UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 30 de Novembro de 2022

A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente


Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: ADINÉSIA LIMA LEITE
26/10/2021 17:22


Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ADINÉSIA LIMA LEITE
DATA: 29/10/2021
HORA: 19:00
LOCAL: forma remota-google meet
TÍTULO: AVALIAÇÃO DOS EFEITOS DO CAPITAL HUMANO SOBRE AS MORTES CAUSADAS PELA PANDEMIA DE COVID-19
PALAVRAS-CHAVES: Capital humano; COVID; Desenvolvimento econômico
PÁGINAS: 36
GRANDE ÁREA: Ciências Sociais Aplicadas
ÁREA: Economia
SUBÁREA: Crescimento, Flutuações e Planejamento Econômico
ESPECIALIDADE: Crescimento e Desenvolvimento Econômico
RESUMO:

A teoria do capital humano tem ganhado cada vez mais espaço não apenas na literatura, mas também nos diferentes segmentos da sociedade: econômico, social e político. Para aumentar o nível de renda e bem-estar social do indivíduo, o caminho sinalizado para isso é o investimento em capital humano. Além disso, o aumento no nível educacional contribui para a redução da desigualdade social entre classes e regiões do país (CRUZ; TEIXEIRA; BRAGA, 2010).

Segundo Balassiano, Seabra e Lemos (2005) a maior facilidade de encontrar emprego vem sendo diretamente associada à questão da qualificação profissional, sendo esta representada por um conjunto de atributos que incluem aspectos relativos à educação formal, à capacidade de aprender permanentemente, de empreender, além de um conjunto de atitudes como iniciativa, autonomia e versatilidade. Esses atributos garantiriam aos trabalhadores a empregabilidade, isto é, a capacidade de permanecer no mercado de trabalho.

Os investimentos em capital humano corroboram para a redução das desigualdades sociais, aumento da produtividade total dos fatores e, por sua vez, para o crescimento e desenvolvimento econômico (CRUZ; TEIXEIRA; BRAGA, 2010).

Mas especificamente, este trabalho visa investigar se o maior nível de capital humano nos municípios da Região Nordeste, precisamente nos 1793 municípios que compõem a referida região, contribuiu para uma menor taxa de mortalidade provocada pelo COVID-19. Espera-se que quanto maior o nível de capital humano do município, menor será a taxa de letalidade causada pelo COVID-19, pois pessoas com maior nível de escolaridade têm comportamentos mais saudáveis, como práticas de exercícios físicos, alimentação saudável, maior cuidado com a higiene e realização de exames preventivos. Práticas essenciais para minimizar os sintomas da síndrome respiratória causada pelo vírus SARS-COV-2. Além disso, os efeitos benéficos do capital humano são multidimensionais: macroeconômicos, individuais e sociais que podem contribuir positivamente para uma menor taxa de mortalidade na região (BESARRIA et al., 2016; CAMPOS; MIRANDA, 2021).

Estre trabalho está dividido em três capítulos, além desta introdução. No primeiro revisamos a literatura sobre desenvolvimento socioeconômico e capital humano, além de apresentar as principais consequências teóricas de uma pandemia. No segundo foi feito uma revisão da literatura empírica sobre os fatores determinantes da COVID-19. No terceiro apresentamos a metodologia usada para analisar a relação entre capital humano e a letalidade da COVID-19.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1699173 - FERNANDA ESPERIDIAO
Interno - 3317187 - KLEBER FERNANDES DE OLIVEIRA
Externo ao Programa - 1308620 - THIAGO HENRIQUE CARNEIRO RIOS LOPES

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2022 - UFRN v3.5.16 -r18156-ca4d4a6fac