UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 17 de Setembro de 2021


Notícias

Banca de DEFESA: MATHEUS EMANNUEL OLIVEIRA VIEIRA
20/07/2021 09:19


Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MATHEUS EMANNUEL OLIVEIRA VIEIRA
DATA: 26/07/2021
HORA: 14:00
LOCAL: meet.google.com/mvw-okjc-eui
TÍTULO: Funcionamento e Estrutura da Comunidade Microbiana de um Solo dos Tabuleiros Costeiros Submetido a Diferentes Sistemas de Produção de Grãos
PALAVRAS-CHAVES: Qualidade do Solo; Agricultura Conservacionista; Indicadores Microbiológicos.
PÁGINAS: 41
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Agronomia
RESUMO:

Os microrganismos são agentes que desempenham importantes funções no solo como a decomposição da matéria orgânica e a ciclagem de nutrientes. Apesar desta importância há poucos trabalhos que avaliam o efeito de diferentes sistemas de produção de grãos no funcionamento e na estrutura da comunidade microbiana do solo na região dos Tabuleiros Costeiros. Por isso este trabalho teve como objetivo avaliar como os sistemas de produção de grãos afetam o funcionamento e a estrutura da comunidade microbiana do solo e a relação destes com a qualidade do solo. Para tal foram coletadas amostras de solo de 5 tratamentos: Plantio Direto de Monocultivo de Milho (MM), Plantio Milho em consórcio com Urochloa decumbes/ Soja (M+Ud/S), Milho em consórcio com Urochloa decumbes (M+Ud), Pasto com Urochloa decumbes (M+Ud/Ud/Ud) e pasto com Urochloa ruziziensis (M+Ur/Ur/Ur), ambos com 30 meses. Por meio destas amostras foram avaliadas a Qualidade do Solo (QS) (matéria orgânica do solo, densidade do solo, estabilidade de agregados, resistência mecânica a penetração e diâetro médio de agregados), o Funcionamento Microbiano do Solo (FMS) (respiração basal, carbono da biomassa microbiana e a atividade das enzimas fosfatase ácida, β-glicosidase, arilsulfatase e hidrólise de diacetato de fluoresceína) e a Estrutura da Comunidade Microbiana que foi determinada pelo método EL-FA e foram indentificados os grupos microbianos: Fungos Micorrízicos Arbusculares (FMA), Fungos Saprófitos (FUN), Bactérias Gram-Positivas (BGP), Bactérias Gram-Negativas (BGN) e Actinomicetos (ACT). Nossos resultados mostraram que os sistemas de produção de grãos afetam de maneira diferentes o FMS e a ECM, sendo que houve incrementos das enzimas e da respiração basal do solo nos tratamentos M+Ud, M+Ud/Ud/Ud e M+Ur/Ur/Ur, em contrapartida incrementos do carbono da biomassa microbiana foram observados nos sistemas MM e M+Ud/S, já em relação a ECM os sistemas M+Ud/Ud/Ud e M+Ur/Ur/Ur proporcionaram maiores incrementos para os grupos microbianos FMA, FUN e BGN enquanto que os tratamentos M+Ud, M+Ud/S e o MM promoveram maior abundância de BGP e ACT. O FMS e a ECM não tiveram relação com a QS. Diante dos resultados aqui encontrados, foi constatado que o uso de espécies de Urochloa e o seu maior tempo de permanência continuo nos sistemas de produção de grãos proporciona mudanças positivas no FMS e ECM nos solos dos Tabuleiros Costeiros.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 579.662.146-72 - MARCELO FERREIRA FERNANDES
Externo à Instituição - LUCAS DANTAS LOPES
Externo à Instituição - EDSON PATTO PACHECO

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2021 - UFRN v3.5.16 -r16088-62c448d53e