UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 19 de Junho de 2024

A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente


Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: WELLINGTON LIMA DA SILVA JÚNIOR
13/12/2023 07:53


Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: WELLINGTON LIMA DA SILVA JÚNIOR
DATA: 18/12/2023
HORA: 08:00
LOCAL: Auditório 2 do Departamento de Zootecnia
TÍTULO: A SALINIDADE DA ÁGUA DE CULTIVO AFETA A QUALIDADE E OS ASPECTOS SENSORIAIS DO CAMARÃO Penaeus vannamei?
PALAVRAS-CHAVES: Aceitabilidade de camarão; desempenho; filé de camarão; perda de líquidos; microrganismos patogênicos.
PÁGINAS: 29
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Zootecnia
SUBÁREA: Produção Animal
RESUMO:

O camarão Penaeus vannamei é considerado excelente fonte de carne e tolera amplasalinidade de cultivo. O teor de salinidade pode alterar a qualidade de carne, suacoloração e seu sabor. Por outro lado, existem poucos estudos avaliando a interaçãoda salinidade e a qualidade organoléptica dos camarões. Assim, objetivou-se avaliar aqualidade da carne e aspectos sensoriais de camarões criados em água doce, salobrae salgada. Para isto, seis quilogramas de camarões (P. vannamei) foram coletados emtrês viveiros comercias, caracterizando três tipos de salinidades: camarões com 94dias de idade, cultivado em salinidade de 0,32 ppt; camarões com 87 dias de idade,cultivados com salinidade de 22 ppt e; camarões com 52 dias de idade e salinidade de38 ppt. Após a captura, os camarões foram congelados até análise e, posteriormente,foi avaliado a perda de líquido por descongelamento e cocção, rendimento (%) do filédos camarões, bem sua textura, como a dureza, coezão, elasticidade, gomosidade emastigabilidade, além de sua coloração em tonalidade de vermelho, amarelo e sualuminosidade. Foi realizado a análise sensorial por meio de 50 participantes nãotreinados, onde utilizaram o Metodo de índice de qualidade como referência, bemcomo foi realizado o teste do poder oxidativo do músculo dos camarões pelo método de TBARS. Também foi realizada a determinação de coliformes termotolerantes, acontagem de Staphyloccus sp. e de Salmonella sp. O camarão de água doceapresentou melhor desempenho (P<0,001) e rendimento de filé (P<0,001), no entanto,na textura, a dureza (<0,001), gomosidade (<0,001) e mastigabilidade (P= 0,004) foimaior em camarões criados em águas salinas. Para a cor os camarões de água doceapresentaram maiores valores de L (P=0,0012) e a (P<0,001). Os camarões cultivadosem todas as salinidades não possuíram a presença de Salmonella sp. e os coliformestermotolerantes e Staphyloccus sp. estavam dentro do permitido. Com isso, conlui-seque a baixa salinidade pode afetar a qualidade e os aspectos sensoriais do camarão P.vannamei.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1996023 - GREGORIO MURILO DE OLIVEIRA JUNIOR
Interno - 1412570 - VITTOR TUZZI ZANCANELA
Externo ao Programa - 1697805 - JODNES SOBREIRA VIEIRA

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2024 - UFRN v3.5.16 -r19283-d78a3f92dc