Dissertações/Teses

Clique aqui para acessar os arquivos diretamente da Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da UFS

2018
Descrição
  • TATIANA SILVA SALES
  • Intelectuais e "folclore" em Sergipe: um estudo sobre a Comissão Sergipana de Folclore (1948-1976)
  • Orientador : WILSON JOSE FERREIRA DE OLIVEIRA
  • Data: 30/08/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A Comissão Sergipana de Folclore – CSF, objeto de estudo desta pesquisa, é criada em 1948 como uma iniciativa do “movimento folclórico” brasileiro institucionalizado através da Comissão Nacional de Folclore, criada em 1947 como resposta às iniciativas de promoção à paz e à diversidade empreendidas pela UNESCO no período conhecido como pós-guerra. A CSF reuniu uma plêiade de intelectuais ao longo dos seus setenta anos de existência. Muitos deles estiveram ligados a outras instituições culturais sergipanas, como a Academia Sergipana de Letras, o Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe, a Universidade Federal de Sergipe, a Secretaria de Estado da Cultura, o Instituto de Música, a Faculdade Católica de Filosofia de Sergipe e a Sociedade de Cultura Artística de Sergipe. Dessa maneira, algumas questões apresentam-se como bastante pertinentes a este trabalho: identificar quem foram esses profissionais ligados à CSF e que tiveram ação considerada expressiva dentro da instituição ao longo de sua existência e nas ações que empreenderam; que espaços ocuparam; por que o folclore é escolhido como “causa” por esse grupo social e como se deu sua articulação com a orientação das políticas de defesa do folclore brasileiro em associação com as esferas estatais local e federal. Além disso, que concepções de folclore foram construídas e difundidas a partir desses atores em seus “lugares de fala”. Com isso, nosso objetivo é traçar uma abordagem que auxilie na ampliação do entendimento do que é concebido como folclore em Sergipe - posto que se apresenta como categoria social e historicamente construída - por meio da contribuição dos intelectuais que fizeram parte da CSF. Desta forma, estruturamos este trabalho em três capítulos, de maneira a fornecer uma contribuição à trajetória dos estudos de folclore em Sergipe. Tal abordagem visa realizar uma inserção sócio-histórica em grupos que pensaram e fizeram usos das categorias de “folclore”, “cultura popular”, “povo” e “política”. Por fim, nas considerações finais, procuramos demonstrar como a pesquisa se mostra relevante para compreendermos como indivíduos pertencentes à Comissão Sergipana de Folclore contribuíram, com essas concepções, para a institucionalização dos chamados “estudos de folclore” em Sergipe. Essa contribuição pode ser vista como uma tradução de diversos níveis de articulações relevantes entre instituições da sociedade civil, órgãos do poder público e universidade, para conferir ao folclore status por meio de diferentes abordagens dentro da própria CSF: “saber do povo”, “tradição”, “essência” que deveria ser pesquisada, compreendida, divulgada, preservada e mantida como expressão viva da “cultura” e “identidade” sergipanas.

  • MONIQUE MARIA MARQUES MACHADO
  • "O QUE VEM DO OUTRO": REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DE PROFESSORES DO ENSINO FUNDAMENTAL SOBRE VIOLÊNCIA.
  • Orientador : MARCOS SANTANA DE SOUZA
  • Data: 20/08/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A pesquisa consiste em um estudo das representações sociais de professores do ensino fundamental da rede pública municipal de educação da cidade de Aracaju e grande Aracaju, a fim de compreender os significados associados à violência e seus desdobramentos a partir de suas trajetórias profissionais. O problema de pesquisa teve como base as representações sociais de professores sobre violência. Os sujeitos de pesquisa são professores e professoras efetivos da rede pública municipal de educação da cidade de Aracaju e grande Aracaju, que lecionam ao ensino fundamental I e II, na faixa etária dos 25 e 65 anos. Os objetivos que nortearam tal pesquisa visaram: a) Identificar os fatores sobre os quais a violência está assentada, b) Compreender como a violência é representada pelos professores do ensino fundamental c) E verificar quais as condições sociais que permitem a emergência dessas categorias. A violência é um assunto corriqueiro e fenômeno crescente no cenário brasileiro, possuindo um caráter múltiplo e uma pluralidade de manifestações, porém, quando vinculada à imagem dos professores estes são colocados majoritariamente num papel de vítima, sendo esta violência sempre compreendida como uma violência exercida pelo outro. Desta forma, viu-se a relevância de ter os professores como sujeitos de pesquisa, para assim, saber quais significados estes atribuem ao fenômeno da violência de um modo generalizado. O referencial teórico traz uma discussão acerca da violência, dando ênfase a violência no cenário brasileiro. A metodologia empregada neste estudo está amparada numa abordagem qualitativa e os instrumentos utilizados para coleta de dados fundamentam-se na aplicação de entrevistas em profundidade, do tipo semiestruturada, o que permitiu um diálogo mais espontâneo com os professores sobre o tema da violência. O conteúdo das entrevistas foi escutado e transcrito integralmente. Para efeito de análise, foi utilizada a análise de conteúdo como proposta por Bardin (1977) por meio da criação de eixos temáticos, de modo que estes permitissem alcançar os objetivos propostos para este estudo sendo estas análises realizadas sob a luz das representações sociais como proposta por Moscovici (2003).

  • LUANA GARCIA FELDENS FUSARO
  • JUVENTUDE E OCUPAÇÕES CULTURAIS EM ARACAJU: ARTE E POLÍTICA
  • Orientador : LUIZ GUSTAVO PEREIRA DE SOUZA CORREIA
  • Data: 14/05/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Em Aracaju é possível identificar a formação de grupos juvenis que adotam espaços públicos para desenvolver encontros culturais abertos, voltados para atividades artísticas diversas, em especial, a música. Esta pesquisa resulta da observação de três destas manifestações: o Ensaio Aberto, o Sarau de Baixo e o Clandestino, que promoveram entre os anos de 2013 e 2016, eventos de expressão cultural em locais públicos, de forma autônoma e espontânea. Os grupos apresentam aproximações em relação ao perfil de público, ao formato dos eventos, aos estilos, e a postura política que assumem, com reivindicações sobre o acesso à cultura, ao fomento artístico e ao direito à cidade. Assim, busco pensar a arte, a cultura e os encontros, como uma ferramenta de ação, de reivindicação, não só dos espaços físicos, mas também de expressão, de criação e de fala.

  • MARIA CRISTINA SIMÕES VIVIANI
  • CORPO E PODER EM ACAMPAMENTOS EDUCATIVOS DE LAZER PARA ADOLESCENTES
  • Orientador : FRANK NILTON MARCON
  • Data: 27/03/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Os acampamentos educativos são empresas que oferecem serviços de lazer para adolescentes durante as férias escolares. Eles têm a particularidade de oferecer um serviço em que os adolescentes estão envolvidos intensamente em atividades, em um espaço destinado exclusivamente ao convívio entre indivíduos da mesma faixa etária, com a mediação da infraestrutura do acampamento e do acompanhamento dos monitores, sem a presença do seus pais. Tenho como objetivo compreender a partir do diálogo com as percepções dos adolescentes frequentadores deste espaço, como eles experimentam e constroem suas noções sobre corpo e as implicações que tais noções têm para eles. Procurei entender as negociações e disputas de poder entre os acampantes e seus monitores analisando quais são os motivos que os levavam ao questionamento e embate. Assim, demonstrando como eles reproduzem e contrapõe os sentidos adultos e o controle do acampamento sobre o corpo e o que ele significa nas relações de poder.

  • ISABELA MARIA PEREIRA BARBOSA
  • Entre o ajeum e a “comida afro-indígena”: Mãe Neide Oya D’ Oxum e a alimentação na Serra da Barriga, Alagoas.
  • Orientador : CLOVIS CARVALHO BRITTO
  • Data: 26/03/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A dissertação analisa a alimentação na Serra da Barriga, Alagoas, a partir dos impactos da criação do Restaurante Baobá Raízes e Tradições, fundado pela ialorixá e chefe de cozinha Mãe Neide Oyá D’Oxum. Tendo como recurso metodológico a análise da trajetória da ialorixá, os discursos em torno da comida produzida em seu restaurante e seu papel como “guardiã da memória”, o trabalho problematiza as construções e as tensões nas interfaces entre a “comida quilombola”, a “comida do sagrado” e a “comida afro-indígena” naquela localidade. Para tanto, evidencia esses debates a partir de uma pesquisa etnográfica que teve como itinerário as narrativas produzidas pela ialorixá e reforçadas pelo “turismo eco- étnico” no Restaurante Baobá Raízes e Tradições, localizado na Serra da Barriga, nos arredores do Parque Memorial Quilombo dos Palmares (PMQP), e do silenciamento dos moradores sitiados ao redor do PMQP e dos quilombolas da comunidade de Muquém.

2017
Descrição
  • ANA LUISA LISBOA NOBRE PEREIRA
  • LUTANDO PELA TERRA E FAZENDO O MORADOR: TERRITÓRIO E IDENTIDADE EM UMA VILA PESQUEIRA.
  • Orientador : HIPPOLYTE BRICE SOGBOSSI
  • Data: 31/08/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O objetivo desta pesquisa é a análise do processo de emergência identitária e da construção do território de uma comunidade de pescadores localizada na costa leste do estado do Ceará, a Vila do Estevão. Nesse sentido, focalizo o campo de relações prático-discursivas sobre as diferenças no centro do qual agentes situados se apropriam simbolicamente de discursos e categorias normativas, criando um campo político autônomo que funciona como instância intermediária onde a coletividade politicamente organizada instrumentaliza seus revides. Após sucessivas intervenções estatais através de atos administrativos relativos ao território, a Associação local teve parte do território titulado definitivamente. Porém, a existência de cláusulas resolutivas e a forma como o órgão público conduziu a titulação fizeram com que os moradores interpretassem que o título teria vigência por dez anos, podendo ser renovado caso fossem cumpridas as condições contratuais. Durante uma década, a Associação buscou criar reputação com o órgão pela demonstração de comprometimento. Assim, normatizou a atribuição do direito à um lote de moradia como um processo administrativo interno e selecionou dentre os modos de constituir relação familiar e as modalidades de praticar o território aqueles que pudessem servir à formação de uma política de reconhecimento nativa. Uma “cláusula” passou a ser aplicada aos próprios moradores, que devem participar das mobilizações associativas por um ano, ao fim do qual espera-se que a burocracia possa ter contribuído para instituir novas modalidades de pertencimento e produzir territorialidades específicas voltadas à luta pela terra.

  • LÍDIA DE OLIVEIRA MATOS
  • TRANSIÇÃO CAPILAR: CABELOS, CONSUMO E INTERSECCIONALIDADE NO CIBERESPAÇO.
  • Orientador : LUIZ GUSTAVO PEREIRA DE SOUZA CORREIA
  • Data: 25/08/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O processo de transição capilar ocorre, quando se deixa de alterar a estrutura dos fios do cabelo com o uso de produtos cosméticos a base de substâncias químicas resultando em um aspecto liso e este cabelo crescente passa a ser cuidado de maneira diferenciada. Este processo tenciona os padrões de beleza impostos às mulheres, afeta a autoestima e suscita discussões sobre consumo, as relações raciais e de gênero no contexto brasileiro. Partindo de um levantamento dos conteúdos produzidos e postados em dois canais no YouTube sobre transição capilar e os termos nativos que são usados para se referir aos cabelos transicionados, busco perceber como se dão as disputas em torno da construção dos significados deste, analisando as praticas de consumo e a intersecção entre raça e gênero. Essa investigação tem como lócus o ciberespaço, aqui destacamos a importância das redes sociais, sites e plataformas digitais como espaço de divulgação de conhecimentos a cerca dos cabelos, formas de cuidado, penteados, produtos específicos, entre outras discussões como feminismo, racismo, machismo e veganismo. Nesta dissertação apresento uma visão panorâmica dos estudos sobre cabelos no Brasil, ressalto o momento de surgimento do alisamento capilar, delineio as características do processo de transição capilar e as inovações que o seguem, exponho como processo de transição capilar tem se organizado no ciberespaço, articulado a uma discussão orientada por uma perspectiva do consumo e da Interseccionalidade raça e gênero, percebendo como se dá a circulação desses conteúdos, as praticas de consumo e as disputas de sentido em torno dos termos nativos.

  • KAROLINE COELHO FERREIRA
  • Plantar, colher e comer com amor: Estratégias de produção e consumo de alimentos da rede agroecológica “Camponês a camponês” em Sergipe.
  • Orientador : UGO MAIA ANDRADE
  • Data: 05/07/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O presente trabalho tem por intenção abordar as principais estratégias adotadas entre as relações de produção e consumo de alimentos da Rede Camponês a Camponês. No ano de 2012 formou-se no Território Sul Sergipano uma rede de agricultores (as), pesquisadores e técnicos extensionistas envolvidos na construção do conhecimento agroecológico através de reuniões, atividades de intercâmbio e oficinas de práticas agroecológicas; indagados sobre as motivações que os trazem nesta construção coletiva de um trabalho agroecológico, um dos motivos mais fortes presentes em suas falas é “a produção de um alimento saudável para família”. Considerando que o consumo alimentar é perpassado por fatores culturais, políticos e econômicos, e que o termo “saudável” utilizado por eles (as) diz respeito ao não uso de insumos químicos, logo estabelece uma relação direta ao modo de produção de alimentos, procuro analisar de que forma a construção e manutenção de uma rede agroecológica se dá, neste caso, como estratégia de possibilitar o acesso à uma maior diversidade de alimentos saudáveis, trocas de sementes e sobretudo valorização do conhecimento envolvido na produção da matéria prima e preparo do “alimento camponês”. Neste sentido compreendendo este alimento não apenas como matéria a sustentar um corpo biológico, mas também como linguagem que comunica sobre as necessidades, escolhas e que vem ressignificando a cultura camponesa entre estas famílias.

  • MARINA SALLOVITZ ZACCHI
  • CONTORNOS DA CULTURA: ¬ REPRESENTAÇÕES SOBRE O PROCESSUAL E O DINÂMICO NO REGISTRO DE BENS DE NATUREZA IMATERIAL COMO PATRIMÔNIO CULTURAL DO BRASIL.
  • Orientador : ULISSES NEVES RAFAEL
  • Data: 27/06/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A pesquisa está voltada à prática do antropólogo nos quadros do Estado, às distensões que se processam na apropriação e instrumentalização do arcabouço teórico conceitual da antropologia para a elaboração e implantação de uma política pública brasileira voltada à proteção e promoção do patrimônio cultural de natureza imaterial, de que tem sido dito ser orientada pelo princípio antropológico de cultura. Inicialmente, busco proceder a uma arqueologia da noção de bem cultural, propondo que esta deva ser entendida segundo as sucessivas camadas de discursos e práticas com que foi sendo delineada e que informam os usos que dela são feitos ainda em tempos atuais, refletindo acerca dos modos porque a vinculação entre patrimônio cultural e identidade situa o lugar da diferença em políticas de estado que apregoam a diversidade. Em seguida, com apoio em noções em que percebo os mais significativos pontos de fricção entre o arcabouço teórico da antropologia e a política de proteção ao patrimônio imaterial orientada pelo conceito antropológico de cultura ­ sistema, interação e reflexividade ­ abordo enquanto práticas discursivas os dossiês de registro como patrimônio cultural do Brasil de alguns bens culturais, escolhidos enquanto emblemáticos dos usos dessas noções na efetivação dessa política pública específica, buscando apontar como esses diferentes usos induzem ações de intervenção social orientadas por diferentes princípios e propósitos ou diferentes posicionamentos ideológicos.

  • ANA PAULA OLIVEIRA BARROS
  • HOMENS E MULHERES PRODUTORES DE HQ: DISCURSOS SOBRE O CORPO E A SEXUALIDADE DA MULHER NA INDÚSTRIA CULTURAL
  • Orientador : LUIZ GUSTAVO PEREIRA DE SOUZA CORREIA
  • Data: 30/05/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Podemos dizer que as histórias em quadrinhos fazem parte de um contexto histórico e social específico e são produzidas por sujeitos históricos situados, e assim colaboram com os valores que permeiam determinada sociedade. Por isso, devemos sempre fazer uma leitura crítica das HQs, analisando-as enquanto linguagem e levando sempre em consideração os discursos, sejam eles hegemônicos ou não, ali inerentes. Assim, sendo a HQ um dos principais produtos da Indústria Cultural e espaço privilegiado de comunicação não verbal, ela torna-se uma rica referência de construção da imagem da mulher, que muitas vezes acaba reificando o corpo e a sexualidade feminina com o intuito de satisfazer o gênero masculino. É importante também lembrar que as personagens femininas de quadrinhos foram durante muito tempo idealizadas por homens e para homens, de acordo com o seu discurso acerca do que é ser mulher, construindo seus corpos de acordo com expectativas masculinas. Desta forma, a pesquisa aqui proposta tem por interesse estudar os discursos relacionados ao corpo e a sexualidade feminina presente nas HQs. Para isso, primeiramente, o trabalho tratará do processo de construção do corpo da mulher como um objeto sexual e mercadológico por meio do olhar e do discurso masculino. Em seguida, levando em consideração que a HQ é um elemento da Indústria Cultural, esta será tratada como um dispositivo do “biopoder” para o controle da sexualidade e do corpo da mulher. E, por fim, haverá a análise dos discursos, principalmente os imagéticos, relacionados ao corpo e a sexualidade feminina, tanto os presentes nas HQs produzidas por homens quanto por mulheres.

  • ALDJANE DE OLIVEIRA
  • POVO WASSÚ COCAL: TERRA, RELIGIÕES E CONFLITOS
  • Orientador : UGO MAIA ANDRADE
  • Data: 26/05/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • No presente trabalho apresento, inicialmente, uma retrospectiva da história do Povo Wassú Cocal, com uma análise à luz da Antropologia, para que assim o povo Wassú esteja situado dentro da etnologia e da história na sociedade brasileira.

    Esta pesquisa tem como principal foco, buscar, analisar e compreender como se dá as relações e convívio entre os Wassú evangélicos e os Wassú católicos-Ouricuri, tendo em vista os ambientes e situações geradores de possíveis conflitos.

    Tais conflitos que podem surgir no cotidiano do povo Wassú Cocal, geralmente sutis, silenciados ou expressados, tomo-os dessa forma a partir de opiniões, posicionamentos, convites ou exclusões nas atividades do dia a dia da comunidade, tendo como base as distintas religiões praticadas na mesma.

    Não os tomo, os conflito, somente no sentido mais bruto da palavra, quando se chegaria a vias de fato, mas sua forma mais branda, o conflito simbólico. Considero como ambientes- conflitos principalmente predileções para participação de eventos fora das terras indígenas, disputas por cargos públicos e de liderança na própria comunidade ou fora dela, influencia de ideologias evangélicas dentro das escolas indígenas, assim como a prática ou a noção de cura entre Wassú evangélicos e Wassú praticantes do Ouricuri.

    Numa tentativa de melhorar o desenvolvimento teórico e a escrita desta pesquisa, utilizo os termo Wassú evangélicos e Wassú católicos-ouricuri, este como categoria teórica para analisar o grupo de pessoas que se declara católico, mas que praticam Ouricuri, cumprem com as obrigações e que guardam os segredos dos rituais e crenças dos ancestrais.

  • ELINE LIMEIRA DOS SANTOS
  • OCUPAÇÃO SANTA MARIA: CONFLITOS, INFÂNCIAS E BRINCADEIRAS
  • Orientador : FRANK NILTON MARCON
  • Data: 30/03/2017
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O presente estudo aborda a criança como um ator social, tendo como principais fundamentos os estudos da Antropologia e da Sociologia da Infância. Como objetivo geral, pretendo analisar, através das subcategorias contidas no brincar, como as crianças que vivem em uma Ocupação do Movimento Sem Teto, em Aracaju/SE, vivenciam suas infâncias. Pretendo identificar por meio de suas vozes, fazeres e sentires, como a problemática da moradia urbana se manifesta no brincar. Trata-se de um estudo de cunho etnográfico, executado na Ocupação denominada Santa Maria, que consiste essencialmente na ocupação de prédios e do terreno da antiga Casa de Saúde Santa Maria, localizada no Bairro Siqueira Campos. O estudo privilegiou o espaço da ocupação como um lugar de interlocução com os participantes da pesquisa que foram as crianças. Como procedimentos metodológicos, adotei a observação participante, o Diário de Campo acompanhado de notas de campo, aprofundadas posteriormente pelo registro fotográfico e pelos vídeos realizados pelas próprias crianças, além das entrevistas abertas no formato de conversas informais. A análise dos dados foi realizada diariamente através da escrita do Diário de Campo e da revisão bibliográfica a partir do que considero as três categorias principais de análise: a infância, a moradia e o brincar. Os resultados revelaram que as crianças utilizam o espaço que lhes é ofertado pelos adultos, para realizarem constantes ressignificações dos seus usos. Os resultados também apontam para as configurações das brincadeiras infantis dentro da ocupação e a sua íntima relação com os conflitos relacionados ao contexto de moradia irregular em que vivem. Faz-se necessário destacar também que o brincar foi uma das chaves principais para que a minha entrada no universo infantil fosse possível. Através da observação participante com as crianças, pude compreender as várias dinâmicas de socialização e de pertencimento presentes nas brincadeiras em um contexto social e político muito particular: o da ocupação por moradia realizada por famílias, que envolvem adultos e crianças.

2016
Descrição
  • JUCIMARA ARAUJO CAVALCANTE SOUZA
  • NASCER COMO UMA ALGAROBA E CRESCER COMO UM JUAZEIRO" - OS XOKÓ DA ILHA DE SÃO PEDRO
  • Orientador : UGO MAIA ANDRADE
  • Data: 15/09/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O presente trabalho orienta foco sobre os Xokó, localizados na ilha de São Pedro, região do baixo Rio São Francisco, no estado de Sergipe, trata-se de uma pequena comunidade indígena que passou por um processo de retomada territorial no final da década de 1970, tendo na Igreja católica - vertente teologia da libertação - seu principal instigador e apoio político. A Igreja nesse sentido desempenhou um papel diametralmente oposto ao seu passado missionário, agora positivando a diferença em tons de reparação. Com a recuperação do território, os então caboclos da Caiçara passaram gradativamente a se reorganizar enquanto coletivo indígena. Desse modo, através de incursões etnográficas na comunidade, essa pesquisa teve por objetivo refletir sobre as novas formas de organização social que se forjaram entre os Xokó a partir de dois processos observados: a retomada do ritual do ouricuri e a escolha de um novo cacique em contexto ritual. A proposta se dá sob a hipótese de que esses processos, após reconquista do território, contribuíram para que a comunidade investisse cada vez mais esforços numa certa forma de “fortalecimento da cultura”, o que envolveu um aprofundamento na linguagem ritualística do toré em sua variante, o ouricuri.

  • RENATA RENNÓ NUNES
  • RELAÇÕES INTERPESSOAIS CONFLITIVAS: ANÁLISE DE UMA HISTÓRIA DE VIDA EM UM TERREIRO DE UMBANDA SITUADO EM ARACAJU-SE, ENTRE OS ANOS DE 2014 E 2015.
  • Orientador : HIPPOLYTE BRICE SOGBOSSI
  • Data: 29/08/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O trabalho visa analisar a história de vida do dirigente de um terreiro de umbanda. Sua história se confunde com a história do terreiro, e após suas vivências em outras religiões, busco entender como ele organiza o terreiro e suas influências, e a partir de entrevistas gravadas, entender como (e se) acontecem conflitos e como eles interferem nos rituais. No trabalho de campo, contei com filmagens, gravações e conversas informais, além da minha observação no terreiro. Com os dados coletados, pude analisar através dos conceitos de conflito, poder e liminaridade como se dão as relações no terreiro, e principalmente, como o dirigente vê os conflitos e como se movimenta entre os grupos. Este trabalho teve duas etapas: minha primeira inserção no terreiro, de abril até setembro de 2014 e de março até outubro de 2015. Esse hiato de tempo foi importante para que o levantamento bibliográfico estivesse conversando com minhas vivências, o que fez muita diferença. Apesar de nem sempre conseguir entrevistar todos os participantes que eu queria, as entrevistas me deram subsídio para que eu percebesse que o grupo se mantém, apesar dos conflitos, e que Fábio não define claramente os grupos, o que parece ativar mais os conflitos. O estudo da história de vida de Fábio mostrou como sua vida e a formação do terreiro se confundem, e apresenta novas inserções do dirigente na umbanda, como a Jurema e o Daime. A umbanda, pelo fato de ser uma religião que se baseia na oralidade, faz com que cada terreiro tem suas regras, mas Fábio traz a religião de uma forma particular, acrescentando um pouco das religiões pelas quais passou na umbanda.

  • CARLA LUEDY REGO
  • Mídias Sociais e Etnografia Social - o blockbuster norte-americano Jogos Vorazes enquanto delimitador espacial em ambiente virtual para a construção de uma observação antropológica a partir da mídia Facebook.
  • Orientador : LUIZ GUSTAVO PEREIRA DE SOUZA CORREIA
  • Data: 29/08/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Esse trabalho constroi uma observação antropológica a partir da análise e catalogação de comentários publicados na mídia social Facebook, a partir do recorte viabilizado por uma determinada comunidade virtual. Tal comunidade foi escolhida em virtude de seu tema central, o blockbuster norte-americano Jogos Vorazes, lançado em formato fílmico no ano de 2012 e amplamente comercializado e divulgado no Brasil. Inicialmente construímos uma breve retrospectiva histórica sobre as diversas problemáticas que giram em torno da utilização das imagens em pesquisas acadêmicas bem como em trabalhos científicos, em virtude de suas formas de concepção e de utilização pelos indivíduos até então. O filme escolhido enquanto recorte espacial possui enquanto tema central um “Reality Show”, fenômeno televisivo extremamente contemporâneo e encontra-se inserido dentro do que alguns autores denominaram Indústria Cultural e sua resultante cultura de massa, o que nos leva a uma discussão a respeito da mesma e seus dispositivos constitutivos. Montamos um panorama histórico para viabilizar a compreensão das sociedades atuais, bem como para justificar uma suposta orientação do gosto cinematográfico das massas nas mesmas, mais especificamente o gosto do brasileiro e a preferência dos títulos norte-americanos. O despontamento do modelo capitalista de economia liderado pelos Estados Unidos da América pós-guerras, e o atrelado desenvolvimento da indústria cinematográfica Hollywoodiana, são considerados fatores determinantes para a difusão mundial das suas produções cinematográficas. Além disso, são discutidos os efeitos da difusão massiva de filmes norte-americanos em países de economia considerada por alguns autores, subdesenvolvidas, como no caso do Brasil. Finalmente, abordamos o surgimento das redes sociais, em especial da mídia social escolhida enquanto campo de observação virtual, o Facebook, a qual possui origem norte-americana e está situada entre as três mídias sociais mais utilizadas pelos brasileiros com acesso à internet atualmente, evidenciando as diversas possibilidades de manifestações sociais dos indivíduos que se apresentam tanto enquanto membros participantes quanto produtores e divulgadores de discursos diversos. A partir de toda essa abordagem histórico-cultural, esse trabalho promove a elaboração de uma etnografia da recepção através da observação dos comentários publicados por indivíduos dentro de uma comunidade da mídia social Facebook.

  • DIEGO BRAGANÇA DE SANTANA
  • FOTOGRAFIA E RESISTÊNCIA NA OCUPAÇÃO NOVO AMANHECER: EXISTE O INDIVÍDUO EM SOCIEDADE?
  • Orientador : LUIZ GUSTAVO PEREIRA DE SOUZA CORREIA
  • Data: 30/06/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • : No presente trabalho, visamos compreender como os atores sociais de uma comunidade da periferia de Aracaju, Sergipe, enxergavam e praticavam a política em seu cotidiano. Essas análises, são pautadas pela investigação acerca da memória, enunciada através das tessituras narrativas, que emergiam por intermédio de entrevistas concedidas pelos antigos moradores. A partir desses depoimentos, foi possível identificar o sentido da trajetória desses sujeitos em um tempo e espaço que se configurou por meio de processualidades simbólicas pretéritas que, por conseguinte, nos permitiram entender como se deram as relações entre os discursos, as identidades, a auto representação, o engajamento e a comunicação. Dado o exposto, optamos por utilizar como método de análise antropológica, a fotoetnografia e a etnografia do ciberespaço, somados a coleta e o cruzamento das informações obtidas a partir da filtragem das fontes documentais.

  • LUCAS MARTINS SANTOS MELO
  • "EM ARACAJU, TODO MUNDO É TABARÉU, EXCETO QUEM NÃO É!": Um estudo acerca da disputa simbólica entre tabaréus e citadinos
  • Orientador : ULISSES NEVES RAFAEL
  • Data: 31/05/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Em Aracaju é utilizado corriqueiramente o termo tabaréu para se referir àquele oriundo do interior, da roça, do campo, que possua uma conduta, no meio urbano, acanhada, ingênua, tacanha. A expressão pode ser usada de forma agressiva, como um xingamento, ou de forma jocosa com algum conhecido. No entanto, tem sido observado durante a realização da pesquisa, que quando ocorre o uso do termo é para se fazer uma distinção entre o ser moderno, sofisticado, urbano, citadino e pretensamente cosmopolita, daquilo que não pertence a essas categorias. Um uso marcado para diferenciação simbólica. É comum se ouvir expressões a respeito do tabaréu no Estado de Sergipe, como: "o tabaréu deveria ter horário para entrar na cidade, porque só faz atrapalhar o fluxo dela" ou "o tabaréu é o bicho que mais se parece com gente". A partir disso, o presente trabalho tem como objetivo a investigação sobre as disputas simbólicas envolvendo citadinos e tabaréus numa cidade projetada para ser capital, o que por si só fomentou a migração no sentido interior-capital. Aracaju é um caso particular porque na capital sergipana, temos a impressão de que alguns dos habitantes da cidade fazem questão de renegar esse passado, quando associado à tradição agrária ou provinciana, embora ainda preservem, inadvertidamente, práticas e costumes considerados “tabaréus”, muito provavelmente adquiridos através dos seus ascendentes. Itens como gastronomia, expressões verbais, modos de entretenimento (como a Cavalgada do Aribé), para citar alguns exemplos.

  • TAINAH MORAIS LAGO
  • MORTES POSSÍVEIS: ANÃLISE DE MANIFESTAÇÕES DA MORTE NO CINEMA DOCUMENTÁRIO OCIDENTAL
  • Orientador : LUIZ GUSTAVO PEREIRA DE SOUZA CORREIA
  • Data: 30/05/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa consiste em um estudo sobre as manifestações da morte no cinema documentário ocidental contemporâneo. As obras fílmicas aqui selecionadas apresentam diferentes enfoques sobre a mortalidade, abordando desde a morte do outro, marcado pela alteridade cultural em relação ao cineasta, até a morte de si, inserida em um contexto familiar aos realizadores. O exame empreendido sobre esse conjunto de filmes se alicerça sobre dois elementos fundamentais no campo desse gênero cinematográfico: o primeiro é a questão da inserção da obra em um espaço ético sancionado pela sociedade, e o segundo é referente à indexação do conteúdo fílmico como assertivo. A manifestação visual da morte documentada aponta para um espaço constituído por relações sociais concretas que constroem uma base ética própria, conferindo problematizações de ordem moral aos atos de produzir e/ou assistir tais imagens. É importante esclarecer que a representação visual da morte é realizada através dos seus dois correlatos: a violência - praticada contra o corpo vivo - e o cadáver, e que esses dois elementos estão associados ao termo, quando for referido neste trabalho. As concepções de morte atuam na estruturação dos meios de vida e, a partir desta noção, são retomados dados históricos sobre a iconografia da morte na sociedade ocidental, a partir do período medieval até os dias atuais. O percurso desta trajetória da confrontação do homem com sua condição de mortal, revelada através dos diferentes meios de apropriação da morte referentes a grupos sócio-históricos específicos, possibilita a percepção das noções atuais associadas ao tema como resultado de uma construção histórica, e não como sistematizações absolutas. Partindo do princípio de que a antropologia percebe o cinema como um produto cultural, as manifestações da imagem-intensa da morte no documentário são entendidas como registros das particularidades da nossa cultura acerca desta temática, constituindo um campo importante para a pesquisa antropológica.

  • VANESSA REGINA DOS SANTOS
  • PERFORMANCE E CONTRADIÇÃO SOCIAL NA FESTA DOS LAMBE SUJOS E CABOCLINHOS EM LARANJEIRAS/SE
  • Orientador : GILSON RAMBELLI
  • Data: 30/05/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho busca compreender a festa dos Lambe Sujos versus Caboclinhos partindo da conceitualização de festa e o que esta acopla, como brincadeiras, quebra de rotina, continuidade social e histórica, legitimidade, tomando como enfoque a performance no quesito teatral, trazendo um embasamento teórico e metodológico da aplicação de algumas ideias que surgiram no meio da pesquisa do mestrado. O objeto descrito é a festa que ocorre há mais de nove décadas na cidade de Laranjeiras em Sergipe cujo seu enredo é a luta entre negros e índios, Lambe sujos e Caboclinhos respectivamente, no entanto dentro desta narrativa existe de maneira indireta o branco, representado pelos capitães do mato como intercessores das relações com os indígenas. Assim sendo a história apresentada durante o segundo fim de semana do mês de outubro é a peleja conflituosa destas três etnias, que se desenrola com embates e uma série de símbolos e significados a serem descritos no decorrer do trabalho. Para o desenvolvimento desta pesquisa utilizarei diversos autores desde os mais clássicos aos mais contemporâneos, e se tratando de uma etnografia, será utilizada a pesquisa de campo e as aplicações de questionários semiestruturados em perguntas abertas e fechadas que serão de grande fundamentação para dar continuidade à análise, conversas informais e formais através de depoimentos e fontes historiográficas para a composição do contexto histórico e geográfico da cidade. O avanço da pesquisa atrelada à experiência e o embasamento teórico me conduzirá estruturar a dissertação sincrônica e diacronicamente para conduzir às devidas conclusões sobre as quais envolverá as ações apresentadas, chegando à conclusão de como as festas refletem os dilemas sociais vivenciados e relembrados através destas.

  • RENATA DE MELLO CERQUEIRA PEREIRA
  • O QUE ACONTECE EMBAIXO DA PONTE? JUVENTUDES E OCUPAÇÃO DE ESPAÇO PÚBLICO
  • Orientador : ULISSES NEVES RAFAEL
  • Data: 30/05/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O crescimento da cidade de Aracaju, nordeste do Brasil, proporciona questionamentos acerca da ocupação dos espaços urbanos. No histórico dela, e no caso desta pesquisa, é no bairro Industrial que surge o ponto de partida para o estudo do espaço cultural criado após a construção da ponte que liga a capital Aracaju ao município da Barra dos Coqueiros. Mediante uma Etnografia feita através de pesquisa de campo, observação participante, entrevistas e questionários, foram colhidas informações relevantes a respeito do grupo ‘Sintonia Periférica’, que em uma manifestação artística e política ocupa o espaço embaixo da ponte por meio do movimento hip-hop. Tal pesquisa teve como principal objetivo observar e analisar a forma como os jovens dessa localidade vêm ocupando e transformando o espaço, e as relações que essa intervenção artística em espaços públicos têm com a reurbanização e o crescimento da cidade. Perceber a dimensão das relações e seus modos de ação consequentes da reestruturação urbana, demostram as várias maneiras possíveis de novas formas de organização social e estrutural da cidade, apresentando pertinência na construção de conhecimentos não somente para Ciências Sociais, mas também para a Administração Pública e a comunidade em geral, pois ações como essas são resposta diárias a maneira como a cidade vem sendo ordenada e as suas consequências na vida cotidiana de seus moradores.

  • JOSUÉ FELIPE SILVA MAIA
  • CLAUDE LÉVI-STRAUSS E SUAS RELAÇÕES COM A OBRA DE SIGMUND FREUD
  • Orientador : UGO MAIA ANDRADE
  • Data: 30/03/2016
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa integra as investigações pertinentes à Teoria Antropológica e busca identificar convergências, divergências, incorporações e relações congêneres entre dois saberes, quais sejam, a Antropologia Estrutural e a Psicanálise. Para tanto, tomamos como objeto empírico a obra do antropólogo francês Claude Lévi-Strauss, expoente do estruturalismo na Antropologia e elegemos por recorte as suas críticas e paralelos presentes em alguns de seus textos em relação à obra de Sigmund Freud. Os capítulos foram norteados por discussões como noção de inconsciente, interdisciplinaridade nas teorias, interdição do incesto e autonomia da consciência.

2015
Descrição
  • CARLOS EDUARDO AVILA CASADO DE LIMA
  • A SENSABORIA DOS INDEFECTÍVEIS E DETESTÁVEIS MARACATUS”:UM ESTUDO SOBRE UMA EXPRESSÃO POPULAR EM ALAGOAS NA PRIMEIRA METADE DO SÉCULO XX.
  • Orientador : ULISSES NEVES RAFAEL
  • Data: 24/09/2015
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho busca analisar aspectos do carnaval da cidade de Maceió do início do século XX, sobretudo a inserção do maracatu entre os anos de 1903 até 1912, assim como o seu desaparecimento. O período em tela coincide com os anos que antecederam um dos episódios mais violentos de que se tem notícia na história dos cultos de matriz africana no Estado, que ficou conhecido como “o Quebra de xangô 1912”, e que implicou na destruição das principais casas de culto de Maceió e adjacências. A relação entre o desaparecimento dos maracatus e o quebra-quebra motivou a realização dessa pesquisa. Utilizamos como ferramenta analítica a ideologia higienista, na tentativa de explicar a intolerância contra os grupos de maracatus e terreiros no começo do ano de 1912, e que se refletiu nos dias de carnaval, com a falta dos grupos ligados as casas de xangô durante a festa. Nosso trabalho de pesquisa foi documental, tendo como fonte de informações os periódicos: O Orbe, A Tribuna, Gutemberg, Relatórios Provinciais e o Jornal de Alagoas, este último, trata mais especificamente dos aspectos carnavalescos noticiados nas colunas intituladas “Mascaradas” e “Carnaval”, respectivamente, acessados nos arquivos da Biblioteca Nacional e no Arquivo Público de Alagoas (APA). Assim, o que se pretende é uma leitura crítica dos aspectos pertinentes à participação de grupos populares nos festejos carnavalescos da capital alagoana, tal como apresentados nos jornais do Estado, especificamente, o maracatu. Encontramos uma referência do carnaval em 1911, em que um mestre de maracatu e considerado o Pai do Carnaval. Com o quebra-quebra e a saída do governador do Estado, devido instabilidade política do período as bases desses grupos foram desestruturadas, passando décadas desorganizados. No carnaval de 1912, os grupos de maracatu não veem as ruas e o arrefecimento da festa acontece. Nesse sentido nossa teoria se confirma entre colunas e críticas carnavalescas. O maracatu que existia na cidade é silenciado pela força das atitudes da época.

  • RUTH PAES RIBEIRO
  • "PORQUE NÓIS NUM TÊM FALA": UM ESTUDO SOBRE A ORGANIZAÇÃO POLÍTICA DA CEMQS: COORDENAÇÃO ESTADUAL DO MOVIMENTO QUILOMBOLA DE SERGIPE
  • Orientador : WILSON JOSE FERREIRA DE OLIVEIRA
  • Data: 31/08/2015
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Esta dissertação analisa as (medi) ações mobilizatórias de um grupo de lideranças quilombolas no estado de Sergipe. Através de inserções etnográficas nos eventos e situações bem como nos espaços de reuniões mensais para a organização da "Coordenação Estadual do Movimento Quilombola" observa-se a (pré) existência e (re) formação de uma rede de atores, agências e “coisas” em torno da política pública voltada para os chamados quilombolas no estado. A visualização da rede através dos eventos nos permite notar um conjunto de interesses, obrigações e práticas que elucidam discrepâncias de poder e interesses variados. A pesquisa pôde demonstrar que a inserção dos chamados quilombolas nos espaços de disputa por direitos sociais, os impulsiona à difícil tarefa de “organizarem-se politicamente” aonde a identidade quilombola atua como elemento reorganizador do espaço de atuação política por onde circulam. À medida que isso ocorre, a cadeia de relações complexas aonde são levados a atuar desde o início da assunção identitária – com ONGs, órgãos públicos, partidos, documentos, setores da igreja católica, movimentos sociais, símbolos, recursos, etc. – modifica-se, na medida em que a relação com cada ator-rede ou com o que este representa, é, agora, (re)discutida e estranhada dentro do grupo de lideranças quilombolas que investigamos. O pano de fundo de nosso trabalho argumenta que o alcance dos direitos sociais no formato da política pública para os chamados quilombolas no estado de Sergipe não encontra em uma legitimidade étnica sua efetivação, mas sim, através de uma organização “entre eles” e paralela articulação com a rede quilombola que são impelidos a negociar.

  • JACKELINE FERNANDES DA CRUZ
  • UM ESTUDO SOBRE AS PRÁTICAS INTELECTUAIS NO ENCONTRO CULTURAL DE LARANJEIRAS/SE
  • Orientador : ULISSES NEVES RAFAEL
  • Data: 31/08/2015
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • : A presente pesquisa tem como principal objetivo compreender em que medida a atuação de intelectuais contribuí para a realização ininterrupta do Encontro Cultural de Laranjeiras-Se, e ao mesmo tempo entender a relação deles com a preservação das tradições folclóricas presentes no evento. As expressivas transformações nos paradigmas, relacionados à compreensão de conceitos como cultura popular, folclore e patrimônio imaterial, têm criado condições para a produção de novos imaginários e novas abordagens sobre estes. As primeiras abordagens referir-se-ão aos debates sobre festa, folclore, cultura popular e patrimônio imaterial. Tal debate servirá de suporte teórico para as discussões posteriores sobre a atuação dos intelectuais como salvaguardistas da cultura popular de Sergipe. Em seguida tratei de construir uma análise das edições já realizadas, sem necessariamente repetir o seu histórico, mas, sobretudo trazer os elementos que compuseram o evento, tendo como suporte teórico alguns dos materiais produzidos no Encontro ou para ele. Também apresento o resultado dos relatos orais de alguns dos intelectuais envolvidos com o evento e estes serviram de instrumento de pesquisa no qual o indivíduo, como agente social, constrói uma trajetória singular em face de um evento tão multifacetado como O Encontro Cultural de Laranjeiras. Por fim externo as conclusões acerca da experiência da pesquisa em face de determinados temas até os percalços da pesquisa como um todo.

  • JOSÉ ERALDO NEVES RIBEIRO
  • O PROCESSO DE CONSTRUÇÃO DO DISCURSO DA IDENTIDADE DO NORDESTE NA MÚSICA DE LUIZ GONZAGA
  • Orientador : WILSON JOSE FERREIRA DE OLIVEIRA
  • Data: 26/08/2015
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Essa dissertação tematiza o papel da música no processo de emergência das identidades nacional e regionais. Utilizando-se da produção Musical de Luiz Gonzaga como fonte etnográfica, busca demonstrar o processo de construção do Discurso da Identidade do Nordeste na referida obra. Leva em consideração que no contexto da segunda metade do século XX, foi comum a utilização da música, pensada como elemento definidor da “autêntica” cultura brasileira, tendo o rádio como veículo principal de divulgação da cultura que se quer nacional e artistas migrantes das diversas regiões do país como vozes autorizadas na divulgação das referidas culturas. É dentro dessa perspectiva que é gestada o que se convencionou chamar de música popular brasileira (MPB) fazendo alguns artistas assumir uma identidade regional.

  • FABIANA SANTOS ANDRADE
  • Pela cortina do desvio: a trajetória de mulheres presas do Presídio Feminino de Nossa Senhora do Socorro-SE.
  • Orientador : CHRISTINE JACQUET
  • Data: 20/08/2015
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A criminalidade feminina é um tema complexo e relevante visto que ainda há poucos estudos sobre a temática. O presente trabalho visa analisar e descrever como se dá o percurso dos desvios femininos a partir das trajetórias de vida das mulheres presas no Presídio Feminino de Nossa Senhora do Socorro/SE (PREFEM). Ele busca também compreender a relação entre a mulher e a prática criminosa ao longo do tempo e apresentar o PREFEM a partir de sua estrutura física e controle social sobre as mulheres dentro da prisão, instituindo e legitimando papeis sexuais. Nesse sentido, ele revela como o desvio acontece a partir do momento em que a mulher se depara com a convivência normativa da instituição e com a convivência com todos que estão inseridos na unidade prisional. Para a realização da pesquisa analisei 40 prontuários das presas de modo que foram selecionadas 13 reincidentes e 01 primária (estava na prisão pela primeira vez). Como critérios para a seleção dessas mulheres estão os crimes de tráfico de drogas, roubo majorado, homicídio, latrocínio visto que não são crimes que se esperam que sejam praticados pela mulher (só houve a inclusão de apenas 01 mulher por furto). Privilegiei a perspectiva etnográfica para a realização da observação direta do contexto institucional como um todo, inclusive com o uso do registro fotográfico, e análise das entrevistas aprofundadas a partir da gravação das histórias de vida e análise documental disponibilizada pela instituição. Este trabalho consiste em quatro capítulos no qual o primeiro tem a finalidade de discutir a criminalidade feminina a partir de um panorama histórico sobre as razões possíveis para a invisibilidade da mulher no crime, associando à discussão sobre gênero. O segundo capítulo trata sobre a prisão, através da abordagem teórica de Goffman e Foucault, e apresenta um breve histórico sobre as prisões femininas e dados de pesquisas sobre essa temática na atualidade. O terceiro capítulo apresenta o campo da pesquisa no PREFEM através da composição de sua estrutura física, programas e serviços ofertados, dados sobre a população prisional, o cotidiano das mulheres e a amostra da pesquisa. Por fim, o quarto capítulo revela os dados extraídos da análise das entrevistas caracterizados por 4 tipos de percurso do desvio no qual cada um possui suas particularidades relacionadas à história de vida, motivações para as práticas desviantes, inserção no mundo do crime, bem como possibilidades de desvio dentro da prisão. Dentre os percursos encontrados estão: 1) associado às necessidades de sobrevivência decorrente das precárias condições socioeconômicas; 2) relacionado à ascensão social resultante da ambição e do desejo de enriquecimento; 3) incorporado ao estado de degradação da vida em virtude das consequências provocadas pela curtição desenfreada através de sexo, álcool e drogas e 4) agregado à revolta contra as normas estabelecidas pelo controle exercido pelo seio familiar e pela sociedade. Utilizei a abordagem do desvio de Howard Becker, obedecendo aos preceitos da escrita proposta pela etnografia antropológica, para a análise das entrevistas. Ressalto que essas mulheres confrontam as características consideradas como esterótipos femininos bem como são semelhantes ao gênero masculino ao praticarem os mesmos tipos de crimes.

  • SANDREANA DE MELO SILVA
  • "Saia do Sol Galego": O fenômeno do 'albinismo' no Quilombo Filú em Alagoas
  • Orientador : UGO MAIA ANDRADE
  • Data: 20/05/2015
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Esta dissertação é uma etnografia sobre os Filú, grupo certificado enquanto quilombola desde o ano 2005, composto por 42 famílias, com população de aproximadamente 200 habitantes. É situado geograficamente no povoado de Água Fria, município de Santana do Mundaú no estado de Alagoas. Nesse contexto, minha atenção se voltou, principalmente, ao fato deles possuírem um alto índice de albinismo. Esse fenômeno considerado patológico pela medicina ocidental se tornou, ao longo dos últimos anos, um marco diferencial na construção de sua identidade enquanto população quilombola.

    Assim, trata-se de um estudo que leva em consideração compreender principalmente como o albinismo entre os Filú é percebido por eles mesmos. Também é focalizado como o albinismo é definido pela assistência médica e pela medicina ocidental. Esses dados serão complementares ao objetivo desse trabalho. O foco principal, portanto, é observar os fatores sociais que estão relacionados a esse fenômeno do albinismo e como os diversos atores se observam e atuam em variados contextos.

    Busco compreender , também, por meio dos laços de solidariedade e da análise de seus os discursos a forma como esses interlocutores auto afirmam sua identidade quilombola e como o albinismo torna-se um mecanismo de demarcação de fronteiras entre os Filú.

  • PRISCILA DE SOUZA VIANA
  • GÊNERO, PODER E SILÊNCIO: UM OLHAR ANTROPOLÓGICO SOBRE NARRATIVAS DE ABORTO
  • Orientador : LUIZ GUSTAVO PEREIRA DE SOUZA CORREIA
  • Data: 20/03/2015
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A presente pesquisa tem como finalidade compreender os aspectos morais, políticos e simbólicos entremeados na prática do aborto a partir da análise antropológica sobrenarrativas de vida. Ao todo, foram entrevistadas quatro mulheres que trazem consigo diferentes trajetórias reprodutivas, familiares, conjugais e políticas, mas com um ponto emcomum: são corpos marcados pela prática do aborto criminalizado, inseguro e clandestino.Com base na perspectiva biográfica como ferramenta de produção de conhecimento, recorroàs orientações teórico-metodológicas da Antropologia Feminista e dos estudos Pós-Coloniaispara analisar a centralidade do gênero e do poder como elementos constitutivos das relaçõessociais travadas em torno da prática do aborto no Brasil. A partir da perspectiva foucaultianasobre as práticas discursivas, o poder disciplinar e o poder biopolítico, aponto caminhos paracompreender, principalmente, a memória e o silêncio como aspectos presentes em relatosmarcados por situações de desigualdade política e simbólica.

  • NAYLINI SOBRAL BARBOZA
  • SARABAND: O HABITUS SUECO NA OBRA DE INGMAR BERGMAN
  • Orientador : LUIZ GUSTAVO PEREIRA DE SOUZA CORREIA
  • Data: 19/03/2015
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa analisou o processo de construção do habitus sueco que IngmarBergman apreendeu e evidenciou em sua obra cinematográfica, particularmente no filme“Saraband” (2003). Para a realização dessa análise, ancoro-me em uma metodologia denatureza etnográfica, na qual busco levantar e analisar determinados padrões decomportamento, linguagens e crenças do povo sueco, para mapear o cenário sociocultural noqual Bergman estava imerso. Destarte, meu aporte teórico-metodológico para fazer ainterlocução entre a sociedade sueca e o cineasta, através da película “Saraband”, são osconceitos de Norbert Elias (1993,1994, 1995, 1997, 2001, 2006, 2011): Configuração,individuação e habitus. A fiz nos primeiros dois capítulos uma revisão bibliográfica ehistórica sobre Bergman e sobre a Suécia, para depois adentrar no terceiro capítulo sobre aanálise do filme à luz das informações apresentadas e da teoria processual de Elias. Nestaanalise pude constatar como a relação de interdependência entre indivíduo e sociedade é refletida no filme.

  • JOÃO MOUZART DE OLIVEIRA JUNIOR
  • A COR DA ORAÇÃO: SOCIABILIDADES E RESISTÊNCIAS NA IRMANDADE DE SÃO BENEDITO EM ARACAJU-SE
  • Orientador : FRANK NILTON MARCON
  • Data: 09/03/2015
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A grande questão que suscito nesta dissertação é pensar na constituição e permanência da irmandade de São Benedito durante o século XX, como uma organização coletiva de pessoas que ativam a afirmação religiosa e étnica de socialização. Esta pesquisa tem como objetivo analisar as práticas de sociabilidades e resistências presentes na irmandade de São Benedito na cidade de Aracaju, estado de Sergipe. Busco compreender os laços de solidariedade e os discursos de identidade no contexto desta irmandade. Dialogo também intimamente com as questões referentes à temática étnico-racial em contextos religiosos. Com relação à metodologia, utilizei a articulação entre pesquisa em arquivo e observação direta. Dividi esta dissertação em três capítulos, no primeiro, realizo um levantamento bibliográfico acerca da temática que enfatiza os estudos sobre irmandades, o campo da Antropologia e a discussão sobre práticas religiosas. No segundo e terceiro capítulo, parto de uma abordagem etnográfica enfatizando três modos de entrada em campo, acompanhados de entrevistas, primeiro junto aos arquivos onde fiz uma pesquisa a partir da documentação da referida irmandade. Os principais documentos encontrados foram às fichas de inscrições, o estatuto, os registros de óbitos, uma carta do zelador do cemitério e as fotografias do grupo. Uma segunda entrada a partir da observação direta da festa de São Benedito, nos anos de 2013 e 2014, observando os aspectos das sociabilidades presentes nesta comemoração. A terceira entrada se deu na forma de observação do espaço do cemitério da referida irmandade. Desta forma, a presente dissertação aborda uma faceta pouco conhecida sobre Aracaju: o mundo das irmandades de “pretos”. Percebi que as estratégias de sobrevivência da irmandade de São Benedito, no universo católico aracajuano se perduraram em função da etnicidade. A partir da referência da cor que se tornou um elemento aglutinador de um grupo religioso majoritariamente reconhecido e auto-declarados pretos.Verifiquei que os espaços das sociabilidades étnicas da irmandade de São Benedito foram compostos pelas procissões, pelos préstitos fúnebres e as festas dedicadas ao Santo. Contribuindo para a manutenção das sociabilidades no espaço urbano de Aracaju.

  • LIANA MATOS ARAÚJO
  • JUVENTUDES E QUADRILHA JUNINA: ESTILOS DE VIDA E SOCIABILIDADES NO CENÁRIO DO CONSUMO CULTURAL EM SERGIPE.
  • Orientador : FRANK NILTON MARCON
  • Data: 25/02/2015
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O presente trabalho é um estudo sobre as juventudes e as quadrilhas juninas de
    Aracaju/SE e tem por objetivo compreender como ocorre a construção social da ideia de
    juventude no seio da manifestação cultural quadrilha junina a partir da análise dos
    processos identitários, dos estilos de vida, das sociabilidades existentes entre os
    quadrilheiros incluídos em um contexto de consumo cultural. Dentro deste contexto,
    torna-se necessário analisar, a partir de entrevistas, questionário e observação direta,
    quais são os processos de identificação aí presentes, como eles consomem e produzem a
    cultura local, como dão sentido às suas expressividades e sociabilidades. Pretende-se
    ainda verificar se a questão geracional tem importância nessa construção social e
    identificar como são tratadas as questões sobre o gênero e sua relação com a noção de
    juventude e com a própria geração. E, desta forma, conhecer o universo do quadrilheiro
    e quais as motivações que mobilizam os participantes a se organizarem e se articularem
    dentro do processo de competições das quadrilhas juninas em Aracaju/SE.

2014
Descrição
  • PAULO CESAR DE HOLANDA SANTOS
  • NA FEIRA LIVRE TEM MUITO MAIS DO QUE SE VÊ E DO QUE SE OUVE: ETNOGRAFIA DE UMA FEIRA LIVRE NO NORDESTE BRASILEIRO, A FEIRINHA DO JACINTINHO NA CIDADE DE MACEIÓ – AL
  • Orientador : CRISTIANO WELLINGTON NOBERTO RAMALHO
  • Data: 18/07/2014
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Trato no texto a seguir, sobre uma feira livre no nordeste brasileiro, a feirinha do Jacintinho, no bairro de nome análogo na cidade de Maceió, Estado de Alagoas, Brasil. Apresentando, através de uma etnografia como se faz presente uma feira livre de grande importância para a cidade, em que se confunde com a origem do bairro em relação a sua formação, através das relações que esta possibilita, tendo como pontos norteadores da pesquisa as noções de troca (MAUSS, 1974, 2003; MALINOWSKI, 1976, 1986), e de sociabilidade e interação (SIMMEL, 2006), como fatores presentes num ambiente plural e abrangente, que é uma feira livre. Trazendo aqui um levantamento sobre a origem da prática como a concebemos hoje, além dos primeiros momentos de interação registrados no Brasil, como possíveis de serem interpretados como uma prática sempre presente, mesmo que não formalizada, institucionalizada. E através da etnografia, de suas técnicas, apresento como é a feirinha do Jacintinho hoje, já que esta é uma prática em constante adaptação por ser um fenômeno social fluído, em suas características, adequações, e importância para as pessoas que a fazem acontecer.

  • ALESSANDRA SANTOS DA GRAÇA
  • AS MARISQUEIRAS DO POVOADO CRASTO EM SANTA LUZIA DO ITANHY-SE: TEMPO, ESPAÇO E MEMÓRIAS DO MANGUE
  • Orientador : CRISTIANO WELLINGTON NOBERTO RAMALHO
  • Data: 17/07/2014
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa dissertativa consistiu em ouvir e analisar as narrativas das marisqueiras do povoado pesqueiro Crasto (município de Santa Luzia do Itanhy-SE) sobre o tempo e o espaço relacionados ao universo da produção e reprodução socioambiental na (e da) pesca, onde os saberes e fazeres ocupam papel de destaque neste trabalho.

    O cotidiano do povoado Crasto é delineado pelas águas dos rios e mangues que

    “ditam” parte de suas decisões diárias, da própria reprodução material e, em larga medida, simbólica deste grupo social. As questões norteadoras deste estudo foram as seguintes: De que modo as marisqueiras do povoado Crastro(SE),interpreta seu cotidiano relacionado ao tempo e espaço das atividades da pesca? Como o ambiente pesqueiro se configura simbolicamente para o grupo das mulheres marisqueiras desta localidade? O objetivo principal foi entender de que maneira as marisqueiras organizam suas tarefas diárias e suas interpretações locais quanto ao tempo e espaço da pesca. As teorias sobre etnografia, memória e narrativa foram eixos metodológicos utilizados para compreender a realidade local desses ribeirinhos, na pesquisa de campo, assim como na construção do texto. As experiências lembradas pelas mulheres do mangue, relacionada as alegrias e tristezas, moldaram seus relatos sobre sua realidade social.

  • IGOR LUIZ RODRIGUES DA SILVA
  • AS MARGENS DO SÃO FRANCISCO: UM OLHAR ANTROPOLOGICO SOBRE OS MESTRES FAZEDORES DE CANOAS NA CIDADE DE PÃO DE AÇÚCAR- ALAGOAS.
  • Orientador : CRISTIANO WELLINGTON NOBERTO RAMALHO
  • Data: 17/07/2014
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho tem como objetivo primordial, a construção etnográfica da realidade social, cultural e ambiental dos “mestres fazedores de canoas” que estão situados na cidade de Pão de Açúcar, Alagoas, através de uma perspectiva que abrange o poder da interdisciplinaridade na formulação científica do conhecimento sobre o determinado objeto. Optamos por esse viés tendo em vista que a interdisciplinaridade na sua forma mais corrente busca entender as formas pelas quais os individuos através de suas interações, produzem e se reproduzem através das relações sociais e interação com a natureza. A mestrança é pratica porque sistematiza o conhecimento, é o fundamento da realização do trabalho, e na condução das praticas sociais, nunca deixando de lado a valorização e exaltação do segredo. É nos estaleiros artesanais situados as margens do rio São Francisco, ao longo de perímetro urbano, que nosso estudo tem se desenvolvido. Assim, os estaleiros se constroem enquanto o lócus, o ponto de observação do exercício da mestrança, da criação e recriação do trabalho de artesãos de barcos, de dinâmicas socioculturais alimentadoras e alimentadas pelo saber-fazer dos mestres. Para tal é necessário entender também, como esses homens dotados de sabedoria e destreza articulam as suas praticas com os fatores ambientais, sociais e culturais, que interferem diretamente nas relações a apropriação do espaço.

  • YÉRSIA SOUZA DE ASSIS
  • A EXPERIÊNCIA DAS AÇÕES AFIRMATIVAS NA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE: OS CURSOS DE DIREITO E MEDICINA
  • Orientador : FRANK NILTON MARCON
  • Data: 23/06/2014
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho tem por finalidade fazer uma análise sobre como as ações afirmativas, sobretudo as cotas, são um condicionante nas relações sociais no Brasil, em especial nos contextos acadêmicos, lugar de excelência e prática deste recurso. Desta forma, este trabalho pretende discutir como são constituídas as experiências dos estudantes que utilizam o sistema de reserva de vagas nos cursos de Medicina e Direito da Universidade Federal de Sergipe (UFS) e suas relações com o universo acadêmico. A escolha dos respectivos cursos se deu por conta do status social que os mesmos carregam em si, além de serem as duas aéreas de saber com maior disputa de vagas na Universidade Federal de Sergipe, quando contabilizado os vestibulares das últimas décadas. Através do trabalho de campo, aplicação de questionários e entrevistas buscou-se compreender que experiências narrativas estão sendo construídas por esses estudantes cotistas e não cotistas sobre o tema. Ressalta-se que a construção que se buscou fazer do processo da política de cotas e das ações afirmativas enquanto fenômeno passou tanto pelas narrativas dos sujeitos que fizeram uso do sistema, como também dos que não fizeram uso do mesmo diretamente. Desta forma, esta dissertação almeja entender as cotas enquanto fator condicionante presente na experiência narrativa dos estudantes das graduações de Medicina e Direito e os implicativos dessa questão, sobretudo quanto aos sentidos empregados por eles às ações afirmativas, vinculadas às percepções de justiça, igualdade, educação, escola pública, meritocracia, e por fim de desigualdade social e racial. A partir de um planejamento metodológico que elegeu a entrevista e a construção do campo como fatores imprescindíveis para o êxito da pesquisa, busca-se entender como as relações sociais pós-cotas e os seus sentidos estão sendo estabelecidos no contexto da UFS. Devemos destacar que as experiências e as narrativas que se busca compreender não passam apenas pelo comportamento e pela fala dos estudantes, mas também dos outros membros da comunidade acadêmica, como os professores.

  • JOSÉ ERIVALDO SIMÕES DE OLIVEIRA
  • "REZADEIRAS DE ITABAIANA/SE: ENTRE A HERANÇA CULTURAL, A MODERNIDADE E OS RITUAIS DE CURA".
  • Orientador : JONATAS SILVA MENESES
  • Data: 09/06/2014
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Esta dissertação de mestrado é um estudo etnográfico acerca dos trabalhos religiosos exercidos pelas rezadeiras na cidade de Itabaiana/SE. Procuro mostrar como essas pessoas exercem suas práticas de curas nos diversos fiéis, mediante o uso de orações e de símbolos como o ramo, a água, o óleo, etc. Munidos desses símbolos, as rezadeiras realizam suas curas em rituais privados, dentro de suas próprias casas ou em algum outro local, como o quintal, livres assim da interferência das religiões tidas como oficiais. Nesta pesquisa, além da oralidade, baseamo-nos também em pesquisa teórica de autores clássicos da antropologia, bem como de autores contemporâneos. Esse estudo, portanto, vem mostrar que as rezadeiras pautam sua trajetória de vida no interior do catolicismo popular; no entanto, exercem suas práticas de curas de forma autônoma, fluida, mediante trocas simbólicas e intercâmbios religiosos entre as várias esferas das religiões populares e institucionalizadas.

2013
Descrição
  • TACYANE LIMA DE MENEZES
  • Concurso Beleza Negra da Maloca: representações acerca da ideia de África em Aracaju/Se
  • Orientador : ULISSES NEVES RAFAEL
  • Data: 15/10/2013
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho é parte de uma problemática maior acerca das questões sobre etnicidade, cujo
    recorte analítico é feito a partir do universo quilombola, situado em um “espaço” possível a
    ser entendido como “étnico” e “urbano”. A pesquisa adentra narrativas sobre as práticas
    sociais simbolicamente vivenciadas, a partir de suas modalidades simbólicas de negociação
    com a realidade, em um “espaço” praticado, o qual se fundamenta nas tradições inventadas,
    que revelam estratégias de produção de modos de vida, as quais distinguem esse grupo urbano
    enquanto uma comunidade. Neste sentido, destaca-se a produção de uma identidade
    experimentada, quando definidas a partir das práticas do cotidiano, onde o espaço passa a ser
    vivenciado pelos rituais diários, ao mesmo tempo em que é transmitida para as novas
    gerações, criando e mantendo sentimentos de pertença em relação ao espaço; e suas
    respectivas representações coletivas, que, inclusive, transitam pelos usos atribuídos pelos
    moradores e seus outros ao nome dado ao lugar. Ora tematizada, quando através do concurso
    Beleza Negra CRILIBER, constrói uma estratégia de colocar publicamente a situação social
    sobre a qual é estruturado o sentido étnico atribuído ao espaço por seus moradores
    possibilitando maior visibilidade para o quilombo Maloca, na medida em que, fortalece entre
    estes o sentimento de pertença ao lugar.

  • CRISTIANE BATISTA DOS SANTOS
  • CAMINHO DA FÉ: UM ESTUDO ANTROPOLÓGICO DA PEREGRINAÇÃO AO SANTUÁRIO DE DIVINA PASTORA/SE
  • Orientador : CRISTIANO WELLINGTON NOBERTO RAMALHO
  • Data: 19/09/2013
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A presente dissertação tem por objeto de estudo a peregrinação ao Santuário de Divina Pastora, que acontece no município de nome homólogo ao da Santa, localizado no Estado de Sergipe. Teve como objetivo analisar, por meio de estudo etnográfico, as dimensões simbólicas e ritualísticas do referido evento religioso, observando-o como um processo ritual, destacando certos aspectos do sistema de representações, crenças, valores e ideias expressos não somente através de discursos, mas, principalmente, através de ações rituais realizadas pelos peregrinos. No trabalho de campo a realização de observação direta e entrevistas permitiram alcançar uma inserção mais densa nas práticas e representações vivenciadas pelos peregrinos. Assim, foi possível compreender as motivações que instigaram os devotos a partir em caminhada ao encontro de seu santo protetor e os sentidos atribuídos ao seu ato devocional. Para análise dos rituais tomou-se como referência os estudos de Victor Turner.

  • JOANA MORATO DE CARVALHO
  • HOMENS DA IGREJA: A PARTICIPAÇÃO DE LEIGOS CATÓLICOS NA POLÍTICA PARTIDÁRIA EM ARACAJU
  • Orientador : ERNESTO SEIDL
  • Data: 02/09/2013
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O presente trabalho apresenta como tema de estudos o conjunto de relações entre política e religião, tendo por objetivo apreender os principais mecanismos de inserção acionadas por leigos católicos para se inserirem na política partidária, em ARACAJU- SERGIPE, mediados por suas atuações nos espaços da igreja católica. O recorte empírico pautou se no itinerário de três leigos notoriamente reconhecidos na comunidade católica aracajuana, onde se engajaram em movimentos sociais religiosos e pastorais possibilitando desenvolver projetos voltados para as questões sobre direitos humanos, comunitários e assistestencialismo. Para compreender os mecanismos de inserção acionados no transito da esfera religiosa para esfera política, o trabalho desenvolveu como problemática compreender as motivação que levaram a se inserirem na política partidária, através dos exames dos condicionamentos socioculturais presente nos seus itinerário sócias que possibilitou o acesso as vias da politização e as disposição para o engajamento nos espaços da igreja.

  • CLÁUDIO GOMES DA SILVA JUNIOR
  • Da fé à festa: uma análise ritual, simbólica e performática das festas de largo e festejos do Bonfim.
  • Orientador : HIPPOLYTE BRICE SOGBOSSI
  • Data: 30/08/2013
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A referida pesquisa tem como objeto de estudo as Festas de Largo e Lavagens dedicadas ao Senhor do Bonfim e ao Orixá Oxalá, enquanto manifestações religiosas realizadas nas cidades de Maceió e Penedo, no Estado de Alagoas, e em Salvador, no Estado da Bahia. A partir do trabalho etnográfico fazendo uso da observação direta, visando melhor conhecer as principais características dos festejos, neste trabalho é desenvolvida uma análise dimensional dos símbolos rituais, apontando, símbolos, performances e comportamentos sociais que se desenvolvem nos interstícios festivos, podendo estes passar despercebidos aos olhos dos fieis, turistas e acompanhantes, não notando os mesmos que, ao exercerem suas ações de fé, renovação de votos, meras comemorações ou turismo religioso, estabelecem uma linha tênue entre o sagrado e o profano. Os rituais são realizados tradicionalmente há anos, e foram iniciados no Brasil na cidade de Salvador em meados do século XVIII, que segundo relatos de pesquisadores foi fortemente inspirado na lenda Iorubá das Águas de Oxalá. Hoje os festejos marcam o calendário litúrgico católico no início de cada ano, se configurando enquanto celebração dedicada ao Senhor Bom Jesus do Bonfim e também se fazem presentes no calendário dos ritos tradicionais dos terreiros e casas de culto em Maceió, Penedo e Salvador. O ritual, em sua essência primária apresenta-se como uma festa de purificação, sendo uma das maiores expressões do sincretismo religioso e afro-religiosidade nestas cidades, e se desenvolve através de uma ação que relaciona o catolicismo e o candomblé em homenagem a Oxalá, o Orixá da criação, contando também com a união de várias casas de culto, instituições governamentais, e órgãos de apoio ao turismo, proporcionando maior visibilidade aos eventos. O objetivo é tentar compreender o significado ritual da Lavagem do Senhor do Bonfim, através de seus participantes, bem como seus símbolos e suas performances, correlacionando as três configurações pesquisadas, aparentemente semelhantes, porém diferenciadas por sua forma de organização, contexto histórico, realidade social e econômica, enquanto rituais de fé, e à luz da antropologia aqui são percebidos enquanto distintos, contraditórios e intrigantes se confrontados através do discurso e das práticas observadas.

  • VANESSA SILVA DOS SANTOS
  • O Candomblé Xoroquê em alagoas; uma introdução ao estudo dos símbolos nos espaços rituais do terreiro de pai Manoel
  • Orientador : HIPPOLYTE BRICE SOGBOSSI
  • Data: 30/08/2013
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A presente dissertação tem por objetivo etnografar os símbolos rituais nos diferentes espaços de cerimônia do candomblé de Xoróquê, situado em Maceió alagoas. Toma-se como ponto de partida, a importância assumida por esses elementos na composição dos dois espaços rituais da casa, tendo em vista que essa dinâmica se mostra essencial n legitimação do terreiro como culto de candomblé, que se identifica, distinto das casas de umbanda. Centraliza-se nessa análise a organização do terreiro, segundo a lógica de separação dos ritos dos orixás, e outro reservado ás entidades umbandistas. O caminho metodológico compreendeu o trabalho de campo e a analise etnográfica, acreditando que estas são ferramentas primordias na compreensão da aparente ambiguidade demonstrada pela casa, no que tange à construção de suas identidades religiosas visto que decompor as variáveis utilizadas na estruturação religiosas do terreiro de ogum xaroquê se efetiva a partir da convivência e participação com o grupo pesquisado, momento no qual se presencia a rotina e interpretação do fies para suas ações cotidianas nos espaços do templo. Dessa forma, analisar a função assumida pelos símbolos em cada um dos diferentes ritos, m surge como parte fundamental na apreensão do Caráter complementar dos dois espaços, e consequentemente entre os deuses das duas religiosas. Com base nisso, é possível considerar que as entidades umbandistas desempenham papel complementar em relação ao barracão dos orixás. Sendo, por esta razão, indispensável na preservação e manutenção da morada dos deuses africanos. Contudo, para o pai de santo da casa, Manoel xoroquê, bem como aos seus filhos, designar-se socialmente como candomblé é validar a autenticidade do terreiro segundo sua legítima ancestralidade africana. No entanto, as práticas cotidianas esclarecem, conforme se presenciou que, os espaços recebem igual atenção por serem de suma importância dentro do que compõe as praticas religiosas da casa de xoroquê.

  • VANESSA ALVES MENEZES
  • O outro Nordeste: uma abordagem sobre a contribuição do olhar de Pierre Verger sobre o sertão.
  • Orientador : HIPPOLYTE BRICE SOGBOSSI
  • Data: 29/08/2013
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Esse estudo tem como objetivo fazer uma leitura interpretativa da tradição do sertão nordestino através do olhar do fotógrafo francês Pierre Verger durante o seu trabalho para revista O CRUZEIRO. Partimos da perspectiva do olhar viajante-estangeiro que propicia a alteridade e a formação do olhar etnográfico de Verger. Dentro do cenário nacional de busca por uma identidade, essencialmente brasileira, alardeada pelo projeto nacionalista desde 1930, buscamos demonstrar a participação do foto jornalista para a construção da ideia de nordeste e da identidade do povo sertanejo entre os anos 40 e 50. Mergulhando no contexto intelectual e político da época e servindo ao aparelho midiático da revista O CRUZEIRO, verger embarca pelas fronteiras região nordestina lançando seu olhar estrangeiro para as mais diversas particularidades culturais que viriam a compor a solidificada imagem de autêntica tradição nordestina, marcada pelos aspectos coloniais e multiculturais. Assim, a analise das imagens está pautada na estética de Verger, atentando para as expressões culturais reveladas nos tipos humanos, no cotidiano do trabalho, d religiosidade e da arte popular.

  • ELAYNE MESSIAS PASSOS
  • INTERVENÇÕES URBANAS E RESSIGNIFICAÇÕES NO CENTRO DE ARACAJU: UM ESTUDO ACERCA BECO DOS COCOS
  • Orientador : ULISSES NEVES RAFAEL
  • Data: 02/08/2013
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Aracaju, capital sergipana, foi fundada em 17 de março de 1855, a partir de um projeto arquitetônico peculiar, que estruturava a cidade tal qual um tabuleiro de xadrez, com o suposto intuito de privilegiar as classes mais abastadas socialmente, em detrimento dos grupos menos favorecidos, excluídos dos espaços principais da urbe. Nesse mesmo horizonte histórico, surgiu o Beco dos Cocos, travessa que funcionava, primordialmente, como rota de passagem para o desembarque e abastecimento de cocos no incipiente comércio central aracajuano. No curso dos tempos, Beco transformou-se de um simples local de passagem de cargas a um reduto boêmio, endereço de famosos cabarés, convertendo-se, depois, também em uma das maiores zonas tráfico de entorpecentes da capital sergipana, até se torna o que é hoje, quase que um banheiro a céu aberto. A problemática centra deste trabalho é a partir de um recorte microscópico, de uma categoria pouco estudada na Antropologia Urbana, o beco, analisar e compreender uma variedade preciosa de objetos e indagações acerca do funcionamento de uma cidade, das relações que podem existir e se constituir ao longo de uma travessa, de sua história e, como tais movimentos revelam o cotidiano da vida urbana contemporânea. Partindo dessa premissa, esta pesquisa pretende explicar as transformações estéticas e sociais ocorridas no Beco dos Cocos, o processo histórico de marginalização de um lugar tão rico culturalmente e as respectivas consequências das intervenções e ressignificações no local; e examinar até que ponto a presença do Poder Público foi determinante nesse processo. Sob esse aspecto, o estudo volta-se a construir a história do Beco de Cocos concomitante à edificação de Aracaju, conhecida por alguns, como a primeira cidade planejada do país, a fim de, reduzindo a dimensão heterogênea da cidade ao micro, destinchar as mais variadas imagens da vida social e cultural de determinadas épocas, compreender o fenômeno urbano e as formas de sociabilidade presente na urbe.

  • TANIA CAROLINA VIANA DE OLIVEIRA
  • O ROCK E O SERTÃO: JUVENTUDE, CONSUMO E ESTILO DE VIDA EM SERGIPE
  • Orientador : FRANK NILTON MARCON
  • Data: 26/07/2013
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Através das perspectivas de Estudos Culturais e dos estudos sobre estilos musicais, identidades, juventudes e consumo cultural, o presente trabalho tem como objeto de estudo um festival de música intitulado Festival de Música Independente Rock Sertão, realizado no município de Nossa Senhora da Glória, a 126 km da capital Aracaju. Organizado por um grupo local de jovens produtores culturais, teve no ano de 2012 a sua 10ª edição. O objetivo do tralho é analisar a produção e o consumo de um festival de rock realiza no sertão sergipano. Desse modo, tratarei de demonstra de que maneira é programado esse festival e como o rock é usado pelos produtores e consumidores como demarcado de um estilo de vida. Procuro suscitar questões acerca de seu décimo ano num contexto contraditório de difusão de um ideal típico de gosto musical associado aos estilos forró e axé.

  • GUSTAVO AVILA DIAS
  • Loucura, sofrimento e Umbanda: Uma análise antropológica sobre experiência e cura na Tenda Espiritual Cosme e Damião
  • Orientador : JONATAS SILVA MENESES
  • Data: 27/05/2013
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Este estudo compreende uma análise antropológica acerca da relação entre loucura, sofrimento e Umbanda baseada na experiência dos sujeitos envolvidos com a cura religiosa. A noção de corpo soma-se à análise interpretativa e fenomenológica que teço sobre a narrativa e a percepção dos sujeitos. A transformação da experiência de sofrimento, mediada pelo sagrado, integra as efemérides da individual ao habitus das práticas terapêuticas na Umbanda. Como experiência do sagrado a cura religiosa revela neste trabalho a diversidade das práticas e recursos utilizados pela Tenda Espiritual Cosme e Damião. A análise das etapas e procedimentos que compõem os repertórios terapêuticos na Umbanda nos permite entender como se constrói o significado da cura em cada sujeito que a vivencia.

  • LILIANE MARIA DE SANTANA SANTOS
  • DOS TERREIROS PARA AS AVENIDAS: UMA ANÁLISE A PARTIR DOS CONTEXTOS POLÍTICOS E DAS LIDERANÇAS DOS AFOXÉS EM SERGIPE
  • Orientador : WILSON JOSE FERREIRA DE OLIVEIRA
  • Data: 12/04/2013
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Esta dissertação tem por objeto de estudo os afoxés sergipanos, sobretudo no que se refere às suas relações com a política partidária. Para tanto, analisamos o contexto político em que surgiram os afoxés, a relação desse contexto com as lideranças e os vínculos que elas possuem com os políticos, assim como as relações dos afoxés com o candomblé evidenciando através dos rituais a existência de uma desigualdade na relação entre os afoxés e a política partidária sergipana. A questão central do trabalho consistiu em descobrir quais as relações existentes entre os afoxés e a política partidária sergipana. Assim, o tema central deste trabalho é a relação entre os afoxés sergipanos e a política partidária municipal e estadual. Analiso o processo de surgimento e desenvolvimento dos afoxés em Sergipe em meio ao contexto político de redemocratização brasileira e as oportunidades políticas que foram criadas por estes contextos, possibilitando o aparecimento de afoxés nesse estado. A pesquisa teve como orientação teórico-metodológica o uso de referências bibliográficas que combinam pressupostos da antropologia e das teorias dos movimentos sociais, assim como o uso da etnografia como fator principal para o desenvolvimento dessa análise proporcionando a observação participante, as entrevistas e a apreensão dos rituais existentes nos afoxés. Os resultados demonstram as condições favoráveis para o surgimento dos afoxés em meio às relações políticas sergipanas, a saber, as oportunidades políticas e as redes de relações sociais que possibilitaram as articulações necessárias para este processo.

  • DANIELLE PARFENTIEFF DE NORONHA
  • CINEMA, MEMÓRIA E DITADURA CIVIL-MILITAR: Representações sobre as juventudes em O Que é Isso, Companheiro? e Batismo de Sangue
  • Orientador : FRANK NILTON MARCON
  • Data: 22/03/2013
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Neste trabalho, analiso as representações sobre as juventudes do período correspondente à ditadura civil-militar brasileira (1964-1985) nas narrativas do cinema brasileiro contemporâneo, a partir de uma etnografia dos filmes O que é isso, companheiro? (Bruno Barreto, 1997) e Batismo de Sangue (Helvécio Ratton, 2007). Parto da discussão entre realidade e ficção existente em torno do tema, que pode criar, reforçar ou modificar o imaginário sobre quem foram aqueles jovens, e ainda atuar na construção de discursos imaginativos sobre a nação no período ditatorial e, assim, reformular a memória social sobre o período. Entendo o cinema como linguagem, que carrega uma complexa relação entre autor e espectador, e possui diversas possibilidades de análise e interpretação. Neste sentido, levo em consideração os vínculos existentes entre arte e vida e entre linguagem e discurso, além das representações sobre memória e nação.

2012
Descrição
  • TAÍS CRISTINA SAMORA DE FIGUEIREDO
  • EM NOME DOS PROFESSORES? INSERÇÃO PROFISSIONAL E CARREIRAS POLÍTICAS
  • Orientador : ERNESTO SEIDL
  • Data: 26/11/2012
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Esta dissertação estuda as modalidades de carreira política de professores no estado de Sergipe (Brasil). O objetivo principal foi analisar os itinerários dos políticos eleitos por Sergipe, que se definiram como professores nas eleições legislativas do ano de 2010, e nas eleições para Câmara de Vereadores da Capital do Estado, Aracaju, no ano de 2008. O grupo estudado é composto por sete políticos (1 deputado federal, 4 deputados estaduais e 2 vereadores). Dentre as metodologias, foi priorizada a observação direta, com usos de entrevistas com os políticos e assessores e o levantamento de dados eleitorais. Também foi dada ênfase às formas de atuação e a representação política dos deputados e vereadores. No primeiro capítulo, abordo a profissionalização docente e sua relação com a política, também apresento dados sobre a ocupação dos professores nas prefeituras e nas câmaras municipais de Sergipe. No segundo capítulo, analiso como a profissão é usada para a entrada na política, ressaltando as formas de atuação no magistério e na política. No terceiro capítulo, trato da atuação parlamentar, observando como eles dizem representar vários interesses.

  • EDUARDO LOPES TELES
  • O OFÍCIO DE BARBEIRO: MEMÓRIA, TRADIÇÕES E MODERNIDADES
  • Orientador : FRANK NILTON MARCON
  • Data: 20/11/2012
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Esta dissertação tem como tema parte da história dos artífices barbeiros que atuam no Bairro Centro, em Aracaju. A análise, que compreende o período entre a década de 1940 e os dias atuais, visa mostrar como se dá a passagem da ordem masculina e dos ofícios(representada pelos barbeiros) para a ordem unissex e das profissões(representada pelos cabelereiros). Através da observação de campo e das entrevistas gravadas em História Oral são feitas considerações sobre oque significa o discurso de crise no âmbito do trabalho e a idealização do passado por parte dos barbeiros, relacionadas por eles ao tema da modernização da cidade. A crise dos barbeiros é motivada pela crise da Dominação simbólica masculina, como é chamada por Pierre Bourdieu ( 1999), e pela situação atual do mundo do trabalho caracterizada pela precariedade do emprego e das relações trabalhistas e pelo desemprego(CASTEL,1998; AUED, 1999; SENNETT;2009).

  • ISA VANNY DA SILVA FARIAS
  • O RITUAL DE OFERENDA NA UMBANDA E O CULTO A NATUREZA
  • Orientador : HIPPOLYTE BRICE SOGBOSSI
  • Data: 20/11/2012
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa aborda a discussão da prática do ritual da oferenda utilizada pela religião umbandista e realizada em um centro espiritual da cidade de Aracaju. O trabalho passa pelas discussões acerca do simbolismo presente no ato de se ofertar orixás e guias espirituais, buscando uma observação que respeite os preceitos das teorias acerca do mito, do rito e do simbolismo, bem como de organizar esta observação do ponto de vista da interpretação das culturas defendidas por Clifford Geertz e da performance abordada por Victor Turner e Richard Schechner. Para tanto, o presente trabalho passa ainda pela discussão do sagrado no território durante este rito, bem como pela relação do homem com a natureza em seus demais ritos sagrados. Esta abordagem sobre o território vai além de sua concepção e definição física, pois, lida ainda com o processo identitário do umbandista. O terreno, espaço de culto, é de demasiada importância na pratica de ofertar os deuses, pela ótica desta religião supracitada. Assim, simbolizar é algo que vai além do comportamento considerado “ primitivo”. Com uma abordagem não analítica, o símbolo é considerado pelos atuais estudiosos, como um modo autônomo de conhecimento e deste modo é considerado no texto. Utilizando os preceitos da comunicação visual e da semiótica e também da imagem fotográfica como ferramenta de pesquisa, busca-se uma possibilidade de codificar estes objetos no sentido de seu entendimento como linguagem, pois, o processo de significar através de alimentos objetos, objetos estes aparentemente vulgares, contém possibilidades de diálogo entre estes devotos e a sociedade geral. Assim deixar à mostra o resultado de sua oração (a oferenda), é visto como algo capaz de comunicar muito além da análise discursiva/lógica da escrita e da oralidade.

  • LIDIA MARCELLE ARNAUD AIRES
  • GESTANDO AFETOS, CONCEBENDO FAMÍLIAS: REFLEXÕES SOBRE MATERNIDADE LESBICA E REPRODUÇÃO ASSISTIDA EM ARACAJU-SE
  • Orientador : CHRISTINE JACQUET
  • Data: 16/10/2012
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Ao longo das últimas décadas a diversidade de arranjos familiares tem se tornado cada vez mais visível, eclipsando a ideia de um modelo único e imutável de família. Entre as que compõem tal diversidade estão as famílias formadas por casais de gays e lésbicas, que se utilizam de diferentes estratégias para superar a interdição de filhos/as que a simetria do aparato biológico lhes impõe. Umas das estratégias utilizadas por esses casais são as técnicas de reprodução assistida. Neste contexto, a família homoparental originada a partir de um par de lésbico nos incita a pensar sobre a intensa valorização da maternidade biológica como um componente importante para a construção da identidade feminina. Percebe-se que também para as lésbicas o desejo de ser mãe permanece como uma característica definidora do que é ser mulher. No entanto, devido à orientação sexual do casal, este desejo e a realização do mesmo são experimentados junto com algumas questões que não se aplicam aos casais heterossexuais. O presente trabalho resulta de algumas reflexões sobre a parentalidade em famílias formadas por lésbicas cujos/as filhos/as foram gerados a partir de técnicas de reprodução assistida, na cidade de Aracaju (Sergipe). Assim sendo, busco entender quais os mecanismos utilizados para a construção da maternidade e em que medida esta se distingue daquela experimentada por um casal heterossexual. Além dos vínculos consanguíneos, outros são construídos e valorizados com vistas a cimentar a relação de parentescos entre as mães e a criança, demonstrando que não apenas as substâncias corporais são os ingredientes para a construção do parentesco e da família.

  • IZABEL CRISTINA FERREIRA RODRIGUES
  • “OS PASSOS DA FÉ: UM OLHAR ETNOGRÁFICO SOBRE A PEREGRINAÇÃO A DIVINA PASTORA.”
  • Orientador : JONATAS SILVA MENESES
  • Data: 15/10/2012
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Esta dissertação tem como tema central o estudo sobre a peregrinação à Divina Pastora, município do Estado de Sergipe. A problemática aborda o esforço feito pelos peregrinos, ao fazerem tal percurso, enfrentando as adversidades da caminhada de nove quilômetros. O principal objetivo foi realizar um estudo antropológico desse ritual religioso, sob a perspectiva das relações entre o peregrino e a divindade, que se consolida a partir do pagamento de promessas em agradecimento às graças obtidas, que, na maioria das vezes, estão relacionadas às curas milagrosas. Iniciamos o trabalho fazendo uma abordagem histórica, analisando o contexto em que a peregrinação foi criada no Estado de Sergipe e a maneira como a tradição se recria ano após ano. Demos ênfase à literatura sobre peregrinações e documentos históricos, inclusive os livros tombos da igreja da cidade de Divina Pastora e da Cúria Metropolitana de Aracaju. Através de dados etnográficos, buscamos identificar o universo da peregrinação sob o ponto de vista do peregrino, analisando o seu perfil sociocultural e as suas razões para peregrinar. A ideia central foi compreender os motivos que levam os peregrinos ao Santuário de Divina Pastora.

  • RODRIGO REIS LEITE
  • ARTE E RELIGIÃO: UM ESTUDO DOS ASPECTOS ESTÉTICOS E RELIGIOSOS DOS EX-VOTOS
  • Orientador : JONATAS SILVA MENESES
  • Data: 15/10/2012
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Como um tipo de testemunho religioso e público de gratidão, os ex-votos são objetos de oferta e agradecimento por uma graça obtida por intermédio de uma divindade. Eles pertencem ao culto católico popular e cumprem função simbólica de superação das dificuldades por meio do compromisso firmado entre um indivíduo e o seu santo de devoção. Isso põe em relevo a importância dessa prática como elemento canalizador de forças religiosas impulsionadas pela fé e de sentimento de proximidade entre os participantes. A partir desses aspectos procurou-se abordar nesses objetos seus elementos estéticos subjacentes, levando em consideração os contextos originais onde os ex-votos surgiram e adquiriram seu significado religioso e buscando ilustrar sua importância como objetos que apresentam uma ação estética e criativa. Nesse contexto, a prática dos ex-votos funciona como uma ação simbólica que recoloca um tipo de conhecimento no caminho que liga sociedade, estética, espiritualidade e o sentimento societário. Em cada ex-voto há sempre um conjunto de valores subjetivos, uma performance que se realiza no corpo e através do corpo. São exemplos de como cada grupo social constrói a sua ideia de corpo e representação dentro da cultura e da religiosidade popular por meio de uma ação estética muitas vezes não intencional.

  • ELZA GUIMARÃES ANDRADE
  • Entre o Risco e o ponto: o intangível consumido
  • Orientador : GILSON RAMBELLI
  • Data: 10/09/2012
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O presente trabalho apresenta uma investigação antropológica sobre a “renda irlandesa”- artesanato sergipano que teve seu modo de fazer registrado como Patrimônio cultural Imaterial nacional, no Livro de Registro dos Saberes, em novembro de 2008- abordando novas instruções de produção, comercialização e uso, advindas de sua interação com o mercado de moda. A pesquisa privilegia uma nova abordagem que tende a tratar o consumo como questão de cultura, analisando o advento das novas atitudes assumidas pelas artesãs no “saber fazer” renda irlandesa, em meio às demandas do mercado de moda ligadas ao vestuário feminino, que prevêem a potencialidade do uso de motivos artesanais na formulação de vestimentas. Evidencia os processos de herança cultural exercidos pelas artesãs em seu saber fazer e que configuram a patrimonialidade do artesanato, destacando seu papel enquanto fonte complementar de ganho para as protagonistas da pátria. Por fim, discute os novos mecanismos de representação assumidos pelos agentes sociais a partir do consumo simbólico da patrimonialidade.

  • JONAS JOSÉ DE MATOS NETO
  • CONCEPÇÕES E PRÁTICAS POLÍTICAS NO MUNICÍPIO DE PÃO DE ACUÇAR-AL
  • Orientador : WILSON JOSE FERREIRA DE OLIVEIRA
  • Data: 17/08/2012
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O objetivo basilar desta dissertação é estudar as concepções e práticas políticas no município de pão de açúcar, cidade localizada no sertão de Estado de Alagoas, a partir de1952 até 2012, através da análise das representações sobre a s ações políticas desenvolvidas por Elísio Maia, figura atuante por mais de 40 anos na localidade e que continua muito presente na memória da população. Para tal estudo utilizarei a análise de jornais, revistas e o depoimento oral produzido a partir de cerca de cinquenta entrevistas com moradores e políticos do município, e também focalizei ao longo da pesquisa etnográfica o tratamento dado a política pelos atores sociais, a partir do conjunto de práticas e valores vividos nas relações cotidianas, uma vez que a maneira como a população “ experimenta” a política está m consonância com as praticas cotidianas, nas relações menos públicas.

  • FELIPE SILVA ARAUJO
  • FAZERES ANTROPOLOGICOS E DISCUSSOS NO NÚCLEO DE ESTUDOS INTERDISCIPLINARES SOBRE PSICOATIVOS (NEIP): ANTIPROIBICIONISMO E RESSIGNIFICAÇÕES DO USO DE DROGAS
  • Orientador : FRANK NILTON MARCON
  • Data: 23/07/2012
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • As práticas sociais com substâncias que alteram a percepção estão ganhando uma atenção crescente dentro das humanidades. Esse pressuposto nos conduziu a observar descritivamente um grupo de pesquisadores que propõe e representa justamente o aprofundamento dessa relação entre as humanidades e conhecimentos sobre uso de “drogas”. Esse grupo, o Núcleo de Estudos Interdisciplinares sobre psicoativos (NEIP), do qual sou membro desde 2011, foi criado em 2001 e tem o ponto mais forte de sua constante articulação política no fato de ser uma rede virtual de contato, que não oferece restrições de espaço e língua, agregando pesquisadores do mundo inteiro. Um site. Essa instituição é, na verdade, uma constelação de instituições, cujos pesquisadores, mesmo em diferentes ciências, atuam em uma área comum: drogas e sociedade. Esse estudo focaliza a atuação deste espaço, especialmente em relação a fazeres antropológicos sobre os usos rituais de uma bebida psicoativa muito conhecida como ayahuasca. Buscamos construir um plano descritivo da formação da ideia de não proibição das drogas, que está presente tanto na área da antropologia como atravessa por inteiro os interesses de todos os associados ao grupo.

  • EVAL CRUZ
  • SACERDOTISA EM LARANJEIRAS/SE: TRAJETÓRIA E RECURSOS NA OCUPAÇÃO DE UM ESPAÇO DE PODER E DOMINAÇÃO
  • Orientador : HIPPOLYTE BRICE SOGBOSSI
  • Data: 09/07/2012
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho analisa a trajetória e os recursos mobilizados pela atual “Alôxa” do terreiro “ Irmandade Santa Barbara Virgem” na cidade de Laranjeiras, no estado de Sergipe, para a ocupação deste espaço de poder. O estudo versa sobre as condições de constituição desta agente como sacerdotisa, a partir de uma perspectiva bourdieusiana de análise. Deste modo, além da averiguação do contexto histórico que possibilitou a configuração de Laranjeiras como um espaço privilegiado para o desenvolvimento de um campo religioso afrodescendente, avalia-se os capitais simbólico, social e escolar utilizados pela agente. Para este fim, além de uma revisão bibliográfica, utiliza-se como principais expedientes a pesquisa etnográfica, a construção de um diário de campo, a aplicação de um roteiro de entrevista e algumas “conversas informais” com participantes da “irmandade”. Se, por um lado, é possível constatar que, segundo a lógica da casa de culto, uma sacerdotisa é escolhida por “ vontade dos orixás”, por outro lado,verifica-se que o alcance do comando do grupo se dá após um período de disputa, juntamente com outros agentes. Ademais, observa-se a preparação da “Alôxa” se articulou a um longo processo de aprendizagem das funções de liderança, uma herança estabelecida através da vivência com a sua mãe, também “sacerdotisa”, e da incorporação de um capital religioso a partir da participação nos cultos e festejos.

  • VANDERSON DE GOIS SANTOS
  • "Lugar de mulher é na política: recrutamento e carreiras políticas em Sergipe."
  • Orientador : ERNESTO SEIDL
  • Data: 29/06/2012
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A preocupação analítica central situou-se, em termos mais gerais, no estudo das relações entre participação política e recursos sócio-culturais acionados de acordo com as lógicas subjacentes ao jogo político; e, num nível mais específico, interessou à investigação a reconstituição dos elementos simbólicos presentes no que estamos chamando aqui de simbologia da representação política feminina, constituída pela presença da participação das mulheres em atividades político-partidárias no legislativo estadual em Sergipe. Para tanto, analisou-se mais detidamente o universo político construído em torno das atividades de Goretti Reis (DEM) e as principais concepções que regem esse cotidiano de ações.

  • MATEUS ANTONIO DE ALMEIDA NETO
  • JUVENTUDES E ESTILOS DE VIDA: SOCIABILIDADE NO BAIRRO SIQUEIRA CAMPOS
  • Orientador : FRANK NILTON MARCON
  • Data: 06/06/2012
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Localizado na zona Oeste da cidade de Aracaju, Estado de Sergipe, Brasil, porta de entrada e saída da capital, o Aribé como também é conhecido o eclético Bairro Siqueira Campos, já foi considerado em décadas passadas uma área insalubre, de criminalidade e prostituição. Ao longo da década de oitenta do século vinte, o Siqueira Campos passou a ser o maior bairro, em termos populacionais, da cidade de Aracaju. Além de um bairro residencial, as praticas que ai se estabeleciam, paulatinamente foram cedendo espaço para ampla atividade comercial e lazer, no qual determinados estilos de vidas são praticados através do consumo e da circulação de bens culturais específicos, que se dão por meio da socialização de modos de vidas distintos. Esta dissertação objetica analisar os processos de identificação e diferenciação realizadas pelas populações juvenis nos usos dos lugares de lazer e sociabilidades no Bairro Siqueira Campos, a partir de construtos de estilos de vida associados á musica, o que implica a investigação sobre a praticas e os consumos de determinados bens ligados às culturas juvenis. Para tal, a investigação segue a estudar quatro grupos juvenis de maior reconhecimento no bairro e que auto- identificam como “galera do rock”, do “reggae”, do “hip hop” e “pagodeiros”.

  • LÚCIA MARIA PEREIRA
  • ÍCONES DE CURA E FÉ: os ex-votos da Igreja Senhor dos Passos em São Cristóvão, um discurso sobre a doença.
  • Orientador : JONATAS SILVA MENESES
  • Data: 01/06/2012
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Essa dissertação de mestrado é um estudo etnográfico de ex-votos de São Cristovão- palavras e coisas- depositados pelos romeiros devotos do Senhor dos Passos como forma de pagamento de promessa por curas alcançadas ou desejadas. Apresento a procissão onde analiso os elementos constituídos do rito de Passos e em particular a crença e a cura. A procissão é compreendida como rito ascético a partir da concepção durkheimeana de crenças, ritos e representação e os objetos sagrados- os ex-votos e os bilhetes- são abordados como signos de cura/fé e classificados como ícones, índices e símbolos segundo a semiótica peirceana. Esta perspectiva permitiu ler, ver e ouvir os enunciados sobre doença a partir do doente- o discurso sobre a doença – um itinerário etiológico proposto por Laplantine, que ajudou a identificar as diferentes respostas para o “porquê” da doença entre os romeiros através de suas falas identificando seus múltiplos sentidos. A visão abrangente e totalizante da doença caracteriza essas praticas de cura mágico-religiosa como uma posição marginal à medicina cientifica oficial, individualizada e focada na terapêutica medicamentosa e cirúrgica.

  • FERNANDA REIS DE CARVALHO
  • PADRASTOS: REFLEXÕES SOBRE O SEU PAPEL NA FAMÍLIA RECOMPOSTA
  • Orientador : CHRISTINE JACQUET
  • Data: 25/05/2012
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Diante da complexidade da discussão de Família, buscamos neste trabalho refletir sobre a família recomposta. Esta família não é recente, mas estrutura-se atualmente a partir de uma outra configuração, sendo resultado de um divórcio ou separação conjugal. Nestas famílias, coexistem várias mulheres e homens que podem ou não desempenhar a função parental. A nossa proposta foi a de estudar o papel do padrasto nestas famílias, e as relações existentes entre o desempenho deste papel e a atuação da mãe. Para tanto, nos valemos da aplicação de questionários com jovens do Estado de Sergipe, tendo como foco as configurações familiares; e de entrevistas com mães e padrastos. O presente trabalho divide-se em três partes. Na primeira, realizamos a discussão teórica sobre as famílias recompostas, e em especial sobre o papel do padrasto e a atuação da mãe, além da análise de dados do IBGE e da legislação brasileira. A segunda parte aborda os aspectos metodológicos utilizados bem como a descrição das famílias participantes. Na terceira parte, procedemos a classificação dos tipos de mães e padrastos encontrados, e à investigação das trajetórias de vida e dos discursos sobre as práticas cotidianas que levam a atuação dos diferentes papeis. Por fim, constatamos que há uma estreita relação entre a atuação da mãe na família, concedendo ou limitando espaço para a atuação do padrasto.

  • MÁRIO CÉSAR PEREIRA OLIVEIRA
  • A CIDADE HISTÓRICA DE LARANJEIRAS (SE): Inter-relações entre o patrimônio material e o imaterial.
  • Orientador : JONATAS SILVA MENESES
  • Data: 25/05/2012
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O trabalho se propõe a analisar inter-relações entre o patrimônio material e imaterial da Laranjeiras a partir dos processos identitários de seu agenciamento enquanto cidade histórica. A análise dessa peculiar cidade monumento tombada como patrimônio por sua arquitetura, mas também marcada por ser a cidade com o maior numero de grupos folclóricos de Sergipe- nos revela as divergências e convergências entre esses elementos no processo de construção pelos seus usuários de uma representação através da atribuição de status patrimonial pelos seus usuários. Ambos são materiais e imateriais, mas resguardam suas diferenças a partir da diversidade de referencias étnico-culturais em discursos constituído sobre a historia da cidade constituído juntos, o que se denomina Patrimônio Material e o Imaterial, um sistema cultural mais amplo. A ação ritual do folclore toma como palco o cenário ritual da arquitetura da cidade, ambos expressivos da organização social da cidade, de seus processos históricos, seus conflitos, das suas negociação, seus discursos de das suas identidades constituídas sobre esse patrimônio, assim acabam por se efetivar como uma forma de expressão da cultura da cidade manipulada por seus usuários como referentes de memória e da historia. O conjunto patrimonial se apresenta como um fato social total, uma representação coletiva da cidade que coloca em jogo as próprias relações culturais da cidade e é no seu estudo conjunto que é possível entender de forma mais ampla a heterogeneidades e as relações internas e externas do sistema cultural da cidade.

  • DIOGO FRANCISCO CRUZ MONTEIRO
  • INDÍGENAS E ICONOGRAFIA DIDÁTICA: A imagem dos índios nos manuais de história do Programa Nacional do Livro Didático (2011).
  • Orientador : FRANK NILTON MARCON
  • Data: 07/05/2012
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Esta dissertação tem como objetivo geral identificar os modos de adequação das imagens de temática indígena dos livros didáticos de História avaliados e distribuídos pelo Programa Nacional do Livro Didático (PNLD), do ano de 2011, aos termos da lei nacional 11.645/08, por parte de seus autores e editores. Para isso, procedemos à análise das alegorias sobre a agência relacionada ao indígena nos livros didáticos. Para a seleção dos livros aqui analisados, seguimos o critério de triagem dos títulos que mais foram adotados durante o processo de avaliação e escolha dos livros didáticos pelos professores e gestores de escolas públicos estaduais da cidade de Aracaju, a partir Guia do Livro Didático do PNLD 2011. As impressões acerca dos povos indígenas nos livros didáticos são expressões a partir da análise conjunta dos conteúdos de suas imagens, legendas e textos nucleares. Desta forma, optamos pelo trabalho com imagens de naturezas diversas que sejam objetos de descrições, comentários e análises críticas dos autores, presentes tanto nos textos das legendas como nos textos nucleares dos livros analisados. Portanto, com esta pesquisa, pretendemos contribuir para uma melhor compreensão, no contexto atual, sobre as formas de tratamento da temática indígena através das imagens dos livros didáticas da História do PNLD 2011.

  • DAISY MARA MOREIRA DE OLIVEIRA
  • Os Surdos de Aracaju: observação do discurso cultural e identidade dentro do contexto social ouvinte.
  • Orientador : HIPPOLYTE BRICE SOGBOSSI
  • Data: 04/04/2012
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho trata-se de uma pesquisa de campo com os surdos de Aracaju, partindo da observação do discurso dos líderes da capital, onde surgem exaustivamente dois termos que são amplamente discutidos na antropologia, quer sejam, cultura e identidade. Diante disto, levantamos as seguintes questões norteadoras: qual a origem deste discurso comum produzido nos círculos sociais dos surdos sergipanos? Qual o lugar e o sentido que a língua de sinais ocupa no que denominam "cultura e identidade surda"?. Uma vez que se constatou que este discurso provinha de um âmbito maior, propomos o seguinte objetivo: à luz da antropologia observar os surdos de Aracaju a fim de averiguar como estes vêm aderindo ao discurso cultural e identitário de âmbito nacional e vêm se posicionando frente à sociedade envolvente. Assim, no primeiro capítulo, procuramos averiguar como surgiu a utilização dos dois termos na trajetória desta minoria, nos apropriando da historiografia por entendermos que muitas imagens são esculpidas através da literatura e por isso podem se perpetuar até mesmo fora das fronteiras nacionais. Utilizamos da interdisciplinaridade com autores de áreas afins, tanto surdo como ouvinte, que vêm reproduzindo na literatura um retrato do surdo. No segundo capítulo procuramos identificar como os termos cultura e identidade são abordados por antropologos e se eram ou não utilizados de forma adequada pela comunidade pesquisada. E no terceiro capítulo, utilizando da etnografia, procuramos registrar os movimentos, espaços de encontro e as práticas sociais desse sujeito, onde se averiguou o destaque dado a língua de sinais como maior marca identitária. O que podemos concluir desta pesquisa é que, devido ao tratamento estereotipado desse indivíduo no percurso histórico foi projetada, socialmente falando, uma imagem de incapaz. E que este sujeito, não aceitando os rótulos dados, irmanaram-se em prol da reversão desta imagem. Assim criaram vínculos, reproduziram termos que os distinguiam da sociedade ouvinte, e através do atributo linguístico distinto demonstraram sua marca identitária. Entendemos também que além da distinção linguística, os surdos possuem elementos culturais diferentes de nós ouvintes, como a forma de nomear seus indivíduos. E que pela própria condição de incomunicabilidade, quando nascem em família que não utilizam a Libras, perdem muito do que se é transmitido pela via oral, ou seja, há um prejuízo de transmissão cultural do grupo no qual está inserido. Mas, uma vez juntos aos seus pares há uma identificação e fortalecimento. Poderiamos dizer que os surdos não têm uma cultura e identidade, mas culturas e identidades.

  • VIVIANE FERNANDES CONCEIÇÃO DOS SANTOS
  • CORPO E MÁQUINA:  estudo etnográfico em uma clínica de hemodiálise
  • Orientador : EUFRAZIA CRISTINA MENEZES SANTOS
  • Data: 21/03/2012
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Esta dissertação de mestrado é um estudo etnográfico realizado na Clínica de Nefrologia de Sergipe junto a quinze pessoas que realizam Terapia Renal Substitutiva do tipo hemodiálise. Apresenta-se uma abordagem antropológica do tema, focalizando as experiências particulares e coletivas dos sujeitos no cotidiano da clínica. A partir da perspectiva fenomenológica, focalizei os aspectos subjetivos presentes nas relações estabelecidas durante o tratamento. Analiso também suas expectativas em relação à possibilidade de transplantes tomando como pano de fundo dessa discussão o quadro atual de doações e transplantes em Sergipe. Perscrutei as dificuldades típicas desta condição liminar que os coloca entre o corpo e a máquina, a vida e a morte. A perspectiva da corporeidade permitiu a identificação e compreensão das dimensões da experiência da hemodiálise com seus múltiplos sentidos. A visão de mundo e o ethos das pessoas em tratamento podem contribuir para desvincular a hemodiálise do sentido de tragédia pessoal e incorporá-la como estilo de vida.

  • EDMUNDO FONSECA MACHADO JUNIOR
  • O DIVINO ESPÍRITO SANTO FAZ FESTA EM VILA DE ABRANTES/BA: MITO, MEMÓRIA, PATRIMÔNIO E TRADIÇÃO MISTA
  • Orientador : HIPPOLYTE BRICE SOGBOSSI
  • Data: 13/02/2012
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • O festejar ao Divino Espírito Santo em Vila de Abrantes/ BA todos os anos de pentecostes vem a explicar como os Abrantinos reconstroem e reconstituem por meio da memória e da prática dessa festa, seu passado com os artefatos do presente. Fazendo emergir através de suas lembranças personagens, fundamentos e os marcadores da origem sociocultural e cosmológica dessa comunidade. Para tanto, foi de suma importância o trabalho etnográfico vivenciado nos anos de 2009 e 2010, este que possibilitou a observação de como por diferentes formas os Abrantinos e o Divino manifestam e mantêm sua “ Reciprocidade”. A memória destes então, nos leva a compreender como esta religiosidade definida como “ tradição Mista”, dá e ganha significado na vida dos que praticam, além da mesma possuir uma relação intrínseca com a própria fundação de Abrantes. Através do inventário dos bens realizados pelos Abrantinos e considerando-os como patrimônio material e imaterial de sua cultura foi possível a reconstrução de lugares e a preservação de identidades proporcionando o entendimento dos valores cognitivos em torno das edificações de vila de Abrantes, que tanto distinguem mundos e visões de mundo como influenciam na dinâmica social dos Abrantinos.

  • SIMONE DE ARAUJO PEREIRA
  • Urbanização litorânea: o sentido público da orla de atalaia
  • Orientador : WILSON JOSE FERREIRA DE OLIVEIRA
  • Data: 09/02/2012
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • As intervenções urbanas em muitas cidades brasileiras e estrangeira constituem um dos temas mais importantes e atuais da Antropologia Urbana contemporânea. Tais intervenções alteram a imagem da cidade mediante uma requalificação dos usos de convívio cotidiano, tendo em vista a tentativa de criação de espaços ordenados e atrativos a práticas de consumo, lazer e turismo. O presente trabalho pretende contribuir à compreensão das ressonâncias práticas e simbólicas que permeiam os usos desses espaços. Para tanto, elege-se como objeto de pesquisa a Orla de Atalaia, sendo esta uma contunde experiência de requalificação realizada na cidade de Aracaju. O espaço Orla torna-se complexo na medida em que está situado meio a dois espaços distintos que expõem práticas diversificas, e ao mesmo tempo reconhecidamente típicas a cada espaço. Envolta pelas práticas típicas do espaço urbano e das práticas típicas de um espaço praiano, revela-se um espaço mediador de dissonantes práticas. O espaço configura-se através de práticas que apontam ao entendimento da Oral além de um espaço urbano, podendo ser compreendido como um espaço público. A partir dos usos estabelecidos no espaço e da arquitetura que a estrutura foi possível perceber a Orla enquanto espaço urbano que retém simbolicamente o sentido de estar na praia. Sendo esta a compreensão de um espaço que oscila entre os diversos usos público, possíveis apenas em um espaço urbanizado que margeia a praia.

SIGAA | Núcleo de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2019 - UFRN - canario.ufs.br.canario1 v3.5.16 -r5547-f242aeb95