UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 25 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: FLAVIA OLIVEIRA DA COSTA
18/12/2012 11:36


Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: FLAVIA OLIVEIRA DA COSTA
DATA: 21/12/2012
HORA: 16:30
LOCAL: SALA DO NPGME-CAMPUS DA SAUDE
TÍTULO:

Comportamento de Biomarcadores em pacientes neurotropênicos onco-hematológicos e com leishmaniose visceral na pediatria


PALAVRAS-CHAVES:

Neutropenia, Biomarcadores inflamatórios e pós-inflamatórios, criança


PÁGINAS: 868
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Saúde Coletiva
RESUMO:

A infecção constitui a maior complicação para o paciente neutropênico, sendo causa  de morbidade e mortalidade. Sinais clínicos são inespecíficos e febre pode ser um marcador tardio para início do uso de antibióticos, podendo complicar o prognóstico. As abordagens da maioria dos protocolos focam-se em pacientes adultos. Desta forma, para que haja segurança na abordagem clínica em pacientes neutropênicos, foi realizado este trabalho com o objetivo de avaliar a capacidade de biomarcadores inflamatórios e pós-inflamatórios em predizer infecção nestes pacientes. No período de 2010 a 2012 foram incluidos 70 crianças portadoras de neutropenia, com contagem de neutrófilos ≤ 1000 cel/mm³, sendo 35 portadores de doença onco-hematológica e 35 pacientes portadores de Leishmaniose visceral(LV), com idade variando de 0 a 18 anos, oriundos do serviço de oncologia do Hospital de Urgência de Segipe e da enfermaria de Infectologia do Hospital Universitário de Sergipe. Os níveis séricos dos seguintes biomarcadores foram avaliados: Proteina C Reativa ultrassensível(PCR-US), lactato, procalcitonina(PCT), Interleucina-5(IL-5), interleucina-6(IL-6), interleucina-10(IL-10), Fator de Necrose Tumoral alfa(TNF-α) e Interferon gamma (IFN-γ). Os resultados mostraram que na média dos grupos  estudados os biomarcadores inflamatórios lactato e PCT, possuem significância estatística ao contrário da PCR-US, e que os biomarcadores pró-inflamatórios IL-10, TNF-α, IFN-γ apresentaram significância com p <0,001. A IL-5 teve um  p=0,020 e a IL-6 não apresentou estatiscamente nenhuma significância. Correlacionando a média dos grupos do número de neutrófilos com os biomarcadores, o lactato e a procalcitonina tiveram significancia estatística. A conclusão deste trabalho sugere que o lactato e a procalcitonina são biomarcadores inflamatórios que podem ser utilizados como preditores de infecção de pacientes pedriáticos neutropênicos e que a PCR-US não é um preditor seguro.Os biomarcadores pro-inflamatórios IL-10, TNF-α, IFN-γ podem ser utilizados como ferramentas na predição da infecção deste pacientes, tendo melhor atuação do que a IL-5. A IL-6 demostrou não ser um preditor de infecção confiável. Estes achados devem ser confirmados envolvendo um número maior de pacientes e com análise de custo-efetividade.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 3204497 - FRANCISCO DE ASSIS PEREIRA
Externo ao Programa - 1695058 - MARCO ANTONIO PRADO NUNES
Interno - 285906 - ROQUE PACHECO DE ALMEIDA
Interno - 577945 - ROSANA CIPOLOTTI
Externo ao Programa - 1496951 - SILVIA DE MAGALHAES SIMOES

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12712-85cc87cea5