Dissertações/Teses

Clique aqui para acessar os arquivos diretamente da Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da UFS

2019
Descrição
  • FRANCISCA AMANDA DOS SANTOS
  • Um olhar discursivo em relação ao cordel: reflexões sobre preconceito e estereótipos na sala de aula
  • Orientador : MARCIA REGINA CURADO PEREIRA MARIANO
  • Data: 30/08/2019
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A rica diversidade artístico-cultural brasileira é resultante de uma formação sócio histórica, na qual houve o encontro de indígenas, europeus e africanos, dentre outros povos. Um dos produtos artísticos brasileiros resultantes dessa diversidade é o cordel, amplamente divulgado na região nordeste. Por meio deste produto literário, histórias são ouvidas, causam o riso, apresentam-se sob a forma de protesto e crítica social e, sobretudo, carregam as memórias de um povo. Todavia, os gêneros, literários ou não, podem trazer uma imagem discursiva negativa para alguns segmentos sociais reforçando alguns preconceitos e estereótipos. Sendo assim, justifica-se nosso interesse em estudar alguns cordéis em que o ethos apresentado não é favorável à resistência de grupos minoritários, mas em vez disso, corrobora com falas e posturas cristalizadas socialmente em favor da manutenção do cenário de exclusão e desvalorização de certos sujeitos em detrimento de outros. É preciso observar que não se trata de dizer que toda a literatura de cordel contribui para o quadro acima. O objetivo geral deste trabalho consiste em produzir um material pedagógico a fim de contribuir para a desconstrução dessas práticas, tendo como base o trabalho com o gênero cordel em sala de aula. Alguns dos objetivos específicos são estimular e proporcionar a leitura através da literatura de cordel e desenvolver o senso crítico dos alunos através da reflexão sobre os problemas sociais existentes no país como desigualdade e intolerância. Para isso, este projeto apoia-se nas reflexões (neo)retóricas e discursivas feitas por Ferreira (2010) e Amossy (2016), nas quais destacam-se os conceitos de ethos e estereotipagem, menciona-se também estudiosos relevantes para o estudo da dinâmica social como Marx (1996), Pastorini (2007), Yazbek (2001), Ribeiro (1995), ademais, são trazidas discussões sobre o cordel orientadas por Luyten (1983), Terra (1983), Abreu (1999, 2006) , Luciano (2012), dentre outras pesquisas. Alguns dos resultados alcançados apontam para a necessidade de maior inserção do cordel no ambiente escolar, por meio de atividades nas quais sejam exercitadas tanto a criticidade, quanto a criatividade dos alunos.

  • CLAUDIA VIRGINIA FONTES SACRAMENTO
  • A LEITURA DE TEXTOS LITERÁRIOS MULTIMODAIS A PARTIR DA INTERAÇÃO COM O “DIÁRIO DE UM BANANA”
  • Orientador : JOSE RICARDO CARVALHO DA SILVA
  • Data: 11/06/2019
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Esta dissertação analisa uma experiência de leitura literária multimodal a partir da interação com gênero diário de ficção, tendo como objeto de estudo o livro “Um romance em quadrinhos”, primeiro livro da coleção “Diário de um Banana” de Jeff Kinney. O objetivo principal desse estudo é apresentar procedimentos de leitura literária, descrevendo o contexto de produção, bem como a análise dos recursos linguístico-imagético-discursivas que exploram o domínio das capacidades de linguagem para promover a leitura de textos que vinculam a linguagem verbal com a visual na construção de sentido. A pesquisa se fundamentou em contribuições do quadro teórico do Interacionismo Sociodiscursivo (ISD) proposto por Bronckart (2007) e Machado (1998), alargando as discussões de análise com base em Bakhtin (2011; 2016), Marcuschi (2004;2008), Kress e van Leeuwen (2006). Este estudo descreve a aplicação de atividade de leitura multimodal em uma turma do 8º ano do Ensino Fundamental II de uma escola da rede pública estadual. Para o desenvolvimento metodológico dessa pesquisa, foi adotada a pesquisa-ação com as contribuições propostas por Thiollent (2011). Além disso, utilizou-se como dispositivo didático o modelo de Sequência Didática (SD), proposto por Dolz, Noverraz e Schneuwly (2004), adaptado para a leitura, tomando como base a colaboração de Leurquin (2014) e Cosson (2009). A partir dos subsídios teóricos, apresenta-se uma proposta de intervenção com relato das oficinas e das atividades de interpretação aplicadas em sala de aula. Como produto dessa pesquisa de cunho pedagógico, divulga-se um caderno de atividades para a leitura de textos do gênero diário de ficção.

  • NICE VANIA MACHADO RODRIGUES VALADARES
  • LEITURA E PRODUÇÃO DE HISTÓRIAS EM QUADRINHOS DIGITAIS: RESSIGNIFICANDO O USO DO CELULAR
  • Orientador : ANA FLORA SCHLINDWEIN
  • Data: 31/05/2019
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A presença das novas tecnologias da comunicação e informação em nossas vidas fez surgir um novo perfil de leitor e produtor de textos, adaptado ao movimento das telas, à velocidade das imagens, imerso em relações síncronas e assíncronas da comunicação, um indivíduo dinâmico, que interage a todo instante, com seus pares e com os equipamentos eletrônicos. Esse novo cenário exige dos indivíduos competências necessárias para usar as informações estrategicamente, de maneira crítica e dinâmica. Essas mudanças possibilitam aos indivíduos sua imersão em multimodalidades e recursos multimidiáticos. Diante do exposto, desenvolve-se esta dissertação focando a multimodalidade como caminho de trabalho, explorada em uma turma de vinte e nove alunos, do 6° ano do Ensino Fundamental de uma escola do Estado de Sergipe. O corpus deste TCF é a produção do gênero textual: História em Quadrinhos (HQs), que foi realizada com o uso do celular. As produções foram organizadas em vídeos e publicadas em um Blog, denominado: “Histórias em Quadrinhos Digitais.” Este TCF divide-se em quatro capítulos: o primeiro (relação entre tecnologia e educação), o segundo (gêneros textuais e histórias em quadrinhos), o terceiro (processo metodológico utilizado para a construção e desenvolvimento da pesquisa), e o quarto (apresentação e análise dos dados coletados). Este trabalho visa observar possíveis contribuições verificar a contribuição das HQs no aprimoramento das competências de ler, escrever e compreender textos, a partir da implementação de uma oficina com oito momentos criada com base no modelo de Cosson (2011). Esse modelo é constituído de quatro etapas: motivação, introdução, leitura e interpretação, tendo a necessidade de acrescentar mais duas: reformulação, produção e publicação. Quanto à metodologia do estudo, a pesquisa baseia-se no bibliográfica qualitativa e de campo. O percurso teórico desse TCF fundamenta-se a partir da contribuição de Jenkins (2009), que aborda a convergência das mídias, Santaella (2013), com a teoria da ubiquidade; Marcuschi (2008) e Bakhtin (2000), que tratam dos gêneros textuais; e quanto às HQs, aborda-se as concepções de Vergueiro e Santos (2012), Eisner (1989) e Santos (2003). Espera-se, portanto, melhorar o processo de leitura e escrita dos alunos, a partir da exploração da multimodalidade, instigando o aluno a ser capaz de selecionar, identificar, produzir textos multisemióticos e multimodais.

  • ALEXANDRA CARDOSO DA SILVA DUARTE
  • Oficinas de Leitura Literária a partir de "Os sertões", de Euclides da Cunha
  • Orientador : CARLOS MAGNO SANTOS GOMES
  • Data: 31/05/2019
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A presente dissertação visa contribuir para o ensino de literatura, a partir de uma prática que incorpore a dinâmica da comunicação digital com uma perspectiva cultural que reconheça as particularidades das identidades da obra e do leitor. Nesse sentido, o trabalho pretende ampliar o ensino de literatura na escola, aliando-o à multimodalidade, elaborando uma prática que incorpore os preceitos do letramento digital. Este projeto será desenvolvido com alunos do 9º ano do ensino fundamental, séries finais, de uma escola municipal, situada na zona urbana da cidade de Monte Santo - BA. Como corpus da pesquisa, será selecionado o capítulo A luta, de Os sertões, para uma abordagem de leitura cultural e estética, tendo como proposta central, a de construir um OA que configure em um manual de leitura digital que permita a leitura do texto literário, contemplando a multimodalidade, presente na pedagogia dos multiletramentos de Roxane Rojo (2012) e o letramento digital de Freitas (2010). O manual será desenvolvido, em uma plataforma virtual, a partir da narrativa da obra mesclada imagens e opções de vídeos sobre essa obra. A análise do texto literário será feita a partir do modelo cultural de leitura de Carlos Gomes (2012) que privilegia a formação de um leitor crítico e as suas heranças culturais, e de leitura subjetiva de Annie Rouxel (2013) que trata da importância da experiência estética na formação do leitor.

    Palavras-chave: letramento digital, leitura cultural, leitura subjetiva, multimodalidade, Os sertões.

  • JOSENEIDE SANTOS DE JESUS
  • PRÁTICA DE LEITURA DE CANÇÕES: O EMPODERAMENTO FEMININO
  • Orientador : CARLOS MAGNO SANTOS GOMES
  • Data: 31/05/2019
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O presente TFC visa apresentar uma caderno de leitura crítica a partir de canções de autoria feminina que destacam o papel da independência e do empoderamento das mulheres. Essa abordagem faz parte de um trabalho de intervenção desenvolvido nas aulas de Língua Portuguesa de uma turma do 9° ano de uma escola municipal de Jeremoabo/ BA. Está organizado em uma teórica e outra metodológica. Na primeira parte enfocamos o debate sobre a “Formação do/a leitor/a e o texto literário” e as “Relações de gênero e empoderamento feminino”, enquanto que na segunda parte descrevemos a realização prática do nosso trabalho: “Oficinas literárias: debatendo o empoderamento feminino” e “Análise dos resultados”. Quanto ao arcabouço teórico, apresentamos conceitos fundamentais sobre o trabalho com o texto literário e a formação do/a leitor/a pautados nos estudos sobre a leitura cultural, de Carlos Gomes (2012) e a leitura subjetiva, de Annie Rouxel (2013). Trazemos também as contribuições de Simone Alcântara (2012) a respeito da caracterização e da importância do gênero canção e Hélder Pinheiro Alves (2017 e 2018), em relação ao ensino de poesia e a inserção da produção de autoria feminina em sala de aula. Já para tratar da temática do empoderamento feminino trazemos inicialmente as ideias de dominação masculina e violência simbólica, conforme Pierre Bou rdieu (2018); sobre a construção da identidade de gênero e suas implicações sociais e culturais abordamos as teorias de Judith Butler (2014 e 2018), Lia Zanotta Machado (2017) e Henriqueta Moore (2000). Dando prosseguimento a essa perspectiva enfocamos a importância do lugar de fala da mulher nos baseando em Djamila Ribeiro (2017) e, ampliando as discussões sobre empoderamento e direitos da mulher, trazemos para o debate as contribuições de Chimamanda Adichie (2017) e Bruna de Lara (2016). Os dados coletados durante a pesquisa proporcionaram a criação de um caderno pedagógico que tem como principal objetivo disponibilizar para o público docente uma prática de leitura crítica de canções de autoria feminina estabelecendo relações com textos poéticos e jurídicos que tratam da temática dos direitos e do empoderamento feminino.

  • VANUZIA VIEIRA DE ANDRADE
  • MEMÓRIAS LITERÁRIAS: UM OBJETO DE ENSINO DA LEITURA NA PERSPECTIVA DO INTERACIONISMO SOCIODISCURSIVO
  • Orientador : JOSE RICARDO CARVALHO DA SILVA
  • Data: 29/05/2019
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A presente pesquisa tem a finalidade de investigar estratégias de leitura com o gênero memórias literárias a partir de quatro capítulos – Natália Sávichna, Infância, Dor e As últimas recordações tristes – da primeira parte da trilogia Infância, Adolescência e Juventude do escritor russo Lév Tolstói. A abordagem de leitura segue a perspectiva teórico-epistemológica do Interacionismo Sociodiscursivo (ISD) defendida por Bronckart (1999). Partimos do pressuposto de que a leitura produtiva do gênero memórias literárias está atrelada a observação que o leitor faz do cruzamento dos mundos discursivos da ordem do expor e do narrar, através da construção espaço-temporal da enunciação promovida pelo agente produtor do texto em um discurso autobiográfico. As memórias literárias promovem a narração de fatos da vida particular de alguém revelando, ao mesmo tempo, os contextos histórico, cultural e social ocorridos em uma determinada sociedade. Na escrita do gênero memórias literárias, observamos que ocorre uma certa descontinuidade na narrativa e isso configura mudanças de relações espaços-temporais promovidas pelo narrador. Esses fenômenos podem ser observados por meio das projeções dos tempos verbais identificados como mundo narrado e mundo comentado pertencentes a teoria sociocomunicativa de Weinrich (1968). A partir de uma pesquisa-ação, baseada em Thiollent (2012), desenvolvemos uma intervenção em uma turma de 8º ano de uma escola da rede pública municipal de Paripiranga-BA. Após tomarmos conhecimento das dificuldades que os alunos têm para realização proficiente de leitura de texto, propomos a elaboração de uma Sequência Didática de Leitura com base nos postulados de Dolz, Noverraz e Schneuwly (2011). Os dados coletados geraram um caderno pedagógico para a prática de leitura das memórias literárias em sala de aula, objetivando cooperar com as práticas docentes que se associam a uma perspectiva sociocomunicativa de ensino da língua portuguesa.

  • CARMEM ALESSANDRA CABRAL MOTA MATOS
  • O PERSONAGEM LAMPIÃO NA LITERATURA DE CORDEL: UM CAMINHO PARA O LETRAMENTO LITERÁRIO NA ESCOLA
  • Orientador : JEANE DE CASSIA NASCIMENTO SANTOS
  • Data: 10/05/2019
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O incentivo à prática da leitura por meio do trabalho com a Literatura de Cordel, tendo como temática a figura emblemática de “Lampião, o rei do cangaço” será a base norteadora deste projeto, tendo como ferramenta as obras Lampião: Herói ou Bandido? de João Firmino Cabral, Lampião - coisas do cangaço – de Ronaldo Dória e Capela da minha infância Parte II de Leopoldo Moreira. Este trabalho tem como proposta incentivar a leitura literária e analisar a estrutura do cordel, bem como a construção do personagem Lampião por meio da visão do autor, levando o aluno a reconstruir a ideia deste personagem que faz parte do contexto histórico-cultural dos alunos. Foi escolhido o cordel por ser um gênero textual que carrega em si uma rica produção, e que, acima de tudo está presente no contexto social em que o aluno está inserido. Para fundamentar as discussões apresentadas neste projeto, far-seá análises à luz de teóricos como Márcia Abreu (2006), TERRA (1983), Rildon Cosson (2016), Marisa Lajolo (2002), Pinheiro (2008), ROSENFELD (2011), dentre outros. O público para o qual este projeto está voltado será uma turma de 8º do Ensino Fundamental da Rede Pública, situada na cidade de Capela – Sergipe. O projeto constará de duas etapas. A primeira delas é a produção teórica sobre a temática que será desenvolvida por meio de revisão bibliográfica, tendo como recorte fundamentação acerca do trabalho com textos literários e a prática da leitura. A segunda etapa constará de uma oficina por meio de uma sequência didática a ser desenvolvida na referida turma. Como produto desta sequência foi formulado um caderno de leitura.

  • SEBASTIÃO ANDRADE CARREGOSA
  • UMA (RE)LEITURA DE TEXTOS PUBLICITÁRIOS MULTIMODAIS EM OUTDOOR A PARTIR DA GRAMÁTICA DO DESIGN VISUAL
  • Orientador : DERLI MACHADO DE OLIVEIRA
  • Data: 29/03/2019
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • É preciso reconhecer que a imagem sempre esteve presente na História da Humanidade, e, mesmo no período Pré-histórico. As pinturas rupestres representariam os primórdios da “escrita”, os primeiros “textos”, seja através de borrões, desenhos de animais, por meio de traços, linhas, rabiscos no interior das cavernas (MANGUEL, 2006). E, mesmo com a evolução da escrita alfabética, prevalece na sociedade atual o culto da imagem, através do qual, a apresentação visual ganha cada vez mais enfoque nos mais diferentes tipos de mídia, sobretudo, através dos textos publicitários. Diante desse contexto, a presente pesquisa tem como principal objetivo evidenciar como a Gramática do Design Visual (Kress; van Leeuwen, 2006) pode contribuir para o ensino de língua portuguesa, no que se refere aos multiletramentos, a partir da análise de Textos Publicitários Multimodais. Visto que, conforme os linguistas e semioticistas Kess e van Leeuwen (2006), é de fundamental importância que se crie um método de análise para estudar os recursos semióticos que se organizam na composição dos textos multimodais – constituídos por diferentes códigos semióticos, neste caso, o verbal e o visual – o que os levou à elaboração da GDV. Para isso, pretende-se fazer um estudo do modo de organização da estrutura dos textos publicitários que circulam em outdoors, impregnados de estratégias persuasivas. A necessidade desta pesquisa emerge do cenário preocupante da educação básica apontado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) na última edição da prova Brasil (2015), cujos alunos tiveram baixos resultados. Além disso, observamos que com o acesso dos alunos às novas tecnologias, esses são expostos cada vez mais a textos publicitários multimodais. Porém, o contexto escolar muitas vezes atribui pouca relevância ao estudo sistemático de textos multimodais. Nesta perspectiva, à luz das concepções dos referidos autores, esta proposta utilizará como metodologia a pesquisa teórica, por meio de estudos bibliográficos, a observação, a aplicação de um questionário, bem como a realização de quatro oficinas que contemplam atividades de leitura, análise e interpretação de textos publicitários. Após a realização das oficinas, os resultados serão analisados e interpretados qualitativamente, sob o prisma de um estudo de caso.

  • MANOEL RODRIGUES DE ABREU MATOS
  • O GÊNERO MEME: UMA PROPOSTA DE LEITURA E PRODUÇÃO TEXTUAL PARA ATRIBUIÇÃO DE SENTIDO ÀS MÚLTIPLAS SEMIOSES
  • Orientador : DERLI MACHADO DE OLIVEIRA
  • Data: 29/03/2019
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa apresenta uma proposta de intervenção pedagógica desenvolvida em uma turma de 8º ano do Ensino Fundamental II de uma escola municipal da cidade de Olindina – BA. Com isso, objetivava-se, a partir da realização de seis oficinas voltadas para a leitura e produção de memes, a ampliação dos multiletramentos para a significação das múltiplas semioses presentes nos textos multimodais. Os memes (LIMOR SHIFMAN 2014) constituem um caminho acessível, barato e divertido para a participação política dos indivíduos no contexto da web, diminuindo a passividade diante dos fatos sociais. Nesse sentido, a metodologia adotada neste trabalho é a pesquisa-ação nos termos de Thiollent (2012) por se tratar de uma intervenção para solucionar um problema diagnosticado, nesse caso, a ampliação dos multiletramentos. Esta pesquisa está fundamentada nas orientações de Cope e Kalantzis (2000), Rojo (2012) e Oliveira (2013) sobre multimodalidade e multiletramentos; Paviani e Fontana (2009), sobre oficinas; Leurquin (2014), Dolz, Noverraz e Schneuwly (2011), acerca de sequência didática; Koch, Bentes e Cavalcante (2012), a respeito de intertextualidade; Marcuschi (2011) e Miller (2012), sobre gêneros textuais e Braga (2014) referente aos letramentos digitais. Ao finalizar a aplicação dessa proposta, observou-se que houve melhoras em relação à leitura e produção de memes. Passaram a perceber e significar as semioses e intertexos, o que facilita a compreensão das mensagens veiculadas, seja no tocante à leitura ou à produção. A aprendizagem obtida com os memes, no tocante à significação das semioses, pode ser aplicada a outros textos, possibilitando uma participação efetiva e crítica nas práticas socioculturais do cotidiano.

  • ANNE ALESSANDRA CRUZ RIBEIRO
  • O GÊNERO REPORTAGEM AUDIOVISUAL NO LIVRO DIDÁTICO: O ENSINO DA LEITURA PARA O LETRAMENTO E CIDADANIA
  • Orientador : MARILEIA SILVA DOS REIS
  • Data: 29/03/2019
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Diferentes concepções sobre os gêneros textuais circulam no contexto escolar, tornando-se necessárias as apreciações valorativas e os procedimentos didáticos que lhes são peculiares, sendo, portanto, relevantes para a compreensão do tratamento dos gêneros nos livros didáticos de Língua Portuguesa. Tendo em vista que o livro didático ainda é, em tese, o material mais utilizado pelo professor em sala de aula, merecendo ser objeto constante de reflexão, a presente pesquisa tem como objetivo analisar e descrever a proposta metodológica presente no livro de português adotado para o 6º ano, aprovada pelo PNLD, para o ciclo 2016 a 2018, para uma escola pública do município de Fátima – Bahia, intitulado “Projeto Teláris: Português” (São Paulo: Ática, 2015), quanto à abordagem atribuída ao ensino de língua portuguesa através dos gêneros textuais, especialmente ao trabalho com o gênero textual reportagem, na modalidade oral, observando se as atividades que contemplam os eixos da leitura, da produção e da prática estão em consonância às abordagens atuais, de natureza mais interacionista. E, num segundo momento, apresentar uma proposição de atividades que ampliem aquelas propostas pelo livro, a partir de trabalhos voltados para a cor local e a identidade dos sujeitos que integram o contexto escolar. O aporte teórico desta dissertação é formado pela perspectiva de textualidade de Antunes (2009; 2017); de gêneros de Bakhtin (1992; 1997; 2009); sobre sequências didáticas centradas em gêneros textuais, em Dolz, Noverraz e Schneuwly (2011); e, por fim, em Kleiman (1995; 2005) e Soares (1995; 2004; 2005; 2017), para tratarmos sobre o letramento. Fundamenta-se ainda em documentos oficiais norteadores da educação brasileira para pensar a cidadania e o letramento, a exemplo dos Parâmetros Curriculares Nacionais de Língua Portuguesa – Ensino Fundamental II (1998), das Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Básica (2013) e da Base Nacional Comum Curricular (2018). A necessidade desta pesquisa surgiu a partir do quadro preocupante dos resultados das avaliações externas, que indicaram baixos níveis de proficiência em leitura e escrita e que, por sua vez, configuram-se em altos índices de analfabetismo funcional, evidenciando, assim, um reflexo negativa da insuficiência dos trabalhos com os textos. Nesta perspectiva, esta proposta utiliza como metodologia a pesquisa-ação e a pesquisa teórica, inicialmente através de estudos bibliográficos, seguidos pelo desenvolvimento de uma sequência didática que contempla atividades de leitura, interpretação e produção de reportagem audiovisual, cujo propósito se firma em despertar a atenção dos professores sobre o desenvolvimento de atividades didáticas que considerem o letramento e corroborem para a melhoria na proficiência dos alunos no tocante a leitura e a escrita. Os resultados evidenciam que propostas metodológicas para o ensino de língua no tocante à leitura e à escrita, que não se limitam a pensar e entender os gêneros, mas que se apropriam deles para comunicar/expressar-se em contextos reais de criação, circulação e recepção, dão significado ao processo de aprendizagem e, além de ampliarem o grau de letramento do aluno, colaboram para o amplo desenvolvimento e exercício da cidadania.

  • FABIANE LIMA SANTOS
  • REPORTAGEM AUDIOVISUAL EM FOCO: LETRAMENTO ALÉM DO LIVRO DIDÁTICO
  • Orientador : MARILEIA SILVA DOS REIS
  • Data: 28/03/2019
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O presente trabalho é o resultado de uma proposta de ensino de língua materna para o letramento e cidadania. Parte-se da análise do livro didático de língua portuguesa adotado na turma investigada (4º ano do Ensino Fundamental) e da possibilidade de realização de ações educativas que complementem as propostas desse material pedagógico, tão usual nos bancos escolares, por meio da valorização do contexto local e imediato do aluno. Para a execução dessa prática, optamos em articular a modalidade oral às novas mídias digitais e a seus respectivos gêneros textuais, mediante atividades concretizadas a partir da produção do gênero reportagem audiovisual e do uso de uma linguagem mais elaborada, tendo em vista atender à especificidade da situação comunicativa proposta. O objetivo central do trabalho é promover práticas de letramento mais interativas e identitárias, a partir da produção de textos orais e escritos e do reconhecimento das diferentes manifestações da linguagem, com ênfase no seu uso mais formal, de maneira que o aluno se reconheça protagonista do processo de ensino-aprendizagem. Foram realizados três módulos didáticos, Estudo do gênero reportagem audiovisual, Construção do gênero de acordo com suas condições de produção oral e Culminância do projeto, conforme orientação de Lopes-Rossi (2011). Partimos da escolha dos assuntos para a composição das reportagens, e posterior estudo, produção e gravação do referido gênero para apresentação à comunidade escolar. As reflexões foram respaldadas pelos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN), Base Nacional Comum Curricular (BNCC), além de teóricos, como Bakhtin (2003), Marcuschi (2003), Soares (2004), (2009), (2012), Kleiman (2007) Schnewly/Dolz (2004), Antunes (2003), e outros pesquisadores da área em estudo. Os resultados evidenciam que um ensino de língua que preze o debate oral de temáticas de interesse do aluno e a produção de textos orais em situações comunicativas que ultrapassam as propostas pelo livro didático, possibilita ao discente ampliar o domínio da linguagem verbal oral/oralizada, bem como reconhecer-se como sujeito ativo no processo de construção do seu discurso.

  • JOSÉ BATISTA DE SOUZA
  • Literatura Digital: ampliando as possibilidades de letramentos no ciberespaço a partir do gênero hiperconto
  • Orientador : ANA FLORA SCHLINDWEIN
  • Data: 22/02/2019
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Esse Trabalho de Conclusão Final (TCF) apresenta uma proposta de intervenção pedagógica voltada para a realização de dinâmicas que promovam diferentes letramentos por parte dos alunos do Ensino Fundamental II, integrantes do 9º ano, de uma escola da rede pública de ensino do município de Coronel João Sá, Bahia. Com base nessas considerações, o presente trabalho tem como objetivo melhorar o ensino de Língua Portuguesa, especificamente o ensino de produção textual, a partir do gênero digital hiperconto. O hiperconto, devido à multissemiose nele presente, é uma das possibilidades capazes de transfigurar o leitor (CHARTIER, 2002), fazendo-o sair de uma posição menos interativa (como a geralmente vista na relação com textos impressos), para uma posição mais interativa (de construção e reconstrução textual no âmbito digital). Nesse contexto, a metodologia adotada no presente trabalho é a pesquisa teórica (RAMPAZZO; CORRÊA, 2008) e a pesquisa-ação (THIOLLENT, 2002; SEVERINO, 2016), que visa à intervenção e resolução de questões, nesse caso, problemas relacionados à produção textual. Discutimos, ao longo do trabalho a dicotomia entre literatura digital e literatura digitalizada (BRAGA; RICARTE, 2005; SPALDING, 2012); o letramento (KLEIMAN, 2005; SOARES, 1998, 2002, 2016); o letramento digital (BUZATO, 2006; BRAGA, 2010; FREITAS, 2010); os multiletramentos (COPE; KALANTZIS, 2000; ROJO, 2012); o hiperconto (SPALDING, 2010), e o hipertexto (GOMES, 2011). A proposta de intervenção está configurada em quatro etapas, organizadas por meio de oficinas de leitura e produção (PAVIANI; FONTANA, 2009). No final dessa proposta, os resultados apontaram que os discentes passaram a escrever mais, tanto no suporte impresso quanto no digital, melhoraram suas produções escritas a partir de todos os estímulos possibilitados pela literatura digital através do hiperconto, alcançando, dessa forma, uma melhoria significativa na produção textual, com destaque para a progressão da escrita.

2018
Descrição
  • NATHÁZIA DE ALMEIDA REIS COSTA
  • USO DO GÊNERO DISCURSIVO TIRA NO ENSINO DE TEXTO MULTIMODAL
  • Orientador : ELAINE CRISTINA SILVA SANTOS
  • Data: 20/12/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Atentando para o desafio da escola em formar leitores competentes e, sabendo das dificuldades encontradas pelos alunos e por professores no que diz respeito ao estudo de textos em sala de aula, esta dissertação destaca a importância de se trabalhar com o gênero tirinha como suporte para subsidiar o ensino de língua, com foco no desenvolvimento de habilidades de leitura com texto multimodal, por meio do referido gênero, com o fulcro de desenvolver/ampliar a competência leitora dos alunos e o pensamento crítico, bem como estimular o gosto pela leitura, a partir do uso das tiras, como estratégia complementar de ensino de texto. Apesar de ainda haver muito a ser realizado no ensino de língua materna no Brasil, vale ressaltar as ações inovadoras das políticas públicas para o Ensino Fundamental, tais como as mudanças curriculares e os processos de organização do ensino. Dentre essas ações, voltadas para a melhoria da qualidade de aprendizagem da leitura e escrita, destacam-se os Parâmetros Curriculares Nacionais de Língua Portuguesa – PCNs (BRASIL, 1997). Ações que visam atender à crescente exigência de multiletramento no Brasil e dependem de uma escola que forme cidadãos capazes de pensar de modo criativo e de interagir usando diferentes linguagens. Destarte, objetiva-se um processo educacional que permita ao aluno o acesso ao conhecimento, através de um letramento crítico, instrumentalizando-o para compreender discursos de diversas mídias e culturas e envolvê-los na construção dos sentidos. Logo, pensamos em um ensino de texto, dinâmico, que associa linguagem verbal e não-verbal, no qual o aluno é capaz de familiarizar-se com os personagens e estabelecer conexões com o seu dia a dia. A tirinha é considerada a menor célula dentro dos gêneros que englobam as histórias em quadrinhos e é amplamente utilizada em livros didáticos, web sites, educação à distância, entre outros segmentos, por abordarem diversas temáticas, em diversos contextos, históricos e sociais. A estrutura do presente estudo consiste em ler, interpretar e produzir tirinhas em sala de aula, trabalhando suas características, com ênfase na interpretação e produção textuais.

  • JOSÉ BARBOSA SANTANA
  • O ensino léxico-semântico de advérbios: literatura e games no ensino fundamental II
  • Orientador : SANDRO MARCIO DRUMOND ALVES MARENGO
  • Data: 20/12/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A proposta desse trabalho de pesquisa está voltada para o ensino da língua portuguesa, no que se refere aos estudos gramaticais, sendo a literatura o instrumento definitivo para a elaboração de um jogo eletrônico que, posteriormente, pretendemos que seja disponibilizado em forma de aplicativos de celulares e computadores. Nosso tema busca o ensino funcional de advérbios, com base em princípios léxico-semânticos de sinonímia e antonímia (MOURA, CAMBRUSSI, 2018), para alunos da Educação básica. Nossa amostra populacional está delimitada no 9º ano do ensino fundamental II de uma escola da rede pública estadual do município de Boquim, Estado de Sergipe. O nosso objetivo é a construção de um game (GEE, 2003), tendo por figura o conto “Venha ver o pôr do sol”, de Lygia Fagundes Telles, para que os alunos possam reconstruir as bases adverbiais tendo em conta os seus significados gerados. Além do trabalho estrutural léxico-semântico (ANTUNES, 2009), o jogo aporta possibilidades de ampliar o repertório linguístico auxiliando, assim, no desenvolvimento da compreensão leitora e nos estudos de cunho gramatical de modo mais contextualizado. Nosso alicerce teórico também contempla Rojo (2012), Xavier (2013) e Leffa (2013), com conteúdos referentes à exploração de multiletramentos e tecnologias computacionais em sala de aula, Antunes (2007) e Bakhtin (2003), no que tange o ensino da língua em um contexto de interação, Travaglia (2006) e Neves (2002), que portam maneiras de ensino gramatical com vistas ao uso e, por fim, Ilari (2008) e Amaral (2016), que tratam da parte relativa à semântica lexical. Temos a perspectiva de que o produto em desenvolvimento traga aos alunos da educação básica, com um todo, oportunidades de interação para que alcancem não só o entendimento de usos da categoria gramatical de advérbios, mas também consigam compreender de modo mais adequado as ideias do texto literário. Dessa forma, em um continuum de compreensão, estaremos favorecendo o assentamento e espraiamento da educação linguística.

  • SILVANIA SANTANA DOS SANTOS
  • Abordagem Léxico-semântica no ensino de adjetivos na Educação Básica: Uma proposta de games com Literatura
  • Orientador : SANDRO MARCIO DRUMOND ALVES MARENGO
  • Data: 20/12/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O presente trabalho intitulado Abordagem léxico-semântica no ensino de adjetivos na Educação Básica: uma Proposta de Games com Literatura teve como objetivo geral construir um jogo educativo para ser explorado, em sala de aula, na disciplina de Língua portuguesa. Nosso foco esteve centrado no trabalho com a classe gramatical dos adjetivos, destacando especificamente o processo semântico da sinonímia e antonímia. O trabalho com games em sala de aula ajuda a proporcionar um aumento no processo de interação entre docente, discente e conteúdos/informações, em que é possível o desenvolvimento de habilidades cognitivas (planejamento, inferência, atenção, entre outros), sociais (comunicação assertividade, resolução de conflitos interpessoais, entre outros) e motoras (GEE, 2003). Assim, baseando-nos no pressuposto da sociedade contemporânea, marcada pela Era da Multimodalidade (RIBEIRO, 2016), é que essa proposta se assenta. Partimos do conto Venha Ver o Pôr-do-sol, de Lygia Fagundes Telles e, fazendo as devidas adaptações, o convertemos em um modelo multimodal, em que os signos linguísticos são trabalhados expressivamente na relação significante (imagem acústica, cadeia de sons - forma) e significado (plano do conteúdo), no processo da multissemiose. Alinhando as diretrizes educacionais do Estado de Sergipe com nosso enfoque, a amostra populacional está centrada em uma turma do 7º ano do Ensino Fundamental II, de uma escola pública da rede municipal do município de Lagarto/SE. Metodologicamente, trata-se de uma pesquisa-ação, com abordagem qualitativa, que permite o planejamento e a produção de um objeto de aprendizagem – jogo. Alguns alicerces teóricos utilizados até o momento estão representados nos estudos de Barros (2016), Cosson (2014), Antunes (2010, 2012), Rojo (2012 e 2013), Cavalcante (2011), Pereira (2011), Lucena (2014), Valente (2015), Vieira e Brandão (2008), Leffa (2016) Dolz e Schneuwly (2004) e Gee (2003). Nossa perspectiva é a de que o produto apresentado consiga dar aos alunos da educação básica a oportunidade de interagir, por meio do jogo com informações que os levem ao entendimento do texto literário, do conteúdo linguístico formal referente aos adjetivos e, portanto, favorecendo a sua educação linguística.

  • MARIA IVANIA DOS SANTOS ARAUJO
  • DO TEXTO LITERÁRIO AO JOGO
  • Orientador : JEANE DE CASSIA NASCIMENTO SANTOS
  • Data: 23/08/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Uma das preocupações da sociedade e dos profissionais da área educacional é, há tempos, o trabalho com a leitura e, consequentemente, a formação crítica do leitor. Isso se justifica, sobretudo, por uma política de letramento que tem a finalidade de melhorar a aprendizagem em leitura e interpretação de textos. Além disso, como professores de Língua portuguesa de escola pública, pensamos também na necessidade de formarmos leitores literários. Todavia os parcos recursos e a forma limitada como o texto literário é apresentado no livro didático tornam-se parte do desafio das práticas de leitura literária. Diante desse cenário, surge a necessidade de que os profissionais da área de Letras realizem estudos sobre essa temática e promovam ações que possibilitem uma mudança. Sendo assim, propomos a realização de um trabalho em que os contos de fadas resgatem o texto literário em suas multifaces, partindo da leitura e retornando a ela, de forma que seja usada uma das funções do texto literário - a hedonística. O prazer ocorre de dois modos: o deleite com as leituras e o jogo “Côntigos”. Ao realizar esse trabalho centrou-se também na instrução, no autoconhecimento, advindos desses textos. Buscamos as visões dos teóricos Rildo Cosson (2006),Bruno Bettelheim (2008), Geraldi (2008), Nelly Novaes Coelho (2003), Jesualdo (1993), entre outros para referências bibliográficas .Como resultado desse trabalho, foi montada uma metodologia de ensino do texto literário através dos contos de fadas e um jogo, de forma que amplie o debate sobre a melhoria no ensino da leitura literária nas salas de aula, para que haja o fortalecimento do letramento literário no Ensino Fundamental II.

  • EVANDRO OLIVEIRA SANTOS
  • O MANIFESTO LITERÁRIO COMO AÇÃO DE LINGUAGEM: UMA PROPOSTA DE DIDATIZAÇÃO DO GÊNERO PARA A LEITURA EM SALA DE AULA
  • Orientador : JOSE RICARDO CARVALHO DA SILVA
  • Data: 19/07/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A presente pesquisa parte do pressuposto de que o ensino de língua portuguesa deve mirar o desenvolvimento de capacidades de linguagem dos estudantes, a partir do trabalho instrumentalizado pelos gêneros de textos. Nossa problemática diz respeito às dificuldades de aluno(a)s para realizar, adequadamente, a leitura de textos no plano discursivo-enunciativo. Tem como objetivo possibilitar a apropriação das práticas linguageiras associadas à leitura do gênero manifesto literário. Como modelo de análise, utilizamo-nos da perspectiva teórico-epistemológica defendida por pesquisadores da Universidade de Genebra, identificados com o interacionismo sociodiscursivo (ISD), sobretudo os postulados de Bronckart (2009), que se associam a três bases centrais: o interacionismo social de Vigotski (2008), a ciência do texto-discurso de Bakhtin (2003) e Volochinov (2013) e a Linguística Saussuriana (2006). A partir de uma pesquisa-ação baseada em Thiollent (2012), em um contexto de escola pública de ensino fundamental do município de Paripiranga-BA, desenvolvemos uma intervenção docente que seguiu o princípio da transposição didática de gênero, adotada neste trabalho como forma de transpor uma elaboração conceitual em instrumento chamado Sequência Didática de Leitura (SDL), adaptado de Dolz, Noverraz & Schneuwly (2004) para interpretar a ação linguageira de manifestar-se a partir de um corpus composto pelos Manifestos da Poesia Pau-Brasil (1924) e Antropófago (1928), escritos por Oswald Andrade e o Manifesto da Antropofagia Periférica (2007), escrito por Sérgio Vaz. Trata-se de importante contribuição aos estudos linguísticos, na medida em que busca suprir insuficiências quanto ao domínio de gêneros de difícil acesso aos estudantes, além de fazer uma abordagem advinda da linguística aplicada para textos que geralmente são lidos como introdutórios aos estudos literários. De modo geral, o procedimento SDL mostrou-se um bom instrumento para a mediação da aprendizagem alicerçada em novas concepções de ensino com foco nas práticas de linguagem. Como resultado, portanto, construímos um Produto Didático de Gênero (PDG), que consiste em um caderno de atividades para a leitura do manifesto literário em sala de aula, a fim de contribuir com as práticas docentes que se associam a uma perspectiva sociodiscursiva de ensino de língua materna.

  • PEDRO AMARAL SOUSA
  • LEITURA DE CHARGES EM UMA PERSPECTIVA SOCIOCOGNITIVA DISCURSIVA DE REFERENCIAÇÃO: O CASO DAS ANÁFORAS INDIRETAS
  • Orientador : JOSE RICARDO CARVALHO DA SILVA
  • Data: 11/05/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Este projeto de pesquisa traz como tema “leitura de charges em uma perspectiva sociocognitiva discursiva de referenciação: o caso das anáforas indiretas” e será desenvolvido nas aulas de Língua Portuguesa, em uma turma do 9º de uma Escola Municipal na cidade de Paripiranga/BA. Nessa direção, pretende-se analisar processos referenciais, o caso das anáforas indiretas, presentes na charge como gênero discursivo verbo/imagético, em uma perspectiva sociocognitiva discursiva. Parte-se da possibilidade de atribuição de sentido ao texto por parte do leitor a partir das “pistas” deixadas pelo chargista. Com isso, um corpus compõe-se de quatro textos chárgicos e quatro textos jornalísticos como forma de recuperar a intertextualidade instauradora de temporalidade das charges. A seleção foi feita em sites da internet, tendo como base a referenciação e as anáforas indiretas discutidas por Marcuschi (2005), Cavalcante (2014) e Bernardino Silva (2014) e Custódio Filho (2009). Assim, espera-se que os estudantes do 9º ano durante as aulas de Língua Portuguesa, participem de oficinas de leitura desses textos, ampliando a competência leitora por meio da pesquisa-ação.

  • CARLA MAGDA DA CUNHA SOUSA
  • RETEXTUALIZAÇÃO NO GÊNERO ENTREVISTA: RESSIGNIFICAÇÃO DA ORALIDADE À ESCRITA COM DISCENTES DO 9º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL
  • Orientador : JOSE RICARDO CARVALHO DA SILVA
  • Data: 10/05/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A presente dissertação de Mestrado Profissional em Letras apresenta uma pesquisa que tem por objetivo analisar o processo de referenciação, mais especificamente a anáfora encapsuladora, na passagem do texto oral para o escrito, em atividades de retextualização, com o gênero entrevista. Os sujeitos escolhidos para a realização desta pesquisa foram 20 alunos de uma classe do 9º ano do Ensino Fundamental de uma escola estadual, em Itabaiana-SE. O problema motivador se deu por querermos analisar como o gênero discursivo entrevista – nas modalidades oral e escrita da língua – pode contribuir para a melhoria da tessitura textual dos alunos e por desejarmos estimulá-los cognitivamente por meio do processo social e interacional presentes no gênero estudado. Para tanto, utilizamos como metodologia de pesquisa o estudo de caso, analisando uma proposta de sequência didática desenvolvida em sala de aula, na qual foi realizada uma entrevista, com profissional da área de saúde, através da temática Gravidez na adolescência, em que os alunos, fundamentados em Marcuschi, realizaram o processo de transcrevê-la e retextualizá- la. Somando-se a isso, no escopo da retextualização, utilizamos a referenciação presente no “gênero entrevista” para enaltecer a proposta do Interacionismo Sociodiscursivo (ISD), alicerçado didaticamente à compreensão da oralidade e da escrita no gênero estudado. Para o alcance de nosso trabalho, foram utilizados como apoio teórico os trabalhos de Marcuschi (2008), Bakhtin (2002), Bronckart (2003), Schneuwly e Dolz (2004), Cavalcante (2013), dentre outros. A análise dos dados revelou que o processo de referenciação na passagem do texto oral para o escrito em atividades de retextualização, com o gênero entrevista, pôde contribuir para a melhoria da compreensão interpretativa e da produção textual escrita de alunos do Ensino Fundamental. Ao final, propomos a elaboração de um caderno pedagógico, com a construção de uma sequência didática, que ressalte os processos referenciais e o processo de retextualização, para auxiliar futuros pesquisadores da área, professores e alunos.

  • JOSIVÂNIA DA SILVA SANTOS COSTA
  • Leitura literária: estratégia para formar leitores de folhetos de cordel
  • Orientador : JEANE DE CASSIA NASCIMENTO SANTOS
  • Data: 04/05/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho apresenta uma proposta pedagógica de leitura literária para uma turma do 7º Ano do Ensino Fundamental II de um colégio público, da cidade de Pinhão, no estado de Sergipe, com o cordel Proezas de João Grilo, de João Ferreira Lima, por considerar os feitos da cultura popular permeados por aspectos de humor presentes em sua narrativa. A percepção de uma realidade marcada por índices insatisfatórios na proficiência em Língua Portuguesa de alunos de escola pública do país despertou o interesse de desenvolver uma prática de leitura subjetiva voltada a contribuir para a formação do gosto pela leitura. O trabalho constitui-se de pesquisa bibliográfica e de pesquisa-ação, pelo propósito de investigar a própria prática pedagógica. Fundamentou-se na perspectiva da compreensão fruidora, na leitura subjetiva, propostas por Jauss e Rouxel; na representatividade do gênero cordel, assinalada por Márcia Abreu e Ruth Terra, e no caráter libertador do humor, evidenciado por Freud, Travaglia e Possenti, entre outros. Como abordagem de intervenção, o trabalho propõe oficinas de cordel. O gênero, sugerido pelos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCNs) para o trabalho com essa modalidade de ensino, é oriundo e divulgador da cultura popular. O desenvolvimento das oficinas resultou no envolvimento do aluno com o folheto trabalhado, propiciando, assim, a apropriação e a ressignificação do texto por parte do discente inserido na cultura popular, em um processo que constitui o chamado “texto do leitor”, conforme assinala Anne Rouxel.

  • SUZETE SILENE SOARES DIAS
  • A LEITURA DOS CONTOS DE FADAS NA PERSPECTIVA DO INTERACIONISMO SOCIODISCURSIVO
  • Orientador : JOSE RICARDO CARVALHO DA SILVA
  • Data: 18/04/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Este projeto de pesquisa tem como objetivo geral investigar os possíveis resultados de um estudo de caso que tem como corpus a análise, sob a perspectiva do interacionismo sociodiscursivo (ISD), de dois contos de fadas contemporâneos da autora Marina Colasanti, A moça tecelã (2015) e Entre a espada a rosa (2015), observando o processo de intertextualidade entre esses contos e os contos tradicionais Rumpelstiltskin (GRIMM, 2005) e Pele de asno (PERRAULT, 2015) respectivamente, com a finalidade de produzir uma sequência didática para alunos do 9º ano. Os objetivos específicos são: a)Discutir a contribuição do interacionismo sociodiscursivo para a leitura de contos de fadas com valores tradicionais e contemporâneos; b) estudar a realização de subdomínios do conto de fadas na perspectiva de gênero de texto, a fim de realizar proposta de leitura de dois contos de fadas tradicionais e dois contos modernos escritos por Marina Colasanti (2015); c)discutir o papel da intertextualidade presente na leitura textos escolhidos; d) problematizar as condições de produção do conto de fadas moderno ―Entre a espada e a rosa‖ (2015) de Marina Colasanti; e) discutir a forma composicional presentes nos contos de fadas ―A moça tecelã‖ (2015) e ―Entre a espada e a rosa‖ (2015) de Marina Colasanti; f) discutir as representações do feminino e reconhecimento dos valores presentes nos contos ―Pele de asno‖ (2015) e ―Entre a espada e a rosa‖ (2015); g) a compreensão do gênero conto de fadas, considerando o reconhecimento de valores tradicionais e contemporâneos presentes nos contos ―Pele de asno‖ (2015) e ―Entre a espada e a rosa‖ (2015); h) apresentar uma proposta de sequência didática com contos de Marina Colasanti (2015) que assumem uma abordagem contemporânea em um caderno pedagógico de Língua Portuguesa voltado para o Ensino Fundamental (9º ano). O interesse por essa investigação surgiu a partir da observação e identificação de que a escola vem trabalhando com leitura sem considerar a perspectiva de gênero e as interações verbais e sociais que o acompanham. O embasamento teórico que respalda a pesquisa é composto principalmente por Bronckart (1999, 2006) no âmbito da análise de texto na perspectiva interacionista sociodiscursiva, considerando particularmente a infraestrutura textual (plano geral, tipos de discursos e tipos de sequências, Bakhtin (1997) e Dolz e Schneuwly (2011) respaldando o ensino a partir do gênero, Coelho (1991, 2000 e 2012) no estudo do gênero conto de fadas do seu surgimento até os dias atuais e Dolz; Noverraz e Schneuwly (2011) e Cosson (2011) dando suporte para a proposta metodológica. A sequência didática, adaptada, contará com a apresentação da situação inicial, produção inicial - a proposição de uma atividade de interpretação sobre os contos ―Rumpelstiltskin‖ (2005) e ―A moça tecelã‖ (2015), quatro módulos: módulo um explorará o contexto de produção dos contos, módulo dois representação do feminino e valores tradicionais e contemporâneos, módulo três estrutura composicional e módulo quatro estilo de linguagem, por último a produção final que será a proposição de uma atividade de interpretação sobre os contos ―Pele de asno‖ (2015) e ―Entre a espada e a rosa‖ (2015).

  • WLADEMYR DE MENEZES ALVES
  • Reprodução textual: criando fanfics na sala de aula
  • Orientador : HUMBERTO LUIZ GALUPO VIANNA
  • Data: 17/04/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Na Grécia antiga, o teatro trágico era muitas vezes baseado nos mitos da tradição oral. Alguns autores usavam esse universo mitológico para produzir suas peças, criando, assim, uma nova história, ou ainda, outra versão da mesma história. Essa prática é muito parecida com o que acontece nas fanfictions, uma história escrita por um fã, envolvendo os cenários, personagens e tramas previamente desenvolvidos no original. Baseado neste gênero textual, este trabalho apresenta uma proposta de intervenção pedagógica destinada a alunos do 9º ano do Ensino Fundamental de uma escola pública da rede estadual em Aracaju-SE. Em termos gerais, a metodologia criada envolve oficinas que visam à leitura, à compreensão crítica e à elaboração de fanfictions. A orientação teórica em que se respalda a proposta reúne os conceitos metodológicos propostos por Roxane Rojo (2012), que trata do fomento, por parte da escola, de propostas de ensino que envolvam a multiplicidade cultural e semiótica da sociedade, e as abordagens de Bakhtin acerca dos gêneros do discurso, destacando os vínculos destes gêneros com a atividade humana, de Foucault (2002) e Barthes (2004), que tratam do conceito de autoria, além das discussões sobre as relações entre escrita e poder, de Maurizio Gnerre (1991), entre organismo e máquina, de Donna Haraway (2000) e entre tecnologia e viver humano, de Humberto Maturana (2001). Para a sequência didática, necessária para a aplicação da proposta, foram utilizados os aportes de Maria Bordini e Vera Aguiar (1988), que discorrem sobre o Método Recepcional de leitura que incentiva os alunos à produção efetiva de textos, por contemplar as preferências textuais dos leitores, como também propõem a ampliação dessas preferências apresentando novas leituras aos alunos, promovendo assim a "ruptura do horizonte de expectativas". Por fim, Diante das conclusões deste trabalho, entendemos que a participação dos estudantes nas oficinas de produção de fanfics colaborou para a percepção destes acerca da leitura e produção de texto além de estimular o trabalho de forma colaborativa. Prova disso é o relato das experiências em saberes apresentados aqui e que servirão de modelos para outras experiências docentes nessa área.

  • DEBORA CUNHA COSTA GAMA
  • Oralidade e argumentação: uma proposta de abordagem do gênero debate de opinião
  • Orientador : MARCIA REGINA CURADO PEREIRA MARIANO
  • Data: 27/02/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa objetiva investigar a importância de se abordar os gêneros orais argumentativos em sala de aula, especificamente o debate de opinião, gênero que tem por finalidade discutir uma questão controversa entre interlocutores, para o desenvolvimento do domínio da oralidade e ampliação da capacidade argumentativa. O trabalho foi desenvolvido em três etapas: a primeira correspondeu ao levantamento do referencial teórico e bibliográfico; na segunda etapa, a da coleta de dados, foi realizada a análise de materiais didáticos selecionados através do Programa Nacional do Livro Didático (PNLD), a saber, a coleção Português Linguagens, dos linguistas Willian Roberto Cereja e Thereza Cochar Magalhães (2015); a terceira etapa da pesquisa constituiu-se na proposição de oficinas pedagógicas voltadas para a abordagem do gênero debate de opinião em uma turma do 9º ano do ensino fundamental, em uma escola da Rede Municipal de Ensino de Euclides da Cunha - Ba. Para subsidiar nossas discussões, utilizamos as concepções de gêneros discursivos de Bakhtin (2003), a perspectiva sócio retórica dos gêneros em Bazerman (2009); a dos gêneros orais e escritos de Dolz e Schneuwly (2004) e as relações entre oralidade e escrita de Marcuschi(2001) e Marcuschi e Dionísio (2007). No que concerne aos aspectos da argumentação, utilizamos as concepções de Fiorin (2016); a teoria da argumentação de Perelman e Tyteca (1996); os processos de construção da argumentação oral no contexto do ensino de Ribeiro (2009) e Marques (2011).

  • ALEXANDRA OLIVEIRA MONTEIRO
  • GÊNERO DISCURSIVO SEMINÁRIO: UM OBJETO DE ENSINO
  • Orientador : MARCIA REGINA CURADO PEREIRA MARIANO
  • Data: 23/02/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Reconhecemos o ambiente escolar como um dos responsáveis por desenvolver, nos nossos alunos, habilidades que os tornem capazes de pensar e transmitir posicionamentos críticos e coerentes sobre a própria comunidade, a sociedade e o mundo em que se encontram inseridos. E como estamos cientes do papel que a comunicação exerce para se chegar a esse fim, desejamos que nossos estudantes saibam se expressar com segurança, usando uma linguagem clara, objetiva e adequada à situação na qual realizam o ato linguístico. Assim, irão transmitir credibilidade a seus interlocutores e os fazerem respeitar as opiniões colocadas. Nesse sentido, o início de um trabalho eficiente para o ensino da língua materna deve ser feito através dos diversos gêneros, pois é por meio deles que nos comunicamos. Porém, quando há esse reconhecimento, a ênfase é dada aos gêneros escritos, por isso propomos uma atividade sistemática com os gêneros orais, visto que, mesmo reconhecendo a importância da modalidade escrita, o mundo letrado tem nos mostrado a necessidade de o estudante ampliar seu potencial de comunicação nas esferas sociais, demonstrando um bom desempenho comunicativo nos mais diversos contextos, logo, a escola deve promover, também, a aprendizagem da linguagem oral nas várias situações de uso, especialmente nas mais formais. Desse modo, vemos o seminário como uma importante ponte para esse trabalho, por isso nosso objetivo foi debater a inserção desse gênero discursivo como objeto de ensino, nas aulas de língua portuguesa, em uma turma do 9º ano do ensino fundamental em uma escola da rede estadual do município de Aracaju. Todas as etapas de preparação para se chegar a uma excelente exposição devem ser consideradas, portanto, a construção dessa atividade requer ênfase também na importância da argumentação, visto que a nossa proposta é que os discentes argumentem suas posições sobre temas relevantes na nossa sociedade e saibam ouvir as opiniões alheias. O seminário não pode ser mais exposto de maneira simplificada, apenas com divisão de grupo e de assunto, deve ser realmente um objeto de ensino dentro da sala de aula. Para alcançar nosso objetivo, buscamos um referencial bibliográfico principalmente nos estudos de: Antunes (2003, 2009), Bakhtin (1997), Blikstein (2016), Dolz e Schneuwly (2011), Ferreira (2010) e Ribeiro (2009). Muito importante também foram as contribuições dos Parâmetros Curriculares Nacionais: Língua Portuguesa (1997, 1998).

  • WALNEYDE DE SANTANA LIMA
  • Resenha crítica de filmes com o eixo temático preconceito racial: uma proposta pedagógica para o desenvolvimento da competência argumentativa
  • Orientador : MARCIA REGINA CURADO PEREIRA MARIANO
  • Data: 23/02/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Estando cientes de que o ensino de Língua Portuguesa deve ter como foco a preparação do aluno para o uso efetivo da linguagem em suas práticas sociais, o ensino de produção de texto deve-se tornar prioritário, na perspectiva de levar o aluno a interagir socialmente por meio da linguagem. Partindo desse pressuposto, a presente pesquisa traz uma proposta de estudo focada na produção do gênero resenha crítica, tendo como ponto de partida os filmes nacionais Branco sai, preto fica, (longa-metragem); A negação do Brasil, ( documentário); O dia de Jerusa ( curta-metragem) e um longa norte-americano 42- A História de uma lenda, que trazem como eixo temático o preconceito racial. Os sujeitos envolvidos são alunos do 9º ano do Ensino Fundamental de uma escola pública municipal situada em Aracaju-SE. Tivemos o intuito de saber como as condições de produção desse gênero podem contribuir para a ampliação da competência argumentativa dos alunos, já que a crítica é um elemento constitutivo desse gênero e que a temática escolhida pede também um posicionamento sobre o assunto. A metodologia seguiu orientações da pesquisa-ação numa perspectiva de abordagem qualitativa. Os instrumentos de investigação incluíram questionários, observações em sala de aula, leituras teóricas e dos filmes escolhidos e análise da produção textual dos alunos, tendo como base os estudos sobre o gênero e sobre a argumentação. Além de ser muito usada na esfera acadêmica, a resenha tem espaço garantido em suportes como jornais e revistas, e se faz muito importante não só por desenvolver habilidades como descrever e resumir, mas também por ser uma ótima oportunidade para reflexões críticas em torno das obras resenhadas. Considerando o cinema como arte e entretenimento, admite-se que é um recurso que visa à formação sociocultural, uma vez que é fonte de cultura e conhecimento. Para subsidiar nossa pesquisa, elegemos como referencial teórico Bakhtin (2010) Fiorin (2016), Ferreira (2010), Andrade (2006), Machado (1996), Marcuschi (2008, 2010, 2011), Antunes ( 2009), Bazerman (2011), Rodrigues (2005), Rojo ( 2005, 2008, 2015), Meyer (2008), Chaim Perelman e Tyteca (1996) e os Parâmetros Curriculares Nacionais, entre outros.

  • MARIA DA PIEDADE SILVA SANTANA
  • LEITURA DE RAP NO CONTEXTO ESCOLAR: UMA PROPOSTA DE MULTILETRAMENTOS
  • Orientador : CARLOS MAGNO SANTOS GOMES
  • Data: 23/02/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Na era da comunicação em rede, os textos têm assumido formatos multimodais, nos quais diversas linguagens interagem e projetam diferentes significados no meio digital, exigindo a transfiguração do leitor. Considerando essa dinâmica de conexão e o horizonte de expectativas dos jovens, desenvolvemos esta pesquisa numa escola municipal, situada na cidade de Lagarto-SE, onde os alunos são identificados com a Cultura Hip Hop. Nesse contexto, elaboramos uma prática de intervenção voltada para turmas de 8º e 9º ano, do ensino fundamental, visando à formação do leitor crítico, a partir do estudo do rap enquanto texto híbrido, tendo em vista que, dentro do ambiente das novas mídias, a performance e o discurso engajado desse gênero fronteiriço dão voz a identidades periféricas. Metodologicamente, esta prática parte da abordagem de multiletramentos, discutida por R. Rojo (2012), e de “leitor de telas”, de R. Chartier (2002). No segundo momento, fundamentamos os conceitos de interpretação semiótica, levando em conta a concepção de leitura subjetiva de A. Rouxel (2013a) e do modelo cultural de leitura de C. Gomes (2014). Dando sustentação a análise multimodal, exploraremos os múltiplos sentidos de “performance”, de P. Zumthor (2014). De acordo com essas teorias, esta proposta didática foi realizada através de três oficinas: 1) Leitura performática do rap, explorando suas multimodalidades e as identidades trazidas pelo texto; 2) Leitura de poesias críticas, um estudo baseado na perspectiva intertextual do modelo cultural, para a ampliação do horizonte de expectativas do leitor; e 3) produção de videoclipe, valorizando a subjetividade do leitor crít ico, a apropriação de questões estéticas da linguagem e a manipulação de ferramentas tecnológicas. Diante das conclusões deste trabalho, compreendemos que trazer o universo familiar dos alunos com o rap colaborou para a recepção de poesias da memória literária e estimulou a leitura subjetiva. Sobretudo, o reconhecimento dos lugares ideológicos do texto desenvolveu o olhar crítico do leitor, despertando a sensibilidade para a valorização da diversidade.

  • ERICA GISLENE PAULA SANTANA REVORÊDO NASCIMENTO TORRES
  • OFICINAS DE LEITURA LITERÁRIA: O CORPO FEMININO EM MARINA COLASANTI
  • Orientador : CARLOS MAGNO SANTOS GOMES
  • Data: 23/02/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Este Trabalho de Conclusão Final (TCF) está redigido no formato de uma dissertação e apresenta uma proposta prática de intervenção de formação de leitores literários críticos. Essa abordagem foi realizada por meio de oficinas pedagógicas de leitura dos contos de Marina Colasanti, que tematizam a violência contra a mulher no espaço doméstico. De forma didática, esta versão divide-se em duas partes: uma teórica, denominada “Leitura do corpo feminino: conceitos e abordagens metodológicas”, e uma prática, “Oficinas literárias: questionando a violência doméstica”. Esta pesquisa de campo aconteceu em uma escola municipal de Ribeirópolis/SE, em uma turma do 9º ano do Ensino Fundamental. Como se trata de uma ação de intervenção própria da pesquisa-aç& atilde;o, este estudo aconteceu em três momentos: pesquisa bibliográfica e preparação das oficinas; aplicação dessas e coleta de dados e, por último, a prática de leitura desenvolvida nas oficinas. Metodologicamente, debatemos a formação do leitor do texto literário por meio das abordagens teóricas de Umberto Eco, Anne Rouxel, Armando Gens e Carlos Gomes, valorizando as particularidades do texto literário e atuação de um leitor colaborador; Em seguida, passamos para um estudo das marcas da violência de gênero em narrativas literárias, por meio das abordagens sobre a desregulação de gênero, proposta por Judith Butler, a classificação do corpo feminino, elaborada por Elódia Xavier e os tipos de violência doméstica destacadas por Marina Colasanti conforme Carlos Gomes. A proposta de intervenç&atil de;o foi dividida em sete oficinas. As duas primeiras são voltadas para a identificação do horizonte de expectativa dos estudantes acerca da violência doméstica por meio da identificação da tipologia do corpo feminino proposta por Elódia Xavier. As terceira e quarta oficinas são práticas de leitura dos contos de Colasanti, desenvolvidas através de debates, produção de desenhos e respostas a questionários. As últimas oficinas retomam a discussão sobre a desigualdade de gênero em diversos espaços: comunidade do leitor, na mídia e no texto literário e privilegiam a elaboração de leituras críticas multimodais dos contos selecionados com escolha de imagens para elaboração de vídeos. Por fim, os participantes montam uma apresentação em formato digital do conto lido e apresentam para os part icipantes das oficinas. Além da formação do leitor literário, esta proposta prática de intervenção tem a pretensão de promover reflexões sobre as marcas sociais da desigualdade de gênero, identificando e combatendo as formas simbólicas e psicológicas de violência doméstica.

  • JOELMA MÁRCIA SANTOS DE OLIVEIRA
  • ENTRE A IMAGEM E A POESIA: VALORIZAÇÃO CULTURAL PELO VIÉS FOTO-LÍRICO
  • Orientador : CHRISTINA BIELINSKI RAMALHO
  • Data: 23/02/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Este Trabalho de Conclusão Final (TCF) do Mestrado Profissional em Letras, PROFLETRAS, apresenta uma proposta de intervenção pedagógica destinada a alunos das séries finais do Ensino Fundamental II, oriundos de uma escola pública da rede municipal de ensino, no município de Euclides da Cunha - BA. Em termos gerais, a metodologia criada envolve oficinas que visam à leitura, à compreensão crítica e à elaboração de poemas foto-líricos, caracterizados pela valorização cultural e regional. A orientação teórica em que se respalda a proposta reúne os conceitos metodológicos propostos por Rildo Cosson (2011), que trata da Sequência Básica discutindo questões importantes como decodificação, interpretação, construção de sentido de um texto, etapas fundamentais para a efetivação do letramento literário; os de Joaquim Dolz, Michele Noverraz e Bernard Schneuwly (2004), que abordam a Sequência Didática, um trabalho sistemático que permite ao aluno o domínio de gêneros e de situações comunicativas; os de Maria Bordini e Vera Aguiar (1988), que, por intermédio do Método Recepcional de leitura do texto literário, incentivam nos alunos à leitura efetiva, por contemplar as preferências textuais dos leitores, mas também propõem a ampliação dessas preferências apresentando novas leituras e/ou gêneros aos alunos, promovendo assim a "ruptura do horizonte de expectativas". Para a efetivação dessa proposta metodológica, buscaram-se práticas que contemplassem o uso das Tecnologias Digitais da Comunicação e Informação (TDIC’s), a fim de que a motivação, empenho e habilidades com a linguagem interativa fossem fatores positivos durante o processo ensino-aprendizagem sugerido nesta dissertação. Como corpus literário a ser trabalhado nas diversas etapas da proposta, optou-se por uma reunião de poemas e canções brasileiras modernas e contemporâneas, além dos poemas foto-líricos, cuja concepção criativa está na base da atividade de produção textual que configura a etapa culminante da metodologia.

2017
Descrição
  • JANES SANTOS SILVA
  • RAPSÓDIA SERGIPANA: ESTAÇÕES DE LEITURA E PRODUÇÃO TEXTUAL NUMA PERSPECTIVA DO ENSINO HÍBRIDO NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS
  • Orientador : CHRISTINA BIELINSKI RAMALHO
  • Data: 20/11/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Há muito se observa que as novas tecnologias trouxeram transformações à sociedade e com isso novas formas de interagir e de transmitir o conhecimento, além de colaborar efetivamente com os processos de ensino e aprendizagem. Nesse contexto, o ensino híbrido desponta como uma prática inovadora na educação, apresentando uma abordagem pedagógica, que combina atividades presenciais com atividades realizadas por meio das tecnologias, mas não se limita somente a isso, inclui toda uma possibilidade de aprender em diferentes espaços, tempos, atividades, metodologias e públicos, assim “podemos ensinar a aprender de inúmeras formas, em todos os momentos, em múltiplos espaços” (BACICH, 2015, p. 27). Em nossa pesquisa pretendemos demonstrar como esse tipo de ensino, que mescla o presencial com o virtual, adaptando a sala de aula convencional às novas tecnologias, pode ser utilizado na personalização das ações de ensino e de aprendizagem. Para isso, propusemos elaborar um conjunto de atividades a partir da combinação de momentos presenciais e on-line, que terá como ponto de partida o poema Rapsódia Sergipana de Stella Leonardos, a fim de redimensionar a metodologia tradicional, e apresentar um tipo de apredizagem inovadora que se utiliza do ensino híbrido, no modelo de “rotação por estações”, para ser trabalhada com uma turma de estudantes do Ensino Fundamental na modalidade EJA, IV etapa, (ou 9º ano). Assim esta pesquisa pretende analisar e discutir possibilidades do ensino híbrido na modalidade de Educação de Jovens e Adultos, repensando o papel do aluno e do professor em sala de aula e em que medida essa nova forma de pensar pode representar uma mudança na prática social, a fim de potencializar a aprendizagem e desenvolver os estudantes para o exercício pleno da cidadania. Nessa proposta de aula híbrida, o poema Rapsódia Sergipana, de Stella Leonardos, além de resgatar a cultura sergipana também servirá como base para construção de um exemplo de aula híbrida em que o professor poderá contribuir para que a educação de jovens e adultos atenda à sua grande diversidade de grupos, e possa colocar em prática a personalização do ensino, utilizando-se das novas tecnologias. Considerando que a sociedade atual é vista como a sociedade da informação, e nela a Internet estabelece novas formas de comunicação, cabe à escola proporcionar a essa nova geração ferramentas para construir novos sentidos através da virtualidade. (MARCUSCHI, 2010). Autores e autoras como Stephanou e Bastos (2005), Lima e Moura (2015), Bacich (2015), e Christensen, Horn & Staker (2017), entre outros/as, integram a base teórica de nossa abordagem.

  • JOSÉ ISRAEL PEREIRA LEANDRO
  • MULTIDOLIDADES E LEITURA DE CARTAZES DE FILMES
  • Orientador : CARLOS MAGNO SANTOS GOMES
  • Data: 17/04/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Este TCF apresenta uma prática de leitura de cartazes de filmes para as aulas de Língua Portuguesa das séries finais do Ensino Fundamental. Sua constituição partiu do princípio de que a concepção de leitura e de produção textual, na atualidade, passa por um momento de profundas mudanças conceituais e metodológicas. Por causa disso, esta proposta busca compreender o texto numa perspectiva multimodal: um elemento heterogêneo da linguagem que pode combinar tanto a linguagem verbal quanto quaisquer outros tipos de linguagens para a criação de mensagens. Partindo-se dessa compreensão plural da linguagem, propõe-se uma prática de leitura do cartaz de filme a partir de seus recursos composicionais. Metodologicamente, por se tratar de um estudo sobre o gênero cartaz de filme que se materializa em situações reais de uso, esta pesquisa traz um estudo sobre a questão da multimodalidade, dos multiletramentos e das novas Tecnologias da Comunicação e Informação TICs, para então usar essas teorias no locus onde elas foram aplicadas. Como fundamentação teórica principal serão discorridas as concepções sobre multimodalidade e multiletramentos segundo Rojo (2012), Dionisio (2005), as concepções sobre leitura em Rouxel (2014), as concepções sobre Gramática do Design Visual (GDV) de Kress e van Leeuwen (1996), e muitos outros autores. Além desses conceitos, discute-se também o ensino do idioma numa perspectiva tradicional em contraposição a um ensino como interação, compreendido como um processo sócio-histórico e cultural. Também se aprofunda o debate sobre gêneros textuais e como as TICs contribuem para a criação e divulgação deles, neste sentido, o debate sobre as TICs dialoga com a abordagem feita sobre a relevância que os Objetos de Aprendizagem (OAs) oferecem a aprendizagem de alunos e professores. Por se tratar de um trabalho realizado para a leitura de imagens, é realizado um estudo dos cartazes de filmes que representam o corpus desse trabalho. Como fundamentação teórica, faz-se uso dos postulados da GDV nas palavras de Magalhães (2013), Santos (2011) Moraes (2011) Almeida (2012) e muitos outros autores. Após todas estas discussões temos a apresentação de uma série de atividades realizadas em sala que procuram conferir a importância dos conceitos apresentados nessa proposta. Quem fundamenta essa prática é Gil (2002) e Dell’ Isola (2007). Como proposta pedagógica para este trabalho, apresentamos como produto a criação de um vídeo pedagógico (um OA) que condensa os conceitos trabalhados nesta dissertação e apresenta uma proposta de análise de cartazes de filmes para despertar nos alunos as práticas de análise dos testos multimodais.

2016
Descrição
  • WELLINGHTON SANTOS
  • LEITURA DOS CONTOS DE FADAS: DO ESCRITO AO AUDIOVISUAL
  • Orientador : CARLOS MAGNO SANTOS GOMES
  • Data: 22/12/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Este TCF apresenta uma proposta de leitura dos contos de fadas a partir de um jogo com composto por algumas das etapas da morfologia de Prop. Nosso objetivo é desenvolver o gosto pela leitura e a busca do prazer da identificação de algumas fases de um conto de fadas em sua tradução para a linguagem audiovisual. Esta pesquisa foi impulsionada pela observação da realidade do ensino de literatura no ensino fundamental, em que se percebe a deficiência no que diz respeito a estratégias de leitura literária e de multiletramento nas aulas de língua portuguesa. Metodologicamente, exploramos alguns conceitos propostos pelos estudos de Vladimir Propp acerca do conto tradicional; quanto à questão da leitura literária, aplicamos alguns aspectos dos métodos recepcional e semiológico, propostos por Bordini & Aguiar (1988). A partir da fusão dessas duas perspectivas, propomos uma prática de leitura comparativa e contos maravilhosos tradicionais em relação a releitura dos mesmos em adaptações audiovisuais (cinema). Para tanto, fazemos uso de outras contribuições teóricas de fundamentação, com destaque para: Campos (2003), Colomer (2007), Cruz (2012), Estés (2005), Rojo & Moura (2012), Silva (2006, 2009), Zilberman (1982). Esta proposta de intervenção resulta num caderno pedagógico, com oficinas de leitura literária multimodal, que culminam na produção de releituras de contos de fadas. A partir da análise dos resultados desta pesquisa e coleta de dados, apresentamos um método de leitura literária que possibilite a qualquer professor utilizá-lo em suas aulas, pondo a multissemiose do mundo contemporâneo e o corpus narrativo dos contos maravilhosos a serviço da formação de leitores e produtores de textos literários.

  • MAIANE MOURA GOMES
  • LEITURA LITERÁRIA DE SAUDADE DA VILA: LEI 10.639/03 EM SALA DE AULA
  • Orientador : JEANE DE CASSIA NASCIMENTO SANTOS
  • Data: 15/12/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Esta dissertação denominada “Leitura literária de Saudade da vila: Lei 10.639/03 em sala de aula” apresenta uma proposta de trabalho para o Ensino Fundamental II, a partir da leitura literária de uma obra infanto-juvenil atenta às questões sociais. Para tanto, utilizamos os conceitos de leitura, leitura literária, letramento literário, leitor-modelo, método recepcional, sequência básica, literatura infanto-juvenil, literatura Afro-Brasileira, racismo na escola, personagem sob a perspectiva de Jouve (2002), Cosson (2010, 2011), Cruz (2012), Franco (2011), Eco (1986), Bordini e Aguiar (1988), Zilberman (2003, 2009), Filipouski (2012), Coelho (1991), Turchi (2006), Costa (2002), Silva (1995), Munanga (2005), Gomes (2016), Rodrigues (2011), Duarte (2008), Brait (1985), Candido (2007), Rosenfeld (2007), Cavalleiro (2007), entre outros; além dos Parâmetros Curriculares Nacionais (1998), das Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana e da Lei 10.639/03. Objetiva desenvolver uma proposta de leitura literária que aproxime a obra do leitor, a fim de que a Literatura tenha mais espaço na sala de aula e, por meio dela, os estudantes do sétimo ano de uma escola da rede pública municipal da Bahia, tenham uma formação leitora consciente e reflexiva. Para atingirmos os propósitos desse trabalho, foi elaborada uma sequência de atividades, baseada no método recepcional e na sequência básica, que explorou a obra literária Saudade da vila, de Luiz Galdino. A sequência foi dividida em quatro momentos: início de conversa, introdução, leitura e interpretação, o que facilitou a aplicação da proposta de intervenção e o envolvimento dos discentes. Esta pesquisa adotou como instrumento metodológico a pesquisa-ação, por esse motivo em todas as etapas do trabalho procuramos envolver os estudantes e potencializar a leitura literária que discute as questões etnicorraciais. Dividimos esta Dissertação nas seções da fundamentação teórica, metodologia e análise de dados. Esperamos, dessa forma, que a experiência com a leitura literária desenvolvida neste trabalho motive outros professores a contribuir com o desafio de formar bons leitores.

  • GILVAN DA SILVA JESUS
  • CADERNOS NEGROS NA ESCOLA: LEITURA LITERÁRIA DE CONTOS AFRO-BRASILEIROS
  • Orientador : JEANE DE CASSIA NASCIMENTO SANTOS
  • Data: 15/12/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Esta Dissertação de Mestrado Profissional em Letras intitulada Cadernos Negros na escola: leitura literária de contos afro-brasileiros, trata de uma proposta de trabalho com os contos afro-brasileiros contidos nos Cadernos Negros volume 32 e 34, publicado pelo grupo paulista Quilombhoje, visa discutir outras práticas de leitura, a fim de formar leitores competentes e proficientes sobre a história e cultura da população afro-brasileira e africana. Os sujeitos da pesquisa são 27 estudantes do 9º ano do Ensino Fundamental, com idades entre 12 e 18 anos, matriculados em uma escola pública da rede municipal de Monte Santo – Bahia, do turno vespertino. Para realização deste trabalho, em primeiro lugar discutiu-se a importância da leitura na formação do leitor, por meio do texto literário amparado em bases teóricas que reforçassem essa ideia. Em seguida, apresentamos discussões teóricas acerca da literatura afro-brasileira, enquanto agente promissor na desconstrução dos estereótipos e no combate às práticas racistas e discriminatórias enfrentadas pela população negra, utilizando-se como pressupostos teóricos e metodológicos os contos “A infância de Daiane”, volume 32, de 2009, e “O anjo”, volume 34, de 2011, contidos nos Cadernos Negros. E, para chegarmos ao intento desta pesquisa, a proposta de trabalho foi desenvolvida durante as aulas de Língua Portuguesa, divididas em nove horas/aulas de cinquenta minutos. Nas três primeiras aulas foram realizados a leitura do texto não-verbal (imagem), que abordavam as questões etnicorraciais, no intuito de instigar o raciocínio dos discentes, mas ao mesmo tempo prepará-los para adentrar no texto verbal (escrito); na segunda etapa, realizou-se a leitura do conto afro-brasileiro “A infância de Daiane”; na terceira, deu-se continuidade com à leitura do conto “O anjo”. E, por fim, na quarta etapa, foram feitas as análises de dados coletados durante a aplicação da pesquisa. Destarte, os resultados confirmaram que a estratégia de leitura se apresenta inovadora por não ser uma leitura obrigatória, mas sim, uma leitura por prazer e vontade de desbravar conhecimento, especialmente as questões relacionadas à população afro-brasileira deste país.

  • ROBERTO DE ARAUJO ALVES
  • A linguagem persuasiva das bordadeiras de Tobias Barreto no ensino da argumentação
  • Orientador : MARCIA REGINA CURADO PEREIRA MARIANO
  • Data: 15/12/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O presente trabalho, intitulado A linguagem persuasiva das bordadeiras de Tobias Barreto no ensino da argumentação, apresenta uma proposta para o estudo de técnicas argumentativas com alunos do Ensino Fundamental. O principal objetivo deste estudo é levar os estudantes a valorizarem a heterogeneidade de sua língua materna e a utilizá-la de forma eficaz, através de atividades focadas na linguagem persuasiva. Os conceitos abordados no texto partem dos estudos da Argumentação e Retórica sob a ótica de estudiosos como Aristóteles (2013), Perelman & Tyteca (2005), Fiorin (2015), Plantin (2008), Ferreira (2010), entre outros. As atividades foram desenvolvidas em uma turma de 6º ano de escola pública do município de Tobias Barreto/SE. Os corpora da pesquisa são os discursos das bordadeiras, coletados através de entrevistas realizadas em uma associação localizada na zona rural do mesmo município. Os textos foram gravados e analisados em sala de aula para que fossem observadas as técnicas argumentativas e as figuras de argumentação e retórica mais empregadas pelas artesãs para defender um ponto de vista. Após a análise minuciosa de mais de 55 minutos de gravação, foi possível constatar que essas profissionais utilizam, principalmente, a causalidade, a comparação e o sacrifício para persuadir o interlocutor. Através da observação da idade, escolaridade e dos relatos proferidos, foi possível perceber também que elas não se sentem valorizadas pela sociedade, por isso pretendem ensinar o ofício para seus descendentes como uma forma de manter a cultura dos antepassados, mas não almejam que suas filhas tenham o bordado como profissão. Na última etapa do trabalho, os alunos produziram relatos a respeito do que acharam da sequência de atividades realizadas durante a pesquisa.

  • FÁBIO SILVA SANTOS
  • LETRAMENTO LITERÁRIO NA EJAEF: COMO ABORDAR A AMBIGUIDADE SEXUAL NOS CONTOS DE CLARICE LISPECTOR
  • Orientador : CARLOS MAGNO SANTOS GOMES
  • Data: 09/12/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Este TCF apresenta uma proposta de letramento literário para turmas da Educação de Jovens e Adultos do Ensino Fundamental a partir do debate em torno das identidades sexuais e da ambiguidade como esse tema é abordado por Clarice Lispector no livro A via crucis do corpo (1973). Esta proposta defende a seleção de textos literários para EJAEF com a finalidade de promover ações com o objetivo de garantir ao letramento literário a devida importância no processo de formação desses leitores. Nossa proposta foi construída por meio de uma pesquisa de campo, em uma escola do esta do Sergipe, no ano de 2016, que explorou a leitura da ambiguidade sexual nos contos de Clarice Lispector. No primeiro momento, mapeamos o horizonte de expectativa desses leitores; no segundo, incluímos o debate sobre as flexibilidades das identidades sexuais a partir do estudo do comportamento das personagens; no terceiro, propomos a reflexão de como as identidades sexuais são construídas no contexto social desses leitores. Metodologicamente, aplicamos os conceitos teóricos ligados à formação do leitor: “identidade literária”, de A. Rouxel, “letramento literário”, articulado por H. Cosson e por C. Gomes, “leitura literária” na EJA, defendida por M. Cruz. Quanto ao debate da construção da identidade sexual, tomamos como referência os estudos de M. Foucault, G. Louro e S. Hall, que defendem a transitoriedade da identidade com diversas possibilidades de reconfigurações sociais. Como resultado desta pesquisa, apresentamos um Caderno pedagógico de leitura que tem o objetivo de ampliação do horizonte de expectativa do leitor no que se refere à flexibilidade das identidades sexuais. Isso foi possível porque o leitor, a partir de seu horizonte cultural, assume a função de colaborador no processo de produção de sentidos para a obra literária. Desta forma, este trabalho busca ampliar o debate sobre métodos prazerosos para planejarmos nossas aulas de leituras literárias nas turmas do EJAEF.

  • SARA MARIA FONSECA DA MOTA
  • O conto: da leitura à produção criativa
  • Orientador : CHRISTINA BIELINSKI RAMALHO
  • Data: 09/12/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Este Trabalho de Conclusão Final (TCF) do Mestrado Profissional em Letras, PROFLETRAS, tem como objetivo apresentar considerações acerca de uma atividade de intervenção aplicada com alunos do 9º do Ensino Fundamental II, de uma escola pública da rede estadual de ensino, no município de Cristinápolis/SE. Trata-se de oficinas de leitura dos contos literários “O conto se apresenta” de Moacyr Scliar, “Colheita” de Nélida Piñon e “A estrutura da bolha de sabão” de Lygia Fagundes Telles, que objetivaram a formação de leitores proficientes e críticos. Para tanto, buscou-se fundamentação nas contribuições de teóricos como Moisés (2012), Cortázar (2011) e Bosi (2015), que tratam de aspectos do gênero conto; e de Dal Farra (1978), que discute sobre o ponto de vista do narrador. Para a base metodológica, trouxemos as ideias defendidas pelas professoras Bordini e Aguiar (1988) no método recepcional de leitura do texto literário, que valoriza a participação ativa do leitor na recepção do texto e o convida a questionar e a ampliar seu horizonte de expectativas; a leitura subjetiva de Annie Rouxel (2013), que prioriza a sensibilidade em resposta aos sentidos do texto como forma de estímulo para o hábito de leitura; e o dialogismo de William Roberto Cereja (2005), para o qual um dos caminhos para o ensino de literatura é o método dialógico, proposta de ensino voltada para a intertextualidade entre textos literários. Ainda na metodologia, para a produção textual, tomamos como base a Retextualização de gêneros escritos de autoria de Regina Lúcia Péret Dell’Isola. Exploramos também os conceitos de leitor colaborador de Umberto Eco e memória literária de Samoyault (2008), além de considerações acerca da mediação pedagógica tratada pelo uso de Tecnologias Digitais da Comunicação e Informação (TDIC’s). Na análise das atividades, discriminamos os resultados e analisamos a eficácia da proposta.

  • JOSÉ AUGUSTO DE SOUZA
  • A POESIA DO SERTÃO: UM DESEJO DE ARTICULAÇÃO DE SABERES
  • Orientador : CHRISTINA BIELINSKI RAMALHO
  • Data: 01/12/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho traz uma proposta de investigação e aprimoramento das práticas de leitura, produção textual e formação do leitor, sob as perspectivas da contextualização, pertinência do texto literário no âmbito escolar, intertextualidade, relevância comunicativa e prática social. Ele foi desenvolvido à luz da proposta de Maria da Glória Bordini e Vera Teixeira de Aguiar concernente à formação do leitor, bem como a partir do que formulou Rildo Cosson em relação ao letramento literário. Propõe-se aqui uma prática didática de leitura e produção a partir da poesia, com a apresentação de oito textos poemas com temática sertaneja, com a finalidade de, destacando a própria realidade discente, proporcionar aos alunos do Ensino Fundamental Maior (6º ano) o entendimento de literatura e sua função social. A metodologia adotada oferece atividades que visam à formação da leitura proficiente e à apropriação da escrita, a partir do modelo de sequência básica do letramento, aliado ao método recepcional e à utilização de recursos tecnológicos, de que é exemplo o Whatsapp. Intenciona, enfim, a partir do enfoque à temática do sertão, levar para a sala de aula a realidade do discente, de modo criativo, prazeroso, dinâmico.

  • SORAYA SOUZA DE CARVALHO
  • POESIA EM SALA DE AULA MEDIADA PELA INTERTEXTUALIDADE E PELAS TDIC
  • Orientador : CHRISTINA BIELINSKI RAMALHO
  • Data: 01/12/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Este projeto foi elaborado a partir da necessidade de se redimensionar a qualidade do trabalho com a leitura de poesia, com o objetivo de promover a leitura literária de forma interativa, promovendo a integração de conteúdo curricular _ leitura e interpretação, através de linguagens lúdicas(leitura cinematográfica, ilustrações) e tecnológicas (leitura oralizada gravada e editada fazendo uso de ferramentas tecnológicas tais como o celular, o computador e uma mídia reprodutora, no caso um CD) a conceitos básicos do gênero poema, a interdisciplinaridade(atividades ligadas às áreas de Artes e Geografia) e a transdisciplinaridade(abordando questões culturais e ambientais), de forma a comprovar que é possível desenvolver um trabalho multimodal que prime pela melhoria da qualidade da educação através de ações em que os maiores beneficiários serão os alunos que se tornarão leitores literários habituais. A pesquisa teve como corpus literário a obra Impregnações na floresta, poemas amazônicos de Helena Parente Cunha, trabalhada com estudantes do 6º e do 9º. ano do Ensino Fundamental, à luz das fundamentações teóricas dos educadores Bordini e Aguiar, Bortoni-Ricardo, Antônio Candido, Alfredo Bosi, Roxane Rojo, entre outros. A metodologia aplicada foi a semiológica de Bordini e Aguiar, onde, a partir de um livro de poemas, explorou-se a leitura dos poemas em interface com a leitura cinematográfica do filme Tainá, uma aventura na Amazônia, produção de Pedro Carlos Rovai, dirigida por Sergio Bloch, que resultaram em um livro e em um CD contendo respectivamente, os poemas da obra Impregnações na floresta, poemas amazônicos de Helena Parente Cunha, ilustrados(desenho e pintura) e em áudio (leitura oralizada e gravada) .

  • MARYLUCE CONCEIÇÃO BARROS SANTOS
  • Prática de retextualização a partir do gênero biografia no 8º e 9º anos da educação de jovens e adultos: da oralidade para a escrita
  • Orientador : JOSE RICARDO CARVALHO DA SILVA
  • Data: 28/11/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Com o avanço das formas de linguagem e o surgimento da escrita, as atividades de retextualização ganharam uma infinidade de possibilidades inesgotáveis, sendo algumas delas do oral para o escrito, do oral para o oral, do escrito para o escrito, do escrito para o oral. No caso deste trabalho, particularmente, pretende-se dar ênfase no uso de operações que possibilitem partir do texto oral, com suas marcas tais quais hesitações, repetições, redundâncias, até alcançar uma sistematização do texto escrito, levando-se em consideração seu caráter peculiar como a pontuação e organização de parágrafos. Assim, este estudo parte do pressuposto de que é possível realizar práticas de retextualização em turmas mais avançadas do Ensino Fundamental 2, partindo da oralidade até chegar ao texto escrito. Para tanto, preconiza-se como base textual, para a realização das atividades, o gênero biografia por acreditar que pode alcançar um resultado mais significativo nas aulas de Língua Portuguesa, em turmas da etapa 5 da Educação de Jovens e Adultos (EJA), uma vez que o propósito comunicativo deste gênero pode instigar nesse publico a identificação e o desejo de compartilhar suas próprias histórias de vida. A sequencia a ser desenvolvida vai partir de duas narrativas orais espontâneas de aluno da EJA, sendo uma para servir de modelo e outra para a realização das atividades, em seguida contemplando o trabalho com o gênero, uma vez que se este fosse realizado antes da prática de escuta, poder-se-ia perder determinados marcadores da oralidade.

  • ISABEL CARVALHO DA SILVA
  • LEITURA LITERÁRIA PARA O ENSINO FUNDAMENTAL II NUMA PERSPECTIVA AFRO-BRASILEIRA
  • Orientador : JEANE DE CASSIA NASCIMENTO SANTOS
  • Data: 25/11/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Este Trabalho de Conclusão Final (TCF), intitulado “Leitura literária para o Ensino Fundamental II numa perspectiva afro-brasileira”, almeja colaborar com a prática pedagógica de leitura do texto literário. Essa prática consiste numa proposta de intervenção de leitura composta por uma sequência básica de atividades (Cosson, 2014) que proporcione a discussão e valorização das questões étnico-raciais em sala de aula a partir do romance de Júlio Emílio Braz, Felicidade não tem cor. Essa narrativa traz como tema as angústias de um garoto negro que quer ser branco, mas que, ao final, assume sua identidade. Diante disso, entendemos que torna-se cada vez mais relevante, nas aulas de literatura da Educação Básica, proporcionar leituras que abordem tais questões para refletirmos sobre o mito da democracia racial, uma vez que pensar que nela vivemos, é aceitar todos os ataques e constrangimentos vivenciados por milhares de negras e negros no Brasil. Nesse contexto, nosso trabalho se propõe a auxiliar o processo de formação do leitor crítico, buscando refletir, através do contato com a literatura afro-brasileira, sobre o racismo que se propaga por séculos em nosso país. Temos como público-alvo alunos do 7º ano Ensino Fundamental II de uma escola municipal de Lagarto, cidade do estado de Sergipe. Nosso trabalho está pautado na Lei 10.639/03, bem como nas contribuições de Candido (2004) e Jouve (2012) sobre literatura e ainda Bordini e Aguiar (1988), Cosson (2014) e Silva (2009) no que diz respeito às práticas de leitura literária. Discutiremos, também, a literatura afro-brasileira sob a perspectiva de Duarte (2008) e Fonseca (2006) e, por fim, abordaremos a identidade negra e o racismo na escola, mediante as reflexões de Munanga (2005) e (2012), Gomes (2005) e Bernd (1988), dentre outros.

  • ANA CECILIA NASCIMENTO E SANTOS
  • O GÊNERO CRÔNICA EM SALA DE AULA: ANÁLISE DOS MECANISMOS ENUNCIATIVOS
  • Orientador : JOSE RICARDO CARVALHO DA SILVA
  • Data: 22/11/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A presente pesquisa traz uma proposta de estudo focada no ensino da leitura do gênero textual crônica a ser aplicado em turmas do segundo segmento do Ensino Fundamental de uma escola pública. Ele surgiu a partir das aflições sentidas cotidianamente em sala de aula no ensino de leitura. Nossos alunos estão expostos ao universo da leitura em praticamente toda a vivência escolar e, muitas vezes, apresentam resultados insatisfatórios nas diversas disciplinas por não conseguirem ler adequadamente os textos a que são expostos. Contraditoriamente a essa questão, o que se percebe ainda hoje é a ausência de momentos que favoreçam uma boa leitura nas aulas de língua portuguesa, pois o tempo de aula é, normalmente, destinado ao conhecimento metalinguístico.

  • CATIANA SANTOS CORREIA SANTANA
  • A crônica humorística como estratégia de aprendizagem a partir da perspectiva Interacionista Sociodiscursiva
  • Orientador : JOSE RICARDO CARVALHO DA SILVA
  • Data: 21/11/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho propõe investigar estratégias de leitura do gênero crônica sob a perspectiva do Interacionismo Sociodiscursivo de Bronckart (2012). Nesse estudo partimos dos estudos do ensino de língua, tendo como ponto de partida e chegada o gênero de texto, que Schneuwly e Dolz (2004) propiciaram a aplicação didática. A escolha dessa abordagem se justifica pelo fato de que partem do gênero como meio para aprendizagem, favorecendo o ensino de língua, pois leva em consideração a realização de sentido dos textos em contextos de produção determinados. Para tanto, objetivou construir mecanismos a partir do gênero textual crônica humorística como estratégia para mobilizar as capacidades de ação, discursiva e linguístico-discursiva. Elegeu-se para o desenvolvimento desta sequência o gênero crônica humorística por ser difícil de ser acessado espotanemente, por apresentar recursos complexos da língua e por ser bem aceito no universo escolar. A metodologia está respalda em uma pesquisa-ação, uma vez que se partiu de um problema empírico. Os dados apresentados assumem uma análise qualitativa, contendo aplicação de questões, produção textual, diário de pesquisa e análise do material didático produzido.

  • NEILTON FALCÃO DE MELO
  • O INFOGRÁFICO COMO PRÁTICA DE LETRAMENTO NO 8º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL
  • Orientador : DERLI MACHADO DE OLIVEIRA
  • Data: 26/10/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho de pesquisa partiu das perspectivas de gêneros como ação social em Miller (1994) e Bazerman (2011), discursivo-semiótica em Kress e Leeuwen (1996), e objetivou desenvolver letramento a partir da linguagem verbo-visual com alunos do 8º ano do ensino fundamental, tendo como campo empírico um colégio estadual no município de Umbaúba - SE. A pesquisa está fundamentada a partir da Gramática do Design Visual de Kress e van Leeuwen (1996), a qual defende que os elementos visuais são imbuídos de sentido e a imagem tem uma arquitetura própria e significante. Como aporte teórico, foram utilizados também os estudos de Bakhtin (2011), Marcuschi (2008, 2010, 2012), Dionisio (2011), Soares (2012), Rojo (2012), Koch (2012), dentre outros. Como proposta de intervenção pedagógica foi elaborado um Objeto Digital de Aprendizagem (ODA) a partir de infográficos da revista Superinteressante. Comprovou-se no final da pesquisa que os recursos digitais possibilitam maior exploração na transmissão de conhecimentos, interação dos alunos na prática da leitura e aprendizagem dinâmica e significativa.

  • KELLY CRISTINA OLIVEIRA DA SILVA
  • GÊNEROS ACADÊMICOS NO ENSINO FUNDAMENTAL II: O PÔSTER CIENTÍFICO COMO INSTRUMENTO DE ENSINO DA LEITURA E DA ESCRITA
  • Orientador : MARCIA REGINA CURADO PEREIRA MARIANO
  • Data: 14/10/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Este Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) é resultado de uma pesquisa bibliográfica amparada nas contribuições da Linguística Textual e dos estudos enunciativos (Bakhtin, 1999; Marcuschi, 2008 e 2009), bem como nos estudos de letramento (Tfouni, 1995, 2008 e 2012); Street (2014) e no Interacionismo Sóciodiscursivo, especialmente nos estudos de Schneuwly e Dolz (2004) e Bazerman (2011 e 2015). Nesses estudos, buscou-se o embasamento teórico necessário à construção de uma proposta didática que contemple o ensino dos gêneros acadêmicos, mais especificamente o pôster acadêmico, como instrumento de letramento nas aulas de Língua Portuguesa, no âmbito dos anos finais do Ensino Fundamental II. O trabalho teve como lócus uma escola da rede estadual, no município baiano de Catu, tendo como sujeitos alunos do 8º ano do Ensino Fundamental matriculados na unidade escolar

  • JOSEFA ALMEIDA DA SILVEIRA
  • ARGUMENTAÇÃO E DISCURSO POLÍTICO: UMA PROPOSTA PARA O ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA NAS SÉRIES FINAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL
  • Orientador : MARCIA REGINA CURADO PEREIRA MARIANO
  • Data: 14/10/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho, intitulado Argumentação e discurso político: uma proposta para o ensino de Língua Portuguesa nas séries finais do Ensino Fundamental, apresenta uma sugestão para a aplicação da língua materna a partir do oral/escrito argumentativo. Parte dos conceitos de oralidade, produção textual, argumentação e discurso político sob a ótica de diversos estudiosos, como Aristóteles (2013), Bakhtin (1997, 1981), Fiorin (2015), Fulaneti e Bueno (2013), Grácio (2010, 2013), Koch (2011, 2012, 2015), Marcuschi (2008), Osakabe (2002), Perelman & Tyteca (2005), entre outros; os preceitos dos Parâmetros Curriculares Nacionais (1997, 1998) e as Diretrizes Curriculares Nacionais da Educação Básica (2013). Objetiva propor o desenvolvimento da capacidade do senso crítico, da leitura reflexiva, da organização das ideias, habilitando alunos do Ensino Fundamental (9º ano) de um colégio da rede estadual, situado em Campo do Brito/SE, para a competência da comunicação argumentativa, com atividades textuais orais e escritas, a partir do entendimento de língua enquanto forma de interação, visando a otimização da capacidade de análise e a construção da argumentação no discurso político. Os discursos serão observados, comparados e analisados do ponto de vista da argumentação e confrontados com problemas vivenciados pela população em geral, a partir de registros coletados na comunidade, pelos discentes, via fotos e entrevistas. E, na etapa final, após discussões e reflexão acerca do papel do político e sobre quais principais quesitos precisam de uma maior atenção por parte dos dirigentes públicos, propomos a produção textual escrita de uma carta aberta, de forma coerente, que contemple os problemas encontrados e a sugestão de propostas, pautadas em argumentos. A proposta é sair de um ensino puramente normativo para um ensino mais reflexivo, com espaços de leitura, debates, numa produção oral e escrita, de forma significativa, considerando que leitura, interpretação, escrita e argumentação são essenciais no aprendizado da língua, entendendo o ensino como uma atividade interativa de expressão em que o aluno crítico, autônomo, pensa no que vai escrever, para quem vai escrever, e no objeto da produção. Propõe uma prática de ensino com ênfase para as (nas) estratégias argumentativas, a fim de formar um aluno leitor/produtor de textos, permitindo o exercício da cidadania.

  • MARIA DO CARMO PRADO DE JESUS LIMA
  • PRÁTICAS DE ORALIDADE COMO PERSPECTIVA DE LETRAMENTO, MEDIADAS PELA RÁDIO ESCOLAR.
  • Orientador : MARILEIA SILVA DOS REIS
  • Data: 10/10/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O presente trabalho trata de uma proposta intervencionista e aplicada envolvendo gêneros orais, que partiu de uma prática menos elaborada para uma mais próxima da escrita formal, ou seja, uma forma mais monitorada, utilizada em situações públicas formais de comunicação, que culminou na produção de programas radiofônicos apresentados à comunidade escolar e elaborados por alunos do 5º ao 9º ano e alunos da Educação de Jovens e Adultos do Ensino Fundamental (EJAEF II – 1ª ETAPA) de uma escola pública de Itabaiana/SE, na qual a pesquisadora trabalha. Reconhecemos a grande importância da oralidade, principalmente em situações formais em que se exige um maior comprometimento do falante em relação à utilização da linguagem, porém percebe-se que a escola, de maneira geral, não tem se preocupado com essa abordagem, despendendo tempo apenas ao ensino da escrita, direcionamento unilateral que pode levar a incompletudes na formação mais integral dos educandos. O principal objetivo desta proposta é a preparação dos alunos para a utilização dos gêneros orais nas diferentes situações de comunicação, alertando-os para a adequação da linguagem nos diferentes contextos de uso. Utilizamo-nos do suporte rádio escolar e vimos que, por meio dele, o aluno tem a oportunidade de lidar com diferentes gêneros textuais orais comuns a uma programação de rádio, direcionada ao contexto em questão. Com este propósito, pretende-se um ensino mais dinâmico, atraente e eficaz, que estimule a participação ativa dos alunos, desenvolvendo o senso crítico e sua capacidade de percepção dos variados usos da linguagem, de modo que se efetivem os letramentos constituídos a partir da capacidade de uso da linguagem nas diferentes instâncias públicas. Além da criação dos programas, elaborou-se um movie maker explicitando razões para uma abordagem da oralidade e de alguns passos para a construção de um plano de trabalho, visando ao desenvolvimento da expressão oral do alunado. Para tais práticas, houve a realização de oficinas na escola sobre os gêneros orais formais, conduzindo os discentes a uma reflexão sobre a importância da oralidade para a interação e a formação do cidadão. Foram levados, também, para uma emissora de rádio pública com o intuito de conhecer um pouco de seu funcionamento, além das diferentes linguagens utilizadas (mais formais para as menos formais) e, depois, o contato com a própria rádio escolar. As nossas reflexões foram respaldadas pelos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN), Base Nacional Comum – ainda em análise - (BNC), além de teóricos como Bakhtin (1992, 2002), Baltar (2008, 2010, 2012), Marcuschi (1995, 2008, 2010), Marcuschi e Dionisio (2007), Milanez (1993), Schnewly/Dolz (2004), além de outros pesquisadores da área em questão. Os resultados evidenciam que os alunos obtiveram um maior domínio dos recursos não verbais presentes na comunicação, bem como uma maior capacidade de reflexão em suas escolhas linguísticas no que diz respeito ao contexto discursivo.

  • MARCOS EMANOEL RODRIGUES LINO
  • Notícia audiovisual como prática de letramento no ensino de língua
  • Orientador : MARILEIA SILVA DOS REIS
  • Data: 27/07/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A dissertação “Notícia audiovisual como prática de letramento no ensino de língua” trata de uma proposta de ensino de língua que visa romper com as metodologias tradicionais, por vezes, pouco motivadoras, repletas de preceitos gramaticais que não otimizam as práticas de leitura voltadas para o letramento e cidadania. Neste sentido, descrevemos o estudo e a elaboração de notícias audiovisuais, através dos aparelhos celulares dos alunos do 9º ano de uma escola pública, nas aulas de Língua Portuguesa, no município de Poço Verde/SE. Acreditamos que escrever e oralizar notícias do contexto imediato dos autores no contexto de sala de aula constituem-se práticas e eventos de letramentos promissores. Os pressupostos teórico-metodológicos norteadores da pesquisa firmam-se nos estudos sobre os gêneros textuais orais, escritos e audiovisuais e sobre práticas sociais do uso da leitura e da escrita (letramentos). Para atingirmos os propósitos da pesquisa, foram elaboradas oficinas em quatro etapas de evolução: na primeira, abordamos os pressupostos da estrutura da notícia audiovisual enquanto gênero textual/discursivo. Na segunda etapa, o estudo prático sobre notícias pesquisadas pelos próprios alunos; na terceira, a elaboração escrita e audiovisual de notícias da cidade, elaborada por grupo de alunos, bem como a discussão de temas polêmicos nelas implicados. E, por fim, na quarta etapa, novas análises de notícias pesquisadas pelos alunos e de notícias por eles elaboradas, atendendo a todos os pressupostos estudados. Os resultados evidenciam que a estratégia se mostrou inovadora, especialmente, por tornar útil o uso de recursos tecnológicos que fazem parte da rotina dos alunos, como os aparelhos celulares, além da aquisição de conhecimento e sugestão de nova abordagem de se trabalharem as produções textuais que fogem às redações tradicionais, tão comuns em sala de aula. Acreditamos, assim, que essa experiência somará aos demais saberes e práticas docentes no ensino de Língua Portuguesa.

2015
Descrição
  • ANSELMA MORAIS SANTOS
  • O estudo de memes no ensino de língua
  • Orientador : MARILEIA SILVA DOS REIS
  • Data: 20/11/2015
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Neste trabalho, abordamos o gênero textual meme como proposta de reflexão sobre compreensão da leitura em suas multimodalidades, atendendo a uma prática pedagógica de ensino de língua mais inclusiva e mais voltada para o letramento e cidadania dos alunos da Educação Básica. Definimos meme como gênero textual que dialoga com gêneros em quadrinhos mais tradicionais, como o cartum, a charge e as tirinhas, porém, com estrutura mais livre. Constitui-se de textos verbais e não verbais, plurissignificativos, versando geralmente sobre questões sociais de natureza mais polêmica sobre o cotidiano, a política, o esporte e afins. O objetivo da pesquisa visa ao estudo e à discussão mais pormenorizados do meme com estudantes da rede pública estadual de Sergipe que estão saindo do Ensino Fundamental (nono ano e quarta etapa de EJAEF), bem como à descrição do modo como o referido gênero foi por eles analisado e discutido. Os pressupostos teórico-metodológicos baseiam-se nos estudos de Kleiman (1989; 2005) sobre leitura, letramento e cidadania; de Leffa (1996), sobre a perspectiva cognitiva da leitura; e de Perrenoud (2000), sobre as novas tecnologias, dentre outros autores. Os resultados evidenciam que a inclusão de memes no ensino de língua é promissora, especialmente por promover identidade no grupo com questões além dos muros da escola.

  • CRISTIANE MARGARETE DE JESUS
  • LETRAMENTOS ATRAVÉS DO CONTO CLÁSSICO E DE SUA ADAPTAÇÃO EM MANGÁ.
  • Orientador : CARLOS MAGNO SANTOS GOMES
  • Data: 05/11/2015
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Este Trabalho de Conclusão de Curso (TCF) está composto de uma parte dissertativa e de
    atividades-produtos que foram desenvolvidos com o intuito de incentivar e possibilitar os
    diversos questionamentos relacionados aos processos inerentes à promoção dos letramentos
    necessários para educandos que cursam o último ano do Ensino Fundamental I,
    principalmente, por perceber a importância da leitura e de sua compreensão para o sucesso
    escolar e pessoal do educando. Para tanto, pensou-se em um trabalho que versasse a respeito
    de contos clássicos e de suas respectivas adaptações em uma modalidade de HQ denominada
    mangá. Intenciona-se com esse trabalho desenvolver habilidades leitoras além das
    consideradas fundamentais em currículos do ensino da Língua Portuguesa, destinadas ao
    quinto ano da Educação Básica. Assim, foram desenvolvidas estratégias para que os
    educandos percebessem a importância da leitura e desenvolvessem habilidades inerentes à
    leitura e à escrita, para a compreensão do mundo através da busca e encontro do sentido do
    texto. Isto posto, esse trabalho é direcionado à formação de um sujeito leitor, responsável e
    crítico, a partir do pensamento de Rouxel (2013) visto como um dos requisitos básicos para a
    promoção do letramento, possibilitando a construção de sentidos do texto, como sugere Koch
    (2013) quando informa que o leitor, por meio da leitura, busca pistas explícitas e implícitas
    presentes no texto para através de seu conhecimento prévio poder (re)-significar o que é lido.
    Para tanto, foram desenvolvidas atividades específicas que deram origem a três oficinas
    destinadas à promoção do letramento e ao aprimoramento do processo da leitura, além de
    permitir uma atuação mais efetiva do educando enquanto sujeito leitor e produtor de sentidos.
    Esse trabalho foi desenvolvido em três fases, sendo cada fase composta por momentos
    específicos de realização e manutenção das atividades. Assim, a primeira fase foi denominada
    Plano da Oficina 1: Identificação das habilidades de leitura, a segunda fase denominada
    Plano da Oficina 2: As personagens, os espaços e as ações no conto de fadas, e a terceira fase
    denominada Plano de Oficina 3: A leitura do mangá e a construção do sentido. Como aporte
    teórico, têm-se Barthes (1990), Coelho (2000), Koch (2013), Propp (1984), Rouxel (2013) e
    outros autores de grande relevância.

  • BERIVANE ROCHA SOUZA
  • Leitura literária e a lei 10639/03: uma proposta de ensino a partir de narrativas orais
  • Orientador : JEANE DE CASSIA NASCIMENTO SANTOS
  • Data: 23/10/2015
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Diante da pouca representatividade de textos orais no ensino de Literatura na Educação Básica, o presente projeto tem por objetivo apresentar uma proposta didática para o ensino de Literatura Oral direcionada aos alunos do 6º ano do Ensino Fundamental, oportunizando-os o contato com as vivências culturais e a riqueza expressiva provenientes dessa literatura. Para isso é fundamental alicerçar a pesquisa nos estudos de Câmara Cascudo, Eclea Bosi, Zumthor, Rildo Cosson, Schneuwly e Dolz, entre outros. O trabalho volta-se também para as discussões acerca da Lei 10639/03 e da obrigatoriedade do ensino voltado à valorização da arte, história e literatura africana e afro-brasileira uma vez que a tradição oral está atrelada a valores religiosos, crenças e costumes, muitos deles trazidos pelos povos de África escravizados aqui no Brasil.

  • CYNTHIA CARLLA DE ALMEIDA ANDRADE
  • Letramento visual: trabalhando a fotografia documental no ambiente escolar.
  • Orientador : DERLI MACHADO DE OLIVEIRA
  • Data: 25/09/2015
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Atualmente, apesar da disseminação dos aparatos tecnológicos, os alunos em todos os segmentos tem dificuldade em ler, interpretar e correlacionar imagens, principalmente a fotografia, que constantemente são usados nos livros didáticos, jornais e revistas impressas ou virtuais. A fotografia documental além de registrar momentos históricos importantes proporciona a reflexão crítica daquilo que é registrado. Dessa forma, foi elaborado e aplicado um projeto didático com alunos do 9º ano da Unidade Escolar Colégio Municipal de Andorinha com o intuito de proporcionar o letramento visual a partir de imagens fotográficas documentais. Escolheram-se como corpus da pesquisa algumas imagens do fotógrafo Sebastião Salgado por seu trabalho priorizar a reflexão a respeito das mazelas sociais. A pesquisa está fundamentada a partir da Gramática do Design Visual de Kress e van Leween (1996) que elenca os aspectos de uma imagem que podem ser analisados criteriosamente. Também foi de fundamental importância os estudos de gênero de Baktin (2011), Marchuschi (2008), Dionísio (2011), dentre outros. Diante disso a presente pesquisa utilizou-se no primeiro momento de uma pesquisa bibliográfica com o intuito de fundamentação consistente, principalmente em relação aos estudos semióticos com o conhecimento e aprofundamento da gramática do design visual (GDV) para que pudesse analisar semiologicamente as fotografias escolhidas. O segundo passo se deu por meio da pesquisa-ação, ou seja, as análises feitas à luz da teoria foram colocadas em prática por meio da aplicação de planos de aula organizadas em um projeto pedagógico que culminou em um caderno pedagógico contendo explicações simplificadas a respeito da GDV e o passo a passo do projeto pedagógico com orientações para o professor.

  • DEISE SANTOS DO NASCIMENTO
  • CADERNO DE LEITURA LITERÁRIA PARA A EJA: UMA PROPOSTA ÉTNICO-RACIAL
  • Orientador : CARLOS MAGNO SANTOS GOMES
  • Data: 27/08/2015
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O presente trabalho de conclusão do curso de Mestrado Profissional em Letras, (PROFLETRAS), tem como finalidade apresentar considerações acerca de uma atividade de intervenção realizada com alunos do Ensino Fundamental II, de uma escola pública da rede estadual, no município de Laranjeiras, que disponibilizou aos alunos oficinas literárias para a formação de leitores críticos. Da aplicação das oficinas, gerou-se um Caderno de Oficina Literária. Na oportunidade, o material abre espaço para uma abordagem cultural de leitura para os textos literários, a partir das questões étnico-raciais, com a aplicação de uma atividade interdisciplinar e intertextual, que priorize os conhecimentos de mundo do leitor, aliados à formação da memória literária. As oficinas trazem uma reflexão crítica que valoriza o pertencimento à cultura afro-brasileira, proporcionando a participação dos leitores como coautores do texto literário conforme as teorias sobre o leitor; com base no que discorrem Umberto Eco em Lector in Fábula, Luiz Costa Lima, em sua obra, A leitura e o leitor e Robson Tinoco em Leitor real e teoria da recepção, para que a partir desse processo dialógico, significativo e semiótico, houvesse a recepção engajada do texto na questão da identidade e reconhecimento da história e cultura afro-brasileiras. Para tal, trabalhou – se com a turma a obra O Cortiço, de Aluísio Azevedo, de maneira a verificar como a visão europeia, racista e preconceituosa de nossa sociedade, relacionada aos estereótipos atribuídos às mulheres negra e mulata e a condição do negro, é abordada na Literatura. Portanto, para fundamentar esta pesquisa e assim obter os objetivos pretendidos, utilizamos um referencial teórico pautado, principalmente, nas questões de processos da leitura literária, revistos em Annie Rouxel e Maria de Fátima B. Cruz, e sobre a análise do negro na literatura brasileira, pela visão de Eduardo Duarte, dentre outros. Ainda, para a base metodológica da Oficina, trouxemos, principalmente, as ideias da proposta humanizadora de CRUZ (2012), para tratar o texto de maneira interdisciplinar, uma vez que a autora propõe um trabalho a partir dos aspectos pessoais e psicológicos do leitor, além da valorização do repertório cultural daquele que pratica o ato de ler. Utilizamos, também, os aspectos da intertextualidade cultural de Carlos Gomes, que entende que a prática cultural de leitura pode ser realizada através de uma abordagem heterogênea, vista no texto literário. Enfim, para as questões de recepção do texto, fazemos uso das ideias do método recepcional de Maria Bordini e Vera Aguiar e considerações acerca da mediação pedagógica tratada pelo uso de Tecnologias Digitais da Comunicação e Informação (TDIC).

  • REJANILZA SANTOS DA SILVA BARBOZA
  • CADERNO DE LEITURA LITERÁRIA: A FABULAÇÃO DO LEITOR
  • Orientador : CARLOS MAGNO SANTOS GOMES
  • Data: 27/08/2015
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Esta dissertação do TCF (Trabalho de Conclusão Final) parte de uma concepção que busca valorizar o processo de fabulação no ensino de literatura por meio da intertextualidade e da fruição do texto literário. O nosso objetivo se volta para a elaboração de um caderno de leitura literária voltado para a interpretação de textos literários pelo olhar da leitura subjetiva, considerando a criatividade do leitor no processo da recepção. Para isso, foram desenvolvidos estudos teóricos que levam em consideração a importância do papel do aluno/leitor colaborador capaz de dar sentido às suas leituras no processo de recepção do texto literário. Isso posto, deixa claro que o trabalho faz referência aos sentidos da leitura literária voltada à prática da subjetividade que envolve uma resposta sensível e criativa à leitura literária fundamentada em A. Rouxel e nos estudos de algumas abordagens metodológicas de ensino do texto literário dos pesquisadores brasileiros: R. Cosson e W. Cereja. Exploramos também os conceitos de leitor colaborador, de U. Eco como um movimento cooperativo do leitor para a construção de sentidos. Por fim, como procedimentos e instrumentos metodológicos, foram adotados tanto a perspectiva bibliográfica quanto à qualitativa em uma proposta de oficinas literárias realizada em uma escola pública municipal na cidade de Euclides da Cunha - Bahia, numa turma do sétimo ano do ensino fundamental II. Após as diversas etapas desta pesquisa, propôs-se o Caderno de leitura literária: a fabulação do leitor como um material didático construído com a intenção de oportunizar o contato com o texto literário por meio de atividades nas quais o discente seja capaz de analisar, comparar, combinar, efetuar inferências, e principalmente, extrapolações, vinculando essas operações intelectuais à ação física e à pratica social, nos produtos criados. Metodologicamente, dividiu-se esta dissertação em três capítulos: o primeiro consta o debate sobre os métodos de leitura de A. Rouxel, W. Cereja e C. Gomes, V. Aguiar, M. Bordini e R. Cosson; quanto ao segundo capítulo foi abordada a colaboração e formação do leitor, pela perspectiva de U. Eco e A. Rouxel; no último capítulo levou-se em consideração os tópicos da metodologia da pesquisa-ação adotada na investigação e os resultados obtidos na investigação.

  • ANAXIMANDRO ALESSANDRO LELIS DO CARMO
  • Caderno de Leitura Literária: recepção e violência doméstica
  • Orientador : CARLOS MAGNO SANTOS GOMES
  • Data: 27/08/2015
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Este Trabalho de Conclusão Final (TCF) do Mestrado Profissional em Letras, (PROFLETRAS), tem como meta a produção de um material didático, objetivando a formação proficiente e crítica do leitor por meio da metodologia denominada Prática Interativa de Leitura, a qual procura alinhar a interface literária ao intertexto jurídico (Lei Maria da Penha), objetivando promover o questionamento dos casos de violência doméstica contra a mulher para a celebração dos direitos humanos. Na parte teórica, abordamos a leitura subjetiva proposta por Annie Rouxel como meio de criar o hábito da leitura entre os alunos, mencionamos a recepção participativa do leitor, valorizada pelas professoras Bordini e Aguiar que convidam o aluno a questionar e ampliar o horizonte de expectativa sugerido pelas obras ao permitir que o leitor preencha os espaços vazios da obra, sempre respaldado pelo tecido literário como orienta o semiótico Umberto Eco. As discussões sobre a violência doméstica contra a mulher ficaram por conta das reflexões das pesquisadoras Santos e Izumino, as quais resgataram as principais referências teóricas nas ciências sociais a respeito do tema, das pesquisadoras Lia Zanotta Machado e Judith Paim as quais debatem o resgate dos direitos das mulheres em condições de violência no Fórum Nacional de Educação em Direitos Humanos e das considerações do sociólogo Pierre Bourdieu ao tratar da dominação masculina que hierarquiza os gêneros resultando em direitos assimétricos e desiguais entre homens e mulheres na sociedade, fato que resulta em violência doméstica contra a mulher. Por fim, desenvolvemos um caderno pedagógico de leitura literária contendo um roteiro do conto “A Cartomante” de Machado de Assis para orientar o professor de Língua Portuguesa como trabalhar os conceitos mencionados na fundamentação teórica desta pesquisa para formação do leitor crítico.

  • GILDETE CECILIA NERI SANTOS
  • “Os efeitos de sentido das manchetes de jornais popularescos como incentivo à leitura de jornais
  • Orientador : JOSE RICARDO CARVALHO DA SILVA
  • Data: 13/08/2015
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Neste trabalho, demonstramos a validade do ensino-aprendizagem em língua materna por meio de unidades didáticas que tomam como análise os efeitos de sentido subjacentes às manchetes de jornais popularescos, neste caso, o Jornal Superpopular. Este semanário popularesco foi veiculado entre 27 de janeiro de 2011 e 27 de março de 2014, principalmente no estado de Sergipe. Suas manchetes utilizam gírias, piadas, provérbios e fraseologias cotidianas às classes populares, em prol de, dentre outros objetivos, atingir essas camadas que tem pouco acesso à leitura e, mais ainda, a leitura de jornais. Sob a perspectiva da Linguística Textual, cotejam-se os deslocamentos de sentidos nessas manchetes, a partir de enunciados já consolidados na memória do leitor, como provérbios, músicas e ditados populares, o détournement, apontando o efeito militante e lúdico que tais construções morfossintático-semântico-lexicais trazem, a fim de despertar nos alunos da Educação Básica o interesse pela leitura, em especial o gênero textual notícia. Nosso corpus traz à baila as notícias veiculadas nesse jornal, em que é possível encontrar acentos apreciativos de notícias ao mesmo tempo chocantes, bem humoradas e sensacionalistas, objetivando a adesão dos discursos sutilmente perpetuados por ele. Neste trabalho, analisaremos como a relação entre os sujeitos e a situação de produção desses enunciados auxiliam na construção de sentido, fazendo com que um interlocutor que desconheça os textos anteriores à produção não construa um efeito de sentido satisfatório.

  • JOSÉ ALEXANDRE DOS SANTOS
  • LEITURA LITERÁRIA DA POESIA AFRO-BRASILEIRA, ATRAVÉS DE HIPERTEXTOS, NO ENSINO BÁSICO
  • Orientador : JEANE DE CASSIA NASCIMENTO SANTOS
  • Data: 13/08/2015
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Pretende-se, com este projeto de pesquisa e de intervenção pedagógica, contribuir com a leitura e o ensino da poesia afro-brasileira, tendo como parâmetro o que preceituam os PCNs (1998) e a lei 10.639/03 do governo federal, que tornou obrigatória a inserção nos currículos escolares do ensino básico de conteúdos sobre história e cultura africana e afro-brasileira, e as demandas dos movimentos sociais que clamam por uma educação capaz de promover um novo olhar sobre as relações sociais, culturais, étnicas, raciais e religiosas e, ao mesmo tempo, desmistificar e romper com a visão educacional eurocêntrica e etnocêntrica que tem contribuído para a disseminação nefastamente racista, preconceituosa e discriminatória quanto à cultura e à sociabilidade dos negros e seus descendentes no Brasil, apoiando-se em estudos pedagógicos, literários, sociológicos e antropológicos, desenvolvidos por estudiosos como Munanga (2005), Gomes (2001), Candido (1995), Duarte (2010), Bernd (2011), Freire (1980) e Gadotti (2010). Concomitantemente, pretende-se, também, sugerir caminhos para o processo de letramento literário, amparado em recortes teóricos, desenvolvidos por pesquisadores e intelectuais pedagogos, como Kleiman (2005), Zilberman (1993), Soares (2003) Cosson (2009), Gomes (2014) e Cereja (2005), através de hipertextos, segundo estudos de Levy (1993), Marcuschi e Xavier (2004), principalmente.

  • SILVANA FARIA DORIA
  • Coesão referencial e sequencial e seus efeitos de sentido: uma proposta de ensino
  • Orientador : JOSE RICARDO CARVALHO DA SILVA
  • Data: 13/08/2015
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho contempla o estudo do texto e seus usos linguísticos, discutindo questões de coesão referencial e sequencial, numa abordagem voltada para o ensino fundamental. Por meio da adaptação do conto de fadas “João e Maria”, buscar-se-á mostrar de que forma a condução textual dependerá da maneira como os referentes serão retomados no texto e de como os segmentos serão articulados em conectores textuais na formulação do fio discursivo. Sob a perspectiva da Linguística Textual, elucidamos algumas reflexões que envolvem o campo da coesão textual à luz de estudiosos como Koch (2003, 2013, 2014a, 2014b), Koch e Elias (2008 e 2012), Fávero e Koch (2012), Koch e Travaglia (1996), Marcuschi (1999 e 2008), Antunes (2005 e 2009), SANTOS (2003), Cavalcante (2013), entre outros autores. Como produto associado a este estudo, apresentamos um material didático digital que forneça meios ao professor de ensino fundamental para a análise de textos e seus recursos coesivos. Tal pesquisa aponta alternativas pedagógicas que explorem em pequenos fragmentos textuais um trabalho de leitura, produção de texto e análise linguística. Assim, este estudo apresenta a seguinte sequência: a princípio contemplamos a linguística textual, numa discussão quanto as suas fases e contribuição para o atual estudo do texto em sala de aula, bem como abordamos os critérios da textualidade e a rspectiva sócio-cognitiva interacional para concepção do texto; em seguida, apresentamos a coesão junto a seus recursos, tanto referenciais quanto sequenciais, numa análise de cunho didático por meio de exemplos de diversos gêneros textuais que dialogam com o conto clássico utilizado; por fim, expomos a metodologia para aplicação da plataforma digital com algumas propostas de atividades a serem realizadas em sala de aula. De modo geral, a pesquisa visa ao aprimoramento da leitura e produção de texto do aluno, e, portanto, pretende contribuir com o ensino da língua portuguesa, fazendo-o aprazível, efetivo e significativo.PALAVRAS-CHAVE: Texto; Coesão referencial; Coesão sequencial; Coerência.

  • JOSILDA BORGES MOURA
  • A INTERTEXTUALIDADE, O GÊNERO LENDA E A PRODUÇÃO DE TEXTO NO ENSINO FUNDAMENTAL
  • Orientador : JOSE RICARDO CARVALHO DA SILVA
  • Data: 13/08/2015
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa qualitativa interpretativa tem como objetivos analisar a intertextualidade no gênero lenda como ferramenta para a produção de texto no ensino fundamental e elaborar uma proposta pedagógica para ser trabalhada em sala de aula. Para se alcançar os objetivos propostos, buscou-se responder as seguintes questões de pesquisa: de que forma a intertextualidade no gênero lenda pode contribuir para o aprimoramento da leitura e escrita dos discentes do ensino fundamental? Como o professor de Língua Portuguesa pode colaborar para que os estudantes do ensino fundamental desenvolvam a capacidade de ler e escrever com competência? Quais atividades didáticas poderão ser aplicadas e quais conhecimentos deverão ser ativados para esse fim? A busca pelas respostas a essas questões conduziram-nos a uma pesquisa bibliográfica sobre a temática em estudo, privilegiando alguns referenciais teóricos, dentre eles destacamos Koch et al. (2012) sobre intertextualidade; Marcuschi (2008) sobre gênero discursivo, e de Schneuwly e Dolz (2004) sobre sequência didática. Com base nestes pressupostos teóricos foram realizadas algumas análises interpretativas em textos verbais e não verbais, visando identificar a presença da intertextualidade, e como este recurso foi utilizado por seus produtores no processo de criação e construção de sentido. Como produto destas análises, algumas atividades de leitura e produção de texto foram cuidadosamente preparadas e organizadas, em uma sequência didática, como sugestão de proposta pedagógica, direcionada para professores de Língua Portuguesa do 6º ano do ensino fundamental. Desta forma pretende-se contribuir para a melhoria da qualidade do ensino da produção textual nas em sala de aula.

  • ANA CLAUDIA SILVA FONTES
  • OS MULTILETRAMENTOS NA FORMAÇÃO DO LEITOR: O HIPERTEXTO NUMA RELEITURA CRÍTICA DE TEXTOS DA LITERATURA SERGIPANA
  • Orientador : MARILEIA SILVA DOS REIS
  • Data: 12/08/2015
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O trabalho em questão discute a respeito da leitura e de seus novos contextos de veiculação e produção, bem como da contribuição do letramento digital para a construção de sentidos no texto literário pelos alunos do 9º ano do ensino fundamental. Além disso, visa desenvolver estratégias para o aprimoramento da competência leitora e de compreensão crítica a partir da leitura e análise de textos da literatura sergipana, de modo a valorizar a identidade linguística, bem como os aspectos socioculturais da região e, assim, tornar clara a importância do ato de ler na expressão do pensamento, para a interação social e para a formação cidadã. Para desenvolver essas estratégias, a utilização das TIC (Tecnologias de Informação e Conhecimento) é bem vinda por auxiliar a análise dos excertos das obras e a produção de hipertextos, através dos hiperlinks, sempre valorizando o processo criativo do aluno e constatando seu posicionamento crítico/compreensivo frente ao texto. Espera-se, com esse trabalho, que os alunos consigam atingir um desenvolvimento satisfatório de leitura enquanto prática social, percebendo sua funcionalidade a partir das marcas linguísticas que se evidenciam no texto e em suas entrelinhas. Além disso, que possibilite a educadores, novas perspectivas de ensino apoiados nas novas tecnologias como forma de motivação à prática pedagógica, de ampliação de olhar para as novas formas de letramento, na qual o aluno e seu contexto sócio histórico sejam peças fundamentais de ação e que, assim, possa trazer ressignificações ao texto em seu uso social.

  • LUCICLEIDE COSTA ROCHA
  • Leitura e compreensão textual: uma proposta para o nono ano a partir de tirinhas
  • Orientador : MARILEIA SILVA DOS REIS
  • Data: 12/08/2015
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Este Trabalho de Conclusão Final tem como objetivo apresentar uma proposta pedagógica para o trabalho com a leitura e compreensão do gênero textual tirinha. Para este fim, foram elaboradas uma oficina e duas vídeo-aulas com foco no desenvolvimento de uma leitura e compreensão desse gênero textual especificamente por alunos do 9º ano do Ensino Fundamental. Para o alcance desse objetivo, colocou-se em evidência o mecanismo de quebra de script ou linearidade, tão comum a esses textos e responsável pela construção de humor presente no referido gênero. Como aparato teórico, foram utilizadas concepções sobre os gêneros textuais e/ou discursivos e leitura alicerçadas nos postulados de Bakhtin (1997), Marcuschi (1996; 2008), Koch (2002), Antunes (2003), Leffa (1996), entre outros, além das concepções e orientações para o ensino de língua materna propostas pelos PCNs (3º e 4º ciclos do ensino fundamental).

  • CARMEM SILVIA DE ALMEIDA
  • “UM, DOIS, TRÊS: CRÔNICA!” – O TEXTO LITERÁRIO EM SALA DE AULA
  • Orientador : CHRISTINA BIELINSKI RAMALHO
  • Data: 07/08/2015
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O ensino de literatura pressupõe a formação de um leitor eficiente, tendo em vista que a leitura é um instrumento de compreensão e construção dos saberes e da consciência do ser e estar no mundo, atitudes desveladas, também, pela arte literária. Nessa perspectiva, assegurar aos estudantes o acesso e a apropriação dos recursos que constituem a linguagem literária, é, segundo Antônio Candido (1995), garantir um direito, o direito à literatura. Assim, esse TCF debruçou-se sobre abordagens teóricas de leitura, literatura e crônica, interessado em contribuir, através de uma proposta de leitura da crônica literária, para a formação do leitor do texto literário, a fim de que as especificidades dessa linguagem sejam capturadas pelos alunos, e eles possam significar o processo de ensino aprendizagem no qual estão inseridos. Para tanto este trabalho propõe uma intervenção pedagógica que contribua com a formação da leitura literária no Ensino Fundamental, através de metodologia de trabalho com a crônica em sala de aula, por meio do estudo dos recursos que conferem literariedade ao gênero em questão, sobretudo, as figuras e funções da linguagem, uma vez que esse gênero do cotidiano, além de cativante, pode ser tomado como representação próxima à realidade dos estudantes, atitude que coaduna com as orientações dos PCN. Elegendo dois focos temáticos principais, a crônica metalinguística e a crônica filosófica, apresentamos o estudo crítico de dois grupos de crônicas, selecionadas para exemplificar a metodologia aqui proposta. O trabalho está fundamentado, principalmente, nas orientações teóricas de Antônio Candido em suas abordagens sobre a importância da literatura para a formação do homem, e “orientações” para o ensino da crônica, na visão crítica de Massaud Moisés, Jorge de Sá e Afrânio Coutinho sobre o gênero crônica, bem como na proposta de letramento literário de Rildo Cosson e nas perspectivas de desenvolvimento e formação do leitor de Compagnon, Felipe Aliende e Mabel Condemarín.

  • MEIRYELLE PAIXÃO MENEZES
  • CADERNO DE LEITURA LITERÁRIA: A RECEPÇÃO PELO OLHAR DE GÊNERO
  • Orientador : CARLOS MAGNO SANTOS GOMES
  • Data: 06/08/2015
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Este Trabalho de Conclusão de Curso (TCF) está composto de uma parte dissertativa e de um Caderno pedagógico com oficinas literárias. O objetivo foi desenvolver uma prática de leitura literária voltada para a interpretação de contos infantojuvenis pelo olhar dos estudos de gênero. Para isso, foi aplicada uma pesquisa voltada para a leitura e a interpretação de textos literários no espaço escolar com ênfase para uma reflexão acerca da representação de gênero dos príncipes e princesas dos contos tradicionais. Tal pesquisa foi realizada em uma escola da Rede Estadual de Sergipe com alunos/as de uma turma de 6º Ano e pretendeu reduzir o preconceito de gênero que ainda faz parte das relações entre garotos e garotas, que repetem padrões sexistas e machistas próprios da dominação masculina. As aulas de leitura do texto literário foram voltadas para a exploração das questões de gênero no imaginário dos contos de fadas. Essas relações partem do senso comum para a repetição de preconceitos contra a mulher. Nesse contexto, foi aplicada uma proposta de trabalho com oficinas de leitura dos contos literários “Entre a espada e a rosa”, “A moça tecelã” e “Como um colar”, de Marina Colasanti, no intuito melhorar os níveis de leitura dos/as estudantes e conscientizá-los/as no tocante à discriminação de gênero na escola. Após as diversas etapas desta pesquisa, propôs-se o Caderno de leitura literária: a recepção pelo olhar gênero como um material didático construído a partir dessa experiência. Metodologicamente, dividiu-se a aplicação da pesquisa em três momentos: 1 - a formação do/a leitor/a, que foi debatido pela perspectiva de U. Eco; 2 - os métodos de leitura de A. Rouxel, C. Gomes; e 3 – a abordagem de gênero pela perspectiva de P. Bourdieu e G. Louro e E. Xavier. Durante essas oficinas, foi feita uma coleta de dados acerca da leitura e do debate sobre as diferenças entre as identidades masculina e feminina na recepção dos contos de fadas. Após a aplicação das oficinas de leituras, passou-se à construção de um caderno de leitura literária que sintetiza as principais etapas da abordagem desenvolvida nesta pesquisa. Com este caderno, espera-se contribuir para a formação de leitores/as críticos/as no intuito de conscientizar os/as discentes com relação à discriminação de gênero, objetivando formar uma sociedade mais justa e igualitária.

  • ELIZABETH DIAS DE SOUZA CINTRA
  • LEITURA LITERÁRIA: UMA PROPOSTA DE TRABALHO ENVOLVENDO O DIREITO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE
  • Orientador : JEANE DE CASSIA NASCIMENTO SANTOS
  • Data: 05/08/2015
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Refletir sobre as práticas didático-metodológicas de leitura literária vivenciadas em sala de aula no Ensino Fundamental, faz-se cada vez mais profícuo e urgente. Pensando nisso, este trabalho propõe a análise das representações dos direitos de crianças e adolescentes na tentativa de desenvolver atividades do gosto literário. Esse recorte é relevante, porquanto possibilita a discussão de realidades sociais diferentes para o leitor em formação. Com esse intuito, pretende-se que crianças e adolescentes ampliem seu horizonte de expectativas concernente aos seus direitos, questionando ainda situações de maus-tratos, exploração do trabalho infantil, abuso sexual entre outras violações, além de perceber as tensões sociais representadas nos textos literários. Nessa abordagem é pertinente, pois, a escola ser um espaço onde a proteção de crianças e jovens bem como a divulgação de seus direitos sejam perseguidas. Para isso, sugere-se no campo metodológico uma prática de leitura pautada no modelo cultural, de Gomes (2012) e no método recepcional, de Bordini e Aguiar (1988). A busca por um ensino de literatura calcado no letramento literário também é uma preocupação dessa empreitada, assim foram produzidas oficinas de leitura literária, na pretensa de desenvolver estratégias de ensino mais significativas e atraentes aos nossos leitores em formação. Para a consecução dessas oficinas, trabalhamos com os textos literários base: “Ciranda, cirandinha”, de Arriete Vilela (2003) e “Por um pé de feijão”, de Antônio Torres (2002). Da feitura e aplicabilidade de atividades diversificadas, culmina-se com a confecção de um caderno pedagógico direcionado ao professor, com a finalidade de propagar a nossa proposta de trabalho. Como aparato teórico, foram utilizadas concepções sobre ensino de literatura, leitura e leitura literária ancoradas nos postulados de Cosson (2011), Cândido (2011), Dória (2008), Viegas (2012), Werneck (2010), Eco (2004), Leffa (1996), Magnani (2001), Silva (2009), Lajolo e Zilberman (2007) entre outros; ademais os estudos sobre violência contra crianças e adolescentes respaldados em Vicente Faleiros e Eva Faleiros (2007), Philippe Ariès (2014), Mary Del Priori (2012) e conforme as concepções e orientações a respeito dos direitos do público infantojuvenil estabelecidos pelo Estatuto da Criança e do Adolescente (1990).

  • WALDEMAR VALENÇA PEREIRA
  • A LÁGRIMA DE UM CAETÉ, DE NÍSIA FLORESTA, COMO CORPUS SENSÍVEL E POSSÍVEL PARA O 9° ANO
  • Orientador : CHRISTINA BIELINSKI RAMALHO
  • Data: 05/08/2015
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Após conhecermos a façanha literária da escritora brasileira Dionísia Gonçalves Pinto (1810 – 1885), mais conhecida como Nísia Floresta, que, além de vários livros publicados, escreveu, também, um poema épico indianista e indigenista, em pleno século XIX, intitulado A lágrima de um Caeté (1849), sentimo-nos inclinados a produzir uma pesquisa científica, de cunho profissional, para fortalecer o ensino de Língua Portuguesa, através do texto literário. Sendo assim, resolvemos desenvolver estudos sobre “A lágrima de um Caeté, de Nísia Floresta, como um corpus sensível e possível para o 9o ano”, resultado do desejo de mediar momentos de estímulo à leitura do texto poético, no Ensino Fundamental, entre jovens de 13 a 17 anos de idade. Para que a nossa ação pedagógica funcionasse de um modo crítico, fundamentamo-nos em pesquisas de Anazildo Vasconcelos da Silva, sobre a semiotização literária do discurso, posteriormente desenvolvidas, também, por Christina Ramalho, e em estudos de historiografia literária de Constância Lima Duarte. Outros(as) intelectuais, como Tzvetan Todorov, Umberto Eco e Roland Barthes, somados a Sílvio Romero, Marisa Lajolo, Regina Zilberman e Antônio Cândido, entre outros(as), auxiliaram-nos nessa pesquisa. Nosso projeto pedagógico e literário, intitulado “Poesia ilustrada 2015”, proporcionou momentos de mediação, com a juventude, dotando-a de habilidades e competências linguísticas, para uma possível aprendizagem sobre “heroísmo épico”. Promovemos, assim, uma produção de ilustrações, tanto de estrofes quanto de episódios do poema, e publicamos duas versões ilustradas de A lágrima de um Caeté: uma digital, disponível em nosso site, na internet, e a outra, impressa, para compor o acervo da nossa biblioteca escolar. A fim de reforçarmos nossas práticas didáticas de estímulo à leitura, aplicamos outra atividade lúdica: “Pode perguntar”. Com isso, visamos colaborar para a criticidade dos debates escolares, principalmente no tange a questões de igualdade de direitos e de convívio pacífico entre diversas etnias culturais.

  • ALEXSANDRA DANTAS OLIVEIRA ANDRADE
  • A CANÇÃO COMO INSTRUMENTO PARA O LETRAMENTO LÍRICO
  • Orientador : CHRISTINA BIELINSKI RAMALHO
  • Data: 05/08/2015
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O presente trabalho traz uma proposta para o ensino do gênero lírico no 7º ano do Ensino Fundamental Maior. Nele apresenta-se o lugar da poesia, isto é, como o texto lírico pode contribuir para a formação de leitores e para o letramento lírico. A proposta contempla o uso de canções da MPB (Música Popular Brasileira) para trabalhar recursos líricos. Trata-se de uma proposta multimodal que traz as canções para ir além da apresentação de teorias, tornando-se uma ferramenta capaz de atingir o desejo de ouvir uma boa música, de buscar o entendimento e a interpretação das letras e de identificar os recursos literários presentes em canções da MPB. Tudo isso associado ao uso das novas Tecnologias de Informação e de Comunicação (TIC’s) que são meios necessários à realização desse projeto. Esse trabalho conta com a rica contribuição teórica de Octávio Paz, Salvatore D’Onofrio, Rildo Cosson, Antonio Candido, Anazildo Vasconcelos, Manoel Reis, Sylvia Helena Cyntrão, Antonio Carlos Xavier, Regina Zilberman etc.

  • MÁRCIA CRISTINA MAIA COELHO
  • ARGUMENTAÇÃO E PERSUASÃO NA SALA DE AULA: O GÊNERO PROPAGANDA
  • Orientador : MARCIA REGINA CURADO PEREIRA MARIANO
  • Data: 31/07/2015
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O presente trabalho versa sobre a argumentação e a persuasão encontradas no gênero textual propaganda e tem por objetivo destacar a importância da retórica para a compreensão, interpretação, análise e produção de textos em sala de aula, possibilitando que a vivência no ambiente educacional se transforme em momentos de aprendizagem com ampliação de conhecimentos e não apenas de reprodução. Ao analisar os elementos persuasivos encontrados nesse gênero textual, que chega até a sala de aula de diversas maneiras, inclusive através das mídias, iremos criar estratégias que proporcionem aos alunos condições para tornarem-se leitores e escritores críticos. Este estudo tem um enfoque qualitativo-interpretativo e de aplicação didático-pedagógica e sua amostra é composta por propagandas que foram extraídas da mídia. Levando-se em conta as características que demarcam esse gênero, iremos proporcionar momentos de análise, compartilhamento e interação. Para melhor contribuir com a prática do professor em sala de aula, este trabalho é acompanhado por um caderno pedagógico com sugestões de atividades práticas envolvendo os temas que aqui serão discutidos. Para tanto nos reportaremos a alguns autores, tais como, Fiorin, que privilegia análises de textos persuasivos; às pesquisas aplicadas no âmbito da psicologia e da educação, realizadas por Schneuwly e Dolz, que têm como objetivo o desenvolvimento de sequências didáticas para o ensino-aprendizagem dos gêneros do discurso como instrumentos de comunicação e interação social; à teoria moderna da argumentação ou Nova retórica, fundada por Perelman e Olbrechts-Tyteca que analisam os raciocínios transcritos em textos impressos, dentre outros.

  • EDINEIDE SANTANA CARDOSO DA SILVA
  • TEMAS TRANSVERSAIS EM TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO: UMA EXPERIÊNCIA A PARTIR DO USO DAS NTDIC
  • Orientador : MARCIA REGINA CURADO PEREIRA MARIANO
  • Data: 31/07/2015
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Neste Trabalho de Conclusão Final, apresentado ao programa de pós-graduação em Letras Profissional em Rede (PROFLETRAS), pretendemos mostrar os resultados da pesquisa em termos de teoria e prática envolvendo a produção de texto dissertativo-argumentativo utilizando Temas Transversais (TT). O maior intento foi comprovar que o apoio pedagógico das Novas Tecnologias Digitais da Informação e Comunicação (NTDIC) se dá de forma bastante positiva. Isso se comprovou a partir de nosso objetivo de pesquisa: comparar a produção de texto dissertativo-argumentativo de alunos antes e depois de eles utilizarem tais ferramentas como meios facilitadores da produção textual, em termos de conteúdo. Para executarmos nosso projeto, utilizamos a internet como fonte de busca de informação e conhecimento dos Temas Transversais debatidos em sala de aula. A ideia foi enriquecer o campo de informação e conhecimento dos alunos por meio de leitura, debate e produção de textos. Os sujeitos da nossa pesquisa foram alunos da Escola Estadual Governador Albano Franco, uma escola do município de Aracaju, Sergipe.

  • SANDRA VIRGINIA CORREIA DE ANDRADE SANTOS
  • COMPETÊNCIA LEITORA DOS TEXTOS MULTIMODAIS: Interagindo com Objetos Digitais de Aprendizagem
  • Orientador : DERLI MACHADO DE OLIVEIRA
  • Data: 31/07/2015
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Partindo de uma perspectiva interativa e reflexiva, o presente estudo objetivou desenvolver a competência leitora diante dos elementos multimodais presentes na composição textual contemporânea, efetivando práticas de leitura visual capazes de aprimorar os conhecimentos linguísticos dos alunos. Para essa pesquisa, adotou-se como método científico o Estudo de Caso com abordagem qualitativa-quantitativa, tendo como campo empírico a EMEF Iraildes Padilha Carvalho, no município de Tobias Barreto-SE. Como instrumento de coleta foi realizada a observação e a aplicação de questionário. A pesquisa está fundamentada a partir da Gramática do Design Visual de Kress e Van Leween (1996), a qual promove a concepção de que os elementos visuais presentes apresentam uma arquitetura própria e significante. Como aporte teórico, utilizou-se também dos estudos de Rojo e Moura (2013), Marcuschi (2011), Bakthin (2011), Tarouco (2003) e Dionísio (2011) dentre outros. Partindo-se do pressuposto de que a leitura visual é pouco explorada em sala de aula, bem como da necessidade de inserção da tecnologia de forma interativa e dinâmica nas práticas pedagógicas, elaborou-se um Objeto Digital de Aprendizagem (ODA) para utilização com os alunos durante o desenvolvimento da pesquisa. Nesse contexto, optou-se pela capa da revista Mundo Estranho como o corpus a ser investigado, a partir do qual foram planejadas as estratégias e os recursos a serem aplicados em sala de aula. Após todo o processo de investigação, os resultados evidenciaram que os alunos pouco exploram os elementos visuais presentes nos textos, tendo em vista a concepção de que as imagens e os demais elementos visuais servem apenas para ilustração. Além disso, comprovou-se também que os recursos digitais possibilitam a exploração e ampliação da leitura visual, trazendo para o aluno uma aprendizagem dinâmica e significativa.

  • JOSÉ TEIXEIRA NETO
  • O INFOGRÁFICO NO PROCESSO DE LETRAMENTO: Possibilidades para uma leitura crítica e um pensar criativo
  • Orientador : DERLI MACHADO DE OLIVEIRA
  • Data: 31/07/2015
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O infográfico é um gênero multimodal ainda pouco estudado no ambiente escolar. Além disso, há poucas pesquisas sobre o gênero como um recurso didático para as aulas de Língua Portuguesa no sentido de estudá-lo como uma representação das práticas sociais da linguagem. Dessa forma, esta pesquisa tem como foco o processo de letramento a partir do texto multimodal ou multissemiótico, especificamente o infográfico. Para isso, serão desenvolvidas atividades de leitura, análise, interpretação e produção do infográfico com alunos da segunda fase do Ensino Fundamental, especificamente os do 9º ano, observando as condições de produção de tal gênero textual. Visando atender ao proposto nos objetivos deste estudo, partimos da concepção de língua como uma atividade social (Bakhtin, 1992), e dos textos multimodais como as “mais distintas formas de construção linguística e de apresentação da informação/mensagem (Dionísio, 2005), procuraremos verificar a contribuição do infográfico no processo de letramento, entendido nesta pesquisa como o “processo de apropriação da cultura escrita fazendo uso real da leitura e da escrita como práticas sociais (SOARES, 2004). Partindo desse pressuposto, será aplicada uma sequência didática, nos moldes sugeridos por Dolz, Noverraz e Schneuwly (apud Marcuschi, 2008), que propõem um trabalho com o gênero textual. No caso, desta pesquisa, optamos pelo infográfico por ser um gênero multimodal com grande teor informativo, aliando de forma harmoniosa o texto à imagem.

  • MARIA EDRIANA DOS SANTOS ROCHA
  • RETÓRICA, ARGUMENTAÇÃO E FACEBOOK: OUTROS OLHARES PARA A LEITURA E A ESCRITA NO ENSINO FUNDAMENTAL
  • Orientador : MARCIA REGINA CURADO PEREIRA MARIANO
  • Data: 30/07/2015
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O ensino de língua portuguesa, de modo geral, não tem cumprido com eficiência o seu papel de garantir a formação leitora e produtora de textos dos estudantes do ensino fundamental das escolas públicas. Tal constatação, evidenciada nos resultados das avaliações oficiais realizadas pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), a exemplo da Anresc/Prova Brasil, deu impulso à nossa busca por teorias que respaldassem a elaboração de uma proposta de ensino que contribua para favorecer o desenvolvimento de competências e habilidades necessárias para a formação de um leitor e de um autor proficientes. Identificamos que, nas séries finais do ensino fundamental, os alunos apresentam sérias dificuldades em compreender, analisar, relacionar conteúdos e informações em textos do domínio do argumentar. Essa dificuldade se agrava no ato de produzir textos. Buscamos nas teorias do discurso as bases epistemológicas para este trabalho, com os neo-retóricos Perelman e Olbrechts-Tyteca (1996) e com Meyer (2008). Apoiaram, ainda, nossas discussões, a teoria da multimodalidade de Kress e Van Leeuwen, com Brito e Sampaio (2013); os estudos de gêneros discursivos/textuais, conforme Bakhtin, Bazerman, Marcuschi e Miller; as concepções de leitura, com Zilberman (2012), e de letramento, com Kleiman, bem como as adotadas pelos PCN e pelas avaliações oficiais. Tendo em vista o universo digital e multimodal, no qual os jovens estudantes estão inseridos, tivemos por objetivo pesquisar estratégias de leitura e escrita e elaborar uma proposta de ensino com ênfase em atividades de produção de textos do universo do argumentar, para o 9º ano do ensino fundamental, por meio do recurso à criação de um grupo do Facebook e da aplicação dos conceitos de retórica e argumentação em postagens autorais dessa rede social. Esta pesquisa resultou na elaboração de um caderno pedagógico para o professor, intitulado Retórica, Argumentação e Facebook: Práticas de Leitura e Escrita para o 9º Ano do Ensino Fundamental (esses assinalados em minúsculas). No contexto da complexidade dos fenômenos envolvendo o ensino de língua, bem como as diversas teorias sobre a linguagem, este trabalho se coloca apenas como uma abertura possível dos estudos de argumentação e persuasão, na perspectiva discursiva, voltados para o ensino de língua portuguesa no ensino fundamental, sem qualquer pretensão de esgotar as possibilidades de estudos nessa área. Pretendemos, portanto, contribuir para aproximar teorias do estudo da linguagem da prática real e diária de ensino da língua, na perspectiva do discurso, a fim de possibilitar aos estudantes o desenvolvimento de suas competências leitora e produtora de textos, recorrendo a um recurso tão utilizado por eles: a rede social Facebook.

  • MARIA ANGELICA DE AMORIM CORREIA
  • A VALORIZAÇÃO DA IMAGEM DO ORADOR NO DISCURSO COMO PRESSUPOSTO PARA A CONSOLIDAÇÃO DO ETHOS DISCURSIVO
  • Orientador : MARCIA REGINA CURADO PEREIRA MARIANO
  • Data: 30/07/2015
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Esta dissertação é o resultado de um trabalho de investigação didático-pedagógica que visa observar a constituição do ethos discursivo em alunos do Ensino Fundamental Maior e a sua imbricação com a valorização da imagem do orador numa situação de discurso. Para tecer a manta que recobrirá esse processo, usamos a linha da abordagem qualitativa a partir do estudo de caso, alicerçada em teorias que comtemplam os seguintes aspectos: a construção do ethos, a relação orador e auditório, o gênero entrevista como instrumento de trabalho e o uso das TIC’s como recurso facilitador da aprendizagem. As considerações foram dispostas neste TCF trazendo uma reflexão sistêmica do uso da linguagem como interação e sua concretização em situações enunciativas. Refletimos sobre quais razões limitam as práticas pedagógicas de colaborarem com a construção do ethos discursivo dos alunos e em que momento se faz crucial a intervenção do professor de forma pragmática, para a garantia do sucesso na aprendizagem. O resultado é a criação de um produto – vídeo aula – sobre o gênero textual entrevista oral, que possa ser utilizado como recurso metodológico em situações educativas, colaborando com essa construção da imagem de si – ou imagem construída de si - que contribui com a formação do discente enquanto ser de discurso, autônomo e crítico.

  • ROSIVANIA DE SOUZA MENEZES
  • A POESIA MEDIANDO O LETRAMENTO LITERÁRIO
  • Orientador : CHRISTINA BIELINSKI RAMALHO
  • Data: 28/05/2015
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho objetiva apresentar algumas considerações teóricas e práticas a respeito da importância do gênero lírico para o desenvolvimento e a ampliação dos processos de letramento dos alunos do ensino fundamental, especialmente o letramento literário. Tanto o poema, com os seus elementos estruturais, quanto várias outras manifestações literárias podem ser instrumentos de expansão dos discursos linguísticos do aluno, porém, em sala de aula, na maioria das vezes, esses textos são empobrecidos frente a abordagens utilitárias e pouco significativas. Serviram de embasamento teórico para as nossas considerações os textos de Cosson (2011), Dalvi (2013), D’Onofrio (2007), Cândido (2006), Zinani e Santos (2004) e Nunes(2009). O trabalho também mostrará os resultados do teste de sondagem, aplicado em rede pública de ensino, cuja montagem e objetivos serão detalhados. Os resultados serviram de norteamento para a proposição de um instrumento metodológico a partir do estudo de poemas metalinguísticos realizados na turma do 9º ano A do Colégio Estadual Sílvio Romero, localizado na cidade de Lagarto, durante os meses de janeiro e abril de 2015. Tal proposta, detalhada através de relato, teve como base o estudo analítico das categorias líricas defendidas por estudiosos citados acima.

  • GILVAN DA COSTA SANTANA
  • REFERENCIAÇÃO EM GÊNERO DISCURSIVO: UMA PROPOSTA DE TRABALHO COM ANÁFORA DIRETA EM PRODUÇÃO DE TEXTO DISSERTATIVO
  • Orientador : MARIA EMILIA DE RODAT DE AGUIAR BARRETO BARROS
  • Data: 27/04/2015
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O ensino de Língua Portuguesa escrita deve pressupor a análise de recursos expressivos presentes em cada contexto do indivíduo. Trata-se da necessidade de abordagem da escrita como processo, fruto de um trabalho de reflexão sobre a linguagem e conhecimento sobre a constituição e funcionamento da língua. O que se deve efetivar é um ensino produtivo para aquisição e aprimoramento de habilidades linguísticas. Para consecução dos objetivos desta empreitada, foram desenvolvidos precipuamente estudos teóricos que envolveram os seguintes aspectos: gêneros de discurso e multimodalidade; ensino de língua portuguesa na perspectiva dos PCN; processos, recursos e mecanismos de referenciação. Isso posto, neste TCF, faz-se uma reflexão sobre linguagem e sua realização, partindo-se de textos, expressões referenciais e situações de construção da textualidade. Tudo isso culmina com a proposta didática de oportunizar o contato dos alunos com referenciação como processo discursivo de construção de textos, lançando mão de atividades que levem os alunos a operar esse recurso. O emprego da referenciação é um dos frequentes problemas no estabelecimento de coesão e coerência em textos produzidos pelos alunos de nono ano. Com nossa experiência, visamos a um contributo de compreensão e aplicação de tal processo no sentido de colaboração em busca de dirimir dificuldades do professor e do aluno em termos didático-pedagógicos na abordagem desse aspecto de produção textual. Ao longo do percurso, chegamos a algumas elucidações bem pertinentes. Destaquemo-las: sobre a anáfora como processo de referenciação, é preciso desconstruir a ideia que concebe o pronome como a única classe de palavra que pode se constituir como anafórica; a anáfora é um fenômeno semântico textual não só correferencial (anáfora direta - cotextual) mas também inferencial (anáfora indireta – contextual); fundamental é que se construam cadeias de referenciação significativas, estabelecendo-se unidade coesiva por meio desse procedimento.

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2019 - UFRN - fragata3.fragata3 v3.5.16 -r8469-1e09b6918