UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 16 de Outubro de 2021


DGE

DEPARTAMENTO DE GEOGRAFIA

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE


    Últimas Notícias

27/03/2021 UFS lança editais do Programa Especial de Inclusão Digital
26/03/2021 Edital bolsa remunerada para alunos do CESAD
25/03/2021 Manuais para docentes, discentes, técnico-administrativos...
25/03/2021 Edital de confirmação da matrícula para ingresso em 2020/2
20/03/2021 Discentes com ingresso em 2020.2 devem realizar confirmação de matrícula ...

Apresentação do Departamento

Informações Gerais dos Cursos de Geografia da UFS (Campus São Cristóvão)

 

Ano de instalação:

Licenciatura – 1951

Bacharelado – 1951

Licenciatura Noturno – 2010

 

Reconhecimento: Decreto 34.963 de 19 de janeiro de 1954 (Diário Oficial da União de 28/01/54) e Decreto 39.039 de 18 de abril de 1956 (Diário Oficial da União de 19 de maio de 1956).

 

Projeto Pedagógico dos Cursos: Resolução N° 35/2009/CONEPE

 

Número de vagas oferecidas/ turnos:

Curso 430 – Licenciatura em Geografia – Diurno – matutino (50 vagas/ ano (início 1º semestre)

Curso 431 – Bacharelado em Geografia – Diurno – matutino (20 vagas/ ano (início 1º semestre)

Curso 432 – Licenciatura em Geografia – Noturno (50 vagas/ ano (início 2º semestre)

Regime escolar: Seriado, semestral.

 

Princípios Norteadores: 

  •  Compromisso com a construção do conhecimento geográfico, com a cultura brasileira e com a democracia cidadã;
  •  Compromisso ético com a vida em suas diferentes manifestações naturais e sociais;
  •  Respeito à pluralidade de indivíduos, ambientes, culturas e interação profissional;
  •  Copromisso com a qualificação e competência profissional geográfica; Atuação propositiva na busca de soluções relativas a questões geográficas;
  • Envolvimento permanente com os fundamentos teóricos e metodológicos da ciência geográfica;
  • Desenvolvimento crescente das habilidades gerais e específicas da geografia.

 

Objetivos gerais dos cursos 

 

  • Promover a formação de consciências críticas, capazes de gerar respostas aos problemas atuais e a situações novas que venham a ocorrer em conseqüência do avanço da ciência;
  • Propiciar o desenvolvimento da cidadania por meio do conhecimento, uso e produção histórica dos direitos e deveres do cidadão, compreendendo a cidadania como participação social e política, adotando atitudes de solidariedade, cooperação;
  • Desenvolver habilidades para utilizar em práticas de laboratórios de cartografia, fotointerpretação, sensoriamento remoto, geoprocessamento e, etc.;
  • Promover uma sólida formação e de metodologia científica, habilitando o graduado a prosseguir sua aprendizagem, seja em cursos de pós-graduação (especialização, mestrado, doutorado etc.), seja através de uma permanente atualização e, inclusive, de sua auto-capacitação;
  • Desenvolver, ao longo dos cursos, uma consciência ética e humanista, com engajamento social e político, habilitando o profissional, a atender também, os anseios da sociedade.

 

BREVE HISTÓRICO DOS CURSOS DE GEOGRAFIA EM SERGIPE

 

A criação do Curso de Geografia em Sergipe remonta ao período de instalação dos primeiros cursos superiores no Estado, quando em 1951 surge a Faculdade Católica de Filosofia através da iniciativa da Arquidiocese de Aracaju. Nesse período a consolidação dos Cursos Superiores e seus reconhecimentos por parte do Governo Federal já justificavam a criação de uma Universidade em Sergipe.

No caso das formações de Bacharéis e Licenciados em Geografia em Sergipe, o reconhecimento somente ocorre em 19 de maio de 1956 quando é publicado o Decreto Lei nº. 39.039 no Diário Oficial da União, regulamentando além destas, as formações de Licenciatura e Bacharelado em Filosofia, História e Matemática.

Inicialmente os cursos superiores de licenciatura em Geografia e História eram ofertados conjuntamente, em regime seriado, com duração média de 04 (quatro) anos e carga horária total de 2.700 horas, tendo como base a formação de professores de 1º e 2º graus. O curso era estruturado com um total de 24 (vinte e quatro) disciplinas, sendo 17 (dezessete) obrigatórias, ofertadas por um quadro docente de 09 (nove) professores efetivos.

Essa estrutura curricular permanece até 1964, quando os Cursos de Geografia e História se desmembraram, passando a possuir seus respectivos departamentos, com seus currículos distintos. A partir de então, o currículo do Curso de Geografia passou a ser organizado de acordo com os departamentos de ensino específicos da ciência geográfica, apresentados em 04 (quatro) setores: Geografia Geral, Geografia do Brasil, Geociências e Antropogeografia.

Com a instituição da Fundação Universidade Federal de Sergipe, em 28 de fevereiro de 1967, através do Decreto Lei nº. 269, e da posterior instalação da Universidade Federal de Sergipe, em 15 de maio de 1968, o quadro docente do Curso de Geografia passou a ser composto por licenciados em Geografia e História e Engenheiros Agrônomos, de Minas e Engenheiro Civil.

No ano de 1979, o curso de geografia assim como os demais cursos da UFS passou por um novo processo de reforma curricular baseado nos novos rumos do Ensino, da Pesquisa e da Extensão. A flexibilização curricular e o pluralismo metodológico salientavam em si, uma universidade que pretendia ser moderna e democrática num momento de renovação da própria geografia enquanto ciência.

De acordo com o disposto na Resolução 22/79/CONEP (Conselho do Ensino e Pesquisa) o curso de graduação em geografia de duração plena, possibilitou a formação de licenciados ou bacharéis, destinando-se à formação de professores ou de especialistas no campo da geografia. Estas modalidades propunham uma duração mínima de 03 anos e máxima de 07 anos, com 160 (cento e sessenta) créditos, o que totalizava carga horária de 2.400 horas/aula. Na sua estrutura curricular os cursos abrangiam: Um Primeiro Ciclo Básico da área de humanidades e o Segundo Ciclo Acadêmico ou Profissional, compreendendo disciplinas e atividades pedagógicas para a licenciatura ou atividades de pesquisa para os bacharelandos.

Na década de 80, do século XX, com a transferência do Campus para a cidade Universitária Prof. José Aloísio de Campos, no bairro Rosa Elze em São Cristóvão, o corpo docente sofre as primeiras alterações com o falecimento do professor Jorge de Oliveira Neto em 1980 e a aposentadoria do professor Fernando de Figueiredo Porto em 1983. A partir desse momento os Cursos de Geografia somente tiveram suas propostas curriculares reformuladas em 1993, através da Resolução 03/ 93/CONEP, que passou a ter como principais objetivos:

  • § Preparar geógrafos capazes de pensar, praticar e trabalhar a Geografia dispondo de um instrumental prático e de um referencial teórico que lhes dêem uma visão global da Geografia;
  • § Habilitar o licenciado em Geografia para o exercício da prática docente no magistério de 1º e 2º graus;

Dessa maneira, após longos anos de contínuos processos de avaliação institucional e reavaliações por parte das representações discentes e dos membros do Conselho departamental, com vistas aos propósitos das novas Diretrizes Curriculares Nacionais, aliados à aplicação dos Parâmetros Curriculares Nacionais elaborados após a aprovação da LDB (Lei nº. 9.394, de 20 de dezembro de 1996) os cursos de Geografia apresentam nova estruturação curricular no âmbito da Universidade Federal de Sergipe com o objetivo de manter a qualidade, eficiência e a ética na formação do Cidadão.

As propostas contidas no projeto político pedagógico dos cursos de geografia da UFS visam também aprimorar a busca de competências e habilidades necessárias a formação profissional que tenha compromisso com a ciência, a sociedade e o futuro, respeitando os princípios educacionais e as normas que regulamentam e fiscalizam o exercício da profissão do Geógrafo.

 

 

CAMPOS, Antônio Carlos. O espaço da Geografia na História da UFS. In: ROLEMBERG, Maria Stella Tavares; SANTOS, Lenalda Andrade. (Org.). UFS: História dos Cursos de Graduação. São Cristóvão, 1999, v. 1, p. 149-158.

 

UFS. RESOLUÇÃO N° 35/2009/CONEPE.

 

UFS – CATÁLOGO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO, 2011.

 

 

“Centros urbanos modernos não destroem a experiência humana. O que destrói é a civilização que adotamos”. A frase é de um dos mais inspiradores geógrafos do Brasil, o baiano Milton Santos. Essa sensibilidade de perceber o espaço e suas implicações de uma maneira analítica são pré-requisitos para aqueles que se dedicam à Geografia.

 

 

Chefia do Departamento:
CHRISTIAN JEAN MARIE BOUDOU
Telefone(s):
31946742(Secretaria)
Endereço Alternativo:
Não informado

<< voltar

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2021 - UFRN v3.5.16 -r16195-0a1b49f723