UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 01 de Dezembro de 2022

A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente


Notícias

Banca de DEFESA: THAYSNARA BATISTA BRITO
28/09/2022 09:02


Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: THAYSNARA BATISTA BRITO
DATA: 10/10/2022
HORA: 14:00
LOCAL: Online
TÍTULO: RELAÇÃO ESTRUTURA-ATIVIDADE DE N-SULFONlLfNDOIS EM Aedes aegypti (Culicidade) E TOXICIDADE AGUDA EM Artemia salina (Artemidae)
PALAVRAS-CHAVES: lndol, dengue, chikungunva. Zika, atividade larvicida, atividade ecotoxicológica.
PÁGINAS: 107
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Farmácia
RESUMO:

As três incidentes arboviroses com elevados surtos de infecção registrados nos últimosanos, dengue, chikungunya e Zika vêm trazendo sérias consequências à população mundial e têmcomo principal vetor transmissor o Aedes aegypti (L.) (Diptera: Culicidae). Um importante desafionas formas de controle deste artrópode está na alta resistência de sua população à presença delarvicidas e inseticidas convencionais, levando à redução da eficácia dos mesmos. Desta forma, odesenvolvimento de novos agentes larvicidas em potencial surge com o intuito de auxiliar estemanejo do mosquito. Assim, este trabalho buscou a modificação na molécula do indol por inclusãode grupos funcionais em locais específicos à fim de melhorar sua atividade larvicida frente a larvasdo mosquito Ae. aegypti (organismo alvo), além de determinar a toxicidade aguda destescompostos em organismos não-alvo (Artemia salina). Vinte e cinco compostos foram sintetizados etestados como agentes larvicidas em potencial contra o Ae. aegypti em seu 3° estágio larval,seguido de avaliação da toxicidade em náuplios de A. salina. O acompanhamento das reações foifeito por cromatografia em camada delgada, os produtos obtidos foram purificados em colunacromatográfica de sílica gel e caracterizados, até o momento, por ponto de fusão, infravermelho eespectro de massas. Adicionalmente, foi realizada a análise morfológia das larvas do Ae. aegyptisubmetidas a concentrações variadas dos compostos, sob estereomicroscópio com ampliação de20x, sendo fotografada com uma câmera digital. A eficácia dos compostos frente ao organismoalvo e a toxicidade frente ao organismo não-alvo foram comparadas por meio do índice deseletividade (IS), calculado pela relação entre os valores de CL50 obtidos nos ensaios de toxicidadeem organismo não-alvo e as respectivas CL.so obtidas dos ensaios larvicidas. Atividades biológicasapontaram que o composto 4-flúor-1-(4-flúorfenil)sulfonilindol apresentou uma potência larvicida de1,49 ppm (Intervalo de Confiança (I.C.)= 1,4 - 1,6 ppm) semelhante a uma das moléculas dereferência deste trabalho 1-(4-flúorfenil)sulfonilindol, CL.so= 1,5 ppm, I.C.= 1,3 - 1,7 ppm), pois osseus respectivos intervalos de confiança sobrepuseram. Pelo mesmo motivo o 1-(4-1etilfenil)sulfonilindol (CL.so= 0,22 ppm, I.C.= 0,22 - 0,23 ppm) apresentou maior potência larvicidaquando comparado ao seu composto protótipo, o 1-fenilsulfonilindol (CL.so= 2,20 ppm, I.C.= 2,03 -12,45); evidenciando, assim, uma melhora na atividade larvicida desta molécula padrão. Relaçõesentre mudanças estruturais dos derviados indólicos sintetizados, seus resultados de CLso ealterações morfológicas das larvas fornecem informações úteis para o entendimento da influênciade propriedades físico-químicas na ação larvicida e tóxica em organismos não-alvo destas classesde compostos, bem como o seu mecanismo de ação sobre as larvas, que podem levar aodesenvolvimento de larvicidas mais seletivos ao organismo alvo.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - DAMIAO PERGENTINO DE SOUSA
Interno - 2027473 - MARCELO CAVALCANTE DUARTE
Externo à Instituição - MARIA DE LOURDES DA GRAÇA MACORIS
Externo ao Programa - 426467 - PERICLES BARRETO ALVES
Presidente - 1337195 - SOCRATES CABRAL DE HOLANDA CAVALCANTI

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2022 - UFRN v3.5.16 -r18156-ca4d4a6fac