UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 06 de Dezembro de 2022

A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente


Notícias

Banca de DEFESA: IGHOR COSTA BARRETO
03/02/2022 07:52


Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: IGHOR COSTA BARRETO
DATA: 23/02/2022
HORA: 13:00
LOCAL: Online
TÍTULO: Desenvolvimento de microemulsões biopesticidas contendo óleo essencial de Vitex gardneriana Schauer para controle do ácaro-da-necrose-do-coqueiro e investigação dos sesquiterpenos do gênero Vitex
PALAVRAS-CHAVES: Aceria guerreronis, Vitex gardneriana, óleo essencial, microemulsão, Vitex, sesquiterpenos sintases, ciclização.
PÁGINAS: 138
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Farmácia
RESUMO:

Espécies de Vitex têm uma diversidade de terpenos voláteis, principalmente sesquiterpenos (SS) que estão presentes em elevada abundância. Estudo prévio pelo nosso grupo de pesquisa, reportou o potencial que o óleo essencial de Vitex gardneriana (OEVG), rico em SS, possui para o controle do Aceria guerreronis, importante praga que limita a atividade dos cocoicultores, em decorrência do ataque aos frutos, causando significativa perda e desvalorização do produto para o mercado consumidor. Mesmo diante do potencial de aplicabilidade do OEVG, este apresenta fatores limitantes para a aplicação do uso direto, como por exemplo, baixa solubilidade em meio aquoso, instabilidade química e alta volatilidade. Desta forma, a utilização de sistemas estabilizados por tensoativos, como as microemulsões (MEs) apresentam-se como promissores para veicular OEVG, visto que, esses sistemas de uma forma geral, oferecem diversas vantagens ao possibilitarespalhamento, molhabilidade, maior estabilidade, além de solubilizar substâncias lipofílicas, como por exemplo, os óleos essenciais em meio aquoso. Desse modo, o objetivo deste trabalho foi desenvolver MEs contendo OEVG, rico em SS, capazes de potencializar o efeito letal e repelente frente ao A. guerreronis. Além disso, apresentar os diversos núcleos químicos dos SS voláteis do gênero Vitex. Nesta etapa do trabalho, foi abordado extensivamente os 156 SS identificados em táxons de Vitex, enfatizando aqueles com maiores concentrações e frequência entre as espécies e correlacionando com as atividades inseticidas e respostas defensivas relatadas na literatura. Adicionalmente, os SS foram classificados com base em suas estruturas químicas e ciclização na origem biossintética, indicando possíveis expressões de sesquitepernos sintases. Na etapa que se refere ao desenvolvimento das MEs, foi comparado a toxicidade das MEs contendo OEVG utilizando óleo de semente de algodão (OA) e óleo mineral (OM) como diferentes fases oleosas. As MEs foram obtidas através do diagrama de fase pseudoternário pelo método de titulação com uma mistura 1:1 de polissorbato 80 como tensoativo e propilenoglicol como co-tensoativo, OA e OM como fases oleosas e água como fase aquosa. OEVG (2%) foi incorporado nas MEs preparadas a partir de uma formulação selecionada de cada diagrama. Microscopia de luz polarizada (MLP), espalhamento dinâmico de luz e reologia foram as técnicas utilizadas para caracterizar as MEs. As fotomicrografias obtidas por MPL das MEs apresentaram comportamento isotrópico, enquanto a reologia indicou comportamento de fluido newtoniano. O tamanho de partícula de todas as amostras das MEs variou de 11,85 a 32 nm, enquanto os valores de índice de polidispersidade (IPD) variaram de 0,153 a 0,2. Com base em bioensaios de concentração-mortalidade, a toxicidade da ME-OA contendo OEVG foi maior (CL50 = 195 ppm) em comparação com a toxicidade do ME-OA sem OEVG (CL50 = 669 ppm). Da mesma forma, a adição de OEVG na ME-OM também aumentou a toxicidade (CL50 = 120 ppm). Além disso, a CL50 de todas MEs com e sem OEVG foi inferior do que a CL50 determinado para o OEVG livre (CL50 = 888 ppm). As MEs contendo OEVG, em suasC L80 e principalmente CL50, repeliram o ácaro até o período de 48 horas. No que concerne a I nvestigação dos SS no gênero Vitex, os SS mais relevantes são derivados do cátion germacradienilp rincipalmente via biciclogermacreno e germacreno C, dando origem aos aromadrendanos, e squeleto com maior número de compostos representativos neste gênero, e 6,9-guaiadieno, r espectivamente, indicando a produção de 1.10-ciclizantes sesquiterpeno sintases. Em conclusão, a s MEs possuem potencial para controlar A. guerreronis, especialmente quando OEVG foi a dicionado aos sistemas com ambas as fases oleosas. Além disso, este trabalho aborda umac ompilação de informações detalhadas sobre o perfil dos sesquiterpenos do gênero Vitex, e dessa f orma, aponta para novos horizontes inexplorados para pesquisas futuras.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - ADENIR VIEIRA TEODORO
Externo à Instituição - AMANDA MENDONÇA BARROS COSTA
Interno - 1686032 - ANA AMELIA MOREIRA LIRA
Presidente - 032.657.764-50 - JOSÉ GUEDES DE SENA FILHO
Externo ao Programa - 1658460 - VICTOR HUGO VITORINO SARMENTO

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2022 - UFRN v3.5.16 -r18160-36a7f68df5