UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 07 de Dezembro de 2022

A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente


Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: JULIETE PEDREIRA NOGUEIRA
11/07/2022 15:34


Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JULIETE PEDREIRA NOGUEIRA
DATA: 15/07/2022
HORA: 08:30
LOCAL: Laboratório de Flavor e Análises Cromatográficas - LAF
TÍTULO: Produção biotecnológica de lipases e obtenção de lactonas a partir da biotransformação de ácidos graxos oriundos de resíduos da indústria processadora de frutas tropicais
PALAVRAS-CHAVES: compostos de aroma, bibliometria, biotransformação, planejamento experimental, atividade lipolítica
PÁGINAS: 173
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Ciência e Tecnologia de Alimentos
SUBÁREA: Ciência de Alimentos
ESPECIALIDADE: Química, Física, Fisico-Química e Bioquímica dos Alim. e das Mat-Primas Alimentares
RESUMO:

O mercado mundial de flavor e fragrâncias tem crescido nas últimas décadas, e um dos principais compradores são as indústrias de alimentos, a fim de fornecer produtos com qualidade sensorial. Os compostos de aroma, como as lactonas, são extremamente importantes para a percepção do sabor dos alimentos. Tendo em vista que a sociedade pós-moderna anseia pela saudabilidade, a indústria de aromas tem o desafio de desenvolver novos processos, que sejam viáveis economicamente e cujos produtos possam ser rotulados como naturais; os processos biotecnológicos atendem a esses critérios por utilizarem recursos renováveis e uma produção limpa, com menor geração de poluição e gasto energético. Este trabalho objetivou contribuir para o estudo de produção de lactonas de aroma e lipases microbianas a partir de resíduos agroindustriais por meio de: análise bibliométrica e prospecção de patentes sobre a produção biotecnológica de lactonas de aroma entre os anos de 2000 e 2020; composição aproximada das sementes oriundas dos resíduos do processamento de goiaba, mangaba, melão e maracujá, e caracterização química de seus respectivos óleos obtidos por prensagem a frio; e otimização da fermentação submersa de produção de lipase extracelular por fungos filamentosos do gênero Aspergillus spp. Primeiramente, noventa e uma publicações científicas foram recuperadas no Scopus® e Web of Science™, enquanto 1086 documentos de patentes foram revisados na plataforma The Lens. Entre 2000 e 2020, os pesquisadores desse domínio científico se concentraram na produção de γdecalactona a partir da biotransformação do ricinoleato de metila pela levedura Yarrowia lipolytica; mas, nos últimos anos, observou-se a tendência pela produção de outras lactonas, por exemplo γ-dodecalactona, a partir de ácidos graxos não hidroxilados por hidrólise enzimática. As sementes de goiaba, mangaba, melão e maracujá mostraram-se ricas em lipídeos e proteínas; e seus óleos apresentaram perfis de ácidos graxos que possibilitam a utilização como óleo comestível ou em indústrias de alimentos, de cosméticos, de biocombustíveis, têxteis ou farmacêuticas. Afinal, a cepa A. carbonarius IOC 4612 e os resíduos agroindustriais de maracujá foram selecionados para a otimização da produção de lipases, por meio de dois planejamentos experimentais — Plackett-Burman e DCCR —, a qual promoveu a atividade lipolítica máxima (3,54 U·mL-1 ) foi obtida pela fermentação submersa em meio composto por 5,0 g·L -1 de nitrogênio (extrato de levedura), 20,0 g·L -1 de farelo de maracujá e 10,0 g·L -1 de óleo de semente de maracujá ajustado a pH 7,0 e submetido a 40ºC e 120 rpm por 120 h. Assim sendo, a utilização de resíduos agroindustriais como substrato para a produção de lipases extracelulares por fermentação submersa exibe um potencial como alternativa para valorização desses subprodutos e destinação mais rentável economicamente.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 2505573 - LUCIANA CRISTINA LINS DE AQUINO SANTANA
Externo ao Programa - 1786979 - MARIA APARECIDA AZEVEDO PEREIRA DA SILVA
Presidente - 6330812 - NARENDRA NARAIN
Interno - 2178474 - ROBERTO RODRIGUES DE SOUZA

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2022 - UFRN v3.5.16 -r18160-36a7f68df5