolo de prevenção de LP e os pacientes do grupo controle (GC) receberam os cuidados rotineiros da unidade em estudo. Esses pacientes, alocados no GC e GI foram acompanhados sistematicamente por um período de 10 dias na UTI. Resultados: foram randomizados 92 pacientes distribuídos em GC (46 pacientes) e GI (46 pacientes). Durante os 10 dias de aplicabilidade do projeto 35 (38,1%) pacientes desenvolveram LP, sendo 9 (19,6%) pacientes do GI vs 26 (56,5%) pacientes do GC, [19,6% (9) GI com LP vs 56,5% (26) GC com LP]. Quanto ao estadiamento a classificação das LP foi avaliada a extensão do dano causado aos tecidos dos 35 pacientes que desenvolveram LP; 24 pacientes desenvolveram LP G2, 9 estavam alocados no GI vs 15 no GC; 11 pacientes apresentaram LP G3, todos pertencentes ao GC, nenhum paciente do GI apresentou LP G3. Tempo de internação hospitalar (TIH) do GC vs GI (30,5 dias vs 23 dias), Tempo de internação em UTI (TIUTI) do GC vs GI (20 dias vs 17,5 dias). A avaliação diária do NAS evidenciou que durante os 10 dias de aplicação do protocolo de prevenção de LP não houve impacto na carga de trabalho da equipe de enfermagem quando comparado o GC vs GI. Conclusão: o protocolo de prevenção de lesão por pressão proposto neste estudo reduziu a incidência de LP nos pacientes e não aumentou a carga de trabalho de enfermagem.

  • MONIERY DA SILVA SANTOS
  • Música no Alívio da Dor e da Ansiedade durante a Injeção Intravítrea: ensaio clínico randomizado
  • Orientador : MARIA DO CARMO DE OLIVEIRA
  • Data: 04/11/2022
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: os procedimentos oftalmológicos são caracterizados por serem nociceptivos, podendo causar dor e ansiedade. A injeção intravítrea (IVI) é o tratamento de escolha para doenças da retina e um procedimento doloroso, realizado apenas sob anestesia local. O uso de métodos não farmacológicos, a exemplo da música, para o alívio da dor e da ansiedade têm sido investigados em diversos cenários clínicos. Objetivo: avaliar o efeito da música no alívio da dor e da ansiedade em participantes submetidos à injeção intravítrea. Método: ensaio controlado e randomizado cego, que foi desenvolvido em uma clínica privada, na cidade de Aracaju (SE) e seguiu as diretrizes CONSORT. Foram incluídos na pesquisa: pessoas com idade igual ou superior a 18 anos; que foram submetidas a IVI do tratamento das seguintes doenças: edema macular diabético, degeneração macular relacionada à idade ou oclusão da veia central da retina. Os participantes foram alocados em dois grupos: um controle (GC), no qual analgesia padrão foi disponibilizada e não houve intervenção musical; e um experimental (GE) que além da analgesia padrão, foi administrada escuta musical de acordo com a preferência do paciente, permanecendo durante todo o procedimento. A randomização foi feita por meio de envelopes opacos, selados e numerados de maneira sequencial. Os desfechos principais do estudo foram a dor e a ansiedade, medidas por meio da Escala Verbal Numérica e do Inventário de Ansiedade Traço-Estado, respectivamente. A pesquisa foi aprovada pelo Comitê de Ética e Pesquisa da Universidade Federal de Sergipe (CAAE: 42686820.0.0000.5546; Parecer 4.576.437) e registrada na REBEC (UTN code: U1111-1267-8462). As variáveis categóricas foram descritas por meio de frequências brutas e porcentagens e as variáveis contínuas por meio de média e desvio padrão ou mediana e intervalo interquartil. A hipótese de independência entre as variáveis categóricas foi testada pelos testes Exato de Fisher ou Qui-Quadrado de Pearson. A hipótese de aderência das variáveis contínuas à distribuição normal foi testada pelo teste de Shapiro-Wilk. Foi testada a hipótese de igualdade de médias ou medianas em um contexto de medidas repetidas por meio de ANOVA. O nível de significância adotado foi de 5% e o software utilizado foi o R Core Team 2022 (Versão 4.2.0). Resultados: a amostra foi homogeneamente distribuída entre os grupos quanto às características de base, composta por 52 participante, predominantemente homens (63,5%; n=52), com idade média de ± 62,7 anos (±8,2), que possuíam diabetes mellitus tipo 2 (94,2%; n=52). Mais da metade (59,6%; n=52) precisou receber aplicação da IVI pelo diagnóstico de retinopatia diabética. Antes e depois do procedimento, os participantes não relataram dor. Já no momento da introdução da agulha, foi referido uma dor leve. A dor referida foi significativamente diferente entre os grupos quando da realização da IVI (GE: 1,5± [0-3]; GC: 0,5± [0,3]; 0,096B; 0,537M). A ansiedade foi considerada leve antes (GE: 28 [35-34]; GC: 28 [24-37]) e após (GE: 24 [22-27]; GC: 24 [22-27]) o procedimento em ambos os grupos. Conclusão: A análise desses dados mostra que houve diferença significativa na interação entre o grupo, tempo e IVI. É possível reforçar a importância de estudos que avaliem e detalhem os métodos para alívio desses desfechos. Com este ensaio clínico foi possível identificar que há uma influência positiva da música sobre a dor e a ansiedade, apesar de não estabelecer uma relação significativa entre os grupos avaliados.

  • PAULO THOMAZ OLIVEIRA FELIX
  • SINDROME RESPIRATÓRIA AGUDA GRAVE EM PESSOAS HOSPITALIZADAS POR COVID-19: UM ESTUDO TRANSVERSAL
  • Orientador : MARIA DO SOCORRO CLAUDINO BARREIRO
  • Data: 31/08/2022
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Em dezembro de 2019, a China informou à Organização Mundial da Saúde sobre a ocorrência de surto de uma nova doença que apresentava características de uma pneumonia, denominada covid– 19 e causada pela infecção pelo SARS-CoV-2. O vírus, capaz de causar doença respiratória leve, também pode conduzir a Síndrome Respiratória Aguda Grave. A deflagração de uma pandemia pela covid-19 trouxe consigo a importância da avaliação da relação entre os determinantes sociais de saúde e os desfechos da covid-19, como forma de compreensão da doença para tomada de condutas. Nesse sentido, o presente estudo teve por objetivo descrever a prevalência da Síndrome Respiratória Aguda Grave em pessoas hospitalizadas por covid-19 em Sergipe. Trata-se de uma pesquisa transversal, quantitativa, realizada com a coleta de dados secundários no banco de dados SIVEP-gripe. Na coleta de dados, foram incluídos todos os casos positivos de covid-19 que evoluíram para Síndrome Respiratória Aguda Grave no período de março de 2020 a março de 2021. Os dados foram tabulados no Microsoft Excel e analisados no IBM Statistical Package for the Social Sciences, versão 20.0. As variáveis independentes foram avaliadas considerando um nível de significância de 5%, frequências absolutas e relativas foram analisadas utilizando o teste de qui-quadrado de Pearson, e a regressão de Poisson. O cálculo de prevalência possibilitou a análise de associações entre as variáveis e os desfechos. E uma análise multivariável foi utilizada para verificar possíveis fatores de confusão. Para todas as exposições e desfechos, realizou-se o cálculo de poder de amostra. Os indivíduos foram distribuídos, principalmente, na faixa etária adulta (42,8 %) e idosa (51,5 %), residentes na zona urbana (64,4 %) e etnia parda (72,9 %). Os dados revelaram que, no que se refere aos casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave, houve predominância de uma população masculina, parda, com idade média de 59,4 anos, residentes na zona urbana, com nível de escolaridade da 1ª a 5 ª série. Histórico de diabetes, cardiopatias e obesidade foram encontrados como os fatores de riscos mais presentes no diagnóstico e nos desfechos para internação em Unidade de Terapia Intensiva. Os pacientes mais admitidos em leitos de Unidade de Terapia Intensiva foram do sexo masculino, cor de pele pardo e idoso. Com relação aos óbitos e cura, o sexo masculino prevaleceu nas duas variáveis. O desfecho para cura e óbito apresentou uma taxa de 78% de casos ignorados, representando uma subnotificação. Dessa forma, o estudo possibilitou a determinação de públicos mais vulneráveis, dados que podem ser utilizados para embasar e direcionar as ações de atenção à saúde, promovendo o planejamento de ações voltadas à vigilância, educação e aumento da cobertura assistencial, sobretudo nos locais que apresentam maior prevalência.

  • CARLOS CARVALHO DA SILVA
  • MODELAGEM ESPACIAL DA MORTALIDADE POR HOMICÍDIOS NA REGIÃO NORDESTE DO BRASIL
  • Orientador : ALLAN DANTAS DOS SANTOS
  • Data: 31/08/2022
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A violência é um desafio para a saúde pública, sendo observada como um problema de ordem social, que tem acompanhado a humanidade desde a antiguidade. O homicídio, manifestação máxima da violência interpessoal, é a principal causa evitável de morte. O coeficiente de mortalidade por homicídio é considerado um importante indicador para mensuração do impacto da violência nos grupos sociais. O Nordeste brasileiro sofre com a exacerbação da violência, com notoriedade para os homicídios. Objetivo: Analisar os padrões de distribuição espacial, temporal e espaço-temporal da mortalidade por homicídios e sua associação com os determinantes sociais da saúde nos municípios da região Nordeste do Brasil. Matérias e Métodos: Estudo ecológico, com abordagens espaço-temporais, considerando os determinantes sociais da saúde, realizado com dados secundários dos óbitos por agressões ocorridos nas unidades federativas da região Nordeste no período de janeiro de 2000 a dezembro de 2019, obtidos por meio do Sistema de Informação sobre Mortalidade (SIM/DATASUS), com exclusão dos casos com alocação municipal de residência ignorada e/ou incompleta. Os dados sociodemográficos e espaciais foram obtidos pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada e Instituto Brasileiro de Geografia. As estatísticas realizadas integraram análises de tendência temporal, espacial e espaço-temporal, além da realização da modelagem espacial para estudo da associação entre a mortalidade por homicídios e os determinantes sociais. Resultados: Foram registrados 353.089 óbitos. As características predominantes dos casos na região foram: sexo masculino, entre 20 a 29 anos de idade, de cor parda, baixa ou nenhuma escolaridade, solteiros e que ocorreram em via pública. A mortalidade aumentou de 2000 para 2019, com um acréscimo anual de 4,37 no sexo masculino e 3,57 no sexo feminino. Aglomerações espaciais e espaço- temporais de alto risco foram identificadas na costa litorânea dos estados. O modelo de regressão espacial demonstrou associação com os determinantes sociais, onde os fatores associados com a mortalidade por homicídios na população geral foram: índice de Gini, taxa de desemprego, renda, educação, proporção de pobres e proporção de pessoas em domicílios vulneráveis à pobreza e que gastam mais de uma hora até o trabalho. Desta forma, a mortalidade por homicídios apresenta tendência crescente na região Nordeste, principalmente em áreas de populações vulnerabilizadas. Conclusão: Os resultados deste estudo mostram a contribuição da análise integrada espaço- temporal para identificar as áreas de alto risco e os fatores associados para a mortalidade por homicídio. Essas análises em saúde pública possibilitam a identificação de áreas prioritárias para avaliação ou formulação de políticas públicas. Foram constatadas elevadas taxas do agravo no período de estudo, com tendência temporal crescente em todos os estados, exceto em Pernambuco. Identificou-se também áreas de alto risco com associação dos fatores de desigualdade socioeconômicas, devendo ser consideradas como prioridade para o delineamento e investimento em saúde.

  • ANNE MANUELLE DOS SANTOS
  • EFETIVIDADE DA AURICULOTERAPIA EM SINTOMAS DE ANSIEDADE NOS UNIVERSITÁRIOS DA ÁREA DA SAÚDE: UMA REVISÃO SISTEMÁTICA E METANÁLISE
  • Orientador : ANDREIA FREIRE DE MENEZES
  • Data: 31/08/2022
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Objetivo: Analisar a efetyividade da prática de auriculoterapia nos sintomas de ansiedade em estudantes universitários da área da saúde. Método: Trata-se de uma revisão sistemática de ensaio clinico com metanálise, conduzida de acordo com a diretriz Preferred Reporting Items for Systematic Reviews and Meta-Analyses (PRISMA). As buscas foram realizadas nas bases Cumulative Index to Nursing and Allied Health (CINAHL), Cochrane Controlled Trials Register (Cochrane), U. S. National Library of Medicine (PubMed), base de dados que indexa artigos internacionais da American Psychological Association – APA (PsycINFO), Biblioteca Virtual em Saúde Américas Tradicional, Complemetary and Integrative Medicine (BVS TCIM), SCOPUS e Web of Science., além da literatura cinzenta. Os resultados da metanálise foram expressos como diferença de média padronizada (SMD), o risco de viés foi avaliado pelo “Cochrane Risk Of Bias Tool for randomized trials” e a qualidade de evidência pelo GRADE. A metanálise foi realizada no Review Manager. Resultado: Dos 961 artigos selecionados 7 estudos foram incluídos na metanálise. O tamanho geral da amostra foi de 325, sendo 103 estudantes para o grupo intervenção quando comparado ao placebo com 88, e 86 estudantes no grupo intervenção quando comparados aos 78 do grupo controle. Ao comparar o grupo intervenção com o grupo controle observou-se que a auriculoterapia tem um impacto significativo na redução de sintomas de ansiedade SMD= 0,63; IC 95% (0,94 - 0,31), não havendo heterogeneidade I2 0. Ao comparar o grupo intervenção com o placebo, o impacto do efeito da auriculoterapia também foi significativo na redução de sintomas SMD 0,85; IC 95% (1,21 - 0,49) a heterogeneidade foi de baixa a moderada I2 26%. A qualidade da evidência de ambos os grupos foi considerada moderada. Conclusão: A auriculoterapia apresenta-se como uma opção de prática terapêutica voltada para a melhora de sintomas de ansiedade em estudantes universitários da área da saúde. Embora este estudo comprove sua efetividade, ainda não está claro qual a melhor técnica de auriculoterapia na redução dos níveis de ansiedade, o que sugere novas pesquisas a fim de reforçar a sua força de recomendação e consolidar tal prática.

  • ALBERTO MATOS DOS SANTOS
  • Construção de um algoritmo para prevenção de prolapso em estomias intestinais.
  • Orientador : ANA CRISTINA FREIRE ABUD
  • Data: 29/08/2022
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A estomia intestinal é um procedimento cirúrgico que visa desviar o trajeto normal dos efluentes fecais, podendo ser permanente ou temporária. Como qualquer cirurgia, as colostomias e ileostomias podem desencadear complicações, entre elas destaca-se o prolapso, que pode estar relacionado à técnica cirúrgica utilizada, como também, à ausência da demarcação do estoma no pré-operatório, entre outros fatores intrínsecos. Objetivos: Construir um algoritmo para prevenção de prolapso em ostomias intestinais; Identificar os principais cuidados de enfermagem relacionados à prevenção de prolapso em ostomias intestinais; Analisar o algoritmo a partir dos metaparadigmas e variáveis do MPS de Nola Pender. Método: A revisão integrativa utilizou as bases de dados LILACS, SciELO, BDENF, PubMed via MedLine e CINAHL. A estratégia PICO foi compartilhada em um formulário do Google Forms, que possibilitou a contribuição simultânea através do programa Rayyan QCRI, sendo selecionados estudos publicados entre 2011 e 2020 em matéria de Estomaterapia. Os descritores utilizados para a busca foram: ostomia, colostomia, cuidados de enfermagem e prolapso, cujo recorte temporal compreendeu o período entre 2013 e 2021. Após a construção da revisão integrativa, procedeu-se a um estudo metodológico de abordagem qualitativa que culminou na construção de um algoritmo. Resultados: A revisão integrativa resultou em uma amostra final de 22 artigos acerca dos cuidados de enfermagem, dos quais se destacaram a educação pré-operatória e a demarcação do estoma. A versão final do algoritmo contemplou quatro versões, sendo a última aprimorada por profissional da área de Design Gráfico quanto à qualidade do conteúdo e identidade visual, cujos cuidados de enfermagem foram distribuídos em três etapas: pré, trans e pós-operatório. Conclusão: A partir dos achados da revisão integrativa foi possível construir o algoritmo para prevenção do prolapso em ostomias intestinais. Neste interim, após a construção do algoritmo, foram discutidos os metaparadigmas e variáveis do MPS de Nola Pender, frisando alguns aspectos e contextos considerados relevantes durante sua elaboração, com o objetivo de esclarecer o leitor quanto à compreensão dos cuidados de enfermagem em si e sua correlação com os pontos de atenção e serviços ofertados na perspectiva da RCPD.

  • ANA PAULA ARAGÃO SANTOS
  • IMPACTO DA UTILIZAÇÃO DE UM SOFTWARE EDUCATIVO NO CONHECIMENTO E REDUÇÃO DE COMPLICAÇÕES SECUNDÁRIAS À LESÃO POR PRESSÃO: ESTUDO MULTIMÉTODOS
  • Orientador : EDUESLEY SANTANA SANTOS
  • Data: 26/08/2022
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: os pacientes com lesão por pressão (LP) pré-existente ou adquirida no ambiente hospitalar necessitam da continuidade da assistência em domiciliar, a fim de promover a cicatrização e evitar complicações como infecção e cronificação da lesão. A utilização de recursos, como softwares educacionais que auxiliam na educação em saúde pode fortalecer ações de autocuidado e são conhecidos por serem eficientes na prevenção de complicações. Objetivo: analisar o impacto do uso de um software educativo na redução das complicações que comprometem a cicatrização da lesão por pressão em domicílio e na redução de reinternações. Método: estudo mix método com 4 fases sequenciais e interdependentes. Na fase 1, foi realizada a construção de uma revisão integrativa como base para informações educacionais disponibilizadas no software. A fase 2 consistiu na construção de um aplicativo educacional que foi intitulado “Minha Pele”. Após a finalização do protótipo foi realizada a fase 3, a validação da usabilidade com especialistas na área, através System Usability Scale, obtendo média final de validação de 74,93, classificado como excelente. Na fase 4, foi realizado um quase-experimento com pré e pós teste em único grupo, conduzido com os pacientes das unidades de internação clínica de dois hospitais do Estado de Sergipe. A coleta de dados aconteceu entre os meses de junho de 2021 e março de 2022, em que momento da alta, foi disponibilizado para os pacientes e ou cuidadores, o aplicativo educacional e realizado orientações quanto ao seu uso. Eram ainda avaliados quanto ao risco de dermatite, quanto ao conhecimento sobre prevenção de LP, avaliado a lesão pelo Pressure Ulcer Scale for Healing (PUSH) e realizada a estratificação de risco utilizando Braden. Os instrumentos de avaliação de conhecimento e evolução cicatricial foram reaplicados após 30 dias de uso do aplicativo. Resultados: participaram 78 pacientes do estudo, a média percentual de acerto no teste de conhecimento sobre prevenção de LP no pré-teste foi de 79,2% (DP ± 8,7) e no pós-teste 80,5% (DP ± 10,8). A evolução cicatricial segundo o PUSH (p-0,0000²) pré e pós teste apresentou significância. Quando avaliado o desfecho morte, a estratificação de risco segundo o Braden apresentou associação estatísticas significativa (p- 0,022). Conclusão: O uso do aplicativo educacional melhora a evolução da cicatrização, aumenta o conhecimento dos cuidadores sobre prevenção e se sobrepõe as barreiras de acessibilidades e acompanhamento, o que diminui o risco de complicações e consequentemente o risco de reinternações.

  • YANDRA DIRCE NASCIMENTO DE CASTRO GUIMARÃES
  • Práticas de Enfermagem no contexto da Atenção Primária À Saúde (APS) em Sergipe
  • Orientador : IELLEN DANTAS CAMPOS VERDES RODRIGUES
  • Data: 01/08/2022
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Os enfermeiros da estratégia de saúde da família atuam em diversas áreas de saúde, com distintos públicos, sempre buscando atender os princípios da individualidade da integralidade. No Brasil, os enfermeiros atuam ainda com as diferenças culturais, sociais, econômicas e físicas de cada local em que atuam, sendo este profissional visto como referência das famílias e comunidade nas unidades de saúde. As práticas avançadas em enfermagem são consideradas uma inovação mundial que visam a resolução das necessidades sociais, promovendo melhorias no acesso, na qualidade da assistência, proporcionando resolutividade nos problemas de saúde da população, principalmente no que condiz as doenças crônicas e promovendo autonomia para os enfermeiros. Objetivo: Compreender a atuação dos enfermeiros da Atenção Primária à Saúde em Sergipe. Materiais e Métodos: Estudo exploratório, descritivo, de abordagem qualitativa, delineamento transversal e de natureza analítica, baseado no referencial teórico metodológico da dialética marxista, que busca a compreensão e análise dos dados através do referencial téorico marxista. Resultados: As atividades dos enfermeiros na atenção primária perpassam o âmbito do cuidado e envolvem necessidades sociais, relações e contextos políticos e ambientais. Para tanto os enfermeiros precisam dinamizar os seus atendimentos, atuando de forma a contribuir para aspectos amplos da sociedade. Diante disso, o materialismo histórico dialético reflete a busca por uma atuação que envolva os âmbitos sociais e que atue de forma a mútua contribuindo tanto para o aspecto laboral, quanto para o social. Conclusão: É notória a necessidade de prover maior autonomia à atuação dos enfermeiros da atenção primária, destacando a relevância da construção das práticas avançadas de enfermagem no Brasil para viabilizar maior acesso aos serviços de saúde e elevar a qualidade da assistência prestada pelos enfermeiros, promovendo maior resolutividade e autonomia nas atividades já desenvolvidas.

  • JOSÉ MATHEUS DE MELO SANTOS
  • CONSTRUÇÃO E VALIDAÇÃO DE UM INSTRUMENTO DE TRANSIÇÃO DE CUIDADOS NEONATAL PARA RECÉM-NASCIDO PRÉ-TERMO
  • Orientador : IELLEN DANTAS CAMPOS VERDES RODRIGUES
  • Data: 18/07/2022
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Os recém-nascidos pré-termo oriundos das unidades de cuidados intensivos passam por diversos serviços após a alta, seguindo para os ambulatórios de seguimento e para atenção básica. Essa transição é um momento crucial, onde as informações de saúde devem ser passadas com segurança. Sendo assim, o desenvolvimento de um instrumento de transição padronizado que garanta essa transição, torna-se uma estratégia viável para promover a continuidade da assistência de forma eficaz e segura. O objetivo dessa pesquisa foi desenvolver um instrumento de transição de cuidados neonatal para padronizar a transição de informações entre as unidades responsáveis pelo cuidado do prematuro. Para isso, foi realizada uma pesquisa metodológica realizada em três etapas, sendo elas, respectivamente: o levantamento do referencial teórico-metodológico, a análise semântica do instrumento proposto, e a validação de conteúdo da versão do instrumento de transição de cuidados. A amostra foi não-probabilística, atendendo os critérios de inclusão e exclusão. A construção do instrumento foi realizada com base no Modelo de Construção de Instrumentos. Foi utilizado o Método de Delphi para a validação do instrumento. Os dados obtidos nos formulários do Google foram transferidos para o Microsoft Excel e analisados na versão 4.1.0 do software R. Os dados foram submetidos à análise estatística utilizando o Índice de Validação de Conteúdo (IVC), o teste binomial, o coeficiente alfa de Cronbach e o coeficiente de concordância de Kendall. A validação de conteúdo foi considerada quando o IVC≥ 0,80. Todos os domínios foram aprovados após uma rodada de análise semântica e duas rodadas de validação de conteúdo. Esse estudo possibilitou a construção e validação de um instrumento de transição de cuidados que possibilitará a transmissão de informações entre unidades de forma padronizada e com maior segurança dos dados.

  • BRUNO DE ANDRADE SILVA
  • SUPORTE SOCIAL, SINTOMATOLOGIA ANSIOSA-DEPRESSIVA E IDEAÇÃO SUICIDA ENTRE ACADÊMICOS DA ÁREA DA SAÚDE DE SERGIPE
  • Orientador : ANDREIA FREIRE DE MENEZES
  • Data: 12/05/2022
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: O ingresso do jovem na universidade representa a transição para o mercado de trabalho, e todo esse trajeto de mudanças e possibilidades revela-se em um processo desafiador e angustiante o que o torna suscetível a uma vulnerabilização da saúde mental. Conflitos existenciais e traços psicopatológicos latentes e, no extremo, o processo suicida, pode emergir durante esse período e todo esse processo é influenciado por características pessoais, circunstâncias sociais e culturais, que interferem na adaptação do jovem ao contexto universitário. OBJETIVO: Verificar a existência de associação entre ideação suicida e suporte social, sintomatologia ansiosa-depressiva entre estudantes universitários dos cursos de ciências da saúde da Universidade Federal de Sergipe. METODOLOGIA: Estudo observacional, de corte transversal e abordagem quantitativa. O estudo foi realizado por meio do google formulários, o qual foi respondido por 190 estudantes de ciências da saúde da Universidade Federal de Sergipe, dos seguintes campi: São Cristóvão, Aracaju e Lagarto. Ocorreu entre os meses de novembro de 2020 e julho de 2021. Para coleta de dados foram utilizados os seguintes instrumentos: Questionário Sociodemográfico, Questionário de Ideação Suicida, Escala de Satisfação com o Suporte Social e a Escala de Ansiedade, Depressão e Stress. RESULTADOS: Os estudantes apresentaram baixa e média satisfação com o suporte social 139 (73%), o teste de associação revelou diferença estatística entre as faixas etárias dos estudantes (p=0,040). As dimensões do suporte social mais fortemente associadas ao potencial risco de suicídio foram: intimidade (p<;0,001) e satisfação com a família (p<0,001). Os sintomas de depressão grave e muito grave foi relatado por 66 (34,7%), obteve-se também associação estatística entre depressão e potencial risco de suicídio (p<0,001). Níveis graves e muito grave de stress foi relatado por 79 (41,5%) e o stress também foi associado ao potencial risco de suicídio (p<0,001). A ansiedade apresentou-se como um fator de risco para o potencial risco de suicídio (OR 1,09). CONCLUSÃO: Suporte social é um fator de proteção para o desenvolvimento de ideação suicida, o curso da pandemia pode ter sido um fator agravante na satisfação com o suporte social dos estudantes. Sintomas depressivos são fatores de risco para ideação suicida, assim como o stress, que pode evoluir para quadros graves e deterioração da saúde física e mental, podendo levar a precipitação de transtornos mentais, como depressão e ansiedade. Os sintomas de ansiedade quando em níveis elevados podem interferir negativamente na autoeficácia do discente e por consequência em todo o leque de atividades diárias.

  • ELENALDA FERREIRA DOS SANTOS
  • EVOLUÇÃO DO GRAU DE RISCO DE ULCERAÇÃO NOS PÉS DE PACIENTES COM DIABETES NA REDE ESPECIALIZADA
  • Orientador : LIUDMILA MIYAR OTERO
  • Data: 23/02/2022
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Esse estudo teve como objetivo, conhecer a evolução dos fatores de risco para ulceração nos pés e sua relação com as orientações para o autocuidado, oferecidas aos pacientes com diabetes mellitus. O delineamento do estudo caracteriza-se como descritivo, retrospectivo, logitudinal onde foram analisados os exames dos pés de um grupo de pacientes que realizaram por três vezes sequenciais durante dois anos. Através da análise dos laudos dos exames disponível no Sistema do Pé Diabético (SISPED), foram estudados 102 pacientes, no ambulatório de endocrinologia do Centro de Especialidades Médicas em Sergipe, entre 2017 e 2019. Foram incluídos pacientes a partir de 18 anos, e foram excluídos aqueles com diagnóstico de neuropatias com outras etiologias, e diabetes gestacional. Na coleta de dados foi utilizado um instrumento para registro da caracterização sociodemográfica e clínica, elaborado pela pesquisadora, e outro com os laudos, onde encontram-se registrados, aspectos examinados e orientações de autocuidado padronizadas conforme alterações nos exames realizados. A coleta ocorreu através da leitura dos laudos fornecidos pelo SISPED. A análise dos dados foi realizada após dos laudos numa planilha do programa Excel. Para as variáveis qualitativas a análise procedeu com a categorização dos dados e obtenção das respectivas frequências simples e relativas, e para as variáveis quantitativas foram calculadas as medidas de tendência central (média), variabilidade (desvio padrão) e posição (mínimo e máximo). O software utilizado para todas as análises estatísticas foi o R, versão 4.0.0, Na população estudada, destacou-se o sexo feminino, e os que tinham atividade remunerada. Quanto ao tempo de diagnóstico o mais referido foi acima de 10anos, os que tinham hipertensão arterial como co-morbidade, e IAM, tratamento nos olhos com laser, úlcera prévia, fissuras/rachaduras e micoses interdigitais foram as variáveis mais relevantes. Já o calçado inadequado e calo plantar, diminuíram sensivelmente. Quanto aos sintomas e sinais: queimação, formigamento, dormência, os pés como localização e o horário da noite, a sensibilidade vibratória ausente/reduzida em 77,45%, foram as variáveis com maiores evidências. Na classificação de risco houve uma diminuição importante no grau 3, de 33,34% para 15,56%. Conclui-se, portanto, nesse estudo que algumas variáveis e aspectos clínicos diretamente relacionados ao autocuidado com os pés na prevenção de ulceração, necessitam de prioridade durante a assistência e orientações educativas específicas e individualizadas.

  • LUCAS ALMEIDA ANDRADE
  • USO DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA (SIG) NA DEFINIÇÃO DE ÁREAS DE RISCO PARA A COVID-19 EM ÁREAS DE VULNERABILIDADES SOCIAIS DO BRASIL
  • Orientador : ALLAN DANTAS DOS SANTOS
  • Data: 28/01/2022
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A pandemia da COVID-19 ainda provoca consequências sanitárias e socioeconômicas em todo o mundo. A doença possui dinâmica geográfica heterogênea e estudos utilizando Sistemas de Informações Geográficas são realizados para mapear a distribuição espaço-temporal do vírus, contribuindo para a elaboração e implementação de intervenções preventivas e de controle eficazes. Objetivo: Analisar o cenário epidemiológico da COVID-19 em áreas vulneráveis do Brasil utilizando as diferentes abordagens metodológicas dos Sistemas de Informações Geográficas. Materiais e métodos: Estudo ecológico, com abordagens espaço-temporais, considerando os determinantes sociais da saúde, realizado com dados de morbidade e mortalidade por COVID-19 no estado de Sergipe e na região Nordeste do Brasil. Foram utilizados bancos de dados oficiais do sistema de saúde brasileiro para os casos e óbtios por COVID-19. Os dados espaciais e sociodemográficos foram obtidos pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística e Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. As estatísticas realizadas compuseram análises de tendência temporal, espacial e espaço-temporal, além da modelagem espacial para estudo da associação entre os casos e mortes por COVID-19 e os determinantes sociais. Resultados: Em Sergipe, foram evidenciados clusters espaço-temporais de incidência emergentes englobando a região metropolitana do estado. Observou-se maioria dos óbitos entre maiores de 60 anos e homens. As comorbidades mais prevalentes foram hipertensão, diabetes e doenças cardiovasculares. Observou-se tendência crescente de mortalidade em todo o estado, com maior aumento na zona rural. Identificou-se um aglomerado espaço-temporal de mortalidade que compreende a região metropolitana de Sergipe e municípios vizinhos. Taxa de analfabetismo de pessoas com 15 anos ou mais, porcentagem de crianças menores de 5 anos que não frequentam a escola, sub-índice de frequência escolar e taxa de envelhecimento foram preditores de mortes. Observou-se um aumento da incidência da doença em todos os estados do Nordeste. A autocorrelação espacial positiva foi encontrada nas áreas metropolitanas da região e 178 municípios foram considerados prioritários, especialmente nos estados do Ceará e Maranhão. Foram identificados 11 agrupamentos espaço-temporais de casos de COVID-19 em toda a região Nordeste. A mortalidade e a letalidade por COVID-19 no Nordeste do Brasil apresentaram tendência de aumento, principalmente em áreas de maior vulnerabilidade social. Conclusão: Os resultados deste estudo mostraram que os Sistemas de Informações Geográficas podem fornecer apoio à vigilância epidemiológica da COVID-19 e auxílio na tomada de decisões. Houve tendência crescente da mortalidade por COVID-19 em Sergipe e a distribuição espacial dos óbitos foi heterogênea com aglomerados de alto risco encontrados na região metropolitana do estado. Indicadores educacionais e de envelhecimento estiveram associados à mortalidade. A pandemia de COVID-19 progrediu rapidamente em toda a região Nordeste do Brasil, com maior dispersão para o interior. Foram identificados clusters de alto risco para COVID-19, especialmente na região litorânea dos estados. A mortalidade e a letalidade por COVID-19 no Nordeste do Brasil apresentaram tendência de aumento no primeiro ano da pandemia. As tendências crescentes foram observadas principalmente nos municípios com maior índice de vulnerabilidade social.

2021
Descrição
  • MARIANE DA ROCHA MARQUES
  • Fatores associados à Síndrome de Burnout em profissionais da Atenção Primária durante a Pandemia de COVID-19
  • Orientador : ANDRÉIA CENTENARO VAEZ
  • Data: 31/08/2021
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: A síndrome de Burnout (SB) é um distúrbio que afeta muitos profissionais de saúde e pode ser exacerbada durante atuação na pandemia de COVID-19. Objetivo: Avaliar os fatores associados à presença de sinais do esgotamento emocional em profissionais da Atenção Primária durante a pandemia de COVID-19. Método: Estudo transversal com abordagem quantitativa, realizado com 160 profissionais da atenção primária. Coleta de dados realizada por meio de um formulário eletrônico via plataforma virtual, GoogleForms que continha Instrumento de Caracterização, Maslach Burnout Inventory(MBI) e Perceived Stress Scale-14(PSS-14). Foi desenvolvido um modelo multivariado com variáveis previamente associadas ao desfecho (análise bivariada). Resultados: 57,5% dos profissionais evidenciaram Burnout. 53.1% dos profissionais da Atenção Básica referiram autopercepção de estresse, que aumentou em treze vezes a chance do desfecho. 78.3% dos profissionais com a síndrome relataram sobrecarga com a pandemia e a insatisfação com o serviço aumentou em mais de seis vezes a chance do desfecho. 85.3% dos profissionais que não desenvolveram a SB relataram receber apoio emocional da chefia imediata. Estilo de vida, carga horária, remuneração e infecção pelo vírus foram relevantes para SB. Conclusão: Os fatores associados caracterizaram-se pela presença do estresse, sobrecarga relacionada às atividades durante a Pandemia, à insatisfação com o serviço realizado, à carga horária de 8 horas diárias, ao não recebimento de apoio emocional da chefia imediata, insatisfação com a remuneração, quantidade e qualidade do sono, não realizar atividade física, uso de medicamentos, de bebidas alcoólicas e nicotina. Evidencia-se a importância crucial e urgente de suscitar discussões sobre o valor inestimável do investimento em ações de saúde mental dos trabalhadores.

  • CLARISSA LIMA FRANCO
  • MÉTODOS NÃO FARMACOLÓGICOS NO ALÍVIO DA DOR RELACIONADA AO RASTREAMENTO E DIAGNÓSTICO DO CÂNCER DE MAMA
  • Orientador : MARIA DO CARMO DE OLIVEIRA
  • Data: 30/08/2021
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: O câncer de mama é considerado o segundo tipo de neoplasia de elevada taxa de mortalidade entre as mulheres. A mamografia é considerada o método diagnóstico de maior precisão através da detecção precoce da doença e as biópsias mamárias, responsáveis pelo diagnóstico definitivo dessa neoplasia. A compressão do tecido mamário durante a realização do exame mamográfico e a inserção de agulha para retirada do material para análise cito/histopatológica geram dor, o que pode contribuir para a não adesão das mulheres ao rastreamento e diagnóstico do câncer de mama. Objetivos: Este estudo tem como objetivo mapear na literatura as terapias não farmacológicas utilizadas no alívio da dor em mulheres submetidas ao rastreamento e diagnóstico do câncer de mama e realizar uma busca na literatura sobre os métodos não farmacológicos utilizados no manejo da dor durante o exame mamográfico. Método: Trata-se de uma revisão de literatura do tipo escopo, que seguiu todas as recomendações do Preferred Reporting Items for Systematic reviews and Meta-Analyses extension for Scoping Reviews (PRISMA-ScR) em consonância com as recomendações fornecidas pelo Instituto Joanna Briggs para o primeiro objetivo, e uma revisão do tipo integrativa para responder o segundo objetivo. Resultados: A revisão de escopo obteve uma amostra final de doze estudos e os métodos não farmacológicos utilizados foram musicoterapia, meditação, hipnose, exercícios físicos, intervenções de enfermagem e toque terapêutico. Observou-se que a musicoterapia, os exercícios físicos e as intervenções de enfermagem foram utilizados para a redução da dor durante a mamografia, e os demais métodos encontrados foram testados no procedimento de biópsia. Já a revisão integrativa, analisou quatro estudos que evidenciaram diferentes métodos de alívio da dor como a utilização de almofada e a alteração no protocolo de compressão, bem como a intervenção com música. Conclusão: evidenciou-se que os métodos não farmacológicos utilizados no alívio da dor durante o rastreamento e diagnóstico do câncer de mama demonstram efetividade e podem contribuir para mudanças nos protocolos de atendimentos por serem uma ferramenta de fácil acesso, baixo custo, criativa, segura e que fornece benefícios às mulheres.

  • CARLA PORTO BORBA
  • ADAPTAÇÃO TRANSCULTURAL E VALIDAÇÃO DE CONTEÚDO DO DISTRACTION® PARA A VERSÃO BRASILEIRA
  • Orientador : MARIA DO CARMO DE OLIVEIRA
  • Data: 25/08/2021
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: vários instrumentos são utilizados como recursos na intervenção para o alívio da dor, contudo a maioria encontra-se disponível na versão em inglês o que dificulta a adesão entre profissionais de saúde. Um desses instrumentos é o Distraction®, desenvolvido com o intuito de distrair crianças durante procedimentos dolorosos. Objetivo: apresentar a adaptação transcultural do Distraction® à versão brasileira para o alívio da dor em crianças. Método: trata-se de um estudo metodológico com a tradução e adaptação do Distraction® seguindo as seguintes etapas: tradução inicial; síntese das traduções; retrotradução; comitê de especialistas; pré-teste; e envio do material à autora do instrumento original. Para a etapa do comitê de especialistas foram necessárias duas rodadas, contemplando a participação de 18 juízes autodeclarados fluentes no português brasileiro e inglês americano entre profissionais da área de saúde, ensino, linguística inglês/português, marketing e os tradutores que participaram das etapas de tradução inicial e retrotradução. Buscou-se acatar a maioria das sugestões relevantes para a robustez da adaptação transcultural e alcançar a validação de conteúdo das equivalências semântica, idiomática, experiencial e cultural com IVC ≥ 0,80 e p-valor > 0,05 em todos os 63 itens do instrumento, resultando na versão brasileira do Distraction®. O pré-teste envolveu 32 profissionais de saúde com experiência em atendimento pediátrico. Resultados: após a tradução, retrotradução e validação de conteúdo pelos juízes, o índice de validade de conteúdo (IVC) geral do Distraction® na equivalência semântica atingiu IVC = 0,91, na equivalência idiomática IVC = 0,94, na equivalência experiencial IVC = 0,91 e na equivalência cultural IVC = 0,93. O pré-teste resultou em uma média de aceitação pelos profissionais de saúde no “Cartão 1” de 62%, no “Cartão 2” e no “Cartão 3” de 80%, no “Cartão 4” de 69% e no “Cartão 5” de 79%. Os profissionais de saúde julgaram não somente as perguntas contidas nos cartões, mas principalmente as imagens vinculadas para responder cada uma das questões a serem lançadas o que limitou a aceitação no pré-teste. O envio do relatório à autora da versão original com todas as etapas realizadas resultou na aprovação do processo de adaptação transcultural e na versão final do instrumento adaptado à versão brasileira. Conclusão: a adaptação transcultural do Distraction® foi realizada com a apresentação da versão brasileira e seu conteúdo foi validado em todos os itens tanto individualmente como de maneira global.

  • BEATRIZ COSTA DA SILVA
  • Construção e validação de um plano de alta hospitalar de enfermagem para pacientes com insuficiência cardíaca
  • Orientador : MARIA DO SOCORRO CLAUDINO BARREIRO
  • Data: 23/04/2021
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: A alta é a atividade de liberação de um paciente do local de cuidados e normalmente se refere à data em que ele deixa o hospital. A alta pode ser definida, também, como o processo que decide o que o paciente precisa para mudar suavemente de um nível de cuidado para outro. Um adequado processo de transição do ambiente hospitalar para o domiciliar promove o autocuidado do paciente após a alta hospitalar. Sendo assim, pode-se destacar entre as doenças com maior influência no quantitativo de internações pelo SUS, a Insuficiência Cardíaca (IC) que é definida como uma síndrome clínica caracterizada por sinais e sintomas de sobrecarga de líquido e perfusão tissular inadequada. A IC destaca-se como uma doença grave, visto que além de impactar em fatores socioeconômicos e limitar a qualidade de vida do paciente, apresenta altas taxas de incidência e mortalidade com elevado custo para o sistema de saúde. OBJETIVOS: elaborar e validar um plano de alta hospitalar de enfermagem para pacientes com IC. MÉTODO: pesquisa aprovada no Comitê de Ética em Pesquisa, CAAE 28068919.1.0000.5546 e parecer 4.396.816. Estudo metodológico realizado em 04 etapas: 1) identificar a categoria do cliente - representada pela escolha da população alvo e da prioridade em saúde desse estudo; 2) levantamento de dados na literatura – realização da revisão integrativa que embasou a construção do plano de alta; 3) elaboração do plano de alta hospitalar de enfermagem com base nos sinais e sintomas clínicos trazidos pela Diretriz Brasileira de Insuficiência Cardíaca Aguda e Crônica, nas evidências da revisão integrativa, nos principais diagnósticos encontrados na NANDA-I e nas intervenções de enfermagem da NIC, além da validação do conteúdo com quatro docentes experts em estudos de validação e sistemas de classificação; 4) validação da semântica da cartilha de alta para pacientes com IC através de formulário online com enfermeiros brasileiros com doutorado concluído e atuação atual na docência/pesquisa e/ou assistência em cardiologia na Região Nordeste do país. Contou com a participação de quatro enfermeiros experts que preencheram o formulário tipo Likert com cinco possibilidades de “totalmente adequado” até “totalmente inadequado”, avaliando se os itens estavam adequadamente inseridos no plano de alta. RESULTADOS: Na validação do conteúdo sugestões foram emitidas pelos experts e incorporadas na versão final do plano de alta e após a segunda rodada foi alcançado um IVC global satisfatório (1,0). Na validação da semântica foi possível verificar que algumas alterações sugeridas por esses avaliadores iam de encontro com o que os avaliadores do conteúdo haviam sugerido anteriormente, por isso algumas sugestões não foram acatadas. De maneira geral, a aplicabilidade da cartilha para os pacientes com IC foi validada na segunda fase após atingir um IVC global satisfatório (0,95). CONSIDERAÇÕES FINAIS: O plano de alta de enfermagem para pacientes com insuficiência cardíaca elaborada e validado apresenta-se adequado para ser utilizado no processo da alta hospitalar pelos profissionais enfermeiros e para esses pacientes e seus familiares.

  • BEATRIZ COSTA DA SILVA
  • Construção e validação de um plano de alta hospitalar de enfermagem para pacientes com insuficiência cardíaca
  • Orientador : MARIA DO SOCORRO CLAUDINO BARREIRO
  • Data: 23/04/2021
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: A alta é a atividade de liberação de um paciente do local de cuidados e normalmente se refere à data em que ele deixa o hospital. A alta pode ser definida, também, como o processo que decide o que o paciente precisa para mudar suavemente de um nível de cuidado para outro. Um adequado processo de transição do ambiente hospitalar para o domiciliar promove o autocuidado do paciente após a alta hospitalar. Sendo assim, pode-se destacar entre as doenças com maior influência no quantitativo de internações pelo SUS, a Insuficiência Cardíaca (IC) que é definida como uma síndrome clínica caracterizada por sinais e sintomas de sobrecarga de líquido e perfusão tissular inadequada. A IC destaca-se como uma doença grave, visto que além de impactar em fatores socioeconômicos e limitar a qualidade de vida do paciente, apresenta altas taxas de incidência e mortalidade com elevado custo para o sistema de saúde. OBJETIVOS: elaborar e validar um plano de alta hospitalar de enfermagem para pacientes com IC. MÉTODO: pesquisa aprovada no Comitê de Ética em Pesquisa, CAAE 28068919.1.0000.5546 e parecer 4.396.816. Estudo metodológico realizado em 04 etapas: 1) identificar a categoria do cliente - representada pela escolha da população alvo e da prioridade em saúde desse estudo; 2) levantamento de dados na literatura – realização da revisão integrativa que embasou a construção do plano de alta; 3) elaboração do plano de alta hospitalar de enfermagem com base nos sinais e sintomas clínicos trazidos pela Diretriz Brasileira de Insuficiência Cardíaca Aguda e Crônica, nas evidências da revisão integrativa, nos principais diagnósticos encontrados na NANDA-I e nas intervenções de enfermagem da NIC, além da validação do conteúdo com quatro docentes experts em estudos de validação e sistemas de classificação; 4) validação da semântica da cartilha de alta para pacientes com IC através de formulário online com enfermeiros brasileiros com doutorado concluído e atuação atual na docência/pesquisa e/ou assistência em cardiologia na Região Nordeste do país. Contou com a participação de quatro enfermeiros experts que preencheram o formulário tipo Likert com cinco possibilidades de “totalmente adequado” até “totalmente inadequado”, avaliando se os itens estavam adequadamente inseridos no plano de alta. RESULTADOS: Na validação do conteúdo sugestões foram emitidas pelos experts e incorporadas na versão final do plano de alta e após a segunda rodada foi alcançado um IVC global satisfatório (1,0). Na validação da semântica foi possível verificar que algumas alterações sugeridas por esses avaliadores iam de encontro com o que os avaliadores do conteúdo haviam sugerido anteriormente, por isso algumas sugestões não foram acatadas. De maneira geral, a aplicabilidade da cartilha para os pacientes com IC foi validada na segunda fase após atingir um IVC global satisfatório (0,95). CONSIDERAÇÕES FINAIS: O plano de alta de enfermagem para pacientes com insuficiência cardíaca elaborado e validado apresenta-se adequado para ser utilizado no processo da alta hospitalar pelos profissionais enfermeiros e para esses pacientes e seus familiares.

  • PAULA MARA GOMES LEITE
  • Sintomatologia do climatério associado a qualidade de vida e atitudes de autocuidado
  • Orientador : LEILA LUIZA CONCEICAO GONCALVES
  • Data: 27/02/2021
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: Devido a oscilação hormonal, o aparecimento da sintomatologia do climatério tem sido um tema amplamente estudado e discutido, por acometer a maioria das mulheres e repercutir negativamente na sua qualidade de vida. Objetivo: Avaliar a gravidade dos sintomas do climatério e a qualidade de vida relacionada à saúde e as atitudes de autocuidado, considerando a sintomatologia auto referida pelas mulheres. Método: Trata-se de um estudo transversal. A coleta de dados foi realizada de agosto a setembro de 2020. Foram utilizados para a avaliação dos sintomas do climatério e qualidade de vida o Women's Health Questionnaire e a Menopause Rating Scale, nas versões traduzidas e validadas para o português do Brasil e um roteiro de entrevista semiestruturado para as informações sociodemográficas e clínicas estes aplicados através da plataforma do Google Forms. Resultados: A amostra foi composta por 280 mulheres. A maioria das entrevistadas eram pardas (47,64%), classe social B (57,86%), mantinham união estável (69,53%), tinham nível superior completo (80,29%). os dados sugerem que as mulheres apresentaram piores qualidade de vida principalmente em relação aos domínios dos sintomas somáticos, da função sexual, dos sintomas vasomotores e da memória/concentração A correlação entre os resultados das da escala MRS e do WHQ, identificou-se que a severidade geral dos sintomas medidos pela escala MRS estava associada a redução da QVRS (WHQ) em todos os domínios (p=0,000), exceto no domínio da qualidade de vida em relação atratividade cujo a relação com os sintomas soma vegetativo (p=0,104), psicológico (p=0,007) e urogenitais (p=0,091) não foi significante. Quanto às ações de autocuidado as mulheres foram solicitadas a relatar as ações que realizavam para amenizar o desconforto. O presente estudo respeitou as exigências formais contidas na resolução Nº 466/2012 do Conselho Nacional de Saúde e foi aprovado pelo comitê de ética em pesquisa da Universidade Federal de Sergipe, com Certificado de Apresentação para Apreciação Ética (CAAE): 16299419.7.0000.5546, o sob parecer: 4.023.073. Conclusão: Os dados presente no estudo sugerem que os sintomas do climatério impactam negativamente na qualidade de vida da mulher, independente da classe social que esteja inserida.

  • ROSANE MILET PASSOS TEIXEIRA
  • ÍNDICES PROGNÓSTICOS E DESFECHOS CLÍNICOS DE PACIENTES EM UNIDADES DE TERAPIA INTENSIVA DA REGIÃO NÃO METROPOLITANA EM SERGIPE
  • Orientador : EDUESLEY SANTANA SANTOS
  • Data: 26/02/2021
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: A Unidade de Terapia Intensiva (UTI) é um ambiente destinado a pacientes gravemente enfermos. Os escores de prognóstico são amplamente utilizados para nortear a tomada de decisão da equipe, ao avaliar as condições clínicas dos pacientes e seu prognóstico. Estudos tem investigado a utilização dos escores, de forma a subsidiar o seu impacto na efetividade terapêutica e nos desfechos clínicos. No entanto, não há estudos que tenham realizado tal investigação. Objetivo: Avaliar os desfechos clínicos, descrever o perfil de gravidade, comparar os desfechos entre UTIs e avaliar a sobrevida dos pacientes admitidos em unidades de terapia intensiva da região não metropolitana de Sergipe. Método: Realizou-se um estudo de coorte prospectiva, realizado entre 2018 e 2019. Foram incluídos pacientes internados nas duas únicas UTIs da região não metropolitana do Estado de Sergipe, com idade igual ou superior a 18 anos, que tiveram um tempo de permanência mínima de 24 horas. As variáveis investigadas foram os escore Simplified Acute Physiology Score (SAPS III), Sequential Organ Failure Assessment (SOFA) e Nursing Activities Score (NAS) e aplicação de questionários para caracterização clínica e demográfica dos pacientes. Foi utilizado a frequência absoluta e relativa percentual para descrever variáveis categóricas, média, mediana, desvio padrão e intervalo interquartil para descrever variáveis contínuas. Os testes Exato de Fisher, Qui-Quadrado de Pearson e Qui-Quadrado de Pearson com simulações de Monte-Carlo foram aplicados para avaliar associação entre variáveis categóricas. Utilizou-se o teste de Shapiro-Wilks para avaliar a aderência das variáveis contínuas a distribuição normal, o teste de Mann-Whitney para avaliar diferenças nas medidas de tendência central. A regressão linear foi utilizada para analisar as variáveis contínuas e a regressão logística para binárias em modelos de confudimento. Adotou-se 5% como sendo o nível de significância. O projeto de pesquisa foi aprovado pelos Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal de Sergipe, com parecer favorável sob número 2.830.187. Resultados: Dados de 219 pacientes foram incluídos, 53,9% foram Hospital Regional de Itabaiana (HRI) e 46,1% do HRL. Os valores SAPS III (B=8,22; p=0,001), óbito (RC=3,14; p<0,001), diálise (RC=2,98, p=0,032), lesão por pressão (RC=14,0; p<0,01), infecção (RC=2,46; p=0,003), tempo de internação na unidade de terapia intensiva (B=1,32; p=0,045) e tempo de internação hospitalar (B=2,11; p<0,001) mostraram-se mais elevados no Hospital Universitário de Lagarto (HUL). A curva de sobrevida para tempo de internação na UTI, indicou que os pacientes tiveram menos tempo de internação, com taxa de sobrevivência maior e uma menor mortalidade no HRI. Conclusão: Ao analisar o perfil de gravidade, desfechos clínicos e sobrevida em pacientes admitidos unidades de terapia intensiva, os pacientes atendidos no HUL, além de possuírem mais comorbidades também necessitaram de um maior suporte a admissão, o que elevou o número de desfechos desfavoráveis.

  • SINDY LAMÔNIE DO ESPÍRITO SANTO BARBOSA
  • INTEVENÇÕES DE ENFERMAGEM PARA PREVENÇÃO DE DERMATITE PERIESTOMA EM ESTOMAS INTESTINAIS: UMA REVISÃO SISTEMÁTICA
  • Orientador : ANA CRISTINA FREIRE ABUD
  • Data: 26/02/2021
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Apesar dos avanços nas técnicas cirúrgicas de confecção e nos cuidados às pessoas com estomas, as complicações na pele periestoma são frequentes, principalmente as dermatites, desde o pós-operatório imediato. Objetivos: O presente estudo objetivou realizar uma revisão sistemática a fim de identificar intervenções de enfermagem utilizadas como medidas de prevenção de dermatite periestoma em estomias intestinais. Método: Realizou-se uma revisão sistemática utilizando as bases de dados Scopus, MEDLINE-PubMed, Cochrane, Web of Science e CINAHL. Foram selecionados estudos de ensaio clínico que tratassem sobre as intervenções de enfermagem na prevenção de dermatite periestoma publicados nos idiomas inglês, português e espanhol até dezembro de 2020. Resultados: Inicialmente, 2963 estudos foram identificados, no entanto apenas três desses foram incluídos na amostra final, os quais foram publicados entre 2013 e 2018. Dois revisores de maneira independente realizaram a avaliação crítica, extração e síntese dos dados. As ações de prevenção encontradas nos ensaios clínicos versaram sobre medidas educativas, uso de barreira cutânea moldável e padronização da técnica de limpeza e uso de pó de hidrocoloide como prevenção. Conclusão: Esse movimento em busca da prática baseada em evidências tem por objetivo beneficiar os pacientes e os profissionais que trabalham especificamente com esse perfil de cuidado. Dessa meneira, encoraja-se a comunidade científica, especializada em cuidados com a pele e estomas, a realizar estudos primários de qualidade, a fim de direcionar os cuidados de enfermagem e compor as recomendações e diretrizes sobre o assunto.

  • GEFERSON MESSIAS TELES VASCONCELOS
  • INCIDÊNCIA, FATORES DE RISCO E MORTALIDADE EM LESÃO RENAL AGUDA EM UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA: coorte prospectiva
  • Orientador : EDUESLEY SANTANA SANTOS
  • Data: 25/02/2021
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: A lesão renal aguda (LRA) é uma síndrome clínica multifatorial caracterizada pelo declínio abrupto dos rins. Ademais, os pacientes admitidos em unidades de terapia intensiva (UTI) são mais suscetíveis a desenvolvê-la, tanto pela instabilidade clínica em que se encontram, quanto por estarem mais expostos a riscos devido a internação. Nessa perspectiva, acredita-se que descrever os fatores relacionados à LRA em pacientes internados em UTI, permitirá identificar indicadores que poderão direcionar e individualizar as práticas assistenciais aos pacientes acometidos por esse agravo. Objetivo: Avaliar a incidência, fatores de risco e mortalidade de lesão renal aguda (LRA) em unidades de terapia intensiva de Sergipe. Método: Efetuou-se um estudo de coorte, prospectivo, realizado entre agosto de 2018 a julho de 2019. Foram incluídos pacientes internados em UTI(s) do estado de Sergipe, com idade igual ou superior a 18 anos, que tiveram um tempo de permanência mínima de 24 horas. A amostra foi composta por 432 pacientes. Os dados foram devidamente coletados com o auxílio de um formulário a fim de sistematizar a coleta de dados demográficos; características clínicas; suporte à admissão na UTI e desfecho, mediante registro diário no prontuário dos pacientes. As variáveis categóricas foram descritas por meio de frequências absolutas e relativas percentuais. As variáveis contínuas foram descritas por meio de mediana e amplitude interquartil, com aplicação de testes estatísticos. O projeto de pesquisa foi aprovado pelos Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal de Sergipe, com parecer favorável sob número 2.830.187. Resultados: Dentre os pacientes do estudo, os do grupo com LRA eram mais velhos e em sua maioria procedentes da unidade de emergência, quando comparados àqueles do grupo sem lesão. Além disso, dentre os fatores que estiveram relacionados à LRA, destacou-se: diagnósticos sistêmicos apresentados pelos pacientes estudados, dislipidemia e valores de creatinina superior a 1,5 mg/dL na admissão, uso de drogas vasoativas e sedativas, uso de dispositivos invasivos durante a internação, uso de ventilação mecânica, o desenvolvimento de infecção, alta média de dias de internação hospitalar e o desenvolvimento de lesão por pressão. Ademais, a gravidade admissional medida pelo SAPS 3 e pelo Charlson score foi maior entre os pacientes com lesão, bem como os índices de mortalidade. Sobre a estratificação dos pacientes com LRA nos três estágios da classificação KDIGO, houve um predomínio do estágio 3, seguido pelo estágio 1. Conclusão: A lesão renal aguda é um evento multifatorial com associação à doença de base, às complicações decorrentes da gravidade dos participantes e a utilização de dispositivos e medicamentos nefrotóxicos. Destarte, esses resultados reforçam a necessidade de implantação de estratégias que visem diminuir ou eliminar os fatores de risco para o desenvolvimento de LRA durante o processo de internação hospital, além de fortalecer estratégias de prevenção de LRA, a fim de evitar desfechos desfavoráveis e possibilitar melhores prognósticos desses pacientes.

  • VANESSA SOARES ALVES NASCIMENTO
  • PRÁTICAS INTEGRATIVAS E COMPLEMENTARES ENTRE UNIVERSITÁRIOS ASSOCIADAS À ANSIEDADE, DEPRESSÃO E SATISFAÇÃO COM A VIDA
  • Orientador : ANDREIA FREIRE DE MENEZES
  • Data: 22/02/2021
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A experiência universitária pode representar um momento de significativas transformações na vida do estudante que podem provocar sentimentos como irritabilidade e preocupação durante a graduação podendo levar ao desenvolvimento de transtornos mentais. Assim, para aumentar a probabilidade de se sentir satisfeito com a vida é necessário oferecer intervenções terapêuticas utilizando-se de ferramentas públicas. Nesse sentido, uma importante ferramenta é a Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares. A pesquisa teve como Objetivo geral: Identificar a relação da satisfação com a vida e sintomas de ansiedade e depressão em estudantes universitários da área de saúde que participam ou não de práticas integrativas e complementares. Métodos: Estudo transversal com abordagem quantitativa. A coleta dos dados ocorreu na sala de cuidados integrativos, laboratórios, centro de convivência e salas de aula do Campus Universitário Professor Antônio Garcia Filho. A amostra por conveniência foi composta por alunos dos 08 (oito) cursos da área de saúde. O período de coleta ocorreu entre os meses de agosto de 2018 e novembro de 2019, através de dois instrumentos: uma ficha de caracterização do perfil sociodemográfico e clínico e, um instrumento com duas escalas - uma de autoavaliação de ansiedade e depressão e, outra de satisfação com a vida. Os dados foram tabulados foram submetidos à análise utilizando o programa Statistical Package for Social Sciences (SPSS) 22.0 para Windows. Associações entre as variáveis categóricas foram realizadas pelo teste qui-quadrado de pearson. A fim de explorar as práticas integrativas e complementares realizadas com os estudantes universitários, foi construído modelo de regressão logística múltipla considerando os alunos que frequentavam ou não a sala de cuidados e os demais aspectos. Resultados: O estudo obteve uma amostra de 305 alunos de graduação da área de saúde considerando a participação (170) ou não (135) na sala de Cuidados Integrativos. Os alunos possuíam predominantemente entre 20 e 29 anos de idade, a maioria do sexo feminino (71,8%/219), solteiro(a) (97%/296), sem trabalho formal (82,3%/251), vivia com a família (58,3%/178) e realizava alguma atividade física (57%/174). Para os alunos dentro da sala, associação significativa foi encontrada entre os sintomas de ansiedade e o período em que os alunos se encontram na grade acadêmica (p<0,038), módulo perdido (p<0,020) e queixa principal (p<0,025). Os sintomas de depressão apresentaram associação com o grupo etário (p<0,003), módulo perdido (p<0,003) e satisfação com o curso (p<0,024). Ao considerar os alunos fora da sala de cuidados, associações foram identificadas entre os sintomas de ansiedade e sexo (p<0,008), condição de viver com a família (p<0,052), participação de grupos sociais (p<0,040), módulo perdido (p<0,024) e satisfação com o método (p<0,039). Já a relação dos sintomas de depressão com o grau de satisfação com o curso apresentou associações significativas (p<0,040). Ao considerar a satisfação com a vida entre os que frequentavam ou não a sala de cuidados, foi identificado que aqueles que estavam dentro da sala apresentaram associação significativa com o grupo etário (p<0,004), satisfação com o curso (p<0,050) e satisfação com o método (p<0,015). Já os que estavam fora da sala de cuidados apresentaram associação com módulo perdido (p<0,001) e satisfação com o curso (p<0,038). Aqueles alunos que relataram estar insatisfeitos com a vida apresentam 2,6 vezes mais chances (p<0,02) de não frequentarem a sala de cuidados integrativos. E os que declararam estar insatisfeitos com o curso apresentam 2,68 vezes mais chances (p<0,06) de não frequentarem a sala de cuidados. A relação com o grupo etário identificou que a faixa etária entre 20 e 29 anos apresentam 3.67 (p<0.001) vezes mais chances de não frequentarem a sala de cuidados quando comparado aqueles menores de 19 anos. Conclusão: Conclui-se que existe relação entre variáveis de ensino e sintomas de ansiedade e depressão entre os estudantes que buscaram a sala de cuidados bem como entre aqueles que não buscaram. Nesse sentido, o grau de satisfação com o curso e com a vida pode influenciar o grau de motivação pela busca da sala de cuidados. Os resultados apontam para a necessidade de melhor avaliação acerca dos fatores que podem motivar o comportamento exploratório pelas Práticas Integrativas. Quanto à satisfação com o curso, os resultados confirmam que a experiência universitária pode ser determinada por categorias como essa, influenciando a saúde mental e a trajetória acadêmica. Esses dados também corroboram a ideia já difundida de que qualquer proposta de intervenção com alunos de Ensino Superior deve considerar essas variáveis em suas formulações.

  • LUANA TELES DE RESENDE
  • FATORES DE RISCO PARA MORTALIDADE DE RECÉM-NASCIDOS COM ASFIXIA PERINATAL EM UMA MATERNIDADE DE RISCO HABITUAL
  • Orientador : ANDRÉIA CENTENARO VAEZ
  • Data: 19/02/2021
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: A asfixia perinatal é uma das principais causas de mortalidade infantil no mundo, caracterizada pela privação de oxigênio no pré-natal, parto ou após o nascimento, que compromete as funções orgânicas dos recém-nascidos e em especial o sistema nervoso central. Assim, entender os fatores de risco associados à mortalidade pode orientar o planejamento de políticas públicas direcionadas à saúde materno-infantil. Objetivo: Avaliar os fatores de risco relacionados à mortalidade em recém-nascidos com asfixia perinatal em uma maternidade de risco habitual. Metodologia: Estudo observacional do tipo transversal com abordagem quantitativa realizado em uma maternidade de risco habitual em Aracaju/SE. A população da pesquisa é composta por recém-nascidos com asfixia perinatal admitidos na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal (UTIN), entre janeiro a julho de 2019, e acompanhados até o seu desfecho final (alta ou óbito). Os dados foram obtidos através de entrevista com a genitora e informações contidas na Declaração de Nascido Vivo, além dos prontuários das puérperas e neonatos. As variáveis observadas foram agrupadas em dados sociodemográficos, antecedentes maternos, dados obstétricos e informações neonatais. Para as variáveis quantitativas, foi aplicado o teste de Mann-Whitney e, para as variáveis categóricas, o teste Qui-quadrado e o teste exato de Fisher. Foi calculada a taxa de mortalidade e o Odds Ratio (OR) para avaliação do risco de óbito. A pesquisa foi aprovada pelo Comitê de Ética e Pesquisa da Universidade Federal de Sergipe, sob parecer número 3.013.700 e atendeu as recomendações da resolução de número 466/2012 do Conselho Nacional de Saúde. Resultados: A taxa de mortalidade obtida foi de 3,65 óbitos/mil nascidos vivos. Os fatores de risco para mortalidade por asfixia perinatal foram: baixo índice de Apgar no 5° minuto (OR 5,2; p=0,009), hipotermia ao nascer (OR 3,1; p=0,029), uso da ventilação mecânica na UTIN (OR 3,7; p=0,047) e a presença de anemia (OR 3,7; p=0,013). Os fatores maternos e obstétricos não apresentaram significância estatística com o óbito dos recém-nascidos com asfixia perinatal. Conclusão: Fatores de risco neonatais refletem em uma maior mortalidade dos bebês com asfixia perinatal. Portanto, uma assistência de qualidade no período pré-natal e do parto pode prevenir tais ocorrências, assim como os cuidados após o nascimento podem minimizar as complicações e reduzir a mortalidade dos recém-nascidos com asfixia.

  • RAFAELA GOIS DE MENDONÇA
  • EFETIVIDADE DE INTERVENÇÕES NA REDUÇÃO DO TEMPO DE TELA EM ADOLESCENTES: REVISÃO SISTEMÁTICA
  • Orientador : ANDREIA FREIRE DE MENEZES
  • Data: 19/02/2021
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O rápido desenvolvimento tecnológico, o fácil acesso aos dispositivos eletrônicos e sua presença generalizada em nossas vidas geraram uma crescente preocupação relativa ao impacto psicológico ocasionado pelo tempo de exposição à tela, sobretudo em crianças e adolescentes. Considerando a Pandemia atual, esse tempo pode ser ainda maior. O acesso exagerado a esses dispositivos, juntamente com o comportamento sedentário estão associados a malefícios na saúde física e mental,. Nesse contexto, por considerar uma importante problemática a relação do tempo de exposição a tela e suas consequências na saúde física e mental do indivíduo, estudar as possíveis intervenções para a prevenção e redução do tempo de uso constante bem como sua efetividade é de suma relevância. Objetivo: Desenvolver um estudo de revisão sistemática a fim de avaliar a efetividade de intervenções na redução do tempo de tela em adolescentes. Método: Trata-se de uma Revisão Sistemática realizada conforme diretrizes da Preferred Reporting Items for Systematic Reviews and Meta-Analyses (PRISMA). Foi utilizada a estratégia PICOS para estabelecimento da busca. As palavras-chave utilizadas foram: screen time, television, computer, video games, smartphone, adolescents. As bases de dados utilizadas foram: Cumulative Index to Nursing and Allied Health (CINAHL), U. S. National Library of Medicine (PubMed), PsycINFO (American Psychological Association – APA) e Cochrane Controlled Trials Register. Os operadores booleanos “AND” e “OR” foram utilizados com as palavras-chave para guiar a busca nas bases de dados. A seleção dos artigos ocorreu em duas fases por dois investigadores de forma independente e pareada. O risco de viés foi avaliado pelas diretrizes da Cochrane no Review Manager versão 5.5. Resultados: A busca inicial resultou em 5.931 artigos, após leitura de títulos e resumos 10 foram considerados elegíveis e 04 atenderam aos critérios de elegibilidade para inclusão e análise. As seguintes intervenções foram utilizadas para a redução do tempo de tela: atividade de dança, meditação, atividade física e intervenções em nível de sala de aula. No que se refere aos tipos de tela, as seguintes foram abordadas nos estudos: televisão, videogame, computador e celular. As intervenções que envolvem atividade física mostraram-se mais eficazes no entanto, a meditação mostrou-se mais efeitos benéficos em desfechos secundários como diminuição do vício em smartphones e níveis de estresse, além da melhora do autocontrole e estratégias de enfrentamento do estresse. Conclusão: As intervenções utilizadas nos estudos foram parcialmente efetivas visto que após o período de intervenção os adolescentes voltaram a apresentar aumento de tempo de exposição, além do mais, o fato desse tempo ser autorrelatado torna uma grande limitação dos estudos. São necessários novos ensaios clínicos randomizados que avaliem a efetividade de intervenções voltadas para a redução do tempo de tela em adolescentes mas que sobretudo estabeleça forma de mensuração com menos viés e que dê seguimento ao para que assim possamos reavaliar o tempo de efetividade da intervenção.

  • GLEYCE KELLY DE BRITO BRASILEIRO SANTOS
  • CONSTRUÇÃO E VALIDAÇÃO DE PROTÓTIPO DE APLICATIVO PARA AVALIAÇÃO DE LESÕES
  • Orientador : EDUESLEY SANTANA SANTOS
  • Data: 12/02/2021
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução:. A qualidade da assistência prestada pelo profissional da saúde ao cliente portador de lesões é diretamente proporcional à qualidade da avaliação realizada, em especial da ferida. Essa subjetivao, essas avaliações pode ocasionar interpretações variadas do processo de cicatrização, comprometendo a definição do plano terapêutico ideal. Objetivo: desenvolver e validar um protótipo de aplicativo móvel para avaliação de lesões de membros inferiores por meio da captação de imagens. Método: pesquisa multimétodo dividida em duas etapas: revisão integrativa da literatura e produção tecnológica utilizando o conceito de Ciclo de Vida de Desenvolvimento de Sistemas.etapa de revisão, foram levantadas que discorriam sobre a construção e/ou validação de aplicações e softwares voltados a temática feridas/cicatrização. Na segunda etapa, foi implementado e validado quanto à acurácia de métrica, acurácia de avaliação tecidual e usabilidade por enfermeiros especialistas. Resultados: Para a arquitetura da Engenharia de Software, será utilizado o modelo composto pelas etapas de Planejamento, Definição de requisitos, Desenvolvimento e Avaliação. Nas duas primeiras fases, os objetivos do aplicativo serão definidos com base em pesquisa direta nas bases de dados das produções científicas sobre a temática proporcionando o levantamento das funcionalidades, requisitos e design que o aplicativo poderá apresentar a fim de melhorar o processo de avaliação das lesões. Na fase de desenvolvimento, a programação lógica do aplicativo por meio de linguagem de programação Swift para dispositivos Iphone Operation System, será realizada, criando a interface usuário/máquina com a execução de funções voltadas ao processo de avaliação da lesão e classificação da mesma a partir de algoritmo de inteligência artificial criado para análise dos pixels capturados da área da lesão. Foram descritos na literatura mais de 88 novas ferramentas voltadas para a temática, a maioria voltada a análise de risco de lesões em pele para neoplasia. O protótipo beta batizado de Evolesion, foi desenvolvido em linguagem Swift, e obteve um desvio padrão do módulo de medição da lesão cerca de 3,6 vezes menor que o desvio padrão das medidas obtidas pela medição convencional com a régua. Foi determinado um índice de usabilidade pelos avaliadores de 91,75 e concordância de 100% para avaliação dos tecidos presentes no leito da lesão. Conclusão: o aplicativo possui menor variabilidade no processo de medição das lesões o que torna a avaliação mais homogênea e mais confiável em relação a medição convencional com a régua.

  • JOSÉ AUGUSTO PASSOS GÓES
  • MORTALIDADE POR DOENÇA DE CHAGASEM SERGIPE: ANÁLISE ESPACIAL, TENDÊNCIA TEMPORAL E ASPECTOS EPIDEMIOLÓGICOS
  • Orientador : ALLAN DANTAS DOS SANTOS
  • Data: 10/02/2021
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A Doença de Chagas (DC) ainda hoje é considerada um problema de saúde pública com repercussões socioeconômicas. A principal forma de transmissão da doença é a vetorial, por intermédio de insetos triatomíneos, conhecidos como barbeiros, infectados pelo protozoário Trypanosoma Cruzi. Cerca de 6 a 7 milhões de pessoas no mundo estão infectadas peloT. cruzi, sendo a maioria em países endêmicos da América Latina, e mais de 25 milhões de pessoas estão em risco de adquirir a doença. Estima-se que na América Latina ainda existam 10 milhões de infectados, dos quais 2 milhões somente no Brasil, e cerca de dez mil morrem todos os anos como resultado da doença. Como a DC é determinada no espaço e no tempo por fatores de risco, as técnicas de geoprocessamento são ferramentas importantes que podem ser utilizadas para uma melhor compreensão da sua dinâmica de transmissão e distribuição.Objetivo: Analisar padrões espaciais e a tendência temporal da mortalidade por Doença de Chagas para identificação de áreas de risco prioritárias no controle no estado de Sergipe, Nordeste do Brasil. Método: Estudo ecológico, de série temporal e com técnicas de análise espacial sobre óbitos por Doença de Chagas no estado de Sergipe (1996-2016), a partir de dados do Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM). A análise temporal foi realizada através de técnica estatística capaz de descrever alterações no padrão da tendência para o período. Foram elaborados mapas temáticos a partir de analises pontual e poligonal. Resultados: Foram registrados 247 óbitos por Doença de Chagas, com média de 11,7 mortes/ano, sendo a maioria do sexo masculino (64%) e nas faixas etária de 50-59 anos (21%) e 60-69 anos (26%). Observou-se dois segmentos com tendências crescentes, não constantes e significativas: 1996-2005 (APC = 21,6%; p=0,01) e 2005-2016 (APC= 4,4%; p=0,01), com APPC= 11,8% (p=0,01). Houve autocorrelação espacial positiva e significativacom áreas de maior risco de morte localizadas na região Sul do estado. Conclusão: A tendência da mortalidade por DC de chagas no estado de Sergipe foi crescente no período analisado,com distribuição heterogênea dos casos e principal área de risco identificada na região Sul do estado.

  • LEVY RAMALHO DE ARAUJO FERREIRA
  • VALIDAÇÃO DE UM INSTRUMENTO PARA CIRURGIA SEGURA EM UM HOSPITAL PÚBLICO
  • Orientador : ELIANA OFELIA LLAPA RODRIGUEZ
  • Data: 10/02/2021
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: segurança do paciente envolve um escopo de ações que visam reduzir o risco de danoassistencial. A OMS traz taxa de complicações de 3% a 17% em cirurgias. Essa instituição desenvolveuum checklist de segurança cirúrgica que trouxe redução de 36% de complicações e 47% de mortalidade.Para torná-lo eficiente, recomenda adaptações à prática de cada instituição. A validação é um passofundamental neste processo para estabelecimento da confiabilidade, validade e embasamento científico.Objetivo: validar checklist de segurança cirúrgica quanto ao conteúdo para um hospital público dereferência do estado de Sergipe. Material e Método: pesquisa metodológica para validação de conteúdode checklist de segurança cirúrgica através da técnica Delphi. A amostra foi do tipo “bola de neve”. Oinstrumento de coleta foi composto por: caracterização dos participantes e checklist para validação comresposta tipo Likert. Os dados foram organizados em: caracterização dos participantes e IVC dasrespostas dos especialistas. Adotado 80% como critério de permanência e um p-valor maior de 0,05 noteste binomial. Teste de Kappa foi calculado para avaliar a concordância. Tabelas e diagramas de boxplotapresentaram as respostas. Estudo obteve aprovação do aspecto ético pelo CEP-UFS. Resultados: 12especialistas participaram. Destes, 58,3% (07), com 30 a 39 anos; 83,3% (10) do sexo feminino; 66,7%(08) trabalham na região sudeste e 33,3% (04) e na região nordeste; 91,7% graduados em enfermageme 8,3% (01) em medicina; 58,3% (07) com 10 a 19 anos de graduação; 41,7% (05) com especialização,50% (06) com mestrado e 8,3% (01) é doutor. No Momento 1, 23 itens avaliados: 18 (78,2%) validadospelos especialistas; 05 itens (21,7%) não foram validados e por isso excluídos. No Momento 2, 16 itensavaliados: 16 (100%) válidos pelos especialistas; não houve itens a excluir. No Momento 3, 20 itensavaliados: 20 (100%) válidos pelos especialistas; não houve itens a excluir. Dos 59 itens avaliados pelosespecialistas, 05 (8,5%) foram excluídos por não serem considerados pertinentes à cirurgia segura e 54itens (91,5%) foram validados. Conclusão: provido instrumento validado para utilização no serviço desaúde a que se destina para aplicação da segurança cirúrgica. Os resultados deste estudo podemcolaborar com possíveis melhorias das ações de saúde e promoção da adesão à cultura de segurançacirúrgica. Recomenda-se a realização de outras pesquisas que estudem os impactos da inserção dochecklist no hospital-alvo, assim como o grau de sua adesão e estudos comparativos pré e pós utilização.

  • GILVAN GOMES DA SILVA
  • VALIDAÇÃO DE UM INSTRUMENTO PARA CLASSIFICAÇÃO DE RISCO E CONDUTAS ADEQUADAS EM PACIENTES COM HIPERTENSÃO ARTERIAL SISTÊMICA
  • Orientador : ELIANA OFELIA LLAPA RODRIGUEZ
  • Data: 03/02/2021
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A hipertensão arterial sistêmica quando não tratada de maneira adequada pode ser o primeiropasso que leva à institucionalização e à perda da independência funcional, uma vez que quandoocorre a internação, muitos pacientes passam por um período redução da mobilidade eatividades funcionais, gerando um comprometimento do seu estado físico e de vitalidade. Autilização de instrumentos que permitam uma coleta de dados de acordo com as característicase especificidades dos indivíduos que serão assistidos, a fim de auxiliar no processo de decisãodo profissional, constitui um recurso metodológico que colabora na melhoraria da qualidade daassistência, avaliação das respostas aos tratamentos, propicia a comparação de dados ao longodo tempo, além de orientar condutas na prática clínica. Estudo metodológico, cujo objetivo foiconstruir e validar um instrumento para classificação de risco e condutas adequadas quanto aoconteúdo para pacientes com hipertensão arterial sistêmica para uso na atenção primária àsaúde. O presente estudo foi composto por três etapas: elaboração de uma revisão integrativa,discussão e braistorming e validação do instrumento. Amostra foi por conveniência e compostapor experts de acordo com os critérios de inclusão. Foi elaborado um instrumento em forma dequestionário do tipo Likert. A construção se deu através uma de revisão integrativa, e discussõesconstrutivas brainstorming. Quanto à validação foi realizada através da técnica Delphi. Osdados foram armazenados no banco de dados do Google Forms e exportados para serem analisecom o software R. Análise quantitativa através do cálculo do índice de validade de conteúdo(IVC) A validade de conteúdo dos itens neste estudo foi considerada quando IVC ≥ 0,80,conforme referencial metodológico, além do teste binomial e Kappa. Ao final da rodada os 46itens foram validados, nenhuma atingiu o consenso de exclusão e o resultado do teste de Kappaevidenciou uma concordância quase perfeita, com o valor de 0,90 para todos os itens. Com esseestudo, foi possível construir e validar um instrumento quanto o seu conteúdo através do métodoDelphi composto por 46 itens, os quais servir para classificação de risco e condutas adequadasao paciente hipertenso na Atenção Primária à Saúde.

  • LEILA CRISTINA OLIVEIRA SANTOS
  • CONSTRUÇÃO DE INSTRUMENTO SISTEMATIZADO DE ENFERMAGEM PARA NEAR MISS MATERNO
  • Orientador : IELLEN DANTAS CAMPOS VERDES RODRIGUES
  • Data: 27/01/2021
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O near miss materno é definido pela Organização Mundial de Saúde como a mulher que quase morreu, mas sobreviveu a complicações graves durante a gestação, parto ou até 42 dias após o término da gestação. Constitui-se um importante marcador de saúde e de qualidade obstétrica e reúne um conjunto de critérios diagnósticos que identificam as condições potencialmente ameaçadoras à vida da mulher, que requer prioridade no atendimento, a fim de que esta receba atenção, cuidados e suporte adequados e não evolua para o desfecho de morte materna. O cuidado direcionado às mulheres, a partir das tecnologias em saúde, é um dos pontos propostos para que se obtenha mais segurança no atendimento. Nesse sentido, o estudo vem tratar da implementação de uma tecnologia leve-dura para a estruturação da assistência ao near miss materno. Objetivos: Construir um instrumento sistematizado de enfermagem para uso na assistência à mulher em near miss materno, fundamentado na CIPE ®. Método: Trata-se de um estudo metodológico, que foi realizado em duas fases: Análise de conceito de near miss materno e Elaboração do instrumento de pesquisa. Na análise e síntese dos artigos selecionados, os dados identificados foram transcritos, categorizados e armazenados em uma planilha do Microsoft Office Excel® e a discussão dos resultados foi realizada de forma descritiva. Resultados: Os achados foram categorizados em Eventos/Situações de Saúde Associados ao Near Miss Materno e Análise de Conceito de Near Miss Materno, cujos dados subsidiaram a construção do instrumento de pesquisa. Conclusão: o estudo permitiu clarificar o conceito do Near Miss Materno, desmistificando-se a ideia de que ele seja apenas um inquérito de base populacional para análise de morbidade materna. Permitiu defini-lo operacionalmente como um fenômeno factível, que pode ser observado e acompanhado pela enfermagem. Espera-se, portanto, que possa contribuir para a prática de uma assistência instrumentalizada pelo Processo de Enfermagem, além de tornar-se um objeto norteador na tomada de decisão dos profissionais, melhorando o cuidado materno.

2020
Descrição
  • MATHEUS SANTOS MELO
  • CONSTRUÇÃO E VALIDAÇÃO DE UM CENÁRIO DE SIMULAÇÃO CLÍNICA SOBRE TESTAGEM E ACONSELHAMENTO PARA O HIV EM GESTANTES
  • Orientador : IELLEN DANTAS CAMPOS VERDES RODRIGUES
  • Data: 22/12/2020
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: A simulação clínica é uma estratégia de ensino que visa unificar teoria e prática e está atrelada a benefícios como aperfeiçoar o conhecimento, adquirir ou melhorar a destreza na execução de procedimentos, desenvolver o trabalho em equipe, estimular o pensamento crítico-reflexivo, melhorar o relacionamento interpessoal, aumentar a confiança, promover o desenvolvimento de habilidades e a satisfação com o aprendizado. A construção e validação de cenários de simulação clínica podem contribuir com a disseminação destes benefícios. Assim, percebe-se a necessidade da validação de cenários de simulação clínica como ferramenta de ensino na graduação. Objetivo: Validar um cenário de simulação clínica para testagem e aconselhamento para o HIV em gestantes. Método: Trata-se de uma pesquisa metodológica com abordagem quantitativa para construção e validação de conteúdo e aparência segundo a técnica de Delphi de um cenário de simulação clínica desenvolvida em duas etapas: construção e validação do cenário por juízes. A amostra desse estudo foi composta por todos os juízes no assunto que obtiveram sete ou mais pontos segundo os critérios de Andrade adaptados e aceitaram participar da pesquisa. A construção do cenário ocorreu a partir de ampla revisão de literatura e seguindo o referencial metodológico de Jeffries. Os dados obtidos foram analisados mediante o cálculo do Índice de Validade de Conteúdo (IVC), através de três equações matemáticas: I-CVI (Item-Level Content Validity Index), S-CVI/Ave (Scale-Level Content Validity Index/Average) e S-CVI/UA (Scale-Level Content Validity Index/Universal Agreement). Foi realizado o teste binomial com nível de significância de 5%, para verificar, se a concordância foi igual ou superior a 80%. O presente estudo respeitou as exigências formais contidas na resolução Nº 466/2012 do Conselho Nacional de Saúde e foi aprovado pelo comitê de ética em pesquisa da Universidade Federal de Sergipe, conforme parecer nº 3.826.601 e Certificado de Apresentação para Apreciação Ética: 23171119.5.0000.5546. Resultados: Construiu-se um cenário de simulação para testagem e aconselhamento de gestantes para o HIV que foi submetido a validação, na qual, ao término da primeira rodada Delphi, os itens “tempo de simulação: duração do briefing” e “informações fornecidas para execução do cenário: informações do prontuário” não atingiram o I-CVI necessário para validação em todos os critérios avaliados que foram: comportamental, objetividade, simplicidade, clareza, relevância, precisão, variedade, modalidade, tipicidade e credibilidade. Alterações foram feitas no roteiro a partir das sugestões emitidas pelos juízes e o roteiro foi novamente enviado para apreciação. Ao final da segunda rodada Delphi os juízes entraram em consenso e todos os itens atingiram o I-CVI necessário para validação. Conclusão: O estudo possibilitou construir o roteiro do cenário de simulação que se mostrou válido e confiável após processo de validação quanto ao conteúdo e aparência por juízes especialistas em simulação clínica e/ou saúde da mulher. Esta pesquisa poderá subsidiar o ensino da testagem e do aconselhamento de gestantes para o HIV, uma vez que sua utilização favorecerá o processo de ensino-aprendizagem e o desenvolvimento de competências e habilidades em alunos dos cursos de graduação em enfermagem.

  • KATYUCIA OLIVEIRA CRISPIM DE SOUZA
  • Análise espacial da qualidade da atenção básica e sua relação com a vulnerabilidade social nos municípios do Nordeste do Brasil
  • Orientador : ALLAN DANTAS DOS SANTOS
  • Data: 07/08/2020
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • No Brasil, o Ministério da Saúde começou a priorizar a avaliação sistemática da qualidade e do acesso nos serviços de saúde do SUS, sobretudo da Atenção Básica. A realização de atividades de gestão pública com base em ações de monitoramento e avaliação de processos e resultados se deu por meio do Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica (PMAQ-AB), contudo, existem vários desafios enfrentados para a qualificação deste nível de atenção. Dentre estes desafios estão os determinantes sociais de saúde relacionados à vulnerabilidade social que incidem no cotidiano de vida dos sujeitos em seus territórios, contribuindo para a promoção ou deterioração dos seus estados de saúde. A pesquisa teve dois objetivos: 1) Analisar espacialmente a qualidade da atenção básica e sua relação com vulnerabilidade social nos municípios do nordeste brasileiro; 2) analisar a distribuição espacial da qualidade da atenção básica por meio das certificações obtidas no terceiro ciclo do PMAQ-AB no município de Aracaju/SE. Métodos: Trata-se de um estudo transversal descritivo com técnicas de análise espacial e uso de dados secundários provenientes do PMAQ-AB realizado na região Nordeste e no município de Aracaju. O universo pesquisado correspondeu as certificações de todas as equipes de atenção básica do Nordeste que participaram do terceiro ciclo do PMAQ-AB. Para representar a vulnerabilidade social dos municípios nordestinos, foi selecionado como variável independente o Índice de Vulnerabilidade Social municipal (IVS) e seus componentes (Capital Humano, Renda e Trabalho e Infraestutura) e para o município de Aracaju foi utilizado o Índice de Vulnerabilidade em Saúde do estudo de Peixoto (2020). Para análise espacial, foram utilizados os índices de Moran global (I) e local (LISA) univariados. O teste de correlação de Spearman e as análises bivariadas I e LISA foram empregadas para examinar a relação entre a qualidade da atenção básica e o IVS no Nordeste. No município de Aracaju, as equipes avaliadas pelo PMAQ-AB em foram analisadas segundo sua localização geográfica nos seus respectivos bairros e resultados das certificações. Para a geração dos mapas foi utilizado a malha cartográfica digital, em formato shapefile, no sistema de projeção geográfica latitude/longitude e do Sistema Geodésico de Referência - SIRGAS 2000 obtidos do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Os mapas foram gerados nos programas TerraView versão 4.2.0 e QGIS versão 3.4.5. Resultados: O total de equipes de atenção básica que aderiram voluntariamente e participaram do terceiro ciclo do PMAQ-AB foi de 16.215 equipes, distribuídas em 1752 municípios do Nordeste. Observou-se presença de padrões de natureza espacial em relação à qualidade da atenção básica. Municípios com alto desempenho cujos vizinhos também apresentam alto desempenho foram encontrados em quase todos os estados, com exceção do Maranhão e de Sergipe. A análise do Moran Bivariado do IVS e a qualidade da atenção básica apontou presença de outliers espaciais baixo-alto principalmente em municípios dos estados do Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Pernambuco e Bahia o que corresponde a áreas de baixa vulnerabilidade social com alta qualidade da atenção básica. O Maranhão destaca-se por apresentar baixo desempenho das atividades de atenção básica em um grande número de municípios com alta vulnerabilidade social. No município de Aracaju, todas as 137 equipes de saúde da família foram avaliadas no terceiro ciclo do programa. Elas se distribuem nas 45 unidades básicas de saúde existentes, com uma maior concentração nos bairros de população entre 20 a 30 mil habitantes. Além disso, há uma maior disposição de equipes em áreas de alta vulnerabilidade. A distribuição da qualidade da atenção básica no município de Aracaju mostrou-se heterogênea, com maior concentração de equipes com desempenho regular e ruim em bairros localizados na zona norte e equipes com melhores classificações na região centro-sul da cidade. Conclusão: O estudo revelou presença de relação espacial entre indicadores de vulnerabilidade social e qualidade da Atenção Básica, indicando que quanto menor for a vulnerabilidade social, maiores as chances de qualidade superior. Os critérios de implantação da ESF devem levar em conta fatores como densidade populacional e os determinantes sociais, além da equidade e acessibilidade aos serviços. A relevância dos achados está na possibilidade de contribuir para o direcionamento políticas públicas em prol da prestação de cuidados de alta qualidade e melhoria da equidade dos serviços de saúde do país.

  • SAMARA OLIVEIRA LOPES
  • CARGA DE TRABALHO E QUALIDADE DE VIDA DOS ENFERMEIROS DE UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA
  • Orientador : ANDRÉIA CENTENARO VAEZ
  • Data: 28/02/2020
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A Unidade de Terapia Intensiva é um ambiente crítico e complexo, onde é realizada a assistência a pacientes com risco de morte, bem como possui diversos fatores que expõe continuamente os Enfermeiros a uma carga de trabalhado elevada, ao estresse, à Síndrome de Burnout e a danos à qualidade de vida. Objetivo Avaliar a carga de trabalho, a qualidade de vida, o estresse e a Síndrome de Burnout dos enfermeiros de Unidade de Terapia Intensiva. Métodos Estudo observacional, do tipo transversal e análise quantitativa realizado com enfermeiros e prontuários de pacientes internados na Unidade de terapia Intensiva no período de novembro de 2018 a fevereiro de 2019. Para avaliação da carga de trabalho e da gravidade dos pacientes foram aplicados aos prontuários o Nursing Activities Score e o Simplified Acute Physiology Score III, respectivamente. Para avaliar os níveis de estresse, a síndrome de Burnout e a qualidade de vida entre os enfermeiros foram utilizados os questionários da Perceived Stress Scale (PSS 14), o Maslach Burnout Inventory (MBI) e o World Health Organization´s Quality of Life (WHOQOL-Bref), respectivamente. Resultados: Observou-se entre os prontuários de 104 pacientes que a maioria era adulto, do sexo masculino, procedente do pronto socorro e o motivo da internação era clínico, com baixos escores para a carga de trabalho da enfermagem. Embora não tenha havido associação da carga de trabalho com o tipo de internamento, houve correlação importante entre o NAS da admissão e o NAS da alta nos dois tipos de internação, bem como do NAS médio com a gravidade dos pacientes clínicos. Também verificou-se, entre os 24 enfermeiros uma alta percepção do estresse e alterações significativas referentes aos três domínios da Síndrome de Burnout. A qualidade de vida mostrou-se não satisfatória, sendo o domínio meio ambiente o mais afetado. Conclusão: Mesmo com a carga de trabalho descrita como baixa, há um alto risco de adoecimento dos Enfermeiros, bem como uma qualidade de vida ruim.

  • AMANDA ALMEIDA SILVEIRA SOBRAL
  • APLICABILIDADE CLÍNICA DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NA MONITORIZAÇÃO DOS SINAIS VITAIS: UMA REVISÃO SISTEMÁTICA
  • Orientador : ANA CRISTINA FREIRE ABUD
  • Data: 28/02/2020
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A sociedade, as instituições e os profissionais de saúde precisam reconhecer a necessidade do uso da tecnologia na área de saúde e seus potenciais benefícios, ao contribuir para a melhoria da comunicação, favorecer o acesso à informação e permitir progressos na qualidade da assistência prestada. Por meio desta pesquisa, objetivou-se conhecer a aplicabilidade clínica das tecnologias de informação e comunicação na monitorização de sinais vitais em seres humanos. Trata-se de uma revisão sistemática da literatura, desenvolvida em sete etapas: construção do protocolo, definição da questão de pesquisa estruturada no formato do acrônimo PICO, busca dos estudos, seleção dos estudos, avaliação crítica dos estudos, coleta de dados, e, síntese dos dados. A busca foi realizada nas seguintes bases de dados: MEDLINE, Lilacs PubMed, SCOPUS e CINAHL. Esta revisão resultou em 34 estudos, as pesquisas foram publicadas entre os anos de 1998 e 2018, com aumento do número de publicações a partir de 2010. Os estudos selecionados foram agrupados em seis categorias, a saber: monitoramento durante o transporte, monitoramento cardiovascular e/ou respiratório, monitoramento durante o sono, monitoramento do estado clínico geral, monitoramento para detecção de queda ou desmaio, monitoramento de populações específicas. Identificou-se uma ampla aplicabilidade clínica das tecnologias de informação e comunicação na monitorização dos sinais vitais. Dentre os estudos analisados, observou-se, como destaque, o uso desses sistemas para pacientes com doenças crônicas, população residente em áreas remotas onde os serviços de saúde são menos acessíveis, e, uma ênfase para população idosa, pois esta é uma parcela da população que está crescente em muitos lugares do mundo. Conclui-se que a utilização das tecnologias de informação e comunicação na monitorização de sinais vitais é aplicada para diversos grupos de pacientes, em múltiplos ambientes e sob variadas condições. No entanto, observou-se que esta prática, na maioria dos estudos, ocorre de forma experimental. E, embora evidenciada a potencialidade dessas tecnologias em diversos cenários do cuidado, são necessários estudos adicionais de alto rigor metodológico que avaliem sua eficácia, acurácia e custo-efetividade.

  • SINEIDE SOUZA MAIA LINHARES
  • CONSTRUÇÃO E VALIDAÇÃO DE UM INSTRUMENTO PARA AVALIAÇÃO DE COMPETÊNCIAS EM INFORMÁTICA PARA ENFERMEIROS
  • Orientador : ELIANA OFELIA LLAPA RODRIGUEZ
  • Data: 21/02/2020
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Trata-se de um estudo que tem como finalidade a validação de uma escala capaz de mensurar as competências em informática de enfermeiros brasileiros. A utilização de uma escala psicometricamente válida, confiável e precisa é essencial para garantir uma avaliação adequada do construto. Objetivo: Construir e submeter ao processo de validação de construto uma escala capaz de avaliar as competências em informática de enfermeiros brasileiros. Método: pesquisa de corte transversal, do tipo Survey, de abordagem quantitativa que seguiu as seguintes etapas: transformação da lista do estudo de Melo (2018) em escala tipo Likert de cinco pontos e validação de construto com análise psicométrica. A amostra foi de 550 questionários. O instrumento proposto composto por 78 itens. O período de coleta teve duração de dez meses. A validação de construto foi utilizando análise fatorial e a consistência interna pelo coeficiente alfa de Cronbach. Resultados: O teste de Bartlett e teste KMO possibilitaram e confirmaram que os dados coletados eram adequados e respondentes à análise fatorial. A análise fatorial exploratória simples sugeriu um instrumento unidimensional e identificado quatro fatores, a serem apresentados na escala proposta por meio desta pesquisa, segundo os critérios da proporção acumulada e do gráfico Scree Plot. Seguidamente, aplicou-se quatro análises fatoriais exploratória com rotação Varimax para analisar as cargas fatoriais e comunalidades de cada item. Assim, foi necessário a exclusão de 12 itens para adequação das cargas fatoriais com valores ≥ 0,30 e comunalidades ≥ 0,50. A escala obteve alfa de Cronbach de 0,99. Ao final apresenta-se uma escala validada com 66 itens. Conclusão: Apresenta-se uma escala válida para mensurar competências em informática de enfermeiros brasileiros.

  • MANUELLE MENEZES DE OLIVEIRA
  • ASFIXIA PERINATAL EM RECÉM-NASCIDOS ASSISTIDOS EM UMA MATERNIDADE DE RISCO HABITUAL
  • Orientador : ANDRÉIA CENTENARO VAEZ
  • Data: 19/02/2020
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: asfixia perinatal é um problema de saúde pública descrita pela privação de oxigênio no pré-natal, intraparto, parto e nos primeiros minutos de vida, que compromete em especial o Sistema Nervoso Central e pode evoluir para a Encefalopatia Hipóxico-Isquêmica. Objetivo: avaliar os fatores associados à asfixia neonatal em recém-nascidos assistidos em uma maternidade de risco habitual. Metodologia: estudo caso-controle realizado em uma maternidade de risco habitual do estado de Sergipe no período de janeiro a julho de 2019, por meio da aplicação de um questionário às mães de dois grupos: recém-nascidos diagnosticados com asfixia perinatal (n=90) e os hígidos do alojamento conjunto (n=180). Os seguintes fatores foram avaliados e divididos em três seções: fatores sociodemográficos da mãe, obstétricos e neonatais. A análise ocorreu por regressão logística binária, com os valores expressos em Odds Ratio (OR) e seus intervalos de confiança (IC95%) para testar a associação das variáveis independentes com as dependentes. Variáveis que obtiveram um p-valor menor que 0,05 na regressão logística foram identificadas e ajustadas na regressão logística múltipla para identificar os efeitos de cada variável. Em todas as análises, foi considerado nível de significância de 5%. Resultados: A maioria das mães declarou idade entre 25 e 35 anos, companheiro fixo, mais de oito anos de estudo, não exercer atividade remunerada e realizou mais de seis consultas de pré-natal. A regressão logística múltipla verificou que a asfixia perinatal foi significativamente associada à presença de fatores de risco no pré-natal (OR 2,68, IC 95% 1,39-5,15, p= < 0,003), manobra de Kristeller (OR 6,34, IC 95% 2,67-15,04, p= < 0,02) e administração de ocitocina (OR 2,38, IC 95% 1,22-4,46, p= <0,01). Conclusão: o estudo demonstrou que os fatores de risco no pré-natal, uso contínuo de ocitocina e realização da manobra de kristeller no intraparto foram os determinantes da asfixia perinatal. Portanto, é necessário melhorar a qualidade do pré-natal, reduzir as intervenções no intraparto, a fim de evitar internação de recém-nascido na UTIN por este agravo.

  • NADYEGE PEREIRA CARDOSO
  • QUALIDADE DE VIDA E SINTOMAS DEPRESSIVOS EM MULHERES COM DIABETES MELLITUS GESTACIONAL
  • Orientador : LIUDMILA MIYAR OTERO
  • Data: 18/02/2020
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: A gestação é um evento fisiológico, entretanto, neste período a gestante pode desenvolver doenças que afetam adversamente a saúde materno-fetal, como o Diabetes Mellitus Gestacional (DMG), que apresenta elevada prevalência entre mulheres com hiperglicemia na gravidez, interfere na vida Qualidade de Vida (QV) e está relacionada ao desenvolvimento de sintomas depressivos. OBJETIVO: Avaliar a QV e presença de sintomas depressivos em mulheres com DMG. MÉTODO: Trata-se de um estudo transversal do tipo caso-controle, exploratório com abordagem quantitativa. A amostra foi composta por 47 gestantes com DMG, Grupo Teste (GT) e 94 gestantes classificadas como risco habitual, Grupo Controle (GC). Foram utilizados três instrumentos, um para a caracterização da amostra, outros dois, para avaliação da QV, o World Health Organization Quality Of Life WHOQOL-Bref e dos sintomas depressivos, o Edinburgh Postnatal Depression Scale (EPDS). RESULTADOS: As gestantes do GT apresentaram médias mais baixas em relação ao GC em todos os domínios do Whoqol-bref (p<0,05). A presença de sintomas depressivos na gestação ocorreu em cinco gestantes (10,65%) do GT e em nenhuma do GC. Entre as variáveis sociodemográficas, clínicas e obstétricas, mulheres do GT com IMC elevado apresentaram QV comprometida nos domínios Físico (34,07, p=0,014), Psicológico (62,38, p=0,052), Social (64,41, p=0,042) e na QV Geral (51,97, p=0,006), assim como as com baixa escolaridade apresentaram comprometimento da QV no domínio Ambiente (46,58, p=0,029); As que tiveram, antecedente familiar de DM apresentaram comprometimento nos domínios Psicológico (53,33, p=0,013) e Social (45,00, p=0,024) e, a depender do tratamento utilizado, nos domínios Físico, Psicológico e QV geral (p<0,05). Observou-se no GT correlação moderada entre o domínio Físico com o Psicológico e a média geral do Whoqol bref, entre o domínio Psicológico e o Social e entre o Ambiente com a média geral. A correlação também foi forte entre o domínio Psicológico com a QV geral, assim como entre o Social e a QV geral. As demais correlações foram fracas, ou seja, sem importância clínica (r<0,30). No GC foi observada correlação moderada entre os domínios Social e Físico, e entre Ambiente com Psicológico e Social. Todos os domínios Físico, Social, Psicológico e Ambiente apresentaram forte correlação com a QV geral. A correlação dos domínios do Whoqol-bref com a EPDS foi negativa e moderada frente aos domínios de Físico, Psicológico, Social e a QV geral. CONCLUSÕES: Os resultados sugerem que o DMG compromete a QV e predispõe para o desenvolvimento de sintomas depressivos. Não foi observada correlação entre QV e sintomas depressivos entre as mulheres com DMG, todavia, essa correlação foi identificada no grupo de mulheres de risco habitual. Nível de escolaridade, IMC, peso gestacional, antecedente familiar com DM e o tipo de tratamento foram variáveis que interferiram na QV e no desenvolvimento de sintomas depressivos.

  • MARIA CRISTINA LEITE FERRAZ
  • MÚSICA NO ALÍVIO DA DOR PÓS CIRURGIA DE FRATURA DE TÍBIA: ENSAIO CLÍNICO RANDOMIZADO
  • Orientador : MARIA DO CARMO DE OLIVEIRA
  • Data: 17/02/2020
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • As cirurgias ortopédicas estão frequentemente associadas à dor pós-operatória intensa. Portanto, é necessária uma abordagem analgésica multimodal que incluam terapêuticas farmacológicas e não farmacológicas. Diante disto, esta pesquisa teve como objetivo avaliar o efeito da música em pacientes com dor aguda no pós-operatório imediato de cirurgia de fratura de tíbia, caracterizar o perfil sociodemográfico destes pacientes, verificar o efeito da música durante o primeiro curativo do pós-operatório e comparar este efeito entre os grupos. Trata-se de um ensaio clínico randomizado, controlado e cego, com 70 pacientes distribuídos aleatoriamente em dois grupos: Grupo Controle (GC), no qual os pacientes receberam apenas a analgesia padrão da instituição durante a realização do primeiro curativo do pós-operatório, e Grupo Intervenção (GI) composto por pacientes submetidos a sessão de música como método complementar a analgesia padrão da instituição. Para quantificação da dor foi utilizada a Escala Visual Numérica (EVN). O desfecho primário foi o escore de dor desta escala. Com relação as características sociodemográficas dos participantes, não houve diferença estatisticamente significante quando comparadas entre os grupos. Já quanto à avaliação da dor, foi evidenciado que o grupo experimental referiu menos dor quando comparado ao grupo controle após realização do curativo (p<0,001). Houve também uma redução significante nos escores da dor após realização do curativo nos pacientes que ouviram música e aumento da intensidade dolorosa no grupo controle (p<0,001). Desta forma, conclui-se que a dor reduziu significantemente nos pacientes após ouvirem música.

  • JÉSSICA OLIVEIRA DA CUNHA
  • AVALIAÇÃO DAS SALAS PÚBLICAS DE VACINA DAS UNIDADES BÁSICAS DE SAÚDE DO MUNICÍPIO DE ARACAJU, SERGIPE
  • Orientador : ALLAN DANTAS DOS SANTOS
  • Data: 17/02/2020
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A imunização é ação prioritária na prevenção de doenças e contitui-se como um procedimento de grande impacto nas condições gerais de saúde da população e nenhuma outra intervenção de saúde atinge tantas pessoas ou é capaz de impedir uma ampla variadade de agravos a saúde pública. Resultados aldaciosos são revelados a toda população que a vacinação é responsável por mudar o perfil epidemiológico no país como por exemplo a eliminação da varíola, da rubéola, síndrome da rubéola congênita e a interrupção de transmissão da poliomielite por exemplo, vale lembrar que, a consolidação destes resultados acontecem nas salas de vacinação e que para isso dependem da estrutura e dos processos logísticos aplicados à conservação dos imunobiológicos disponibilizados nacionalmente na Rede de Frio do programa nacional de imunização. No âmbito das salas de vacinação, essas atividades possibilitam a identificação de fragilidades e pontos críticos, propondo alternativas e viabilizando estratégias que garantam a confiança da população na vacinação e o não ressurgimento de doenças já eliminadas ou controladas no país. O objetivo deste estudo foi avaliar as salas de vacinação da rede básica do município de Aracaju-Se quanto as suas dimensões- estruturas e processos. Trata-se de uma pesquisa avaliativa, transversal e caráter descritivo. Foram avaliadas 42 salas de vacinas e para coleta de dados utilizou-se o instrumento de supervisão em sala de vacinação padronizado pelo Ministério da Saúde, e, foram analisados pelo Programa de Avaliação do Instrumento de Supervisão em Sala de Vacinação disponibilizado pelo Programa Nacional de Imunização. Conclui-se que as salas de vacinação do municipio apresentam um índice geral regular e que os fatores que interferem no monitoramento dos imunobiológicos nas salas de vacinação precisam ser melhor investigados e há uma necessidade crescente do município instituir boas práticas da avaliação no serviço para um melhor planejamento, execução, acompanhamento e controle das atividades realizadas, isso permite aos gestores a visualização das potencialidades e fragilidades.

  • THAYNARA SILVA DOS ANJOS
  • VALIDAÇÃO DE UM INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO DO AUTOCUIDADO DOS PACIENTES COM DIABETES MELLITUS TIPO 2
  • Orientador : LIUDMILA MIYAR OTERO
  • Data: 04/02/2020
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • RESUMO

    Estudo metodológico, que teve como objetivo validar o instrumento de avaliação do autocuidado dos pacientes com diabetes mellitus tipo 2 (INAAP-DM2). Realizou-se o processo de validação de construto desse instrumento, para torná-lo confiável, preciso e utilizável. Para isso, foram seguidos os procedimentos empíricos e analíticos, com seus quatro passos: Planejamento da aplicação, Aplicação e coleta, Dimensionalidade, Análise dos Itens e Precisão do instrumento. A coleta de dados ocorreu no período de fevereiro de 2018 a junho de 2019, com 600 pacientes que obedeciam aos critérios de inclusão e exclusão. As entrevistas foram realizadas pela autora do presente estudo e dois enfermeiros previamente treinados, utilizando Formulário de caracterização sociodemográfica e o INAAP-DM2. O estudo foi desenvolvido em Unidades Básicas de Saúde (UBS’s) dos municípios de Aracaju e Itabaiana, e no Centro de Diabetes do Instituto de Previdência do Estado de Sergipe (IPES). Os dados obtidos através da coleta de dados foram digitados no programa Excel e as análises estatísticas foram realizadas: Análise fatorial e a consistência interna. No primeiro incluiu o processo de dimensionalidade do instrumento, abrangendo a adequabilidade dos dados, a extração de número e fator e o tipo de rotação dos fatores. Já no segundo, a consistência interna foi calculada através do Alfa de Cronbach. No processo de dimensionalidade do instrumento, através do teste KMO individual, dois itens foram considerados inadequados; 20 itens não utilizavam a mesma escala do instrumento, considerados também inadequados no processo de validação; Todos os 14 itens foram apontados como inadequados através da medida da carga fatorial e/ou comunalidade. Os 34 itens inadequados foram excluídos do INAAP-DM2, totalizando no INAAP-DM 2, 95 itens. O Alfa de Cronbach indicou domínios que variaram entre 0,79 (aceitável) a 0,99 (excelente). A consistência total foi de 0,89 (boa), indicando homogeneidade interna do INAAP-DM2. Assim, o instrumento mostrou-se confiável, válido, preciso e pronto para utilização na prática clínica.

  • BRENDA EVELIN BARRETO DA SILVA
  • PREVALÊNCIA E FATORES ASSOCIADOS A COINFECÇÕES ENTRE MULHERES VIVENDO COM HIV/AIDS EM ESTADO DO NORDESTE DO BRASIL
  • Orientador : LIGIA MARA DOLCE DE LEMOS
  • Data: 28/01/2020
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: o impacto da interação biológica entre o HIV e as coinfecções é amplamente discutido no contexto mundial. Objetivo: verificar a prevalência de coinfecções em mulheres vivendo com HIV/AIDS em estado do nordeste do Brasil. Métodos: estudo transversal realizado com 435 mulheres com HIV acompanhadas no ambulatório de referência em HIV/AIDS de Sergipe, entre agosto de 2014 e novembro de 2017. Após entrevista, foram verificados relatórios clínicos e testes laboratoriais de sífilis; hepatites B e C, toxoplasmose (IgG e IgM), rubéola (IgG e IgM) e citomegalovírus (IgG). A coinfecção HIV-tuberculose foi analisada através do pareamento com a base de dados do SINAN/Sergipe com casos notificados de tuberculose em mulheres entre 2001 e 2017. Para realização do diagnóstico molecular do papilomavírus humano (HPV), foram coletadas amostras do canal endocervical de 270 participantes do estudo. O DNA foi extraído e amplificado através da técnica de Reação em Cadeia da Polimerase e a genotipagem foi por meio do sequenciamento das amostras positivas. Realizou-se estatística descritiva e análises bivariadas para mensurar associações entre variáveis independentes e ocorrência de coinfecções. Resultados: entre as 435 mulheres HIV-positivas, a mediana (intervalo interquartil) de idade foi de 38 (30-46) anos; 209 (48,5%) tinham de zero a quatro anos de estudo; 280 (67,6%) estavam em união conjugal; e 191 (45,4%) tiveram a primeira relação sexual com menos de 15 anos. Ser de raça negra, contrair o HIV por via sexual, ter a primeira relação sexual com menos de 15 anos e fazer sexo por dinheiro foram fatores preditores da ocorrência de coinfecção. As prevalências das coinfecções identificadas nesse estudo foram: 9,1% para sífilis (38/419), 3,9% para tuberculose (17/435), 3,8% para toxoplasmose (13/340), 2,5% para hepatite C (10/401), 2,3% para hepatite B (9/394) e 1,8% para rubéola (5/280). Além disso, foram detectadas soropositividades para o anticorpo IgG contra o citomegalovírus (96.2%), rubéola (90%) e toxoplasmose (71,2%). Entre as 270 mulheres que fizeram o teste de detecção do DNA-HPV, 150 (5,6%) apresentaram positividade. Foram identificados 24 tipos virais, 113 (72%) de HPV de alto risco de oncogenicidade e o mais prevalente foi o HPV 16 (53/35.3%), seguido por: HPV 6, 31, 33 e 35 (9/6%, cada). O status positivo para HPV apresentou associação com ter de 4 a 8 anos de estudo e ter sido diagnosticada com HIV a menos de cinco anos. Entre 231 mulheres, 31 (13,4%) apresentavam anormalidades citológicas, sendo a maior parte de lesões escamosas de alto grau (16/51,6%). Das 200 (86,6%) que foram negativas para lesões e malignidade na citologia, 99 (49,5%) apresentavam positividade para DNA-HPV. Conclusões: as maiores prevalências identificadas foram de sífilis e da infecção por HPV, o que evidencia uma maior vulnerabilidade a infecções sexualmente transmissíveis. Além disso, foi detectada uma ampla diversidade de genótipos de HPV de alto risco, sendo o HPV 16 o mais prevalente. Assim, as informações obtidas nesse estudo podem ajudar no fortalecimento de políticas públicas de prevenção e diagnóstico de coinfecções direcionadas a população feminina vivendo com HIV/AIDS de Sergipe.

2019
Descrição
  • DANIELA DE SOUZA LORDÊLO
  • CONSTRUÇÃO E VALIDAÇÃO DE INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO DE INTERVENÇÕES EDUCATIVAS: UTILIZANDO NOC E NIC
  • Orientador : MARIA PONTES DE AGUIAR CAMPOS
  • Data: 13/09/2019
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Contexto: A hipotermia perioperatória é entendida como a temperatura corporal menor que 36ºC surge no paciente cirúrgico em todas as fases do período perioperatório, no qual o corpo é incapaz de gerar calor suficiente para a realização de suas funções. Objetvo:Construir e validar um instrumento de avaliação de intervenções educativas constantes na NIC, por meio de critérios adaptados de resultados e indicadores da NOC, direcionadas à prevenção e ao controle da hipotermia no perioperatório. Método: pesquisa metodológica de abordagem quantitativa. O desenvolvimento foi referenciada pelos procedimentos teóricos descritos no Modelo Psicométrico de Luiz Pasquali (2010) e da técnica Delphi. Foi realizado uma revisão de literatura sobre hipotermia perioperatória em cirurgias eletivas e sobre os sistemas de classificação de enfermagem, sobretudo a NIC e a NOC nas bases de dados National Library of Medicine (PUBMED), Literatura Internacional em ciências da Saúde (MEDLINE), Literatura-Latino Americana em Ciências da Saúde e do Caribe (LILACS), e Scientific Eletronic Library Online (ScIELO). Foram utilizados os seguintes descritores: Hipotermia perioperatória, Enfermagem, Nursing Interventions Classification (NIC) e Nursing Outcomes Classification (NOC). A revisão abrangeu um o período de 2008 a 2019, incluindo artigos na língua portuguesa, inglesa e espanhola.Resultados:Na primeira rodada do Instrumento dos sete itens avaliados pelos juízes nenhum alcançou o IVC maior ou igual a 80%, entretanto,o Instrumento reformulado após as alterações sugeridas foi submetido a segunda rodada de avaliação dos juízes, sendo o mesmo aprovado em relação a Clareza, Conteúdo, Consistência e Objetividade com IVC maior ou igual que 0,8. Conclusão:O instrumento foi considerado pelos juizes apropriado, eficaz, sendo validado.


  • VERENA CARDOSO CRUZ
  • SÍFILIS CONGÊNITA: ANÁLISE ESPACIAL E ASPECTOS EPIDEMIOLÓGICOS DAS MÃES
  • Orientador : LIGIA MARA DOLCE DE LEMOS
  • Data: 23/08/2019
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: A sífilis é uma infecção sexualmente transmissível, que também pode ser transmitida por via parenteral ou transplacentária.. Como consequência da sífilis em gestantes, o número de casos de sífilis congênita tem aumentado, principalmente nas regiões norte e nordeste do Brasil. Objetivo: Analisar a distribuição espacial e características epidemiológicas da sífilis em gestante e sífilis congênita no estado de Sergipe entre os anos de 2007 a 2017; Identificar áreas urbanas de maior vulnerabilidade social para a ocorrência da infecção entre gestantes. Métodos: Este estudo possui dois desenhos metodológicos; para a distribuição espacial e identificação das áreas de maior vulnerabilidade à sífilis congênita foi utilizado um estudo ecológico, desenvolvido mediante a utilização de técnicas de análise espacial de dados de área contidos em banco de dados do estado. Para a descrição das características epidemiológicas das mães utilizou-se o estudo descritivo retrospectivo de uma coorte, a partir dos bancos de dados. Resultados: As mães das crianças com sífilis eram jovens com grande proporção de adolescentes, com baixa escolaridade, exerciam atividade remunerada e procedentes da zona urbana. A maioria realizou o pré-natal, porém não foi diagnosticada para sífilis, encontravam-se na fase latente da doença, receberam tratamento inadequado, seus parceiros não foram tratados, contribuindo para a alta incidência de sífilis congênita identificada pelo aumento progressivo ao longo dos 11 anos estudados. As áreas central e sul do estado de Sergipe apresentaram maior incidência e os municípios identificados como prioritários foram Divina Pastora, Siriri e Maruim. Conclusão: Há necessidade de educação permanente para percepção da vulnerabilidade, realização de campanhas para tratar os homens, busca ativa para o pré-natal e triagem efetiva da sífilis na gestante com estabelecimento de tratamento adequado.

  • YARA MERCEDES OLIVEIRA SANTOS
  • CONSULTA DE ENFERMAGEM EM ONCOLOGIA: VALIDAÇÃO DE INSTRUMENTO DE COLETA DE DADOS
  • Orientador : LEILA LUIZA CONCEICAO GONCALVES
  • Data: 24/07/2019
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: o câncer é considerado um problema de saúde pública, sobretudo em países subdesenvolvidos a exemplo do Brasil. Dentre as alternativas de tratamento, a quimioterapia é a mais utilizada em virtude da sua capacidade de cura. Porém, o comprometimento na qualidade de vida e no seguimento da terapêutica provocados pelas reações adversas ao quimioterápico, exige da equipe multidisciplinar de saúde a elaboração de um cuidado integral visando a prevenção e controle dessas reações. Objetivo: validar o conteúdo e a aparência de um instrumento de coleta de dados para a primeira consulta de enfermagem a pacientes adultos e idosos submetidos a quimioterapia antineoplásica. Método: estudo do tipo metodológico de abordagem quantitativa, desenvolvido em duas etapas: revisão do instrumento de coleta de dados para a consulta de enfermagem ao adulto e idoso em quimioterapia antineoplásica, e validação desse instrumento com a participação de nove juízes na primeira rodada e de quatro juízes na segunda rodada da técnica Delphi. Na primeira etapa para revisão do instrumento utilizou-se a base teórica, Teoria do Déficit do Autocuidado de Dorothea Orem, e o sistema de classificação de enfermagem, NANDA-I. As dimensões teóricas do instrumento foram baseadas nos conceitos dos requisitos de autocuidado da teoria que se subdividiram em cinco tópicos. Para validação foi utilizado um questionário semiestruturado elaborado em ferramenta on-line e foi considerada concordância maior igual a 80%, a qual foi analisada por meio do índice de validação de conteúdo e de teste binomial. Resultados: na primeira rodada os tópicos I e II obtiveram o IVC de 88,9% quanto a clareza/compreensão, o tópico III do instrumento obteve o IVC de 88,9% quanto a aparência e IVC inferior ao estipulado (78%) quanto a clareza/compreensão. E tópico IV obteve de 88,9% quanto ao conteúdo. Todo o instrumento foi reavaliado para a segunda rodada. O instrumento foi validado na segunda rodada com concordância de 100%, S-CVI/AVE = 1 e S-CVI da validação de conteúdo de 1 (p<0,001). Conclusão: o instrumento foi considerado válido quanto a aparência e conteúdo pelos juízes e o seu uso poderá contribuir para a implementação da Consulta de Enfermagem e atender as necessidades dos pacientes submetidos à quimioterapia antineoplásica.

  • NAYARA DA CRUZ SANTANA LIMA
  • CONSTRUÇÃO E VALIDAÇÃO DE UM INSTRUMENTO PARA CONSULTA DE ENFERMAGEM EM SERVIÇO AMBULATORIAL DE UROLOGIA
  • Orientador : ANA CRISTINA FREIRE ABUD
  • Data: 28/02/2019
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Trata-se de um estudo que teve como objetivo elaborar um instrumento para realização da consulta de enfermagem a pacientes com problemas urológicos atendidos no ambulatório de especialidades da Universidade Federal de Sergipe. Para tanto utilizou dois desenhos metodológicos diferentes, uma revisão integrativa e um estudo metodológico com abordagem quantitativa. A Teoria das Necessidades Humanas Básicas foi utilizada como referencial teórico. Para o estudo de revisão a amostra foi composta por artigos que versaram sobre assistência de enfermagem a pacientes com diagnóstico de problemas urológicos, publicados nos últimos 10 anos, nas bases de dados LILACS, BDENF e MEDLINE, nos idiomas inglês, português e espanhol, além de buscas nos prontuários dos pacientes atendidos no referido ambulatório. Para o desenho metodológico as amostras foram compostas por seis juízes que validaram os indicadores empíricos encontrados para pacientes com diagnóstico de problemas urológicos. O estudo foi realizado por meio das seguintes etapas: identificação dos indicadores empíricos, validação dos indicadores empíricos pelos juízes selecionados, estruturação do instrumento a partir das Necessidades Humanas Básicas encontradas na primeira etapa e identificação dos diagnósticos de enfermagem, segundo a classificação diagnóstica NANDA-I. Na análise dos dados foi considerado para a confirmação e relevância dos indicadores empíricos o Índice de Concordância maior ou igual a 0,80. A revisão integrativa para identificação dos indicadores empíricos resultou em 11 artigos selecionados. Após a realização do processo de identificação dos indicadores e normalização, foi gerada uma lista com 883 indicadores, sendo que destes, foram validados 331, os quais foram pareados de acordo com o referencial teórico em 15 necessidades psicobiológicas, 12 necessidades psicossociais e uma necessidade espiritual. Para as necessidades psicobiológicas foram totalizados 254 indicadores sendo que a necessidade de eliminação apresentou maior número de indicadores empíricos encontrados. As necessidades psicossociais obtiveram 75 indicadores resultando um maior número de indicadores empíricos para a necessidade de aprendizagem, já a necessidade psicoespiritual, foram selecionados dois indicadores. Na última etapa foram identificados os diagnósticos de enfermagem, segundo a classificação diagnóstica NANDA-I para pacientes com diagnóstico de problemas urológicos de acordo com os indicadores empíricos validados. Dessa maneira, foi estruturado o instrumento para consulta de enfermagem a pacientes com problemas urológicos, atendidos no ambulatório de especialidades. Espera-se que esse instrumento contribua para uma assistência de enfermagem sistematizada e individualizada a esses pacientes.

  • BRUNA SANTOS CARDOSO
  • QUALIDADE DE VIDA E ESTRESSE EM GRADUANDOS DE ENFERMAGEM
  • Orientador : JOSE ANTONIO BARRETO ALVES FAKHOURI
  • Data: 28/02/2019
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Objetivo: avaliar se o método de ensino aprendizagem influencia na percepção de qualidade de vida e estresse dos acadêmicos de enfermagem de uma universidade federal. Método: estudo observacional de corte transversal com abordagem descritiva e quantitativa; amostra composta por 243 acadêmicos de enfermagem de dois campi da Universidade Federal de Sergipe, dados coletados entre outubro de 2017 e fevereiro de 2018, por meio de um questionário contendo itens para caracterização socioeconômica, acadêmica e hábitos de vida, e os instrumentos WHOQOL-bref e PSS-10, para avaliação da qualidade de vida e da percepção de estresse dos estudantes, respectivamente. Para a análise de dados, foi utilizado o SPSS 20. A significância estatística entre as variáveis foi testada por meio dos testes qui-quadrado de Pearson e Exato de Fisher; a associação entre as variáveis foi determinada pelos testes T e ANOVA, com os níveis de significância estabelecidos em valores menores que 0,05; a correlação de Pearson foi usada para determinar a correlação entre os domínios do WHOQOL-bref e a PSS. Resultados: graduandos do método ativo apresentaram qualidade de vida superior nos domínios psicológico, social, ambiental e QV global. Não houve diferença na percepção do estresse entre os alunos do campus com método ativo e tradicional. Houve correlação negativa entre os domínios do WHOQOL-bref e a PSS. Conclusão: as características dos métodos de ensino-aprendizagem estão associados a melhor percepção da QV entre os estudantes do método ativo.

  • MARIA JOSIENE MENEZES TELES
  • CONSTRUÇÃO E VALIDAÇÃO DE CHECKLIST SOBRE FATORES DE RISCO PARA LESÃO POR PRESSÃO
  • Orientador : MARIA PONTES DE AGUIAR CAMPOS
  • Data: 28/02/2019
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Este estudo objetiva construir e validar um instrumento de pesquisa sobre prevenção de fatores de risco para o desenvolvimento de Lesão por Pressão e assim permitir um julgamento clínico mais sistemático, eficaz e seguro para o paciente e poder contribuir para a qualidade do atendimento de enfermagem nas UTI, com consequente diminuição da incidência das Lesões por Pressão. Pesquisa metodológica de abordagem quantitativa, que será desenvolvida em duas etapas: a primeira para construção do checklist e a segunda etapa para a validação do instrumento por seis seis de notório saber na temática em estudo.

  • THAIS MENEZES RABELO DE JESUS SANTANA
  • EFEITOS DE UM PROGRAMA EDUCATIVO NA QUALIDADE DE VIDA, NO ESTADO EMOCIONAL, NO CONHECIMENTO, NA ATITUDE E NA ADESÃO MEDICAMENTOSA DE PESSOAS COM DIABETES MELLITUS TIPO 2
  • Orientador : CRISTIANE FRANCA LISBOA GOIS
  • Data: 21/02/2019
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Diabetes Mellitus (DM) é uma doença crônica que apresenta elevadas prevalência e taxas de morbimortalidade. Nesse sentido, a educação em saúde pode contribuir para a mudança do
    perfil da doença e da qualidade de vida (QV) de pessoas com DM. Objetivo: avaliar os efeitos
    de um de um programa educativo na QV, no estado emocional, no conhecimento, na atitude e
    na adesão medicamentosa de pessoas com DM tipo 2 (DM2) assistidas na Atenção Primária de
    Saúde (APS) e na rede privada de atenção à saúde. Métodos: trata-se de estudo quase
    experimental, prospectivo, comparativo, realizado com uma amostra composta por 29 pessoas
    com DM2, sendo 16 assistidas na APS, Grupo 1 (G1) e 13 assistidas na rede privada de
    assistência a saúde, Grupo 2 (G2). Para coleta de dados foram utilizados seis instrumentos: um
    para coleta dos dados sóciodemográficos e clínicos, um para avaliar a QV das pessoas com
    DM, o Diabetes Quality of Life Measure (DQOL-Brasil); um para avaliar os estados
    emocionais de depressão, ansiedade e estresse, o Depression Anxiety and Stress Scale (DASS-
    21); um questionário que avalia o conhecimento sobre o DM e seu tratamento, o Diabetes
    Mellitus knowledge (DKN-A); um para avaliação da atitude de pessoas com DM, o Diabetes
    Attitudes Questionnaire (ATT-19) e por fim um instrumento para avaliação da adesão
    medicamentosa, o Brief Medication Questionnaire (BMQ). Resultados: Após o programa
    educativo foi observada melhora na QV, no domínio Satisfação, diminuição dos sintomas de
    estresse e ansiedade, aumento do conhecimento sobre o DM e tratamento e aumento de atitude
    em ambos os grupos. Os participantes do G2 apresentaram mais conhecimento que os do G1.
    Foi identificado que 56,25% e 46,15% das pessoas do G1 e do G2 apresentaram provável
    baixa adesão, antes do programa educativo e, após o programa, passaram a apresentar 50% e
    23,07%, respectivamente. Considerando os domínios do BMQ, houve melhora na avaliação
    para ambos os grupos no domínio Regime, porém para o domínio Crenças só houve melhora
    para as pessoas do G2 e não houve diferença entre os grupos no domínio Recordação, antes e
    após o programa educativo. Conclusão: O programa educativo mostrou-se eficaz para a
    melhora da QV em quase todos os domínios avaliados, assim como dos sintomas de estresse e
    ansiedade, do conhecimento sobre o DM e seu tratamento e atitude nos grupos estudados. Não
    houve diferenças na QV, nos sintomas de depressão, ansiedade e estresse e nem na atitude
    entre os grupos. As pessoas do G2 demonstraram mais conhecimento que as pessoas do G1,
    como também maior adesão medicamentosa e diminuição das barreiras relacionadas às
    crenças. Foi observada diminuição das barreiras relacionadas ao domínio Regime em ambos
    os grupos.

  • FABIA LUANNA LEITE SIQUEIRA MENDES SANTOS
  • RISCO DE PRÉ-DIABETES E DIABETES MELLITUS TIPO 2 EM INDIVÍDUOS ACOMPANHADOS PELA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE
  • Orientador : CRISTIANE FRANCA LISBOA GOIS
  • Data: 21/02/2019
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: O Diabetes Mellitus tipo 2 (DM2) é uma doença crônica que se destaca pela elevada e crescente prevalência, assim como pela morbimortalidade associada. No entanto, na maioria das vezes, não é diagnosticada até que se desenvolvam complicações. Estima-se que, aproximadamente, um terço dos portadores de DM desconhece o diagnóstico. Objetivo: Identificar o risco para o desenvolvimento de DM2 em 10 anos e os fatores de risco mais prevalentes. Métodos: Trata-se de um estudo descritivo, exploratório, transversal, com abordagem quantitativa, desenvolvido com uma amostra composta por 200 indivíduos adultos acompanhados em uma Unidade Básica de Saúde do município de Aracaju, estado de Sergipe. Para a coleta dos dados foram utilizados dois instrumentos, um para a caracterização sociodemográfica e clínica e outro para avaliação do risco de desenvolver DM2, o Finnish Diabetes Risk Score (FINDRISC). Resultados: A idade média dos indivíduos que participaram do estudo foi de 45 anos, a maioria era do sexo feminino (77%) e era casada ou mantinha união estável (55,5%). Com relação à escolaridade, 36% possuíam até o ensino fundamental incompleto ou eram analfabetos. Quanto ao risco para o desenvolvimento de DM2, 14,5% foram classificados como baixo risco; 55,5% como risco levemente elevado ou moderado e 30,0% risco alto ou muito alto. Os fatores de risco mais prevalentes foram idade, escolaridade, circunferência da cintura aumentada, excesso de peso, hiperglicemia previa e histórico familiar de DM2. Conclusão: A maioria dos indivíduos apresentou risco levemente elevado, seguido de risco moderado para desenvolver DM2 em 10 anos. A maior parte dos fatores de risco apresentados é modificável e foram mais prevalentes em indivíduos com baixa escolaridade, mais idade e que faziam uso de anti-hipertensivo.

  • IVNA HELENA MACHADO FIGUEIRÊDO
  • Notificação de eventos adversos pela equipe de enfermagem em hospital público de Sergipe
  • Orientador : MARIA CLAUDIA TAVARES DE MATTOS
  • Data: 21/02/2019
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A ocorrência de eventos adversos vem aumentando significativamente em todos os ambientes de prestação de cuidados e assistência à saúde e a notificação e monitorização desses eventos torna-se um dos pilares do sistema de qualidade, garantindo a segurança dos pacientes. OBJETIVO: Identificar o conhecimento da equipe de enfermagem sobre eventos adversos e sua notificação. MÉTODOS: Trata-se de um estudo de natureza descritiva com abordagem qualitativa. O estudo será desenvolvido em hospital público de emergência na cidade de Aracaju e será constituído por enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem que atuam em diversos setores desse serviço. A coleta de dados será realizada por pesquisador a partir da aplicação de um roteiro de entrevista semi estruturado. A análise dos dados será através da análise de conteúdo de Bardin. A pesquisa só terá início mediante autorização da instituição proponente e após aprovação do Comitê de Ética em Pesquisa, em consonância com a Resolução 466/2012 do Conselho Nacional de Saúde. RESULTADOS ESPERADOS: Espera-se que os resultados deste estudo possam contribuir com o fornecimento de informações que subsidiem a reflexão sobre a qualidade da assistência prestada, reformulando os processos laborais, favorecendo a segurança do paciente.

  • VIVIANE SANTOS FONTES
  • Buzzy® e DistrACTION® no alívio da dor durante a vacinação infantil: ensaio clínico controlado duplo cego
  • Orientador : MARIA DO CARMO DE OLIVEIRA
  • Data: 20/02/2019
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: a infância é marcada por procedimentos que envolvem o uso da agulha. Dentre eles encontraram-se a vacinação, a fonte mais comum de dor iatrogênica dentre as crianças. O desconforto associado aos procedimentos com agulha, podem desencadear a fobia, uma barreira significativa para saúde de crianças e adultos. Objetivo: comparar o efeito dos dispositivos Buzzy® e Distraction® no alívio da dor em crianças durante a vacinação injetável. Método: Ensaio clínico randomizado controlado e duplo cego desenvolvido numa Unidade Básica de Saúde (UBS) em Aracaju, Sergipe, Nordeste do Brasil. A amostra foi aleatória simples constituída de crianças entre 2 a 4 anos, que comparecerem à UBS para vacinação. Foram randomizadas em três grupos: dois grupos de intervenção: Buzzy® e Distaction®; e um grupo controle. A ansiedade foi mensurada através da Escala de Medo Infantil, enquanto na dor foi utilizada a Escala de Faces de Wong-Baker. O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética e Pesquisa da Universidade Federal de Sergipe (CAAE: 86164418.9.0000.5546), registrado no Universal Trial Number (número: U1111-1224-4940) e no Registro Brasileiro de Ensaios Clínicos (identificador primário: RBR-5npk9s). Resultados: a dor e ansiedade entre as crianças, tiveram índices reduzidos nos grupos experimentais, em relação ao grupo controle, demonstrando a eficácia dos dispositivos. No entanto, o Distraction® demonstrou-se mais eficaz que o Buzzy®, no alívio da dor (5.6 vs. 6.2, p= 0.078) e ansiedade (1.9 vs. 2.3, p= 0.157). Conclusão: a estimulação termomecânica do Buzzy®, e a distração com o Distraction®, são ferramentas eficazes na redução da dor e ansiedade em crianças durante a vacinação, podendo serem implementados na prática da enfermagem.

2018
Descrição
  • JOYCE FRANCIELLE NEI BOMFIM DE SANTANA
  • O EFEITO DA MÚSICA NA DOR E ANSIEDADE EM PACIENTES SUBMETIDOS A PROCEDIMENTOS CARDÍACOS PERCUTÂNEOS: UMA REVISÃO SISTEMÁTICA COM METÁNALISE.
  • Orientador : MARIA DO CARMO DE OLIVEIRA
  • Data: 10/08/2018
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: As doenças cardiovasculares (DCV) são as principais causas de morte no mundo. Dentro desse grupo, as doenças isquêmicas do coração (DIC) são as mais frequentes e responsáveis por altos números de morbimortalidade. Nas últimas duas décadas ocorreram grandes avanços no reconhecimento, manejo e tratamento de pacientes com DIC, o que determinou significativa redução das taxas de óbito, infartos e isquemia recorrente. Apesar do crescente avanço tecnológico, e da utilização de técnicas contemporâneas, a dor e ansiedade ocasionam uma serie de repercussão fisiológicas que podem prejudicar a qualidade dos desfechos clínicos. Objetivos: Este estudo tem como objetivo realizar revisão sistemática para identificar o efeito da música sob a dor, ansiedade e parâmetros hemodinâmicos antes e após procedimentos cardíacos percutâneos. Fonte de dados: uma busca sistemática foi realizada nas bases de dados: Biblioteca Virtual em Saúde; CINAHL; PUBMED; SCOPUS; Cochrane Central Register of Controlled Trial. Para uma pesquisa mais abrange foram pesquisados estudos finalizados, porém ainda não publicados através do Clinical Trials, do Registro Brasileiro de Ensaios Clínicos e no International Prospective Register of Systematic Reviews (Prospero), utilizando a seguinte combinação de descritores em inglês: “acute pain and anxiety and music and percutaneus cardiac procedures” e seus sinônimos. Foi realizada a análise das referências dos artigos incluídos. Seleção de estudo e extração de dados: foram analisados todos os ensaios clínicos randomizados, publicados até abril de 2018, em inglês, espanhol ou português, que utilizaram a música para controle da dor, ansiedade e parâmetros hemodinâmicos na população de estudo. Dois revisores avaliaram, de forma independente, os títulos, resumos e textos completos de acordo com os critérios de elegibilidade; realizaram a extração de dados e avaliaram a qualidade metodológica dos estudos. Síntese de dados: foram encontrados 40 artigos na busca inicial, dos quais 11 preencheram os critérios de inclusão. Estes demonstraram que a música é efetiva na redução da ansiedade e dos parâmetros hemodinâmicos, mesmo sendo escolhida pelo pesquisador, contudo, seus efeitos sobre a dor foram inconclusivos, sendo necessário a realização de estudos futuros. Devido a variabilidade dos estilos e tempo de exposição musical, não se pode determinar qual o ideal para alcançar resultados mais positivos sobre os desfechos de interesse, contudo, infere-se que aquelas de batidas suaves, sem letras e lentas, apresentem melhores efeitos. Quanto a forma de aplicação, a utilização de fones de ouvido é recomendada, pois permite que o paciente foque sua atenção ao estimulo musical. A maior parte dos estudos obteve boa qualidade metodológica, com baixo risco de viés. Conclusão: A partir dos dados obtidos nesta revisão, sugere-se que futuros estudos, com alta evidência e qualidade científica, utilizem tanto estilos, tempo de exposição musical como também de aplicação da intervenção de forma padronizada, para preencher as lacunas que não conseguiram serem respondidas com essa revisão. Tais resultados podem ser úteis para o desenvolvimento de recomendações fortes da utilização dessa terapia não farmacológica na cardiologia intervencionista, e poderá subsidiar sua aplicação em outros campos da área de saúde.

  • JOSIANE FERNANDES GOMES ANTUNES
  • A COMUNICAÇÃO DO ENFERMEIRO NA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA
  • Orientador : MARIA CLAUDIA TAVARES DE MATTOS
  • Data: 19/07/2018
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Objetivo geral: Analisar o processo de comunicação do enfermeiro com a equipe multidisciplinar da Estratégia Saúde da Família. Materiais e Métodos: Estudo de natureza descritiva com abordagem qualitativa. Foi desenvolvido em Unidades de Saúde da Família de Aracaju e constituído por oito enfermeiros que atuam na Estratégia Saúde da Família deste município. Para a escolha das Unidades de Saúde foi realizado sorteio aleatório e para escolha dos enfermeiros, entrevistas semiestruturadas. A técnica de coleta de dados utilizada foi a de grupo focal, realizada durante os meses de setembro e outubro/2017. Para análise dos dados foi utilizada a análise de conteúdo, sob a ótica da teoria da comunicação baseada em Berlo (2003). Em respeito ao que preceitua a Resolução 466/2012 do Conselho Nacional de Saúde, o projeto foi enviado ao Comitê de Ética da Universidade Federal de Sergipe e aprovado sob o número da CAE 65729317.50000.5546 em 18/04/2017. Resultados: Evidenciou-se que a comunicação do enfermeiro na Estratégia Saúde da Família é permeada por discursos voltados para os profissionais de saúde, gerentes e pacientes. Com relação à comunicação com a equipe multidisciplinar em saúde, é de caráter informativo e persuasivo, realizada principalmente de forma verbal, através de reuniões de equipe e pouco voltadas para o entendimento, relação e transformação do espaço organizacional. Considerações finais: Embora o enfermeiro busque uma comunicação pautada na compreensão e percepção da realidade, observa-se que existe a necessidade de um diálogo mais interativo a fim de promover um espaço mais participativo com a gestão, membros da equipe de saúde e pacientes. Isso é possível através de ações que promovam o apoio por parte da gestão ao enfermeiro, utilização de linguagem clara e escuta ativa com os pacientes e uma proximidade maior e diálogo com os membros da equipe de saúde.

    Comunicação; Enfermeiro; Estratégia Saúde da Família, Atenção Primária à Saúde

  • LUCIANA DE SANTANA LÔBO SILVA
  • “AVALIAÇÃO DO TRABALHO DA EQUIPE DE ENFERMAGEM EM UMA CME: IMPLANTAÇÃO DE FLUXOGRAMAS DE PROCESSOS”,
  • Orientador : MARIA PONTES DE AGUIAR CAMPOS
  • Data: 27/06/2018
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: O processamento de artigos no Centro de Material e Esterilização é uma atividade complexa, dessa forma a enfermagem dentro de suas atribuições planeja, executa, monitora e utiliza indicadores de qualidade a fim de garantir uma assistência indireta segura, preventiva, padronizada e sistematizada. Objetivo: Analisar o processo de trabalho da equipe de enfermagem em uma CME de um hospital de ensino do nordeste do Brasil; realizar diagnóstico situacional nas áreas de limpeza, preparo, esterilização, acondicionamento e distribuição; calcular o índice de conformidade relacionados aos recursos técnico-operacionais e dos processos de trabalho dos artigos médicos hospitalares e identificar quais indicadores de estrutura, processos e resultados eram aplicados pelos enfermeiros para os serviços de limpeza, preparo, esterilização, guarda e distribuição dos PPS.Método: Pesquisa quantitativa de natureza exploratória, transversal, observacional. A amostra por conveniência, constituiu das oportunidades de observação da estrutura física e dos processos de trabalho desenvolvidos por 13 técnicos e 11 auxiliares de enfermagem e de seis (06) enfermeiros. Os dados foram coletados através de um cheklist e um questionário aplicado aos enfermeiros para identificar quais indicadores de estrutura, processos e resultados eram utilizados por essa categoria. Para análise dos dados utilizou-se o programa de software SPSS 21.0 a fim de calcular os índices de conformidade, seguido da classificação da assistência de acordo com o Índice de Positividade de Carter considerando-se assistência segura o índice igual ou maior a 80%. Resultados. Dos processos de trabalho observados os índices de conformidade foram maiores na guarda e distribuição dos produtos, selagem, vestimenta completa na área de limpeza e uso do equipamento de proteção individual na guarda e distribuição, com 56,94%, 90,28%, 66,67%, e 58,33% respectivamente, entretanto todos os índices são classificados como sofrível pelo IPC, exceção ao processo de selagem classificado como uma assistência adequada. Os recursos técnicos que obtiveram maior conformidade segundo a infraestrutura foram a desinfecção e o arsenal, ambos com 66,67% em relação aos insumos, foi o preparo com 66,67%. Segundo as respostas dos enfermeiros foram mas conformes a esterilização, guarda e distribuição (50,69%) na aplicação e controle de indicadores de qualidade, classificado pelo IPC como assistência sofrível. Conclusão: A conformidade tanto em relação aos recursos técnicos operacionais quanto aos processos de trabalho e como a respeito dos indicadores de qualidade aplicados pelos enfermeiros lotados no Centro de Material Esterilizado apresentaram índices inferiores a 70%, caracterizando uma assistência sofrível pelo IPC. Observou-se ainda ausência de capacitações periódicas, deficiência na estrutura física e de supervisão do enfermeiro a favor da qualidade, da segurança e das boas práticas de processamento de PPS no CME. refletindo em não padronização, não participação coletiva e não interação na taplicação dos indicadores.

  • GEISA CARLA DE BRITO BEZERRA LIMA
  • Intervenções de saúde aos indivíduos com Diabetes Mellitus na perspectiva do Modelo de Atenção às Condições Crônicas
  • Orientador : CRISTIANE FRANCA LISBOA GOIS
  • Data: 25/06/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O diabetes mellitus (DM) é uma condição crônica associada a altas taxas de morbimortalidade. As políticas públicas de saúde incentivam estratégias que incluam ações de prevenção e promoção da saúde para indivíduos com DM com o intuito de gerar mudanças positivas no perfil epidemiológico. Nesse sentido, o uso do Modelo de Atenção às Condições Crônicas (MACC), proposto para o Sistema Único de Saúde, vem ao encontro por definir níveis de intervenções e apresentar ferramentas metodológicas apropriadas, assim como abordagens que direcionam e organizam a assistência à saúde. Objetivo: Avaliar as intervenções desenvolvidas por médicos e enfermeiros da Estratégia Saúde da Família (ESF) aos indivíduos com DM de acordo com o MACC. Método: Estudo descritivo, exploratório, analítico, de abordagem transversal, realizado com profissionais médicos e enfermeiros da ESF do município de Aracaju, estado de Sergipe. A amostra foi composta por 138 profissionais. Foi utilizado um questionário estruturado contendo 40 itens pertinentes ao constructo do MACC. Resultados: A maioria dos profissionais referiu não conhecer o MACC, não utilizar ferramenta de abordagem familiar, fortalecer o autocuidado apoiado, não realizar o plano de autocuidado, utilizar a metodologia dos 5 “AS”, existir equilíbrio entre demanda espontânea e programada, trabalhar numa dinâmica multiprofissional, realizar atenção compartilhada a grupo, utilizar o modelo de coordenação do cuidado, operar de forma coordenada a relação entre ESF e Atenção Ambulatorial Especializada (AAE), realizar o acompanhamento simultâneo ESF e AAE e desenvolver atividades de educação em saúde, sendo os temas mais referidos: alimentação saudável e exercício físico. Com relação ao uso de abordagens para mudança de comportamento dos usuários, a mais utilizada foi a entrevista motivacional. Conclusão: A prática de educação em saúde para os indivíduos com DM é desenvolvida, enquanto o uso de dispositivos metodológicos para mudanças de comportamento ainda é subutilizado, sobretudo o grupo operativo. A prática clínica no atendimento aos indivíduos com DM não se orienta na perspectiva do MACC, coexistindo conflito com a base teórica.

  • FERNANDA CARNEIRO MÉLO
  • ADAPTAÇÃO E VALIDAÇÃO DE UMA LISTA DE COMPETÊNCIAS EM INFORMÁTICA REQUERIDAS DE ENFERMEIRO LÍDERES E/OU GERENTES NO BRASIL
  • Orientador : ELIANA OFELIA LLAPA RODRIGUEZ
  • Data: 04/04/2018
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • As tecnologias de informação e comunicação (TICs) trouxeram mudanças significativas para os processos de cuidados em saúde em todo o mundo, os potenciais benefícios das TICs são significativos para os pacientes e profissionais de saúde. Líderes e gerentes de enfermagem devem alcançar os conhecimentos e habilidades relacionada as competências em informáticas para exercer seu papel de liderança e para tomada de decisão clínica. Apesar dessa necessidade crescente, no Brasil permanece uma lacuna relacionada as competências em informática específicas para líderes e gerentes de enfermagem. Trata-se de uma pesquisa descritiva, tipo survey, com abordagem quantitativa que buscou validar uma lista de competências em informática requeridas de enfermeiros líderes e/ou gerente no Brasil. Para validação foi utilizada a técnica Delphi com três rodadas, no período de julho de 2016 a janeiro de 2017. O grupo de experts foi composto por 68 enfermeiros brasileiros com produção científica na área de Informática em Enfermagem; pesquisador ativo no diretório de Grupos de Pesquisa do CNPq em alguma linha de pesquisa que esteja relacionada à Informática ou Tecnologias na Enfermagem; vinculados no ensino superior; com titulação mínima de mestrado e com experiência na área no mínimo de 06 meses. Uma lista com 92 competências de Westra e Delaney (2008) foi adaptada e serviu como base para construção do questionário enviado para o email dos experts. A lista de competências foi avaliada quanto a sua relevância para o contexto brasileiro através de uma escala de Likert (1-não requerida, 2-pouco requerida, 3 –muito requerida, 4 -bastante requerida). Os dados foram analisados através da estatística descritiva com auxílio do software Graphpad Prism 5.0 e apresentados através de boxplot com valores mínimo, máximo, primeiro e terceiro quartil e mediana para cada competência a cada rodada, com objetivo de atingir o consenso de igual ou superior a 75%. Na primeira rodada, dos 68 possíveis participantes identificados no Diretório de Grupos de Pesquisa do CNPQ, 32 expressaram a concordância em participar da pesquisa, entretanto apenas 18 preencheram efetivamente o questionário. Das 92 competências analisadas, obtiveram consenso de inclusão 49 (53,3%), consenso de exclusão 01 (1,1%) e 42 (45,6%) não obteve consenso. Na segunda rodada, retornaram 17 (94,4%) questionários, sendo que das 42 competências avaliadas, 23 (54.8%) atingiram o consenso de inclusão, 04 (9,5%) consenso de exclusão e 15 (35,7%) foram para uma terceira rodada, por não alcançarem o consenso. Na terceira rodada, 17 (94,4%) questionários retornados. Das 15 competências julgadas pelos experts, 06 (40%) atingiram o consenso de inclusão, 08 (53,3%) consenso de exclusão e 01(6,7%) não obteve consenso. Ao final das três rodadas, 78 (84,8%) competências foram consensualmente aceitas. Sendo assim, os resultados desta pesquisa permitiram a adaptação e a validação de uma lista de competências em informática requeridas de enfermeiros líderes e/ou gerentes para o contexto brasileiro.Com este estudo foi possível delinear o perfil de competências requeridas pelos gerentes de enfermagem brasileiros, com isso um grande passo tem-se vislumbrado em termos de informática para a enfermagem.

  • ROBERTA CAROZO TORRES
  • PRODUÇÃO DO CUIDADO DO ENFERMEIRO EM URGÊNCIA E EMERGÊNCIA HOSPITALAR
  • Orientador : RITA MARIA VIANA REGO
  • Data: 28/02/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A área de urgência e emergência é um campo complexo de atuação, onde o trabalho dos enfermeiros exige o conhecimento amplo das necessidades de saúde dos usuários a fim de se obter uma intervenção rápida, efetiva e humanizada. A reorganização dos serviços de saúde tem a integralidade como pressuposto para a produção do cuidado, a partir de um processo de trabalho que é centrado no usuário e em relações acolhedoras dos profissionais. Trata-se de um estudo descritivo-exploratório, com abordagem qualitativa, que tem como objetivo compreender a produção do cuidado do enfermeiro em uma unidade hospitalar de urgência e emergência. Para isso foram utilizados os referenciais teóricos do processo de trabalho em saúde, produção da subjetividade e da micropolítica do processo de trabalho, a fim de embasar a discussão sobre as tecnologias utilizadas e os modos de produzir o cuidado pelos enfermeiros nesse contexto. O método utilizado foi a cartografia, formulado por Deleuze e Guattari, que é um caminho dos estudos qualitativos que considera toda pesquisa como intervenção, e visa acompanhar um processo e não representar um objeto; em linhas gerais, trata-se de investigar um processo de produção. Os participantes do estudo foram os enfermeiros do pronto socorro de um hospital público de Aracaju-SE. A coleta de dados foi feita por meio de entrevistas individuais e observação direta, guiadas por um roteiro semiestruturado, além do uso do diário de campo. O estudo atendeu à Resolução 466/2012, e foi aprovada pelo Comitê de Ética em pesquisa (CEP) da Universidade Federal de Sergipe. O pronto socorro é dividido em quatro áreas de acordo com as cores do sistema de Classificação de Risco. Os enfermeiros justificam o predomínio do uso das tecnologias duras e leve-duras ao perfil de paciente atendido na unidade, porém reconhecem a importância e necessidade do uso das tecnologias leves para a produção subjetiva do cuidado. Houve destaque para o trabalho interdisciplinar. Evidenciou-se a necessidade de utilização efetiva do processo de enfermagem como instrumento para organização da produção do cuidado, pois apesar de ter a Sistematização da Assistência de Enfermagem implantada na unidade ela não é feita pelos profissionais. Assim, há a necessidade de instrumentalizar os profissionais da área de urgência e emergência hospitalar para o uso das tecnologias leves e da SAE de modo mais efetivo, a fim de produzir um cuidado humanizado e integral.

  • MAX OLIVEIRA MENEZES
  • FATORES PROGNÓSTICOS ASSOCIADOS A SOBREVIDA NO CÂNCER MAMA FEMININO.
  • Orientador : LEILA LUIZA CONCEICAO GONCALVES
  • Data: 28/02/2018
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: O câncer de mama destaca-se na população feminina pela alta incidência e mortalidade. Assim, é visto como um grave problema de saúde pública, em especial nos países em desenvolvimento, onde são perceptíveis lacunas na atenção ao câncer de mama, sobretudo no que concerne à identificação de fatores prognósticos preditivos de sobrevida em mulheres com essa neoplasia. Destacam-se características biológicas intrínsecas a carcinogênese, estadio clínico e fatores socioeconômicos. Objetivo: Analisar preditores de sobrevida no câncer de mama feminino. Método: Trata-se de um estudo de coorte observacional retrospectiva de mulheres diagnosticadas com câncer de mama assistidas em um serviço de oncologia clínica de um hospital filantrópico, situado em uma capital do Nordeste. Os dados foram extraídos de fontes secundárias por meio de roteiro estruturado. A coleta foi realizada entre abril e dezembro de 2017. A população do estudo foi composta por 100 mulheres diagnosticadas com câncer de mama e que iniciaram quimioterapia neoadjuvante ou adjuvante no serviço onde foi realizado o estudo entre 01/08/2011 e 31/12/2012. Este estudo foi submetido ao Comitê de Ética em Pesquisa (CEP) da Universidade Federal de Sergipe para avaliação de adendo no projeto registrado com CAAE nº 0196.0.107.000-11, aprovação concedida em 10 de fevereiro de 2017. Os dados foram analisados de forma descritiva e analítica. Foi utilizado o Software MedCalc Statistical versão 18. As curvas de sobrevivência são apresentadas como curvas de Kaplan-Meier, e o significado foi classificado pelo teste Log-rank. O modelo de regressão de Cox foi utilizado para análise prognóstica multivariada, e um modelo de regressão logística binária foi utilizado para analisar os fatores clínicos de influência. Resultados: A maioria das mulheres tinham idade superior ou igual a 50 anos, conviviam com companheiro, tinham escolaridade menor ou igual a oito anos, renda familiar entre 200 e 1200 reais e residiam fora da capital do estado. O sinal mais referido pelas mulheres, que determinou a busca por assistência em saúde foi o nódulo e este foi identificado por meio da palpação acidental. A análise multifatorial utilizando o modelo de regressão multivariada de Cox com método de entrada forçada mostrou que o estadiamento foi um fator independente que afeta a curva de sobrevida geral de mulheres com câncer de mama. Conclusão: Foi identificado que dentre os fatores prognósticos, o estadiamento, impacta significativamente na redução das taxas de sobrevida específica. É imprescindível o fortalecimento de ações no âmbito da atenção primária, além da efetivação de um programa de rastreamento organizado e permanente.

  • CICERA EUGÊNIA PEREIRA DA SILVA
  • FATORES ASSOCIADOS À INTERNAÇÃO HOSPITALAR EM ADULTOS PORTADORES DE HIV/AIDS
  • Orientador : ALZIRA MARIA D AVILA NERY GUIMARAES
  • Data: 26/02/2018
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: Apesar dos avanços da terapia antirretroviral e aumento na sobrevida dos pacientes vivendo com HIV, muitos ainda necessitam de hospitalização. Objetivo: analisar aspectos relacionados à internação hospitalar em adultos portadores de HIV/aids. Pacientes e métodos: trata-se de estudo transversal, realizado no Hospital Universitário de Aracaju/SE, no setor de infectologia, entre outubro de 2016 a novembro de 2017. A amostra foi composta por 40 adultos HIV reagentes, a partir de 18 anos, alfabetizados ou não. Os dados foram descritos por meio de frequências simples e percentuais. Para avaliar as relações entre as características demográficas, econômicas e comportamentais referentes à análise dos aspectos da terapia antirretroviral e de internação, foi aplicado a análise de correspondência múltipla para construção de um mapa perceptual. Realizou- se análise descritiva por meio de frequências e associações de variáveis, aplicando–se os testes exatos de Fisher, utilizando o software R Core Team 2017. Resultados: Dentre os participantes, 24 (60,0%) eram homens, 20 (50,0%) possuíam faixa etária abaixo de 40 anos e 27 (67,5%) com menos de oito anos de estudo, a cor autorreferida predominante foi parda 25 (62,5%) com 22 (55,0%) dos participantes residindo na grande Aracaju. Com relação aos aspectos epidemiológicos e comportamentais que levaram os pacientes à internação, 21 (52,5%) mencionaram não possuir parceria fixa, 35 (87,5%) relataram orientação heterossexual e aproximadamente um terço deles verbalizaram não fumar, usar drogas ilícitas ou bebidas alcoólicas. Quanto à internação hospitalar 31 (77,5%) apresentaram diagnóstico tardio do HIV com doenças relacionadas à aids, a exemplo de pneumonia 2 (5,0%) e tuberculose 4 (10,0%). No que concerne os motivos clínicos da internação, 24 (60,0%) afirmaram sentir fraqueza, diarreia e febre (15/40,5%), anemia 11(27,5%). Conclusões: Os dados deste estudo permitem afirmar que homens, população jovem e com pouca escolaridade são aspectos que corroboram para a internação hospitalar. A predominância entre os pacientes que apresentaram diagnóstico tardio é preocupante, principalmente por revelar falhas nos processos do cuidado à saúde.

  • THIAGO SOUZA PIMENTEL
  • CONSTRUÇÃO E VALIDAÇÃO DO INSTRUMENTO PARA CONSULTA DE ENFERMAGEM AO INDIVÍDUO COM DIABETES MELLITUS TIPO 2
  • Orientador : LIUDMILA MIYAR OTERO
  • Data: 20/02/2018
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Trata-se de um estudo de desenvolvimento metodológico, cujo objetivo foi validar o conteúdo e a aparência de uma nova versão do instrumento para a consulta de enfermagem na Atenção Básica ao indivíduo com diabetes mellitus tipo 2 (DM2). Teve como marco teórico a Teoria da Intervenção Práxica em Saúde Coletiva (TIPESC) de Emiko Egry, e no percurso metodológico foi utilizado o polo teórico do modelo psicométrico de Pasquali (2010). Esse modelo sugere a divisão em seis etapas: Sistema Psicológico, Propriedade do Sistema Psicológico, Dimensionalidade do Atributo, Definição do Construto, Operacionalização do Construto e Análise Teórica dos itens. Neste estudo foi desenvolvida uma nova versão do instrumento utilizando a Classificação Internacional para a Prática de Enfermagem - CIPE® Versão 2015. Esta versão foi aplicada em 21 pessoas com DM2 cadastrados em uma Unidade de Saúde da Família do município de Aracaju, Sergipe, o que se constituiu na fase de pré-teste. Ao término dessa etapa, o instrumento que contava com 122 itens, passou a ter 99 itens, que foram submetidos a um painel de onze juízes para validar seu conteúdo e aparência. Os juízes avaliaram cada item quanto à sua permanência no instrumento utilizando uma escala de Likert de três pontos. Também fizeram o julgamento quanto aos critérios psicométricos de objetividade, clareza, precisão, tipicidade, simplicidade, relevância, modalidade e credibilidade. Posteriormente foi calculado o Índice de Validade de Conteúdo de cada um dos itens (IVC). Os dados foram descritos por meio de frequências simples e percentagens, quando categórica, e média e desvio padrão quando, contínua ou discreta. A validade de conteúdo dos itens neste estudo foi considerada quando IVC ≥ 0,80, conforme referencial metodológico. Os resultados mostraram que oito itens (local de trabalho protegido, serviço policial, insônia, percepção sobre si próprio, condição psicológica, distúrbios oculares, unhas cortadas e pé com bolhas) obtiveram IVC˂0,80, portanto, foram retirados do instrumento. Os demais itens permaneceram na íntegra ou com as alterações sugeridas pelos especialistas. Na validação de aparência, 100% dos juízes aprovaram o instrumento para realização da coleta de dados em pessoas com DM2. Acatou-se a maioria das sugestões dos juízes sendo desnecessária nova avaliação. Elaborou-se um guia instrucional para nortear as ações de avaliação do usuário de modo homogêneo e inequívoco pelos enfermeiros. Sendo assim, evidenciou-se que esta nova versão do instrumento possui validade de conteúdo e aparência. Se faz necessária a realização da validação de construto para torna-se uma tecnologia passível de ser reproduzida nos diversos serviços de enfermagem da Atenção Básica, com vistas a contribuir para a organização do processo de trabalho dos enfermeiros, conferindo autonomia e visibilidade a sua prática.

  • SACHA JAMILLE DE OLIVEIRA
  • CONSTRUÇÃO DE SUBCONJUNTO TERMINOLÓGICO DA CIPE® PARA PACIENTES COM LÚPUS ERITEMATOSO SISTÊMICO
  • Orientador : ANA CRISTINA FREIRE ABUD
  • Data: 19/02/2018
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Trata-se de um estudo que para atender aos objetivos propostos utilizou dois desenhos de estudo, o primeiro compreendeu uma revisão integrativa e o segundo um estudo metodológico com abordagem quantitativa que teve como objetivo elaborar um Subconjunto Terminológico da Classificação Internacional para Prática de Enfermagem - CIPE® para pacientes com Lúpus Eritematoso Sistêmico (LES) visando à prestação de uma assistência de enfermagem sistematizada. Para fundamentar o estudo foi utilizado como referencial teórico a Teoria das Necessidades Humanas Básicas. Para o estudo de revisão a amostra foi composta por artigos que versaram sobre assistência de enfermagem a pacientes com LES, publicados nos últimos 10 anos, nos idiomas inglês, espanhol e português. Ainda para o estudo de revisão foram utilizados os seguintes descritores e os conectivos and / or respectivamente. Para o desenho metodológico as amostras foram compostas por cinco e seis juízes que validaram os termos extraídos dos artigos e os enunciados de diagnósticos/resultados e intervenções de enfermagem para pacientes com LES, respectivamente. O estudo foi realizado por meio das seguintes etapas: revisão integrativa para obtenção de artigos sobre assistência de enfermagem a pacientes com LES; extração dos termos relevantes para a prática de enfermagem relacionada aos pacientes com LES dos artigos, e posterior validação desses termos; mapeamento cruzado dos termos validados com os termos do Modelo de Sete Eixos da CIPE® 2017; elaboração dos enunciados de diagnósticos/resultados e intervenções de enfermagem para pacientes com LES; seguido do mapeamento cruzado dos enunciados e da validação dos mesmos; classificação dos enunciados de acordo com a Teoria das Necessidades Humanas Básicas; e elaboração do subconjunto terminológico da CIPE® para pacientes com LES. A revisão integrativa para identificação dos termos resultou em seis artigos selecionados nas bases de dados LILACS e MEDLINE. Após realizado o processo de extração dos termos desses artigos, foi gerada uma lista com 3.078 termos. Esses foram normalizados e resultaram em 831 termos, sendo validados 794, os quais foram mapeados e cruzados com os existentes na CIPE® 2017, evidenciando 376 termos constantes e 418 termos não constantes nessa classificação. Dessa forma, constitui-se o banco de termos da linguagem especial de enfermagem para pacientes com LES, o qual, juntamente com o Modelo de Sete Eixos da CIPE® 2017 e a ISO 18.104 subsidiaram a elaboração de 129 enunciados de diagnósticos/resultados e 253 enunciados de intervenções, os quais foram mapeados e cruzados com os conceitos pré-coordenados de diagnósticos/resultados e as intervenções de enfermagem da CIPE® 2017, resultando em 76 enunciados constantes e 53 enunciados não constantes de diagnósticos/resultados, e em 17 enunciados constantes e 236 enunciados não constantes de intervenções de enfermagem. Após isso, esses enunciados foram submetidos ao processo de validação, que resultou em 104 enunciados de diagnósticos/resultados e 240 enunciados de intervenções validados, os quais foram classificados de acordo com a Teoria das Necessidades Humanas Básicas e distribuídos em 14 necessidades psicobiológicas, nove necessidades psicossociais e uma psicoespiritual, sendo dessa maneira organizado o subconjunto terminológico para pacientes com Lúpus. Espera-se que esse subconjunto possa configurar como um instrumento facilitador para implantação de uma abordagem sistematizada e individualizada ao paciente LES.

2017
Descrição
  • SHIRLEY DÓSEA DOS SANTOS NAZIAZENO
  • DIAGNÓSTICOS DE ENFERMAGEM ASSOCIADOS A QUALIDADE DE VIDA RELACIONADA À SAÚDE DE MULHERES COM CÂNCER DE MAMA
  • Orientador : LEILA LUIZA CONCEICAO GONCALVES
  • Data: 25/08/2017
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O projeto tem como objetivo geral avaliar a qualidade de vida relacionada à saúde (QVRS) de mulheres com Câncer de mama em tratamento quimioterápico e específicos descrever o perfil sociodemográfico e clínico de mulheres com câncer de mama em tratamento quimioterápico; identificar os possíveis domínios afetados de QVRS de mulheres com câncer de mama em tratamento quimioterápico; associar os problemas de saúde mais comuns à taxonomia NANDA, versão 2015-2017, contemplando diagnósticos de enfermagem reais e de risco e os respectivos fatores relacionados, característica definidoras e fatores de risco. Trata-se de um estudo de campo, de corte transversal, descritivo e exploratório com abordagem quantitativa. O local selecionado para o estudo será um ambulatório público em oncologia localizado em Aracaju/Sergipe. A liberação para este estudo foi previamente concedida pela instituição e o projeto aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa (CEP) do Hospital Universitário da Universidade Federal de Sergipe –UFS. O período para a realização desta pesquisa será de 01/10/2015 a 31/10/2016, tendo uma margem para finalização de dois meses para mais ou menos ao pré-estabelecido. A população será composta por mulheres diagnosticadas com câncer de mama, com idade igual ou superior a 18 anos, que estejam realizando quimioterapia antineoplásica pela primeira vez, atendidas no referido serviço. Para o cálculo amostral utilizou-se a média aritmética do quantitativo de mulheres diagnosticadas com câncer de mama em quimioterapia atendidas no referido serviço durante os anos de 2012 (N= 75), 2013 (N=102) e 2014(N= 84), totalizando um n = 71. A amostragem será não-probabilística, intencional ou por julgamento, onde farão parte todas as mulheres que estejam realizando a quimioterapia, a partir da segunda sessão, durante o período de coleta de dados, até ser contemplado o total de entrevistas necessárias para o alcance do cálculo amostral e consequente confiabilidade da pesquisa. Pretende-se coletar os dados durante o período de outubro de 2015 a março de 2016 e serão utilizados três instrumentos: Caracterização sociodemográfica e clínica; o The European Organization for Research and Treatment of Câncer Core Cancer Quality Life Questionnaire (EORTC QLQ-C30) e o Breast Cancer Especific Module (EORTC-BR23), estes dois últimos traduzidos e validados para o português e autorizados pela organização EORTC para uso nesta pesquisa.

  • MANUELLA SILVA LEITE PIMENTEL
  • Rastreamento do câncer de mama na estratégia saúde da família: uma contribuição da enfermagem
  • Orientador : LEILA LUIZA CONCEICAO GONCALVES
  • Data: 02/05/2017
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: O câncer de mama é o mais incidente na população feminina, excetuando-se os casos de pele não melanoma. Apesar do bom prognóstico, a mortalidade mantém-se elevada em decorrência do atraso no diagnóstico e tratamento da doença. A longa espera para realizar a mamografia ou se consultar com o especialista, demora em iniciar o tratamento favorecem a detecção da doença em estádios avançados, altas taxas de mortalidade e baixa sobrevida. Percebeu-se a importância em realizar pesquisas em um município do Nordeste brasileiro, uma vez que essa região possui maior carência de recursos e infraestrutura no sistema de saúde, e assim fortalecer a detecção precoce pela enfermagem em Sergipe. Objetivo: avaliar o rastreamento do câncer de mama na atenção básica, e identificar a atuação dos profissionais de saúde desse nível de atenção no rastreamento do câncer de mama, com ênfase a atuação do enfermeiro, sob a perspectiva das usuárias. Método: descritivo, transversal, quantitativo, realizada em Barra dos Coqueiros. A amostra foi composta por 295 mulheres usuárias da atenção básica em 2015. A coleta ocorreu de janeiro a setembro/2016, com um roteiro estruturado com mulheres de 52-69 anos. Os dados foram duplamente digitados e validados no Excel/2010, os dados analisados pelo software R, versão 3.3.1. O nível de significância foi de 95% e a margem de erro de 5%. Foram calculados o Odds Ratio e o intervalo de confiança. Resultados: Entre as 295 mulheres, 15% realizou a consulta ginecológica a mais de dois anos. O enfermeiro realizou 95,6% das consultas e a maioria (127/96,21%) do exame clínico das mamas. O médico solicitou a 61,11% das mamografias e 60,98% das ultrassonografias durante consultas generalistas. Aproximadamente 66% das entrevistadas receberam informações sobre o rastreamento. Destas, 44,41% citaram o enfermeiro por repassar informações. Pelo teste Exato de Fisher (p<0,05) verificou que a classe médica foi a principal responsável por rastrear as usuárias forma inadequada. A mamografia foi citada por 79,3% das usuárias e o SUS foi sistema mais utilizado (54,2%). Mulheres assistidas na unidade da zona urbana e com escolaridade acima de quatro anos tiveram maior acesso a solicitação da mamografia e ao exame clínico das mamas. A idade influenciou no acesso a mamografia. Confirmou-se que o rastreamento da atenção básica do município era inadequado (p<0,0001). Conclusão: O rastreamento para o câncer de mama realizado pelos profissionais da atenção básica foi inadequado, relacionado principalmente a ausência da avaliação das mamas pelo exame clínico, conforme o Documento do Consenso. A escolaridade, o local de atendimento e a idade foram variáveis que interferiram na adesão ao rastreamento. O exame clínico das mamas foi baixo, porém a mamografia esteve além do esperado, confirmando o caráter oportunístico dos serviços. O enfermeiro foi o profissional mais atuante na consulta ginecológica, porém, ao se tratar dos métodos preventivos para o câncer de mama ainda há muito que melhorar. O médico de saúde da família foi o principal responsável pela inadequada aplicação do rastreamento do câncer de mama.

  • CATIANE SOUZA TAVARES COSTA
  • FATORES DE RISCO PARA O NEAR MISS MATERNO NA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE
  • Orientador : ALZIRA MARIA D AVILA NERY GUIMARAES
  • Data: 23/02/2017
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Objetivo: Analisar os fatores de risco para Near Miss (NM) materno em mulheres pós NM, residentes em Aracaju, relacionado à Atenção Primária à Saúde. Método: Estudo caso controle realizado com 54 mulheres (18 casos e 36 controles). As variáveis quantitativas foram analisadas por meio do teste não paramétrico de Wilcoxon. Para avaliar associação entre as variáveis categóricas, foram utilizados os testes de Qui-Quadrado Person e Exato de Fisher. Os fatores de risco foram estimados a partir de Odds Ratio (OR). Resultados: Para as variáveis quantitativas o comportamento entre os grupos caso e controle foi semelhante. Dentre as variáveis qualitativas “ter companheiro, a história prévia da doença e o tipo de parto” foram as variáveis que tiveram significância estatística com o NMM. Na regressão logística, para a analise dos fatores de risco para o NMM, foi verificado que ter companheiro e tipo de parto apresentaram respectivamente 13,60 (IC: 4,11; 4,96) 4,08 (IC: 1,23;13,51) mais chance de uma mulher ter NMM. Conclusão: Faz-se fundamental a atenção continua à mulher em todo o ciclo gravídico puerperal, uma vez que foi identificado que essas mulheres necessitam ter um melhor acompanhamento na atenção primária à saúde.

  • INGRID ALMEIDA DE MELO
  • VALIDAÇÃO DE UM MANUAL EDUCATIVO COMO TECNOLOGIA DE ENFERMAGEM PARA PESSOAS COM DIABETES MELLITUS TIPO 2
  • Orientador : LIUDMILA MIYAR OTERO
  • Data: 21/02/2017
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Trata-se de uma pesquisa de desenvolvimento metodológico que tem por objetivo validar um manual educativo para pacientes com diabetes mellitus tipo 2 como tecnologia de enfermagem. Para tanto será utilizada o polo teórico da teoria da psicometria utilizado no modelo de Pasquali (1998). A pesquisa será realizada no ambulatório de diabetes mellitus do Hospital Universitário de Sergipe e no Centro de Especialidades Médicas de Aracaju (CEMAR). A população do estudo será composta por 2 grupos distintos: os juízes especialistas e o público-alvo. Sendo que o grupo dos juízes-especialistas será dividido entre profissionais da área da Saúde e profissionais das áreas de Exatas (Design Gráfico) e Humanas (Comunicador social). O grupo de juízes da área da saúde será composto por profissionais de saúde, dentre eles, médicos, enfermeiros, nutricionistas, educador físico e psicólogo, que serão responsáveis pela validação do conteúdo e da aparência. O segundo grupo de juízes será composto por profissionais, da área de exatas como design gráfico e da área de humanas como comunicação social que realizarão apenas a validação de aparência. Já o grupo do público-alvo será formado por pacientes com diabetes mellitus do tipo 2, os quais, farão a análise da aparência. A coleta de dados será realizada após aprovação do Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal de Sergipe. Os instrumentos que serão utilizados nesta pesquisa serão três questionários, um para a validação de conteúdo e dois para a validação de aparência, todos adaptados do trabalho de Oliveira (2006). Para análise e tabulação dos dados será criado uma base de dados no programa Excel 2010. Será realizado uma análise quantitativa de dados e variáveis do estudo. Esta análise, será realizada através das respostas aos itens dos questionários aplicados aos juízes especialistas e ao público-alvo. Para a apresentação dos dados quantitativos serão utilizadas tabelas e figuras, nas quais serão apresentadas as porcentagens e medidas de tendências central (média, desvio padrão, mínimo, mediana e máximo) das variáveis. Para análise de dados do grupo de juízes serão realizados a representação comportamental dos itens do questionário aplicado, posteriormente a correção linear de Pearson entre os escores das variáveis estudadas e avaliação dos comentários e sugestões dos juízes para o aperfeiçoamento do conteúdo. Para a análise de dados do grupo do público-alvo serão realizados a representação comportamental dos itens conforme realizará no grupo de juízes, avaliação dos comentários e sugestões dos pacientes com diabetes mellitus tipo 2 para o aperfeiçoamento do manual.

  • ILZINEY SIMÕES DA SILVA CORREIA
  • O processo de trabalho do enfermeiro no programa saúde na escola
  • Orientador : MARIA CLAUDIA TAVARES DE MATTOS
  • Data: 16/02/2017
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Objetivo geral: Investigar o processo de trabalho dos enfermeiros da Estratégia Saúde da Família voltado para as práticas educativas previstas pelo Programa Saúde na Escola. Caminho Metodológico: trata-se de um estudo exploratório e descritivo, com abordagem qualitativa, com o uso da técnica de análise textual discursiva. Participaram como sujeitos desse estudo 19 enfermeiros da Estratégia Saúde da Família do município de Aracaju-SE, durante o período de março a maio de 2016. Resultados: Evidenciou-se que o processo de trabalho do enfermeiro no Programa Saúde na Escola gera práticas educativas geralmente voltadas para os discentes, são de caráter informativo e objetivam promover saúde e prevenir agravos, embora pouco capazes de captar aspectos sociais singulares da comunidade escolar que contribuam para a construção de intervenções condizentes com as necessidades do público alvo. Identificou também que, embora estas atividades sejam realizadas pela equipe multiprofissional da Atenção Básica e estagiários da área da saúde, as mesmas não são construídas interdisciplinarmente. Considerações finais: os enfermeiros da Estratégia Saúde da Família enfrentam entraves para desenvolver educação em saúde na escola com potencial de promover reflexões aos escolares, e autonomia sobre o autocuidado. São entraves decorrentes da alta demanda de usuários nas unidades de saúde, e das dificuldades em operacionalizar a intersetorialidade, Saúde e Educação. Sendo assim, torna-se imperativa a ressignificação da Promoção à Saúde no processo de trabalho do Enfermeiro, com práticas respaldadas em teorias de Enfermagem para construção sistematizada e organizada da assistência no ambiente escolar.

  • MARIANA COSTA LARRÉ
  • ATIVIDADES DE AUTOCUIDADO DE PACIENTES COM DIABETES MELLITUS TIPO 2 EM SEGUIMENTO AMBULATORIAL DE UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO
  • Orientador : ANA CRISTINA FREIRE ABUD
  • Data: 31/01/2017
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Estudo quantitativo, descritivo e transversal que teve como objetivo analisar as atividades de autocuidado dos pacientes com diagnóstico de diabetes mellitus tipo 2 (DM2) em seguimento no ambulatório do hospital universitário da Universidade Federal de Sergipe. A coleta de dados ocorreu no período de fevereiro a maio de 2016. Amostra foi do tipo não probabilística por conveniência constituída por 163 pacientes com diagnóstico de DM2. Os dados foram obtidos por meio de um questionário relacionado aos dados sociodemográficos e o outro referente às Atividades de Autocuidado com o Diabetes, ambos aplicados como forma de entrevista pessoal. Para a análise dos dados foi realizada estatística descritiva e calculada a média e o desvio padrão para cada item das seis dimensões do Questionário de Atividades de Autocuidado com o Diabetes. Em relação às variáveis sociodemográficas, observou-se que a média de idade dos participantes foi de 62,99 anos. Houve predomínio do sexo feminino com 104 (63,8%) mulheres. No que se refere a escolaridade, 92 (56,5%) indivíduos referiram ensino fundamental incompleto. Sobre a ocupação, 93 (57,0%) participantes estavam aposentados. A renda familiar mensal revelou média de 1.355,75 reais. A respeito das variáveis clínicas, os participantes apresentaram média de 15,8 anos de tempo de diagnóstico de DM2. A maioria dos pacientes, 32 (19,6%), realizava a dieta restrita, praticava atividade física e utilizava o antidiabético oral e a insulina. 87 (69,0%) pessoas utilizam, como antidiabético oral, somente o Cloridrato de Metformina. Em relação as comorbidades, destacou-se a hipertensão arterial com 135 (82,8%) pessoas e dislipidemia com 110 (67,5%) participantes. No que se refere a hemoglobina glicada, 107 (65,6%) participantes apresentaram valores maiores ou iguais a 7%. Quanto às atividades de autocuidado desenvolvidas pelos pacientes, nas dimensões sobre a alimentação geral e específica, a maioria dos indivíduos teve um comportamento de autocuidado desejável. Já a dimensão sobre a atividade física a maioria teve um comportamento de autocuidado não desejável. A respeito da dimensão sobre a monitorização da glicemia, no item sobre a frequência de avaliação do açúcar no sangue e no item sobre a avaliação do açúcar no sangue no número de vezes recomendado por um profissional de saúde, a maioria dos participantes demostrou um comportamento de autocuidado não desejável. No que se refere a dimensão quanto ao cuidado com os pés, no item referente a examinar os pés, uma maior parte dos indivíduos demostrou um comportamento de autocuidado não desejável. Sobre o item examinar o interior dos sapatos antes de calçá-los e no item sobre secar os espaços interdigitais depois de lavar os pés a maioria dos sujeitos apresentou um comportamento de autocuidado desejável. Na dimensão sobre o uso da medicação a maioria dos indivíduos teve um comportamento de autocuidado desejável. Foi evidenciado que 153 (93,9%) usuários não havia fumado nos últimos sete dias. Sendo que 111 (68,1%) indivíduos referiram nunca haver fumado. Diante dos achados foi possível analisar as atividades de autocuidado de indivíduos com DM2. Espera-se que esses resultados possam contribuir com o enfermeiro na elaboração de medidas educativas, com foco no autocuidado dos pacientes com DM2 e, consequentemente, colaborar para a melhoria da qualidade de vida desses indivíduos.

2016
Descrição
  • THIALLA ANDRADE CARVALHO
  • RISCOS E COMPLICAÇÕES ASSOCIADAS À INFECÇÃO DO SÍTIO CIRÚRGICO: UM ESTUDO DE COORTE
  • Orientador : MARIA PONTES DE AGUIAR CAMPOS
  • Data: 15/12/2016
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Objetivo: Identificar a ocorrência de Infecção do Sítio Cirúrgico (ISC), os riscos associados e a sua correlação com permanência e mortalidade hospitalar em pacientes atendidos em um hospital de ensino localizado na região nordeste do Brasil. Método: estudo de coorte prospectivo, com coleta de informações contidas em prontuários e registradas em formulários de vigilância de eventos adversos durante o ano de 2015. Esses dados foram digitados e analisados em software Epi-Info7. As variáveis estudadas foram relacionadas aos pacientes, aos procedimentos e aos desfechos. Resultados: Foram avaliadas 752 fichas de vigilância de eventos adversos com uma incidência global de 4,52% de ISC. Foi encontrada uma associação estatisticamente significativa na análise univariada entre ISC e as variáveis: cirurgias contaminadas, cirurgias que não utilizaram técnicas videolaparoscópicas, pacientes com alteração sistêmica grave e com limitação funcional, Índice de Risco Cirúrgico (IRIC) ≥1 e nos procedimentos que não usaram a profilaxia microbiana conforme padronização do Serviço de Controle de Infecção Relacionadas à Assistência (SCIRA) da instituição. A associação independente com a ISC foi observada para IRIC e para cirurgia intra-abdominal não especificada em outro local (IAB). Conclusão: Este estudo demonstra o significativo impacto dos fatores de risco para ocorrência de ISC e permite o estabelecimento de estratégias que melhorem a qualidade da assistência e a segurança do paciente.

  • LIDIANE SOUZA LIMA
  • MÚSICA COMO RECURSO TERAPÊUTICO NA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM A VÍTIMAS DE QUEIMADURAS
  • Orientador : MARIA DO CARMO DE OLIVEIRA
  • Data: 07/12/2016
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: As queimaduras são injúrias que afetam a vida física e emocional dos indivíduos, família e comunidade. A dor é um dos principais sintomas relatados pelas vítimas de queimaduras, mas o seu manejo permanece como um desafio para equipe de saúde. Nesse sentido, propõe-se estudar a música como uma terapia adjuvante no tratamento da dor nessa população. Objetivos: identificar o perfil sociodemográfico e de saúde das vítimas de queimaduras atendidas em uma unidade de tratamento de queimados; conhecer as características dos eventos e os principais analgésicos prescritos na unidade de emergência; descrever o efeito da música na dor em vítima de queimaduras durante a troca do curativo, no tocante à intensidade, qualidade e características definidoras do diagnóstico de enfermagem dor aguda, segundo a taxonomia II da North American Nursing Diagnosis Association. Método: Trata-se de uma pesquisa aplicada, descritiva, exploratória com abordagem quantitativa, realizada na Unidade de Tratamento de Queimados do Hospital de Urgências de Sergipe, entre outubro de 2015 e maio de 2016. A amostra foi composta por 16 vítimas de queimaduras que faziam curativo das lesões em leito hospitalar de internação e receberam analgesia de rotina cerca de 30 minutos antes do procedimento. Os sujeitos foram randomizados em três grupos: A: ouviu música antes do curativo; B: ouviu música durante o curativo; C: não ouviu música. Optou-se permitir ao paciente escolher o repertório musical. Resultados: a média de idade dos participantes foi de 31,8 anos (±14,1). Majoritariamente, os sujeitos eram do gênero masculino (62,5%), solteiros (43,8%), pardos (68,8%) e economicamente ativos (75,0%). As lesões por queimaduras foram principalmente de segundo grau (93,8%) e atingiram os membros inferiores (68,8%). A média de superfície corporal queimada foi de 15,8% (±11,5). As circunstâncias que envolveram queimaduras ocorreram sobretudo no domicílio (50,0%), aos domingos (25,0%) e nos turnos manhã (37,5%) e noite (37,5%). O principal agente etiológico foi o álcool (31,3%). Todos os pacientes receberam analgesia na unidade de emergência, apesar de apenas a minoria ter a dor documentada (18,8%). A dipirona (93,8%) e o tramadol (56,3%) foram maioria nas prescrições médicas. No decorrer da pesquisa, houve predomínio das músicas religiosas (50,0%). A intervenção com música reduziu as médias da frequência cardíaca e saturação de oxigênio, porém não alterou a frequência ventilatória. Observou-se declínio da média da intensidade da dor nos grupos GB (p = 0,0505) e GC (p = 0,0055). Durante o curativo, a queimação foi característica unânime para todos os sujeitos, do mesmo modo que o autorrelato como característica definidora da North American Nursing Diagnoses Association. Conclusão: Os homens jovens, solteiros, pardos ativos economicamente são os principais acometidos pelas queimaduras, as quais ocorrem sobretudo no domicílio, aos domingos e nos turnos manhã e noite, além de terem o álcool como agente etiológico predominante. As lesões de segundo grau e que atingem os membros inferiores são maioria. A dor foi um sintoma frequente nessa população e todos pacientes receberam analgesia na unidade de emergência, com destaque para a dipirona e o tramadol. A música como recurso não farmacológico para o alívio da dor demonstrou-se efetivo, uma vez que auxiliou no controle dos sinais vitais, reduziu a média da intensidade da dor. Independentemente da escuta música, a dor foi caracterizada como queimação e manifestada pelo relato verbal.

  • TATIANE GRAÇA MARTINS
  • Subconjunto Terminológico da CIPE® para Lactentes com Alergia à Proteína do Leite de Vaca.
  • Orientador : RITA MARIA VIANA REGO
  • Data: 05/12/2016
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Introdução: O crescente índice de crianças com alergia alimentar nos últimos anos, vem tornando-se um sério problema de saúde pública no Brasil e no mundo. Assim, as crianças com alergia alimentar, ressaltando-se a alergia a proteína do leite de vaca (APLV), necessitam de uma assistência de enfermagem de qualidade, pautada numa consulta sistematizada. Para tal, a Classificação Internacional para a Prática de Enfermagem (CIPE®) é um instrumento metodológico eficaz que auxilia a prática clínica do enfermeiro e a elaboração de um subconjunto terminológico da CIPE® contribui para um planejamento assistencial seguro e cognoscível. Objetivo: Elaborar um Subconjunto Terminológico da Classificação Internacional para a Prática de Enfermagem - CIPE® para lactentes com alergia à proteína do leite de vaca. Método: Pesquisa metodológica subsidiada pela Teoria das Necessidades Humanas Básicas (NHB) de Wanda Horta complementada pelas Necessidades Humanas e Sociais, adaptadas por Garcia, Cubas, Chianca e Bachion de trabalho de autoria de Benedet e Bub e de Matsumoto. Organizada em quatro etapas: Identificação dos indicadores empíricos e de termos relevantes da CIPE® para os lactentes com diagnóstico ou suspeita de APLV; Mapeamento cruzado dos termos identificados nos indicadores empíricos com os termos da CIPE®; Elaboração dos enunciados de Diagnóstico/Resultados e Intervenções de Enfermagem e; Composição do Subconjunto Terminológico para os lactentes com APLV. Resultados: Os 48 indicadores empíricos, resultantes do formulário aplicado aos responsáveis pelas crianças da amostra, foram distribuídos em 14 necessidades humanas, organizadas no grupo das necessidades psicobiológicas, das necessidades psicossociais e das necessidade psicoespirituais. Estes foram validados por enfermeiros-juízes e resultou no instrumento de coleta de dados para a consulta de enfermagem, bem como no banco de termos que subsidiou a elaboração do Subconjunto Terminológico para lactentes com APLV, composto por 116 diagnósticos/resultados e 158 ações de enfermagem. Conclusão: O Subconjunto Terminológico da CIPE® para os lactentes com APLV propõe ser um instrumento facilitador para a consulta de enfermagem dessa clientela e uma documentação universal para que todos os enfermeiros possam utilizar.

  • LUZINEIDE DE JESUS BEZERRA MODESTO
  • Avaliação da Qualidade de Vida Relacionada à Saúde de Indivíduos antes e após Inserção em um Programa de Perda de Peso.
  • Orientador : ANA CRISTINA FREIRE ABUD
  • Data: 18/08/2016
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A obesidade tornou-se uma ameaça crescente para a população mundial e dessa, provém vários problemas de saúde enfrentados pelos indivíduos. O objetivo deste trabalho foi avaliar a qualidade de vida relacionada à saúde (QVRS) de indivíduos antes e seis meses após inserção em um programa de perda de peso. O estudo foi observacional, descritivo, exploratório, prospectivo com abordagem quantitativa realizado no Ambulatório de Especialidades do Hospital da Universidade Federal de Sergipe no período de maio de 2015 a maio de 2016. A amostra foi do tipo, não probabilística por conveniência, composta por 35 pacientes. A coleta de dados foi realizada por meio de questionário sobre informações sócio demográficas e clínicas, além dos instrumentos Item Short Form Health Survey (SF-36) e Impact Of Weigth On Quality Of Life-Lite (IWQOL-Lite), que avaliam a qualidade de vida relacionada saúde geral e específica para a redução do peso, respectivamente. Os dados foram analisados por meio de estatísticas simples e testes como Qui-quadrado de Pearson, Exato de Fisher, t-Student e Wilcoxon, sendo admitida uma significância estatística de 5% (p < 0,05). A média de idade foi de 42 anos. Houve predominância do sexo feminino, a maioria residente na grande Aracaju, cor da pele não branca, renda de até dois salários mínimos, baixa escolaridade e sem companheiro fixo. Na avaliação de segmento 77,1% dos pacientes obtiveram perda de peso, 5,7% perderam o suficiente para modificar a classe de obesidade. Houve associação significativa entre as médias dos níveis pressóricos antes e após inserção no programa. O instrumento genérico mostrou, na avaliação pré inserção no programa, correlações positivas e significativas de alguns domínios com as variáveis, sexo, cor da pele, escolaridade e atividade física. Comorbidades e Índice de massa corpórea (IMC) apresentaram correlações significativas, embora negativas para aspectos emocionais. Acrescenta-se à comorbidades correlações com capacidade funcional, aspectos físicos e aspectos sociais. Na avaliação após inserção, as variáveis sexo e atividade física associaram-se a todos os domínios. Em relação à atividade física às exceções foram os domínios estado geral de saúde, aspectos sociais e saúde mental. Comorbidades e IMC se correlacionaram negativamente com capacidade funcional, além de aspectos físicos e saúde mental respectivamente. O instrumento específico mostrou na avaliação pré inserção correlação significativa de algumas variáveis, no entanto o destaque foi para atividade física que apresentou correlação significativa e positiva com todos os domínios, a exceção do domínio vida sexual. Houve correlação negativa das variáveis comorbidades com o domínio trabalho; peso com dificuldades em locais públicos e trabalho, além de IMC com todos os domínios, à exceção autoestima. Na avaliação pós, as variáveis, escolaridade, sexo e atividade física se correlacionaram com a maioria dos os domínios. Houve correlações negativas entre comorbidades e vida sexual; peso e IMC com dificuldades em locais públicos. Conclui-se que a diminuição do peso foi significativa para redução dos níveis pressóricos. O elevado nível de escolaridade, o sexo, e atividade física foram os fatores que mais interferiram na QVRS dos pacientes.

  • JÚLIAN KATRIN ALBUQUERQUE DE OLIVEIRA
  • Conformidade dos cuidados de enfermagem relacionados ao manuseio do cateter vascular central
  • Orientador : ELIANA OFELIA LLAPA RODRIGUEZ
  • Data: 19/07/2016
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • No cenário atual, a busca por melhor qualidade dos processos assistenciais

    configura-se como um grande desafio para profissionais e instituições de saúde.

    Diversos fatores são capazes de interferir nesta qualidade, dentre eles, o uso excessivo,

    insuficiente ou inadequado de serviços, procedimentos e tecnologia em saúde. Os

    cateteres venosos centrais - CVC são uma dessas tecnologias e tornou-se quase

    indispensável nos serviços de saúde, em especial em Unidades de Terapia Intensiva.

    Apesar das inúmeras vantagens advindas da sua implantação, o manejo inadequado

    deste dispositivo pode ser responsável por diversas complicações. Para avaliar a

    qualidade dos processos assistenciais frente ao manejo do cateter vascular central

    devem ser implementadas estratégias de avaliação que visem à identificação das

    conformidades desse cuidado. Indicadores são ferramentas que permitem conhecer e

    avaliar esta realidade sendo capazes de traduzir a qualidade dos processos assistenciais

    oferecidos pelos profissionais de saúde. Desta forma, o objetivo do presente estudo será

    avaliar a conformidade da prática assistencial da equipe de enfermagem no processo de

    manuseio do cateter vascular central antes e após intervenção educativa. Trata-se de

    uma pesquisa ação, com análise pré e pós de uma intervenção educativa sobre as

    conformidades das práticas assistenciais relacionadas ao manuseio do cateter vascular

    central. Será realizado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Clínica de um Hospital

    referência do estado de Sergipe. A casuística corresponderá às oportunidades de

    observação da prática assistencial envolvendo o manuseio do cateter vascular central.

    Por se tratar de uma amostragem observacional, optou-se pelo cálculo amostral por

    eventos. Foi feito um levantamento, no local do estudo, para verificar o número de

    procedimentos envolvendo a administração de medicamentos, a troca de equipo e a

    troca de curativo realizados pela equipe de enfermagem e assim determinada a amostra

    da referida pesquisa. A coleta de dados será desenvolvida em dois momentos

    específicos, antes e após a intervenção educativa. A primeira coleta ocorrerá nos meses

    de dezembro de 2015 a fevereiro de 2016, já a segunda ocorrerá de maio a julho de

    2016, durante os três turnos de trabalho, manhã, tarde e noite. Os dados serão obtidos a

    partir da observação direta de procedimentos envolvendo o manuseio do cateter

    vascular central. Foram elaborados três instrumentos com base nas recomendações do

    Guideline for Prevention of Intravacular cateter-related infections para coleta de dados e

    estes serão organizados em planilha eletrônica criada no programa Microsoft Excel® e

    analisada quantitativamente em números absolutos e percentuais. Os resultados serão

    apresentados em gráficos e tabelas. As conformidades dos indicadores de processo

    encontrados antes e após a intervenção educativa serão comparadas por meio de t de

    Student para amostras pareadas ou o Wilcoxon Rank Test, onde apropriado. A

    conformidade esperada será de 80%, considerada pelo índice de positividade de Carter

    como uma assistência segura. Espera-se com este estudo, ampliar as discussões e

    reflexões acerca da participação da equipe de enfermagem na qualificação dos

    processos assistenciais, bem como elaborar estratégias educativas à equipe no sentido de

    elevar os níveis de conformidade relacionados à manutenção do cateter vascular central

    garantindo a qualidade do cuidado oferecida ao paciente.

  • GABRYELLA GARIBALDE SANTANA RESENDE
  • CONHECIMENTO E ATITUDE DE INDIVÍDUOS COM DIABETES MELLITUS
  • Orientador : CRISTIANE FRANCA LISBOA GOIS
  • Data: 31/05/2016
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Ao considerar que o controle glicêmico está relacionado ao autocuidado do diabetes mellitus (DM) e, por conseguinte, ao conhecimento e à atitude frente à doença e seu tratamento, investigar estas variáveis pode subsidiar o planejamento da assistência de enfermagem destinado a essa população. Objetivo: avaliar o conhecimento sobre a doença e o tratamento e as atitudes/prontidão para o autocuidado de indivíduos com a doença e sua relação com as variáveis sociodemográficas e clínicas. Método: estudo quantitativo, descritivo e transversal, realizado com 121 indivíduos com DM tipo 2, atendidos no Ambulatório do Hospital Universitário da Universidade Federal de Sergipe. Foram utilizados três instrumentos, um para caracterização sociodemográfica e clínica dos participantes, outro para avaliação do conhecimento sobre o DM e tratamento denominado Diabetes Knowledge Scale Questionnaire - DKN - A e por último o Diabetes Attitudes Questionnaire - ATT - 19. Resultados: a média de idade dos participantes foi de 60,6 anos, a maioria era do sexo feminino (80,2%) e tinha até o ensino fundamental incompleto (69,4%). O tempo médio de diagnóstico de DM foi de 15,7 anos, 43,8% faziam uso de antidiabético oral e 53,7% não praticavam atividade física regular. Quanto à avaliação do conhecimento, 52,8% apresentaram escores iguais ou menores que oito, indicando baixo conhecimento sobre o DM e seu tratamento. Em relação à atitude, 98,3% apresentaram escores menores ou iguais a 70. Conclusão: a maior parte dos indivíduos era idosa, do sexo feminino, com ensino fundamental incompleto e tinha a doença há aproximadamente 15,7 anos. Cerca da metade dos indivíduos apresentou baixo conhecimento sobre a doença e uma expressiva maioria apresentou baixa atitude/prontidão para o autocuidado. Indivíduos mais jovens apresentaram mais conhecimento sobre o DM, enquanto que os do sexo feminino e com menor tempo de estudo apresentaram melhor atitude/prontidão para o autocuidado.

    Descritores: Diabetes mellitus; Conhecimento; Atitude.

  • ADRIANA SOUSA AMADO DE OLIVEIRA
  • Análise dos processos de preparo e administração de medicamentos em um hospital público de Aracaju
  • Orientador : ELIANA OFELIA LLAPA RODRIGUEZ
  • Data: 26/02/2016
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Em 1999 foi apresentado o relatório intitulado To Err is Human:

    Building a Safer Health System pelo Institute of Medicine dos Estados Unidos, o qual

    revelou dados da dimensão dos custos decorrentes de erros de medicação. No Brasil, em

    2013, foi lançado o Programa de Segurança do Paciente, pelo Ministério da Saúde.

    Incluso nesse programa, o Protocolo de segurança no uso, prescrição e administração de

    medicamentos, o qual faz recomendações para tornar o processo de medicação mais

    seguro. Objetivo: Analisar o processo de administração de medicamentos executado

    por profissionais de enfermagem, segundo o Protocolo de Segurança na Prescrição, uso

    e administração de medicamentos (Brasil, 2013) em unidades de terapia intensiva de um

    hospital público de Aracaju. Materiais e método: Estudo com enfoque quantitativo,

    descritivo e de corte transversal. Para coleta dos dados utilizou-se três instrumentos. O

    primeiro com o objetivo de descrever fatores que interferem nos processos de preparo e

    administração de medicamentos, o segundo, de observação das etapas de preparo e de

    administração de medicamentos, e o terceiro, para caracterização dos profissionais de

    enfermagem participantes da pesquisa. Foi possível observar 67 profissionais de

    enfermagem durante o preparo e administração de medicamentos, totalizando 1159

    doses observadas. Para análise dos dados foi utilizada estatística descritiva. Resultados:

    Em ambas as unidades a prescrição médica é do tipo padrão, a forma de dispensação de

    medicamento é por dose unitária, a equipe de enfermagem não utiliza protocolos para o

    preparo de medicamentos e não há rotina de notificação dos erros de medicação.

    Ademais, observou-se que os itens de verificação para administração segura de

    medicamentos que apresentaram maior média de adesão pelos profissionais de

    enfermagem das unidades pesquisadas foram forma certa (98,38%), via certa (85,93%),

    medicamento certo (65,09%) e dose certa (51,56%). Em contrapartida, as menores

    adesões foram encontradas nos itens paciente certo (0,43%), registro certo (25,39%),

    hora certa (34,24%) e orientação certa (40,32%). Conclusão: O processo de

    administração de medicamentos analisado requer a construção de barreiras que possam

    torná-lo mais seguro, principalmente em relação aos itens que apresentaram menor

    adesão, bem como a criação de estratégias que possam fortalecer os itens de maior

    adesão.

  • DANIELE MARIN NARDELLO
  • Características epidemiológicas dos óbitos fetais e neonatais precoces em filhos de pacientes com near miss.
  • Orientador : ALZIRA MARIA D AVILA NERY GUIMARAES
  • Data: 25/02/2016
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Objetivo: Identificar as características epidemiológicas dos óbitos fetais e neonatais

    precoces, entre pacientes com near miss materno e os fatores associados a este

    desfecho. Método: estudo transversal, cuja população foi composta por 79 mulheres

    near miss, identificadas no período de um ano e dos recém-nascidos destas pacientes.

    Foram realizadas entrevistas semi-estruturadas e investigação dos prontuários. As

    variáveis foram analisadas por meio de frequências simples e percentual. Para avaliar

    associação entre as variáveis utilizou-se o teste Exato de Fisher. Para análise

    multivariada foi usado o mapa perceptual construído a partir da análise de

    correspondência múltipla utilizada as variáveis que foram significativas a 20,0%.

    Resultados: Entre as mães near miss, as desordens hipertensivas (pré-eclâmpsia grave,

    eclâmpsia, hipertensão) totalizaram 32 casos (40,5%) e destes, 14 (58,3%) foram DFNA

    (p-valor 0,046). A maior prevalência de DFNA foi proveniente de parto cesário 20

    (83,3%), de mulheres com 2 a 3 filhos, 11 (45,8%) e sem natimortos anteriores, 17

    (70,8%), tendo sido verificado significância para esta ultima variável p 0,038. Na

    análise dos DFNA foi encontrado significância para os recém-nascidos admitidos na

    UTIN 17 (70,8%) p <0,001, crianças com idade gestacional < 32 semanas, 10 (41,6%) p

    <0,001, peso ao nascer < 2500 16 (66,7%) p 0,001, e APGAR de 5 minutos, < 7, 9

    (52,9%) p <0,001, asfixia neonatal 9 (50%) p <0,001 e desconforto respiratório precoce

    13 (72,2%) p 0,002. Conclusão: as características dos óbitos fetais e neonatais precoces,

    entre pacientes com near miss materno tiveram associação forte com o desfecho fetal e

    neonatal adverso as mães com desordens hipertensivas, as características significantes

    para o desfecho entre os recém-nascidos foram a prematuridade, APGAR de 5 minutos,

    < 7, asfixia neonatal e desconforto respiratório precoce.

    Descritores: Relações Materno-Fetais; Complicações na Gravidez; Epidemiologia;

    Morte Fetal; Morte Perinatal.

  • ALINE DE OLIVEIRA RIBEIRO
  • "INSERÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA ESPECIALIZAÇÃO OBSTÉTRICA NO ESTADO DE SERGIPE: NARRATIVAS HISTÓRICAS"
  • Orientador : MARIA CLAUDIA TAVARES DE MATTOS
  • Data: 22/02/2016
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Este estudo apresentou como objetivo geral analisar historicamente o processo de inserção, formação, consolidação e desenvolvimento da especialização em Enfermagem Obstétrica no estado de Sergipe. Trata-se de uma pesquisa descritiva, de abordagem qualitativa cujas narrativas foram obtidas pelo método da História Oral Temática entre os meses de fevereiro a maio de 2015. Foram depoentes deste estudo 37 enfermeiros obstétricos (EO). O recorte temporal compreendeu o período entre os anos de 2001 a 2014 e o recorte espacial abrangeu maternidades de caráter público, privado e filantrópico, Instituições de Ensino Superior e equipes de Estratégia Saúde da Família. Os achados revelaram que o ano de 2001 inaugurou o primeiro Curso de Especialização em Enfermagem Obstétrica neste estado, numa parceria entre a Universidade Federal de Sergipe (UFS) e o Ministério da Saúde (MS). Esse curso continuou a ser ofertado regularmente pela Universidade Tiradentes (UNIT) a partir do ano de 2006 e a partir do ano de 2013 o Hospital Universitário- HU/UFS passou a ofertá-lo na modalidade de Residência. Foram encontrados EO atuantes na assistência tanto no Pré-Natal quanto nas maternidades; à frente da gestão de maternidades e programas ligados à área obstétrica e da saúde da mulher e na docência de cursos de Graduação em Enfermagem nas disciplinas relacionadas também a essas áreas. Os resultados apontaram ainda que a inserção do EO nesses distintos serviços e a consequente possibilidade de atuação com enfoque nas práticas assistenciais obstétricas provocou mudanças favoráveis, que se refletem, sobretudo, na qualidade da assistência ofertada. Desafios ainda se apresentam à plena atuação desses profissionais tendo destaque para o hibridismo entre atribuições assistenciais e burocrático-administrativas, onde muitas vezes são privilegiadas essas em detrimento daquelas, além da perpetuação, em alguns espaços, da hegemonia médica. O crescimento numérico e qualitativo dessa categoria levou parte dos seus representantes a se organizarem profissionalmente, fato que culminou na criação da Associação Brasileira de Obstetrizes e Enfermeiros Obstétricos (ABENFO) secção Sergipe, no final do ano de 2014. DESCRITORES: especialização em enfermagem obstétrica; enfermeiros obstétricos; história oral temática.

  • GABRIELA MENEZES GONÇALVES DE BRITO
  • QUALIDADE DE VIDA, CONHECIMENTO E ATITUDE DE INDIVÍDUOS COM DIABETES APÓS PARTICIPAÇÃO EM PROGRAMA EDUCATIVO
  • Orientador : CRISTIANE FRANCA LISBOA GOIS
  • Data: 27/01/2016
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O diabetes mellitus (DM) é uma doença crônica que apresenta incidência crescente e elevada morbimortalidade. O seu tratamento exige mudanças no estilo de vida do indivíduo. Todo esse contexto pode interferir na qualidade de vida (QV) do indivíduo com DM. Nesse sentido, a prática de educação em saúde tem sido considerada uma intervenção eficaz para a melhora da QV, conhecimento e atitude do indivíduo frente ao DM. Objetivo: Avaliar a QV, conhecimento e atitude de indivíduos com DM após participação em programa educativo específico. Metodologia: Quase experimental, prospectivo, comparativo, do tipo antes e depois, desenvolvido com indivíduos com DM tipo 2 (DM2) atendidos no Ambulatório de Endocrinologia do Hospital Universitário da Universidade Federal de Sergipe. A amostra foi constituída por 110 indivíduos, os quais foram divididos em grupos teste (GT) e controle (GC). O GC recebeu o atendimento da equipe multiprofissional do ambulatório e o GT, além de receber o atendimento de rotina, participou das intervenções propostas no programa. Foram utilizados cinco instrumentos, um para a caracterização sóciodemográfica e clínica, dois para avaliação da QV (Whoqol- bref e B-PAID), um para avalição do conhecimento (DKN-A) e outro para avaliação da atitude (ATT-19). Resultados: O domínio Psicológico do Whoqol- Bref foi o que apresentou maiores médias (14,98 e 14,22), enquanto que Meio Ambiente, as menores (12,94 e 12,28), na primeira fase, no GT e GC, respectivamente. Foi identificada diferença entre os grupos no domínio Relações Sociais, com o GT tendo apresentado melhor avaliação (p=0,05) na segunda fase. Com relação à medida B-PAID, houve diminuição da média na segunda fase da pesquisa nos dois grupos, todavia, o delta do GT foi maior, sugerindo que esse grupo apresentou maior diminuição do sofrimento. Houve aquisição de conhecimento sobre a doença e tratamento (p=0,01) e discreto aumento de atitude no GT e diminuição no GC. Conclusão: A realização de programa educativo dirigido a indivíduos com DM2 pode contribuir para o aumento da QV, diminuição do sofrimento, aquisição de conhecimento sobre a doença e seu tratamento e melhora da atitude de enfrentamento.

  • TATIANE NEGRÃO ASSIS DA ROCHA
  • Percepção dos enfermeiros acerca das mães impossibilitadas de amamentar no alojamento conjunto
  • Orientador : RITA MARIA VIANA REGO
  • Data: 27/01/2016
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O projeto teve como objetivo geral analisar as concepções do enfermeiro sobre o cuidado às puérperas, diante de condições que contraindicam o aleitamento materno, a luz das práticas discursivas e produção de sentidos. Trata-se de um estudo exploratório-descritivo, com abordagem de natureza qualitativa. A técnica de pesquisa escolhida para coleta de dados foi o grupo focal, entendendo que esta técnica enriquecerá o debate do tema em questão. Os participantes da pesquisa serão os enfermeiros que atuam nas unidades de alojamento conjunto dos referidos Hospitais-Maternidade, pois se entende que eles são diretamente responsáveis pela prestação de cuidado, apoio e orientação às puérperas, estando usualmente a encarregados do acompanhamento da amamentação no pós-parto. O procedimento de análise escolhida foi o de Mapas de Associação de Ideias, utilizada por Spink e Gimenez (1994).

  • SIMONIZE CUNHA BARRETO DE MENDONÇA
  • CONSTRUÇÃO DE UM INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO DO AUTOCUIDADO DOS PACIENTES COM DIABETES MELLITUS TIPO 2
  • Orientador : LIUDMILA MIYAR OTERO
  • Data: 26/01/2016
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Trata-se de um estudo de desenvolvimento metodológico com abordagem psicométrica que tem por objetivo construir um instrumento de avaliação do autocuidado dos pacientes com diabetes mellitus tipo 2 (DM2). O percurso metodológico norteou-se nos procedimentos teóricos para elaboração de instrumento psicométrico e fundamentou-se no modelo teórico do autocuidado de Dorothea Orem. Os procedimentos teóricos compreenderam a definição do construto “autocuidado de pacientes com DM2”, o qual delineou-se a partir do referencial teórico adotado, da literatura pertinente e de estudo qualitativo, com a técnica de grupo focal, utilizando a análise de conteúdo. Foram formados três grupos focais distintos, um composto por oito profissionais de saúde com experiência no manejo de pacientes com DM2 e os outros dois compostos por 26 pacientes com DM cadastrados em um programa educativo de um serviço ambulatorial de referência do Estado de Sergipe. Esse estudo permitiu descrever os significados atribuídos pelos profissionais e pacientes aos seis requisitos de autocuidado no desvio da saúde de Orem, definidos como as dimensões teóricas do instrumento, a saber: buscar e garantir assistência multiprofissional apropriada (responsabilização mútua, acessibilidade, fatores condicionantes básicos); conhecer e considerar a doença e suas complicações (aspectos relacionados à doença); aderir ao tratamento (tratamento medicamentoso e não medicamentoso); conhecer e considerar os desconfortos do tratamento (efeitos colaterais e desconfortos psicoemocionais); aceitar a doença (humanização terapêutica, reconhecimento da necessidade de controlar a doença, valorização da equipe de saúde e dos resultados do tratamento) e aprender a viver com os efeitos da doença (valorização do estilo de vida e autoestima). O instrumento foi submetido à análise semântica e conceitual por um painel de sete juízes e, na sequência a um pré-teste com 14 pacientes com diabetes, resultando em um instrumento com 131 itens. Na validação de conteúdo, os juízes avaliaram os itens quanto aos domínios a que pertenciam, a permanência no instrumento e aos critérios psicométricos que possuiam, sendo calculado o Índice de Validade de Conteúdo para cada um dos itens (IVCi) e a média de IVCi (IVCs) para o conjunto de itens de cada domínio. A validade de conteúdo de uma escala foi considerada excelente quando atingiu um IVCi ≥ 0,75 e uma média de IVCs ≥ 0,90. Quanto aos domínios, 129 itens apresentaram IVCi ≥ 0,78 e todos os domínios exibiram IVCs ≥ 0,90. Para permanência no instrumento, todos os itens apresentaram IVCi ≥ 0,78 e o conjunto de itens de cada domínio apresentou IVCs ≥ 0,90, a saber domínio A (0,99), B (1,00), C (0,98), D (1,00), E (0,97) e F (0,96). No julgamento dos critérios psicométricos (objetividade, clareza, precisão, tipicidade, simplicidade, relevância, modalidade e credibilidade), de maneira geral, os itens apresentaram uma avaliação satisfatória, e foram reformulados conforme as sugestões do painel de juízes. Foi desenvolvido e validado o conteúdo do Instrumento de Avaliação do Autocuidado dos pacientes com DM2 (INAAP-DM2), que consiste em uma escala tipo Likert de cinco pontos e permite mensurar em cada dimensão os requisitos de autocuidado, classificando-os em três níveis: Totalmente Compensatório, Parcialmente Compensatório e Apoio-Educação. O desenvolvimento de uma tecnologia, que considere a multidimensionalidade dessa enfermidade, poderá instrumentalizar equipes multiprofissionais na utilização de um modelo de atenção integral aos pacientes com DM2, com base nos pressupostos teóricos de Orem para os requisitos de autocuidado.

    Palavras-chave: autocuidado, diabetes mellitus tipo 2, escalas, psicometria, validade dos testes.

2015
Descrição
  • MÍRIAM GEISA VIRGENS MENEZES
  • MANEJO DA DOR EM PACIENTES SUBMETIDOS À CRANIOTOMIA
  • Orientador : MARIA DO CARMO DE OLIVEIRA
  • Data: 12/11/2015
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A dor é uma experiência sensorial e emocional das mais íntimas e subjetivas experimentadas pelo homem, de caráter desagradável associada a uma lesão tecidual real ou potencial (IASP, 1994), comum em pacientes hospitalizados em especial no pós-operatório de craniotomia. A presente pesquisa visa avaliar a dor em pacientes submetidos à craniotomia. Trata-se de uma pesquisa descritiva, longitudinal e exploratória com abordagem quantitativa, que será desenvolvido no Hospital São Lucas, e Cirurgia, no período de agosto de 2014 a fevereiro de 2015. A amostra será probabilística, consecutiva por conveniência. A casuística será constituída por 27 pacientes submetidos a craniotomia. A coleta de dados será realizada pela pesquisadora através de entrevista semiestruturada. A hipótese desse estudo é que os pacientes submetidos à craniotomia que apresentem dor no período pós-operatório terão um manejo adequado da dor. Acredita-se que esse estudo possa contribuir para despertar o interesse dos profissionais da saúde quanto à importância do controle da dor pós-craniotomia e possa subsidiar a construção e implementação de protocolos de avaliação da dor e analgesia em pacientes submetidos à craniotomia.

  • PABLIANE MATIAS LORDELO MARINHO
  • Utilização de Tecnologia Leves em Unidades de Terapia Intensiva: um estudo comparativo
  • Orientador : MARIA PONTES DE AGUIAR CAMPOS
  • Data: 10/11/2015
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A tecnologia leve também chamada de tecnologia realcional, diz respeito a interalação entre o trabalho vivo, o profissional e o paciente. É essse tipo de tecnologia que produz vínculos, autonomia, acolhida e atua na gestão dos processos de trabalho. Objetivo Geral: analisar o uso de tecnologias leves no cuidado prestado pelas equipes de enfermagem, em unidades de terapía intensiva a luz da classificação das intervações de enfermagem(NIC), em dois hospitais de Aracaju sendo um de Ensino e um Estadual. Métodos: qualittivo- quantitativo, tipo observacional. Amostra: todos os enfermerios, técnicos e auxiliares de enfermagem que trbalham em UTI. Análise de dados: estatísitca descritiva, para verificar homogeneidade utilizar-se-á o teste de mann-Whitney.

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2024 - UFRN - bigua2.bigua2 v3.5.16 -r19295-ad7fbbb3d7