UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 29 de Novembro de 2022

A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente


Notícias

Banca de DEFESA: JULIANNA KARLA SANTANA ANDRADE
04/10/2021 15:12


Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JULIANNA KARLA SANTANA ANDRADE
DATA: 11/10/2021
HORA: 09:00
LOCAL: video conferencia
TÍTULO: ESTUDO DOS COMPOSTOS BIOATIVOS OBTIDOS DO CULTIVO DO GÊNERO Aspergillus spp. A PARTIR DE RESÍDUOS AGROINDUSTRIAIS E PERFIL FITOQUÍMICO DE FOLHAS DE ÁRVORES FRUTÍFERAS QUANTO AOS BENEFICIOS A SAÚDE.
PALAVRAS-CHAVES: resíduos de frutas; compostos bioativos; a-amilase; digestão gastrointestinal; bioacessibilidade.
PÁGINAS: 353
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Ciência e Tecnologia de Alimentos
RESUMO:

O aproveitamento de resíduos e folhas de frutas vem aumentando nos últimos anos, devido à presença decompostos bioativos, podendo ser utilizados em processo fermentativo e/ou no desenvolvimento de novos produtos de altovalor nutricional e terapêutico para manutenção da saúde. Diante disso, o objetivo do presente estudo é avaliar o conteúdo decompostos bioativos in vitro de resíduos de frutas tropicais, provenientes da Região Nordeste do Brasil, através de extratosetanólicos 12% (v/v) e aquosos: caju (Anacardium occidentale L), graviola (Annona muricata), jamelão (Syzygiumjambolanum), melão de São Caetano (Momordica charantia L.), physalis (Physalis peruviana L.), romã (Punica granatum),cupuaçu (Theobroma grandiflorum) e jaca (Artocarpus heterophyllus), e das folhas de graviola (Annona muricata), jamelão(Syzygium jambolanum), maracujá (Passiflora edulis), grageru (Chrysobalanus icaco L.), insulina (Cissus sicyoides L.),nogueira (Juglans regia L.), pedra ume kaá (Myrcia sphaerocarpa) e estévia (Stevia rebaudiana) quanto ao conteúdo decompostos fenólicos, flavonoides e atividade antioxidante (ABTS + , DPPH, FRAP e ORAC); o screening dos compostosbioativos por LC-MS, a determinação de açúcares por HPLC-RID, ácidos orgânicos e carotenoides por HPLC-DAD. Alémdisso, foram avaliados o percentual de inibição da enzima α-amilase, o teor de compostos fenólicos e antioxidantes após oprocesso simulado de digestão gastrointestinal in vitro, o índice de bioacessibilidade e citotoxicidade in vitro dos extratosaquosos e etanólicos a 12%. A escolha das matrizes de maior interesse para a avaliação da influência da fermentação fúngicaem estado sólido na obtenção de compostos bioativos. Os extratos das folhas, resíduos de frutas e fermentados apresentaramelevados teores de fenólicos e flavonoides totais, e compostos bioativos que auxiliam na atividade antioxidante. Ademais,resultados apresentaram boa inibição da α-amilase, viabilidade celular nas concentrações (10, 50, 100 e 1000 µg/mL) eaumento da bioacessibilidade de compostos fenólicos nos resíduos das frutas. Este estudo sugere que folhas e resíduos defrutas são boas fontes de antioxidantes naturais e têm potencial promissor para ensaios in vivo quanto a sua avaliação benéficaa saúde humana.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 6330812 - NARENDRA NARAIN
Interno - 2505573 - LUCIANA CRISTINA LINS DE AQUINO SANTANA
Externo ao Programa - 3146747 - MARIA TEREZINHA SANTOS LEITE NETA
Externo ao Programa - 1690189 - EDILSON DIVINO DE ARAUJO
Externo à Instituição - FRANCINE FERREIRA PADILHA

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2022 - UFRN v3.5.16 -r18154-6e174eae4e