UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 28 de Janeiro de 2023

A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente


Notícias

Banca de DEFESA: JÉSSICA FERNANDA DA SILVA
20/04/2022 15:03


Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JÉSSICA FERNANDA DA SILVA
DATA: 29/04/2022
HORA: 13:00
LOCAL: Plataforma Google Meet
TÍTULO: ASSOCIAÇÃO DE PRÁTICAS DE CULTIVOS E BACTÉRIAS DIAZOTRÓFICAS PARA PRODUÇÃO DE MILHO VERDE EM SERGIPE.
PALAVRAS-CHAVES: Inoculante, Agricultura, Sustentabilidade, Práticas conservacionistas
PÁGINAS: 123
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Ciências Ambientais
RESUMO:

O cultivo de milho é uma prática de grande crescimento econômico, tornando-se fonte de mercado em Sergipe e com oportunidades de negócios para agricultores familiares onde o clima e solo são mais favoráveis à cultura. A utilização de culturas antecedentes e diferentes sistemas de manejo do solo é uma forma de cultivo conservacionista e a associação da inoculação de bactérias diazotróficas pode representar uma alternativa sustentável aprimorada com a combinação das técnicas para o favorecimento econômico da produção vegetal desta cultura e fortalecimento da agricultura familiar pelo acesso a essa nova tecnologia em Sergipe e em outras regiões do Nordeste. O presente trabalho tem como problemática as práticas incorretas de manejo, que levam a baixa sustentabilidade da exploração do milho no estado de Sergipe. O objetivo foi avaliar a eficiência da associação tecnológica de práticas agrícolas conservacionistas para o cultivo do milho verde determinando parâmetros de cultivo eficientes aos benefícios ambientais e socioeconômicos para região de Sergipe. Tendo como hipótese que para aumentar a sustentabilidade do manejo de milho no estado de Sergipe, deve-se favorecer a produção de milho na região, reduzindo o uso de fertilizante nitrogenado com a adoção de práticas conservacionistas de manejo de solo e inoculação de bactérias fixadoras de nitrogênio, sendo esta, uma tecnologia sustentável, que pode garantir o desenvolvimento socioeconômico e a preservação do meio ambiente nesta região. Foram feitas três avaliações no experimento de campo na fazenda experimental da UFS onde está implantado o experimento de longa duração do cultivo do milho verde, foram avaliadas as safras 2019, 2020 e 2021 que correspondem ao 19º, 20º e 21° ano de cultivos. O delineamento experimental foi organizado em três faixas experimentais que correspondem cada uma delas a três sistemas de cultivo, convencional, mínimo e plantio direto com parcelas subdivididas onde foram cultivadas as culturas antecedentes crotalária, caupi, guandu e milheto antes do plantio do milho. O milho na safra 2019 foi inoculado com o inoculante bacteriano de Herbaspirillum seropedicae complementado com 50% da dose de N e nas safras 2020 e 2021 com Azospirillum brasilense complementado com 50% e 75% da dose de N respectivamente, os tratamentos nitrogenados receberam 100% da dose de N na forma de ureia. A produtividade do milho verde foi avaliada pelo número e peso de espigas comerciais. Também foram realizadas análises de massa seca das plantas, clorofila total das plantas, altura das plantas. O solo foi coletado na profundidade de 0-10 com e 10-20 cm para análise das propriedades químicas e amostras indeformadas para análises de densidade. Foi feita a análise de resistência mecânica a penetração. Para análise econômica foi utilizada a estrutura do custo operacional total de produção usada pelo Instituto de Economia Agrícola (IEA). Os resultados indicaram que a associação entre sistemas de cultivo, culturas antecedentes e inoculação de Herbaspirillum seropedicae ou Azospirillum brasilense favorecem a produtividade do milho verde. Há a necessidade da complementação da inoculação com a fertilização de N, mas as condições nutricionais do solo nos sistemas conservacionistas juntamente com os benefícios proporcionados pelas culturas antecedentes contribuem na redução do uso de fertilizante químico proporcionando benefícios econômicos e ambientais. Os sistemas de cultivos plantio direto e cultivo mínimo, proporcionam melhores condições de fertilidade do solo e produtividade do milho verde. O uso das estratégias conservacionistas associada a inoculação de Azospirillum brasilense representa a tecnologia economicamente mais eficiente ao cultivo mais sustentável do milho verde na região dos Tabuleiros costeiros.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 388007 - ADAUTO DE SOUZA RIBEIRO
Presidente - 1316620 - ALCEU PEDROTTI
Externo ao Programa - 3159407 - ANA PAULA SCHERVINSKI VILLWOCK
Externo à Instituição - DJAIL SANTOS
Externo ao Programa - 1201910 - FRANCISCO SANDRO RODRIGUES HOLANDA
Externo à Instituição - PAULO IVAN FERNANDES JUNIOR

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2023 - UFRN v3.5.16 -r18277-8067e35817