UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 31 de Janeiro de 2023

A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente


Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: MARCELA PRADO MENDONÇA
30/08/2021 18:36


Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MARCELA PRADO MENDONÇA
DATA: 31/08/2021
HORA: 08:00
LOCAL: via webconferencia GOOGLE MEET
TÍTULO: A invisibilidade da mulher pescadora na economia - O caso das pescadoras e marisqueiras Aracaju/SE
PALAVRAS-CHAVES: Marisqueiras; Pescadoras; Invisibilidade economica; etnografia; Manguezais
PÁGINAS: 50
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Ciências Ambientais
RESUMO:

Essa tese tem como problema principal de demonstrar porque a atividade de mariscagem, apesar de ser culturalmente reconhecida em todo o território sergipano, é social e economicamente invisível. Para fins de políticas públicas a qualidade de vida e bem estar econômico da atividade da pesca está enquadrada em contribuinte individual ou trabalhador rural e, quando se trata de mulheres essa invisibilidade é ainda maior. Em Aracaju, de acordo com dados e registro na Capitania dos Portos de Sergipe, a apenas 409, pescadores em atividade, 346 estão inscritos como inativos primários, 1295 como inativos secundários, destes números 5% são mulheres. A metodologia de abordagem interdisciplinar como proposta de analise o objeto tem como a ética da relação entre homem, Sociedade e Natureza sob a perspectiva de Santos & Larrere busca entender essa relação socioambiental dessas mulheres e o meio em que vivem. Para caracterizar as relações econômicas utilizaremos os autores relacionados aos conceitos de economia do meio ambiente de May, Lustosa, Vinha, Andrade e Banerjee e Duflo estende as concepções e atualizações da economia pré-pandemia. Para entender as relações de trabalho das mulheres pescadoras em marisqueiras utilizaremos os conceitos de colonialidade do poder, identificação e visibilização de construções epistêmicas alternativas de Segato, Lugones e Andaluzia. A principal hipótese da pesquisa avalia por meio da análise dos conflitos e interesses em torno da pesca e a mariscagem realizadas por mulheres. As causas históricas e socioambientais fazem com que essas mulheres sejam a face invisível deste setor econômico. O escopo da pesquisa tem caráter exploratório de imersão e descritivo de classificação qualitativa. Ao final produz-se o mapeamento dos atores sociais e das atividades de pesca e mariscagem. A pretensão inicial de fazer a imersão etnográfica no entanto, frustrou parcialmente o estudo e, não sabemos se será possível devido à pandemia. Os resultados preliminares da pesquisa possibilitaram mapear e registrar 63 marisqueiras e pescadoras residentes nos bairros Industrial, Porto Dantas, mosqueiro, Robalo, Coroa do Meio e Atalaia. Para o estudo de caso, o principal procedimento metodológico da pesquisa quantitativa possibilitou traçar o perfil do emprego gerado pelo pesca e atividade de mariscagem. Aplicamos questionários aos empregadores dos distintos ramos do pesca territorialidades em Aracaju incluindo os poderes púbicos municipal e estadual e as pescadoras e marisqueiras.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 388007 - ADAUTO DE SOUZA RIBEIRO
Interno - 2579022 - GREGORIO GUIRADA FACCIOLI
Interno - 3185055 - GICÉLIA MENDES DA SILVA

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2023 - UFRN v3.5.16 -r18285-05ee143cb2