Dissertações/Teses

Clique aqui para acessar os arquivos diretamente da Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da UFS

2019
Descrição
  • FERNANDO LUIS LOPES DANTAS
  • Terrenos de Marinha: antecedentes, invenção e atualidades.
  • Orientador : GICÉLIA MENDES DA SILVA
  • Data: 28/11/2019
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • Os terrenos de marinha, desde quando inventados pelo Decreto de 21 de janeiro de 1809,(somente assim designados pelo Aviso de 7 de julho de 1829), estão envolvidos em tensões esão objeto de questionamentos. Na atualidade, muito se ampliaram as controvérsias emrelação à essa categoria de bens, sobretudo em razão dos reflexos do seu processo dedemarcação, do qual resulta o “rebaixamento” daqueles que antes os utilizavam seconsiderando “donos”, em sua maioria detentores de títulos de propriedade que a União tempor insubsistentes, e que passam à condição de meros ocupantes, submetendo-se, além da“perda” do domínio, a vários encargos, inclusive de caráter pecuniário, dos quais têm maiorrelevância os pagamentos das taxas de ocupação, dos foros e do laudêmio. Em razão dessas ede outras controvérsias, tramitam no Congresso Nacional projetos visando à modificação doregime jurídico dos terrenos de marinha, havendo, ainda, iniciativas legislativas queambicionam a extinção dessa categoria de bens. Por outro lado, a União, em defesa doinstituto, sustenta que a sua existência e a manutenção do seu regime jurídico seriam medidasimperiosas, pois supostamente conformadas à tríade de valores correspondentes ao que seconvencionou chamar de “tripé da sustentabilidade”, firmado em aspectos ambientais, sociaise econômicos. Ao ensejo de contribuir para esse debate, o objetivo geral desta pesquisa foielaborar uma história dos terrenos de marinha informada por um caráter genealógico, em queas análises estão centradas nas condições de possibilidade da invenção e manutenção desseinstituto, bem como na problematização de sua função social (“Socioambiental”). Para esseempreendimento, propôs-se uma abordagem que se denominou Arqueogenealogia “a partir”de Foucault, elaborada mediante a conjugação de elementos da Arqueologia e da Genealogia“de” Foucault. A tese se estrutura em três capítulos de desenvolvimento, além da Introdução eda Conclusão (“Considerações presentes”). O primeiro capítulo, de nome “Arqueogenealogia,propriedade e função social”, compreende a elaboração da proposta de abordagem(Arqueogenealogia a partir de Foucault) e a apresentação da pesquisa quanto aos seusaspectos metodológico, procedimental e teórico. O segundo, chamado “As condições dainvenção”, é destinado à descrição e à análise das práticas (discursivas e não discursivas) queensejaram a invenção dos terrenos de marinha, ou seja, suas condições sócio-históricas depossibilidade. No terceiro, denominado “Os terrenos de marinha e sua função social(‘socioambiental’)”, produziu-se “a” (uma) descrição e a análise da “trajetória” histórica doinstituto, desde sua invenção em 1809 até o presente. Neste capítulo também foiproblematizada a função social dos terrenos de marinha, optando-se por um recorte temático,que considerou as práticas em lugar da orientação linear do tempo cronológico. Finalmente,nas “Conclusões” (“Considerações presentes”), foi elaborada uma apertada síntese dotrabalho, das quais as conclusões que o esforço de síntese impõe seriam as seguintes: a) que a história é uma invenção produzida numa teia de relações de poder; b) que a propriedade,como fato e como direito, é uma categoria histórica, sendo, portanto, inventada; c) que danoção de função social idealiza o elemento “social” deste conceito, embora se oculte essacondição com a intenção de sujeitar a sociedade à vontade da elite que influenciadeterminantemente a produção das regras jurídicas; c) que o regime de propriedade públicano Brasil foi produzido pelo dispositivo colonial imposto pela Coroa portuguesa, que, na baseda força e, sobretudo, de elementos discursivos de dominação, excluiu do domínio doterritório os nativos que aqui já viviam em 1500; d) que, desde sua origem, a disciplinanormativa foi elaborada com o escopo de agenciar a propriedade imobiliária em função deinteresses econômicos, viabilizando sua apropriação a partir de critérios censitários (cabedal) eexcluindo ou dificultando o acesso à terra por parte de quem não dispunha de recursosfinanceiros; e) que os terrenos de marinha, observando essa mesma lógica de agenciamento,foram inventados e funcionam até o presente como instrumento de apropriação de espaçosprivilegiados em favor de quem mais pode pagar por eles, o que conduziu à ratificação, comoconclusão principal desta tese, do lamento cantado por Caetano, no sentido de que a “força dagrana (...) ergue e destrói coisas belas”.

  • LORENA XAVIER CONCEIÇÃO SANTOS
  • CONDICIONANTES SOCIOAMBIENTAIS DE SAUDE DE MARISQUEIRAS DA ILHA MEM DE SÁ EM ITAPORANGA D’AJUDA/SE
  • Orientador : ADAUTO DE SOUZA RIBEIRO
  • Data: 31/10/2019
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • A pesca artesanal é uma atividade econômica e social que exerce significativo papel na economia local e familiar exercida em sua maioria, por mulheres, as quais são invisíveis nas esferas clinico-epidemiológicas e institucionais na saúde do trabalhador. O presente trabalho teve como motivação explorar o universo ocupacional das marisqueiras da Ilha fluvial de Mem de Sá, localizada no estuário do Rio Vaza Barris, dentro dos limites do município de Itaporanga D’Ajuda, estado de Sergipe. O estudo de pesquisa-ação participante exigiu vivencia e imersão do observador ao objeto de estudo sobre o modo de trabalho das mulheres para buscar a compreensão e mensuração de possíveis agravos à saúde física e mental dessa classe trabalhadora. A tese teve como objetivo geral, analisar o grau de sustentabilidade da atividade de mariscagem das mulheres da Ilha de Mem de Sá. Para compreender de maneira holística as características de cada fase da atividade de pesca artesanal e mariscagem constatou-se que esta é a principal fonte de renda de 90% das 30 participantes que dispuseram a responder os questionários num universo de 88 famílias residentes na ilha. A base metodológica de abordagem etnográfica, teve 8 sessões de visitas in-loco aos pontos de pesca no mangue e na comunidade. Utilizou a técnica snowball, seguindo os padrões de procedimentos de coleta, organização social, produção de dados e do conhecimento. Numa segunda fase avaliou-se os registros problemas de saúde e ergonômicos em documentos disponíveis na colônia de pescadores Z-9 em Itaporanga da Ajuda. Na terceira fase aferiu-se e avaliou os riscos ambientais da categoria conforme Port. MTb nº 3.214/1978 e através da NR-09 as variáveis: exposição à radiação não ionizante (raios U.V.A. e U.V.B.), ruídos, estresse térmico, iluminância e umidade. Os critérios de verificação e comparação aos riscos ergonômicos da atividade basearam-se nos padrões estabelecidos pela NR 017 e pelo Guia do Finish institute of ocupational health para análise ergonômica de postos de trabalho. Estimou-se um índice global de sustentabilidade ISg = 0,352 ± 0,178 para a atividade de mariscagem na ilha Mem de Sá, em uma escala entre 0 ~ 1, a qual foi considerada um IS médio ruim a péssimo, porém das 11 variáveis os indicadores econômicos, ambiental e social, a dimensão social cultural foi o indicador mais relevante em cenários futuros da atividade mariscagem, pois a cultura local tem força de coesão no controle e manutenção da atividade da pesca de mariscos entre as mulheres e a família. Todavia, o estudo considerou que a atividade de mariscagem, avaliada nesta tese, pode ser considerada como uma atividade ergonômica insustentável para as mulheres, nas dimensões ambientais e econômicas.

  • HERALDO BISPO DOS SANTOS
  • INOVAÇÃO AMBIENTAL NO CONTEXTO BRASILEIRO: origens sociohistóricas e contradições do interesse público de representantes do Estado (1808-2016)
  • Orientador : ANTONIO VITAL MENEZES DE SOUZA
  • Data: 31/10/2019
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • As origens sociohistóricas, contextos e contradições do interesse público de representantes do Estado brasileiro em torno das inovações ambientais é o objeto de estudo dessa pesquisa. O objetivo foi identificar e caracterizar contextos e contradições, encontrados nos diferentes modos de organização política do Estado brasileiro, desde a transferência da Coroa Portuguesa ao Brasil até a República, quanto a relação estabelecida pelas Instituições de Estado entre meio ambiente, desenvolvimento científico e tecnológico. Nesse sentido, foi analisado o interesse público de representantes do Estado brasileiro, governantes e intelectuais de Estado, em torno das inovações ambientais, a partir da institucionalização da ciência e da tecnologia no território nacional. A abordagem crítica de pesquisa e método dialético foram escolhidos para o desenvolvimento da pesquisa. A BATEIA – dispositivo de análise dialética foi o principal instrumento utilizado na coleta e análise das informações. Os resultados obtidos apontam para: (1) a centralidade da presença constante do Estado na definição de interesse econômico de extração de recursos naturais brasileiros. É possível afirmar que (2) as Instituições de Estado e os intelectuais de Estado, desde a chegada da Corte Portuguesa ao Brasil, estabeleceram conflitos de interesse no que se refere à ciência e desenvolvimento, considerando a questão ambiental e as tecnologias dela decorrentes de modo secundário. (3) O desenvolvimento de produtos de ciência ainda se mantêm ligados ao campo das ciências da saúde (epidemiologia, sobretudo). Outro fator relevante é que, (4) o interesse de representantes públicos do poder político brasileiro contemporâneo, em torno às inovações ambientais, é caracterizado: (a) por meio da influência partidária na definição de agenda à inovação ambiental dado pela ocupação de cargos e funções ministeriais, destacando-se, o MDB[28, 5%] e PSDB[14,2%], em comparação ao PT, PCdoB e PSD[4,1%]; (b) pela concentração no eixo sul-sudeste do país[85,7%] na distribuição de representatividade regional de origem dos ocupantes dos cargos de Ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC); (c) pela manutenção de carreiras ligadas à Instituição de Estado, tendo destaque a carreira de político[30%], engenheiro e advogado[14%], respectivamente, quanto ao perfil profissiográfico dos ocupantes do MCTIC. Por fim, identificou-se a frágil estruturação de sistemas de gestão da inovação ambiental no Brasil. (5) Os elementos que contribuem para dificultar a estruturação de sistemas brasileiros de gestão da inovação ambiental sofrem influência da tardia institucionalização da ciência no país, entre os quais se destacam: (a) desprestígio da pressão internacional da regulação ambiental sobre processos produtivos, industriais e tecnológicos no âmbito da economia interna brasileira; (b) manutenção de ações desarticuladas de atividades de pesquisa e desenvolvimento em meio ambiente e inovação; (c) baixos níveis de governança; (d) ausência de condições e transparência para fixação de corporações transnacionais no território nacional; (e) ausência de incentivo à pesquisa exclusiva às inovações ambientais no Brasil. Recomenda-se a análise sobre os efeitos de curto e médio prazos dos resultados obtidos nessa pesquisa para a gestão de sistemas estruturados de inovação ambiental.

  • NAJÓ GLÓRIA DOS SANTOS
  • A PROFISSIONALIZAÇÃO EM CIÊNCIAS AMBIENTAIS NO BRASIL: formação, associação e regulamentação
  • Orientador : ANTONIO VITAL MENEZES DE SOUZA
  • Data: 28/08/2019
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • Esta Tese apresenta o percurso histórico da profissionalização em ciências ambientais no Brasil, tomando como fio de Ariadne a geografia da formação acadêmica, as influências da associação na organização de coletivos profissionais e os caminhos legais que regulamentam a profissão do gestor ambiental no território brasileiro. Inicialmente, apresenta o itinerário teórico das categorias de trabalho, da profissão e da profissionalização. O objeto dessa pesquisa foi delimitado pela oferta de formação em nível de graduação (cursos superiores de Tecnologia e ou Bacharelado), e de pós-graduação stricto sensu (Mestrado e Doutorado Acadêmico e Profissional) os quais apresentam denominação ambiental em sua nomenclatura e são ofertados por instituições públicas e privadas de ensino superior. O objetivo da Tese foi caracterizar as contradições entre as questões ambientais e as necessidades da formação do gestor ambiental nas dimensões política, econômica, institucional, geográfica e profissional. Este estudo possui natureza descritivo-exploratória. A abordagem da pesquisa foi histórico-crítica baseada no método dialético. A pesquisa documental foi o principal instrumento de coleta e análise de informações. Os resultados obtidos indicam que a incerteza da regulamentação da profissão de gestor ambiental sinaliza um atrelamento de aspecto político, submetido às demandas mercadológicas em detrimento das questões ambientais. Entre outras considerações, destacam-se: a) o crescimento exponencial da oferta de vagas nas instituições privadas que denota a prevalência do interesse econômico; b) a pulverização da oferta dos cursos pelas instituições privadas que alcançam os lugares mais remotos no território nacional. Confirma-se, pois, a urgência da adoção de medidas regulamentares que impeçam o avanço predatório do mercado sobre o ambiente. Conclui-se que a profissionalização em ciências ambientais agrega valor econômico e simbólico pautado nas matrizes de mercado.

  • CARINA ANGÉLICA DOS SANTOS
  • MONITORAMENTO DA GESTÃO AMBIENTAL MUNICIPAL NAS CAPITAIS DO NORDESTE BRASILEIRO
  • Orientador : LAURA JANE GOMES
  • Data: 27/08/2019
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • A gestão ambiental é um conjunto de políticas, programas e práticas, realizada por meio de ações planejadas e articuladas, considerada sistêmica e envolve todas as instâncias de decisão, no entanto, necessita de um arranjo institucional que determine a sua responsabilidade e participação. Para isso, deve-se praticar a gestão compartilhada e descentralizada, colocando o município como participe da gestão ambiental local, lidando com os problemas ambientais em questão. Desta forma, é imprescindível conhecer a estrutura, legislação, recursos humanos, instrumentos legais, dentre outros, para entender como o sistema funcionará. Com este intuito, este estudo teve como objetivo analisar a gestão ambiental municipal, em função de sua evolução e propor uma metodologia que possa contribuir para o monitoramento da gestão ambiental. No capítulo 1 teve como objetivo analisar de que forma as políticas públicas ambientais contribuem para a gestão ambiental municipal refletindo sobre o meio ambiente e os municípios na constituição, as políticas públicas e os instrumentos de gestão ambiental. Em seguida, no capitulo 2, foi realizado uma análise bibliométrica dos estudos acadêmicos relacionado ao tema, entre teses e dissertações para verificar as abordagens metodológica. Enfim o capitulo 3, teve como objetivo apresentar uma metodologia de monitoramento da gestão ambiental municipal nas capitais do nordeste. Mas para isso, por meio de uma metodologia descritiva e quantitativa foi realizada uma análise da série histórica de 2002 a 2017 da Pesquisa de Informações Básicas Municipais – MUNIC referente ao Brasil, Regiões e Capitais do Nordeste, e logo após foi feito um ranqueamento da capitais do nordeste e detectado um avanço na gestão e conclui-se que com a metodologia aplicada é possível monitorar a gestão ambiental municipal.

  • MARIA DO CARMO MENEZES DOS SANTOS
  • INFORMAÇÃO CIENTÍFICA EM CIÊNCIAS AMBIENTAIS: circulação de fontes acadêmicas entre os agentes-produtores-usuários na universidade
  • Orientador : ANTONIO VITAL MENEZES DE SOUZA
  • Data: 26/08/2019
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • As sociedades contemporâneas dependem largamente dos produtos da atividade científica. A circulação de fontes acadêmicas da informação científica, ocorrida entre os agentes-produtores-usuários na universidade, através do ensino e da pesquisa, é determinante na definição de agendas e interesses que orientam a produção de conhecimentos novos e a formação de gerações futuras de pesquisadores. No Brasil, as ciências ambientais desenvolvem-se sob influências epistemológicas distintas. Nessa Tese, busca-se caracterizar a circulação de fontes acadêmicas da informação científica em ciências ambientais, produzidas nos Programas de Doutorado da Associação Plena em Rede de Pós-Graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente. Para isso, analisa-se o emprego, a remissão e a recorrência a obras-autores e temas-conteúdos, a partir da produção de conhecimento de pesquisadores acadêmicos em ciências ambientais. O campo empírico dessa pesquisa foram os Programas de Doutorado em Desenvolvimento e Meio Ambiente da Associação Plena em Rede - DDMA. A abordagem da pesquisa adotada foi a interdisciplinaridade metodológica. Utilizou-se a pesquisa bibliográfica e a pesquisa documental como instrumentos metodológicos. O levantamento de dados foi organizado em três diferentes períodos, distribuídos por décadas: (a) 1960-1970; (b) 1980-1990; (c) 2000-2018. Para análise empírica, concentrou-se no período entre 2013-2018, considerando as defesas de teses realizadas nos Programas de Doutorado em Desenvolvimento e Meio Ambiente da Associação Plena em Rede – DDMA. As principais categorias de análise da pesquisa foram distribuídas em dois eixos: (a) tradições de emprego de obras-autores/temas-conteúdos; (b) inovações de emprego de obras-autores/temas-conteúdos. A parte heurística da pesquisa voltou-se para os processos de emprego, remissão e recorrência de obras-autores/temas-conteúdos no conhecimento produzido, e em circulação, em ciências ambientais (DDMA). Os resultados obtidos apontam para inconsistência formal na circularidade de fontes acadêmicas da informação científica de modo que o uso de tradição teórico-conceitual na produção do conhecimento em ciências ambientais no campo empírico analisado não se consolida. Conclui-se que a circulação de fontes acadêmicas da informação científica em ciências ambientais nos Programas de Doutorado em Desenvolvimento e Meio Ambiente da Associação Plena em Rede – DDMA ainda não apresenta ou possui características orientadas para a consolidação de delineamento quanto tradições teóricas do campo das ciências ambientais, além de produzir com limitação, remissão teórica ou conceitual nessa área de conhecimento, dado a circulação local ou regional das fontes acadêmicas encontradas e analisadas, não apresentar abrangência e expansão, destacando-se, sobretudo, emprego de uso, remissão e recorrência descontextualizados e generalizados da informação científica na universidade.

  • MÁRCIO ROSSELINE DA SILVA FERREIRA
  • Para além da 'pedra e cal': o meio ambiente na preservação do patrimônio cultural brasileiro
  • Orientador : ANTONIO CARLOS DOS SANTOS
  • Data: 27/05/2019
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • O objeto de estudo desta pesquisa científica é o meio ambiente no patrimônio cultural. Mais precisamente, como o campo da preservação patrimonial incorporou o meio ambiente em suas práticas institucionais. O objetivo, portanto, é de descrever e analisar como que historicamente à questão ambiental foi sendo introduzida nas práticas patrimoniais do Brasil. Para isso, a hipótese lançada foi de que o meio ambiente tem sido introduzindo processualmente no campo patrimonial, pois, muitos obstáculos ainda impossibilitam a realização plena entre natureza e cultura como um único patrimônio a ser preservado. Como categorias analíticas, o conceito de cultura e o conceito de natureza, são imprescindíveis na construção teórica do objeto de pesquisa tendo em vista a necessidade de fundamentar os dados coletados empiricamente em sólidas teorias. Assim, os procedimentos metodológicos aplicados para alcançar o principal objetivo da pesquisa, consistiram na consulta a literatura especializada, ou seja, nas fontes bibliográficas para elaboração dos constructos teóricos; no manuseio e análise da documentação acerca dos principais programas de preservação no Brasil, neste caso, o Programa das Cidades Históricas do Nordeste, um projeto de patrimonialização dos anos de 1970, e no Programa Monumenta dos anos de 1990. Análise dos programas havia como propósito na pesquisa, compreender a incorporação da temática ambiental dos projetos de reabilitação do patrimônio cultural. Em seguida, a fim de realizar uma comparação histórica estre tais programas, adotou-se o método comparativo a fim de perceber as diferenças e as similitudes dos programas. O mesmo método de comparação foi aplicado às cidades históricas de Olinda e São Cristóvão com o propósito de o tratamento da questão ambiental nas cidades a partir dos programas de preservação. Deste modo, na perspectiva compreender as relações entre cultura e natureza, a abordagem seguida foi de caráter interdisciplinar visando estabelecer um diálogo entre as principais áreas do conhecimento. O método comparado permitiu lançar mão do estudo das imagens produzidas pelo turismo cultural e ambiental a qual as cidades históricas estão sujeitas. A narrativa da tese é estruturada em quatro partes, sendo que os dois primeiros capítulos são dedicados à reflexão acerca da construção do discurso patrimonial cultural e natural em espaços diferentes, mas, no mesmo momento temporal: a modernidade. A narrativa da tese quer evidenciar como os contextos do auge da modernidade e da sua crise, foram determinantes para transformar o discurso da patrimonialidade a ponto de aproximar a dimensão cultural da dimensão ambiental. Dito isto sobre os dois primeiros capítulos, os outros dois capítulos complementares da pesquisa explicitaram como as práticas institucionais do Iphan foram sendo transformadas com as novas categorias de preservação – patrimônio imaterial, patrimônio ambiental urbano e paisagem cultural – e, principalmente como essas categorias foram sendo, ou não, aplicadas nos projetos oficiais do governo. Os resultados apontaram para um avanço na compreensão da temática ambiental na política de preservação patrimonial, mas, no entanto, as práticas institucionais ancoradas nos programas revelaram que a tradição em separar cultura de meio ambiente ainda prevalece nas práticas patrimoniais. Por fim, nas considerações últimas da pesquisa, já na sua fase final, espera-se que a reflexão realizada possa ampliar o entendimento de que cultura e natureza interagem de modo que a preservação da cultura requer a conservação do meio ambiente numa ação integrada e sistêmica.

  • FERNANDA BEZERRA DE ARAGÃO CORREIA
  • LITERATURA E MEIO AMBIENTE: UMA ABORDAGEM ECOCRITICA EM MANOEL DE BARROS
  • Orientador : STEPHEN FRANCIS FERRARI
  • Data: 23/04/2019
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • A presente tese visa aprofundar o pensamento crítico acerca desta evidente e antiga relação entre literatura e meio ambiente, com uma abordagem que não é unilateral, quer dizer, uma abordagem que não é estritamente filosófica, sociológica, literária ou ecológica, mas, sim, inter/transdisciplinar. Para isto, objetivamos estudar e ampliar o debate sobre a ecocrítica como uma questão nuclear e articuladora desta inter/transdisciplinaridade, de maneira que, com isso, seja possível contribuir e fortalecer os estudos ecocríticos dentro das Ciências Ambientais. Desta maneira, o nosso argumento principal é fundamentar de que forma a ecocrítica funciona como abertura para uma ecopoética no campo da poesia. Tomaremos, assim, alguns poemas de grande relevância, do autor brasileiro Manoel de Barros, não de maneira a fazer uma análise literária, mas de argumentar como a poesia tematiza e ilustra a relação literatura e meio ambiente através da ecopoética, demostrando, assim, como isso contribui tanto para os estudos literários como para as Ciências Ambientais. Frente ao cenário em que se encontra o meio ambiente global, bem como aos movimentos em prol da conservação e preservação ecológica, estudar a inter-relação homem-natureza, em uma perspectiva ecocêntrica, através da ecocrítica, e tomando os poemas como contributo, será de grande relevância para ajudar os leitores a pensarem ecologicamente. A ecocrítica propõe um marco epistemológico para se encarregar desta inter-relação, já que a mesma é uma das abordagens teóricas que abrange a literatura, neste caso a poesia, com outras disciplinas, que coloca em evidência a atenção nas relações entre a natureza e a literatura. Como arcabouço teórico recorreremos aos grandes estudiosos da ecocrítica em âmbito internacional, como o britânico Greg Garrard, a americana Cherryl Glotfelty, cuja obra foi a pioneira e canônica sobre o tema, a espanhola Carmen Flys-Junquera, entre outros. Assim, a problemática ambiental deixa de ser um assunto que a ciência apenas possa resolver, já que envolve questões culturais, tornando fundamental a contribuição das humanidades. O interesse de um aprofundamento teórico da ecocrítica em um outro campo de estudo será fundamental não apenas por buscar resolver uma lacuna crítica, mas também no que tange ao corpus poético, pois a referida corrente crítica, tomada como fio condutor, possibilitará a fundamentação e consolidação da ecopoética que articula filosofia e literatura,buscando, decerto, problematizar os limites e as fronteiras entre os campos filosófico (filosofia da natureza) e literário (ecocrítica), bem como o próprio conceito de natureza,argumentando que os poemas do Manoel de Barros são um terreno primordial para o entendimento da natureza, não apenas como um espaço de contemplação (Plotino), ou um lugar em que o homem caminha, domina e lê a natureza (Bacon), mas, como uma soma de discursos, que pode contribui de maneira direta para uma Educação Ambiental.

  • ALANE REGINA RODRIGUES DOS SANTOS
  • “Indicadores Socioambientais do Alto Sertão Sergipano: Relações de poder e convivência com a Seca”
  • Orientador : GREGORIO GUIRADA FACCIOLI
  • Data: 23/04/2019
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • A escassez de água presente no mundo tem sido uma das principais preocupações dasociedade atual, uma vez que, colocam em risco não apenas o equilíbrio da biodiversidade,mais também colabora para a baixa qualidade de vida da população, para a infertilidade dossolos e o aumento de áreas susceptíveis a desertificação. Além do mais, propiciam tensõeseconômicas, sociais e políticas, ocasionando dessa maneira a insegurança alimentar e apobreza generalizada na maior parte da população. Em vista de toda essa problemática, éperceptível que a seca que secularmente provoca um longo cenário de dependência e depobreza no Alto Sertão Sergipano, agrava-se pelo fato de não existir múltiplas alternativas eestratégias acessíveis à população que diariamente carecem da ajuda política e doassistencialismo governamental para sobreviverem. Desse modo, a presente pesquisa tevecomo objetivo geral: Determinar um índice de sustentabilidade para o Alto Sertão Sergipano apartir da metodologia de Calorio (1997), buscando entendimento das relações de poder econvivência com a seca. A pesquisa, de abordagem quali/quantitativa e do tipo exploratóriodescritiva,se deu por meio da análise dos questionários, das entrevistas semiestruturadas, daobservação sistemática e análise documental. Os resultados reveleram que os impactossocioambientais, têm dificultado a sustentabilidade do semiárido, uma vez que muitas famíliasainda necessitam da ajuda política governamental para suprir suas necessidades de água,trabalho, terras e recursos financeiros. Apontam ainda que, além de vivenciar as intensassecas todos os anos, as famílias encontram-se vulneráveis as relações de poder que porséculos prejudicam o desenvolvimento social, econômico e sustentável da região semiárida doAlto Sertão Sergipano.

  • JONAS RICARDO DOS SANTOS
  • FEIÇÕES MORFOLÓGICAS E BIOFACIES COMO INDICADORES EVOLUTIVOS DA PLATAFORMA CONTINENTAL DE SERGIPE E SUL DE ALAGOAS
  • Orientador : ROSEMERI MELO E SOUZA
  • Data: 27/03/2019
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • O presente trabalho tem por objetivo caracterizar o fundo marinho da plataforma continental de Sergipe e sul de Alagoas em relação às feições morfológicas e a cobertura sedimentar e inferir as variações ambientais ocorridas desde o último máximo glacial na plataforma continental. Para o desenvolvimento do trabalho, a metodologia foi desenvolvida em uma sequência de etapas, onde inicialmente foram compilados os dados e as análises das informações disponíveis. Para identificar e mapear as feições marinhas existentes na plataforma continental foi elaborado um modelo batimétrico e as amostras de sedimentos coletadas nas campanhas oceanográficas foram classificadas quanto ao seu tipo sedimentar e individualizadas as suas biofácies. Para a elaboração de um modelo evolutivo da plataforma serão correlacionadas as feições morfológicas e também as ocorrências das diferentes biofácies identificadas na plataforma com as variações do nível do mar. Os resultados indicam que esta plataforma apresenta uma heterogenia tanto no contexto geomorfológico como em relação aos sedimentos de fundo desta região. Foram identificadas as seguintes feições na plataforma de Sergipe e sul de Alagoas: alinhamentos de recifes submersos e emersos, altos morfológicos submarinos, bancos carbonáticos de borda, terraços submarinos de borda, drenagens submarinas, vales incisos e cânions submarinos. Os sedimentos de fundo analisados permitiram caracterizar a distribuição sedimentar do fundo marinho e identificar diferentes contextos a partir da distinção destes sedimentos. A partir dos resultados obtidos, conclui-se que esta plataforma continental é do tipo siliciclástica-carbonática e tem-se uma nítida transição da composição sedimentar com o aumento da profundidade. A partir dos resultados preliminares observou-se que as feições morfológicas e a composição sedimentar do fundo marinho são indicadores da evolução e das variações ambientais ocorridas na plataforma continental de Sergipe e Alagoas.


  • ROBERTO WAGNER XAVIER DE SOUZA
  • A HERMENÊUTICA DO BEM VIVER: SENSIBILIZAÇÃO, SOLIDARIEDADE E ABERTURA INTERDISCIPLINAR.
  • Orientador : MARIA JOSE NASCIMENTO SOARES
  • Data: 27/02/2019
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • O objetivo geral desta pesquisa se concentra no delineamento da Hermenêutica do Bem Viver, fundamento teórico (conjunção dialética) lastreado pelas ideias da hermenêutica constitucional concretista, da hermenêutica diatópica e da hermenêutica gadameriana como forma de proporcionar um caminho interdisciplinar e uma abertura hermenêutica socioambiental concretista que auxilie na solução de conflitos ambientais corroborado pela participação sine qua non dos atores sociais envolvidos. Como objetivos específicos: i) propor a afirmação do senso ambiental como forma de superar o aspecto normótico das crises e transições paradigmáticas acerca da Natureza, de forma interdisciplinar e dialógica; ii) discutir uma releitura da solidariedade ambiental intergeracional (das gerações ancestrais às futuras gerações) com seu aspecto vinculativo e axiológico; iii) analisar os fundamentos do Bem Viver como proposta alternativa ao desenvolvimento que se ampara no paradigma antropocêntrico. Trata-se de uma pesquisa exploratória-teórica (fundamental), por enfatizar a descoberta de ideias e discernimentos, desenvolvida através do procedimento e método bibliográfico de coleta de dados em materiais escritos e do método de abordagem dedutivo-dialético clássico, com caráter interdisciplinar, valendo-se de elementos da hermenêutica jurídica e filosófica, bem como da ética, da cultura e da política. Os resultados apresentados demonstram que o senso ambiental é uma forma de debelar a prevalência de uma visão instrumental, ou simples conflito, diante das diversas concepções da natureza, enfatizar o envolvimento ativo da sociedade civil até os poderes constituídos por intermédio de consensos que venham a legitimar um pressuposto fático e suscitar a sensibilização, desencadeando graus de responsabilidade e comprometimento. Por conseguinte, é apresentada uma releitura da solidariedade ambiental intergeracional e conjunção hermenêutica, a partir da convergência cultural, ecológica, política e normativa, de maneira que subsidie uma nova concepção que revigore o paradigma sócio-jurídico e ambiental na configuração do Estado Socioambiental de Direito. Como modelo teórico e conciliatório a Hermenêutica do Bem Viver traz uma postura concretista que pode melhor articular entre os atores envolvidos com a temática ambiental: estatais, não-estatais e diversos segmentos que participam da formulação e implementação de políticas públicas.

  • JOSEVÂNIA DE OLIVEIRA
  • AVALIAÇÃO DAS CONDIÇÕES AMBIENTAIS DO ESTUÁRIO DO RIO VAZA- BARRIS (SERGIPE) COM O USO DE CRASSOSTREA BRASILIANA (LAMARCK, 1819)
  • Orientador : ROSEMERI MELO E SOUZA
  • Data: 27/02/2019
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • O rio Vaza-Barris destaca-se por apresentar grande parte de sua região estuarina ocupada pelo ecossistema manguezal. Nesse manguezal ocorremostras do gênero Crassostrea, que desempenham relevante papel biológico, econômico e social. A espécie Crassostrea brasiliana(Lamarck, 1819) nativa do litoral sergipano tem sido bastante utilizada como indicador ambiental por apresentar muitascaracterísticas que possibilitam revelar a contaminação de um ecossistema. De forma geral, este estudo trata da avaliação das condições ambientais do estuário do rio Vaza-Barris, em Sergipe,com o uso da espécie C. brasiliana,edos impactos ambientais e socioeconômicos da ostreicultura e carcinicultura para as comunidades costeiras. Além disso,busca-se identificaro perfil socioeconômico dos catadores de moluscos das comunidades Mem de Sá (Itaporanga D ́Ajuda) e Tinharé (São Cristóvão) e avaliara influência da salinidade, pH e temperatura sobre C.brasiliana. Para investigar os impactos ambientais e socioeconômicos da ostreicultura e carcinicultura marinha na região Nordeste do Brasil, foi realizado pesquisa documental ebibliográfica. Verificou-se que a ostreicultura e a carcinicultura são importantes socioeconomicamente, pois geramempregos e desempenhamsignificante papel na economia da região Nordeste e do país. Contudo, é imprescindível a realização de cursos de capacitação para os produtores e o desenvolvimento de tecnologia para o aprimoramento dessas atividades, com a finalidade de torná-las menos impactantes e mais rentáveis. Em relação àidentificação dos principais impactos ambientais provocados pela carcinicultura marinha sobre o manguezal do rio Vaza-Barris, em São Cristóvão/SE, foi realizado levantamento bibliográfico, análise das licenças expedidas paraessa atividade em Sergipee a elaboração de indicadores PEIR. Os principais impactos provocados pela carcinicultura foram a retirada da vegetação nativa, o manejo inadequado, descarte impróprio dos efluentes, introdução de espécies exóticas e disseminação de doenças. Observou-se a necessidade de regularização dos empreendimentos e sensibilização dos carcinicultores para que essa atividade ocorra de forma sustentável e em consonância comos instrumentos legais. Na identificação do perfil socioeconômico dos catadores de moluscos das comunidades Mem de Sá (Itaporanga D ́Ajuda) e Tinharé (São Cristóvão), em Sergipe,foram aplicados questionários buscando obter dados sobre osentrevistados,informações sobre aatividade de mariscagem eapresença de tensores ambientais nas proximidades do estuário. Em Mem de Sá e Tinharéobservou-se a presença de casas rústicas e pequenas, baixo grau de escolaridade,baixa renda familiar, e que a mariscagemé realizada mais por mulheres. Os dados socioeconômicos apontam uma situação de baixa qualidade de vida dos moradores e das condições ambientais nessas comunidades, sendo necessário odesenvolvimentode ações que tornem a mariscagem uma atividade mais sustentável e valorizada. Para a avaliação das concentrações de cobre, ferro, zinco, manganês e chumbonos tecidos de C.brasilianado manguezal do rio Vaza-Barris,foram realizadas coletas de ostras nos períodos de estiagem e chuvoso, em cinco pontos localizados no Vaza-Barris. Notou-se que, para o período de estiagem,ocorreu maior teor de Zn, seguido de Fe, Cu e Mn, e Pb não foi encontrado. No período chuvoso o Zn apresentou maior concentração, acompanhado deFe, Pb, Cu e Mn. O cobre apresentou teores mais elevados na estação de estiagem e foi o único metal que se encontrou dentro dos limites estabelecidos pela legislação brasileira. Os demais metais registraram concentrações maiores no período chuvoso, representando risco ao ambiente e ao ser humano. Os resultados apontaram a necessidade de medidas mais eficientes para o acompanhamento físico, químico e microbiológico do ambiente de origem dessas ostras. Com a finalidade de avaliar a influência da salinidade, pH e temperatura sobre C.brasiliananativa do manguezal do rio Vaza-Barris,foram realizadas coletas de ostras e medidas de temperatura, pH e salinidade. A temperatura e o pH mostraram-sefavoráveis para o desenvolvimento deC. brasiliana, ao contrário da salinidade que esteveapenasdentro da faixa de tolerância. Todos os exemplares encontraram-se em estágio adulto e em atividade sexual. C. brasiliana se reproduz durante todo o ano no estuário do Vaza-Barris, com maior atividade reprodutiva nos meses com temperaturas e pH mais elevados (outubro) e salinidades mais baixas. Este trabalho de tese aponta que é possível, por meiodo uso de C.brasiliana, avaliar a sanidade ambiental do estuário do rio Vaza-Barris, esugere medidas que possam reduzir os impactos ambientais na área, a fim de conservar esse ecossistema.

  • ITALO EMANUEL ROLEMBERG DOS SANTOS
  • GESTÃO DA PRODUÇÃO SUSTENTÁVEL EM UNIDADES DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO DE HOSPITAIS PÚBLICOS EM SERGIPE.
  • Orientador : GREGORIO GUIRADA FACCIOLI
  • Data: 27/02/2019
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • A alimentação é uma temática que envolve a nutrição, aspectos ambientais, culturais e psicológicos ligados à sobrevivência do indivíduo, relações sociais, qualidade de vida e produtividade. O mercado de alimentação abrange refeições feitas em casa ou fora dela nas Unidades de Alimentação e Nutrição (UANs), as quais são geradoras de resíduos potencialmente impactantes ao meio ambiente, motivo pelo qual se faz necessário identificar e adotar medidas sustentáveis para reduzir impactos ambientais, sociais e econômicos nas Unidades. A pesquisa teve como objetivo determinar um índice de sustentabilidade para as UANs dos hospitais públicos do Estado de Sergipe, tomando por base práticas sustentáveis empregadas nessas Unidades. Realizou-se uma pesquisa exploratória, descritiva, explicativa, de campo e bibliográfica, cujas respostas foram obtidas a partir de questionário aplicado aos Nutricionistas Responsáveis Técnicos das UANs dos quatorze hospitais públicos em Sergipe. Foram identificadas as práticas de sustentabilidade empregadas desde o planejamento do cardápio até a distribuição das refeições, verificada aplicabilidade de políticas públicas na área de Alimentação Coletiva e determinado o índice de sustentabilidade a partir da caracterização espacial da área e do levantamento de dados que representaram a coleção de indicadores medidos e quantificados a partir da elaboração de gráficos tipos radares, os quais são uma alternativa à proposta de Calorio (1997), porém adaptada por Omar (2001). O Índice de Sustentabilidade desta pesquisa foi 49,5329, o qual representa o valor inicial para ser tomado como base para propositura de ações de políticas públicas.
  • FRANCIELE FAISTEL
  • A EFETIVIDADE DA SANÇÃO JURÍDICA POR AUSÊNCIA DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL DE ESTAÇÕES RÁDIO BASE NAS DECISÕES JUDICIAIS DIANTE DO PRINCÍPIO DA PRECAUÇÃO.
  • Orientador : ADAUTO DE SOUZA RIBEIRO
  • Data: 26/02/2019
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • O crescimento das Estações Rádio Base (ERBs) no Brasil devido ao aumento do número de celulares, é uma preocupação pelos riscos à saúde humana quando evidenciada a ausência de licenciamento ambiental. A instalação de antenas radio base em áreas urbanas cresce sem controle no país. Porém, os organismos da saúde da ONU e de alguns países alertam para o problema da emissão de radiação (entre 9 KHz e 300 GHz) na qual tornou-se um tipo de poluição não-visível, no caso a radiação eletromagnética das antenas, o que do ponto de vista do desenvolvimento sustentável esta é uma externalidade econômica negativa. O crescimento das ERBs sem licenciamento ambiental, no entanto, preocupa pesquisadores físicos, engenheiros, biólogos e medicina, os quais encontraram evidencias da relação entre radiação das ERBs e riscos à saúde humana. Um dos instrumentos adotados em vários países do mundo, incluindo o Brasil, que controla efetivamente as atividades e os empreendimentos que potencialmente causam de impactos ambientais é o Licenciamento Ambiental. O estudo foca o processo de ausência do licenciamento ambiental das Antenas Rádio Base (BRA/ERBs) onde o processo visa acompanhar, fiscalizar e controlar as referidas atividades do ato de licenciamento em si, porém, tornou-se necessário um estudos mais detalhado da efetividade da norma jurídica/sanção sobre ausência de licenciamento das ERBs, tendo em vista o princípio da precaução. O objetivo da pesquisa avaliou a efetividade da aplicação da sanção jurídica nas decisões judiciais teorizadas no princípio da precaução enaltecendo a ausência de licenciamento ambiental das ERBs entre os anos de 2010-2018 em 6 estados do país (SE, RS, PR, DF, MG e SP). A metodologia para responder a estes objetivos propostos, foi escolhida a pesquisa teórica documental, baseados em processos judiciais disponíveis nos sites dos Tribunais de Justiça de Sergipe, Rio Grande do Sul, Paraná, Distrito Federal e Territórios, Minas Gerais e São Paulo, depois passando para o Superior Tribunal de Justiça e Supremo Tribunal Federal. Na análise das jurisprudências dos Tribunais de Justiça do país, buscou-se verificar a efetividade da sanção imposta pelo ente público ou pelo judiciário em face do princípio da precaução em casos em que não houve licenciamento ambiental de Antenas Rádio Base, passando-se ao estudo da lei e sua aplicação nas decisões de casos concretos. Conclui-se que a efetividade da sanção jurídica em muitos casos não ocorre, devido as mudanças legislativas recorrentes e o próprio processo civil que permite a interposição de inúmeros recursos judiciais. Enquanto o princípio da precaução não se efetivar na própria norma jurídica a sanção acaba sem efetividade.

  • CAMILA BOMFIM DE GOIS
  • APRENDIZAGEM SOCIAL DE JOVENS RURAIS EM AMBIENTES DO BAIXO SÃO FRANCISCO SERGIPANO.
  • Orientador : MARIA JOSE NASCIMENTO SOARES
  • Data: 22/02/2019
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • As discussões em torno da temática socioambiental pode ser analisada por diferentes perspectivas. Esta investigação está centrada no envolvimento de jovens rurais, mediante a consolidação de uma forma de organização sustentável baseada nos valores culturais e nas relações de aprendizagem vivenciadas por eles, em ações de cuidado com o meio ambiente. Levando-se em conta que a construção de um cenário sustentável deve envolver, em termos de manutenção, o conceito de qualidade de vida como uma demanda da categoria. Seu objetivo consistiu em analisar as experiências de aprendizagem de jovens rurais da Associação de Produtores Orgânicos de Ponta de Areia, em Pacatuba, Sergipe. A pesquisa, de abordagem qualitativa do tipo etnográfica, se deu por meio da análise de entrevistas em profundidade, observação em campo e análise documental. Ferramentas adicionais como notas de campo, fotografias, conversas informais e gravações também serviram de fundamento para reunir registros de diferentes natureza. Os resultados reveleram que a participação dos jovens em processos de formação intermediados pelo Estado se mostrou eficaz na disseminação de princípios e práticas da agricultura orgânica, favorecendo a criação de um espaço de aprendizagem articulado a necessidade de aprimoramento e desenvolvimento de habilidades requeridas na produção, consolidando também uma alternativa de trabalho e geração de renda para os jovens envolvidos. Apontam ainda que qualquer projeto de desenvolvimento sustentável de médio e longo prazo devem ter como fundamento a questão educacional enquanto uma ferramenta indissociavel à construção de novas formas de produção, de consumo, bem-estar e da própria educação

  • ANA PAULA SILVA DE SANTANA
  • ASPECTOS DA SUSTENTABILIDADE NAS EXPLORAÇÕES DO MILHO EM ASSENTAMENTOS RURAIS NO CENTRO OESTE DE SERGIPE.
  • Orientador : ALCEU PEDROTTI
  • Data: 21/02/2019
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • O milho é uma cultura de importante interesse econômico tanto para o consumo in-natura quanto para produção de matéria prima para a indústria. A produção de milhoem sistema de monocultura agrícola se expandiu no território Sergipano, e introduziumudanças na forma de produzir e no uso dos recursos naturais pela introdução detecnologias no campo que buscam viabilizar a produção para competir no mercado.Destarte, a inserção do pacote tecnológico traz uma série de impactos sociais,econômicos e ambientais que expressam tanto a força deste sistema quanto a suavulnerabilidade ao longo do tempo, fato que implica na importância cada vez maisevidente de avaliar a sustentabilidade destes sistemas de produção, a fim deobservar as inter-relações da atividade agrícola com o meio ambiente e suapossibilidade de manutenção a longo prazo. A avaliação da sustentabilidade tem porbase o uso de métodos de avaliação da sustentabilidade. Estes métodos são formadospor um conjunto de indicadores que visa a organização, monitoramento e análise dossistemas agrícolas avaliados. A nível internacional e nacional foram desenvolvidosdiferentes métodos de avaliação da sustentabilidade. A variabilidade de métodosprocura atender as diferentes realidades e tipos de sistemas agrícolas. Na França foidesenvolvido o método de avaliação da sustentabilidade Indicadores deDesenvolvimento de Explorações Agrícolas (IDEA), que é uma ferramenta queestrutura um diagnóstico da propriedade agrícola a partir das dimensões dasustentabilidade Agroambiental, Socio-territorial e Econômica. No Brasil, doismétodos têm sido destaque nas pesquisas em propriedades rurais: APOIA Novo-Rurale ISA que são métodos cujo atributo principal é criar um índice de sustentabilidadepara as propriedades rurais. Desse modo, esta pesquisa tem como objetivo avaliar asustentabilidade em Assentamentos Rurais da mesorregião de Agreste Sergipano comcultivo de milho em grãos (Zea mays) no município de Simão Dias - SE, Brasil.

  • ERONIDES SOARES BRAVO FILHO
  • PROPAGAÇÃO E CONSERVAÇÃO EX SITU DE Melocactus sergipensis (CACTACEAE) ESPÉCIE ENDÊMICA CRITICAMENTE AMEAÇADA DE EXTINÇÃO
  • Orientador : ADAUTO DE SOUZA RIBEIRO
  • Data: 20/02/2019
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • A família Cactaceae é monofilética, botanicamente distribuída em 127 gêneros,aproximadamente 1500 espécies e subdividida em quatro Subfamílias: Maihuenoideae,Pereskeoideae, Opuntioideae e Cactoideae. Típicas do continente americano e ocorrem emclima, solo e ecossistemas diversos. O gênero Melocactus conhecido por cabeça-de-frade écomposto por 38 espécies, distribuição desde a América Central, Caribe, Andes, Amazônia,Roraima, Espirito Santos, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Nordeste do Brasil. O bioma deCaatinga apresenta a maior densidade populacional deste gênero, particularidade que faz doBrasil o centro mundial de diversidade. O Melocactus sergipensis descoberto em 2014 noestado de Sergipe é atualmente a única espécie de Cactaceae endêmica do estado e encontra-secriticamente ameaçada de extinção (CR). O objetivo desta pesquisa foi estabelecer umprotocolo para germinação de sementes, micropropagação, aclimatização e conservação ex situde M. sergipensis. Os experimentos de germinação de sementes foram instalados emDelineamento Inteiramente Casualizado (DIC), com três tratamento (controle, sementesembebidas por seis horas e sementes embebidas por seis horas em solução de água + 2 mg/L de giberelina), 25 repetições com duas sementes por unidade experimental in vitro, já em casade vegetação o experimento foi composto por cinco repetições com 10 sementes por unidadeexperimental. Na aclimatização foram utilizados quatro tratamentos (solo de Caatinga; soloFranco siltoso; terra vegetal; areia lavada + terra vegetal na proporção 1:1), cinco repetições,com cinco plantas por unidade experimental. As variáveis avaliadas foram porcentagem degerminação, índice de velocidade de germinação, percentual de sobrevivência, Altura do caule,diâmetro do caule, peso da matéria fresca e comprimento da radícula. Já, o experimento demicropropagação foi instalado em Delineamento Inteiramente Casualizado, composto porquatro tratamentos, 10 repetições e a unidade experimental foi composta por um explante. Omeio nutritivo foi ½ MS suplementado com 30 g/L de sacarose e 7 g/L de ágar econcentrações de fitormônios: BAP (0,0; 1,5; 3,0 e 6,0 mg/L), ANA (0,0; 1,5; 3,0 e 6,0 mg/L) e combinando BAP/ANA (0,0; 1,0/0,5; 2,0/1,0 e 4,0/2,0 mg/L). Os dados foram submetidosà análise de variância e as médias comparadas pelo teste de Tukey, 5% de significância. Aembebição por seis horas com e sem giberelina a 2 mg L-1 incrementou significativamente agerminação in vitro. Em casa de vegetação não diferenciou significativamente e apresentougerminação acima de 80% em todos os tratamentos. Na fase de aclimatização, plantas obtidasatravés da germinação de sementes, o índice de sobrevivência variou de 88% (terra vegetal +areia lavada 1:1) para 100% (solo de Caatinga), o substrato solo Franco siltoso no geralapresentou os melhores resultados. A suplementação balanceada de BAP/ANA no meio denutritivo na proporção de 1,0/0,5 mg/L proporcionou maior número de brotação durante a fasede multiplicação. Na aclimatização de brotos de M. sergipensis obtidos na micropropagaçãosobreviveram 70% dos brotos pós-transplantação para o substrato. A conservação em campoapresentou índice de sobrevivência de apenas 21%.

  • SARA JULLIANE RIBEIRO ASSUNÇÃO
  • SUSTENTABILIDADE DO USO DE TECNOLOGIAS PARA O CULTIVO DE MILHO VERDE NOS TABULEIROS COSTEIROS EM SERGIPE.
  • Orientador : ALCEU PEDROTTI
  • Data: 20/02/2019
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • A agricultura é considerada uma das atividades que, quando não bem planejada e executada, pode gerar impactos negativos sobre o meio ambiente. Esses impactos afetam tanto a parte biótica do ecossistema (plantas e animais), como a parte abiótica (solo e água). Por sua vez, o solo é considerado como um fator primordial para o desenvolvimento das culturas agronômicas, pois serve de suporte ao desenvolvimento das plantas e fornece água e nutriente para o seu desenvolvimento, sendo o seu manejo determinante para a sustentabilidade das explorações agrícolas. O manejo inadequado do solo apresenta como efeito direto a diminuição da produtividade e rentabilidade das lavouras, perda da qualidade do solo associada à perda da capacidade produtiva do solo. No estado de Sergipe, dentre as culturas cultivadas pelos pequenos e médios agricultores, destaque deve ser dado ao cultivo do Milho Verde, devido à sua importância alimentar e social, e a alta rentabilidade da atividade. Entretanto, aspectos relacionados à sustentabilidade dessas explorações tem se mostrado preocupantes quanto à adoção de práticas não conservacionistas. Desta forma, o desenvolvimento de tecnologias adequadas às características edafoclimáticas da região e que promovam ou melhorem a qualidade do solo, associadas a uma elevada produtividade e rentabilidade, são desejáveis. O presente estudo foi conduzido com os dados coletados (17° ao 19° ano de cultivo) de um experimento de 19 anos de condução em área experimental, cujo solo é classificado como Argissolo Vermelho-Amarelo, localizada no Campus Rural (10°55’S37°11’O) da Universidade Federal de Sergipe, em São Cristóvão-SE. Utilizou-se o delineamento experimental em faixas, com três sistemas de manejo do solo (preparo convencional (CC), plantio direto (PD) e cultivo mínimo (CM)). Dentro de cada faixa, quatro plantas antecessoras (Caupi (Vigna unguiculata), Crotalária (Crotalaria juncea), Guandu (Cajanus cajan) e Milheto (Pennisetum glaucum)) ao cultivo do milho foram aleatorizadas em três repetições, totalizando o experimento 12 tratamentos. O cálculo dos custos, foi determinada pelaa metodologia proposta pelo Instituto de Economia Agrícola,e para a avaliação da lucratividade e rentabilidade, foram determinados Receita Bruta (RB), Lucro Operacional (LO), Índice de Rentabilidade(IR) e Ponto de Nivelamento (PN). Os maiores custos de produção do milho verde foram proporcionados no CC (R$ 7.234,87) independente da planta antecessora utilizada, e os menores no PD (R$ 6.637,61). Por sua vez a IR a maior IR foi em Crotalária/PD (51,68% ) e a menor com Milheto/CM (11,75%). A identificação, avaliação e análise dos custos de produção da cultura é uma ferramenta importante para o produtor rural,pois possibilita a identificação de culturas mais rentáveis, ou qual combinação de culturas resultará em maior lucratividade dentre os recursos e pacote tecnológico existentes disponíveis.

  • MARCELO MACHADO CUNHA
  • DESENVOLVIMENTO DE UM SISTEMA EMBARCADO PARA REALIZAÇÃO DE MANEJO DE IRRIGAÇÃO
  • Orientador : GREGORIO GUIRADA FACCIOLI
  • Data: 07/02/2019
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • O manejo de irrigação é um dos principais fatores que afetam o desenvolvimento das culturas, visto que estas são sensíveis tanto ao déficit quanto ao excesso de água. Uma vez que a agricultura irrigada tem sido responsável por grande parcela da água doce consumida no planeta, torna-se necessária a implantação de sistemas de irrigação eficientes e a utilização de métodos precisos que quantifiquem as necessidades hídricas das culturas para que não ocorra desperdício. Irrigar de forma adequada favorece a redução do uso da água e da energia elétrica e resulta em uma menor incidência de doenças, já que a maioria dos agricultores brasileiros utilizam a irrigação em demasia. Além disso, o manejo está associado à preservação do meio ambiente, permitindo benefícios sustentáveis à agricultura irrigada. Diante desse contexto, o presente trabalho objetivou desenvolver um sistema embarcado para tomada de decisão em processos de irrigação, visando a economia dos recursos hídricos e de energia elétrica. Para isso foi projetada e desenvolvida uma estação meteorológica automática composta pelos cinco sensores necessários para o cálculo da demanda hídrica (velocidade do vento, precipitação, irradiância solar, temperatura e umidade relativa do ar), utilizou-se o método de Penman-Monteith para a estimativa da evapotranspiração de referência. Após o desenvolvimento do equipamento, realizou-se a calibração dos sensores, encontrando coeficientes de determinação (R²) de 0,965; 0,989; 0,989; 0,990, para os sensores de radiação solar, temperatura, umidade relativa e velocidade do vento respectivamente. Para precipitação encontrou-se um erro máximo de 5%. Em seguida, avaliou-se o equipamento no tocante a sua funcionalidade em calcular a evapotranspiração da cultura e o gerenciamento do sistema de irrigação. O sistema embarcado mostrou ser confiável e eficiente, de forma que não foram encontrados problemas. O custo do equipamento desenvolvido ficou em torno de 7% do valor de uma estação meteorológica automática, possibilitando a sua aquisição por agricultores de baixa renda, como é o caso dos agricultores do Perímetro Irrigado Porção da Ribeira. Estes agricultores foram capacitados quanto ao uso dessa tecnologia e 87% tiveram interesse em utilizar o sistema proposto.

  • PHELLIPE CUNHA DA SILVA
  • EXPANSÃO URBANA E CENTRALIDADES LOCAIS EM ITABAIANA-SE
  • Orientador : MARIA JOSE NASCIMENTO SOARES
  • Data: 05/02/2019
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • A cidade de Itabaiana, localizada no agreste central sergipano, apresenta características muito peculiares. No estado de Sergipe a mesma já se destaca há algum tempo frente as demais cidades que se localizam no interior sergipano. No entanto, além de ganhar evidência a nível local, a cidade serrana ganha notoriedade a nível regional e nacional. Conhecida como a Capital Nacional do Caminhão, dentre outros adjetivos, Itabaiana destaca-se na esfera econômica quanto ao seu potencial de empreendimentos urbanisticos evidenciados na expansão da cidade nos últimos anos, pois exerce influência nas cidades circunvizinhas como também estabelece uma relação direta com a capital Aracaju. Desse modo, para desenvolvermos a pesquisa utilizamos técnicas de análises qualitativas e quantitativas, com base no uso do recurso da bibliometria para nos auxiliar na construção do nosso marco bibliográfico e conceitual, valorizando a produção intelectual/científica local, subsídiados pelas teses, dissertações, monografias, artigos científicos, capítulos de livros e outros que foram complementados pelos clássicos da literatura vinculados a temática urbana. A partir daí, desenvolvemos a tese com o auxílio da análise de paisagem, da pesquisa bibliográfica, da pesquisa documental, da observação não-estruturada e da análise de conjuntura. Para nortear a pesquisa e organizar os caminhos da tese, tivemos como objetivo geral: analisar as interferências que a expansão urbana provoca no aspecto socioambiental de uma cidade e para tanto defendemos a tese de que os impactos socioambientais de Itabaiana-SE advém da expansão urbana fomentada pelo empreendedorismo local. Desse modo, ficou evidente de que os espaços urbanos influenciados pela expansão urbana, no âmbito da cidade de Itabaiana, e que são orientados pelo empreendedorismo itabaianense geram impactos socioambientais, pois as atividades relacionadas com a expansão urbana da cidade, apesar de estarem balizadas por Leis específicas que tratam do uso do solo, de políticas ambientais entre outros, geram impactos sociais por menores que sejam, desde a expropriação dos espaços mais nobres da área urbana, até mesmo impactos ambientais, como a supressão da cobertura vegetal, impermeabilização do solo ou mesmo a poluição dos mananciais. E que os espaços citadinos geram centralidades, atraindo para si características muito próprias, polarizando funções e interferindo na teia urbana.


  • JADSON DE JESUS SANTOS
  • ESTRUTURAS SOCIOAMBIENTAIS E OS MÚLTIPLOS ESPAÇOS URBANOS DE ARACAJU/SE.
  • Orientador : MARIA JOSE NASCIMENTO SOARES
  • Data: 01/02/2019
  • Tese
  • Mostrar Resumo

  • As cidades são tidas como o habitat do homem e é nelas onde ocorrem a formação individual e coletiva dentro da sociedade. A urbanização dos espaços, antes naturais, transformaram, ao longo do tempo, a cidade como o local favorável a atender às necessidades de vivência do homem para que possa ser atingida a necessária qualidade de vida. Aracaju, capital do Estado de Sergipe, assim como em outras cidades brasileiras, não foge à regra. A capital sergipana passou por processos de transformação do meio ambiente natural desde a sua fundação, a partir da construção dos novos espaços urbanos nos aterros feitos sobre os mangues, restingas e alagadiços. Desde então, é possível observar diferenças dadas na expansão urbana de Aracaju influenciada pelo poder econômico exercido pela população abastada, enquanto, para os mais pobres, tenta-se afastá-los dessas áreas nobres, restando a eles as periferias não planejadas e sem a mesma infraestrutura encontrada em zonas nobres, necessárias à qualidade de vida. Desse modo, é possível perceber critérios de investimentos aos espaços urbanos de Aracaju em que são vários, mas é o poder econômico que tem um papel principal e determinante à execução das modificações dos espaços urbanos. O aspecto problemático se dá quando investimentos em áreas ambientais específicas são reduzidos e, às vezes, deixados de lado. Dito isso, a execução da pesquisa apresentada deu-se a partir do uso de técnicas de análises quantitativas e qualitativas, partindo da bibliometria como meio de formação conceitual e bibliográfica, para posteriormente apresentar a tese a partir da análise da paisagem, sendo amparadas por pesquisa documental. Para a execução da pesquisa e organização da tese, tivemos como como objetivo geral: analisar a infraestrutura socioambiental considerando a dinâmica da cidade de Aracaju ao relacionar planejamento, gestão e funcionalidade dos espaços urbanos e para tanto defendemos a tese de que a distribuição espacial dos equipamentos urbanos de sociabilização com o meio ambiente na cidade de Aracaju privilegia as áreas mais nobres da cidade. Neste sentido, evidenciou-se que os espaços socioambientais de Aracaju são diferentes de acordo com a sua localização, os quais carecem de uma revisão pelos gestores quando da implementação de investimentos em infraestrutura (praças, orlas e parques) que sejam harmoniosos por que a cidade deve ser acessível a todos, independentemente do poder econômico que cada um possui. Além disso, os espaços devem ser construídos em harmonia com o meio ambiente natural, ainda existente na cidade, para que esses espaços possam ser preservados/conservados a fim de que Aracaju possa (des)envolver continuamente para toda a população

  • NARA VIEIRA DE SOUZA
  • ENTRE REDES, LINHAS, TARRAFAS E PUÇÁS: O COTIDIANO DO PESCADOR BARRA-COQUEIRENSE EM MEIO AO CONTEXTO URBANO E A DIMENSÃO SOCIOAMBIENTAL.
  • Orientador : MARIA JOSE NASCIMENTO SOARES
  • Data: 25/01/2019
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • A ocupação da faixa litorânea tem tido ênfase em várias pesquisas mundialmente, tornando-se um fenômeno global, sendo vista por diferentes fatores e pelo surgimento de novos sentidos para práticas e usos dos recursos naturais nesse espaço. No Brasil, e, com o olhar para o Estado de Sergipe, destacando o município de Barra dos Coqueiros, locus deste estudo, o cenário para a faixa litorânea não tem sido diferente, e, com maior intensidade a partir de final de 2006, após construção da ponte Construtor João Alves, conhecida como ponte Aracaju-Barra, que desencadeou interferências nos recursos naturais e no cotidiano de comunidades tradicionais, como no caso dos pescadores, sujeitos desta pesquisa. Novos sentidos e práticas no espaço litorâneo, no âmbito global, sobressaem pelos vetores que sinalizam interesses para a modernização, pelo aumento de riquezas (especulação imobiliária; veraneio; atividade turística; moradias frente à beira mar), pelos interesses no uso do espaço para exploração off shore de petróleo, e, mais recentes os interesses tendem também para instalação de grandes empreendimentos, com altos investimentos (parques eólicos, usinas termelétricas e outras indústrias). Fatos que causam disputas e grandes modificações com o adensamento populacional e ocupacional, alterando a dinâmica socioambiental e as relações homem-natureza de comunidades tradicionais, sem que haja transformações emancipatórias. No caso da Barra dos Coqueiros-SE, as interferências ocorridas afetaram áreas urbanas e rurais do município, seja nos aspectos estruturais, nos recursos naturais e nas atividades econômicas peculiares ao município, como a pesca, que é uma atividade com idas e vindas, propiciando uma cotidianidade dos pescadores com a natureza, seja em águas estuarinas, ribeirinhas ou costeiras, com ritmos diários como produtores de saberes na relação homem-natureza, e, que necessariamente devem ser envolvidos em todo planejamento socioambiental. Nesse contexto, a pesquisa analisa o cotidiano dos pescadores barra-coqueirenses, suas transformações, modificações na utilização dos usos de recursos naturais, em razão dos empreendimentos surgidos no período de 2007 a 2017, numa perspectiva socioambiental enquanto parâmetro do desenvolvimento local. Metodologicamente, a pesquisa utilizou o método dialético, com técnica Análise dos Discursos - AD, instrumentos como entrevistas semiestruturadas e gravadores para etapa etnográfica com sujeitos pescadores e representantes das demandas pesqueiras do município, num processo de coleta de dados descrito de forma histórico-dialógico ao analisar o cotidiano dos sujeitos pescadores. Para o tratamento dos dados foram utilizados os software’s, DSCsoft e o Iramutec, que permitiram agrupamentos por ideais centrais e por similaridades, resultando em figuras e quadros a partir das narrativas inseridas nos referidos programas. Como contribuição da pesquisa, foi construído um sistema e um documento, em forma de agenda socioambiental, constando de elementos para um gerenciamento na concepção do desenvolvimento local para o município, haja vista o modelo de desenvolvimento instaurado, não apresenta aspectos de um desenvolvimento integrado local.

2018
Descrição
  • ELISIANE CARRA TUNES
  • A MARCA DA PARTICIPAÇÃO SOCIAL NA FORMULAÇÃO DO PLANO NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS
  • Orientador : ANTONIO CARLOS DOS SANTOS
  • Data: 10/12/2018
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • O objetivo geral desta tese foi analisar a marca da participação social na elaboração do Plano Nacional de Resíduos Sólidos (PlNRS), tendo em vista que uma primeira versão do plano foi submetida ao debate com a sociedade por meio de cinco audiências públicas regionais e uma nacional. Presumiu-se, como primeira hipótese dessa pesquisa, que a criação de novos mecanismos de participação e deliberação da sociedade torna presente um método plural de maior engajamento da sociedade. Porém, dispôs-se como hipótese adicional que a participação da sociedade na formulação do PlNRS não modificou aspectos fundamentais da sua redação final. Os objetivos específicos foram: i) identificar os participantes e descrever como se deu a representação da sociedade por eles; ii) analisar o processo de discussão na construção do texto do PlNRS; iii) mensurar a efetividade deliberativa no texto final do PlNRS. Metodologicamente, essa foi uma pesquisa de abordagem exploratória e descritiva; quanti e qualitativa quanto à sua classificação e de corte transversal. Utilizou-se a análise do discurso e a análise de conteúdo como técnicas de pesquisa. Nos resultados obtidos, observou-se que: i) os três segmentos da sociedade – sociedade civil, governo e mercado – participaram ativamente das audiências; ii) as formações discursivas da sociedade civil evidenciaram a preocupação social, o discurso do governo teve como foco o trabalho e as falas do mercado convergiram para o eixo financeiro; iii) a participação social foi efetiva quanto à modificação do texto preliminar para o final do PlNRS. Tendo em vista estes resultados, a primeira hipótese, de inserção da sociedade na discussão política, foi confirmada. Porém, a segunda hipótese, de que a participação social nas audiências do PlNRS não teria sido efetiva, foi refutada.

  • LIGIA DE OLIVEIRA BRAGA
  • RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE: GERENCIAMENTO EM REDE DE MONITORAMENTO À LUZ DA RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL
  • Orientador : ROBERTO RODRIGUES DE SOUZA
  • Data: 10/10/2018
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • Os Serviços de Saúde são geradores de resíduos e, estes, dependendo de sua classificação, podem ser perigosos e constituem um problema de saúde pública e ambiental, daí a importância de resoluções que norteiem e regulamentem seu correto manejo. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) e o Conselho Nacional de Meio Ambiente (CONAMA) possuem, dentre seu acervo, as referidas resoluções. Faz-se mister que, modelos de gerenciamento, buscando a sustentabilidade, sejam implementados no âmbito destas instituições considerando aspectos e características que possam ser acompanhadas em redes de monitoramento, com vistas a avançar na qualidade do gerenciamento incorporando a responsabilidade socioambiental na sua operacionalização. Logo, é preciso desenvolver pesquisas voltadas ao gerenciamento dos resíduos gerados nos serviços de saúde, considerando as regulamentações e a necessidade de se diminuir ao máximo possível a geração dos mesmos mitigando as agressões possíveis ao meio ambiente e à saúde pública, assistindo assim, o poder público e os profissionais de saúde. Para nortear esta tese, tem-se como objetivo geral propor um modelo de Gerenciamento dos Resíduos de Serviços de Saúde fundamentado em redes de monitoramento na perspectiva da Responsabilidade Socioambiental. A pesquisa teve suas bases teórico-metodológicas quanto aos objetivos (exploratório-descritiva), quanto aos procedimentos (pesquisa documental e bibliográfica) e quanto à análise de dados (quantitativa, qualitativa e análise de conteúdo). O estudo aponta instrumentos para o gerenciamento dos resíduos de saúde utilizados como modelo pela ANVISA, Distrito Federal e Secretarias Estaduais de Saúde do Brasil, analisados e selecionados os aspectos registrados, para explicitar a responsabilização ambiental, propondo um modelo de gerenciamento fundamentado em redes de monitoramento, permitindo a existência e formação de fluxo de dados que possam dar subsídios ao poder público e todas as partes envolvidas (stakeholders) no processo do manejo destes resíduos considerando a Responsabilidade Socioambiental.

    Os Serviços de Saúde são geradores de resíduos e, estes, dependendo de sua classificação, podem ser perigosos e constituem um problema de saúde pública e ambiental, daí a importância de resoluções que norteiem e regulamentem seu correto manejo, por isso, tanto a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) como o Conselho Nacional de Meio Ambiente possuem, dentre seu acervo, as referidas resoluções. Além disto, faz-se mister que, modelos de gerenciamento, buscando a sustentabilidade, sejam implementados no âmbito destas instituições, principalmente, envolvendo aspectos que possam ser mensuráveis e monitorados, enquanto indicadores de sustentabilidade, com vistas a avançar na qualidade do gerenciamento incorporando responsabilidade socioambiental na sua operacionalização. Logo, é preciso desenvolver pesquisas voltadas ao gerenciamento dos resíduos gerados nos serviços de saúde, considerando leis, norma, regulamentações e a necessidade de se diminuir ao máximo possível a geração dos mesmos e mitigar as agressões possíveis ao meio ambiente e à saúde pública, assistindo assim, o poder público e os profissionais de saúde. Para nortear este projeto de tese, tem-se como objetivo geral propor um modelo de Gerenciamento dos Resíduos de Serviços de Saúde mediante indicadores de sustentabilidade na perspectiva da Responsabilidade Socioambiental. Para tanto, a pesquisa terá suas bases teórico-metodológicas quanto aos objetivos (exploratório-descritiva), quanto aos procedimentos (pesquisa bibliográfica, pesquisa documental e pesquisa de campo) e quanto à análise de dados (quantitativa, qualitativa e análise de conteúdo). Enquanto universo e amostra, será realizada, ao nível nacional, em buscas junto às Secretarias Estaduais de Saúde, além da ANVISA e Distrito Federal e, ao nível estadual, na Agência Pernambucana de Vigilância Sanitária. Pretende-se apontar se existe instrumento para o gerenciamento dos resíduos de saúde e que aspectos tal instrumento permitem analisar para, a partir daí, propor um modelo de gerenciamento por meio de instrumento fundamentado em indicadores de sustentabilidade na perspectiva da Responsabilidade Socioambiental.

  • BRUNO GOMES CUNHA
  • Planejamento espacial integrado como subsídio para a avaliação dos serviços ecossistêmicos em Assentamentos Rurais
  • Orientador : ALCEU PEDROTTI
  • Data: 05/10/2018
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • Atualmente, sob a gestão do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária - INCRA; autarquia federal cuja missão prioritária é executar a reforma agrária e o ordenamento fundiário no Brasil, existem 9.358 Assentamentos Rurais - ARs, explorados por 974.545 famílias, ocupando uma área superior a 10% do território brasileiro, distribuídos, especialmente, na região Norte (maior número de famílias assentadas e percentual de área reformada) e no Nordeste (maior no de ARs). Em Sergipe, existem 224 assentamentos rurais, de diferentes tipologias, em uma área superior a 189,5 mil hectares (9% do território sergipano), reconhecidos pelo INCRA. Entende-se que, deve haver uma nova concepção de reforma agrária, sobrepondo a ideia de mera divisão de terra para os agricultores, passando a ser vista como um processo que deve ser planejado, que sirva como um instrumento social de reabilitação e reorganização de áreas rurais, a partir da associação do ordenamento espacial com as múltiplas pontencialidades das terras (aptidões espaciais), já que o AR é o local de produção de alimentos, o de moradia das famílias, que necessitam de infraestrutura adequada, e, de integração de redes e de relações sociais, num ambiente com paisagens rurais diversas que fornecem múltiplos serviços ecossistêmicos – SEs, contribuindo de forma importante para o bem-estar humano. Assim, pretendeu-se, nesta investigação, refletir sobre as estratégias e possibilidades de abordagens para o planejamento de um AR, simultaneamente com a organização espacial e a dinâmica do fluxo dos SEs, como forma de garantir a adequada exploração dos recursos naturais e sustentabilidade das famílias assentadas. Para isso, inicialmente, reflete-se sobre as interfaces dos tipos de organização espacial do AR e das moradias, analisando a influência das diferentes formas de organização espacial sobre as dimensões econômicas, sociais e ambientais, a partir de indicadores, a fim de compreender o desenvolvimento e a equidade espacial dos ARs. Após, avalia-se a integração de técnicas de análise de decisões multicritérios - ADMC com Sistema de Informações Geográficas – SIGs, com a seleção de critérios multidimensionais e regras de decisões, inseridas numa árvore de decisão, os quais foram aplicados num estudo de caso (AR Rosa Luxemburgo II), buscando-se a definição dos usos adequados das terras do AR, e, consequentemente, a otimização do fluxo dos SEs. Como resultados, tem-se que o INCRA vinculou a aplicação dos créditos à existência das moradias, e, estas, a organização espacial do AR, favorecendo a organização das moradias em agrovilas (propriedade individual) ou ao uso coletivo das unidades produtivas (propriedade coletiva). Em Sergipe, a principal tipologia de ARs é a de Projetos de Assentamentos Rurais - PAs, com a organização espacial das moradias em agrovilas, e, a organização espacial raio de sol se mostrou mais equânime, ou seja, otimiza as diversas dimensões do desenvolvimento sustentável. A metodologia multicritério desenvolvida integra as abordagens econômica, social, infraestrutura e ambiental, com índices espaciais compatíveis. E, a aplicação de regras de decisões permite a definição das relações inerentes das aptidões das áreas do AR, sendo que o uso atual do AR Rosa Luxemburgo II se correlaciona positivamente com as respectivas aptidões, mostrando-se adequado, pois otimiza o fluxo de SEs. Assim, conclue-se que o algoritmo desenvolvido é uma ferramenta que pode auxiliar no planejamento espacial multidimensional do AR e na tomada de decisão do gestor fundiário

  • CARLOS ALBERTO PRATA DE ALMEIDA
  • PROSPECÇÃO DA CRISE HÍDRICA POR MEIO DA MODELAGEM HIDROLÓGICA NO RIO SÃO FRANCISCO
  • Orientador : ANTENOR DE OLIVEIRA AGUIAR NETTO
  • Data: 03/09/2018
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • A bacia hidrográfica do rio São Francisco está ameaçada pela situação de crescente escassez e pela má utilização dos recursos hídricos, que põem em risco o desenvolvimento sustentável e a proteção do meio ambiente na região. Problemas relacionados à má gestão de água vêm se alastrando pelo planeta, não sendo um problema exclusivo do Brasil onde, desde a instituição da Política Nacional de Recursos Hídricos (Lei n° 9.433, de 8 de janeiro de 1997), a temática é abordada a partir de fundamentos como a busca da garantia dos usos múltiplos; da bacia hidrográfica como unidade territorial para planejamento e atuação; do reconhecimento de que a água é um bem de domínio público (dotado de valor econômico); sendo um recurso natural limitado e assim devendo ter sua gestão descentralizada e contando com o apoio do Poder Público, dos usuários e das comunidades. Para que haja o bom planejamento, gerenciamento e uso dos recursos hídricos torna-se necessária a utilização de procedimentos que permitam rápida compreensão e tomada de decisão, principalmente pela escassez e pela má distribuição do sistema de monitoramento no território nacional. A bacia hidrográfica do rio São Francisco, de elevadíssima importância nacional, vem apresentando um quadro preocupante de crise hídrica, a qual tem início, oficialmente, a partir do ano de 2013, quando se autorizou a histórica redução da defluência mínima de 1.300 m³.s-1 para 1.100 m³.s-1 e que tem se agravado sendo, que atualmente, suas vazões tem sido mantidas na ordem dos 600-650 m³.s-1, sem expressivas variações. O presente estudo propõe o uso da modelagem hidrológica para aprimorar a compreensão deste importante sistema acoplado homem-natureza, com ênfase no esclarecimento do fenômeno da crise hídrica, além de apresentar uma discussão sobre características agravantes do mais recente Plano Decenal de Gestão dos Recursos Hídricos. O objetivo principal da pesquisa é assim, avaliar a produção de água da bacia hidrográfica do rio São Francisco a partir de dois modelos hidrológicos, o SWAT (Soil and Water Assessment Tools) e TANK MODEL, antes e após a construção das grandes barragens. Destes estudos, tornou-se claro que as vazões do rio, apesar da diminuição das chuvas (devidas à um fenômeno regional cíclico muito bem conhecido) não são suficientes para explicar a gravidade da diminuição da produção de água. Neste sentido, percebe-se a necessidade de ampliação das discussões acerca das variáveis ambientais, suas interações e de uma nova orientação quanto ao Planejamento e Gestão dos recursos hídricos na bacia.

  • LUIS EDUARDO PINA LIMA
  • ECODRAMA: A NATUREZA COMO REALIDADE FIGURATIVA
  • Orientador : ANTONIO VITAL MENEZES DE SOUZA
  • Data: 31/08/2018
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • A presente pesquisa tem por tema a transversalidade entre estudos históricos e questões ambientais e como objeto o ecodrama, compreendido como dispositivo formativo de orientação psicodramática, dividido metodologicamente em 3 etapas: aquecimento, dramatização e compartilhamento (MORENO, 1975 e 1983) e fundamentado na premissa da integração indissociável entre os seres humanos e a natureza. Nesta tese, o ecodrama é utilizado para ativar da sensibilização ambiental de alunos e alunas de um curso de formação de professores. Neste sentido, levanta-se a tese de que o ecodrama configura-se como fluxo fenomenológico existencial (HEIDEGGER, 2012) de sensibilização ambiental para alunos e alunas de uma Licenciatura em História, quando se utiliza, como aquecimento específico desta vivência, um curso experiencial que prioriza a transversalidade entre História da Arte e Natureza, considerando-a como realidade figurativa, no sentido esboçado por Pierre Francastel (2011). Para tanto, o referido curso foi desenvolvido durante 19 (dezenove) meses, com um grupo de 13 participantes, 5 (cinco) homens e 8 (sete) mulheres, com idades entre 19 (dezenove) e 24 (vinte e quatro) anos, vinculados ao Programa de Educação Tutorial (PET), do Curso de Licenciatura em História, da Universidade Federal de Sergipe; visando alcançar o objetivo de analisar os elementos que configuram o ecodrama como dispositivo de formação para os fluxos de expressão de sensibilidade ambiental. Em consonância com este objetivo, divide-se a pesquisa em 6 etapas: 1ª) Elaboração de um relato autobiográfico com base em Josso (2004), Passeggi (2013, 2015), Pineu e Le Grand (2002); 2ª) Pesquisa bibliográfica envolvendo o levantamento da temas referentes à História da Arte (GOMBRICH, 2008); 3ª) Planejamento das ações e elaboração dos instrumentos de pesquisa, 4ª) Execução concomitante do curso com vivências e visitas guiadas, tendo por base os princípios da educação do sensível (“estesia”, DUARTE JUNIOR, 2001) e da ecosofia (GUATTARI, 1991), visando a produção de um conhecimento local e pertinente (MORIN, 2004, 2006 e 2007); 5ª) Execução da vivência ecodramática e 6ª) Avaliação das ações executadas. Todo este processo tem por referência matriz o Paradigma da Complexidade esboçado por Edgar Morin (1977), conjugado com a reflexão desenvolvida por Martin Heidegger (1977) de que a arte desvela a verdade do ser (Alêtheia). No que diz respeito à compreensão dos conteúdos imaginários e inconscientes, próprios à condição humana enunciada por Edgar Morin (1979), opta-se pela sistematização empírica fornecida pela psicologia analítica, com destaque especial para teoria dos arquétipos esboçada por Carl Gustave Jung (2000). Diante do exposto, conclui-se que: a execução de um aquecimento estésico e ecosófico, visando à produção de um conhecimento local e pertinente; a exploração do corpo como motriz da sensibilização ambiental (visitas guiadas e yôga); a construção de uma realidade suplementar espontânea (cenário psicodramático); a abertura dos participantes para a vivência plena do “como se” psicodramático; a criatividade intuitiva materializada em realidades figurativas (fazer artístico) e a disposição e confiança em compartilhar experiências em grupo, constituem-se nos elementos que configuram o ecodrama como dispositivo de formação para a educação ambiental "sensível”.

  • DÉBORA MOREIRA DE OLIVEIRA MOURA
  • CADEIA PRODUTIVA DA MANGABA NO ESTADO DE SERGIPE: desafios para sustentabilidade e gestão participativa
  • Orientador : LAURA JANE GOMES
  • Data: 28/05/2018
  • Tese
  • Mostrar Resumo

  • Existem centenas de Produtos Florestais Não Madeireiros que têm recebido poucos estudos na área acadêmica. Dentre estes está a mangabeira (Hancornia especiosa Gomes), cujo extrativismo do fruto é a principal fonte de renda para inúmeras famílias sergipanas. Contudo, apesar da importância socioeconômica da espécie para o estado, as áreas onde há ocorrência natural das mangabeiras estão sofrendo intensa pressão devido à ocupação do solo para outros usos. Neste contexto, a tese foi desenvolvida em três eixos (divididos em três capítulos) que dialogam entre si e buscam na interdisciplinaridade um mecanismo para compreender e internalizar a complexidade da relação sociedade-natureza que emerge do tema estudado - “Políticas Públicas”, “Cadeia Produtiva” e “Sustentabilidade”. Defende-se que a atual estrutura e inter-relações desenvolvidas na cadeia produtiva da mangaba no estado de Sergipe, inseridas em um contexto de pouco amparo político-institucional, têm implicado diretamente na (in)sustentabilidade socioeconômica e ambiental da exploração do fruto. O Capítulo 1 teve como objetivos traçar um histórico das políticas públicas vinculadas, direta ou indiretamente, à gestão dos produtos florestais não madeireiros (PFNM) no Brasil no período republicano, bem como refletir sobre a efetividade da gestão florestal brasileira, particularmente dos PFNM, e as implicações das fortalezas e debilidades dos instrumentos legais atuais. Por sua vez, o Capítulo 2 teve como objetivos discutir o conceito de cadeia produtiva a fim de compreender como ele pode ser utilizado para o entendimento da comercialização de Produtos Florestais Não Madeireiros, caracterizar a estrutura geral da cadeia produtiva da mangaba no estado de Sergipe e conhecer os diferentes atores sociais e os velhos e novos arranjos envolvidos. Por fim, o Capítulo 3 teve como objetivos elucidar os pontos críticos da cadeia produtiva da mangaba de acordo com opinião dos diferentes atores sociais envolvidos – focando a participação no planejamento ambiental – bem como relacionar os pontos críticos com suas respectivas implicações para a (in)sustentabilidade da cadeia produtiva da mangaba no estado de Sergipe e indicar caminhos para o alcance da sustentabilidade socioeconômica e ambiental na mesma. A metodologia utilizada para a coleta de dados do Capítulo 1 foi a revisão teórica. Nos capítulos 2 e 3 a seleção dos participantes se deu mediante amostragem intencional não probabilística, com o auxílio da metodologia “bola de neve”; por sua vez, os dados foram coletados por meio de oficinas e entrevistas e analisados através de triangulação de dados; a mensuração da sustentabilidade foi feita por meio da adaptação da Matriz de Importância e Desempenho de Slack. Concluiu-se que, mediante as políticas públicas vigentes, o país não possui mecanismos eficientes de gestão da atividade extrativista florestal, assim, é necessário reestruturar e criar novos mecanismos de proteção e ordenamento dos usos dos PFNM no Brasil. No estado de Sergipe também não há regulamentação legal para ordenar o uso da mangaba, de modo que a cadeia produtiva da mangaba no estado de Sergipe se enquadra primordialmente nas características de uma cadeia produtiva da biodiversidade (tanto em seus aspectos positivos quanto negativos), mas, para além de seu enquadramento, foram verificadas particularidades tais como o surgimento de áreas de enriquecimento e de cultivos. Acerca da sustentabilidade da cadeia produtiva da mangaba no estado de Sergipe, foi constatado que encontra-se comprometida, de acordo com a opinião dos diferentes atores sociais envolvidos, com 29 pontos críticos enquadrados nas zonas de “Ação Urgente” e de “Melhoramento” segundo a metodologia da Matriz de Importância e Desempenho de Slack. Assim, é imperativo que políticas públicas que envolvam a conservação da mangabeira sejam construídas em parceria com a sociedade, garantindo adequação à realidade dos diferentes atores sociais envolvidos na cadeia produtiva do fruto. Essas políticas também devem ser formuladas para atender e enquadrar-se à uma realidade territorial, englobando os demais produtos extrativos explorados no estado de Sergipe e região, com o intuito de contribuir para o uso sustentável e a valorização da sociobiodiversidade visando ao desenvolvimento regional à longo prazo.

  • RODRIGO GALLOTTI LIMA
  • ESTIMATIVA DA GERAÇÃO DE NITROGÊNIO REATIVO EM DUAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR DA REGIÃO NORDESTE DO BRASIL
  • Orientador : LAURA JANE GOMES
  • Data: 25/05/2018
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • O Nitrogênio em sua forma molecular (N2) é um gás disponível na atmosfera, que compõe 78% do ar atmosférico e caracteriza-se por ser um gás estável e inerte. Já as demais espécies reativas de base nitrogenada (Nr) são geradas através de inúmeros processos, tanto de origem natural como de origem antrópica, a exemplo das descargas elétricas dos raios, chaminés das fábricas, escapamentos dos veículos, química atmosférica, síntese de bactérias, dentre outros, sendo que um dos mais conhecidos exemplos de processos que ocorre a quebra da ligação tripla do N2 e geração de Nr é a síntese de fertilizantes de base nitrogenada. A indústria de fertilizantes tem crescido muito, pois, com a maior disponibilidade de fertilizantes houve um incremento significativo na produtividade agrícola. No entanto, por outro lado, a parte do fertilizante que não é absorvida pela planta, contamina água potável e mananciais causando eutrofização comprometendo organismos aquáticos, repercutindo diretamente no setor pesqueiro e provocando formação do ozônio troposférico, portanto, quando mal aplicado trata-se de um agente danoso à agricultura e florestas. Além disso, o mesmo átomo de Nr pode causar múltiplos efeitos indesejáveis na atmosfera, nos ecossistemas terrestres e aquáticos bem como na saúde humana. Esses efeitos são conhecidos como efeitos da cascata de nitrogênio. Tal efeito é um processo complexo, pois, a depender do sistema ambiental, alguns têm capacidade de acumular mais Nr, o que implica em acumulação de Nr em certos reservatórios ambientais, e que consequentemente, pode aumentar os efeitos de Nr nesse ambiente, sendo que o único modo de parar a acumulação de Nr é converter Nr de volta para N2, ou seja realizando desnitrificação. Em paralelo a isso, o carbono também tem promovido diversos efeitos ambientais indesejáveis, a exemplo das mudanças climáticas na qual o Nr não somente intensifica, como potencializa esses efeitos, pois, também interage com suas diversas espécies de base nitrogenadas a exemplo do N2O, gás com efeito estufa trezentas vezes mais potente que o CO2. No entanto, a repercussão referente à problemática do Nr no meio ambiente é muito pouco divulgada e avaliada tendo em vista a atenção que é dada em relação à problemática do ciclo do carbono, fato que preocupa, pois, estima-se que os efeitos negativos referentes a alteração do Ciclo do Nitrogênio apresentem maiores intensidade e magnitude. O presente trabalho tem por objetivo identificar, estimar e comparar as fontes de Nr no Campus Ondina da Universidade Federal da Bahia (UFBA) e no Campus São Cristóvão da Universidade Federal de Sergipe (UFS), bem como propor alternativas para mitigar e/ou compensar, a geração de N nestes campus. No tocante ao Campus Ondina da UFBA, foram identificadas e estimadas as suas fontes, onde a mais alta emissão foi referente às viagens aéreas desse campus realizadas pela população acadêmica que representa cerca de 60% de toda emissão do campus. Já para o Campus São Cristóvão da UFS, a mais alta emissão estimada foi referente aos alimentos que entram no campus ao campus que representou cerca de 30% da emissão total do referido campus. Diante desses cenários faz-se necessário a adoção de ações mitigadoras da geração do nitrogênio reativo nesses campus, principalmente com foco nos aspectos identificados com maior valor de emissão.

  • CRISTYANO AYRES MACHADO
  • ESTUDOS DAS AÇÕES DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DO PROJETO ÁGUAS DO SÃO FRANCISCO EM SERGIPE
  • Orientador : GREGORIO GUIRADA FACCIOLI
  • Data: 10/05/2018
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • A atual problemática ambiental revela, antes de qualquer coisa, uma crise da própria civilização. Não é a natureza que se encontra em desarmonia é a própria sociedade. Construímos uma sociedade de risco e somos obrigados a geri-la. Faz se necessário tomar medidas que levem o ser humano a se afeiçoar a natureza, estabelecer respeito entre os seres vivos que existem no planeta e aprender a conviver com dignidade, procedendo a favor do bem, do bom-senso e de nosso compromisso com a vida. Assim, a educação ambiental tornou-se, a partir da década de 80, objeto de estudo, discussão e crítica por parte de educadores e ambientalistas brasileiros, resultando, no âmbito da educação, em significativas e catalisadoras alterações, que podem ser visualizadas tanto na Constituição Federal (Art. 225), como na expressa necessidade que viesse permear todo o currículo, conforme preconiza a Lei 9394/96 (Lei de Diretrizes e Bases da Educação). O Projeto Águas do São Francisco teve o objetivo geral de recuperar as áreas degradadas das bacias hidrográficas do rio Betume e Jacaré-Curituba, inseridos na região do baixo São Francisco, no Complexo Irrigado do Betume E assentamento Jacaré Curituba, levando com isso ações de educação ambiental a comunidade inserida nessa área. A escolha desse espaço geográfico foi devido aos trabalhos realizados pela equipe no âmbito de irrigação e manejo de bacias e também por conter grande quantidade de áreas de agricultura familiar. Para Mayer (1989) ressalta que para avaliar qualquer projeto de Educação Ambiental há de se trabalhar com três grupos de indicadores de qualidade. O primeiro, considerado por ela como o mais importante, centra-se na mudança de valores, atitudes, hábitos e crenças dos alunos. O segundo grupo de indicadores descreve a estratégia educacional do projeto sob o ponto de vista cognitivo (relevância local do projeto, enfoque trans./ multi/inter/transdisciplinar) enquanto que o terceiro descreve a estratégia educacional utilizada desde a concepção à execução do projeto do ponto de vista afetivo. A metodologia proposta por Calórico (1997) que se apresenta como uma excelente alternativa de avaliação do Índice de Sustentabilidade através de cálculos simples e rápidos de áreas determinadas por meio da utilização de gráficos do tipo radar.

  • ANDREA MARIA SARMENTO MENEZES
  • A CULTURA DA CATÁSTROFE AMBIENTAL
  • Orientador : ANTONIO VITAL MENEZES DE SOUZA
  • Data: 28/02/2018
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa tem como objeto de estudo a cultura da catástrofe ambiental. Trata-se da análise efeitos que os filmes-desastres exercem nas pessoas considerando as interações sociais ocorridas entre os espectadores de narrativas fílmicas de catástrofes ambientais, quanto ao medo e a insegurança ante as possibilidades de extinção planetária (parcial ou total). A abordagem da pesquisa respalda-se no construcionismo social. O método da pesquisa adotado foi o relacional do tipo descritivo-interpretativo. Participaram desse estudo oitenta e um indivíduos com idades entre doze e sessenta e cinco anos de diferentes escolaridade e sexo. Utiliza-se o dispositivo grupal, tendo como foco as emoções e sentimentos manifestados nas experiências fílmicas com os filmes-desastre (1992-2012). Os principais instrumentos de coleta de dados foram as conversas informais, diário de campo, observação direta e registro em áudio das interações ocorridas entre os participantes. Os resultados explicitam que os participantes demonstraram interagir de maneira ativa, não escapista, com os quadros ou cenas fílmicas, compostas com maior apelo da linguagem catastrófica. A experiência fílmica, na recepção e audiência de filmes-catástrofe, produz efeitos específicos sobre a conduta dos participantes. Destacam-se cinco efeitos: (a) gera reação emotiva; (b) produz percepção consciente; (c) elicia comunicação direta unilateral por contato físico; (d) produz disposição empática; (e) gera, produz e elicia conteúdo simbólico. No entanto, observou-se que nem todos os participantes demonstraram reações típicas ao fenômeno da micronarração referencial-emotiva, a saber, reação-susto, seguida de atos de fala, contato físico direto reflexo com outros participantes e reação-risível. Percebeu-se que as diferentes reações aos produtos da indústria cinematográfica, no caso dos filmes-catástrofes, explicitam a particularidade e a singularidade da vida social prática, evitando assim, a abordagem universalista, na qual os atores sociais não refletem sobre o que fazem, quando fazem. Por outro lado, as dimensões simbólicas da cognição, quando não devidamente situadas no decorrer do debate sobre a experiência fílmica, produzem efeito redutor das operações mentais, elaboradas pelos próprios agentes a respeito dos filmes-desastre. Percebeu-se a circulação (ou indicação explícita), entre participantes da pesquisa, da necessidade de comentários em dois diferentes planos discursivos: (a) planos reativos (de sensibilidade sensório-perceptiva) voltados à ativação e a saturação, nos quais a emoção e o sentimento predominam; (b) planos de ação (de base ativa) voltados à decisão de engajamento e participação direta ou indireta na busca de envolvimento com as questões pertinentes à natureza, ao homem e as possibilidades de extinção da vida no planeta. Concluímos que o medo e a insegurança de extinção planetária (parcial ou total), veiculados pelos filmes-desastre traz ao centro do debate as emoções e os sentimentos como parte indissociada das questões ambientais e da variedade de comportamentos observados nas práticas sociais.

  • ERNESTO FREDERICO DA COSTA FÖPPEL
  • DETERMINAÇÃO DE UM ÍNDICE DE SUSTENTABILIDADE NO ESTUÁRIO DO RIO VAZA- BARRIS, LITORAL SUL DO ESTADO DE SERGIPE.
  • Orientador : GREGORIO GUIRADA FACCIOLI
  • Data: 28/02/2018
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • A pesca seja ela marítima ou costeira realizada em todo o mundo, vem demonstrando
    siais de declínio populacional e as causas podem ser de origem natural ou antrópica. O
    uso de petrechos de pesca inadequados, desrespeito a reposição dos estoques, descarte
    de resíduos sólidos, contaminação das águas e má gestão por parte dos órgãos públicos
    são exemplos que vem levando ao processo de redução dos recursos pesqueiros na
    natureza. As comunidades ribeirinhas são explotadoras de recursos pesqueiros e devido
    a sua escassez, acabam abandonando a pesca e sujeitando-se a trabalhos alheios a sua
    origem. Além disso, essas comunidades estão propensas à perda de identidade devido à
    chegada de veranistas e consequentemente a exploração turística, entre outros
    problemas. O presente trabalho tem como objetivo apresentar o Índice de
    Sustentabilidade (IS) em três comunidades ribeirinhas no estuário do rio Vaza-Barris,
    litorais sul do estado de Sergipe. O método proposto é a soma de duas metodologias:
    uma é adaptação do MESMIS (Marco para Avaliação de Sistemas de Manejo de
    Recursos Naturais) ferramenta utilizada para a mensuração de indicadores e a outra e a
    proposta por Calório que também trabalha com indicadores, mas dará ênfase no
    direcionamento de políticas públicas. Nas comunidades pretendidas foram feitas
    entrevistas semiestruturadas, com perguntas quali-quantitativas e esquema de coletas
    através do método bola de neve. O resultado encontrado é que o Índice de
    Sustentabilidade encontra-se em “média sustentabilidade” (50,54) destacando-se entre
    os indicadores sociais “o aumento do número de pescadores” teve o pior valor
    registrado (9,55). Nos indicadores econômicos destacaram-se negativamente as “ações
    de fiscalização” (10,90) a “renda média do pescador” que ficou abaixo do salário
    mínimo (11,54). Já os indicadores ambientais tiveram os resíduos sólidos (29,14)
    encontrados no rio e o uso de peterechos proibidos (36,06) como os piores avaliados.

    Dentre os povoados pesquisados o que teve pior rendimento foi a Pedreiras e um dos
    principais motivos para isso foi a quase nula atividade turística na localidade e as
    poucas oportunidades de trabalho alternativo para esta. Ao final as ações de politicas
    recomendadas foram direcionadas a capacitação do pescador na atividade de pesca,
    assim como alternativas de renda, demanda maior na fiscalização em todo o estuário
    quando a atividade pesqueira e projetos que visem à educação ambiental quando ao
    descarte de resíduos sólidos.

  • EDILMA NUNES DE JESUS
  • ECOLOGIA DE PAISAGEM COMO SUBSÍDIO À RECUPERAÇÃO DE ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE (APP)
  • Orientador : ADAUTO DE SOUZA RIBEIRO
  • Data: 27/02/2018
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • A intensa degradação ambiental nas matas ciliares tem como consequência a reduçãodas Áreas de Preservação Permanente (APP) afetando desde a manutenção das baciashidrográficas, as condições de sobrevivência para espécies da fauna e flora e ascomunidades ribeirinhas do entorno, principalmente, no tocante às alterações do solo erecursos hídricos. E, estes impactos refletem a necessidade de que trabalhos deRecuperação de Áreas Degradadas (RAD) sejam realizados visando à melhoria destesecossistemas. Entretanto, os custos elevados das práticas de RAD tradicionais,juntamente com a falta de informações sobre modelos de RAD alternativos, restringemo acesso a essas técnicas. Nesse contexto, as técnicas nucleadoras, que são alternativascuja base teórica origina-se na Ecologia de Paisagem, tem se destacado como estratégiasde RAD, seja pelos custos mais reduzidos, como também pelo princípio de potencializaras interações que ocorrem naturalmente no ambiente. Assim, o objetivo geral desteestudo é de avaliar a partir do uso das ferramentas de Ecologia de Paisagem aviabilidade de técnicas alternativas de RAD ao contribuir para o resgate daconectividade entre áreas degradadas e conservadas, situadas no Nordeste do Estado daBahia. Para isso, a presente Tese buscou ainda: identificar trechos com viabilidade paraa implantação de técnicas de recuperação nucleadoras a partir das métricas da Ecologiade Paisagem na área em estudo; analisar a percepção ambiental de comunidade ruralquanto às práticas de recuperação e monitorar os processos nucleadores por meio deuma matriz de indicadores ambientais, incluindo as dimensões: ecológicas, sociais eeconômicas. Nesse sentido, foram aplicadas análises em ambiente SIG (Sistemas deInformações Geográficas) para caracterização da estrutura e conectividade da paisagem,com as extensões gratuitas Patch Analyst 5.0 e Conefor Sensinode 2.2; a percepçãoambiental foi investigada a um público específico (amostra intencional) a partir deentrevistas e oficinas participativas, ambas aferidas pela Análise de Conteúdo(BARDIN, 2011) e de processos perceptivos (White, 1978); e a implantação dastécnicas nucleadoras foi monitorada mediante matriz de Indicadores ambientais, aliada acompilação de dados estatísticos. Logo, percebeu-se que a área possui elementosrelacionados aos efeitos da fragmentação (número e tamanho dos fragmentos, condiçõesde forma e isolamento, etc). Contudo as análises de SIG e diagnóstico realizado in loco,apontaram que a maior proximidade entre os pequenos fragmentos, bem como, aconectividade das áreas de APP são elementos favoráveis à implantação das técnicas denucleação: galharia e transposição de serrapilheira. Quanto à percepção ambiental dacomunidade do entorno, os entraves que poderão interferir nas ações de recuperação serelacionam aos problemas socioambientais vividos, bem como, os conflitos presentes.Entretanto, o conhecimento local, as possibilidades de alvos a serem conservados e aimportância atribuída aos trabalhos de recuperação apontam que esta atividade poderáser intensificada, principalmente, a partir da abertura de diálogo entre os atores sociais ea formação de espaços participativos. De maneira geral, a implantação de técnicasnucleadoras na AVC São José do Avena (Itanagra-BA), apresenta um cenário oportunono tocante aos indicadores ambientais selecionados e aplicados, o que evidencia apotencialidade que este tipo de atividade agrega em vistas a ampliar as ações derecuperação de áreas degradadas na região ofertando múltiplos benefícios.

  • THACIANA VIEIRA DE OLIVEIRA
  • Aproveitamento do resíduo de camarão Sete-barbas (Xiphopernaeus kroyeri) do município de Pirambu/SE para obtenção da Astaxantina utilizando técnica de extração com óleos vegetais.
  • Orientador : ROBERTO RODRIGUES DE SOUZA
  • Data: 27/02/2018
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • Com a considerável expansão da indústria pesqueira brasileira e uma maior demanda populacional por alimentos de origem protéica, a produção de pescados aumentou e com ela surgiu também uma acelerada geração de resíduos provenientes do processamento destes, os quais são usualmente descartados no ambiente sem nenhum tipo de tratamento. Estes resíduos são constituídos de material orgânico como cabeça e carapaças, ricos em compostos bioativos como os carotenóideseo aproveitamento destes pode incrementar a economia do setor industrial, bem como de comunidades que dependem economicamente da pesca e beneficiamento, além de contribuir para mitigar os efeitos da degradação do meio ambiente, convertendo sem uma alternativa para que a atividade pesqueira se torne maissustentável do ponto de vista técnico, ambiental, econômico e social. No município de Pirambu, a economia é baseada na pesca, principalmente a artesanal e muitas famílias temesta atividade como fonte de subsistência. Porém, a degradação e assoreamento do Rio Japaratuba que corta a cidade tem chamado atenção das autoridades políticas e da população local, poisafeta o setor pesqueiro desta região despertando, portanto, o interesse de investigação das suas causas. Suspeita-se que uma das possíveis razões do desgaste ambiental observado pode estar ligada ao descarte de material orgânico proveniente do beneficiamento de peixes e camarões no porto que são descartados no leito do rio. Diante do exposto, a tese apresentada teve como objetivo propor uma forma de agregar valor aos resíduos do camarão processado na região por meio da extração do carotenóide astaxantina utilizando uma técnica simples e de menor impacto ambiental. Para isso sugeriu-se uma alternativaao uso de óleo de girassol e óleo de mamona como solventes no processo de extração afim decolaborar com a agroindústria de pescados e com os pequenos beneficiadores de camarão da comunidade pesqueira da região de Pirambu-SE, ao rever seus processos produtivos por meio da proposta de aproveitar seus resíduos e diminuir os custos gerados com seu descarte. Além de otimizar a extração de astaxantina no estudo das variáveis independentes temperatura e tempo de extração, com o intuito de aumentar sua concentração e reduzir custos, bem como oferecer as indústrias de alimentos, farmacêutica, cosmética e de ração animal uma nova fonte de carotenóides naturais. Os resultados obtidos apontam ascondições ideais de extração para obter uma maior concentração do carotenóide (18,43 µg.g-1) com o uso de óleo de girassolanuma temperatura média de 70°C em aproximadamente 5 horas. No caso do óleo de mamona, pelo ineditismo no uso deste solvente para este fim foi necessário obter os valores dos parâmetros comprimento de onda ( lmáx=435,8nm) e coeficiente de extinção específico (E=3056) possibilitando o cálculo do rendimento da astaxantina, sendo cosiderada as condições ideais apontadas para obter uma maior concentração do carotenóide (14,22µg.g-1)o tempo de 10 horas e temperatura 80°C. A pesquisa possibilitou, portanto, a inserção de uma técnica de obtenção de um carotenóide de alto valor agregado de forma simples e com baixo impacto ambiental, tornando-se uma oportunidade de renda para marisqueiras que dependem do beneficiamento do camarão, além de mitigar o descarte de um material com elevada carga orgânica que pode acarretar diversos prejuízos de ordem ambiental, econômica e social.

  • ROSEANNE SANTOS DE CARVALHO
  • PRODUÇÃO E CARACTERIZAÇÃO DE BIO CARVÃO DE BAGAÇO DE LARANJA PARA A UTILIZAÇÃO NO PÓS-TRATAMENTO DE ÁGUA RESIDUÁRIA VISANDO O REUSO NA AGRICULTURA
  • Orientador : GREGORIO GUIRADA FACCIOLI
  • Data: 27/02/2018
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • Diversos países já adotam a prática da tecnologia do reuso e possuem
    regulamentações específicas na temática, fundadas em riscos potenciais voltados à presença
    de microrganismos patogênicos. Contudo, o avanço tecnológico ocorrido a partir da 2ª
    Grande Guerra Mundial introduziu no mercado uma ampla variedade de substâncias ou
    compostos químicos utilizados cotidianamente, os micropoluentes emergentes, nos quais
    acabam atingindo o meio ambiente, podendo ser prejudicial à fauna, à flora e até ao próprio
    homem. As substâncias em questão mesmo apresentando-se em concentrações muito baixas,
    na ordem de microgramas por litro ou nanogramas por litro (ng.L -1 ou µg.L -1 ), podem
    apresentar inúmeros efeitos, dentre os quais pode-se destacar relacionados ao sistema
    endócrino e a doenças carcinogênicas. Dentre os micropoluentes emergentes, dos fármacos
    que se apresentam em ascendência no país destacam-se os voltados à hipertensão, doença
    crônica, causadora de níveis elevados da pressão sanguínea nas artérias. A principal rota de
    contaminação dos micropoluentes é o ambiente aquático, o ser humano elimina os dejetos
    que vão à rede coletora de esgotos no qual os tratamentos convencionais por não terem sido,
    sobretudo, projetados com o objetivo de remoção desses compostos, requerem uma etapa
    complementar para atingir esta finalidade. A adsorção, fenômeno ocorrido sobretudo no
    carvão ativado, apresenta-se sob forma eficiente e econômica e vem despertando elevado
    interesse em relação à pesquisa de novos materiais que possam ser utilizados como
    adsorventes, principalmente em relação à bioadsorção, por apresentar uma proposta
    promissora, eficiente, economicamente viável e ecologicamente sustentável quando
    comparado aos demais métodos de descontaminação. O resíduo da laranja pode causar
    muitos problemas econômicos e ambientais devido principalmente à sua elevada
    fermentação, a indústria tem grande interesse em desenvolver novas aplicações para o
    bagaço da laranja, destacando-se a utilização deste material como adsorvente no tratamento
    de efluentes. Torna-se clara a preocupação relativa quanto à contaminação hídrica pelos
    micropoluentes emergentes na qual se desconhece os efeitos ecotoxicológicos. Assim,
    propõe-se neste projeto a análise do reuso de água residuária tratada por sistema secundário
    de baixo custo e proposta de um sistema combinado com tratamento terciário de baixo custo
    (biochar do bagaço da laranja), para a investigação da capacidade de degradação de
    micropoluentes emergentes do tipo fármacos. Será caracterizado o biocarvão e monitoradas
    as características das substâncias no afluente e efluente. Espera-se como resultado a
    comprovação de um produto sustentável para a remoção do contaminante hidroclorotiazida
    da água residuária.

  • ANDRÉA FREIRE DE CARVALHO
  • MULHERES ARTESÃS: extrativismo da Taboa (Typha sp.) em Pacatuba/SE.
  • Orientador : MARIA JOSE NASCIMENTO SOARES
  • Data: 26/02/2018
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • O foco deste estudo é a Typha sp. e a mulher, logo é uma tese que se insere nas questões de gênero e (des)igualdade enquadrando-se, nos objetivos do Desenvolvimento do Milênio; do Desenvolvimento Sustentável e da Agenda 2030, especialmente, em seu quinto objetivo ao estabelecer que os países devem alcançar a igualdade de gênero e empoderar todas às mulheres e meninas. Partimos da pressuposição de que, para a maioria das mulheres, sustentabilidade é uma prática que se constitui em ações cotidianas de sobrevivência no meio em que habitam, por que estas colhem, ordenam, reordenam e ressignificam elementos da natureza (Taboa - Typha sp) para suprir necessidades no seio familiar. Nesse sentido, a tese que defendo é de que as mulheres artesãs de Santana dos Frades, mediante corte, coleta, preparo e confecção de seus produtos artesanais, afiançam a sustentabilidade da própria Typha sp. per se, e consequentemente garante o fortalecimento sustentável dos ambientes onde a Typha sp cresce e todo o seu entorno, pois esta é uma macrófita com grande capacidade de filtrar as impurezas e metais pesados presente no ambiente. Um ciclo vital que se entrelaçam aos saberes cotidianos dessas mulheres artesãs, produzindo mais que arte e (re)produzindo vidas no seu entorno. Por tanto, busquei compreender quais os significados que estas atribuíam à Taboa e se esta contribui para a permanência da mulher no assentamento. Metodologicamente a pesquisa fundamentou-se na abordagem fenomenológica articulada à sociologia do cotidiano e a história oral da pesquisa em ciências humanas e sociais, especialmente história de vida das mulheres que extraem a taboa (Typha sp.). A pesquisa desenvolvida no campo empírico determinou que, a partir do momento que estas mulheres se (re)organizaram para trabalhar com a taboa, mudanças positivas ocorreram. A priori, mudanças socioeconômicas, considerando o tempo versus valor que recebiam quando trabalhavam confeccionando tranças e talos por meio da colheita da palha do Ouricuri. O manejo sustentável da taboa ocorreu de forma espontânea devido aos conhecimentos e vivências destas mulheres na lida com os elementos da natureza, sobretudo, mediante conhecimentos que adquiriram na luta pela sobrevivência. A organização das mulheres artesãs no Centro de Artesanato localizado no Assentamento Santana dos Frades e a participação na Associação de Artesãs situado no povoado Tigre, ambos no município de Pacatuba-SE, proporcionaram-lhes conhecimentos na área econômica, educativa e socioambiental, permitindo-lhes maior inserção na esfera socioeconômica e política do assentamento. A participação em cursos ofertados pelo Sebrae, em feiras de artesanatos locais e estaduais, ampliou suas vivências de modo a oportunizar a descentralização das atividades domésticas (“consideradas apenas da mulher”) ao distribuírem as tarefas aos membros da família (filhos, noras, genros e esposos) assegurando o sustento econômico da família, contribuindo sobremaneira para as análises e reflexões sobre o papel da mulher na sustentabilidade socioambiental e na igualdade de gênero.

  • ANDRÉ LUIS OLIVEIRA FEITOSA
  • ENSINO SOCIOAMBIENTAL NAS CIÊNCIAS CONTÁBEIS
  • Orientador : ANTONIO CARLOS DOS SANTOS
  • Data: 26/02/2018
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • As sociedades em todo o mundo entendem hoje que as organizações econômicas possuem obrigações que excedem a simples produção de bens e serviços ao mercado. Cabem a elas minimizarem os impactos socioambientais negativos decorrentes de suas atividades. A Contabilidade Socioambiental objetiva mensurar, controlar e demonstrar economicamente passivos e ativos ambientais resultantes daqueles impactos. Todavia, estudos apontam dificuldades na operacionalização da contabilidade socioambiental pelos profissionais da área. Essa situação já se origina em fragilidades do processo de ensino, especificamente no tocante ao conteúdo didático dessa disciplina. Verificamos em nossas pesquisas que os conteúdos da contabilidade socioambiental, diferentemente dos da contabilidade tradicional, centram-se apenas na parte teórica da disciplina sem promover seu ensino prático. O objetivo desta pesquisa foi analisar as características do ensino socioambiental nas Ciências Contábeis e possibilitar uma nova estrutura para ensino de seu conteúdo, utilizando metodologicamente, num estudo comparativo, a Análise Crítica do Discurso em elementos didáticos pedagógicos da disciplina Contabilidade Socioambiental e de disciplinas da Contabilidade Tradicional de cursos da graduação. Identificamos assim elementos de similaridade e divergência didática-metodológica que comprovaram nossa tese, a partir disso propomos a instituição de uma ementa com temas e objetivos específicos. Tal conteúdo pode ser objeto para composição de uma nova obra didática, alicerçada por exercícios de contabilização ambiental, didaticamente similares as demais obras da ciência contábil dirigidas aos alunos da graduação, com isso contribuindo para o desenvolvimento da contabilidade no campo ambiental, dotando-a de mais robustez prática para a seu ensino e aplicabilidade.

  • GIANE FLORENTINO RODRIGUES DE BRITO
  • ROYALTIES DO PETRÓLEO E EDUCAÇÃO: EMPODERAMENTO DOCENTE, REVERSÃO COMPENSATÓRIA E COMUNIDADES PETROLÍFERAS
  • Orientador : GICÉLIA MENDES DA SILVA
  • Data: 20/02/2018
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • A previsibilidade de finitude na produção de petróleo, alavanca estudos e discussões no Brasil e no mundo, acerca de novas formas de obtenção de energias e, mais especificamente, na relação entre desenvolvimento econômico e racionalização ambiental, evidenciando a necessidade de mudanças significativas no comportamento dos indivíduos e decisão política para implementação de soluções, no que tange ao uso responsável e consciente dos recursos naturais. A partir do pressuposto do esgotamento na produção desse mineral, esta tese aponta mecanismos que visam à ecologia política dos recursos advindos da produção do petróleo, ao mesmo tempo em que, lança luz nos debates sobre a distribuição e partilha dos royalties aos estados e municípios produtores, afetados, confrontantes ou não afetados pela vazão do referido hidrocarboneto, ao propor que os royalties do petróleo sejam utilizados como insumos na melhoria dos processos de formação inicial e continuada dos professores da educação básica no território nacional, sobretudo nos estados produtores de petróleo, detentores das maiores parcelas em royalties. Neste sentido, esta tese objetiva desvelar o poder do professor por meio do fomento dos recursos dos royalties do petróleo na efetivação de ações, programas e políticas públicas voltadas para a educação escolar, a fim de instrumentalizar e ampliar os horizontes teórico-metodológicos do processo de profissionalização do professor, concorrendo para o seu empoderamento. A implementação destes recursos na área educacional é vital para o desenvolvimento de estratégias que garantam o cumprimento das metas estabelecidas em Planos Municipais e Estaduais e, para além disto, visam perenes melhorias na educação formal. Sendo certo, que uma formação docente eficiente, habilita e capacita o professor no desenvolvimento de estratégias de efetivação da educação ambiental em ambientes formais e bem impulsiona a comunidade escolar para o (des)envolvimento ambiental, através de ações potencializáveis, práticas aplicáveis e sustentáveis da ação humana na perspectiva da atuação antropológica na natureza de modo consciente e eficaz pela práxis escolar cotidiana. Para obtenção dos dados, realizou-se uma pesquisa do tipo bibliográfica e documental, a partir da técnica de revisão de literatura em livros, artigos científicos, legislações, normativas, Planos Nacionais de Educação, programas e políticas públicas. Foram, também, elaborados um índice econômico e dois indicadores que podem oferecer aos gestores públicos um referencial para aplicação dos recursos na formação dos professores, possibilitando um aumento quantitativo e qualitativo nas formações técnico-pedagógicas e nas estratégias que visam ao empoderamento docente, de maneira que o poder do professor extrapole os muros escolares, pelo emprego consciente da reversão compensatória. O estudo demonstrou que o empoderamento docente, como atitude individual e coletiva, possibilita o desenvolvimento de estratégias e habilidades que podem ratificar a ação pedagógica em ambiente escolar, refletindo-se em ações de valorização e cuidado com o ambiente, além de explicitar que a aplicação, de, ao menos 50% dos royalties do petróleo em ações de fortalecimento na formação docente, contribuem para desvelar o poder do professor e, consequentemente, gerar impactos positivos no (des)envolvimento ambiental e educacional local e regional.

  • CLÁUDIA FERNANDA TEIXEIRA DE MÉLO
  • MEMÓRIAS E SENTIDOS DE NATUREZA NAS PRÁTICAS EDUCATIVAS DA COMUNIDADE QUILOMBOLA CASTAINHO/PE
  • Orientador : MARIA JOSE NASCIMENTO SOARES
  • Data: 19/02/2018
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • Ao longo da história da humanidade algumas mudanças ocorreram em relação à ideia de natureza, que foram inseridos em debates filosóficos, sociológicos, educacionais e ambientais, os quais se evoluíram no modo de produção, nos traços culturais, na tecnologia, nos processos educativos e na construção do conhecimento. Assim, determinados processos educativos ocorridos nas instituições como: escola, igreja, associações, conselhos municipais, lideranças políticas e representações sociais que articulam, conectam internalizam saberes na construção social e na valoração cultural. Esses são herdados mediante o desenvolvimento cultural e do conhecimento sobre a natureza, uma vez que demonstram como esses processos educativos proporcionam aos seus sujeitos uma vivência, apropriação, pertencimento, autonomia na produção de saberes acerca de suas identidades e de seus territórios culturais. A presente tese objetivou analisar os sentidos de natureza atribuídos por sujeitos da comunidade rural Castainho por meio dos seus processos educativos. Como paradigma metodológico a descrição etnográfica numa abordagem qualitativa, com base na história oral in locus, com seus integrantes da comunidade Quilombola centenária do Agreste Meridional de Pernambuco. A história oral e a memória foram norteadoras do processo de organização dos dados sobre a experiência e a prática cotidiana (atividades plurais e rotineiras) dos sujeitos nessa comunidade rural, mesclando passado e presente, ancorada na oralidade para resgatar informações da própria localidade com base em narrativas sobre o seu lugar social e suas relações com a natureza para evidenciar os sentidos de natureza atribuídos pela comunidade dento de uma “etnografia memorialística”, que foram utilizadas com os participantes sobre a conservação do ambiente e os processos educativos. Neste sentido, a pesquisa contribuiu para a sistematização dos conhecimentos sobre as memórias e os sentidos de natureza ao ampliar estudos dos processos identitários e socioculturais enquanto ação de conservação do lugar, como também na reflexão do pertencimento do homem em relação à natureza mediante processos identitários sociocultural de um lugar, ao conservar o ambiente (natureza) por meio dos processos educativos.

2017
Descrição
  • SIRLEY ALMEIDA ADELINO BAIÃO
  • Recursos e Habitats para a Conservação do Guigó (Callicebus coimbrai) em Sergipe.
  • Orientador : STEPHEN FRANCIS FERRARI
  • Data: 15/12/2017
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • Coimbra-Filho’s titi monkey, Callicebus coimbrai, is an endemic primate of the Atlantic Forest of the Brazilian Northeast, found only in Sergipe and northern Bahia. The species has been the focus of research and conservation efforts over the past twelve years, which has integrated the region’s scientists and institutions. The study presented here provides continuity, with three distinct, but complementary approaches. The first approach was an ecological study in the Mata do Junco Wildlife Refuge, in the municipality of Capela, in the Brazilian state of Sergipe. The results of this study highlighted the ecological resilience of the species in the face of habitat fragmentation. The titi is relatively inactive, spending most of the day at rest, and is predominantly frugivorous, although the proportion of time spent foraging was higher than in most previous studies of the same group, which may be related to variation in observational procedures. While some significant variation was found in the composition of the diet, the behavior of the members of the study group changed very little between the different periods of the year, or even among years, in comparison with previous years. Two aspects of the behavior of the animals were highlighted, however. One was the breakdown in the dispersal mechanism from the natal group, which apparently resulted in an endogamous mating between the resident reproductive male and its mature daughter. This is the second case of endogamy recorded in C. coimbrai, which may result from the inflexible social organization of the species in the context of habitat fragmentation, and represents a potentially serious problem for the long-term conservation of the species. The second new behavior was the predation of termites (Nasutitermes sp.), which appears to reflect the behavioral flexibility of C. combrai, and may represent a positive feature of the capacity of the species to cope with habitat fragmentation. In the second theme, the ecological concept of keystone species/resources was reviewed through a systematic literature search, which aimed to evaluate the potential practical applications of the concept for the conservation of C. combrai. This review revealed an extensive literature, which has grown almost exponentially in recent years, although the concept has been applied relatively rarely in primate studies. Together with the data accumulated on the ecology of the species, the discussion of the concept indicated that the extension of forest is a keystone resource for the conservation of C. coimbrai. This conclusion supports the third approach, which was an evaluation of the potential for the implementation of a network of ecological corridors in the study area. The analysis identified three priorities for the formation of corridors, one in the buffer zone of the RVS Mata do Junco, the second to the south of the area, and the third linking the refuge to the AIE Mata do Cipó. The thesis provides valuable insights into the long-term conservation of the species, but emphasizes the need for integrated efforts in research and practical action by environmental organs, research institutions, and the local population.

  • ROBERTO DOS SANTOS LACERDA
  • Territorialidade, saúde e meio ambiente: conexões, saberes e práticas em comunidades quilombolas de Sergipe
  • Orientador : GICÉLIA MENDES DA SILVA
  • Data: 06/11/2017
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • As comunidades quilombolas, muito mais que espaços de agrupamento de escravizados fugitivos, se constituíram, ao longo do tempo, como territórios de resistência e preservação dos valores, saberes e práticas da cultura afro-brasileira. A partir de uma cosmovisão includente, holística e integral, o cuidado com as pessoas e o meio ambiente foi determinante para a sobrevivência física e cultural das populações afrodescendentes frente ao sistema escravocrata, e ao racismo, estruturante da sociedade brasileira, e persistente até os dias atuais. Quando pretendemos discutir territórios quilombolas e saúde aparecem, intimamente imbricados, a percepção que a construção do território produz identidades e as identidades produzem territórios, sendo este processo produto de ações coletivas e recíprocas de sujeitos sociais. A abordagem ecossistêmica em saúde humana apresenta-se como possibilidade de construção teórico-prática das relações saúde e ambiente a partir, entre outros fatores, do estilo de vida de grupos populacionais específicos. Esse estudo tem o objetivo de analisar como os saberes e práticas tradicionais de cuidado em saúde constroem territorialidades que contribuem para conservação ambiental em comunidades quilombolas. A partir do método Interacionismo Simbólico, numa abordagem qualitativa e com técnicas da Etnografia, foi realizada uma pesquisa de campo nas comunidades quilombolas Mocambo em Porto da Folha e Sítio Alto em Simão Dias. Entre os saberes e práticas que articulam saúde e meio ambiente, destacamos a utilização de plantas medicinais, as práticas de reza e benzedura, a conservação de sementes crioulas e as danças circulares samba de côco e dança de roda. Identificamos a territorialidade da resistência, a territorialidade do cuidado e a territorialidade da esperança como traços comuns às duas comunidades na conexão de saberes e práticas que articulam saúde e ambiente. Conclui-se que os princípios da abordagem ecossistêmica em saúde estão presentes nas comunidades quilombolas numa dinâmica vital integradora e complexa das relações saúde e ambiente, a qual tem contribuído para conservação ambiental e cultural dessas comunidades. As estratégias, valores e práticas encontradas que integram território, saúde e meio ambiente, apontam caminhos para a superação de problemas sanitários e ambientais que vivenciamos na atualidade. Para tanto, faz-se necessário reconhecer e valorizar a diversidade de concepções e a hierarquização de saberes promovendo a união e respeitando as diferenças, numa nova ordem, onde o cuidado é o princípio norteador das relações humanas com o meio ambiente.

  • DANIELLE THAÍS BARROS DE SOUZA LEITE
  • INDICADORES DE SUSTENTABILIDADE: SUBSÍDIOS PARA O GERENCIAMENTO DA LOGÍSTICA REVERSA PÓS-CONSUMO DE PNEUS INSERVÍVEIS NO MUNICÍPIO DE ARACAJU/ SE.
  • Orientador : ADAUTO DE SOUZA RIBEIRO
  • Data: 29/09/2017
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • RESUMO

    Dados a crescente quantidade, os pneus inserviveis descartados inadequadamente provocam poluicao e impactam na saude publica. Esse trabalho tem como objetivo discutir as vantagens da educacao ambiental na logistica reserva. Esse artigo e resultado de levantamento bibliografico e documental acerca da tematica abordada. As legislacao ambientais, desobrigam gradativamente governos e responsabilizam empresas privadas pelo gerenciamento dos fluxos reversos dos produtos de pos-consumo. A ineficiencia de gestao dos fluxos pode constituir um risco a imagem do fabricante quanto a reputacao de empresa consciente da responsabilidade socioambiental. A Politica Nacional de Residuos Solidos afirma que a responsabilidade deve ser dividida entre governo e setor privado. Surge a importancia de estudar Logistica Reserva, que trata os fluxos no sentido cliente-empresa, trabalhando a pos-entrga com o retorno dos pneus inserviveis e importante equacionar e quantificar o volume de devolucoes. A logistica reserva apresenta um papel de destaque voltado a reducao de residuos solidos atraves do adequado gerenciamento. A Educacao Ambiental tem relevancia singular na logistica reserva de pneus, uma vez que auxilia na mitigacao de impactos ambientais e busca a formacao de individuos em relacao a construcao de pensamentos criticos, de modo que possam identificar e perceber a importancia da sua colaboracao na cadeia logistica.

  • ANDREIA PATRICIA DOS SANTOS
  • FOMENTO À PESQUISA EM MEIO AMBIENTE: o CNPq e FAPs na região nordeste do Brasil (2005-2015).
  • Orientador : MARIA JOSE NASCIMENTO SOARES
  • Data: 31/08/2017
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • O presente trabalho de tese objetiva discutir a política científica para as questões ambientais implementada pelo CNPq para a Região Nordeste no período de 2003 a 2010, período no qual foi dado início a uma política nacional para combater as desigualdades regionais no desenvolvimento científico e tecnológico do país. Para tanto, os editais lançados pelo CNPq são considerados, nesta pesquisa, expressões da política científica, ora de concepção e de ação de um determinado governo, ora enquanto locus de um campo de disputas (o científico) entre os agentes (pesquisadores e pesquisadoras) vinculados às instituições de ensino superior e institutos/centros de pesquisa, cujas dinâmicas interagem, conformam-se, tensionam-se e reproduzem desigualdades regionais, distinções entre áreas de conhecimento e/ou entre pares de um mesmo ramo de saber, especialmente no acesso aos recursos financeiros, reconhecimento e prestígio acadêmico. Tais questões serão discutidas com base na teoria de Pierre Bourdieu, especificamente sobre a ideia de campo científico e campo político. A escolha por tal abordagem justifica-se de acordo com duas dimensões consideradas na pesquisa: a política pública científica, enquanto ação do campo político (uma ação, uma política do Estado), é direcionada, na maioria das vezes, para os agentes que compõem o campo científico – os pesquisadores, a partir de determinados interesses governamentais, seja daqueles pressionados por agentes econômicos que buscam apoio na área da C&T para fortalecer e expandir suas dinâmicas produtivas seja dos que resultam de demandas dos próprios cientistas para desenvolver suas pesquisas em consonância com as dinâmicas produtivas e governamentais, em boa parte dos casos, provocando, desse modo, uma relação de proximidade entre os referidos campos e que repercutem no campo ambiental. Assim, um campo alimenta-se e é alimentado pelo outro. Dentro desse debate são incluídas duas importantes categorias analíticas, política pública e política científica. Partimos da ideia de que a força que a questão ambiental ganhou em determinadas áreas do conhecimento científico (exatas e da natureza) decorreu não só pelo seu vínculo de pesquisa com o tema da Natureza, mas pelo fato de que tais campos do saber conseguiram produzir e reproduzir mecanismos capazes de influenciar o campo político no direcionamento dos temas de pesquisas e na priorização dos recursos financeiros, ao responder também aos interesses do Estado e do setor econômico, o que fez com que conseguissem tecer, a partir dos frisados mecanismos, sua hegemonia de “controle do tema” sobre os demais ramos de conhecimento. Desse modo, a presente tese parte da ideia de que há uma relação direta entre academia e Estado, ambos se alimentam mutuamente. Em outras palavras, o conhecimento produzido pelos pesquisadores (através de algumas áreas e temas) é voltado para atender às demandas do Estado e das dinâmicas econômicas hegemônicas com suas hierarquias regionais. É desse modo que o Estado planeja e direciona sua política científica, fazendo-as repercutir no tipo de ação científica ambiental para o Nordeste brasileiro.

  • NEUMA RÚBIA FIGUEIREDO SANTANA
  • HIDRODINÂMICA AMBIENTAL NO BAIXO SÃO FRANCISCO E SUAS RELAÇÕES ANTRÓPICAS.
  • Orientador : ANTENOR DE OLIVEIRA AGUIAR NETTO
  • Data: 19/06/2017
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • A água reflete as condições ambientais de um rio, sendo assim, conhecer a sua qualidade amplia o entendimento sobre a hidrodinâmica desse ecossistema e possibilita detectar ações antrópicas que afetam as atividades humanas e a manutenção dos processos ecológicos. O presente estudo teve como objetivo avaliar a qualidade da água na foz do rio São Francisco e suas ações antrópicas. A foz do rio São Francisco está localizada entre os estados de Sergipe e Alagoas apresenta uma planície fluviomarinha constituída por várzeas e terraços fluviais e marinhos, representa uma área de extrema beleza natural e de relevância econômica para população local e está agregada na divisão geográfica do baixo São Francisco. Com uso de uma embarcação locada no município de Brejo Grande (SE) e com o auxílio de um GPS digital Garmin e-trex, realizou-se o registro das informações de latitude e longitude em UTM para mapear os pontos de coleta de água. Com o intermédio do método de perfilação acústica doppler (ADCP) realizou-se seção de batimetria no trecho da foz do rio São Francisco para determinação da vazão e profundidade. Para verificação da qualidade da água e dos processos degradadores foram realizadas identificações dos pontos de amostragem através de medidas com sonda Multiparâmetros HI9828 durante os meses de fevereiro, março, abril, maio, setembro, novembro de 2015 e março de 2017. A sonda registrou salinidade, condutividade elétrica, Turbidez, Oxigênio dissolvido, Sólidos Totais, temperatura e pH. Para água de consumo foram coletas das águas em residências para verificação de pH, sódio e cloretos. Realizou-se entrevistas para verificação da percepção da salinidade com os moradores da região de Brejo Grande/SE e Saramém. Em seguida os dados quantitativos e qualitativos foram tratados através de software estatísticos e comparados com as Resolução CONAMA 357/2005 e Portaria MS 2914/2011. Os resultados apresentados para o pH variaram entre 6,80 a 9,47 sendo que o valor máximo ocorreu no mês de fevereiro de 2015. Os valores de Oxigênio dissolvido na área avaliada oscilaram entre 4,68 a 9,27 ppm conforme. Os valores sólidos totais dissolvidos variaram entre 7,0 mg.L-1 a 7522 mg.L-1. A maior concentração de sólidos totais dissolvidos registrado ocorreu no ponto 1 mês de novembro período seco e com regime de maré de sizígia com elevação do nível de água em 2.2m. Os valores de turbidez registrados foram entre 2,9 NFU e 47,07 NFU. Os valores da Condutividade elétrica variaram entre 10,00 (µS/cm-1) a 13130,00 (µS/cm-1), onde o maior valor foi registrado no Ponto 7 e o menor valor no Ponto 38. A concentração média de salinidade variou entre 0,17 a 28,87(‰) sendo que os maiores valores foram registrados nos pontos 7 e 11 localizado a margem do município de Brejo Grande/SE e os pontos 39, 40 e 43 situados sentido Piaçabuçu no estado de Alagoas. O pH na água de consumo entre os municípios de Brejo Grande/SE e o povoado Saramém apresentaram valores médios dentro do limite estabelecido pela Portaria do ministério da saúde 2914/2011. Na avaliação do parâmetro de sódio e cloretos os valores médios obtidos no mês de maio de 2015, apresentaram-se entre 1962,85 mg.L-1 e 2938,62 mg.L-1. Em resposta as entrevistas semiestruturada os moradores informaram que a alteração no sabor da água era percebida durante a maré alta. Conclui-se que as concentrações de salinidade foram significantes e sinalizaram a atuação do período da maré para o aumento da mesma. A salinidade é um fator preocupante por comprometer diretamente os usos da água e afetar diretamente a biota na região. Sugere-se que novas pesquisas sejam implementadas na região com a finalidade de monitoramento da cunha salina e seus potencias riscos para a população do baixo São Francisco.

    HIDRODINÂMICA AMBIENTAL NO BAIXO SÃO FRANCISCO E SUAS RELAÇÕES ANTRÓPICAS

  • JOSÉ BEZERRA DE ALMEIDA NETO
  • SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL: VIABILIDADE TÉCNICA E ECONÔMICA DA APLICAÇÃO DO CASCALHO
  • Orientador : ROBERTO RODRIGUES DE SOUZA
  • Data: 13/06/2017
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • A indústria de petróleo, em todos os seus segmentos, tem potencial para causar impactos ao meio ambiente. Um dos principais impactos sobre o meio físico, gerado pela indústria de petróleo, está associado à perfuração de poços de petróleo em virtude da geração de diversos resíduos, entre os quais estão os fluidos de perfuração e os cascalhos resultantes da perfuração de poços de petróleo. Estima-se que na região nordeste do Brasil exista atualmente uma quantidade de resíduos da ordem de 100 mil m³ oriundos do processo de perfuração de poços para produção de petróleo e, ainda, em função do crescente número de poços, presume-se uma geração anual de 50 mil m³. Devido à quantidade gerada de cascalhos e seus contaminantes, assim como o tratamento, o transporte, o descarte, e os expressivos custos associados, normalmente há contratempo no gerenciamento destes. O presente estudo tem por objetivo analisar a viabilidade técnica da incorporação dos resíduos de cascalhos de perfuração (RCP) na composição da pasta de cimento, utilizada em poços de petróleo. As propriedades da pasta cimento foram obtidas através da realização de testes laboratoriais de resistência à compressão, tempo de espessamento, reologia, filtrado, água livre e estabilidade da pasta. Os testes de pastas foram realizados no laboratório de cimentação (LabCim) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), utilizando cimento especial, cascalhos originários da formação Muribeca, membro Oiteirinhos, retirados de poços através de fluidos sintéticos. Essa inovação tecnológica revela-se ser economicamente viável, uma vez que a introdução dos cascalhos na composição da pasta de cimento reduz o custo, por volume, de pasta de cimento produzida para as operadoras, diminuindo assim, o volume de cascalhos destinados ao descarte dos mesmos e os custos correspondentes. Como também, socialmente justa, em virtude de conceber uma oportunidade de investimento no processamento e beneficiamento dos cascalhos pela sociedade, proporcionando a geração de emprego e renda. E ambientalmente sustentável, em razão de contribuir com a redução do volume de cascalhos que impactam a natureza, sejam dispostos em aterros industriais ou no subsolo.

  • DENISE ANDRADE DA SILVA
  • AVALIAÇÃO DO POTENCIAL DE UTILIZAÇÃO DE RESÍDUOS DE ACEROLA E UMBU CAJÁ NA PRODUÇÃO DE BOLO TIPO CUPCAKE
  • Orientador : ROBERTO RODRIGUES DE SOUZA
  • Data: 21/02/2017
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • Diversos setores da sociedade têm atualmente concentrado seus esforços em buscar meios de tornar compatíveis os níveis de crescimento econômico e de produção, com a manutenção da qualidade ambiental e a preservação dos recursos naturais, materiais e energéticos. Neste contexto, o desenvolvimento de técnicas que visem minimizar os impactos ambientais, principalmente quanto aos resíduos produzidos pela agroindústria, pode reduzir o impacto da atividade econômica no meio ambiente, a exemplo do emprego desses resíduos na geração de novos produtos, com maior valor agregado, para o consumo humano. O presente trabalho de tese objetiva avaliar o potencial de resíduos de polpas de acerola e umbu cajá na elaboração de farinhas alimentícias com aplicação na produção de bolos tipo cupcake. Os resíduos coletados serão caraterizados através dos parâmetros físico-químicos (acidez, pH, sólidos solúveis, vitamina C, lipídios, atividade de água, umidade, cinzas, proteína e carboidratos) e microbiológicos (Coliformes a 45ºC, Salmonella, Bacillus cereus, bolores e leveduras) e posteriormente serão obtidas as farinhas alimentícias. Para tanto, serão adotadas duas temperaturas de secagem (60ºC e 70°C) com o propósito de minimizar perdas dos nutrientes. A análise de minerais (sódio, potássio, cálcio, ferro, manganês, cobre e zinco) será realizada a partir das farinhas, assim como toda a caraterização físico-química com o intuito de analisar o efeito das temperaturas adotadas sobre os constituintes nutricionais. O processamento dos bolos tipo cupcake será desenvolvido através de formulação padrão segundo Silva et al (2012). Serão acrescentados 5% (Tipo I), 10% (Tipo II), 15% (Tipo III) e 20% (Tipo IV) das farinhas alimentícias obtidas de resíduos de acerola e umbu cajá, em substituição parcial da farinha de trigo (em relação ao peso total da farinha de trigo) e a formulação padrão, sem adição de farinha alimentícia, totalizando cinco formulações. A qualidade dos bolos será avaliada através dos parâmetros físico-químicos (pH, atividade de água, umidade, proteínas, lipídeos e carboidratos), microbiológicos (coliformes, bolores e leveduras) e sensoriais (teste de aceitação e intenção de compra) além da análise de vida de prateleira. Os resultados parciais obtidos a partir da caracterização dos resíduos da polpa de umbu cajá e das farinhas desses resíduos mostraram que à temperatura de secagem 60ºC os constituintes nutricionais tiveram comportamento estável quando comparados à temperatura de 70ºC. Para realização das etapas posteriores será utilizada a temperatura de 60ºC para obtenção das farinhas como uma melhor opção de economia de energia e preservação principalmente dos parâmetros vitamina C, proteínas, lipídios e carboidratos e dos compostos minerais cálcio, ferro, manganês, cobre e zinco.Diversos setores da sociedade têm atualmente concentrado seus esforços em buscar meios de tornar compatíveis os níveis de crescimento econômico e de produção, com a manutenção da qualidade ambiental e a preservação dos recursos naturais, materiais e energéticos. Neste contexto, o desenvolvimento de técnicas que visem minimizar os impactos ambientais, principalmente quanto aos resíduos produzidos pela agroindústria, pode reduzir o impacto da atividade econômica no meio ambiente, a exemplo do emprego desses resíduos na geração de novos produtos, com maior valor agregado, para o consumo humano. O presente trabalho de tese objetivou avaliar o potencial de resíduos de polpas de acerola e umbu cajá na elaboração de farinhas alimentícias com aplicação na produção de bolos tipo cupcake. Os resíduos coletados, as farinhas alimentícias e os cupcakes foram caraterizados através dos parâmetros físico-químicos (acidez, pH, sólidos solúveis, vitamina C, lipídios, atividade de água, umidade, cinzas, proteína e carboidratos) e microbiológicos (Coliformes a 45ºC, Salmonella e bolores e leveduras). Para obtenção das farinhas, foram adotadas duas temperaturas de secagem (60ºC e 70°C). A análise de minerais (sódio, potássio, cálcio, ferro, manganês, cobre e zinco) foi realizada com o intuito de analisar o efeito das temperaturas adotadas sobre os constituintes nutricionais. O processamento dos bolos tipo cupcake foi desenvolvido, totalizando cinco formulações. A qualidade dos bolos foi avaliada através dos parâmetros físico-químicos, microbiológicos e sensoriais (teste de aceitação e intenção de compra) além da análise de vida de prateleira. Cinco formulações de cupcakes adicionados de farinha de resíduo de acerola (FRA) e farinha de resíduo de umbu cajá (FRU) foram elaboradas através de formulação padrão segundo Silva et. al (2012). Foram acrescentados 5% (Tipo I), 10% (Tipo II), 15% (Tipo III) e 20% (Tipo IV) das farinhas alimentícias obtidas em substituição parcial da farinha de trigo (em relação ao peso total da farinha de trigo) e a formulação padrão, sem adição de farinha alimentícia Os resultados obtidos mostraram que à temperatura de secagem 60ºC os constituintes nutricionais tiveram comportamento estável quando comparados à temperatura de 70ºC. Os resultados da avaliação sensorial mostraram que, em geral, níveis de até 20% de adição de farinha de resíduo de acerola e umbu cajá apresentaram escores satisfatórios nos atributos sensoriais avaliados. Dessa forma, as formulações contendo 20% de FRA e FRU foram selecionadas para realização das demais análises, juntamente com aquela sem adição de farinha para fins de comparação, por conterem maior teor de farinha e boa aceitação sensorial, confirmada pelo IA>70%. Na análise química observou-se que com o aumento das proporções de FRA e FRU em relação à farinha de trigo, houve redução do valor energético e da proporção de carboidratos na formulação contendo 20%. Não houve diferença significativa entre os valores de umidade, cinzas, proteínas e lipídios. Conclui-se que as farinhas de resíduos de acerola e umbu cajá podem ser adicionadas em produtos como bolos e similares, podendo ser oferecidos aos consumidores, reduzindo-se o desperdício de alimentos, apresentando também boa possibilidade de industrialização.

  • ANITA CAROLINE LIMA REINOSO
  • UTILIZAÇÃO DE RESÍDUOS DE MANGAS TOMMY ATKINS PARA ELABORAÇÃO DE BARRAS DE CEREAIS
  • Orientador : ROBERTO RODRIGUES DE SOUZA
  • Data: 21/02/2017
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa teve como objetivo analisar o potencial nutricional de mangas Tommy Atkins, oriundos do descarte da Central de Abastecimento de Aracaju-SE, a partir da elaboração de barras de cereais. Os resíduos destas frutas, mangas e cascas de mangas, foram desidratados em secador solar e de bandejas nas temperaturas de 60o e 70oC, triturados e armazenados até o início das análises. A umidade foi determinada nas amostras in natura, desidratadas em secador solar, nas duas temperaturas estudadas e na barra de cereal otimizada. Calculou-se o rendimento das amostras obtidas a 60o e 70oC. Nas amostras in natura, desidratadas nas duas temperaturas estudadas e na barra de cereal otimizada foram realizadas as seguintes análises: cinzas, sólidos solúveis totais, pH, acidez titulável, atividade de água, vitamina C, proteínas, lipídios, fibras(bruta nas farinhas e alimentar nas barras de cereais), fenóis, carboidratos, cor, valor energético, cálcio, magnésio, fósforo, potássio, ferro e sódio. As 11 formulações de barras de cereais obtidas por planejamento experimental e a barra padrão foram submetidas à análise sensorial (testes de aceitação e intenção de compra) e microbiológicas (coliformes termotolerantes, Salmonellas sp., Bacillus cereus, bolores e leveduras). As análises microbiológicas das amostras desidratadas em secador solar, a 60ºC, 70oC e a vida de prateleira da barra otimizada também foram estudadas. As amostras de farinhas de mangas e de cascas de mangas obtidas em secador de bandejas nas duas temperaturas estudadas encontraram-se próprias para o consumo, enquanto que as obtidas em secador solar foram descartadas para consumo devido à contaminação por Bacillus cereus. As farinhas de mangas e de cascas de mangas obtidas com a menor temperatura de secagem (60oC) foram as escolhidas para elaboração das barras de cereais devido a melhor conservação da maioria dos nutrientes, além de favorecer um menor consumo de energia, quando comparadas as farinhas de mangas e de cascas de mangas obtidas com a maior temperatura de secagem (70oC). Todas as formulações de barras de cereais obtidas por meio do planejamento experimental e a barra padrão encontraram-se próprias para o consumo e tiveram uma boa aceitação pelo consumidor. A formulação otimizada para as barras apresentou 20% de farinha de manga e 18% de farinha de casca de manga em substituição a aveia integral. O reaproveitamento de resíduos de mangas utilizados na elaboração das barras de cereais permitiram obter um produto (barra otimizada) fonte de proteínas, rico em fibra alimentar, com baixo teor de gorduras e teor muito baixo de sódio, mantendo sua qualidade sensorial e podendo ser consumido em até 60 dias de armazenamento em condições adequadas de temperatura e embalagem. A substituição parcial da aveia pelas farinhas de resíduos de mangas poderá resultar em um produto mais barato, agregar valor a esses subprodutos e reduzir o desperdício desses alimentos, além de ser mais uma alternativa que evita o descarte destes resíduos no ambiente.

  • FRANCISCO DE CARVALHO NOGUEIRA JUNIOR
  • Alternativas tecnológicas para o uso sustentável de madeiras da Caatinga em cercas e currais no semiárido do baixo São Francisco
  • Orientador : ADAUTO DE SOUZA RIBEIRO
  • Data: 14/02/2017
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • No escopo deste estudo buscou-se na trans-e-interdisciplinaridade uma solução para práticas sustentáveis na construção de cercas e conservação com as espécies nativas. Os objetivos deste trabalho foram desvendar as preferências dos proprietários rurais da região de Paulo Afonso-BA, quanto as espécies nativas utilizadas na construção de suas cercas mortas e avaliar qualitativamente o estado de conservação dessas madeiras. A metodologia trans-e-interdisciplinar permitiu a descoberta de uso de 8 espécies de madeiras sendo uma exótica, As duas espécies preferidas pelos produtores rurais, foram a Braúna, Schinopsis brasiliensis Engl. espécie nativa, e a Algaroba, Prosopis julifora (Sw) DC, espécie exótica do semiárido Peruano e invasora da Caatinga do NEB. A escassez das espécies nativas nas cercas, no entanto, foi constatada através do processo de substituição das estacas nativas pelo uso das estacas da exótica Algaroba. Avaliamos interdisciplinarmente os aspectos dendroecológicos, anatômicos e tecnológicos (físicos e químicos) em estagio de madeira viva e morta (estacas) com a finalidade de validar o estado de conservação da madeira morta, e as estratégias adaptativas de sobrevivência e suas respostas às condições climáticas em madeira viva. Os resultados obtidos para o estudo anatômico, físico e químico do estado de biodegradação das estacas, indicou esgotamento das espécies nativas utilizadas nas cercas. O estagio atual de conservação das cercas compromete as espécies nativas, em função da necessidade iminente de substituição dessas estacas, sugerindo manejo/controle imediato da espécie P. juliflora. A construção de cronologias de anéis de crescimento dessas duas espécies permitiu avaliar localmente à influência do clima da região sobre seu crescimento na Caatinga, a partir da avaliação das diferentes variáveis ambientais locais e eventos climáticos globais para o ENSO e a TSA. A cronologia de P. juliflora se deu entre o período de 1975-2015, com inter-correlação de 0,531 e taxa média de incremento anual de 3,71 mm, enquanto a cronologia de S. brasiliensis ocorreu entre 1963-2015, com inter-correlação de 0,560, e taxa média de incremento anual de 3,33 mm. O crescimento da espécie P. juliflora apresentou correlação com a precipitação anual (52%), estação chuvosa outono/inverno (0,57) e trovoadas (0,35), estando inversamente correlacionada com a temperatura média (-0,47), temperatura máxima (-0,31) e a insolação (-0,43). O crescimento da espécie S. brasiliensis apresentou correlação com a precipitação anual (0,71), estação chuvosa outono/inverno (0,64), umidade (0,39) e trovoadas (0,46), estando inversamente correlacionada com a temperatura do ar (média: -0,59; máxima: -0,41), insolação (-0,51) e evaporação (-0,35). As conclusões observadas foram que a espécie P. juliflora, desde sua introdução em meados da década de 60, ampliou sua área de vida através do seu favorecimento em função das condições climáticas locais e ação dos processos de degradação antrópica da Caatinga através da retirada de suas madeiras, o que está levando a escassez das espécies nativas. Por outro lado o baixo custo das estacas de P. juliflora, madeira tecnologicamente resistente à biodegradação tem viabilizado o processo de substituição das madeiras nativas. Do ponto de vista ecológico e de conservação, são necessárias medidas mitigadoras de controle dessa espécie exótica.

2016
Descrição
  • HELOÍSA THAÍS RODRIGUES DE SOUZA
  • ANÁLISE GEOAMBIENTAL EM UNIDADES DE CONSERVAÇÃO DE PROTEÇÃO INTEGRAL NO SEMIÁRIDO SERGIPANO
  • Orientador : ROSEMERI MELO E SOUZA
  • Data: 16/12/2016
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • Historicamente, a atividade florestal nordestina tem se caracterizado por um modelo de

    exploração predatório dos ecorecursos naturais, notadamente oriundos da caatinga

    (ecossistema rico em biodiversidade), pela desorganização da produção e pela baixa

    valorização e diversificação dos produtos florestais do semiárido, limitados

    principalmente a lenha e ao carvão. Apesar disso, essa atividade contribui

    significativamente para o desenvolvimento regional. Para que haja a proteção da

    biodiversidade no semiárido sergipano, é necessária a criação de mecanismos de

    planejamento e gestão, com o envolvimento de toda a sociedade. Dentre esses

    mecanismos existe como política pública a conservação in situ, no Brasil, uma das

    principais estratégias consiste na criação de Unidades de Conservação (UC´s). Neste

    contexto, a presente tese resulta nas avaliações das dinâmicas dos fragmentos florestais

    em UC´s de Proteção Integral no Semiárido Sergipano, promovendo recomendações

    concretas para fins de gestão e consequentemente subsídios para efetivação e/ou

    elaboração do plano de manejo das mesmas, tendo por premissa básica a

    sustentabilidade ambiental desses remanescentes, verificados através de indicadores

    ambientais (bióticos e abióticos). Nesse sentido, essa pesquisa objetivou realizar uma

    análise geoambiental das UC´s de Proteção Integral do Estado de Sergipe, avaliando a

    conservação dos fragmentos florestais no Semiárido, os aspectos florísticos, estruturais

    e socioambientais dos mesmos através de indicadores de sustentabilidade e uso de

    Sistema de Informações Geográficas (SIG). Assim, esta pesquisa viabilizou elementos

    necessários para caracterizar a situação biótica e abiótica dos remanescentes florestais

    da Caatinga ainda existentes no Estado, por conta da criação das UC´s, vislumbrando os

    problemas ambientais decorrentes de processos de degradação e manejo inadequado que

    contribuíram para o atual quadro, apontando possibilidades de ações para a sua melhor

    conservação e sustentabilidade. Os resultados das análises dos indicadores (bióticos e

    abióticos) indicam diferentes níveis de antropização da caatinga, que resultam em

    geoambientes que possuem distintas capacidades de regeneração, mesmo estando dentro

    do macro complexo vegetacional. Assim, o monitoramento fez-se importante para criar

    subsídios para que o manejo da caatinga seja realizado de acordo com as fragilidades de

    cada micro ambiente. Ademais, destaca-se o manejo florestal sustentável da floresta a

    partir da utilização do potencial fitoterápico das espécies vegetais da caatinga sergipana.

  • ANA CRISTINA NOVELINO PENNA FRANCO
  • Monitoramento e conservação de cavalos - marinhos (Syngnathidae – Hippocampus reidi (GINSBURG, 1933) no estuário do Rio Vaza-Barris – SE.
  • Orientador : ADAUTO DE SOUZA RIBEIRO
  • Data: 27/10/2016
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • O trabalho foi realizado no Complexo Estuarino do Rio Vaza-Barris, área próxima à cidade de Aracaju. O objetivo geral deste estudo é analisar o padrão de ocorrência, estrutura populacional e aspectos ecológicos do Hippocampus reidi (GINSBURG, 1933), de modo a buscar a conservação desses organismos “in situ”. Foram realizadas 21 coletas mensais, de setembro de 2013 até maio de 2015. Foram feitas 473 observações de cavalos-marinhos, em três pontos de amostragem: Riacho da Baleia, com 279 observações, Viral, com 105 observações e Caruara, com 89 observações. A densidade populacional variou significativamente de acordo com o ponto de coleta e ao longo do tempo observado, assim como a densidade dos indivíduos em estágio do ciclo reprodutivo não variou nos meses de amostragem. Nos meses fevereiro de 2014, julho de 2014 e outubro de 2014 correram três picos de reprodução. A partir de janeiro de 2014, foram iniciadas as marcações com bioelastômeros em 232 indivíduos. Através da marcação e recaptura estimou a populacao em 294 individuos no Riacho da Baleia, 69 no Viral e 65 no Caruara. A estrutura populacional foi determinada medindo o comprimento dos cavalos-marinhos. Constatou-se que os individuos capturados variaram de 2,1 cm a 19,2 cm, em média geral medem 14,4 cm. Em todo o período amostral foram encontrados mais indivíduos machos que fêmeas numa relação de 1,3 e muito mais indivíduos adultos que juvenis numa relação de 16,5. Estimou a taxa crescimento corporal mensal dos organismos monitorados em 0,8 cm/mês, sendo que fêmeas e machos tiveram um padrão de crescimento bem próximos, todavia, houve variaçao no padrão de crescimento nas classes de tamanho. As maiores taxas médias de crescimento ocorreram nos meses de abril, maio e junho. Observou-se o comportamento de acasalamento de 26 casais, 11 duplas de machos, 3 duplas de fêmeas, duas duplas de machos com indivíduos juvenis e nove grupos com três ou mais cavalos-marinhos “ex-situ”. Ao longo do tempo, cinco casais se mantiveram juntos, duas duplas de machos com juvenis, e uma dupla de machos. Os dados relacionados ao agrupamento dos cavalos-marinhos indicam que existe fidelidade ao parceiro, e que demonstraram comportamento social altamente estruturado dos cavalos-marinhos. Os dados obtidos da distribuição e fidelidade ao hábitat dos peixes foi monitorada corroborando com os da literatura. Conclui-se que existe uma população de cavalos-marinhos da espécie Hippocampus reidi (GINSBURG, 1933) que está distribuída em manchas no estuário do rio Vaza-Barris, e que não migra para os estuarios adjacentes. Observou-se que ao longo do ano os peixes possuem baixa mobilidade e se movimentam de acordo com as marés, mudando de localização, mas permanecem sempre na mesmos substratos sob influência da raizes da Rizophora mangle. A área estudada possui diversas fontes de impacto antrópico, tais como: pesca profissional e recreativa, bares flutuantes, navegação de lanchas e jetskis, construção de casas e condomínios crescente que colocam em risco as populacões deste peixe. Não há ações ou políticas de conservação da biota local e especificamente para o Hippocampus reidi (GINSBURG, 1933), o qual figura atualmente como vulnerável à extinção. As áreas de residência das populações de cavalos-marinhos devem ser delimitadas e as atividades antrópicas monitoradas e regulamentadas, uma vez que estas populacões formam manchas de diferentes densidades. Concluimos com uma proposta de implantação de gestão comunitária dos recursos pesqueiros para o estuário do Rio Vaza-Barris com o Hippocampus reidi (GINSBURG, 1933) como espécie bandeira, possibilitando a execução de projetos de conservação e ecoturismo na região.

  • EDIVANIO SANTOS ANDRADE
  • A ÉTICA DO RESPEITO COMO ALTERNATIVA VIÁVEL NA PROMOÇÃO DA SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL
  • Orientador : MARIA JOSE NASCIMENTO SOARES
  • Data: 26/08/2016
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa objetiva compreender de que forma a sustentabilidade ambiental em áreas de assentamentos rurais pode ser viabilizada com base numa ética que vise o respeito à sociobiodiversidade. Para tanto, pretendemos nos ancorar em reflexões teóricas sobre ética, sustentabilidade e ambiente, conferindo especial atenção ao pensamento filosófico de Albert Schweitzer, o qual prioriza a ética de reverência pela vida voltada não apenas para o ser humano, mas a toda forma de vida existente, inclusive a Natureza – a Ética do respeito. Almejamos comprovar que há uma ética do respeito implícita em assentados nos projetos de reforma agrária vinculados ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), enquanto uma alternativa para a sustentabilidade ambiental em todo o seu entorno, conservando áreas legalmente protegidas, como por exemplo: Reserva Legal, Unidade de Conservação e Áreas de Preservação Permanente. O referido estudo foi de caráter teórico filosófico, sendo o campo empírico realizado em quinze assentamentos da região centro sul do Estado de Sergipe, localizados nos municípios de Lagarto, Tobias Barreto, Poço Verde, Simão Dias, Pinhão e Macambira. Os assentados foram submetidos a entrevistas semiestruturadas relativo às atividades ambientais desenvolvidas no assentamento, cujas respostas levou-nos a considerar que há uma Ética do respeito inata evidenciando, portanto, sua viabilidade para uma sustentabilidade ambiental local. Encontramos em cada assentado uma ética do respeito internalizada, fomentada pela correlação de reverência e dependência direta com a natureza, uma vez que os mesmos apreendem a importância do ecossistema no seu entorno, auxiliando-os a sobreviverem coletivamente quando mediados pelo processo formativo de autoconsciência que os conduzem pela via ética do respeito mútuo na promoção da sociobiodiversidade.

  • ROSA DE CÁSSIA MIGUELINO SILVA
  • RELAÇÕES PRODUTORAS DO CUIDADO EM PRÁTICAS COM PLANTAS MEDICINAIS NA ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA EM JUAZEIRO - BAHIA
  • Orientador : ROSEMERI MELO E SOUZA
  • Data: 04/07/2016
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa tem como objetivo analisar os discursos sobre a estruturação da teia de produção do cuidado em saúde através da aplicação da Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares Plantas Medicinais e Fitoterapia nas áreas das Estratégias de Saúde da Família em Juazeiro/BA. Os recursos terapêuticos das Plantas Medicinais e Fitoterapia em Práticas Integrativas e Complementares (PICs) no Sistema Único de Saúde estão regulamentados pela Portaria 971, de 03 de maio de 2006, que recomenda incentivos ao desenvolvimento comunitário participativo, como estratégia importante, tanto para a preservação do meio ambiente, como para a atenção integral à saúde. O presente estudo adotou a metodologia de pesquisa qualitativa, a qual foi realizada no período de junho de 2014 a outubro de 2015 em áreas urbanas do município. A amostra foi composta por 50 participantes. Foram realizadas observações, entrevistas semi-estruturadas e análises de conteúdo. Os resultados evidenciam que são feitos tratamentos de doenças com plantas medicinais promovidas por guardiões, mas estas práticas não são integradas como recursos terapêuticos complementares às que são realizadas na Estratégia de Saúde da Família; portanto, não estão alinhadas às diretrizes políticas. Ao traçar o caminho para identificar as práticas com plantas medicinais, entre potencialidades e dificuldades foram encontradas condições limitadoras para o cuidado. A questão territorial foi apontada como importante para a tomada de decisão das ações para atender às necessidades de saúde, entretanto, a territorialização da fitoterapia não foi ainda projetada, pois falta o conhecimento para desenvolver uma metodologia que possibilite a reorganização da atenção, a ressignificação e a religação de saberes para um modelo com novas tessituras. Nesta perspectiva, a presente tese se propõe a analisar a Educação Ambiental dos sujeitos com vistas a promover uma conscientização crítica acerca dos problemas provenientes de práticas com Plantas Medicinais, uma vez que elas são parte integrante da cultura local e as quais podem ser aprendidas e ensinadas para o cuidado com a saúde e com o meio ambiente. O movimento para a reapropriação social da natureza em práticas que indiquem as plantas medicinais implica a dimensão dialógica de uma atividade educativa nas práxis para viabilizar atitudes comprometidas com o cuidado integral. Conclui-se que o diálogo é uma possibilidade que permite a tomada de consciência dos sujeitos sobre a necessidade de aproximar os sistemas, popular e convencional de atenção à saúde e transformação da produção do cuidado no contexto comunitário.

  • LUIZ CARLOS PEREIRA SANTOS
  • RESÍDUO ELETRÔNICO: PERSPECTIVA AMBIENTAL DAS AÇÕES NA FORMAÇÃO PROFISSIONAL NO INSTITUTO FEDERAL DE SERGIPE
  • Orientador : MARIA JOSE NASCIMENTO SOARES
  • Data: 15/03/2016
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • Cursos profissionais podem promover atividades pedagógica mediante abordagem interdisciplinar em sala de aula do uso de resíduos eletrônicos como procedimento para formar sujeitos conscientes. Os Institutos Federais enquanto locus formativo pode oportunizar uma formação profissional articulada com a realidade social e assim atender as prerrogativas das legislações vigentes no que tange as Políticas de Resíduos Sólidos. Para tanto, o objetivo dessa tese está na constatação de que a teoria deve ser correlacionada com a prática em laboratório, ou seja, conteúdo relacionado ao objeto de estudo (resíduo eletrônico) no Curso Técnico de Nível Médio de Manutenção e Suporte em Informática com a finalidade de verificar como professores e egressos estão percebendo o resíduo eletrônico e suas formas organizacionais no ambiente escolar. A pesquisa se baseou metodologicamente no estudo de caso, adotando uma abordagem qualitativa e quantitativa de natureza interpretativo-reflexivo. Neste sentido, o resíduo eletrônico, enquanto instrumento de apoio pedagógico inserido no conteúdo das diversas disciplinas do Curso Técnico de Manutenção e Suporte em Informática funciona como um mediador no processo de ensino-aprendizagem em virtude da sua aproximação com o problema do resíduo eletrônico, possibilitando a construção de conhecimentos, demonstração da utilização de formas eficientes de reuso, reciclagem e aproveitamento desses resíduos. Pois, as evidencias apresentadas pelos egressos e professores demonstraram que as práticas em resíduo eletrônico possibilitaram formar sujeitos conscientes, reflexivos e críticos com base numa formação ampla em que a Educação Ambiental se faz presente nesse contexto profissional.

  • SANDRO LUIZ DA COSTA
  • Áreas Protegidas e assentamentos Rurais em Sergipe: Sob o enfoque do princípio constitucional do desenvolvimento sustentável.
  • Orientador : MARIA JOSE NASCIMENTO SOARES
  • Data: 14/03/2016
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • A interação entre assentamentos rurais de reforma agrária do MST e áreas

    ambientais protegidas tem sido propagada nos meios de comunicação como

    negativa do ponto de vista do princípio constitucional do desenvolvimento

    sustentável. O presente trabalho pretende avaliar o processo de interação

    entre o sistema jurídico-ambiental brasileiro de áreas protegidas e os

    assentamentos rurais do Estado de Sergipe, correlacionando o parâmetro da

    efetividade jurídica, sob o enfoque do princípio constitucional do

    desenvolvimento sustentável. Para alcançar este objetivo pretende-se

    levantar o aparato teórico, instrumental e jurídico que disciplina as áreas

    protegidas e assentamentos rurais no Brasil; caracterizar assentamentos

    rurais em Sergipe em relação às áreas protegidas; identificar a relação

    entre assentamentos rurais e as áreas protegidas em Sergipe e, finalmente,

    analisar os obstáculos e as potencialidades desses assentamentos em relação

    à ocupação de áreas protegidas. Para isto, além da pesquisa documental,

    serão efetivadas entrevistas com os segmentos envolvidos e visitas aos

    Projetos de Assentamentos especificados na amostragem. Como resultados, além

    da apresentação dos instrumentos e do sistema normativo que disciplinam a

    relação entre áreas protegidas e assentamentos no Brasil e da exposição dos

    encaminhamentos técnicos e jurídicos efetivados até o momento pelos diversos

    atores que atuaram e atuam nesta questão no Estado de Sergipe nos último dez

    anos, serão constatadas as potencialidades e os obstáculos do referido

    sistema e sugeridas alternativas sustentáveis para o sistema, caso se faça

    necessário.

  • MICHELE AMORIM BECKER
  • Opinião Pública e comunicação dos riscos socioambientais da transposição do rio São Francisco em comunidades tradicionais de Sergipe"
  • Orientador : ANTONIO CARLOS DOS SANTOS
  • Data: 29/02/2016
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa tem como objetivo analisar o nível de participação das comunidades tradicionais do Baixo São Francisco, especialmente a Comunidade Indígena Xokó e a Comunidade Quilombola da Resina, no processo de comunicação dos riscos socioambientais da transposição e quais foram suas contribuições para a formação da opinião pública sergipana sobre o projeto hídrico. A presente pesquisa foi realizada à luz da Convenção 169 da OIT, sobre povos indígenas e tribais. Duas hipóteses serão comprovadas: primeira, o baixo nível de participação das comunidades tradicionais no processo de comunicação dos riscos socioambientais deve-se a um “não reconhecimento” desses atores sociais enquanto atores de fala, pois tanto o gestor do projeto quanto a imprensa sergipana desconsideram as experiências e as percepções dessas comunidades em relação ao rio e ao ambiente em que vivem; segundo, a restrição desses atores sociais na esfera pública acaba por reduzir também a influência dos mesmos na formação da opinião pública sergipana no que concerne à transposição. A metodologia utilizada é a pesquisa participante, com uma abordagem qualitativa. Seu procedimento metodológico está dividido em três etapas: a pesquisa bibliográfica, imprescindível em qualquer investigação científica; a pesquisa de campo, com um caráter etnográfico, que possibilita um melhor entendimento sobre as relações sociais, culturais e de trabalho das comunidades tradicionais com o rio São Francisco; e a pesquisa documental, fundamental para compreender o nível de participação dessas comunidades no processo comunicativo. Esta pesquisa insere-se no campo Interdisciplinar, pois dialoga com diversas áreas do conhecimento, a exemplo das Ciências Ambientais, Ciências Humanas e Ciências Sociais Aplicadas. Os resultados evidenciam que durante todo o processo de comunicação dos riscos socioambientais da transposição as comunidades tradicionais observadas tiveram seu direito à participação negligenciado pelo poder público e pela imprensa. Elas afirmam que o acesso à informação foi mínimo e a única forma de se Zomunicar com os demais membros da sociedade foi por meio de manifestações populares, organizadas por movimentos sociais. Por conseguinte, o acesso restrito à esfera pública impossibilitou que as experiências e percepções dessas comunidades tradicionais influenciassem a opinião pública sergipana sobre o projeto de transposição das águas do rio São Francisco, enfraquecendo o processo democrático.

  • CHRISTIANE RAMOS DONATO
  • DINÂMICA AMBIENTAL ESPELEOLÓGICA: memória, conservação e educação
  • Orientador : ANTONIO VITAL MENEZES DE SOUZA
  • Data: 29/02/2016
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • A Dinâmica Ambiental Espeleológica (DAE) refere-se a um novo campo de conhecimento construído a partir da interação teórico-metodológica para compreensão de um objeto complexo (caverna). O conhecimento necessário para apoiar a construção da Dinâmica Ambiental Espeleológica perpassa por várias ciências como Ecologia da Paisagem, Ecodinâmica, Geomorfologia Cárstica, Ecologia Humana, Geologia, Paleontologia, Arqueologia, Psicologia e Epistemologia, o que caracterizou esse trabalho como interdisciplinar. Como objetivo geral propôs-se construir parâmetros (indicadores, metodologias de estudo e de análise espeleológica de base operativa) que validassem a existência, pertinência e contribuições de estudos espeleológicos baseados na idiossincrasia de cada geótopo como unidade complexa em funcionamento e estrutura de composição. Trabalhar a Dinâmica Ambiental Espeleológica na articulação entre seus três elementos constituintes (memória, conservação e educação) foi a finalidade desta tese. A dinâmica ambiental espeleológica, a memória espeleológica, a conservação espeleológica e a educação espeleológica foram conceituadas, caracterizadas, tiveram seus princípios e métodos identificados e avaliados. A pesquisa teve natureza fundamental e aplicada com construção de produtos empíricos e epistemológicos de análise e síntese para pesquisas em Espeleologia: (1) as extemporoendografias; (2) o Índice de Dinâmica Ambiental Espeleológica; (3) o check list de identificação de fatores de riscos presentes na caverna, que podem acometer visitantes, acadêmicos e trabalhadores; (4) o check list de ações de conservação espeleológica; (5) os conceitos de dinâmica ambiental espeleológica e memória espeleológica; (6) a “Exposição Veredas da Terra”; (7) o ambiente de aprendizagem “caverna artificial”; e (8) os recursos de aprendizagem “maquete de caverna 3D”, “pendrive-morcego” e “Curso de aperfeiçoamento “No Centro, a Terra: Espeleologia, ensino e interdisciplinaridade”. Foram duas as cavernas sergipanas avaliadas para testar os instrumentos metodológicos (1 a 3): Toca da Raposa, em Simão Dias e Pedra Branca, em Maruim. Foi construído aplicativo Escalas Tempográficas, para apresentar extemporoendografias (fotos, áudios, vídeos, mapas) das duas cavernas estudadas, o qual pode ser visualizado em smartphones, tablets e computadores. Com base na avaliação do Índice de Dinâmica Ambiental Espeleológica (IDAE), as cavernas Gruta da Pedra Branca (Maruim/SE) e Toca da Raposa (Simão Dias/SE) foram classificadas em metaestabilidade intermediária, com a primeira estando em tendência positiva de alteração e a segunda em tendência negativa. Nota-se que a maioria dos contaminantes encontrados nas cavernas estudadas que podem afetar o ser humano é de natureza biológica (fungos, bactérias, vírus, animais peçonhentos, que podem causar doenças e envenenamento), enquanto os contaminantes que podem afetar as cavernas são principalmente de origem química (defensivos agrícolas, metais pesados, etc). Enquanto os desequilíbrios ambientais foram mais físicos (com deslocamento de blocos, quebra de espeleotemas e presença de obras de engenharia). Como as cavidades estudadas não possuem corpos d’água permanentes, as contaminações e desequilíbrios são observados mais no próprio local, sem espalharem-se para a região do entorno pelo lençol freático ou ar atmosférico. Todos os ambientes e recursos de aprendizagem estão sendo aplicados, para auxiliar na dinâmica ambiental espeleológica e sua memória. Assim, é necessário estudos posteriores a respeito da aplicação dos objetos construídos para auxiliar os fatores de desenvolvimento de práticas educativas sobre ambientes espeleológicos.

  • IZACLAUDIA SANTANA DAS NEVES
  • PLANO DE LOGÍSTICA REVERSA DE PÓS-CONSUMO PARA OS RESÍDUOS ELETROELETRÔNICOS EM ARACAJU/SERGIPE/BRASIL
  • Orientador : ROBERTO RODRIGUES DE SOUZA
  • Data: 26/02/2016
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • A Política Nacional de Resíduos Sólidos do Brasil estabelece a obrigatoriedade da logística reversa para os resíduos de equipamento elétricos e eletrônicos (REEE), que atualmente representam um considerável percentual no total de resíduos sólidos gerados. O reaproveitamento adequado dos REEE é fundamental, uma vez que eles, devido à composição peculiar, provocam poluição ambiental, problemas de saúde, além de possuírem um alto valor agregado. Ante esse contexto, é notória a necessidade de avanços em pesquisas que apresentem soluções para o gerenciamento dos resíduos eletroeletrônicos no âmbito dos municípios brasileiros. O objetivo geral desse estudo foi propor um plano de gestão dos resíduos eletroeletrônicos para o município de Aracaju/Sergipe, alinhado com a logística reversa de pós-consumo e obedecendo à Lei 12.305, de 02 de agosto de 2010. A pesquisa caracterizou-se como descritiva e exploratória, que consistiu nas seguintes etapas: estudo aprofundado das publicações sobre o tema, caracterização da situação atual de resíduos eletroeletrônicos no município de Aracaju/Sergipe, por meio de entrevistas e pesquisa de campo nas recicladoras e assistências técnicas, e elaboração de um plano de logística reversa para resíduos eletroeletrônicos, de âmbito municipal, a partir da análise de modelos já consolidados no Brasil e em outros países. Os resultados desse estudo contribuem para a resolução da problemática desse tipo de resíduo na cidade de Aracaju, bem como serve de modelo para subsidiar políticas públicas e outros projetos na temática “gestão de resíduos sólidos e sustentabilidade ambiental”.

  • CARLA TACIANE FIGUEIRÊDO
  • CIÊNCIAS AMBIENTAIS NO BRASIL: história, métodos e processos
  • Orientador : ANTONIO VITAL MENEZES DE SOUZA
  • Data: 26/02/2016
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • A caracterização teórico-metodológica das ciências ambientais como campo de conhecimento no Brasil, sua breve história política e epistemológica, constitui o objeto de estudo dessa pesquisa. Descreve e analisa os contextos sociohistóricos contemporâneos da estruturação das ciências ambientais como campo científico no Brasil: história, métodos, objetos e processos de consolidação como área de conhecimento. Para isso, como ponto de partida considera os cenários latino-americanos e europeus, em particular, a análise específica da política ambiental portuguesa em torno das questões ambientais, sua institucionalização e produção de conhecimento. A análise da institucionalização da área no Brasil situa-se em torno de documentos oficiais, publicações periódicas indexadas e pesquisas dentro da pós-graduação (dissertações e teses). O estudo foi organizado em dois eixos de análise: 1) contexto nacional de institucionalização e as influências da internacionalização das questões ambientais no caso brasileiro; 2) tendências e desafios da produção de conhecimentos em ciências ambientais no Brasil após a migração dos Programas de Pós-graduação ligados às questões ambientais para a nova área de conhecimento (Ciências Ambientais) pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – CAPES, em 2011. O Programa de Pós-graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente da Universidade Federal de Sergipe (PRODEMA) foi analisado dentro dos eixos de análise supracitados nos seguintes períodos: Eixo de análise I (2003-2012) e Eixo de análise II (2012-2015). A metodologia utilizada na pesquisa foi de caráter descritivo-interpretativo de base bibliográfica com foco no grau de relevância de autores-referências e no grau de inovação metodológica interdisciplinar obtida no desenvolvimento das pesquisas. Os resultados obtidos, quanto o primeiro eixo de análise, demonstram que a institucionalização e as influências da internacionalização das questões ambientais, no caso brasileiro, direcionam-se aos problemas da interdisciplinaridade e da multidisciplinaridade na produção de conhecimento, não obtendo resultados satisfatório no domínio teórico da interdisciplinaridade dentro do Programa de Pós-graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente da Universidade Federal de Sergipe; quanto às tendências e desafios da produção de conhecimentos em meio ambiente no Brasil após a migração dos Programas de Pós-graduação ligados às questões ambientais para a área de ciências ambientais, inexiste a inovação metodológica ligado à interdisciplinaridade. Há justaposição e não convergência entre métodos de diferentes áreas do conhecimento na produção do conhecimento analisada. Recomenda-se: a) formalização de convergência e de transferência metodológica entre áreas distintas de conhecimento com vias à interdisciplinaridade metodológica; b) construção de projetos de pesquisa entre diferentes instituições e grupos de pesquisa a partir da definição de problemática comum de pesquisa; c) convergência de publicações científicas de professores e estudantes ao escopo técnico e político da área de conhecimento específica após a migração do Programa às Ciências Ambientais; d) recorrência à avaliação contínua quanto à gestão da informação e do conhecimento produzidos, com focos no domínio teórico-metodológico da interdisciplinaridade durante a formação de pesquisadores em meio ambiente e desenvolvimento, uma vez que auxilia na organização e sistematização de informações científicas e tecnológicas para o desenvolvimento da ciência brasileira, do país e das ciências ambientais.

  • ISABEL CRISTINA BARRETO ANDRADE
  • PLANO DE GESTÃO SUSTENTÁVEL PARA ATIVIDADE DE RIZICULTURA IRRIGADA NO MUNICÍPIO DE ILHA DAS FLORES/SERGIPE/BRASIL
  • Orientador : ROBERTO RODRIGUES DE SOUZA
  • Data: 25/02/2016
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • A pesquisa tem como escopo o propósito de desenvolver um novo modelo de gestão sustentável que tenha vistas para a lucratividade; o manejo adequado dos recursos naturais, até porque o perímetro de estudo se encontra dentro de uma importante bacia hidrográfica do país – no baixo São Francisco – No município de Ilha das Flores, a 135 Km de Aracaju/SE. A gestão adequada do processo produtivo servirá de beneficio para que as famílias dos rizicultores possam gerar riquezas e elevar seu IDHM. Utilizando-se ferramentas (matrizes) de gestão e indicadores: ambientais; sociais e econômicos aliados a dados secundários, pretende-se especificamente: Analisar uso e ocupação da bacia; analisar o meio físico – água; identificar os elementos agressores oriundos de ações antrópicas; averiguar a viabilidade do modelo proposto; contribuir com as políticas públicas. O método será baseado em um enfoque sistêmico. Terá natureza exploratória; descritiva; de campo, experimental e documental; abordagem quanti-qualitativa. A coleta de dados: questionário semiestruturado e entrevistas - a leitura dos dados e análise serão de acordo com o conteúdo de Bardin. Espera-se colaborar: com a comunidade acadêmica acrescentando de modo interdisciplinar novas contribuições nas ciências ambientais; fundamentação e a implementação de políticas públicas. Demonstrar que através do novo modelo de gestão é possível gerenciar com qualidade e rentabilidade um processo produtivo, principalmente, minimizando impactos ambientais; gerando riquezas e consequentemente elevando a qualidade de vida da comunidade.

  • SINDIANY SUELEN CADUDA DOS SANTOS
  • MODELAGEM DE DISTRIBUIÇÃO POTENCIAL E MORFOMETRIA GEOMÉTRICA DAS POPULAÇÕES FLORÍSTICAS DE MANGUES NO LITORAL SUL DE SERGIPE, BRASIL
  • Orientador : ROSEMERI MELO E SOUZA
  • Data: 24/02/2016
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • Esta tese foi construída em meio à necessidade de investigar as respostas dos mangues às variações ambientais tanto em macroescala, como em microescala. Para tanto, foi utilizada ferramenta de modelagem de distribuição de espécies, para prever a distribuição potencial dos mangues do litoral das regiões norte, onde se encontram os mangues mais desenvolvidos do país, e nordeste do Brasil, cujo ponto focal de análise concentrou-se no complexo estuarino Real-Piauí-Fundo, Sergipe, onde foram aplicadas técnicas de morfometria geométrica. De forma geral, a pesquisa investiga a atuação do clima e do nível relativo do mar sobre a distribuição potencial de Avicennia L.; Laguncularia racemosa (L.) Gaertn.f.; e Rhizophora mangle L., no litoral das regiões norte e nordeste do Brasil, na escala temporal 6.000 A.P., 2015 e 2050, bem como a plasticidade fenotípica das folhas dos mangues do complexo estuarino Real-Piauí-Fundo, decorrentes de fatores abióticos e antropogênicos que afetam as populações florísticas no litoral sul de Sergipe, Brasil. O método dedutivo e a Teoria Geral dos Sistemas constituíram o fio condutor teórico para construção de toda pesquisa. Na análise da influência de requerimentos climáticos e de influência no nível relativo do mar para distribuição potencial dos mangues, os modelos mostraram variações de áreas de adequabilidade em todo o litoral, nos distintos cenários (6.000 A.P., 2015, 2050). A modelagem de distribuição potencial destacou a influência da temperatura anual e da distância vertical à drenagem mais próxima como variáveis de maior contribuição nas predições. Por outro ângulo, para verificar a ocorrência de variações de forma e tamanho das folhas das populações de mangues nos estuários inferior, médio e superior do complexo estuarino Real-Piauí-Fundo, no litoral sul de Sergipe, a fim de examinar a plasticidade fenotípica das folhas e de que maneira os padrões de variação estão relacionados aos fatores sedimentológicos, climáticos e de salinidade da água, foram coletadas e analisadas amostras das espécies de mangues, de sedimento, água e de 450 folhas para A. schauerianna, 600 folhas para L. racemosa e o mesmo valor para R. mangle. Na análise morfométrica foram feitos 3 marcos e 16 semimarcos anatômicos ao longo da folha previamente digitalizada. Após o alinhamento de Procrustes no MorphoJ, as análises morfométricas mostraram que a forma da lâmina foliar variou entre as localidades. Na análise de forma e tamanho, não existe efeito de alometria (p< 0.01). Porém, existe diferença significativa de tamanho da folha (p < 0.01) entre os três estuários. Logo, mesmo em microescala, existem tendências de variação na forma e tamanho das folhas de mangues nas três áreas de amostragem, as quais se modificam diante de diferentes pressões ambientais. A R. mangle é uma espécie generalista por ter maior plasticidade fenotípica em relação à A. schauerianna e L. racemosa, as quais poderiam ser chamadas de especialistas. Com o objetivo específico de avaliar a vulnerabilidade dos mangues Avicennia schauerianna, Rhizophora mangle e Laguncularia racemosa do complexo estuarino Real-Piauí-Fundo, em meio aos tensores antropogênicos atuantes e a possível relação destes com a plasticidade fenotípica das plantas, a partir da morfometria geométrica foliar, a metodologia foi construída mediante observações sistemáticas realizadas nos estuários inferior, médio e superior; da fixação de atributos de tensão antrópica; da determinação de pesos para o conjunto de tensores antropogênicos atuantes sobre os mangues; e do estabelecimento de níveis de vulnerabilidade, com adaptações da literatura. Para análise da plasticidade fenotípica, foram utilizados os resultados das análises da morfometria geométrica das folhas de mangues, a fim de fazer análises de regressão linear entre forma, tamanho e tensores antrópicos. Observa-se que o setor de maior vulnerabilidade é o estuário superior, que não tem totalidade da área abrangida pelo polígono da Área de Proteção Ambiental do Litoral Sul. A sensibilidade das áreas pesquisadas revelou que todo o complexo estuarino está submetido aos riscos das ações humanas. Quanto à relação entre mangues e tensores antropogênicos, foi identificado que tanto a forma como o tamanho das folhas de A. schauerianna e R. mangle apresentaram valores significativos de p, ao contrário da L. racemosa. Ao concluir e fazer sugestões, a tese aponta que é possível reconstruir a história natural e ecológica dos ambientes, entender os fenômenos do presente, tanto a partir da modelagem preditiva, como da avaliação da plasticidade fenotípica, e subsidiar ações de conservação dos mangues, a fim de evitar novas perdas da flora de manguezal no estado.

2015
Descrição
  • AGRIPINO ALEXANDRE DOS SANTOS FILHO
  • DA NATUREZA À CULTURA: TECNONATUREZA COMO NOVO PARADIGMA AMBIENTAL
  • Orientador : ANTONIO CARLOS DOS SANTOS
  • Data: 14/12/2015
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • O paradigma ambiental moderno foi eficiente em compreender melhor o funcionamento dos processos naturais para a promoção do bem-estar humano, mas sua hipertrofia conduziu ao seu esgotamento, tornando-o incapaz de identificar e resolver os problemas ecológicos que afetam as sociedades modernas.O objetivo geral da presente tese é contribuir para a construção de outro paradigma ambiental, capaz de enfrentar o esgotamento do paradigma ambiental moderno, sem negar as conquistas da modernidade .Os objetivos específicos são: descrever o conceito de paradigma ambiental; analisar a dinâmica e a estrutura da crise ambiental moderna; apresentar outro paradigma ambiental, baseado na ideia de tecnonatureza; propor um caminho para superação dos bloqueios sistêmicos que impedem a transição paradigmática. Trata-se de uma pesquisa de natureza fundamental ou teórica, que utiliza e o método de abordagem hipotético-dedutivo, o método de procedimento histórico-crítico e o procedimento bibliográfico de coleta de dados, possuindo caráter interdisciplinar. Os resultados obtidos permitem inferir que outro paradigma ambiental fundado na ideia de Tecnonatureza, como síntese entre o natural e o cultural, possibilita a superação do esgotamento do paradigma ambiental moderno, reorient ando as práticas sociais, com vistas a reconstrução do modelo civilizatório sob novas bases.

  • FÁBIO BRANDÃO BRITTO
  • Monitorar e Modelar a Dinâmica da Qualidade da Água e dos Agrotóxicos nos Perímetros Irrigados Califórnia e Betume no Baixo São Francisco.
  • Orientador : ANTENOR DE OLIVEIRA AGUIAR NETTO
  • Data: 09/11/2015
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • A importância de estudos de monitoramento em áreas com ações antrópicas, tem colaborado para diagnosticar os impactos ambientais das regiões com mananciais, buscando indicadores que demonstrem de forma simplificada as causas da degradação das áreas de usos múltiplos. Não seria diferente neste estudo, em que Sergipe possui diversos Perímetros Irrigados nas margens dos rios. Para isso, foi definido o estudo na área de várzeas inundáveis no Betume e sequeiro no Califórnia. Durante o período de março de 2013 a dezembro de 2014 foram realizadas 34 campanhas de monitoramento. Foram analisados os parâmetros físico-químicos e constatado valores de turbidez, clorofila-a, OD, DBO e coliformes termotolerantes, tanto no período seco como chuvoso, fora do limite estabelecido pelo CONAMA/2005, classe 2. Além dos mananciais acima estudados, outros foram anexados ao estudo, entre eles: rio Jacaré, rio Santo Antônio, rio Pilões, rio Papagaio, rio Capivara e Barragem do Jacaré-Curituba. Para Índice de Qualidade da Água (IQA), revelou uma tendência de 54% do comprometimento da qualidade da água destes rios, em virtude dos efluentes doméstico. Para o Índice Estado Trófico (IET), o comprometimento atingiu 82% para qualidade da água, através da eutrofização dos mananciais. Além disso, por meio da análise de multivariada do tipo agrupamento, pode demonstrar a relação de associação entre os parâmetros físico-químicos. Esta associação ocorreu para o rio Betume com o rio Santo Antônio, rio Pilões e rio São Francisco. Da mesma forma, durante o período seco, ocorreu no riacho da Onça com Drenagem do Betume; no rio Santo Antônio com rio Pilões, em que todos apresentaram proximidades euclidiana. Vale ressaltar também, que a aplicação da Análise Fatorial ao conjunto de variáveis resultou na seleção de três fatores indicadores da qualidade da água dos rios em estudo. A rotação ortogonal Varimax dos fatores mostrou que as variáveis da qualidade da água estão relacionadas principalmente com o conteúdo mineral, nutricional, matéria orgânica e grau de poluição. Ainda sobre o manejo destas culturas nos perímetros irrigados, outro fato constatado foi o uso de pesticidas para controle de pragas, sendo assim, foram feitas coletas de água bimensais, totalizando 12 campanhas. Os resultados detectaram princípios ativos utilizados nas práticas agrícolas da região dos perímetros irrigados, são eles: clorpirifós, atrazina, ivernectina, ciproconazole, tetraconozole e tebuconazole. Apresentaram valores abaixo, quando comparados com os padrões de ingestão diária aceitável (IDA) da ANVISA e EPA. Mas, de acordo com normas da Comunidade Europeia, as concentrações de tebuconazole e clorpirifós foram elevadas. Baseado nestes resultados, utilizou-se o modelo SWAT, ferramenta apropriada para modelagem e possibilita gerar Cenários para o uso destes pesticidas na rizicultura. Os resultados demonstraram que a baixa mobilidade na água e aplicação constante do pesticida no combate ao brusone apresentou um alto potencial do Terbuconazone de ser transportado quando dissolvido em água. Já a presença do Clorpifiros ocorreu na entressafra do arroz, com baixa concentração, quando comparados ao movimento na água, isto se deve a sua alta mobilidade na água e baixa retenção do solo. Portanto fica evidenciado que as ações antrópicas referentes às modificações do uso do solo nas bacias hidrográficas promovem alterações tanto na produção e qualidade da água, quanto na presença de pesticidas nos sedimentos e nas águas superficiais. Estas interferências no habitat devem promover políticas públicas que gerencie sistemas de monitoramento da qualidade da água aplicados nestas regiões, e assim preservar e proteger o corpo hídrico de possíveis contaminações do meio ambiente e dos habitantes

  • ALESSANDRA ALCIDES DE SÁ SANTOS
  • Educação e Saúde Ambiental em Assentamentos Rurais, Lagarto/SE.
  • Orientador : STEPHEN FRANCIS FERRARI
  • Data: 13/10/2015
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • O presente estudo aborda a educação em saúde ambiental como uma estratégia de promoção de saúde e conservação do meio ambiente, focando questões de saneamento ambiental da comunidade. Para isto foi utilizada a metodologia GEO saúde, estabelecendo uma maior interação e participação da comunidade local. Articular a educação ambiental à educação em saúde é uma proposição para a elaboração de propostas interdisciplinares de construção de conhecimento relativos à integração do homem com a natureza. A problemática aqui estabelecida aponta a educação em saúde ambiental como uma abordagem interdisciplinar que visa auxiliar na melhoria da relação homem/ambiente e sua utilização poderá favorecer um maior entendimento a respeito da percepção de uma comunidade rural sobre a sua situação de saúde ambiental e sua relação com a promoção de saúde e conservação do meio ambiente. O trabalho aqui apresentado traz como hipótese de trabalho que a utilização de uma metodologia participativa na avaliação da situação de saúde ambiental, favorece a educação em saúde ambiental da população. Nesta perspectiva o presente estudo, aponta como objetivo geral realizar o diagnóstico da situação de saúde ambiental no município de Lagarto/SE, em especial, dois assentamentos de reforma agrária que são assistidos pela Estratégia de Saúde da Família, a saber: P.A. Camilo Torres e PA Karl Marx. Optou-se nesta pesquisa por utilizar uma abordagem metodológica quanti-qualitativa. O diagnóstico da situação de saúde ambiental foi realizado com base no processo GEO Saúde, que traz um enfoque metodológico participativo baseado em indicadores de saúde e ambiente. A escolha do GEO Saúde se deu por se tratar de uma metodologia especifica de avaliação integrada de meio ambiente e saúde, e por ser ainda pouco utilizada em estudos realizados em áreas rurais. A metodologia participativa utilizada para realizar o diagnóstico da situação de saúde ambiental conseguiu chamar atenção e causar comoção inicial para um tema pouco debatido dentro dos assentamentos, estimulando assim uma melhor percepção dos problemas enfrentados diariamente, tendo como ponto positivo que os assentados conseguiram mostrar soluções e propor parcerias.

  • SILVIA MARIA SANTOS MATOS
  • O PARLAMENTO DAS AGUAS: A EXPERIÊNCIA DOS COMITÊS DE BACIA HIDROGRÁFICA NA POLÍTICA DE RECURSOS HÍDRICOS EM SERGIPE.
  • Orientador : ANTONIO CARLOS DOS SANTOS
  • Data: 10/07/2015
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa tem como objetivo analisar a experiência dos comitês de bacia hidrográfica na produção de políticas públicas de Recursos Hídricos em Sergipe. Tal análise foi realizada sob a perspectiva da participação social e integração, enquanto eixos estruturadores da Política Nacional e Estadual de Recursos Hídricos, instituída no Brasil e em Sergipe em 1997. Isso pressupõe identificar e discutir os limites e possibilidades dessa forma de atuação do Estado, enquanto promotor de políticas públicas, e da sociedade civil, por meio dos comitês de bacias hidrográficas, enquanto seu representante legal. Partimos da hipótese de que esta participação da sociedade, numa esfera pública organizada e atuante, é um dos fatores que podem condicionar a formação de um Estado integrado com seus órgãos e com outras esferas da sociedade civil, atuando conjuntamente em processos institucionalizados a exemplo dos comitês de bacias hidrográficas. Essa participação social atua num contexto de debate público e de democracia deliberativa na perspectiva construída por Habermas e de associação de coletivos, de Bruno Latour. Na metodologia de leitura e análise de texto, nos guiamos
    principalmente pelos conceitos de Habermas, Hanna Arendt, Bruno Latour, Max Weber, Luhmann, Giddens e Beck, Hans Jonas e Larrère, entre outros que auxiliaram no fundamento desta tese. Na investigação empírica, realizada junto aos comitês de bacias hidrográficas de domínio estadual instituídos no Estado (Rio Sergipe instituído em 2002, Rio Piaui instituído em 2005, Rio Japaratuba instituído em 2007), constatou-se que os comitês têm uma influência muito limitada na concretização das ações em favor da sustentabilidade dos recursos hídricos, embora sua institucionalização seja percebida pelos seus membros como positiva, pois mesmo limitados, os comitês representam um
    avanço na política, uma vez que proporciona a discussão e o conhecimento sobre os principais problemas das bacias. As soluções enveredam por caminhos que sinalizam para ações conjuntas que envolvem tanto o Estado quanto à sociedade. Tais soluções devem considerar, sobretudo, o reconhecimento dos comitês enquanto espaço por excelência do debate da política de recursos hídricos e uma adequada gestão das atividades envolvidas, seja referente ao próprio funcionamento e dinamismo dos comitês, seja referente à atuação dos órgãos do poder público, nas suas devidas
    competências.

  • DANIELA VENCESLAU BITENCOURT
  • ADMINISTRAÇÃO E GESTÃO SOCIAL: ASPECTOS DIMENSIONAIS DO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL EM MUNICÍPIOS SERGIPANOS.
  • Orientador : MARIA JOSE NASCIMENTO SOARES
  • Data: 03/07/2015
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • Os esforços empreendidos pelos setores público, privado e terceiro setor para o desenvolvimento local sustentável tem sido, via de regra, concentrada nos indice do desenvolvimento e no interesse crescente do uso de indicadores como uma forma de
    atender aos interesses locais, diminuir a pobreza e atender as necessidades básicas dos seus munícipes. As gestões municipais necessitam ampliar o debate sobre as responsabilidades dos municípes no processo participativo de tomada de decisões de modo a promover o bem-estar social e no desenvolvimento local sustentável. Neste aspecto, a presente tese objetiva analisar o papel da gestão social como promotora do desenvolvimento local sustentável e, para tanto buscou-se calcular os índices de desenvolvimento sustentável dos municípios sergipanos; avaliar os níveis de sustentabilidade entre as dimensões (social, demográfica, economica, político-institucional, ambiental e cultural) de cada município; apresentar um panorama da situação dos niveis de sustentabilidade entre os municípios no Estado de Sergipe; explicar a gestão social na promoção do desenvolvimento local sustentável. Para a concretização dessa trajetória de pesquisa fez-se a opção pelo método dialetico e pelo método comparativo cruzando os dados obtidos por meio do cálculo dos indices de desenvolvimento sustentável entre os municipios os seus pontos de extrangulamentos entre as dimensões mediante o cruzamento das variaveis extraídas das informações encontradas: no IBGE; no SNIS; no DATASUS; no FEINBRA; no PNUD e outros sites de dominio público sobre a situação de cada município. Conclui-se, portanto, que a participação dos munícipes é condição sine qua nom na tomada de decisões e na obtenção do desenvolvimento local sustentável e como um desafio para os gestores que atuam na perspectiva da gestão social para além das suas competências administrativas desenvolver ação multidimensional que implique recursos, geração de cultura, renda e emprego para todos, ação educacional e ambiental, prevenção a saúde pública; organização comunitária, colaboração interinstitucional, parcerias entre público e privado de modo coletivo e com responsabilidade social.

  • BRUNO JACKSON MELO DE ALMEIDA
  • AVIFAUNA COSTEIRA- MARINHA DO LITORAL DE SERGIPE:HISTÓRIA DE OCORRÊNCIA E INTERAÇÕES COM VAZAMENTOS DE ÓLEO.
  • Orientador : STEPHEN FRANCIS FERRARI
  • Data: 30/06/2015
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • Diversos relatórios sinalizam a zona costeira como região sensível às perdas ambientais em função das constantes alterações das condições naturais, causadas por diversos fatores, tais como, intensa ocupação humana, poluição, contaminação e potenciais riscos frente às mudanças climáticas. Riscos associados ao histórico de ocupação e elevada densidade demográfica da zona costeira, relacionada com o estabelecimento de infraestrutura urbana, industrial e portuária, conduzindo a um cenário de susceptibilidade, cada vez mais evidente, em função do desgaste e vida útil das estruturas, aumento de novos empreendimentos e dos fluxos de escoamento de produtos, potencializando impactos ambientais de nível pontual, acumulativo e/ou catastrófico. Nesse sentido, o monitoramento de determinados características e componentes ecológicos pode contribuir para a avaliação das alterações e/ou perdas, principalmente quando associado com a construção de indicadores ambientais. Dentre os componentes ecológicos da zona costeira, as aves apresentam-se como um dos principais grupos a ser monitorado. Assim, a partir do estado da arte sobre a avifauna aquática dos ambientes costeiros sergipano, o presente trabalho tem por objetivo geral propor e apresentar um índice de vulnerabilidade de aves ao óleo (IVAO), buscando assim, contribuir com subsídios para os gestores e planejadores de mapas de sensibilidade, de forma a oferecer informações que possibilitem um entendimento mais objetivo e prático sobre as espécies de aves, através de um indicador das espécies
    com maior probabilidade de serem afetadas, potencializando as efetividades de ações.

  • SERGIO SILVA DE ARAUJO
  • APROPRIAÇÃO DOS RECURSOS NATURAIS E CONFLITOS SOCIOAMBIENTAIS NO BAIXO SÃO FRANCISCO EM SERGIPE E ALAGOAS.
  • Orientador : ANTENOR DE OLIVEIRA AGUIAR NETTO
  • Data: 12/06/2015
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • A população que vive dentro do baixo São Francisco em Sergipe e Alagoas enfrentagraves problemas decorrentes dos modos de apropriação dos recursos naturais,promovido pelo Estado, cujas barragens ao longo da calha do rio são as maioresprotagonistas na utilização dos recursos hídricos. O setor elétrico tem se apropriado daágua e do solo, gerando impactos ambientais que interferem nas práticas sociais, naforma de utilização dos territórios e dos recursos disponíveis na bacia hidrográfica pelascomunidades ribeirinhas. O objetivo geral da tese é analisar o modelo de apropriaçãodos recursos naturais frente aos impactos ambientais gerados a jusante da Hidrelétricade Xingó. Os Objetivos Específicos são: a) levantar e analisar as características sociais,econômicos e ambientais dos municípios que compõem o baixo São Francisco; b)identificar, tipificar e analisar os conflitos socioambientais em torno da produção dearroz, da produção da pesca artesanal e da extinção da Ilha do Cabeço; c) analisar apercepção ambiental dos moradores da ilha do Cabeço/Brejo Grande/SE e; d) levantar eanalisar a sustentabilidade socioambiental no baixo São Francisco e exibir os resultadospor meio do Polígono de Impacto Antropogênico elaborado no gráfico radar. Asatividades antropogênicas decorrentes do modelo de apropriação vigente no país, noâmbito da geração de energia por hidroeletricidade, introduzem impactos indesejáveisno meio ambiente natural. Esses impactos são percebidos nas mudanças da qualidade daágua, solo, fauna, flora e hidrodinâmica dos rios. O baixo rio São Francisco é palcodesse modelo de apropriação dos recursos. Isto justifica o trabalho, numa perspectivainterdisciplinar de analise. O referencial teórico contribuiu com o suporte necessáriopara a análise acerca dos processos sociais que envolvem os conflitos e dentre eles, adistribuição desigual ao acesso e controle sobre os recursos do ambiente natural. Essesfundamentos deram sentido ao caminho tomado, ou seja, o modelo de apropriação dosrecursos naturais geram impactos ambientais, cujos reflexos alteram as práticas sociais,o uso dos territórios e dos recursos, que por sua vez, introduz conflitos sociais esocioambientais. O objeto de estudo, os municípios e o meio ambiente no baixo cursodo rio São Francisco, de Xingó até a sua foz, nos Estados de Sergipe e Alagoas noperíodo do ano de 1990 a 2010. O método de análise foi qualiquantitativa, exploratóriadescritiva, com visitas ao campo para levantamento dos impactos ambientais, fazerregistros fotográficos digitais e entrevistas, cuja intenção foi mostrar os diferentes usosdos recursos da bacia hidrográfica e as consequências que se sucederam à construção dabarragem de Xingó. Os indicadores sociais relacionados à extrema pobreza, mortalidadeinfantil e taxa de analfabetismo; econômicos relacionados à renda per capita, à produçãorizicultora, à pesca artesanal e; ambientais relativos à vazão do rio, água encanada eesgotamento sanitário inadequado. Os atores entrevistados na pesquisa são pescadores,agricultores, membros do Comitê de Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco emoradores do povoado Cabeço. Os conflitos socioambientais encontram-se em torno docontrole dos recursos e são distributivos, pois apresentam desigualdades no acesso. Emtorno dos impactos e espaciais, devido a sua extensão. Em torno do sagrado outerritorial, pois desterritorializa comunidades. A percepção ambiental dos moradores docabeço imbrica elementos tangíveis e intangíveis. Concluiu-se que a regularização dasvazões do rio influenciou no comportamento dos índices de sustentabilidade, naprodução de arroz, na pesca, na qualidade de vida dos ribeirinhos e no meio ambiente.

  • ROSANA ROCHA SIQUEIRA
  • MULHERES E O CONSUMO SUSTENTÁVEL:PERCEPÇÕES E DESAFIOS NO CONTEXTO DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIAS E TECNOLOGIA DE SERGIPE.
  • Orientador : MARIA JOSE NASCIMENTO SOARES
  • Data: 28/04/2015
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • A motivação para realização deste estudo surgiu da percepção de problemáticas que
    perpassam o campo conflituoso relacionado às mulheres e as práticas de consumo.
    Diante da ascendente valorização das práticas de consumo na contemporaneidade,
    percebem-se aspectos indissociáveis de âmbito econômico, ambiental, cultural e
    simbólico que vão além da manipulação das chamadas “forças hegemônicas” de
    produção de mercadorias e novas necessidades, que avançam no constructo de
    estereótipos e modelos socialmente construídos do “ser mulher”, nesta trajetória foram
    criados elos entre os estilos de vida das mulheres e os novos produtos e serviços. A
    fronteira entre o empoderamento e poder de compra tornou-se cada vez mais tênue, uma
    vez que abordagens de marketing uniram o sentido de liberdade de escolha do
    consumidor ao exercício da cidadania. Neste contexto, esta pesquisa teve como
    objetivo analisar as percepções das mulheres em relação as suas práticas de consumo
    sob a luz do conceito de consumo sustentável. Como locus da pesquisa elegeu-se o
    Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Sergipe nos campi de Lagarto,
    Itabaiana, Estância, São Cristóvão, Aracaju, Nossa Senhora da Glória e Reitoria, nos
    quais foram contempladas as mulheres servidoras (professoras e TAEs) e participantes
    do Programa Mulheres Mil, que são foco de políticas públicas direcionadas. Trata-se de
    uma pesquisa explicativa, qualitativa e quantitativa cujos meios de investigação
    baseiam-se na percepção e na abordagem fenomenológica proposta por Alfred Schutz.
    Quanto à organização e categorização das respostas obtidas nos questionários optou-se
    pela Análise de Conteúdo, conforme Bardin (1977). A contribuição do estudo para as
    Ciências ambientais reside na produção de novos conhecimentos que possam convergir
    com o avanço da ciência pautada no diálogo interdisciplinar no âmbito das questões de
    consumo, principalmente na Região Nordeste do país, estabelecendo congruência entre
    outros contextos. Os dados revelaram que o consumo surge como forma de melhorar as
    condições de vida e “recompensar” os esforços empreendidos por meio do trabalho, seja
    este formal ou informal. Assim, o percebido ainda não se concretiza de forma plena no
    vivido destas mulheres, pois alguns obstáculos como a falta de informações sobre o
    consumo sustentável, falta de opções de coleta seletiva, de coleta de óleo de cozinha e
    outras ações ainda atrapalham participações efetivas e contínuas. A este quadro soma-se
    o desconhecimento das políticas públicas relacionadas ao consumo sustentável, que são
    desconhecidas para a maioria das mulheres e não surtem efeitos práticos em seus
    cotidianos.

  • LUCIANA GODINHO NERY GOMES
  • DINÂMICA POPULACIONAL DE ESCHERICHIA COLI EM MARGENS ARGILOSAS DE RIO TROPICAL COMO HABITAT E A RELAÇÃO COM SUA CONCENTRAÇÃO NA ÁGUA
  • Orientador : ADAUTO DE SOUZA RIBEIRO
  • Data: 27/02/2015
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • Doenças causadas pela contaminação fecal são uma das maiores causas de mortalidade. Patogênicos fecais matam mais de 2 milhões de pessoas por ano, sendo responsável por 17% das mortes de crianças com até 5 anos de idade nos países em desenvolvimento. No Brasil, onde mais de 60% do esgoto gerado é lançada sem tratamento no meio ambiente, a situação é alarmante: 400.000 hospitalizações e 30.000 mortes/ano. A bactéria Escherichia coli e o gênero Enterococci são reconhecidos, entre outros países, pelos EUA, Canadá, União Europeia, Austrália, Japão e pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como os únicos indicadores de contaminação fecal. No Brasil os coliformes fecais (CF) são aceitos como indicador, mesmo após insistentes estudos da U. S. EPA sobre a ausência de relação de CF e doenças gastrointestinais. Na década de 90 houve uma forte discussão entre o governo dos EUA e alguns pesquisadores desse país através de importantes publicações sobre avaliação dessa bactéria como indicador de contaminação fecal, ficando bem claro, ao final da década, que E. coli é o melhor indicador de contaminação fecal existente. Contudo, na década de 2000, importantes estudos dos Estados Unidos e Japão, constataram que essa bactéria tem se adaptado ao meio ambiente passando a ser um organismo autóctone da microbiota do solo. Até 2013 as pesquisas se intensificaram nos Estados Unidos. O presente estudo tem por objetivo de avaliar a eficiência de E. coli como indicador de contaminação fecal nas condições ambientais do Brasil, identificando a origem de sua concentração na água do rio, a relação quantitativa entre sua concentração no solo da margem e na coluna d’água e estabelecendo a relação física de habitat da bactéria no solo e na água. Para isso, foi identificada uma área de estudo sem poluição fecal, em trecho do Rio Sergipe onde a Bacia Hidrográfica a montante não foi antropizada por sedes de Municípios, fazendas, agricultura ou pecuária. Foram coletadas amostras de água e do solo da margem em três pontos amostrais. A quantificação de E.coli foi feita através do procedimento de filtração em membrana utilizando meio de cultura Endo. As coletas foram realizadas entre eventos de chuvas intensas e após períodos de estiagem. Foram utilizados modelos matemáticos de simulação da distribuição espacial-temporal de concentração da bactéria na água considerando sua concentração no solo da margem, a partir da equação de convecção-difusão. Os resultados mostram uma ocorrência natural de E. coli no solo com altas concentrações que, segundo os modelos matemáticos utilizados, são a fonte de entrada de E. coli na coluna d’água do rio. Há uma forte relação da bactéria com a partícula de argila. Os resultados deste estudo dão suporte à hipótese de naturalização de E. coli e de altas concentrações desta bactéria no solo úmido em condições tropicais e acrescentam dados sobre a análise das concentrações deste indicador para esta região, sobre a ecologia deste importante indicador ambiental e sobre métodos de coleta e análises qualitativas e quantitativas para o mesmo. Por não haver outro indicador fecal melhor do que E. coli, as técnicas de coleta e de análise de sua concentração em corpos d’água devem ser urgentemente reavaliadas para uma utilização correta deste indicador em determinadas situações, conforme as sugestões desta tese.

  • DÉBORA EVANGELISTA REIS OLIVEIRA
  • Sustentabilidade socioambiental no Ensino Superior: Um estudo com indicadores na Universidade Federal de Sergipe
  • Orientador : LAURA JANE GOMES
  • Data: 27/02/2015
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa teve como objetivo geral analisar a Universidade Federal de Sergipe sob a ótica do Desenvolvimento Sustentável e como objetivos específicos analisar em que medida a dimensão ambiental está presente no planejamento e na gestão administrativa da UFS; selecionar indicadores de sustentabilidade relacionados ao tripé ensino, pesquisa e extensão e seus intervenientes na adminstração pública e mensurar a sustentabilidade a partir dos indicadores selecionados da UFS. Através de objetivos específicos foi possível identificar e mensurar os indicadores para a Universidade Federal de Sergipe escolhendo-se os baseados na A3P. O tipo da pesquisa quanto a abordagem é quali-quantitativa, quanto aos objetivos é uma pesquisa exploratória descritiva e quanto aos procedimentos é bibliográfica, documental e com trabalho de campo. Os instrumentos utilizados para a coleta de dados foram entrevistas e análise de documentos da UFS. Na análise dos dados foi feita a identificação das dimensões de sustentabilidade propostas por Sachs (2002). Como resultado desta pesquisa, detectou-se uma média sustentabilidade ambiental na UFS com uma baixa participação da comunidade acadêmica em atividades ambientais. A partir destas informações foram apontados os principais entraves que estão relacionados à falta de uma estrutura ambiental técnica permanente na IES e de uma estrutura de informação ambiental. Na dimensão planejamento ambiental, não se verificou continuidade dos planos na área ambiental. Em suma, diante das carências encontradas na instituição pressupõe um olhar mais direcionado aos entraves verificados a fim de que o possa tomar decisões visando a sustentabilidade desta instituição.

  • MARIANA ALVES PAGOTTO
  • A vegetação lenhosa da Caatinga em assentamento rural de Sergipe: aspectos fitossociológicos, anatômicos e dendrocronológicos.
  • Orientador : ADAUTO DE SOUZA RIBEIRO
  • Data: 24/02/2015
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • A região semiárida do Estado de Sergipe apresenta uma quantidade expressiva de assentamentos de reforma agrária cuja exploração predominante tem sido a pecuária, a agricultura de subsistência e os recursos madeireiros, que assumem importante papel no contexto social dos assentados. São escassas as informações sobre a estrutura da vegetação da Caatinga em áreas de assentamentos, e as características da madeira de espécies úteis como fonte de energia primária para as famílias assentadas. Essa escassez limita a compreensão das características relativas à produtividade das plantas, qualidade da madeira e os fatores ambientais que condicionam a vida das árvores, conhecimentos considerados essenciais para aperfeiçoar programas de manejo sustentável. Os objetivos deste trabalho foram diagnosticar o atual status social, econômico e ambiental do assentamento Barra do Onça, Poço Redondo, SE, e investigar as características de sua vegetação, destacando as particularidades anatômicas da madeira de Poincianella pyramidalis (Tul.) L. P. Queiroz (catingueira) e Aspidosperma pyrifolium Mart. (pereiro), espécies utilizadas pelos assentados. Foram realizadas 22 entrevistas semi-estruturadas com os agricultores do assentamento para a análise socioambiental. No estudo da flora local, foram utilizados os métodos wandering-quarter e as fotografias hemisféricas para o conhecimento da estrutura da vegetação e da dinâmica do dossel, respectivamente. Por meio dos métodos clássicos da anatomia da madeira, da ciência da dendrocronologia e da densitometria de raios X foi possível caracterizar o lenho das árvores e sua resposta às variáveis ambientais. Os resultados mostraram que apesar da boa infraestrutura do assentamento, os assentados enfrentam limitações quanto à escolaridade, à produtividade e a diversificação de atividades econômicas. As práticas da agricultura de sequeiro e da pecuária leiteira não têm sustentabilidade ecológica e as consequências socioeconômicas são notadas na oscilação da produtividade, migração dos assentados e degradação da Caatinga. A vegetação arbórea do assentamento apresentou diversas espécies de caráter pioneiro, demonstrando que as matas vêm sendo exploradas pela comunidade. A Poincianella pyramidalis foi a espécie mais abundante seguida de Aspidosperma pyrifolium. Ambas apresentaram o lenho com adaptações anatômicas características de vegetação de ambiente xérico e o crescimento secundário foi influenciado pela precipitação local e pela temperatura da superfície do oceano Atlântico. P. pyramidalis apresentou fibras mais espessas e maior quantidade de celulose, expressas na elevada densidade da madeira, refletindo o potencial para a geração de energia. As informações oriundas deste estudo apontam que a P. pyramidalis é uma espécie muito abundante no local e pode ser utilizada no manejo sustentável para a geração de energia, contribuindo tanto para a inserção de uma atividade econômica complementar na renda dos assentados, quanto para o uso mais sustentável deste recurso.

  • RONISE NASCIMENTO DE ALMEIDA
  • ITINERANTES RURAIS: A SUSTENTABILIDADE DAS FAMÍLIAS PLURIATIVAS.
  • Orientador : MARIA JOSE NASCIMENTO SOARES
  • Data: 24/02/2015
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • Historicamente, o mundo rural brasileiro destacava-se por se organizar em torno da produção de alimentos, em que a atividade econômica dominante baseava-se quase que exclusivamente nos cultivos agrícolas, isto é na agricultura. Hoje, o meio rural vem passando por uma série de transformações compondo o chamado “novo rural”, em que novas atividades econômicas vem sendo desenvolvidas em prol da sustentabilidade dos assentados. Desta forma, a pluriatividade dos agricultores assentados constitui-se em um importante objeto de análise da sustentabilidade nos projetos de assentamento de reforma agrária. Nesta pesquisa, o termo pluriatividade é entendido como a combinação de atividades agrícolas e não-agrícolas desenvolvidas por pessoas que pertencem à mesma família, podendo ser realizada dentro ou fora da propriedade. A partir desse ponto de vista, analisou-se a pluriatividade dos agricultores assentados nas agrovilas do Conjunto de Assentamento Jacaré Curituba, como base para a avaliação dos níveis de sustentabilidade. A metodologia foi baseada no método de estudo comparativo e compreensivo, com abordagens qualitativas e quantitativas, levantadas por meio de questionários e entrevistas semiestruturadas, tendo como público alvo as famílias assentadas e os dirigentes das agrovilas. Foi utilizando de forma interdisciplinar os indicadores de sustentabilidade cuja construção e análise foram realizadas com base no modelo, Indicateurs de Durabilité des Exploitations Agricoles – IDEA, dos quais permitiram identificar as diferenças e semelhanças das famílias pluriativas assentadas e seus níveis de sustentabilidade, que, por sua vez, revelaram o nível bom de sustentabilidade do Conjunto de Assentamentos Jacaré Curituba.

  • MARIA LUIZA RODRIGUES DE ALBUQUERQUE OMENA
  • O PROGRAMA DE BIODIESEL EM SERGIPE SOB O ENFOQUE SISTÊMICO NO ÂMBITO E SUAS SUSTENTABILIDADES NO ESTADO
  • Orientador : ROBERTO RODRIGUES DE SOUZA
  • Data: 10/02/2015
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • A reversão das alterações climáticas se constitui um dos principais desafios conjuntos com os quais se deparam as sociedades humanas em escala planetária. Seu enfrentamento tem impulsionado a transição de matrizes energéticas fósseis pelas renováveis e contribuído para que o aquecimento global passe a ser tratado como tema de segurança geopolítica, humana e alimentar. Alguns países têm nutrido a expectativa de a partir da produção de energia proveniente da biomassa, virem a se destacar no cenário mundial como nação soberana. No caso do Brasil, o domínio de conhecimentos estratégicos, a utilização de técnicas avançadas e a disponibilidade de estoques naturais se revelam como vantagem competitiva para que o país venha assumir o comando da integração energética e passe a ocupar posição de destaque no cenário geopolítico. O Programa Nacional de Produção e Uso de Biodiesel (PNPB), regulamentado desde o ano de 2005, surge como uma pretensiosa aposta de conciliar as agendas econômicas, sociais e ambientais para o enfrentamento de tais questões. Contudo, a falta clareza em relação às estratégias que serão adotadas para evitar as pressões aos bens ambientais, ao alargamento dos conflitos no meio rural, à segurança alimentar e ao fenômeno da desterritorialização tem se revelado como limitação para que, tanto na esfera nacional como no âmbito local, o Programa cumpra com as diretrizes estabelecidas em seu escopo. No estado de Sergipe, reforça a preocupação com a sustentabilidade da produção bioenergética a ausência de dados que revelem os resultados alcançados até o momento, sugerindo deficiência no monitoramento e na avaliação de suas ações. Esse entendimento contribuiu para que se lançasse um olhar empírico sobre o arranjo institucional proposto no modelo de governança do Programa de Biodiesel de Sergipe (Probiose). Nessa direção, elegeu-se como objetivo geral do estudo avaliar o grau de sustentabilidade social, ambiental, econômica e institucional do Programa. A referida avaliação se deu mediante a formulação de um sistema de indicadores (SiasPbio), a partir dos quais foram gerados biogramas. A leitura dos modelos gráficos revelou que no estado de Sergipe o cultivo de girassol não tem refletido na renda dos agricultores familiares, tampouco servido para melhorar a qualidade de vida. A análise foi conduzida sob o enfoque sistêmico.

  • ANDERSON NASCIMENTO DO VASCO
  • INDICADORES DE ALTERAÇÕES HIDROLÓGICAS: O DECLÍNIO DAS VAZÕES NO BAIXO RIO SÃO FRANCISCO.
  • Orientador : ANTENOR DE OLIVEIRA AGUIAR NETTO
  • Data: 30/01/2015
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • A avaliação do regime hidrológico constitui-se um instrumento fundamental para o processo de gestão no uso dos recursos hídricos. O crescimento da demanda de água associado a outros impactos ocorridos na bacia hidrográfica do rio São Francisco torna o conhecimento das características hidrológicas uma ferramenta importante para que o aproveitamento de seus recursos hídricos sejam otimizado com menor impacto ambiental, a análise das alterações ocorridas no baixo rio São Francisco decorrentes da implantação sucessiva de barragens ao longo dos trechos e seus efeitos ambientais são de extrema importância ao se buscar a revitalização deste curso d’água. No estudo foi analisado o comportamento hidrológico das vazões e precipitações pluviais, tomando-se como base dados observados de um posto fluviométrico e 167 estações pluviométricas com série histórica de 33 anos, além de associar aspectos ecológicos impactados com indicadores estatísticos das alterações hidrológicas. Foi obtida a precipitação pluvial média anual, a vazão média anual, a vazão máxima anual, a vazão mínima anual de sete dias de duração, vazão específica, coeficiente de escoamento superficial. Para analisar as modificações de ordem ecológica foi utilizado o método dos indicadores de alteração hidrológica (IAH) e os componentes de vazão ecológica (CVE). Após a construção da hidroelétrica de Xingó as variáveis hidrológicas foram bastante modificadas o correu decréscimo no coeficiente de dessalgue, vazão especifica, vazão mínima de sete dias e vazão média.

2014
Descrição
  • ROSEMEIRE MARIA ANTONIETA MOTTA GUIMARÃES
  • ÉTICA, POLÍTICA E CONFLITOS SOCIOAMBIENTAIS ÁS MARGENS DO BAIXO PARAGUAÇU.
  • Orientador : ANTONIO CARLOS DOS SANTOS
  • Data: 19/12/2014
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • O território da bacia do Rio Paraguaçu, especificamente no seu baixo curso, se destaca como um cenário de conflitos desde sua ocupação colonizadora. Inicialmente foram conflitos de cunho político-econômico, haja vista os oriundos das relações escravistas – baseadas na mão-de-obra de índios e negros africanos submetidos ao trabalho nas lavouras de cana-de-açúcar e de fumo –, e atualmente repercutem os de cariz socioambiental. Nas suas configurações, estes demonstram a existência das categorias poder e desenvolvimento como heranças do passado em vigor na contemporaneidade dos conflitos pelo acesso, apropriação e uso dos recursos naturais envolvendo os seguintes segmentos: povos tradicionais que habitam o território, fazendeiros e grandes empreendimentos industriais. Nesse sentido, a tese ora apresentada tem como objetivos analisar os conflitos socioambientais vigentes às margens do baixo Paraguaçu; caracterizar as relações de poder e o padrão de desenvolvimento que se estabeleceram no território; analisar opiniões, questionamentos, interesses e valores expressos pelos atores sociais governamentais e não governamentais acerca dos conflitos socioambientais desencadeados no baixo Paraguaçu; e conhecer a forma de gestão estadual e municipal junto aos povos tradicionais no que se refere à sustentabilidade do território. O referencial teórico que fundamenta esta tese veio contribuir com o suporte necessário para a análise acerca dos problemas e impactos que têm início a partir das relações sociais desiguais sobre o ambiente natural, e como estes fatos se elevam à distribuição desproporcional dos riscos, aos alarmantes índices de contaminação, à expropriação material e (i)material aos quais a população que sobrevive nas e das margens de uma importante bacia hidrográfica está exposta, bem como tenta-se a qualquer custo, subjugá-las pela permanência das redes de poder historicamente constituídas. No que se refere aos aspectos metodológicos, a pesquisa documental contou com fontes investigadas em bibliotecas, arquivos públicos, promotorias e agências ambientais. Já a pesquisa empírica, foi delimitada às localidades de São Francisco do Paraguaçu, Santiago do Iguape (Cachoeira), Coqueiros, Nagé, São Roque do Paraguaçu (Maragogipe), Pilar e Sinunga (São Félix); em um território do Recôncavo Baiano histórico, banhado pelo Rio Paraguaçu, contemplando sua população formada por pescadores artesanais, marisqueiras e quilombolas que subsiste da pesca, da mariscagem e da agricultura de pequeno porte. Trata-se de pesquisa de caráter etnográfico, cujo método de coleta de dados e, principalmente de interpretação destes, se efetivou em interlocução com a antropologia, a história ambiental, a geografia, a ecologia, a filosofia política e a sociologia, num esforço de cooperação interdisciplinar com ganhos analíticos e explicativos. Alcançados os objetivos propostos, ficou evidenciado como as relações assimétricas e patrimonialistas repercutem, significativamente, nos conflitos socioambientais sobre o território de terra e água do baixo Paraguaçu. Destarte, espera-se contribuir, não só com a reflexão a partir da fundamentação elaborada e posta ao crivo público por esta tese, mas também com a discussão, a elaboração e a implementação de uma política de desenvolvimento voltada para a efetiva sustentabilidade do território, atenta à gestão responsável do meio ambiente e às demandas dos que têm uma dependência intrínseca com os recursos naturais. Em suma, espera-se num claro intuito, “devolver ao campo” a possibilidade dos povos tradicionais – na sua busca de longa data – fazerem das margens do baixo curso do Rio Paraguaçu seu território, efetivamente.

  • EDUARDO LIMA DE MATOS
  • Ó Pacto das Águas e suas Relações Sócioambientais com o Baixo São Francisco.
  • Orientador : ANTENOR DE OLIVEIRA AGUIAR NETTO
  • Data: 30/04/2014
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • A presente tese versa sobreO PACTO DAS ÁGUAS E SUAS RELAÇÕES SÓCIOAMBIENTAIS COM O BAIXO SÃO FRANCISCO, estabelecendo como recorte metodológico o Baixo São Francisco entre a Usina Hidroelétrica de Xingó e a foz do rio São Francisco. O estudo começou do marco legal, correlacionando princípios constitucionais, legislação federal e estadual, resoluções e a estrutura administrativa gerencial para os recursos hídricos prevista na legislação brasileira, especialmente o Comitê de Bacia Hidrográfica, trabalhando suas competências e atribuições. A partir do levantamento dos indicadores sociais, ambientais, institucionais e econômicos, utilizando a metodologia de Daniel (atall, 2001), foi edificado um índice de sustentabilidade da Região do Baixo São Francisco, esposado num gráfico de radar asfragilidades e avanços da região do baixo São Francisco. Com o índice de sustentabilidade foi possível identificar a necessidade de políticas públicas. A região carece de investimentos para reduzir problemas graves, bem como endêmicos e o Comitê de Bacia Hidrográfica do rio São Francisco possui recursos, através da arrecadação na própria bacia hidrográfica, porém não vem aplicando. A legislação brasileira concebeu um sistema gerencial hídrico descentralizado e participativo, sendo os comitês de bacia hidrográfica a estrutura representativa dessa concretização, tendo atribuições elásticas sobre a gestão da bacia hidrográfica. Nessa tese foi desenvolvido o mecanismos de avaliação permanente da bacia hidrográfica, o índice de sustentabilidade, a partir do qual, fundado nos princípios da descentralização, participação, legalidade, proporcionalidade, supremacia do interesse público sobre o privado, razoabilidade e eficiência, de cumprimento obrigatório, pode ser feito no seio do Comitê de Bacia Hidrográfica do rio São Francisco o Pacto das Águas, documento legal, aprovado no plenário do Comitê de Bacia Hidrográfica que deverá estabelecer o padrão de uso dos recursos arrecadados na bacia hidrográfica e priorizando os investimentos nas áreas críticas identificadas no índice de sustentabilidade. O Pacto das Águas é o exercício das competências do Comitê de Bacia Hidrográfica, no qual fica estabelecida a supremacia do interesse público.

  • EDUARDO LIMA DE MATOS
  • Ó Pacto das Águas e suas Relações Sócioambientais com o Baixo São Francisco.
  • Orientador : ANTENOR DE OLIVEIRA AGUIAR NETTO
  • Data: 30/04/2014
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • A presente tese versa sobreO PACTO DAS ÁGUAS E SUAS RELAÇÕES SÓCIOAMBIENTAIS COM O BAIXO SÃO FRANCISCO, estabelecendo como recorte metodológico o Baixo São Francisco entre a Usina Hidroelétrica de Xingó e a foz do rio São Francisco. O estudo começou do marco legal, correlacionando princípios constitucionais, legislação federal e estadual, resoluções e a estrutura administrativa gerencial para os recursos hídricos prevista na legislação brasileira, especialmente o Comitê de Bacia Hidrográfica, trabalhando suas competências e atribuições. A partir do levantamento dos indicadores sociais, ambientais, institucionais e econômicos, utilizando a metodologia de Daniel (atall, 2001), foi edificado um índice de sustentabilidade da Região do Baixo São Francisco, esposado num gráfico de radar asfragilidades e avanços da região do baixo São Francisco. Com o índice de sustentabilidade foi possível identificar a necessidade de políticas públicas. A região carece de investimentos para reduzir problemas graves, bem como endêmicos e o Comitê de Bacia Hidrográfica do rio São Francisco possui recursos, através da arrecadação na própria bacia hidrográfica, porém não vem aplicando. A legislação brasileira concebeu um sistema gerencial hídrico descentralizado e participativo, sendo os comitês de bacia hidrográfica a estrutura representativa dessa concretização, tendo atribuições elásticas sobre a gestão da bacia hidrográfica. Nessa tese foi desenvolvido o mecanismos de avaliação permanente da bacia hidrográfica, o índice de sustentabilidade, a partir do qual, fundado nos princípios da descentralização, participação, legalidade, proporcionalidade, supremacia do interesse público sobre o privado, razoabilidade e eficiência, de cumprimento obrigatório, pode ser feito no seio do Comitê de Bacia Hidrográfica do rio São Francisco o Pacto das Águas, documento legal, aprovado no plenário do Comitê de Bacia Hidrográfica que deverá estabelecer o padrão de uso dos recursos arrecadados na bacia hidrográfica e priorizando os investimentos nas áreas críticas identificadas no índice de sustentabilidade. O Pacto das Águas é o exercício das competências do Comitê de Bacia Hidrográfica, no qual fica estabelecida a supremacia do interesse público.

  • DANIELA PINHEIRO BITENCURTI RUIZ ESPARZA
  • Análise Multitemporal do Desmatamento do baixo Rio São Francisco e Diagnóstico de seus efeitos sobre as Populações de Callicebus.
  • Orientador : STEPHEN FRANCIS FERRARI
  • Data: 26/02/2014
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • Mundialmente, a destruição de ecossistemas e o desenvolvimento industrial desenfreado provocam graves problemas ambientais, que vão desde a perda de biodiversidade até eventuais mudanças climáticas globais. O mapeamento da cobertura vegetal é um insumo científico essencial para avaliar a evolução da paisagem no tempo e no espaço. Neste trabalho, utilizaremos a análise multitemporal o qual terá caráter inédito para os biomas da região, a Mata Atlântica e a Caatinga. Estas técnicas serão utilizadas para realizar a correlação destes desmatamentos com duas espécies ameaçadas de macacos guigós, o Callicebus coimbrai Kobayashi & Langguth, 1999, que habita a Mata Atlântica e está classificada como ameaçada de extinção pela IUCN e o Callicebus barbarabrownae, que habita a Caatinga e está classificada atualmente como criticamente ameaçada de extinção pela IUCN. Os objetivos tratarão de realizar a análise multitemporal das últimas três décadas do desmatamento dos biomas Mata Atlântica e Caatinga, com base nas imagens do satélite LANDSAT 5, obtidas em diferentes datas; diagnosticar o histórico de desmatamento com a presença ou ausência de populações de Callicebus (macaco guigó) e fornecer subsídios para o desenvolvimento de estratégias mais eficazes de fiscalização e manejo de ecossistemas. A área de estudo (8º 27’ 56”-12º 3’ 35” de latitude Sul e 36º 14’ 43”-40º 59’ 4” de longitude Oeste) compreende o estado de Sergipe e parte da região do extremo norte do estado da Bahia atingindo uma área de aproximadamente 77448.352 Km2. O pré-processamento constará de coleta das imagens, registro e trabalho de campo. A análise multitemporal incluirá transformação IHS (matiz (H), saturação (S) e intensidade (I)), operações aritméticas (IV – Índice de Vegetação e ACP – Análise por Componentes Principais), interpretação visual, classificação supervisada, edição e a avaliação da confiabilidade dos mapas temáticos. A análise do desmatamento será realizada através da correlação e sobreposição dos mapas temáticos gerados para as três décadas e os dados da localização de populações do macaco guigó. O registro das 25 cenas atingiram erros menores que meio pixel (menor que 15 metros) variando de 0,403 a 0,498 pixel. Já foram realizadas três das quatro campanhas previstas, onde foram coletados, através do receptor GPS, mais de 420 pontos em campo. Estes pontos estão divididos entre os biomas Mata Atlântica (0,99% da área total da Mata Atlântica e 30,84% dos pontos) e Caatinga (7,84% da área total da Caatinga e 69,16% dos pontos). Foram geradas 175 novas imagens distribuídas entre as operações IHS, IV e ACP para as 25 cenas das três décadas de estudo. A coleta dos pontos GPS com a presença/ausência do macaco guigó está sendo elaborada pelos alunos de pós-graduação do laboratório de biologia da conservação, que trabalham com levantamento e monitoramento da espécie no campo. Estes dados são coletados através da identificação de fragmentos florestais com mais de 20 ha dentro da distribuição geográfica conhecida e presumida do macaco guigó, a partir da análise de bases cartográficas e imagens de satélite disponíveis ou a partir de informações obtidas em entrevistas prévias. Como resultado esperado pretende-se produzir de um Banco de Dados Georreferenciado contendo acervo de imagens das últimas três décadas, mapas temáticos e mapas cadastrais da região, que resultará no primeiro atlas multitemporal do desmatamento da região. A partir deste atlas, poderemos delinear qualitativa e quantitativamente o processo de desmatamento da região. Com as respostas das classificações, poderemos diferenciar os padrões espectrais da Mata Atlântica e da Caatinga. Esperamos desenvolver procedimentos analíticos para a identificação de habitats propícios a sustentação de populações viáveis dos macacos guigó. A partir destes procedimentos, pretende-se diagnosticar os processos históricos na determinação de populações remanescentes destes macacos. Os dados a serem coletados vão auxiliar a refinar a avaliação do estado de conservação e a compreender alguns requisitos básicos da espécie, além de incrementar a caracterização de ameaças e potencialidades para subsidiar a tomada de decisões sobre manejo para a conservação da espécie além de fornecer subsídios para o desenvolvimento de estratégias de conservação dos fragmentos florestais descritos.

  • DANIELA PINHEIRO BITENCURTI RUIZ ESPARZA
  • Análise Multitemporal do Desmatamento do baixo Rio São Francisco e Diagnóstico de seus efeitos sobre as Populações de Callicebus.
  • Orientador : STEPHEN FRANCIS FERRARI
  • Data: 26/02/2014
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • Mundialmente, a destruição de ecossistemas e o desenvolvimento industrial desenfreado provocam graves problemas ambientais, que vão desde a perda de biodiversidade até eventuais mudanças climáticas globais. O mapeamento da cobertura vegetal é um insumo científico essencial para avaliar a evolução da paisagem no tempo e no espaço. Neste trabalho, utilizaremos a análise multitemporal o qual terá caráter inédito para os biomas da região, a Mata Atlântica e a Caatinga. Estas técnicas serão utilizadas para realizar a correlação destes desmatamentos com duas espécies ameaçadas de macacos guigós, o Callicebus coimbrai Kobayashi & Langguth, 1999, que habita a Mata Atlântica e está classificada como ameaçada de extinção pela IUCN e o Callicebus barbarabrownae, que habita a Caatinga e está classificada atualmente como criticamente ameaçada de extinção pela IUCN. Os objetivos tratarão de realizar a análise multitemporal das últimas três décadas do desmatamento dos biomas Mata Atlântica e Caatinga, com base nas imagens do satélite LANDSAT 5, obtidas em diferentes datas; diagnosticar o histórico de desmatamento com a presença ou ausência de populações de Callicebus (macaco guigó) e fornecer subsídios para o desenvolvimento de estratégias mais eficazes de fiscalização e manejo de ecossistemas. A área de estudo (8º 27’ 56”-12º 3’ 35” de latitude Sul e 36º 14’ 43”-40º 59’ 4” de longitude Oeste) compreende o estado de Sergipe e parte da região do extremo norte do estado da Bahia atingindo uma área de aproximadamente 77448.352 Km2. O pré-processamento constará de coleta das imagens, registro e trabalho de campo. A análise multitemporal incluirá transformação IHS (matiz (H), saturação (S) e intensidade (I)), operações aritméticas (IV – Índice de Vegetação e ACP – Análise por Componentes Principais), interpretação visual, classificação supervisada, edição e a avaliação da confiabilidade dos mapas temáticos. A análise do desmatamento será realizada através da correlação e sobreposição dos mapas temáticos gerados para as três décadas e os dados da localização de populações do macaco guigó. O registro das 25 cenas atingiram erros menores que meio pixel (menor que 15 metros) variando de 0,403 a 0,498 pixel. Já foram realizadas três das quatro campanhas previstas, onde foram coletados, através do receptor GPS, mais de 420 pontos em campo. Estes pontos estão divididos entre os biomas Mata Atlântica (0,99% da área total da Mata Atlântica e 30,84% dos pontos) e Caatinga (7,84% da área total da Caatinga e 69,16% dos pontos). Foram geradas 175 novas imagens distribuídas entre as operações IHS, IV e ACP para as 25 cenas das três décadas de estudo. A coleta dos pontos GPS com a presença/ausência do macaco guigó está sendo elaborada pelos alunos de pós-graduação do laboratório de biologia da conservação, que trabalham com levantamento e monitoramento da espécie no campo. Estes dados são coletados através da identificação de fragmentos florestais com mais de 20 ha dentro da distribuição geográfica conhecida e presumida do macaco guigó, a partir da análise de bases cartográficas e imagens de satélite disponíveis ou a partir de informações obtidas em entrevistas prévias. Como resultado esperado pretende-se produzir de um Banco de Dados Georreferenciado contendo acervo de imagens das últimas três décadas, mapas temáticos e mapas cadastrais da região, que resultará no primeiro atlas multitemporal do desmatamento da região. A partir deste atlas, poderemos delinear qualitativa e quantitativamente o processo de desmatamento da região. Com as respostas das classificações, poderemos diferenciar os padrões espectrais da Mata Atlântica e da Caatinga. Esperamos desenvolver procedimentos analíticos para a identificação de habitats propícios a sustentação de populações viáveis dos macacos guigó. A partir destes procedimentos, pretende-se diagnosticar os processos históricos na determinação de populações remanescentes destes macacos. Os dados a serem coletados vão auxiliar a refinar a avaliação do estado de conservação e a compreender alguns requisitos básicos da espécie, além de incrementar a caracterização de ameaças e potencialidades para subsidiar a tomada de decisões sobre manejo para a conservação da espécie além de fornecer subsídios para o desenvolvimento de estratégias de conservação dos fragmentos florestais descritos.

  • JUAN MANUEL RUIZ ESPARZA AGUILAR
  • SUSTENTABILIDADE DAS COMUNIDADES DE AVES NAS ÁREAS PROTEGIDAS DO ESTADO DE SERGIPE.
  • Orientador : STEPHEN FRANCIS FERRARI
  • Data: 26/02/2014
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • As alterações ou destruição dos habitats nas florestas das regiões neotropicais são o principal fator de interesse para a conservação. As aves silvestres podem ser usadas como indicadores das alterações ou mudanças na qualidade dos habitats. As espécies da avifauna ocupam muitos nichos ecológicos e tróficos das florestas, distribuindo-se desde o solo até as copas das árvores, apresentando elevado grau de fidelidade a biomas e habitats específicos. No Brasil encontramos quase um quinto das aves conhecidas do mundo (1.832espécies). Em Sergipe podemos encontrar até 462 espécies de aves, mas ainda existe um grande vazio de conhecimento geral da avifauna para o estado. O presente trabalho tem como objetivos caracterizar e comparar a estrutura e composição das comunidades de aves de duas Unidades de Conservação (UC) estaduais de Sergipe, avaliar aspectos ecológicos das comunidades e identificar evidências de impactos antrópicos com a finalidade de contribuir para a consolidação e manejo das áreas, visando garantir sua conservação efetiva em longo prazo. Os levantamentos das aves serão realizados em duas UCs estaduais, as quais são as únicas em Sergipe que apresentam os instrumentos para gestão descritos na legislação pertinente. A primeira é o Refúgio de Vida Silvestre da Mata do Junco (RVSMJ) que protege uma área aproximada de 900 ha, de Mata Atlântica, e a segunda, é o Monumento Natural da Grota do Angico (MNGA) que protege uma área de 2.138 ha do bioma exclusivamente brasileiro, a Caatinga. Dentro destas UCs faremos amostragem das aves utilizando dez redes de neblina (2,5 x 10 m) e as listas de MacKinnon (10 espécies). Como resultados preliminares no RVSMJ foram capturadas 59 espécies de aves sendo que duas destas se encontram em duas categorias de risco: Pyriglena atra - em perigo e Herpsilochmus pectoralis - vulnerável. Jáno MNGA capturamos 81 espécies de aves incluindo seis endêmicas da Caatinga, Aratinga cactorum,Hydropsalis hirundinaceus Thamnophilus capistratus, Paroaria dominicana, Sporophila albogularis ePseudoseisura cristata, além de uma espécie migratória oriunda do sul do continente Elaenia chilensis. Foram reconhecidos diferentes impactos antrópicos como a caça e captura ilegal de fauna silvestre, além do desmatamento. Na zona de amortecimento do RVSMJ existem dois assentamentos rurais, já no MNGA existem oito assentamentos, os quais exercem uma pressão sobre os recursos naturais existentes nas UCs. Com a continuidade deste estudo iremos avaliar os impactos antrópicos sobre as comunidades de aves, com o intuito de realizar uma proposta para consolidar o manejo das UCs, visando garantir seus objetivos de conservação em longo prazo.

  • GIVALDO BARBOSA DA SILVA
  • AS CERTIFICAÇÕES COMO INSTRUMENTO ÉTICO DE SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL NA CONSTRUÇÃO CIVIL
  • Orientador : ANTONIO CARLOS DOS SANTOS
  • Data: 21/02/2014
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa tem como objeto de estudo as certificações ambientais para edificações como um instrumento da sustentabilidade sob a perspectiva da ética ambiental. O intuito écontribuir para o avanço do conhecimento no campo da construção civil, de modo particular, na sua modernização, através de certificados de sustentabilidade no Brasil, e observar como essa metodologia pode contribuir para a melhoria da qualidade ambiental dos espaços urbanos. Desse modo, a tese foi estruturada, basicamente, em cinco abordagens ou capítulos. O primeiro capítulo, de caráter teórico, foca em três categorias analíticas: natureza, ética e sustentabilidade ambiental, as quais juntas formam o lastro conceitual de conexão entre todos os temas tratados. O conceito de natureza foi analisado a partir da modernidade, buscando-se entender como esta passou a determinar os rumos da própria existência humana e como foi inserida na sociedade e no espaço urbano. Aqui, o estudo da ética centra-se no desafio de equacionar os dilemas contemporâneos, frente aos avanços tecnocientíficos, no embate entre o homem e os danos ambientais. O tema da sustentabilidade ambiental está construído na problematização dos diversos sentidos que envolvem esta questão, no contraponto entre sustentabilidade e desenvolvimento sustentável, em estabelecer suas extensões, superposições e divergências entre estes dois conceitos. O segundo capítulotrata da construção do espaço da cidade sustentável, desde suas bases histórico/urbanas até a influência dos marcos legais sobre sua formação. O terceiro capítulo investiga a resposta da indústria da construção civil aos novos desafios ambientais impostos pela escassez dos recursos naturais, nas possibilidades de rearranjo de sua cadeia produtiva e de seu sindicato. O quarto trata das certificações Leed, AQUA, Procel Edifica e Casa Azul, como estão sendo difundidas no país, em seus limites e abrangência. Por fim, no quinto e último capítulo, há duas constatações: primeiramente, buscou-se demonstrar, através de uma estrutura comparativa, a capacidade limitada dessas quatro metodologias de avaliação em certificar a sustentabilidade de edifícios, enquadrando-as em dois grupos, a saber, Certificações ambientais (Leed e Procel Edifica) e Certificações Socioambientais (AQUA e Casa Azul);segundo, foi apresentado um instrumento alternativo às certificações para quemnão quer ou não pode se vincular a uma instituição certificadora e, mesmo assim, deseja obter o reconhecimento de suas práticas construtivas sustentáveis, instrumento esse pautado na ética ambiental.

  • GIVALDO BARBOSA DA SILVA
  • AS CERTIFICAÇÕES COMO INSTRUMENTO ÉTICO DE SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL NA CONSTRUÇÃO CIVIL
  • Orientador : ANTONIO CARLOS DOS SANTOS
  • Data: 21/02/2014
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa tem como objeto de estudo as certificações ambientais para edificações como um instrumento da sustentabilidade sob a perspectiva da ética ambiental. O intuito écontribuir para o avanço do conhecimento no campo da construção civil, de modo particular, na sua modernização, através de certificados de sustentabilidade no Brasil, e observar como essa metodologia pode contribuir para a melhoria da qualidade ambiental dos espaços urbanos. Desse modo, a tese foi estruturada, basicamente, em cinco abordagens ou capítulos. O primeiro capítulo, de caráter teórico, foca em três categorias analíticas: natureza, ética e sustentabilidade ambiental, as quais juntas formam o lastro conceitual de conexão entre todos os temas tratados. O conceito de natureza foi analisado a partir da modernidade, buscando-se entender como esta passou a determinar os rumos da própria existência humana e como foi inserida na sociedade e no espaço urbano. Aqui, o estudo da ética centra-se no desafio de equacionar os dilemas contemporâneos, frente aos avanços tecnocientíficos, no embate entre o homem e os danos ambientais. O tema da sustentabilidade ambiental está construído na problematização dos diversos sentidos que envolvem esta questão, no contraponto entre sustentabilidade e desenvolvimento sustentável, em estabelecer suas extensões, superposições e divergências entre estes dois conceitos. O segundo capítulotrata da construção do espaço da cidade sustentável, desde suas bases histórico/urbanas até a influência dos marcos legais sobre sua formação. O terceiro capítulo investiga a resposta da indústria da construção civil aos novos desafios ambientais impostos pela escassez dos recursos naturais, nas possibilidades de rearranjo de sua cadeia produtiva e de seu sindicato. O quarto trata das certificações Leed, AQUA, Procel Edifica e Casa Azul, como estão sendo difundidas no país, em seus limites e abrangência. Por fim, no quinto e último capítulo, há duas constatações: primeiramente, buscou-se demonstrar, através de uma estrutura comparativa, a capacidade limitada dessas quatro metodologias de avaliação em certificar a sustentabilidade de edifícios, enquadrando-as em dois grupos, a saber, Certificações ambientais (Leed e Procel Edifica) e Certificações Socioambientais (AQUA e Casa Azul);segundo, foi apresentado um instrumento alternativo às certificações para quemnão quer ou não pode se vincular a uma instituição certificadora e, mesmo assim, deseja obter o reconhecimento de suas práticas construtivas sustentáveis, instrumento esse pautado na ética ambiental.

  • BENJAMIN LEONARDO ALVES WHITE
  • MODELAGEM MATEMÁTICA E AVALIAÇÃO DO COMPORTAMENTO DO FOGO EM LITEIRA DE EUCALIPTO.
  • Orientador : ROSEMERI MELO E SOUZA
  • Data: 11/02/2014
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • Incêndios florestais são catástrofes naturais onde o fogo se propaga de forma descontrolada sobre qualquer tipo de vegetação. À medida que passou a ser dada uma maior importância à preservação da biodiversidade, e a silvicultura ganhou espaço no cenário econômico, surgiu a necessidade do desenvolvimento de pesquisas mais específicas, a fim de reduzir as consequências negativas advindas dos incêndios florestais. Os primeiros estudos de modelagem do comportamento do fogo surgiram ainda na primeira metade do século XX e tiveram como objetivo caracterizar o comportamento do fogo e auxiliar nas operações de prevenção e combate. Apesar de, desde então, diversos modelos terem sido criados, até o presente momento, não existia nenhum específico para estimar o comportamento do fogo em plantações de eucalipto no Brasil. Sabendo que as características da vegetação e do clima irão exercer uma forte influência no modo em que o fogo irá se comportar, este trabalho teve como objetivo principal, caracterizar o provável comportamento do fogo em liteira de eucalipto na área de estudo e desenvolver modelos matemáticos específicos para descrever a velocidade de propagação, comprimento das chamas, consumo do material combustível e tempo de queima. Além disso, foi avaliada a eficiência do simulador do comportamento do fogo BehavePlus, e traçada recomendações de prevenção e combate ao fogo dentro da área de estudo. O passo inicial para cumprir com os objetivos propostos foi caracterizar os povoamentos de eucalipto. A área definida para servir de padrão foi o litoral norte da Bahia, região que apresenta a maior área plantada de eucalipto do Nordeste. A caracterização foi feita através de amostragem destrutiva, onde foram definidos os valores médios para a carga de material combustível, espessura do leito e densidade do leito do material combustível, dados estes que serviram de base para a realização de 105 queimas experimentais em laboratório. Todas as variáveis do material combustível e climáticas que, porventura pudessem influir no comportamento do fogo, foram controladas e mensuradas em todos os experimentos. Com base nos valores das variáveis dependentes e independentes, foram construídos modelos matemáticos de regressão linear multivariada utilizando-se o procedimento foward stepwise. Todos os modelos construídos foram significativos estatisticamente e apresentaram bom desempenho medido através do R2. O modelo mais eficiente foi o modelo alternativo do tempo de queima (R2 = 0,84; p < 0,0001), seguido pelo modelo alternativo do comprimento das chamas (R2 = 0,79; p < 0,0001), pelo do consumo do material combustível (R2 = 0,68; p < 0,0001) e pelo da velocidade de propagação (R2 = 0,65; p < 0,0001). Ao comparar os dados da velocidade de propagação e do comprimento das chamas simulados pelos modelos aqui desenvolvidos e simulados pelo BehavePlus versus os dados obtidos experimentalmente, foi alcançado um melhor desempenho estatístico para os modelos aqui criados. Sendo assim, é recomendada a sua utilização para simular o comportamento do fogo em vegetação de eucalipto em regiões com aspectos climáticos e vegetacionais semelhantes ao da área de estudo. Em função da diferença entre os dados simulados pelo BehavePlus e os dados experimentais, que foram bastante subavaliados, não é aconselhável o uso do BehavePlus na área de estudo. Modelos matemáticos de ajuste das simulações do BehavePlus para os dados experimentais foram desenvolvidos para minimizar esta discrepância. Os dados em laboratório sugerem que, normalmente, os incêndios em liteira de eucalipto podem ser apagados sem maiores dificuldades atacando diretamente a frente do fogo, em casos específicos com muito vento, inclinação e material extremamente seco, o ataque direto não adiantará e será necessária a utilização de equipamentos de grande porte.

2013
Descrição
  • MARCUS AURELIUS DE OLIVEIRA VASCONCELOS
  • DIFUSÃO SOCIAL DO CONHECIMENTO EM CIÊNCIAS AMBIENTAIS:perspectivas e desafios da gestão colaborativa da comunicação científica em rede.
  • Orientador : ANTONIO VITAL MENEZES DE SOUZA
  • Data: 20/09/2013
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • Essa pesquisa tem como objeto de estudo a difusão social do conhecimento interdisciplinar através da gestão colaborativa da comunicação científica em rede. Inicialmente, trata-se da análise das ações, estratégias e tipos de organização utilizados pelos gestores da Rede Prodema para a difusão social do conhecimento produzido no Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente da Universidade Federal de Sergipe. Busca-se identificar e analisar as perspectivas, princípios, tendências, problemas e desafios encontrados na gestão do conhecimento científico produzido no período de 1997 a 2012 e apresentar sistema informático de gestão colaborativa de conhecimento em rede (plataforma Web). A base teórica dessa pesquisa está relacionada aos trabalhos de Batista (2006; 2012), Castells (1999), Angrosino (2009), Dezin (2006), Latour (1997; 2000), Grün (2005), Japiassu (1976), Macedo (2000), Krug (2010), Vasconcelos (2002), dentre outros. A metodologia da pesquisa está situada na etnografia. A pesquisa é exploratória, de natureza interdisciplinar aplicada e do tipo participante ativa completa. O método adotado é indutivo-descritivo e dialógico. Participaram dessa pesquisa gestores que intercalaram seus momentos à frente do Programa ocupando os cargos de coordenação e vice- coordenação, além de exercerem a função de professores orientadores de pesquisa, e estudantes do Programa de Pós-graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente. Os principais instrumentos de coleta de informações escolhidos foram a observação participante, a observação livre, diário de campo, entrevista semidirigida, questionários padronizados, relatos orais e pesquisa documental. Os dados coletados foram analisados através de triangulação metodológica (Denzin, 2006). Os resultados preliminares da pesquisa trazem à tona três relevantes elementos. O primeiro elemento se refere à difusão social do conhecimento, indissociada às dimensões institucionais, políticas e organizacionais da gestão universitária. Nesse âmbito, as dificuldades de gestão do conhecimento científico institucionalizado se apresentaram concentradas em três tipos: restritivas, propulsoras e ubíquas. Identificou-se que há predominância de um dos tipos de dificuldades encontradas de acordo com o período histórico da gestão analisada. Os desafios apontados pelos gestores abrangem os seguintes planos de ação ou planos de organização institucional: plano administrativo-financeiro, plano curricular-pedagógico e plano gestão colegiada (colaborativa).

  • MARCUS AURELIUS DE OLIVEIRA VASCONCELOS
  • DIFUSÃO SOCIAL DO CONHECIMENTO EM CIÊNCIAS AMBIENTAIS:perspectivas e desafios da gestão colaborativa da comunicação científica em rede.
  • Orientador : ANTONIO VITAL MENEZES DE SOUZA
  • Data: 20/09/2013
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • Essa pesquisa tem como objeto de estudo a difusão social do conhecimento interdisciplinar através da gestão colaborativa da comunicação científica em rede. Inicialmente, trata-se da análise das ações, estratégias e tipos de organização utilizados pelos gestores da Rede Prodema para a difusão social do conhecimento produzido no Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente da Universidade Federal de Sergipe. Busca-se identificar e analisar as perspectivas, princípios, tendências, problemas e desafios encontrados na gestão do conhecimento científico produzido no período de 1997 a 2012 e apresentar sistema informático de gestão colaborativa de conhecimento em rede (plataforma Web). A base teórica dessa pesquisa está relacionada aos trabalhos de Batista (2006; 2012), Castells (1999), Angrosino (2009), Dezin (2006), Latour (1997; 2000), Grün (2005), Japiassu (1976), Macedo (2000), Krug (2010), Vasconcelos (2002), dentre outros. A metodologia da pesquisa está situada na etnografia. A pesquisa é exploratória, de natureza interdisciplinar aplicada e do tipo participante ativa completa. O método adotado é indutivo-descritivo e dialógico. Participaram dessa pesquisa gestores que intercalaram seus momentos à frente do Programa ocupando os cargos de coordenação e vice- coordenação, além de exercerem a função de professores orientadores de pesquisa, e estudantes do Programa de Pós-graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente. Os principais instrumentos de coleta de informações escolhidos foram a observação participante, a observação livre, diário de campo, entrevista semidirigida, questionários padronizados, relatos orais e pesquisa documental. Os dados coletados foram analisados através de triangulação metodológica (Denzin, 2006). Os resultados preliminares da pesquisa trazem à tona três relevantes elementos. O primeiro elemento se refere à difusão social do conhecimento, indissociada às dimensões institucionais, políticas e organizacionais da gestão universitária. Nesse âmbito, as dificuldades de gestão do conhecimento científico institucionalizado se apresentaram concentradas em três tipos: restritivas, propulsoras e ubíquas. Identificou-se que há predominância de um dos tipos de dificuldades encontradas de acordo com o período histórico da gestão analisada. Os desafios apontados pelos gestores abrangem os seguintes planos de ação ou planos de organização institucional: plano administrativo-financeiro, plano curricular-pedagógico e plano gestão colegiada (colaborativa).

  • MARCELO CARDOSO DE SOUSA
  • TRAJETÓRIA DE AÇÕES DE PROTEÇÃO AO GUIGÓ-DE-SERGIPE (Callicebus coimbrai Kobayashi; Langguth, 1999) E O USO DA BIOMETRIA COMPUTACIONAL PARA A ESTIMATIVA DE SUAS POPULAÇÕES NA MATA ATLÂNTICA.
  • Orientador : MARIA JOSE NASCIMENTO SOARES
  • Data: 20/09/2013
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • O presente estudo descreve a trajetória de ações de proteção ao guigó-de-sergipe (Callicebus coimbrai Kobayashi; Langguth, 1999), um primata ameaçado de extinção e endêmico dos Estados de Sergipe e Bahia, e propõe o uso da biometria computacional para a estimativa de suas populações na Mata Atlântica. Partiu-se do princípio de que um primata recém-descrito pela ciência poderia interferir na criação e aumento do número de áreas protegidas e de que algoritmos computacionais empregados para a verificação da identidade da voz humana poderia ser utilizado para a identificação da vocalização de primatas e auxiliar na estimativa de densidade de suas populações na Mata Atlântica. Dentro de uma perspectiva interdisciplinar, elaborou-se uma síntese do histórico do conhecimento existente sobre este primata, associou-se a estratégia para a sua proteção com a educação para a conservação e adotou-se o primata como espécie bandeira. Também foi feita a correlação dos aspectos institucionais da conservação da biodiversidade em âmbito internacional, nacional e local e as motivações para a criação de Unidades de Conservação em Sergipe. Analisaram-se os aspectos teóricos do método de amostragem de distância, convencionalmente utilizado para o monitoramento de populações de primatas e obtiveram-se vocalizações para a verificação da identidade de emissores. A hipótese de que a vocalização de primatas apresenta particularidades individuais foi validada e pode ser utilizada para a aferição da distância do emissor. Constatou-se que a Educação para a Conservação foi fundamental para a difusão de informações sobre a biodiversidade de Sergipe, em especial sobre o guigó (Callicebus coimbrai) e facilitadora de ações que contribuíram para a motivação e aumento de pesquisas sobre o primata, para o envolvimento das instituições de proteção ao Meio Ambiente e para o aumento das áreas protegidas. Reconheceu-se a significativa importância da amostragem de distância para a obtenção de dados sobre a estimativa de densidade de populações de espécies animais em florestas tropicais e considerou-se que a visualização das espécies florestais como elemento fundamental para o estudo e censo de populações, especialmente através de transectos para a contagem por avistamentos, enfrenta algumas dificuldades, principalmente em áreas de vegetação densa e relevo acentuado. Desse modo, a biometria pode ser aplicada como método auxiliar para censo e estimativa de primatas em florestas tropicais e permitir que conservacionistas utilizem os recursos aqui apresentados como complemento aos métodos de transecto e de pontos, ou como alternativa para o censo em áreas onde a visualização é dificultada pela vegetação densa ou relevo íngreme. Tal perspectiva poderá implicar na precisão do censo de indivíduos de uma população, na definição de seu status de conservação, na indicação de áreas passíveis de proteção e na orientação e subsídio às políticas públicas, especialmente aquelas voltadas para a criação de Unidades de Conservação.

  • MARCELO CARDOSO DE SOUSA
  • TRAJETÓRIA DE AÇÕES DE PROTEÇÃO AO GUIGÓ-DE-SERGIPE (Callicebus coimbrai Kobayashi; Langguth, 1999) E O USO DA BIOMETRIA COMPUTACIONAL PARA A ESTIMATIVA DE SUAS POPULAÇÕES NA MATA ATLÂNTICA.
  • Orientador : MARIA JOSE NASCIMENTO SOARES
  • Data: 20/09/2013
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • O presente estudo descreve a trajetória de ações de proteção ao guigó-de-sergipe (Callicebus coimbrai Kobayashi; Langguth, 1999), um primata ameaçado de extinção e endêmico dos Estados de Sergipe e Bahia, e propõe o uso da biometria computacional para a estimativa de suas populações na Mata Atlântica. Partiu-se do princípio de que um primata recém-descrito pela ciência poderia interferir na criação e aumento do número de áreas protegidas e de que algoritmos computacionais empregados para a verificação da identidade da voz humana poderia ser utilizado para a identificação da vocalização de primatas e auxiliar na estimativa de densidade de suas populações na Mata Atlântica. Dentro de uma perspectiva interdisciplinar, elaborou-se uma síntese do histórico do conhecimento existente sobre este primata, associou-se a estratégia para a sua proteção com a educação para a conservação e adotou-se o primata como espécie bandeira. Também foi feita a correlação dos aspectos institucionais da conservação da biodiversidade em âmbito internacional, nacional e local e as motivações para a criação de Unidades de Conservação em Sergipe. Analisaram-se os aspectos teóricos do método de amostragem de distância, convencionalmente utilizado para o monitoramento de populações de primatas e obtiveram-se vocalizações para a verificação da identidade de emissores. A hipótese de que a vocalização de primatas apresenta particularidades individuais foi validada e pode ser utilizada para a aferição da distância do emissor. Constatou-se que a Educação para a Conservação foi fundamental para a difusão de informações sobre a biodiversidade de Sergipe, em especial sobre o guigó (Callicebus coimbrai) e facilitadora de ações que contribuíram para a motivação e aumento de pesquisas sobre o primata, para o envolvimento das instituições de proteção ao Meio Ambiente e para o aumento das áreas protegidas. Reconheceu-se a significativa importância da amostragem de distância para a obtenção de dados sobre a estimativa de densidade de populações de espécies animais em florestas tropicais e considerou-se que a visualização das espécies florestais como elemento fundamental para o estudo e censo de populações, especialmente através de transectos para a contagem por avistamentos, enfrenta algumas dificuldades, principalmente em áreas de vegetação densa e relevo acentuado. Desse modo, a biometria pode ser aplicada como método auxiliar para censo e estimativa de primatas em florestas tropicais e permitir que conservacionistas utilizem os recursos aqui apresentados como complemento aos métodos de transecto e de pontos, ou como alternativa para o censo em áreas onde a visualização é dificultada pela vegetação densa ou relevo íngreme. Tal perspectiva poderá implicar na precisão do censo de indivíduos de uma população, na definição de seu status de conservação, na indicação de áreas passíveis de proteção e na orientação e subsídio às políticas públicas, especialmente aquelas voltadas para a criação de Unidades de Conservação.

  • MARINOÉ GONZAGA DA SILVA
  • MODELAGEM AMBIENTAL NA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO POXIM-AÇU/SE E SUAS RELAÇÕES ANTRÓPICAS
  • Orientador : ANTENOR DE OLIVEIRA AGUIAR NETTO
  • Data: 13/09/2013
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • O crescimento populacional e desenvolvimento econômico têm levado à exploração não sustentável dos recursos naturais. A ocupação dos espaços ocorre quase sempre em áreas situadas próximas aos mananciais, muitas vezes sem planejamento, gerando situações de escassez dos recursos hídricos, tanto em qualidade, como em quantidade. Os modelos hidrológicos são amplamente utilizados para o estudo e previsão dos processos hidrossedimentólogico que ocorrem em uma bacia hidrográfica, colaborando para a compreensão dos impactos das alterações ocasionadas, pelo uso e manejo do solo, na qualidade e quantidade de água, como também prever possíveis alterações que poderão ocorrer nos ecossistemas. Este trabalho teve como objeto geral estudar a dinâmica hidrossedimentólogico da bacia hidrográfica do rio Poxim-Açu, a partir do monitoramento quantitativo e qualitativo da água, com a utilização de um modelo matemático para simulação de cenário em função do uso do solo. A área de estudo compreende a bacia hidrográfica do rio Poxim-Açu, localizada na porção leste de estado Sergipe. Neste sentido, foi aplicado o modelo SWAT( Soil and Water Assessment tool) para simular a produção de água e sedimentos, alem dos nutrientes. Para alcançar os objetos foram realizadas campanhas mensais de monitoramento da qualidade da água de fevereiro de 2010 a março 2011 em 7 estações distribuídas ao longo da bacia hidrográfica do rio Poxim-Açu. Os parâmetros analisados foram condutividade, turbidez, cor, sólidos totais dissolvidos, oxigênio dissolvido, alcalinidade e dureza, nutrientes – fósforo total, ortofosfato dissolvido, nitrito, nitrato, nitrogênio amoniacal, nitrogênio total – além da clorofila-a, coliformes termotolerantes e totais. Foram realizadas coletas de amostras de solo para a determinação de propriedades físico- hídricas do solo: densidade, umidade, porcentagens de argila, silte e areia, macro e microporosidades, porosidade total, além da velocidade de infiltração. O monitoramento referente a vazão e laminas d’agua (cota)foram efetuadas no período de 13 de julho a 26 de setembro de 2011, rio Poxim-Açu, por meio de técnica de batimetria e determinação da vazão por molinete. A qualidade da água da bacia hidrográfica do rio Poxim encontra-se comprometida principalmente no que se refere ao oxigênio dissolvido e coliformes totais e termotolerantes. De acordo com os métodos para análise do solo os valores de densidade obtidos foram no intervalo de 1,07 a 1,88 g. cm³, a umidade, apresentou-se abaixo de 35% evidenciando que os solos desta bacia hidrográfica não retêm água por muito tempo. Os solos que apresentam maiores velocidades de infiltração foram os Neossolos Quartzarrênicos, seguidos pelos Neossolos, Litplicos, Gleissolos e Argissolos Vermelho Amarelo, respectivamente. A curva-chave determinada a partir de regressão polinomial apresentou elevado coeficiente de determinação (R² = 0,9367). Após a análise de sensibilidade e calibração do modelo foram obtidos valores satisfatório para o desempenho do modelo, NSE= 0,77, R²= 0.65, PBIAS= 5,05, RMSE = 0,4, RSR = 0,49. As estéticas da validação ficaram piores que no período de calibração, o que pode ter contribuído para este fato é o pequeno tamanho da amostra de dados observados de vazão. Observa-se ainda que em 30% da bacia hidrográfica estudada foram produzidos 65%dos sedimentos, 84% do nitrogênio total, 93%do fosfato e 86% do fósforo total. Essas subbacias o percentual de área ocupado pela pastagem é sempre superior a 40%, em algumas subbacias, como a 21, o percentual de área ocupado pela pastagem é sempre superior a 90%. O cenário de ocupação da bacia hidrográfica por floresta apresentou os menores valores de produção da água, sedimentos e nutrientes, e, contrapartida a implantação de culturas anuais, como a cana de açúcar em substituição ao cenário atual, promoveu aumento considerável na produção de sedimentos e nutrientes.

  • JEANE DENISE DE SOUZA MENEZES
  • PRODUÇÃO DE GOMA XANTANA A PARTIR DA BIOCONVERSÃO DE RESÍDUOS DE MALTE DE CERVEJARIA POR Xanthomonas campestris campestris sp IBSBF 1866.
  • Orientador : ROBERTO RODRIGUES DE SOUZA
  • Data: 23/01/2013
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • Os resíduos gerados nos processos agroindustriais representam perdas econômicas no processo produtivo e, se não receberem destinação adequada, poderão ocasionar problemas ambientais, colocando em evidência a necessidade da instalação de sistemas de produção sustentáveis. Se por um lado, os efluentes da indústria cervejeira apresentam alto potencial de poluição pela sua carga orgânica, alto teor de sólidos em suspensão e presença de fósforo e nitrogênio, por outro, o bagaço de malte apresenta características favoráveis para uso em processos fermentativos, devido à elevada concentração de açúcares presentes e baixa concentração de compostos tóxicos aos microrganismos, tais como, furfural, hidroximetilfurfural, ácido acético e fenólicos. A utilização do bagaço de malte para produção de goma xantana poderia permitir ao Brasil suprir sua própria demanda de goma xantana com maior competitividade no preço final, com a vantagem do resíduo de malte não apresentar problemas de sazonalidade na produção, uma vez que, é gerado em grande volume o ano todo, e a instalação de uma unidade de produção de goma xantana irá promover trabalho e renda para a região, sem a utilização de novas matérias primas. Este estudo teve como objetivo desenvolver uma rota tecnológica de produção do polissacarídeo tipo goma xantana em escala laboratorial por fermentação do bagaço de malte oriundo da indústria cervejeira, agregando valor a um resíduo e desta forma colaborando para o desenvolvimento sustentável. Através do planejamento multifatorial foi verificado o efeito simultâneo de seis variáveis independentes (concentração de resíduo de malte, extrato de levedura, sacarose, fosfato de amônio, fosfato (mono)ácido de potássio e agitação) em agitador orbital utilizando a cepa Xanthomonas campestris sp campestris IBSBF 1866 obtendo como variável resposta a máxima produção da goma. A segunda matriz, complementar a primeira, avaliou o efeito da concentração de resíduo de malte e da agitação obtendo como variável resposta a máxima produção (8,51 g.L-1) da goma associada à alta viscosidade (70,35 mPa.s-1). A concentração inicial de resíduo de malte e tempo de fermentação na qualidade da goma produzida interferiram na viscosidade do polímero apresentando o melhor resultado com 20g.L-1 e 24 horas, respectivamente, mas não promoveram alteração significativa na estabilidade térmica do polímero.

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2020 - UFRN - bigua2.bigua2 v3.5.16 -r11747-970edecc06