UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 26 de Novembro de 2022

A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente


Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: LARISSA ALVES DA SILVA
29/11/2021 14:11


Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: LARISSA ALVES DA SILVA
DATA: 29/11/2021
HORA: 13:00
LOCAL: meet.google.com/zea-kyti-dhe
TÍTULO: AVALIAÇÃO DO COMPORTAMENTO REOLÓGICO E DA ESTABILIDADE OXIDATIVA DE FLUIDO A BASE DE ÉSTER DE BABAÇU PARA USO EM PERFURAÇÃO DE POÇOS DE PETRÓLEO
PALAVRAS-CHAVES: fluidos de perfuração, petróleo, biodiesel, babaçu, estabilidade oxidativa, reologia, tixotropia, histerese
PÁGINAS: 21
GRANDE ÁREA: Engenharias
ÁREA: Engenharia Química
SUBÁREA: Tecnologia Química
ESPECIALIDADE: Petróleo e Petroquímica
RESUMO:

Os fluidos de perfuração são usados na atividade de exploração e produção de petróleo, visando garantir a melhor produtividade bem como a segurança do poço. Eles podem ser considerados como sistemas multifásicos, contendo água, compostos orgânicos, sais dissolvidos, sólidos em suspensão e aditivos nas mais diversas proporções, e devem apresentar inúmeras características para que o projeto do poço seja realizado de forma a garantir uma perfuração rápida e segura. Este estudo teve por objetivo desenvolver um fluido de perfuração a base de éster de babaçu (Orbignya oleífera) e realizar sua caracterização reológica. A caracterização reológica foi realizada através de ensaios de reologia, utilizando sistema de cilindros coaxiais, para obtenção das curvas de fluxo e determinar parâmetros tais como: o limite de escoamento (LE), o índice de consistência (k), o índice de comportamento (n) e o grau de tixotropia (área de histerese) em função das temperaturas 30°, 60° e 90°C. Além disso, foi realizado também um estudo da estabilidade oxidativa para as 11 formulações produzidas através de um planejamento experimental. Os resultados obtidos mostraram que os fluidos apresentaram comportamento pseudoplástico, seguindo o modelo de Herschell-Bulkley. Observou-se ainda um melhoramento da viscosidade aparente para razão óleo/água 65/35 com 10 lb/bbl e para as razões O/A 60/40 e 70/30 com 12 lb/bbl EMU. As formulações com concentração de salinidade igual a 95.000ppm apresentaram aumento do o índice de consistência (K), limite de escoamento (LE) e viscosidade aparente (VA) a temperatura de 90°C. O estudo da estabilidade oxidativa do biodiesel de babaçu apresentou bons resultado para os fluidos produzidos, tendo início da oxidação entre 40 e 60 horas e formulações com 120 horas. O éster de babaçu se mostrou apto para ser utilizado em formulações de fluidos que serão usados em poços com gradiente de temperatura mais elevados.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 426680 - GABRIEL FRANCISCO DA SILVA
Interno - 2178474 - ROBERTO RODRIGUES DE SOUZA
Externo à Instituição - CARLOS ANTONIO CABRAL DOS SANTOS

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2022 - UFRN v3.5.16 -r18154-6e174eae4e