Dissertações/Teses

Clique aqui para acessar os arquivos diretamente da Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da UFS

2018
Descrição
  • JOÃO ROBERTO MARQUES CORDEIRO
  • ASPECTOS DO CRISTIANISMO NO TEXTO DRAMÁTICO HAMLET DE WILLIAM SHAKESPEARE
  • Orientador : ARTHUR EDUARDO GRUPILLO CHAGAS
  • Data: 06/08/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O presente trabalho visa identificar e aprofundar os elementos mais significativos acerca do cristianismo presentes na obra Hamlet, de William Shakespeare. Absolutamente pacificado é o reconhecimento da presença de tais elementos, permanecendo, entretanto, a discussão acerca de qual religião estes referenciam, catolicismo ou protestantismo, bem como acerca da natureza essencial da obra, cristã ou secular. Ademais, adentrar-se-á no estudo sobre os reflexos e inovações trazidas pela referida obra, uma vez que esta traz de forma vanguardista a concepção da individualidade do ser. Assim, verificar-se-á que Hamlet encontra-se no ponto de intersecção da metamorfose entre o velho e o novo, passado e futuro, medieval e moderno, catolicismo e protestantismo. Tendo-se em vista a evidente influência do contexto histórico-sócio-cultural no qual estava inserido Shakespeare, na própria obra Hamlet, este trabalho abordará o cenário vivido na Inglaterra na época da feitura da obra, bem como os eventos que resultaram naquela situação.

  • THIAGO BORGES DE SANTANA
  • O LIVRO DE DANIEL EM OPOSIÇÃO AO EPICURISMO: A RELAÇÃO ENTRE A LITERATURA APOCALÍPTICA JUDAICA E A FILOSOFIA HELENÍSTICA NO SÉC. II a.E.C
  • Orientador : ROMERO JUNIOR VENANCIO SILVA
  • Data: 09/04/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A expansão do império macedônico, sob a égide de Alexandre o Grande, impulsionou a adesão de dimensões culturais helênicas pelo mundo Ocidental e Médio-Oriental em um processo de circularidade cultural denominado de helenização. Contudo, houve contestações a dominação cultural helenística. Desse modo, esta pesquisa investigou a oposição ao epicurismo constatada no livro veterotestamentário Daniel, o qual é resultante de uma experiência sócio-religiosa e colocou em evidência o princípio de fidelidade a Javé. O apocalipse daniélico apresenta uma concepção de que a divindade monoteísta judaica interfere na história de modo definitivo, pois no final dos tempos julgará todos os infiéis (Dn 7, 13-14). Esta percepção se opõe sobremaneira ao pensamento de uma escola filosófica do período helenístico, a epicurista. Tal sistema filosófico veiculava que os deuses eram ataráxicos, bem aventurados, imperturbáveis, incompatível com qualquer sentimento humano. Então, a partir de uma abordagem cultural do fenômeno religioso investigou-se, se o livro de Daniel, redigido em uma linguagem apocalíptica, apresenta uma proposta de modo de vida sócio-religiosa fazendo uma contra argumentação a doutrina epicurista ao mesmo tempo em que fomentava a manutenção de uma identidade judaica ligada a divindade Javé no II séc. a.E.C.

  • JURACY DE ARIMATÉIA ROSA JUNIOR
  • XIRÊ: Troca, fluxo e circulação do axé como forma de manutenção da sociabilidade no Candomblé
  • Orientador : LUIS AMERICO SILVA BONFIM
  • Data: 06/04/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho tem como objetivo identificar de que forma os processos de troca nos rituais públicos de candomblé kétu, mais precisamente nos xirês (festividades de culto a orixá), interferem na manutenção da sociabilidade e na circulação de axé, fortalecendo os laços entre as comunidades internas e externas ao terreiro, como forma de aproximação e troca de saberes. A pesquisa tem como hipóteses: a) que a festa do xirê caracteriza-se como fenômeno das trocas em rituais públicos do candomblé junto ao público externo como forma de externalização de suas práticas; b) as suas trocas contribuem para a manutenção da sociabilidade e circulação do axé; c) as pessoas convidadas estão, direta ou indiretamente, homenageando os orixás, mantendo vivos os elementos culturais/religiosos do candomblé kétu. Do ponto de vista metodológico, esta será uma investigação de caráter descritivo, com abordagem qualitativa, recorrendo-se ao método etnográfico. Por mais que existam trabalhos acadêmicos sobra a temática do candomblé kétu, esta pesquisa propõe um olhar a partir das Ciências da Religião, com a produção de conhecimento, permitindo esclarecer um assunto não suficientemente investigado no âmbito do fenômeno religioso no Brasil. Além de sua relevância e amplitude, o presente estudo pretende ser uma contribuição inovadora na linha de pesquisa que envolve o campo religioso brasileiro, possibilitando compreender assuntos que permeiam o papel decisivo das religiões de matriz africana na constituição das identidades socioculturais do país e nas relações humanas e sociais. Esta pesquisa pode contribuir ainda trazendo novos conceitos e novas formas de entendimento da realidade na temática das religiões de matriz africana.

  • IZAIAS DOS SANTOS GOES GOMES
  • Agostinho de Hipona: o mal e sua relação com a vontade humana
  • Orientador : CICERO CUNHA BEZERRA
  • Data: 28/02/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Este estudo visa analisar a relação entre a vontade humana com o problema do mal a partir do pensamento de Agostinho. Desde a sua juventude Aurélio Agostinho questionava-se sobre o problema do mal e viu no dualismo maniqueísta uma resposta razoável como solução para o problema. Depois de quase uma década no maniqueísmo, Agostinho mudou-se para Roma e posteriormente, Milão onde participou de grupo de estudos platônicos. Contudo, o contato de Agostinho, em Milão, com o bispo católico Ambrósio levou-o a conversão ao catolicismo e com isso o abandono do maniqueísmo. A partir disso, Agostinho elaborou sua teoria sobre o mal, a que está relacionada diretamente à vontade humana. Nessa perspectiva, o mal não é um ser, como ensinava o maniqueísmo, mas fruto da vontade livre do ser humano que, por livre vontade, deixa de querer Deus como bem supremo para querer um bem inferior ou a si mesmo. Dessa forma, pela vontade o ser humano se priva de Deus corrompendo a relação entre o divino e o humano.

  • INGRIT MACHADO JAMPIETRI DE PAIVA
  • Ideologia de gênero, novo martelo das feiticeiras: um histórico da cruzada contra gênero empreendida pelo campo católico conservador
  • Orientador : ROMERO JUNIOR VENANCIO SILVA
  • Data: 23/02/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Nas últimas décadas cresceu o engajamento por Políticas de Ação Afirmativa a níveis nacionais e internacionais. Diversas especificidades foram aclamadas ampliando o leque de reivindicações, possibilitando o emergir de políticas com enfoques de gênero. O sistema educacional brasileiro como Política Pública passa a ser repensado de modo a possibilitar que estereótipos não marginalizem mulheres, homossexuais, transgêneros etc. Em 2014 em vista da aprovação do PNE (2014-2024) houve no Brasil grande discórdia. De um lado aqueles que movidos por pesquisas de gênero, movimentos feministas e LGBTs, desejavam que a educação tivesse como meta a “superação de desigualdades educacionais, com ênfase na promoção da igualdade racial, regional, de gênero e de orientação sexual”; do outro, coletivos religiosos que denominavam a inclusão desta meta como “Ideologia de Gênero”, que teria como objetivo homoerotizar as crianças, incentivar a sexualidade infantil e destruir a família natural. As pressões dos grupos religiosos conservadores surtiram efeito e ocasionaram a supressão das especificidades a serem superadas. Desde então, vários levantes conservadores contra gênero têm sido observado em nosso País. Esse processo tem sido encabeçado por especialistas do Campo Católico Conservador que usando o discurso do pânico e sob o manto de uma falseada univocidade buscam mediar as mudanças sociais, culturais e políticas, principalmente aquelas ligadas às mulheres e a minorias LGBTs. Compreender como os agentes do Campo Religioso operam as relações de forças concorrenciais e correlacionais na luta política é caminho relevante dentro das Ciências da Religião por permitir que vislumbremos seu papel nas mudanças e constâncias do mundo. Como fruto de pesquisa, essa dissertação tem como objetivo apresentar o histórico da construção do inimigo imaginário comum a ser combatido - a “ideologia de gênero” - pelo Campo Católico Conservador proporcionando um olhar crítico de como se deram as relações de forças entre o Campo Católico Conservador e avanços nos estudos e políticas que contemplam a categoria gênero. Buscando compreender este processo, utilizamos como ferramenta o método histórico-crítico e a análise sociológica do francês Pierre Bourdieu. Os levantamentos históricos estão apresentados como movimento de cruzada contra gênero que busca recuperar o território ideário tensionado pelos estudos de gênero. O primeiro capítulo traz o enfoque teórico que sustenta a dissertação, ou seja, quais foram os critérios para as demarcações das lutas e cumplicidades, e, como a luta da Igreja Católica Romana contra gênero tem sido compreendida nos estudos que contemplam gênero e religião no Brasil. O capítulo dois faz um histórico que vai das lutas feministas, a criação e desenvolvimento da categoria analítica gênero, a articulação das Políticas de Ação Afirmativa que contemplam gênero e sua repercussão nas políticas brasileiras. No terceiro capítulo o histórico se concentra nas contrarreações da ala conservadora da Igreja desde as lutas políticas, passando pela alcunha da “ideologia de gênero”, a cruzada transnacional empreendida pelo setor conservador da Igreja Católica Romana e sua reprodução discursiva no Brasil. Na análise das movimentações apresentamos como a ação prática dissimulativa e o hibridismo do habitus sociorreligioso possibilita a naturalização de esquemas de percepção e ação que escamoteiam a origem da luta e permitem cumplicidades em torno da proteção à família natural. Essa situação nos leva a compreender que os especialistas do Campo Católico Conservador buscam mediar as lutas correlacionais e concorrenciais – progresso na medida certa - a fim de manterem-se nas estruturas hegemônicas.

  • GICELIA SANTOS COSTA
  • Protestantes na "Atenas Sergipana”: conflitos religiosos na inserção do presbiterianismo em Laranjeiras/ SE (1884-1899)
  • Orientador : CARLOS EDUARDO BRANDAO CALVANI
  • Data: 21/02/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O presente trabalho mapeia as circunstâncias sociais e os conflitos teológicos subjacentes ao processo de inserção do protestantismo no estado de Sergipe no final do século XIX, durante a transição do Brasil-Império para o Brasil-República na cidade de Laranjeiras-Se. Esta cidade, na época, era conhecida como "Atenas sergipana" em virtude de sua liderança cultural e política no estado de Sergipe. A pesquisa avalia a base religiosa da sociedade laranjeirense e o motivo que levou os presbiterianos a iniciarem sua inserção no estado sergipano a partir desta cidade, apontado certas circunstâncias favoráveis que levaram setores da sociedade laranjeirense a aderir à mensagem protestante. Contudo, o presente estudo observa também que essa inserção não foi pacífica, mas envolveu conflitos teológicos e sociais que se materializavam na forma de violência física contra os que aderiam ao protestantismo, motivando profundas discussões teológicas nos jornais da época. Ao final, a pesquisa pretende demonstrar que, naquelas circunstâncias, a inserção do protestantismo em uma sociedade fortemente católica, contribuiu com o estabelecimento da República brasileira à medida que provocou um debate sobre o direito à liberdade religiosa eo Estado laico.

2017
Descrição
  • MICAELE OLIVEIRA EUGENIO COSTA
  • Corpos, cruzes e ressurreições: um estudo fenomenológico das experiências do cotidiano de mulheres líderes da Pastoral da Criança
  • Orientador : ROMERO JUNIOR VENANCIO SILVA
  • Data: 26/07/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Essa pesquisa objetivou investigar as relações entre o discurso católico e a histórica “feminização” do voluntariado da Pastoral da Criança. Para tanto, foi adotado um viés intersecional, que considera, no caso específico desse estudo, a religião e o gênero, como marcadores sociais estruturantes das relações humanas. Ao longo do estudo, manteve-se um diálogo da Ciências da Religião com a fenomenologia feminista. O método fenomenológico contribui com os estudos das religiões na medida em que propõe a ressignificação de conceitos científicos positivistas e uma superação de binarismos e hierarquias patriarcais, sem perder de vista a noção de relacionalidade como condição para a vida. A cotidianidade epistemológica é o fundamento da fenomenologia feminista e ponto de partida dessa pesquisa. Sendo assim, a pré-ocupação metodológica esteve centrada na captação da(s) relação(ões) estabelecida(s), pelas mulheres líderes, com a dimensão religiosa e a Pastoral da Criança, sobretudo, a partir de um discurso elaborado a partir de suas experiências vividas. Foram entrevistadas mulheres voluntárias da Pastoral da Criança na Arquidiocese de Aracaju/SE. Uma leitura cuidadosa das narrativas foi desenvolvida com vistas ao exame de regularidades e variabilidades conceituais e de sentido emergentes no corpus textual dos registros. A análise de discurso foi utilizada para o tracejo de interpretações possíveis acerca do fenômeno estudado. Os testemunhos ouvidos revelaram um duplo contraditório – sujeição e conquistas. O reforço da “condição” feminina, no eixo da maternidade, e, ao mesmo tempo, protagonismos concretos. Mesmo estando “presas” a um sistema de dominação patriarcal, “confinadas” a lugares tradicionais, experimentado sentimentos de culpabilidade e embebidas da virtude cristã da obediência, as líderes voluntárias assumem funções que lhes garantem a construção de uma figura protagonista, no ambiente público, especialmente na sua comunidade de origem. Além disso, elas acessam conhecimentos e relações humanas que modificam suas vidas, seus corpos, seus sentidos e suas crenças. As interpretações desenvolvidas, ao longo desse escrito, tratam-se apenas de algumas perspectivas ante uma pluralidade de possibilidades.

  • ANA PAULA CHAPLIN ANDRADE
  • O SIMBOLISMO DO FEMININO NA ALQUIMIA E SUA VIOLÊNCIA
  • Orientador : ROMERO JUNIOR VENANCIO SILVA
  • Data: 26/06/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho, tomando como base as ilustrações alquímicas do Rosarium Philosophorum, um tratado alquímico publicado pela primeira vez em Frankfurt (1550), objetiva investigar e analisar as imagens do feminino e seu simbolismo na alquimia a partir da interpretação psicológica de Jung, que encontrou equivalências entre os processos místicos retratados pelos alquimistas e o que ele chamou em sua teoria de desenvolvimento da personalidade de processo de individuação. A individuação consiste na ampliação e transformação da consciência através do diálogo entre o Ego a as imagens arquetípicas oriundas do inconsciente coletivo. Este diálogo torna proeminente a tensão dos opostos presentes na psique, com a possibilidade de superação dos conflitos simbolizados por eles. Na alquimia encontramos um mito e vivência que se relaciona com essas fases de tensão, conciliação e transformação dos opostos constitucionais, sendo a mais básica representação disto a hierogamia do par feminino e masculino na alquimia. A união dos opostos no Rosarium Philosophorum expressa a busca de elaboração de conflitos presentes dentro do contexto religioso da Alquimia-Cristã. O simbolismo do feminino em nossa análise foi identificado com as noções de corpo, instintos, matéria, natureza, interioridade, em oposição ao espírito ordenador, exterior, objetivo, ascético e racionalista identificados com o masculino, aspectos que colidiram entre si na cultura ocidental.

  • VINICIUS LIMA OLIVEIRA
  • A RELIGIOSIDADE EM UNIVERSITÁRIOS DA GERAÇÃO Y NA CRISE DA MODERNIDADE
  • Orientador : CARLOS EDUARDO BRANDAO CALVANI
  • Data: 22/05/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O problema que orientou o desenvolvimento desse trabalho foicompreender as particularidades da religiosidade em universitários membrosda geração Y, tendo como “pano de fundo” o contexto sociocultural recente, ouseja, a modernidade contemporânea. Para investigação do problema proposto,adotamos como objeto de pesquisa 190 jovens universitários, alunos da UFS -Universidade Federal de Sergipe, com idade entre 18 e 30 anos. No que dizrespeito a metodologia, desenvolvemos pesquisa bibliográfica sobre amodernidade atual - que aqui definimos como crise da modernidade - e sobrea questão das novas gerações, com atenção especial para a geração Y. Então,num segundo momento utilizamos como ferramenta analítica a pesquisa decampo. As interpretações apresentadas nessa obra, fruto dos dados coletadose da revisão de literatura citada, sugerem que as novas gerações emambientes universitários assumem uma religiosidade sensivelmente peculiar secomparadas com gerações anteriores.

  • BIANCA MAIA DE BRITTO
  • AS REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA HOMOSSEXUALIDADE NO ESPIRITISMO KARDECISTA: UM ESTUDO DE CASO EM ARACAJU
  • Orientador : JOSE RODORVAL RAMALHO
  • Data: 07/03/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O objetivo geral desta dissertação é a análise das representações sociais do discurso espírita sobre a homossexualidade em textos literários e científicos espíritas, bem como em entrevistas com praticantes do espiritismo kardecista, particularmente a questão da aceitação e da não discriminação. Nessa análise busca-se evidenciar contradições no discurso, assim como alterações ao longo do tempo, adequações às mudanças científicas ou ao senso comum, entre outros. Também se verifica a compatibilidade do discurso entre os textos do codificador do espiritismo, Allan Kardec, e expoentes contemporâneos da doutrina. Outro objetivo é avaliar se existe o que pode ser tida como a visão espírita sobre a homossexualidade, ou se apenas pode-se falar em posições de diversos líderes em diversos momentos. Isso é importante uma vez que a própria definição do que é a religião espírita e a identificação de seus integrantes é algo fluido, sendo necessário identificar nuances e tendências. Investigar elementos de contradição entre o discurso espírita em produções literárias ou científicas e práticas dos movimentos, i.e., se o discurso que combina aceitação com naturalização é efetivamente praticado por membros da religião. Para esse ponto, entrevistas semiestruturadas são necessárias para que se aprofunde a análise e sejam colhidas informações que excedam aquelas que representam obras acabadas. Em termos de metodologia, destaca-se que o trabalho trata da análise dos discursos, não mera análise do conteúdo, e numa perspectiva qualitativa busca encontrar padrões e explicações no discurso, associados ao seu contexto. Trata-se de uma pesquisa que mescla elementos bibliográficos com empíricos, o que permite aprofundar ou validar conclusões. A pesquisa inclui as obras escritas ou supervisionadas pelo codificador do espiritismo, Allan Kardec, passando por textos de Chico Xavier, ícone nacional, até líderes locais como Benjamin Aguiar, radicado em Sergipe. Para os expoentes contemporâneos, entrevistas, blogs e outras fontes disponíveis online, desde que indiquem origens, são fontes que enriquecem a pesquisa e permitem analisar a temática sob várias óticas.

  • NELSON SANTANA SANTOS
  • Entre os meandros da tolerância: cristãos-novos, judeus e as especificidades da institucionalização do Judaísmo no contexto inter-religioso do Brasil holandês (1630-1654)
  • Orientador : MARCOS SILVA
  • Data: 21/02/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho visa estabelecer um olhar (sobretudo) histórico sobre as religiosidades judaicas vivenciadas entre 1630 e 1654, na Capitania de Pernambuco, então sob o domínio político-militar dos holandeses. Trata-se de um momento sui generis em que, ainda que por um breve interregno, foi concedida a liberdade de consciência religiosa a todos – inclusive aos judeus, àquela época perseguidos nas mais variadas partes do mundo. Neste cenário diferenciado, católicos, protestantes e judeus dividiram o mesmo espaço político e jurídico. Este verdadeiro prenúncio da tolerância religiosa atraiu diversos judeus de outros países, encorajou cristãos-novos que ali viviam a reabraçar sua antiga fé e culminou com a institucionalização da primeira comunidade judaica das Américas. Com especial inflexão sobre a participação dos cristãos-novos, o foco principal da pesquisa consiste em investigar até que ponto a liberdade de consciência religiosa e o verdadeiro cadinho cultural existentes naquela região engendraram as condições necessárias para o aparecimento de (uma) vivência(s) religiosa(s) do judaísmo diferenciada(s) das ocorridas em outros contextos históricos, bem como identificar minimamente quais seriam estas eventuais especificidades.

  • GILMAR ARAUJO GOMES
  • JUDAISMO E LITERATURA: A TEORIA DO AMOR DE JUDÁ ABRAVANEL (LEÃO HEBREU) NOS DIÁLOGOS DE AMOR
  • Orientador : CICERO CUNHA BEZERRA
  • Data: 20/02/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Nascido em Lisboa em data imprecisa entre 1460 e 1470, Judá Abravanel, desde novo, como atenta seu biógrafo João Vila-Chã, se dedicou ao estudo, à contemplação e ao típico modelo de ensino e aprendizagem das destacadas famílias judaicas de sua época, ou seja, um modelo marcado por um substancial programa de estudos em que incluíam, de modo especial, herança grega e hebraica. No entanto, a primeira característica que faz diferenciar seu desenvolvimento intelectual é a condição de ter sido filho de Isaac Abravanel (1437-1508), conselheiro e tesoureiro de D. Afonso V, cujo destaque na corte portuguesa gerou desavenças contra a atuação dos judeus. A seu pai, sua personalidade muito deve; tanto em seu desempenho público, na sinagoga e na corte, quanto em orientações pessoais; seu pai lhe transmitiu a iniciação nos segredos da Cabala e nas reflexões filosóficas de autores como Aristóteles e Maimônides. Também conhecido como Leão Hebreu, o estudo da identidade histórico-religiosa de Judá Abravanel, contida na obra Diálogos de Amor, propõe uma perspectiva de errância do ser-em-exílio, ou seja, a vivência da condição humana em termos de paixão e dor, própria da mentalidade sefardita que se fortalece a partir desse período, como judeu disperso. A poética ali presente manifesta uma teoria do amor produzida com forte influência, dentre outros, de Marsilo Ficino e Jochanan Alemanno, este último um dos precursores hebraicos do humanista Pico della Mirandola, e a quem se atribui ter proporcionado o encontro entre ambos. Não somente seus Diálogos de Amor entrelaçaram as Escrituras Judaicas com o ensino de Platão, Aristóteles, os estóicos e os árabes (sobretudo Averróis e Avicena), mas também influenciaram a obra de autores posteriores como Giordano Bruno. A perspectiva neoplatônica ali presente concebe o amor como princípio universal, unindo o inferior ao superior, o universo com o seu criador; aliás, ele entende a criação como dado apriorístico, por isto “ele se entrega à refutação da tese aristotélica da eternidade do mundo” (CALAFATE, 2000). A escrita neoplatônica de Judá Abravanel oculta uma estrutura de ensino da Cabala, como aprendida dos sábios teólogos judeus, os quais teriam influenciado a filosofia de Platão, assim entende Leão Hebreu. Portanto, esse trabalho tem como objetivo geral, expor a concepção de amor de Judá Abravanel expressa em seus Diálogos de Amor, ressaltando os aspectos literários, filosóficos e religiosos que compõem essa obra.

  • FERNANDO FILINTO MACHADO PINHEIRO
  • A DOUTRINA DA PREDESTINAÇÃO EM JOÃO CALVINO E SUAS CONOTAÇÕES AGOSTINIANAS: REFLEXOS NO ELÃ MISSIONÁRIO PRESBITERIANO DO BRASIL NO SÉCULO XIX.
  • Orientador : NILO CESAR BATISTA DA SILVA
  • Data: 20/02/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • RESUMO: O presente trabalho pretende analisar a doutrina da predestinação dentro do calvinismo, apontando em direção ao poder que essa doutrina exerce como dogma no imaginário religioso, além de motivar os sujeitos em suas ações no elã missionário. A proposta investigativa também visa identificar elementos da teologia agostiniana na doutrina da predestinação calvinista. Desde a Reforma de João Calvino, na segunda etapa do século XVI, até a chegada da Igreja Presbiteriana do Brasil no século XIX, os crentes alcançaram por meio da doutrina da predestinação uma vocação que impulsionava a uma religiosidade própria, a se considerar um povo escolhido, “eleito” de Deus. De fato, onde essa doutrina esteve presente, gerou no coração dos “escolhidos” um sentimento de exclusividade e pertença ao sagrado. No povo eleito de Israel, na Genebra de Calvino, na Escócia de John Knox, na Nova Inglaterra dos Puritanos, ou em quaisquer lugares nos quais a doutrina da predestinação se fez presente, trouxe essa característica de pertença e/ou o sentimento de se estar no “Centro do Mundo”. Revoluções foram nutridas, reis destronados, nações reformadas, conflitos e sínodos reunidos, transformações políticas, ideológicas, religiosas, econômicas e sociais acontecidas pelo poder dessa doutrina como já lembrava Max Weber: “Mas se partirmos, como há de ocorrer aqui, deste último ponto de vista e nos indagarmos portanto sobre a significação a ser conferida a esse dogma no que tange a seus efeitos histórico-culturais, com certeza essa há de ser das mais notáveis”. Portanto, para referendar nossa análise, partiremos desde o conceito da eleição na religião judaico-cristã, transformando no termo cunhado por Paulo, perpassando em Agostinho de Hipona, até chegar em Calvino e suas exegeses ulteriores no calvinismo dos séculos XVII, XVIII e XIX e seu percurso final no Brasil, com a chegada dos Presbiterianos de Missão, com a IPB, a doutrina da predestinação ainda tem uma centralidade.

    Palavras-chaves: Predestinação, Doutrina, Calvinismo, Presbiterianismo, Elã e Missões.

  • PRISCILLA DA SILVA GÓES
  • A perseguição inquisitorial e o Criptojudaísmo: Estudo dos processos envolvendo o sargento-mor de Sergipe Del Rey Diogo Vaz e seus familiares.
  • Orientador : MARCOS SILVA
  • Data: 20/02/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Em virtude do estabelecimento do Tribunal do Santo Ofício da Inquisição em Portugal, em 1536, qualquer outra religião que não fosse a Católica passou a ser severamente punida. Os judeus, que já haviam sido expulsos da Espanha, sofreram antes de findar o tempo para sua saída de Portugal o batismo forçado. Tais judeus passaram a ser conhecidos como “cristãos-novos”. Com a política portuguesa de colonização da América, muitos cristãos-novos vieram para o novo continente na esperança de fugir da perseguição religiosa mais acirrada, já que na “nova” terra não havia o tribunal inquisitorial. Muitos cristãos-novos eram acusados de continuarem praticando a religião judaica clandestinamente. Tais acusações foram responsáveis por inúmeros processos em todo domínio português e espanhol. Estudaremos, portanto, o caso do cristão-novo acusado de judaizante, Diogo Vaz Penalvo, o qual, na época em que foi levado para o Tribunal da Inquisição em Lisboa, era sargento-mor em Sergipe Del Rey, juntamente com alguns processos de membros de sua família, que também estiveram sob os auspícios de tal tribunal antes dele.

  • JOSÉ ANTONIO SANTOS DE OLIVEIRA
  • A poesia nos salvará: uma análise teológico-existencial da obra "Miserere" de Adélia Prado
  • Orientador : JOE MARCAL GONCALVES DOS SANTOS
  • Data: 17/02/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A poética de Adélia Prado é tocada pela simplicidade, perpassa as coisas triviais do cotidiano e nos faz perceber a beleza da vida que pulsa em cada ato humano. A palavra poética é símbolo que a autora engendra para transpor, através da linguagem, o seu encontro com o mundo; através da qual nos faz perceber a verdade que está escondida na simplicidade da vida. Embora a autora, em sua escrita, mostre-se imbuída de uma fé católica, recorrendo, em seus poemas e sua prosa, a esse repertório religioso específico, o que pretendemos demonstrar nesse trabalho é que a qualidade religiosa da sua poesia não se dá estritamente pelo uso recorrente destes elementos específicos, mas em razão do modo como “poetiza” questões muito humanas. Nessa perspectiva, o filósofo e teólogo Paul Tillich nos fornece uma definição de religião como preocupação última presente em todas as esferas do espírito humano. Este conceito deriva da noção de incondicional como qualidade fundamental e paradoxal da consciência e da realização de sentido na dinâmica cultural. Fé, assim compreendida, é preocupação última enquanto atitude do espírito humano orientada à incondicionalidade de sentido, cuja expressão só é possível através da linguagem simbólica. Esta, embora participante da realidade em que está imersa, indica para além dessa imediatidade, desvelando dimensões e estruturas da realidade que, de outro modo, permaneceriam escondidas, e assim propicia a integração do ser humano consigo mesmo e com o mundo ao seu redor. O presente trabalho tem como objetivo expor o percurso que traçamos até o momento, no intuito de fazer uma análise teológico-existencial acerca de uma seleção de poemas do livro Miserere (2013) de Adélia Prado, obra na qual a autora retorna e aprofunda questões humanas tematizadas desde a sua primeira obra, Bagagem (1976). Uma poética que toca as realidades do corpo e da alma, acompanhada pela imagem de um Deus expectador do desenrolar da vida, desprovido do poder das instituições e transformando a vida humana numa extensão de sua presença viva. Paul Tillich, com seu conceito existencial de religião e com uma teologia da arte, nos fornecerá subsídios para essa aproximação analítica e hermenêutica entre religião e literatura.

2016
Descrição
  • MOACIR RIBEIRO DA SILVA
  • Vacuidade e desprendimento: zen budismo e cristianismo na obra A religião e o Nada de Keiji Nishitani.
  • Orientador : CICERO CUNHA BEZERRA
  • Data: 23/03/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Na Universidade de Kyoto, a partir da abertura do Japão ao ocidente na Era Meiji, um grande trabalho intelectual estabeleceu um diálogo produtivo entre o pensamento oriental e ocidental nos âmbitos da filosofia e da religião, a chamada “Escola de Kyoto”. Iniciado por Nishida Kitarō (1870 - 1945) e por seus discípulos Tanabe Hajime (1885 - 1962) e Keiji Nishitani (1900 - 1990) a Escola de Kyoto abriu uma nova discussão, a partir da problemática do Nada, sobre o sentido da Religião frente à crise niilista dos valores. Na obra “A Religião e o Nada” de Keiji Nishitani, se estabelece uma profunda reflexão a partir dos conceitos de Vacuidade e Deidade em Mestre Eckhart, proporcionando, assim, um frutuoso encontro entre o Zen- budismo e o Cristianismo. Esse encontro permite-nos pensar em uma interlocução promovida no contexto dessa obra, considerada a Opus Magnum de Keiji Nishitani, com a tradição cristã, figurada nessa mesma obra. Neste sentido, o Nada como um caminho interpretativo, de acordo com o pensamento nishitaniano, consiste em uma experiência marcada pela confluência de fatores como: um alargamento da visão de mundo mediante a compreensão transconceitual da realidade, identificada, pelo pensador, como “O ponto de vista da Vacuidade”. Com isso queremos, finalmente, pensar em que medida o pensamento de Nishitani permite, em confluência com o cristianismo, repensar a condição religiosa do homem moderno.

  • RICARDO AURELIO MADEIRA MARINHO
  • ESTRATÉGIAS DE COMPETIÇÃO DA IGREJA METODISTA NO MERCADO RELIGIOSO NORDESTINO
  • Orientador : PERICLES MORAIS DE ANDRADE JUNIOR
  • Data: 22/03/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • No Nordeste brasileiro, a Igreja Metodista, por ser uma igreja evangélica de missão, teve como característica de adentramento no campo religioso brasileiro o evangelismo, seja realizado por missionários itinerantes ou pregadores leigos, logo em seu início; seja com o proselitismo junto às comunidades em que estava inserida por meio de um trabalho social ou educacional, após sua consolidação no país. No entanto, desde a década de 1990, com as significativas mudanças no campo religioso brasileiro, notadamente o crescimento dos neopentecostais, viu seu número de fiéis estagnar e, em alguns casos, até decrescer. Este crescimento rápido dos neopentecostais transformou o campo religioso brasileiro dum modo que promoveu uma mudança de forças e resultou numa competição maior entre as instituições religiosas, o que ocasionou uma redefinição nos modelos e estratégias de crescimento de alguns atores religiosos. No caso da Igreja Metodista em terras nordestinas, estratégias como: utilização de meios de comunicação, utilização de marketing e conceitos da administração, especialização dos produtos e serviços religiosos, mudanças nas liturgias e nos locais de culto, ênfase nos dízimos e outras, objetivaram um aumento numérico de seus fiéis e, pelo menos, a manutenção de seu espaço no campo religioso. Este trabalho procura investigar as causas e consequências da adoção de estratégias de crescimento advindas do campo empresarial e de algumas igrejas neopentecostais, com vistas a manutenção do espaço no campo religioso, em uma igreja de doutrinas e bases teológicas seculares, que remontam ao movimento da Reforma Protestante.

  • CÂNDIDO LUIZ SANTOS MAYNARD
  • O DISPENSACIONALISMO E A UTILIZAÇÃO DE SÍMBOLOS JUDAICOS NOS CULTOS EVANGÉLICOS.
  • Orientador : MARCOS SILVA
  • Data: 22/03/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O desgaste sofrido com o tempo, as novas tecnologias e as novas propostas religiosas são alguns dos desafios que as igrejas evangélicas, tradicionais, pentecostais e neopentecostais enfrentam. O presente trabalho tem por objetivo identificar as possíveis reações das igrejas neopentecostais na modernidade, diante da intervenção da secularização e o papel do Dispensacionalismo nessa ação. Depois de um longo e rico processo histórico de pluralização da nossa matriz religiosa. Como instrumento nos utilizamos da pesquisa bibliográfica, pautada nas propostas de autores como: Peter Berger, Ricardo Mariano e Charles C. Ryrie, além de leituras dos dados demográficos brasileiros obtidos através do IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Como resultante perceber especificamente como comunidades neopentecostais tem buscado vencerem esse processo, por conta da pouca, ou quase total ausência de símbolos, que vinculem sua identidade ao sagrado. Contrarias ao catolicismo que mantem um capital simbólico riquíssimo, no entanto vem perdendo sua posição de liderança numérica a cada década. Qual seria a sua ferramenta de manutenção da simbologia sagrada? Concluímos que, os usos de capitais simbólicos do judaísmo estão sendo utilizados para esse fim. Essas apropriações são manifestações em resposta às pressões, utilizando-se do Dispensacionalismo para legitima-las institucionalmente.

  • CLEVERTON RODRIGO ROCHA SILVA
  • HEIDEGGER E HÖLDERLIN: CONSIDERAÇÕES SOBRE O POÉTICO E O SAGRADO.
  • Orientador : CICERO CUNHA BEZERRA
  • Data: 21/03/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A presente pesquisa versa sobre os primeiros cursos de M. Heidegger sobre o poeta Hölderlin focando na relação entre a linguagem poética e o sagrado. Com isso, buscamos explorar a proximidade da poesia com o pensamento filosófico atentando para a questão chave da ontologia heideggeriana e suas consequências para as Ciências da Religião, a saber: em que medida o poético abre para uma experiência de mundo marcada pela aparição divina? Para tanto, dividimos nossa dissertação em três capítulos: 1) Martin Heidegger: poesia e sacralidade; 2) Ser sem Deus: o habitar sagrado; 3) Poesia e sacralidade: a voz do poeta dos poetas.

  • ISIS CAROLINA GARCIA BISPO
  • O MISTÉRIO DE FRANCISCO PEÑARANDA: A MAGNÍFICA HISTÓRIA DE UM CRIPTOJUDEU E SEU TESOURO OCULTO NA ESPANHA DO SÉCULO XVI
  • Orientador : MARCOS SILVA
  • Data: 21/03/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Durante muito tempo, em Portugal e na Espanha, se cultivou a crença de que os judeus ao serem expulsos da Península Ibérica, no início da Idade Moderna, esconderam tesouros em determinados locais para serem resgatados na posteridade. Apesar desse relato está envolto em um clima de mistérios e também ser distorcido pela imaginação popular, na esperança que muitos acariciam de encontrar riquezas em joias e metais preciosos, existem indícios de que essas riquezas encobertas eram constituídas por livros censurados uma vez que, em sua fuga para outros países cristãos, eles não poderiam levá-los consigo. Assim, para corroborar com esse relato, em 1992 quando era realizada a reforma de uma secular residência na pacata vila de Barcarrota, na Espanha, foi encontrado um "tesouro oculto” escondido por tapumes num espaço vazio existente entre as paredes. Tratava-se de um conjunto heterogêneo de dez impressos, um manuscrito e uma nômina. A partir dessa surpreendente descoberta é desvelado, pelo historiador e professor extremeño Fernando Serrano Mangas, que esse conjunto de livros clandestinos foi ocultado pelo médico criptojudeu Francisco de Peñaranda, por volta de 1557. Portanto, essa dissertação procura ilustrar, a partir da análise das obras “Alborayque” e “A muito devota oração da emparedada”, o universo místico criptojudaico e seus meandros no contorno do século XVI. Nessa perspectiva, trabalhamos segundo o método indiciário, proposto por Carlo Ginzburg, para destacar elementos fundamentais da cosmovisão dessa minoria que foi objeto de perseguição pela Inquisição Moderna.

  • VALMÔR FERREIRA SANTOS
  • Uma introdução ao movimento do neoateísmo: definições e metateses
  • Orientador : ADILSON ALCIOMAR KOSLOWSKI
  • Data: 24/02/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Essa dissertação de mestrado em Ciências da Religião intitulada Uma introdução ao movimento do neoateísmo: definições e metateses tem como objetivo apresentar uma introdução a problemas muito básicos do neoateísmo (NAT). O NAT está associado comumente a quatro pessoas, a saber, Sam Harris, Richard Dawkins, Daniel Dennett e Christopher Hitchens que são considerados os genitores desse conjunto de ideias a respeito da religião. O objeto dessa dissertação não são primariamente as teses sustentadas por esses intelectuais, mas o de compreender o próprio NAT. Em relação à metodologia da pesquisa é de índole conceitual, não empírica, porém vale-se de pesquisas históricas e sociológicas a respeito do tema. Após observar que há grande divergência na literatura e na mídia de como entender o NAT estabelecemos no primeiro capítulo um conceito mínimo de ‘ateísmo’ e no segundo de ‘neoateísmo’. No último capítulo, o terceiro, discutimos algumas metateses, alegações gerais a respeito do NAT. Concluímos que o ateísmo deve ser entendido entre outras propriedades como a ausência da crença em Deus ou nos deuses. O NAT mesmo que não definido, podemos compreendê-lo como um grupo de teses com semelhança de família. Por fim, em relação às metáteses, concordamos parcialmente com Zenk que o NAT é uma construção da mídia; igualmente com LeDrew que é um movimento social, fundamentalmente uma ideologia. Porém, discordamos de Paine e Nall de que tal movimento é um fundamentalismo como definido por ambos os autores. Desejamos que esse trabalho seja uma contribuição para os estudos do ateísmo em nosso país.

SIGAA | Núcleo de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2018 - UFRN - canario.ufs.br.canario1 v3.5.16 -r5157-f3c8b3e02