UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 01 de Dezembro de 2022

A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente


Notícias

Banca de DEFESA: HELENA FERREIRA LIMA
17/08/2021 14:17


Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: HELENA FERREIRA LIMA
DATA: 31/08/2021
HORA: 15:00
LOCAL: Online
TÍTULO: Influência das discrepâncias medicamentosas não intencionais sobre desfechos clínicos, econômicos e humanísticos em pacientes adultos hospitalizados
PALAVRAS-CHAVES: Discrepâncias medicamentosas não intencionais. Conciliação de medicamentos. Mortalidade. Custos do medicamento. Qualidade de vida
PÁGINAS: 85
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Farmácia
RESUMO:

Introdução: As discrepâncias medicamentosas não intencionais estão entre os eventos mais importantes na segurança do paciente, levando ao desenvolvimento dos serviços de conciliação de medicamentos, entretanto o impacto das discrepâncias sobre desfechos clínicos, econômicos e humanísticos ainda é pouco conhecido. Objetivo:Avaliar a influência das discrepâncias não intencionais de medicamentos sobre desfechos clínicos, econômicos e humanísticos em pacientes adultos hospitalizados. Método: Foi realizada uma revisão sistemática de estudos que verificaram a associação entre discrepâncias não intencionais e desfechos clínicos, econômicos ou humanísticos publicados até Maio de 2021, identificados a partir de busca nas bases de dados PubMed/Medline, Scopus, Embase, LILACS, Web of Science, Cochrane Library e CINAHL. A estratégia de pesquisa envolveu as palavras com os termos MESH Medication Reconciliation, Patient Admission, Patient Transfer, Patient Discharge e não MESH Mortality, Drug Costs e Quality of life. Resultados: Foram identificados 6600 artigos, dos quais 63 estudos foram selecionados para leitura de texto completo. Ao final do processo de seleção, cinco estudos foram incluídos nesta revisão. Embora as discrepâncias medicamentosas não intencionais possam causar eventos adversos a medicamentos e, consequentemente, danos aos pacientes, os estudos incluídos na amostra final não observaram associação das discrepâncias com desfechos como readmissão hospitalar, tempo de internação e mortalidade. A qualidade metodológica da maioria dos estudos foi considerada satisfatória. Conclusão: Até o momento, a literatura científica indica que as discrepâncias medicamentosas não intencionais não afetam significativamente os desfechos em saúde. Diante do escasso número de estudos e do uso de poucos desfechos, especialmente aqueles relacionados aos componentes humanísticos e econômicos – observa-se a necessidade de investigar o real impacto das discrepâncias em estudos adicionais.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 949.166.594-49 - ALFREDO DIAS DE OLIVEIRA FILHO
Interno - 1315121 - DIVALDO PEREIRA DE LYRA JUNIOR
Externo à Instituição - TÂMARA NATASHA GONZAGA DE ANDRADE SANTOS

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2022 - UFRN v3.5.16 -r18156-ca4d4a6fac