Dissertações/Teses

Clique aqui para acessar os arquivos diretamente da Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da UFS

2019
Descrição
  • ÍTALO DOS SANTOS ALVES
  • Avaliação do potencial antimicrobiano de extratos de plantas da região semi-árida do estado de Sergipe frente isolados de Salmonella multirresistentes a drogas com espectro extendido (ESBL)
  • Orientador : ALEXANDRE LUNA CANDIDO
  • Data: 31/01/2019
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A multirresistência bacteriana é um problema enfrentado pelas autoridades em saúde publicaem todo o mundo, visando o controle da proliferação de doenças que são consideradas potencialmenteperigosas. Assim, os extratos naturais têm sido introduzidos como possíveis substitutos para osantimicrobianos sinteticos frente às linhagens multirresistentes que tem emergido e se ampliado ao longodos anos. O objetivo deste estudo foi de avaliar a ação antimicrobiana dos extratos provenientes deplantas encontradas no bioma Caatinga frente às amostras de Salmonella multirresistentes isoladas deefluentes urbanos da cidade de Aracaju no ano de 2015. Foram testados os extratos das plantaspertencentes às espécies: Coutoubea spicata, Croton argyrophillus, Croton spp. (acetado de etila),Croton spp. (hexano), Genipa americana, Libidibia ferrea, Schinopsis brasilienses, Syzygium cumini eTabebuia áurea. Pra verificar a Dose Minima Inibitoria (DMI) dos extratos foram avaliadas quatroconcentrações: 1mg/mL, 5mg/mL,10mg/mL e 15mg/mL, sendo acrescidos 1000 µl da cultura deSalmonella. Dessa foram transferidos 5µl para cada placas de petri contendo o meio ágar Luria Bertanisuplementado e não suplementado c/antibióticos, no sistema de triplicata em diferentes intervalos detempo (T0 a T3), e encubadas a temperatura de 36°C por 48 horas. Para fins de contagem foramconsideradas as placas que observou-se o crescimento microbiano entre 20-200 colônias. Os extratos queapresentaram os melhores resultados foram os das espécies Libidibia férrea, Schinopsis brasiliensis eSyzygium cumini. Também foi observado que o desempenho antimicrobiano dos extratos foipotencializado pelo sinergismo com os antibióticos que foram acrescidos ao meio de cultura onde podeser observada uma redução significativa no número de colônias bacterianas, o que denota o potencialdestes extratos em terapias antimicrobianas como auxilio na atividade destes medicamentos que vemapresentando problemas quanto a ação contra microrganismos multirresistentes.

  • CRISTIANE LIMA MENEZES
  • Identificação da Catequina da Fase Acetato de Etila e Estudo da Atividade Redox Através de Técnicas Eletroquímicas da Anacardium
  • Orientador : ACACIA MARIA DOS SANTOS MELO
  • Data: 31/01/2019
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Anacardium occidentale L. (Anacardiaceae), espécie nativa do Brasil, conhecida popularmentecomo cajueiro, é muito utilizada com finalidades farmacológicas tais como: anti-inflamatória,cicatrizante, antiglicêmico e afins. Suas entrecascas já foram descritas como ricas em compostosfenólicos, poderosos antioxidantes naturais. Assim, o objetivo deste trabalho foi avaliar o potencialantioxidante das entrecascas de A. occidentale utilizando técnicas eletroquímicas de voltametria cíclica(VC) e voltametria de pulso diferencial (VPD) e espectofotometrica de sequestro do radical DPPH. Paraisso, foi feito primeiramente uma prospecção fitoquímica em que foram detectados esteroides, fenois,flavonas, flavonoides, saponinas, taninos e xantonas do extrato hidroetanólico (EHE) e da fase acetatode etila (FAE). Também foi quantificado o teor de fenólicos totais (FT) na FAE com valores de (848,62± 78,18μg EAG/mg). O ensaio DPPH mostrou que quanto maior a concentração da FAE (25μg/mL)maior foi o sequestro do radical livre DPPH (sequestrou mais de 90%) com valor de CE50(16,13μg/mL) e com valor de IAA (2,48) acima de 2,0, constatando o potencial antioxidante muito forteda planta. A análise por CLAE da FAE apresentou um comportamento similiar ao padrão catequina, aoobservar um pico majoritário eluído em 3-5 minutos com uma base pouco alargada e com um espectrode varredura UV-visível para FAE com máximo de absorbância de (274nm) e de (278nm) para (+)catequina, e assim, identificando a (+) catequina, ao comparar com o espectro de varredura UV-visívelde 279nm encontrado na literatura. As técnicas eletroquímicas também se mostraram como excelentessensores voltamétricos para a análise do comportamento eletroquímico e redox dos compostospolifenólicos, (+) catequina, visto serem eletroativos. A VC e VPD da FAE revelaram picos dospotenciais de oxidação relacionados com a estrurura da mólecula da (+) catequina e o pico dopotencial de redução relacionado ao produto do primeiro pico de oxidação. As feições ecomportamentos eletroquímicos da FAE e da CAT, inferem o envolvimento da catequina com a atividaderedox da A.occidentale. Diante disso, a planta se mostra de bastante importância para a indústriafarmacêutica.

2018
Descrição
  • JESICA BATISTA DE SOUZA
  • Atividades biológicas de amostras semi-purificadas das folhas da Eplingiella fruticosa Salzm. ex. Benth
  • Orientador : CHARLES DOS SANTOS ESTEVAM
  • Data: 13/11/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • As plantas medicinais produzem metabólitos secundários com funções de defesa e sobrevivência em seu habitat, sendo úteis ao homem como terapêuticos. A Eplingiella fruticosa (Lamiaceae) ou alecrim do vaqueiro tem amplo uso pela população no combate a febres, bronquites, dores, infecções, dentre outros, possuindo também descrição científica de atividades antimicrobiana, antioxidante e larvicida, por exemplo. O isolamento ou semi-purificação de compostos de uma amostra amplia a chances de encontrar fitoconstituintes bioativos, os quais podem estar em baixas concentrações no extrato. Nesse sentido, o extrato clorofórmico (EC) das folhas de E. fruticosa foi semi-purificado por meio de cromatografia flash e cromatografia liquida clássica, obtendo-se 29 semi-isolados, os quais foram investigados quando ao potencial antioxidante, antimicrobiano, larvicida e citotóxico. A prospecção fitoquímica do EC revelou a presença de flavonoides, saponinas e xantonas. O teste antioxidante frente ao 2,2-difenil-1-picril-hidrazila demonstrou atividade muito ativa na subfração metanólica (SM) com concentração efetiva (CE50) < 50 μg.mL-1 e pouco ativa no EC e Grupo 23 (G23) CE50 > 100 μg.mL-1. Nessas amostras e no Grupo 11 (G11), o teor de fenólicos totais (FT), flavonoides totais (FLT) e flavonois totais (FLAVT) foram quantificados por métodos espectrofotométricos. Todas apresentaram teor de FT acima de 100 mg.g-1 de amostra e foram estatisticamente semelhantes entre si, conquanto os valores de FLT e FLAVT destacaram-se no EC. A SM a 500 μg.mL-1, no teste de macrodiluição em caldo, mostrou-se ativa contra o crescimento de S. aureus, contudo, no teste de difusão em disco, nenhuma amostra (1 mg.mL-1) inibiu o crescimento bacteriano. Os ensaios utilizando larvas de 3º estágio do Aedes aegypti revelaram três subfrações com efeitos larvicida: o Grupo18 (G18) apresentou concentração letal (CL50) de 371 e 253 ppm, a subfração clorofórmica (SC) apresentou CL50 de 815 e 752 ppm, em 24 e 48h, respectivamente. A SM, após 48h, apresentou percentual de mortalidade de 93 ± 4,4%, sugerindo ação de efeito prolongado. No ensaio de Brometo de 3-(4,5-dimetiltiazol-2-il)-2,5-difeniltetrazólio, o EC, a SC, a subfração acetato de etila e a SM, nas concentrações de 1,56 a 12 μg.mL-1, não diminuíram a viabilidade das células do endotélio humano EA.hy926 quando comparados ao controle.

  • FABIOLLA ROCHA SANTOS PASSOS
  • Efeito anti-hiperalgésico do acetato de hecogenina complexado à β-ciclodextrina em modelos de dor neuropática e inflamatória crônica
  • Orientador : JULLYANA DE SOUZA SIQUEIRA QUINTANS
  • Data: 21/09/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • A dor neuropática se desenvolve devido à lesão no sistema somatossensorial, afetando a qualidade de vida do seu portador. Diante da ineficácia da farmacoterapia atual, as substâncias obtidas de produtos naturais são uma alternativa promissora. Neste sentido, tem-se o acetato de hecogenina (AH), uma sapogenina esteroidal com atividade anti-inflamatória e antinociceptiva relatadas na literatura. Contudo, o AH tem baixa solubilidade em água, o que afeta a sua biodisponibilidade. Por isso, é viável a sua inclusão em β-ciclodextrina, resultando em efeitos superiores também relatados na literatura. Dessa forma, o objetivo deste trabalho foi avaliar a atividade anti-hiperalgésica do acetato de hecogenina puro e complexado (AH/βCD) em modelo animal de dor neuropática e inflamatória crônica. Inicialmente, foi preparado o complexo de inclusão na razão molar 1:2 (AH:βCD) pelo método de liofilização. Todos os protocolos experimentais foram aprovados previamente pelo comitê de ética e foram realizados com a utilização de camundongos Swiss machos. Os animais foram divididos em quatro grupos (n=8), sendo o sham (não submetidos à indução álgica e tratados com água v.o.), veículo (tratados com água v.o.), e grupos tratados v.o. com AH 20mg/kg e AH/βCD 20mg/kg. Para a indução da dor inflamatória crônica, os animais receberam uma injeção intraplantar de CFA (adjuvante completo de Freund), e foram avaliados quanto à hiperalgesia mecânica e quanto aos níveis de mieloperoxidase (MPO) na pele da pata ao fim dos oito dias de tratamento. AH e AH/βCD reduziram a hiperalgesia mecânica em relação ao grupo veículo até a quarta e quinta hora, respectivamente, na avaliação aguda, com efeito superior da forma complexada sobre a forma pura na segunda e terceira hora após o tratamento (p<0,001). Na avaliação crônica, AH e AH/βCD reduziram a hiperalgesia em relação ao veículo nos oito dias de tratamento (p<0,001). Ambas as formas pura (p<0,01) e complexada (p<0,001) reduziram a atividade da mieloperoxidase na pele da pata dos animais. Grupos de animais sujeitos ao mesmo protocolo farmacológico foram submetidos ao modelo de lesão parcial do nervo ciático (LPNC) e avaliados quanto à hiperalgesia mecânica, térmica e alodinia ao frio. AH e AH/βCD reduziram a hiperalgesia mecânica até a quarta e sexta hora, respectivamente, e ambas reduziram a hiperalgesia em relação ao veículo na avaliação crônica (p<0,001). AH e AH/βCD também reduziram a hiperalgesia térmica, com efeito superior da AH/βCD (p<0,01); e alodinia ao frio (p< 0,05 e p<0,001, respectivamente). A análise da medula destes animais demonstrou diminuição nos níveis das citocinas pró-inflamatórias TNF-α, IL-1β e IL-6, além da diminuição da expressão microglial (através do Iba-1) em relação ao grupo veículo. Além disso, AH e AH/βCD reduziram a nocicepção aguda induzida pela injeção intraplantar de glutamato (p<0,001), e AH/βCD reduziu a nocicepção induzida por injeção intraplantar de agonista TRPA1 (p<0,01) e TRPM8 (p<0,05). E o tratamento por oito dias com AH e AH/βCD não demonstrou sinais de lesão gástrica e hepática. Diante do exposto, AH e AH/βCD tem efeito antinociceptivo em modelos de dor crônica, provavelmente por inibição da migração leucocitária, interação com o sistema glutamatérgico e receptores TRPA1 e TRPM8, além da redução de citocinas pró-inflamatórias e expressão microglial. Por isso, AH/βCD tem grande potencial para utilização no tratamento da dor crônica.

  • ERIC AIAN PEREIRA DA SILVA
  • Efeito hipotensor do farnesol puro e complexado em beta-ciclodextrina em modelo de hipertensão arterial
  • Orientador : ANDRÉ SALES BARRETO
  • Data: 30/07/2018
  • Dissertação
  • Mostrar Resumo
  • Não se aplica

    Motivo:Banca fechada

    Produto em processo de pedido para registro de patente no cintec ufs para ser enviado ao INPI – InstitutoNacional de Propriedade Intelectual

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2019 - UFRN - canario.ufs.br.canario1 v3.5.16 -r6023-9eeb2c6a6