UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 26 de Fevereiro de 2024

A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente


DEPET

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE PETRÓLEO

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE

    Últimas Notícias

01/06/2022 Resultado Final Retificado
26/05/2022 Resultado Final - Concurso Púiblico - EXTRATO DE ATA
26/05/2022 Resultado Final - Concurso Púiblico - Professor Efetivo - Edital No. 001/2022
13/05/2022 Resultado final após o período de recurso - Edital 001/2022
12/05/2022 Resultado final preliminar - Edital 001/2022

Apresentação do Departamento

A exploração, produção e processamento de petróleo constituem atividades fundamentais no atual cenário econômico. Impossível conceber a civilização atual sem a existência da indústria petrolífera, surgida em 1859, quando se deu a perfuração do primeiro poço de petróleo nos Estados Unidos. Registros históricos dão conta de que, no Brasil, as primeiras tentativas de encontrar petróleo datam de 1864, mas somente em 1897, na região de Bofete (SP), foi perfurado o que se considera o primeiro poço petrolífero em nosso país. Apenas em 1939, após intensa campanha nacionalista liderada por Monteiro Lobato, seria perfurado, em terras baianas, o primeiro poço comerciável do país. Nos anos seguintes, ocorreram novas e promissoras descobertas nas bacias do Paraná, de Sergipe-Alagoas e do Recôncavo.


Em outubro de 1953, o governo Getúlio Vargas instituiu a Petróleo Brasileiro S.A (Petrobras) como monopólio estatal de pesquisa e lavra, refino e transporte do petróleo e seus derivados. A exploração de petróleo em Sergipe data de 1957, e os economistas são unânimes em afirmar que o desenvolvimento econômico-social do nosso Estado deve seu forte impulso em decorrência das atividades da Petrobras ligadas à exploração e produção de petróleo.

Usualmente, o termo “Engenharia de Petróleo” refere-se à área da engenharia que cuida do desenvolvimento das acumulações de óleo e gás descobertas durante a fase de exploração de um campo petrolífero, envolvendo atividades que vão desde a perfuração de poços até o processamento primário do petróleo. O perfil de formação do Engenheiro de Petróleo deve englobar conhecimentos de engenharia de petróleo, geologia e geoquímica, geofísica e petrofísica, em conjunto com conhecimentos de áreas correlatas que permeiam as atividades envolvidas na complexa e ampla indústria petrolífera.


Essa demanda por profissionais formados com foco nas atividades da indústria petrolífera tem feito surgir alguns cursos de graduação nesta área em algumas instituições de ensino superior. A implantação do Curso de Graduação em Engenharia de Petróleo, em 2010, voltado para a formação de profissionais com competência técnica e científica para lidar com problemas ligados à indústria petrolífera, com foco na exploração e produção, constitui mais um passo da nossa Instituição para atender a essas efetivas demandas do mundo produtivo, em estrita consonância com seu papel de formar profissionais de nível superior, competentes e capazes de uma atuação ética frente aos problemas sociais e ambientais pelo atual cenário de desenvolvimento. As
 atividades relacionadas à indústria petrolífera demandam cada vez mais a participação de profissionais qualificados com uma forte base de conhecimento científico.

A Universidade Federal de Sergipe (UFS), desde a sua fundação, tem mantido uma estreita interação com a Petrobras, por meio de projetos individuais firmados individualmente com alguns pesquisadores, por meio da realização de estágios por alunos dos seus diversos cursos de graduação, e, mais recentemente, com a firmação do convênio visando à consolidação do Núcleo de Pesquisa em Petróleo e Gás (NUPEG). Com isso, devido ao papel de destaque que o estado de Sergipe ocupa no cenário da indústria do petróleo brasileira e com as perspectivas futuras com as novas descobertas em águas profundas, bem como em função destas parcerias firmadas com a Petrobras e do processo de expansão da UFS, com a criação do programa de Reestruturação e Expansão da Universidade Federais (REUNI), onde foram criados cursos estratégicos para o desenvolvimento social e econômico surgiu o Curso de Graduação em Engenharia de Petróleo.


O NUPEG destina-se a desenvolver projetos em áreas relacionadas à temática de petróleo, gás natural, energias renováveis e meio ambiente. Evidentemente, essa estrutura está mais voltada à pesquisa nas áreas citadas, porém, dada a magnitude do empreendimento e a total relação com a temática da Engenharia de Petróleo, torna-se extremamente relevante para a oferta de cursos de graduação, como por exemplo, o de Engenharia de Petróleo da UFS. O NUPEG conta com sete laboratórios que poderão servir de suporte para o Curso de Graduação em Engenharia de Petróleo, sendo eles: Laboratório de Automação, Controle e Simulação (LACS), Laboratório de Caracterização e Processamento de Biocombustíveis (LCPB), Laboratório de Modelagem e Ciências Geológicas (LMCG), Laboratório de Corrosão e Nanotecnologias (LCNT), Laboratório de Tecnologia de Cimentação de Poços (LTCP), Laboratório de Tecnologia e Monitoramento Ambiental (LTMA), Laboratório de Caracterização e Processamento de Petróleo (LCPP).


O Curso de Graduação em Engenharia de Petróleo foi criado pela Resolução No 31/2009/CONSU, tendo seu Projeto Pedagógico de Curso (PPC) aprovado pela Resolução No 71/2009/CONEPE e alterado, posteriormente, pela Resolução No 80/2014/CONEPE. Além disso, também foram criadas resoluções com normas para estágios (Resolução No 73/2009/CONEPE) e Trabalho de Conclusão de Curso (Resolução No 74/2009/CONEPE). O ingresso da primeira turma, com 50 vagas, ocorreu no primeiro semestre de 2010.


 O Curso de Engenharia de Petróleo está lotado no Núcleo de Graduação em Engenharia de Petróleo (NUPETRO), localizado no Prédio do Laboratório de Tecnologias Alternativas (LTA), sendo que este núcleo fica subordinado ao Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas (CCET) da UFS. O curso inicialmente foi criado vinculado ao Departamento de Engenharia Química (DEQ), mas posteriormente ocorreu a desvinculação do mesmo através da Portaria No 14, de 04 de janeiro de 2013, que cria o Núcleo de Graduação em Engenharia de Petróleo (NUPETRO). Com a criação do NUPETRO o curso passou por um processo de departamentalização (Resolução No 81/2014/CONEPE), em que as disciplinas pertencentes à matéria de ensino de exploração e produção de petróleo que eram alocadas no DEQ foram migradas para o NUPETRO.


O Curso de Graduação em Engenharia de Petróleo teve seu Núcleo Docente Estruturante (NDE) instituído de acordo com a Portaria NUPETRO No 07, de 16 de agosto de 2013 e atende às Normas Acadêmicas (Resolução No 14/2015/CONEPE), que no artigo 19 designa a composição do NDE, que deve ser definida pelo Colegiado de Curso e ter em sua composição um mínimo de:
I. 05 (cinco) professores pertencentes ao corpo docente do Curso;
II. 60% (sessenta por cento) dos seus membros com titulação acadêmica obtida em programas de pós-graduação stricto sensu;
III. 20% (vinte por cento) dos seus membros com regime de trabalho integral.


Os membros do NDE do Curso de Graduação em Engenharia de Petróleo são indicados pelo Colegiado do Curso e possui mandato de três anos, sendo atualmente composto pelos seguintes membros: prof. Dr. João Paulo Lobo dos Santos (Coordenador e Membro do NUPETRO), prof. Dr. Gabriel Francisco da Silva (Membro do NUPETRO), prof. Dr. Acto de Lima Cunha (Membro do NUPETRO), prof. MSc. José Bezerra de Almeida Neto (Membro do NUPETRO), profa MSc. Ronice da Paixão Silva do Prado (Membro do NUPETRO), profa MSc. Rosivânia da Paixão Silva Oliveira (Membro do NUPETRO).

 

 

Local:

Campus São Cristóvão, prédio do NUPEG, primeiro andar, Sala G1.

 

Telefone:

3194-6598

 

Email:

depet@academico.ufs.br

 

Chefia do Departamento:
ROSIVÂNIA DA PAIXÃO SILVA OLIVEIRA
Telefone(s):
Não informado
Endereço Alternativo:
Não informado

<< voltar

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2024 - UFRN v3.5.16 -r18966-bf93dfabd7