UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 08 de Dezembro de 2022

A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente


Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: ROSANA MOURA ANDRADE
13/12/2021 08:14


Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ROSANA MOURA ANDRADE
DATA: 21/12/2021
HORA: 09:00
LOCAL: Online
TÍTULO: Prospecção de metabólitos secundários da própolis marrom com potencial antimicrobiano
PALAVRAS-CHAVES: apiterapia; produtos naturais; cromatografia; bioguiado; Streptococcus; biofilme.
PÁGINAS: 63
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Farmácia
RESUMO:

A própolis é um produto natural produzido pelas abelhas para vedar espaços e envolveranimais invasores, evitando a decomposição e o desenvolvimento de microrganismos patogênicos nacolmeia. Os seres humanos utilizam a própolis há muito tempo para tratar problemas de saúde, comoas infecções microbianas, sobretudo do trato respiratório superior. Entre os microrganismoscausadores dessas infecções encontram-se as bactérias do gênero Streptococcus, como por exemplo,Streptococcus mutans. O biofilme produzido por estes microrganismos é um dos importantes fatoresde virulência deste patógeno, uma vez que o protege da ação de fármacos e antissépticos, dificultandoa sua eliminação. Nesse sentido, tratamentos utilizando produtos naturais antibacterianos que inibem aformação do biofilme podem ser utilizados como alternativa para prevenir ou tratar doençasinfecciosas. Propõe-se, neste trabalho, isolar de maneira bioguiada, metabólitos secundários daprópolis marrom capazes de inibir o crescimento microbiano de Streptococcus mutans, bem como,avaliar a atividade antibacteriana dessas substâncias frente Streptococcus agalactiae, Streptococcusgordonii e Streptococcus pyogenes. O extrato da própolis marrom, coletada no município deTucano/BA, foi obtido por maceração/ultrassom. Em seguida o extrato bruto foi fracionado porpartição líquido-líquido utilizando hexano, diclorometano e acetato de etila. Os compostos fenólicos(CFT) e flavonoides totais (FT) foram quantificados por métodos colorimétricos utilizando o reagentede Folin-Ciocalteu e AlCl3, respectivamente. A determinação da atividade antimicrobiana foi realizadaem placas de 96 poços utilizando o método da microdiluição, e a avaliação da formação de biofilmepelo método do cristal violeta. A fração com maior potencial de inibição do crescimento de S. mutansfoi submetida à cromatografia líquida clássica (CLC) e posteriormente será submetida à CLAE para apurificação dos metabólitos secundários. Finalmente, os metabólitos secundários isolados serãoavaliados quanto ao seu efeito de inibição do crescimento e na inibição da formação de biofilme de S.agalactiae, S. gordonii e S. pyogenes. A elucidação estrutural das substâncias isoladas será realizadapor Ressonância Magnética Nuclear (RMN). O processo extrativo rendeu 82,07 g de extrato bruto, oque representou 47,72%. A fração diclorometano apresentou 143,9 mg/g (± 4,13) de CFT e 452,7 mg/g(± 1,76) de FT representando a maior concentração dentre as frações. Os resultados obtidos para osensaios biológicos evidenciam que o extrato bruto apresentou concentração inibitória mínima (CIM)de 512 µg/mL, frente S. mutans. A fração diclorometano foi a mais ativa frente S. mutans, com CIMde 256 µg/mL, enquanto, a CIM da fração hexano foi de 512 µg/mL. Deste modo, a fraçãodiclorometano foi submetida ao processo de isolamento dos metabólitos secundários por CLC, dando origem a 9 subfrações. Destas frações, as frações SBF-7 e SBF-8 (cristais amarelos) foram as mais ativas contra S. mutans apresentando ambas CIM de 128 µg/mL. Com os achados, foi possível concluir que dentre as frações testadas a fração diclorometano foi a mais potente contra S. mutans e por isso, esta fração foi selecionada para o isolamento biomonitorado da(s) substância(s) responsáveis pelo efeito antimicrobiano. Espera-se descobrir novas substâncias naturais com potencial antimicrobiano a partir de uma fonte que já é utilizada tradicionalmente para o tratamento e prevenção de infecções.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2869627 - ADRIANA GIBARA GUIMARÃES
Externo à Instituição - GLEILTON WEYNE PASSOS SALES
Interno - 2027473 - MARCELO CAVALCANTE DUARTE

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2022 - UFRN v3.5.16 -r18160-36a7f68df5