UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 30 de Janeiro de 2023

A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente

PPGED

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE

Integração com a Graduação

ATUAÇÃO DOS DOCENTES NA GRADUAÇÃO: os professores do PPGED ministram, pelo menos, duas disciplinas na graduação em todos os semestres letivos e isso vem facilitando o intercâmbio entre graduação e pós-graduação, a partir da atuação nas atividades de pesquisa. Essa participação é facilitada, ainda, a partir das diversas ações e programas institucionais ligados as Pró-reitorias de Pesquisa, Extensão e de Graduação da Universidade Federal de Sergipe, que disponibilizam bolsas de capacitação por meio de editais internos. Temos uma política de aperfeiçoamento, desenvolvimento profissional e condições de formação que amplie o desempenho acadêmico dos estudantes. Assim, a tríade ensino-pesquisa-extensão é o eixo central da atividade docente, que conduz ao planejamento de ações e estratégias pedagógicas para o desenvolvimento de aprendizagem interativa, inovadora e que se preocupe com os problemas sociais.

 

INICIAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA: A UFS, por meio da Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa (Posgrap) e das Coordenações de Pesquisa (Copes) e Inovação Tecnológica (Cinttec) lança, todos os anos, editais para professores da UFS interessados em concorrer a cotas remuneradas e não remuneradas do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (Pibic) e de Programa Institucional de Bolsas de Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação (Pibiti) com mais de 500 bolsas de IC. A UFS também conta com bolsas de Iniciação à Extensão (Pibix) e Programa de Educação Tutorial (PET).  Além disso, alguns professores do Programa foram contemplados com editais de fomento que possuíam cotas de bolsas de IC pela CAPES, CNPq e FAPITEC. Ao longo do quadrienal, 24 docentes (82,75%) foram contemplados com bolsas de iniciação científica, estimulando a formação de novos pesquisadores na graduação, a partir da participação de estudantes nos projetos guarda-chuvas dos docentes 

 

INICIAÇÃO À DOCÊNCIA E RESIDÊNCIA PEDAGÓGICA: o objetivo dos Programas Institucionais de Bolsas de Iniciação à Docência (Pibid) e Residência Pedagógica (RP) é oferecer bolsas de iniciação a docência a alunos de graduação para atuarem em projetos que visam o contato dos licenciandos com as escolas públicas, desde o início da graduação. As atividades envolvem o estudo, o planejamento e a prática docente de professores em formação inicial. Durante o quadrienal (2017-2020), 11 docentes participaram ativamente desses programas.

 

ESTÁGIO DOCÊNCIA: Regido pela Instrução Normativa 05/2017/PPGED, o Estágio Docência aprova a atuação de discentes dos cursos de Mestrado e Doutorado do PPGED na docência dos cursos de graduação. Mestrandos e doutorandos bolsistas CAPES, CNPq e FAPITEC participam das atividades de Ensino na graduação, ampliando suas vivências no campo do magistério superior, sendo uma atividade optativa para estudantes do curso do mestrado e obrigatória, por dois semestres, para os estudantes do curso do doutorado. Ao longo do quadrienal (2017-2020), 72 doutorandos e 17 mestrandos realizaram estágio docência na graduação. Assim, nas avaliações realizadas e disponíveis nos relatórios, os discentes ressaltam a importância da experiência adquirida, do conhecimento mais amplo do contexto universitário e a vivência do cotidiano da sala de aula, exigindo um maior domínio do conteúdo e de metodologias que incentivam a interação entre os alunos e favorecem o processo de (re)construção do conhecimento. Outro aspecto positivo mencionado, nesses relatórios, é a oportunidade de socializar os resultados das pesquisas que vêm realizando para a construção das dissertações e teses.

 

 

AÇÕES DE EXTENSÃO: Dentre os trabalhos coletivos com participação dos alunos da graduação e os docentes e discentes da pós-graduação estão a realização de projetos de formação continuada e eventos científicos. Sobre o apoio à realização de eventos científicos, o programa tem atuado de forma satisfatória, na medida em que, durante o quadrienal, foram realizados eventos científicos locais, regionais, nacionais e internacionais. Eles contribuíram para o cumprimento da nossa missão e objetivos, principalmente, com relação à divulgação científica e o estímulo à produção científica. Como exemplo, podemos citar: 

a) O PPGED promoveu, em 2018, a Conferência Internacional de Estudos Queer – CONQUEER, que dialogou em prol do avanço científico e da promoção de novas compreensões teóricas e metodológicas em torno dos estudos lésbicos, gays, trans e queer, contando com a participação de 320 pessoas do Brasil e da Argentina, Portugal, Colômbia, Espanha e Chile. 

b) O PPGED promoveu o II Congresso Internacional de Educação (CONEduc-UFS), VII Encontro Nacional de Educação do Campo e Movimentos Sociais: Escola da Terra, VII Fórum Identidades e Alteridades, III Congresso Educação e Diversidade (CONED-UFS) e III Colóquio de Estudos Territoriais. Ao todo, foram 08 (oito) docentes envolvidos em organização de eventos de amplitude internacional.

c) Destacamos o Colóquio Internacional Educação e Contemporaneidade, promovido pelo Grupo de Pesquisa CNPq/UFS Educação e Contemporaneidade (EDUCON), liderados pelos professores Bernard Charlot e Veleida Anahi da Silva, durante os últimos 14 anos na UFS. O objetivo do evento é promover o debate e a socialização do conhecimento produzido sobre relevantes temas da educação no Brasil e no mundo, sem perder de vista as diferentes perspectivas teóricas e políticas que estimulam pesquisadores, docentes, estudantes e profissionais de áreas afins. O evento conta, anualmente, com diversas conferências e mesas-redondas internacionais e nacionais, com publicação publicados nos Anais do XIV Colóquio (artigos) e caderno de resumos.

d) O PPGED apoiou a realização do X Encontro de Pesquisa Educação Ambiental - EPEA e VII Encontro Sergipano de Educação Ambiental – ESEA, coordenado pelas professoras Aline Oliveira e Maria Inêz Araújo Oliveira. O evento, desde a sua primeira edição, tem contado com a participação de pesquisadores e estudantes provindos das diversas regiões do país. O X EPEA voltou-se a essa temática com o objetivo de promover discussões acerca da constituição da realidade atual em tempo de crises, contextualizando os percursos da pesquisa em educação ambiental nesse ínterim. 

e) O PPGED apoia o Ciclo de Conferências “TIC & EDUCAÇÃO”, que todos os anos discute o aprimoramento na perspectiva de ser um espaço de discussão científica, problematizando as discussões acerca da Informática Educativa e tecnologias na educação dos cursos de formação. O evento é uma parceria do Grupo de Estudos e Pesquisas em Informática na Educação (Gepied) com o Centro de Educação Superior a Distância (CESAD) da UFS e gestores e professores do SENAC-SE. 

f) O PPGED também apoiou a X Oficina de Ciências Matemática e Educação Ambiental - X OCMEA. O evento compreendeu um conjunto de oficinas ofertadas aos alunos e professores das escolas públicas de Sergipe. As oficinas são ofertadas por professores, funcionários e alunos de graduação e pós-graduação participantes de projetos de ensino, pesquisa e/ou extensão da UFS. O evento OCMEA é desenvolvido, desde 2006, buscando aproximar os acadêmicos da realidade educacional da região, promover um diálogo sobre temas das Ciências da Natureza, Humanas, Sociais, Aplicadas e Linguagem, fazer uma divulgação e reflexão do papel da Ciência e da Tecnologia no bem-estar e futuro da humanidade. 

g) O PPGED sediou o II Colóquio Interfaces Acadêmicas entre graduação e pós-graduação, coordenado pelo professor Carlos Alberto de Vasconcelos, que teve como objeto reunir pesquisadores dos diversos componentes curriculares de várias instituições para discussões sobre ensino, formação, tecnologias e aprendizagens. Além disso, o evento buscou: aproximar alunos de graduação, com alunos de pós-graduação e professores de todos os níveis de ensino; inserir os estudantes e professores com o embate acadêmico; e discutir questões emergentes no ensinar e aprender com a utilização das tecnologias. O evento contou com 81 trabalhos de comunicação oral e a participação de 202 pessoas, incluindo 51 estudantes de graduação.

h) O PPGED apoia todos os anos a Semana da Visibilidade Trans de Aracaju. Um evento ativista, que articula a universidade com os movimentos sociais, com forte apelo formativo para ampliação as discussões e os espaços de debates no que tange a visibilidade trans* para contribuir para uma universidade inclusiva.

 

INICIAÇÃO À EXTENSÃO: o Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Extensão – PIBIX é subsidiado pela Pró-Reitoria de extensão (Proex) lança editais para professores da UFS interessados em concorrer a cotas remuneradas e não remuneradas, anualmente, com financiamento do CAPES bem como por recursos próprios. Assim, podemos citar como exemplo os seguintes projetos:

a) O professor Paulo Boa Sorte desenvolveu o “Ambientes Digitais: na teoria e na prática de sala de aula”, que visou conscientizar o professor da educação básica nas escolas públicas das mudanças promovidas pelo uso de tecnologia a serviço do registro e circulação de informações. Em relação aos letramentos atuais, foram debatidos os conceitos de multimodalidade, hipertexto, hibridização de linguagens que são centrais no processo de produção e leitura de textos hipermídia. 

b) As professoras Aline Oliveira e Maria Inez Araújo Oliveira desenvolveram o projeto “Sala Verde”, que teve como meta principal incentivar o debate sobre a Educação Ambiental no Estado, assim como, dar apoio às atividades desenvolvidas pelo projeto Sala Verde na UFS. O projeto contribuiu no desenvolvimento de ações de intervenção em educação ambiental, em caráter interdisciplinar.

c) A professora Rosana Givigi desenvolveu o projeto “A instrumentalização de futuros profissionais para uso de recursos de tecnologia assistiva e comunicação alternativa”, que buscou contribuir com a inclusão de pessoas com deficiências. Os princípios teóricos são do Interacionismo e dos conhecimentos técnicos específicos da Tecnologia Assistiva (TA) e da Comunicação Alternativa e Ampliada (CAA). 

O PPGED também desenvolveu outras ações de extensão que visaram à formação dos estudantes dos cursos da graduação e desenvolvimento da comunidade externa a UFS. Podemos citar como exemplo as ações:  a) O professor Paulo Boa Sorte desenvolveu o projeto “Formação Continuada de Professores de Inglês como Língua Adicional”, em parceria com o Grupo de Pesquisas "Letramentos em Inglês: língua, literatura, cultura" da UFS. 

b) O professor Luiz Anselmo Menezes desenvolveu o projeto “Formação continuada de professores: compartilhando soluções e proposições pedagógicas para o processo de ensino-aprendizagem” que promoveu a articulação entre UFS e o contexto da Educação Básica, a partir das reflexões acerca das situações e conflitos reais da prática pedagógica, tornando-se referencial de soluções para a melhoria da qualidade do ensino de futuro docentes. 

c) A professora Marilene Nascimento desenvolveu o projeto “Robótica como Espaço de Aprendizagens Colaborativas”, objetivando desenvolver oficinas de robótica educacional para estudantes da rede municipal de Itabaiana, com vistas à melhoria da aprendizagem e elevação do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) na modalidade do ensino fundamental da educação básica. Tratou-se de uma ação de relevância para as escolas do município por envolver discentes com distorção idade-série dos anos finais do ensino fundamental, promovendo, inclusive, a aproximação entre educação básica e ensino superior.

d) A professora Raquel Freitag desenvolveu o projeto “Cientistas na Escola: ações de interiorização e popularização da ciência em Sergipe (Chamada CNPq 02/2017 - Linha B - Projetos de Abrangência Intermunicipal)”, que teve como finalidade a realização de ações de Interiorização da Ciência por meio de jornadas científicas com palestras de cientistas sobre o tema da SNCT 2017, a Matemática está em tudo, e apresentações dos bolsistas do PIBIC Jr., envolvendo toda a comunidade escolar.

e) A professora Marizete Lucini desenvolveu a ação de extensão “Feminismos decoloniais negros e indígenas”, que objetivou refletir sobre o sentido, implicações e percursos da Filosofia Feminista na América Latina. Além das reflexões indicadas, também contempla vivências que evidenciam o protagonismo feminino na constituição de ações sustentáveis. Tratou-se de uma ação desenvolvida dentro do Programa de Mobilidade Acadêmica entre Programas de Pós-Graduação da UFS e UFRGS, decorrente do Edital 10/2016/PROMOB/CAPES/FAPITEC.

 

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL: O Programa de Educação Tutorial (PET) visa atender os princípios da indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão. É formado por grupos tutoriais de aprendizagem e tem como objetivo principal promover formação de qualidade aos estudantes envolvidos, direta ou indiretamente, estimulando o desenvolvimento de valores que reforcem a consciência social e a melhoria dos cursos de graduação. O Grupo PET Educação – Conexão de Saberes faz parte do Departamento de Educação do Campus Professor Alberto Carvalho da Universidade Federal de Sergipe. Atualmente, esse PET está sob a tutoria da professora Marilene Batista da Cruz Nascimento e tem a participação de 12 bolsistas que desenvolvem ações de ensino, pesquisa e extensão. As práticas de investigação do PET têm como objetivo potencializar a interação entre bolsistas, voluntários e membros da pós-graduação nos grupos de estudos e projetos de iniciação à pesquisa, visando à formação do espírito científico. As atividades de extensão são de cunho educativo e social, tendo o propósito de disseminação de ações nas escolas públicas, com vistas à promoção de formação continuada em serviço para docentes e oferta de oficinas pedagógicas para discentes da educação básica. Essa parceria pauta-se no Termo de Cooperação Técnica n. 001/2017 entre a Universidade Federal de Sergipe e a Prefeitura Municipal de Itabaiana.

 

 

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2023 - UFRN v3.5.16 -r18277-8067e35817