Dissertações/Teses

Clique aqui para acessar os arquivos diretamente da Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da UFS

2020
Descrição
  • ANDRÉ LUIZ ESTEVES DA SILVA
  • RELEITURAS OPORTUNAS: UMA (RE)ANÁLISE DO MATERIAL ARQUEOLÓGICO COLETADO NO ÂMBITO DE PESQUISAS DE CONTRATO SOB A PERSPECTIVA TECNOLÓGICA – SÍTIOS ITACANEMA I E II
  • Orientador : PAULO JOBIM DE CAMPOS MELLO
  • Data: 31/07/2020
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O presente trabalho propõe uma reanálise do material arqueológico proveniente dos sítios Itacanema I e II, recuperados no âmbito do Programa de Salvamento Arqueológico desenvolvido durante a realização das obras de implantação do Polo de Gerenciamento de Resíduos Itacanema, situado no município de Nossa Senhora do Socorro, Sergipe. Nosso intuito é o de aprofundar o conhecimento sobre as características técnicas impressas na coleção estudada e entender mais sobre o processo de ocupação das colinas e topos de morro da região do baixo Cotinguiba, além de demonstrar o potencial informativo ainda existente no material arqueológico resgatado no âmbito de pesquisas de contrato e que, por vezes, permanece subutilizado por conta das limitações e dinâmicas desse tipo de projeto. Dessa forma, analisaremos o material lítico e cerâmico coletado – este último apenas a título de caracterização – numa perspectiva tecnológica, buscando compreender os processos que deram origem à coleção selecionada, através do estabelecimento de sua(s) cadeia(s) operatória(s) de produção, entendendo que esta é a alternativa que mais nos aproxima das capacidades técnicas dos atores que as produziu e, consequentemente, de uma parcela importante de seu comportamento social.

  • JADE PAIVA DE LIMA
  • TECNOLOGIA LÍTICA DAS POPULAÇÕES CERAMISTAS DA SERRA DA CAPIVARA: UM ESTUDO DE CASO DO SÍTIO ALDEIA DO CARLOS, PIAUÍ
  • Data: 16/06/2020
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Partindo da necessidade de ampliar o conhecimento acerca das populações ceramistas do Holoceno recente, estudos atuais no Brasil sobre as indústrias líticas relacionadas a essas ocupações vêm gerando um maior volume de publicações, que estão auxiliando as pesquisas relacionadas ao conhecimento que envolve a tecnologia desenvolvida por essas populações e aos aspectos culturais que estão refletidos na sua produção. O sítio Aldeia do Carlos localizado no sudeste do Piauí, na área do Parque Nacional Serra da Capivara mostrou-se bastante interessante por estar associado a este contexto e apresentar diversos artefatos líticos e cerâmicos. A partir da abordagem tecno-funcional, que permite integrar tanto as etapas de produção assim como a análise dos potenciais funcionais dos objetos estudados, buscamos compreender o sistema técnico da produção lítica dos grupos que habitaram a Aldeia do Carlos e contribuir para o estudo da tecnologia lítica das populações ceramistas da Serra da Capivara. Este estudo nos permitiu revelar uma indústria diversificada com produtos pouco normatizados, mas que aponta para uma produção de objetivos específicos que se complementam. A produção lítica da Aldeia do Carlos ainda compartilha características semelhantes com as indústrias de outros sítios da região. Consideramos que a integração dos estudos de toda a cultura material presente nos sítios pode gerar um avanço mais completo sobre o conhecimento da cultura das populações ceramistas da região.

  • CLEICIANE AIANE NOLETO DA SILVA
  • TRANSFORMAÇÕES CULTURAIS NA AMAZÔNIA DURANTE O HOLOCENO MÉDIO: CONTEXTUALIZAÇÃO DO SURGIMENTO DAS TERRAS PRETAS A PARTIR DA INDÚSTRIA LÍTICA DO SÍTIO GARBIN (RO)
  • Data: 15/04/2020
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Atuais pesquisas em Arqueologia eáreas afins na Amazônia têm destacadoo papel dos sítios de terra preta comoindicadores de uma transformaçãosocial ocorrida no Holoceno médio: osurgimento das terras pretas, dasocupações intensas durante longosperíodos, assim como sua relação coma agricultura e/ ou a domesticação deplantas. Desta forma nos propomos atrabalhar o sítio arqueológico Garbin(RO), que apresenta a terra preta comdatação mais antiga registrada, 7740AP, marcando assim, o início datransformação social em que grupos degrande mobilidade geográficapassaram a habitar de forma intensa eduradoura determinados locais específicos. Esta pesquisa se deu a partir da análise da transformação dos vestígios líticos observados no sítio, que nos permitiu identificar as matérias-primas líticas, os métodos e técnicas utilizadas para trabalhá-la, sua distribuição e concentração no espaço e tempo dentro do sítio. Com base nisso, nos foi possível dizer que o marcador, dentre as indústrias líticas, desta mudança comportamental está na substituição do uso do material lítico em atividades de cortar, raspas, furar, etc., por atividades relacionadas a autoidentificação do grupo, como a fabricação de adornos e a extração de pigmento mineral.

  • LÍVIA DE OLIVEIRA E LUCAS
  • TECNOLOGIA LÍTICA E DINÂMICAS DE OCUPAÇÃO DO BRASIL CENTRAL DO PLEISTOCENO FINAL AO HOLOCENO MÉDIO: CONTRIBUIÇÃO DA SEQUÊNCIA ARQUEOLÓGICA DA SERRA DA CAPIVARA
  • Data: 09/04/2020
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • A partir da transição Pleistoceno-Holoceno, por volta de 13.000 anos AP,a visibilidade dos grupos caçadores-coletores aumenta no registroarqueológico brasileiro. Esse períodocorresponde ao início do processo depovoamento mais denso do Brasil. Noterritório conhecido como BrasilCentral, várias ocupações datadasdesse período são atestadas, quasesempre associadas ao TecnocomplexoItaparica, um sistema técnico originalbaseado na complementaridadefuncional entre as peças façonadasunifacialmente com uma face plana(também conhecidas como lesmas ouplano-convexos), e os instrumentossobre lascas. O Tecnocomplexo Itaparica é o elemento cultural comum das populações pré-históricas deste vasto território, e vai perdurar até quase 8.000 anos, quando uma ruptura técnica profunda ocorre, dando lugar a um sistema técnico de instrumentos sobre lascas variadas e pouco modificadas. As características comuns das indústrias líticas desse vasto território são um dos principais elementos na formulação de modelos de processo de povoamento desta área, baseados principalmente em estudos inter-regionais de caráter sincrônico. Se, por um lado, esses estudos colocam em evidência a cultura comum, revelando dinâmicas de ocupação em cada etapa do processo, e prováveis intercâmbios entre populações, a evolução dos aspectos culturais foi pouco abordada. Nosso estudo tem como objetivo compreender a diacronia das ocupações do Pleistoceno final ao Holoceno médio, por meio do estudo da rica sequência cultural da Serra da Capivara, Piauí. Através da análise estrutural das indústrias líticas da sequência arqueológica da Toca do João Leite, Toca da Baixa das Cabaceiras e Toca do Veado, abarcando ocupações de 12.800 a 6.000 anos AP cal, revelamos que, na área, o Tecnocomplexo Itaparica é de origem externa e aderiu características regionais rapidamente. Durante o Holoceno médio, as indústrias líticas são completamente distintas do período anterior, carregada de elementos justapostos sem integração estrita, mas também de inovações quanto aos modos de debitagem.

  • LUIS FELIPE FREIRE DANTAS SANTOS
  • VAPOR DE TRANSPORTE MADEIRA: ARQUEOLOGIA MARÍTIMA HISTÓRICA DA REVOLTA DA ARMADA DE 1893
  • Orientador : GILSON RAMBELLI
  • Data: 28/02/2020
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • A presente pesquisa tem como objetivo discutir os dados produzidos pelo projeto do Sítio Arqueológico Casco de Mocanguê I, pesquisa arqueológica subaquática desenvolvida na Baía de Guanabara, no município de Niterói-RJ, dentro do campo do Licenciamento Ambiental. Através da análise do contexto político em que o projeto foi desenvolvido, discutiremos o estudo de caso sob uma ótica da Arqueologia marítima de viés crítico, onde apresentaremos as principais problemáticas que circundaram o processo de construção do conhecimento arqueológico, e também analisando a Revolta da Armada enquanto um conflito interno ocorrido nos primeiros anos da república brasileira, promovido por setores oligárquicos/militares que pretendiam a tomada do poder vigente no momento, através de um golpe político por meio da implantação de um Terrorismo de Estado. No decorrer da política republicana brasileira, muitas vezes vimos esses movimentos se repetirem, algumas vezes com o estabelecimento de regimes autoritários. Quase sempre a materialidade relacionada a esses eventos é propositalmente “apagada”. No caso da Revolta da Armada, a possível identificação de sítios arqueológicos de naufrágios traz à tona uma temática arqueológica e política extremamente necessária e atual, abrindo caminhos e possibilidades para futuras pesquisas em contextos similares, dentro e fora do licenciamento arqueológico. A pesquisa do sítio de naufrágio da embarcação Vapor de Transporte Madeira (Casco de Mocanguê I) foi demandada de uma questão ambiental e patrimonial, visto ter sido identificada durante a execução de um empreendimento de dragagem, realizado no canal de navegação próximo à Ilha de Mocanguê. Através de levantamentos geofísicos, investigação direta e pesquisa histórica realizou-se o reconhecimento da identidade do casco soçobrado e o resgate parcial de parte de suas estruturas, utilizando como referência o Anexo da Convenção da Unesco para Proteção do Patrimônio Cultural Subaquático de 2001. Com o emprego de diferentes tecnologias no processo de registro arqueológico, geramos uma gama de dados sobre o contexto formado pelos restos da embarcação, mitigando os problemas provocados pelas condições da área e dinâmica da pesquisa, criando meios que facilitem a difusão e popularização do conhecimento arqueológico construído sobre o sítio submerso, bem como criando meios de aprofundamento do informação arqueológica produzida mesmo fora do âmbito do licenciamento ambiental, desafio iniciado com a presente tese.

2019
Descrição
  • CAROLINE MURTA LEMOS
  • ARQUITETANDO O TERROR: UM ESTUDO SENSORIAL DOS CENTROS DE DETENÇÃO OFICIAIS E CLANDESTINOS DA DITADURA CIVIL-MILITAR NO BRASIL (1964-1985)
  • Orientador : GILSON RAMBELLI
  • Data: 23/10/2019
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • A ditadura civil-militar brasileira, que ocorreu entre as décadas de 60 e 80, foi marcada por milhares de casos de violações aos direitos humanos e pela violência institucionalizada e sistemática. Com desaparecimentos forçados, torturas, assassinatos, detenções ilegais, exílios etc. o estado ditatorial tentou instaurar terror e medo na população para silenciar e oprimir qualquer tipo de descontentamento e oposição ao governo. Por causa disso, o regime civil-militar acabou criando um sofisticado aparato repressivo formado por grupos paramilitares, serviços de inteligência e centros de detenção oficiais e clandestinos. Essa pesquisa tem o objetivo de discutir o funcionamento desses centros de detenção enquanto mecanismos de repressão política do Terrorismo de Estado da ditadura. Para isso, foram analisadas, pelos vieses da Arqueologia da Arquitetura e da Arqueologia Sensorial, as materialidades de quatro aparelhos repressivos: do DOI-CODI (Destacamento de Operações de Informações do Centro de Operações de Defesa Interna) e DEOPS (Departamento Estadual de Ordem Política e Social) de São Paulo (SP), da Casa Azul de Marabá (PA) e da Casa da Morte de Petrópolis (RJ).

  • JAMERSON DE MEDEIROS ARAUJO
  • CARACTERIZAÇÃO DOS FATORES ARQUEOTAFONÔMICOS NA FAUNA DE VERTEBRADOS DO SÍTIO SANTANA X, SERRA DE SANTANA – MUNICÍPIO DE LAGOA NOVA, RN, BRASIL
  • Orientador : ALBERICO NOGUEIRA DE QUEIROZ
  • Data: 30/08/2019
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • As escavações do Sítio Santana X, localizado no município de Lagoa Nova, situado na Microrregião da Serra de Santana, no Rio Grande do Norte, evidenciaram além de uma variabilidade de artefatos arqueológicos, uma densidade considerável de remanescentes faunísticos, associados a vestígios inseridos em três manchas (solo de coloração escura) de diferentes dimensões. Esses remanescentes possuem elementos que remetem a manipulação antrópica, e que através de uma abordagem arqueotafonômica, aplicada nos estudos zooarqueológicos, podemos caracterizar essas faunas, na busca de compreender quais destas são resultantes de ações humanas e quais podem ter sido manipuladas a partir de processos biológicos e/ou pós-deposicionais. A fauna arqueológica, como parte de um todo, também é um componente representativo de um grupo pretérito, possibilitando infinitas variáveis no complexo sistema de interações e estabelecimentos de processos culturais. Desta forma, o objetivo deste trabalho é a caracterização dos fatores arqueotafonômicos passíveis a observação na fauna arqueológica do Sítio Santana X, levando em consideração sua dispersão espacial e as particularidades dos contextos em cada mancha, tanto em superfície quanto em subsuperfície. Os resultados da pesquisa indicam tipos diferentes de faunas recorrentes no sítio, onde estas possuem traços resultantes dos três fatores, que contribuem para a discussão sobre a variável conhecida como “equifinalidade”, onde dois ou mais padrões de alterações distintos podem gerar um resultante semelhante no registro arqueológico. A dispersão desses materiais também nos indica a formação de conjuntos faunísticos inseridos em cada mancha, levando a compreensão de que estas possam ser resultantes de áreas específicas de atividades.

  • CAMILA FABIANE DA SILVEIRA
  • ARQUEOLOGIA DO PORTO DE PELOTAS, RIO GRANDE DO SUL: (1876- 1940)
  • Orientador : PAULO FERNANDO BAVA DE CAMARGO
  • Data: 30/08/2019
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O propósito com o presente estudo é compreender a constituição do espaço portuário de Pelotas (RS) delimitado e compreendido entre os atuais Clube Náutico Gaúcho e o Clube Natação e Regatas Pelotense e que concerne ao período cronológico de 1876 a 1940 a partir da arqueologia, ou seja, investigando seus bens portuários e atrelados a sua dinâmica. Aventamos a perspectiva de que o porto da década de 1870 começou a se inserir na lógica de um porto modernizado, industrializado, capitalista. Para realizar esse estudo nos fundamentamos na arqueologia extensiva e histórica. Desta forma, nos valemos de distintos suportes de informação de diferentes períodos cronológicos, cita- se: documentos primários, material cartográfico e iconográfico para realizar a investigação e coleta de dados. Além disso, realizamos entrevistas e fizemos uso de dados provenientes de conversas informais para compor nosso quadro de dados e perspectivas interpretativas. Ademais, realizamos uma prospecção arqueológica de superfície, na área sob estudo, que nos proporcinou alcançar novas informações e elementos portuários para pensar a constituição do porto que nos debruçamos. A despeito desses bens, que perduram em nossos dias, abordaremos a praça Domingos Rodrigues, um cais de embarcação do Clube Natação e Regatas Pelotense e o Rebocador Silveira Martins de forma detida. Visando analisar os bens portuários de distintos tempos, selecionamos e empregamos conceitos e perspectivas interpretativas vinculadas à Arqueologia de Portos, à Arqueologia de Ambientes Aquáticos e à Arqueologia do Capitalismo. Aderimos também a preceitos da Arqueologia pós- processual, um deles é um comprometimento com o passado, o presente e o futuro, por isso acabamos abarcando, ainda que não de uma maneira extensa, a respeito de uma discussão dos bens portuários do porto de Pelotas do presente. Os resultado oriundos do estudo nos conduzem a pensar que o porto de Pelotas começou a se modernizar relativamente cedo, no contexto da época, em comparação a outros portos nacionais, e que ele acompanhou, em alguns aspectos, o desenvolvimento de outros portos nacionais e internacionais. Ademais, os resultados nos revelam quais áreas apresentam potencial arqueológico e nos direcionam para a necessidade de uma legislação patrimonialista que abarque e assegure uma proteção legal aos bens portuários também do período industrial e que olhe para as águas e os seus bens flutuantes ou reapropriados.

  • ARTHUR DOS SANTOS MARINHO GRAÇA ALMEIDA
  • Biografia nos ossos: análise de marcadores de estresse ocupacional óssea dos indivíduos exumados no Projeto Arqueológico Largo da Matriz, Marechal Deodoro, Alagoas.
  • Orientador : OLIVIA ALEXANDRE DE CARVALHO
  • Data: 29/08/2019
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Este estudo utiliza das marcas de estresse ocupacional nos ossos, geradas durante a vida do indivíduo, para compreender questões que refletem solicitações biomecânicas do corpo. As demandas mecânicas e posturais do indivíduo, que ocorrem com tarefas frequentes, podem reconfigurar de forma sutil ou mais abruptas a morfologia óssea de uma pessoa. Quando ocorre esse estresse biomecânico que pode ser longas caminhadas, carregar peso, arremessar objetos, ficar agachado, andar a cavalo, solicitar mais um lado do corpo do que o outro, remar ou nadar, os ossos podem sofrem um pequeno reajuste no seu tecido para melhor atender essas solicitações. Analisando essas marcas e aferindo sobre a utilização biomecânica dos ossos de cada indivíduo, pode-se chegar a conclusões de atividades laborais e possíveis diferenciações das mesmas por faixa etária, gênero ou posição social, como propõe esta pesquisa com os esqueletos exumados das proximidades da Igreja da Matriz e Igreja Nossa Senhora do Rosário em Marechal Deodoro, Alagoas. Com isso, esta pesquisa buscou contribuir com a arqueologia histórica de um local que passou por diversas dinâmicas sociais desde o início da colonização até os dias atuais.

  • PALOMA DE ALMEIDA MARTINS
  • VARIABILIDADE DAS INDÚSTRIAS SOBRE SEIXOS NA SERRA DA CAPIVARA. O APORTE DO SITIO TOCA DO BAIXÃO DA ANA MARIA – PI
  • Data: 05/08/2019
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Por um longo tempo as indústrias sobre seixos têm sido relacionadas a grupos com tecnologia arcaica quando comparadas aos remanescentes líticos considerados mais elaborados, como as “lesmas”. Porém, o cenário atual vem se modificando e novas pesquisas ganhando forma, demonstrando que estes apresentam grandes potenciais técnicos. Tomando como base esta indústria, a partir da abordagem tecnofuncional nos materiais líticos do Sítio Toca do Baixão da Ana Maria datado do Holoceno Médio/Recente, identificamos quatro grupos tecnofuncionais que demonstram características próprias do sítio e período, assim como as compartilhadas por toda cronologia da Serra da Capivara para as Indústrias líticas dos sítios que serviram como base comparativa.

  • CRISTIANE EUGÊNIA DA SILVA AMARANTE
  • Arqueologia marítima na Praia do Francês - Alagoas
  • Orientador : PAULO FERNANDO BAVA DE CAMARGO
  • Data: 02/07/2019
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • O tema desta pesquisa é a investigação arqueológica com enfoque na arqueologia marítima pública na Praia do Francês, no Estado de Alagoas. A Praia do Francês está situada na cidade que hoje se chama Marechal Deodoro antiga capital de Alagoas. No período colonial a cidade se chamava Vila de Santa Maria Madalena da Alagoas do Sul. A princípio o que hoje é o estado de Alagoas, eram terras que pertenciam à Capitania de Pernambuco. No século XVI era comum a ida dos franceses nessa região para a realização de contrabando de pau brasil.

    A Praia do Francês até o momento não foi estudada do ponto de vista arqueológico, muito menos do arqueológico marítimo. Esta tese traz a possibilidade de compreender os contextos desta localidade e apresentar respostas sobre as intervenções humanas naquele ambiente desde o período colonial, compreendendo as relações das pessoas que ali viveram com o mar. Essas relações culturais, econômicas e sociais podem ser compreendidas pelo registro arqueológico, sendo ampliadas pelas informações nas fontes históricas e pela oralidade das comunidades pesqueiras que lá habitam no presente.

    O objetivo geral desta pesquisa é identificar os pontos de concentração de ações antrópicas no ambiente ao longo do tempo e vestígios arqueológicos na Praia do Francês utilizando levantamentos arqueológicos, estudos históricos e recursos de educação e estudos de recepção. E os objetivos específicos são: mapear a área realizando sua cartografia básica; contextualizar historicamente a Praia do Francês; compreender a relação do público com os vestígios arqueológicos; e propor a utilização do espaço para fins acadêmicos, de educação e divulgação científica.

    Para tanto se dividirá esta pesquisa em três narrativas: narrativa arqueológica, narrativa histórica e narrativa comunitária. Essas narrativas vão auxiliar a compor um estudo que permite identificar pontos que fazem da Praia do Francês um lugar propício para ser um local em que a gestão do patrimônio acontece em diferentes frentes. Essas ações de gestão, elaboradas ao longo desta pesquisa podem e devem contribuir primordialmente com os grupos que ali convivem como os pescadores, os mergulhadores e consequentemente os turistas, que poderão desfrutar de uma mediação do conhecimento via comunidades locais. A localidade, conforme exposta no corpo desta tese, é rica em contextos arqueológicos variados que permitem uma interlocução rica e contínua por parte dos acadêmicos, que tem ali muitas possibilidades de pesquisa, na água e fora dela.

  • JOYCE AVELINO CARNEIRO SANTANA
  • Paisagens sambaquieiras do Holoceno Recente - Recôncavo Baiano, Brasil
  • Orientador : MARCIA BARBOSA DA COSTA GUIMARAES
  • Data: 28/02/2019
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • Este estudo envolve os grupos sambaquieiros que ocuparam a Baía de Todos os Santos durante Holoceno Recente. Partimos da ideia que estes grupos buscavam um ambiente com alto poder biológico e disponibilidade de recursos, visto a área apresentar muitas incursões fluviais, manguezais e mata densa como parte de um contexto ambiental atrativo. Não obstante, a escolha associada ao potencial biológico, objetivamos averiguar quais outros elementos paisagísticos podem ter influenciado a escolha dos locais de assentamento dos grupos sambaquieiros. Dentre esses elementos, o mundo vegetal e animal foram o contexto elencado para a compreensão da paisagem sambaqueira do litoral baiano.

  • LAURA ALMEIDA DE CALASANS ALVES
  • TURISMO ARQUEOLÓGICO EM SERGIPE: DO ESPAÇO DE CONTEMPLAÇÃO À CONSTRUÇÃO DE CENÁRIOS ARQUEOLÓGICOS PARA PRÁTICAS TURÍSTICAS .
  • Orientador : JENILTON FERREIRA SANTOS
  • Data: 06/02/2019
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • A tese parte da problemática da não consolidação do turismo arqueológico em Sergipe, sob a justificativa da ausência da monumentalidade dos vestígios arqueológicos. A hipótese, inicialmente elaborada, sustenta a premissa de que a falta de construção de cenários arqueológicos turísticos, pautado nas especificidades locais, seja a causa desta não consolidação. O objetivo geral da tese é a construção de cenários arqueológicos para práticas turísticas em Canindé de São Francisco e São Cristóvão, sob o viés do turismo de experiência, que possam contribuir para desenvolvimento local, considerando o processo de planejamento interpretativo, participativo e sustentável ao patrimônio arqueológico de Sergipe. O encaminhamento da pesquisa demonstrou que a falta de monumentalidade não é empecilho para prática arqueoturística local, assim como comprovou que Sergipe, embora ainda não consolidado para o turismo nacional, abriga um dos mais importantes centros de pesquisas arqueológicas do país, que atua sobre um patrimônio rico em vestígios materiais e sítios pré-coloniais e históricos que testemunham a vasta ocupação de sociedades pretéritas no atual território que chamamos Sergipe. O estudo propôs a metodologia de construção de cenários equânime as suas dimensões e variáveis, um estudo de natureza qualitativa, caracterizado bibliográfico, exploratório e descritivo, utilizando a análise de conteúdo de Bardin, dentro da proposta do saber fazer socioambiental, apresentando um modelo de gestão participativa através da interpretação patrimonial. E escolha da metodologia possibilitou que a arqueologia e Turismo, partindo do diálogo mútuo, podem construir cenários dinâmicos, pelo envolvimento direto entre bens e serviços, interagindo concomitantemente com a identidade e cultura local, diversificando as novas práticas do turismo, que embora pouco discutido na literatura acadêmica possibilita abrir uma discussão interdisciplinar acerca da interpretação do patrimônio, democratização do saber sob viés de modelos sustentáveis. Os resultados obtidos corroboram com a hipótese e confirmam que os destinos estudados possuem viabilidade para prática do turismo arqueológico, e detém monumentalidade proporcional para exercício da mesma. Como resultado desse estudo sugere-se para concretização do turismo arqueológico em Sergipe, a implantação de um plano arqueológico interpretativo e roteiros subdivididos em trilhas temáticas, produtos desta tese, respaldados na conservação, fortalecimento da identidade local, preservação do patrimônio e promoção do destino turístico e geração de renda, ancorado no novo fazer de turismo integrado a arqueologia à serviço da comunidade.

2018
Descrição
  • VERÔNICA PONTES VIANA
  • DINÂMICAS CULTURAIS E AMBIENTAIS NA PRAIA DE JERICOACOARA – - JIJOCA DE JERICOACOARA, CEARÁ, BRASIL
  • Orientador : SUELY GLEYDE AMANCIO MARTINELLI
  • Data: 12/12/2018
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • Com a presente tese se discute a história de longa duração da praia de Jericoacoara, Ceará, Brasil, circunscrita à Unidade de Conservação federal Parque Nacional de Jericoacoara, situada no interflúvio Guriú – Riacho Doce, a 287 quilômetros da capital do estado, Fortaleza. As datações disponíveis para a área se acomodam em um horizonte cronológico situado entre 2030 e 1140 anos AP (Antes do Presente). A longa permanência em períodos de contado e pós-contato, para os quais não dispomos de datações, foi tratada a partir da análise de fontes históricas (narrativas de viagens, documentos administrativos e cartográficos) relacionadas, especialmente, à primeira metade do século XVII, momento em que foi efetivada, tardiamente (se comparada às outras capitanias brasileiras), a colonização do território relacionado ao atual estado do Ceará. No decorrer deste trabalho caracterizamos um ambiente de ocupação litorânea não sambaquieira, a partir da investigação do sítio Jericoacoara I (CNSA 00129/CE), o qual identificamos como um “sítio em ambientes dunares”, em iminente processo de destruição decorrente da intensa erosão eólica a que a área está submetida, embora ainda sejam identificados pontos com estratigrafia preservada. A caracterização referida, subsidiada pelo estudo das condições ambientais e pretéritas, ocorreu com a demonstração do processo de formação e destruição do registro arqueológico, influenciado pela erosão eólica que solapa a matriz sedimentar que abriga os arranjos artefatuais. Analisamos as especificidades do acervo cerâmico, o mais abundante na área; do instrumental lítico lascado e polido, além do diversificado conjunto de espécies da malacofauna, formado por bivalves e gastrópodes, componentes da dieta dos grupos que habitaram essa planície litorânea. O material cerâmico conta com sete pastas diferenciadas, definidas a partir da frequência relativa dos antiplásticos existentes (quartzo, ilita, feldspato, matéria orgânica) e da argila. Em três dessas pastas, é significativa a presença de decoração plástica incisa, aplicada, majoritariamente, às bordas das vasilhas de formas abertas. Observamos similaridades entre o universo artefatual e algumas tradições/fases culturais já caracterizadas, tais como a fase Papeba e as tradições Tupiguarani e Mina; contudo, também verificamos diferenças expressivas que nos fizeram evitar filiações preliminares. Por esta razão, concentramos nossos esforços na caracterização da variabilidade artefatual de todo o conjunto registrado, atendo-nos aos aspectos formais, espaciais, relacionais e de frequência que identificam a cultura material desse interjacente costeiro.

  • LAYRA BLENDA OLIVEIRA DE JESUS
  • JARDINS PERSAS: MEMÓRIAS, NARRATIVAS E SENSOS
  • Orientador : JOSE ROBERTO PELLINI
  • Data: 27/08/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O Jardim pode ser visto como uma paisagem, na qual nós atribuímos significado a mesma quando a vivenciamos e a experimentamos. Isto quer dizer, que é pela dinâmica do nosso próprio corpo que concebemos, percebemos e damos sentido às paisagens. Nesta perspectiva, paisagem é uma construção. É algo que você constrói e se apropria, ao mesmo tempo em que ela se apropria de você (PELLINI, 2011). Neste sentido, jardins são além de paisagens construídas no sentido literal da palavra, um reflexo de práticas individuais e coletivas. É no jardim que corpo, sensos, narrativas e memórias estabelecem um diálogo entre si. É nesse microssistema que podemos entender os anseios e aspectos ontológicos da sociedade na qual está inserida, como acontece nos jardins iranianos. Onde, os jardins estão relacionados diretamente ao conceito de paraíso. Pretendemos dessa forma, analisar alguns dos jardins persas contemporâneos, atual Irã, e da antiguidade estabelecendo comparativos com a representação dos jardins subsequentes ao Império Persa, bem como algumas reproduções citadas em fontes documentais como a Bíblia e o Conto das mil e uma noites. A partir disso, será possível discutir a construção sensorial cultural desse povo e os discursos envolvidos e sedimentados através de seus jardins.

  • THAIS VAZ SAMPAIO DE ALMEIDA
  • A RESPEITO DOS MORTOS: ÉTICA E PESQUISA NO MUSEU DE ARQUEOLOGIA DE XINGÓ
  • Orientador : OLIVIA ALEXANDRE DE CARVALHO
  • Data: 24/08/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Os remanescentes ósseos humanos sempre suscitaram um grande interesse da comunidade acadêmica e da comunidade em geral, sobretudo pela possibilidade de acesso às informações inerentes às populações já extintas. Tais informações trazem grande enriquecimento para diversas áreas do conhecimento, com destaque para a Arqueologia, uma vez que permitem o estudo sistemático acerca dos fatores biológicos, sociais, culturais, dentre outros aspectos destes grupos humanos. Entretanto, em sua maioria, este tipo de vestígio é encarado ainda como mero objeto a serviço da ciência. Esta dissertação busca explorar esta temática, apresentando reflexões de cunho ético no proceder com coleções osteológicas de origem arqueológica e traz nossas atenções ao estudo de caso proposto: a coleção de sepultamentos do Museu de Arqueologia de Xingó, em Canindé de São Francisco, SE. Além da análise ética que permeia o tratamento destes vestígios, propomos uma nova abordagem para uma amostra desta coleção, composta de 90 indivíduos sepultados e que estavam sob a guarda do Laboratório de Bioarqueologia da Universidade Federal de Sergipe, em Laranjeiras. Sempre buscando suscitar o respeito pelos indivíduos trabalhados e balizado pelas noções de conservação e documentação inerentes à área da Museologia, o trabalho lança novos olhares para as condições destes acervos e propõe uma interdisciplinaridade entre esta e a Arqueologia. Tal interação trará grandes benefícios no que tange o respeito à memória dos grupos humanos, ao passo que contribuirá para a sedimentação das reflexões acerca das noções de pertencimento para com estes indivíduos, contribuindo para os delineamentos legais da temática.

  • VERÔNICA MARIA MENESES NUNES
  • Cultura Material Católica e Iconografia: Uma Leitura Zooarqueológica nas Igrejas Coloniais de Sergipe del Rey no Século XVIII
  • Orientador : ALBERICO NOGUEIRA DE QUEIROZ
  • Data: 24/08/2018
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • A cultura material em cena do universo religioso é permeada por diversas representações simbólicas, nas quais se encontram os elementos iconográficos zoomórficos. Foi nesse contexto de interpretação e leitura da cultura material católica que surgiu o interesse pelo tema dessa pesquisa, com o objetivo de compreender a materialidade da iconografia zooarquelógica difundida em igrejas coloniais de Sergipe Del Rey no século XVIII e seus significados dentro do universos religioso. A metodologia utilizada se dividiu em três etapas: a primeira foi o levantamento acerca dos conceitos sobre cultura material, iconografia e arqueologia, na segunda foi realizada a prospecção em quatro templos religiosos: Igreja de Nossa Senhora do Socorro em Geru, Igreja de Nossa Senhora da Conceição da Comandaroba em Laranjeiras, Igreja do Convento da Santa Cruz, da Ordem dos Frades Menores, e Igreja do Convento de Nossa Senhora do Carmo da Ordem dos Carmelitas, ambas em São Cristóvão. Na terceira etapa foi realizada a compreensão da cultura material em evidência. Os aspectos físicos dos espaços religiosos permitiram analisar a cultura material católica no contexto zooarqueológico, na interface religião e arqueologia, nos altares e lavabo das igrejas citadas. A materialidade iconográfica produzida em superfície carrega significados intencionais nos espaços religiosos relacionados com o processo catequético realizado na Capitania de Sergipe nos séculos XVII e XVIII.

  • NATALICIO REGES DE OLIVEIRA
  • AS GRAVURAS RUPESTRES DO COMPLEXO ARQUEOLÓGICO AÇUDE DAS PEDRAS EM RAJADA, NO MUNICÍPIO DE PETROLINA-PE.
  • Orientador : SUELY GLEYDE AMANCIO MARTINELLI
  • Data: 20/08/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O presente trabalho tem por finalidade o estudo dos grafismos rupestres gravados do Açude das Pedras, inseridos no contexto arqueológico do Submédio São Francisco. Uma região importante para a arqueologia brasileira e nordestina, banhada pelas águas do São Francisco e pelos seus afluentes, onde grupos humanos pretéritos deixaram um importante e diversificado acervo arqueológico, dentre eles os grafismos gravados, técnico e tematicamente diversificado como testemunho da ocupação antrópica dessa região, em diferentes períodos que variam no tempo e no espaço. Essa pesquisa objetiva registrar e identificar as temáticas e técnicas gráficas do Açude das Pedras para em seguida identificar se as temáticas recorrentes no Açude das Pedras são também recorrentes na Área Arqueológica de Sobradinho. Já que entendemos que esses grafismos são parte integrante do sistema de comunicação dos grupos pré-coloniais, dentre eles os grafismos gravados, que por razões ainda não muito claras tem sido pouco estudado. Ao término do trabalho, espera-se que tenhamos contribuído para o desenvolvimento das pesquisas arqueológicas na região, em especial, no estudo das gravuras rupestres do Vale Sub-médio São Francisco.

  • RIMARA MOTTA SANTOS
  • OS GRAFISMOS GEOMÉTRICOS DO COMPLEXO ARQUEOLÓGICO SERRA DAS PARIDAS, EM LENÇÓIS, BAHIA: IDENTIFICAÇÃO DOS PADRÕES GRÁFICOS
  • Orientador : SUELY GLEYDE AMANCIO MARTINELLI
  • Data: 15/08/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Ao longo de quase quarenta anos de pesquisa com arte rupestre no Brasil, muitos estudos já contribuíram para o cenário atual de tradições regionais bem estabelecidas. No entanto, em relação aos chamados elementos geométricos, encaixados inicialmente na genérica Tradição Geométrica, ainda há muitos aspectos a serem discutidos. Tais elementos, não figurativos, abrangem todos os motivos que não foram incorporados nas outras tradições existentes no Nordeste brasileiro e se transformaram numa única categoria de análise que, por hora, não dá conta da complexidade simbólica imbricada nesses motivos. Diante desse panorama, esta dissertação de mestrado analisou os signos geométricos a partir da noção de gramática, que encara os registros rupestres como uma comunicação social simbolicamente construída. Seguindo um caminho alternativo às perspectivas teórico-metodológicas tradicionais, buscou-se a identificação tipológica dos signos e suas associações simbólicas. Para tanto, a pesquisa utilizou como corpus as pinturas geométricas presentes nos quatro sítios rupestres que formam o Complexo Arqueológico Serra das Paridas, situado no município de Lençóis, Chapada Diamantina, Bahia. Nesse sentido, empreendeu-se o detalhamento técnico, a partir da identificação dos traços, cores, formas e composições gráficas das pinturas, para investigar a existência de possíveis repertórios gráficos que indiquem a existência de uma gramática simbólica dos signos.

  • LUIZ CARLOS MEDEIROS DA ROCHA
  • Uma perspectiva sobre a indústria lítica da região central do Rio Grande do Norte: o sítio Gado Perdido
  • Orientador : PAULO JOBIM DE CAMPOS MELLO
  • Data: 31/07/2018
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • Apesar de realizados desde a década de 1960, os estudos arqueológicos da pré-história no território do Rio Grande do Norte ainda não construíram um cenário consolidado no que diz respeito ao entendimento geral das indústrias líticas encontradas no território do Estado. A presente pesquisa em andamento tem como objeto de estudo a área do sítio arqueológico Gado Perdido, localizado na região central do Estado do Rio Grande do Norte, nordeste do Brasil. Esse sítio, a céu aberto, apresentou uma grande concentração de vestígios líticos, sobretudo produtos de debitagem, circundado por pequenos leitos de cursos de água, que durante os períodos chuvosos acarretam na passagem da água sobre esses materiais. Em comparação, serão analisados também o material lítico encontrado no sítio Abrigo Flores I, localizado no Enclave Arqueológico Granito Flores, também na região central potiguar. Assim, utilizando a perspectiva da tecnologia lítica e do conceito de cadeia operatória, pretende-se identificar as escolhas, estratégias, gestos e técnicas dos artesãos no sítio e seu entorno.

  • KARINA LIMA DE MIRANDA PINTO
  • QUEM ANDA NA TERRA ALHEIA, PISA O CHÃO DEVAGAR
  • Orientador : MARCIA BARBOSA DA COSTA GUIMARAES
  • Data: 31/07/2018
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • A tese apresenta discussões relacionadas aos sítios urbanos em relação à gestão do patrimônio arqueológico e cultural, de modo a evidenciar em alguns centros históricos a conexão do sítio urbano com as comunidades locais, gestores públicos e arqueólogos. O objetivo é verificar como foram construídos os discursos sobre sítio histórico por esses três agentes, tendo como ponto primordial captar o pensamento colonizante que norteou certas escolhas. Para a pesquisa foi escolhida a cidade de Marechal Deodoro, no Estado de Alagoas, que abriga em seu perímetro urbano diversos sítios arqueológicos que estão sendo pesquisados por conta de trabalhos de requalificação em seus Centros Históricos. Desta forma, a intenção foi perceber em como a prática da Arqueologia Urbana está influenciando o padrão normativo de "bem patrimonial", tendo como consequência o obscurecimento de certos aspectos culturais, que de outra forma poderiam ser apropriados pela população para a construção de uma identidade local. Nessa perspectiva, o trabalho teve como ponto fundamental a desnaturalização dos padrões normativos de caracterização do que é patrimônio arqueológico, a favor de um discurso horizontal, pretendendo, assim, através do aporte teórico dos pressupostos das teorias Pós-Coloniais, criar reflexões para se pensar em uma Arqueologia Pública, onde os processos de alteridade sejam evidenciados em prol de discursos mais democráticos.

  • CRISTIAN ALEJANDRO OLIVARES ACUÑA
  • “O QUE OCULTAM AS CABAÇAS?”: APROXIMAÇÃO AOS USOS E FUNCIONALIDADES DAS CABAÇAS NO DESERTO DO ATACAMA, CHILE.
  • Orientador : FERNANDO OZORIO DE ALMEIDA
  • Data: 30/07/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Através de um enfoque materialista histórico e arqueosemiótico vínculado à materialidade visual e aos estados alterados de conciência (EAC), o presente trabalho analisa as cabaças decoradas do Deserto do Atacama (Chile) atribuídas ao Período Intermédio Tardio (1000 – 1430 d.C). Esses suportes possuem uma longa trajetória histórica nas culturas andinas (evidências arqueológicas remetem à 13 mil anos a.C), e foramimportantes na transmissão cultural de costumes, identidades, imaginários e ideologias, através de suas formas, usos e desenhos pirografados. A ênfase desta pesquisa nesse tipo de suporte, por um lado, baseia-se em sua ampla presença nos registros arqueológicos da zona e na omissão ou exclusão deliberada nas pesquisas, principalmente devido ao viés de estudos sobre cerâmica, têxteis e arte rupestre. Por fim, reflete-se sobre a funcionalidade utilitária e/ou ritual das cabaças, assim como suas semelhanças e diferenças iconográficas em relação às outras áreas do deserto.

  • CATARINA MENEZES FERREIRA
  • ARQUEOLOGIA DA PAISAGEM CAIEIRISTA NO MUNICÍPIO DE PARNAMIRIM/PE
  • Orientador : MARCIA BARBOSA DA COSTA GUIMARAES
  • Data: 23/07/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Este estudo busca a compreensão dos lugares criados pela atividade artesanal da cal no Município de Parnamirim - PE. O exame é voltado a aspectos do cotidiano da região que podem ser discutidos a partir de particularidades da história recente. A pretensão é analisar o processo de construção das paisagens através da cultura material e dos testemunhos orais dos produtores de cal. As relações das pessoas com as coisas é enfocada para discutir a formação dos lugares caieiristas através das práticas sociais, em um contexto em que é ressaltada a importância da incorporação das intencionalidades na construção da paisagem estudada. Através da subjetividade das pessoas envolvidas na documentação busco a interpretação da paisagem construída por sujeitos ativos e que percebem, atuam e dão significado aos lugares criados por meio de uma produção artesanal. Dessa forma direciono a pesquisa reunindo informações do saber fazer cal, da materialidade e de memórias presentes nas fontes orais, da experiência obtida por mim em campo e de minha interpretação dos estudiosos que discutem a paisagem como meio social. A perspectiva da participação ativa das pessoas é um aspecto central da discussão e envolve direcionar as atividades realizadas no lugar aos aspectos da permanência dos indivíduos, que apresentam formas de conceber a paisagem influenciadas pelos afazeres econômicos. Essa é uma questão captada pela maneira de entender a formação da paisagem como um elemento inerente ao cotidiano dos habitantes locais. Um dos argumentos é que é possível conhecer a identidade cultural dos sujeitos sociais pesquisados com base na forma em que eles constroem a paisagem. É um aspecto da socialização local perceptível pelas maneiras que aqueles trabalhadores afirmam a sua escolha de permanecerem no seu lugar.

  • THIAGO KATER PINTO
  • O sítio Teotônio e as reminiscências de uma longa história indígena no alto rio Madeira
  • Orientador : FERNANDO OZORIO DE ALMEIDA
  • Data: 28/02/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O sítio arqueológico Teotônio, localizado no alto rio Madeira, junto à antiga cachoeira homônima, submersa por conta da construção da barragem de uma usina hidrelétrica, é encarado nessa pesquisa como um lugar significativo e persistente. Pesquisas indicam o alto rio Madeira como um contexto particular, onde diferentemente do restante da Amazônia, há ocupações humanas longas e contínuas, com ampla diversidade linguística e cultural. Com presença humana que remonta a 9500 anos atrás até hoje, o sítio Teotônio se torna cenário privilegiado de reflexão, um microcosmo desse processo histórico. Concentrando-se na análise do material arqueológico cerâmico (que data a partir de 3250 anos AP) e da construção da paisagem, a pesquisa procurou compreender como os povos ceramistas indígenas agiram nesse lugar, manejando-o e ressignificando-o. Ao cabo, a partir de uma visão regional, a continuidade existente nesse sítio pode-se referir a episódios temporais e geográficos mais amplos, permitindo a elaboração de uma história indígena de longa-duração.

  • GABRIEL FRECHIANI DE OLIVEIRA
  • SIMILARIDADES E DIFERENÇAS NO COMPLEXO ESTILÍSTICO SERRA TALHADA DA TRADIÇÃO NORDESTE DE PINTURAS RUPESTRES NO PARQUE NACIONAL SERRA DA CAPIVARA-PI: UM ESTUDO DE CASO
  • Orientador : SUELY GLEYDE AMANCIO MARTINELLI
  • Data: 27/02/2018
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho tem por finalidade abordar as similaridades e diferenças no Complexo Estilístico Serra Talhada, da subtradição Várzea Grande, parte tradição Nordeste de pinturas rupestres no Parque Nacional Serra da Capivara que abrange os municípios de Coronel José Dias, Brejo do Piauí, São Raimundo Nonato e João Costa, assim compreendendo a área de aproximadamente de 130.000 hectares. O objetivo geral é evidenciar as similaridades e diferenças no Complexo Estilístico Serra Talhada, buscando contrastar com os estilos Serra da Capivara e Serra Branca. Os objetivos específicos são: identificar as principais características do estilo Serra Talhada na literatura acadêmica, com a finalidade de buscar pontos de convergência e divergência; identificar a configuração espacial e georreferenciamento dos sítios arqueológicos que possuem a presença de pinturas rupestres do complexo estilístico Serra Talhada no Parque Nacional Serra da Capivara – PI, em especial a região da Serra Talhada; analisar a distribuição espacial dos grafismos do complexo estilístico Serra Talhada nos painéis rupestres dos 51 sítios arqueológicos selecionados nas regiões da Serra da Capivara e Serra Talhada; Serra Branca; Veredão e Congo, levando em consideração critérios: dimensão vertical e horizontal, altura do grafismo, tipo de preenchimento, espessura do traço, relações sobreposição e tipo de grafismo. A justificativa dessa pesquisa é buscar uma identificação e diferenciação desse estilo da tradição Nordeste, tendo em vista sua complexidade e heterogeneidade que são repetidas há décadas, a pesquisa tem o intuito de buscar elementos constastes com os estilos Serra da Capivara e Serra Branca. A metodologia científica adotada está fundamentada na pesquisa bibliográfica e documental associada à pesquisa de campo com o registro fotográfico e preenchimento de fichas de campo no escopo dos 51 sítios arqueológicos selecionados para a pesquisa no Parque Nacional Serra da Capivara citados, mais especificamente na região da Serra Talhada, Serra Branca, Serra Nova, Veredão/Congo. Os resultados esperados são de contribuir para o desenvolvimento das pesquisas arqueológicas na região do Parque Nacional Serra da Capivara, em especial, no intuito de elucidar a problemática das similaridades e diferenças no Complexo Estilístico Serra Talhada.

  • RAFAEL CARDOSO DE ALMEIDA LOPES
  • A Tradição Polícroma da Amazônia no Contexto do Médio Solimões
  • Orientador : FERNANDO OZORIO DE ALMEIDA
  • Data: 27/02/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A presente dissertação tem como propósito produzir uma história regional das ocupações de produtores das cerâmicas associadas a Tradição Polícroma da Amazônia (TPA) na área do médio rio Solimões. O estudo de caso da pesquisa é a escavação e análise cerâmica do sítio São João, próximo ao lago Caiambé (Tefé-AM). Para realizar esse objetivo será discutida a forma e validade da construção de histórias indígenas de longa duração, uma escolha teórica que priorizará, por sua vez, a identificação e análise das escolhas do passado acumuladas no registro arqueológico e nos vestígios cerâmicos. Para dimensionar o escopo da pesquisa, uma revisão bibliográfica apresentará trabalhos sobre a categoria TPA e sobre a arqueologia e etno-história do Médio Solimões. A escavação do sítio São João e sua análise cerâmica permitiram um vislumbre das variadas formas que os produtores da TPA ocuparam a paisagem do rio Solimões. A análise do sítio e de seu material cerâmico são a base para reinterpretar as pesquisas arqueológicas do Médio Solimões e produzir uma história regional dessas comunidades. Os dados acumulados levaram à interpretação que essa história é marcada pela formação de mosaicos de interações entre grupos ceramistas.

2017
Descrição
  • JACIARA ANDRADE SILVA
  • AMBIENTES FUNERÁRIOS E A CONTRIBUIÇÃO PARA NOVAS LEITURAS ARQUEOLÓGICAS: Adornos em sepulturas humanas do sítio Justino/SE, como evidência do contato Nativo Americano/Europeu
  • Orientador : OLIVIA ALEXANDRE DE CARVALHO
  • Data: 01/12/2017
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • O estudo promovido em áreas arqueológicas funerárias reflete parte do comportamento humano diante da morte, e, sob a ótica da pesquisa bioarqueológica, são levantados dados que permitem entender mais sobre indivíduo e sociedade, através da dinâmica vista nos contextos funerários. As pesquisas realizadas na região de Xingó, entre as décadas de 80 e 90 propiciaram um rico acervo a nível artefatual e osteológico humano. O sítio Justino, classificado enquanto cemitério e habitação, é composto por mais de 160 sepulturas, depositados em longas camadas, atingindo profundidades superior a cinco metros. Dentro da pesquisa aqui abordada, foram selecionadas quatro sepulturas do sítio, determinadas pela presença de contas de vidro de origem europeia. Ao escolher tais artefatos, é lançada a proposta em utilizar adornos pertencentes a contextos funerários, para estabelecer cronologias relativas ao sítio. Para isso, são analisados indivíduos e sepulturas, para dar confiabilidade quanto ao contexto original das contas e, traçar o perfil bioantropológico dos esqueletos selecionados. No que remete aos adornos associados, é promovida uma classificação técnica e de composição para as peças produzidas no território nacional, e, às contas em vidro, fabricadas na Europa desde o século XIII, são propostas diversas classificações, dando ênfase ao período de produção, permitindo assim a atribuição de uma datação relativa ao Justino, posterior ao século XVI, ampliando assim o período de ocupação cemiterial do sítio.

  • LEONARDO TOME DE SOUZA
  • PAISAGEM, PODER E RESISTÊNCIA EM CARACOL - PI
  • Orientador : MARCIA BARBOSA DA COSTA GUIMARAES
  • Data: 15/08/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A casa denominada por William Palha Dias como ‘Casa de Amansamento de Índios’, o ‘Aldeamento Bonsucesso’ citado por Paulo Machado, assim como a ‘Casa da Bolandeira’ referenciada pela tradição oral, são locais representativos da exploração e escravização, praticadas clandestinamente, e negligenciada historicamente durante os séc. XIX e XX no Piauí. Através da análise distribucional e estratigráfica a ser realizada no sítio Bolandeira, procura-se evidenciar artefatos e estruturas que possam corroborar a existência de tais sítios, assim como as diferentes práticas de escravização.

  • INGRID LOPES DE OLIVEIRA
  • UMA PROPOSTA REFLEXIVA PELO VIÉS DA ARQUEOLOGIA PÚBLICA SOBRE A CIDADE DE SÃO CRISTÓVÃO – SE.
  • Orientador : JENILTON FERREIRA SANTOS
  • Data: 04/08/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A cidade de São Cristóvão, em Sergipe, se destaca no âmbito do patrimônio cultural pela sua singularidade e expressividade contidas em seus espaços públicos e edificações que agregam valores históricos, arqueológicos e arquitetônicos. Esses fatores levaram a cidade a obter o título de patrimônio da humanidade com a Praça São Francisco. Entretanto, a cidade tem passado por momentos difíceis, onde o descontentamento com o cenário cultural tem desestimulado os artistas e a população, demonstrando que sentimento de pertencimento dos são cristovenses se encontra nitidamente apáticos às discussões patrimoniais locais. É nesse sentido que esta pesquisa buscou compreender quais os fatores que levaram ao distanciamento da comunidade e o patrimônio de São Cristóvão, a partir de análises de entrevistas realizadas com os influenciadores culturais do município. Considerando as análises, foi possível apresentar alguns meios para que o distanciamento fosse minimizado e a sensibilização da população para com o patrimônio ocorresse de maneira mais leve e produtiva e pensada para a realidade da cidade. O trabalho teve como base o viés da arqueologia pública, que visa romper as barreiras do científico e do leigo, a fim de construir uma arqueologia socialmente engajada.


  • NINA ROSA PEREIRA LEDOUX
  • Arquiteturas sufragadas e memórias construídas: Uma arqueologia da memória da Remanso submersa-BA.
  • Orientador : JENILTON FERREIRA SANTOS
  • Data: 04/08/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • As águas que engoliram a cidade marcaram uma nova dinâmica na memória dos citadinos da antiga Remanso. A materialidade construída sufragou, mas as memórias a ela associadas tomaram novas dimensões simbólicas. Em virtude do represamento do Rio São Francisco para formar o atual Lago de Sobradinho, o município de Remanso, localizado no norte do estado da Bahia, foi transferido para uma nova sede na década de 1970. Grande parte do antigo município ainda dormita nas águas do lago, entretanto as memórias relacionadas a ele compõem um importante fragmento da identidade dos ribeirinhos. O presente trabalho propõe entender a dinâmica na elaboração das novas memórias associadas à materialidade construída da antiga Remanso-BA submersa no Lago de Sobradinho. A pesquisa foi instrumentalizada a partir das análises de fontes orais que vivenciaram a transferência da cidade “velha” para cidade “nova”. Ainda como fonte, utilizo a documentação fotográfica e cartográfica sobre a cidade em questão, com objetivo de construir um cenário de contraponto às diversas “Remansos” que submergiram do imaginário coletivo e das memórias individuais. Assim podemos apontar, fundamentado nos resultados desta pesquisa, que as memórias dos citadinos são construídas a partir de eixos temporais distintos, levando em consideração tempo de vivência na antiga cidade, o bairro que residia e a atribuição de valor variável aos diferentes lugares construídos. O primeiro eixo se molda nas memórias da cidade antes da notícia da mudança somadas a valorização do espaço e cotidiano da antiga cidade, o segundo eixo diz sobre as memórias durante o recebimento da notícia somadas ao nascimento do “valor menor” da cidade velha e adaptação à nova cidade, por último as impressões atuais sobre a mudança, somadas ao nascimento do “valor nostálgico” em relação a Remanso Velho. Ainda é produto dessa pesquisa o evento Tarde da Saudade: memórias da velha Remanso-BA, que promoveu um encontro dos antigos moradores no Museu do Sertão Antônio Coelho para rememorar através do acervo do museu e das apresentações culturais o município que foi submerso.

  • JANE VIANA ALMEIDA
  • Um barco esquecido na praia: Arqueologia e simbologia do barco da Galiléia
  • Orientador : GILSON RAMBELLI
  • Data: 03/08/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O presente trabalho buscou desenvolver uma discussão sobre o barco da Galileia. Descoberto em 1986, às margens do lago da Galileia, e datado do primeiro século D.C.. Representa a primeira informação de embarcações deste período decorrente da cultura material, pois até então, o tema estava presente somente nos textos bíblicos do Novo Testamento. Desta forma, o achado permitiu uma discussão simbólica sobre elementos presentes nas narrativas religiosas por apresentarem significados diferentes.

    Neste contexto, procuramos iniciar uma análise arqueológica e simbólica deste barco, enquanto artefato náutico, buscando compreender quais as diferentes simbologias que o envolvem.

  • ALINE RIOS OLIVEIRA MOREIRA
  • SOB O MAR DA BAHIA: Arqueologia da Nau Nossa Senhora do Rosário e Santo André, século XVIII, Salvador/BA
  • Orientador : GILSON RAMBELLI
  • Data: 01/08/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O presente trabalho tem como objetivo discutir aspectos históricos e arqueológicos referentes à Nau Nossa Senhora do Rosário e Santo André, embarcação portuguesa da Carreira da Índia, naufragada em 1737, na Baía de Todos os Santos. Embora o território que hoje corresponde ao estado da Bahia tenha sido o primeiro cenário das aventuras expansionistas europeias, poucos estudos sistemáticos sobre sítios submersos foram realizados até o momento. Assim, esta pesquisa pretende contribuir na construção do conhecimento e preencher uma parte dessa grande lacuna de informações sobre os naufrágios do Brasil e da Bahia, para isso vamos abordar questões referentes à embarcação, sua carga, seu naufrágio e a formação do sítio, usando como base os pressupostos teóricos da Arqueologia Histórica e da Arqueologia de Ambientes Aquáticos.

  • LUCIANA DE CASTRO NUNES NOVAES
  • A BORDA DO MAR COMO UM LUGAR CULTURAL: Arqueologia de Praias e a dialética étnico-marítima do patrimônio imaterial no sítio da Preguiça, Salvador/Bahia.
  • Orientador : GILSON RAMBELLI
  • Data: 31/07/2017
  • Tese
  • Mostrar Resumo
  • Essa tese desenvolve uma proposta de Arqueologia de praias em Salvador e tem por objetivo construir um estudo ordenado por um aparato teórico-metodológico interdisciplinar. Essa concepção de Arqueologia foi construída para identificar a praia como um lugar cultural; patrimônio imaterial, tendo por referência o Decreto 3551/2000 e enxergar os processos de sua objetivação a partir da presença africana e negra na praia da Preguiça, Cidade Baixa. O sítio arqueológico da Preguiça é de grande magnitude para a História da Bahia e do Brasil; um raro remanescente às margens da Baía de Todos os Santos de um núcleo ultramarino português de habitação e trabalho entre os séculos XVI-XXI. Para tanto, o texto inicia com a construção de um panorama teórico dos estudos do intangível e o conjunto de leis que assegura o patrimônio imaterial no Brasil, problematizando o lugar da Arqueologia e dos ambientes aquáticos nesse cenário. Em seguida a praia é situada na normatização colonial entendendo conceitos como terrenos de marinha, propriedade e bem público. Como forma de adentrar a esfera da práxis histórica do patrimônio imaterial no sítio da Preguiça, o estudo teve como aporte a teoria da ação em Pierre Bourdieu tendo como primazia o entendimento do patrimônio imaterial como um processo histórico dialético e não como um fenômeno cultural. O estudo enfoca relações de poder na paisagem marítima colonial de Salvador, problematizando modos de produção de conhecimento no sistema mercantil-capitalista do início do século XIX destacando os embates entre a escrita e a oralidade, a cidade e o sítio, o comércio e a quitanda, a norma e a prática, o lugar e o canto. De um lado da interface, o ordenamento jurídico colonial, as edições da Gazeta Idade D’Ouro (1811-1819), as cartas de Luis dos Santos Vilhena (1798-1799) e um corpus iconográfico da cidade de Salvador. De outro, as línguas africanas e o português, as identidades étnicas e de gênero, as tradições culturais e manifestações econômicas compartilhadas por mulheres africanas e negras no trabalho da quitanda [kitanda], palavra de língua kimbundu de origem bantu que significa comércio (estrutura material e imaterial). O confronto entre estrutura e ação, permitiu enxergar a práxis circunscrita na construção de propriedades intelectuais femininas e negras, como de núcleos masculinos de produção no espaço público como o estaleiro da Preguiça. Esse texto enfoca a promoção de estratégias de reivindicação política de suas liberdades através da oralidade e do trabalho artesanal e de ganho em praias de portos coloniais.

  • SEBASTIÃO LACERDA DE LIMA FILHO
  • SÍTIOS GRÁFICOS E APROPRIAÇÃO DE ESPAÇOS: UM ESTUDO DE CASO DO COMPLEXO RUPESTRE RIO DO PEIXE, REGIÃO DE CORONEL JOÃO SÁ, NORDESTE DA BAHIA.
  • Orientador : SUELY GLEYDE AMANCIO MARTINELLI
  • Data: 27/07/2017
  • Tese
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A pesquisa em questão visa como objeto de estudo 10 (dez) sítios arqueológicos, sendo 09 de registros gráficos (08 [oito] sítios de pintura e 01 [um] de gravura) e 01 (um) de material lítico (bases fixas de pilão mais fragmentos em superfície), associado aos anteriores e intimamente ligado ao Rio do Peixe que corta toda a região de estudo. Devido a intima ligação dos sítios com a área direta do rio, considerou-se viável definirmos como Complexo Arqueológico do Rio do Peixe. Os sítios trabalhados estão localizados numa formação geomorfológica do tipo Inserberg, caracterizado e descrito como uma formação do tipo Monadnocks que apresenta uma forma residual e feições variadas tais como cristas e declives dominando uma superfície de aplanamento superior que se destaca na paisagem, agora devastada por roças, áreas de pastoreio, zona de retirada de sedimento para construção civil e também pela extração ilegal e desordenada de maciços de granito. A área de estudo em questão localiza-se na zona rural da cidade de Coronel João Sá, Nordeste da Bahia. Apresenta potencial de pesquisa pela diversidade e quantidade de sítios arqueológicos já identificados e caracterizados. Enfatizamos sua relação e localização ambiental em escalas micro e macro sítios, na busca por elementos que permitam construir e inserir os registros gráficos no que convencionalmente chamamos de escala temporal e espacial para a realidade arqueológica em apreço. Com isso, levantamos informações e adicionamos aos dados identificados in situ, sejam análises exaustivas do ambiente fisiográfico, sejam análises tecno-temáticas dos painéis rupestres, o que nos proporcionou reflexões e possibilitou rastrear diferentes elementos para identificação dos prováveis grupos que devem ter interagido na área de pesquisa em apreço e resgatando as relações dos mesmos com o meio. Destacamos que a escolha da área em particular como proposta de trabalho de tese esteve condicionada também pela total ausência de estudos sistemáticos sobre essa cultura material e sua dinâmica ambiental. A necessidade de identificação de elementos culturais e sua relação com grupo(s) fixado(s) no local em períodos pretéritos, mas também recentes, nos levou a elaborar esse estudo e as proposições nele decorrente. Outro argumento pela escolha da região e do tipo de cultura material e vertente de análise, estar intimamente ligada a necessidades de estudos de caráter ambiental e ecológico frente ao registro arqueológico analisado. Mesmo porque é nos habitats, nos nichos ecológicos e na complexidade ambiental que os grupos humanos constroem cultura e onde as relações sociais são elaboradas e também difundidas. Entendemos que esse trabalho consiste, acima de tudo, numa documentação de vestígios expostos a uma diversidade de fatores degradantes e que estão sujeitos ao desaparecimento gradual e linear. Uma vez que o mesmo atua como ponto de partida para outras pesquisas necessárias nessa região e em áreas circundantes, ampliado o quadro de ocupações na Faixa de Dobramentos Sergipana e diversificando os dados sobre as ocupações em território baiano e áreas adjacentes. A opção por esse objeto de estudo em particular, está atrelada ainda a necessidade de estudos tecno-estilísticos para compreensão da dinâmica de grupos, e sua relação direta com esse referido ambiente, e como questão chave, temos a necessidade de inserção e caracterização dos conjuntos gráficos como pertencente a uma tradição arqueológica em particular, nesse caso cogitamos a hipótese inicial que os mesmos conjuntos, pertençam à tradição São Francisco, pela ampla presença dos elementos característicos da mesma, pela proximidade onde conjuntos dessa natureza já foram identificados e estudados na realidade baiana, pelo tipo de formação e localização dos painéis, pela presença de grafismos emblemáticos dessa tradição em particular e, por sua localização e distribuição espacial nos suportes e no meio biofísico. Por necessidade de alavancar estudos em uma região promissora do ponto de vista arqueológico e também pela possibilidade e qualidade dos dados para ampliar questões sobre ocupação de zonas e nichos ecológicos em particular, segregação de ecossistemas e também diversificar o quadro de dados sobre as mais variadas ocupações do nordeste da Bahia. Entre as justificativas da pesquisa, destacam-se: 1 (primeiro). Trata-se de uma área praticamente nunca pesquisada e carente de estudos sistemáticos sobre a confecção, interesses, bem como, escolhas e identidade dos grupos responsáveis; 2 (segundo). Necessidade de construção de um contexto arqueológico para a área em apreço, bem como, situar e relacionar a mesma com outras zonas promissoras já densamente estudadas na Bahia, como um todo e também no NE brasileiro; 3 (terceira). Necessidade de identificação de elementos tecno-temáticos, padrão de cognoscibilidade, diferenças e similaridades dos painéis encontrados. A problemática de pesquisa é construída a partir do pressuposto de que a escolha de locais para fixação, prática gráfica, reapropriação ou utilização como áreas de passagem, não é algo feito ao acaso, muito pelo contrário, são escolhas detalhadas, áreas vistoriadas por apresentarem possibilidade de interação grupal, e por permitirem condições para que as escolhas e a cultura possa ser desenvolvida ou ampliada em uma constante dinâmica com o ambiente e com os mais variados e diversificados contextos ecológicos. Isso nos leva a pensar o porquê da escolha desses marcos na paisagem, em detrimento daquele outro ou de outros. Levantada a problemática de trabalho, destacamos que temos como objetivo geral de pesquisa, alcançar dados que contribuam na identificação da identidade de grupos pré e pós-coloniais que habitaram a região nordeste da Bahia, especificamente a área de Coronel João Sá, contribuindo para a ampliação dos estudos de arqueologia regional e incentivando a aplicação dos pressupostos téoricos-metodológicos oriundos da arqueologia ambiental e da vertente da ecologia cultural e humana. Amplia-se o quadro hipotético desse trabalho, com outras duas proposições que deverão ser somadas a hipótese inicial. A primeira propõe que as pinturas rupestres do Complexo Rio do Peixe (09 sítios de registros gráficos), localizados na alta, média e baixa vertente, pertence à Tradição São Francisco. Fundamenta-se isso, pela proximidade geográfica onde os elementos característicos da mesma, foram definidos por autores como Prous (1992/1997), Lima Filho (2010/2011/2013), Kestering (2001/2003/2007), Ribeiro (2014), Silva (2011), Ribeiro (2007), Baeta (2010), pelo tipo de pigmentação utilizada, pelo padrão de cognoscibilidade ou mapa mental de confecção, pelo tipo de temáticas encontradas, pelos grafismos emblemáticos da tradição em apreço, e pelo tipo de feição e suportes escolhidos para a prática gráfica em geral. A segunda, é que toda essa região, composta não apenas pelo complexo geomorfológico acima mencionado, pode ter sido utilizada por expressivos períodos de tempo e que podem ser atestadas pelas evidências materiais, identificadas na área direta dos sítios e entorno, e também pela sua reutilização em tempos históricos para práticas do catolicismo tradicional com cultos religiosos in situ. Isso nos faz pensar numa continuidade e uso do espaço que poderá ser corroborada com as analises inter e extra sítios. Nesse aspecto, toda a variedade cultural intencional ou não, bem como, os elementos naturais e paisagísticos, ganham relevância e fundamentam as reflexões advindas das análises.

  • JOSÉ THIAGO ALVES DOS SANTOS SILVA
  • Memórias da Passagem: Ocupação ribeirinha na cidade de Petrolina-PE
  • Orientador : LEANDRO DOMINGUES DURAN
  • Data: 21/07/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O objetivo deste trabalho é averiguar a presença de sítios arqueológicos próximos à margem do Rio São Francisco na cidade de Petrolina, Pernambuco. Nesta cidade, a maior parte das áreas próximas à margem do rio foram submetidas ao processo de urbanização, destruindo depósitos com grande potencial arqueológico. Tal potencial foi constatado com o achado de material arqueológico durante levantamento informal realizado no ano de 2013 em duas áreas próximas à margem do rio ainda preservadas: a Antiga Mineradora e a Pedra do Bode. Na Pesquisa apresentada neste trabalho, estas áreas foram submetidas a um levantamento intensivo combinando abordagens sistemáticas e assistemática. Como resultado, foram descobertos dois grandes horizontes de ocupação: um histórico e outro pré-colonial.

  • NÁDIA CARRASCO PAGNOSSI
  • ETNOARQUEOLOGIA DA PRATARIA MAPUCHE: GÊNERO, COSMOVISÃO E RESISTÊNCIA
  • Orientador : FERNANDO OZORIO DE ALMEIDA
  • Data: 20/07/2017
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O presente estudo visa compreender a produção da prataria (joalheria) Mapuche durante seu período auge (séculos XVIII-XIX) e suas mudanças no presente, a partir de uma análise museográfica de peças de três museus do Chile, de uma experiência etnoarqueológica e experimental. Os referenciais teóricos da pesquisa são: a arqueologia pós-processual, a arqueologia de gênero e a etnoarqueologia; visando uma união entre a prataria histórica e a atual, e dar voz às pessoas que colaboraram com esse estudo. São exploradas algumas questões relativas à cosmovisão, espiritualidade, identidade e resistência do povo Mapuche, e suas implicações simbólicas nas peças da prataria. A interpretação das joias se baseou em uma análise entre a bibliografia sobre o tema, as entrevistas e observações feitas durante o trabalho de campo. Um dos focos foi o entendimento das relações de gênero no passado e presente, e principalmente o vínculo entre o corpo da mulher e as joias. Como conclusão, a prataria Mapuche segue como um símbolo de resistência e identidade cultural dessa população, sendo ressignificada e reinventada conforme o contexto histórico e social.

  • BRUNO VITOR DE FARIAS VIEIRA
  • ERA NO TEMPO DO CORONEL... “EU NÃO CONCORDO MUITO COM ISSO NÃO!”: ARQUEOLOGIA PÚBLICA E INTERPRETAÇÕES COLABORATIVAS SOBRE A “FAZENDA SÃO VICTOR”, PIAUÍ.
  • Orientador : PAULO JOBIM DE CAMPOS MELLO
  • Data: 03/03/2017
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A “Arqueologia Pública” é um dos segmentos em constante crescimento desde a sua origem em meados da década de 1970. Essa, desde então, passou a integrar discussões, protagonizar debates que alternam sobre o papel social do arqueólogo, a preservação dos sítios, a inserção da sociedade nos trabalhos científicos e o próprio futuro desta ciência/disciplina. Perpassando contradições quanto à definição de seu “público”, os teóricos deste segmento têm enfatizado que “toda Arqueologia, independente de seu recorte temático ou escolhas teórico-metodológicas, deveria ser, em essência, pública” (CARVALHO; FUNARI, 2007). Desse modo, passando da compreensão de uma arqueologia do estado: o “defensor do patrimônio” e o “representante da sociedade”, para uma Arqueologia das “pessoas, do público e para o público” (idem). Conecta-se a essa discussão a inserção do contexto da Arqueologia da Escravidão no sudeste do Piauí e como essas relações, atualmente, compõem a memória e história local acerca desse cotidiano do passado e sua ressonância no presente. Seguindo tais reflexões, esta pesquisa, objetiva apresentar um estudo sob o viés da Arqueologia Colaborativa, com os habitantes da Comunidade Lagoa de São Vitor, localizada no sudeste do Piauí, na identificação e caracterização dos espaços constituintes do antigo “Complexo Produtivo Fazenda São Victor”. Os resultados compreenderam a localização de seis espaços de convívio entre os diversos atores que ali se estabeleceram: a casa-sede, o curral, a senzala, a lagoa, o cemitério dos escravos e a vila de escravos libertos, estes locais caracterizaram-se a partir da interpretação da ciência e da sabedoria popular da comunidade, construída a partir de relações colaborativas de respeito mútuo.

  • FELIPE NEVES DA SILVA
  • A CONSTRUÇÃO DA PAISAGEM ARACAJUANA
  • Orientador : LEANDRO DOMINGUES DURAN
  • Data: 21/02/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho aborda a emergência da cidade de Aracaju, enquanto paisagem moderna, visando, a um só tempo, dar conta das contingências multitemporais que possibilitaram essa emergência, sem perder de vista sua espacialidade. O objetivo é delimitar as características materiais da paisagem aracajuana. Para tanto, partiremos de uma abordagem arqueológica da paisagem em diálogo com disciplinas como história, antropologia, geografia e arquitetura. A materialidade, como suporte do tempo, e sua implantação, como testemunho no espaço, são os vestígios da construção da Aracaju que objetivamos evidenciar. A temporalidade do capitalismo será contemplada por uma abordagem arqueológica atenta a seu caráter mundial (ORSER, 1996; ORSER; FAGAN, 1995; JOHNSON, 1999; FUNARI et al, 1999), porém, sem se comprometer com uma arqueologia do capitalismo (LEONE; POTTER, 1988) visando evitar anacronismo histórico. A espacialidade será abordada tentando equilibrar as vantagens e limitações de uma abordagem sistêmica (JOHNSON, 2000) à consideração das características espaciais do capitalismo (HARVEY, 2005) presentes na conformação da cidade. O devido relevo será dado à navegação objetivando restituir aos “desígnios aquáticos” a condição de devir histórico imanente ao século XIX. Juntamente com as peculiaridades ambientais e o espaço construído tal atividade legou a dimensão concreta (LIMA, 2000) do continuum de relações que compreendemos por paisagem.

  • NELSON JAVIER PINZON PEREZ
  • SENSORIALIDAD EN INSTRUMENTOS MUSICALES PREHISPÁNICOS DE LA CULTURA TUMACO
  • Orientador : JOSE ROBERTO PELLINI
  • Data: 21/02/2017
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • La interpretación antropológica de instrumentos musicales y del hecho cultural que propicia su fabricación y uso, es pertinente para la comprensión de la música en su dimensión simbólica, estética y sensorial. La creación de un instrumento sonoro, permite evidenciar la importancia armónica y melódica que produce el instrumento musical, además de establecer el contacto entre la comunidad prehispánica y el entorno sonoro el cual percibe mediante los sentidos. La música en la cultura Tumaco, constituye la evidencia de un gran manejo de las técnicas alfareras para la fabricación de instrumentos musicales, vislumbrándose una creación productiva y simbólica para este tipo de artefactos en sociedades navegantes del Litoral Pacífico Colombiano entre el 300 A.C – 300 D.C. Finalmente se seleccionaron un número de piezas ubicadas en el Museo del oro de Bogotá, de las cuales se realizaron tomas 3D, con scanner Eva Artec 3D de 23 piezas entre instrumentos y representaciones musicales, ampliado el ámbito ilustrativo de las piezas, mostrando el cuerpo general externo de la pieza musical; adicionalmente, se efectuaron pruebas sonoras de 9 instrumentos musicales, en excelente estado de conservación, considerando una perspectiva visual y sonora contemporánea de la sonoridad prehispánica

2016
Descrição
  • JACQUELINE BARRETO LEITE
  • CONFECÇÃO DA CARTA ARQUEOLÓGICA DO ESTADO DE SERGIPE COM O USO DE GEOTECNOLOGIAS.
  • Orientador : JENILTON FERREIRA SANTOS
  • Data: 30/08/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O presente trabalho tem por objetivo a confecção de uma carta arqueológica para o estado de Sergipe com utilização das geotecnologias. Trata-se da primeira iniciativa nesta direção, a qual é extremamente necessária, visto que, apesar de mais de meio século de pesquisa arqueológica, Sergipe ainda não apresenta um meio que unifique as informações provenientes dos diversos trabalhos realizados. Para alcançar este objetivo, foi efetuado um levantamento exaustivo no arquivo do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional em Sergipe a fim de obterem-se dados a respeito de sítios arqueológicos encontrados no Estado. As informações foram armazenadas em um banco de dados georreferenciado. A geração da carta e de outros mapas temáticos foi feita, essencialmente, no software QGIS. Assim, estas atividades possibilitaram a identificação de 442 sítios arqueológicos para o território sergipano. Os sítios encontram-se distribuídos em 50 municípios, destes, quase metade está concentrada em apenas sete: Canindé de São Francisco, Maruim, São Cristóvão, Poço Redondo, Laranjeiras, Porto da Folha e Rosário do Catete. É necessário salientar que a Carta Arqueológica apresentada neste trabalho, necessita de constante atualização, como também de continuidade na coleta de informações. A Carta, também, pode ser um importante meio para embasar reflexões acerca dos critérios padronização na coleta de informações sobre sítios arqueológicos e ações de preservação deste tipo de patrimônio.

  • GIRLENEY SANTOS ARAÚJO
  • Diário de uma Península: arqueologia das paisagens sensoriais de Maraú, Bahia.
  • Orientador : JOSE ROBERTO PELLINI
  • Data: 30/08/2016
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • É possível entender como as pessoas que viviam na Península de Maraú se relacionavam com o meio através dos sentidos? É esse o questionamento central que estimulou essa pesquisa. Partindo do entendimento que as Paisagens são encontros íntimos com o mundo que experimentamos com todos os sentidos, essa narrativa teve como objetivo apresentar uma interpretação de como seus moradores pretéritos elaboravam o entendimento do mundo a sua volta por meio da experiência sensorial disposta pela Cultura Material que produziram, levando em consideração que a própria paisagem pode ser entendida como uma confecção material e simbólica. Para se chegar a uma interpretação coerente, antes foi preciso se aprofundar nas críticas que a Fenomenologia faz a Ciência baseada no visual e reconhecer que a Arqueologia também se apoia na visão como principal meio de análise em suas pesquisas. A Arqueologia Sensorial tenta corrigir isso, trazendo todos os sentidos como formas de se buscar entender os grupos humanos do passado. Com a identificação de seis áreas arqueológicas pela prospecção, foco em duas delas para montar a minha análise e discorrer sobre as Paisagens Sensoriais de Maraú, Bahia.

  • MÔNICA NUNES SAMPAIO
  • Fragmentos de Vidas: Uma construção de contexto arqueológico para as louças oitocentistas resgatadas nos sítios históricos sergipanos.
  • Orientador : JENILTON FERREIRA SANTOS
  • Data: 30/08/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Partindo do pressuposto teórico de que as coisas fazem as pessoas, tanto quanto as pessoas fazem as coisas e que aquilo que somos também é o resultado dos objetos que nos cercam, o presente estudo tem como propósitos: contextualizar a louça de Sergipe oitocentista proveniente das escavações arqueológicas realizadas em âmbito acadêmico e da arqueologia de contrato. A partir do levantamento das louças resgatadas em escavações arqueológicas, buscamos especificamente entender seu comércio, distribuição e consumo, assim como o entendimento do papel que a mesma exercia na sociedade local. O trabalho traz ainda uma discussão sobre a objetivação dessa cultura material na vida dos seus consumidores em Aracaju e no Vale do Cotinguiba, regiões que durante a segunda metade do século XIX se destacou economicamente, respondendo por cerca de 60% das exportações. A região congregava ainda os mais importantes portos e casas de exportação e importação, administradas por companhias estrangeiras e nacionais, a exemplo da Loja Germânica, Novo Progresso da Águia de Ouro, Schramm & Cia e Marcos José Martins. Metodologicamente, a pesquisa foi instrumentalizada através da análise das pesquisas realizadas no estado, presentes nas instituições de guarda de acervo arqueológico do Estado de Sergipe e pela análise de fontes primárias (processos, inventários post-mortem e jornais), secundárias (bibliografia especializada).

  • ADRIANO BATISTA DOS SANTOS
  • Arqueologia e Contemporaneidade: Reflexões Sobre os Locais de Repressão e Resistência do Regime Militar em Aracaju – Sergipe
  • Orientador : GILSON RAMBELLI
  • Data: 30/08/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A Arqueologia sempre foi vista como uma disciplina quase que exclusivamente dedicada aos estudos de um passado longínquo, como resultado de toda uma trajetória da disciplina, iniciada ainda no século XVIII. Desde a segunda metade do século XX, a Arqueologia vem passando por grandes transformações teóricas e ideológicas, principalmente na década de 1980, onde os parâmetros da disciplina foram redefinidos para além dos pressupostos tradicionais, assimilando assim contextos relativizados e considerando as relações de poder entre as sociedades, seja no passado ou no presente. Esse ambiente deu margem para a concepção de uma Arqueologia do Passado Recente, incorporando temas até então desconsiderados pelos pesquisadores, e dentre essas novas abordagens, teve inicio na América Latina, os estudos dos conflitos e lutas sociais, a Arqueologia da Repressão e da Resistência, objetivando a busca pelas histórias relativas às diferentes ditaduras militares que assolaram a região entre as décadas de 1960-1980. No Brasil, o golpe civil-militar de Abril/1964 conduziu o País a um regime autoritário que durou até os idos de 1985. Mesmo se passando mais de trinta anos da redemocratização, sabemos muito pouco sobre essa fase conturbada a qual o País vivenciou, e sob esse aspecto, a Arqueologia se apresenta como um importante instrumento na busca desse passado ainda recente na memória dos brasileiros. Nesse sentido e com o intuito de contribuir positivamente para os estudos da ditatura militar em âmbito estadual e nacional, o presente trabalho tem como objetivo fazer uma apresentação dos locais reconhecidos como espaços de repressão e resistência do regime ditatorial em Aracaju, capital do Estado de Sergipe, visando assim um entendimento das dinâmicas dessas ações pela cidade e seus impactos na sociedade sergipana.

  • DANIELLY MORAIS ROCHA
  • ENTRE OS MORROS E AS FIGURAS: GRAVURAS RUPESTRES NO PARQUE NACIONAL CHAPADA DAS MESAS, CAROLINA, MARANHÃO.
  • Orientador : JOSE ROBERTO PELLINI
  • Data: 29/08/2016
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Em meados do século XVII, as gravuras rupestres no Maranhão foram identificadas a partir do discurso de um pajé indígena, pelo religioso francês Yves d’ Evreux, e, alguns séculos depois, painéis chegaram a ser descritos e reproduzidos por naturalistas. Apesar de serem os vestígios pré-coloniais mais notáveis no Centro-Sul e Sudoeste do Estado, os estudos referentes a essas manifestações simbólicas ainda são escassos no Maranhão. Entende-se que os sítios possuidores de arte rupestre estão incluídos em um contexto cultural amplo que envolve a própria construção da paisagem e características que indicam a preferência das sociedades pretéritas por determinados locais bem como seus usos. Acredita-se que a escolha dos suportes gravados estaria relacionada não apenas a disponibilidade de áreas a serem gravadas, mas a experiência com a paisagem que esses autores teriam tido no passado, considerando, sobretudo, os aspectos sensoriais que dela emanam. Assim esta pesquisa considerou a abordagem fenomenológica para o estudo das gravuras rupestres e da paisagem no Parque Nacional Chapada das Mesas a fim de compreender como estes sítios estão engajados fisicamente, e identificar características que pudessem influenciar ou não, a escolha dos suportes gravados a partir da materialização e inserção destas no contexto geomorfológico regional. Desse modo, foi realizada uma análise espacial dos sítios, dos caminhos e fronteiras locais, dos suportes gravados e de suas características, das fontes hídricas em suas diferentes formas, a visibilidade dos sítios e das gravuras e de outros aspectos da paisagem que envolvem a percepção e o movimento corporal. Dentro dessa perspectiva, a pesquisa também propôs o registro visual das gravuras rupestres a partir do decalque digital e do scanner de mão Artec Eva 3D, trazendo apontamentos sobre as possíveis contribuições, vantagens e desvantagens desse recurso metodológico para documentar e analisar esses vestígios arqueológicos.

  • GRECIANE NERES DO NASCIMENTO
  • A COR NA ARTE RUPESTRE DO SÍTIO LAGOA DA VELHA (MORRO DO CHAPÉU, BAHIA)
  • Orientador : JOSE ROBERTO PELLINI
  • Data: 29/08/2016
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • As pessoas que vivenciaram um lugar com arte rupestre, em algum momento, experimentaram diferentes relações e sensações entre corpo-pintura-pedra. A arte rupestre materializada nos invade, nosso corpo é atravessado pela visibilidade do invisível, do não dito. O objeto deste estudo segue este caminho. Nele, mergulho nas cores das pinturas rupestres do Complexo Arqueológico Lagoa da Velha, localizado no município de Morro do Chapéu, estado da Bahia. Busquei perceber a existência de critérios de intencionalidade no uso das cores na arte rupestre e as possíveis inter-relações entre essas cores, a paisagem e o corpo, considerando a pintura como resultado/produto da interação entre artistas e paisagem. Neste volume busquei perceber as diferentes relações entre cores e corpo na experiência estética, tanto na produção quanto na recepção das pinturas rupestres, em uma perspectiva fenomenológica, evidenciando sua dimensão sensorial. A partir de uma abordagem engajada e através uma narrativa em primeira pessoa, procurei perceber as pinturas e sua inserção na paisagem a partir das relações e conexões entre motivos, conjuntos e cenas. Também foi objeto desta pesquisa, observar o modo como esses elementos podem revelar intencionalidades e preferências das pessoas que os produziram, bem como agir sobre as pessoas que os percebem.

  • JESSICA RAFAELLA DE OLIVEIRA
  • OS HABITANTES DO RIO E AS MISSÕES RELIGIOSAS NO SERTÃO PERNAMBUCANO: Uma arqueologia da paisagem fluvial do rio São Francisco – Orocó.
  • Orientador : LEANDRO DOMINGUES DURAN
  • Data: 18/07/2016
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • No início da “colonização” portuguesa, o vale do São Francisco era habitado por diversos povos indígenas, e é por meio de relatos dos viajantes e missioneiros que podemos obter as primeiras informações sobre seus assentamentos e modo de vida. O espaço indígena no médio São Francisco, quando da chegada do colonizador, era constituído por populações genericamente denominadas pelos cronistas de Tapuias e Cariris. Os trabalhos de catequização na região foram iniciados por volta do século XVII, às primeiras Missões datam de 1671. Muitos documentos e registros de passagens dos missioneiros pela área comprovam a existência de aldeias nas Ilhas do rio São Francisco, localizados na região atualmente denominada como Submedio. A Ilha de Santa Maria, por exemplo, foi palco de um grande aldeamento que prosperou durante os séculos XVII e XVIII, sendo que essa unidade insular ainda possui em ruinas parte de seu antigo parque arquitetônico, notadamente seu principal equipamento religioso. Dentro desse contexto a presente pesquisa, se volta aos estudos de contato e das Missões religiosas, entretanto se distancia das abordagens de uma Arqueologia missioneira voltada apenas a compreender as Missões como agentes de aculturação, mas, sobretudo, valorizando o papel do indígena, dentro de um processo de transculturação e de agentes ativos nas construções sociais. Resulta de um minucioso levantamento bibliográfico, de intervenções pontuais em campo e de uma abordagem da Arqueologia da paisagem, bem como de uma Arqueologia missioneira e da história indígena. Buscou nesse sentido, entender o que foram as Missões religiosas que fizeram do sertão do Submedio São Francisco, grandes rotas de catequização indígena, e como estas contribuíram para a consolidação dos diferentes elementos paisagísticos que são de fundamental importância não apenas para preencher as lacunas na história particular das ilhas, mas para compreender a dinâmica de ocupação da região como um todo.

  • MADSON DE SOUZA FONTES
  • Aplicabilidades e Contribuições da Paleogenética à Arqueologia: o caso do sítio Furna do Estrago/PE.
  • Orientador : OLIVIA ALEXANDRE DE CARVALHO
  • Data: 25/02/2016
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A Arqueologia tem percebido que alguns dos principais aspectos relacionados à cultura nem sempre estão visíveis, de maneira macroscópica e mesoscópica, nos vestígios materiais produzidos pelo homem. Entretanto, por sua essência interdisciplinar, tem buscado fontes de informação e metodologias em outras ramificações das ciências, como a Genética, para complementar com dados a interpretação sobre o comportamento das sociedades através da materialidade. Desta forma, este trabalho tem como propósito verificar se o alto índice de anomalias de desenvolvimento e das variações morfológicas descontínuas, presente no material osteológico da população de caçadores-coletores do sítio Furna do Estrago, com datações radiocarbônicas de 1.860 ± 50 anos AP (Beta 145954) a 1.610 ± 70 anos AP (Beta 145955), situado no município de Brejo da Madre de Deus/PE estaria associado à prática da endogamia. E, a partir de dados etnográficos, discutir a respeito de quais possíveis motivações (cultural e/ou adaptativa) teriam levado o grupo a fazer uso de tal prática.

2015
Descrição
  • BRUNO DE SOUZA BARRETO
  • DIACRONIA E CULTURA MATERIAL NO SÍTIO LARANJAL DO JARI 01: UM ASSENTAMENTO ASSOCIADO ÀS CERÂMICAS JARI E KORIABO, BAIXO RIO JARI, SUL DO AMAPÁ (670 – 1450 AD).
  • Orientador : PAULO JOBIM DE CAMPOS MELLO
  • Data: 31/08/2015
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Na pré-história das Guianas, a Fase Koriabo fornece diversas lacunas à arqueologia da região e suscita controvérsias relacionadas à sua origem, cronologia e afiliação cultural. A grande maioria das pesquisas realizadas até o final dos anos 1990 privilegiaram abordagens generalizantes e explicaram toda uma região a partir de pequenos cortes estratigráficos, sem muitas investigações aprofundadas dos contextos locais; além de utilizar a cerâmica como principal elemento diagnóstico. Acredito que uma nova abordagem voltada para o estudo sistêmico dos contextos arqueológicos, e suas relações com as demais tecnologias, é um dos caminhos para contribuir com esta discussão. De forma a atender isso, apresento o estudo de caso do sítio arqueológico Laranjal do Jari I, um assentamento a céu aberto na margem esquerda do baixo rio Jari, que possui cerâmica vinculada à Fase Koriabo. Este sítio foi resgatado pelo Núcleo de Pesquisa Arqueológica do IEPA, através de duas campanhas de arqueologia preventiva para construção de uma escola técnica federal. Como o assentamento foi escavado em áreas amplas, permitindo a identificação e registro de diversas estruturas arqueológicas, a abordagem realizada privilegiou a articulação de dados qualitativos das tecnologias cerâmica e lítica com as informações contextuais de feições negativas e de dezesseis datas radiocarbônicas, no intuito de evidenciar a distribuição de diferentes conjuntos cerâmicos e os aspectos diacrônicos (cronologia) do assentamento. Os resultados alcançados apontam para a existência de dois horizontes culturais distintos, observados através das diferenças na tecnologia cerâmica e na cronologia absoluta obtida.

  • ROBERTA DA SILVA ROSA
  • SERGIPE NO CONTEXTO DA SEGUNDA GUERRA MUNDIAL (1942): UMA ABORDAGEM DA ARQUEOLOGIA DE AMBIENTES AQUÁTICOS.
  • Orientador : GILSON RAMBELLI
  • Data: 31/08/2015
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Este projeto de pesquisa tem como objetivo interpretar a partir da cultura material o contexto social, político e econômico de Sergipe durante a Segunda Guerra Mundial, procurando entender os reflexos e o cotidiano surgido a partir do momento dos naufrágios ocorridos em agosto 1942. Para entendermos os acontecimentos que deflagraram o conflito mundial utilizaremos o olhar arqueológico focando a macro-história e a micro-história, ou seja, partiremos da visão geral dos acontecimentos no mundo, passando pelo Brasil até chegar a Sergipe, destacando principalmente a capital aracajuana, que sofreu diretamente com o terror provocado pelos ataques do submarino alemão aos navios brasileiros na costa sergipana banhada pelo Oceano Atlântico. Estudaremos o período que compreende a década de 1940 do século XX, considerado passado recente, utilizando as abordagens da Arqueologia Histórica e da Arqueologia de Ambientes Aquáticos, as quais têm na ciência arqueológica o embasamento teórico-metodológico que servirá de suporte para esta pesquisa.

  • DAIANE PEREIRA
  • "Reserva Técnica Viva": extroversão do patrimônio arqueológico no Laboratório de Arqueologia Peter Hilbert.
  • Orientador : ELIZABETE DE CASTRO MENDONCA
  • Data: 31/08/2015
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A limitação dos processos de extroversão das informações e dos bens arqueológicos é uma realidade corrente. Isso mantém as coleções maciçamente armazenadas, enquanto uma pequena parcela participa de exposições e ações educativas. Tendo como objeto de estudo a reserva técnica do Laboratório de Arqueologia Peter Hilbert, vinculada ao Núcleo de Pesquisas Arqueológicas do Instituto de Pesquisas Científicas e Tecnológicas do Estado do Amapá, a presente pesquisa analisa mecanismos conceituais e práticos que podem contribuir para a potencialização da reserva técnica desse núcleo de pesquisa em espaço “vivo” de extroversão das informações e do patrimônio arqueológico. Ao problematizar as possibilidades e os desafios atuais da gestão das coleções arqueológicas salvaguardadas em reservas técnicas, abordo aspectos da cadeia operatória da museologia e da cadeia produtiva da arqueologia, utilizando como arcabouço teórico a relação interdisciplinar entre a arqueologia e a museologia, relativa ao processo de musealização do patrimônio arqueológico. A musealização do patrimônio arqueológico oferece à pesquisa o conjunto de ações necessárias para alcançar a preservação dos bens arqueológicos, perfazendo a salvaguarda (conservação e documentação) e a comunicação (exposição e ações educativas- culturais).

  • EVERALDO GOMES DOURADO
  • Modos de habitabilidade dos grupos ceramistas: Dispersão e dinâmica dunar na praia de Flecheiras, em Trairi, no Ceará
  • Orientador : JENILTON FERREIRA SANTOS
  • Data: 28/08/2015
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Na praia de Flecheiras, Ceará, foram identificados quatro assentamentos, resultante das atividades de Arqueologia Preventiva na região, esses possuem características bastante similares quanto à implantação na paisagem e a sua cultura material. Nos sítios arqueológicos Trairi I, II, III e Trairi IV, são identificadas cerâmicas da Tradição Tupiguarani e outra denominada de Cabocla, lascas, micro-lascas, núcleos, amoladores, percutores e bigornas em quartzo, além de malacológicos. Nesse contexto todas as concentrações arqueológicas estão inseridas em meio a dunas móveis de origem holocênica. Nosso objetivo é realizar uma abordagem sobre padrão de assentamento nesses sítios, através da Arqueologia Espacial em uma macroescala, abrangendo um estudo sobre os sítios e o bioma em que estão inseridos, considerando dados ambientais, espaciais, arqueológicos e etnológicos a fim de compreender as razões para a implantação desses sítios em dunas holocênicas.Os atuais elementos caracterizadores da área tais como o mar, as lagoas e lagunas interdunares, os eolianitos e as dunas permitem, a priori, inferir um possível exploração de recursos hídricos e alimentares possibilitando essas ocupações. Tais elementos naturais serão evidenciados nessa pesquisa, devido a sua importância quanto ao entendimento sobre a escolha e utilização da paisagem como ferramenta essencial na compreensão sobre os modos de habitabilidade desse (s) grupo (s). Dessa forma, os estudos arqueológicos contribuíram para o conhecimento das peculiaridades dos grupos que ocuparam a área, podendo agregar dados aos estudos já existentes sobre ocupações pretéritas em outros ambientes dunares.

  • CARLOS EDUARDO CARDOSO
  • CONSEQUÊNCIAS DA APLICAÇÃO DE CONSOLIDANTES PARA A CONSERVAÇÃO DOS ESQUELETOS HUMANOS E ANIMAIS DO SÍTIO ARQUEOLÓGICO JUSTINO, CANINDÉ DE SÃO FRANCISCO, SERGIPE, BRASIL
  • Orientador : ALBERICO NOGUEIRA DE QUEIROZ
  • Data: 27/08/2015
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Propõe-se o estudo sobre os elementos arqueofaunísticos cuja presença subsidie a interpretação de uma prática funerária e o estado de conservação de duas sepulturas exumadas a partir do material resultante das escavações promovidas pela equipe do PAX (Projeto Arqueológico de Xingó), realizadas no fim dos anos de 1980, as quais atingiram meados da década seguinte.

    Esse projeto abrangeu vários sítios arqueológicos na região conhecida como Xingó na divisa entre os Estados de Sergipe e Alagoas. Entre os mais destacados está o sítio arqueológico Justino, o qual se notabilizou pelos materiais de grande relevância para a pesquisa científica referente aos grupos pré-históricos que habitaram essa região, contribuindo para o avanço das pesquisas e conhecimento a respeito de culturas pré-históricas no Brasil, sobretudo no Nordeste (VERGNE, 2004; MELLO, 2005).

    O conjunto de sepulturas encontradas nessas escavações permitiu elaborar interpretações sobre a existência de grupos pré-coloniais nessa região, principalmente no que diz respeito aos hábitos culturais, alimentares e funerários envolvendo uma grande variedade de cultura material associada às sepulturas. Além dos vestígios diretamente ligados ao cotidiano mortuário, o sítio Justino, é fonte de diversos elementos, cuja importância se remete a possibilidade de compreensão das atividades correspondentes a cada tipo de material. Assim, as ações praticadas por esses grupos no passado deixaram um legado tangível e culminou numa leitura, mesmo que parcial, das atividades realizadas durante a permanência dessa população pretérita na região (LUNA, 2006).

    O procedimento metodológico empregado na época das escavações do sítio Justino se remete ao um contexto de pesquisa em Arqueologia diferente aos dias de hoje. As tecnologias, os aparelhos e dispositivos utilizados na área de transporte, armazenamento e curadoria se encontravam em outro patamar de conhecimento, portanto, as considerações a respeito do método do casulo de gesso devem ser empregadas de maneira equilibrada, contrapondo o momento pós-escavação no final da década de 1980 até meados dos anos de 1990 e o contexto atual, onde os avanços estão acontecendo, os questionamentos e discussões são constantes sobre condutas mais adequadas no que diz respeito à conservação de material arqueológico.

    No caso em particular dessas duas sepulturas humanas (119 e 166), o consolidante (Paraloid B-72) foi utilizado através da técnica de pincelamento, na primeira o indivíduo pré-histórico foi inumado com um furão (Galictis cuja) (Queiroz & Carvalho, 2005) sobre a região torácica, o segundo enterramento continha uma ave ainda sem determinação de espécie, com ossos articulados, as análises preliminares apontaram para o grupo das aves de rapina.

    Considerando o aspecto do trabalho em analisar os dois enterramentos contendo elementos arqueofaunísticos, bem como, sua relação de características provavelmente simbólicas, foi proposto um método, cujo objetivo permitisse estudar a relação presente entre os indivíduos e os remanescentes zooarqueológicos inseridos concomitantemente no mesmo sepultamento. A coleta de dados a respeito dos componentes bioarqueológicos foi melhor empregada através da técnica de remoção da resina (Paraloid B-72), o que possibilitou a leitura dos vestígios faunísticos sob a camada do consolidante na sepultura 119.

    Os vestígios analisados a respeito das sepulturas 119 e 166 justificam as inferências propostas na pesquisa, tais como as hipóteses de importância e influência social exercida pelos indivíduos e oferendas, sacrifícios e o papel de psicopompo relacionados a fauna. Considerando as evidências levantadas nas observações in locu, respaldadas principalmente pelos elementos humanos e animais, pode-se sugerir determinadas faces dos hábitos culturais nessas populações pré-históricas, cujo teor revela um significado simbólico e abstrato intrínsecos às manifestações fúnebres envolvendo esses dois animais em ambas as inumações.

  • AMANDA NASCIMENTO REIS
  • POST MORTEM: IMPLICAÇÕES DA TAFONOMIA NO ESTUDO BIOARQUEOLÓGICO DE INDIVÍDUOS PROVENIENTES DO SÍTIO JUSTINO, CANINDÉ-SE
  • Orientador : OLIVIA ALEXANDRE DE CARVALHO
  • Data: 24/08/2015
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Neste trabalho, foram analisadas cinco deposições mortuárias, cuja datação mais recente foi, de 4.390 ± 30 AP, provenientes do Sítio Justino, município de Canindé do São Francisco, Sergipe. As análises incluíram avaliação de sinais de paleopatologias, marcas de violência ou hábitos de vida, diferenciando-os dos aspectos tafonômicos e tentando traçar a provável causa da morte desses indivíduos, objetivo principal deste estudo. Porém, visto que nem todas as paleopatologias deixam registros nos ossos, aliado aos diversos fatores tafonômicos observados e o péssimo estado de conservação dos esqueletos analisados, não foi possível conduzir a pesquisa de acordo com o nosso intuito inicial. Sendo assim, esse estudo discutiu as implicações dos aspectos tafonômicos nas pesquisas arqueológicas, bem como dos limites impostos por eles na Bioarqueologia.

  • ÁDREA GIZELLE MORAIS COSTA BESEN
  • CONTEXTOS E PRÁTICAS FUNERÁRIAS NO BAIXO TAPAJÓS: UM ESTUDO DOS SEPULTAMENTOS EM URNA DURANTE O PERIODO PRÉ COLONIAL NO SÍTIO PARANÁ DE ARAU-É-PÁ.
  • Orientador : OLIVIA ALEXANDRE DE CARVALHO
  • Data: 24/08/2015
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Na Amazônia as práticas funerárias realizadas por povos pré-históricos são pouco exploradas e os estudos dos vestígios ósseos e dos contextos envolvidos ainda menos debatidos. Os estudos de contextos funerários são feitos posteriormente as escavações do sítio, e isso dificulta a compreensão dos contextos envolvidos além de tornar mais difícil a análise e interpretação do material coletado associado aos sepultamentos. Neste âmbito, este trabalho tem como objetivo a identificação de sítios com contextos funerários na região do baixo tapajós, especificamente a área que compreende o município de Aveiro no estado do Pará, tendo como foco os sepultamentos em urnas ligados à tradição inciso-ponteada encontrados durante o levantamento arqueológico do Sítio Paraná de Arau-é-pá em 2009 realizado sob a supervisão técnico-científico da arqueóloga Dra. Denise Pahl Schaan. E a partir do estudo destes sepultamentos utilizando métodos propostos pela Arqueotanatologia e Bioarqueologia este trabalho teve como objetivo identificar e compreender os contextos funerários presentes na região que está localizado o município de Aveiro no baixo tapajós, especificamente os contextos funerários e práticas funerárias presentes no sítio Paraná de Arau-é-pá.

  • MÍRIAM CAZZETTA
  • Trilhando por Vias Seculares na Vila dos Remédios em Fernando de Noronha
  • Orientador : GILSON RAMBELLI
  • Data: 01/07/2015
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Esta dissertação é um exercício de análise reflexiva sobre a prática arqueológica e de conservação em contexto urbano, que se utiliza das ações empreendidas para conservação das vias históricas da Vila dos Remédios (Arquipélago Fernando de Noronha) como estudo de caso. Dividida em duas partes, na primeira a descrição contextualizada apresenta um panorama da arqueologia urbana e da arquitetura, ao lado da conservação integrada, buscando detectar os dualismos subjacentes às concepções relacionais entre pessoas e coisas. Na segunda parte, a valorização das vias históricas nos trabalhos de investigação-intervenção em cidade histórica é apresentada como experiência para caracterização das formas e modos de conceber as vias históricas no Brasil Colônia e Contemporâneo. Como apreciação final, as dicotomias que permeiam os protocolos de cunho operacional na investigação-intervenção arqueológica são reapresentadas como noções que fragilizam o processo interpretativo sobre a materialidade em contexto urbano.

  • HEIDE ROVIENE SANTANA DOS SANTOS
  • Patrimônio Arqueológico Musealizado em Sergipe: um estudo de caso sobre a relação Documentação Museológica e Informação Arqueológica como procedimento essencial de Gestão de Coleções
  • Orientador : ELIZABETE DE CASTRO MENDONCA
  • Data: 25/06/2015
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O presente estudo trata da gestão do patrimônio arqueológico, especificamente, o gerenciamento de informações referente às coleções que receberam endosso das instituições museológicas vinculadas a Universidade Federal de Sergipe (UFS), a saber: Museu de Arqueologia de Xingó (MAX) e as coleções provenientes do Museu do Homem Sergipano (MUHSE). Ao conceder o endosso institucional aos projetos de arqueologia por contrato, essas instituições tornaram-se responsáveis por vasta quantidade de coleções. Pensando no patrimônio arqueológico como fonte de informação, o objetivo deste trabalho é analisar os mecanismos realizados para o gerenciamento de informações relativas às coleções do campo arqueológico coletadas no âmbito da arqueologia por contrato, e sob a guarda dos museus da Universidade Federal de Sergipe, bem como verificar se estes procedimentos – se é que existem – interagem com as diretrizes das áreas de Arqueologia e Museologia no que tange a gestão de coleções. Diante das coleções sob a guarda da UFS, e da necessidade de realização dos procedimentos de gestão para o patrimônio arqueológico, este estudo parte da premissa que é impreterível a estruturação de mecanismos que permeiem desde o ato de aquisição até a disseminação de informação relativa as coleções. Este planejamento dificultará à ausência de várias ações que impedem a gestão de coleções, principalmente se ocorrer durante o “salvamento” arqueológico. Por fim, reflete-se também sobre o papel social das instituições museológicas para o conhecimento das informações no que se refere ao patrimônio arqueológico, ressaltando a necessidade da execução do procedimento de documentação museológica sobre as coleções arqueológicas, tanto pelas instituições museológicas, bem como nos trabalhos de campo. Onde, esses mecanismos de gestão, possibilitarão a disseminação de informações pertencentes a esses bens culturais que são passíveis de serem interpretados como atos e vozes de povos do passado para a compreensão das práticas sociais do presente.

  • JANAINA PATRICIA COUTINHO
  • ARQUEOLOGIA DOS GESTOS NA INDÚSTRIA LÍTICA DO SÍTIO COLÔNIA MIRANDA
  • Orientador : PAULO JOBIM DE CAMPOS MELLO
  • Data: 28/05/2015
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Apesar da potencialidade arqueológica presente na região de Sergipe, tendo como principal representante o sítio Justino, localizado na área da UHE de Xingó, no vale do São Francisco, ainda há poucos estudos referente a pré-história e estudo tecnológico no estado. Com isso novos projetos estão em andamento, e um deles trata-se do levantamento arqueológico da Bacia do Rio Vaza Barris. A partir desse projeto houve a identificação de vários sítios, dentre eles está o Colônia Miranda, localizado no município de São Cristovão, estado de Sergipe. Esse sítio será analisado tendo como objeto de estudo sua industria lítica para que assim se possa perceber a relação entre incorporação das técnicas e os processos gestuais presentes na confecção e uso dos instrumentos. Tal abordagem foi escolhida pois a mesma não se restringe a uma análise descritiva e normativa, e sim abre espaço para uma reflexão buscando a interação do sujeito sobre o objeto e possiveis indícios sócio-culturais do grupo. Para isso, é essencial o estudo da sua cadeia operatória, tendo como metedologia de análise a perspectiva técno-funcional e a antropotécnica, para que assim se permita pensar nessa cultura material dentro de um contexto humano, e não apenas morfo-tipológico, pois o objeto trata-se de uma estrutura organizada e pensada para sua produção e uso e não apenas o produto final.

  • DANIEL MARTINS GUSMÃO
  • SÍTIOS ARQUEOLÓGICOS DE NAUFRÁGIOS DA BAÍA DE TODOS OS SANTOS, SALVADOR – BA: ESTUDO DE CASO DO CLIPPER BLACKADDER
  • Orientador : GILSON RAMBELLI
  • Data: 17/04/2015
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Com um litoral de aproximadamente 8.500 km de extensão, o Brasil possui um cenário marítimo de grande potencial arqueológico, formado principalmente por restos de embarcações naufragadas, estruturas portuárias, espaços de religiosidade marítima, os sítios santuários, e os sítios depositários. Nestes últimos 20 anos de pesquisas arqueológicas científicas, ingressamos numa realidade de proposta inovadora que visa englobar as mais variadas vertentes da interação do ser humano com o ambiente aquático, através da análise das múltiplas expressões materiais e sociais advindas desta percepção, seja ela do segmento marítimo, náutico ou subaquático corroborando numa Arqueologia de Ambientes Aquáticos. No intuito de avaliar o desenvolvimento e as perspectivas deste campo de pesquisa no Brasil, nossa dissertação tem como um dos objetivos fazer uma abordagem de sítios arqueológicos formados por restos de embarcações naufragadas na Baía de Todos os Santos - Bahia, relacionando informações históricas, técnicas, náuticas e sociais advindas destes tipos de sítios, por meio de um inventário passivo até alcançar a pesquisa in situ dos restos do Clipper Blackadder. Neste intuito nos aportamos na Arqueologia Pública, aproximando segmentos da sociedade para melhor compreender a importância e significância dos sítios arqueológicos de naufrágios como um elemento integrante do patrimônio cultural subaquático brasileiro.

  • VANI PIAIA GHIGGI
  • A LINGUAGEM SIMBÓLICA NAS PINTURAS PARIETAIS DA FAZENDA MUNDO NOVO-SERGIPE
  • Orientador : JENILTON FERREIRA SANTOS
  • Data: 11/02/2015
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Os sítios de “Arte Rupestre”, termo convencionalmente definido e utilizado por um grande número de pesquisadores, são manifestados desde o período Paleolítico, e no entanto, permanecem indecifráveis devido a complexidade que os cerca. Os estudos desenvolvidos que buscam entender a presença desses sítios arqueológicos não são notórios no estado de Sergipe. Nesses termos, houve a preocupação em desenvolver uma pesquisa mais detalhada, visto que o município de Canindé de São Francisco é apontando como local de grande potencial arqueológico e suscita discussões a respeito. Objetiva-se nesse trabalho descrever e analisar através da aplicação do método da Semiótica, as figuras de cinco sítios com pinturas rupestres da Fazenda Mundo Novo e o entendimento do contexto ao qual estão inseridos os sítios arqueológicos. É possível que os estudos dos sígnos dos paineis abram espaço para abordagens de múltiplas dimensões. As figuras, à partir da aplicação do método semiótico, passam a ser lidas como códigos símbolos que comunicam. Essa nova abordagem para a arte rupestre foi possível devido o estabelecimento dos campos subdisciplinares na Arqueologica, consolidados na última década. De maneira geral, tratando-se de um passado distante há limitações nos estudos implicando na eficácia metodológica e na apresentação explícita dos limites e possibilidades de estudo.

  • MARCIA RODRIGUES SANTOS
  • PALIMPSESTOS DE UMA CIDADE: PERSPECTIVAS DA ARQUEOLOGIA URBANA NA CIDADE TEATRO DE LARANJEIRAS-SE
  • Orientador : MARCIA BARBOSA DA COSTA GUIMARAES
  • Data: 10/02/2015
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Este trabalho expõe os resultados da pesquisa efetivada no âmbito da Arqueologia Urbana como aporte para interpretar a cidade de Laranjeiras/SE. A cidade aqui é entendida a partir da construção de modernidade consubstanciada nas práticas e comportamentos sociais resultantes da adoção do modo de vida burguês. O objetivo é traçar um panorama histórico-urbano da Laranjeiras Oitocentista e analisar a sua dinâmica, tendo como hipótese a construção local da modernidade a partir de representações e práticas políticas, econômicas e sociais de sua população, ao longo da virada do século XX. Para tanto, abordei o sítio histórico “Ruínas do Teatro”, palco de várias atividades, que constituíram os seus palimpsestos. A metodologia aplicada esta solidificada no referencial teórico da Arqueologia Urbana para interpretar a história do edifício e assim, identificar o desenvolvimento urbano da cidade de Laranjeiras. Os resultados permitiram construir a concepção de modernidade a partir das particularidades da elite agrária, de imigrantes germânicos, dos trabalhadores livres e do grande contingente de escravos, agentes sociais responsáveis pela construção, propagação e consolidação das ideias de modernidade que assolaram o Brasil na virada do século XX.

  • LUIZ ANTONIO PACHECO DE QUEIROZ
  • ÁGUA FRIA É NO POTE DO CARIRI CEARENSE
  • Orientador : MARCIA BARBOSA DA COSTA GUIMARAES
  • Data: 09/02/2015
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O estudo ora apresentado envolve a análise dos significados do uso e fabricação de potes cerâmicos para armazenar e esfriar água no Cariri cearense dentro de uma perspectiva etnoarqueológica. A intenção é discutir questões relativas ao problema do contraste entre o saber fazer e a pressão do mercado de consumo regional, que influenciou a prática de aplicação de ranhuras naqueles recipientes nos últimos trinta e cinco anos. Esta discussão possibilita refletir sobre transformações culturais no contexto da sociedade agropastoril do semiárido, onde se observa o decréscimo da utilização e produção dos vasilhames cerâmicos, que propicia investigar mudanças de hábitos entre os habitantes da zona rural. Através da observação participante e de entrevistas foram apreendidos os sentidos inerentes à produção de potes, permitindo problematizar algumas situações em torno da tecnologia envolvida e das práticas destinadas aos recipientes. O exame é realizado através de pressupostos da arqueologia contextual somados a mecanismos analíticos provenientes da teoria da agência e da biografia dos objetos para interpretar os significados das práticas relativas àqueles vasilhames. Esta escolha implica incorporar estratégias de várias disciplinas através de fontes materiais e imateriais para analisar e construir interpretações surgidas dos discursos das próprias pessoas estudadas e representadas pelo tema enfocado. Como resultado tem-se a princípio a ideia de que a aplicação de ranhuras na superfície externa dos potes cerâmicos é realizada para obter no uso diário o arrefecimento da temperatura da água armazenada, avaliação que leva em conta a credibilidade da escovação nos núcleos produtores de cerâmica e nas negociações cotidianas entre consumidores e comerciantes.

2014
Descrição
  • RAQUEL DE ANDRADE DANTAS FIGUEIRÔA
  • POR UMA ARQUEOLOGIA DIGITAL: PESQUISA E TECNOLOGIA APLICADA AO ACERVO CERÂMICO DO MUSEU DE ARQUEOLOGIA DE XINGÓ.
  • Orientador : JENILTON FERREIRA SANTOS
  • Data: 30/08/2014
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa busca desenvolver mecanismos de pesquisa e interação através do processo de digitalização em 360º do acervos arqueológicos cerâmicos do Museu de Arqueologia de Xingó (MAX), saindo do real para o virtual, através de um sistema de classificação de documentos e garantindo dessa forma uma melhor sistematização dos dados e uma maior agilidade no campo da pesquisa. Além do processo de digitalização, o estudo também fará como forma de assegurar os objetos, sistematizar e dinamizar a informação, o inventário referente às peças expostas do Museu de Arqueologia de Xingó, demonstrando como o uso dessas tecnologias está sendo incorporada às pesquisas arqueológicas. O estudo insere-se no bojo da relação entre Arqueologia, Museologia e informação na preservação da memória.

  • SÉRGIO DAHER DE OLIVEIRA
  • O cauixí nas Indústrias Cerâmicas do Baixo Rio Vermelho (Britânia/GO)
  • Orientador : PAULO JOBIM DE CAMPOS MELLO
  • Data: 29/08/2014
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A pesquisa aqui apresentada refere-se à segunda etapa de um processo investigativo que vem sendo desenvolvido desde o ano de 2007, pautado principalmente no estudo da cultura cerâmica de grupos pré-coloniais que habitaram a bacia do baixo rio Vermelho (GO). A identificação do antiplástico cerâmico cauixí em coleções trabalhadas anteriormente pelo Programa Arqueológico de Goiás expõe sérios problemas teórico-metodológicos das pesquisas precedentes, comprometendo todo o conhecimento arqueológico produzido sobre as sociedades pretéritas que ocuparam a região. Partindo da re-análise do material cerâmico coletado em oito sítios do baixo rio Vermelho (GO), pretendemos discorrer sobre as fragilidades das pesquisas pregressas, encaminhando novos problemas acerca das coleções disponíveis, que devem guiar, em etapas seguintes, a retomada das pesquisas nos sítios.

  • ELAINE DE ALENCASTRO CHAVES
  • A CARNE NA DIETA ALIMENTAR EM VILA BOA DE GOIÁS: NECESSIDADES E PREFERÊNCIAS NOS SÉCULOS XVIII E XIX
  • Orientador : PAULO JOBIM DE CAMPOS MELLO
  • Data: 29/08/2014
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho tem como principal objetivo aprofundar os conhecimentos acerca dos costumes alimentares dos habitantes da Cidade de Goiás, antiga Vila Boa, entre séculos XVIII e XIX. Para este fim, serão analisadas as amostras pontuais dos restos faunísticos de duas das principais ruas do atual centro histórico desta cidade. Trataremos em um viés interdisciplinar (Zooarqueologia, Antropologia, História), assim identificando neste estudo, a trajetória alimentícia, de aquisição, preparação, consumo e descarte. Pensando que neste caminho, as escolhas são eletivas. Na historiografia tradicional, a cidade é retratada para estes períodos por uma imensa carência de alimentação, principalmente a carne. Assim esta vem levantar mais uma fonte de pesquisa para um período de imensa dubiedade econômica. Interveem que a alimentação vilaboense possui como vias de regras, padrões de similaridades como estava em voga em toda a colônia, e em determinados casos, a conservação de alguns hábitos trazidos da Europa.

  • BEIJANIZY FERREIRA DA CUNHA ABADIA
  • ARQUEOLOGIA PÚBLICA E TURISMO: Possibilidades para o Desenvolvimento do Arqueoturismo em Laranjeiras/Sergipe
  • Orientador : GILSON RAMBELLI
  • Data: 28/08/2014
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A implantação do Campus da Universidade Federal de Sergipe na cidade histórica de Laranjeiras/SE com os cursos de graduação e pós-graduação em Arqueologia originou uma crescente produção de pesquisas arqueológicas na localidade. Partindo da necessidade do envolvimento do publico leigo como agente ativo neste processo, pretende-se analisar as potencialidades da cidade para o desenvolvimento do Turismo Arqueológico sugerindo critérios para a utilização turística de forma controlada dos sítios arqueológicos com vistas a sua conservação. Serão analisadas as possibilidades de desenvolvimento do Arqueoturismo na cidade tendo como base o planejamento turístico pautado nas práticas da Interpretação do Patrimônio, com vistas a promover o interesse da população e visitantes pela Arqueologia, a preservação dos sítios arqueológicos, o fortalecimento do turismo sustentável e o desenvolvimento cultural da comunidade local.

  • RAILSON COTIAS DA SILVA
  • NEM TUDO QUE RELUZ É VIDRO: Mudanças sociais e introdução de artefatos vítreos na Salvador Oitocentista
  • Orientador : MARCIA BARBOSA DA COSTA GUIMARAES
  • Data: 15/08/2014
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A presente investigação visa, a partir de uma perspectiva arqueológica, observar e entender os processos de mudança social na cidade de Salvador dos oitocentos, a partir do potencial interpretativo imiscuído no vidro. Tem como objetivos: 1) abordar os vidros arqueológicos a partir de uma perspectiva do comportamento, 2) compreender padrões de consumo sobre os materiais vítreos e, por fim, 3) apreender os ciclos de introdução, uso e abandono desses materiais. O que se busca com esse estudo é o alcance de questões pautadas no aspecto cognitivo-comportamental, não se limitando ao seu caráter eminentemente técnico. Baseada, ainda, na profusão do acervo material vítreo nos sítios históricos e com foco na dinâmica das práticas de consumo, a pesquisa arqueológica tem a possibilidade de abordar as variabilidades, estudar as especificidades locais e buscar entender relações nos processos regionais e globais.

  • NAIRA LORENA DE OLIVEIRA VERAS
  • Saúde corporal e Higiene pública: os hábitos de consumo e a modernidade na cidade de Parnaíba – século XIX e XX
  • Orientador : MARCIA BARBOSA DA COSTA GUIMARAES
  • Data: 15/08/2014
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O século XIX é um período marcado por grandes transformações iniciadas desde o século XV. As revoluções e mudanças no campo das ideias durante o século XIX e início do século XX, se apoiam nas concepções de modernidade e progresso. A consolidação do sistema capitalista e do consumo no Ocidente interferiu profundamente nas relações sociais. Dentre muitas destas transformações, as mudanças nos hábitos cotidianos intervieram no espaço público e privado, alterando hábitos seculares considerados adequados diante dos padrões sociais até então. A saúde corporal e a higiene pública foram contempladas por essas transformações. A preocupação com esses males, juntamente com o estilo de vida europeu o qual se encontrava no principio das transformações que estavam por vir no âmbito da saúde corporal e higiene pública, forçaram a instalação de leis que regulamentassem a aplicação de políticas públicas voltadas para saúde pública. Neste contexto de inovações ideológicas, a cidade de Parnaíba encontra-se numa fase de modernização com um desenvolvido comércio, assim como outras cidades do país. Renovações nas relações econômicas e sociais, a saúde corporal torna parte dos hábitos cotidianos da população, sendo também usada para distinção social. Para este fim, o museu Pharmacia do Povo tem seus frascos de medicamentos tomados como objeto de análise introduzidos num contextos de inovações das ideias, sobretudo ao Consumo, inserido no sistema Capitalista, e sua prática na manutenção da saúde corporal. Apresentaremos, ainda, o contexto histórico da cidade nos oitocentos e início do século XX, dando um panorama geral da cidade dentro das premissas modernistas deste período.

  • FERNANDA LIBORIO RIBEIRO SIMÕES
  • ARQUEOLOGIA DA PAISAGEM NAS DUNAS HOLOCÊNICAS: O ESTUDO DE CASO DO SÍTIO CARDOSO (LAGOA REDONDA, PIRAMBU, SE)
  • Orientador : MARCIA BARBOSA DA COSTA GUIMARAES
  • Data: 13/08/2014
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O foco desse trabalho está centrado na caracterização das ocupações pré-coloniais nas Dunas Holocênicas, ou seja, formadas a partir e construídas em cima do Terraço Marinho Holocênico.

    Para desenvolver o tema proposto, optamos por analisar o sítio arqueológico Cardoso. Localizado na recém-apresentada Bacia Hidrográfica do Rio Sapucaia (SEMARH, 2012), onde antes seria o limite entre a Bacia Hidrográfica do Rio Japaratuba e da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco, entre duas dunas fixas, delimitado pelo sangradouro da Lagoa Redonda e pela planície litorânea.

    Portanto, o objetivo geral dessa dissertação é compreender a ocupação do litoral sergipano através da implantação de grupos pré-coloniais em Dunas Holocênicas, considerando o viés da Arqueologia da Paisagem.

    Os objetivos específicos foram pensados para atender as particularidades relativas à temática trabalhada, onde são divididos entre (1) Reconstituir o Paleoambiente do período de formação da paisagem física; (2) Revisar as interpretações nacionais e internacionais relacionadas à funcionalidade de sítios dunares litorâneos e (3) Analisar a implantação dos sítios na paisagem, de uma perspectiva microespacial (intrassítio) e mesoespacial (entre paisagem e sítios).

  • VIRGILIO JOSÉ SILVEIRA DANTAS JÚNIOR
  • Tecnotipos instrumentais: Análise Tecno-Funcional de instrumentos do sítio Pilar (povoado Mussuca, Laranjeiras, Sergipe)
  • Orientador : PAULO JOBIM DE CAMPOS MELLO
  • Data: 29/07/2014
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O presente trabalho tem como objetivo realizar uma análise tecno-funcional em material lítico evidenciado nas intervenções arqueológicas em um sítio localizado no município de Laranjeiras (Sítio Pilar - Povoado Mussuca/SE) associado à ocupação pré-histórica da bacia do Rio Sergipe. Assim, essa pesquisa levanta questões sobre a existência de áreas tecnológicas até então desconhecidas pelos pesquisadores, diferentes das encontradas no norte do Estado de Sergipe (Xingó), e os padrões de ocupação da bacia do Rio Sergipe.

  • VIRGILIO JOSÉ SILVEIRA DANTAS JÚNIOR
  • Tecnotipos instrumentais: Análise Tecno-Funcional de instrumentos do sítio Pilar (povoado Mussuca, Laranjeiras, Sergipe)
  • Orientador : PAULO JOBIM DE CAMPOS MELLO
  • Data: 29/07/2014
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho tem como objetivo apresentar a análise tecnofuncional de instrumentos líticos e os 11 tecnotipos instrumentais observados numa amostra de material do Sítio Pilar, compreendendo os seus esquemas de funcionamento. Este sítio arqueológico foi encontrado no povoado Mussuca/Laranjeiras, na região do baixo curso do rio Sergipe, durante a primeira etapa do projeto Povoamento Arqueológico da Bacia do Rio Sergipe, sob coordenação do Prof. Dr. Emílio Fogaça, no Período de 2010-12.

  • LUANA BATISTA GALERA DE JESUS GOULART
  • PROCESSOS DE FORMAÇÃO ARQUEOLÓGICOS DE SÍTIOS DE NAUFRÁGIO: UMA PROPOSTA SISTEMÁTICA DE ESTUDOS
  • Orientador : GILSON RAMBELLI
  • Data: 01/07/2014
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A compreensão do papel que os processos de formação desempenham na constituiçãode um sítio arqueológico é fundamental para uma interpretação mais precisa de dadosnele coletados. Em se tratando de sítios de naufrágio, há algumas particularidades naforma em que tais processos atuam, as quais devem ser levadas em consideração naspesquisas arqueológicas. Contudo, esse é um tema pouco explorado na literatura,principalmente no Brasil. Desta forma, o presente trabalho tem como objetivo discutirprincípios que devem ser considerados em um estudo de processos de formação de sítiosarqueológicos de naufrágio. Para tanto, faz-se uma revisão bibliográfica sobre o tema,inicialmente em um âmbito mais geral, e, na sequência, são abordados os processos queatuam especificamente nos sítios de naufrágio. Essa revisão bibliográfica reúne diversostrabalhos sobre a formação de sítios arqueológicos de naufrágio e serve como base paraos capítulos seguintes. Em seguida é feita uma análise de três estudos realizados sobreprocessos de formação de sítios de naufrágio. Nessa análise, levam-se em contaaspectos como os objetivos da pesquisa, a abrangência dos períodos deposicionaisabordados e os tipos de processos (naturais e culturais). A partir dela, constatou-se queseus autores não exploraram com totalidade o potencial que a investigação sobreformação de sítios de naufrágio oferece para a interpretação da cultura material. Com ointuito de oferecer elementos que auxiliem pesquisadores da área, propomos um modelopara o estudo dos processos de formação em sítios de naufrágio. Numa primeira partefazemos uma divisão do processo de naufrágio em oito fases. Nessa divisão estãoincluídos processos que atuam na pré-deposição, deposição e pós-deposição, assimcomo processos de origem natural e cultural. Por fim, são apresentados princípios quedevem ser incluídos ao se estudar a formação de um sítio arqueológico de naufrágio.Esses princípios seguem a mesma divisão das etapas de uma pesquisa: planejamento,coleta de dados, análise dos dados e publicação dos resultados.

  • MARA LÚCIA CARRETT DE VASCONCELOS
  • Artefatos ferrosos de origem terrestre: um estudo de caso sobre a interface entre pesquisa arqueológica e conservação no sítio Charqueada Santa Bárbara, Pelotas, RS, Brasil
  • Orientador : ELIZABETE DE CASTRO MENDONCA
  • Data: 25/03/2014
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O estado atual de degradação de grande parte dos acervos arqueológicos tem comprometido as pesquisas e a salvaguarda destes bens. Destas problemáticas vêm surgindo iniciativas que buscam a modificação das práticas atuais de preservação dos acervos arqueológicos, como o trabalho de campo do sítio Charqueada Santa Bárbara (Pelotas, RS, Brasil), vinculado ao projeto de pesquisa O Pampa Negro: Arqueologia da Escravidão na Região Meridional do Rio Grande do Sul (1780-1888), que reuniu uma equipe multidisciplinar a fim de dialogar a respeito da práxis de cada área e pensar de forma conjunta soluções adequadas para um melhor gerenciamento e salvaguarda dos acervos arqueológicos. No âmbito da conservação, foram elaborados e testados em campo e em laboratório protocolos de intervenção preventiva e curativa a campo das distintas tipologias de materiais. Dentre as tipologias materiais recuperadas na escavação, os objetos metálicos, em especial os de ferro, estão entre aquelas mais suscetíveis à deterioração decorrente do processo de desenterramento, em função da velocidade em que ocorrem os processos corrosivos e da complexidade dos produtos decorrentes destes. Neste contexto, o objetivo desta pesquisa foi analisar, a partir de um estudo da interface entre Conservação e Arqueologia, de que forma os procedimentos de conservação realizados em campo e em laboratório nos artefatos metálico-ferrosos contribuíram para a preservação dos acervos arqueológicos. Almejou-se verificar as intervenções que possibilitam a melhor conservação da cultura material de origem arqueológica e da informação associada, e difundir a necessidade de uma maior integração entre os especialistas das áreas relacionadas à salvaguarda do patrimônio arqueológico. Concluiu-se que as práticas de conservação auxiliam diretamente na preservação dos acervos arqueológicos, em suas instâncias material, documental e simbólica. O conservador vem se configurando, portanto, como mais um gestor destes bens, em uma atuação que, cada vez mais, se torna indispensável ao gerenciamento do patrimônio arqueológico.

  • RONALDO JOSÉ FERREIRA ALVES SANTOS
  • ESPAÇO E PAISAGEM JESUÍTICA: PERSPECTIVAS DE ANÁLISES ARQUEOLÓGICAS EM LARANJEIRAS/SE
  • Orientador : JANAINA CARDOSO DE MELLO
  • Data: 26/02/2014
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Esta dissertação propõe discutir as perspectivas de análises arqueológicas, sobre o espaço e a paisagem jesuítica em Laranjeiras/SE. Enquanto cultura material de uma determinada sociedade as estruturas arquitetônicas da Casa e Capela Engenho Retiro e da Igreja de Nossa Senhora da Conceição da Comandaroba, provavelmente edificadas em 1701 e 1734, respectivamente, podem nos informar detalhes da ocupação, uso e transformação da paisagem, e das atividades desenvolvidas nesses sítios. A presença dos jesuítas em Sergipe data desde o processo de colonização no século XVI, quando aqui chegaram e se estabeleceram. O objetivo geral desta dissertação é analisar a partir da cultura material, as informações que compreendem a inserção dos jesuítas em Laranjeiras/SE. Observando a ocupação, uso e transformação que foram empreendidas no espaço conformando a paisagem, ou seja, o que gerou a cultura material, inclusive as relações sociais, culturais e econômicas desenvolvida por este grupo social colonial região. O entendimento de tal questão foi possível através da aplicação teórico e metodológica da Arqueologia Espacial, da Paisagem e da Arquitetura que embasaram a pesquisa. Assim, a paisagem se constitui como o resultado material da interação entre o homem e o ambiente, no qual reflete as suas práticas e relações.

2013
Descrição
  • JULIANA BETARELLO RAMALHO
  • O ARTESANATO DA PEDRA LASCADA NO SÍTIO CAJUEIRO, CORRENTINA-BA: TECNOLOGIA LÍTICA
  • Orientador : PAULO JOBIM DE CAMPOS MELLO
  • Data: 28/08/2013
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O sítio lítico Cajueiro (BA-RC-19) está localizado às margens do córrego Cajueiro em sua confluência com o Rio Correntina, cuja área está a 50 km da cidade de Correntina-BA, cerrado do oeste baiano. A principal ideia dessa pesquisa é apresentar um olhar a cerca do conjunto de material lítico do Sítio Cajueiro (BA-RC-19). Para tanto, estamos partindo de um ponto de vista tecnológico que utiliza para discussão o conceito de cadeia operatória, e assim apresentar os esquemas de produção e de funcionamento dosconjuntos de materiais líticos analisados.Entendemos as etapas de uma cadeia operatória tendo seu objetivo principal em mente, os instrumentos, e assim, consideramos que para sua produção vários outros estigmas de lascamento estão envolvidos. Esse processo é uma imagem mental do artesão que só tem significado dentro de sua cultura. Nossas metodologias de analise foram capazes de reconstituir a memória técnica e o saber-fazer corporal. Por isso o conceito de cadeia operatória e a analise tecno-funcional foi o caminho escolhido.

  • OTÁVIO ARRUDA PORTO
  • ARQUEOLOGIA MARÍTIMA/SUBAQUÁTICA DAS GUERRAS MUNDIAIS: SUA APLICABILIDADE NO BRASIL
  • Orientador : GILSON RAMBELLI
  • Data: 26/08/2013
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O Século XX foi palco de duas Guerras Mundiais e de uma não declarada Guerra Fria. Por meio dos embates surgiu uma grande diversidade de sítios arqueológicos com diversas tipologias provenientes de diferentes nações. A Arqueologia das Guerras Mundiais, dentro de um contexto histórico, se propõe a estudar os testemunhos materiais remanescentes dos períodos belicosos, dando ênfase ao cunho social que existe por trás das culturas materiais.

    Através de nosso presente estudo pretendemos contribuir efetivamente com a Arqueologia brasileira, trazendo para o nosso contexto alguns dos estudos relacionados à temática da Arqueologia das Guerras Mundiais em países estrangeiros, disponibilizando um aporte teórico inicial sobre essas pesquisas no Brasil. Em nosso trabalho iremos mostrar as possibilidades da aplicação no Brasil desse tema por meio de estudos de casos: o levantamento dos sítios de naufrágios da costa de Sergipe e das culturas materiais provenientes deles que chegaram a terra; além do sítio naufrágio formado pelos restos do navio Itapagé, na costa do estado de Alagoas. Por meio desta pesquisa será demonstrada a importância para a Arqueologia no Brasil de se realizarem estudos em sítios arqueológicos de naufrágios formados por restos de navios feitos com cascos de ferro, tendo em vista que estudos náuticos arqueológicos envolvendo embarcações com essas características são inéditos no país.

  • LAUZANNE LEAO FERREIRA
  • A arqueologia como instrumento de preservação do patrimônio arquitetônico: a "Restauração do Quarteirão dos Trapiches" de Laranjeiras-SE.
  • Orientador : MARIA DE BETANIA UCHOA CAVALCANTI BRENDLE
  • Data: 23/08/2013
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O objetivo geral desta pesquisa é investigar e demonstrar a importância da arqueologia em intervenções restaurativas na preexistência arquitetônica de valor patrimonial. Para tanto será examinada a “Restauração do Quarteirão dos Trapiches”, atual Campus da Universidade Federal de Sergipe, executada pelo Programa Monumenta na cidade de Laranjeiras/SE. A interface entre arqueologia & restauração se materializou no Brasil na década de 1960 com o início das pesquisas em Arqueologia Histórica, e é proclamada no contexto internacional desde a primeira metade do século XX com as recomendações das Cartas Patrimoniais resultantes de sucessivos encontros internacionais de especialistas no campo da preservação do patrimônio cultural que incorporam formulações teóricas precursoras da interação entre a arqueologia e a restauração como disciplina científica. Desta forma estão delineados os seguintes objetivos específicos: 1) Identificar os aspectos fundamentais da Teoria da conservação e do Restauro e sua interface com a pesquisa arqueológica; 2) Investigar as práticas arqueológicas na preexistência e sua contribuição para o projeto de restauração; 3) Revelar os aspectos institucionais que regulamentam posturas e práticas referentes à arqueologia e à preservação do patrimônio arquitetônico.

  • LAUZANNE LEAO FERREIRA
  • A arqueologia como instrumento de preservação do patrimônio arquitetônico: a “Restauração do Quarteirão dos Trapiches” de Laranjeiras-SE.
  • Orientador : MARIA DE BETANIA UCHOA CAVALCANTI BRENDLE
  • Data: 23/08/2013
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O objetivo geral desta pesquisa é investigar e demonstrar a importância da arqueologia em intervenções restaurativas na preexistência arquitetônica de valor patrimonial. Para tanto será examinada a “Restauração do Quarteirão dos Trapiches”, atual Campus da Universidade Federal de Sergipe, executada pelo Programa Monumenta na cidade de Laranjeiras/SE. A interface entre arqueologia & restauração se materializou no Brasil na década de 1960 com o início das pesquisas em Arqueologia Histórica, e é proclamada no contexto internacional desde a primeira metade do século XX com as recomendações das Cartas Patrimoniais resultantes de sucessivos encontros internacionais de especialistas no campo da preservação do patrimônio cultural que incorporam formulações teóricas precursoras da interação entre a arqueologia e a restauração como disciplina científica. Desta forma estão delineados os seguintes objetivos específicos: 1) Identificar os aspectos fundamentais da Teoria da conservação e do Restauro e sua interface com a pesquisa arqueológica; 2) Investigar as práticas arqueológicas na preexistência e sua contribuição para o projeto de restauração; 3) Revelar os aspectos institucionais que regulamentam posturas e práticas referentes à arqueologia e à preservação do patrimônio arquitetônico.

  • LUCIANA DE CASTRO NUNES NOVAES
  • A morte visível e a vida invisível: um estudo sobre Arqueologia da Religião no Brasil
  • Orientador : MARCIA BARBOSA DA COSTA GUIMARAES
  • Data: 27/03/2013
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O objetivo desse estudo é compreender arqueologicamente a Enseada de Água de Meninos (Salvador/Bahia) como uma paisagem sagrada, composta por camadas de significados materiais e intangíveis, devido à presença submersa de uma estrutura de ferro atribuída a Exu nesse espaço. Dessa forma, a presença intencional da estrutura religiosa ao fundo da Enseada após o último processo de aterro da região em 1906 configura esse espaço como um sítio histórico, permitindo pensar sobre os processos de apropriação religiosa da paisagem, de manipulação da materialidade e da construção de realidades diaspóricas no Novo Mundo. Exu possui poderes míticos relacionados ao comércio e à comunicação, cultuado atualmente na extensão do Golfo do Benin e no interior das religiões afro-brasileiras, é considerado o protetor das feiras e dos mercados como também patrono da circulação de bens e saberes. Por sua vez, a estrutura religiosa, foi registrada próxima ao Ferry Boat. O espaço do Ferry Boat está situado entre a região histórica da presença de sucessivas feiras entre o século XIX e XX e o Porto marítimo de Salvador em funcionamento desde o século XVI em Água de Meninos. Para tanto, a Arqueologia da Religião é entendida como o campo teórico-metodológico a ser utilizado na problematização da cultura material afro-religiosa e da paisagem da Enseada, permitindo que os aspectos rituais, religiosos e sagrados das populações afrodescendentes na Bahia do início do século XX ganhem sentido e significado arqueológico.

  • LUIS FELIPE FREIRE DANTAS SANTOS
  • Nas águas do velho Chico: Arqueologia de Ambientes Aquáticos no Baixo Rio São Francisco - Sergipe/Alagoas
  • Orientador : GILSON RAMBELLI
  • Data: 27/03/2013
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A presente pesquisa tem como objetivo a idealização de uma Arqueologia de ambientes aquáticos preocupada em inserir múltiplas vozes no processo da construção do conhecimento, para que seja possível aproximarmos a sociedade da pesquisa arqueológica e de seu patrimônio. Através da apresentação e da discussão de um arcabouço teórico-metodológico de viés integrativo e multivocal e da contextualização da área de pesquisa, o baixo rio São Francisco, busca-se delinear um posicionamento em que a Arqueologia seja capaz de compreender as diversas relações existentes entre as comunidades locais e o seu patrimônio arqueológico. Assim, a pesquisa arqueológica subaquática surge como uma forma de mediarmos uma relação de autorreconhecimento da sociedade para com o seu patrimônio cultural subaquático.

  • MARCIA JAMILLE NASCIMENTO COSTA
  • Arqueologia Marítima egípcia: uma proposta de pesquisa das sociedades dos oásis do Período Faraônico
  • Orientador : GILSON RAMBELLI
  • Data: 26/03/2013
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Embora a sociedade egípcia do Período Faraônico tenha se constituído pelo o modo de vida ligado intrinsecamente ao ambiente aquático, seja para a subsistência, socialização e/ou de forma simbólica, a Arqueologia Egípcia se destaca pelos estudos corriqueiramente voltados unicamente para a terra, pondo em evidência o mundo funerário e a arquitetura monumental. Os sítios são analisados do ponto de vista das áreas às margens do Nilo, porém ignorando o seu entorno que se define por sua união de forma física ou cognitiva com espaços aquáticos. Consequentemente, as áreas de oásis, que se encontram no Deserto Ocidental, também não raramente são postas de lado no que diz respeito a este tipo de pesquisa, embora possuam um amplo potencial para estudos na área. Desta forma, a proposta é observar a sociedade egípcia dos oásis do ponto de vista da Arqueologia Marítima sob a definição de Seán Francis McGrail, que sugere o estudo dos usos de todos os ambientes aquáticos, sejam eles mares, rios ou lagos (o caso dos oásis), além da cultura material ligada a eles.

  • ÂNGELA ANDRADE FERREIRA
  • Musealização do Patrimônio Subaquático: Estudo de Caso sobre a Comunicação do Galeão Santissimo Sacramento.
  • Orientador : ELIZABETE DE CASTRO MENDONCA
  • Data: 26/03/2013
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A Arqueologia Subaquática, na condição de ciência social, busca a compreensão dos vestígios submersos provenientes de atividades realizadas pelo homem, que foram realizadas ou mantiveram relação com o ambiente aquático. A essa modalidade de vestígio arqueológico denominou-se de patrimônio cultural subaquático. Sendo uma categoria de patrimônio “emergente” no âmbito das leis e na sociedade, este tem sido espoliado e explorado enquanto atração turística numa perspectiva apenas comercial. Com base nesse contexto, a presente dissertação realiza uma abordagem da aplicabilidade da práxis arqueológica e museológica, tendo como ponto de reflexão o sítio de naufrágio do Galeão Santíssimo Sacramento. O foco principal é refletir sobre a musealização in situ, com o objetivo de tornar viável a comunicação museológica, sendo a última somada aos princípios da Arqueologia Pública, vertente da Arqueologia que realiza uma abordagem sobre a relação do público e/ou sociedade com a dada ciência. Buscasse identificar os limites e possibilidades da musealização do patrimônio cultural subaquático, bem como do seu potencial turístico, trazendo ao conhecimento da comunidade as ameaças que recaem sobre este patrimônio ao ser explorado de forma não predatória, possibilitando a articulação entre os setores: público, privado, acadêmico e a comunidade, na busca das estratégias de valorização e preservação deste patrimônio e através de uma ação unificada tornar possível o desenvolvimento sustentável do patrimônio cultural subaquático.

  • KARINA LIMA DE MIRANDA PINTO
  • Arqueologia e conformação de identidades das comunidades indígenas do Nordeste: um estudo de caso dos Xucuru-Kariri.
  • Orientador : PAULO JOBIM DE CAMPOS MELLO
  • Data: 26/03/2013
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A categoria “índios do Nordeste”, amplamente estudada na Antropologia desde o final da década de 1940, trás como ponto central o processo de reivindicação e reestruturação étnica dos povos indígenas desta região. Dentro dessa categoria, classificada pelo “mundo não-índio”, se encaixa os Xucuru-Kariri de Palmeira dos Índios/AL, que desde a década de 1950 vêm conquistando espaço na luta pelo direito ao reconhecimento e livre exercício de sua identidade étnica. Entretanto, entre os Xucuru-Kariri existem, além dos sinais diacríticos comumente utilizados para afirmação de sua identidade, a atribuição de valor simbólico aos sítios arqueológicos pré-coloniais do município que, para eles, correspondem a sua ancestralidade na região. Ao longo do processo de reestruturação do grupo os sítios arqueológicos sempre estiveram presentes nos trabalhos produzidos por antropólogos, historiadores e arqueólogos. Porém, no que se refere à produção arqueológica os sítios foram classificados a partir de uma perspectiva histórico-cultural, desconectando dentro da academia qualquer possibilidade de diálogo entre a visão Xucuru-Kariri e a visão dos pesquisadores. Através do viés da Arqueologia Pública, orientada pelos preceitos teórico-metodológico multivocal, a pesquisa buscou analisar o lugar que a cultura material e a Arqueologia ocupam para o grupo e o que esta ciência tem feito por ele. Foi realizado na área um mapeamento participativo que promoveu o diálogo horizontal entre pesquisadora e comunidade. Aliado a perspectiva atual da Arqueologia Reflexiva, tentou-se buscar a quebra da visão hegemônica que muitas vezes reproduz a violência epistêmica determinada pela modernidade no que se refere a processos dicotômicos entre sociedades distintas. Os resultados obtidos trouxeram a visão da materialidade local a partir da ótica Xucuru-Kariri, como é manipulada pelo grupo e significada dentro do seu universo cosmológico e (re)significada no “mundo não-índio”.

  • JACIARA ANDRADE SILVA
  • O CORPO E OS ADEREÇOS: SEPULTAMENTOS HUMANOS E AS ESPECIFICIDADES DOS ADORNOS FUNERÁRIOS
  • Orientador : OLIVIA ALEXANDRE DE CARVALHO
  • Data: 22/03/2013
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • O trabalho tem por objetivo analisar os sepultamentos humanos através dos métodos propostos pela Arqueotanatologia tendo como foco o modo de deposição do esqueleto em sua sepultura, bem como, os acompanhamentos do tipo adornos a eles pertencentes de modo particular. Seguindo os métodos acima mencionados, é promovida uma abordagem dos sepultamentos humanos de forma detalhada para compreender sua deposição original (quando assim mantidos) e demais elementos que possibilitem uma correlação entre os indivíduos e os artefatos específicos depositados em suas sepulturas. A caracterização de cada esqueleto e suas particularidades como patologias e demais alterações devem ser consideradas para traçar um perfil do morto. No que se refere aos adornos, são analisados conforme suas características geométricas e o tipo de material empregado em sua confecção buscando assim conhecer a “história” deste artefato estabelecendo uma ligação entre ele e o indivíduo a que foi depositado. Compreender o tipo do artefato também pode nos possibilitar um corte cronológico no que se refere principalmente, aos objetos pertencentes ao período após a chegada de grupos europeus. O envolvimento desses dois tipos de produtos atesta o contato do nativo com o recém-chegado, e a incorporação das contas europeias nos adereços funerários. A abordagem dos esqueletos humanos e dos adornos presentes em suas sepulturas visa uma compreensão desses agrupamentos, através das ações empregadas nos ritos funerários, considerando que o cuidado com o morto, reflete em muitos aspectos o grau de importância dado ao vivo.

  • JEANNE ALMEIDA DIAS
  • AQUIS URBIS: Um estudo de salubridade no Centro Histórico de Salvador
  • Orientador : MARIA DE BETANIA UCHOA CAVALCANTI BRENDLE
  • Data: 22/03/2013
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • No decorrer do desenvolvimento dos agrupamentos humanos, algumas questões apresentaram-se de forma imperativa para garantir a manutenção da integralidade e vida de seus agentes. Nesse sentido, aspectos infraestruturais formavam os escopos de primordiais. Inseridas nesse processo de ocupação e fixação em diferentes territórios em momentos históricos diferenciados, estiveram àquelas resoluções ligadas a medidas salubres, que por via-de-regra, desdobravam em formas deprevenção de doenças, contenção e separação dos espaços insalubres e, mais tarde assepsia corporal. O presente estudo tem como objetivo identificar e compreender a relação entre o processo desenvolvimento da cidade de Salvador e as preocupações voltadas à obtenção da salubridade no lócus denominado “Centro Histórico”. Para tanto, pesquisou-se a ocorrência e implantação de mecanismos de infraestrutura sanitária nesta área da cidade, percebidas a partir século XVIII, o que antecede as proposições higienistas dos socialistas utópicos europeus. Dessa maneira, esta investigação volta-se para a compreensão da presença de esgotamento sanitário nesta área da cidade e as possíveis relações com aspectos sociais, econômicos e políticos. Com o intuito de fornecer respostas profícuas às questões levantadas, o estudo metodologicamente (1) se fundamenta na construção de um embasamento teórico-conceitual, a partir da retrospectiva histórica sobre as preocupações sanitárias ao longo do processo de formação de cidades, desde antiguidade clássica até as cidades modernas; (2) retoma considerações de outros estudiosos sobre questões referentes a estudos da Arqueologia urbana, histórica e da Arquitetura, no intuito de entender como o conhecimento processado, por esses, poderia auxiliar no desvelamento do tema e, (3) a partir da junção de dados arqueológicos, históricos, arquitetônicos, geográficos, àqueles vindo das engenharias e o conhecimento apreendido da matéria, busca estabelecer uma interpretação a respeito dos vestígios da rede de esgotamento sanitário exumados durante as prospecções arqueológicas realizadas pela 7ª Etapa do Projeto de Recuperação do Centro Histórico de Salvador, especificamente “Projeto Pelourinho”, efetivado pelo Programa Monumenta com recursos financeiros da UNESCO. Mesmo tratando-se de uma abordagem inicial dado ao ineditismo do tema dentro da discussão arqueológica, espera-se contribuir como ponto de partida para novas pesquisas e trabalhos nos quais a temática de esgotamento sanitário e questões a ela associadas se tornem parte relevante para o entendimento dos contextos urbanos investigados.

  • ELAINE ALVES DE SANTANA
  • ENTERROS DESVIANTES NO REGISTRO ARQUEOLÓGICO: IDENTIFICAÇÃO DEPOSIÇÕES HUMANAS ATÍPICAS E SUA CORRELAÇÃO COM EVIDÊNCIAS SINALIZADORAS DE VIOLÊNCIA.
  • Orientador : OLIVIA ALEXANDRE DE CARVALHO
  • Data: 22/03/2013
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Entre as evidências arqueológicas, a prática funerária se destaca como contexto intencionalmente planejado e tanto o tratamento dado ao cadáver, por cada grupo, quanto às manifestações de violência, que tem acompanhado a vida em sociedade desde os seus primórdios, estão imbuídos de valores e sentimentos. O objetivo deste estudo foi identificar formas de deposições atípicas e investigar se há correlação entre estes sepultamentos humanos anômalos e a existência de traumas associados à violência no material estudado. Para tanto, o foco desta pesquisa consistiu em analisar três enterramentos humanos provenientes de dois sítios arqueológicos situados na região do Baixo São Francisco, localizados nos estados de Sergipe e Alagoas. Metodologicamente essa investigação foi fundamentada na interpretação dos dados obtidos por meio do levantamento documental e bibliográfico, dos procedimentos de escavação recomendados pela Arqueotanatologia (antiga Antropologia de Terreno) e pelo diagnóstico e etiologia dos traumas presentes nos remanescente osteológicos humanos. Os três esqueletos estudados apresentaram características na forma de deposição que os tornaram distintos e únicos, ademais estavam associados à práticas violentas relacionadas aspectos rituais, uma vez que não foram identificados sinalizadores de guerras ou de conflitos interpessoais e sendo considerando o contexto em que estavam inseridos.

  • VANESSA SANTOS SOUZA
  • Particularidades e Similaridades do Registro Rupestre da Fazenda Mundo Novo em Canindé de São Francisco-SE
  • Orientador : SUELY GLEYDE AMANCIO MARTINELLI
  • Data: 20/02/2013
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • A Região de Xingó possui um grande acervo arqueológico e desde o fim da década de 1980 pesquisas estão sendo realizadas em prol do enriquecimento de dados a respeito do homem pré-histórico local. A partir dessas pesquisas iniciais foram estudados 15 sítios com grafismos rupestres entre os estados de Alagoas e Sergipe, onde se evidenciou que o local apresenta particularidade temática entre os sítios com difícil inserção às tradições rupestres. No entanto, por meio de novas prospecções foi identificado um grande número de sítios com registro rupestre nos estados da Bahia, Alagoas e Sergipe. Nesta pesquisa em particular, foram catalogados os sítios da região alta de Xingó, a região do platô, onde se percebeu que existem nesta área algumas concentrações de grafismos, dentre estas a que se encontra no território sergipano, mais precisamente na Fazenda Mundo Novo no município de Canindé de São Francisco. A partir destas pesquisas preliminares, surgiram alguns questionamentos a respeito da particularidade e da identidade gráfica presente em Xingó, inclusive chegou-se a se pensar que a região pode apresentar uma nova tradição ou como sua temática gira em torno de grafismos geométricos, pode estar relacionada com este horizonte gráfico. A Fazenda Mundo Novo, objeto de estudo desta pesquisa, corrobora com essas informações e os três dos seis sítios analisados neste trabalho, apresentam repertório temático em comum com o restante da região, da mesma forma que apresentam também elementos particulares e singulares, o que sugere que a área de estudo pode ter sido um local de continuidade e consolidação cultural.

  • SEBASTIÃO LACERDA DE LIMA FILHO
  • PINTURA RUPESTRE: definição das fronteiras da Subtradição Sobradinho - BA.
  • Orientador : SUELY GLEYDE AMANCIO MARTINELLI
  • Data: 08/02/2013
  • Dissertação
  • Visualizar Dissertação/Tese   Mostrar Resumo
  • Pesquisas atuais sobre registros gráficos pré-históricos têm recebido relativa atenção em todo o território brasileiro. Nota-se uma expressiva dedicação na região nordestina desde a década de 1970 por missões franco-brasileiras e por outros pesquisadores nela erradicados. A Área Arqueológica de Sobradinho, região Noroeste da Bahia, limítrofe entre o Médio e o Submédio São Francisco, mostra-se propícia para a pesquisa arqueológica em decorrência do grande número de sítios que nela vêm sendo identificados. Na fase atual dos estudos, limita-se, ao norte, com a fronteira da Bahia com o Piauí; a leste com a fronteira da Bahia com Pernambuco e com o talvegue do Rio Salitre; ao sul, com a coordenada UTMN 8700 e, a oeste, com a UTMS 100. Faz parte do polígono das secas da região Nordeste. Situa-se a 70 km ao sul do Parque Nacional Serra da Capivara. Na área em apreço busca-se identificar as fronteiras da Subtradição Sobradinho que se caracteriza pela dominância da temática que apresenta traços contínuos, em diagonal ascendente e descendente, quando horizontais, ou da esquerda para a direita e vice-versa, quando verticais. O universo gráfico da Subtradição Sobradinho encontra-se, predominantemente, em suportes de rochas da Chapada Diamantina, Formação Tombador. Pela contiguidade e pela semelhança das feições da presente pesquisa com a unidade onde essa subtradição foi identificada, formula-se a hipótese de que seus conjuntos gráficos pertençam à mesma subtradição. Acredita-se, que seu espaço geográfico abrange a área compreendida entre o Rio São Francisco, ao norte, o Riacho Tatauí, a leste, o Riacho São Pedro, ao Sul e o Riacho da Samambaia a oeste.

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2020 - UFRN - bigua2.bigua2 v3.5.16 -r12692-c69972fb69